Você está na página 1de 23

PLANEJAMENTO

PARA MONTAR UM
COWORKING
INTRODUÇÃO
Montar um negócio e vê-lo crescer ao longo dos anos
com prosperidade é o sonho de qualquer
empreendedor. Quem não quer ter o orgulho de, em
uma roda de conversa, ser perguntado: “Como vai a
empresa?”, e poder responder: “melhor impossível.

Mas, sabemos que na realidade chegar a esse ponto


não é nada fácil. E para quem deseja entrar no ramo do
coworking, precisa estar atento a muitos detalhes para
não jogar seus investimentos pela janela.

Isso mesmo! Empreender não é brincadeira. E se você


quer ter a certeza de que está no caminho certo, leia
este e-book! Nele buscamos elencar em alguns tópicos
os principais passos para você se planejar desde o início
até o mantimento da empresa. São táticas baseadas
em nossa própria experiência, na de clientes e também
em dados de mercado.
O COWORKING EM NÚMEROS NO BRASIL

O coworking brasileiro tem crescido cada vez mais,


seguindo a demanda de profissionais e negócios de
diferentes segmentos que buscam por economia de
custos. De acordo com um levantamento da Movebla
e Ekonomio, em parceria com a Coworking Brasil e
apoio do Seats2meets, em 2016, o país tinha 378
espaços de coworking. Esse número representa um
aumento de 52% com relação a 2015.

Cenário dos espaços de cowroking no Brasil

São Paulo 148 espaços Minas Gerais 37 espaços Rio de


Janeiro 35 espaços

Os Estados que tiveram o maior crescimento no último


ano foram a Bahia e o Distrito Federal, com um
incremento de 250% e 175%, respectivamente. Isso tem
mostrado que a tendência do coworking está se
espalhando fora das grandes metrópoles também.
O QUANTO VOCÊ ENTENDE DE COWORKING?

Já te fizeram essa pergunta?

Ou melhor, você já se fez essa pergunta?

Se você deseja investir em algo, é importante que saiba


onde está colocando seu dinheiro. Claro, este e-book
vai te dar uma boa visão de estratégia e planejamento,
mas é importante sempre buscar novas referências.

Quem investir em coworking agora, vai enfrentar um


mercado quase limpo, com concorrências pontuais. Isso
porque o termo, por mais que esteja crescendo, é novo
no Brasil. A pouco mais de 8 anos que o coworking vem
se expandindo pelo país.

E nos últimos dois anos, houve um crescimento maior do


que a soma dos anos anteriores.
E para agarrar todas as oportunidades que o ramo do
coworking tem a oferecer, é importante que você esteja
atento sempre a estatísticas como o número de
concorrentes, número de clientes, faturamento e
expansão.

DEFININDO O TERMO COWORKING

Claro, até chegar aqui você já deve pelo menos saber o


que significa coworking. Mas, para não restar dúvidas e
você ter em mente exatamente sobre o que está
investindo, entenda que a definição de coworking é:

“Um ambiente de trabalho compartilhado, onde as


pessoas se encontram, trabalham, fazem contatos
(networking) e colaboram em projetos. Os espaços de
coworking são tipicamente independentes de um único
escritório ou negócio, e reúnem empresários e
profissionais de empresas de muitos diferentes ramos e
áreas de especialização.”
Para o cliente de um espaço de coworking, há muitos benefícios de ele aderir a
um ambiente compartilhado.

Seus clientes podem variar entre os seguintes perfis:

• Freelancers;
• Profissionais independentes (de diferentes áreas);
• Microempresários;
• Empreendedores individuais;
• Pequenas empresas com dois ou mais membros;
• Dentre muitos outros.
O IMÓVEL

Digamos que esse é o elemento mais importante de um


coworking. A primeira coisa que você deve ter para
iniciar neste ramo é o imóvel. E o imóvel vem com outras
variáveis, como tamanho, estrutura, decoração e
localização.

Tamanho do imóvel

Mesmo sendo um momento inicial, em que


provavelmente você não terá muitos clientes, o espaço
do imóvel também deve ser levado em consideração.

É importante que o imóvel que você escolher suporte a


quantidade de pessoas que o faturamento do seu
coworking pretende atingir.
Suponhamos que hoje, você tem um imóvel/sala de 64
m², que suportaria no máximo 12 mesas compartilhadas.
Mas, você já tem metade desse número de prospects a
ponto de fechar com você. Você teria que trabalhar
com o “pé no freio” para não conquistar mais clientes
do que o seu espaço possa suportar.

Estrutura do imóvel

Importante, além do tamanho, identificar qual o foco do


negócio que você quer montar para que o imóvel
escolhido possa atender as demandas do seu negócio.

Por exemplo, se você pretende oferecer eventos dentro


do seu espaço, o imóvel, assim como a localização,
devem estar preparados para essa atividade. Um
coworking focado em eventos que não possui banheiros
suficientes para atender a demanda por exemplo,
poderá ter problemas. Assim como um coworking,
também de eventos, se localizar num local onde o
acesso é difícil e não possui estacionamento ao redor.
Um outro exemplo muito comum é optar por oferecer salas privativas depois que
o coworking está pronto e não ter espaço suficiente para faze-las.

Tudo isso vai influenciar na estrutura do imóvel. Nunca ofereça o que o seu
coworking não consegue suportar.
ÁREA COMERCIAL E MARKETING

Talvez essa seja a parte mais importante do seu


coworking no início. Como estruturar a área comercial
do seu coworking? Qual preço cobrar e onde divulgar
para que ele se torne conhecido.

O primeiro passo para desenvolver a área comercial é


definir quais serviços você vai oferecer no seu coworking

Alguns dos principais serviços/diferenciais são:

• Escritório compartilhado
• Escritório virtual
• Sala para reuniões
• Sala privativa
• Assessoria operacional
• Mesa compartilhada
• Mesa exclusiva
• Sala de reunião
Definido os serviços a serem oferecidos, descreva o que
irá compor cada um deles e faça uma pesquisa de
mercado para saber o que já é oferecido. Assim você
pode ter ideias para oferecer serviços diferentes e se
destacar no mercado.

Para formar o preço dos seus serviços você tem duas


opções: fazer uma pesquisa do que o mercado cobra e
fixar o seu preço com base no mercado ou apurar todos
os custos do seu coworking e elaborar o preço com base
nos seus custos. Se você estiver numa região sem muita
concorrência, eu aconselho a segunda opção.

Uma vez que você definiu o que vai oferecer e compôs


o valor que será cobrado, é hora de fazer um fluxo de
caixa da sua empresa para um período determinado e
analisar se a receita projetada será suficiente para cobrir
os seus custos e proporcionar o lucro que você almeja
para o seu negócio.
Foque nos serviços principais

Não tente oferecer tudo ao mesmo tempo. Tente ser referência no seu serviço
principal, e vá agregando outros ao longo do tempo. É difícil uma empresa ser
referência no mercado por oferecer mais de 5 serviços diferentes. Foque em um
ou dois, e tenha os paralelos como especialidades.
A ADMINISTRAÇÃO DO COWORKING?

Você não precisa ser formado em administração para


iniciar um negócio de coworking. Porém, precisa ter pelo
menos uma noção de como gerir uma empresa. Busque
cursos como os do SEBRAE e Endeavor de administração
e gestão empresarial para correr menos risco de erros. Se
tiver um sócio, peça que ele faça também. É
fundamental os donos do coworking terem uma noção
geral do que está acontecendo no negócio.

Separe tempo para se dedicar à administração

O coworking vai te exigir tempo para administrar o


negócio. Por mais que você tenha um assistente no
início. As propostas comerciais, contratos e resoluções
de problemas serão responsabilidades suas e não
aconselhamos coloca-las para outras pessoas fazerem.
Até mesmo porque somente fazendo que
você ganhará experiência. Porém, quando
o negócio começar a deslanchar, você
pode treinar alguém para fazer o
operacional e dedicar o seu tempo para as
tarefas que mais lhe dão prazer.

A administração do coworking é como a


administração de uma empresa qualquer
com processos, contas a pagar, contas a
receber, contabilidade e etc.

No início, é importante que você tenha um


assistente. Busque alguém de confiança, a
qual você poderá dividir tarefas do dia a
dia, inclusive a parte financeira do seu
negócio.
PONTO DE EQUILÍBRIO E LUCRO

O coworking é um negócio como qualquer outro, não


há estabilidade constante. É uma batalha diária, e tem
que ter muita garra e paixão para encarar os desafios
do dia a dia.

Geralmente, um espaço de coworking demora entre 12


a 15 meses para chegar ao ponto de equilíbrio e entre
24 e 30 meses para atingir o Retorno Sobre Investimento
(ROI).

Após atingir seu ponto de equilíbrio e tornar-se um


negócio maduro, o coworking deve atingir uma
margem líquida de 25%. Obviamente que esses valores
são médias de mercado.

“ Ao abrir um coworking, nem sonhe em viver dele antes


que o mesmo atinja o seu retorno financeiro esperado.”
INVESTIMENTO INICIAL

Quanto você precisa para abrir um coworking? Vamos lá!

Para um coworking começar a funcionar, você precisa de uma estrutura básica.


E mesmo sendo básica, não é pequena.

MOBILIÁRIO CABEAENTO EQUIPAMENTOS DA ÁREA DE AR CONDICIONADO


ESTRUTURADO COZINHA CONVIVÊNCIA
Mesas, cadeiras, O ar condicionado é
armários, etc. Pense No início o Wi-fi pode Bebedouro, Não precisa ser uma essencial. È impostan-
em móveis da até quebrar um microondas, área externa. Um te ver se o instalado
melhor galho. Mas, a medida geladeira e cafeteira espaço com puffs, suporta o número de
qualidade, porque que forem cresncedo (ou garrafa de café) sofás e televisão é pessoas do coworking
isso é vantagem os clientes, pode não são elementos suficiente para os confortavelmente.
competitiva ser suficiente. essenciais para um clientes repousarem
bom espaço de co- nos intervalos.
working funcionar.
O item que, geralmente, é mais oneroso na
montagem de um espaço de coworking é
a mobília. A mobília não pode ser uma
mobília de baixa qualidade porque a
rotatividade dos seus clientes é
relativamente alta e nem todo mundo
cuida da mobília como se fosse deles.

Estima-se que a mobília represente em


torno de 40% dos seus investimentos para
montar um coworking.

Tente achar um imóvel que já esteja com


piso colocado, luminárias no lugar,
banheiros funcionando e qualquer outro
item que diminua os investimentos com
reforma e adaptação.
CAPITAL DE GIRO

O capital de giro é essencial em qualquer negócio. Eu


sempre recomendo, junto com o valor que você está
investindo, separar uma parte da sua reserva financeira
para compor o capital de giro necessário para manter
suas atividades até que seu negócio consiga pagar sua
operação com suas próprias receitas.

O que é capital de giro?

O capital de giro é o capital necessário para financiar a


continuidade das operações do coworking. Ou seja,
para manter seus estoques e recursos para pagamento
a fornecedores. Um fluxo de caixa simples pode te
ajudar a definir qual capital de giro você precisa para
iniciar seu negócio
O RETORNO SOBRE O INVESTIMENTO

Todo e qualquer negócio, até mesmo o


coworking, precisa ter tempo para
amadurecer e gerar ROI.

Para o coworking, o tempo médio para


se atingir o ROI, ou seja, um ponto de
equilíbrio, é entre 9 a 12 meses.
Geralmente, esse tempo pode até
demorar 24 meses.

Cuidado com o gasto do lucro

Mesmo depois que o seu coworking


começar a gerar lucro, não é um lucro a
ser gasto, e sim reinvestido. Ou seja, você
deve investir no crescimento do seu
negócio, e não apenas mantê-lo.
Como calcular o ROI?

Pegue a sua necessidade de Capital de Giro até você


atingir o ponto de equilíbrio, some o investimento que
realizou para montar um coworking e mês a mês subtraia
o lucro/prejuízo adquirido no mês. Vá subtraindo até que
o valor chegue em zero. Este será o mês que você
atingiu o seu ponto de equilíbrio.

ROI = RECEITAS – INVESTIMENTO


INVESTIMENTO X 100
CONCLUSÃO
Nesse e-book você obteve os passos que precisa para
iniciar e manter o seu coworking. Mas não se esqueça
que um negócio não deve ser mantido com o que vier
em sua mente de empreendedor. Busque sempre
referências, analise seus concorrentes, veja o que eles
estão fazendo de marketing e busque ser diferente.

Isso mesmo, não tente copiar o que o seu concorrente


faz no pensamento de que se fizer melhor vai sair na
frente. Tente ter um diferencial. Algo que justifique o seu
cliente fechar com você e não com outro espaço de
coworking. Quando você tem um diferencial, não tem
concorrência.

Ah, e mais uma coisa: busque excelência em tudo que


você faz. O mercado de coworking está em constante
expansão, e isso pode ser bom ou ruim, dependendo do
ponto de vista. Esteja na frente como referência no que
você é melhor!
Atenção… Não comece o seu Coworking antes de ler
isso!

Se você está animado com a idéia de montar seu


próprio
Escritório Compartilhado, a minha dica hoje é:

Faça antes um PLANEJAMENTO FINANCEIRO para


seu
projeto de Coworking.

Sem um estudo como esse sua empresa pode ter que


parar obras, cancelar contratos e na pior das hipóteses
até fechar as portas.

PLANEJAMENTO FINANCEIRO
falecom@brunalofego.com.br
brunalofego.com.br