Você está na página 1de 22

Círculo Mágico

Teoria e Ritual
Caderno de Estudos do Círculo “O Moinho das Bruxas”
Texto e Ritual de autoria de Sérgio Lourenço, idealizador e facilitador do Círculo

Este Documento faz parte dos Estudos das Práticas deste Círculo. É muito importante que
os participantes ativos dos encontros dos Sabás Públicos acessem o material, estude e
procure se apropriar minimamente desta teoria e prática! Dúvidas: acesse o grupo de
whatsapp.
TEORIA:

Um dos primeiros rituais que se aprende no processo de aspiração a este caminho é


o do Círculo Mágico, pois ele compõe em si grande parte da ritualística da Bruxaria
Moderna (Wicca).
No caminho da Deusa, o círculo Mágico é o seu Templo.
O círculo é uma área fora do tempo, com a finalidade de proteger-nos das forças
contrárias ao nosso intento, bem como acumular energia para um propósito ritual. Portanto,
ele tem dois aspectos: ele é tanto um espaço para a execução de um ato mágico, quanto é
manifestação simbólica de um Templo. E quando o desenhamos no ar temos que ter a
consciência de que ele não é exatamente um círculo, mas é verdadeiramente uma esfera de
luz e poder.
Esta esfera, que chamamos de Círculo Mágico é uma esfera “fora do tempo”.
Estamos entre dois lugares, o mundo Mágico e o mundano, e no fim em nenhum deles e ao
mesmo tempo estando em todos os mundos possíveis. Sendo assim, o Círculo Mágico é a
nossa própria estadia no Submundo Arcaico dos Deuses propiciadores da gnose da
Bruxaria. Por essa razão, o Círculo em suas manifestações mais primitivas relaciona-se ao
culto aos mortos. Por isso, dizemos que ao estar dentro do Círculo, estamos “entre os
mundos”: o dos vivos e dos mortos.
O círculo é uma esfera interior de consciência, é o micro cosmo da bruxa e do
bruxo, fundindo-se com o macro cosmo da Deusa e do Deus. É uma escada de percepções
vibrantes em diferentes tons. Ele também pode ser o círculo da vida, onde atuamos e as
forças da natureza atuam em nós.
É preciso compreender o círculo além de um ato ritual, para encarná-lo como um
símbolo que nos possibilita olhar a vida. Já que o mesmo nos mostra que tudo é cíclico,
tudo tem um começo e um fim/renascimento. Sendo ele a Roda da Vida, em que a Deusa e
o Deus tecem seu poder sobre nós, onde tecemos dentro dele os poderes e desvelamos os
mistérios.
Quando se lança um círculo é necessário chamar as forças primordiais que
moldaram e compõe a natureza, assim como sua formação básica: os quatro elementos. Ou
como chamamos: os Guardiões das Torres de Vigia.

2
Esse conceito de chamar os quadrantes, quando se faz um determinado ritual, foi
introduzido a Wicca por causa da Magia Cerimonial. Porém, a origem dos Guardiões
Elementais é muito antiga e podemos traçar suas origens em muitas culturas.
Os elementos possuem tanto um aspecto físico, invisível e interior. Conhecê-los é
fundamental. Cada tradição carrega em si uma direção para os elementos e às vezes
assumem outras características e importâncias.
Tradicionalmente os elementos são relacionáveis a pontos cardeais dentro do
círculo da seguinte maneira: Terra/Norte, Ar/Leste, Fogo/Sul e Água/Oeste.
O Norte é um ponto tradicional de abertura e convocação do círculo em muitas
tradições, sobretudo àquelas de inspiração Diânica. Ele representa a Terra e por isso a
Deusa.
O Leste esta relacionado com o elemento Ar representando o amanhecer, a Luz, a
clareza e coisas relacionadas com esse elemento. Sobretudo em tradições, cuja inspiração,
está na Magia Cerimonial.
Sul é o Fogo, é o calor, e também o espírito e a transformação.
O Oeste é o entardecer, a morte, onde a barca dourada do Sol se põe ao fim do dia
em busca do eterno renascimento.
A estrutura do círculo Wicca segue um padrão ritualístico semelhante em todas as
Tradições. Mas às vezes essa estrutura pode sofrer pequenas alterações.
A ritualística do Círculo Mágico criado por Gerald B. Gardner, funciona como um
verdadeiro template que dentro de uma visão Eclética da Wicca, são verdadeiras chaves
meditativas que despertam a consciência para os planos supra-sensíveis da natureza
manifesta.
Outro ponto importante: é o que será feito dentro do espaço criado! O corpo de um
rito está embasado dentro do corpo do círculo. Podemos dizer que, o ritual do círculo
Mágico é por si só, uma fórmula, para compor todos os outros rituais.
Tradicionalmente o padrão wiccaniano de traçar o círculo tem esses respectivos
passos:
Preparação; é toda a parte que se usa para preparar a si, os objetos, ambiente para o
fim ritualístico específico, sendo que cada componente é usado e colocado sobre o altar, as
ferramentas da Arte são sempre usadas independentes de quaisquer simbolismos rituais.

3
Centramento: Conexão com as energias telúricas que deve estar presentes em todos
os rituais, conexão com a Deusa em seu aspecto de Mãe Terra. Uma meditação prévia.
Limpeza: Limpeza de energias não compatíveis, seja no local, seja das pessoas que
farão o ritual. É o marco do ingresso em um momento e espaço sagrados.
Estrutura;
Traçado do Círculo Mágico e Invocação dos Deuses: Criação do espaço sagrado,
onde as energias deveram ser chamadas, energias essas: os Quadrantes como Vigias e
Testemunhas do Rito, sendo eles os quatro elementos da natureza Terra, Ar, Fogo e Água.
Depois invocação da Deusa e o Deus de acordo com aspecto do Rito.
Harmonização: Harmonizar-se com a energia chamada no círculo, afim de que se
possa começar o trabalho ritual.
Conexão com a energia dos Deuses: Feita de diversas formas: meditação,
dramatização, dança, visualização criativa; neste momento o ritual acontece em si.
Feitiçaria: Este é um ato opcional em rito, sendo que o círculo poderá ser aberto
para este propósito ou não, mas o feitiço deve vir de acordo com o propósito do ritual.
Cone de Poder: É o momento de liberação da energia evocada, afim de que se
cumpra seu objetivo ou comunique-se com as outras realidades. É o ápice e declínio do
ritual.
Grande Rito: É a celebração da União do Divino Feminino e do Divino Masculino,
pela junção simbólica do Cálice (vagina) e do Athame (pênis), que evocam o ato criador,
origem da vida. É a consumação da energia elevada em ritual.
Celebração: Momento de compartilhamento de comida e bebida, onde oferendas de
alimentos podem ser direcionadas a Deusa e ao Deus.
Fechamento do círculo e encerramento do Ritual, aterramento da energia.

4
O RITUAL DO CÍRCULO MÁGICO

O Ritual do Círculo Mágico do “O Moinho das Bruxas” é feito em conjunto, ou


seja, cada participante compõe uma parte da sua ritualística. Deste modo todos contribuem
para a sua construção.
É importante enfatizar que na Bruxaria não existem espectadores, todos participam
da construção do Ritual, direta ou indiretamente!
As funções e atribuições da construção do Círculo Mágico serão dadas por sorteio
antes do início do ritual. Por isso é importante que você se aproprie o máximo que puder de
todas as etapas da Construção do Círculo Mágico posta aqui.
As funções a serem sorteadas são:

1 Responsável pelo Chamado e Despedida dos Ancestrais:


1 Responsável pela Purificação do Água e do Sal do espaço ritual e dos
participantes;
1 Responsável pela Purificação do Incenso, do espaço ritual e dos participantes;
1 Responsável pela Abertura e Fechamento do Círculo Mágico;
1 Responsável pela Invocação e Despedida do Quadrante Norte;
1 Responsável pela Invocação e Despedida do Quadrante Leste;
1 Responsável pela Invocação e Despedida do Quadrante Sul;
1 Responsável pela Invocação e Despedida do Quadrante Oeste;
1 Responsável pela Invocação e Despedida da Deusa (é interessante que seja uma
Mulher);
1 Responsável pela Invocação e Despedida do Deus (é interessante que seja um
Homem);
1 Responsável pelo Ritual do Sabá ou Esbá, ou outro rito. (Preferencialmente esse
lugar é ocupado pelo facilitador do grupo pela sua experiência, permitindo que assim os
demais participantes possam vivenciar a energia de cada Ritual);
1 Responsável pela Benção do Vinho (também Grande Rito, é interessante que seja
uma Mulher);
1 Responsável pela Benção do Bolo/Pão (também Grande Rito, é interessante que
seja um Homem);

5
- Quando não houver participantes suficientes para compor cada função, os participantes
presentes cumpriram mais que uma função;
- Quando o número de participantes for maior que as funções atribuídas os mesmos
deverão ajudar a sustentar a energia, imitando os gestos dos responsáveis pelas funções,
postando-se sempre no centro do círculo;

Itens necessários para a formação do Círculo do “Moinho das Bruxas”:

Altar; 1 Vela Preta;


Athame; Água;
Cálice; Sal;
5 Velas Brancas; Incenso Vareta (Mirra, Sândalo
1 Vela Vermelha; são preferíveis);

Prepare o Espaço Ritual da seguinte maneira (veja figuras abaixo): 1 – O Altar


ao Norte do espaço, 2 – 1 Vela branca no perímetro do espaço ao Norte, 3 - 1 Vela
branca no perímetro do espaço ao Leste, 4 - 1 Vela branca no perímetro do espaço ao
Sul, 5 - Vela branca no perímetro do espaço ao Oeste.

Prepare o Altar: cubra o mesmo com uma toalha preta ou outra cor que
represente o propósito do Ritual.

1: Vela Vermelha para os 5: Cálice para o Vinho;


Ancestrais; 7: Athame ou Bastão;
2: Vela Branca para o Deus; 8: Sal Grosso;
3: Vela Preta para a Deusa; 9: Recipiente com Água;
4: Estátua ou Imagem que 10: Incenso e Incensório;
represente a Deusa;

6
7
Chamando os Ancestrais:

Antes de iniciar todas as partes do Ritual de Abertura do Círculo chamamos os


Ancestrais.

O responsável por esta função deve concentrar-se, imaginando que atrás de si se


encontra a força de todas as Mulheres e Homens que um dia praticaram a Bruxaria.

Acenda a Vela Vermelha do Altar e diga:

“Oh, Antigos,
Aquelas e aqueles que caminharam antes de nós por esta senda de poder.
Venham pela dança da roda da vida.
Venham comigo, Poderosos,
Proteger e Vigiar nosso rito,
Permitindo que somente o amor e a confiança perfeitos sejam triplamente bem-vindos.
Pelo Norte, Pelo Leste,
Pelo Sul e Pelo Oeste, Venham!
Assim eu vos digo.
Vinde pela Grande Deusa e o Deus de Chifres.
Que assim seja!”

Todos dizem: “Sejam bem vindos. Que Assim seja!”

Em seguida, realize o Banimento e Limpeza.

8
Banimento e Limpeza:

O responsável pela água e sal. Coloque a ponta do Athame ou Bastão na água,


visualize que envia energia para a água e diga:

“Eu te purifico, Ó Criatura da Água, para que de ti sejam expurgadas todas as


impurezas e imundices, tornando-se assim um instrumento de nosso intento.”

Depois coloque a ponta do Athame ou Bastão no sal, visualize energia sendo


enviada para ele e diga:

“Que bênçãos caiam sobre Ti, Ó Criatura do Sal, permitindo que todo mal seja
banido. Assim eu digo.”

Com a ponta do Athame passe três pitadas do sal para dentro do recipiente com
água e com a lâmina misture o sal na água contando 3 voltas.

O responsável pelo Incenso. Agora pegue o incenso e coloque suas mãos sobre
ele ou a ponta do Athame/Bastão, envie energia sobre ele. Mentalize que seja eliminado
dele toda energia contrária a sua intenção. Em seguida desenhe um pentagrama de luz
sobre ele.

Responsável pela água. Com as pontas dos dedos ou uma pena, por exemplo,
asperge a água salgada do recipiente sobre o espaço, caminhe em círculo no sentido
horário enquanto isso vá dizendo repetidas vezes:

“Pelos Poderes da Terra e do Mar todas as energias contrárias as nossas


intenções agora são banidas.”

9
Responsável pelo incenso. Agora com o incenso e proceda do mesmo jeito,
espalhando sua fumaça por todo o ambiente enquanto caminha em círculo no sentido
horário, enquanto isso vá dizendo repetidas vezes:

“Pelos Poderes do Ar e do Fogo todas as energia contrárias as nossas intenções


agora são banidas.”

Primeiro o Responsável pela água e sal purifica o Responsável pelo incenso,


depois este purifica o da água e sal, e em seguida trocam. Depois purificam os outros
primeiro com a água dizendo:

“Eu te purifico pelos Poderes da Terra e do Mar”

Depois com a fumaça do incenso:

“Eu te purifico pelos Poderes do Ar e do Fogo”.

Agora é o momento de Traçar o Círculo Mágico:

Traçando o Círculo Mágico:

Responsável pela Abertura do Círculo. Agora respire e concentre-se. Pegue o


Athame ou Bastão, diante do Norte aponte sua lâmina e comece a caminhar em círculo
no sentido horário. Enquanto caminha visualize-se desenhando uma circunferência com
a ponta da lâmina enquanto entoa isso ou algo semelhante (inspire-se!):

“Pelos poderes da Noite e do Dia.


Pela dança da vida.
O véu entre os mundos eu vou tecendo.
Morte e Vida, Luz e Escuridão.
Que somente o Amor e a Confiança perfeitos
entrem no perímetro deste espaço sagrado.

10
E o Templo da Deusa aqui será formado.
Estou a partir deste momento entre os mundos,
No outro mundo, Neste Mundo,
Em todos os Mundos.
Que assim seja e assim se faça!”

Todos dizem: “Que Assim seja!”

Caminhe três vezes traçando o círculo de Norte a Norte. Quando encerrar


imagine o círculo formado e deposite o Athame ao altar. Sinta a energia do Círculo.
Após isso é o momento dos responsáveis pelos Quadrantes Invocarem os
Guardiões das Torres de Vigia.

Invocando os Guardiões:

O responsável pelo Quadrante Norte pega a Vela dos Ancestrais na mão


esquerda, fica de frente para a vela do Norte, no ar traça com o dedo indicador e
mediano (da mão direita) o pentagrama de invocação, visualize-o na cor esmeralda e em
seguida diga:

11
“Salve , Guardião da Torre de Vigia do Norte, Poderes da Terra.
Pedra angular de todos os poderes invoco-te e clamo-te.
Senhora da Escuridão exterior, Touro Negro da meia-noite,
Estrela do Norte, Berço da abundância,
Berço do Renascimento.
Pela Terra que é o Corpo D'Ela.
Abençoada Sejas e Bem vinda!”

Todos dizem: “Que Assim seja!”

Acenda a vela do quadrante Norte com a vela dos Ancestrais em seguida.


O responsável pelo Quadrante Leste pega a Vela dos Ancestrais na mão
esquerda do Responsável pelo Norte, fica de frente para a vela do Leste, no ar traça com
o dedo indicador e mediano (da mão direita) o pentagrama de invocação, visualize-o na
cor dourada e em seguida diga:

“Salve Guardião da Torre de Vigia do Leste.


Poderes do Ar!
Invoco-o e o chamo.
Águia dourada do Amanhecer.
Coruja branca do Anoitecer.
Caçadora das estrelas, turbilhão, Sol nascente.
Vinde!
Pelo Ar que é o Sopro D'Ela.
Envie sua Luz e faça-se presente.
Abençoado e Bem vindo sejas!”

Todos dizem: “Seja bem vindo. Que Assim seja!”

12
Acenda a vela do quadrante Leste com a vela dos Ancestrais em seguida.
O responsável pelo Quadrante Sul pega a Vela dos Ancestrais na mão
esquerda do Responsável pelo Leste, fica de frente para a vela do Sul, no ar traça com o
dedo indicador e mediano (da mão direita) o pentagrama de invocação, visualize-o na
cor rubi e em seguida diga:

“Salve Guardião da Torre de Vigia do Sul.


Poderes do fogo, guerreiro luminoso.
Invoco-te e chamo-te a este Rito.
Leão vermelho do calor do meio dia.
Salamandra ígnea, ser flamejante.
Traga seu calor, sua transformação.
Ó luz que ilumina as trevas.
Vinde, ó Espírito D'Ela.
Seja bem vindos e abençoados sejas!”

Todos dizem: “Seja bem vindo. Que Assim seja!”

Acenda a vela do quadrante Sul com a vela dos Ancestrais em seguida.


O responsável pelo Quadrante Oeste pega a Vela dos Ancestrais na mão
esquerda do Responsável pelo Sul, fica de frente para a vela do Leste, no ar traça com o
dedo indicador e mediano (da mão direita) o pentagrama de invocação, visualize-o na
cor safira e em seguida diga:

“Salve Guardião da Torre de Vigia do Oeste


Poderes da Água.
Invoco-a e te clamo.
Serpente das profundezas do Mar.
Rã sagrada das lagoas.
Fazedora de chuva
Crepúsculo, portal do berço Solar.

13
Vinde pela água que é o Sangue D'Ela.
Abençoada Sejas e bem vinda estas!”

Todos dizem: “Seja bem vindo. Que Assim seja!”

Acenda a vela do quadrante Oeste em seguida.


O responsável pelo Oeste devolve a vela para o responsável do quadrante Norte,
que em seguida coloca no seu local sobre o Altar.
Agora os Responsáveis pela Invocação da Deusa e do Deus Invocam.

Invocando a Deusa e o Deus:

Responsável pela Deusa. Imagine uma Lua muito grande, cuja luz desce e
preenche o Círculo de Magia. Acenda a vela preta da Deusa e diga com os braços
estendidos para o alto:

“Ouço um rumor no céu?


Sinto um tremor na terra?
Haverá Criatura que não sinta teu perfume?
O orvalho da noite adivinha a brisa da manhã?
Áh, Grande Mãe Vêm!

Teu círculo já foi traçado,


Levantaram-se as Adagas em teu nome
Cálices, Braceletes, Anéis de fogo vivente.
Leite, Mel, Vinhos de sabores diferentes.
Áh, Grande Mãe Vêm!

Retorne ao coração dos homens.


Proteja sempre o coração das Mulheres.
Pois tua é a religião mais antiga.

14
E todos somos filhos teus.
Áh, Grande Mãe Vêm!”

Todos dizem: “Seja bem vinda. Que Assim seja!”

Responsável pelo Deus. Imagine a energia de um Sol muito grande, cuja luz
preenche o Círculo de Vitalidade. E com os braços estendidos para o alto diga:

“Ouço um rumor do Submundo?


Sinto um temor da Morte?
Haverá Criatura que não escape de seu abraço?
Pode a escuridão adivinhar a plenitude da luz?
Áh, Grande Deus Vêm!

Teu círculo já foi traçado,


Levantaram-se as Adagas em teu nome
Cálices, Braceletes, Anéis de fogo vivente.
Leite, Mel, Vinhos de sabores diferentes.
Áh, Grande Deus Vêm!

Retorne ao coração das Mulheres.


Proteja sempre o coração dos Homens.
Pois tua é a religião mais antiga.
E todos somos filhos teus.
Áh, Grande Deus Vêm!”

Todos dizem: “Seja bem vindo. Que Assim seja!”

Agora o responsável pelo Sabá ou Esbá conduz os membros para a celebração


do rito para o qual o círculo foi aberto.

15
Grande Rito:

Responsáveis pela benção do Vinho e do Pão. Diante do Altar, tome o Athame


em sua mão direita (O Responsável pelo Pão) e o Cálice em sua mão esquerda (O
Responsável pelo Vinho), pronunciem:

“Em nós reside o poder da Deusa e do Deus.


De dar vida e promover alegria.
Assim como Ela, o princípio de tudo fundiu-se N’Ele,
Para criar o todo.
Nós como criaturas e criadores D’Eles, com amor e respeito
Fazemos o mesmo e promovemos a alegria.”

Todos dizem: “Promovemos a Alegria. Que Assim Seja!”

Levante o Cálice para o alto (Responsável pelo Vinho):

“Este é o símbolo da vida,


Mas sem o desejo, a vida não pode existir.”

Todos dizem: “Que Assim Seja!”

Levante então o Athame e diga (Responsável pelo Pão):

“Eis que esse é o símbolo do desejo,


Mas sem a vida, ele não pode existir.”

Todos dizem: “Que Assim Seja!”

Em seguida, o Responsável pelo Pão penetra o vinho dentro do Cálice com a


lâmina do Athame. E ambos Responsável pelo Pão e Vinho dizem:

16
“O desejo encontra-se com a vida.
A vida vibra no desejo, eis então
Que todos os atos de amor e prazer
São seus rituais!
De modo que o desejo sempre deve buscar a vida na Deusa
Como a vida, deve sempre ser o berço para o fruto do desejo no Deus.
Que assim seja e Que assim se faça!”

Todos dizem: “Com Amor e Prazer. Que Assim Seja!”

Em seguida proceda ao Rito do Bolo e Vinho.

Pão e Vinho:

O Responsável pelo Pão segura o pão em ambas as mãos e faz um ato de


reverência à Deusa e ao Deus diante do altar. Então diga:

“Grande Deus de Chifres sustentador da vida.


Permita que possamos compartilhar de
Vosso alimento, que é o seu Corpo!
Para que jamais sintamos fome.
Nem na carne, como na Alma.
E através disso agradecemos a sustentação da Vida!”

Todos dizem: “Para que jamais sintamos fome. Que Assim Seja!”

O Responsável pelo Vinho com o Vinho no Cálice, o mesmo utilizado no


Grande Rito, ergue o mesmo diante do altar em honra a Deusa e Deus. E então diga:

“Salve Grande Deusa, Mãe Sustentadora da Vida.


Permita compartilhar de sua sapiência.

17
Que flui e permeia o amor.
Para que jamais sintamos sede,
Nem na Carne como na Alma!”

Todos dizem: “Para que jamais sintamos sede. Que Assim Seja!”

Agora um a um dos presentes, sentados em círculo, realizando o gesto no sentido


horário, como Cálice na Mão direita: Bebem um gole de vinho e comem um pedaço de
pão após proferirem palavras de bênçãos ou agradecimentos. Em seguida passam aos
outros até retornar em quem começou. Após esse ato o Círculo pode debater algo ou
simplesmente encerrar o Ritual.

Fechando o Círculo Mágicko:

O responsável pela Deusa. Volta-se para o altar e diz:

“Salve Grande Mãe.


Agradeço vossa presença e peço vosso auxílio para encerrar esse rito.
Que assim seja e assim se faça!”

Ele apaga a vela preta da Deusa.

Todos dizem: “Vá em Amor e Prazer. Que assim seja”

O responsável pela Deus. Volta-se para o altar e diz:

“Salve Grande Deus.


Agradeço vossa presença e peço vosso auxílio para encerrar esse rito.
Que assim seja e assim se faça!”

Ele apaga a vela branca do Deus.

18
Todos dizem: “Vá em Amor e Prazer. Que assim seja”

Responsável pelo Oeste. Em direção ao Oeste diga:

“Salve Guardião da Torre de Vigia do Oeste.


Grato sou por ti e pela sua presença neste rito.
Volte quando assim for chamado.
Vá em Luz e Poder.
Gratidão.”

Todos dizem: “Vá em Luz e Poder. Que Assim Seja!”

O responsável pelo quadrante Oeste traça um pentagrama de banimento com o


dedo indicador e mediano da mão direita. Apaga a vela.

Responsável pelo Sul. Em direção ao Sul diga:

“Salve Guardião da Torre de Vigia do Sul.


Grato sou por ti e pela sua presença neste rito.
Volte quando assim for chamado.
Vá em Luz e Poder.
Gratidão.”

Todos dizem: “Vá em Luz e Poder. Que Assim Seja!”

19
O responsável pelo quadrante Sul traça um pentagrama de banimento com o
dedo indicador e mediano da mão direita. Apaga a vela.

Responsável pelo Leste. Em direção ao Leste diga:

“Salve Guardião da Torre de Vigia do Leste.


Grato sou por ti e pela sua presença neste rito.
Volte quando assim for chamado.
Vá em Luz e Poder.
Gratidão.”

Todos dizem: “Vá em Luz e Poder. Que Assim Seja!”

O responsável pelo quadrante Leste traça um pentagrama de banimento com o


dedo indicador e mediano da mão direita. Apaga a vela.

Responsável pelo Norte. Em direção ao Norte diga:

“Salve Guardião da Torre de Vigia do Norte.


Grato sou por ti e pela sua presença neste rito.
Volte quando assim for chamado.
Vá em Luz e Poder.
Gratidão.”

Todos dizem: “Vá em Luz e Poder. Que Assim Seja!”

O responsável pelo quadrante Norte traça um pentagrama de banimento com o


dedo indicador e mediano da mão direita. Apaga a vela.

20
O Responsável pelo Círculo. Agora volta-se para o Norte e com o Athame
novamente nas mãos comece a fechar o círculo no sentido anti-horário, faça isso três
vezes, enquanto entoa:

“A Terra é o Seu Corpo.


O Ar é o seu Sopro
O Fogo é o seu Espírito e
A Água o seu Útero!
O círculo esta aberto
Mas não foi quebrado.
O amor da Deusa e do Deus esta dentro de nós.
Feliz encontro, feliz partida,
Para um Feliz Reencontro”

Todos dizem: “Feliz encontro, feliz partida,


Para um Feliz Reencontro. Que Assim seja!”

O Responsável pelos Ancestrais. Diante do Altar diz:

“Poderosos Ancestrais.
Grato somos por sua estimável presença.
Vão em Luz e Poder.
Que assim seja!”

Todos dizem: “Vão em Luz e Poder.


Que assim seja!”

Apaga a vela vermelha. O Ritual está concluído. E o Círculo está fechado!


Obs: As velas dos quadrantes, da Deusa e do Deus, dos Ancestrais poderão ser
utilizadas em vários rituais até elas acabarem (caso as mesmas sejam grandes). É
importante que elas tenham sido previamente preparadas e intencionadas antes do ritual
do círculo mágico.

21

Você também pode gostar