Você está na página 1de 3

Ciência da Computação – Turma:CC7P18 /Noturno

ENGENHARIA DE SOFTWARE - METODOLOGIAS

Alunos: FABIO AURELIO COSTA ALVES - N120142

GABRIEL BONADIO BADOCO - D403EE4

JOAO PEDRO PENNA SILVA - D35ECE2

RAFAEL PEDROSO DA C FERREIRA - D3036H5

RODRIGO DE JESUS ROSSETTO - D4247H-4

O modo de utilizar algo, um processo de pesquisa organizado com lógica e


sistematicamente investigativo é o significado de método. Empregar uma ordem,
razão ou planificação.
Assim as metodologias praticadas na engenharia de software, para a abordagem de
desenvolvimento, são imprescindíveis elaborar com disciplina e métodos bem
especificados.

A partir de quatro modelos muito empregados no início dos primeiros


desenvolvimentos de programas, sendo eles modelo Cascata, Prototipação, Espiral
e Técnicas de Quarta Geração.

Empregamos nesta proposição de projeto, o modelo de prototipação, que possui


como (Questão 2) ponto forte é o trabalho em cima do olhar do usuário, nos dias
atuais este ponto aproxima uma visão empresarial ao desenvolvedor, que no nosso
caso, não carrega uma experiencia em como o mercado está funcionando.

Com este modelo podemos colher as principais ideias do cliente de forma objetiva e
direta, assim deixando mais simples o início de como será definido o estilo e a
sistemática em si. Esta abordagem mais simples, permite a implementação rápida e
menos trabalhosa em programação. Levando em consideração tempo relativamente
curto, recursos finitos e prazo de término determinado.

(Questão 1) O empecilho em assumir um método, é que não necessariamente ele irá


ser bem aproveitado no projeto que será desenvolvido, pois cada qual tem suas
vantagens e desvantagens. Promovemos um pensamento no mesmo aspecto dos
projetos feitos na universidade semestralmente. Onde será estipulado um prazo de
entrega, não necessariamente o tema é dominado pelos desenvolvedores e também
deve ser algo simples, mas bem elaborado.

(Questão 3) Os problemas em Prototipação são resultados da facilidade de sua


elaboração, permitindo uma maior praticidade em saber do cliente algumas questões
do desenvolvimento, nem sempre essa interferência será boa, em questão da
qualidade e manutenção da programação. Muitas vezes é esteticamente agradável
em se utilizar, mas a durabilidade do software não está muito bem qualificada.

Outro fator que pode comprometer é a ligeireza de produzir algo, mas não
necessariamente o projeto mais eficiente, durável e com fácil manutenção. Por conta
disso é interessante definir bem os requisitos e o que irá servir este protótipo após
sua implementação.
Biografia:
https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/839466/mod_resource/content/1/Aula02_ModelosProcessos.p
df

https://www.dicio.com.br/metodologia/

Engenharia de Software_aula0_UNIP.pptx