Você está na página 1de 10

(UFTM)

Após a cobrança de uma falta, num jogo de futebol, a bola chutada acerta
violentamente o rosto de um zagueiro. A foto mostra o instante em que a
bola encontra-se muito deformada devido às forças trocadas entre ela e o
rosto do jogador.

A respeito dessa situação são feitas as seguintes afirmações:

I. A força aplicada pela bola no rosto e a força aplicada pelo rosto na bola têm
direções iguais, sentidos opostos e intensidades iguais, porém, não se
anulam.
II. A força aplicada pelo rosto na bola é mais intensa do que a aplicada pela bola
no rosto, uma vez que a bola está mais deformada do que o rosto.
III. A força aplicada pelo rosto na bola atua durante mais tempo do que a
aplicada pela bola no rosto, o que explica a inversão do sentido do movimento da
bola.
IV. A força de reação aplicada pela bola no rosto, é a força aplicada pela cabeça
no pescoço do jogador, que surge como consequência do impacto.

É correto o contido apenas em

(A) I.
(B) I e III.
(C) I e IV.
(D) II e IV.
(E) II, III e IV.

Resolução:

Pelo princípio da ação e reação a força aplicada pela bola no rosto e a força
aplicada pelo rosto na bola têm mesma intensidade, mesma direção,
sentidos opostos e agem ao mesmo tempo.

Resposta: A
(UECE)
Uma pessoa está empurrando um bloco com velocidade constante sobre um
superfície horizontal. Considerando que haja atrito entre o bloco e a superfície
horizontal, pode-se afirmar, corretamente, que o bloco se move desta maneira
porque:

A) A força de atrito cinético é ligeiramente superior à força aplicada pela pessoa.


B) o somatório das forças que atuam no bloco é zero.
C) a força atuando no bloco é maior que a força de atrito.
D) a massa do homem é superior à massa do bloco.

Resolução:

Como o bloco realiza um movimento retilíneo com velocidade constante, a


aceleração do bloco é nula e, portanto, é nula a resultante das forças que
agem no bloco.

Resposta: B

Exercício 3:
(UFV-MG)
A figura mostra o gráfico da velocidade V em função do tempo t de uma partícula
que viaja em linha reta.

Das opções abaixo, aquela que mostra o gráfico CORRETO do módulo da força
resultante F que atua nessa partícula em função do tempo t é:

Resolução:

No intervalo de tempo de 0 a t1 a função da velocidade é do primeiro grau.


Logo, neste intervalo, a partícula realiza um MRUV. Sua aceleração é
constante e a força resultante é constante.

No intervalo de tempo de t1 a t2 a velocidade é constante e portanto a força


resultante é zero.

Após o instante t2 a função da velocidade volta a ser do primeiro grau e, a


partir desse instante, a força resultante volta a ser constante e não nula,
com intensidade maior do que no primeiro intervalo, pois a aceleração é
maior (maior inclinação da reta implica em maior aceleração).

Resposta: a

Exercício 5:
(UFLA-MG)
Considere um bloco que desça um plano inclinado com atrito, com velocidade
constante. A alternativa que mostra CORRETAMENTE a resultante das forças que
atuam sobre o bloco é

Resolução:

Sendo o movimento retilíneo com velocidade constante a resultante das


forças que agem no bloco é nula.

Resposta: C
Exercício 9:
(PUC-SP)
Considere que, numa montanha russa de um parque de diversões, os carrinhos do
brinquedo, de massa total m, passem pelo ponto mais alto do loop, de tal forma
que a intensidade da reação normal nesse instante seja nula.

Adotando r como o raio do loop e g a aceleração da gravidade local, podemos


afirmar que a velocidade e a aceleração centrípeta sobre os carrinhos na situação
considerada valem, respectivamente,

a) √(mrg) e mr
b) √(rg) e mg
c) √(r/g) e mr/g
d) √(rg) e nula

e) √(rg) e g

Resolução:

Na situação considerada a única força atuante é o peso. Assim, a


aceleração é g e ela é centrípeta
g = v2/r => v = √(rg)

Resposta: e

Exercício 11:
(UFOP-MG)
A esfera mostrada na figura abaixo inicialmente se desloca sobre um plano
horizontal com velocidade constante V0, quando a partir do ponto A é obrigada a
deslizar sem atrito pela trajetória ABCDEF, sem perder o contato com a pista.
Considerando a figura abaixo e a lei de conservação de energia, indique a
alternativa correta.

A) A energia cinética da esfera no ponto A é maior do que a energia cinética em


qualquer outro ponto da trajetória.
B) A energia mecânica no ponto B é maior do que no ponto D.
C) A soma da energia potencial da esfera no ponto C e no ponto E é igual à energia
potencial em A.
D) No ponto F, a velocidade da esfera é V0.

Resolução:

De Ep= m.g.h, podemos escrever:


EpA = m.g.3; EpC = m.g.2; EpE = m.g.1
Portanto: EpC + EpE = EpA

Resposta: C
Exercício 15:
(UFAC)
Na trajetória elíptica de um planeta, o ponto mais distante do Sol é chamado de
Afélio e o mais próximo de Periélio. Além disso, o movimento dos planetas, ao
redor do Sol, acontece respeitando as três leis de Kepler, as quais são:

1ª lei: "As trajetórias descritas pelos planetas, ao redor do Sol, são elipses com o
Sol em um dos focos".

2ª lei: "O raio vetor que liga um planeta ao Sol descreve áreas iguais, em tempos
iguais".

3ª lei: "Os quadrados dos períodos de revolução, de dois planetas quaisquer, estão,
entre si, assim como os cubos de suas distâncias médias ao Sol".

Considerando que os períodos de revolução de dois planetas sejam T 1 e T2, e que


suas distâncias médias ao Sol sejam R1 e R2, respectivamente, a terceira lei pode
ser descrita pela relação:
Nesse sentido, pelas leis de Kepler, a afirmação verdadeira é:
a) Os planetas se movimentam mais rapidamente nas vizinhanças do Afélio do
que nas do Periélio.
b) Os planetas têm a mesma velocidade média nas vizinhanças do Afélio e
do Periélio.
c) Um dado planeta pode ter um movimento mais rápido no Afélio do que
no Periélio, ou vice-versa, porque isso só dependerá do próprio planeta.
d) Sendo o período de revolução do Planeta Mercúrio de 0,241 anos, pode-se dizer
que T2/R3 é 2,734 (anos)2/(U.A.)3, onde 1 U.A. é a distância média entre o Sol e a
Terra.
e) Os planetas se movimentam mais rapidamente no Periélio do que no Afélio.

Resolução:

Pela terceira lei de Kepler para todos os planetas T2/R3 é constante. Assim,
para a Terra, temos: T = 1 ano terrestre e R = 1 UA. Assim, para a Terra e
para os demais planetas a razão T2/R3 é igual a 1 (ano terrestre)2/(U.A.)3
Uma consequência da segunda lei de Kepler é que os planetas têm
velocidade máxima no Periélio e mínima no Afélio.

Resposta: E

Exercício 16:
(UEA)
Considere as afirmações a respeito dos fenômenos e das leis da gravitação:

I. Se um planeta A tem o dobro da massa de outro planeta B, o campo


gravitacional em sua superfície será duas vezes mais intenso do que o
campo gravitacional na superfície de B, independentemente de seus raios.
II. A intensidade da força gravitacional entre dois astros não se altera, se
dobrarmos a massa de um deles, e, ao mesmo tempo, dobrarmos também
a distância entre seus centros.
III. No sistema solar, quanto maior a distância média do planeta ao Sol, maior
é seu período de translação ao redor dele.
IV. Em seu movimento orbital ao redor da Terra, um satélite artificial é mantido
em trajetória circular devido exclusivamente à força gravitacional exercida pela
Terra sobre ele.

É correto apenas o contido em:

(A) I e IV.
(B) II e III.
(C) III e IV.
(D) I, II e III.
(E) I, II e IV.

Resolução:

I) Incorreta. A intensidade do vetor campo gravitacional é o valor de g


que depende da massa do planeta e de seu raio: g = GM/R2

II) Incorreta. Dobrando-se a massa de um deles e dobrando-se a distância


entre seus centros a intensidade da força de atração gravitacional fica
reduzida à metade:
F = GmM/d2 e F’ = G2mM/(2d)2 = GmM/2d2 = F/2

III) Correta. De acordo com a terceira lei de Kepler (T 2/R3 = constante),


quanto maior R maior T.
IV) Correta. A força gravitacional exercida pela Terra sobre o satélite é
a resultante centrípeta que o mantém em órbita.

Resposta: C

Exercício 17:
(UEA)
Em um jogo de bolinhas de gude, após uma pontaria perfeita, um garoto lança uma
bolinha A de massa 10 g, que rola com velocidade constante de 1,5 m/s sobre o
solo horizontal, em linha reta, no sentido da direita. Ela choca-se frontalmente
contra outra bolinha B, de massa 20 g que estava parada. Devido ao impacto, a
bolinha B parte com velocidade de 1 m/s, para a direita.

Pode-se afirmar que, após a colisão, a bolinha A


(A) permanece parada na posição da colisão.
(B) continua movendo-se para a direita, com velocidade de módulo 0,25 m/s.
(C) continua movendo-se para a direita, com velocidade de módulo 0,50 m/s.
(D) passa a se mover para a esquerda, com velocidade de módulo 0,50 m/s.
(E) passa a se mover para a esquerda, com velocidade de módulo 0,25 m/s.

Resolução:

Pela conservação da quantidade de movimento imediatamente antes e


imediatamente depois da colisão, podemos escrever:
mA.vA+ mB.vB = mA.VA + mB.VB
10.1,5 + 0 = 10.VA + 20.1,0
VA = -0,50 m/s

Após a colisão a bolinha A passa a se mover para a esquerda com


velocidade de módulo 0,50 m/s

Resposta: D

Você também pode gostar