Você está na página 1de 61

Ca p ítulo 4

Depois da Arquit et ura Moderna:


O Pós-Moderno
(Supermaneirismo ou Eclet ismo Radical?)
Ca p ítulo 4

Int egrant es:


Ana Laura
Anna Beat riz
Deborah
Fernando
Francisco
Giovanna
Guilherme
Isadora
Thiago
Vit t ória
● Quem são os pós-modernistas?
● A arquitetura como “modismo"
● O passado e o futuro

"A este ponto [uma possível destruição do planeta por conta de


uma guerra], nada melhor, mais consolador que o passado: um
passado qualquer, a ser procurado diligentemente no altar das
recordações; um passado renascentista que equivale a um
barroco, um Lutyens que equivale a Borromini, um Hilberseimer
que equivale a um Ledoux." (p.138)
Sir Edw in Lut yens Goddards, Surrey (1898–1900)

Fonte:
<https://www.pinteres
t.com/pin/313422455
297419598/ >

Fonte:
<https://en.m.wikipedia.org/wiki/ Edwin_Lutyens#/media/File%3AGoddards%
2C_Abinger_Common%2C_Surrey-1093965338.jpg>
● Os anos após a “guerra iminente”
● Os novos vanguardistas
● James Wines e a de-archtecturization
Loja BEST em Sacrament o, Califórnia

Ghost Parking, Hamden, Connect icut

Fonte: <https://www.archdaily.com/ 783491/ interview-with-


james-wines-the-point-is-to-attack-
architecture/56e02d9be58eceb7a0000064-interview-with-
james-wines-the-point-is-to-attack-architecture-photo>
Fonte: <https://2.bp.blogspot.com/-
YTSazRNuwF0/XHBJCm6NLqI/AAAAAAAFf1c/WHJFNrbhf
t8le6Y7PATXfVOwBYY1dz7CgCLcBGAs/s1600/ 6-Ghost-
Parking-Lot-overview.png>
1975
Prêmio anual de Progressive Architecture concedido a Emilio Ambasz

● Museu (ex-tribunal) em Grand Rapids, Michigan;


● Integração do “corpo eclético-neoclássico (de 1908) com um plano inclinado translúcido” (p. 140).
Emilio Ambasz

Museu em Grand Rapids, Michigan

Fonte:
<https://www.archdaily.com/ 641831/s
potlight-emilio-
ambasz/557b2e83e58eced62800022f
-spotlight-emilio-ambasz-
photo?next_project=no>
Fonte:
<https://www.moma.org/collect ion/works/793>
1975
Prêmio anual de Progressive Architecture concedido a Augusto Perez e Charles Moore

● Praça da Itália, em New Orleans, Louisiana;


● “obra-prima pós-moderna” (p. 140).
Praça da It ália

Fonte: RAJA, RAFFAELE. Arquitetura


pós-industrial, 2004.
1978
Medalha de ouro do AIA (American Institute of Architects) a Philip Johnson

● “é exaltada sobretudo a mudança de rumo em prol do retorno à decoração (new decorativism)” (p.
140);
● Arranha-céu para a ATT, em Nova York.
Philip Johnson Arranha-céu para a ATT

Fonte:
<https://www.vivadecora.co
m.br/pro/arquitetos/philip-
johnson/>

Fonte:
<https://www.pinterest.ch/pin/30385
2306096569139/>
1980
O pós-moderno recebe sua consagração mundial na Bienal de Veneza

● Via Novissima, sob o patrocínio de Paolo Portoghesi


Paolo Port oghesi Via Novissima

Fonte:
<https://upload.wikimedia.org
/wikipedia/ commons/3/ 3a/ Pa
olo_Portoghesi_1970.jpg>

Fonte: <https://www.area-arch.it/en/modernity-of-
via-novissima-paolo-portoghesi/>
Pós-moderno: vanguarda?
“o pós-moderno pode ser hoje classificado como vanguarda, com todos os seus atributos
historicamente determinados” (p. 144) porém, tal fato “não é compartilhado por todos os críticos
e estudiosos” (p.144).

Manfred Tafuri

● Vanguardas: “mudar um aspecto institucional inteiro - não apenas a visão da realidade, mas também nos
comportamentos individuais e coletivos” (p. 144)
● “não exclui que o pós-moderno possa atingir alguns objetivos e comportamentos da vanguarda” (p. 145)
A vanguarda de arquitetura:
● não é determinada a um tempo ou ideologia, ela atravessa-os;
● em um novo estágio não pode evitar uma linguagem multimídia;
Fonte: Focus foto
Andy W arhol e a pop art
● Revolução eletrônica e telemática;
● Mudanças na sociedade pelos meios de comunicação televisiva;
● Andrea Branzi argumenta:

-relaciona o planeta com o ser vivo, sensível;

-posiciona mais vanguardista sobre as proposta pós-mdernistas;


● Dessa maneira, uma tentativa de salvar o homem do abismo tecnologico;
● Atribuir a vanguarda menor carga provocatória contra o consumo;
● Em dezoito anos fica evidente a ruptura entre vanguarda e modernismo;
● Duplo-código;
Pós-Modernismo
“Estrutural” “de estratégia” = Multidisciplinaridade

difusão

amplificação vulnerabilidade
Qual caminho seguir no pós-modernismo:
supermaneirismo ou superecletismo ?

Ecletismo

Peter Collins:
● adaptar métodos do passado ao presente

“Seleciona a mais fina flor, a fim de obter um híbrido perfeito”


"Tanto assim que me pergunto se pós moderno não seria o nome
moderno do maneirismo." (RAJA, 2004, p. 150)

Maneirismo:
● Sofisticação
● Complexidade de formas
● Artificialismo para gerar elegância, poder e tensão
● Contradição e conflito.

"Transforma tudo aquilo que é natural em algo artificioso, artesanal,


artefato." (RAJA, 2004, p. 151)
Pós modernismo:
● Contexto: fim da segunda guerra, era digital, globalização
● Ecletismo
● Mistura de elementos
● Reavaliar papel da história
● Visão contemporânea do passado adaptada aos materiais e técnicas de hoje.

"Encorajando, ademais disso, um significativo diálogo entre presente


e passado." (RAJA, 2004, p. 153)
Charles Moore - Pia zza D'Ita lia , Ne w
Orle a ns , 1976 - 1979
● referências barroco romanas
● planta baixa = península itálica
● frontões curvos
● cores
● colunas
● regularidade geométrica

https://www.google.com.br/search?q=praca+charless+moore&client=s
afari&hl=pt-
br&prmd=nimv&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=2ahUKEwjByYS4
oKTkAhWnE7kGHfEVDBUQ_AUoAnoECA0QAg&biw=1024&bih=671#
imgrc=6u2CUHMTavNwXM

https://images.app.goo.gl/vek3azETUPX1NuY79
"Sua arquitetura tem seu motivo profundo e seu centro de
desenvolvimento no conceito de lugar." (RAJA, 2004, p. 152)

"Lugar constitui a dimensão da existência que se manifesta através


de um cotidiano compartido entre as mais diversas pessoas, firmas,
instituições–cooperação e conflito são a base da vida em comum"
(Milton Santos, 1997).
Robert Vent uri - Klo tz Ho u s e , Robert St ern - Po o l Ho u s e ,
W e s te rly, EUA, 196 9 Gre e nwic h, Ing la te rra , 1973-1974

Michael Graves - Po rtla nd


Bu ild ing , Ore g o n, 1980

https://cdn.vox-cdn.com/thumbor/8d- http://3.bp.blogspot.com/-
jDhv86nOJ0KWAwZbJOJg310Y=/0x0:6088x4759/12 VaJhdYgClUg/VfQQjAM6LxI/AAAAAAAASg0/haD1_O
00x800/filters:focal(2557x1893:3531x2867)/cdn.vox- gEsK4/s1600/Pool_02.jpg
cdn.com/uploads/chorus_image/image/56394887/Va
nna_Venturi_House_in_Chestnut_Hill__Philadelphia
__Pennsylvania_LCCN2011631388.0.jpg

https://images.adsttc.com/media/images
/51ef/0328/e8e4/4e6d/a300/006b/mediu
m_jpg/Portland_Building_1982.jpg?1374
618404
Bib liote c a Pú b lic a d e Sa n Ju a n d e
Ca p is tra no, Ca lifórnia

http s :/ / a rtc his t.b lo g s p o t.c o m / 20 15/ 0 5/ b


ib lio te c a -s a n-ju a n-c a p is tra no -e n.htm l
Graves se atenta para:

● inversão de escala (ambiente pequeno parece enorme)


● funcionalidade e ornamentação do espaço
● junção entre decoro e classicismo

https://artchist.blogspot.com/2015/05/bi
blioteca-san-juan-capistrano-en.html
Fargo Moorhead Cult ural
Cent er
● apenas o projeto
● Michael Graves é um classicista
embora se figure dentro do pós
moderno

https://drawingarchitecture.tumblr.com/post/4527849433
/fargo-moorhead-cultural-center-bridge-by-michael
Thomas Gordon Smit h
Uso criativo da memória com atenção para:

● uso de formas greco-romanas


● detalhes renascentistas
● articulação volumétrica barroca

https://architecture.nd.edu/faculty/t
homas-gordon-smith/
Tuscan House (t raz
a memória
element os
clássicos como
arcos e colunas),
Califórnia

Mat t hews St reet


House, Califórnia

https://br.pinterest.com/pin/222576406571574652/

https://br.pinterest.com/pin/222576406571574719/
Arat a Isozaki

arquiteto japonês inspirado por Claude-Nicolas


Ledoux

https://www.tmagazine.es/diseno/arata-
isozaki/
Maison des Direct eurs de
la Loue

ht t ps:/ / br.pint erest .com/ pin/ 251779


435388648615/ ?lp=t rue

Fujimi Count ry Club, Oit a

ht t ps:/ / br.pint erest .com/ pin/ 4166534


03000353469/ ?lp=t rue
https://br.pinterest.com/pin/251779435388648620/?lp=true
Mont a Mozuna
● Arquiteto megalômano
● Pós-moderno e classicismo
● Filosofia zen
● Jencks
○ miniaturização
● Portoghesi
○ inspiração religiosa e misticismo
japonês com classicismo
expressivo
Fonte: RAJA, Raffaele. Arquit et ura Pós-Indust rial.
Perspectiva, 2004.
James St irling
1926 - 1992

https://www.pritzkerprize.com/laureates/1981
● Arquitetura brutalista
● Obras irônicas
○ Racionalidade e funcionalidade
e classicismo
● Pós-moderno

Olivetti Training Centre, Haslemere, Inglaterra.

Fonte: RAJA, Raffaele. Arquit et ura Pós-Indust rial.


Perspectiva, 2004.
Southgate Estate, Runcorn New Town,
Inglaterra.

Florey Building at Queen’s College, Oxford University. https://www.tumblr.com/search/southgate%20


estate
https://www.archdaily.com.br/br/765693/em-foco-james-
stirling/5354f49bc07a809c1a0000d6-em-foco-james-stirling-foto
Paolo Port oghesi
Na s c id o e m 1931
● Historiador e crítico
● Linha projetual
○ matriz histórica e barroco
○ Borromini
● Arquitetura e cidade
● Contestação do modernismo

Fonte: RAJA, Raffaele. Arquit et ura Pós-Indust rial.


Perspectiva, 2004.
● Contestação do modernismo na década de 60
● Se torna o animador da Bienal de Veneza de 1980
○ “Presença do Passado” e “ Strada Novissima”
○ Crescimento do historicismo na época

http://www.cronologiadourbanismo.ufba.br/apres https://www.bmiaa.com/dentro-la-strada-
entacao.php?idVerbete=1291 novissima-at-maxxi-rome/
● A nova cidade de Vale de Diano
○ Uma cidade-território policêntrica que visava
unir 19 municípios
○ Neste projeto o arquiteto caracterizou-se por
gerar estranhamento a partir de seus
desenhos
○ Forma bem visível clara e definida
○ Tornaram-se ausentes elementos
sintetizadores da cidade

https://archiveofaffinities.tumblr.com/post/1381
30989555/paolo-portoghesi-giampaolo-ercolani-
giovanna
Helmut Jahn

1940 -
● membro do C.F. Murphy de Chicago
● “cenários urbanos configurados para reforçar o desejo visual de
atravessar em profundidade o espaço urbano” Paolo Portoghesi
sobre os arranha-céus de Jahn.
● constante busca do novo, do comunicativamente rico, do simbólico
● união entre arte e ofício
Escândalo do projet o da
Houst on Tow er (1981-82):
● arranha-céu de 82 andares com 426 metros de
altura
● base de arcos pseudo góticos e oito colunas
● uso de diferentes materiais
● propunha mudar a fisionomia do centro:

“criei uma estrutura que conferirá personalidade


a um ambiente neutro” Jahn
https://www.skyscrapercenter.com/building/bank-
of-southwest-tower/187
https://br.pinterest.com/pin/528961918706093718/?lp=
true
Illinois Cent er - Chicago - 1979
● contrasta violentamente com a malha
urbana regular
● “edifício pomposo e decadente, que
simboliza toda a fragilidade de nossa
sociedade”. Harry Weese
● Jahn acredita ser necessário jogar com
a fantasia

https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=File
:Inside_James_R_Thompson_Center.jpg
https://en.wikipedia.org/w/index.php?title=File https://en.wikipedia.org/wiki/James_R._Thompso
:James_R_Thompson_Center_behind_Chica n_Center#/media/File:James_R._Thompson_Ce
go_City_Hall.JPG nter,_Chicago,_Illinois_(9179428785).jpg
Hans Hollein
1934-20 14
● “talvez o mais complexo e fascinante” dos 3 “mutantes”
● arquiteto de interiores refinado e sensível nas primeiras obras
● caprichoso e complexo nas últimas
Richard Feigen Gallery em Nova York (1969-71)

http://archeyes.com/feigen-gallery-hans-hollein/
Joalheria Schullin
em Viena (1972-74)

“uma explosão de luxo e


vitalidade”

https://mikasavela.tumblr.com/post/12235523
367/early-and-small-by-hans-hollein
● Seu modernismo é uma questão de representação gráfica
● Versão menos séria do Modernismo
● Elementos no imobiliário e decoração muitos originais
● Em vez de permanecer flexíveis ou isotrópicos, cada elemento de sua
obra é projetado até o fundo, nada é deixado ao acaso ou a fantasia dos
usuários
● Capacidade de “brincar” com os materiais
Haus Molag, em Viena

Fonte: https://focusfoto.com.br/wp-content/uploads/2014/03/escola-focus-Andy-Warhol.jpg
Museu de Monchengladbach
Fonte::https://www.domusweb.it/en/from-the-
archive/2014/04/28/in_ma_nchengladbachthehansholleinsmuseum.html
Fonte::https://www.domusweb.it/en/from-the-
archive/2014/04/28/in_ma_nchengladbachthehansholleinsmuseum.html
“ A responsabilidade do arquit et o não
pode ser t ransmit ida ao diret or do
museu: é o arquit et o que deve criar uma
obra de art e para abrigar as obras de
art e e os seres humanos”
(L’Architecture d’Aujourd’hui, n 225, fev. 1983, p. 96)
Referências bibliográficas e gráficas

Focus foto: https://focusfoto.com.br/wp-content/uploads/2014/03/escola-focus-Andy-Warhol.jpg

https://books.google.com.br/books?id=reG4eZyLxGMC&pg=PA65&lpg=PA65&dq=praca+charles+moore
&source=bl&ots=hwf2NmBf7t&sig=ACfU3U3nMVZIzwTQMXBO_wdt_s5dDu3zsg&hl=pt-
BR&sa=X&ved=2ahUKEwjAs6zx56HkAhWWK7kGHb08AK4Q6AEwBXoECAYQAQ#v=onepage&q=prac
a%20charles%20moore&f=false

https://pt.m.wikipedia.org/wiki/Maneirismo

https://conhecimentocientifico.r7.com/pos-modernismo/

Você também pode gostar