Você está na página 1de 4

Saul

Saul, o primeiro rei de Israel, representa a vontade que


a personalidade excessiva. O amor de Jônatas por Davi
era pessoal - ele não estava em entendimento espiritu-
al. Não tendo o recurso do Espírito, a vontade pessoal
funciona nas limitações da personalidade. A vontade e a consciência pessoal se tornam cada vez mais fracas
deve ser ungida ou inspirada pelo julgamento, mas em até que os filisteus, representando pensamentos em
seu desenvolvimento, muitas vezes afirma sua própria rebelião aberta contra toda lei espiritual, os destruam.
iniciativa e é, portanto, derrotada em sua liderança. De um lado, Saul estava aberto ao Espírito e muitas
Saul era um filho da natureza. Se ele morasse neste vezes era guiado por Jeová. Mas ele não era leal a Jeová.
país, seria chamado de cowboy. Ele estava caçando ju- Quando seus pensamentos de erro obscureceram sua
mentos de seu pai e, não os encontrando, apareceu para inspiração e o Todo-Poderoso respondeu-lhe não “por
consultar Samuel, um profeta, que também era evi- sonhos, nem por Urim, nem por profetas”, Saul se dis-
dentemente um descobridor de bens perdidos. Samuel farçou e foi até a mulher em Endor que tinha “um
ficou impressionado com o jovem e, sendo informado espírito familiar” (ver I Sam. 28). Saul mandou a mu-
pelo Senhor que Saul deveria ser rei, o profeta o ungiu. lher chamar Samuel, assim como os médiuns fazem
Saul significa vontade pessoal. Ele representa a consciên- hoje, e ela contou a Saul o que o profeta disse. Se Saul
cia em seu estado natural. É voluntarioso e teimoso, tímido e seguisse a lei, teria esperado pacientemente no Senhor
impulsivo, mas muito corajoso sob grande estresse. Quando até receber sua resposta direta. Quando colocamos al-
foi escolhido como rei, Saul foi muito humilde; e a ver- guém ou alguma coisa entre nós e nosso Senhor interno,
dadeira humildade é uma das primeiras qualificações enfraquecemos nosso poder, e pensamentos adversos nos
para a liderança espiritual. A vontade é uma fase muito dominam, assim como Saul.
complexa da mente, no entanto, e seus paradoxos fre- Saul, na consciência individual, significa o poder exe-
qüentemente confundem as mais agudas. O caráter de cutivo da mente, aquele em nós que dirige e conduz
Saul sempre foi um quebra-cabeça para estudantes e mi- nossos pensamentos espirituais a um maior grau de
nistros da Bíblia. liberdade. Saul representa a vontade divina somente
Um estudo da própria personalidade revelará o caráter quando o homem apreende e a usa na liderança pessoal.
de Saul. Ele é aquilo em nós que está muito próximo da Davi representa amor. Ele era o bem-amado do Se-
consciência dos sentidos. nhor. Sua constância, sua fidelidade a seus amigos, sua
Quando a vontade pessoal é totalmente dada para bondade e caridade universais provam a predominân-
sentir a vida, é um gentio. Quando reconhece a Jeová cia da qualidade do amor em sua natureza. Mas Davi
e tem uma aparência de entendimento espiritual, é um não foi capaz de manifestar o amor altruísta de nosso
israelita. Saul foi reconhecido pelo Senhor e escolhido por Salvador, Jesus Cristo. Davi demonstrou até o ponto
Ele para ser rei; todavia Saul não aderiu estritamente à lei em que ele poderia dizer do Senhor, “meu pastor”; Jesus
espiritual. Ele consultou adivinhos e médiuns, quando não veio ao lugar em consciência onde Seu amor altruísta
conseguiu obter imediatamente uma resposta do Senhor. alcançou e abarcou todas as pessoas, onde Ele poderia
As pessoas que estão sob o domínio da personalida- dizer “nosso Pai”.
de são muito suscetíveis de serem afastadas da Verdade, Salomão representa a sabedoria do Espírito; ele ti-
através do desejo de conhecer as coisas temporais em vez pif ica aquilo em nós que é capaz de se transformar
de eternas. Quando estamos muito ansiosos para conhecer interiormente e tornar-se consciente com a luz do
o futuro e, maliciosamente, buscar a chamada sabedoria de Espírito. Salomão não foi capaz, no entanto, de ex-
um médium ou clarividente, estamos sob o domínio da va- pressar a plena luz do Espírito. Aliando-se a tribos
cilante vontade humana. Quando temos certeza de nossa pagãs, por uma questão de paz, ele abriu o caminho
premissa em Deus, não tememos o resultado e sempre sa- para o influxo das forças não iluminadas que eventu-
bemos que teremos sucesso em toda boa obra; então não há almente dividiram seu reino.
tentação de pedir conselhos a uma cartomante. A grande lição a ser tirada de um estudo minucioso
O conflito entre Saul e Davi representa a guerra no da vida de Saul, Davi e Salomão é que, para con-
homem entre a cabeça e o coração, a vontade pessoal e tinuar a se desenvolver espiritualmente e ser bem-
o amor divino, pelo controle. A vontade que funciona -sucedido, é preciso viver muito perto do Espírito e
na consciência dos sentidos destruiria sua própria alma ser sempre humilde e obediente diante do Senhor.
( Jônatas) e o amor inato (Davi). O sucesso externo e a glória pessoal tendem a tornar
Tudo no homem que não reconhece sua fonte em tudo suficiente para si mesmo, e essa atitude mental
Deus deve finalmente morrer para as coisas espirituais. desliga a luz do Espírito. Sabendo que todo o poder
Tal foi a morte de Saul e Jônatas. é do Senhor, e estando sempre disposto a fazer o ato
Nem Saul nem Jônatas foram totalmente dedicados altruísta para o bem de todos, assegura-se um reino
ao Senhor. Eles ficaram sozinhos na consciência pes- eterno de paz e felicidade que nunca pode ser dividi-
soal, e a loucura de Saul foi a epilepsia que acompanha do contra si mesmo.
Saulo de Tarso, que mais tarde foi chamado Paulo e peração no indivíduo. Alguns deles são os seguintes:
foi apóstolo de Jesus Cristo, significa a vontade. Pelo Nos primórdios da história de Paulo, contemplamos
poder da vontade, plantamos em todas as partes da dois estados de espírito: primeiro, o estado de espírito fa-
consciência uma potência espiritual que possui todas as risaico, que pode ser encontrado em quem é intelectual-
possibilidades de sua fonte divina. Esta semente divina mente educado e pode herdar seu viés religioso ou obtê-lo
é a palavra da verdade, que surgirá após muitos dias. por associação; segundo, o estado espiritual da mente, que
Saulo, antes de sua conversão (Atos 9: 1, 2), repre- é encontrado em alguém que alcança o verdadeiro enten-
senta alguém que é zeloso em sua busca por Deus, dimento espiritual através da iluminação pela mente de
mas está tão cheio das idéias religiosas que foram in- Cristo. Paulo experimentou esses dois estados.
culcadas por seu treinamento anterior que resiste ao Quando alguém se associa e defende zelosamente as
verdadeiro entendimento de Cristo. doutrinas de alguma seita, e depois muda de idéia e prega
Saulo a caminho de Damasco (saco de sangue) para de maneira diferente, é perseguido por aqueles que ainda
perseguir os cristãos representa a vontade fanática são leais à antiga fé. Nessas circunstâncias, deve-se fazer
cheia de zelo para destruir tudo o que se opõe à sua uma declaração simples dos fatos no caso e, em seguida,
religião tradicional. Em Atos 22: 3, 6:10 e Filipenses defender a nova doutrina que alguém adotou, demons-
3: 7-14, Saulo representa a obediência da vontade e trando na vida de alguém o que ela ensina.
sua aceitação da palavra da Verdade. Paulo representa a palavra do Espírito da verdade.
A vontade deve ser tratada em todos os movimen- O Paulo convertido (anteriormente Saul, a vontade)
tos, porque é a própria essência da autoconsciência. se torna, pelo poder da palavra, o pensamento mais
A conversão e o trabalho de Saulo de Tarso ocupam ativo no estabelecimento do bem em todo o nosso ser.
um grande lugar na história da Bíblia. Saul representa A vontade é a própria essência da autoconsciência.
nesta simbologia a vontade humana. Em toda cons- A história da conversão e obra de Saulo de Tarso ocu-
trução permanente de caráter, a ação da vontade é ba- pa um grande lugar na história bíblica. Nesta simbo-
seada no entendimento da vontade e no entendimento logia, Saul representa a vontade humana. Em toda
andam de mãos dadas. Eles são os Efraim e Manassés construção permanente de caráter, a ação da vontade
das Escrituras, cuja colocação na Terra Prometida era se baseia na compreensão. Vontade e entendimento
de propriedade conjunta. andam de mãos dadas. Eles são os Efraim e Manassés
A conversão de Saulo foi precedida por uma grande das Escrituras, cuja colocação na Terra Prometida era
luz de entendimento espiritual. Saulo (pedido, dese- de propriedade conjunta.
jado, exigido) tipifica a vontade em seu domínio pes- A conversão de Saul foi precedida por uma grande
soal. Nesse estado não regenerado, ele não reconhece luz de entendimento espiritual. A palavra Saul tipifica
mestre ou guia, exceto a auto-gratificação, e cresce a vontade em seu domínio pessoal. Após a descober-
em seu próprio conceito. O rei Saul é um tipo dessa ta de que existe uma sabedoria maior que a vontade
vontade não regenerada. Os místicos dizem que ele pessoal, o nome é alterado para Paulo, o que significa
era uma antiga encarnação de Saulo de Tarso. Após pouco, contido, diminuído, diminuído, e seu caráter é
a descoberta de que existe uma sabedoria maior que convertido daquele do perseguidor violento e opressivo
a da vontade pessoal, seu nome é alterado para Paulo, das coisas espirituais para os outros. campeão devoto
o que significa pouco, e é convertido do perseguidor e obediente do humilde Cristo, o EU SOU espiritual.
violento e opressivo das coisas espirituais ao campeão Não se deve inferir que a vontade é enfraquecida
devoto e obediente do humilde Cristo. pela conversão; é fortalecido em todos os aspectos.
Saulo de Tarso era sincero, e essa sinceridade era o Quando a vontade está agindo em harmonia com a
caminho aberto para a mente de Cristo. (Veja PAU- lei divina, seu trabalho é suave, e para o espectador
LO, em seu estudo de Saulo de Tarso.) superficial a vontade parece pouco. Saul foi uma figu-
ra proeminente no trabalho de suprimir os primeiros
Paulo cristãos; ele carregava a autoridade do poderoso siné-
Paul, paul (fr. Lat.) - restrito; constrangido; reduzi- drio com uma mão zelosa e cruel, por causa da falta
do; diminuído; feito pequeno; pequeno. de entendimento espiritual real. Mas quando a con-
Um judeu de Tarso, que perseguiu os cristãos por um versão veio, ele saiu com um preço em sua cabeça. Ele
tempo, mas foi convertido a Cristo por meio de uma vi- era uma figura muito pequena naqueles dias. Levou
são. Ele se tornou um dos maiores apóstolos e escreveu séculos para provar o quão grande foi o plantio silen-
muitos dos livros de nosso Novo Testamento. Seu nome cioso, porém estável e persistente do evangelho entre
era Saul antes de se tornar cristão (Atos 9: 1-22; 13: 9). os gentios (Atos 22: 3, 6-10).
Meta. Diferentes simbolismos e tonalidades de sig- Paulo e Silas (Atos 16: 25-40) representam a von-
nificado são dados a Paulo e a sua vida e ministério, tade e o entendimento em seu trabalho de esclarecer
todos relacionados com o importante trabalho de su- a consciência. O destemor de Paulo era o ponto for-
te de seu caráter. Para ele, a verdade veio primeiro e tendas). Instruiria o homem a construir sua própria
as coisas do mundo segundo. Foi isso que fez dele o tenda ou corpo, simbolizado pelo raciocínio de Paulo
grande apóstolo - ele foi personificado em conjunto com judeus e gregos na sinagoga todos os sábados (a
com o entendimento. Quando estes estão reunidos na sinagoga é o centro do pensamento espiritual na cons-
consciência, o homem é igual a qualquer emergência. ciência individual, e o sábado significa um tempo de
A entrada de Paulo e seus companheiros na Europa descanso ou descanso). meditação).
(Atos 16: 6-15) é simbólica de abrir a palavra Verdade Paulo também é um tremendo retrato de ambição ou
em partes da consciência onde nunca havia sido rea- zelo; primeiro ativo no plano intelectual como campeão
lizada antes. da lei e dos profetas, depois rapidamente para executar
O corpo é permeado por uma vida e uma inteligência a doutrina libertadora da consciência de Cristo.
que formaram um pequeno mundo próprio. Não tem A seguir, duas lições a serem aprendidas da passa-
conhecimento da vida superior do Espírito. Tem que gem de Paulo “ligado no espírito” a Jerusalém (Atos
ser regenerado - nascido de cima. A centelha espiritu- 20:22, 23):
al é carregada pela vontade convertida, Paulo, e precisa Como Paulo era um apóstolo muito grande, e sá-
enfrentar obstáculos de vários tipos. As terras e cidades bio em coisas espirituais muito além de nós de muitas
nas quais Paulo foi “proibido pelo Espírito Santo de maneiras, não se segue que ele fosse perfeito ou que de-
falar a palavra” (ver Atos 16: 6, 7) representam algumas vêssemos aceitar como verdade do evangelho tudo o que
delas. Quando guiados pelo Espírito, somos levados a ele escreveu. Ele tinha seus pontos fracos. Nesse lugar,
desenvolver nos moldes de menor resistência e onde as ele proclama que está indo para Jerusalém “preso no
condições são mais favoráveis. Não devemos desanimar espírito”. Esta não é uma afirmação sábia para quem
quando atingimos lugares aparentemente áridos em está pregando a liberdade dos laços; nem é o que ele
nossa própria consciência e corpo, nem desperdiçamos vai a Jerusalém, independentemente das advertências
nosso tempo tentando acelerar as localidades que, no do Espírito Santo de que “laços e aflições” o aguardam
momento, aparentemente são negativas demais para lá. Parece que o Espírito lhe disse que não fosse a Je-
responder. A experiência daqueles que regeneram o cor- rusalém, mas sua obstinação e persistência, que tanto
po é que um certo elemento ardente é necessário para dar tempo mantinha em suspenso, eclodiram nessa oca-
ação às partes aquosas e negativas. Essa necessidade é sião e ele estava determinado a seguir seu próprio ca-
mencionada nesta passagem. A Macedônia, onde Paulo minho, independentemente das advertências divinas.
trabalhou por um tempo, significa adoração ardente e é Portanto, descobrimos em nosso contínuo espiritu-
representativa do entusiasmo e da energia do Espírito al que velhos estados de espírito que pensamos total-
que incendiaram todo o homem. É necessário que esta mente vencidos surgirão novamente e terão que ser
fase da consciência seja cultivada, porque sem ela se es- demonstrados novamente. A obediência espiritual
tabelece uma certa passividade que se contenta com a nos salvará de experiências difíceis. Se Paulo fosse
batalha como apenas metade ganha. obediente, teria evitado os anos de prisão em Jerusa-
Filipos, onde Paulo passou algum tempo pregando, lém e em Roma. O Senhor não nos põe em prova nem
significa amante de cavalos, guerreiros, cavalos que se somos obrigados a fazer Sua obra. “Onde está o Espí-
referem às forças vitais ou poder. É necessário desper- rito do Senhor, há liberdade” (II Cor. 3:17).
tar esse poder ardente no homem quando ele entra Por outro lado, a vinda de Paulo a Jerusalém repre-
em estados estéreis de consciência. A visão do homem senta a palavra da verdade como entrando na consciên-
na Macedônia que grita: “Venha ... e ajude-nos” é o cia espiritual, proclamando a doutrina EU SOU de Je-
discernimento desse fervor interior que precisa ser sus Cristo, assim como Paulo em todas as suas viagens
despertado. Pode-se fazer isso estimulando, afirman- missionárias representa a palavra da verdade entrando
do que todos os obstáculos e barreiras à supremacia nas várias partes do mundo. consciência proclamando
do Espírito estão agora limpos; depois, como Paulo, esta EU SOU doutrina de Cristo. O centro espiritual
seguindo diretamente para Neapolis, a nova cidade (Jerusalém) está sob o domínio dos judeus que se ape-
ou centro de ação. Isso significa que quem concentra gam à lei mosaica e fazem um grande clamor religioso
todas as suas energias na realização de seu propósito contra o novo reino que o EU SOU ou Cristo propõe
certamente terá êxito. estabelecer. Não devemos deixar que as velhas convic-
Paulo (a palavra da verdade, não toda a verdade) é ções e ensinamentos religiosos nos impeçam de procla-
um fabricante de tendas (Atos 18: 1-4). A verdade mar aquilo que sabemos ser verdadeiro. Jesus Cristo é
sempre cresce; nunca rasga. Quando essa percepção o rei dos judeus (nossas idéias religiosas), e este Paulo,
entra em nossa mente, ela se une a todas as forças edi- com suas verdadeiras palavras, deve passar sem medo
ficadoras presentes no trabalho. Mas a verdade não se de resultados às partes mais sagradas e ali plantar as se-
contenta com mera construção física (fabricação de mentes da nova igreja, ou novo estado de consciência.
Por enquanto, pode parecer que nossas palavras não tir do eu superior e concebida por ele no coração. do
deram frutos, que fomos presos por esses pensamen- qual Jerusalém é o símbolo, mas por causa do domí-
tos religiosos estreitos que os judeus significam aqui; nio intelectual é atraído pela cabeça, do qual Roma
mas se formos fiéis a Deus, seremos libertos com ra- é o símbolo. Quando alguém é dominado por seu
pidez e segurança. intelecto em suas idéias religiosas, é dado a forma e
Se nos voltarmos para a lei material em nossa extremi- cerimônia sem perceber a Verdade espiritual por trás
dade, o fruto de nossas palavras demorará a amadurecer. delas; esse ainda tem Roma como centro. Se ele fosse
Esta parece ser a lição que devemos aprender no apelo verdadeiramente espiritual, Jerusalém seria seu cen-
de Paulo a César. Em sua extremidade, ele reivindicou tro. O fato de Paulo ser levado para Roma acorren-
sua cidadania romana e pediu a proteção da lei artificial tado (Atos 27: 1; 28:16) é um símbolo apropriado da
(Atos 22: 25-28; 25:11, 12; 26:32). Ele foi preso e enviado palavra ou expressão da Verdade que Paulo simboliza
para Roma. Se ele tivesse aderido a caminhos espirituais capturado pelo intelecto em conjunto com a vontade
e cantado louvores e dado graças a Deus por sua rápida pessoal dominante e confinado aos laços dos sentidos.
libertação, ele sem dúvida teria recebido a ajuda divina que ele colocou sobre si mesmo.
que ele e Silas haviam recebido em uma ocasião anterior. Paulo era professor, pregador ou orador. Ele repre-
No entanto, a verdadeira palavra finalmente deu senta o expressador da palavra. Cristo é a palavra in-
frutos, e a viagem a Jerusalém e a prisão em Roma visível; Paulo é uma avenida através da qual a pala-
produziram abundantemente depois de anos. Assim, vra é expressa externamente.
toda palavra da verdade que falamos certamente se A razão pela qual Paulo simboliza a vontade em al-
manifestará; essa manifestação será rápida ou lenta, gumas lições e a palavra da verdade em outras é que
de acordo com nossa lealdade aos caminhos espiritu- as faculdades desempenham muitos papéis nas mani-
ais em todas as provações. festações da mente. Mateus representa a vontade no
Cæsar representa a regra tirânica da vontade pesso- desenvolvimento individual do homem Jesus. Paulo
al não modificada pelo amor espiritual, misericórdia e representa a vontade em um sentido universal. Antes
justiça. Paulo (significando a palavra da Verdade), pre- da conversão de Paulo, ele foi chamado Saul. Saul é
so em Cæsarea (Atos 23: 23--25: 4), indica que a força o nome, no Antigo Testamento, do rei, ou a vontade.
dominante da vontade confinou a expressão da Verda- Quando Saul mudou de idéia, ele se tornou Paulo (pe-
de ao domínio intelectual, ou sensorial, da consciência. queno); em outras palavras, a grande vontade pessoal
A idéia da verdade é inspirada no homem a par- foi convertida no servo obediente de Cristo.