Você está na página 1de 3

III Congresso Nacional de Educadores Notre Dame

Cultura Notre Dame: Educação, Mística, Transformação


Novos referenciais para uma nova época

Oficina: A música como fator relevante na educação – dia 04-14h

Grupo oficineiro: Fernando, Andréia, Clenia, Lia, Larissa, Mirtes

1. Recepção dos participantes da oficina


Cantos:
Animação – Cantar, fazer os gestos, – Mirtes e grupo
Para o dia (congresso) ser assim: bom pra ti e bom pra mim.
Eu aperto a tua mão com carinho e atenção. E depois de te olhar uma abraço eu vou te dar.
/: Bom prá nós se for assim esse dia (o congresso) até o fim. :/

Bingo – Cantar, explicar, fazer dois círculos, se apresentar.. – Andréia e grupo


Um belo cachorrinho sentado na janela B I N G O é seu nome (2x)
B I N G O (3x) – BINGO é seu nome!

2. Respiração rítmica – Mirtes e grupo

Apresentar o grupo
3. Apresentação teórica – Fernando e grupo

4. Jogos e Parlenda – Andréia e Fernando


Escravos de Jó – Escravos de Jô jogavam cachangá. Tira, bota, deixa o Zé Pereira que se vá.
Guerreiros, com guerreiros fazem zigue, zigue zá!

Lenga la lenga – Lenga la lenga / la ducha la du ê! La ducha la du papa / la ducha la du ê!


La ducha la du mama / la ducha la du ê! La ducha la du go go / la ducha l du ê!

5. Teoria – Técnica Vocal – Mirtes


Atividades:
a. Percepção de sons: perceber 3 sons próximos e 3 sons distantes
b. Exercícios de língua..., prrr...., mmmmm......
c. Respiração – diafragmática – apoio
d. Sonorização – la, lê li, lo, lu.....
Lua, lua, lua – 2 grupos
e. Música: Lançai um sorriso
Como girassóis

6. Conclusão – Espaço para perguntas

7. Música final: Vamos dar a despedida, como faz o sabiá:


Vai cantando e vai dizendo – até logo, adeus sinhá!

A música como fator relevante na educação – oficina III Congresso

TÉCNICA VOCAL

“O gesto vocal é uma conseqüência na evolução da linguagem humana. A posição ereta


permitiu a ressonância da coluna vertebral e de todo o corpo; os lábios, a língua e o maxilar, ligados
originalmente à função da apreensão, se tornaram disponíveis para a linguagem articulada; o gesto
corporal primário se muda em grito,depois em canto e em palavra. Neste lento processo de
humanização, o homem se identifica progressivamente ao logos que atravessa; ele se torna capaz de
se doar pela palavra e pelo canto.” (Frei Joaquim Fonseca)

“A voz, é portanto, mais do que as palavras que são pronunciadas, mais do que a qualidade
do som que sai da boca; é o corpo inteiro, caixa de ressonância que fala, emanando energia.”
(Valente)

Cada um a seu modo e a seu tempo pode conquistar uma voz que agrade a si e possa
cumprir sua força de união com os outros.

Na comunicação com o próprio corpo desenvolvemos nossa escuta interna e para tal
precisamos silenciar nossa ansiedade, nossa impaciência humana. Precisamos buscar uma escuta
seletiva voltando o olhar para nós mesmos e perceber o quanto somos golpeados, a cada instante,
por sons.

O som que se propaga através do ar chega até nós como o toque de um massagista
experiente. Quando cantamos também nos massageamos internamente. Cantando, sem que usemos
as mãos, vamos nos massageando por dentro e por fora. A pele sente. Muitas vezes manifesta-se no
arrepio que nos faz acordar para o milagre da vida.

Para valorizar o som e experimentar o quanto ele nos invade incessantemente, é preciso
tomar contato com a ausência de som: o silêncio.

EXERCÍCIO – relação com o silêncio


Perceber 3 sons próximos e 3 sons distantes

RESPIRAÇÃO RITMICA
A música e o som podem alterar a atividade das ondas cerebrais.
Ao escutar uma música, o corpo também escuta. Basta sincronizar com a música.
Enquanto a música toca, começa a manifestar-se os benefícios da psicofonia. O corpo se relaxa e a
mente se põe alerta. Não é preciso dizer ao músculo que se relaxe. O efeito geral da música é o de
uma massagem sônica ao eliminar a tensão do trabalho mental intenso.
A música ajuda a centrar a atenção para dentro, em vez de para fora. Se produz um estado
calma e serenidade devido ao caráter sumamente estruturado da música. Os músicos praticantes se
mantém durante o concerto, com um controle completo, super alertas, lúcidos e conscientes de tudo
o que se passa.

O ritmo respiratório pode alterar os estados de consciência. Para controlar o corpo é


importante controlar a respiração.

“Os investigadores IOWA, observaram que, quando os indivíduos respiravam com ritmo
se proporcionava uma melhor oxigenação cerebral. Depois de tudo, dizem que o cérebro necessita
de aproximadamente 3 vezes mais de oxigênio que o corpo pra funcionar adequadamente,
sobretudo, quando a pessoa trabalha sentada”.

Se ao invés de respirar desordenadamente, o fazemos com ritmo regular, a inteligência se


agudiza automaticamente. Reter o ar entre inspiração e expiração, se estabiliza a atividade física,
mental, e o pensamento pode centrar-se muito melhor. Com a respiração rítmica, as ondas cerebrais
e a atividade muscular se sincronizam. Os exercícios de respiração rítmica, ajudam a resincronizar
processos mente-corpo desincronizados.

EXERCÍCIOS DE RESPIRAÇÃO
Sugestão: exercícios de respiração para concentrar ao alunos; para acalma-los antes
das provas; após atividades intensas.

****************

A plasticidade cerebral está envolvida na possibilidade de realizar a “interdisciplinaridade”


própria do cérebro: áreas cerebrais desenvolvidas por meio de um tipo de atividade podem ser
“aproveitadas” para aprender outros conhecimentos ou desenvolver áreas relativas a outro tipo de
atividade. Por exemplo, áreas desenvolvidas pela música, como o ritmo, são “aproveitadas” no ato
da leitura, da escrita e da aprendizagem de conceitos da matemática – (do livro neurociência e
aprendizagem – Elvira Souza Lima)

A música desenvolve a atenção, a percepção, a sensibilidade......

“O relaxamento não se consegue sem concentração.


A concentração não e consegue sem imaginação.
A imaginação não se consegue sem a musicalização.”
Fernando Salazar Bañol

Você também pode gostar