Você está na página 1de 15

Pensamento grego

 Teoria foi criada pelos gregos- elaboração feita pela mentalidade dando sentido a realidade
 Racionalidade como ferramenta fundamental do trabalho teórico- para os gregos o mundo
deveria ser uma construção intelectual da realidade, não isenta de pressuposto.
 O mito, religião e ciência as vezes não explicam a realidade
 Gregos começam a fazer questionamentos- chamado o berço da civilização. RAZÃO
 Teoria fertiliza a concepção da realidade (proposição e antecipação) de forma que, quando
incorporadas à vida social passam a construir a própria realidade
 CONTRIBUIÇÃO:
 Investigação social dos fundamentos do agir humano
 Levar o homem ao conhecimento de si
 Democracia grega- estado secularizado (não divina e sim humana),
 Politica- tenta colocar ordem na sociedade/ poder legislativo: espaço de debate
 Oratória
 Conhecimento com base na linguagem. Sofistas: estudam a linguagem

Platão
 Destruir a democracia- aristocracia (poder com filosofia)
 Centralidade da dimensão politica em seu pensamento
 Instituições politico-juridicas na cidade pautada pelo saber não são injustas
 Junção da filosofia com a politica de modo que o poder pudesse ser visto como espaçp de
saber
 Mito da caverna: conhecimento que traz o bem
 FORMAS DE GOVERNO:
 Timocracia (timarquia): honras militares- esparta
 Oligarquia: governo dos ricos e para os ricos
 Democracia: vontade da maioria- Atenas à livre, mas quando o povo se acostuma, um quer
mandar
 Tirania: governo de um demagogo à espaço de desordem social é o melhor para surgir um
tirano
 Governos degeneram porque não se pautam no saber, são imperfeitos no seu pensamento

Aristóteles
 Politica como campo de saber autônomo
 Existência do estado como consequência da lei natural
 Distinção do ser humano e dos animais
 Sociabilidade cria a moral: o justo e o injusto, o certo e o errado, o bom e o mau
 Individuo é social, não autônomo
 Interpretação da vida vem do social
 Politica é característica humana, mas a filosofia não
 Vida social é uma escolha
 Efeito do justo e injusto
 FORMAS DE GOVERNO:
 Realeza: governo em pro da comunidade
 Tirania: governo para si- poder exercido por um individuo
 Aristocracia/oligarquia: poder exercido por uma minoria (ou elite)
 Republica/democracia: poder exercido pela maioria à Aristóteles fala que o governo de
muitos pensa em si antes, virtudes

Maquiavel
 Politica:
 Formação do estado ao tentar trazer a racionalização ao poder. Politica voltada a realidade
empírica
 Verdadeira a realidade das coisas
 Renascimento:
 Características: inicio do movimento em Florença no final do século XV, Maquiavel é de
Florença, viveu em um período conturbado
 sai da interpretação medieval, católica do mundo e começa a interpreta-la como
racionalidade que tem origens na antiguidade à despertar das disciplinas intelectuais.
Estudo das fontes humanistas e naturalistas
 valorização dos talentos individuais à individuo se colocando como protagonista de sua
historia
 ciência: paixão pela investigação e pela descoberta à pesquisa empírica. Exigência critica
e livre exame (uso da razão). Constatação dos dogmas à historia transformada por nós. A
era das técnicas, prontas a servir o homem em sua ação substitui contemplação, orientada
e dominada por deus
 Estado:
 Maquiavel adorava falar do estado real, capaz de impor a ordem
 Natureza humana e história: guiada pela busca da verdade efetiva, observa-se traços
humanos imutáveis
 Analise política sobre como evitar a desordem e o caos, os governos são cíclicos: tem uma
ordem que sucede a desordem e essa por sua vez chama por uma nova ordem
 A história mostra que os governos são finitos, como é finita a vida dos homens
 Ordem não é divina, feita pelo homem e pode ser desfeita a qualquer hora
 ‘’ a política não leva aos céus, mas sua ausência é o pior dos infernos’’
 A natureza humana é conflitiva, sempre discordamos uns dos outros, cabe a politica
resolver o caos resultante dessa natureza
 Política é o resultado de um feixe de força a força, se bem utilizada é capaz de manter a
ordem
 Início de uma política guiada com exclusividade por questões de convivência: o real e o
ideal convergem
 Busca a verdade efetiva das coisas, não da imaginação à governos finitos, Maquiavel é
transição, existe ordem quando há um poder estabelecido, o que governa deve conduzir o
povo. Política é humana
 Teoria: elaboração mental que da sentido à realidade
 Racionalidade como forma fundamental do trabalho
 Teoria fertiliza nossa concepção da realidade de forma que quando são incorporados a
vida social passam a construir a própria realidade
 Príncipe é soberano
 Crueldade para garantir a segurança das pessoas e achar que possa voltar contra elas
 Príncipe de virtude age de acordo com as regras da justiça

Generosidade X Parcimônia
 É preciso ser generoso, mas com cautela
 Não se pode jamais tirar aquilo que já foi dado, por isso é preciso saber planejar
 Quando for necessário tirar que seja de uma vez e de forma violenta, para ser temido e
mostrar força
 Não devemos dar a todos da mesma forma, os mais poderosos são mais difíceis de
satisfazer, governo vive em um tripé

POVO SATISFEITO

EXERCITO OBEDIENTE RICOS SATISFEITOS

Crueldade X Clemência
 é melhor ser temido do que ser amado, nunca ser odiado
 Existem crueldades bem praticadas (pessoas gostam e temem) e crueldades mal
praticadas (odiar, perder respeito)
 Segurança

Virtú e fortuna
 Exigia virtú o domínio sobre fortuna
 Liberdade do homem é capaz de amortecer o suposto poder incontrolável da fortuna
 Governante demonstra ter mais virtú
 Sabedoria do príncipe é agir conforme as circunstancias
 Próprio do homem combater pelas leis, com legalidade e fidelidade, mas as vezes devem
agir como bestas

Hobbes
 Estado de natureza:
 Guerra de todos contra todos (homem em constante medo)
 Problema quando os homens querem as mesmas coisas (inimigos)
 Todos os homens são iguais e possuem os mesmos direitos (características naturais nos
distinguem, mas nenhuma é forte para se sobressair)
 Homens desejam o poder e são livres para conquista-lo, não existe propriedade
 Direitos que os homens possuem: LIBERDADE E AUTOPRESERVAÇÃO
 Nada pode ser injusto, deve ter como instrumento a paixão e a razão, forma-se o contrato
 CONTRATUALISMO:
 Estado de natureza, de contrato a estado civil (paz)
 Primeiro pacto que os homens fazem antecede o estado- pacto de submissão,
preservação de vidas
 Não tem ninguém para fazer cumprir as coisas, medo.
 Terceiro estado a lei
 Se optar por viver em sociedade, perdera sua liberdade
 Estado não fez pacto, então não é injusto, culpa a sociedade, ela que faz o pacto
 Estado soberano à pessoas que governam
 Contrato é indivisível
 Representação: autor (cria)- ator (age) à sociedade é o autor do estado, estado absoluto
não precisa obedecer
 Leis de natureza não garantem a paz ao estado, deve dar medo nas pessoas para que
elas obedeçam
 Estado maior que o homem
 Finalidade é conservar a paz ao direito (meios)
 Soberano é juiz também das opiniões à diferentes opiniões, é um problema (censura).
Hobbes vê a teoria moderna como ameaça
 Soberania do estado (fonte do direito) ao governo: monarquia, aristocracia, democracia
(absoluta)- se for limitada é absoluta, uma monarquia pode ser absoluta, as pessoas que
governam são absolutas
 Defenda a monarquia, mais eficiente para manter a paz. Monarquia é melhor porque o rei
pensando em beneficio próprio, beneficia a todos
 Positivista

Locke
 Defende Aristóteles à tabula rasa, defendendo a liberdade e tolerância religiosa
 Fundador do empirismo- todo conhecimento deriva da experiência
 Critica ideias inatas
 O homem veio antes do surgimento da sociedade e do estado. Os homens viviam num
estagio pré social e pré politico, caracterizado pela mais perfeita liberdade e igualdade.
ESTADO DE NATUREZA- cada um é juiz da própria causa
 Razão e direitos: vida, liberdade e bens (trabalho- frutos)- propriedade não pode ser
violada pelo estado- já existe no estado de natureza
 é pacifico, mas não esta isento de inconveniente, por isso vivemos em sociedade
 Direito de vingar as injurias
 o contrato social tem como objetivo a preservação da propriedade e a proteção da
comunidade dos perigos internos e externos, um impacto de consentimento, onde os
homens concordam livremente em formar sociedade civil
 Poder legislativo=poder supremo, para sair do estado natural para ir para um estado
civil o povo deve ser livre, fazer as próprias leis
 Fundamentos do estado:
 Livre consentimento dos indivíduos para a formação do estado
 Livre consentimento da maioria para formação do governo
 Direito de propriedade
 Controle do executivo pelo legislativo
 Controle do estado pela sociedade
 Primeiro tratado: direito divino dos reis pois seriam filhos de Adão
 Segundo tratado: origem, extensão e objetivo do governo civil, consentimento expresso
dos governados é a única fonte do poder político legítimo
 Jusnaturalismo: estado de natureza + contrato social = estado civil
 Individualista
 Estado de natureza: liberdade e igualdade, paz, concórdia e harmonia, razão,
propriedade, liberdade e bens eram direitos naturais do ser humano
 Propriedade: posse de bens móveis ou imóveis, não pode ser violado pelo Estado- Estado
deve conservar a propriedade
 Trabalho era um fundamento originário da sociedade
 Propriedade limitada (trabalho) + dinheiro (comércio, troca de bens) = propriedade ilimitada
(acumulação)
 Direito legitimo de resistência a opressão e a tirania

Rousseau
 Estado de natureza é a liberdade, qualidade humana mais importante (liberdade)
 Ordem social não existe na natureza funda-se em convecções: primeira organização
social: família à afeto, não obrigado
 A Força é da ordem da necessidade não produz o direito e jamais poderá tornar-se um
dever
 CONTRATO
 O homem nasce livre, e por toda parte encontra-se aprisionado
 Governo sempre ameaça a liberdade do povo
 Pretende estabelecer o contrato social são as condições de possibilidade de um pacto
legítimo, através do qual os homens depois de terem perdido sua liberdade natural,
ganhem, em troca, a liberdade civil
 Liberdade civil
 Todos participam do legislativo à conceito de liberdade- Iluminismo
 A lei é a mesma para todos os homens (de soberanos à súditos)
 Vontade geral (igualdade) À todos livres- vontade particular (predileções)- uso do que é
de todos para si
 Rousseau: ‘’No contato é importante que o legislador deve conhecer muito bem o povo
para o qual irá redigir leis’’
 Liberdade natural + contrato = liberdade civil
 Kant (usa ideias de Rousseau) liberdade não é fazer tudo o que quer (desejo diferente de
dever)- maioridade (se responsabiliza pelo o que é seu). Autonomia (pessoa entende as
consequências que sofre, tanto si próprio quanto para os outros
 Alienação total e igualdade
 Povo limita o poder do estado
 Soberania da sociedade e política da vontade coletiva
Montesquieu
 Política serve para moderar, resolver
 República só funciona em Estado pequeno
 As leis são:
 Legitimas: resultam da vontade de Deus
 Imutáveis: dentro de uma natural
 Ideais: respondem a uma finalidade perfeita
 Faz a primeira interpretação científica da lei. Fez sua teoria baseada na Monarquia.
Quando ocorre falha na lei os homens, vão para a guerra
 As leis dependem dos lugares que estão inseridos. Leis da natureza e leis positivas. Não
existe lei perfeita. As leis vem das relações sociais, por isso são imperfeitas e sempre
mudam
 Liberadade: Direito de fazer tudo que as leis permitem
Tipos de governo Natureza do governo Seus princípios
República Governo do povo Virtude
Monarquia Governo de um Honra
Despotismo Governo da vontade de um Medo

 Leis = liberdade
 Monarquia não possui divisão
 República não possui divisão
 Estabilidade de um governo encontra-se quando a correlação de forças da sociedade se
expressa na correlação de forças da política legislativas
 As instituições devem permitir que as forças sociais moderem as demais forças
 O poder não se auto impõe limites, se não ocorre o despotismo que quer estar acima
das leis- natureza do poder é despótico. As leis são superiores a todos (povo e
governantes)
 Divisão de poderes: faz essa divisão para ninguém ser superior a leis
 Legislativo: (Quem cria as leis): podem se corromper à câmara dos nobres, câmara dos
comuns
 Executivo: (poder do veto) pode gerar ditaduras
 Judiciário: (poder nulo) só pode agir quando é ameaçado, quando alguém entra com ação
 Um impõe limite ao outro
 O que manda é a força física, então não adianta impor um poder legal
 Republica não é tão eficaz quanto a monarquia, pois é mais difícil de acontecer
 Defende uma monarquia limitada
 Instituições políticas são regidas por leis que derivam de relações políticas
 Leis positivas

Federalistas
 Independência dos Estados Unidos
 Os Estados Unidos nasceu muito voltado a guerra (contra a Inglaterra), por isso se
juntaram em uma confederação, assim ocorre o Presidencialismo
 Os que não eram a favor da confederação falavam que a republica só funcionava em
estado pequeno
 Assim se separaram em 13 repúblicas, onde cada um tinha sua própria administração
 Problemas das antigas repúblicas
 Facções
 Grupos políticos que se unem por uma causa
 Não são criminosos
 É qualquer grupo que se forma para realizar o bem da nação
 Aparecem mais na república, pois há liberdade
 Liberdade na diversidade
 Não é possível eliminar as causas, mas é possível controlar os efeitos
 Divisão dos poderes (Montesquieu) evita a tirania
 Freios e contrapesos (federação)
 Representação política à democracia representativa
 Constituição protege os Direitos das minorias
 Pessoa jurídica independente
 As pessoas tem direito de acreditar nas próprias causas
 Bom Estado é que tem partido, que tem diversidade, onde há debates em relação a
qualidade do processo decisório. Lei
 Escola com partido é sinal de liberdade
 Ideal de uma república é que as maiorias não tinham poder de eliminar as maiorias
 O importante é ter opções onde pode-se escolher o que gosta
 Constituição: vida, liberdade (Estado não pode intervir) e propriedade (a constituição
proíbe leis que interferem na propriedade
 O Poder judiciário que garante a constituição, por isso é censurado, não eleito- poder
independente
 Virtude X Instituição
 Pacto político entre os estados
 Pensamento liberal e constitucional
 A ameaça vem do executivo, república do legislativo

Tocqueville
 Liberdade X Igualdade
 Não pode haver uma sem a outra
 Igualdade extrema causa problemas à liberdade
 Poder X Liberdade: Direito regula o poder do Estado e a Liberdade
 Processo revolucionário Francês (tinha uma aversão) e Norte Americano (sistema
prisional)- século XVIII
 3 países que ‘’fundaram’’ o Estado Moderno: França, Estados unidos e Inglaterra
 Democracia é um processo universal é igualdade não liberdade- universalização. O
processo de liberdade gera uma igualdade geral que o que é diferente é usurpado, retira
contra vontade
 Estado Social norte americano é democrático todos iguais, Para os americanos a
liberdade é a coisa mais importante, porém ela tem limites, pois pensa na liberdade do
outro, não apenas a sua
 Igualdade como valor supremo = destruição do que é diferente
 Dois problemas na Democracia
1. Destruição da vontade das minorias
2. Falta de espaço para as artes e para a ciência
 Democracia pode ser liberal e tirânica (2 soluções)
1. Instituições que garantem a liberdade
2. Atividade Política
 Papel do poder judiciário e da sociedade civil
 Centralizações governamentais e descentralização administrativa
 Terra dos Estados Unidos tinham a aristocracia em decadência
 Valorização da igualdade = fim da liberdade = democracia pura
 Americanos só se empenhavam no que tinha utilidade prática

Karl Marx
 Mercadoria feita para uso do homem
 Menor força produtiva, maior valor
Maior força produtiva, menor valor
 Vê as coisas automaticamente pelo valor, sem pensar no trabalho para que o objeto fosse
criado

Escravidão feudalismo capitalismo socialismo


Começaram a virar objeto (mudança)

Lucro

Mais
Proletariado valia Empregador
Gerador de riquezas remuneração do trabalho

Salário

 Burguês explora proletariado


 Solução: socialização dos meios de produção
 Mais valia relativa o empresário decide o valor do trabalho
 Estrutura x Superestrutura
Coisas pequenas coisas grandes

 Liberdade na democracia (Rousseau)


 Liberdade no modernismo (federalistas)
 Mercadoria tem um valor de uso que é a utilidade, conteúdo material da riqueza- trabalho
concreto
 Valor de troca é a proporção em que os valores de uso se trocam- trabalho abstrato
 Diferença entre elas é a qualidade e a quantidade

Força produtiva do trabalho = quantidade de matéria prima


 Mercadorias com o mesmo valor de uso feitas por um mesmo trabalho não podem ser
trocadas
 Mercadoria é a quantificação do trabalho humano abstrato
 Método dialético: analise dos fenômenos a partir do movimento, transformação e
desenvolvimento
 Materialismo histórico: materialismo dialético aplicado na historia é o conceito do
materialismo histórico, a natureza não altera esse materialismo
 Forças produtivas da sociedade, mudanças e seu desenvolvimento durante a historia são o
materialismo histórico

Dahl
 Democratização e oposição publica
 2 dimensões da democracia (constatação publica + direito de participação)

Oligarquias
poliarquias
competitivas

Hegemonias Hegemônias
fechadas inclusivas

 Hegemonia fechada oligarquia competitiva (eua, fra, ing)


 Hegemonia fechada hegemonias inclusivas (russia)
 Hegemonias fechadas: regimes em que o poder não seja disputado e a participação
politica limitada
 Hegemonias inclusivas: regimes sem disputas de poder mas com ampliação da
participação politica
 Oligarquias competitivas: regimes com disputas de poder e participação politica limitada
 Poliarquias: regimes com disputas de poder e ampliação da participação politica, regimes
que foram substancialmente popularizados e liberalizados , inclusão, livre expressão
publica, designar melhor o estagio mais avançado em que na sua opinião este
ideal se concretizou
 Categoria de analise por inclusão: extensão da participação politica de um estado-nação,
por competição: disputa pelo poder

Lijphart
 Modelos de democracia
 Deve prevalecer a maioria do povo em caso de desavença do governo

DEMOCRATICO MAJORITÁRIO DEMOCRATICO CONSENSUAL


Executivo monopartidário Ampla coalizões multipartidarias
Executivo dominante Poderes equilibrados
Bipartidarismo pluripartidarismo
Sistema eleitoral majoritário Representação proporcional
Livre concorrência corporativismo

 Dimensão federal-unitaria

MAJORITARIA CONSENSUAL
Governo unitário e centralizado Federal e descentralizado
Legislatura unicameral Duas casas (dep e sem)
Constituição flexível, emenda por maioria Constituição é bastante rigida
Legislatura=palavra final Legislação mudada pela suprema corte
Bancos centrais dependentes do executivo Bancos centrais são independentes

Weber
 Estados estamentais e centralizados poder totalmente nas mãos do rei
Tipico do sistema feudal, poder centralizado

Rei

Clero

Nobreza

Servos
Competência/capacidade
Procedimento
Norma jurídica valida
Conteúdo
 Centralização econômica, administrativa, militar e jurídica
 Racionalização/burocratização
 Estado: detem o monopólio do uso legitimo da violência física dentro de um território
 Politica: conjunto de esforços feitos com vistas a participar do poder
 Politica como profissão – viver para a politica (plutocracia), viver da politica
(democracia/vocação)
 Dominação legitima tradicional
 Ética

Norberto Bobbio
 Liberalismo e democracia
 Liberalismo: poder limitado
 Democracia: poder distribuído
 Socialismo: igualdade substantiva

Democracia liberal

Democracia Liberalismo
Poder distribuído poder limitado
Oposição a monarquia e anarquia oposição do estado absoluto e social

Liberdade dos antigos (Rousseau) liberdade dos modernos (federalista)

 Jusnaturalismo: é a base filosófica do liberalismo, concepção geral e hipotética da


natureza, limites do direito de mandar, homem antecede a vida em sociedade, sem
verificação empírica ou prova histórica
 Contratualismo: poder só é legitimo quando se baseia em um consenso das pessoas
sobre as quais se exerce esse poder, permitir a liberdade individual com segurança social
 São modelos políticos de concepção individualista da sociedade
 Poder como base o individuo, não a sociedade

Limites do poder

Limites do poder Limites das funções do estado

Estado de direito estado mínimo

Estado absoluto estado máximo


 No modelo de estado liberal limitações do poder e diminuição das funções do estado são
teses que caminham juntas
 Fecundidade no antagonismo: variedade e competição, uniformidade estatal e liberdade
individual, oposição ao estado assistencial pelo neoliberalismo, debate das ideias como
forma de busca da verdade, sociedade pacifica abala a liberdade individual.
 Democracia: poderes distribuídos e sem limites, igualdade, representatividade, não
governo do povo, mas para o povo
 Interesse: individualismo, nenhum interesse pode ser visto como mais valioso que os
demais, participação como necessária para a liberdade, participação no poder, distribuição,
todos devem participar das decisões dos interesses
 Sistema não leva em conta interesse de quem não participa do processo decisório
 Liberalismo e democracia: sufrágio ate o universal nos estados liberais, estados
autoritários do sec xx são anti-liberais e anti-democraticos

Liberais Democratas

Concebem a sociedade como hostil enxergam na sociedade a possibilidade de

Desenvolvimento individual

 Individualistas se contrapõem a qualquer forma de organismo


 Possibilidade: liberalismo e democracia são compatíveis e podem convier
 Impossibilidade: liberalismo e democracia são antitéticos, democracia externa destrói o
estado liberal
 Necessidade: método democrático para salvaguardar os direitos fundamentais, base
estado liberal, para desenvolvimento deste

Democracia Social
liberal democracia

Democracia
Liberdade/igualdade

Liberalismo Socialismo

Presidencialismo e Parlamentarismo
 Importância dos sistemas de governo?
 Negativa: interpretação das instituições como secundárias e de outros elementos da
realidade social como mais importantes na hierarquia causal.
 Discussão institucional ganha força com redemocratizações do final do século XX.
 Instituições estimulam certos comportamentos e desencorajam outros.
 Hoje podemos falar em análise empírica dos vários sistemas políticos.
 Características gerais presidencialismo:
 O presidente é escolhido por eleição popular.
 A equipe de governo é de escolha do presidente e responde a ele, não ao parlamento.
 O mandato é fixo: o presidente não tem poderes para dissolver o Legislativo, nem o
Legislativo para demitir o presidente, exceto no caso de impeachment.
 O presidente é, ao mesmo tempo chefe de governo e chefe de Estado.

EUA BRASIL

Sistema de Divisão dos Poderes Presidencialismo de coalizão

Pode haver governo bipartidário Parlamentares participam das políticas do Poder

Executivo em troca de apoio no legislativo

 Características gerais parlamentarismo:


 O governo é tem origem na Assembleia, não em eleição popular.
 O governo é responsável perante a Assembleia e pode cair se houver falta de confiança.
 A Assembleia pode ser dissolvida antes do término da legislatura.
 Há um chefe de governo e um chefe de Estado (presidente ou monarca).

BRITÂNICO ALEMÃO NORUEGA

bipartidarismo Poucos partidos Muitos partidos

Primeiro sobre desiguais Primeiro entre desiguais Primeiro entre iguais

Governo de
Assembleia

 Características gerais Semipresidencialismo:


 Há um chefe de governo e um presidente, esse último com poderes expressivos.
 O presidente pode dissolver o parlamento.
 Cabe ao presidente nomear o primeiro ministro e, às vezes, demiti-lo.
 O presidente cuida da política externa do país.