Você está na página 1de 34

ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

Professor
Saimon Miranda Fagundes, Msc.

GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA ELÉTRICA

Tema abordado:
Estudo de proteção de sobrecorrentes e correntes de curto-circuito

em subestações de média tensão através de relés
microprocessados na rede de distribuição da concessionária
CELESC.

Joinville, SC
Setembro de 2013

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

1 RELÉS DE PROTEÇÃO

Para os relés de proteção de sobrecorrente, o princípio de


funcionamento é a monitoração da corrente que passa
por ele que irá acioná-lo o relé se ultrapassar a
corrente programada neste. Este princípio é o mesmo
desde os primeiros tipos de relé, os eletromecânicos,
até os atuais, os microprocessados.
Hoje em dia, devido ao avanço da eletrônica já existem
relés de proteção com vários tipos proteções em
somente um equipamento, como também existem relés
com somente uma ou duas funções.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

2 Exigências das concessionárias

Em novas instalações, com demanda superior a 300kW, a


proteção na rede primária através de um disjuntor
controlado por um relé eletrônico ou microprocessado.

Este estudo será focado nas normas de subestações da


concessionária CELESC, de Santa Catarina, a norma de
FORNECIMENTO DE ENERGIA EM TENSÃO PRIMÁRIA
DE DISTRIBUIÇÃO - NT01 – AT e o ADENDO 2 .

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

2 Exigências das concessionárias

Segundo Adendo 02 (2005, p. 03):

“4.2. Capacidade Instalada maior que 300 kVA


Em uma subestação com capacidade instalada maior que
300 kVA, a proteção geral na média tensão deve ser
realizada exclusivamente por meio de um disjuntor
acionado através de relés secundários com as funções
50 e 51, fase e neutro (onde é fornecido o neutro),
(Item 5.3.1.2. da NBR 14.039).”

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

3 COORDENAÇÃO DAS PROTEÇÕES SEGUNDO


NORMAS

Basicamente, deve ser feito um gráfico mostrando a


coordenação entre o relé secundário, as curvas do elo
fusível instalado na derivação da concessionária e o
religador da concessionária.
Sendo que o relé da empresa deve acionar o disjuntor
antes da queima do fusível e também do acionamento
do religador.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

3.1 Proteções ANSI

American National Standards Institute ("Instituto Nacional


Americano de Padronização"), também conhecido por
sua sigla ANSI, é uma organização particular
semelhante ao INMETRO e a IEC (International
Electrotechnical Commission).
E as funções dos relés de proteção foram definidas e
formalizadas pelo padrão ANSI e estes foram
absorvidos e amplamente utilizados por todo o mundo,
mesmo o IEC tendo algumas definições para os relés.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

3.1 Proteções ANSI

As principais proteções ANSI são:

25 - Check de Sincronismo;
32 – Direcional de potência;
50/51 - Sobrecorrente de fase instantânea e temporizada;
50/51N – Sobrecorrente instantânea e temporizada de
neutro ou terra;
55 – Fator de potência;
60 – Perda de potencial (balanço de tensão);
67 – Direcional de Sobrecorrente.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

3.2 Proteções 50/51 e 51/51N ANSI

O valor 50, significa Relé de Sobrecorrente Instantâneo,e


o valor 51 significa Relé de Sobrecorrente Temporizado.

Estas duas proteções também se aplicam a correntes de


neutro, daí tem-se a denominação 50N e 51N.

Estas são as proteções solicitadas pela concessionária e


que serão focadas neste estudo.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

3.3 Detalhes do estudo de proteção

Este estudo envolve muitos itens específicos desta forma


serão expostos de forma resumida, como geralmente
são citadas nas normas das concessionárias.

a) Ponto e Corrente ANSI

O “Ponto ANSI” é semelhante a Corrente ANSI, que é um


valor elevado de corrente que um transformador pode
suportar, durante certo período de tempo, sem que o
mesmo seja danificado.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

a) Ponto e Corrente ANSI

A corrente ANSI pode ser obtido pela equação:

Na prática todo o termo 100/Z% pode ser substituído pelo


Ponto ANSI em função da impedância percentual do
transformador e do tempo máximo que este suporta:
Z% Ponto Tempo máx. de
(Ω) ANSI (A) duração (s)
4 25 x In 2
5 20 x In 3
6 16,6 x In 4
7 14,3 x In 5
PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE
Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

b) Corrente de magnetização

A “Corrente de Magnitização” - Im - também conhecida


como corrente Inrush, é a própria corrente de
magnetização do transformador, assumi o valor de oito
vezes a corrente nominal.

c) Tipos de Curva da proteção Temporizada

Para trabalhar a proteção da curva 51, temos três opções:


curva Normalmente Inversa – NI, curva Muito Inversa –
MI e curva Extremamente Inversa – EI, que é uma
curva mais fechada, tendendo a ser uma reta.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

d) Corrente de tempo definido


Esta corrente é um recurso extra que pode ser inserido no
relé ou não. Este recurso define um valor de corrente
e o tem que que esta deve permanecer até o disparo
do TRIP.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4 Estudo de caso

A seguir é mostrado um resumo do estudo de proteção


para uma subestação de 500kVA.
A figura abaixo mostra o diagrama unifilar da SE que será
usada como exemplo.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.1 Cálculo das correntes de curto-circuito

Utilizando o diagrama unifilar da empresa, junto com o


Teorema de Fortescue, a representação por seqüência
do sistema e a representação de valores por unidade
(PU) é possível obter as equações das correntes de
curto-circuito conforme as ligações entre as
impedâncias em função de cada tipo de falta, conforme
do próximo slide.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.1 Cálculo das correntes de curto-circuito

Circuito equivalente para curto-circuito trifásico, bifásico e


fase-terra.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.1 Cálculo das correntes de curto-circuito

Em função destas ligações entre as impedâncias são


obtidas as equações para cada tipo de curto-circuito em
função da corrente de base.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.1 Cálculo das correntes de curto-circuito

a) Cálculo da corrente de curto-circuito fase-terra mínimo

Além das correntes de falta trifásicas, bifásicas e fase-


terra, as concessionárias também exigem o cálculo da
corrente de curto-circuito fase-terra mínimo.

Este cálculo é necessário devido a presença de


impedância no local da falta, pois esta falta pode ser de
uma amplitude muito pequena, daí a denominação
fase-terra mínimo.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

a) Cálculo da corrente de curto-circuito fase-terra mínimo

Circuito e equação para curto-circuito fase-terra mínimo:

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

a) Cálculo da corrente de curto-circuito fase-terra mínimo

Conforme a referência KINDERMANN, Geraldo. Curto-


Circuito, o valor de Zd é um problema de difícil solução.

Para o circuito em análise, cujo cabeamento do relé até o


transformador pode ser aéreo ou subterrâneo, a gama
de possíveis valores que pode ter é muito grande.

E neste cenário de possibilidades de valores para Zd, a


CELESC usa um valor de 100/3Ω para uma falta
monofásica fase-terra mínimo.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

b) Correntes Assimétricas

Devido ao fato de uma corrente de curto-circuito ser


composta por uma componente senoidal simétrica mais
uma componente contínua, esta corrente deve ser
multiplicada por um Fator de Assimetria para se obter
um valor mais próximo do real.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

b) Correntes Assimétricas

Este fator é obtido através


da relação entre a
reatância e a resistência
da impedância de curto-
circuito de seqüência
positiva onde ocorreu a
falta.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.2 Premissas do estudo

Os fatores de assimetria foram obtidos dos circuitos


equivalentes das respectivas faltas.

Para o caso em análise, a proteção e a transformação da


subestação se encontram na mesma edificação, muito
próximas e interligadas por barramentos. Desta forma,
foram desconsideradas impedâncias entre estes.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.2 Premissas do estudo

a) Dados fornecidos pela CELESC no ponto de entrega.

Tensão base 13,8 kV;


Potência base 100 MVA;
Modelo: Religador Cooper Eletrônico;
Ajuste de fase (A) : 320;
Ajuste de Neutro (A) : 35;
Impedância no ponto de entrega
Z1 = 1,76 + j3,09 pu Z0 = 2,55 + j10,1pu.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

b) Cálculo da corrente de partida da unidade temporizada.

Para esta corrente, foi usada a demanda máxima do


transformador que é de 500kW, fator de potência de
0,92 e um acréscimo de 30% no valor da corrente
nominal. Assim: In = 20,9A e In1.3 (x1.3/0.92) =
29,5A

Já na corrente do neutro, devido ao problema das


terceiras harmônicas e desequilíbrio de fase foi
estipulado, que a corrente fosse um terço do valor da
corrente de fase. Porém este valor pode ser modificado
em campo conforme situação de distorção harmônica
da empresa.
PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE
Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

c) Cálculo da corrente de magnetização e Ponto ANSI.

No cálculo da corrente de magnetização foi considerada a


corrente do transformador de 500kVA. A corrente de
magnetização é aproximadamente oito vezes o valor da
In. Desta forma:
Imag. = 167.3A

A determinação do ponto ANSI do transformador resultou


no seguinte valor: Pt ANSI = 242.2A.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

d) Correntes de Curto-Circuito calculadas.

Correntes de curto-circuito calculadas logo após o


transformador:

SECUNDÁRIO, V. base=13,8kV
PONTO
Transformador 500kVA

Icc3øsimét Icc3øassim Icc1øsimét Icc1ømin Icc1øassim


1
317A 439A 345A 186A 505A

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, Relé
Parametrização NT01 - CELESC
Curva da Fase Extremamente Inversa
100,00
Curvas Elo 10k 15k 25k 40k 65k

e) Coordenograma
de proteção. ANSI 50
430A
400A
ANSIANSI
51
29,5A
51
10,00

P.t. ANSI
363A
242A

DADOS:
In=52,3A
In=29,5A
INRUSH 0,1S=167A
0,1S=250A
ANSI 51=Curva IEC - EI dt=0,1s
1,00 ANSI 50=400A
50=430A (I instantânea)
Ponto ANSI=242A-3s
ANSI=363A-3s
Icc 3F=317A
3F=478A Curva de Proteção
Icc 3Fass.=439A
3Fass.=555A CELESC

Im(INRUSH)-0,1s
0,10
167A

Icc3F ASS
In=52,3A Icc3F
Icc3F
317A
371A

0,01
PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE
1 10 100 1000 10000
Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO
Parametrização 02, NT01 - CELESC
Relé
Curva da Neutro Muito Inversa
100,00

e) Coordenograma ANSI 50N


150A
DADOS:
ANSI 51=Curva IEC - MI dt=0,1s
ANSI 50=149A (I instantânea)
de proteção. Icc FT min=186A
Icc FT sim.=345A
Icc FT Assim.=505A
10,00 ANSI 51N
10A

1,00
CurvaProteção
CELESC

0,10

Icc3 F -T Icc F-T sim.


min 345A
186A
Icc F-T Asim.
505A

0,01
1 PROTEÇÃO DE10SISTEMAS ELÉTRICOS
100– PSE 1000 10000
Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.3 Valores Programados no Relé

a) Proteção de Fase
 A corrente de partida da unidade temporizada foi
aproximada;
 O tipo de curva e o dt da curva foram definidos pela
concessionária;
 A corrente instantânea e a de tempo definido tem o
mesmo valor. RELÉ 50/51 – FASE
Corrente de partida da unidade temporizada 29A
Tipo de curva E.I
dt da curva 0,1s
Partida tempo definido 200A
Tempo definido 0,1s
Corrente Instantânea da fase 400A
PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE
Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.3 Valores Programados no Relé

b) Proteção de Neutro
 A corrente de partida da unidade temporizada foi
estipulada em um terço da corrente nominal da fase
devido a problemas com a 3ª harmônica;
 A corrente instantânea e a de tempo definido tem o
mesmo valor.
RELÉ 50/51 – Neutro
Corrente de partida da unidade temporizada 10A
Tipo de curva M.I
dt da curva 0,1s
Partida tempo definido 150A
Tempo definido 0,1s
Corrente Instantânea da fase 150A
PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE
Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

4.3 Especificação Sumária

Para a especificação da compra de relés de proteção são


necessários os seguintes itens:

• Tensão de alimentação;
• Tensão de comando;
• Proteções ANSI;
• Demais características construtivas do equipamento;

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

5 Exercício de Sala- Cálculo das correntes de curto-


circuito

5.1 – Calcular as Icc trifásica simétrica e assimétrica, monofásica


simétrica e assimétrica e fase-terra mínimo para os seguintes
casos:
a) Antes do transformador;
b) No secundário do transformador.

- Tensão base 13,8 kV;


- Potência base 100 MVA;
- Impedância no ponto de entrega de Z1=(2+j5)pu e
Z0=(3+j15)pu;
- Transformador de 750kVA e Z = 5%.

PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE


Professor Saimon Miranda Fagundes
ESTUDO DE PROTEÇÃO CONFORME ANDENDO 02, NT01 - CELESC

Referências Bibliográficas

– KINDERMANN, Geraldo. Curto-Circuito. 2ª edição. Porto Alegre: Sagra Luzzatto,


1997.
– CENTRAIS ELÉTRICAS DE SANTA CATARINA S.A. – CELESC. NT01.
Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária de Distribuição.
Santa Catarina: CELESC, 2001.

– CENTRAIS ELÉTRICAS DE SANTA CATARINA S.A – CELESC. Adendo 02.


Adequação das Normas Técnicas NT-01-AT, NT-03 e Adendo a NT-03 a
revisão da Norma NBR 14.039 da ABNT. Santa Catarina: CELESC, 2005.

– COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS – CEMIG. ND5.4 Anexo A.


Metodologia para Ajuste de Proteção Secundária. Minas Gerais: CEMIG,
2005.

– PEXTRON. Manual de operação do Relé. URPE 7104 VERSÃO : 7.18. São


Paulo. 2007.
PROTEÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS – PSE
Professor Saimon Miranda Fagundes