Você está na página 1de 2

REGRAS DO MAPA MENTAL - METODOLOGIA GENIUS

1. CORES DIFERENTES
O uso de três ou quatro cores distintas (ex.: preta, vermelha, azul e verde) já é suficiente
para tomar as informações mais fixas na memória, mas nada impede que você faça uso de
quantas cores desejar.

2. ABREVIAÇÕES
O Economizamos tempo, tanto para escrever quanto para ler, quando fazemos uso de
abreviações e siglas. O Muitas palavras que escrevemos já são conhecidas por suas primeiras
letras. Ex.: Const. (Constituição). Inconst. (Inconstitucional) e Proc. (Processo).

3. LETRAS GRANDES
O Letras pequenas são enfadonhas, podem forçar a visão, trazendo problemas à saúde
ocular, além de estimular o “bicho preguiça”.

4. ESCREVER A PARTIR DO CENTRO


O Temos uma familiaridade mental mais aguçada quando escrevemos irradiando a
informação do centro da página, justamente pela modelagem mental utilizada em nosso
cérebro e também pela própria estrutura dos neurônios.

5. USAR IMAGENS
O Essa talvez seja a regra mais temida pelos alunos pela falsa impressão que se tem que é
necessária uma competência de cartunista para criar ícones e desenhos com qualidade.

CABECALHO
Todos os mapas mentais precisam ter um cabeçalho no topo da folha, com as seguintes
informações:
a. Matéria - que está sendo estudada
b. Assunto - ligado à matéria
c. Data - de elaboração do mapa, que servirá de
base para a transferência entre as CAIXAS
d. Número - que faz referência apenas ao
assunto, indicando a sequência em que este
foi registrado. A numeração independe de matéria ou data.

SISTEMÁTICA DE REVISÃO DOS MAPAS - MANTENDO TUDO


NA MEMÓRIA

METODOLOGIA DE REVISÕES
1. CAIXA DIÁRIA: TODOS OS DIAS DURANTE UM MÊS
2. CAIXA SEMANAL: UMA VEZ POR SEMANA POR UM MÊS
3. CAIXAQUIZENAL: A CADA QUINZE DIAS POR 2 MESES
4. CAIXA MENSAL: POR MÊS,DURANTE 6 MESES
5. CAIXA SEMESTRAL:
Passo a Passo
(Passo 01) Confesso que o primeiro passo para se fazer mapas mentais não tem nada a ver
com técnica ou regras e, sim, com ATITUDE. Sempre olhe para um determinado conteúdo ou
aula com a certeza de que você vai conseguir mapeá-lo, mantendo-o sempre vivo na
memória. Lembre-se de que quem “tenta” está se preparando para falhar.

(Passo 02) Leia o texto (algumas linhas ou um parágrafo) uma primeira vez para poder
entender o todo.

(Passo 03) Em uma segunda leitura, identifique(escreva no texto) numericamente a


quantidade de elementos (palavras e termos-chave) que o seu mapa terá.

(Passo 04) Olhe para a folha em branco e tente imaginar como o mapa ficará, organizando
cada ideia a ser registrada. Dedique espaço entre as informações e seja generoso com o local
para os desenhos. Lembre-se de que a letra a ser usada é três a quatro vezes maiores que o
usual (LETRÃO!).

(Passo 05) Coloque a informação principal no centro da folha, lembre-se de dedicar um


espaço também para o desenho central e demarque o local com um círculo ou elipse.

(Passo 06) Puxe uma seta para cada informação a ser anotada e insira um número
identificando a seqüência lógica do mapa. Preste atenção aos sub níveis e cuidado para não
sobrecarregar o mapa de elementos. Lembre-se de que, em cada mapa mental, cabem apenas
de três a cinco linhas de um texto. Sugere-se que as setas sejam sempre em curva.

(Passo 07) Escreva as palavras e termos-chave.

(Passo 08) Insira os desenhos, de forma simples e objetiva. Uma boa dica para se fazer o
desenho é imaginar como ele vai ficar na folha e ir aos poucos fazendo com uma lapiseira ou
lápis, para depois colorir. Com a prática, você perceberá que o desenho sai rápido e direto
com o lápis de cor ou hidrocor.