Você está na página 1de 30
ELEMENTOS DA FORMA
ELEMENTOS DA FORMA
ELEMENTOS DA FORMA

Elementos da Forma

Quando olhamos para uma forma, os elementos visuais que identificamos mais facilmente são o tamanho, a cor e a textura. Fazem parte da realidade dos objectos.

É

sobretudo

pelo

tamanho

que

diferenciamos

uma

laranja

de

uma

tangerina

A cor desta fruta é tão característica e constante que recebeu o nome de laranja

uma textura

A casca

da

laranja tem

recebeu o nome de laranja uma textura A casca da laranja tem inconfundível. Outros elementos visuais,

inconfundível.

Outros elementos visuais, pelo contrário, não podem ser identificados facilmente. Aprendemos a identificá-los e a representá-los através do pensamento e do desenho. Estes elementos “invisíveis” são o ponto, a linha, o plano e o volume.

através do pensamento e do desenho. Estes elementos “invisíveis” são o ponto, a linha, o plano

Elementos da Forma

ELEMENTOS “VISÍVEIS” • A cor desta fruta é tão característica e constante que recebeu o nome de laranja. • A casca da laranja tem uma textura inconfundível. • É sobretudo pelo tamanho que diferenciamos uma laranja de uma tangerina.

ELEMENTOS “INVISÍVEIS” • O centro da laranja é um ponto que localizamos facilmente, embora ele na realidade seja invisível. • Na laranja não existe uma linha de contorno, somos nós que a imaginamos entre o fundo e a sua superfície. • O corte da laranja define uma figura plana – um círculo – dividido em partes iguais (os gomos). • Percebemos que se trata de um volume esférico através das zonas de sombra e de luz.

em partes iguais (os gomos). • Percebemos que se trata de um volume esférico através das
O PONTO
O PONTO
ELEMENTOS DA FORMA
ELEMENTOS DA FORMA

O PONTO

O ponto é o elemento básico de representação. A partir dele, todos os outros elementos gráficos e visuais poderão ser representados, construídos e estudados.

. A partir dele, todos os outros elementos gráficos e visuais poderão ser representados, construídos e
. A partir dele, todos os outros elementos gráficos e visuais poderão ser representados, construídos e

O PONTO

Apesar de ser considerado como unidade básica e estar normalmente integrado em conjuntos que dão origem à forma visual, o ponto como elemento visual tem características próprias que lhe dão diferentes personalidades originando inúmeras combinações e composições gráficas e visuais com resultados muitas vezes surpreendentes e originais.

com resultados muitas vezes surpreendentes e originais. O termo Op art , também conhecido como optical
com resultados muitas vezes surpreendentes e originais. O termo Op art , também conhecido como optical

O termo Op art, também conhecido como optical art (arte

óptica), é usado para descrever alguns quadros e outras obras

de arte que usam ilusões ópticas.

Henri-Edmond Cross, Retrato de Madame Cross, 1901, óleo sobre tela, Museu d’Orsay, Paris, França

Bridget Riley, Loss, 1964
Bridget Riley, Loss, 1964

O PONTO

O

ponto, como

elemento

visual

autónomo, pode

ser

estudado e analisado segundo diferentes aspectos:

Tamanho, Forma, Quantidade, Agrupamento e ordenação,

que são designados por valores do ponto.

O PONTO

TAMANHO O PONTO pode ser pequeno, médio ou grande:

em relação a outros pontos

O PONTO pode ser pequeno, médio ou grande: em relação a outros pontos em relação a

em relação a outros elementos visuais

O PONTO pode ser pequeno, médio ou grande: em relação a outros pontos em relação a

O PONTO

O PONTO
O PONTO

O PONTO

FORMA

O PONTO pode adquirir diferentes tipos de formas, de acordo com o tipo de representação gráfica final pretendida:

Regular

de representação gráfica final pretendida: • Regular • Irregular • Geométrica • Livre  

Irregular

Geométrica

• Geométrica • Livre

Livre

 

Cheia

 

Vazia

pretendida: • Regular • Irregular • Geométrica • Livre   • Cheia   • Vazia

O PONTO

O PONTO

O PONTO

QUANTIDADE

O PONTO pode ser representado:

ISOLADO

O PONTO QUANTIDADE O PONTO pode ser representado: ISOLADO AGRUPADO

AGRUPADO

O PONTO QUANTIDADE O PONTO pode ser representado: ISOLADO AGRUPADO

O PONTO

AGRUPAMENTO

Quando em conjunto o PONTO pode ser representado:

AO ACASO

O PONTO AGRUPAMENTO Quando em conjunto o PONTO pode ser representado: AO ACASO ORDENADO

ORDENADO

O PONTO AGRUPAMENTO Quando em conjunto o PONTO pode ser representado: AO ACASO ORDENADO

O PONTO

AGRUPAMENTO

Quando agrupados os PONTOS em conjunto podem apresentar uma situação de:

DISPERSÃO

O PONTO AGRUPAMENTO Quando agrupados os PONTOS em conjunto podem apresentar uma situação de: DISPERSÃO CONCENTRAÇÃO

CONCENTRAÇÃO

O PONTO AGRUPAMENTO Quando agrupados os PONTOS em conjunto podem apresentar uma situação de: DISPERSÃO CONCENTRAÇÃO

O PONTO

O PONTO
O PONTO

O PONTO

Se organizarmos um conjunto de pontos de uma determinada maneira, podemos obter a configuração de um objecto, sem nunca esquecermos que são os pontos que dão forma a esse objecto e sem recorrermos a outro tipo de elementos visuais, tais como a linha.

que são os pontos que dão forma a esse objecto e sem recorrermos a outro tipo
que são os pontos que dão forma a esse objecto e sem recorrermos a outro tipo

O PONTO

O ponto quando adquire um valor próprio e autónomo pode dar origem a uma forma ou representação que habitualmente se obtém através de outros elementos visuais (linhas, claro/escuro, etc).

de outros elementos visuais (linhas, claro/escuro, etc). Georges Seurat, Camponês com enxada, c. 1882. óleo sobre

Georges Seurat, Camponês com enxada, c. 1882. óleo sobre tela, Guggenheim Museum, New York, NY, USA

1882. óleo sobre tela, Guggenheim Museum, New York, NY, USA Joan Miró, Azul II , 1961.

Joan Miró, Azul II, 1961. óleo sobre tela, 270x355cm, Museu Nacional de Arte Moderna, Centre Georges Pompidou, Paris, França

O PONTO

1

1 2 3

2

1 2 3

3

1 2 3

4

4 5 6

5

4 5 6

6

4 5 6

1e 4 - o ● na definição da forma 2 e 5 - o ● na definição da mancha 3 e 6 - o ● na definição de composições abstractas.

O PONTO

O PONTO
O PONTO
O PONTO
O PONTO

O PONTO

O PONTO
O PONTO
O PONTO

O PONTO

O PONTO
O PONTO

O PONTO

O PONTO Pontilhismo Técnica de pintura desenvolvida cerca de 1855 por Georges Seurat, usando pequeninos pontos

Pontilhismo

Técnica de pintura desenvolvida cerca de 1855 por Georges Seurat, usando pequeninos pontos de cor pura, não misturada.

Vista à distância os pontos parecem misturar-se criando um efeito cromático.

Henri-Edmond Cross, Cabelo, c. 1892, óleo sobre tela, 61 x 46 cm, Museu d'Orsay, Paris, França

O PONTO

O PONTO Georges Seurat, O circo, 1890-91, óleo sobre tela, Museu d'Orsay, Paris, França
O PONTO Georges Seurat, O circo, 1890-91, óleo sobre tela, Museu d'Orsay, Paris, França

Georges Seurat, O circo, 1890-91, óleo sobre tela, Museu d'Orsay, Paris, França

O PONTO

GEORGES SEURAT

O PONTO GEORGES SEURAT
O PONTO GEORGES SEURAT

O PONTO

HENRY-EDMOND CROSS

O PONTO HENRY-EDMOND CROSS
O PONTO HENRY-EDMOND CROSS

O PONTO

O PONTO Trabalho de aluno baseado numa pintura de Cézanne

Trabalho de aluno baseado numa pintura de Cézanne

O PONTO

O PONTO Trabalho de aluno (colagem com pequenos pontos de papel)

Trabalho de aluno (colagem com pequenos pontos de papel)