Você está na página 1de 20

FACULDADE DE ENGENHARIA E NOVAS TECNOLOGIAS

MESTRADO EM ENGENHARIA INFORMÁTICA

ESPECIALIDADE EM GESTÃO DE REDES DE COMPUTADORES E SISTEMAS DE COMUNICAÇÕES

TÓPICOS AVANÇADOS DE REDES DE DADOS SEM FIO

DOCENTE: Phd. Wilfredo Falcón Urquiaga

LUANDA, AOS 16 DE MARÇO DE 2020


1. Nuno Romualdo Sebastião
2. Paulo André Ganga
3. Pedro Felipe P. Bunga
4. Silva Mavungo
5. Suzarit Sebastião dos Santos Sebastião
 INTRODUÇÃO
 IEEE 802.11g e IEEE 802.11n
 CARACTERÍSTICAS DE IEEE 802.11g e IEEE 802.11n
 Frequência
 Largura de Banda
 Velocidade
 FORMATO DE PACOTE – IEEE 802.11g e IEEE 802.11n
 MULTIPLEXAÇÃO E MODULAÇÃO
 VANTAGEM E DESVANTAGEM
 ACESSO AO MÍDIA
 CONCLUSÃO
Com a união das Empresas das novas tecnologias como: 3Com, Nokia, Alcatel-Lucent e
Symbol Technologies da Motorola criaram a padronização da rede sem fio. Em 1999
nasceu a Wireless Compatibility (WECA) e com o aumento desta tecnologia no mundo fez
com que em 2003 passasse a se chamar Wi-Fi Alliance.

A WECA trabalha com as especificações IEEE 802.11 (Institute of Electrical and


Electronics Engineers) tendo como principal característica a radiofrequência sem a
necessidade do uso de um protocolo específico para a comunicação de redes sem fio.

IEEE 802.11 é um conjunto de padrões sem fio que regem os métodos de transmissão na
rede. Actualmente, são usados em versões 802.11a, 802.11b, 802.11g, 802.11n e
802.11ac para fornecer conectividade sem fio em residências, escristórios e alguns
estabelecimentos comerciais.
O IEEE 802.11g foi lançado em junho de 2003, herdou algumas características dos
padrões IEEE 802.11a e IEEE 802.11b com uma capacidade de atingir altas taxas de
dados com uma velocidades de 54 Mbps.

O IEEE 802.11n foi lançado em Setembro de 2003 para aperfeiçoar o 802.11g com o

objetivo de fornecer o rendimento útil de pelo menos 100 Mbps.


Frequência
• IEEE 802.11g: A faixa de operação desta tecnologia inicia-se em 2.4 Ghz com finalização em
2.4835Ghz.

• IEEE 802.11n: A faixa de operação desta tecnologia inicia-se em 2.4 Ghz e 4.915Ghz e com
finalização em 2.4835Ghz e 5.825Ghz.

Largura de Banda
• IEEE 802.11g: utiliza 20 Mhz por canal;

• IEEE 802.11g: utiliza a mesma taxa de downlink e uplink 54Mbit/s compartilhado, com o IEEE
802.11n porém, o 802.11n pode ainda exceder aos 100Mbit/s.
Largura de Banda
• IEEE 802.11n: utiliza de 20/40 Mhz.

Velocidade
• IEEE 802.11g: pode trabalhar com a velocidade de até 54Mbps.

• IEEE 802.11n: permite a utilização de até quatro fluxos de dados de cada vez isto é quatro antenas
no transmissor e quatro antenas no receptor (4x4). Em termos teoricos significa que tem um
máximo de taxa de dados de 600 Mbps por chip (150Mbps por fluxo de dados). A velocidade real é
de até 300Mbps, o que faz com que acelera o trafego dos dados.
• A estrutura do quadro da camada física (PHY), usa transmissões intermitentes ou pacotes. Cada
pacote contém um preâmbulo, cabeçalho e dados de carga útil (Tab.1) onde o preâmbulo permite
que o receptor obtenha sincronização de tempo e frequência para estimar as características do
canal para equalização(travar no restante a transmissão). O cabeçalho fornece informações sobre a
configuração de pacotes tal como o formato, taxas de dados, etc. Finalmente os dados da carga útil
que contêm os dados da carga útil do usuário transportado.

Tab.1 - Cada pacote PHY contém um preâmbulo, cabeçalho e dados de carga útil
O padrão 802.11g apresenta como modos de operação o preâmbulo retratando os campos de
treinamento curto e longo, e sinal. Na carga útil temos as subportadoras.
Fig.1 - Formato de pacote 802.11g

Tab.2 - Formato de pacote 802.11g


O padrão 802.11n apresenta 3 modos de operação com os clientes: o Modo (ou Formato) Legado,
Modo (ou Formato) Misto e o Modo (ou Formato) de Alto desempenho (High Throughput – HT ou
Greenfield mode).

Tab.3 - Formato de pacote 802.11n


Fig.3 - Formato de pacote HT 802.11n - Greenfield
(GF)

Fig.2 - Formato de pacote HT 802.11n - Formato misto


(MF)
• Multiplexação consiste na combinação de dois ou mais canais de informação por
apenas um meio de transmissão.

• Modulação é a modificação de um sinal eletrónico inicialmente gerado, antes de ser


irrado, de forma que este transporte informação sobre uma onda portadora.

• Os clientes 802.11g selecionam entre o maior intervalo possível de taxas de dados


OFDM(Multiplexação de divisão de frequência ortogonal) de 54, 48, 36, 24, 18, 12, 9 e 6
Mbps e como esquema de modulação de 64QAM e 16QAM. As taxas de dados 11, 5,5
Mbps utilizam o DSSS(propagação direta da sequência) e, como esquema de
modulação o CCK(codificação complementar de código). Para as taxas de dados mais
baixas 1 e 2 Mbps, o esquema de modulação utilizado é BPSK(chamada de mudança de
fase binária) e QPSK(chaveamento de mudança de fase em quadratura). A seleção da
taxa de dados é uma troca entre obter a maior taxa de dados possível enquanto tenta
minimizar o número de erros de comunicação para que os clientes comuniquem-se na
melhor velocidade possivel.
• Usa a modulação CCk para permitir a compatibilidade com versões anterioes e, o OFDM para
obter melhor taxa de transferência a uma determinada distância.

• A taxa de transferência não é a mesma que a taxa de dados dos sistemas de rede, devido à
sobrecarga, ambiente e composição da rede. O desempenho é melhor em ambientes onde um
ponto de acesso 802.11g (AP-Acces Point) comunica-se apenas com clientes 802.11g em uma
WLAN homogênea. Nesses ambientes, a taxa de dados em um raio de 22.860m é de 54 Mbps e a
taxa de transferência é de 22 a 24 Mbps ao usar o TCP (Transmission Control Protocol).

• RTS/CTS e CTS-to-self são métodos de sinalização para solicitação de envio (RTS-Requisição


para envio) para que a informação chegue com clareza (CTS-Livre para enviar). O mecanismo
CTS para autoproteção fornece uma taxa de transferência TCP máxima de 14,7 Mbps.

Tab.4 - Rendimento máximo esperado para o ambiente IEEE 802.11g


• O EVM(magnitude do vetor de erro) demostra que o aumento da potência de transmissão tende a
diminuir o alcance do dispositivo em altas taxas de dados conforme tabela abaixo.

Tab.5 - Alcance do padrão 802,11g em relação à taxa


de transmissão

Tab.6 - Modulação de dados e combinações de


codificação (FEC)
• O IEEE 802.11n permite uma modulação e codificação mais eficiente do que seus
predecessores, com capacidade de empacotar mais informação em cada subportadora. Isto se
deve ao fato de dispor de um conjunto muito mais amplo de taxas de modulação o que
proporcionou um aumento acentuado na taxa de transferência (de 20 Mbps para cerca de 200
Mbps, na prática), bem como na faixa de recepção (através da redução do desbotamento do
sinal). Múltiplas antenas, ou MIMO (Multiple-Input, Multiple-Output), é a principal inovação
usada para obter esses benefícios permitindo o aumento da potência do sinal.

• Com a implementação do MIMO no padrão 802.11n tornou-se a utilização de energia maior,


pois o consumo de energia pelo dispositivo aumenta já que utiliza múltiplas antenas para
recepção e transmissão de dados.
• Para alcançar altas taxas de transmissão, o 802.11n combina uma série de melhorias na
camada física, começando com a redução do intervalo entre as transmissões ou intervalo de
guarda de 800ns para 400ns que, fornece um ganho de aproximadamente 11% em sua taxa de
transmissão. Outra melhoria é o aumento do número de sub-portadoras de dados de 48 para 52
portadoras, resultando em um ganho proporcional na taxa de transmissão. Com ambas
podemos alcançar uma taxa de transmissão de 72,2Mbps em um único canal.
• As melhorias físicas descritas anteriormente aumentaram o máximo da taxa de dados mas, fazem
uso ineficiente do espectro eletromagnético, sem as melhorias da camada MAC. A primeira melhoria
é a confirmação de bloco. A segunda, qualidade de serviço (QoS) para suportar aplicações
sensíveis a atrasos. A terceira, mudança de largura de banda de canal. A quarta, melhor gestão dos
recursos.

Tab.7 - Alcance do padrão 802,11g em relação à taxa de transmissão


Prós do 802.11n:
• Velocidade máxima mais rápida e melhor alcance de sinal;
• Mais resistente a interferência de sinal de fontes externas;
• Rendimento muito elevado (algumas centenas de Mbps);
• Alcance a longas distâncias em altas taxas de dados;
• Prover meios que permitissem a interoperabilidade desse novo padrão com as tecnologias
antecessoras.
Contras do 802.11n:
• Ainda não está finalizado
• Custa mais do que 802.11g
• O uso de múltiplos sinais podem interferir muito com redes próximas.
As redes de comunicação sem fio estão em constante crescimento, o que tem vindo a
provocar um grande impulso nas empresa de tecnologias de informação e comunicação. Com
o passar do tempo nota-se que as versões de programas ou ainda serviços virtuais, precisam
ser atualizados de tempo a tempo. O surigimento da tecnologia Wi-Fi, tem como
especificação o padrão IEEE 802.11. Este padrão, tem como caracteristica principal a não
utilização de cabo.

IEEE 802.11 é uma tecnologia de radiofrequência, na qual os padrões estudados são a


versão 802.11g que utiliza uma frequência de 2.4 Ghz e técnica de transmissão DSSS e
OFDM e o padrão 802.11n aperfeiçou a banda larga do 802.11g com a tecnologia MIMO, que
permite a utlização de várias antenas de recepção e transmissão.
MUITO OBRIGADO