Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS

CENTRO DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS


CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

PLANO DE ENSINO

SEÇÃO 1. CARACTERIZAÇÃO COMPLEMENTAR DA TURMA/DISCIPLINA

Disciplina: SOCIOLOGIA BRASILEIRA

Professora Responsável: Priscila Martins Medeiros

Objetivos da Disciplina:
a) Conhecer o contexto de surgimento da Sociologia Brasileira de consolidação
científica da área nas universidades.
b) Possibilitar aos estudantes o contato com os principais autores da Sociologia
Brasileira.
c) Abordar os principais temas do contexto de surgimento do Pensamento Social
Brasileiro, entre eles: Abolição da Escravatura; Nação e Identidade Nacional;
Formação do Povo Brasileiro; Processo de Modernização; Crise de Transição da
Sociedade Brasileira (rural/urbano).
d) Possibilitar ao estudante interpretar o contexto sócio-político e cultural brasileiro
através de olhares micro e macrossociológicos, além de permitir a comparação, ao
longo da disciplina, dos diferentes métodos de investigação e das conclusões de
cada autor.

Ementa da Disciplina:

Número de créditos: Teóricos (4); Práticos (0); Estágio (0); Total (4)
Caráter de Oferecimento: Obrigatório

SEÇÃO 2. DESENVOLVIMENTO DA DISCIPLINA

Tópicos / Duração

Aulas (4 horas/aula cada):

1ª aula: Apresentação da disciplina e sistematização dos grupos para os seminários.

2ª aula: CANDIDO, Antônio. A Sociologia no Brasil. Tempo Social: Revista de


sociologia da USP, vol.18, n.01, 2006, p.271-301.

3ª aula: FREYRE, Gilberto. Características gerais da colonização portuguesa do Brasil:


formação de uma sociedade agrária, escravocrata e híbrida. In.: Casa Grande & Senzala:
Formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51ª ed. Ver. – São
Paulo: Ed. Global, 2006. (seminários)

4ª aula: FREYRE, Gilberto. O sentido em que se modificou a paisagem social do Brasil


patriarcal durante o século XVIII e a primeira metade do século XIX. In.: Sobrados e
Mucambos: Decadência do patriarcado e desenvolvimento do urbano. 15ª ed. Ver. –
São Paulo: Ed. Global, 2004. (seminários)

5ª aula: HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras,
1995. (seminários)

6ª aula: PRADO Jr. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. 1ª ed. São Paulo:
Companhia das Letras, 2011. (seminários)

7ª aula: FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho. Homens livres na ordem escravocrata.


4ªed. São Paulo: Ed. Unesp, 1997, p.65-166. (seminários)

8ª aula: FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de


interpretação sociológica. 5ª ed. São Paulo: Ed. Globo, 2006. (seminários)

9ª aula: FERNANDES, Florestan. Heteronomia Racial na Sociedade de Classes. In.: A


integração do Negro na Sociedade de Classes: O legado da “raça branca”. Vol. 1. São
Paulo: Ed. Dominus, 1965. (seminários)

10ª aula: RAMOS, Guerreiro. Introdução crítica à Sociologia Brasileira. Rio de Janeiro:
Andes, 1957. (seminários)

11º aula: CARDOSO, Fernando Henrique. Empresário industrial e desenvolvimento


econômico no Brasil. São Paulo: Difel, 1964, p.124-158. (seminários)

12ª aula: IANNI, Octávio. A crise de paradigmas na Sociologia. In: Revista Crítica de
Ciências Sociais. Nº 32, Junho de 1991. (seminários)

13ª aula: Aula de revisão

14ª aula: Prova Escrita, sobre todo o conteúdo do semestre.

15ª aula: Prova substitutiva, para substituir a menor das três notas das avaliações anteriores.

Estratégias de Ensino:
a) Aulas expositivas, contextualizando os autores, seus temas, influências teóricas e
contribuições para a Sociologia Brasileira.
b) Seminários realizados sempre com dois grupos por aula: um deles fica responsável
pela apresentação do texto da aula, com temas, conceitos e argumentos; o outro
contextualiza a obra, relacionando-a com outros autores, com exemplos do
cotidiano e fomentando perguntas ao grupo anterior.
c) Apresentação de filmes e documentários nos temas das aulas para subsidiar os
debates.
d) Visita ao acervo "Florestan Fernandes", da Biblioteca Comunitária da UFSCar.

Atividades dos Alunos:


a) Leitura da bibliografia recomendada
b) Apresentação de seminários, tanto apresentando texto, quanto debatendo.
c) Participação ativa nas aulas, com no mínimo 75% de frequência
d) Realização de prova escrita e de relatório.

Recursos a serem utilizados:


a) Lousa e giz
b) Recursos audiovisuais (Datashow)
c) Recursos midiáticos (filmes e documentários)
d) Revistas eletrônicas da área de Sociologia
e) Matérias jornalísticas

Procedimentos de Avaliação do aprendizado dos alunos:


A avaliação do aprendizado de cada aluno será feita a partir de notas atribuídas às seguintes
atividades:
Nota 1) Seminário em grupo, que sempre se realizará com a participação de dois grupos por
aula: o primeiro apresenta o texto, os argumentos centrais, conceitos e principais
contribuições dos autores para a Sociologia Brasileira; o segundo grupo fomenta o debate,
trazendo perguntas ao primeiro, além de relacionar o texto com outros materiais e com o
cotidiano. Todos os estudantes participarão das duas funções: apresentação do texto e o
debate. O seminário valerá de zero a cinco pontos e o debate também valerá de zero a cinco
pontos, o que totalizará, ao final, até 10 pontos.
Nota 2) Relatório realizado em grupo, baseado na experiência de debate.
Nota 3) Prova individual sobre os conteúdos de toda a disciplina

Haverá Avaliação Complementar de Recuperação (ACR), conforme a Portaria GR nº


522/06, de 10 de novembro de 2006, art. 14:

O processo de avaliação complementar deverá ser realizado em período subseqüente ao


término do período regular de oferecimento da disciplina. São pressupostos para a
realização da avaliação complementar de recuperação que:
I - o estudante tenha obtido na disciplina/atividade curricular, no período letivo regular,
nota final igual ou superior a cinco e freqüência igual ou superior a setenta e cinco por
cento;

II - sejam estabelecidos prazos para que essa avaliação se inicie e se complete


em consonância com o conjunto da sistemática de avaliação proposta para a
disciplina/atividade curricular;

III - o resultado dessa avaliação complementar seja utilizado na determinação da nova nota
final do estudante, na disciplina/atividade curricular, segundo os critérios previstos na
sistemática de avaliação, a qual definirá a sua aprovação ou não, conforme estabelecido no
artigo 12.

A professora disponibilizará duas horas semanais para atendimento extraclasse. Também


haverá a presença de um estagiário, que contribuirá com os estudantes realizando
monitorias.

BIBLIOGRAFIA BÁSICA (disponível na BCO ou livremente na internet):

CANDIDO, Antonio. A sociologia no Brasil. Tempo Social: Revista de sociologia da


USP, vol.18, n.01, 2006, p.271-301.

CARDOSO, Fernando Henrique. Empresário industrial e desenvolvimento econômico


no Brasil. São Paulo: Difel, 1964, p.124-158.

FRANCO, Maria Sylvia de Carvalho. Homens livres na ordem escravocrata. 4ªed. São
Paulo: Ed. Unesp, 1997, p.65-166.

FERNANDES, Florestan. A revolução burguesa no Brasil: ensaio de interpretação


sociológica. 5ª ed. São Paulo: Ed. Globo, 2006.

FERNANDES, Florestan. Heteronomia Racial na Sociedade de Classes. In.: A integração


do Negro na Sociedade de Classes: O legado da “raça branca”. Vol. 1. São Paulo: Ed.
Dominus, 1965.

FREYRE, Gilberto. Características gerais da colonização portuguesa do Brasil: formação


de uma sociedade agrária, escravocrata e híbrida. In.: Casa Grande & Senzala: Formação
da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 51ª ed. Ver. – São Paulo: Ed.
Global, 2006.

FREYRE, Gilberto. O sentido em que se modificou a paisagem social do Brasil patriarcal


durante o século XVIII e a primeira metade do século XIX; O sobrado e o mucambo. In.:
Sobrados e Mucambos: Decadência do patriarcado e desenvolvimento do urbano. 15ª
ed. Ver. – São Paulo: Ed. Global, 2004.

IANNI, Octávio. A crise de paradigmas na Sociologia. In: Revista Crítica de Ciências


Sociais. Nº 32, Junho de 1991.

HOLANDA, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

PRADO Jr. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. 1ª ed. São Paulo: Companhia
das Letras, 2011.
RAMOS, Guerreiro. Introdução crítica à Sociologia Brasileira. Rio de Janeiro: Andes,
1957.

SOUZA, Jessé. A construção social da subcidadania: por uma Sociologia Política da


Modernidade Periférica. Belo Horizonte: Editora UFMG / Rio de Janeiro: IUPERJ, 2003,
p.92-188.