Você está na página 1de 8

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

CURSO DE BIOMEDICINA

RELATÓRIO AULA 3 - REATIVIDADE DOS METAIS FRENTE A UMA FONTE


DE ENERGIA TÉRMICA

Jacqueline Elias Costa – 201903389801


Vitória Meireles Reeve – 201803374446
Ana Caroline
Dhandara

Matéria: Química Biológica


Professora: Andrea Delatorre

MACAÉ

MARÇO DE 2020
INTRODUÇÃO

Os átomos em seu estado fundamental são eletricamente neutros, porque as


partículas positivas em seu núcleo se anulam com as partículas negativas presentes na
eletrosfera.

Durante o processo de perda ou ganho de elétrons são formados íons, átomos


carregados eletricamente que apresentam o número de prótons diferente do número de
elétrons, assim as cargas podem ser positivas ou negativas. Esse fenômeno de perda e
ganho pode ser observado, uma vez que fornecendo energia a um átomo, é possível ver
através de ondas magnéticas.

Usando os princípios da Bohr, que consiste em identificar alguns fatores que


causam o uso de calor aos praticados Se no entanto um elétron for submetido a um fonte
de energia adequada (calor, luz, etc.), pode sofrer uma mudança de um nível mais baixo
para outro de energia mais alto (excitação). O estado excitado é um estado metaestável
(de curtíssima duração) e, portanto, o elétron retorna imediatamente ao seu estado
fundamental.

OBJETIVO

O experimento tem como objetivo identificar os elementos químicos através da


cor da chama.
MATERIAIS UTILIZADOS

● Alça de platina;
● Tubo de ensaio;
● Bico de Bunsen;
● Espátula;
● Pipeta;
● Vidro de relógio.

REAGENTES

● Cloreto de Cobalto;
● Cloreto de Bário;
● Cloreto de Cobre;
● Cloreto de Sódio;
● Cloreto de Potássio;
● Cloreto de Cálcio;

● Ácido Clorídrico – HCl.


PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL

Foi aceso o bico de Bunsen, ajustado até que a chama possua coloração azul, em
seguida foi colocado a alça de platina em contato com a chama até que seja aquecido
completamente, depois imergido no béquer com ácido clorídrico para limpar a ponta de
restos anteriores.

O primeiro reagente utilizado foi o cloreto de Potássio, uma pequena quantidade


foi levada ao bico de Bunsen, onde foi possível ver a cor violeta.

Entre os testes dos reagentes foi feita a limpeza da alça de platina com o ácido
clorídrico.

O mesmo procedimento foi realizado com outros cinco reagentes, onde foi
observado uma cor diferente para cada elemento:
O segundo reagente foi o cloreto de Cálcio onde vimos a cor vermelha.

O terceiro reagente usado foi o cloreto de Cobre e foi possível ver a cor verde.
O quarto reagente foi o cloreto de Sódio nesse percebemos um tom mais pro
alaranjado.

O quinto foi o cloreto de Bário e foi possível ver a cor amarela mais fraquinha.
O sexto reagente foi o cloreto de Cobalto, esse mostrou um amarelo com
faíscas.

E por fim, foi feita uma mistura de todos os reagentes, que resultaram em uma
chama colorida.
CONCLUSÃO

Observamos que a temperatura da chama do bico de Bunsen é suficiente para


excitar uma quantidade de elétrons de certos elementos que emitem luz ao retornarem
ao estado fundamental de cor e intensidade, que podem ser detectados com considerável
certeza e sensibilidade através da observação visual da chama.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Você também pode gostar