Você está na página 1de 2

MIN 225 – Estabilidade de Escavações Subterrâneas

Sistemas de Atirantamento - Dimensionamento empírico de ancoragens


1 - Conforme Weiis et al. (2004), o Coal Mine Roof Rating (CMRR) pode ser utilizado para determinação do
comprimento e da capacidade de carregamento de parafusos de ancoragem em minas de carvão. A determinação
parte da divisão do teto da escavação em intervalos mínimos de no mínimo 0,15 m de espessura, da
determinação das estruturas geológicas presentes e da determinação do CMRR, a partir da freqüência das
descontinuidades (inverso do espaçamento). A espessura mínima (m) do estrato ou porção de rocha para
satisfazer a condição de ancoragem é de 0,30m. O comprimento de ancoragem depende ainda da diagonal do
cruzamento de galerias (ISG) e é dado por:
La = (ISG / 13 ) x log m x [ ( 100- CMRR) / 100 ] 1,5
A capacidade linear de carregamento de parafusos (tf/m) é dada por:
Pmin = 5,7 log m – 0,35 CMRR + 6,5
2 - Proposta: Projetar, de acordo com o arco de pressão definido pela teoria de Protodyakonov, o sistema de
atirantamento do teto de uma galeria a ser escavada em quartzito pouco fraturado. O teto (abóbada) tem a forma
de um arco de círculo. Propõe-se que sejam utilizados tirantes com ancoragem com argamassa de resina. São
dados: ângulo de atrito interno do quartzito (φ) – 48º, peso específico (γ) – 2,5tf/m 3, largura da galeria (L) – 5m,
altura da galeria (a) – 3m, raio do arco de círculo na abóbada (r) – 2,9m, afastamento entre as linhas de tirantes
(d) – 1,0m. Fator de segurança para o limite elástico da haste (S) – 2,0.
Tirantes disponíveis
Parâmetro Tipo I Tipo II Tipo III
Limite elástico assegurado – Te (tf) 14 16 18
Diâmetro da haste – Dh (mm) 16 17 18
Comprimentos -qualquer tipo- l (m) 1,5; 1,8; 2,1; 2,4; 2,7; 3,0

Cartuchos de resina
Comprimento – Lc 50 cm
Diâmetro – Dc (mm) 28; 33; 39; 42
Capacidade de ancoragem específica –Ae (kgf/cm2) 22,7

O comprimento do trecho de ancoragem (La) é dado por:


La = S’ C/ (Ae π Df)
Onde: S’ é o fator de segurança para ancoragem de resina (recomendado: 1,5)
C = carga de trabalho do tirante,
Df = diâmetro do furo
Deverão ser indicados:
a) o no. de tirantes por linha (n) e seu espaçamento (e),
b) o tipo de tirante e seu comprimento (l),
c) o diâmetro dos furos
d) a protensão (T) a ser aplicada,
e) o diâmetro dos cartuchos e o número de cartuchos por furo
Formulário de Protodyakonov
Largura do arco de pressão: b = 2 x a x tg (45 – φ/2) + L
Diferença entre altura do arco de pressão e altura da galeria (parte retilínea): H = b / (2 tg φ)
Carga linear na abóbada (por metro de galeria) : P = (γ b2 / 3 tg φ) – f γ L/2 )
Critérios para dimensionamento
- tirantes deverão ultrapassar o arco de pressão no mínimo 0,5m;
- densidade de aplicação de tirantes por m 2 (D): em rochas pouco fraturadas – 0,7; em rochas medianamente
fraturadas – 0,9; em rochas muito fraturadas – 1,0;
- espaçamento e afastamento de tirantes no máximo 1,5m;
- carga admissível por tirante (Tad): Tad = Te / S;
- tirantes serão protendidos até um valor correspondente ao peso médio de rocha sustentado.
Solução
A) 1. Geometria do arco de pressão
b = 2 a tg (45 – φ/2) + L = 2 x 3x tg (45 – 48/2) + 5 .: b = 7,3m
H = b / (2 tg φ) = 7,3 / (2 tg 48) .: H = 3,3m
f = r – OA
OA = [r 2 – (L/2 )2] ½ = [2,9 2 – 2,5 2] ½ . : OA = 1,5m
f = 2,9 – 1,5 .: f = 1,4m
h = H – f = 3,3 – 1,4 .: h = 1,9m
2. Carga linear na abóbada
P = (γ b2 / 3 tg φ) – f γ L/2 ) = (2,5 x 7,3 2/ 3 tg 48) – 1,4 x 2,5 x 2,5) .: P = 31,2 tf / m
3. Perímetro de ancoragem (l’)
l ‘= ( θ / 360 ) x 2 π r; onde θ é o ângulo interno correspondente ao arco de círculo da abóbada
θ/ 2 = arc tg (L/2) / OA .: θ = 2 arc tg 2,5 / 1,5 .: θ = 118º
l ‘= ( 18/360) x 2 π x 2,9 .: l’= 6,0m

4. Malha de atirantamento
D = 0,7 tirantes / m2 ( rocha pouco fraturada) ou A (área por tirante)= 1,43 m2 / tirante
Como A = e x d, fixando d= 1,0m, temos e = 1,43m
Número de tirantes por linha (n)
n = l’/ e = 6,0 / 1,43 = 4,2 (usaremos 4 ou 5 tirantes?)
n d e A D
4 1,0 1,5 1,5 0,7
5 1,0 1,2 1,2 0,8
então podemos usar n = 4
B ) Escolha do Tirante
comprimento do tirante: lb≥ h + 0,5 .: l b= 2,4m
carga de trabalho < = limite elástico admissível da haste : C <= T ad
C=Pd/n
T ad = Te / S .: Te ≥ Pds / n = 31,2 x 1,0 x 2 / 4 .: Te ≥ 15,6tf
------- tirante tipo II (Te = 16tf, Dh = 17 mm)
Ajuste da malha:
d <= (Te x n) / (P x S) .: d < = (16 x 4) / (31,2 x 2) .: d = 1,0m (OK!)
C ) Diâmetro dos furos
Df = Dh + (5 a 10mm) – recomendação prática --- > Df = 27mm
D ) Protensão
C = P d / n = 31,2 x 1,0 /4 = 8 - Então T = 8tf

E ) Cartuchos
Recomenda-se no uso de resina, um excesso de 10% de resina
Então: Dc 2 = 1,1 (Df 2 – Dh 2) = 1,1 (27 2 – 17 2) .: Dc = 22mm --- disponível 28mm -- Df = 33 a 38mm,
adotaremos Df = 36mm

Trecho de ancoragem : la = S’ C / (Ae π Df)


la = = 1,5 x 8 / (22,7 π 3,6 .: la = 47,4cm
O número de cartuchos será: n’ = la / lc = 47,4 / 50 -- 1 cartucho

Referências
Weiis et al. (2004), Revista Escola de Minas (REM)
Redaelli, L. Nova Teoria e novos métodos de atirantamento. ABGE, pp. 2. 1987.
Congresso Brasileiro de Mina Subterrânea. IBRAM. Belo Horizonte. Anais. 2000, 2002, 2004, 2006, 2008.
Bise. Mining Engineering Analysis, p. 86-87.
Mine Planning and Equipment Selection, 1994, p. 541-545, 615-617.