Você está na página 1de 3

Aula de Língua Portuguesa IV – dia 26 de novembro de 2019

FIGURAS DE SINTAXE OU FIGURAS DE CONSTRUÇÃO


As figuras de sintaxe são utilizadas para modificar um período, isto é, interfe-
rem na estrutura gramatical da frase, com o intuito de oferecer maior expressividade
ao texto. Assim, as figuras de sintaxe operam de diversas maneiras na frase, seja na
inversão, repetição ou na omissão dos termos. Abaixo explicaremos as funções de
cada figura de sintaxe.
Elipse
A elipse é a omissão de um ou mais termos, os quais não foram expressos
anteriormente no discurso, entretanto, que são facilmente identificáveis pelo interlo-
cutor (receptor). Exemplo: No segundo quadrinho o pronome é elidido.

Zeugma

A zeugma é um tipo de elipse, uma vez que há omissão de um ou mais ter-


mos na oração, sendo um recurso utilizado para evitar a repetição de verbo ou subs-
tantivo. Exemplo: “Eu gosto de morango e de melancia também”. Nesta frase, a
repetição do verbo “gosto” está implícita, mas conseguimos entender a frase tão
bem quanto se estivesse escrito: “Eu gosto de morango e gosto de melancia tam-
bém”.
Silepse
Na silepse há concordância da ideia e não do termo utilizado. São classificadas
em: Silepse de Gênero, quando ocorre discordância entre os gêneros (feminino e
masculino); Silepse de Número, quando ocorre discordância entre o singular e o plu-
ral; Silepse de Pessoa, quando ocorre discordância entre o sujeito, que aparece na
terceira pessoa, e o verbo, que surge na primeira pessoa do plural. Exemplos: “Vi-
vemos na bonita e agitada São Paulo”. (Silepse de gênero: Vivemos na bonita e
agitada cidade de São Paulo); “A maioria dos clientes ficaram insatisfeitas com o
produto”. (Silepse de número: A maioria dos clientes ficou insatisfeita com o produ-
to.); “Todos terminamos os exercícios”. (Silepse de pessoa: neste caso concordân-
cia com nós, em vez de eles: Todos terminaram os exercícios.).
Assíndeto
Assíndeto corresponde a uma conjunção coordenativa utilizada para unir ter-
mos nas orações coordenadas. Caracteriza-se pela ausência de conjunções. Exem-
plo: primeira e quarta estrofes de “Epigrama 7”, de Cecília Meireles.
A tua raça de aventura
quis ter a terra, o céu, o mar.

Na minha, há uma delícia obscura


em não querer, em não ganhar…

A tua raça quer partir,


guerrear, sofrer, vencer, voltar.

A minha, não quer ir nem vir.


A minha raça quer passar.

Polissíndeto
Ao contrário do assíndeto, o polissíndeto é caracterizado pela repetição da
conjunção coordenativa (conectivo). Exemplo:

Pleonasmo
Repetição enfática ou redundância de um termo que soa “desnecessário” no
discurso, o qual pode ser utilizado intencionalmente (pleonasmo literário) como figu-
ra de linguagem, ou por desconhecimento das normas gramaticais (pleonasmo vici-
oso), nesse caso um vício de linguagem. Exemplo: “Saia para fora”; “Entre para
dentro”; “Vou subir para cima”; “Vou descer para baixo”; “Entrou dentro do meu
olho”.
Hipérbato
O hipérbato é caracterizado pela inversão da ordem direta dos termos da ora-
ção, segundo a construção sintática usual da língua (sujeito + predicado + comple-
mento). Exemplo: “Triste estava Larissa”. (Neste caso, o estado do sujeito surge
antes do nome “Larissa”, que na construção sintática usual seria: Larissa estava tris-
te).
Anacoluto
O anacoluto altera a sequência lógica da estrutura da frase por meio de uma
pausa no discurso. Exemplo: A terceira estrofe do poema “A aranha”, de Manuel
Bandeira.
Eu, que era branca e linda, eis-me medonha e escura
Inspiro horror... Ó tu, que espias a urdidura
Da minha teia, atenta ao que o meu palpo fia [...]

Anáfora
A anáfora é a repetição de termos no começo das frases, muito utilizada pelos
escritores na construção dos versos a fim de dar maior ênfase à ideia. Exemplo:
“José”, de Carlos Drummond de Andrade.
E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?
[...]

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

DIANA, Daniela. Figuras de sintaxe. Toda Matéria. Disponível em:


https://www.todamateria.com.br/figuras-de-sintaxe/ Acesso em: 26 de nov. de 2019.

FERNANDES, Márcia. Figuras de linguagem. Toda Matéria. Disponível em:


https://www.todamateria.com.br/figuras-de-linguagem/ Acesso em: 26 de nov. de
2019.