Você está na página 1de 6

1

Resumo sobre as formas de frases

A Linguística constitui um campo no qual encontramos várias subáreas, dentre elas está a
sintaxe. Por sua vez, a sintaxe é responsável pela organização das palavras e estudo dos
princípios que regem a formação da frase. Esta frase pode assumir diferentes formas de acordo
com o contexto e o objectivo da sua construção.
Frase

Para (CUNHA & CINTRA:2002) é um "enunciado de sentido completo, a unidade mínima de


comunicação";

Já na concepção de (BORREGANA:1999) é um "enunciado ou conjunto de palavras, que


formam um sentido completo";

Formas de frase
Da óptica MALACA CASTELEIRO (1980:24) as frases assumem algumas formas que
passamos a descreve-las.

Forma afirmativa
A frase da forma afirmativa não é marcada por nenhuma realização lexical específica, pelo que
se identifica pela ausência de marcação de frase de forma negativa (Ribeiro 2010).

Exemplos:

1. Esta frase é afirmativa.


2. Ele gosta de futebol.

Noutra abordagem, RIBEIRO diz que a palavra “sim”, muitas vezes é tida como marcador da
forma afirmativa, ocorrendo apenas em alguns contextos, como respostas a perguntas ou com o
valor de contraste.

Exemplo:

-Hoje vais à escola?

-Sim!
2

2.2 Forma Negativa


Conforme RIBEIRO (2010) a frase assume a forma negativa quando denota a inexistência de
uma situação ou propriedades que seriam originalmente apresentadas.

Todavia, FIGUEREDO & BIZARRO (204:2037) afirmam que, para que uma frase seja negativa,
esta deve apresentar os elementos da nagativa, que poderão ser: não, nem, sem, ninguém, nunca
ou nenhum.

Exemplos:

1) Não brinquem com lume rapaz.


2) Ninguém pode questionar aqui.
3) Jamais vou repetir o erro.

Comparando as posições dos autores anteriormente citados concluímos que a inexistência de


uma situação ou propriedades que seriam originalmente apresentadas na frase podem ser
determinadas por elementos da negativa (marcadores ou quantificadores).

Numa perespectiva mais sintética, RIBEIRO (2010), apresenta os marcadores de negação nos
seguintes moldes:

Não é o marcador mais usado da negação frásica e em geral, precede o primeiro elemento verbal.

Exemplo: Nós não fomos à praia ontem.

Nem é o marcador de negação que ocorre na coordenação, pode preceder ambas as orações
coordenadas ou apenas a última.

Exemplo:

Nem fomos ao cinema nem visitamos ao museu.

Sem- funciona como uma preposição de valor negativo:

 Nega a oração subordinada, sendo o seu primeiro elemento e,


 Não ocorre na oração subordinada com outro elemento negativo.

Exemplo: Todos saíram sem terem recebido ordem.


3

Por lado, temos os quantificadores negativos que na óptica de RIBEIRO (2010), podem
ocorrer:

 Isolados e estabelecerem eles próprios a negação e


 Em complementaridade de domínios negativos
Exemplos:
1) Nunca soube valorizar o meu esforço.
2) Ninguém pode sair da sala.
3) Nada foi feito para impedir o distúrbio.
4) A menina não sai nunca de casa.
5) Não vi nenhum livro danificado

Portanto, se uma frase não apresenta nenhum marcador ou quantificador, a sua negatividade
poder ser determinada a partir da intenção comunicativa que esta veicula.

Exemplo: A- Vamos ao casamento da colega Melcina?

B- Lamento, vou à Maputo.

2.3Forma activa
Citando CASTELEIRO (1980:24)“as frases activas e passivas veiculam pensamento, apenas
variando no modo como o falante ( ou autor da enunciação) encara tal conteúdo. Assim, na
construção activa, a frase apresenta a perspectiva centrada a partir do sujeito que estabelece uma
relação com outra (s) entidade (s) que, na frase passiva se torna o agente da passiva.

1. O Pedro destruiu alguns papéis.


2. Alguns papéis foram destruídos pelo pedro.

2.4 Forma passiva


De acordo com CASTELEIRO (1980) nas frases passivas, a acção é encarrada como resultado
que afecta o paciente e que passa a funcionar como sujeito gramatical da frase logo, o agente
semântico da activa é relegado na passiva para segundo plano pando a chamar-se agente da
passiva.
4

Exemplo: Alguns papéis foram destruídos.

Contudo, MATEUS et al (2003) postula que podemos encontrar três tipos de passivas:

2.4.1 Passivas sintácticas ou perifrásticas


Nesta passiva, o constituinte com relação gramatical de sujeito na activa, assume uma relação
gramatical de objecto directo ou seja, o constituinte introduzido pela preposição “por” na
passiva, tem, na activa correspondente, a relação gramatical de sujeito.

Exemplos:

1. Ele ofereceu o livro á Maria.


2. O livro foi oferecido à Maria por ele.

Passiva de “se” ou de clítico


PERES & MÓIA (1995:215) afirmam que passivas de “se” ou clítico são as estruturas em que o
predicador verbal ocorre numa forma não participial e é acompanhado de um elemento clítico
“se”.

Em contrapartida, CASTELEIRO (1980) diz que a passiva de “se” é um dos mecanismos de não
se exprimir o agente na frase.

Por outro lado, MATEUS et al (2003:531), defendem que, ao contrário do que acontece nas
passivas sintácticas, nas passivas de “se” o argumento interno directo tem obrigatoriamente
traços de terceira pessoa gramatical.

1.Em Lisboa, constroem-se poucas casas.

2.Esses livros, vendem-se bem.

Nesta ordem de ideias podemos concluir que este tipo de passiva, a frase vai apresentar um
predicador sempre conjugado em 3ª pessoa cuja intenção é não exprimir o agente da respectiva
activa.
5

Passiva adjectival
Na passiva adjectival ocorre o verbo “estar” e outros verbos copulativos. Por outro lado, a forma
participial presente é categorialmente um adjectivo, formado por um processo morfológico de
conversão

Exemplos:

1. As pessoas andam assustadas com o aumento do preço de pão.


2. A cidade está destruída.

Formas enfáticas/neutras
A forma enfática é o processo de realçar um determinado constituinte da frase e que tal enfase
pode ser expresso por meios fonéticos ou sintácticos (Casteleiro 1980:26)

Exemplo: O pedro deixou esses livros em casa.

Esses livros, o Pedro deixou-os em casa.

Para além de enfase contrastivo, a forma enfática também pode ser feito com recurso aos meios
sintácticos.

Exemplos:

1. Esses livros é que o Pedro deixou em casa.


2. O que eles sabem é discutir.
3. É de descanso que essas gostam.

Portanto, quando a frase não apresenta nenhum elemento sintáctico e/ou de enfase contrastivo,
ela é neutra.

Quadro resumo de tipos e formas

Frase Tipo Forma Sujeito Modo Atenuantes e


Intensificadores
Por favor, leve Afirmativa/ Por favor;
imediatamente este Imperativo activa/ Subentendido Conjuntiv Imediatamente
expediente ao chefe. enfática (você) o
Negativa/ Indicativo Ainda
6

Ainda não há salário. Declarativo activa/ Inexistente


enfática
Leiam o capítulo 3. Imperativo Afirmativa/ Subentendido Conjuntiv
activa/ neutra (vocês) o
António, já terminou de Interrogativ Afirmativa/ Subentendido Indicativo Já
fazer o TPC? o activa/ (António) pré-
enfática verbal
Ainda, termino daqui há 10 Declarativo Negativa/ Subentendido (eu) Indicativo
minutos. activa/ neutra
Colega, não vai mesmo Interrogativ Negativa/ Subentendido Indicativo Mesmo
connosco na festa da o activa/ (colega); pré-
Marta? enfática verbal
Infelizmente, estarei bem Declarativo Negativa/ Indicativo Bem
ocupada. passiva/ Subentendido (eu)
enfática

Você também pode gostar