Você está na página 1de 8

INSTITUTO MÉDIO TÉCNICO 17 DE DEZEMBRO

ÁREA DE FORMAÇÃO DE MECÂNICA


CURSO MÉDIO TÉCNICO DE FRIO E CLIMATIZAÇÃO
CORRECÇÃO DA PROVA GLOBAL DE TECNOLOGIA E PROCESSO 12ª CLASSE
1º TRIMESTRE PERIODO: MANHA DURAÇÃO 120MIN

CORRECÇÃO DA PROVA

1-Define condensador e através do diagrama de Moiller explica como acontece o processo de condensação
num condensador ideal. (3Val)
R: Condensadores são os elementos do sistema de refrigeração que têm a função de transformar o gás quente, que é
descarregado do compressor a alta pressão, em líquido. Para isso, rejeita o calor contido no fluido refrigerante
para alguma fonte de resfriamento.
O processo de condensação do fluido refrigerante num condensador ideal se dá ao longo de um trocador de calor,
denominado condensador, em duas fases distintas que são: 1-Dessuperaquecimento que é o processo que consiste
em abaixar a temperatura do refrigerante, retirando calor sensível do refrigerante, ainda no estado gasoso, até ele
atingir a temperatura de condensação uma vez que ao ser descarregado do condensador o mesmo se encontra a alta
temperatura E 2-condensação que um processo de mudança de estado. Em que retira-se calor latente do
refrigerante, isto é, a temperatura deste mantém-se constante durante todo o processo, ver figura abaixo

2-Um TRC de contra-fluxo (bitubular) aquece água de 20 a 80º C a uma taxa de 1,2 kg/s. Isto é feito com
um fluido refrigerante que sai do condensador a 160º C e vazão mássica de 2 kg/s. O tubo interno tem
diâmetro de 1,5 cm de parede fina. Se U=640 W/m2.oC. Determine o comprimento do trocador. De tabela:
a) água: cp=4,18 kJ/kg.oC e b) vapor de refrigerante cp=4,31 kJ/kg.oC. (5Val)
Solução

Q água  m .c p .(Ts  Te )  1,2.4,18.(80  20)  301KW


Q
Q refrigerante  m .c p .(Te  Ts )  Te  Ts  refrigerante
m .c p
Q  Q água  Qrefrigerante.  301000W
Q refrigerante 301
Te  Ts   160   195º C
m .c p 2.4,31

Como já se conhece todas as temperaturas calculamos a seguir o DLMT

DLMT 
t ce 
 t s  tcs  te 

195  80  160  20  127º C
t t   195  80 
ln  c s  ln  
 tc  te   160  20 

Calculamos a seguir a área de troca térmica.

Q 301000
Q  U . A.DLMT  A    3,7m 2
U .DLMT 640.127

Agora já podemos calcular o comprimento do trocador

A 3,7
A   .D.l  l    0,01m  41m
 .D  .1,5.102

3-Um condensador carcaça e tubo, de 2 passes no casco e 4 no tubo aquece a água de arrefecimento de 21 a
55 ºC através do refrigerante R134a. O refrigerante passa num tubo de parede fina, com 2 cm de diâmetro a
116º C e deixa a 49º C. O comprimento de cada passe é de 60 m. Sabendo que “h” na água (casco) é 25
W/m2.ºC e 160 W/m2.ºC no refrigerante (tubo), determine a taxa de transferência de calor do condensador:
a) no início da operação (não há deposição nas paredes); b) após a deposição na parede externa do tubo
apresentar um factor de 0,0008 m2. (6Val)
Resolução:

A taxa de transferência de calor para um condensador multipasse é dado por:


Q  U . A.F .DLMT

A área de transferência de calor calcula-se da seguinte forma:


A   .D.l.N P  3,14.2.102.60.2  7,53m2

O DLMT calcula-se da seguinte forma:

DLMT 
t ce 
 t s  tcs  te 

116  55  49  21  42,4º C
t t   116  55 
ln  c s  ln  
 tc  te   49  21 
Para o cálculo do factor de correcção calcula-se inicialmente P e R da seguinte forma:
t t 49  116
P  cs ce   0,70
te  tce 21  116
te  t s 21  55
R   0,50
tcs  tce 49  116

Entrando com estes valores no diagrama correspondente ao tipo de trocador tem-se:

F=0,95

O coeficiente global de transferência de calor calcula-se pela seguinte fórmula:


1 1 x. Ao A A
   o  o
U he k . Am h fi . Ai hi Ai

Para a alínea a) o coeficiente global calcula-se da seguinte forma:

1 1 1 1 1
  U    21,6 W / m 2 .º C
U he hi 1 1 1 1
 
he hi 160 W / m 2 .º C 25 W / m 2 .º C

Isto porque no início da operação (não há deposição nas paredes) e o tubo é de parede fina.
A taxa de transferência de calor já pode ser calculada.

Q  U . A.F .DLMT  21,6.7,53.0,95.42,4  6551,5 W

Para a alínea b) deve se recalcular apenas o coeficiente global de transferência de calor considerando as
incrustações.

1 1 1 1 1
   Rf U    21,3 W / m 2 .º C
U he hi 1 1 1 1
  Rf   0,0008
he hi 160 25

A taxa de transferência de calor já pode ser calculada.

Q  U . A.F .DLMT  21,3.7,53.0,95.42,4  6460,5 W

4-Um condensador resfriado a ar precisa rejeitar 70 kW de energia do refrigerante ao ar. O condensador é


bitubular de fluxo paralelo e o diâmetro do tubo interno é de 500 cm, o comprimento do tubo é de 13,4 m e
um valor de U baseado nesta área de 0,037 kW/m2 .C. A vazão de ar é 6,6 m3/s e o ar tem densidade igual a
1,15 kg/m3. Se a temperatura de condensação está limitada a 55 ºC, qual a máxima temperatura de entrada
e saída do ar? Considerar cp do ar igual a 1,0 KJ/Kg.K (6Val)

Resolução:

O DLMT é dado por:

DLMT 
tc  ts   tc  te   te  t s
t t  t t 
ln  c s  ln  c s 
 tc  te   tc  te 

A área do condensador é dado por:

A   .D.l  3,14.500.102.13,4  210m2

As capacidade do condensador já pode ser calculada,

Q 70
Q cond  U . A.DLMT  DLMT  cond   9,009 K
U . A (0,037).(210)

Mas Q cond também pode ser dado pela equação do balanço de energia da seguinte forma:
Q Q 70
Q cond  m .Cp.(ts  te )  ts  te  cond  cond   12,197 K
m .Cp  .v.Cp 1,15.6,6.11

DLMT 
tc  te   tc  ts   DLMT  te  t s
 9,009 
12,197
t t  t t   55  te 
ln  c e  ln  c e  ln  
 tc  t s  t 
 c s t  55  t s 

 55  te  55  te 55  te
ln    1,354   e1,354   3,8724
 55  t s  55  t s 55  t s
55  te  3,8724(55  ts )  55  te  3,8724(55  12,197  te )  te  40,6º C
ts  12,197  te  12,197  40,9  ts  53º C

CORRECÇÃO VARIANTE B
1-Define condensador e através do diagrama de Moiller explica como acontece o processo de condensação
num condensador real. (3Val)
R: Condensadores são os elementos do sistema de refrigeração que têm a função de transformar o gás quente, que é
descarregado do compressor a alta pressão, em líquido. Para isso, rejeita o calor contido no fluido refrigerante
para alguma fonte de resfriamento.
O processo de condensação do fluido refrigerante num condensador real se dá ao longo de um trocador de calor,
denominado condensador, em três fases distintas que são: 1-Dessuperaquecimento que é o processo que consiste
em abaixar a temperatura do refrigerante, retirando calor sensível do refrigerante, ainda no estado gasoso, até ele
atingir a temperatura de condensação uma vez que ao ser descarregado do condensador o mesmo se encontra a alta
temperatura, 2-condensação que um processo de mudança de estado. Em que retira-se calor latente do refrigerante,
isto é, a temperatura deste mantém-se constante durante todo o processo e subresfriamento que é o processo onde o
refrigerante é resfriado de mais alguns graus, utilizando-se para isso, um trocador de calor intermediário. Nas
figuras abaixo pode-se visualizar as três fases:

2-Um TRC de contra-fluxo (bitubular) aquece água de 20 a 80º C a uma taxa de 1,2 kg/s. Isto é feito com
um fluido refrigerante que sai do condensador a 160º C e vazão mássica de 2 kg/s. O tubo interno tem um
comprimento de 108 m de parede fina. Se U=640 W/m2.oC. Determine o diâmetro do trocador. De tabela:
a) água: cp=4,18 kJ/kg.oC e b) vapor de refrigerante cp=4,31 kJ/kg.oC. (5Val)

Solução

Q água  m .c p .(Ts  Te )  1,2.4,18.(80  20)  301KW


Q
Q refrigerante  m .c p .(Te  Ts )  Te  Ts  refrigerante
m .c p
Q  Q água  Qrefrigerante.  301000W
Q 301
Te  Ts  refrigerante  160   195º C
m .c p 2.4,31
Como já se conhece todas as temperaturas calculamos a seguir o DLMT

DLMT 
t ce 
 t s  tcs  te 

195  80  160  20  127º C
t t   195  80 
ln  c s  ln  
 tc  te   160  20 

Calculamos a seguir a área de troca térmica.

Q 301000
Q  U . A.DLMT  A    3,7m 2
U .DLMT 640.127

Agora já podemos calcular o diâmetro do trocador

A 3,7
A   .D.l  D    0,01m  1cm
 .l  .108

3-Um condensador carcaça e tubo, de 2 passes no casco e 4 no tubo aquece a água de arrefecimento de 21 a
55 ºC através do refrigerante R134a. O refrigerante passa num tubo de parede fina, com 2 in de diâmetro a
116º C e deixa a 49º C. O comprimento de cada passe é de 60 m. Sabendo que “h” na água (casco) é 25
W/m2.ºC e 160 W/m2.ºC no refrigerante (tubo), determine a taxa de transferência de calor do condensador:
a) no início da operação (não há deposição nas paredes); b) após a deposição na parede externa do tubo
apresentar um factor de 0,0008 m2. (6Val)

Solução:

A taxa de transferência de calor para um condensador multipasse é dado por:


Q  U . A.F .DLMT

A área de transferência de calor calcula-se da seguinte forma:


A   .D.l.N P  3,14.2.0,0254.60.2  19,14m2

O DLMT calcula-se da seguinte forma:

DLMT 
t ce 
 t s  tcs  te 

116  55  49  21  42,4º C
t t   116  55 
ln  c s  ln  
 tc  te   49  21 
Para o cálculo do factor de correcção calcula-se inicialmente P e R da seguinte forma:
t t 49  116
P  cs ce   0,70
te  tce 21  116
te  t s 21  55
R   0,50
tcs  tce 49  116

Entrando com estes valores no diagrama correspondente ao tipo de trocador tem-se:

F=0,95

O coeficiente global de transferência de calor calcula-se pela seguinte fórmula:


1 1 x. Ao A A
   o  o
U he k . Am h fi . Ai hi Ai

Para a alínea a) o coeficiente global calcula-se da seguinte forma:

1 1 1 1 1
  U    21,6 W / m 2 .º C
U he hi 1 1 1 1
 
he hi 160 W / m 2 .º C 25 W / m 2 .º C

Isto porque no início da operação (não há deposição nas paredes) e o tubo é de parede fina.

A taxa de transferência de calor já pode ser calculada.

Q  U . A.F .DLMT  21,6.19,14.0,95.42,4  16652,72 W

Para a alínea b) deve se recalcular apenas o coeficiente global de transferência de calor considerando as
incrustações.

1 1 1 1 1
   Rf U    21,3 W / m 2 .º C
U he hi 1 1 1 1
  Rf   0,0008
he hi 160 25

A taxa de transferência de calor já pode ser calculada.

Q  U . A.F .DLMT  21,3.19,14.0,95.42,4  16421,43 W


4-Um condensador resfriado a ar precisa rejeitar 70 kW de energia do refrigerante ao ar. O condensador é
bitubular de fluxo paralelo e o diâmetro do tubo interno é de 500 cm, o comprimento do tubo é de 13,4 m e
um valor de U baseado nesta área de 0,037 kW/m2 .C. A vazão de ar é 6,6 m3/s e o ar tem densidade igual a
1,15 kg/m3. Se a temperatura de condensação está limitada a 55 ºC, qual a máxima temperatura de entrada
e saída do ar? Considerar cp do ar igual a 1,0 KJ/Kg.K (6Val)

Resolução:

O DLMT é dado por:

DLMT 
tc  ts   tc  te   te  t s
t t  t t 
ln  c s  ln  c s 
 tc  te   tc  te 

A área do condensador é dado por:

A   .D.l  3,14.500.102.13,4  210m2

As capacidade do condensador já pode ser calculada,

Q 70
Q cond  U . A.DLMT  DLMT  cond   9,009 K
U . A (0,037).(210)

Mas Q cond também pode ser dado pela equação do balanço de energia da seguinte forma:
Q Q 70
Q cond  m .Cp.(ts  te )  ts  te  cond  cond   12,197 K
m .Cp  .v.Cp 1,15.6,6.11

DLMT 
tc  te   tc  ts   DLMT  te  t s
 9,009 
12,197
t t  t t   55  te 
ln  c e  ln  c e  ln  
 tc  t s  t 
 c s t  55  t s 

 55  te  55  te 55  te
ln    1,354   e1,354   3,8724
 55  t s  55  t s 55  t s

55  te  3,8724(55  t s )  55  te  3,8724(55  12,197  te )  te  40,6º C


t s  12,197  te  12,197  40,9  t s  53º C

O DOCENTE
VAN GOMPEL RAPH

Você também pode gostar