Você está na página 1de 29

ESTADOS UNIDOS- ATUALIDADES

AULAS DE ATUALIDADES
IDEG
Prof.: PRISCILLA NEGREIROS
(prinegreiros@hotmail.com)
SÍRIA
ACORDO RU/EUA – setembro/2016 - Acordo de Cessação de
Hostilidades

Objetivo:
• Melhoria do acesso humanitário;
• Criação de condições para a retomada do Diálogo Político Intra-Sírio mediado pelas Nações
Unidas;
• Separação efetiva, no terreno, entre grupos oposicionistas participantes do Diálogo e grupos
terroristas;
• Combate ao terrorismo na Síria.

O Brasil sublinha seu compromisso com a independência, soberania e integridade territorial da


Síria.

O governo brasileiro apela ao governo da República Árabe Síria para que estenda sua cooperação
à implementação do Acordo de Cessação de Hostilidades e à retomada do Diálogo Intra-Sírio.

Apela, também, a todos os Estados envolvidos a que, em cumprimento das resoluções do


Conselho de Segurança, impeçam o fornecimento de armas e suprimentos a grupos terroristas
designados pelo Conselho de Segurança, como o autodenominado "Estado Islâmico", a Al-Qaeda
na Síria e milícias associadas.

http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/notas-a-imprensa/14708-nota-do-ministro-das-relacoes-
exteriores-jose-serra-sobre-o-anuncio-de-acordo-de-cessacao-de-hostilidades-na-siria
ECONOMIA
I. ECONOMIA AMERICANA: CRISE E
RECUPERAÇÃO

 2008 a 2013: tratamento da crise


 FED: Quantative easing (2009-2013)
 Aumento da Base Monetária da economia pela compra, pelo FED, de
ações financeiras privadas
 Estímulo a economia

 4,5 trilhões de dólares em 5 anos


 Jannet Yellen: tapering (polêmica) – diminuição progressiva.

 2014: sinais de recuperação


 Último semestre de 2014: a economia americana cresceu 3,9%
(mais que o esperado – 3,5%) // 2013: 2,4%
 Desemprego: Entre 5,8% - 5,4% => houve criação de 600mil
postos no último semestre.
 Aumento do consumo
ECONOMIA AMERICANA 2016

Sinais de melhora:
 Por quê?
 Baixa dos preços do petróleo
 Shale gas and oil => desenvolvimento da indústria
americana

 Baixo desemprego
 Baixa inflação
 Baixos taxas de juros
 Aumento do consumo

 Perspectiva de crescimento 2016: 1,6%


II. ACORDOS DE LIVRE COMÉRCIO (FTA)

 Tentativa americana de esvaziar a OMC


 Possui acordos com 20 países
 Austrália; Bahrain; Canadá; Chile; Colômbia;
Costa Rica; República Dominicana; El Salvador;
Guatemala; Honduras; Israel; Jordânia; Coreia do
Sul; México; Marrocos; Nicarágua; Omã; Panamá;
Peru; Singapore.

 2 acordos em negociação:
 União Europeia
 Trans-Pacific Partnership (TPP) Agreement
TRANS-PACIFIC PARTNERSHIP (TPP)
AGREEMENT http://www.nytimes.com/2015/05/12/business/unpackin
g-the-trans-pacific-partnership-trade-deal.html

 Origem: criado em 2005


 Membros originais: Chile, Brunei, Cingapura e
Nova Zelândia.
 8 nações negociam a sua adesão: Estados Unidos,
Canadá, México, Austrália, Japão, Peru, Malásia e Vietnã.

 12 países: 40% do PIB mundial // US$ 28 trilhões //


1/3 do comércio mundial
 Redução de 18.000 tarifas
 Maior acordo regional de comércio do mundo

ACORDO: 5 OUTUBRO 2015 – CONCLUIDO –


ainda não ratificado.
DEBATE SOBRE O TPP

Pontos positivos para os EUA:


• Aumentar a presença americana na Ásia;

• Freiar a presença da China na região;

• Aumentar exportações americanos e o crescimento do


país;
• Grande novidade: serviços, propriedade intelectual,
mecanismos de soluções de controvérsias, compras
governamentais, investimentos, mercado de trabalho,
meio ambiente, empresas estatais e competição;
DESAFIOS
 Ratificação: deve ser feita por todos os países ou pelo
correspondente de 85% do PIB do grupo.
 Exclusão da China do Acordo
 Proposta chinesa: Área de Livre Comércio da Ásia-Pacífico
(FTAAP)
 Não tinham interesse – mas já houve declarações de possível
interesse.
 “When more than 95 percent of our potential customers live
outside our borders, we can’t let countries like China write the
rules of the global economy,” Mr. Obama
 Questão laborais e meio ambiente: EUA querem impor
rigorosos standards.
 Impasse eleições americanas:
 Donald Trump: oposição republicana no Congresso
 Hillary Clinton: quando chanceler (a favor)/ eleições disse ser
contra o acordo
 OMC: desafio para a organização

http://www.nytimes.com/2015/10/06/business/trans-pacific-
partnership-trade-deal-is-reached.html
http://www.nytimes.com/interactive/2016
/business/tpp-explained-what-is-trans-
pacific-partnership.html
III. AS RELAÇÕES ECONÔMICAS BRASIL-EUA

Exportação Importação Saldo Balança


Comercial

2015 24 bilhões 26 bilhões - 2,3 bilhões 50,5 bilhões

2014 27 bilhões 35 bilhões - 7,97 bilhões 62 bilhões

2013 24,6 bilhões 36 bilhões - 11 bilhões 60 bilhões

 18bi: produtos industrializados / 4bi: produtos básicos.

 Crescimento foi principalmente no setor de construção


civil (retomada da economia americana)
 Queda de importações: ligadas principalmente na queda
de valor da gasolina
 Fluxo de comércio bilateral aumentou 11,3%.
OPORTUNIDADES/DESAFIOS
OPORTUNIDADES:

 Até 2008: Brasil superavitário com os EUA. // Melhora do comércio


com os EUA.
 Estados Unidos são o segundo maior parceiro comercial do Brasil.
 Bacen: Estados Unidos continuam a ser o país com maior volume de
Investimento Externo Direto (IED) no Brasil, com estoque no valor de
US$ 116 bilhões, até 2013 (último dado disponível).
 2014: o BACEN estimou que teriam ingressado no Brasil
aproximadamente US$ 8,5 bilhões de IED provenientes dos EUA.
 Fluxos mais equitativos: investimentos norte-americanos não
decaíram - investimentos brasileiros cresceram em ritmo mais
acelerado.
 2000: para cada dólar investido nos EUA por empresas brasileiras, cerca de
47 dólares eram investidos no Brasil por empresas norte-americanas; em
2014, essa razão caiu para 3 dólares de empresas norte-americanas para
cada dólar investido por empresas brasileiras.

 IMPORTÂNCIA DO COMÉRCIO: EUA: é o maior importador


mundial (mesmo em 2008).
ABERTURA DE MERCADO PARA A CARNE
BOVINA BRASILEIRA.

 Agosto/16: cerimônia de abertura do mercado


 1999: iniciativa do Governo FHC - Brasil solicitou
ao “Animal, Plant and Health Inspection Service”
dos Estados Unidos a habilitação das exportações
provenientes de Santa Catarina e Rio Grande do
Sul.
 Concluímos a negociação do certificado sanitário
internacional - equivalência de seus sistemas
sanitários.

http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/ministro-
das-relacoes-exteriores-discursos/14540-discurso-do-ministro-jose-serra-na-cerimonia-
de-anuncio-de-abertura-de-mercado-para-a-carne-bovina-brasileira-palacio-do-planalto-
1-de-agosto-de-2016
IV. CASO OMC: A FARM BILL
Caso do Algodão (2003-2014)
 Brasil: questiona subsídios, apoio ao crédito e outras medidas.
 1998 e 2002: entre US$1.9 a 3.9 bilhões / ano.
 Limite: US$1.4 bilhões (Rodada Uruguai).

2004: decisão do painel a favor do Brasil.


2008: Brasil pede valor e retaliação.
2009: Painel concede permissão para retaliações cruzadas de
US$ 830 milhões (eletrônicos, carros, equipamentos médicos,...)

Abril/2010: EUA propõe solução temporária negociada:


• Fundo de compensação temporária para o algodão (US$ 147
milhões / ano)
 Retirada dos subsídios às garantias de crédito ao algodão
 Reconhecimento de Santa Catarina como livre de febre aftosa
(carne suína)
2013: suspensão unilateral do pagamento anual;

2014: Nova Farm Bill nos EUA


 Substituiu os pagamentos diretos e os pagamentos
anticíclicos aos cotonicultores americanos
 Avaliação inicial dos produtores brasileiros: o
mecanismo poderá até ser mais distorcivo

2014: ASSINATURA MEMORANDO


• Subsídios chegaram a 10 bilhões => queda preço
commodities
• US$300 milhões a serem pagos pelos EUA –
pagamento único e final
https://ustr.gov/about-us/policy-offices/press-office/press- http://www.barralmjorge.com.br/arquivos/rbce
releases/2014/October/United-States-and-Brazil-Reach- _032015.pdf
Agreement-to-End-WTO-Cotton-Dispute
RELAÇÕES BILATERAIS
I. NOVA VISITA DILMA: EUA
 30/junho/2015
 Não é uma visita de Estado – EUA ofereceu
 Não há previsão de falar sobre Acordo comercial
bilateral.

Temas a serem abordados:


 Carne brasileira: anunciem a abertura do seu
mercado para a carne brasileira in natura.
 Barreiras sanitárias em outros países – usam agência
americanas. Ex. México, Coreia do Sul e Japão.
 Maior venda de carne americana ao Brasil.
 Facilitação do comércio: setores de cerâmica,
máquinas e materiais de construção.
 Conexões de portais de exportação.
 Vistos: não há previsão de eliminação => entrada no
Global Entry (programa reduz a burocracia).
 Cooperação em estudos técnico.
2016: III REUNIÃO DA COMISSÃO BRASIL-EUA DE
RELAÇÕES ECONÔMICAS E COMERCIAIS
 III Reunião da ATEC foi realizada nos dias 29 e 30 de março para
tratar dos principais temas da agenda atual e dos desafios
futuros nas relações econômicas e comerciais Brasil-EUA.
 Primeira reunião da ATEC realizada em nível ministerial, reunindo
as mais altas autoridades encarregadas de comércio nos EUA, o
Representante de Comércio Michael Froman, e no Brasil, o Ministro
das Relações Exteriores Mauro Vieira e o Ministro do
Desenvolvimento, Indústria e Comercio Exterior Armando Monteiro.

Principais temas:
 cooperação em foros multilaterais;
 estratégias para expandir investimentos em manufaturas;
 biotecnologia agrícola;
 cooperação regulatória;
 bem como preocupações específicas de acesso a mercados em ambos os
lados.

A próxima reunião da Comissão será realizada em Brasília em 2017


AGOSTO/ 2016: ENCONTRO BILATERAL COM O
SECRETÁRIO DE ESTADO JOHN KERRY

 RJ: Abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016

 http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/ministro-das-relacoes-
exteriores-discursos/14561-palavras-do-ministro-jose-serra-por-ocasiao-do-encontro-com-o-
secretario-de-estado-dos-estados-unidos-john-kerry-rio-de-janeiro-5-de-agosto-de-2016
QUESTÕES POLÍTICAS
DEBATE PRESIDENCIAL DOS EUA
I. Principais Contradições entre Republicanos e Democratas

1. Aproximação com Cuba


• Republicanos rejeitam
• Alegam que não indicaram Embaixador para Havana

2. Obamacare
• Reforma do Sistema de Saúde - descaracterizar

3. Imigração
• Contra os decretos de Obama sobre imigração ilegal
• Querem bloquear a verba para execução dos decretos
II. IMIGRAÇÃO NOS EUA
OBAMA:
 Record na deportação de imigrantes – 2 milhões

Junho/2013: Reforma imigratória aprovado no Senado


 Congresso: Republicanos negaram discutir o tema

Nov/2014: Decreto
 Medidas mais limitadas que o projeto de lei no Congresso

 O processo: março 2015: cerca de 4,1 milhões de imigrantes


ilegais poderão solicitar uma permissão de trabalho de 3 anos e
uma proteção contra a deportação (condição: pagar impostos).
 Quem pode: Imigrantes em território americano há pelo menos
cinco anos que tenham um filho com cidadania americana ou
residência permanente terão autorização para trabalhar.
 Proteção aos filhos: Programa que evita a deportação de
imigrantes que chegaram nos EUA ainda crianças até 2007
deve ser ampliado para ilegais que entraram no país até 2010.

 Prioridades na deportação: imigrantes em situação


irregular considerados perigosos, detidos na fronteira ou que
chegaram a partir de 1º de janeiro de 2014.

 Segurança na fronteira: Mais recursos serão destinados


para proteger a fronteira entre Estados Unidos e México.

 Aumento salarial: Oficiais do serviço de imigração e fronteira


passam a desempenhar papel mais relevante nas novas leis
imigratórias e terão aumentos salariais.

 Mais qualificados: aumento da entrega de vistos a


trabalhadores muito qualificados e estudantes cientistas, o que
poderá abranger 500 mil pessoas.

 Green Card: Serão atenuadas as condições para a solicitação


do visto permanente americano para quem entrou ilegalmente
no país.
ATUALIDADES NO PROGRAMA
 Julho/16: Suprema Corte dos EUA bloqueia
plano de Obama para imigração.
 Empate: 4 a 4 – manteve em vigor a decisão de
uma corte inferior de suspender o plano.

 Donald Trump:
 Propõe deportar 11 milhões de imigrantes sem
documentos
 Hillary Clinton:
 Declarou que a decisão da Suprema Corte era
inaceitável.
I. FIM DO EMBARGO EUA/CUBA
PROCESSO DE NEGOCIAÇÃO
 Participação do Papa no processo
 Duração: 18 meses

 Houve a liberação de prisioneiros


 EUA: libertou 3 espiões cubanos
 Cuba: libertou 2 cidadão americanos (condenado na tentativa de
instalar conexão internet)

 Vídeo OBAMA:
https://www.youtube.com/watch?v=JbfFmcqjQpk

 Dezembro/2014: Anunciado o reestabelecimento de relações


diplomáticas com Cuba e uma série de ações
PRINCIPAIS MARCOS
 Relações diplomáticas: não existem desde 1963 – restabelecidas em 1º
julho 2015
 Julho/2015: Re-abertura de embaixadas
 Lista de Estados patrocinadores do Terror:
 29 de maio/ 2015: Cuba removida da lista de países terroristas
 Colocada em 1982 – impede que Cuba receba ajuda internacional.

 Fechadas em 1961

 Restrições de viagem: cidadãos americanos não podem viajar a Cuba


 Serão ampliadas as licenças de viagem (que incluirá viagens turísticas)
 Embargo bancário
 Será fortemente amenizado
 Embargo só será extinto completamente com aprovação do Congresso
 Transferência de dinheiro
 Limite aumentou de 500 a 2000 dólares
 Abril/2015: Encontro de Obama e Raul Castro
 Janeiro/2016: Voos comerciais foram autorizados
MARÇO/2016: VISITA OBAMA A CUBA
 1928: Última visita – há 88 anos (Calvin
Coolidge)

Objetivos:
 "avançar nos laços comerciais e pessoais que
possam melhorar o bem-estar do povo
cubano".
 "expressar o apoio americano aos direitos
humanos".
 "Tenho que falar honestamente sobre as coisas
que eu e o povo americano acreditamos. Eu
acredito, mas não posso obrigar vocês a
acreditar, mas acho que deveriam. Acredito que
todos devem ser iguais perante a lei e que não
devem ter medo de falar o que pensam. Que
todos devem ter liberdade para praticar a fé
que acreditam e que devem votar em eleições
democráticas. Os direitos humanos são
universais, para americanos, cubanos e todo o
mundo”.

 Jogo de baseball/ encontro com cubanos


http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/03/em-cuba-
barack-obama-diz-que-vai-trabalhar-pelo-fim-do-
embargo.html
BIBLIOGRAFIA
MRE:
www.itamaraty.gov.br
https://www.youtube.com/user/MREBRASIL
http://diplomaciapublica.itamaraty.gov.br/

http://www.mdic.gov.br//sitio/interna/interna.php?area=5&menu=576

JORNAIS:
http://www.estadao.com.br/
http://www.valor.com.br/
http://www.folha.uol.com.br/

http://economist.com/
http://www.lemonde.fr/
http://brasil.elpais.com/
http://www.bbc.co.uk/portuguese