Você está na página 1de 4

Caso clínico 1

Paciente de 3 anos iniciou quadro de febre e palidez. Nunca recebeu


transfusão de sangue. Ao exame físico encontrou-se esplenomegalia e
Freqüência Cardíaca de 130 bpm. Solicitado exames laboratoriais que
demonstraram hemoglobina de 8g/dl e o Teste de Antiglobulina Direta (teste de
Coombs direto) fortemente positivo (escore 11). A Pesquisa de Anticorpos
Irregulares no soro, frio, foi negativa e o Eluato mostrou-se reativo com todas
as hemácias do painel. Diante deste caso qual seria o diagnóstico do paciente?
Por que o soro de coombs apresenta resultado positivo mas a pesquisa em
soro frio resultou em negativo?

A- O paciente apresenta uma anemia hemolítica auto-imune, e o


resultado a soro frio foi negativo porque algumas hemácias
sensibilizadas não tem a capacidade de reagir em temperatura
ambiente e nescessitam da incubação de (37 a 40°C) junto soro
anti- humano para favorecer a aglutinação.

B- O paciente apresenta uma anemia hemolítica auto-imune, e o


resultado a soro frio foi negativo porque algumas hemácias
sensibilizadas não tem a capacidade de reagir em temperatura
ambiente e necessitam da incubação (37 a 40°C) junto à albumina
bovina para favorecer a aglutinação.

C- O paciente apresenta uma anemia hemolítica auto-imune, e o


resultado a soro frio foi negativo porque algumas hemácias
sensibilizadas não tem a capacidade de reagir em temperatura
ambiente e nescessitam da incubação de (32 a 37°C) junto soro
anti- humano para favorecer a aglutinação.

D- O paciente apresenta uma anemia hemolítica auto-imune, e o


resultado a soro frio foi negativo porque algumas hemácias
sensibilizadas não tem a capacidade de reagir em temperatura
ambiente e necessitam da incubação (32 a 37°C) junto à albumina
bovina para favorecer a aglutinação.

Resposta ( A )

Por que? – Porque algumas hemácias normais agem em temperatura


normalmente a 30 graus, mas algumas pelo fato de estarem sensibilizadas são
ativadas apenas após incubação em temperatura de 37 a 40 graus e acima
dessa temperatura pode ocorrer hemólise.
Caso Clínico 2

Um paciente que receber sangue contendo um antígeno que jamais esteve no


seu sistema sanguíneo terá uma reação imune. Assim sendo, um indivíduo
com o fenótipo de Bombaim pelo qual indivíduos que possuem genótipo
referente aos grupos sanguíneos "A", "B", ou "AB" expressam o grupo
sanguíneo "O" ou denominado “Falso O” podem receber doações de quais
membros do sistema ABO?

a- AeO
b- BeA
c- BeO
d- AB
e- Apenas Bombaim

Resposta ( E )

Por que? – Porque indivíduos com fenótipo bombaim possuem GENÓTIPOS A,


B, ou AB e o FENÓTIPO O, mas o que faz com que ocorra a incompatibilidade
é a substância precursora H, ela é responsável por se diferenciar e gerar os
genótipos A, B, AB ou O, nesses indivíduos essa substância precursora se
encontra com gene recessivo ou seja h então ela não produz nenhum dos
genes dominantes para ser considerado dos tipos A,B,AB ou O, então não será
possível um doador possuir além dos genótipos possuir gene dominante IAHH,
sendo o bombaim recessivo IAhh e assim sucessivamente para todos os
genótipos A, B ou AB.

Caso Clínico 3

Paciente S.F.E.B., data nascimento. 3/6/1962, sexo feminino., prontuário


123456, com diagnóstico de tumor de laringe. Recebeu transfusão de 1
Concentrado de hemácias (CH) para a indicação de anemia.

História de transfusões prévias: ignorada.

História de reações transfusionais prévias: ignorada.

Minutos após o término da transfusão, apresentou calafrios e dispneia. Exames


complementares:
Analise cada caso apresentado e responda:

1. Você considera que houve reação transfusional?

( X ) Sim ( ) Não

2. Há outros diagnósticos diferenciais pertinentes para este caso?

A causa foi claramente uma reação transfusional, com possível infecção


bacteriana devido ao teste positivo para Citrobacter Koseri, também pode
ser devido à alguma falha pré-transfusional ou durante a transfusão da
amostra fazendo com que ocorresse contaminação cruzada. Pode se
considerar o fato de ter ocorrido uma troca da bolsa que seria doada para
a paciente pelo fato de abreviação do nome sendo que isso um dado de
extrema importância para não ocorrer erros transfusionais.

4. Essa reação (se houve) poderia ter sido evitada? Ou seja, existem medidas
preventivas para que novos casos iguais a esse não ocorram? Quais?

Sim, as medidas poderiam ser:

- Cultura bacteriana dos componentes plaquetários pré-transfusão.


- Assepsia adequada na coleta e manipulação do componente.

- Triagem rigorosa do doador.

Você também pode gostar