Você está na página 1de 39

Executiva

Comodoro – Luiz Carlos Barroso Simão


Vice-Comodoro – Alberto Wellisch Levi
Contra-Comodoro – Carlos Alberto Netto Reys de Brito
Diretor de Pesca – Mario José de Carvalho Gonçalves
Assessor para Preservação das Espécies – Marco A. Oliveira Ribas

Organizadora
Antônio Carlos Bento Ribeiro
Benjamin Sodré Netto
Denison Floret Duque Silva
Eduardo Castro
Fernando Pedrosa
Fernando J. de Souza Almeida
Fernando da Costa Garcia
Guilherme D. Goncalves
Guilhermino Lima
Gustavo Machado Vieira
João Franklin Machado Filho
Jorge Amilcar Boueri
Leonardo Bochner
Liége Soares de Melo
Luis Carlos Bulhões
Marcos Lips
Marco Antonio Oliveira Ribas
Mario Jose de C. Goncalves
Mauricio de Souza Paixão
Murilo Saade
Paulo Falcone
Paulo Fabiano Ferreira
Ricardo Mayer
Rodrigo Duarte
Sandro Lahmann
Wolney Magalhães
Vicente Lima
Ética e Protestos Identificação de Peixes
Paulo Vivacqua Décio Ferreira de Moraes
Paulo Falcone Eduardo Baumeier
Guilherme D. Goncalves

Meteorologia Representante da IGFA


Philip Greenmann Hélio Barroso
Luis Carlos Bulhões
Marco Ribas Captação de Imagens
Wolney Magalhaes Fernando Pedrosa
Mauricio Paixao Luis Carlos Bulhões
Fernando Garcia Erich Baumeier
Ricardo Mayer
Conferência de Material Secretaria Geral
Ricardo Mirsky Departamento de Pesca
Carlos Eduardo de Moraes Lima Sala de Rádio
Marco Antonio Oliveira Ribas
VENCEDORES DO TORNEIO ANUAL DE PEIXES DE BICO
I 1963/1964 ERNA II 1964/1965 ERNA
Herbert Carlos Renaux Herbert Carlos Renaux
Homero Mendes Homero Mendes
III 1965/1966 ERNA IV 1966/1967 ZAZA
Herbert Carlos Renaux Herbert Richers
Homero Mendes Bruno Hermany
John Kitcheman
V 1967/1968 BB VI 1968/1969 LUAMAR
Sérgio Mendes Pinheiro Mário Veiga de Almeida
Renato Costa Luamar Veiga de Almeida
Marcelo Dias Mário Veiga de Almeida Jr.
VII 1969/1970 MAÍRA VIII 1970/1971 MISS FLAMENGO
Ivan Guimarães Briggs Hélio Barroso
Alberto Ivan Briggs Belmiro Tibau
Arthur Briggs Renato Costa
Mário Guimarães Antônio Soares
IX 1971/1972 MISS FLAMENGO X 1972/1973 MAÍRA
Hélio Barroso Ivan Guimarães Briggs
Renato Costa Alberto Ivan Briggs
Antônio Soares Arthur Briggs
Mário Vignal
Victor Lourival
XI 1973/1974 AQUARIUS XII 1974/1975 ARATACA
Antônio Augusto Roxo Monarcha Sérgio Kastrup
Paulo Fabiano Ferreira Ernani Figueiredo
Almir F. Gubert José Assumpção de Brito
Fernando A. Martins Salles Alberto André Capper
XIII 1975/1976 WIKAKA II XIV 1976/1977 BANDIDA
Arthur Bittencourt Redig Antônio Pinhão da Silva
Adolfo Berlin Mauro Baltazar da Silva
José Simas José Jonas Matos Filho
Carlos Silva Guthis Dzelme
Hugo Félix
XV 1977/1978 ANDREA RIO XVI 1978/1979 RICAMAR
Adolpho A. Mayer Raul de Souza Francisco
Manuel F.N. Brito Roberto de Souza Francisco
John Kitcheman Ailton Falocci
Eduardo Mayer Sabino Bob Tsezanas
XVII 1979/1980 STRIKER XVIII 1980/1981 MACUNAIMA
Antônio Bali Raymundo de Britto
Paulo Fabiano Ferreira Mário Picozzi
Carlos Alberto Saboya Celso Rocha Miranda
XIX 1981/1982 PONTA NEGRA XX 1982/1983 PONTA NEGRA
José Vasco Teixeira da Costa José Vasco Teixeira da Costa
Fernando Gomes Pedrosa Fernando Gomes Pedrosa
Ernani Figueiredo Ernani Figueiredo
Paulo Martins Paulo Martins
XXI 1983/1984 BINOCA XXII 1984/1985 PATTY
Leonardo Bochner Sérgio Giestas Tristão
Eliseu Soares Neto Luís Roberto Teixeira Soares
Afrânio Darrique de Faro Egídio Coser
Leila Walter Tristão
XXIII 1985/1986 BINOCA XXIV 1986/1987 MISS FLAMENGO
Leonardo Bochner Hélio Barroso
Eliseu Soares Neto Arthur Bittencourt Redig
Afrânio Darrique de Faro Francisco Morais Olival
Renato Costa
XXV 1987/1988 EMILIA MARIA XXVI 1988/1989 RICAMAR
José Augusto Esteves Correia Ricardo Souza Francisco
Eliseu Soares Filho Sabino Bob Tsezanas
Evandro Soares Ivan Guimarães Briggs
José Vasconcelos Priolli Victor da Cunha Lourival
XXVII 1989/1990 TRAPAC XXVIII 1990/1991 PATTY
Antônio Carlos Lobato Sérgio Giestas Tristão
Antônio Bali Luís Roberto Teixeira Soares
Antônio Carlos Gondim Claus Buckmann
Paulo Fabiano Ferreira Vicente Arruda Filho
Marcelo Teixeira Soares
XXIX 1991/1992 DAMG XXX 1992/1993 MISS FLAMENGO
Denison Floret Duque Silva Hélio Barroso
Eliseu Soares Neto Arthur Bittencourt Redig
Titus Bertrand Patrick Josquin
Eduardo Torres Nahuys Luís Carlos Nolasco

XXXII 1993/1994 BACCARAT XXXII 1994/1995 BACCARAT


Carloman Maia de Oliveira Carloman Maia de Oliveira
Rogério Capanema Filho Rogério Capanema Filho
Eliseu Soares Filho Eliseu Soares Filho
Evandro Soares Evandro Soares

XXXIII 1995/1996 MALA XXXIV 1996/1997 MALA


Arnaldo Araújo de Mattos Filho Arnaldo Araújo de Mattos Filho
Eurico Soares Eurico Soares
Marcos Ricardo Abreu Alessandro Corti
Alessandro Corti Cláudio Bastos Martins

XXXV 1997/1998 FLYING FISH XXXVI 1998/1999 XIMBICA


Fernando da Costa Garcia Luís Américo Alves Costa
Jayme da Costa Garcia Rodrigo Pires Alves Costa
Eliseu Soares Filho Carlos Maurício Brandão
Evandro Soares Dácio Pires Jardim

XXXVII 1999/2000 XIMBICA XXXVIII 2000/2001 BACCARAT


Luís Américo Alves Costa Carloman Maia de Oliveira
Rodrigo Pires Alves Costa Rogério Capanema Filho
Carlos Maurício Brandão Luís Roberto Teixeira Soares
Dácio Pires Jardim Evandro Soares

XXXIX 2001/2002 BACCARAT XL 2002/2003 BACCARAT


Carloman Maia de Oliveira Carloman Maia de Oliveira
Rogério Capanema Filho Rogério Capanema Filho
Luís Roberto Teixeira Soares Luís Roberto Teixeira Soares
Evandro Soares Evandro Soares

XLI 2003/2004 BINOCA XLII 2004/2005 KABIRA


Leonardo Bochner Erich Baumeier Neto
Eliseu Soares Neto Reinaldo de Abrantes Silva
Johnny Spievak Marcos Arêas Ferreira
Denison Floret Duque Silva

XLIII 2005/2006 PICANTE XLIV 2006/2007 BOM DE BICO


Luiz Carlos Bulhões Carvalho Marcelo Saade Rodrigues
Alberto Quintaes João Paulo Teixeira da Costa
Rogério Capanema Filho Felipe Ricciulli Soares
Paulo Vivacqua Ademir

XLV 2007/2008 MELLY BLACK XLVI 2008/2009 TARPON


Claus Buckman Marco Ribas
Mônica Buckmann Vicente Arruda Filho
Ricardo Mirsky Cris Badsey
Carlos Alberto Andrade Gustavo Lima
Carlos E. Lima
XLVII 2009/2010 BARRA DO VENTO
Alcebíades Paz Garcia
Luiz Roberto T. Soares
Flávio Campos Reis
RECORDES
Tetrapturus Albidus
Paulo Fabiano Ferreira Filho
Makaira Nigricans
79,000 Kg - 03/12/1998
Eurico Soares
575,000 Kg - 03/02/2001

Istiophorus Platypterus
Leonardo Bochner
51,200 Kg - 12/11/1992 Tetrapturus Bellone
Fernando Pedrosa
Xiphias Gladius 27,600 Kg - 30/11/1996
Eduardo Baumeier
50,800 Kg - 18/06/2004

Thunnus Alalunga
Roni Argalgi
22,800 Kg -27/10/2001
Thunnus Albacares
Affonso Baião Galvão
Thunnus Obesus 93,250 Kg - 04/11/2004
João Franklin Machado Filho
145,000 Kg - 04/02/1995
2005
2005 Thunnus Atlanticus
Harry Adler
10,400 Kg - 30/01/1974
Coryphaena Hippurus
Francisco Olival
Katsowonus Pelamis
34,200 Kg - 14/11/1974
Alberto Dumortout
12,800 Kg - 18/11/1972

Acanthocybium Solanderi IsurusOxyrinchus


Maurício de Souza Paixão Paulo Sergio da S. Cecchetti
47,000 Kg - 04/02/1996 134,200 Kg - 05/02/2000
Calendário 2010 / 2011

Torneio de Abertura Etapa única – 16/10/2010 Sábado

XIV Torneio de Marlin Azul do Rio de Janeiro 1ª etapa – 16/10/2010 Sábado


2ª etapa – 23/10/2010 Sábado
3ª etapa – 06/11/2010 Sábado

XLVIII Torneio de Peixes de Bico & 1ª etapa – 20/11/2010 Sábado


IX Torneio de Peixes de Oceano 2ª etapa – 27/11/2010 Sábado
3ª etapa – 04/12/2010 Sábado
4ª etapa – 11/12/2010 Sábado
5ª etapa – 18/12/2010 Sábado

I Torneio Ele & Ela Etapa única – 08/01/2011 Sábado

X Torneio Offshore 27,5’ Etapa única – 20/01/2011 Quinta-feira

XVIII Cabo Frio Marlin Invitational 1ª etapa – 29/01/2011 Sábado


2ª etapa – 03/02/2011 Quinta-feira
3ª etapa – 05/02/2011 Sábado

Torneio Pais & Filhos A ser definida

Torneio de Encerramento Etapa única – 12/02/2011 Sábado


Índice

Inscrições e Regras Gerais das Competições pág. 8

Torneio de Abertura e Encerramento pág. 13

XIV Torneio de Marlin Azul do Rio de Janeiro e Captação de Imagem pág. 15

IX Torneio Anual de Peixes de Oceano pág. 18

XLVIII Torneio Anual de Peixes de Bico pág. 21

XVIII Torneio de Cabo Frio Marlin Invitational e Captação de Imagem pág. 25

X Torneio Offshore 27,5’ pág. 29

I Torneio Eles & Elas pág. 31

Prêmios Especiais pág. 33

Regulamento para as equipes que representarem o ICRJ em Torneios pág. 34


Internacionais

7
INSCRIÇÕES

Obrigatória, em todos os Torneios do ICRJ, mediante o preenchimento da ficha de


inscrição e o pagamento das referidas taxas. As equipes do ICRJ terão 25% (vinte e cinco
por cento) de desconto.

Temporada Completa R$ 2.500,00


Somente XIV Torneio de Marlin Azul do Rio de Janeiro R$ 300,00
Somente Torneios de Abertura / Encerramento e X Torneio Offshore 27,5’ cada R$ 100,00
Somente XLVIII Torneio Anual de Peixes de Bico R$ 1.000,00
Somente IX Torneio Anual de Peixes de Oceano R$ 400,00
Torneio Anual de Peixe de Bico e Torneio Anual de Peixe de Oceano R$ 1.200,00
Somente XVIII Cabo Frio Marlin Invitational R$ 1.500,00

REGRAS GERAIS DAS COMPETIÇÕES

Além das regras gerais e das regras de captura da I.G.F.A., cada um dos torneios
poderá ter regras específicas, que se sobrepõem às demais. As regras deverão ser
seguidas por todas as equipes, não só no que tange ao escrito mas também ao espírito das
mesmas.
O ato de inscrição pressupõe que o comandante e sua equipe estejam cientes dos
regulamentos de cada competição. O descumprimento de qualquer item do regulamento da
competição implicará na desclassificação da etapa, quando não houver penalidade específica
para o caso.
É obrigatório para todos os integrantes da equipe (pescadores), possuir a licença de
pesca amadora do Ministério da Pesca e Aqüicultura (MPA), para participar de qualquer torneio
da Temporada de Pesca 2010/2011. Os aposentados, os maiores de 65 anos (homens) os
maiores de 60 anos (mulheres) e menores de 18 anos, serão isentos do pagamento da taxa da
licença. Todos deverão entregar junto à Secretaria Geral da competição, uma cópia da licença de
pesca amadora, com validade até o término do torneio.

1. Embarcações
As embarcações participantes deverão estar licenciadas para alto mar e em perfeitas
condições de navegação e de radio - comunicação. O cumprimento das exigências legais é de
exclusiva responsabilidade dos respectivos comandantes.

2. Horários
- Para efeito de controle, nenhuma embarcação poderá ultrapassar o alinhamento da entrada da
Baía de Guanabara, entre a Ponta de São João (Urca) e a Ponta de Santa Cruz (Niterói), antes
das 06:00h, nos torneios com a saída na sede do ICRJ.
8
- Na chegada, será concedida uma tolerância de 2 horas para as lanchas com problemas de
navegação.
- Caso uma embarcação esteja sendo socorrida, com testemunho de outra, será concedido, o
tempo necessário para que os produtos de suas pescarias sejam considerados.
- Caso uma embarcação apresente defeito mecânico que venha a impossibilitar a participação da
equipe na etapa, será permitida a troca de embarcação, mesmo no mar, desde que esta ocorra
antes do horário de linha n’água. Em qualquer outra situação, somente será permitida a troca de
embarcação no ponto de partida (I.C.R.J.), após registro na súmula de participação da etapa.
- Por motivos de força maior, caso seja necessário que uma equipe substitua um pescador, após
a saída para pescaria e antes do horário de linha n’água, esta substituição será permitida, desde
que comunicada à Sala Rádio, para registro na súmula de participação.
3. Resultados da Pescaria
As embarcações comunicarão o embarque/liberação dos peixes, obrigatoriamente, à Sala
Rádio do ICRJ – CONTROLE, na freqüência SSB 8390.0 ou VHF 68. Devera ser comunicado
também o nome do pescador que liberou/embarcou o peixe. No caso de defeito no rádio, as
comunicações deverão ser feitas com o apoio de outras embarcações. A embarcação que não
reportar imediatamente os peixes liberados ou embarcados será desclassificada da etapa.
Somente serão válidos os peixes reportados até o horário de encerramento de cada
torneio.

4. Adiamento / Cancelamento de Etapa


É competência da Comissão de Meteorologia deliberar quanto à confirmação da realização
de qualquer evento, manifestando-se até as 16:00h do dia anterior, fazendo hastear no mastro do
cais do ICRJ uma bandeira:

Verde: evento com previsão normal


Amarela: evento com previsão duvidosa
Vermelha: evento adiado

Ocorrendo a saída das lanchas e verificada impossibilidade do prosseguimento da etapa, a


Diretoria de Pesca consultará a Comissão de Meteorologia e, por deliberação desta, decidirá pelo
adiamento da etapa, caso este fato ocorra até as 10:00h; após este horário a etapa será
antecipadamente encerrada. Em todas as decisões desta comissão, no caso de empate, a
Diretoria de Pesca terá o voto de desempate.
Em caso do adiamento da etapa, os peixes capturados serão computados para que a
etapa tenha continuidade na data a ser definida pela Diretoria de Pesca, sendo que o tempo de
pesca na etapa adiada será descontado no horário de encerramento da etapa em sua realização,
isto é, caso uma etapa seja adiada as 09:40h, ao ser realizada em outra data, terá seu
encerramento as 16:20h.
No caso de ocorrer o encerramento antecipado da etapa, os peixes capturados serão
computados para efeito de apuração do resultado, de acordo com o regulamento de cada torneio.
As embarcações deverão retornar imediatamente ao ICRJ.
Nos casos de adiamento de alguma etapa, caberá à Diretoria de Pesca a deliberação
sobre a data da realização da etapa, após consulta à Comissão Organizadora.

5. Temporada
Para efeito de registro de recordes, a temporada de pesca terá seu início no dia 1º de
março de cada ano e seu encerramento no dia 28/29 de fevereiro do ano seguinte.
Serão considerados recordistas do ano os pescadores que tiverem obtidos as melhores
marcas até 28/29 de fevereiro.

9
6. Protesto
O comandante de qualquer equipe participante do torneio poderá apresentar protestos à
Comissão de Ética e Protestos contra infrações aos dispositivos que regem o torneio. Tais
protestos deverão ser feitos por escrito e apresentados à comissão até as 12:00h do dia seguinte
ao da competição. Os protestos deverão descrever as circunstâncias em que ocorreu a infração,
especificando o item do regulamento violado e a hora da ocorrência, devendo apresentar
evidências ou testemunhos que comprovem a infração. O julgamento de um protesto que será
concluído em um prazo de ate 48 horas após o recebimento do mesmo, consistirá no parecer da
Comissão sobre o cometimento ou não da infração apontada, cabendo ao Diretor de Pesca a
decisão sobre qualquer sanção cabível As decisões da comissão de protestos seguirão as regras
aqui determinadas bem como o espírito das mesmas. As decisões serão soberanas e irrecorríveis.
No caso de impedimento de um dos componentes da Comissão de Protestos, este será
substituído a critério da Diretoria de Pesca.
Um protesto não enseja nenhuma disputa particular, mas sim um melhor
esclarecimento das condições de um determinado fato, seja ele fruto de dúvida da pescaria
e/ou do regulamento.

1. Observadores
O ICRJ se responsabilizará pela indicação de Observadores, que poderão ser distribuídos
em qualquer lancha e em qualquer etapa, a critério único e exclusivo da Comissão Executiva.

2. Do Auxílio Externo de informações


Somente é permitida a comunicação entre equipes / embarcações extra torneio, via rádio
VHS e SSB, através dos canais do SSB 8390.0 e 8291.0; 68 VHF e 73 VHF, adotadas pelo
Sistema rádio ICRJ, para suas competições. Desta forma, todas as informações ficarão
disponíveis a todos.
O apoio barco a barco, por motivo de segurança ou auxílio à tarefa complementares a
pesca, não serão considerados como auxílios externos.

3. Captação de Imagens

COMPROVAÇÃO DE RELEASE DOS TORNEIOS DE PESCA OCEÂNICA


(POR VIDEO FILMAGEM)

9.1 INTRODUÇÃO
É obrigatório o uso de câmeras para comprovação da liberação com libertação ou
embarque do peixe capturado para que os pontos sejam validados.

9.2 REQUISITOS DE: SEGURANÇA, FILMAGEM, RECEPÇÃO DE MATERIAL

9.2.1 SEGURANÇA

Cada equipe de pesca, por saída, receberá uma senha única, que obrigatoriamente deverá
ser a primeira cena gravada no dispositivo de gravação (cartão de memória, fita, DVD, etc).
Deverá ser mostrado, além da senha, cenas da lancha e os integrantes da equipe neste dia.

A senha será fornecida, quando da assinatura da súmula de participação, na saída de


cada etapa.
10
Para cada peixe embarcado ou libertado, deverá ser mostrado em cena contígua, o líder
adentrando na ponta do caniço ou o líder na mão de um auxiliar, o peixe sendo embarcado ou
sendo liberado e libertado.

A comunicação via rádio continuará obrigatória no Torneio de Marlin Azul do Rio e do


Torneio de Marlin Azul de Cabo Frio, nos momentos de “peixe na linha” e “peixe liberado ou
embarcado”, dando o nome do pescador. Para o Torneio Anual de Peixes de Bico não será
necessário reportar “peixe na linha”.

As ações abaixo são obrigatórias para dirimir as eventuais dúvidas:

- que a data e o horário da câmera estejam atualizados;


- que fique claro para avaliação, da comissão de captação de imagem, qual o tipo de
peixe libertado;
- que seja dito o nome do pescador e o mesmo apareça na filmagem;
- que seja mostrado o equipamento de pesca usado e a soltura do peixe.

9.2.2 FILMAGEM
Poderá ser usado qualquer tipo de equipamento para a filmagem, máquina filmadora (dvd,
mini dvd, etc..), máquina fotográfica que possua modo de filmagem. Estes equipamentos
obrigatoriamente devem permitir conexão com o computador através de conexão USB.

Será de responsabilidade de cada equipe a posse e uso dos respectivos equipamentos e a


organização da competição não terá nenhuma responsabilidade sobre os mesmos.
9.2.3 RECEPÇÃO DE MATERIAL
No retorno ao clube, será montado em local adequado o stand de recepção, com operador,
computador e tv, onde deverá ser entregue, pelas equipes, o material onde foram filmadas e
gravadas as capturas.
Após procedimentos de cópia e exibição imediata para a Comissão encarregada de
identificação, o material será devolvido, mantendo-se cópia na Diretoria de Pesca, para uso e
divulgação pela Organização, o que está implicitamente autorizado pelas equipes inscritas na
competição.
9.2.4 IDENTIFICAÇÃO E LIBERAÇÃO DOS PEIXES:
A conferencia de identificação e liberação dos peixes será exercida por uma comissão
composta por pessoas experientes na pesca de Peixes de Bico, assim sendo, após um consenso
entre os integrantes, a decisão será irrecorrível.
O juiz poderá aprovar individualmente a comprovação da liberação/libertação do peixe,
bem como o tipo do mesmo. No entanto para a desclassificação de qualquer peixe será
necessária a revisão de pelo menos 3 (três) juízes, em decisão majoritária. Na falta de algum, o
mesmo será substituído pelo Diretor de Pesca.
A Comissão deverá ter convicção de que, pelas imagens apresentadas, seja possível
atestar ou ter boas evidencias para a correta identificação e libertação do peixe.

4. Torneio IGFA World Championship 2011, em Cabo San Lucas,


México.

Quatro torneios são elegíveis a participar do Torneio IGFA World Championship 2011, em
Cabo San Lucas, que são, respectivamente, o Marlin Azul do Rio de Janeiro, Torneio de Peixes
de Oceano, Torneio de Bico do Rio de Janeiro e Torneio de Marlin Azul de Cabo Frio.
11
Para os torneios de Bico do Rio de Janeiro e Marlin Azul de Cabo Frio, o ICRJ pagara ou
reembolsara a taxa de inscrição da equipe campeã ou, no impedimento desta, da equipe vice-
campeã.

O ICRJ reembolsará também as despesas aéreas entre o Rio de Janeiro e Cabo de San
Lucas, dos sócios pescadores originais das equipes campeãs, desde que continuem sócios
quando da realização do Torneio em cabo de San Lucas. Pagará também, a título de ajuda de
custo e desde que devidamente comprovadas, ate 8 (oito) diárias equivalentes a ate US$ 100,00
(cem dólares norte-americanos) cada, para cada sócio que tiver suas passagens aéreas
reembolsadas.
Em caso a equipe vencedora já ter sido classificada em outro evento, a mesma deverá
optar em qual deverá representar. Neste caso, terá seu direito no torneio preterido
automaticamente transferido para a equipe segunda colocada.

O preenchimento de uma eventual vaga(s) dentro da equipe ganhadora será prerrogativa


de seu Comandante, e somente a ele caberá decidir se prefere pescar com os pescadores
remanescentes ou substituí-los por outros a seu exclusivo critério, conforme regra estabelecida
pela I.G.F.A.

12
TORNEIO DE ABERTURA E DE ENCERRAMENTO

1. Equipamento
Caniço e carretilha/molinete na estrita observância das características formuladas pela IGFA
para teste de classe de linha até 130 libras (Mono e/ou multifilamento), com parada leader de até
30 pés (9,14m) e linha dupla mais parada leader de 40 pés (12,19m). Entende-se que, em linhas
de multifilamento, o pescador poderá usar complemento em monofilamento, desde que unida por
nó à linha multifilamento.

2. Número de linhas na água


Será permitido o uso de no máximo 6 (seis) linhas n’água. Somente os pescadores inscritos,
no máximo 6 (seis), poderão ferrar e trazer o peixe para embarque ou liberação.

3. Horário
- O horário de saída será a partir das 06:00h, obrigatoriamente após assinatura da súmula de
participação da etapa, pelo comandante ou um pescador inscrito da equipe;
- Nenhuma lancha poderá ultrapassar as bóias que delimitam a entrada do canal do ICRJ antes
deste horário;
- O horário da linha n’água será 08:30 horas. A Comissão de Meteorologia poderá decidir por
linha n’água às 09:00 horas. Neste caso as equipes serão informadas quando da assinatura da
súmula na data da etapa;
- O encerramento do torneio será às 17:00h no local da pescaria;
- O horário de encerramento da pesagem será às 22:00h.

4. Sistema
Os torneios de Abertura e Encerramento serão disputados em uma única etapa, nas
modalidades de embarque ou liberação. Em ambas as modalidades serão obrigatórias a
filmagem. O embarque de uma captura será decidido pelo comandante, levando em consideração
a tabela de pesos por espécie no item 6, “Pontuação”.

5. Peixes Válidos
Swordfish, Spearfish, Sailfish, Marlin Azul, Marlin Branco, Albacora, Cavala, Wahoo, Todas as
espécies de Tubarão, Bonito Oceânico, Dourado e todas as espécies de Atum.

6. Pontuação
Será proclamada vencedora, a equipe que totalizar o maior número de pontos. Todos os
peixes válidos embarcados serão pesados para cálculo da pontuação conforme tabela abaixo:

Swordfish 7 x Kg + 1200 pontos


Spearfish 10 x Kg + 300 pontos
Marlin Azul 8 x Kg + 600 pontos
Marlin Branco 10 x Kg + 300 pontos
Sailfish 10 x Kg + 150 pontos
Atuns 10 x Kg
Albacora 10 x Kg
Bonito Oceânico 10 x Kg
Tubarão 10 x Kg
Cavala 10 x Kg
Wahoo 10 x Kg

13
Dourado 5 x Kg

Para as equipes que optarem pela modalidade de liberação, os pesos a serem


adotados para os exemplares liberados são:

Swordfish 20 kg
Spearfish 20 kg
Marlin Azul 200 kg
Marlin Branco 40 kg
Sailfish 25 kg

7. Premiação
A premiação dos Torneios de Abertura e Encerramento, para as equipes colocadas até o 3º
lugar, será entregue no dia da competição, após o término da pesagem.
Independentemente do numero de pescadores inscritos, serão premiados somente 4 (quatro)
pescadores por equipe, que serão indicados pelo Comandante.

14
XIV TORNEIO DE MARLIN AZUL DO RIO DE JANEIRO
CAMPEÕES:

1997 BOM DE BICO 1998 LAUROCRIWA


Luiz Cláudio A. Rodrigues Jamil da Silva Lessa
Ângela Saade Rodrigues Antonino Pitasi
Marcelo Saade Rodrigues Renato Gil Barbosa
Luiz André Saade Rodrigues Jaime Silva
1999 SUNSET RIO 2000 LAUROCRIWA
Delta Madureira Filho Jamil da Silva Lessa
Paulo Roberto do Rego Lins Antonino Pitasi
Clóvis Marques Ribeiro Renato Gil Barbosa
Jefferson Seixas Brito Jaime Silva
2001 FLYING FISH 2002 KAIALA
Fernando da Costa Garcia Maurício de Souza Paixão
Jayme da Costa Garcia Ricardo Mirsky
Bertolino Loewen Marcelo Jácomo Frey
Paulo Cecchetti Carlos Alberto Andrade
2003 MALOHA 2004 PONTA NEGRA
Danilo Palmer José Vasco Teixeira da Costa
Dilson Palmer João Paulo Teixeira da Costa
Flavio Martins Fernando Pedrosa
Beni Schuvartz Felipe Costa Ricciulli Soares
Silvio Leite Monteiro
2005 JENNY 2006 PICANTE
Victor Adler Luis Carlos Bulhões
Eliseu Soares Filho Alberto Quintaes
Evandro Soares Paulo Vivaqua
Eurico Soares Flavio Campos Reis

2007 PIPELINE 2008 PICANTE


Paulo Fabiano Ferreira Luis Carlos Bulhões
Ricardo Pedrosa Alberto Quintaes
Luciano Carvalho Paulo Vivaqua
Felipe Almeida Rogério Capanema
Bruno Gomes Érico Pereira
Fernando Pedrosa
2009 ABI DE DEUS
Hélio Marques
Mateus Marques
Antonino Pitasi
Felipe Mota
Romeu Valadares
Newton Penna Filho

1. Equipamento e Número de linhas na água


15
Caniço e carretilha/molinete na estrita observância das características formuladas pela IGFA
para teste de linha até 130 libras (Mono e/ou multifilamento), com parada leader de até 30 pés
(9,14m) e linha dupla mais parada leader de 40 pés (12,19m). Entende-se que, em linhas de
multifilamento, o pescador poderá usar complemento em monofilamento, desde que unida por nó
à linha multifilamento.

As equipes serão formadas por até 6 (seis) pescadores previamente inscritos. As demais
pessoas a bordo são proibidas de pescar (ferrar e trazer o peixe), sob pena de desclassificação
da etapa. Será permitido o uso de no máximo 6 ( seis) linhas n’água.
Na utilização de iscas naturais é obrigatório o uso do anzol Circle Hook, non-off set, podendo
ser de qualquer marca e tamanho.

2. Sistema

Será disputado em três etapas, com captação de filmagem obrigatória, de acordo com o item
Captação de Imagens constante nas Regras Gerais do Torneio de Pesca Oceânica.

Em caso de embarque do peixe, o mesmo deverá ter o peso igual ou superior a 200 kg, na
estrita observância das regras da I.G.F.A. É obrigatório o fornecimento da posição de GPS em
cada ataque ou quando solicitado por outra embarcação.

Ao reportar uma ferrada, a equipe deverá informar qual o teste da linha o peixe está fisgado.

Por motivos de segurança do pescador, será permitida a ajuda de membros da equipe, no ato
de retirar o caniço do porta-caniço e leva-lo até a cadeira de pesca.

3. Horário

- O horário de saída será a partir das 06:00h, obrigatoriamente após assinatura da súmula de
participação da etapa, pelo comandante ou um pescador inscrito da equipe;
- Nenhuma lancha poderá ultrapassar as bóias que delimitam a entrada do canal do ICRJ antes
deste horário;
- O horário da linha n’água será 08:30 horas. A Comissão de Meteorologia poderá decidir por
linha n’água às 09:00h. Neste caso as equipes serão informadas quando da assinatura da
súmula na data da etapa;
- O encerramento do torneio será às 17:00h no local da pescaria;
- O horário de encerramento da pesagem será às 22:00h.

5. Peixe Válido:

Marlin Azul

6. Pontuação
Será proclamada vencedora a equipe que totalizar o maior número de pontos, na soma
total das três etapas, de acordo com a tabela de pontuação abaixo:

- Peso mínimo para embarque = 200 kg;


- Peixe embarcado abaixo do peso mínimo (200kg) = receberá 40 pontos negativos, acrescido de
1 ponto negativo por kg abaixo do peso mínimo;(Ex: Marlin de 150kg =- 40+(- 50) = - 90 pontos )
- Todo Peixe liberado = 200 pontos;
16
- Peixe embarcado acima do peso mínimo (200kg) = receberá 200 pontos, acrescido de 2 pontos
por kg que ultrapasse o peso mínimo; ( Ex: Marlin de 250kg = 200 + (50 x 2) = 300 pontos )
- Bônus por linha (peixes embarcados):

TESTE EMBARQUE
30 Libras 3 x (peso - 200)
50 Libras 2 x (peso - 200)
80 Libras 0.5 x (peso - 200)
130 Libras Zero

Todas as linhas utilizadas na captura de peixes válidos deverão ser coletadas para
medição do teste de linha (inclusive as de 130 lbs).
O bônus será dado após confirmação do teste de linha na chegada e a razão de tantos
bônus por cada peixe embarcado, de acordo com tabela acima. O peixe será considerado liberado
quando o distorcedor/parada leader tocar a ponta do caniço. O pescador deverá comunicar a
liberação à estação controle. Para validação do bônus, o equipamento onde foi pescado o peixe
válido deverá ser filmado, junto com a liberação ou, se solicitada pela organização, apresentar
evidencias.
Após a liberação, a equipe poderá decidir embarcar o peixe. Neste caso, quando do
embarque, a equipe deverá reportar o embarque imediatamente a estação controle. Caso o peixe
atinja ou ultrapasse o peso mínimo de 200kg, a equipe ganhará o bônus previsto no item 6 acima.
Caso o peixe fique abaixo do peso mínimo, o mesmo terá aplicada a regra de punição descrita no
item 6 acima. O embarque deverá ser filmado.

Em caso de empate, serão aplicados os seguintes critérios:


1) Menor soma dos testes de linha utilizados para captura dos peixes;
2) Hora do reporte do primeiro peixe embarcado/liberado.

No caso de ferradas múltiplas, não será permitido trabalhar os demais peixes na borda,
enquanto o primeiro peixe estiver sendo liberado/embarcado.

Para peixes na linha, serão concedidos 30 minutos para as embarcações que estiverem
ferradas até as 17:00h.

7. Premiação

Será conferida premiação para as equipes colocadas até o 3º lugar de cada etapa, que
será entregue após o encerramento da pesagem no dia de cada etapa realizada.
As premiações para as equipes colocadas até o 3º lugar no resultado final, o pescador que
capturar o maior exemplar de Marlin Azul do torneio, e aos pescadores que capturarem os
maiores exemplares de Atum e Wahoo, serão entregues na Festa Anual da Pesca.
Independentemente do numero de pescadores inscritos, serão premiados somente 4 (quatro)
pescadores por equipe, que serão indicados pelo Comandante.

6. Classificação para o Torneio IGFA Offshore World Championship


2011 em Cabo San Lucas
Seguira a regra especificada no item Torneio IGFA World Championship 2011, das Regras
Gerais deste Torneio.

17
IX TORNEIO ANUAL DE PEIXES DE OCEANO

CAMPEÕES:

2002 TARPON 2003 FLYING FISH


Marco Ribas Fernando da Costa Garcia
Roberto Martins Jayme da Costa Garcia
Gustavo Carvalho Lima Denison Duque Silva
Carlos Eduardo Moraes Lima Bertolino Lowen
2004 MALOHA 2005 ALHAMBRA
Danilo Palmer Guilhermino Lima
Dilson Palmer Delta Madureira Filho
Heranes Silva João Franklin Machado Filho
Ricardo Pedrosa
2006 TARPON 2007 ANAHEIM RIO
Marco Ribas Wolney Magalhães
Gustavo Carvalho Lima Ralph Magalhães
Chris Badsey Alexandre Drumond
Carlos Eduardo Lima Flávio Pinheiro
2008 ANAHEIM RIO 2009 FLYING FISH / TUNA
Wolney Magalhães Fernando Garcia
Ralph Magalhães Jayme da Costa Garcia
Alexandre Drumond Enzo di Genaro
Flávio Pinheiro Paulo Vilela
Paulo Sendas
Marcelo Agostine

18
1. Equipamento

Caniço e carretilha/molinete na estrita observância das características formuladas pela IGFA


para teste de linha até 130 libras (Mono e/ou multifilamento), com parada leader de até 30 pés
(9,14m) e linha dupla mais parada leader de 40 pés (12,19m). Entende-se que, em linhas de
multifilamento, o pescador poderá usar complemento em monofilamento, desde que unida por nó
à linha multifilamento.

Na utilização de iscas naturais é obrigatório o uso do anzol Circle Hook, non-off set,
podendo se de qualquer marca e tamanho.

2. Equipes e Número de linhas na água


As equipes serão formadas por até 6(seis) pescadores previamente inscritos, que
utilizarão até 6 (seis) linhas n’ água. As demais pessoas a bordo são proibidas de pescar, sob
pena de desclassificação da etapa.

3. Horário
- O horário de saída será a partir das 06:00h, obrigatoriamente após assinatura da súmula de
participação da etapa, pelo comandante ou um pescador inscrito da equipe;
- Nenhuma lancha poderá ultrapassar as bóias que delimitam a entrada do canal do ICRJ antes
deste horário;
- O horário da linha n’água será 08:30 horas. A Comissão de Meteorologia poderá decidir por
linha n’água as 09:00h. Neste caso as equipes serão informadas quando da assinatura da
súmula na data da etapa;
- O encerramento do torneio será às 17:00h no local da pescaria;
- O horário de encerramento da pesagem será às 22:00h.

4. Sistema

O IX Torneio Anual de Peixes de Oceano será disputado paralelamente com o XLVIII Torneio
Anual de Peixes de Bico, sendo, disputado em cinco (5) etapas.

Todas as capturas de peixes válidos da equipe deverão ser embarcadas para pesagem.

Após o encerramento de cada etapa, o resultado de pescaria deverá ser reportado à Sala
Rádio, nas freqüências especificadas nas Regras Gerais.

As equipes inscritas somente neste torneio poderão ter seus materiais inspecionados
quando da chegada ao Clube.

5. Peixes Válidos

Os peixes válidos são os Albacora, Cavala, Wahoo, todas as espécies de Tubarão, Bonito
Oceânico, todas as espécies de Atum, e até 10 exemplares de Dourado por etapa.

Serão observados tamanhos mínimos para as espécies válidas, conforme portarias do


IBAMA em vigor nas datas de realização das etapas.

19
7. Pontuação

Será proclamada vencedora da etapa a equipe que totalizar o maior número de pontos.
Todos os peixes válidos serão pesados para cálculo da pontuação conforme tabela abaixo:

Atuns 10 x Kg
Albacora 10 x Kg
Bonito Oceânico 10 x Kg
Tubarão 10 x Kg
Cavala 10 x Kg
Wahoo 10 x Kg
Dourado 5 x Kg

O desempate nas etapas será feito através do peso da maior peça capturada na etapa e
caso necessário, pelo número de peças apresentadas para pesagem. Será proclamada campeã,
a equipe que conquistar a maior soma de pontos obtidos nas etapas, com descarte do pior
resultado.

A equipe que não comparecer a uma etapa não pontuará, isto é, receberá pontuação zero
na classificação geral. Em caso de empate na classificação geral, o desempate será feito
observando o(s) seguinte(s) critério(s):

- Soma total de pontos (computando inclusive o pior resultado)


- Maior número de peixes
- Maior peixe capturado

7. Premiação

A premiação das etapas para as equipes colocadas até o 3° lugar será entregue no dia da
etapa, no andar superior da Pizzaria Convés do I.C.R.J.

A premiação geral do torneio, para as equipes classificadas até o 5° lugar, e para os


pescadores que capturarem os maiores exemplares de cada espécie, bem como para a equipe
melhor classificada utilizando lancha de até 30 pés, ocorrerá na tradicional Festa Anual da Pesca.

Independentemente do número de pescadores inscritos, serão premiados somente 4 (quatro)


pescadores por equipe, que serão indicados pelo Comandante.

8. Classificação para o Torneio IGFA Offshore World Championship


2011 em Cabo San Lucas

Seguirá a regra especificada no item Torneio IGFA World Championship 2011, das
Regras Gerais deste Torneio.

20
XLVIII TORNEIO ANUAL DE PEIXES DE BICO
1. Equipamento

Caniço e carretilha/molinete na estrita observância das características formuladas pela IGFA


para teste de linha até 130 libras (Mono e/ou multifilamento), com parada leader de até 30 pés
(9,14m) e linha dupla mais parada leader de 40 pés (12,19m). Entende-se que, em linhas de
multifilamento, o pescador poderá usar complemento em monofilamento, desde que unida por nó
à linha multifilamento.

Na utilização de iscas naturais é obrigatório o uso do anzol Circle Hook, non-off set,
podendo ser de qualquer marca e tamanho.

2. Equipes e Número de Linhas na Água

As equipes serão formadas por até 6(seis) pescadores previamente inscritos, que
utilizarão até 6 (seis) linhas n’ água. As demais pessoas a bordo são proibidas de pescar, sob
pena de desclassificação da etapa.

3. Horário
O horário de saída será a partir das 06:00h, obrigatoriamente após assinatura da súmula de
participação da etapa, pelo comandante ou um pescador inscrito da equipe;
Nenhuma lancha poderá ultrapassar as bóias que delimitam a entrada do canal do ICRJ
antes deste horário;
O horário da linha n’água será 08:30h. A Comissão de Meteorologia poderá decidir por linha
n’água as 09:00h. Neste caso as equipes serão informadas quando da assinatura da súmula na
data da etapa. O horário de encerramento do torneio será às 17:00h no local da pescaria. O
horário de encerramento da pesagem será às 22:00h.

4. Peixes Válidos

Sailfish, Marlin Branco, Marlin Azul, Spearfish e Swordfish.

5. Sistema
Será disputado em cinco etapas, descartando-se o pior resultado. A validação da liberação
dos peixes será por meio de captação de filmagem, que deverá seguir as regras da Captação de
Imagens constante nas Regras Gerais do Torneio de Pesca Oceânica. Em caso de dúvida da
espécie do peixe de bico durante a filmagem, o mesmo será pontuado pelo de menor ponto (ex.:
na duvida acerca da espécie de Marlin, os pontos são referentes ao de Marlin Branco, ou, no caso
de total não identificação do peixe de bico, serão dados os pontos referentes ao de sailfish).
Todo e qualquer peixe liberado, só será válido quando a liberação se der com o pescador na
praça de pesca da embarcação. O peixe será considerado liberado, quando a ponta do leader
tocar a ponta do caniço. Qualquer peixe ferrado em duplo strike, ou seja, por dois pescadores ao
mesmo tempo, será invalidado.
A validação da liberação, somente poderá ser efetuada com a retirada da água das demais
linhas, que não estejam com peixe ferrado. Ao validar a liberação de um peixe, as demais linhas
só poderão ser recolocadas na água, após a soltura do mesmo já validado, seja através da
remoção do anzol, do corte da parada ou da ruptura da linha.

21
Nas situações de “doublê” ou “triplê”, ao validar a liberação de um dos peixes, a embarcação
somente poderá iniciar a manobra para liberação dos demais, após a soltura do mesmo já
validado, seja através da remoção do anzol, do corte da parada ou da ruptura da linha.

Será permitida a pesca na proa da embarcação. Todavia, o peixe ferrado na proa, só será
válido se a sua liberação ocorrer na praça de pesca.

6. Conferência do Material

A “Conferência de Material” é um ato do formalismo das regras do Torneio Anual de Peixes


de Bico. O fato de uma equipe ser submetida a este procedimento não pressupõe nenhuma
irregularidade. Nestes casos, o cavalheirismo dos senhores comandantes e demais pescadores
será fundamental ao cumprimento destas rotinas, que são comuns em competições esportivas.
Ao término da etapa, será obrigatória a medição do material composto de 4 conjuntos
completos de leader/linha (incluindo grampo e distorcedor), e de mais 4 (quatro) paradas
utilizadas durante a pescaria, independentemente do numero de pescadores inscritos.
Obrigatoriamente as 5 (cinco) equipes melhores colocadas terão seus materiais conferidos bem
como uma quantidade das demais lanchas, que serão sorteadas ao término da etapa.
Essas lanchas serão avisadas da necessidade de conferência do material pela sala radio,
nas freqüências estipuladas neste regulamento, quando da comunicação por elas da chegada ao
clube.
Todas as lanchas que terão seus materiais conferidos deverão aguardar instruções do staff
de terra que indicará o local de conferência. Esse material será conferido quando da chegada da
lancha ao cais do Iate Clube por membros deste staff. Caso algum material se encontre fora das
medidas, os mesmos serão recolhidos para envio a comissão de medição, em envelope a ser
provido pelo staff de terra no momento da medição. Junto seguirá, ainda, um documento de
medição, detalhando a diferença apurada, assinado pelo membro do staff de terra e pelo
comandante da embarcação.
Não será permitida qualquer tolerância observando-se rigorosamente as medidas
definidas.

A equipe que não entregar o material, conforme acima, perderá os pontos da


etapa.

A Comissão de Conferência irá verificar, em segunda revisão, os materiais que forem


identificados como fora das medidas. Neste caso suas decisões serão soberanas e irrecorríveis.

Os itens a serem observados, referem-se à linha e ao tamanho de linha


dupla/leader/parada, para a classe até 130 lbs. (O leader é limitado a 9,14m (30 pés) de
comprimento. A combinação da linha dupla mais o leader não poderá exceder 12,19 m (40
pés) de comprimento) e o tipo de anzol utilizado (Circle Hook, non-offset).

Solicitamos aos Comandantes e suas equipes que se certifiquem de cada material a ser
utilizado, antes do início de cada pescaria.

A equipe que não passar nos testes descritos acima será desclassificada da
etapa.

22
7. Pontuação
A pontuação será feita por “pontos corridos” alcançados nas 4 (quatro) etapas validas. Será
proclamada vencedora da etapa a equipe que obtiver a maior soma de pontos dentro do seguinte
critério:

Sailfish 100 Pontos


Spearfish 100 Pontos
Marlin Branco 200 Pontos
Marlin Azul 300 Pontos
Swordfish 100 Pontos

A equipe poderá também pesar para efeito de pontuação, ate duas unidades de Dourado,
Wahoo e Atum, desde que filmados e que tenham peso superior a 15Kg, 20Kg e 10Kg
respectivamente. O peso será convertido a pontos na proporção de um (hum) ponto por quilo
cheio.

A súmula deverá ser entregue à Secretaria Geral do Torneio, devidamente preenchida pelo
comandante e pescadores – no caso de a lancha levar um observador, o mesmo também devera
assinar – informando a hora e tipo de peixe de cada liberação, quando válida, e o nome do
pescador que liberou o peixe.

O desempate será feito pelo horário do reporte da liberação de peixe de bico registrado na
Sala de Rádio do ICRJ, sendo definido desde já que, quem empata perde.

Para efeito de registro de recordes da temporada, será permitido o embarque de


exemplares que atendam aos seguintes pesos mínimos:

25 kg para Swordfish;
35 kg para Sailfish;
45 kg para Marlin Branco;
200 Kg para Marlin Azul.

Caso uma equipe decida embarcar um exemplar, deverá comunicar, quando do embarque,
sua decisão à Sala Rádio. Este exemplar deverá ser apresentado para pesagem e caso não atinja
o peso mínimo estipulado para a espécie, será considerado inválido. Portanto, não será
computado para o resultado da etapa.

A classificação de cada etapa será de acordo com a pontuação por peixe descrita acima. A
equipe que não comparecer a uma etapa não pontuará, isto é, receberá a pontuação zero na
classificação geral. Em caso de empate na classificação da etapa e no geral, o desempate se fará
observando os seguintes critérios:

- Soma total de pontos (computando inclusive o pior resultado);


- Maior número de peixes de bico;
- Horário da liberação (quem empata perde).

8. Premiação
23
Para as equipes classificadas até o 3º lugar de cada etapa, a premiação será entregue no
dia da etapa, no andar superior da Pizzaria Convés do I.C.R.J.

A premiação geral do torneio, para as equipes classificadas até o 5º lugar, e para os três
(3) pescadores que mais pontuarem durante as cinco (5) etapas ocorrerá na tradicional Festa
Anual da Pesca.

Independentemente do número de pescadores inscritos, serão premiados somente 4


(quatro) pescadores por equipe, que serão indicados pelo Comandante.

9. Observadores

Seguira a regra estipulada no item Observadores, das Regras Gerais deste Torneio.

10. Reporte de Pesca

Será obrigatório o reporte de cada peixe liberado à Sala de Rádio, por todas as
embarcações, não sendo necessário o fornecimento da posição de GPS.
Caso qualquer embarcação tenha dúvidas quanto o resultado da pescaria de outra equipe
a qualquer tempo, a mesma deverá dirimir suas dúvidas junto à Sala Rádio, nas freqüências
alternativas para comunicação, objetivando assim evitar um congestionamento do canal de
controle.

11. Classificação para o Torneio IGFA Offshore World Championship


2011 em Cabo San Lucas

Seguirá a regra especificada no item Torneio IGFA World Championship 2011, das
Regras Gerais deste Torneio.

24
XVIII TORNEIO DE CABO FRIO MARLIN INVITATIONAL
COMISSÃO ORGANIZADORA
Mario José de Carvalho Gonçalves

COMISSÃO DE CONFERÊNCIA
Carlos Eduardo Moraes Lima
Marco Ribas
Ricardo Mirsky

CAMPEÕES:
1994 MISS FLAMENGO 1995 BACCARAT
Hélio Barroso Carloman Maia de Oliveira
Arthur Redig Rogério Capanema Filho
Patrick Josquin Eliseu Soares Filho
Luis Carlos Nolasco Evandro Soares
1996 MEGASTAR 1997 SUNSET RIO
Paulo Sérgio Ribeiro Barreto Delta Madureira Filho
Fernando Regadas Paulo Roberto do Rego Lins
Marcelo Guerreiro Alberto Quintaes
Eduardo Oliveira Marcelo Teixeira Soares
1998 SARGAÇO 1999 LAUROCRIWA
João Franklin Machado Filho Jamil da Silva Lessa
Luiz Renato de Oliveira Neto Renato Gil Barbosa
Gabriel Secchin Antonino Pitasi
Erich Baumeier Neto Jaime Silva
2000 VIDA MANSA 2001 KOMPLOTT
Carlos Rodemburg José Wagner
Otto Loureiro de Noli Vergueiro Eurico Soares
Pedro Bertrand
Marcelo Duque Silva
Ricardo Pedrosa
2002 SIERRA 2003 TATI-I
Lamarck Rocha Raphael Coutinho
Peter Laszlo de Fejes Dácio Pires Jardim
Jorge Matheus de Lima Luiz Américo
2004 PONTA NEGRA 2005 PERVERSA
José Vasco Teixeira da Costa Caetano Fabrini
João Paulo Teixeira da Costa Fernando Fabrini
Fernando Antônio Gomes Pedrosa Caio Alfaya
Felipe da Costa Ricciulli Soares Cristiano Santos
2006 VIRA LATA 2007 PIPELINE
Mario Merçon Paulo Fabiano Ferreira
Li Merçon Bruno Gomes
Flavio Reis Fernando Pedrosa
João Victor Dias Luciano Carvalho
Ricardo Pedrosa
2008 Dito & Feito 2009 PONTA NEGRA
Carlos Alberto Ribeiro João Paulo Teixeira da Costa
Eliseu Soares Neto Fernando Pedrosa
Titus Von Bertrand Marcelo Saade
Eduardo Torres Nahuys Antônio Vilarejo

25
MAIORES MARLINS AZUIS:
1994 241,0 kg Luis Carlos Nolasco MISS FLAMENGO
1995 294,0 kg Evandro Soares BACCARAT
1996 307,0 kg Eduardo Aranha SPLENDORE
1997 369,0 kg Alberto Quintaes SUNSET
1998 481,6 kg Walter Godoy ANDESA
1999 546,8 kg Renato Gil Barbosa LAUROCRIWA
2000 243,0 kg Luiz Carlos Almeida SARGAÇO
2001 575,0 kg Eurico Soares KOMPLOTT
2002 423,0 kg Walter Godoy ANDESA
2003 349,0 kg Raphael Coutinho TATI-I
2004 390,0 kg João Paulo Teixeira da Costa PONTA NEGRA
2005 279,5 kg Miguel Dórea REGINA DÓREA
2006 420,5 kg João Victor Dias VIRA LATA
2007 329,5 Kg Paulo Vivacqua PICANTE
2008 477,0 kg Renato Gil Barbosa LAUROCRIWA
2009 464,0 kg Antônio Vilarejo PONTA NEGRA

1. Equipamento

Caniço e carretilha/molinete na estrita observância das características formuladas pela


IGFA para teste de classe de linha até 130 libras (Mono e/ou multifilamento), com parada leader
de até 30 pés (9,14m) e linha dupla mais parada leader de 40 pés (12,19m). Entende-se que, em
linhas de multifilamento, o pescador poderá usar complemento em monofilamento, desde que
unida por nó à linha multifilamento.
Na utilização de iscas naturais é obrigatório o uso do anzol Circle Hook, non-off set, podendo
ser de qualquer marca e tamanho.

2. Número de linhas na água

As equipes serão formadas por até 6(seis) pescadores previamente inscritos, que
utilizarão até 6 (seis) linhas n’ água. As demais pessoas a bordo são proibidas de pescar, sob
pena de desclassificação da etapa.

3. Horário

- O horário de saída será a partir das 05:00h;


- Nenhuma lancha poderá ultrapassar as bóias que delimitam a entrada do canal do ICRJ antes
deste horário;
- O horário da linha n’água será as 08:30h. O encerramento do torneio será as 16:00h no local
da pescaria e o horário de encerramento da pesagem será às 22:00h.

4. Sistema

Será disputado em três etapas e com captação de filmagem obrigatória, de acordo com o item
Captação de Imagens constante nas Regras Gerais do Torneio de Pesca Oceânica.
Em caso de embarque do peixe, o mesmo deverá ter o peso igual ou superior a 250 kg, na
estrita observância das regras da I.G.F.A.
É obrigatório o fornecimento da posição de GPS em cada ataque ou quando
solicitado por outra embarcação.

5. Peixe Válido
26
Marlin Azul.

6. Reporte dos Peixes

A Sala Rádio utilizará o ECO-23 (Estação Costeira da Sub-sede de Cabo Frio do I.C.R.J.),
ao qual devem ser reportados todos os eventos. Às 16:00h, após o anúncio do encerramento do
Torneio, o mesmo solicitará confirmação das embarcações que já tenham anunciado peixe na
linha, às quais serão concedidos 60 minutos adicionais. As mesmas, serão novamente contatadas
às 17:00h, tempo limite para validação do peixe. Todos os reportes deverão ser feitos pela
frequência 8390.0 do SSB.

É obrigatório o reporte de cada ataque de peixes, bem como, a confirmação de seu


embarque, liberação ou perda à Sala Rádio e posição de GPS à qual também deverá ser
fornecido sempre que solicitada por outra embarcação. Ao reportar uma ferrada, a equipe deverá
informar à Sala Rádio, qual o teste da linha em que o peixe está fisgado.

9. Meteorologia

O cancelamento ou o adiamento de uma etapa será resolvido pela Comissão de


Meteorologia.

8. Pontuação

Será proclamada vencedora da etapa a equipe que obtiver a maior soma de pontos dentro
do seguinte critério:
Será proclamada vencedora, a equipe que totalizar o maior número de pontos, na soma total
das três etapas, de acordo com a tabela de pontuação abaixo:
- Peso mínimo para embarque = 250 kg
- Peixe embarcado abaixo do peso mínimo= receberá 50 pontos negativos, acrescido de 1 ponto
negativo por kg abaixo do peso mínimo; (Ex: Marlin de 200kg =- 50 + (- 50) =-100 pontos )
- Todo peixe liberado = 250 pontos
- Peixe embarcado acima do peso mínimo (250kg) = receberá 250 pontos, mais 2 pontos
por kg que ultrapasse o peso mínimo; ( Ex: Marlin de 300kg = 250 + (50 x 2) = 350
pontos )

- Bônus por linha (peixes embarcados) :

Teste Bônus
30 Libras 3 x (peso - 250)
50 Libras 2 x (peso - 250)
80 Libras 0.5 x (peso - 250)
130 Libras Zero

Todas as linhas utilizadas na captura de peixes válidos deverão ser coletadas para
medição do teste de linha (inclusive as de 130 lbs).

27
O bônus será dado após confirmação do teste de linha na chegada (através da medição do
teste de linha), a razão de tantos bônus por cada peixe embarcado, na referida classe de linha, de
acordo com a tabela acima. Para validação do bônus, o equipamento onde foi pescado o peixe
válido deverá ser filmado, junto com a liberação ou, se solicitada pela organização, apresentar
evidências.
O peixe será considerado liberado quando o distorcedor/parada leader tocar a ponta do
caniço ou quando o ajudante/pescador (wire man) segurar o leader.

Após a liberação, a equipe poderá decidir embarcar o peixe. Neste caso, quando do
embarque, a equipe deverá reportar o embarque imediatamente a estação controle. Caso o peixe
atinja ou ultrapasse o peso mínimo de 250kg, a equipe ganhará o bônus previsto no item 6 acima.
Caso o peixe fique abaixo do peso mínimo, o mesmo terá aplicada a regra de punição descrita no
item 6 acima. O embarque deverá ser filmado.

10. Premiação

Serão premiadas as três equipes primeiras colocadas das etapas.

As três equipes primeiras colocadas do Torneio, bem como o maior exemplar de Marlin
Azul, e ainda o maior exemplar de Atum e de Wahoo, serão premiados, com premiação a ser
entregue na Festa Anual da Pesca.

Independentemente do número de pescadores inscritos, serão premiados somente 4


(quatro) pescadores por equipe, que serão indicados pelo Comandante.

11. Classificação para o Torneio IGFA Offshore World Championship


2011 em Cabo San Lucas

Seguirá a regra especificada no item Torneio IGFA World Championship 2011, das
Regras Gerais deste Torneio.

28
X TORNEIO DE PESCA 27,5’
1. Do Torneio
O teste de linha é livre e deve ser utilizado caniço e carretilha/molinete na estrita observância
das características formuladas pela IGFA para teste de classe de linha até 130 libras (Mono e/ou
multifilamento), com parada leader de até 30 pés (9,14m) e linha dupla mais parada leader de 40
pés (12,19m). Entende-se que, em linhas de multifilamento, o pescador poderá usar complemento
em monofilamento, desde que unida por nó à linha multifilamento.
É obrigatória a assinatura da súmula de participação pelo comandante ou seu preposto na
manhã do Torneio.
2. Das Embarcações
Embarcações de tamanho até 8,40 m LOA (Length Overall). Todas as embarcações deverão
possuir rádio VHF em perfeitas condições de operação/comunicação, equipamento GPS para
fornecer posição quando solicitado, bem como todos os equipamentos de segurança requeridos
legalmente.

3. Horário
- O horário de saída será a partir das 07:00h, obrigatoriamente após assinatura da súmula de
participação da etapa, pelo comandante ou um pescador inscrito da equipe;
- Nenhuma lancha poderá ultrapassar as bóias que delimitam a entrada do canal do ICRJ antes
deste horário;
- O horário da linha n’água será livre ;
- O encerramento do torneio será às 17:00h nas mesmas bóias de saída;
- O horário de encerramento da pesagem será às 22:00h.
- Cada embarcação deverá anunciar à Estação de Controle sua saída para pesca e chegada ao
clube;
- Excepcionalmente as equipes do Marina Barra Clube, inscritas no torneio, poderão sair daquele
local, no mesmo horário de saída estabelecido, informando sua saída para ECO 21 pelo canal 73
VHF.

12. Da Segurança do Torneio


Para efeito de segurança, o Torneio se dará em área específica e todas as embarcações
deverão pescar nesta área. A embarcação que pescar fora da área pré-estabelecida será
sumariamente desclassificada, não cabendo qualquer recurso. A área onde se dará o torneio é
um quadrado compreendido entre 42W 49 000 com 43W 12 000 de longitude até a latitude
23S 21 000. Esta área é um trecho de 20 milhas náuticas compreendido entre o alinhamento da
Redonda com um pouco depois das ilhas Maricás, por até 20 milhas náuticas da costa
(aproximadamente na altura da linha de 100 metros de profundidade).
Cada equipe deverá informar ainda, por motivo de segurança, a cada hora cheia, sua posição
(Latidude e Longitude) para a Estação de Controle (ECO 21) através do canal 73 do VHF.

É obrigatório o reporte à estação controle quando da captura dos peixes.

A critério exclusivo da comissão organizadora, no dia do torneio, poderá esta decidir por
alterar a área estabelecida, definindo novo limite de latitude (23 26 000 ) caso a água de pesca,
não esteja na área originalmente determinada .

13. Das Equipes

As equipes poderão ser formadas por até 6 pescadores, e no máximo 6 linhas n’água.

29
14. Peixes Válidos
São válidos todos os peixes de oceano, que serão pesados no retorno ao Clube.

15. Pontuação
A pontuação será feita com base no peso do peixe (1.000 gramas igual a um ponto)
sendo ainda conferido um bônus adicional por peixe capturado, conforme tabela e
aplicação dos cálculos demonstrados a seguir:

PEIXE PONTOS LIMITE


Marlin Azul 200 1 unid
Marlin Branco 150 1 unid.
Sailfish 75 3 unid.
Dourado (>= 5kg) 10 15 unid.
Atum/Wahoo 15 n/a
Bonito/Dourado (<5 kg) 5 n/a

Para cálculo do número de pontos, serão computados o peso total apurado mais o número de
peixes de cada espécime multiplicado pelos pontos definidos (segunda coluna da tabela acima)
até o limite estabelecido para pesagem (terceira coluna da tabela acima).

Em caso de empate, sairá vencedor aquele que tiver capturado a maior peça.

16. Meteorologia
O cancelamento ou o adiamento do torneio será decidido pela comissão organizadora
levando-se em consideração as informações meteorológicas, sempre no intuito de preservar a
segurança e integridade física dos participantes.

No caso de cancelamento do torneio por motivos meteorológicos, será hasteada a


bandeira vermelha no mastro do cais do I.C.R.J. na véspera do Torneio.

17. Premiação
Serão premiadas as três equipes primeiras colocadas, ao término da apuração dos
resultados no dia do torneio.

Será premiado também o pescador que capturar o maior Dourado e aquele que capturar o
peixe mais pesado (não Dourado).

18. Conferência de Material


A critério exclusivo da Comissão do Torneio, uma ou mais equipes pescando dentro da
categoria livre, poderão ser solicitadas a apresentar amostra do material utilizado para
verificação de aderência aos regulamentos do torneio. O fato da equipe ser escolhida não
pressupõe, em qualquer hipótese, nenhuma irregularidade por parte da mesma.

30
I TORNEIO ELE & ELA DE PESCA OCEÂNICA

1. Do Torneio

O teste de linha é de até 30lbs e o equipamento autorizado é caniço e carretilha/molinete na


estrita observância das características formuladas pela I.G.F.A. para o teste de linha utilizada.
É obrigatória a assinatura da súmula de participação pelo comandante ou seu preposto na
manhã do torneio.

2. Número de linhas na água

As equipes serão formadas por até (4)quatro pescadores (1 linha n’agua por pescador), as
quais devem estar inscritas no Departamento de Pesca até a véspera do torneio. Cada equipe
devera ter, no mínimo, 2 (duas) pescadoras.

3. Horário

- O horário de saída será a partir das 06:00h, obrigatoriamente após assinatura da súmula de
participação da etapa, pelo comandante ou um pescador inscrito da equipe;
- Nenhuma lancha poderá ultrapassar as bóias que delimitam a entrada do canal do ICRJ antes
deste horário;
- O horário da linha n’água será 08:00h;
- O encerramento do torneio será às 17:00h no local da pescaria;
- O horário de encerramento da pesagem será às 22:00h.

4. Sistema

As equipes deverão seguir as regras da IGFA. Os materiais usados não serão conferidos,
porém recomendamos que as regras fossem seguidas. Os comandantes farão o papel dos
observadores, sendo os mesmos responsáveis por verificar se as regras do regulamento estão
sendo seguidas.
Será disputado em etapa única, com registro de liberação dos peixes por meio de filmagem
obrigatória, de acordo com o item Captação de Imagens constante nas Regras Gerais do Torneio
de Pesca Oceânica.
Os comandantes podem orientar, mas não ajudar as pescadoras. A liberação do peixe se dará
quando o leader encostar a ponta do caniço.

5. Peixes Validos
Todos os peixes de Oceano deverão ser ferrados e embarcados para pontuar. Os peixes de
bico (Marlin Azul, Marlin Branco e Sailfish), poderão ser embarcados a critério do comandante em
decisão conjunta com a pescadora.

6. Reporte dos Peixes


O reporte é obrigatório de todos os peixes para a Estação Controle (ECO 21 pelo canal 68 ou
73 de VHF), com o tipo de peixe, nome da embarcação e da pescadora. Quando solicitada, a
embarcação deverá dar a sua posição de GPS para as demais lanchas no torneio.

31
7. Pontuação

A pontuação será por espécie de acordo com a tabela a seguir:

TIPOS DE PEIXES PONTOS


MARLIN AZUL 300
MARLIN BRANCO 200
SAILFISH 100
ATUM/WAHOO 50
BONITO 50
DOURADO 25

O critério de desempate será o horário de captura do peixe, onde quem empata perde.

8. Premiação

Serão premiadas as 3 primeiras colocadas, e a pescadora que capturar a maior peça (não
peixe de bico).

32
PRÊMIOS ESPECIAIS
CHALLENGE CUP
Este troféu será concedido aos pescadores que capturarem, dentro das regras definidas pela
IGFA, durante a temporada de pesca oceânica do ICRJ, os maiores exemplares (mais pesados)
de Marlin Azul, Marlin Branco, Swordfish e Sailfish.
Para que um pescador não-associado do I.C.R.J. tenha direito a concorrer a CHALLENGE CUP, é
necessário que tenha participado de pelo menos dois dos torneios promovidos pelo I.C.R.J. na
temporada.O peixe deve ser pesado na sede do I.C.R.J. ou em uma de suas sub-sedes utilizando
equipamento para pesagem reconhecido como padrão oficial pela Diretoria de Pesca. A
premiação será entregue na Festa Anual da Pesca.

TROFÉU GRAND SLAM


Destina-se a premiar o primeiro pescador da Temporada a capturar ou liberar um exemplar de
Marlin Azul, de Marlin Branco e de Sailfish. Somente serão consideradas as capturas válidas,
dentro das regras da IGFA e efetuadas durante a realização dos Torneios que compõem a
Temporada de Pesca Oceânica do ICRJ.

TROFÉU TWIN DISC EFICIÊNCIA


Será concedido a equipe que totalizar o maior número de pontos considerando o Torneio de
Abertura, o Torneio de Encerramento e as cinco etapas do Torneio Anual de Peixes de Bico no
total de sete resultados. Será adotada a pontuação COSAPYL, com o descarte dos dois piores
resultados em pontos. A Premiação consistirá em registrar o nome da equipe na peanha do Troféu
Twin Disc Eficiência, que ficará em exposição na Sala de Pesca até que uma equipe tenha posse
definitiva por Ter sido vencedora três vezes. Este prêmio objetiva premiar a equipe mais eficiente
da Temporada nos 3 eventos mais antigos do clube.

TROFÉU I.C.R.J. – Manoel Leão


Será concedido as três equipes de fora do Estado do Rio de Janeiro, melhores colocadas no
Torneio Anual de Peixes de Bico, e destina-se a premiar equipes de clubes co-irmãos que
prestigiam nosso Torneio maior. Será premiada ainda a equipe melhor colocada por etapa.

TROFÉU TIMONEIRO CAMPEÃO


Será concedido ao timoneiro da equipe campeã, que receberá um prêmio e terá seu nome
registrado na peanha do Troféu em exposição na Sala de Pesca até que um timoneiro tenha
posse definitiva por ter sido vencedor por três vezes.
Os prêmios serão entregues na Festa Anual da Pesca.

TROFÉUS RECORDISTAS DA TEMPORADA


Serão premiados os pescadores que capturarem os maiores exemplares da temporada de
Albacora, Atum Amarelo, Atum Bigeye, Atum Preto, Bonito Oceânico, Cavala, Dourado, Spearfish,
todas as espécies de Tubarão e Wahoo.

Após a Publicação deste Regulamento novos Prêmios Especiais poderão ser oferecidos,
sendo divulgados oportunamente em comunicados específicos.

33
REGULAMENTO PARA AS EQUIPES QUE
REPRESENTAREM O ICRJ EM TORNEIOS
INTERNACIONAIS
Os comandantes das equipes que forem representar o ICRJ em Torneios Internacionais,
independente do apoio financeiro prestado pelo clube , assumem os seguintes compromissos:

1- No retorno ao Brasil , a equipe deverá fazer uma palestra na Diretoria de Pesca do


ICRJ , sobre a sua participação no Torneio , com o objetivo de trazer informações
técnicas aos pescadores do clube, no prazo de ate 120 dias;
2- Usar nos uniformes da equipe o nome e logo do ICRJ;
3- Levar a bandeira do ICRJ e do Brasil para serem utilizadas em eventuais
fotografias e filmagens;
4- Mencionar o nome do ICRJ em eventuais entrevistas a Tv , revistas e jornais.

34
REGULAMENTO DA I.G.F.A.
As Regras abaixo foram formuladas pela I.G.F.A. com o objetivo de promover a prática da pescaria esportiva dentro de certos padrões,
de estabelecer regras uniformes para a manutenção de quadros de recordes mundiais de espécies marinhas e de fornecer regras
básicas de pescaria para uso em torneios e em quaisquer outras atividades de pescaria em grupo.
Quaisquer alterações das regras da I.G.F.A. têm que ser votadas pelos Diretores e pelo Comitê Executivo, antes que possam ser
adotadas para efeito de registro de recordes mundiais.
A palavra “pescaria” é definida como a captura ou tentativa de captura de peixe com o uso de caniço molinete/carretilha, linha e anzol,
de acordo com as regras internacionais abaixo descritas. Há alguns aspectos de pescaria que não podem ser controlados através de
regras escritas. As regras sobre pescaria não podem assegurar uma performance espetacular de cada um dos peixes capturados e os
recordes mundiais não podem indicar o grau de dificuldade da captura de um peixe. As capturas em que o peixe não lutou ou ao qual
não foi dada a chance de lutar não refletem nenhum crédito para o pescador, e somente este pode avaliar adequadamente o grau de
sua performance ao estabelecer o recorde.
Apenas os peixes capturados de acordo com as regras internacionais da I.G.F.A. e dentro do espírito do que essas regras dispõem,
serão considerados para registro de recorde mundial.

REGRAS A RESPEITO DOS EQUIPAMENTOS


A – LINHAS
1 – Linhas de um só filamento de material plástico (monofilamento), linhas de vários filamentos de material plásticos (multifilamento) e,
linhas de material plástico com alma de metal trançado são permitidas.
2 – Linhas exclusivamente de metal são proibidas. – LINE BACKING
1 - Linha de baixo não emendada ao final da linha de pesca é permitida, sem restrição de tamanho ou material.
2 - No caso do pescador usar o dispositivo de linha emendada, a captura será classificada pelo teste da linha mais forte (pesada). A
linha de trás (que servirá de berço para linha fina) não poderá ultrapassar 60 kg (130 lb), de teste, a qual também deverá ser do tipo
aprovado para uso por este regulamento.
C – LINHA DUPLA
Não é necessário o uso da linha dupla. Caso seja usada, deve observar as seguintes especificações:

1 – A linha dupla deve ser feita com a mesma linha usada na captura do peixe.
2 – A linha dupla é medida desde o nó ou alça em que ela se transforma em dupla, até o ponto mais distante deste outro, indo até
qualquer nó, alça, distorcedor ou outro meio que se use para fixar o anzol, a isca, o leader ou a parada na linha dupla. Nas classes,
incluindo até 10 kg (20 lb), a linha dupla deverá ser limitada até 4,57m (15 pés). A combinação, comprimento da linha dupla mais o
leader, não poderá exceder 6,10m (20 pés). A linha dupla nas classes acima de 10 kg (20 lb) deverá ser limitada a 9,14m (30 pés). A
combinação da linha dupla mais o leader, não poderá exceder 12,19m (40 pés).

Não é necessário o uso do leader. Caso ele seja utilizado deverá observar as seguintes regras:

1 – O comprimento do Leader significa o comprimento total, incluindo qualquer isca ou parada, distribuição de anzóis ou qualquer outro
instrumento. O leader deve estar interligado a uma linha por um nó, alça ou qualquer instrumento.
Nas classes até 10 kg (20 lb), o leader é limitado a 4,57m (15 pés) de comprimento. A combinação da linha dupla mais o leader não
poderá exceder 6,10 m (20 pés) de comprimento.

O Leader nas classes acima de 10 kg (20 lb) deverá ser limitado a 9,14m (30 pés) de comprimento. A combinação da linha dupla mais
o leader não poderá exceder 12,19 m (40 pés) de comprimento. C
OO O
1 – Os caniços devem estar de acordo com a ética esportiva e os costumes. É permitida considerável liberdade na escolha de um
caniço, mas aqueles que deem ao pescador vantagem desusada serão desclassificados. Esta regra objetiva eliminar o uso de caniços
não convencionais.
2 – A parte de cima do caniço que vai de berço onde se apoia o molinete/carretilha até sua ponteira deve ter no mínimo 40 polegadas
(101,60 cm) de comprimento. O Cabo não pode exceder 27 polegadas (68,58 cm) de comprimento. Essas medidas deverão ser
tomadas a partir do ponto que fica no centro do lugar em que o molinete/carretilha se apoia.
Os cabos curvos são medidos em linha reta. (As medidas acima não se aplicam aos caniços usados na pesca de lançamento).

1 – Os molinetes/carretilhas devem estar de acordo com a ética esportiva e os costumes.


2 – Os molinetes/carretilhas movidos artificialmente, por qualquer forma, são proibidos. Essa proibição inclui os molinetes/carretilhas
movidos a motor, hidráulico, por eletricidade, ou qualquer instrumento que dê ao pescador alguma vantagem desmedida.
3 – Os molinetes/carretilhas que tenham o braço desmedidamente alongados são proibidos.
4 – Os molinetes/carretilhas que possuem ser enrolados com ambas as mãos ao mesmo tempo são proibidos.G – ANZÓIS PARA
PESCARIA COM ISCA NATURA L
1 – Para pescaria com isca natural, viva ou morta, não é permitido o uso de mais que 2 (dois) anzóis simples. Ambos devem estar
firmemente encravados ou ligados à isca. A distância do olho de um anzol para outro não pode ser menor do que o comprimento do
maior dos dois anzóis utilizados e não poder ser maior que 18 (dezoito) polegadas (45,72 cm). A única exceção é que a ponta de um
anzol pode passar por dentro do olho do outro anzol.
2 – O uso das chamadas paradas de fundo para pescaria é aceito somente se for no máximo de 2 (dois) anzóis simples em paradas
separadas. Ambos os anzóis devem estar encravados nas respectivas iscas e separados o suficiente para que o peixe ferrado em um
anzol não possa também ser ferrado pelo outro.
3 – Todos os pedidos de recordes feitos para peixes capturados em equipamentos de dois anzóis devem ser acompanhados de uma
fotografia ou desenho da combinação utilizada.
H – ANZÓIS E ISCAS ARTIFICIAIS
1 – Quando usando uma isca artificial do tipo “teaser”, com uma saia ou outro material semelhante, não se poderá interligar com a linha
ou com a parada mais do que dois anzóis simples. Os anzóis não tem que estar interligados com a parada separadamente. A distância
entre os olhos dos anzóis não pode ser inferior ao comprimento maior dos anzóis, e não pode ser maior do que 12 polegadas (30,48
cm). A única exceção é que a ponta de um anzol pode passar por dentro do olho do outro anzol. O Anzol de trás não pode estar mais
distante do que o comprimento de um dos anzóis, a partir da saia da isca artificial. Uma fotografia ou desenho mostrando a
combinação utilizada tem que acompanhar o pedido de recorde.

35
2 – Garatéias são permitidas quando unidas a iscas artificiais que sejam especificamente destinadas a esse uso. As garatéias serão
limitadas ao máximo de duas e essas duas garatéias podem estar combinadas em duas garatéias simples, duplas ou triplas, ou
qualquer combinação de duas delas. Esses anzóis tem que estar permanentemente e diretamente ligados à isca artificial e devem
poder balançar livremente. Uma fotografia ou desenho da isca artificial deve ser submetida junto com o pedido de recorde. Se isso não
for suficiente, a própria isca artificial pode ser solicitada.
I – OUTROS EQUIPAMENTOS
– Não podem ter artifícios de propulsão mecânica que ajudem o pescador na luta com o peixe.
– Devem balançar livremente, o que inclui os suportes que se movimentam no sentido vertical apenas. Qualquer
suporte que permita ao pescador descansar enquanto trava a luta com o peixe é proibido.
– Usadas para embarcar o peixe ou trazê-lo à terra firme não pode exceder 8 pés (2,44 m) em seu comprimento
total. Quando se estiver usando um bicheiro destacável, o cabo (corda) não pode exceder a 30 pés (9,14 m). Quando se estiver
pescando de uma ponte, de um píer ou de uma plataforma alta esse limite de comprimento não se aplica. Esse cabo deve ser medido
da extremidade em que é ligado à parte destacável do bicheiro, até a outra extremidade. Só será considerado o comprimento real. Se
for utilizado um bicheiro não destacável, as mesmas limitações se aplicam e o cabo será medido até o ponto em que se esteja preso
ao bicheiro. Apenas um anzol é permitido em qualquer tipo de bicheiro. Os arpões ou lanças são proibidos.
– São proibidas, à exceção de algum mecanismo de pequeno tamanho ligado à linha ou ao leader com a única finalidade de regular a
profundidade da isca. O mecanismo de flutuação não, pode, de forma alguma, dificultar a capacidade de luta do peixe.
– Com ou sem anzol, são proibidos e, não podem ser utilizados para qualquer finalidade, incluindo o ato de isca, ferrar, lutar, ou
embarcar o peixe.
– São permitidos desde que a linha real de pescaria esteja ligada a qualquer desses instrumentos por uma alça ou a outro qualquer
mecanismo semelhante. O leader e a linha dupla não podem estar ligados a essa alça
ou a outro qualquer mecanismo de libertação, quer diretamente quer com o uso de instrumento de interconexão. Uma linha de
segurança pode estar ligada ao molinete/carretilha desde que ela não auxilie o pescador, por qualquer forma, na luta com o peixe.

REGRAS A RESPEITO DA PESCARIA

1 – A partir do momento em que o peixe ataque ou tome a isca, natural ou artificial, o pescador deve ferrar, lutar e trazer o peixe até o
bicheiro sem o auxílio de qualquer outra pessoa, ressalvado o disposto nestas regras.
2 – Se suporte de caniço estiver sendo utilizado e o peixe atacar ou tomar a isca, natural ou artificial, o pescador deve retirar o caniço
do suporte tão rápido quanto possível. O objetivo desta regra é fazer com que o pescador ferre o peixe com o caniço na mão.
3 – No caso de um ataque múltiplo em linhas separadas que estejam sendo utilizadas pelo mesmo pescador, apenas o primeiro peixe
com que o pescador lutar será considerado para efeito de recorde mundial.
4 – Se uma linha dupla for usada, a intenção do regulamento é que luta com o peixe, na maior parte do tempo, seja feita na linha
simples.
5 – O suspensório pode ser interligado ao molinete/carretilha ou ao caniço, mas não à cadeira de pesca. O suspensório pode ser
recolocado ou arrumado por outra pessoa que não o pescador.
6 – O uso de cinto com suporte de caniço é permitido.
7 – Quando pescando de uma embarcação, uma vez que o leader esteja ao alcance do marinheiro, ou que toque na ponta do caniço,
mais do que uma pessoa pode segurar o leader.
8 – Uma ou mais pessoas podem utilizar o bicheiro, além das pessoas que estiverem segurando o leader. O cabo de bicheiro deve
estar na mão quando o peixe for embicheirado.
9 – As regras definidas para a pescaria e para os equipamentos deverão ser obedecidas até o momento da pesagem do peixe.

ATOS QUE DESQUALIFICAM UMA CAPTURA

1 – Deixar de observar as regras com respeito a equipamentos e a pescaria.


2 – O ato de outras pessoas que não o pescador tocar qualquer parte do caniço, linha ou molinete/carretilha, incluindo a linha dupla,
quer com qualquer parte do seu corpo ou com qualquer instrumentos durante a luta com o peixe, ou ato de prestar qualquer auxílio que
não os permitidos pelas regras e regulamentos. Se um obstáculo à passagem da linha através das roldanas tiver que ser removido da
linha, esse obstáculo (quer ele seja engôdo, pedaço de elástico ou qualquer outro material) poderá ser segurado e cortado. Durante
esse processo, em nenhuma circunstância, a linha pode ser segurada ou tocada por qualquer outra pessoa que não o pescador.
3 – Descansar o caniço num suporte de caniço ou na popa da embarcação ou em qualquer outro objeto, enquanto estiver lutando com
o peixe.
4 – Pescar com linha na mão ou usar uma linha de mão ou cabo (corda) interligado, por qualquer modo, com a linha do pescador, ou
com o leader, com o objetivo de segurar ou içar o peixe.
5 – Atirar ou arpoar o peixe que estiver sendo trabalhado, inclusive tubarões, durante qualquer estágio da captura.
6 – Engodar ou usar como isca carne, pele ou outra parte de mamíferos, que não sejam cabelo ou pele de porco usados em iscas
artificiais destinadas à pesca de corrico ou lançamento.
7 – Dirigir um peixe que esteja ferrado de uma embarcação para o raso de um modo a retirar do peixe sua capacidade normal de
nadar.
8 – Trocar o caniço ou molinete/carretilha enquanto o peixe estiver sendo trabalhado.
9 – Cortar a linha simplesmente emendá-la com outra enquanto o peixe estiver sendo trabalhado
10 – Ferrar o peixe por fora de maneira intencional.
11 – Capturar o peixe de tal maneira que a linha dupla não ultrapasse a ponta do caniço.
12 – Usar tipos ou tamanhos de iscas de aquisição ilegal.
13 – Amarrar a linha ou o leader ao barco ou a qualquer outro objeto com o intuito de segurar ou içar o peixe.
14 – Se um peixe soltar antes de ser embicheirado, colocado no puçá ou outro instrumento utilizado para auxiliar o embarque do peixe,
e for recapturado por qualquer outro método não aceito pelas regras de captura.
15 – Quando o caniço quebrar de tal maneira que fique reduzido o seu comprimento, abaixo das dimensões mínimas, ou que
prejudique séria as características do caniço.
16 – Mutilações ao peixe, causadas por tubarões, outros peixes, mamíferos ou hélices que removam a carne do peixe ou nela
penetrem (ferimentos causados pelo leader ou pela linha, arranhões, velhas cicatrizes já curadas ou deformidades de regeneração não
são consideradas como ferimentos que desqualifiquem a captura). Qualquer mutilação no peixe deve ser mostrada em fotos,
cabalmente explicada em um relatório separado que deverá acompanhar o pedido de registro de recorde.
17 – Quando o peixe for ferrado por mais de uma linha. São mantidos os recordes para homens e mulheres nas seguintes classes de
linha, limitados e determinados espécies. Recordes de equipamentos livre são mantidos para os mais pesados peixes de cada espécie
capturados por um pescador em qualquer das classes de linha até 130 Lbs (60kg)
36
SISTEMA MÉTRICO (kg) SISTEMA AMERICANO (lb)
1 2
2 4
3 6
4 8
6 12
8 16
10 20
15 30
24 50
37 80
60 130

TESTES MÁXIMOS DE LINHAS PERMITIDAS PARA EFEITO DE REGISTRO DE RECORDE

ESPÉCIE SISTEMA MÉTRICO (kg) SISTEMA AMERICANO(lb)


Albacora 37 80
Bonito Oceânico 15 30
Dourado 37 80
Sailfish 37 80
Marlin Azul 60 130
Marlin Branco 60 130
Tubarão 60 130
Swordfish 60 130
Atum Preto 24 50
Atum Amarelo 60 130
Atum Azul 60 130
Wahoo 60 130

VERIFICAÇÃO DO TESTE DE LINHA

A I.G.F.A. testa todas as amostras de linha a ela submetidas com os pedidos de recordes de acordo com o sistema métrico, que varia
ligeiramente do sistema costumeiro utilizado nos Estados Unidos. Por exemplo o equivalente nos Estados Unidos a 4 Kg é 8,81 Lbs.
Desse modo, a linha indicada pelo fabricante como de 8 libras pode chegar no teste até 8,81 libras (4Kg), para ainda ficar dentro da
classe de recorde de 8 lb os equivalentes norte-americanos em libras ao sistema métrico são os seguintes:

SISTEMA MÉTRICO (kg) SISTEMA AMERICANO (lb)


1 2,2
2 4,4,
3 6,6
4 8,81
6 13,22
8 17,62
10 22,04
15 33,06
24 52,91
37 81,57
60 132,27
REGRAS PARA REGISTRO DE RECORDES – INFORMAÇÕES
1 – Pedidos de registro de recordes que tenham sido protestados ou registros de recordes existentes que estejam sendo impugnados
serão submetidos ao Comitê da I.G.F.A. para revisão. As decisões desse Comitê serão finais. A I.G.F.A. se reserva o direito de
conceder ou de negar qualquer pedido de recorde. Todas as intenção das regras por ela baixadas.
2 – No caso da identificação de um peixe ser impugnada, as fotografias de capturada serão submetidas a dois ictiólogos qualificados
para as suas decisões. Sempre que uma questão surja a respeito da identificação de um peixe, o pescador será notificado e lhe será
dada a liberdade e oportunidade de submeter outras provas no sentido da identificação.
3 – Em alguns casos um Diretor da I.G.F.A. ou membro do Comitê internacional ou um representante de um Clube local, filiado a
I.G.F.A., pode vir a ser convidado para confirmar a informação fornecida com relação a um determinado pedido. Se tal acontecer, não
deve ser considerada como ponto de dúvida a declaração formal do peticionário, mas sim como prova de extremo cuidado com que a
I.G.F.A. investiga e mantém o seu quadro de recorde. Em caniço de arremesso (spinning) deverá haver testemunhas para qualificar um

37
recorde mundial. É importante que a testemunha possa atestar que as regras internacionais e os regulamentos foram seguidos. Em
todos os pedidos de recordes testemunhas de captura são preferíveis, se possível.
PESOS NECESSÁRIOS PARA DERRUBAR OU EMPATAR COM UM RECORDE EXISTENTE
1 – Para substituir um peixe pesando até 25 libras (11,33 kg), o substituto deverá pesar pelo menos 2 onças (56,690 g) mais do que o
recorde existente.
Exemplo: Para um recorde com peso de 20 libras (9,07 kg), o peso necessário para quebrá-lo é 20 (vinte) libras e 2 (duas) onças (9,12
kg).
2 – Para substituir um recorde pesando mais de 25 libras (11,33 kg), o substituto deverá pesar pelos menos 0,5 % a mais do que o
existente.
Exemplo: Para 200 libras (90,71 kg), o peso adicional é (uma) libra (0,453 kg), para 400 libras (181,430 kg) o peso adicional exigido
será de 2 (duas) libras (0,907 kg)
3 – Qualquer captura que iguale o peso de um recorde existente ou exceda o seu peso por menos de que o peso exigido para derrubar
o recorde será considerada como empate. No caso de um pedido de homologação de empate que envolva mais do que duas capturas,
o peso deve ser comparado com o recorde original (primeiro peixe a ser capturado). Um peixe que pese menos do que o recorde
original não será considerado.
4 – Pesos estimados não serão aceitos.
PRAZOS PARA PEDIDOS DE REGISTRO
Os pedidos de registro para recorde para peixe capturados em águas norte-americanas tem que ser recebidos pela I.G.F.A. dentro de
60 (sessenta) dias da data da captura. Os pedidos de recorde para peixes capturados em outras águas têm que ser recebidos pela
I.G.F.A.
dentro de 3 (três) meses da data da captura. Se um pedido de recorde for submetido incompleto, deverá ser acompanhado de uma
explicação porque certas partes estão incompletas. Um pedido incompleto só será examinado para efeito de recorde se as seguintes
condições foram observadas.
1 – O pedido incompleto, com as explicações porque certas partes estão incompletas, tem que ser recebidas pala I.G.F.A. dentro dos
prazos acima estipulados.
2 – A falta de certos dados deve ser por força de circunstâncias alheias à vontade do pescador que estiver solicitando a homologação
do recorde.
3 – Os dados que estiverem faltando tem que ser fornecidos dentro de um prazo a ser considerado razoável tendo em vista as
circunstância do caso.
4 – Decisões finais a respeito de pedidos incompletos serão feitas pelo Comitê Executivo da I.G.F.A.
EXIGÊNCIAS PARA A PESAGEM DE PEIXES QUE SEJAM RECORDES
1 – O peixe deve ser pesado por um juiz de pesagem oficial (caso haja um disponível) ou por um representante I.G.F.A. ou por uma
pessoa da localidade, de boa reputação, que seja familiarizada com a balança. Testemunhas desinteressadas na passagem devem ser
usadas sempre que possível.
2 – O peso de qualquer gancho, plataforma ou corda (caso uma seja usado para permitir a pesagem do peixe) deve ser aferido e
reduzido do seu peso total.
3 – No momento da passagem o equipamento efetivamente usado pelo pescador na captura do peixe deve ser exibido ao juiz de
pesagem e as testemunhas de pesagem.
4 – Pesos estimados não serão aceitos. Os peixes pesados somente no mar não serão aceitos.
5 – Qualquer peso que fique entre 2 graduações da balança deve ser arredondado para o menor dos dois.
6 – Todos os peixes que sejam recordes devem ser pesados em balanças que hajam sido aferidas e que tenham seus certificados de
aferição fornecidos por entidades governamentais ou outras organizações qualificadas e credenciadas.
7 – Todas as balanças devem ser regularmente aferidas e suas aferições certificadas de acordo com as regras governamentais
aplicáveis, pelo menos uma vez por ano. Se, no momento da pesagem do peixe, a balança não tiver sido adequadamente aferida
durante o ano anterior, ela deverá ser aferida tão logo possível e um relatório declarando os resultados da inspeção antes de qualquer
ajuste da balança deve ser anexado no pedido de recorde.
Se não houve inspetor oficial ou representante comercial credenciado para avaliar a aferição da balança, deverão ser utilizados
objetivos de ser comprovado e reconhecido. Os objetivos pesados devem ser de peso pelo menos igual ao peso do peixe. A
comprovação do correto peso desses objetos deve ser submetida a I.G.F.A. juntamente com os nomes e endereços das testemunhas
credenciadas que
houverem presenciado todo o processo. Em áreas remotas onde não existem balanças oficiais, será permitido ao pescador utilizar uma
balança de sua propriedade, caso seja de boa qualidade e tenha sido aferida antes e após a captura.
A I.G.F.A. reserva o direito de requerer que qualquer balança seja referida se houver qualquer indicação de que a balança pode não ter
efetuado a pesagem corretamente.
1 – Fotografia devem ser apresentadas para possibilitar uma identificação positiva da espécie. Pedidos de recordes sem fotografias
não serão aceitos.
2 – Se houver qualquer margem de dúvida a respeito do peixe, não podendo ser bem identificado através de fotografia ou de outro
qualquer material submetido, o peixe deverá ser examinado por um cientista qualificado ou preservado, ou congelado, em condições
até queuma autoridade qualificada verifique o espécime, ou até que a I.G.F.A. notifique que não há mais motivo para conservá-lo. A
assinatura e o título (qualificação) do cientista deverão constar do documento enviado à I.G.F.A..
PREPARO DO PEGISTRODE RECORDE
Para apresentar seu pedido de registro de recorde mundial, pescador tem que submeter a I.G.F.A. o formulário de pedido de registro
complementar preenchido, o necessário comprimento de linha que tenha sido utilizado na captura do peixe, fotografias, em bom
estado, do peixe, do equipamento utilizado na captura do peixe, da balança utilizada na pesagem do peixe e do pescador com o peixe.
FORMULÁRIO DE PEDIDO DE REGISTRO
O formulário oficial da I.G.F.A. para pedido de registro de recordes deve ser utilizado para pedido de registro de recorde. Esse
formulário deve ser reproduzido desde que todos os seus itens sejam incluídos na reprodução.
O pescador deve preencher o pedido pessoalmente. A I.G.F.A. recomenda também que o pescador envie pelo correio ou
pessoalmente seu pedido, a amostra de linha e as fotografias. Ao fazer um pedido de recorde, o pescador deve indicar o teste da linha
utilizada na captura do peixe. Isso colocará o pedido em uma das categorias de linha da I.G.F.A. (Categoria de Recordes Mundiais,
Classe de Linha).
Se a linha ultrapassar o teste indicado, o pedido será considerado na categoria de teste de linha que lhe seja imediatamente superior.
Se a linha puder ter o seu teste classificado em outra categoria indicada pelo pescador. O mais pesado teste de linha permitido é de 60
Kg (130 lb). Se a linha ultrapassar esse teste, o pedido será desclassificado. Extrema cautela deve ser usada ao medir o peixe, já que
as medidas são muitas vezes importantes para estudos científicos. Veja o diagrama de medição no formulário do pedido de registro
para se certificar de que você procedeu às medições corretamente. O Pescador é responsável por verificar se as necessárias

38
assinaturas e os endereços corretos do comandante da embarcação, juiz de pesagem e das testemunhas constam do pedido. Se um
diretor ou representante da I.G.F.A. ou um diretor ou representante de um Clube filiado a I.G.F.A. estiver disponível, ele (ou ela) deverá
ser convidado a testemunhar o pedido. O nome de um dos tripulantes, guia ou juiz de pesagem repetido como testemunha não será
aceito.
O pescador deve comparecer em pessoa para fazer o pedido de registro em cartório, a assinatura de um representante ou delegado do
Governo, um membro de uma Embaixada, Delegação ou Corpo Consular ou de um oficial ou membro do comitê da I.G.F.A. poderá
substituir o registro em cartório. Qualquer falsificação intencional de um pedido desqualificará o solicitante para qualquer pedido futuro
de recorde mundial junto a I.G.F.A. e, qualquer recorde anterior será tomado nulo.
AMOSTRA DE LINHA
Todos os pedidos de recorde de água salgada, em qualquer teste de linha, deverão ser acompanhados pelo leader inteiro, a linha
dupla e pelo menos 50 pés (15,24m) da linha simples mais perto da linha dupla, leader ou anzol. Toda a amostra da linha e do leader
(se um destes for usado) deverão ser submetidos com uma peça só. Se uma isca artificial for usada com o leader, o leader deverá ser
cortado na junção com a isca. A amostra de cada linha deve ser submetida a I.G.F.A. em uma só peça. Deve ser submetida de tal
forma, que possa ser facilmente desenrolada sem que a linha seja danificada. Um método recomendado é o de se pegar um pedaço
retangular de papelão e de se fazer dois cortes em forma de “U”. Fixar a outra ponta no papelão, escrever o seu nome e indicar o teste
de linha no papelão. Não nos mande a linha toda embaraçada. Fotografias mostrando todo o comprimento do peixe, o caniço e o
molinete/carretilha usados na captura e a balança usada na pesagem devem acompanhar cada pedido de registro de recorde. Uma
fotografia do pescador com o peixe é também necessária. Para que não possa haver qualquer dúvida quanto à identificação do peixe
as fotografias devem ser apresentadas no seu melhor estado possível, preferencialmente em cores. Isso é especialmente importante
no caso de Marlins, Tubarões e Atuns e qualquer outro peixe que possa ser confundido com outro de espécie similar. Pedidos a
respeito de tubarões devem também, incluir uma fotografia dos dentes e da cabeça do tubarão.
As fotografias devem ser tiradas do peixe pendurado e, também, deitado sobre um de seus lados em uma superfície plana. Em ambos
os tipos de fotografias, nenhuma parte do peixe deve ficar oculta. Quando pendurado, o peixe deve ser fotografado de lado com as
nadadeiras,
extremidade de qualquer das nadadeiras. Não se ponha diante do peixe na fotografia. Não segure o peixe em suas mãos. Um fundo de
céu aberto para a fotografia do peixe é o mais desejável. Os fundos de fotografia cheios de objetos e de pessoas que muitas vezes
complicam a identificação e diminuem a identificação e diminuem a qualidade da fotografia. Ao fotografá-lo sobre um de seus lados, a
superfície debaixo do peixe deve ser lisa e uma régua ou fita métrica colocada ao longo do peixe, se possível. Fotografias tomadas de
vários ângulos ajudam muito. Uma fotografia adicional do peixe na balança, com peso real visível, ajuda a acelerar o pedido.
Fotografias tiradas à luz do dia são altamente recomendadas.
Nota: Agora que a I.G.F.A. tem um boletim bimensal para manter os pescadores atualizados a respeito de capturas de recordes
mundiais, é mais importante do que nunca que sejam enviadas fotografias claras e publicáveis do peixe e do pescador.

39