Você está na página 1de 20

E Ponto eoirora — Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.

º ano
Nome:
Avaliaçã o trimestral:
Expressã o Plá stica
Data: - -
Pinta o desenho a teu gosto.
Professor(a):
Enc. Educaçã o:
CCA4-FAVT-04
E ronro epirona — Fichas de Avaliaçã o Trimestral - 4.º ano
Língua Portuguesa
Nome: Data: - -
Avaliaçã o trimestral:
Lê com atençã o o seguinte texto:
• 9 pur Num dia de Junho minha mã e começou e a chamar por mim e por meu pai, que
Ney andá vamos ao fundo de uma leira a regar PA milho. Aflita, esganiçava a voz: É aa
8; “a A » 8). Ae
— Saiu o enxame! Saiu o enxame!
Largá mos as enxadas, deixá mos a á gua a correr e atravessá mos o milharal mais lestos que
coelhos do monte a fugir dos caçadores. Meu pai nã o se calava:
— Pousa abelha-mestra! Pousa rainha! Corre rapaz! Ajuda! Pousa! Grita rapaz! Pousa
rainha! É o terceiro enxame! Pousai, minhas lindas!
Eu nã o gritava porque sabia que as abelhas nã o ouviam.
Quando chegá mos à beira de minha mã e, esbaforidos com a correria, começá mos a rir. Num
ramo de um pequeno carvalho havia um cacho. Um cacho muito apertado de abelhas.
Corri a casa buscar um cortiço. Meu pai poisou-o sob o ramo, sacudiu-o. Minha mã e fugiu, e
as abelhas caíram dentro do tronco de macieira.
À noitinha quando colocá mos o enxame novo junto dos outros, meu pai rejubilava:
— Rapaz, já temos três, TRÊ S enxames! Temos de fazer mais cortiços!
Em Agosto, numa manhã de domingo, retirá mos com cuidado as tampas de lousa, que
serviam de telhado aos cortiços, depois de meu pai ter feito uma comprida morraça com
um pedaço dum saco de serapilheira, onde ateou o fogo. O fumo baralhava as abelhas que
fugiam, pouco contentes com o assalto.
Com uma faca recurvada em forma de lua em quarto crescente, meu pai tirou alguns favos
do cortiço e pô -los dentro de uma bacia.
Tapá mos os cortiços contentes com a primeira colheita: uma pequena bacia cheia de favos
doirados carregados de mel!
Entrá mos na cozinha e esprememos os favos com as mã os. E era bom sentir o sol a escorrer
por entre os dedos, amarelo cremoso, pingando em longos e grossos fios para dentro dos
frascos de vidro transparente.
Antó nio Mota, O rebanho perdeu as asas (excerto), Ambar, 1999 1 Matemá tica
Nome: Data: - -
Avaliaçã o trimestral:
Compreensã o do texto
1 — Reproduz a figura 1 na superfície curva.
OQ
1 — Em que altura do ano se passa a acçã o do texto?
2 — Por que motivo a mã e começou a chamar o menino?
3 — O que é que o pai e o menino estavam a fazer naquele momento?
Figura 1 4 — Como reagiu o pai com a notícia?
2 — Completa de modo que obtenhas afirmaçõ es verdadeiras.
5 — Quando chegaram à beira da mã e, como reagiram? 23409 = kg 0,082 g = mg 453,5 hg =
dag bre dg = cg 3,21 kg = g Ss mg = g
6 — O que havia no ramo do pequeno carvalho?
3 — Completa com a unidade de massa em falta.
redag=TfBy. 73 mg = 0,078
5489 0=5,480...ià (Á À . 3,809 hg = 380,9 7 — Por que motivo o pai ateou o fogo?
4 — Completa o quadro.
Se o divisor for... «.. pode ter resto...
8 — Como é que o pai tirou os favos do cortiço? 4
6
9 — Qual foi a melhor sensaçã o que o menino sentiu, nesta experiência de ser apicultor?
Justifica a tua resposta.
É porto eoirona- Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
Estudo do Meio
Nome: Datas aos e
Avaliaçã o trimestral:
5 — Descobre o dividendo.
1 — Que cuidados deves ter antes de realizar uma experiência?
Dividendo Divisor Quociente Resto 4,5 0,8 0,04 67,2 4,34 0,352 0,45 5 0,75 2 — Completa
as frases para obteres afirmaçõ es verdadeiras. Os só lidos sã o materiais que mantêm a eo
constantes. 6 — Efectua as seguintes operaçõ es: Os líquidos podem ter uma variá vel e têm
constante. Os materiais gasosos têm variá veletêm variá vel.
spa re agr6= [|]
3 — As figuras seguintes demonstram uma experiência sobre a contracçã o e a dilataçã o.
7 — Efectua sem recorrer a cá lculos. / à / | ) | ) 7800 : 100 = dBm ie | am ] N E À j 59 000 x
0,01 = 34,5: 100= N N N À | ; a | ua Sã ç ati Figura 1 Figura 2 7,65 :1000 = 4,765 x 0,01 = sat
v0 8A%10 Regista o que aconteceu nesta experiência e o que podes concluir sobre a
dilataçã o e 40) = E contracçã o de um corpo.
8 — Assinala na recta, a vermelho, dois pontos equidistantes do ponto A.
8.1 — Assinala do lado esquerdo um ponto equidistante do ponto A.
E porto epirorna— Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
4 — Completa o quadro com exemplos de materiais.
Material bom condutor de electricidade Material isolador de electricidade
5 — Porque deves ler com atençã o o manual de instruçõ es que acompanha um aparelho
eléctrico?
6 — Completa o quadro com os nomes das actividades produtivas pertencentes aos
diferentes sectores.
Sector Actividade
Primá rio
Secundá rio
Terciá rio
7 — Escreve os principais produtos agrícolas produzidos na tua regiã o.
8 — Que produtos agrícolas se cultivam em maior quantidade em Portugal? Dá exemplos
desses produtos.
E porto enrrona- Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
9 — Observa as figuras. Escreve nos espaços correspondentes o nome de produtos que se
podem obter a partir dos animais representados.
tada
10 — Define silvicultura.
11 — Escreve o nome das espécies mais pescadas em Portugal.
12 — Que tipo de indú stria encontras na tua regiã o? Que produtos se obtêm dessa
indú stria?
13 — Indica as diferenças entre uma instituiçã o que presta um serviço e outra que presta o
mesmo serviço privado.
14 — Em Portugal, existem vá rias á reas naturais protegidas. Explica para que servem essas
á reas e onde se localizam.
15 — Observa a figura. Para que serve cada um destes contentores?
pus
16 — Que tipos de poluiçã o existem?
17 — O que podes fazer para atenuar as consequências do efeito de estufa?
18 — Quais sã o as consequências da poluiçã o sonora?
19 — Escreve algumas regras para melhorar o ambiente do nosso planeta.
20 — Desenha dois contrastes ambientais.
E ronro eprrona— Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
9 — Desenha os ponteiros dos reló gios indicando as horas respectivas.
9:30 12:20 23:30
10 — Numa estaçã o de comboios pode ler-se a seguinte informaçã o:
Partidas Linha Destino Hora A. Viana do Castelo 8:45 2 Barcelos 13:24 5 Coimbra 18:45
10.1 — O comboio que seguiu em direcçã o a Barcelos saiu com 12 minutos de atraso. A que
horas saiu?
10.2 — Que diferença há entre o horá rio do comboio da linha nú mero 4 e da linha nú mero
5?
11 — A Marlene saiu de casa à s 8 h e 45 min para visitar a tia Marta. Demorou 2 h e 26 min
de viagem. e À que horas chegou a Marlene a casa da tia Marta?
w SA mes,
12 — Um operá rio trabalha, em média, 8 h e 15 min por dia. e Quantas horas trabalha
numa semana?
13 — A mã e da Ana Rita foi ao supermercado e comprou 15 kg de bacalhau a 7,99 € cada
quilograma e 2,250 kg de sardinhas a 2,98 € cada quilograma. º Quanto gastou a mã e da
Ana Rita?
as |aá
14 —- O Sr. Joaquim obteve das suas azeitonas 135 | de azeite e pretende encher garrafas
com a capacidade de 75 cl cada uma. ]
º Quantas garrafas serã o necessá rias?
15 — A mã e da Joana fez 3,6 kg de compota de cereja e encheu 12 frascos iguais. * Quantos
gramas levou cada frasco?
(TA ) A
à O sã / te
16 — O reló gio de Sr. Antó nio atrasa-se 5 segundos por cada hora. Ao fim de um dia inteiro,
quanto tempo se atrasa o reló gio do Sr. Antó nio?
E Ponto eorrona- Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
Funcionamento da língua e exercícios ortográ ficos
1 — Copia do texto formas verbais nos tempos indicados.
Presente
Pretérito perfeito
2 — Copia do texto uma frase com uma preposiçã o.
3 — Escreve o nome que deu origem à s seguintes palavras:
milharal —
correria —
baralhava —
4 — Inventa uma onomatopeia para representares o som de um enxame. Escreve-a.
5 — Transcreve do texto um exemplo de uma frase:
simples —
complexa —
6 — Escreve frases que se relacionem com o texto, preenchendo as etiquetas.
Sujeito Predicado
6.1 — Reescreve uma das frases anteriores e amplia-a.
Expressã o escrita
Já alguma vez foste até ao campo e desempenhaste uma tarefa rural? Se sim, escreve um
pequeno texto, contando-a. Caso nunca tenhas desempenhado nada relacionado com as
actividades ligadas ao campo, escreve sobre uma que gostarias de experimentar e justifica.
llustra o teu texto.
E rorro eorrona— Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
Grelha de auto-avaliaçã o do 3.º Período
Nome:
Data:
Á reas
Temas
Avaliaçã o
Sou capaz de
Nã o sou capaz de
Língua Portuguesa
Comunicaçã o Oral
Expressar-se por iniciativa pró pria.
Formular recados e avisos.
Interpretar enunciados de natureza diversificada.
Transpor enunciados orais para outras formas de expressã o.
Relatar acontecimentos.
Apresentar e emitir opiniõ es.
Distinguir factos de opiniõ es.
Participar na elaboraçã o de histó rias.
Concluir histó rias.
Dramatizar cenas.
Regular a participaçã o em intervençõ es orais.
Recolher produçõ es do patrimó nio literá rio oral.
Comunicaçã o Escrita
Escrever textos livres.
Escrever textos com tema sugerido.
Escrever textos em banda desenhada.
Criar histó rias.
Criar o final de uma histó ria.
Colaborar no aperfeiçoamento de textos.
Ler textos com entoaçã o e pausas.
Identificar personagens de uma histó ria.
Estabelecer sequências nos acontecimentos.
Identificar o espaço e o tempo das acçõ es.
Consultar dicioná rios, enciclopédias...
Recolher documentaçã o.
Funcionamento da Língua, Aná lise e Reflexã o
Distinguir entre sons vocá licos e consonâ nticos.
Identificar e aplicar onomatopeias.
Nomear, por ordem, as letras do alfabeto.
Decompor palavras em sílabas.
Distinguir sílaba tó nica e á tona.
Conhecer e aplicar os sinais grá ficos de acentuaçã o.

Á reas
Temas
Avaliaçã o
Sou capaz de
Nã o sou capaz de
Nú meros e Operaçõ es
Ler e escrever nú meros inteiros e decimais.
Resolver problemas.
Conhecer estratégias diferentes na efectuaçã o de cá lculos.
Estabelecer relaçõ es de ordem e utilizaçã o da simbologia >, < e =.
Utilizar tabelas de duas entradas para a multiplicaçã o e divisã o.
Estimar resultados, antes de efectuar cá lculos.
Procurar estratégias diferentes para a realizaçã o de cá lculos.
Explicitar oralmente e representar por escrito os passos seguidos na realizaçã o de cá lculos.
Matemá tica
Grandezas e Medidas
Realizar estimativas de medidas com base em unidades familiares.
Comparar resultados.
Forma e Espaço
Desenhar livremente com o compasso e com a régua.
Compor a partir de um padrã o dado.
Desenhar figuras geométricas simples em superfícies curvas.
Representar figuras geométricas no geoplano e representar em papel ponteado.
Desenhar figuras em papel quadriculado a partir de pontos dados.
Realizar a leitura de plantas.
À Descoberta das Inter-relaçoes entre a Natureza e a Sociedade
Reconhecer as mais importantes actividades econó micas em Portugal.
Identificar os principais produtos agrícolas portugueses.
Identificar os principais produtos ligados à pecuá ria e à indú stria.
Identificar e observar factores que contribuem para a degradaçã o do meio.
Reconhecer o efeito da poluiçã o atmosférica.
Reconhecer a importâ ncia das florestas.
Reconhecer formas de poluiçã o dos cursos de á gua e dos oceanos.
Estudo do Meio
Reconhecer a poluiçã o sonora.
Identificar alguns desequilíbrios ambientais provocados pela actividade humana: extinçã o
de recursos; extinçã o de espécies animais.
Reconhecer a importâ ncia das reservas e parques naturais para a preservaçã o do equilíbrio
entre a Natureza e a Sociedade.
À Descoberta dos Materiais e Objectos
Reconhecer através de experiências: a existência de oxigénio no ar; a existência da pressã o
atmosférica.
Participar em experiências.
Participar em experiências de produçã o de electricidade por fricçã o entre objectos.
Construir jogos, utilizando pilhas e estabelecendo circuitos eléctricos simples.
Devo melhorar:
E ponto Epitora — Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
Expressã o Plá stica
Nome: Data: “ -
Avaliaçã o global:
Cola pedaços de papel de seda azul (escuro e claro) para fazeres o mar. Faz um barco em
papel de lustro e cola-o sobre a á gua. Completa o desenho a teu gosto e pinta-o.
Professor(a): Enc. Educaçã o:
CCA4-FAVT-05 1 E Ponto eprtora— Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
Língua Portuguesa
Nome: Daia: - -
Avaliaçã o global:
Lê com atençã o o seguinte texto:
Depois de Alice se ir embora, a irmã continuou tranquilamente sentada, de cabeça apoiada
na mã o, contemplando o pô r-do-sol e pensando na pequena Alice e nas suas aventuras
maravilhosas. Por fim, adormeceu e este foi o seu sonho.
Começou por sonhar com Alice, sentindo as suas mã ozitas agarradas aos seus joelhos e
aqueles olhos brilhantes e inquietos que a fitavam... Podia até ouvir-lhe a voz e ver aquele
gesto peculiar de afastar o cabelo que lhe caía sempre para a cara... Entretanto, tudo à sua
volta ganhou vida, animando- -se com as estranhas personagens do sonho da irmã .
À erva rumorejava a seus pés enquanto o Coelho Branco corria apressado... O Rato,
assustado, esbracejava na poça mais pró xima... Podia até ouvir o barulho das chá venas
usadas pela Lebre de Março e pelos seus amigos, naquele lanche sem fim, e a voz aguda da
Rainha condenando à morte os seus pobres convidados... Uma vez mais o porco bebé
espirrava, sentado nos joelhos da Duquesa, e os pratos caíam, em mil pedaços, à sua volta...
[...]
Continuou sentada, de olhos fechados, quase acreditando que estava no País das
Maravilhas, embora soubesse que bastava abrir novamente os olhos para que tudo voltasse
à triste realidade... Apenas a erva abanaria ao sabor do vento e a á gua do lago se mexeria
com o movimento dos juncos... O tilintar das chá venas transformar-se-ia no barulho dos
chocalhos e os gritos da Rainha na voz do jovem pastor... O espirrar do bebé, o grito do
Grifo e todos os outros barulhos estranhos transformar-
-se-iam (sabia-o) nos sons rotineiros do trabalho numa quinta... O mugido do gado
substituiria o ruído dos tristes suspiros da Falsa Tartaruga.
Por fim, procurou imaginar como seria a sua pequena irmã quando fosse mulher; como
conservaria ela, com o decorrer do tempo, aquele coraçã o bondoso e terno da sua
meninice; como reuniria à sua volta outras crianças e lhes faria brilhar os olhos com contos
estranhos, talvez até mesmo com o sonho do País das Maravilhas; como se sentiria ela ao
ter de enfrentar as tristezas simples das crianças e como congratularia com as suas
alegrias, tantas vezes feitas de pequenos nadas, lembrando-se certamente da sua pró pria
infâ ncia e dos dias felizes de Verã o.
Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas (texto com supressã o), Civilizaçã o, 1.º ediçã o,
1998
1 Matemá tica
Nome: Data: - -
Avaliaçã o global:
Compreensã o do texto
; ] 1 — Escreve o nome dos só lidos geométricos. 1 — Dá um título ao texto.
2 — Completa o quadro de acordo com o texto.
Personagem principal
Lugar onde se passa a histó ria
Acontecimento principal da histó ria
É poca do ano em que decorre a histó ria
3 — Completa os espaços.
Este texto tem pará grafos. Oú ltimo pará grafotem frases.
4-— O que fez a irmã de Alice, depois de esta se ter ido embora? 2 — Inventa uma adivinha
sobre um só lido geométrico. A
5 — Com que sonhou a irmã de Alice? Soluçã o
E NO o na 3 — Escreve a leitura do nú mero 45 678 305, 56 por classes. — Que animais
apareceram no sonho da menina:
7 — Embora sentada e de olhos fechados, o que precisava a menina fazer para voltar à
realidade? 3.1 — Quantas centenas de milhar tem o nú mero?
8 — O que eram afinal os barulhos estranhos do sonho? 3.2 — Qual o algarismo das
unidades de milhõ es?
9 — O que é que a menina tentou imaginar no final? 4 — Efeciua as operaçõ es.
345,08 + 98,89 = B9/ 07 —Btdy= AMB 786,09: 34 =
E ponto eorrona- Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
Estudo do Meio
Nome: Data: - -
Avaliaçã o global:
5 — Pinta na grelha: a vermelho 0,4 e a azul 0,20. 1 — Completa o esqueleto de acordo com
a legenda.
5.1 — Quanto te falta para acabares de pintar a grelha?
6 — Observa os â ngulos. Assinala: a azul o â ngulo obtuso; a vermelho o â ngulo agudo; e a
verde o â ngulo recto.
7 — Completa. 7,78 kg = JA g 67,91 = TT kl 23,43 hm = TD dm 987 cg = poa dg 567,4 cl = Ta
dal 876m = IMETTaDA dam
Nome dos ossos (1) Crâ nio (2) Ú mero (3) Cú bito (4) Rá dio
NA
(5) Vértebra
2 — Preenche o quadro com três cuidados relacionados com a segurança do teu corpo.
A segurança
8 - Observa os mostradores dos reló gios. Estes reló gios estã o atrasados 15 minutos.
Escreve a no
hora ceria.
Prevençã o/Protecçã o
Exposiçã o ao sol
18 É 54
Incêndios
Sismos
É porto eoirora- Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
3 — Liga correctamente.
Primeiro rei de Portugal º A quem foi doado o Condado Portucalense º
Primeiro presidente da Repú blica português º
4 — Identifica as datas dos feriados nacionais.
Implantaçã o da Repú blica —
e Dr. Manuel de Arriaga e D. Afonso Henriques
e D. Henrique
Dia da Liberdade —
Restauraçã o da Independência —
5 — Quais sã o os principais símbolos nacionais?
6 — Observa a figura. Descreve o ciclo da á gua na Natureza. Nã o te esqueças de referenciar
os
fenó menos que a ele estã o ligados.
7 — Qual é o maior rio que nasce em Portugal?
& ponto epitora— Fichas de Avaliaçã o Trimestral — 4.º ano
8 — Observa o mapa de Portugal. Completa a legenda com o nome dos distritos em falta.
E ” ; N p ILHA 1 IN DO CORVO
'
'
OCEANO À
É 5 ILHA DAS ATLÂ NTICO O FLORES ILHA GRACIOSA
pe ILHA DE ILHA DO SÃ O JORGE ILHA TERCEIRA
Ns Po OCEANO
ILHADOPICO A ATLÂ NTICO / j
ILHA DE SÃ O MIGUEL
N ILHÉ U DAS , FORMIGAS 1
ILHA DE 1 0 50 km * SANTA MARIA (Ny E 2
OCEANO
mi PORTO ATLÂ NTICO 4H santo
sf , , MADEIRA ” se 4 p F Sr '
y r y ILHAS | | DESERTAS 1 50 km t À
• 0 50 km |
EESC PSA ONTHE A
9 — Escreve o nome das cidades que pertencem ao distrito/regiã o autó noma onde vives.
10 — Completa.
Portugal continental faz fronteira terrestre com - que fica no continente denominado faz
fronteira marítima com o
11 — Que países fundaram a Uniã o Europeia?
. Juntos formam a . Portugal
12 — Observa o planisfério.
— D'
=

0 3000 km l N U Eq O e Contorna a vermelho a Península Ibérica. e Assinala com X Portugal.


e Assinala com O os países lusó fonos. e Pinta de cor-de-laranja os países pertencentes à
Uniã o Europeia.
13 — Porque é que as produçõ es agrícolas variam de regiã o para regiã o?
14 — Escreve o nome de matérias-primas de origem animal que podem ser utilizadas pela
indú stria.
15 — Procura na sopa de letras, na horizontal e na vertical, quatro actividades econó micas.
Escreve-as.
S | L V | C U LE T U R A | S E V P E S Cc R | U P L E R E E E R T E T U O V | A G S R | O C J M É A
GR|CULTURAGPRADAFALAERCROSAL|NARO|USERB|COS|pU|
VASSOURAATUO
16 — Numa folha A4, faz um cartaz com um slogan onde apeles à nã o poluiçã o do
ambiente.
4
E porto eoitora — Fichas de Avaliaçã o Trimestral - 4.º ano
9 — Observa a tabela seguinte. Responde.
Garrafa Capacidade 1 0,35 | 2 50 cl 3 5,8 dl 4 3,5 |
9.1 — Qual é a garrafa com maior capacidade?
9.2 — Coloca por ordem decrescente a capacidade das garrafas.
9.3 — Subtrai do valor correspondente à garrafa que tem maior capacidade o valor
correspondente à garrafa que tem menor capacidade.
10 — Um agricultor colheu 795 maçã s que embalou em caixas com espaço para 24 maçã s. e
De quantas caixas precisou o agricultor? E" a
11 — Deram à Mariana um saco com 76 rebuçados. Na segunda-feira, ela comeu alguns e
ficou com 66 rebuçados. Na terça-feira, deu alguns aos seus amigos e ficou com 56. Na
quarta- -feira, voltou a comer e ficaram 46 no saco. Se continuar neste ritmo, quantos
rebuçados terá a Mariana no sá bado?
12 — O Micael tem uma caixa com 48 marcadores. A Jéssica tem apenas uma terça parte
dos marcadores do Micael. e Quantos marcadores tem a Jéssica?
U
13- O Sr. Andrade tem um laranjal com 6 laranjeiras. Cada á rvore costuma dar, em média,
93,5 kg de laranjas por ano.
• Quantos quilogramas de laranjas colhe o Sr. Andrade, em média, por ano?
14 — Uma cooperativa produziu 54 kl de sumo de pêra que irá ser vendido em pacotes de
1,5 | ao preço de 3,20 € o pacote.
º Qual vai ser o valor total da venda?
15 — Um grupo de turistas decidiu dar um passeio de 95,5 km. Mas, antes, dividiram o
caminho em 5 partes iguais.
• Quantos hectó metros percorreram em cada etapa? r T%Y
16 — Descobre o nú mero. Está compreendido entre 8349 e 8764. O algarismo das centenas
é o 6. O algarismo das unidades é par.
O algarismo das dezenas é a soma do algarismo das centenas com o das unidades.
O nú mero é:
E Porto eoirora — Fichas de Avaliaçã o Trimestral = 4.º ano
Funcionamento da língua e exercícios ortográ ficos
1 — Completa o quadro.
Singular Plural
irmã
VOZ
tristes
felizes
2 — Circunda a sílaba tó nica das seguintes palavras:
Alice rumorejava lanche rainha tartaruga
3 — Copia do texto palavras que sejam:
monossílabos —
país
dissílabos —
trissílabos —
polissílabos —
4 — Consulta o dicioná rio e explica o sentido das seguintes expressõ es:
A erva rumorejava —
O tilintar das chá venas —
Congratular com as suas alegrias —
5 — Completa com adjectivos do texto:
olhos —
coraçã o —
6 — Sublinha no texto cinco palavras com dígraíos.
Expressã o escrita
Dias felizes de Verã o foi o que viveram as duas irmã s. E tu, como passas os teus dias de
Verã o? Já passaste por alguma peripécia divertida? O que mais gostas de fazer?
llustra o teu texto.
mtoo
E Porto eomrora- Fichas de Avaliaçã o Trimestral - 4.º ano
Grelha de auto-avaliaçã o global
Nome:
Data:
Á reas
Temas
Avaliaçã o
Sou capaz de
Nã o sou capaz de
Língua Portuguesa
Comunicaçã o Oral
Expressar-se por iniciativa pró pria.
Apresentar e emitir opiniõ es.
Relatar acontecimentos.
Formular recados e avisos.
Contar histó rias.
Participar na elaboraçã o e na conclusã o de histó rias.
Dramatizar cenas do quotidiano.
Regular a participaçã o nas intervençõ es orais.
Recolher produçõ es do patrimó nio oral.
Interpretar enunciados de natureza diversificada.
Transpor enunciados orais para outras formas de comunicaçã o.
Distinguir entre factos e opiniõ es.
Comunicaçã o Escrita
Escrever textos livres e com tema sugerido.
Criar histó rias e criar finais de histó rias.
Colaborar no aperfeiçoamento de textos.
Ler textos com entoaçã o e com pausas.
Identificar as personagens de uma histó ria.
Estabelecer sequências nos acontecimentos.
Identificar o espaço e o tempo das acçõ es.
Consultar dicioná rios, enciclopédias ...
Funcionamento da Língua, Aná lise e Reilexã o
Identificar diferentes tipos de textos.
Distinguir os elementos fundamentais da frase.
Organizar famílias de palavras.
Aplicar os sinais de pontuaçã o.
Distinguir nomes pró prios, comuns e colectivos.
Identificar adjectivos e aplicar os diferentes graus.
Identificar numerais qualificadores.
Aplicar os determinantes possessivos e demonstrativos.
Aplicar os pronomes pessoais.
Identificar verbos.
Distinguir entre sons vocá licos e sons consonâ nticos.
Identificaçã o e aplicaçã o de onomatopeias.
Nomear ordenadamente as letras do alfabeto.
Decompor palavras em sílabas e distinguir sílaba tó nica de sílaba á tona.
Conhecer e aplicar os sinais grá ficos de acentuaçã o.

Á reas
Avaliaçã o
Temas
Sou capaz de
Nã o sou capaz de
Matemá tica
Nú meros e Operaçõ es
Ler e escrever nú meros inteiros e decimais.
Identificar ordens e classes.
Ordenar nú meros em sequências crescentes e decrescentes.
Aplicar e estabelecer relaçõ es de ordem utilizando a simbologia >, < e =.
Aplicar as quatro operaçõ es: adiçã o, subtracçã o, multiplicaçã o e divisã o.
Utilizar tabelas de duas entradas para a multiplicaçã o e para a divisã o.
Resolver situaçõ es problemá ticas.
Estimar resultados antes de efectuar cá lculos.
Explicitar oralmente e representar por escrito os cá lculos efectuados.
Procurar estratégias diferentes para a realizaçã o de cá lculos.
Reconhecer a equivalência entre: X por 0,1 e : por 10; X por 0,01 e : por 100; X por 0,001 e :
por 1000.
Conhecer a regra para calcular o quociente de um produto por 100 e por 1000.
Conhecer a regra para calcular o produto de um nú mero por 0,01.
Grandezas e Medidas
Identificar e aplicar as unidades de comprimento.
Calcular perímetros.
Identificar e aplicar as unidades de medida de superfície.
Calcular as á reas do quadrado e do rectâ ngulo.
Construir o dmº.
Participar na construçã o do mº.
Medir capacidades.
Identificar e relacionar as unidades de medida de capacidade.
Utilizar balanças de vá rios tipos.
Identificar e relacionar as medidas de massa.
Realizar estimativas de pesagens e comparar resultados.
Forma e Espaço
Identificar só lidos geométricos.
Construir o cubo.
Identificar â ngulos (rectos, agudos e obtusos).
Desenhar livremente com régua e com compasso.
Representar figuras geométricas no geoplano.
Desenhar figuras geométricas em superfícies curvas.
Realizar e ler plantas.
Estudo do Meio
À Descoberta de Si Mesmo
Conhecer, identificar e aplicar as regras de seguranças no corpo.
Conhecer o seu corpo.
À Descoberta dos Outros e das Instituiçõ es
Conhecer o passado do meio local.
Conhecer o passado nacional.
Identificar e conhecer o significado dos símbolos nacionais.
À Descoberta do Ambiente Natural
Reconhecer e identificar os aspectos físicos do meio.
Reconhecer e identificar os aspectos físicos de Portugal.
Identificar astros.
À Descoberta das Inter-relaçõ es entre Espaços
Identificar aspectos da costa e a sua localizaçã o no mapa.
Conhecer e identificar aglomerados populacionais.
Localizar Portugal na Europa e no mundo.
À Descoberta dos Materiais e Objectos
Classificar materiais segundo as suas propriedades.
Identificar mudanças de estado.
Participar em experiências simples com á gua.
Realizar experiências com ar, som e com electricidade.
À Descoberta das Inter-relaçõ es entre a Natureza e a Sociedade
Reconhecer e identificar as principais actividades econó micas em Portugal e os seus
produtos.
Identificar e observar factores que contribuem para a degradaçã o do meio ambiente.
Identificar/participar em formas de promoçã o do ambiente.
Identificar desequilíbrios ambientais.
Reconhecer a importâ ncia de reservas e parques naturais para a preservaçã o da Natureza.
Atingi as competências do 4.º ano: Sim |]
Nã o IE