Você está na página 1de 147

I S S N 1807‐2550

Paleontologia
em Destaque

2 1 a2 5
outubro
2019
UBERLÂNDIA ‐ MG

Editores
Hermínio Ismael de Araújo Júnior
Douglas Riff
Ana Clara Santos Riff
Rafael Costa da Silva Boletim de Resumos
2 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 3

F ICHA TÉCNICA

Felipe Elias  Ilustrações


Eduardo Warpechowski  Layout e diagramação

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)


Sistema de Bibliotecas da UFU, MG, Brasil
C749b Congresso Brasileiro de Paleontologia (26 : 2019 : Uberlândia, MG)
Boletim de resumos / XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia, 21 a
25 de outubro de 2019, editores Hermínio Ismael de Araújo Júnior ... [et
al.] – Uberlândia : UFU, Instituto de Biologia, 2019.
Boletim de Resumos
290p. :il.

ISSN: 1807-2550

1. Paleontologia. 2. Geociências. I. Araújo Júnior, Hermínio Ismael, Editores


(ed.). II. Universidade Federal de Uberlândia. Instituto de Biologia. III.
Título. Hermínio Ismael de Araújo Júnior
CDU: 56
Douglas Riff
Angela Aparecida Vicentini Tzi Tziboy – CRB-6/947
Ana Clara Santos Riff
Rafael Costa da Silva
4 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 5

Comissão Organizadora

P RESIDENTE DE H ONRA C OORDENAÇÃO DE M INICURSOS


Maria Martha Barbosa  Professora aposentada do Museu Nacional – UFRJ Sabrina Rodrigues  Instituto de Ciências Exatas e Naturais, Universidade Federal de Uberlândia, campus Pontal
Fundadora da Sociedade Brasileira de Paleontologia Fabiana Rodrigues Costa  Universidade Federal do ABC

P RESIDENTE C OORDENAÇÃO DE S IMPÓSIOS E M ESAS -R EDONDAS


Douglas Santos Riff  Instituto de Biologia, Universidade Federal de Uberlândia Daniel Sedorko  Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, campus Monte Carmelo
Geise de Santana dos Anjos Zerfass  CENPES-PETROBRAS
S ECRETARIA Cleber Fernandes Alves  Universidade Federal do Rio de Janeiro
Taíssa Rodrigues Marques da Silva  Universidade Federal do Espírito Santo
C OORDENAÇÃO DE E XCURSÕES
T ESOURARIA Fernanda Quaglio  Universidade Federal de São Paulo
Ana Clara Santos Riff  Instituto Federal do Triângulo Mineiro, campus Uberlândia Thiago Marinho  Universidade Federal do Triângulo Mineiro

C OORDENAÇÃO L OGÍSTICA C OORDENAÇÃO DE P ALEOARTE


Stephania Olímpio Marçal  Instituto de Biologia, Universidade Federal de Uberlândia Caio César Rangel  Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, campus Monte Carmelo
Liliane Martins de Oliveira  Instituto de Biologia, Universidade Federal de Uberlândia
C OORDENAÇÃO DE A POIO
C OORDENAÇÃO C IENTÍFICA Tawane Carvalho Fonte Boa Machado  Laboratório de Paleontologia – UFU
Hermínio Ismael de Araújo Júnior  Universidade do Estado do Rio de Janeiro Thales Nunes da Silva  Laboratório de Paleontologia – UFU
Rafael Costa da Silva  Museu de Ciências da Terra – CPRM Daiane Silva  Laboratório Analítico em Paleontologia – UFU
6 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 7

Avaliadores e Revisores ad-hoc

Antônio Carlos Sequeira Fernandes  Museu Nacional/UFRJ Marcelo de Araújo Carvalho  Museu Nacional/UFRJ

Caio César Rangel  Universidade Federal de Uberlândia Maria Antonieta da Conceição Rodrigues  Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Carla Terezinha Serio Abranches  Universidade de São Paulo Maria Somália Sales Viana  Universidade EstadualVale do Acaraú

Celine de Melo  Universidade Federal de Uberlândia Mariela Cordeiro de Castro  Universidade Federal de Goiás

Cláudia Pinto Machado  Universidade de Caxias do Sul Mário Dantas  Universidade Federal da Bahia

Deusana Machado  Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro Mírian Liza Alves Forancelli Pacheco  Universidade Federal de São Carlos

Douglas Riff  Universidade Federal de Uberlândia Paula Sucerquia  Universidade Federal de Pernambuco

Édison Vicente Oliveira  Universidade Federal de Pernambuco Rafael Costa da Silva  Serviço Geológico do Brasil – CPRM

Felipe Mesquita de Vasconcellos  Universidade Federal do Rio de Janeiro Rafael Delcourt  Universidade Estadual de Campinas

Hermínio Ismael de Araújo Júnior  Universidade do Estado do Rio de Janeiro Rodolfo Dino  Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Kleberson de Oliveira Porpino  Universidade do Estado do Rio Grande do Norte Thiago da Silva Marinho  Universidade Federal do Triângulo Mineiro

Marcello Guimarães Simões  Universidade Estadual Paulista Vladimir de Araújo Távora  Universidade Federal do Pará
8 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 9

Sumário

A importância da Paleontologia 10-15


Congresso Brasileiro de Paleontologia:
60 anos a desvendar, ressignificar e edificar 16-19
Sobre o evento 20-23

Palestras e Mesas-redondas 24-32


Prêmio Josué Camargo Mendes 34-41
Simpósio de Paleoecologia Isotópica 44-49
I Simpósio Brasileiro de Paleontologia Antártica 50-60
I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 62-81
III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 82-102

Sessões Temáticas
Diálogos: Paleoarte e Divulgação 104-109
Tempo: Bioestratigrafia e Datação 110-119
Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 120-136
Padrões: Sistemática e Biogeografia 138-156
Saberes: Ensino de Paleontologia 158-185
Cenários: Paleoecologia e Paleoambientes 186-228
Forma: Morfologia e Descrições 230-290
10 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 11

A importância da Paleontologia

A
TEXTO Paleontologia é o estudo dos or- dade relativa das rochas e a origem comum e informação sobre como a vida reagiu às cri-
Douglas Riff ganismos antigos. Este é o sig- evolução das espécies, foram inspiradas e sus- ses”. Desvendar o passado nos permite ava-
Universidade Federal de Uberlândia
nificado literal codificado nessa tentadas pelo entendimento do registro fos- liar seriamente como os sistemas terrestres e
palavra e é, apropriadamente, silífero, ao mesmo tempo que promoveram oceânicos e os ecossistemas atuais respondem
a mais lembrada síntese do que os paleon- um sentido mais profundo e completo acerca às perturbações nas dinâmicas que os gover-
tólogos fazem: escavação, preparação, com- desse mesmo registro. nam. O impacto desse conhecimento para a
paração, análise e catalogação das formas de compreensão do tempo presente revela que a
vida preservadas como fósseis nas rochas por A PAIXÃO E O OFÍCIO do paleontólo- importância da Paleontologia se estende mui-
milhares, milhões e mesmo bilhões de anos. go não se limitam a produzir um bestiário de to além de uma eventual leitura simplista e
A cada fóssil e depósito fossilífero compre- tempos imemoriais. A descoberta e a descri- romantizada de sua etimologia.
endido e contextualizado, os paleontólogos ção de padrões e o entendimento dos pro-
seguem correspondendo à missão embutida cessos da natureza são os frutos mais amplos A PALEONTOLOGIA nos ensina, por
na etimologia de sua ciência. E o fazem, em deste trabalho. Por si, e aliados com cientistas exemplo, que extinções e mudanças climáti-
sua maioria, por um misto de fascínio frente à de outros campos, os paleontólogos ofere- cas ocorreram muitas vezes ao longo da histó-
genuína beleza dos fósseis, pela excitação in- cem elementos de compreensão do ritmo e ria da Terra, e os paleontólogos têm se saído
telectual da descoberta, pela aplicação desses do modo de ascensão e queda das espécies, bem em dimensionar essas crises. Modelos
dados na resolução de questões de ordem prá- da natureza dos grandes eventos de extinção, baseados no registro fossilífero (especialmen-
tica, e pelo deslumbramento perante o poder e das complexas interações entre a biosfera, te de invertebrados marinhos e mamíferos), e
das ideias desenvolvidas pelos fundadores e hidrosfera, atmosfera e litosfera ao longo do calibrados a partir de análises probabilísticas
grandes expoentes da área, tais como Cuvier, tempo geológico. Como mencionado certa sobre filogenias moleculares, mostram que as
Darwin e outros. Ideias grandiosas e fecun- vez pela tafônoma e paleoecóloga Anna K. taxas de extinção regulares ao longo do tem-
das, como o conceito de extinção, a antigui- Behrensmeyer, “os fósseis são a única fonte de po geológico (background extinctions) variam de
12 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 13

A importância da Paleontologia

0,023 a 0,135 extinções por milhão de espé- atmosfera e a acidificação dos oceanos causa- Humboldt acerca das consequências poten- Paleontologia atesta a repetição deste padrão
cies por ano, enquanto as taxas de especiação dos pela ação humana tendem a equiparar-se cialmente catastróficas de os seres humanos a cada crise biótica das quais os fósseis são tes-
têm cerca de o dobro deste valor, variando de às grandes alterações ambientais naturais que alterarem o mundo a seu bel-prazer. Dado temunhos. Reconhecemos, afinal, nossa espé-
0,05 a 0,2 eventos de especiação por milhão desencadearam esses eventos de extinção em que todas as sociedades dependem dos ser- cie como uma força geológica, constatamos o
de espécies por ano1,2. Assim, mesmo com a massa do passado. viços ecológicos complexos fornecidos pelas advento da Sexta Extinção e, sob a perspecti-
ocorrência de alguns catastróficos eventos de interações próprias de um meio ambiente va que a Paleontologia nos traz, consideramos
extinção em massa, com os quais as taxas de POR UM LADO, este conhecimento pode diversificado, a conservação dos recursos a sério decretar o fim do Holoceno e alçar o
extinção ampliaram-se em milhares de vezes insinuar que a crise ambiental corrente é ape- naturais é um movimento do maior interes- Antropoceno* como época vigente do Perío-
e linhagens inteiras com seus genes e planos nas mais um pequeno episódio na história tur- se da maioria da população humana. Afinal, do Quaternário. Esta é uma considerável res-
corpóreos exclusivos foram eliminados, os bulenta da Terra, normalizando-a. Por outro esta é uma questão de buscar qualidade, sa- significação do tempo presente que emerge
fósseis mostram um contínuo aumento lí- lado, os dados paleontológicos mostram que nidade e longevidade para nós mesmos, na da investigação do passado.
quido da biodiversidade ao longo do tempo a interferência humana tem rearranjado as qual não deveria haver nenhuma necessidade
geológico. Esse entendimento do passado biotas mundiais e alterado os ciclos ambien- de justificativa filosófica desse movimento na O TRABALHO DO PALEONTÓLOGO
nos permite colocar em perspectiva a onda tais em velocidades muito maiores do que dicotomia natural/artificial. Humboldt, que também versa sobre o futuro. Na linha de
de extinções que a biota moderna enfrenta, em qualquer período precedente, superan- escreveu que “tudo é interação e reciprocida- frente da pesquisa lembramos que a inclusão
estimada em ser 1.000 a 10.000 vezes a taxa do a resiliência ecológica e a capacidade de de”, e a moderna Ecologia, nos mostram que de dados paleontológicos incrementa a con-
regular, e, portanto, similar em amplitude às adaptação e de repovoamento das espécies e a livre eliminação de espécies representa não fiabilidade dos esforços de modelagem de
extinções em massa do passado, incluindo as invertendo, pela primeira vez na história do apenas uma perda quantitativa na biodiversi- nicho ecológico, aponta estratégias de con-
cinco maiores que encerraram os períodos planeta, a relação extinção/especiação. dade, mas uma perda qualitativa na estrutura- servação e otimiza critérios de demarcação
Ordoviciano, Devoniano, Permiano, Triássico ção e complexidade dos ecossistemas e até o de áreas protegidas3. E fósseis são usados para
e Cretáceo. É ainda notável que o aumento ESTA PERSPECTIVA ECOA e reforça os colapso dos mesmos, com a ruptura da rede testar a previsibilidade dos modelos climáti-
na concentração de dióxido de carbono na alertas pioneiros do naturalista Alexander von de interações bióticas que os sustentam. E a cos, especialmente com respeito a cenários
14 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 15

A importância da Paleontologia

de aquecimento global. Em poucas palavras, da capacidade de observação, de abstração, fomentam bons projetos, criam condições Notas
o passado é a chave para projetar o futuro. noções de parcimônia, causalidade, amostra- para o desenvolvimento local da Paleontolo-
gem, margem de erro, análise crítica e pen- gia e reconhecem obras que divulgam nossos
1
Jablonski, D. 2004. Extinction: past and present.
Nature, 427, p. 589.
AINDA DE MAIOR IMPORTÂNCIA, samento lógico-dedutivo, entre outros. Essas fósseis; e, especialmente, a necessidade da
consideramos que a Paleontologia tem um são habilidades intelectuais fundamentais para implantação de incentivos públicos e privados 2
De Vos JM, Joppa LN, Gittleman JL, Stephens
papel a cumprir na educação científica das a plena cidadania moderna e para a mitigação regulares para o resgate, o estudo, a proteção PR & Pimm SL. 2015. Estimating the normal ba-
presentes e futuras gerações. Beneficiada pela da influência de movimentos negacionistas e e a divulgação do extraordinário patrimônio ckground rate of species extinction. Conservation
Biology, 29 (2): 452-462.
arte e pela imaginação, a Paleontologia repre- conspiracionistas e de posturas anti e pseudo- fossilífero nacional. Esses são caminhos de
senta uma das áreas da ciência com maior ape- científicas que se insinuam cada vez mais no baixo custo frente ao alcance de seus resulta- 3
Lima-Ribeiro MS, Moreno AKM, Terribile LC,
lo popular, e os dinossauros, em especial, es- Brasil e no mundo. dos acadêmicos e aplicados, e à contribuição Caten CT, Loyola T, Rangel TF & Diniz-Filho JAF.
tão entre os interesses intensos mais comuns 2017. Fossil record improves biodiversity risk as-
da Paleontologia na alfabetização científica
sessment under future climate change scenarios.
da infância4. Poucas ciências equiparam-se ao MAS PARA QUE O FASCÍNIO que a Pa- conceitual, procedimental e multidimensio- Diversity and Distributions, 23 (8): 922-933.
potencial da paleontologia no despertar de leontologia exerce sobre as crianças não seja nal. Temos, afinal, uma perspectiva mais com-
vocações para a prática de profissões técni- embotado ao longo da vida e mantenha-se pleta das contribuições da Paleontologia para 4
Alexander JM, Johnson KE, Leibham ME & Kel-
ley K. 2008. The development of conceptual inte-
co-científicas. Portanto, quando bem explo- disponível à educação científica continuada, além de seu nome: Desvendar o passado, Ressig-
rests in young children. Cognitive Development, 23:
rada pedagógica e epistemologicamente nos é importante que não seja apresentada como nificar o presente, Edificar o futuro. 324-334.
espaços formais e não-formais de educação, um tema distante e arcano aos jovens e aos 
bem como na imprensa e mídias sociais, a adultos. Daí a necessidade de elevar a aten-
Paleontologia representa um atrativo recur- ção dada a este campo, e em várias frentes
so que desperta e aprofunda, direta ou indi- de ação: superar os erros que incendeiam o
retamente, uma série de habilidades para a patrimônio nacional, desmontam instituições
proficiência em ciências: o desenvolvimento e estagnam projetos; replicar os acertos que
16 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 17

Congresso Brasileiro
de Paleontologia:
60 anos a desvendar,
ressignificar e edificar

G
TEXTO eólogos e paleontólogos pio- Roberto Schwarz sobre o final dos anos 50 e assembleia final com eleição e posse de nova
Douglas Riff neiros militavam pela orga- início dos anos 60, “o país estava irreconhe- diretoria.
Universidade Federal de Uberlândia
nização, profissionalização e civelmente inteligente”, e a Paleontologia
disseminação da Paleontologia nacional firmou-se nessa época. APÓS O PRIMEIRO EVENTO foram re-
no país desde o início da década de 1940. alizados diversos outros encontros que não
Este anseio foi grandiosamente impulsio- REALIZADO NOS DIAS 16, 17 e 18 de possuíam uma uniformidade quanto à perio-
nado na década seguinte pela expansão do fevereiro de 1959, o I Congresso Brasileiro dicidade, nomenclatura e nem quanto à publi-
ensino de geociências no país, a criação da de Paleontologia ocorreu no salão nobre do cação de resumos, por vezes ocorrendo como
PETROBRAS e a ampliação do levantamen- Departamento Nacional de Produção Mine- um simpósio junto ao Congresso Brasileiro
to geológico básico do território nacional. ral, no Rio de Janeiro3. Ali, reuniram-se 18 de Geologia, ou de modo integrado ao Con-
Estas políticas aguçaram a necessidade de dos 42 então sócios da SBP, e foram admiti- gresso Latino-americano de Paleontologia.
coesão e ação organizada para um contínuo dos outros 13 novos associados. Este primeiro Foi a partir do VIII Congresso Brasileiro de
aperfeiçoamento da então pequena comuni- congresso contou com uma palestra (sobre a Paleontologia, em 1983, que esse evento ad-
dade paleontológica nacional frente à nova e Bacia de Itaboraí), cinco apresentações orais quiriu uma periodicidade bienal, consagrou-
enorme demanda de conhecimentos na área, (Formação Gramame e seus amonóides; a se oficialmente como Congresso e passou a
bem como incentivaram a atração de novos paleobotânica da Formação Pirabas e de de- publicar um boletim com resumos dos traba-
talentos. Este movimento culmina com a pósitos quaternários cearenses; um panorama lhos apresentados.
fundação da Sociedade Brasileira de Paleon- das pesquisas paleontológicas na Formação
tologia (SBP), no dia 7 de março de 1958, e Pirabas; e uma análise do primata hominói- A HISTÓRIA DA PALEONTOLOGIA
a promoção, por parte da primeira diretoria deo Oreopithecus, do Mioceno europeu sob brasileira soma, portanto, 25 congressos na-
da SBP, do I Congresso Brasileiro de Pale- uma perspectiva evolutiva), uma excursão cionais já realizados em todas as regiões do
ontologia1,2. Como dizia o crítico literário (a afloramentos da Bacia de Itaboraí) e uma Brasil. Como município que historicamente
18 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 19

Congresso Brasileiro de Paleontologia: 60 anos...

concentra a maior parte das instituições e O ANO DE 2019 TRAZ aniversários sig- Notas
pesquisadores ligados à Paleontologia, o Rio nificativos para a Paleontologia mundial: os
de Janeiro sediou seis encontros (em 1959, 250 anos de Georges Cuvier, o “pai da pale-
1
Kotzian CB & Ribeiro AM. 2009. Sociedade Bra-
sileira de Paleontologia: 50 anos – uma homena-
1965, 1968, 1970, 1983 e 1987). Ocorreram ontologia”, e de Alexander von Humboldt, o gem aos seus fundadores. Boletim Paleontologia em
ainda duas edições em Crato (1999 e 2015), maior naturalista de seu tempo; os 210 anos Destaque, Edição Especial de setembro de 2009.
e uma edição em cada uma das seguintes cida- de Charles Darwin e 160 anos de publicação 112 p.

des: Mossoró (1961), Belo Horizonte (1976), de sua obra A Origem das Espécies. Essas datas 2
Carvaho IS. 2007. Paleontologia: 50 Anos de En-
Recife (1978), Porto Alegre (1981), Fortale- somam-se, no Brasil e em Uberlândia, aos 60 sino e Pesquisa no Departamento de Geologia da
za (1985), Curitiba (1989), São Paulo (1991), anos do Congresso Brasileiro de Paleontolo- Universidade Federal do Rio de Janeiro. Anuário do
São Leopoldo (1993), Uberaba (1995), São gia e aos 45 anos da descrição e nomeação Instituto de Geociências, 30 (1):.30-37.

Pedro (1997), Rio Branco (2001), Brasília do primeiro fóssil uberlandense, inspirando 3
Ramos JRA. 1959. I Congresso Brasileiro de Pa-
(2003), Aracaju (2005), Armação dos Búzios a comissão organizadora na idealização do leontologia. Engenharia, Mineração e Metalurgia, 29
(2007), Belém (2009), Natal (2011), Grama- XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia. (171): 143-144.
do (2013) e Ribeirão Preto (2017). Em cada Ressaltando o papel da Paleontologia no es-
edição o Congresso cresceu e aprimorou-se, clarecimento dos revolucionários conceitos
passando a receber de 400 e 500 participan- de extinção e de evolução das espécies, e a
tes, atrair convidados e participantes estran- importância dos estudos paleontológicos para
geiros, ter centenas de trabalhos apresentados a conservação da biodiversidade, celebramos
e publicados como resumos e artigos, incor- em 2019 o Legado do Tempo e as Lições dos
porar simpósios, mesas-redondas, workshops Fósseis.
e minicursos temáticos, além das tradicionais 
excursões técnicas a afloramentos fossilíferos.
20 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 21

Sobre o evento

C
omo maior encontro nacional DESDE A PRIMEIRA EDIÇÃO, o Con-
nesta área, o Congresso Brasi- gresso Brasileiro de Paleontologia é também
leiro de Paleontologia é a mais um espaço para a representação e articula-
importante e frutífera oportu- ção dos paleontólogos nacionais por meio da
nidade de congraçamento e trocas de ex- eleição da diretoria da Sociedade Brasileira
periências entre paleontólogos, estudantes de Paleontologia. É também um momento
e admiradores desta ciência no país. Sendo de fala e escuta de reivindicações e de afir-
a única grande reunião nacional de paleon- mação da comunidade paleontológica brasi-
tólogos atuantes em várias especialidades, leira quanto à formação e empregabilidade
como a micropaleontologia, a paleontologia dos paleontólogos, à segurança jurídica para
de vertebrados, de invertebrados e a paleo- o exercício e fiscalização da profissão, à pro-
botânica, bem como de usuários de diferen- teção ao patrimônio fossilífero, bem como é
tes tecnologias e linhas de pesquisa na área, um espaço para a manifestação da tolerân-
o Congresso Brasileiro de Paleontologia tor- cia, diversidade e inclusão e para o combate
na-se um privilegiado momento para atuali- a posturas discriminatórias no seio da comu-
zação e retroalimentação mútuas. A grande nidade paleontológica.
participação de estudantes e a interface com
o público em geral afirmam ainda o Con- NO SEXAGENÁRIO DO Congresso Bra-
gresso Brasileiro de Paleontologia como um sileiro de Paleontologia, a cidade e a Uni-
catalisador para a formação de novos paleon- versidade Federal de Uberlândia orgulham-
tólogos e para a divulgação científica. se em sediar a 26ª edição. A sua localização
no Triângulo Mineiro, uma das regiões com
22 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 23

Sobre o evento

o maior número de dinossauros no país e de biodiversidade. Consideramos que o conheci-


grande relevância para o estudo de fósseis mento advindo do estudo dos fósseis e seu im-
do Cretáceo continental, aliada às facilida- pacto para a compreensão do tempo presente
des logísticas oferecidas aos participantes revela que a importância da Paleontologia se
pelo município, levaram a Sociedade Brasi- estende muito além de uma eventual leitura
leira de Paleontologia a delegar esta gran- simplista e romantizada de sua etimologia.
diosa responsabilidade à equipe do Labora-
tório de Paleontologia do Instituto de Biolo- O LOGOTIPO DO XXVI Congresso Brasi-
gia da Universidade Federal de Uberlândia, leiro de Paleontologia foi produzido pelo de-
compartilhada com colegas do Laboratório signer uberabense, residente em Uberlândia,
Analítico em Paleontologia do Instituto de Bruno Nascimento. Veja ao lado a inspiração
Ciências Exatas e Naturais do Pontal (UFU), que Bruno buscou no trabalho do paleontólo-
do Laboratório de Paleontologia Aplicada do go e no tema do evento, para então idealizar e
Curso de Geologia do campus Monte Carme- produzir nossa identidade visual.
lo (UFU) e também com colegas do IFTM,
da UFTM, UFES, UERJ, UNIFESP, UFABC,
CPRM e CENPES-PETROBRAS.

O TEMA DO EVENTO, “O Legado do


Tempo e as Lições dos Fósseis”, enfatiza a
compreensão das extinções e as múltipla in-
terfaces da Paleontologia na conservação da
24 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 25

Palestras e
Mesas-redondas
26 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Palestras e Mesas-redondas 27

FORAMINIFERA OU OSTRACODA: QUAL podem criar dificuldades e limitações em seu uso grafia, magnetoestratigrafia, geoquímica, análises cias Exactas y Naturales, Universidad Nacional de Cuyo,
É O MELHOR BIOINDICADOR PARA como proxies quando influenciadas pelas condi- estatísticas e correlação de gráficos) possam ser ICB, UNCUYO, CONICET, Mendoza, Argentina.
ANÁLISES PALEOECOLÓGICAS EM AM- ções físicas e químicas do ambiente em análise. As- correlacionadas à micropaleontologia, permitindo bgonriga@yahoo.com.ar
BIENTES EVAPORÍTICOS EXTREMOS? sim, o objetivo da discussão proposta é promover um conhecimento cada vez mais integrado e pre-
FORAMINIFERA OR OSTRACODE: WHICH ONE IS THE um debate sobre as vantagens e desvantagens de ciso de cada região a ser estudada. Para abordar as The number of named titanosaurs has increased
BEST BIOINDICATOR FOR PALAEOECOLOGICAL ANALI- Ostracoda e Foraminifera sob diferentes métodos direções atuais e futuras da micropaleontologia, os dramatically in recent years, with roughly 50 valid
SIS IN EXTREME EVAPORITIC ENVIRONMENTS? de análises e como proxies em estudos de ambien- participantes debaterão sobre os principais com- species from South America alone. Preservation
tes extremos, levando em conta sua ecologia, com- ponentes organizacionais (universidade, indús- of relatively complete skeletons in huge sauro-
CATIA FERNANDES BARBOSA1, DANIEL FRAN- pods is difficult because its bones suffer a strong
portamento e características morfofisiológicas. tria, comunidade), as infraestruturas e suportes
ÇOIS DO NASCIMENTO SILVA2, NAYARA DORNE- disarticulation processes before the burial. This is
científicos disponíveis (laboratórios, publicações,
LAS2, LUIZ GUSTAVO RODRIGUES DE SÁ VALLE3,  a consequence of both extrinsic or environmental
ensino) e a contribuição das áreas afins (Biologia,
ANNA CLARA FREITAS BELLOT2, LUISA JAEGER and intrinsic or biological factors. For instance, in
MICROPALEONTOLOGIA: PERSPECTIVAS Geologia, Ecologia, Oceanografia, Climatologia).
MARQUES2, CAMILA AREIAS DE OLIVEIRA1,4, southern Mendoza Province (Argentina), three
E APLICAÇÕES / MICROPALEONTOLOGY: FUTURE
ANNA PAULA SOARES CRUZ1,5  partially skeletons of an unnamed new titano-
PERSPECTIVES AND APPLICATIONS
1
Instituto de Química, Departamento de Geoquímica, saur species show exceptional preservation and
Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ. 2Insti- CLEBER FERNANDES ALVES1, ENELISE KATIA RAPID DIVERSIFICATION OF BIRDS are related with both type of factors. Specimen
tuto de Biologia, Departamento de Biologia, Univer- PIOVESAN2, MARCELO DE ARAÚJO CARVALHO3, FOLLOWING THE END-CRETACEOUS
sidade Federal Fluminense, Niterói, RJ. 3Instituto de UNCUYO-LD 303 has almost complete axial
GERSON FAUTH4 MASS EXTINCTION skeleton (from the first cervical to the last cau-
Geociências, Departamento de Geologia e Geofísica,
Universidade Federal Fluminense, Niterói, RJ. 4Univer-
1
Laboratório de Palinofácies & Fácies Orgânica (LAFO)/ dal vertebrae, but do not have skull). In a second
DANIEL J. FIELD
sity of Genève, Department of Earth Sciences, Genève, Departamento de Geologia/IGEO/CCMN/UFRJ, Rio
de Janeiro. 2Laboratório de Micropaleontologia Apli- Department of Earth Sciences, University of Cambrid- specimen UNCUYO LD 309, a partially disarticu-
Switzerland. 5Department of Geological Sciences, Cali-
fornia State University, Bakersfield, USA. cada/Laboratório de Geologia Sedimentar e Ambien- ge, Cambridge, UK. lated skeleton has a relative complete skull which
tal/LAGESE, Departamento de Geologia, Centro de djf70@cam.ac.uk is preserved below a huge sacrum that protects it
catiafb@id.uff.br • danielfrancois@id.uff.br
Tecnologia e Geociências/UFPE, Rio de Janeiro. 3La- and avoids the fluvial transport. In the specimen
nayaradornelas@id.uff.br • luizvalle@id.uff.br
boratório de Paleoecologia Vegetal, Departamento de Insights from the fossil record and molecular phy- UNCUYO LD 302, fragments of skull are related
acfbellot@gmail.com • luisajm19@gmail.com
Geologia e Paleontologia, Museu Nacional/UFRJ, Rio logenies have converged on a dramatic evolutio-
camila_areias@id.uff.br • ap.cordeiro2@hotmail.com
de Janeiro. 4ITT Fossil, Instituto Tecnológico de Micro- with an articulated cervical series, and disarticu-
paleontologia, Universidade do Vale do Rio dos Sinos
nary narrative: after narrowly surviving the end- lated dorsal vertebrae and appendicular bones.
Apesar de todos os supergrupos dos Eucaria serem – UNISINOS, São Leopoldo, RS. Cretaceous mass extinction, crown birds rapidly These specimens come from the same Plottier
microscópicos, apenas alguns tem relevância na in- alvescf@gmail.com • katiapiovesan@gmail.com radiated early in the Paleogene to fill a panoply Formation (upper Coniacian–lower Santonian)
terpretação paleoecológica, datação, e correlação mcarvalho@mn.ufrj.br • gersonf@unisinos.br of vacant niches. The pattern and tempo of this and are separated each other around 50 to 60 me-
bioestratigráfica dos estratos sedimentares. Entre radiation were structured by intrinsic biological ters, but were recovered in different sedimentary
eles, ostracodes e foraminíferos possuem um re- O objetivo da mesa-redonda é demonstrar ao pú- factors (e.g., genomic substitution rates, corre- facies of the same meandering fluvial system with
gistro evolutivo bem conhecido e de longa data, blico a importância da micropaleontologia, discu- lated life history parameters) as well as extrinsic ephemeral episodes. These and other taphonomic
sendo bioindicadores úteis, com bom potencial de tindo suas aplicações e suas perspectivas futuras, variables such as rates of habitat recovery. A cohe- quarries of huge sauropods can allow describing at
preservação e números de indivíduos e espécies obstáculos e possíveis avanços. A micropaleonto- rent portrait of the near-demise, and rapid rise, of least two important intrinsic factors related with
representativos em determinados ambientes de logia é uma importante aliada nos estudos bioes- birds has begun to come into focus, drawing on an the bone anatomy: ‘structural fragility’ and ‘weak
sedimentação e períodos de tempo. No entanto, tratigráficos, paleoecológicos e paleoclimáticos. ever-improving avian fossil record integrated with points of disarticulation’. The first one refers to
existem ambientes de sedimentação onde estes Para a indústria de hidrocarbonetos, é fundamen- genomic, palynological, and climatic data. Here, I those bones that destroy more easily, such as the
microfósseis disputam importância de um em re- tal na exploração, avaliação e desenvolvimento summarise recent advances in all of these areas to case of the characteristic weak and small skull of
lação ao outro, como em ambientes evaporíticos de estudos de campo, reduzindo riscos e custos provide an updated account of the impact of the these dinosaurs. The second factor refers to vul-
extremos, a exemplo da Lagoa Brejo do Espinho, na solução de eventuais problemas de perfuração, end-Cretaceous mass extinction event on avian nerable joints where the skeleton frequently is di-
localizada à leste do estado do Rio de Janeiro e que migração e acúmulo do óleo. Análises micropale- evolutionary history. sarticulated. This is the case of the atlas-skull, the
pode ser considerada um análogo moderno dos ontológicas possibilitam também conhecer me-  tarsal-metatarsals and the last caudal centra. From
depósitos dolomíticos Mesozóicos do pré-sal. Para lhor as taxas de produtividade orgânica, oxigena- phylogenetic viewpoint, the results of four recent,
ambos os grupos, os elementos traços, os isótopos ção, temperatura e salinidade do ambiente, além COLOSSAL DINOSAURS: DISCOVERIES
largely independent analyses support the existen-
estáveis e os estudos de assembleias tornaram-se de contribuir nas interpretações sobre paleoclima AND PALEOBIOLOGY OF SOUTH AMERI-
ce of a derived titanosaurian lineage distinct from
ferramentas paleoecológicas importantes. A quí- e paleoprofundidade. O avanço tecnológico faz CAN TITANOSAURS
the ‘Saltasaurinae line,’ which is termed Colos-
mica das conchas mostra muitas semelhanças, mas com que outras ferramentas geológicas (como a BERNARDO JAVIER GONZÁLEZ RIGA sosauria. At present, this clade includes several
elas têm diferenças morfológicas e fisiológicas que sísmica, a estratigrafia de sequências, cicloestrati- Laboratorio y Museo de Dinosaurios, Facultad de Cien- gigantic species like Patagotitan, Argentinosaurus,
28 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Palestras e Mesas-redondas 29

Puertasaurus and Notocolossus. From paleobiological extinções. Mesmo dentro do próprio último ciclo GEORGES CUVIER E A INSTAURAÇÃO sistema de classificação natural baseado na or-
viewpoint, giant sauropods were recorded in dif- a cronologia delas não se encaixa bem. Então, será DA PALEONTOLOGIA COMO CIÊNCIA / ganização corporal e não em genealogias como
ferent moments of their evolutionary history (like que as LQE precisam de uma explicação especial? GEORGES CUVIER AND THE ESTABLISHMENT OF PA- passaram a se basear os sistemas de classificação
diplodocids in the Jurassic and titanosaurs in the Não, não precisam. Numa abordagem paleoecoló- LEONTOLOGY AS A SCIENCE taxonômicos, após a aceitação do evolucionismo,
Cretaceous). Unfortunately, our understanding gica, essas extinções seriam esperadas: uma expli- momento em que um novo paradigma se instalou
FELIPE FARIA
of the gigantism of these animals is at initial sta- cação seria necessária apenas se elas não tivessem na Paleontologia.
Departamento de Filosofia, Universidade Federal de
ge. Recently, some studies on sauropods indicates ocorrido! Sabemos que: a) as espécies que se re- Santa Catarina, Florianópolis, SC. 
that abiotical factors (environmental parameters) produzem menos são as mais vulneráveis à pressão
felipeafaria@gmail.com
cannot easily correlate with their gigantism. In da caça, b) as taxas reprodutivas são inversamente OSTRACODES (CRUSTACEA) E SUAS
contrast, a ‘biological evolutionary cascade mo- proporcionais ao tamanho corporal, c) os preda- Até a Modernidade, quando os fósseis começaram APLICAÇÕES À INTERPRETAÇÃO PALEO-
del’ has been proposed to better explain the huge dores exóticos invasores causam perdas devasta- a ser considerados como restos de organismos, AMBIENTAL / OSTRACODES (CRUSTACEA) IN PA-
size. This model can explain the main biological doras nas biodiversidades locais, d) agricultura e estes fenômenos naturais receberam inúmeras LAEOENVIRONMENTAL ANALYSIS
changes of sauropods to reach large bodies, but pecuária só foram inventadas em cada lugar depois interpretações que os relacionavam à mitologias JOÃO CARLOS COIMBRA
the coexistence of relatively small and large tita- da extinção da megafauna. Levando em conta tudo e magismo. Mesmo após o reconhecimento de Departamento de Paleontologia e Estratigrafia, Institu-
nosaur sauropods do not have satisfactory expla- isso e a dispersão dos humanos pelo planeta nos sua origem orgânica, os historiadores naturais to de Geociências, UFRGS, Porto Alegre, RS.
nation until more accurate morphofunctional and últimos 50 mil anos, como um predador invasor praticamente não os utilizavam para a produção joao.coimbra@ufrgs.br
behavioral studies are made. Gregarious behaviors auto-transportado com eficácia sem precedentes, de conhecimento biológico. Somente, quando a
inferred based on titanosaur tracks (e.g. Titanopo- o que teria sido surpreendente é se os humanos questão da ocorrência de extinções no mundo na- Os ostracodes são minúsculos crustáceos que
dus) and nests from Auca Mahuevo (Patagonia) are não tivessem extinguido a megafauna! Corrobo- tural veio a ser debatida vigorosamente, o papel apresentam o corpo envolto por uma carapaça
important adaptions to evaluate in this palaeobio- rando esta expectativa, nosso estudo quantitativo dos fósseis como elementos capazes de fornecer carbonática bivalve. A carapaça não serve apenas
logical framework. Finally, in titanosaurs we are intitulado Bigger kill than chill: The uneven roles of dados para a compreensão deste e de outros fe- para proteção, mas é a estrutura que sustenta o
in a stage of discovery of new species every years, humans and climate on late Quaternary megafaunal ex- nômenos naturais pôde ser percebido. Mas para a corpo e permite que os apêndices realizem suas
which is extremely attractive and include an un- tinctions, recentemente publicado no volume 431 comprovação do desaparecimento de uma espécie tarefas, pois estes estão unidos ao interior das val-
suspected biological diversity. da revista Quaternary International, mostrou com se fazia necessária à aplicação de métodos anáto- vas por músculos. Habitam todos os ambientes
clareza que essas extinções estiveram associadas mo-comparativos, que permitissem a comparação aquáticos, encontrando-se também espécies adap-

à chegada humana em cada região do planeta, e entre os organismos viventes e aqueles que só tadas ao húmus de florestas, aos tanques de bro-
O CURIOSO INCIDENTE DO CACHOR- não às mudanças climáticas. Numerosos outros eram encontrados na forma fóssil. Esses méto- meliáceas e a cursos d’água subterrâneos. Muito
RO À MEIA-NOITE: O QUE AS EXTIN- estudos recentes têm concordado em apontar o dos foram aprimorados e intensamente utilizados diversificados e geralmente abundantes, estes ar-
ÇÕES DO FINAL DO QUATERNÁRIO TEM papel preponderante dos humanos como causa das por Georges Cuvier (1769-1832), possibilitando trópodes surgiram no Ordoviciano e desde então
A NOS ENSINAR SOBRE O PRESENTE? / LQE, restando ao clima um papel secundário ou reconstruções paleontológicas que permitiram a apresentam registro fóssil invejável. No que se re-
THE CURIOUS INCIDENT OF THE DOG AT MIDNIGHT: nulo. Perceber que nós causamos as LQE abre um definitiva inclusão dos fósseis no mundo biológico fere a aplicações às geociências, os ostracodes têm
WHAT CAN THE LATE QUATERNARY EXTINCTIONS TE- imenso campo de pesquisa sobre as causas e con- e na história do Globo. Esta inclusão permitiu uma sido utilizados especialmente em bioestratigrafia
ACH US ABOUT THE PRESENT? sequências dessas extinções. Perguntas fascinantes compreensão das possíveis formas de organização e interpretação de paleoambientes, com destaque
incluem: efeito da perda da megafauna sobre as corporal que a natureza havia produzido ao longo para estudos de variações do nível do mar, paleo-
FERNANDO A. S. FERNANDEZ
interações ecológicas, especialmente na disper- do tempo, compreensão esta que era um dos mais ceanografia e paleolimnologia. A informação pa-
Departamento de Ecologia, Universidade Federal do
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. são dos “frutos da megafauna”; efeito da perda da importantes objetivos cognitivos do programa de leoambiental pode tanto ser obtida através de um
rodentia@biologia.ufrj.br
megafauna sobre o clima, através de alterações pesquisas cuvieriano. Destarte, para alcançar es- estudo faunístico quanto ser secundada por aná-
ecossistêmicas influenciando a produção de gases tes objetivos ele formou uma rede de cooperação lises químicas efetuadas na carapaça. Ambas me-
Durante as extinções do final do Quaternário estufa; e efeito da pressão da caça sobre o tamanho internacional, que rapidamente se transformou todologias necessitam de um pré-requisito funda-
(LQE), dois terços das espécies de grandes ver- dos animais, com os “anões do tempo” e a possibi- numa comunidade científica aderida aos métodos, mental, i.e., de uma análise tafonômica básica para
tebrados da Terra (a chamada megafauna) foram lidade de pseudo-extinções. Tudo isso traz lições à teoria, e ao programa de pesquisas propostos determinar se os espécimes fósseis estão in situ e,
extintas em uma sequência que começou na Aus- fundamentais para o futuro, neste momento em por Cuvier. Após décadas produzindo estudos que portanto, representam a assembleia viva. Neste
trália há 50 mil anos e terminou nas ilhas mais re- que enfrentamos uma crise global de extinções, resultavam em confirmações daqueles resultados, particular os ostracodes, por serem artrópodes,
motas há apenas algumas centenas de anos. Uma que nada mais é do que a aceleração daquele pro- alguns naturalistas iriam descobrir fenômenos apresentam uma vantagem sobre outros microfós-
característica notável de LQE é sua falta de cor- cesso que começou na Austrália 50 mil anos atrás. naturais que a teoria constituinte do paradigma seis, pois a presença ou ausência de carapaças ju-
relação com as flutuações climáticas: houve 51 ci- [CNPq] cuvieriano não poderia explicar. Seguiu-se então venis e adultas é um bom indicador da ocorrência
clos glaciais no Quaternário e somente durante o  um questionamento desta teoria e do programa ou inexistência de transporte post mortem. A au-
último, que não foi o mais intenso, ocorreram as de pesquisas de Cuvier, que objetivava atingir um sência da maioria dos grupos de microfósseis cal-
30 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Palestras e Mesas-redondas 31

cários e silicosos em ambientes continentais (e.g. a estrutura arquitetônica, mas todas as coleções MUSEU NACIONAL VIVE: O RESGA- do Carbonífero europeu e espécime de Psaronius
lagos), faz dos ostracodes uma excelente opção na científicas e documentais que aí estavam instala- TE DA COLEÇÃO DE PALEOBOTÂNICA brasiliensis, do século XIX, foram resgatados, bem
análise paleoambiental de antigas bacias lacustres. das, gerando uma perda considerável do patri- NATIONAL MUSEUM ALIVE: THE RESCUE como muitos exemplares de madeiras fósseis do
Igualmente abundantes em ecossistemas sujeitos a mônio científico, cultural e da memória de nosso OF THE PALEOBOTANICAL COLLECTION Paleozóico brasileiro e do Cretáceo da Antártica.
variações de salinidade, como estuários e lagunas, país. A comunidade do Museu Nacional, diante Ainda, há remanescentes de fósseis dos gêneros
LUCIANA WITOVISK GUSSELLA
estes pequenos crustáceos também têm tido am- deste cenário, organizou-se no Núcleo de Resgate Asterophyllites, Brachyphyllum, Calamites, Guairea,
Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janei-
pla aplicação na identificação de ambientes mari- de Acervos, com o objetivo de planejar e iniciar ro, Núcleo de Resgate de Acervos, Departamento de
Lepidodendron, Myrocarpoxylon, Neuropteris, Nypa,
nhos marginais. Por sua vez, o conhecimento das as atividades de salvamento dos acervos científi- Geologia e Paleontologia, Rio de Janeiro, RJ. Paracalamites, Rhexoxylon, Sigillaria, Tietea, Trigono-
faunas marinhas de águas mais profundas, que so- cos, arquitetônicos, documentais, bibliográficos luwitovisk@mn.ufrj.br carpus, Welwitschiophyllum. É importante salientar
freu grande incremento nas últimas décadas, tem e pessoais. As primeiras atividades incluíram o le- que, apesar do trabalho de resgate de informações
revelado espécies sensíveis a parâmetros relacio- vantamento da situação, reunião com equipes da A Coleção de Paleobotânica do Museu Nacional é ser demorado, este é um excelente recomeço para
nados com variações climáticas, como por exem- UFRJ e externas, definição das necessidades em a mais antiga do país e uma das maiores da Amé- esta coleção, pois ainda mantém uma boa repre-
plo, temperatura, salinidade, oxigênio dissolvido e relação a equipamentos, insumos e edificação para rica Latina. Sua importância histórica remonta ao sentatividade de gêneros e do registro da história
produtividade primária nos oceanos. No caso das armazenamento do acervo. Em seguida, foram início da Ciência no Brasil, durante o século XIX. da Paleobotânica no Brasil.
espécies marinhas bentônicas, que representam definidos protocolos de acão e o levantamento Nesta coleção está depositado o primeiro fóssil

mais de ~80% das espécies fósseis e recentes, não de todos os itens que existiam em cada área do vegetal coletado no país, e identificado como Psa-
há um estágio larval livre-natante como ocorre em palácio. O processo de salvamento teve início no ronius brasiliensis, além de fósseis do Carbonífero VERTEBRADOS NEÓGENOS PAN-AMA-
outros crustáceos, e, portanto, a dispersão é mais mesmo mês do incêndio, acompanhando as ativi- europeu que foram adquiridos para impulsionar ZÔNICOS / NEOGENE PAN-AMAZONIA VERTEBRA-
limitada, ocorrendo com frequência um certo dades da empresa contratada para a retirada de es- os estudos de carvão mineral em solo brasileiro TE FAUNAL ASSEMBLAGES IN NORTHERN SOUTH AME-
endemismo. Este fato, associado a grande riqueza combros e escoramento do prédio e acompanhan- no século XIX. Na década de 1970, a Coleção RICA
específica e as particularidades biológicas e mor- do as atividades da Polícia Federal, que periciava teve um crescimento extraordinário com as co-
ORANGEL ANTONIO AGUILERA SOCORRO
fológicas destes ostracodes, bem como o número das causas do incêndio. Treze coleções do Museu letas de José Henrique Millan e Elias Dolianiti
Universidade Federal Fluminense, Instituto de Biologia,
relativamente pequeno de sistematas, fazem com Nacional estão sendo resgatadas, com seu acervo de fósseis do Carbonífero brasileiro. Além disso, Departamento de Biologia Marinha, Laboratorio de Pa-
que a identificação em nível específico não seja ta- apresentando diferentes graus de danos em função Diana Mussa, considerada a maior Paleobotânica leoecologia e Mudanças Globais, Campus de Gragoatá,
refa simples. Talvez este seja o ‘tendão de Aquiles’ do calor, do desabamento e da ação da água. Este do Brasil, também foi professora do Museu Na- Niterói, RJ.
para os que desejam utilizar este grupo em estu- material, após ser retirado do prédio, segue para cional até 2006 e colaborou muito com a coleta de
dos paleoambientais, já que, comparado com fo- a área de triagem onde é atribuído um número de madeiras fósseis do Paleozóico brasileiro. A maior Espécies fósseis ícones dos grande bagres (p. ex.
raminíferos, os ostracodes apresentam taxonomia registro, são detalhadas suas condições, proveni- parte do acervo nacional era composta por fósseis Phractocephalus), tartarugas gigantes (p. ex. Stupen-
significativamente mais complexa. ência e outros dados importantes sobre a peça, paleozoicos, com destaque para a flora devoniana demys), jacarés (p. ex. Purussaurus), gaviais (p. ex.
além do registro fotográfico. Neste momento, é do Paraná, a flora carbonífera de Santa Catarina e Gryposuchus) e roedores (p. ex. Phoberomys) distri-
 buem-se ao longo do grande pantanal e sistema
feito uma avaliação das condições das peças e qual São Paulo, além de lenhos e caules de pteridófitas
A TRAGÉDIA E O RESGATE NO MUSEU o seu destino: laboratório para estabilização ou ar- permianas. Além disso, abriga fósseis mesozóicos hidrográfico do lago Pebas (Formação La Venta do
NACIONAL / THE TRAGEDY AND THE RESCUE AT mazenamento. Após um ano de atividades, a etapa das bacia de Tucano, do Araripe e alguns registros Mioceno médio a superior, no deserto da Tatacoa,
THE NATIONAL MUSEUM de salvamento continua em curso. A planta baixa cenozóicos de São Paulo, Rio de Janeiro e Ilha da Villavieja, Colômbia; Formações Pebas e Solimões
do Palácio foi dividida em 71 áreas, das quais 50 já Trindade. A coleção estrangeira era dividida en- do Mioceno superior na região do Acre, Peru-Bra-
LUCIANA BARBOSA DE CARVALHO sil) assim como no sistema fluvial-litorâneo (For-
foram totalmente trabalhadas e 21 áreas estão em tre acervos provenientes do Carbonífero europeu
Museu Nacional/Universidade Federal do Rio de Janei- mação Urumaco do Mioceno Superior, no deser-
ro, Nucleo de Resgate de Acervos, Departamento de processo de retirada de escombros e salvamento e norte americano e de fósseis cretácicos da Ilha
de acervo. Em relação às coleções paleontológicas James Ross, da Península Antártica. Há também to de Falcón, Venezuela) e caracterizam o amplo
Geologia e Paleontologia, Rio de Janeiro, RJ.
temos o seguinte quadro: a Coleção de Paleopali- poucos exemplares do Mesozóico europeu e norte registro e distribuição de vertebrados fósseis no
lucbc@acd.ufrj.br
nologia, formada por mais de 2.000 lâminas, foi americano. Até o dia 2 de setembro de 2018, data nordeste de Sul América. A paleodiversidade de
Enquanto ainda estava sendo comemorado os totalmente perdida; diversos itens das coleções de do incêndio que consumiu o Paço de São Cristó- fósseis de vertebrados hoje extintos alcança o má-
duzentos anos do Museu Nacional, primeira ins- Paleobotânica e Paleovertebrados já foram resga- vão, a coleção contava com 7133 exemplares de ximo de espécies durante o Mioceno, favorecido
tituição científica do Brasil, esta foi atingida pela tados; a Coleção de Paleoinvertebrados está em fósseis vegetais. O resgate dos remanescentes des- pela extensa conectividade entre os habitats e as
tragédia de 02 de setembro de 2018. O incêndio processo de salvamento. A etapa de salvamento de te acervo encerrou-se em 23 de janeiro de 2019 oportunidades para a diversificação e de migração.
ocorrido demonstra a falta de compromisso e in- acervos deve encerrar-se no primeiro semestre de e está em fase de limpeza, catalogação e recupe- A alta diversidade de peixes de água doce, assim
vestimentos em cultura, ciência e memória em 2020, quando se dará início à etapa de inventário ração de informações. Ainda não é possível esti- como a sua ampla distribuição, são evidências que
nosso país. O fogo atingiu todo o palácio, sede de perdas e danos e à produção do relatório final. mar o número total de exemplares resgatados, mostram a persistência de sistemas hidrográficos
principal do Museu Nacional. Impactou não só mas fósseis importantes, tais como os exemplares amplos e complexos interpretado como o proto-

32 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia

-Amazonas. Os sistemas hidrográficos de Pebas,


Solimões, Acre e Urumaco facilitaram o desen-
volvimento do gigantismo em vários linhagens de
vertebrados (p. ex. os crocodilianos atingiram um
tamanho corporal por volta dos 10 m, as tartaru-
gas aproximadamente 2,8 m e os roedores uma
biomassa de aproximadamente 700 Kg). As ano-
malias climáticas do Mioceno Médio ao Superior
(p. ex. Ótimo Climático do Mioceno Médio,Tran-
sição Climática do Mioceno Médio), os câmbios
topográficos e geográficos (orogenia dos Andes
durante o Mioceno Médio a Superior) e as mudan-
ças nos sistemas hidrográficos (formação do Ama-
zonas transcontinental) impactaram as espécies
neotropicais provocando a mais importante extin-
ção em massa ocorrida na América do Sul durante
o Mioceno. Por outro lado, na região da Amazônia
oriental, na costa Atlântica, o estabelecimento dos
deltas dos rios Amazonas e Orinoco produziram o
colapso das assembleias de faunas marinhas asso-
ciadas à plataforma carbonática. [CNPq-bolsa de
produtividade 305269/2017-8]

34 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 35

Sessão Prêmio
Josué Camargo Mendes
36 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão Prêmio Josué Camargo Mendes 37

CONCENTRAÇÃO DE MERCÚRIO EM dae ~13,00 ng.g-1; Sphagesauridae ~5,50 ng.g-1; direito e esquerdo, parcialmente articulado, con- demonstrated that the inclusion of new data
FÓSSEIS DE VERTEBRADOS DO GRUPO testudinos ~2,00 ng.g-1). A hierarquia trófica dos sistindo em ocorrência inédita desse grupo para a such as new species, specimens or phylogenetic
BAURU: UM NOVO MÉTODO PARA RE- vertebrados fósseis foi reconstruída com os táxons Bacia Sanfranciscana, em Minas Gerais. A análise characters are only means of fulfilling the requi-
CONSTRUÇÃO DE CADEIA TRÓFICA analisados classificados em consumidores primá- morfológica desse material indica que se trata de rement of total evidence, and thus not a proper
MERCURY CONCENTRATIONS IN FOSSIL VERTEBRATES rios, secundários e predadores de topo. Ainda, um Borioteiioidea, grupo de lagartos extintos ao test of the hypothesis. In fact, the regularities,
FROM THE BAURU GROUP: A NEW METHOD FOR TRO- para alguns táxons de Crocodylomorpha , a bio- final do Cretáceo e mais relacionado aos Teiidae. treated here as the consequence of the proposed
PHIC CHAIN RECONSTRUCTION acumulação de Hg foi também verificada entre O dentário direto possui oito dentes preservados causes for the hypothesis, are not even obser-
indivíduos jovens e adultos, com até 38% mais e o esquerdo conta com 11 dentes preservados. ved/created. As a historical science, the phylo-
FELIPE MENDES DOS SANTOS CARDIA
HgT para o adulto. Ineditamente, a biomagnifi- Nos dentários é possível observar que o sulco de genetic hypotheses must be tested via “smoking
Instituto de Química, Laboratório de Química Analítica
e Ambiental, Universidade de Brasília, Brasília, DF.
cação trófica de Hg para ambientes pretéritos foi Meckel é pouco desenvolvido, sendo mais profun- gun” procedures where the regularities will be
fortemente evidenciada por uma análise realizada do e largo na porção média do dentário e gradu- appropriately recognized. Also, the phylogenetic
felipemicardia@gmail.com
na evidência direta de predação entre crocodili- almente diminuindo para a sua porção anterior hypotheses should enable the mutual exclusion of
O conhecimento sobre hábito alimentar, intera- formes do Grupo Bauru, sendo quantificado no (sinfiseal). Também se observa que os dentários competitive hypotheses and provide test eviden-
ções ecológicas ou posicionamento trófico de um predador (Aplestosuchus) 51,7% mais HgT em re- possuem um pequeno processo sinfiseal anterior. ces for those with more regularities recovered.
fóssil é baseado, sobretudo, em sua anatomia e, lação à sua presa (Sphagesauridae), localizada na O material aqui descrito possui mais caracterís- The present contribution unprecedently aims to
quando possível, em comparações com organis- cavidade abdominal. Este estudo serve de modelo ticas compartilhadas com Bicuspidon hogreli Vullo demonstrate how and why biogeography could
mos viventes, exceto por excepcionais registros com potencial de aplicação em diferentes regiões & Rage 2018 (das Kem Kem Beds, no continen- be used as one way to recover regularities that
de preservação, como evidência direta de preda- do globo e distintos períodos geológicos. te africano, que possuem fauna muito semelhante should be used as test evidence for phylogenetic
ção entre espécies de vertebrados. Apesar das assi- com a da Bacia Sanfranciscana), como: disposição hypotheses.The phylogenetic hypotheses are com-

naturas de isótopos estáveis em fósseis fornecerem e forma geral dos dentes, alvéolos de reposição, pound hypotheses accounting for the origin and
evidências sobre sua dieta, fisiologia e habitat, a UM NOVO SQUAMATA FÓSSIL DA FOR- plataforma subdental e sulco de Meckel, defe- fixation of the phylogenetic characters and the
razão isotópica é essencialmente medida com se- MAÇÃO QUIRICÓ, CRETÁCEO INFERIOR rindo basicamente na forma da região sinfiseal. A populational split (temporal/spatial) of the hypo-
gurança no esmalte dentário e limitações de amos- DA BACIA SANFRANCISCANA, BRASIL análise filogenética realizada na pesquisa produziu thetical ancestral species. Biogeographical studies
tragem material impossibilitam que análises sejam A NEW FOSSIL SQUAMATA FROM THE QUIRICÓ FORMA- resultados congruentes com essa classificação, vis- can provide regularities regarding the populatio-
realizadas em diferentes grupos de vertebrados de TION, LOWER CRETACEOUS OF THE SANFRANCISCAN to que o material da Bacia Sanfranciscana aparece nal split test evidences for at least the existence of
uma mesma unidade geológica. A resolução desses BASIN, BRAZIL mais relacionado filogeneticamente a outros Teii- a common ancestral population between studied
problemas é uma tarefa complexa e difícil, deman- dae. O material aqui apresentado corresponde, species that are split by a biogeographical event
JOYCE CELERINO DE CARVALHO
dando capacidade analítica precisa e segura. Aqui junto com o material do Cretáceo Superior do (e.g., vicariance, dispersion, fragmentation). Ad-
Universidade de Brasília, Instituto de Geociências,
apresenta-se um novo método de estudo e aná- Campus Darcy Ribeiro, Brasília, DF. Marrocos, à segunda ocorrência relacionada aos ditionally, biogeographical hypotheses bring light
lise em paleontologia utilizando a quantidade de joyce.celerino@gmail.com
Borioteiioidea na Gondwana. A idade aptiana pos- to the paleoenvironment, which could also provi-
Mercúrio Total (HgT) em vertebrados fósseis (i.e. tulada para os depósitos da Bacia Sanfranciscana de further regularities for the origin and fixation
escamas, dentes, ossos) como marcador químico O registro de lagartos fósseis para o Cretáceo bra- seria um indicativo de que o grupo se originou no of studied characters. For example, lets consider
para reconstrução de posição trófica e relações sileiro consiste, até o momento, em ocorrências hemisfério sul e, ao longo do Cretáceo, migrou the Gavialoidea clade, which in some propositions
ecológicas baseada nos potenciais de bioacumula- em rochas do Grupo Bauru (Pristiguana brasiliensis para a Laurásia, onde se diversificou. comprises two sister-groups, the South American
ção e biomagnificação do Hg. As amostras foram Estes & Price 1973; Brasiliguana prudentis Nava & gavialoids (Gryposuchinae) and the Indian gavia-

coletadas nas formações Adamantina, Marília e Martinelli 2011; Gueragama sulamericana Simões loids (genus Gavialis). A test prediction could be
Uberaba (Grupo Baru) e submetidas à espectros- et al., 2015) e da Bacia do Araripe (Tijubina pon- BIOGEOGRAPHY AS A MEANS OF TES- a vicariant hypothesis including Antartica, or a
copia de absorção atômica com efeito Zeeman tei Bonfim-Júnior & Marques 1997; Olindalacerta TING PHYLOGENETIC HYPOTHESIS RE- dispersive one via Africa. The prediction of new
para determinação de HgT. Os resultados mos- brasiliensis Evans & Yabumoto 1998; Calanguban GULARITIES specimens related to the known species of any of
tram diferentes concentrações (valores entre 1,66 alamoi Simões et al., 2014). As rochas da For- the supramentioned clades, together with bioge-
LUCY GOMES DE SOUZA*
a 15,00 ng.g-1) nos táxons analisados, entre eles: mação Quiricó, Bacia Sanfranciscana (Cretáceo ographical process explanations, would provide
Departamento de Geologia e Paleontologia, Universi-
peixes, testudinos, anfíbios, Crocodylomorpha, Inferior), representam depósitos essencialmente dade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. enough regularities to exclude one of them and
dinossauros, inclusive aves do Grupo Bauru. Fo- lacustres compostos por siltitos e arenitos onde, souzalucyg@gmail.com
strengthen the other. Therefore, biological syste-
ram registrados valores aproximadamente iguais até o momento, foram encontrados restos de pei- matics should venture in the elaboration of more
para espécimes pertencentes a um mesmo clado xes, dinossauros saurópodos (Titanosauriformes Tree Thinking usually considers that phylogenetic elaborated phylogenetic hypotheses than mere
independentemente da formação geológica em e Rebbachisauridae) e terópodos (Abelisauridae hypotheses summarized by cladograms are being synapomorphies in clade branches and start to
que foram encontrados (e.g. Titanosauria ~4,00 e Carcharodontosauridae). O fóssil de lagarto constantly tested via reciprocal illumination (i.e., predict at least biogeographical regularities, being
ng.g-1; Abelisauroidea ~14,00 ng.g-1; Baurusuchi- aqui descrito corresponde a partes dos dentários inclusion of new data). However, recent works a way to properly test our hypothesis. [*CAPES]
38 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão Prêmio Josué Camargo Mendes 39

 longo. As principais diferenças entre Pleurochonetes ahead these bones are located two damaged pie- pterosaurs, which exhibit a plethora of cranial
e Notiochonetes residem no interior da valva dorsal, ces, quadrangular in shape, associated with the variation, suggesting different functions and fee-
OCORRÊNCIA DE Notiochonetes skottsber- já que as valvas ventrais destes dois gêneros são frontals. Although it is incomplete, the os basale ding habits. We present here the first attempt to
gi (BRACHIOPODA) NO DEVONIANO DA muito semelhantes. A comparação entre o mate- preserves some distinct features, as the postero- reconstruct in detail the adductor musculature
BACIA DO PARANÁ, BRASIL / OCCURRENCE rial brasileiro analisado e as réplicas da série-tipo lateral jugular and ovalis foramina and a ventrally of the pterodactyloid mandible under the extant
OF Notiochonetes skottsbergi (BRACHIOPODA) IN THE DE-
de Notiochonetes, depositadas no National Museum positioned carotid foramen. In the lower jaw, the phylogenetic bracketing method. Reconstruction
VONIAN OF THE PARANA BASIN, BRAZIL
of Natural History/Smithsonian, não mostrou dife- pseudodentaries are broken, without pedicels and of the mandibular musculature, in turn, allows for
ROBERTO VIDEIRA-SANTOS renças significativas em relação à espécie-tipo des- crowns attached, while the posteriorly recurved the estimation of muscle cross-sectional area. Sub-
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacio- te gênero, Notiochonetes skottsbergi, que ocorre no pseudoangular bear an internus and a retroarticu- sequently, this permits to present bite force esti-
nal, Programa de Pós-Graduação em Geociências: Pa- Devoniano Inferior das Ilhas Malvinas, Uruguai e lar processes, along with an articulation facet for mations for selected species: Tapejara wellnhoferi,
trimônio Geopaleontológico, Quinta da Boa Vista, s/n, no Emsiano-Eifeliano da África do Sul. A desco- pseudodentary. All the pedicellate teeth preserved Caupedactylus ybaka, Tupuxuara leonardii, Thalasso-
20940-040, Rio de Janeiro, RJ. berta de Notiochonetes skottsbergi na Bacia do Paraná are monocusped, conical, recurved and pointed. dromeus sethi, Dsungaripterus wei, Anhanguera bitter-
robvidsan@yahoo.com.br amplia a abrangência geográfica desta espécie no Considering the post-cranial skeleton, only the sdorffi, Tropeognathus mesembrinus, Pteranodon longi-
Os Notiochonetinae constituem uma subfamília Domínio Malvinocáfrico. [CAPES 1814765] anteriormost part of the body was preserved. The ceps and Nyctosaurus gracilis. However, as this data-
atlas and secondary vertebra are present, and des- set comprises species of various body sizes and as
de Chonetoidea caracterizados por possuírem 
valvas de tamanho médio a grande, ornamenta- pite extremely fragmented, it shows the centra bite forces correlate allometrically with body size,
A NEW FOSSIL CAECILIAN (GYM- and neural arches shorter than the adjacent ver- absolute values of bite force are of limited compa-
ção radial de costelas sem fila, miofragma longo,
NOPHIONA: LISSAMPHIBIA) FROM OLI- tebrae. The remaining vertebrae display a typical rative value. For this reason, we further estimate
campo muscular grande e espinhos ortomorfos
GOCENE OF TREMEMBÉ FORMATION, morphology for caecilians, exhibiting an amphico- bite force quotients (BFQ) which are generated
oblíquos. Acredita-se que essa subfamília existiu
TAUBATÉ BASIN, SÃO PAULO, BRAZIL elous centrum elongated anteroposteriorly, a bro- from the residuals of regression between absolute
entre o Emsiano e Givetiano, sendo composta
por quatro gêneros: Allanetes, Notiochonetes, Pleu- ad anteroventral parapophyses, a well-developed bite force and body mass. Body masses were es-
RODOLFO OTÁVIO DOS SANTOS
rochonetes e Prachetes, estes três últimos ocorreram ventral keel and a low and flattened neural arch. timated following a method available in the lite-
Laboratório de Herpetologia e Paleontologia da USP,
no Domínio Malvinocáfrico. Na Bacia do Paraná, Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São Such features allow securely to identify DGM rature, a correlation between stylopodial circum-
considerava-se a ocorrência apenas da espécie Paulo, SP. 1462-R as a Teresomata, a subgroup of caecilians ferences and body mass. As a result, Pteranodon,
Pleurochonetes falklandicus, embora muitos exem- rodolfosantos013@gmail.com particularly diverse in morphology, behavior and Nyctosaurus and anhanguerids are found to exhibit
plares fossem erroneamente referidos como No- number of species. Based on the distribution of relatively weak but fast bites with relatively low
The clade Gymnophiona includes approximately modern taxa and the paleoenvironment of Tre- mechanical advantages and BFQs, corroborating
tiochonetes falklandicus. Portanto, no presente tra-
210 species of animals popularly known as caeci- membé Formation, the specimen was putatively their view as piscivores. However, we further su-
balho descreve-se a primeira real ocorrência de
lians, characterized by elongated and annulated assigned to Typhlonectidae, a family of aquatic or ggest that, among those, Tropeognathus mesembrinus
Notiochonetes na Bacia do Paraná. Trata-se de três
body, without girdles and limbs. Considering the semiaquatic caecilians. [CNPq] was specialized in consuming relatively larger
indivíduos coletados no afloramento Rio Caniú
caecilian fossil record, of which several specimens prey compared to Anhanguera. We corrobora-
(Emsiano tardio) atribuídos como Notiochonetes 
are based on isolated and indeterminate verte- te the view of Dsungaripterus as a durophage and
skottsbergi e que estão depositados na coleção do
brae, four species are known so far, three of which RECONSTRUCTION OF THE ADDUCTOR propose that Thalassodromeus shared such feeding
Laboratório de Paleontologia da Universidade Fe-
representing stem lineages and one based only in CHAMBER AND BITE FORCE IN PTERO- habit, estimating for both taxa the highest BFQs
deral do Paraná. Para a identificação taxonômica
a single, damaged and isolated vertebra. The ma- DACTYLOIDS (ARCHOSAURIA, PTERO- and absolute bite force values. We also corrobo-
utilizou-se, principalmente, o Treatise on Invertebra-
terial here described (DGM 1462-R) comes from SAURIA) rate the interpretation of Tapejara wellnhoferi as a
te Paleontology e para morfometria utilizou-se um
Oligocene outcrops of Tremembé formation at specialized consumer of hard plant material, with
paquímetro analógico. Os exemplares são duas RODRIGO VARGAS PÊGAS
Fazenda Santa Fé, municipality of Taubaté, São a relatively high BFQ and the highest mechanical
valvas dorsais e uma (1) ventral, médias a grandes; Laboratório de Paleontologia e Comportamento Ani-
Paulo, and comprises a partially complete speci- mal, Universidade Federal do ABC, São Bernardo do advantage among the analyzed taxa. We propose
15 a 23 mm de comprimento, máximo de 37 mm
men, with fragmented skull and postcrania. The Campo, SP. that Caupedactylus ybaka and Tupuxuara leonardii
de largura; máxima largura próxima à metade da
entire fossil was scanned using a high-resolution rodrigo.pegas@hotmail.com were ground-feeding generalists with their inter-
valva, transversa (C/L = 0,63); cerca de nove cos-
micro-CT. In the skull, both parietals were pre- mediate bite force values and less specialized jaws.
telas por 5 mm, multiplicando-se aparentemente
served, along with the left pseudoangular, por- The reconstruction of jaw muscles is critical in With the diversity of dietary preferences of ptero-
por intercalação, fossetas dentais menos divergen-
tions of pseudodentaries, frontals, os basale, 18 establishing potential cranial functions and inves- saurs being still relatively under-investigated, we
tes, não curvadas posteriormente e localizadas
isolated teeth crowns and others indistinct bone tigate signals of potential dietary habits. However, hope the present study will serve a basis for future
menos posteriormente em relação ao Pleurocho-
fragments. The parietals are elongated antero- myological studies concerning extinct groups that progress. [CAPES 1845438]
netes; par de anderidia espesso, pouco divergente
posteriorly and curves slightly ventrally, forming left no extant representatives are hard to perform
(menor do que 40º); septo mediano largo poste- 
the dorsal portion of the adductor chamber. Just and difficult to test. This is particularly true for
riormente e afinando anteriormente; e miofragma
40 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão Prêmio Josué Camargo Mendes 41

Tropidoleptus carinatus CONRAD, 1839 possible, by the humongous paleoenvironmental e carenas serrilhadas, rostro estreito e mandíbula
(TROPIDOLEPTIDAE): NEW INSIGHTS differences. Another consideration is that speci- em forma de Y. Para a identificação deste fóssil foi
ABOUT THE MIDDLE DEVONIAN IN men described as Tropidoleptus in the past century comparado alguns aspectos que diferenciam o gê-
SOUTH AMERICA is not exactly right. To sum up, the genus Tropi- nero Caipirasuchus. Foram observados os holótipos
doleptus never entered in the polar seas of Parana de Sphagesaurus montealtensis, MPMA 15-001/90,
VICTOR RODRIGUES RIBEIRO
Basin, the genus borned in the Devonian basins in Caipirasuchus paulistanus, MPMA 67-0001/00, e
Faculdade de Ciências, Departamento de Ciências Bio-
lógicas, Laboratório de Paleontologia de Macroinverte-
Canada, migrated to Europe and North of Africa, Caipirasuchus stenognathus, MZSP-PV 139, como
brados, Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP. and only in the Middle Devonian reach the South forma de associação morfológica, sendo que o
victor18lapalma@gmail.com American Basins, Amazonas, Parnaíba and Bolivia. MZSP-PV 139 se apresentou como o morfótipo
[FAPESP 16/18275-4] de maior semelhança. Nesta análise foram obser-
The distribution of the land masses was slightly di- vadas características como: o posicionamento das

fferent from what we have today during the Devo- fenestras anterorbitais, a crista sagital sobre o osso
nian with the big land masses preferably agglutina- DESCRIÇÃO OSTEOLÓGICA DE UM frontal, o alongamento da linha de forames neu-
ted in the Southern Hemisphere, hosting polar en- NOVO REGISTRO DE Caipirasuchus stenog- rovasculares do dentário e a estrutura da sínfise
vironments. The northern areas of South America nathus, GENERAL SALGADO-SP, GRUPO mandibular. Partes do crânio e da mandíbula que
(north-northeast of Brazil, Bolivia, north of Chile BAURU, CRETÁCEO SUPERIOR, SANTO- estão presentes nos dois espécimes comparados e
and Venezuela) were in tropical climatic condi- NIANO/CAMPANIANO / OSTEOLOGICAL DES- que diferem entres os morfótipos de Caipirasuchus
tions, on the other hand, southern areas were in CRIPTION OF A NEW RECORD OF Caipirasuchus stenog- spp. A fenestras orterorbitais se apresentam alon-
polar climatic conditions (south-center of Brazil, nathus, GENERAL SALGADO-SP, BAURU GROUP, UPPER gadas e em posição dorsoventral. A crista sagital
Argentina, south Chile, Uruguay). The Paraná Ba- CRETACEOUS, SANTONIAN / CAMPANIAN do osso frontal se apresenta alongada até os limites
sin at that time occupied regions nearby the polar anteriores. O alinhamento e orientação dos fora-
VITOR BASSI MAZZONI
conditions (above 60ºS), differently the Parnaíba mes neurovasculares sobre o dentário esquerdo e
Rede Estadual de Ensino de São José do Rio Preto e
and Amazonas Basins, which were around tropical Universidade Metropolitana de Santos, SP. direito deste novo registro, seguem o mesmo pa-
conditions. The oceans in the Paraná Basin hosted vitorbassimazzoni@hotmail.com
drão do MPMA-PV 139.
an unique fauna, named Malvinokaffric realm,

with a high degree of endemic species. However, Esta investigação apresenta um novo espécime fós-
during many years, different authors have been sil correspondente a um Caipirasuchus stenognathus,
suggesting a connection between Parnaíba and coletado na Fazenda São José, antiga Fazenda Buri-
Paraná Basins during the Middle Devonian, whi- ti, General Salgado/SP. Esta área situa-se entre as
ch has been sustained by the occurrence of Tropi- cotas altimétricas entre 370 a 400 metros, no âm-
doleptus carinatus (typical species from equatorial bito da FormaçãoVale do Rio do Peixe, Grupo Bau-
seas) in the middle of the Malvinokaffric faunas ru. Este fóssil foi coletado na altitude de 375 me-
in Paraná Basin. In order to investigate such dis- tros nas coordenadas 20°34’00”S e 50°27’55”O.
persal event and connection between basins, the O holótipo de Caipirasuchus stenognathus foi cole-
genera Tropidoleptus was taken into consideration, tado neste mesmo sítio paleontológico, a cerca
to find out if this fossil can be used to justify that de 100 metros, em nível estratigráfico próximo.
events. Morphofunctional analysis of the speci- Neste novo registro foram preservados os ossos:
mens, bibliographic survey and field work indica- nasais, pré-maxilares, os maxilares, o palpebral
te that species of equatorial brachiopods did not esquerdo, os pré-frontais, o frontal, o parietal,
enter the cold Paraná Basin, being restricted only o pós-orbital, ossos palatais fragmentários, e na
to temperate areas of the Parnaíba, Amazonas and mandíbula parte do dentário. Este novo registro
Bolivian basins. After all, the paleobiodistribution de Caipirasuchus stenognathus apresenta um crânio
of Tropidoleptus is restricted to tropical areas (such de 16,2 centímetros, que caso estivesse completo
as Parnaíba, Bolivia and Amazonas Basins), even teria aproximadamente 24 centímetros. A partir
during the maximum sea level rising. First of all, do crânio, foi possível dimensionar o espécime
we need to understand that Tropidoleptus is a genus em aproximadamente 1,50 m de comprimento
exclusive from equatorial-tropical conditions, the total. O crânio apresenta feições típicas da família
occurrence of the animal in polar sea is almost im- Sphagesauridae, dentes com estrias longitudinais
42 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 43

Simpósio de
Paleoecologia Isotópica
44 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Simpósio de Paleoecologia Isotópica 45

PALEOECOLOGIA ISOTÓPICA (d13C) DE da Região Intertropical Brasileira existem fósseis mangues, florestas semidecíduas, florestas ripárias do toxodonte Toxodon platensis (mc = 1.430 kg)
UMA ASSEMBLEIA DE MESO- MEGAMA- datados que nos permitem sugerir baixa mistura e cerrado na América tropical e sub-tropical. Os e do proboscídeo Notiomastodon platensis (mc =
MIFEROS DO QUATERNÁRIO DO PIAUÍ: temporal (variando de 4 a 41 mil anos) interpre- registros fósseis de Cuniculus estão restritos ao ter- 4.945 kg). Foram analisados dados de d13CVPDB
DIETA, NICHO E SOBREPOSIÇÃO ECOLÓ- tamos que os dados isotópicos podem representar ritório brasileiro, em Minas Gerais, Bahia, Mato de hidroxiapatita encontrados em ossos, dentina
GICA / ISOTOPIC PALEOECOLOGY (d13C) OF A QUA- os valores das populações destes taxa que viveram Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Paraná, Acre, ou esmalte do dente, utilizando da paleoecologia
TERNARY MESO- MEGAMAMMALS ASSEMBLY OF PIAUÍ: no PI, e deste modo, calculamos a sobreposição Pará e Piauí. O dente de roedor encontrado é o isotópica para inferir sobre a dieta alimentar e
DIET, NICHE AND ECOLOGICAL OVERLAP de nicho ecológico entres eles. Houve baixa so- terceiro molar inferior (m3), com largura linguo- largura de nicho. Dos resultados obtidos, é pon-
breposição entre E. laurillardi e alimentadores -labial de 9 mm, e caracterizado por apresentar a derado que para os espécimes de Eremotherium lau-
CARLOS MICAEL BONFIM LESSA¹,², MÁRIO AN-
preferenciais de C4 (O = 0,28–0,59). Em contra- última crista mais oblíqua que os outros dentes. A rillardi (d13C = -3.54 ‰; BA = 0.92; piC4 =
DRÉ TRINDADE DANTAS¹,²
partida há alta sobreposição entre todos os demais análise da razão isotópica de carbono indica que a 0,61 ), Holmesina paulacoutoi (d13C = -5,72 ‰;
¹Programa de Pós-graduação em Genética, Biodiver- taxa (O = 0,77-0,99). Deste modo, sugerimos sua dieta era principalmente composta por plantas BA = 0.85; piC4 = 0,64) e Glyptotherium sp.
sidade e Conservação, Universidade Estadual do Su-
doeste da Bahia, UESB, Jequié, BA. ²Laboratório de que os taxa de maior massa corporal (N. platensis C3 (d13C = -12,24 ‰; pi = 80%). C. paca pos- (d13C = -2,33 ‰; BA = 0.56; piC4 = 0,77) pos-
Ecologia e Geociências, Universidade Federal da Bahia, e E. laurillardi) foram melhores concorrentes por sui uma alimentação composta de frutos caídos, suem uma dieta alimentar generalista com maior
Campus Anísio Teixeira, Instituto Multidisciplinar em recursos alimentares, sendo espécies-chave nesta brotos e tubérculos, o que corrobora o resultado afinidade a plantas C4,. ao passo que Toxodon pla-
Saúde, Vitória da Conquista, BA. comunidade. [*CAPES 1836557/2019-1; #PQ/ isotópico encontrado. A largura de nicho (BA) foi tensis (d13C = 1,31 ‰; BA = 0.47; piC4 = 0,81)
biologolessa@gmail.com • matdantas@yahoo.com.br CNPq 308122/2016-0] de 0,47, indicando ser um organismo especialista. e Notiomastodon platensis (d13C = -0,41 ‰; BA =
Esse novo registro amplia o conhecimento acerca 0.38; piC4 = 0,83) demonstram ser animais espe-
Os isótopos estáveis de carbono (d13C) é uma im- 
da fauna fóssil da Toca da Raposa, além de trazer cialistas, com dieta alimentar baseada em plantas
portante ferramenta para avaliação de característi- PALEOECOLOGIA ISOTÓPICA (d13C) DE informações ecológicas para Cuniculus. [FAPESB C4. Embora Pachyarmatherium brasiliensis (d13C =
cas ecológicas de organismos viventes e extintos, FÓSSIL DE Cuniculus sp. ENCONTRADO 4451/2018, PQ/CNPq 308122/2016-0] -8,21 ‰; BA = 0.96; piC4 = 0,42) possua uma
visto que a composição química dos organismos NA TOCA DA RAPOSA, SIMÃO DIAS, SER- largura de nicho generalista, indicando que habi-
é influenciada pela sua dieta e ambiente. O ob- 
GIPE, BRASIL / ISOTOPIC PALEOECOLOGY (d13C) tava mais ambientes florestais. Em consequência
jetivo deste trabalho foi inferir a dieta, largura e OF Cuniculus sp. FOSSIL FOUND IN TOCA DA RAPOSA, IDENTIFICAÇÃO TAXONÔMICA E PA- destes resultados, é possível sugerir que o ambien-
sobreposição de nicho de meso- megamamíferos SIMÃO DIAS, SERGIPE, BRAZIL LEOECOLOGIA ISOTÓPICA DE FÓSSEIS te teria característica de ambientes áridos como o
pleistocênicos dos taxa: Eremotherium laurillar- DE MEGAMAMÍFEROS ENCONTRADOS Cerrado brasileiro, com predomínio de gramíne-
di, Glyptotherium sp., Panochthus sp. Notio- GIOVANNA COQUEIRO RIBEIRO DA SILVA, MÁ-
NO MUNICÍPIO DE CAETANO, BAHIA as. Foi possível fazer datação isotópica para N. pla-
mastodon platensis, Equidae e Cervidae inde- RIO ANDRÉ TRINDADE DANTAS
TAXONOMIC IDENTIFICATION AND ISOTOPIC PALEOE- tensis, que indicou que este animal pode ter vivido
terminados, resgatados em um tanque fossilífero Laboratório de Ecologia e Geociências, Universida-
de Federal da Bahia, Campus Anísio Teixeira, Instituto
COLOGY OF MEGAMAMMALS FOSSILS FOUND IN CAE- há 11.450 mil anos nesta região. [PROPCI/UFBA
no município de São Raimundo Nonato, Piauí. A TANO, BAHIA 01/2018 – PIBIC]
Multidisciplinar em Saúde, Vitória da Conquista, BA.
inferência da dieta (C3; C4) foi interpretada com
giovannacrs15@gmail.com • matdantas@yahoo.com.br HÉWERTON BRITO DE SOUZA, MÁRIO ANDRÉ 
base nos valores médios de d13C conhecidos para
plantas C3 (-27±4 ‰) e C4 (-13±2 ‰), os valo- TRINDADE DANTAS
Na Região Intertropical Brasileira (RIB) é comum ISOTOPIC PALEOECOLOGY OF A LATE
res de enriquecimentos variaram entre 13-15 ‰, Laboratório de Ecologia e Geociências, Universida-
a descoberta de fósseis de mamíferos principal- de Federal da Bahia, Campus Anísio Teixeira, Instituto
PLEISTOCENE MAMMALS ASSEMBLAGE
e foram calculados de acordo com a massa corpo- mente em ambientes fossilíferos do tipo “tanque” FROM SOUTHWESTERN AMAZON
Multidisciplinar em Saúde, Vitória da Conquista, BA.
ral estimada para cada espécime. Foram estimados ou em cavernas. As maiores descobertas de fós- hewerton.cbio@gmail.com • matdantas@yahoo.com.br LIDIANE ASEVEDO1,2*, ALCEU RANZI3, RISTO
a proporção de recursos consumidos, a largura de seis em cavernas foram registradas principalmente
nicho padronizada (BA), e, por fim, a sobrepo- KALLIOLA4, KALLE RUOKOLAINEN5, MARTTI
para os estados da Bahia e Minas Gerais. No entan- Nesta comunicação são apresentados os resultados
sição de nicho ecológico (O). Como resultados, PARSSINEN6, JONAS PEREIRA DE SOUZA FILHO3,
to, restos de mamíferos de pequeno e grande por- de identificações taxonômicas e análises da razão
sugerimos que E. laurillardi (piC4 = 23 %; BA = FRANCISCO RICARDO NEGRI7, ALEXANDER
te foram encontrados também em Sergipe, na Toca isotópica de carbono de mamíferos fósseis do
0,54; massa corporal 3.180 kg), Glypthotherium CHERKINSKY8, MÁRIO ANDRÉ TRINDADE DAN-
da Raposa (Simão Dias), pertencentes aos táxons: Pleistoceno encontrados em um tanque localizado
sp. (piC4 = 81 %; BA = 0,43; mp = 710 kg), N. TAS1,2**
Glyptotherium sp. e Galeaspixii. A presente comuni- no município de Caetanos/BA. Durante a coleta
platensis (piC4= 74 %; BA = 0,64; mp = 6.300 1
Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conserva-
cação descreve e identifica taxonomicamente um foram escavados: um unciforme direito e um frag- ção, Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão,
kg) e Equidae (piC4= 38 %; BA = 0,88; mp = fóssil de Cuniculus sp. encontrado nesta caverna, mento de molariforme da preguiça gigante ter- SE; 2Laboratório de Ecologia e Geociências, Instituto
290 kg) apresentavam dieta mista, com ampla am- além de apresentar e interpretar os resultados da rícola Eremotherium laurillardi (massa corporal = Multidisciplinar em Saúde, Universidade Federal da
plitude de nicho, enquanto Panochthus sp. (piC4= razão isotópica de carbono (d13C). A família Cuni- 3.180 kg), osteodermos da carapaça dos tatus gi- Bahia, Vitória da Conquista, BA; 3Laboratório de Pes-
0 %; BA = 0; mp = 785 kg) e Cervidae (piC4= 0 culidae inclui um gênero e duas espécies viventes, gantes Glyptotherium sp. (mc = 710 kg), Holmesina quisas Paleontológicas, Departamento de Ciências da
%; BA = 0; mp = 70 kg) foram especialistas em Natureza, Universidade Federal do Acre, Rio Branco,
sendo Cuniculus paca a espécie com maior dis- paulacoutoi (mc = 95 kg) e Pachyarmatherium brasi- AC; 4Department of Geography and Geology, Univer-
consumo de plantas C3. Como em alguns tanques tribuição, ocorrendo em ambientes florestados, liense (mc = 25 kg), além de fragmentos de dentes sity of Turku, Turku, Finland; 5Department of Biology,
46 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Simpósio de Paleoecologia Isotópica 47

University of Turku, Turku, Finland; 6Department of body mass species, ground sloth and probosci- (d13C = -13±2 ‰). Carbon isotopic data pre- 1
Programa de Pós-Graduação em Genética, Biodiversi-
World Cultures, University of Helsinki, Helsinki, Fin- dean probably were key species, and could have sented here are from mammals with body mass dade e Conservação, Universidade Estadual do Sudo-
land; 7Laboratório de Paleontologia, Universidade Fe- este da Bahia, Jequié, BA; 2Laboratório de Ecologia e
controlled the structure of this paleocommuni- varying from 17-6,300 kg. The diet-bioapatite
deral do Acre, campus Floresta, Cruzeiro do Sul, AC; Geociências, Universidade Federal da Bahia, Campus
8
Center for Applied Isotope Studies, University of Ge- ty. Competitions for resources could have been enrichment of these mammals was estimated, Anísio Teixeira, Instituto Multidisciplinar em Saúde, Vi-
orgia, Atens, GA, United States. plausible (niche overlap – O = 1.0), due to the and varied between 12-15 ‰. Considering these tória da Conquista, BA.
lidi.asevedo@gmail.com • alceuranzi@hotmail.com dry and cold climatic conditions, which caused enrichments, d13C values lower than -15 ‰ to ronaldoaleoni@gmail.com • allveslais@gmail.com
riskall@utu.fi • kalle.ruokolainen@utu.fi retraction and fragmentation of habitats around -12 ‰ are typical of animals with a diet consis- matdantas@yahoo.com.br
martti.parssinen@helsinki.fi • jpdesouzafilho@hotmail.com the age of the fossils and the LGM. Thus, more ting exclusively of C3 plants, while d13C values
frnegri@bol.com.br • acherkin@uga.edu refinement investigations regarding the paleoe- higher than -1 ‰ to +2 ‰ are consistent with a A Paleoecologia agrupa informações biológicas,
matdantas@yahoo.com.br bioquímicas e moleculares dos restos biológicos
cology of species from the Amazon basin are still diet based on C4 plants. Were estimated propor-
required. [*Doctoral fellow CAPES, **PQ/CNPq tion of resources consumed and isotopic standar- para a reconstrução dos paleoambientes. Dentre
We proposed to reconstruct the paleoecology
308122/2016-0] dized niche breadth (BA). E. laurillardi was dated as ferramentas que podem ser utilizadas na Paleoe-
of medium-large mammals from Pleistocene of
in ~32 kyr, representing the oldest direct dating cologia estão a analise isotópica e a modelagem de
Southwestern Amazon through niche partitio- 
for this taxa in Brazilian Intertropical Region. N. nicho ecológico, que podem obter informações de
ning by carbon isotope analysis. Taxa of grou-
RADIOCARBON DATING AND ISOTOPIC platensis showed a dating of ~25 kyr. The extant espécimes fósseis, neste trabalho a abordagem foi
nd sloth (Eremotherium laurillardi, body mass:
PALEOECOLOGY (d13C, d18O) OF HERBI- species Tayassu pecari, Mazama gouazoubira and feita para: Allouata sp., Myocastor coypus, Pecari taja-
6,600kg), proboscidean (Notiomastodon platensis,
VORES MAMMALS FROM LATE PLEISTO- Tapirus terrestris presented radiocarbon datings of cu,Tamadua tetradactyla e Tapirus terrestris, coletados
bm: 4,940kg), notoungulate (Toxodon platen-
CENE OF IUIU, BAHIA, BRAZIL ~23 kyr, ~21 kyr and ~15 kyr, respectively. Al- na caverna Lapa do Bode no município de Ituaçu,
sis, bm: 3,000kg), tapir (Tapirus terrestris, bm:
though we had pontual 14C datings, they are here Bahia, Brasil. O foco foram as análises de isótopos
300kg), camelid (Palaeolama major, bm: 280kg), MÁRIO ANDRÉ TRINDADE DANTAS1*, RAFAELA
interpreted as representing populations that co- estáveis de carbono (d13C), interpretamos os va-
pampatheriid (Holmesina rondoniensis, bm: 120kg) MISSAGIA2, RODRIGO PARISI DUTRA2, TIAGO
existed in the same environment. Only one spe- lores com o intuito de recuperar a proporção da
and cervid (Mazama sp., bm: 40kg) composed the RAUGUST3, LEANDRO ANTÔNIO DA SILVA4, MA-
cialist C4 grazer, N. platensis (d13C = -1.38 ‰; dieta (pi) e largura de nicho (BA). Para a obtenção
assemblage. Fossil specimens are from rivers ou- RIA PAULA DELICIO4, RODOLFO RENÓ4, ALE-
piC4 = 0.90; BA = 0.22), lived in Iuiu. The re- da distribuição potencial das espécies na América
tcrops in Acre and Rondônia states, Brazil. Diet XANDER CHERKINSKY5
maining taxa were generalists mixed-feeders(BA do Sul utilizamos o algoritmo Maxent, com o ob-
interpretations were based on the d13C values 1
Laboratório de Ecologia e Geociências, Universida-
de Federal da Bahia, Campus Anísio Teixeira, Instituto > 0.84). E. laurillardi (d13C = -7.69 ‰; piC4 jetivo de entender as mudanças de distribuição ao
following the enrichment according to the body
Multidisciplinar em Saúde, Vitória da Conquista, BA; = 0.38) and M. gouazubira (d13C = -10.69 ‰; longo do tempo. Os resultados de d¹³C mostram
mass. Thus, values lower than -15‰ to -12‰ su- 2
Laboratório de Paleozoologia, Departamento de Bio- piC4 = 0.31) virtually consumed similar amou- que Allouata sp. (-11.01 ‰), M. coypus (-14.89
ggests a diet based on C3 plants, whereas above logia Geral, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo
nts of C3 and C4 plants, while T. pecari (d13C = ‰), P. tajacu (-9.71 ‰),T. tetradactyla (-12.70 ‰)
-1‰ to 2‰ a diet based on C4 plants, and be- Horizonte, MG; 3Laboratório de Biologia, Instituto Fe-
-8.49 ‰; piC4 = 0.46) and T. terrestris (d13C = e T. terrestres (-12.99 ‰) possuíam um consumo
tween the extreme ranges suggests a mixed diet. deral Catarinense, Concórdia, SC; 4Museu de Ciência
e Técnica, Departamento de Engenharia Geológica, -11.09 ‰; piC4 = 0.21) fed more on C3 plants. C3 maior do que 52 %. A largura de nicho padro-
The Lujanian age was indicated by the 14C AMS
Escola de Minas, Universidade Federal de Ouro Preto, These results allows us to suggest that, during nizada encontrada para estes indivíduos mostra
Datings for E. laurillardi (11.320-11.131 Cal yr
Ouro Preto, MG; 5Center for Applied Isotopes Studies, the Pleistocene, a Savannah-like environment, que todos eram generalistas (BA > 0.53). Com a
BP) and N. platensis (25.454-24.884 Cal yr BP). University of Georgia, Georgia, USA.
with predominance of closed landscapes, was distribuição potencial dessas espécies para a Amé-
Results show that d13C values supports a C3 fe-
matdantas@yahoo.com.br • rafaelamissagia@hotmail.com rica do Sul, encontramos mudanças no padrão de
eding habits in forest environments (d13CVPDB = parisidutra@gmail.com • tiagoraugust@hotmail.com most likely the more common environment of
the Iuiu region. [*PQ/CNPq 308122/2016-0] distribuição para os períodos de 21 mil anos, 6 mil
-17.47‰ to -8.83‰), agreeing with paleovege- mpaula@degeo.ufop.br • acherkin@uga.edu.br
anos, e o período atual, os táxons apresentaram
tation reconstitution. Toxodon platensis was a ge- 
In this communication we present: radiocarbon mudanças semelhantes em suas distribuições. Em
neralist species (piC3 ≥70%; Niche breadth, BA =
datings for Eremotherium laurillardi, Notiomastodon ANÁLISE DE ISÓTOPOS ESTÁVEIS (d13C) trabalhos sobre a distribuição de florestas tropi-
0 to 0.72), whose d13C values varied statistically
platensis, Tapirus terrestris, Tayassu pecari and Maza- E DISTRIBUIÇÃO POTENCIAL DE FÓSSEIS cais, observamos que a distribuição potencial en-
from other ones (ANOVA, p = 0.003; Turkey’s
ma gouazoubira found in caves in Iuiu, Bahia; and DE MESOMAMÍFEROS ENCONTRADOS contrada para os mesomamíferos acompanha, nos
pairwise: p = 0.01). Possibly it foraged since in
carbon isotope data, to better comprehend the NA LAPA DO BODE (ITUAÇU, BAHIA, diferentes períodos, a distribuição florestal, cor-
closed-canopy until wooded C3 grasslands habi-
paleoecology of these taxa and the environment BRASIL) / STABLE CARBON ISOTOPES ANALYSIS roborando os modelos gerados pelo Maxent, cor-
tats. Other species were all C3 feeder specialists
in which they lived. The samples of adult indi- (d13C) AND POTENTIAL FOSSIL DISTRIBUTION OF ME- roborando também com a interpretação isotópica,
(piC3=100%, BA= 0), and browsing in a closed-
viduals were analyzed to obtain carbon isotopic SOMAMMALS FOUND IN LAPA DO BODE CAVE (ITUAÇU, que indicou um habito florestal, sugerindo assim
canopy to woodlands (N. platensis and T. terrestris)
composition from structural carbonate of their BAHIA, BRAZIL) que os mamíferos tinham sua distribuição limita-
and woodlands (H. rondoniensis and Mazama sp.).
dentin and enamel. Interpretation of carbon iso- da pela distribuição florestal. [*Bolsista CAPES,
Individual ecological niches were probably diffe- RONALDO ARAUJO LEONI1*, LAIS ALVES SILVA1,
topic values was made based on known average
**
PQ/CNPq 308122/2016-0]
rentiated either by feeding strategies in the selec- MÁRIO ANDRÉ TRINDADE DANTAS1,2**
tion of C3 resources and body mass. The highest for C3 plants (d13C = -27±3 ‰) and C4 plants 
48 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Simpósio de Paleoecologia Isotópica 49

PALEOECOLOGIA ISOTÓPICA E DATA- < 0.05), o que indica que as plantas ingeridas pelo yr BP, respectivamente). Esse padrão de diferença Stable isotopes present in mammalian fossil tissues
ÇÃO DE UM MASTODONTE (MAMMA- indivíduo não contribuíram para a composição de oxigênio pode indicar um aumento da umida- have been a useful tool in inferring the diet and
LIA: PROBOSCIDEA) PLEISTOCÊNICO DE isotópica da sua água corporal. [*Bolsista CNPq; de nos últimos 15 mil anos até o início do Ho- terrestrial environmental conditions in which the-
CAMPINA VERDE, MINAS GERAIS / ISO- **SESu/MEC] loceno. Para o Mato Grosso do Sul, T. platensis e se animals lived over geological time. The isotopic
TOPIC PALEOECOLOGY AND DATING OF A PLEISTOCE- E. laurillardi apresentaram idades semelhantes carbon signature (d13C) present in the teeth of

NE GOMPHOTHERE (MAMMALIA: PROBOSCIDEA) FROM (10.073-9.652 Cal yr BP; 10.583-10.059 Cal yr herbivorous mammals reflects the isotopic com-
CAMPINAVERDE, MINAS GERAIS PALEOECOLOGIA ISOTÓPICA (d13C, d18O) BP, respectivamente), assim como seus valores position of the vegetation ingested by the animal
DAS REGIÕES CENTRO-OESTE E NORDES- isotópicos de oxigênio (d18O = 23,63, d18O = and may register seasonal variations of d13C values.
TAWANE MACHADO*, DOUGLAS RIFF**
TE DO BRASIL: IMPLICAÇÕES PALEOE- 23,74, respectivamente), permitindo sugerir um To evaluate the annual dietary variation of Toxo-
Laboratório de Paleontologia, Instituto de Biologia,
COLÓGICAS E PALEOCLIMÁTICAS / ISO- momento de umidade mais alta para o começo do don platensis Owen, 1837, 16 enamel (carbonate)
Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG.
TOPIC PALEOECOLOGY (d13C, d18O) OF MIDWEST AND Holoceno na região Centro-Oeste do Brasil. E. samples from two teeth (PA58A-H; and PA59A-
tawanecfbmachado@gmail.com • driff2@gmail.com
NORTHEAST REGIONS OF BRAZIL: PALEOECOLOGICAL laurillardi apresentou dieta predominante de plan- -H) found in Lagoa de Dentro, Puxinamã, Paraí-
Proboscidea é um dos grupos de grandes mamí- AND PALEOCLIMATE IMPLICATIONS tas C3 pra ambas as regiões (piC3 = 0,99 %; d13C ba, Brazil were analyzed. The interpretation of the
feros presentes no registro fossilífero brasileiro, = -12.80 e piC3 = 0,98 %; d13C = -12.77), no samples was performed considering that each 40
THAÍS RABITO PANSANI¹,²*, MÍRIAN LIZA AL-
representado no país pelo mastodonte Notiomasto- entanto, para T. platensis foi observada uma dife- mm, from the dental occlusion zone, represents
VES FORANCELLI PACHECO², ALEXANDER
don platensis. Nos últimos anos, esses animais têm rença em sua dieta há 10 mil anos nas duas regiões. a cycle corresponding to 12 months of consump-
CHERKINSKY3, MÁRIO ANDRÉ TRINDADE DAN-
sido cada vez mais alvos de estudos que buscam Enquanto no Mato Grosso do Sul sua dieta é mista tion. The proportion of resources consumed was
TAS4
compreender seus hábitos, sobretudo alimentares, com preferências por C4 (piC4 = 0,64 %; d13C = analyzed using mathematical models, considering
¹Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recur- -4.02), sua dieta é predominantemente composta that the resources consumed belonged to the type
sua cronologia e as condições paleoambientais e sos Naturais, Universidade Federal de São Carlos, São
paleoclimáticas em que viveram. Em contribuição Carlos, SP; ²Laboratório de Estudos Paleobiológicos,
por plantas C3 na Bahia (piC3 = 0,92 %; d13C = C3 and C4 photosynthetic pathways.The results
a estes trabalhos, amostras de esmalte e dentina Departamento de Biologia, Universidade Federal de -11.82). Essas diferenças evidenciam a plasticida- for PA58 suggest a diet of probably 12.6 months,
de um M3 proveniente do município de Campi- São Carlos, Sorocaba, SP; ³Laboratório de Ecologia e de ecológica dessa espécie, sugerindo diferentes and present d13C values between -3.99 to -5.15
na Verde, Minas Gerais, e pertencente à coleção Geociências, Instituto Multidisciplinar em Saúde, Uni- predominâncias de vegetação em cada região na ‰ (mean = -4.56 ± 0.41 ‰), with an mean diet
versidade Federal da Bahia, Vitória da Conquista, BA; transição Pleistoceno-Holoceno. Adicionalmente, of consumption 43% of C3 and 57% of C4, and
do Laboratório de Paleontologia da Universidade 4
Center for Applied Isotope Studies, University of Ge-
Federal de Uberlândia foram enviadas ao Centro orgia, Athens, GA, USA.
nossos resultados sugerem uma diferença climá- d18O between -1.05 to -1.73 ‰ (mean = -1.30 ±
de Estudos Isotópicos Aplicados da Universidade tica desde o Último Máximo Glacial para o Ho- 0.26 ‰).The tooth PA59 suggests a diet of appro-
thais-pansani@hotmail.com • forancelli.ufscar@gmail.com loceno e entre ambas as áreas estudadas. [*Bolsista ximately 7.8 months, with d13C values between
da Geórgia, Estados Unidos, para datação absoluta acherkin@uga.edu • matdantas@yahoo.com.br
e análise de isótopos estáveis de carbono (d13C) e doutorado CNPq; #PQ/CNPq 308122/2016-0] -4.42 and -5.40 ‰ (mean -4.94 ± 0.32 ‰), with
oxigênio (d18O). Foi realizado um teste de corre- A Região Intertropical Brasileira (RIB) engloba 46% for C3 and 54%. for C4, and d18O between

lação entre os valores de d13C e d18O através do 13 estados brasileiros e tem sido um ponto chave -0.04 to 0.45 ‰ (mean = -0.20 ± 0.36 ‰). The
software PAST 3.24, contextualizados com dados para diversos estudos paleoecológicos. Na presen- ANNUAL ISOTOPIC DIET VARIATION most negative values of d13C seem to be related
isotópicos da Região Intertropical Brasileira re- te comunicação comparamos as datações e valo- (d13C) OF Toxodon platensis OWEN, 1837 to the higher resource consumption of type C4
centemente publicados. O valor da razão isotópica res isotópicos de carbono e oxigênio encontrados (NOTOUNGULATA, TOXODONTIDAE) when the values of d18O are more negative, and
de carbono permite a distinção do consumo de em fósseis de megamamíferos do Mato Grosso do FROM PARAIBA, NORTHEASTERN BRA- the increase in C3 consumption when the values
plantas C3 e C4 e a interpretação foi feita com Sul (Rio Miranda, Miranda) e da Bahia (Toca dos ZIL of d18O are more positive. But more samples need
base em valores estabelecidos na literatura. A ida- Ossos, Ourolândia): (1) Notiomastodon platensis, to be analyzed to confirm that C3 consumption is
VERÔNICA SANTOS GOMES1,4*, HERVÉ BOCHE-
de atribuída ao material foi de 19.890 ± 45 anos, Toxodon platensis e Eremotherium laurillardi para a related to increased oxygen values. Similar results
RENS2, HEBERT BRUNO NASCIMENTO CAMPOS3,
situando-o no final do Pleistoceno. O resultado Toca dos Ossos, Bahia; e (2) T. platensis e E. lau- were observed for the same species for the Pleis-
MÁRIO ANDRÉ TRINDADE DANTAS1,4**
está em acordo com a extensão temporal de 460 a rillardi para o Rio Miranda, Mato Grosso do Sul. tocene of Pernambuco state. The diet of T. pla-
1
Programa de Pós-Graduação em Genética, Biodi-
10 mil anos atribuída à espécie e aproxima-se dos Na Bahia, N. platensis apresentou a datação mais versidade e Conservação, Universidade Estadual do tensis did not exhibit marked variations over the
valores médios obtidos da datação de espécimes antiga (27.473- 26.873 Cal yr BP) e uma dieta de Sudoeste da Bahia, UESB, Jequié, Bahia; ²Biogeology, analyzed time, thus allowing to characterize it as
advindos da Região Intertropical Brasileira (~21 consumo quase exclusivo de gramíneas C4 (piC4 = Department of Geosciences and Senckenberg Center a mixed feeder. [*Bolsista CAPES 1843306/2019;
mil anos). A razão isotópica de carbono obtida foi for Human Evolution and Palaeoenvironment (HEP), **PQ/CNPq 308122/2016-0]
0,93 %; d13C = 0.02), próximo ao Último Má- Universität Tübingen, Hölderlinstr. 12, 72074 Tübin-
de 0,53‰, o que o coloca na posição de pastador, ximo Glacial. Além disso, seu valor de oxigênio gen, Germany; 3Universidade Estadual Vale do Acaraú, 
com uma dieta baseada em plantas C4. O resulta- (d18O = 27,00 ‰) foi mais alto que E. laurillardi UVA-CE, Brasil; 4Laboratório de Ecologia e Geociên-
do da razão isotópica de oxigênio foi de -6,00‰. (d18O = 23,80 ‰) e T. platensis (d18O = 25,09 cias, Universidade Federal da Bahia, Campus Anísio
O teste estatístico demonstrou uma fraca correla- ‰) da Bahia, que datam do final do Pleistoceno Teixeira, Instituto Multidisciplinar em Saúde, Vitória da
ção entre os valores de d13C e d18O (R2 = 0,024, p Conquista, Bahia.
(12.844-12.214 Cal yr BP e 10.790-10.664 Cal
50 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 51

I Simpósio Brasileiro
de Paleontologia
Antártica
52 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Paleontologia Antártica 53

É A ANTÁRTICA A PEDRA ANGULAR NA sa a contornar a Antártica e garante sua gradual extant lineages) and molecular data, have enabled matypics, which lack zooxanthellae. The herma-
COMPREENSÃO DE UM MUNDO EM cobertura pelo gelo. Hoje a influência da CCA unprecedented insights on evolutionary patterns typics corals are restricted to shallow tropical wa-
CONSTANTES MUDANÇAS? O QUE HOJE sobre o clima e a manutenção da vida nas áreas and processes across the tree of life. Here, I illus- ters, generally with depths lower than 20 meters
SABEMOS / IS ANTARCTICA THE KEYSTONE TO subtropicais e temperadas é facilmente atestada trate such advances in the evolutionary history of and temperatures between 25 and 29ºC, due to
UNDERSTANDING A WORLD IN CONSTANT CHANGES? nas imagens de satélite e aceita por um grande reptiles based on recent findings, from both newly the photosynthetic needs of the zooxanthellae al-
WHAT WE KNOW TODAY número de pesquisadores. A união das informa- discovered and previously overlooked fossil spe- gae, although there are some present forms found
ções obtidas nos dois setores da Antártica permi- cies. I demonstrate their relevance to understand in depths of up to 90 meters, supporting tempe-
TÂNIA LINDNER DUTRA
te acompanhar a história da vida durante mais de early patterns of lepidosaur (lizards, snakes and ratures as cold as much as 16ºC. The ahermatypics
Programa de Pós-Graduação em Geologia, Universida-
de do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS.
300 milhões de anos, e demonstra que a sobre- sphenodontians) evolution, with special emphasis corals can occur associated with the reef corals,
vivência e a radiação evolutiva de muitos grupos on South American faunas. Further, I demonstrate but they are not subject to the same environmen-
dutratl@gmail.com
de organismos no globo aquecido (greenhouse) do how advanced imaging technologies (e.g. micro- tal restrictions, surviving in depths of up to 6,000
Em 2007, a publicação Proceedings of 10th Inter- final do Mesozóico e Paleogeno dependeram do -and nano-CT scanning) allow the extraction and meters and temperatures ranging between 1.1
national Symposium on Antarctic Earth Sciences rece- novo desenho dos continentes e mares após a se- subsequent quantitative analyses of morphologi- and 28ºC, being distributed geographically in all
beu o instigante título de Antarctica, a keystone in a paração, capaz de ampliar a vigência de climas cal data in both extant and fossil reptiles. Finally, the seas and oceans of normal salinity. At least 16
changing world. Passados 12 anos daquele evento, úmidos. Como resultado, muitos componentes I will show the latest advances on understanding species have been identified in the Cretaceous to
que considerou a Antártica peça-chave na com- das floras fósseis antárticas (ou Weddellianas) broad scale diapsid reptile evolution based on my Paleocene of Antartic Peninsula, almost all being
preensão dos eventos climáticos globais e suas ainda hoje crescem no Hemisfério Sul e infor- own integrative data set and analyses under the ahermatypics taxa. Although there are also records
alterações, os novos estudos confirmam este im- mam sobre as ligações terrestres mantidas até o latest advances using probabilistic methods. Those of scleractinians corals in the Santa Marta Forma-
portante papel? A análise da produção cientifica final do Eoceno entre a Península e a Patagônia e new findings provide fundamentally new answers tion (Santonian - Campanian), located on James
tem demonstrado que, embora não possamos es- sobre como a vida ajustou-se à subsequente brus- towards the time of origin and the rates of evolu- Ross Island, studies on this group are still inci-
tender a influência do continente austral às pro- ca queda nas temperaturas (icehouse). Por outro tion during major evolutionary transitions, times pient in the region. Here we record ahermatypics
porções globais por si só, sua história e paisagem lado, permite prever que, caso retornem as con- of climate crisis, as well as on the origin of new scleractinians corals from the Campanian Herbert
atual são e foram realmente críticas no controle dições de calor, ampliando as áreas tropicais e body plans in reptiles. Sound Member of the Santa Marta Formation
da vida e do clima do Hemisfério Sul. E, num elevando o nível global do mar, a dispersão e a housed at Federal University of Uberlandia under

mundo mergulhado no temor constante sobre sobrevivência das floras e faunas hoje distribuídas numbers MBC-015-PI and MBC-017-PI. The spe-
os efeitos do aquecimento global, o avanço no em latitudes superiores a 30o no Hemisfério Sul NEW SCLERACTINIANS CORALS FROM cimen are massive, dome-shaped, colonial corals
conhecimento sobre os fósseis e as rochas da An- tornar-se-á critica. SANTA MARTA FORMATION (UPPER with spiny surface, solid corallite with tiny dia-
tártica permite observar um processo de caráter  CRETACEOUS), JAMES ROSS ISLAND, AN- meter (not reaching 3.0 mm), poorly developed
oposto, ou seja, de um mundo que nos últimos TARCTICA septa, reticular coenosteum, tabular dissipation,
CLOCKS, FOSSILS, AND AN ENGLISH RE-
33 milhões de anos (dado variável entre os distin- no columella and no axial corallites. Such featu-
VEREND: INTEGRATIVE APPROACHES ROBERTO VIDEIRA-SANTOS1, SANDRO MAR-
tos autores) tornou-se cada vez mais frio, numa res point to the hermatypic genus of star corals,
TO UNDERSTAND THE EVOLUTION OF CELO SCHEFFLER1, THALES NUNES DA SILVA2,
proporção só conhecida para o início do Carbo- Astreopora Blainville, 1830 (Astrocoeniina, Acro-
LIZARDS, SNAKES AND OTHER REPTILES DOUGLAS RIFF2*
nífero. Como lidar com este paradigma? E como poridae). The almost 20 extant species occur in
1
Departamento de Geologia e Paleontologia, La-
usar o registro fossilífero como um proxy para TIAGO RODRIGUES SIMÕES
boratório de Paleoinvertebrados – LAPIN, Museu the Red Sea, the Indian Ocean and lower latitudes
buscar a causa destas mudanças? Para compre- Department of Organismic and Evolutionary Biology, Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro in the western Pacific. The record here presented
ender estes processos é importante inicialmente Museum of Comparative Zoology, Harvard University, Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, suggest that, being more sensitive to low tempe-
Cambridge, USA. Quinta da Boa Vista. 2Laboratório de Paleontologia, Ins- ratures, the genus became extinct in Antarctica
saber que a moderna cobertura de gelo esconde
tituto de Biologia, Universidade Federal de Uberlândia, as soon as the Antarctic waters began to cool, af-
dois setores com uma história geológica muito An accurate understanding of species relationships, Uberlândia, MG.
distinta, o Continente e a Península Antártica. O origination times, diversification patterns and ra- ter the Campanian. [PROANTAR, *SESu/MEC]
robvidsan@yahoo.com.br • schefflersm@mn.ufrj.br
primeiro é conhecido por seus depósitos do final tes of evolution represent the central pillars to in- thalesnsilva@gmail.com • driff2@gmail.com 
do Paleozoico e Triássico, que confirmam as liga- vestigate broad scale and deep time evolutionary
Scleractinians are solitary or colonial corals bea- PRELIMINARY REPORT OF A FEMALE
ções gondwânicas. Na Península, são registrados phenomena. In recent years, paleontologists have
ring a skeleton of aragonite, including all true pos- CONE (ARAUCARIACEAE) FROM THE
os eventos subsequentes e uma afinidade restrita incorporated a series of methodological advances
t-palaeozoic fossil corals. These corals can be divi- UPPER CRETACEOUS OF VEGA ISLAND,
com a Austrália, Nova Zelândia e América do Sul, in probabilistic methods initially developed to
ded into two ecological groups: the hermatypics, ANTARCTICA
esta a última a se separar da Antártica no Eoce- investigate molecular evolution, as well as other
no-Oligoceno. Definitivamente isolada e numa quantitative approaches to data collection and characterized by the presence of vast numbers of PAULA ANDREA SUCERQUIA1, DOUGLAS RIFF2*,
posição polar, um fluxo circular de águas frias analysis.Those advances, along with the benefits of symbiotic, unicellular, dinoflagellates or zooxan- THALES NUNES DA SILVA2, MARCELO DE ARAÚ-
denominado Corrente Circumpolar (CCA), pas- combining morphological (from both fossils and thellae in their endodermal tissues, and the aher- JO CARVALHO3**
54 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Paleontologia Antártica 55

1
Departamento de Geologia, Universidade Federal de lateral wings in bract scale complexes of the for- tencialmente reflete as mudanças ambientais de Paleontologia, Museu Nacional – Universidade Federal
Pernambuco,Recife, PE. 2Laboratório de Paleontologia, mer described cone. These reproductive structu- curto e longo prazo, as quais se relacionam com do Rio de Janeiro, Quinta da Boa Vista, São Cristóvão,
Instituto de Biologia, Universidade Federal de Uberlân- 20940-040, Rio de Janeiro, RJ, Brazil.
res reported in Vega Island highlight the potential as condições paleoclimáticas no momento da pre-
dia, Uberlândia, MG. 3Laboratório de Paleopalinologia lenita97@live.com • luciahelenaeb@gmail.com
e Paleoambientes, Departamento de Geologia e Paleon- value of the fossiliferous sequence exposed on cipitação das conchas. Neste trabalho, carapaças
esauvictor13@gmail.com • kellner@mn.ufrj.br
tologia, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio Vega Island to provide insights into the diversity carbonáticas de macroinvertebrados foram ana- jmsayao@gmail.com
de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. and structure of the high latitude, Late Cretaceous lisadas com espectrometria de massa IRMS para
psucerquia@gmail.com • driff2@gmail.com conifer-dominated floras. [PROANTAR, *SESu/ obtenção dos conteúdos de isótopos de carbono Alterações morfológicas e anatômicas que acom-
thalesnsilva@gmail.com • mcarvalho@mn.ufrj.br MEC, **CNPq] e oxigênio (dC13 e dO18). Para avaliar se o sinal panharam a adaptação secundária à vida marinha
A fragment of an araucarian female cone found isotópico resultante das análises refletiu a razão dos tetrápodes foram objeto de vários estudos.

in 2018 at Cape Lamb, Vega Island, Antarctica, isotópica à época da biomineralização, fragmentos A mudança no regime biomecânico no retorno à
is reported. The specimen, embedded into a cal- RECONSTITUINDO A PALEOTEMPERA- das amostras foram destinados à análise sob Mi- água exerceu influência na anatomia, microana-
careous fine sandstone concretion, came from TURA DO ÍNICIO DO EOCENO UTILI- croscopia Eletrônica de Varredura (MEV) para a tomia e histologia óssea em muitos clados. Esse
a large outcrop of the Early Maastrichtian Cabe ZANDO MACROINVERTEBRADOS DA observação da microestrutura original da concha e impacto também é modulado pela filogenia, fi-
Lamb Member from Snow Hill Island Formation FORMAÇÃO LA MESETA, ILHA SEY- determinação da composição elementar por EDS siologia e grau de adaptação aquática secundária
at 81 m altitude on a slope facing the Herbert Sou- MOUR/MARAMBIO, ANTÁRTICA / RE- (“Energy Dispersive Spectroscopy”). O conjunto de cada animal. Um dos critérios utilizados como
nd and Cape Naze of the James Ross Island, and CONSTITUTION OF THE EARLY EOCENE TEMPERATURE de dados da Formação La Meseta mostra tendên- indicador dos estágios ontogenéticos em grandes
was recovered during field works of the project USING MACROINVERTEBRATES FROM LA MESETA FOR- cia de aumento nas taxas de d18O, principalmente répteis marinhos mesozoicos como os plesiossau-
TERRANTAR (by DR and TNS) under auspicious MATION, SEYMOUR/MARAMBIO ISLAND, ANTARCTICA a partir do “Máximo Termal do Paleoceno-Eoce- ros é a microestrutura óssea. Plesiossauros juvenis
of the Brazilian Antarctic Program. Wood, and no” (PETM, aos 49 Ma).É importante ressaltar apresentavam esqueletos densos, mas nem todas
MARDEM MELO SILVA1, MARTINO GIORGIONI2,
Nephropids lobster, bivalves (mainly Pinna), gas- que essa mudança não ocorreu de modo contínuo, as formas adultas passaram por uma transição
GEORGE LUIZ LUVIZOTTO3, MARCELO REGUE-
tropods, ammonites, nautiloids and fragmentary uma vez que houve oscilação na paleotempera- para estrutura óssea porosa ao longo da ontoge-
RO4, LUCIANO ALESANDRETTI1, FERNANDA
marine reptiles were found associated at the same tura, de modo que, com o aumento das taxas de nia. Por meio de técnicas paleohistológicas foram
QUAGLIO5
site. Cape Lamb Member have about 200 m thick d18O prevaleceram as temperaturas mais baixas. A realizadas interpretações da miscroestrutura óssea
1
Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uber-
and comprises a coarsening upward section from lândia, Monte Carmelo, MG. 2Universidade de Brasília, interpretação dessas variações permite compreen- presente em AK37-C e CAV-4V. Estes dois frag-
highly fossiliferous bioturbated sandy mudstones Brasília, DF. 3Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, der o comportamento dinâmico da temperatura, mentos são provenientes do Grupo Marambio,
and muddy sandstones to medium-grained, cros- SP. 4Museo de La Plata, La Plata, Argentina. 5Universi- isso faz com que se possa compreender melhor as Formação Santa Marta, Sub-Bacia James Ross na
dade Federal de São Paulo, Diadema, SP. situações climáticas pretéritas e atuais, podendo ilha homônima. AK37-C apresentou um tecido ha-
s-bedded, sparsely fossiliferous sandstones. The
mardem.melo.15@gmail.com • gmartino@unb.br assim, prever alguns cenários futuros. Informa- versiano, com abundância de ósteons secundários
megastrobilus is an ovulate cone preserved in mid georgell@rc.unesp.br • regui@fcnym.unlp.edu.ar
and basal portion, are 11 cm diameter and 22 cm ções adicionais sobre as taxas d13C podem contri- demarcados por uma deposição lamelar, grandes
luciano.geors@gmail.com • quaglio@gmail.com
of incomplete length. Cone-scales are numerous buir em futuras reconstruções paleoambientais as- zonas de reabsorção óssea e trabéculas que se or-
and arranged in a close spiral. Cone axis is cylin- A dinâmica climática ao longo do Período Eoceno sociado a bioprodutividade, oscilação do nível do ganizam em meio ao desgaste diagenético sofrido.
drical and have 20 mm diameter. Bract scale com- se caracterizou por uma fase inicial de esquenta- mar, taxa de sedimentação, entre outros eventos CAV-4V possui ósteons secundários com tecido
plexes are 40 mm long and bear a single seed, no mento, seguida de um grande declínio na tempe- que estão registrados de forma indireta nos carbo- exclusivamente haversiano com marcante linha de
evidence of lateral wings was observed. The ex- ratura na segunda parte do período. O intervalo natos analisados. cementação e presença de zonas de erosão. O des-
ternal features of the cone are only visible in the entre o final do Eoceno e o início do Oligoceno  gaste diagenético também foi observado em CAV-
apical portion as impression in sandstone concre- foi marcado pela formação de extensas cobertu- -4V, principalmente no córtex externo. Nenhum
ras de gelo na Antártica, configurando o terceiro A INFLUÊNCIA DO ESTILO DE VIDA NA MI- dos exemplares apresentou linhas de pausa de
tion and show bract scale complexes rhomboidal
episódio icehouse do Fanerozoico da Terra. Com a CROESTRUTURA ÓSSEA EM RÉPTEIS MARI- crescimento (LAGs) e sistema fundamental exter-
apices, with a prominent tips curved upwards. All
redução das paleotemperaturas, a biota Antártica NHOS / THE INFLUENCE OF LIFESTYLE IN BONE MI- no (EFS), sendo evidenciado em ambos o tecido
features point to an affinity to an araucarian female
sofreu significativas extinções, responsáveis pela CROSTRUCTURE IN MARINE REPTILES ósseo secundário fibrolamelar. CAV-4V é caracte-
cone, closely resembled to extant representatives
of the genus Araucaria, section Araucaria. The cone configuração biótica atual da região. Fósseis de LÚCIA HELENA DE SOUZA ELEUTÉRIO¹, LENITA rizado por uma compactação da estrutura interna
here described is along with the cone figured and macroinverterbrados marinhos (bivalves, gastró- DA SILVA BARBOSA¹, ESAÚ VICTOR DE ARAÚJO¹, e um aumento da massa óssea (osteoclerose), di-
described in the description of Araucaria antarctica podes e braquiópodes) preservados nos depósitos ALEXANDER WILHEM ARMIN KELLNER², JULIA- ferentemente do padrão esponjoso (osteoporose)
Césari, Marenssi & Santillana, 2001, which came eocênicos da Formação La Meseta (Ilha Seymour, NA MANSO SAYÃO¹ em AK37-C. Ambos apresentaram alto remodela-
from only 2 km southestern at same Cape Lamb, Antártica) podem ser utilizados como indicadores mento e não preservaram marcas de crescimen-
¹
Universidade Federal de Pernambuco, Laboratório de
the only Cretaceous araucarian female cones re- dessas mudanças climáticas e ambientais. A razão Paleobiologia e Microestruturas, Centro Acadêmico de to, talvez devido à reabsorção óssea ter sido mais
ported from Antarctica. Main differences between dos isótopos de carbono (12C e 13C) e de oxigê- Vitória, PE. ²Laboratório de Sistemática e Tafonomia intensa do que a deposição, principalmente em
them are smaller size and the presence of marked nio (16O e 18O) na concha desses moluscos po- de Vertebrados Fósseis, Departamento de Geologia e AK37-C. Os exemplares podem ser correlacio-
56 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Paleontologia Antártica 57

nados com o estágio ontogenético adulto, sendo espécimes cuja aparência morfológica externa não Elasmosauridae é um grupo monofilético de ESTUDO PRELIMINAR DA PTERIDOFLO-
indivíduos euriapsídios de grupos diferenciados, permitia qualquer tipo de identificação. Dentre a Plesiossauros com pescoços longos com 30 vér- RA DO CRETÁCEO SUPERIOR (CENOMA-
com estratégias de vida diferentes. AK37-C seria amostragem, dois fragmentos (CAV-A03 e CAV- tebras cervicais e surgiram durante o Cretáceo NIANO) EM ROCHAS VULCANOCLÁSTI-
um nadador mais rápido e ativo do que CAV-4V. -A2V) apresentavam padrão ósseo fibrolamelar Inferior. Sua distribuição é cosmopolita incluin- CAS DA ILHA LIVINGSTON, PENÍNSULA
É sugerido um “tipo ancestral” de trajetória on- com grande quantidade de lacunas de osteócitos e do a Antártica. Sabe-se que a microanatomia e ANTÁRTICA / PRELIMINARY STUDY OF THE
togenética com a conservação do esqueleto denso intensa remodelação caracteristicamente desequi- microestrutura óssea são alteradas ao longo da FERN FLORA OF THE UPPER CRETACEOUS (CE-
através do desenvolvimento para os Plesiossauros. librada. Esta disposição ocorre devido à reabsor- ontogenia em Plesiossauros. Nos juvenis o es- NOMANIAN) IN VOLCANICLASTIC ROCKS OF THE
Este estudo contribui com informações sobre di- ção ser mais intensa que a reconstrução óssea. Os queleto é compacto e denso com recorrência LIVINGSTON ISLAND, ANTARCTIC PENINSULA
ferentes hábitos de vida em estágios ontogenéti- ossos eram esponjosos, com ausência de cavida- de osteosclerose e paquiostose. Apresentam ta-
CRISTINE TREVISAN1, LESLIE MANRÍQUEZ2, TA-
cos adultos de organismos presentes na Ilha James de medular, ósteons secundários, LAG (linhas de xas metabólicas e de crescimento mais baixas
NIA DUTRA2, MARCELO LEPPE1
Ross (Península Antártica). [FACEPE IBPG-0419- pausa de crescimento) e EFS (sistema fundamen- habitando zonas costeiras de águas mais rasas. 1
Laboratorio de Paleobiología de Patagonia y Antártica,
9.05/16; FACEPE BIC-0678-2.04/18; CNPq tal externo), formando um padrão semelhante à Quando adultos, os ossos diminuem a massa e Instituto Antártico Chileno, Punta Arenas, Chile. 2Pro-
442677/2018-9] osteoporose encontrada nos cetáceos atuais. Esse densidade resultando em um esqueleto que exibe grama de Pós-graduação em Geologia, Universidade do
padrão de diminuição da massa óssea auxilia em um padrão osteoporótico. Neste estudo, foram Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, Brasil.

nados mais eficientes em ambientes mais profun- analisados dois fragmentos ósseos do Cretáceo ctrevisan@inach.cl • less.manriquez@gmail.com
IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES MICROA- dos, característica típica de animais que caçam e Superior, AK-317 e CAV-A11, ambos provenien- dutratl@gmail.com • mleppe@inach.cl
NATÔMICOS E MICROESTRUTURAIS EM nadam ativamente em zonas pelágicas. A presen- tes da Sub-bacia James Ross, Grupo Marambio,
TETRÁPODES FÓSSEIS DO CRETÁCEO DA ça de trabéculas é verificada ao longo das seções Formação Santa Marta na Península Antártica. No setor centro sul da Ilha Livingston, está loca-
ANTÁRTICA (SUB-BACIA JAMES ROSS) com grandes espaços intertrabeculares. Ao longo Os valores do índice de compactação obtidos lizado o afloramento de Hannah Point (Shetland
IDENTIFICATION OF MICROANATOMIC PATTERNS IN das seções evidencia-se uma disposição óssea de com uso do aplicativo BoneProfiler®, variaram do Sul, Península Antártica), foram reconhecidos
CRETACEOUS TETRAPODS FROM ANTARCTICA (JAMES crescimento cíclico, resultado de diferentes níveis entre 0,943 e 0,974, confirmando a presença do níveis com abundante flora fóssil. A Ilha Livings-
ROSS SUB-BASIN) de aposição e reabsorção no crescimento. O pa- tecido osteoclerótico. A osteohistologia em AK- ton se encontra no contexto de forearc e faz par-
drão microestrutural como um todo se assemelha 317 e CAV-A11 é constituída em sua totalidade te de um sistema de falhas produto da separação
LÚCIA HELENA DE SOUZA ELEUTÉRIO¹, LENITA gradual do Gondwana. Resultado desta complexa
ao apresentado por formas mais derivadas de ic- por tecido ósseo primário do tipo entrelaçado
DA SILVA BARBOSA¹, ESAÚ VICTOR DE ARAÚJO¹, gênesis tectônica, rochas piroclásticas dominam as
tiossauros, sendo necessárias mais evidências para fibroso com alta vascularização e lacunas de os-
ALEXANDER WILHEM ARMIN KELLNER², JULIA- sucessões das Ilhas Shetland do Sul, com escassos
corroborar esta associação. [FACEPE IBPG-0419- teócitos. Os dois fragmentos apresentam poucas
NA MANSO SAYÃO¹ depósitos epiclásticos fluviais e lacustres. O obje-
9.05/16; FACEPE BIC-0678-2.04/18; CNPq zonas de erosão com uma organização interna
1
Laboratório de Paleobiologia e Microestruturas, Cen- 442677/2018-9] compacta, rede vascular reticular e ausência de tivo deste estudo é realizar uma análise sedimen-
tro Acadêmico de Vitória, Universidade Federal de Per- tológica e paleontológica de uma sucessão de 25
nambuco, Vitória de Santo Antão, PE. 2Laboratório de  cavidade medular. O córtex plexiforme de CA-
V-A11 difere de AK-317 por apresentar grande m exposta em Hannah Point. Deste modo, pre-
Sistemática e Tafonomia de Vertebrados Fósseis, Depar-
tamento de Geologia e Paleontologia, Museu Nacional, OSTEOHISTOLOGIA, IDENTIFICAÇÃO espessura, separação da medula e mudança na tende-se estudar a pteridoflora presente em dois
Universidade Federal do Rio de Janeiro, RJ. ONTOGENÉTICA E ESTILO DE VIDA DE organização tecidual mais acentuadas. A presença níveis da sucessão. Para isto, foi realizado o reco-
PLESIOSAURIA (ELASMOSAURIDAE) DA da cartilagem nestes répteis indicaria que o teci- nhecimento do conteúdo fossilífero das amostras
luciahelenaeb@gmail.com • lenita97@live.com
esauvictor13@gmail.com • kellner@mn.ufrj.br PENÍNSULA ANTÁRTICA / OSTEOHYSTOLOGY, do ósseo ainda não teria sido depositado comple- coletadas pelo Instituto Chileno Antártico durante
jmsayao@gmail.com ONTOGENY AND LIFESTYLE OF PLESIOSAURIA (ELAS- tamente, sendo necessários mais cortes ao longo o verão 2007 e 2019 (90 amostras), e das fácies
MOSAURIDAE) FROM ANTARCTIC PENINSULA da diáfise para comprovar estas hipóteses. Não sedimentares ao longo da sucessão. Análises radio-
O registro de tetrápodes cretáceos da Antártica, métricas baseadas em dados isotópicos (40Ar/39Ar)
LENITA DA SILVA BARBOSA¹, LÚCIA HELENA DE foram encontrados EFS, anulli nem ósteons pri-
de uma maneira geral, se apresenta desarticulado datam a sequência como sendo do Cenomaniano.
SOUZA ELEUTÉRIO¹, ESAÚ VICTOR DE ARAÚ- mários e secundários em nenhuma das amostras.
e fragmentado. Isso se deve principalmente a ação A sequência estudada inclui dois níveis com plan-
JO¹, ALEXANDER WILHEM ARMIN KELLNER², Este estudo fornece dados sobre a presença de
das geleiras que se encarregam de transportar os tas fósseis. O primeiro nível (parte superior da
JULIANA MANSO SAYÃO¹ Plesiossauros juvenis que habitavam águas mari-
restos, espalhando-os pela superfície das princi- sucessão),está composto por tufos e apresentam
¹
Universidade Federal de Pernambuco, Laboratório de nhas rasas. A presença de dois espécimes na Ilha
pais localidades fossilíferas. Devido à sua natu- folhas de coníferas, e o segundo nível (inferior)
Paleobiologia e Microestruturas, Centro Acadêmico de James Ross indica que a região estava sendo uti-
reza, centenas de fragmentos ficam sem identifi- Vitória, PE. ²Laboratório de Sistemática e Tafonomia de caracterizado por rochas vulcanoclásticas de grão
lizada como uma possível “área de reprodução”
cação, podendo potencialmente, constituir raros Vertebrados Fósseis, Departamento de Geologia e Pa- fino que contém a dominante e abundante flora de
para répteis marinhos no Cretáceo Superior na
registros de grupos que algumas vezes ainda não leontologia, Museu Nacional, Universidade Federal do pteridófitas que estão acompanhadas de gimnos-
Península Antártica. [CNPq 442677/2018-9;
foram identificados naquela área, ou com ocor- Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. permas e fragmentos de folhas de angiospermas
FACEPE BIC-0678-2.04/18]
rência escassa. No intuito de identificar tais frag- lenita97@live.com • luciahelenaeb@gmail.com indeterminadas. A assembleia fóssil de pteridófi-
mentos, procedemos cortes osteohistológicos em esauvictor13@gmail.com • kellner@mn.ufrj.br  tas está representada por frondes, pinas e pínulas
jmsayao@gmail.com
58 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Paleontologia Antártica 59

estéreis e férteis com afinidades taxonômicas de Com as mudanças na região antártica, pulsos das MARIA ERIVÂNIA IZIDIO DE SOUZA1, ESAÚ VIC- de deposição lenta, proporcional a presença das
famílias como Aspleniaceae, Blechnaceae, Den- águas austrais mais frias alcançaram efetivamente TOR DE ARAÚJO1, MARIANA VALÉRIA DE ARAÚ- lacunas de osteócitos na matriz óssea. CAV005 e
nstaedtiaceae, Gleicheniaceae, Cyatheaceae e Di- as regiões mais ao norte. As mudanças refletem na JO SENA2, RENAN ALFREDO MACHADO BAN- CAV006 demonstram maior taxa de deposição em
cksoniaceae y géneros como Adiantites, Coniopteris, distribuição dos três grupos principais de cistos TIM3, LÚCIA HELENA DE SOUZA ELEUTÉRIO1, relação a CAV007 e CAV008 (com lacunas quase
Sphenopteris e Thyrsopteris, este último, hoje endê- de dinoflagelados: peridinioides (heterotróficos), ALEXANDER W. A. KELLNER4, GUSTAVO RIBEIRO que ausentes). A paquiosteoesclerose evidenciada
mico da ilha Juan Fernández (Chile). Contudo, o ceratióides (heterotróficos) e gonyaulacoides (au- DE OLIVEIRA5, JULIANA MANSO SAYÃO1 nos espécimes constitui um estágio extremo de
presente estudo contribui com registros inéditos totróficos). No Santoniano, os peridinioides são 1
Laboratório de Paleobiologia e Microestruturas, Cen- adaptação, derivado da combinação da paquios-
de Pteridófitas em níveis do Cenomaniano para a os que registram o maior índice de diversidade tro Acadêmico de Vitória, Universidade Federal de tose e osteoesclerose, caracterizado pela ausência
Ilha Livingston e amplia a ocorrência paleobioge- (3,40) e também a maior dominância (0,97). No Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE. 2Programa de de cavidade medular nos ossos. Esta característica
ográfica deste grupo para a Península Antártica. As entanto, na investigação paleoecológica dos dino- Pós-Graduação em Geociências, Universidade Federal sugere uma adaptação a nados profundos e lentos,
de Pernambuco, Recife, PE. 3Laboratório de Paleon-
floras de coníferas e pteridófitas mantém-se até os flagelados realizada em 30 amostras de uma seção que se utilizam do osso como lastro para o con-
tologia, Universidade Regional do Cariri, Crato, CE.
dias de hoje nas áreas austrais, restritas às regiões do Membro Lachmann Crags (Formação Santa 4
Laboratório de Sistemática e Tafonomia de Vertebrados trole da flutuabilidade. Em sirênios atuais, há des-
de climas marítimos temperados úmidos, como Marta) datada de Eo-Mesosantoniano, mostram Fósseis, Departamento de Geologia e Paleontologia, crição de osteosclerose e paquiosteoesclerose em
por exemplo, os do oeste da Tasmania e Austrália. uma maior abundância dos gonyaulacoides (e.g. Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janei- vários ossos de seu esqueleto, contrastando com
A ocorrência do gênero Thyrsopteris representaria Heterosphaeridium spp.), porém com conspícuos ro, Rio de Janeiro, RJ. 5Laboratório de Paleontologia e cetáceos, que apresentam ossos osteoporóticos.
Sistemática, Universidade Federal Rural de Pernambu-
o registro mais antigo conhecido até hoje para esta picos de abundância (possíveis florações) de pe- A partir da análise microanatômica verificou-se
co, Recife, PE.
espécie e contribuiria a uma melhor compreensão ridinióides (Isabelidinium) e ceratiódes (Odontochi- que estes indivíduos estavam adaptados ao nado
das vias evolutivas e de suas respostas às diferentes tina porifera) que são coevas florações registradas erivania.izidio@gmail.com • esauvictor13@gmail.com e possivelmente representam táxons euriapsíde-
mari.araujo.sena@gmail.com • renan.bantim@urca.br
restrições ecológicas que influíam na geografia e na Bacia de Santos, demonstrando um bioevento luciahelenaeb@gmail.com • kellner@mn.ufrj.br
os, organismos registrados previamente nos ma-
da vida nas zonas de altas latitudes. [Projeto Fon- de maior escala geográfica. As causas podem ter gustavoliveira@gmail.com • jmsayao@gmail.com res Cretáceos da Península Antártica. [FACEPE-
decyt N°1151389, CAPES/PROSUP, INACH] relação com uma tendência global de resfriamento BIC-0678-2.04/18 / CNPq 442677/2018-9]
que ocorreu do Coniaciano ao Campaniano. Lo- Os fósseis de tetrápodes mesozoicos e cenozoicos
 
calmente, a curva de distribuição da Odontochitina da península Antártica são representados em sua
PALEOECOLOGIA DOS CISTOS DE DINO- porifera apresenta um padrão oposto a curva de Isa- maioria por dentes e vértebras, comumente frag- FORAMINÍFEROS AGLUTINANTES DO
FLAGELADOS DO EO-MESO SANTONIA- belidinium, o gênero mais abundante da seção e ge- mentados e desarticulados, tornando difícil uma CRETÁCEO SUPERIOR DA ILHA JAMES
NO (CRETÁCEO) DE JAMES ROSS, AN- ralmente associado a um ambiente marinho com identificação taxonômica. Através das análises ROSS, ANTARTICA: IMPLICAÇÕES PA-
TÁRTICA / PALEOECOLOGY OF DINOFLAGELLATE expressivo fluxo terrígeno. Portanto, a floração osteohistológicas além de se traçar inferência pa- LEOECOLÓGICAS E BIOESTRATIGRÁFI-
CYSTS FROM EO-MESO SANTONIAN OF JAMES ROSS, de Odontochitina porifera reflete um distanciamen- leobiológicas dos organismos tais como fisiologia, CAS / AGGLUTINATED FORAMINIFERA FROM UPPER
ANTARCTICA to de fontes terrígenas ocasionado por uma subida ecologia, hábitos de vida, ontogenia também au- CRETACEOUS OF JAMES ROSS ISLAND, ANTARCTICA: PA-
relativa do nível do mar ou um deslocamento do xiliam na identificação sistemática dos espécimes. LEOECOLOGICAL AND BIOSTRAGRAPHIC IMPLICATIONS
MARCELO DE ARAUJO CARVALHO, GUSTAVO
fluxo terrígeno. A maior abundância de gonyau- Aqui apresentamos a descrição microestrutural
SANTIAGO, SUSAN PAIVA DE CASTRO ROBBYSON MENDES MELO1, ENELISE KATIA
lacoides ao invés de peridinioides, como mostra de quatro diferentes fragmentos ósseos (CAV005,
Laboratório de Paleopalinologia e Paleoambientes, De- PIOVESAN1, OSVALDO JOSÉ CORREIA FILHO2,
partamento de Geologia e Paleontologia, Museu Na- a tendência mais geral para regiões austrais, pode CAV006, CAV007, CAV008), provenientes da
RODOLFO OTÁVIO DOS SANTOS3, FABIANA RO-
cional, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de ter relação com a idade do material, uma vez que Formação Santa Marta, Sub-bacia de James Ross.
DRIGUES COSTA4, ALLYSSON PONTES PINHEI-
Janeiro, RJ. no Santoniano superior é onde se registra a maior Todos os ossos apresentaram uma matriz óssea
RO5, JULIANA MANSO SAYÃO6, ALEXANDER W.
mcarvalho@mn.ufrj.br • gustavo.santiago@gmail.com diversidade dessa idade, culminando nos maiores remodelada por tecido secundário haversiano
A. KELLNER7
índices de diversidade no Campaniano (4,80). denso, caracterizado por ósteons secundários
No levantamento realizado no banco de dados [Universal-CNPq 5701453/2019-2 e Projeto revestidos por matriz lamelar. Nos espécimes
1
Laboratório de Micropaleontologia Aplicada, Universi-
Palynodata Datafile (até 2006) forma contabiliza- dade Federal de Pernambuco, Recife, PE. 2Programa de
PROANTAR/CNPq] CAV005 e CAV006, as lacunas de osteócitos são
Pós-graduação Geociências, Departamento de Geolo-
das 236 espécies de cistos de dinoflagelados (di- mais abundantes, evidentes e distribuídas aleato-
 gia, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE.
nocistos) entre o Aptiano e Maastrichtiano para riamente, enquanto em CAV007 e CAV008, são 3
Laboratório de Herpetologia e Paleontologia da USP,
região austral (Antártica e Austrália). No inter- CARACTERIZAÇÃO MICROESTRUTU- menos abundantes, restritas a algumas porções Instituto de Biociências, Universidade de São Paulo, São
valo entre o Aptiano e o Coniaciano observa-se RAL DE FRAGMENTOS ÓSSEOS DA FOR- do osso. O tecido haversiano denso é descrito Paulo, SP. 4Laboratório de Paleontologia de Vertebra-
uma clara tendência de diminuição no número de dos e Comportamento Animal, Universidade Federal
MAÇÃO SANTA MARTA (SUB-BACIA JA- frequentemente em ossos maduros, que sofre-
do ABC, São Bernardo do Campo, SP. 5Laboratório de
espécies. A partir do Santoniano observa-se uma MES ROSS, PENÍNSULA ANTÁRTICA) ram remodelamento de seu tecido primário. Nas Crustáceos do Semiárido, Universidade Regional do
recuperação da diversidade. O período Santonia- MICROSTRUCTURAL CHARACTERIZATION OF BONE amostras, o tecido lamelar preenche as camadas Cariri, Crato, CE. 6Laboratório de Paleobiologia e Mi-
no foi crucial para o entendimento de mudanças FRAGMENTS FROM SANTA MARTA FORMATION (SUB- dos ósteons secundários, apresentando-se alta- croestruturas, Centro Acadêmico de Vitória, Universi-
paleoceanográficas ocorridas no Hemisfério Sul. -BASIN JAMES ROSS, ANTARTIC PENINSULA) mente organizado, compactado e com uma taxa dade Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão,
60 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia

PE. 7Laboratório de Sistemática e Tafonomia de Verte- disso, com menos frequência, representantes dos
brados Fósseis, Departamento de Geologia e Paleonto- gêneros Recurvoides, Rhizammina, Trochammina, Thu-
logia, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de
rammina e Dorothia estão presentes. A associação é
Janeiro, Rio de Janeiro, RJ.
caracterizada pela dominância de táxons de modo
robbysonmelo@gmail.com • katiapiovesan@gmail.com
osv.correia@yahoo.com.br de vida infaunal apontando águas de fundo sob
rodolfosantos013@gmail.com • fabiana.costa@ufabc.edu.br condições eutróficas mais acentuadas, onde for-
allysson.pinheiro@urca.br • jmsayao@gmail.com mas oportunistas/generalistas (Trochammina, Ha-
kellner@mn.ufrj.br plophragmoides e Alveolophragmium) são dominantes.
[CNPq 442677/2018-9]
O estudo de foraminíferos do Cretáceo da Antár-
tica, apesar de reduzido, tem fornecido informa- 
ções de grande relevância para entendimento dos
eventos paleobiológicos e geológicos na região da
Ilha de James Ross. O material deste estudo foi
coletado no verão austral de 2017/2018, durante
a 36ª Operação Antártica (OPERANTAR XXX-
VI), apoiada pelo Programa Antártico Brasileiro
(PROANTAR) e consiste em 23 amostras cole-
tadas em afloramento situado na Península “The
Naze” em estratos pertencentes às formações San-
ta Marta e Snow Hill. O pacote sedimentar estu-
dado é constituído por uma sucessão de arenitos
muito finos a médios, intercalados com argilitos
e folhelhos esverdeados laminados. Foram recu-
perados 29 táxons de foraminíferos bentônicos
aglutinantes, característicos de uma assembleia
do tipo flysch, típicos de ambientes deposicionais
entre nerítico interno a batial, desfavorável para a
preservação de carapaças carbonáticas. O posicio-
namento cronoestratigráfico do intervalo foi esta-
belecido pelo reconhecimento da zona Gaudryina
healy correspondente ao Campaniano-Maastrich-
tiano. A seção campaniana é caracterizado pela
ocorrência restrita de Trochammina ribstonensis,
Karreriela convexa, Ammosdiscus cretaceous, Rzehakina
epigona, Praesphaerammina sp., e Budashevaella sp.
No Maastrichtiano ocorre uma associação mais
diversa composta por Spiroplectammina laevis, Spi-
roplectammina spectabilis, Gaudryian healyi, Dorothia
elongata, Dorothia praeminosa, Rhzammina algaefor-
mis, Marssonella oxycona e representantes dos gê-
neros Rhabdammina, Cribrostomoides, Bathysiphon e
Verneuilinoides. As espécies Trochammina globigeri-
niformis, Haplophragmoides eggeri, Haplophragmoi-
des platus, Alveolophragmium macellarli, Cyclammina
complanata, Reophax texanus, Saccammina sphaerica e
Karreriella aegra ocorrem de forma abundante ou
frequente ao longo de toda a seção estudada. Além
62 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 63

I Simpósio Brasileiro
de Tafonomia
64 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 65

TAFONOMIA EXPERIMENTAL DE Rhinella ossos ligados às glândulas paratóides. Os demais nhas do Paleozoico ao Triássico. São importantes Federal da Bahia (IMS/CAT), Vitória da Conquista, BA,
schneideri (WERNER, 1894) (BUFONIDAE) ossos encontravam-se desarticulados, além dis- biomarcadores e possuem em sua estrutura ele- Brazil.
/ EXPERIMENTAL TAPHONOMY OF Rhinella schneideri so, havia material estomacal como coleópteros e mentos traço importantes tanto para informações anddrevieira@gmail.com.br • caiovigia@gmail.com
(WERNER, 1984) (BUFONIDAE) hemípteros. Quanto os espécimes soterrados em paleoecológicas quanto para a indústria do petró- matdantas@yahoo.com.br
argila tanto com 5 cm quanto com 10 cm de so- leo. Este trabalho objetivou mapear a composição Alterações ósseas observadas em fósseis podem
FRANCILEILA DA SILVA LIMA, ANA EMILIA
terramento apresentavam esqueleto articulado, química elemental de elementos conodontes do ser geradas (post mortem) ou através de proces-
QUEZADO DE FIGUEIREDO & DANIEL COSTA
além da presença de pele na parte superior em gênero Mesogondolella spp. preservados em folhe- sos patológicos (ante mortem). Alterações origi-
FORTIER
contato com a argila, ambos com moldes preser- lhos da Formação Campo Mourão, Grupo Itara- nadas antes de processos de fossilização podem
¹
Laboratório de Geociências e Paleontologia, Universi-
dade Federal do Piauí, campus Amílcar Ferreira Sobral,
vados. As experiências demonstraram padrões de ré provenientes do afloramento Campaleo, no conter informações importantes quanto ao com-
Floriano, PI. decomposição semelhantes nos diferentes subs- município de Mafra, SC. Para este estudo, foram portamento e interações tróficas dos organismos.
leilasilvalife@hotmail.com • ana.emilia@ufpi.edu.br tratos, e provavelmente a profundidade do soter- utilizadas cinco amostras de aproximadamente 5 Atualmente há um grande número de estudos pa-
fortier@ufpi.edu.br ramento pode ter influenciado na decomposição cm de comprimento, do folhelho, contendo ele- leopatológicos descritos para fauna brasileira, en-
dos espécimes. mentos conodontes isolados e em assembleias tretanto, a maior parte dessas análises é focada em
A Tafonomia Experimental desenvolve estudos completas, para que se pudesse criar um padrão fósseis de animais da megafauna e há uma escas-
comparativos entre os resultados de experimen- 
modal de diagnose dos elementos químicos. Estas sez de estudos paleopatológicos em animais com
tos, sobre preservação/decomposição de animais FLUORESCÊNCIA DE RAIOS X (XRF) SIN- amostras foram obtidas através de quebra do ma- menos de 100 kg. Neste trabalho, descrevemos
e vegetais, e o registro fóssil. Esses experimentos CROTRON EM CONODONTES Mesogondo- terial rochoso e triagem em lupa estereoscópica. feições ósseas relacionadas a processos infeciosos
permitem a replicação e repetição dos processos lella, CISURALIANO, FORMAÇÃO CAM- As amostras de folhelhos contendo os conodon- e marcas de predação em ossos de tamanduá-ban-
e metodologia. Tais experimentos podem inves- PO MOURÃO, FOLHELHO LONTRAS, BA- tes foram levadas ao Laboratório Nacional de Luz deira (Myrmecophaga tridactyla) procedente do Ta-
tigar fatores como durabilidade dos esqueletos e CIA DO PARANÁ, BRASIL / SYNCHROTRON Sincrotron - LNLS no CNPEM em Campinas, SP. lhado do Lixão (-10.437804, -40.510175) uma
taxas de sedimentação que influenciam a fossili- RADIATION X-RAY FLUORESCENCE IN Mesogondolella Após o tratamento dos dados obtidos foram re- caverna calcária no município de Campo Formoso
zação, indicar quais são os organismos com maior conodonts, CISURALIAN OF CAMPO MOURÃO FORMA- gistrados os seguintes elementos químicos nos na região norte da Bahia. As feições observadas es-
potencial de fossilização. Os trabalhos com expe- TION, LONTRAS SHALE, PARANÁ BASIN, BRAZIL conodontes: Cálcio, Fósforo (conhecidamente tão presentes em um úmero esquerdo depositado
rimentos em tafonomia são clássicos, porém com elementos composicionais do fosfato de cálcio) na coleção didática de vertebrados do Laboratório
EVERTON WILNER1,2, ANA KARINA SCOMAZ-
anfíbios são raros, o que leva a necessidade de e Bário com raras pontuações sobre as amostras Interdisciplinar de Formação e Ensino (LIFE) do
ZON2, JORDANA MARIA VICCARI2, SARA NASCI-
novas pesquisas. Diante disso, este trabalho tem fósseis – e na rocha ao redor, os elementos: Ferro, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecno-
MENTO2, FLAVIA CALLEFO3, DOUGLAS GALAN-
como foco os anfíbios, especificamente a espécie Manganês, Potássio, Silício e Níquel; como ele- logia do Sertão Pernambucano – campus Petroli-
TE3 & MIRIAN FORANCELLI PACHECO4
Rhinella schneideri (Werner, 1894), e seu objeti- mentos traço foram observados: Zinco, Titânio, na, com o número de tombo LIFE 0021. Nesta
vo é comparar a taxa de decomposição de sapos
1
Centro Paleontológico da Universidade do Contesta-
do Campus Mafra, SC CenPaleo/UnC; 2Instituto de Enxofre, Vanádio e Cobre tanto na rochas como peça foram observadas macroscopicamente mar-
em ambientes deposicionais argilosos e arenosos. Geociências, Universidade Federal do Rio Grande do nos conodontes. Estes dados estão sendo tratados cas e alterações ósseas, que tiveram seus padrões
Foram utilizados quatro espécimes de sapos R. Sul, Porto Alegre, RS; 3Centro Nacional de Pesquisa e posteriormente serão vinculados a estudos tafo- morfológicos reconhecidos segundo os critérios
schneideri coletados e cedidos pelo laboratório de em Energias e Materiais, Laboratório Nacional de Luz nômicos e geoquímicos que estão sendo realizados presentes na literatura especializada. A principal
Herpetologia da Universidade Federal do Piauí Sincrotron, Campinas, SP; 4Departamento de Biologia, neste material fóssil.
Universidade Federal de São Carlos, Sorocaba, SP. feição identificada trata-se de uma abertura cir-
(UFPI). No experimento foram utilizadas amos- cular com aproximadamente 1 cm de diâmetro
tras de areia fina e argila, distribuídas em 04 re- 
A fluorescência de raios X permite a análise não na porção proximal da face anterior da diáfise do
cipientes de polietileno de 2L, todos perfurados destrutiva multi-elementar de dados de elementos ANÁLISE MACROSCÓPICA DE ALTERA- úmero. Esse tipo de lesão é característica de pro-
e devidamente identificados, sendo distribuídos químicos específicos contidos em amostras diver- ÇÕES ÓSSEAS EM ÚMERO DE Myrmeco- cessos infecciosos como a osteomielite, em que
da seguinte forma: 2 recipientes com argila e 2 sas, e que são obtidos através de imagens geradas phaga tridactyla (LINNEAUS, 1758) / MA- uma abertura de drenagem de material purulento
recipientes com areia fina. Em dois dos recipien- em RGB na superfície opaca. No tratamento dos CROSCOPIC ANALYSIS OF BONE ALTERATIONS IN Myr- chamada cloaca é formada. As outras feições iden-
tes, o material biológico foi recoberto com 5 cm dados desta análise de fluorescência, são elenca- mecophaga tridactyla (LINNEAUS, 1758) tificadas foram: processos erosivos nas epífises e
de sedimento e nos outros dois com 10 cm de dos elementos conhecidos para melhor calibra- perfurações de bordas irregulares com diamentro
ANDRÉ VIEIRA DE ARAÚJO1, CAIO HENRIQUE
sedimento. Após 20 dias o material foi exumado. ção e posteriormente a leitura é realizada reu- superior a 0,5 cm que provavelmente constituem
MACEDO DOS SANTOS1, MÁRIO ANDRÉ TRIN-
O espécime soterrado em areia fina com 5 cm de nindo dados da dispersão dos raios X. Os fósseis marcas de dentes de carnívoro ou carniceiro. Essas
DADE DANTAS2
sedimento encontrava-se totalmente articulado, de elementos conodontes são peças denticuladas observações são preliminares e futuras avaliações
e com partes moles preservadas, já com 10 cm Grupo IF de estudos espeleopaleontológicos, Laborató-
milimétricas compostas principalmente do mine- rio Interdisciplinar de Formação e Ensino, Instituto Fede-
com técnicas radiográficas podem fornecer infor-
de areia ainda apresentava pele, embora pouca, a ral fluorapatita, estes elementos faziam parte do mações complementares que permitirão descre-
ral de Educação Ciência e Tecnologia do Sertão Pernam-
cintura pélvica parcialmente articulada, membro aparelho bucal dos animais conodontes, que eram bucano, Campus Petrolina, PE, Brazil, Cep 56316-686. ver melhor as alterações observadas nessa peça.
posterior e anterior esquerdo articulado e com cordados primitivos e que habitavam águas mari- Laboratório de Ecologia e Geociências, Universidade 
66 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 67

REDUÇÃO DO TAMANHO CORPORAL o comprimento e a altura de valvas desta espécie possible cause the tropical climate tending to ari- VE TAPHONOMY OF SEDIMENTS FROM TODOS OS SAN-
DO BIVALVE Amarilladesma mactroides de dois sambaquis (volume total das amostras de dity. In the Crato Formation, these mortality le- TOS BAY, BAHIA
NOS ÚLTIMOS MILÊNIOS: APLICAÇÕES 298,46 cm³; apenas conchas preservadas; n=342) vels are observed on controlled excavations at the
CAROLINA DE ALMEIDA POGGIO1, JOSÉ MARIA
DA PALEOBIOLOGIA DA CONSERVAÇÃO e de espécimes atuais coletados nessa costa em Antônio Finelon mine and are present in reddish
LANDIM DOMINGUEZ2
DECREASING IN THE BODY SIZE OF BIVALVES Amarilla- 2011 e no presente (n=1087), sendo realizada limestone, suggesting episodes in which the water 1
Instituto de Biologia, Laboratório de Invertebrados
desma mactroides OVER THE LAST MILLENNIA: APPLI- uma reamostragem sem substituição devido ao column was very shallow. A layer collected at 285 Marinhos (LABIMAR), Universidade Federal da Bahia,
CATIONS ON CONSERVATION PALEOBIOLOGY menor n amostral do primeiro grupo. Apenas os centimeters from the top of the Formation had 40 Salvador, BA; 2Instituto de Geociências, Laboratório
valores da valva esquerda foram utilizados, por ser nymphs. Over and underlying layers (at 274,5 and de Estudos Costeiros (LEC), Universidade Federal da
ANNA CLARA ARBOITTE DE ASSUMPÇÃO¹, FE- Bahia, Salvador, BA.
a valva com maior n nos sambaquis. A comparação 288 centimeters respectively) presented crystals
LIPE CARON¹, FERNANDO ERTHAL², EDUARDO
do tamanho corporal das valvas provenientes dos and pseudomorphs of halite, corroborating the cpoggio77@gmail.com, landim@ufba.br
GUIMARÃES BARBOZA³, RAPHAEL MATHIAS PI-
sambaquis e os atuais foi realizada através de um hypothesis of high temperature causing the death A Baía de Todos os Santos (BTS) é a segunda maior
NOTTI4, LEONIR ANDRÉ COLLING4, MATIAS DO
teste t, utilizando apenas conchas de indivíduos of the nymphs. The specimens are smaller compa- baía brasileira. Ela apresenta uma grande varieda-
NASCIMENTO RITTER¹
adultos (>43 mm de comprimento). Os bival- red to those found apart mortality levels. Analyses des de ambientes tais como praias arenosas, ro-
¹
Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Mari-
nhos, CECLIMAR, Campus Litoral Norte, UFRGS,
ves A. mactroides atuais são, em média, menores of the morphology of autochthonous fossils cou- chosas, lodosas, extensos manguezais e recifes de
Imbé, RS; ²Departamento de Paleontologia e Estrati- (44,15) que aqueles encontrados nos sambaquis pled with behavioral analyses of extant species of coral, característica que favorece a biodiversidade
grafia, Instituto de Geociências, UFRGS, Porto Alegre, (45,95), evidenciando uma significativa (p<0,05) Ephemeroptera allow to make inferences on die- das comunidades bentônicas. O resultado disso é a
RS; ³Centro de Estudos de Geologia Costeira e Oce- redução do tamanho corporal destes organismos tary habits of these specimens and on the environ-
ânica, Instituto de Geociências, Universidade Federal heterogeneidade dos tipos de fundo que acaba re-
nos últimos milênios. O uso de perspectivas geo- ments during mass mortalities.The only taxon ob- fletindo na composição biogênica dos sedimentos
do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS; 4Laboratório
de Ecologia de Invertebrados Bentônicos, Instituto de
-históricas permite avaliar alterações populacio- served in mortality levels in the Crato Formation (bioclastos) superficiais da baía e provavelmente
Oceanografia, Universidade Federal do Rio Grande, nais sob um enfoque temporal mais amplo, em is the extinct family Hexagenitidae, which appear nos processos tafonômicos atuantes na mesma.
Rio Grande, RS. uma escala muito superior do que a utilizada na to represent standing waters mayflies, based on Em vista disso, o presente trabalho visa descrever
anna.asrb@gmail.com • felipe.caron@ufrgs.br maioria dos estudos ecológicos de longa duração. their morphology and the limestone coloration as assinaturas tafonômicas em bioclastos da BTS
fernando.erthal@ufrgs.br • eduardo.barboza@ufrgs.br Assim, fica evidente o valor dos sambaquis à Pa- at the mortality levels. Nymphs of Hexagenitidae como um instrumento de correlação com as con-
pinottirm@gmail.com • andrecolling@gmail.com leobiologia da Conservação, subsidiando a conser- have spherical and hypognatus heads, slender legs
matias.ritter@ufrgs.br dições do ambiente no qual os organismos pro-
vação dos organismos e o ambiente que habitam. (not adapted for burrowing), lamellar gills with a dutores de sedimento estariam inseridos. Coletas
A Paleobiologia da Conservação tem por objeti- [CNPq 112297/2019-6; 422766/2018-6] thickened outer margin, and a thickened rib near de sedimento foram realizadas com auxílio de um
vo observar a dinâmica de espécies e ecossistemas the posterior margin, and cerci adapted for swim- busca-fundo do tipo van Veen, com capacidade de
 ming in calm waters, very similar in the general
em uma longa escala de tempo através de registros cinco litros, em 32 estações amostrais, as quais fo-
geo-históricos, como os sambaquis. Essas estrutu- MASS MORTALITY OF HEXAGENITIDAE appearance of the family Siphnoluridae, which has ram distribuídas em seis grandes áreas, de modo
ras foram construídas por grupos de pescadores- LARVAE (EPHEMEROPTERA: INSECTA) IN extant representatives. The morphology of Hexa- que diferentes ambientes sedimentológicos e com
coletores entre 1.000 - 10.000 anos atrás e são A HORIZON OF THE CRATO FORMATION genitidae, can be interpreted as indicative of pos- características oceanográficas distintas fossem re-
formados principalmente por conchas de molus- LIMESTONE sible collectors gatherers, with fine organic par- presentados. Cem grãos biogênicos foram separa-
cos. O bivalve infaunal Amarilladesma mactroides ticulate matter being their probable preferential dos, aleatoriamente, nas frações granulométricas
ARIANNY STORARI1, ANTONIO ALAMO SARAI- diet. The substrates possibly occupied were the
(Reeve, 1854) é comumente encontrado nesses VA2, FREDERICO SALLES3 & TAISSA RODRIGUES1 em intervalos de um phi, até a fração areia grossa
sítios e na linha atual de costa do Rio Grande do sand banks at the bottom of lakes, or mud, based (1-0,500mm), para a realização das análises tafo-
¹Laboratório de Paleontologia, Departamento de Ciên- on extant species that present this morphotype.
Sul (RS). O tamanho corporal dos moluscos tem cias Biológicas, Centro de Ciências Humanas e Natu- nômicas, considerando as seguintes assinaturas:
sido apontando com um excelente proxy relacio- rais, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória,
This condition is also typical of a generalized bo- abrasão, dissolução, bioerosão e incrustação. A
nado tanto a mudanças ambientais quanto àquelas ES; 2Laboratório de Paleontologia, Centro de Ciências dy-form associated with a facultative diet, typical abrasão ocorreu em 100% dos bioclástos, dissolu-
de origem antrópicas. Neste sentido, o tamanho Biológicas e da Saúde, Universidade Regional do Cariri, of trophic generalists. Therefore, it is coherent to ção em 64%, bioerosão em 47% e incrustação em
Crato, CE; 3Museu de Entomologia, Departamento de admit that the Crato Formation lake represented
corporal de moluscos recuperados de sambaquis Entomologia, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa, 11%. Foi possível constatar que os processos tafo-
- quando ações antrópicas eram menos intensas - a lentic environment of shallow column in its mo- nômicos registrados são o reflexo das condições
MG.
pode servir como base para comparação com os ments of stress, as previously proposed. [CAPES ambientais da baía, um ambiente semi-fechado,
ariannystorari@gmail.com • alamocariri@gmail.com - Finance Code 001]
espécimes atuais, sendo possível avaliar mudan- ffsalles@gmail.com • taissa.rodrigues@ufes.br apresentando geralmente energia baixa a modera-
ças intrínsecas dessas populações em um amplo  da e uma grande diversidade de tipos de fundo.
espectro temporal. O objetivo deste trabalho foi Mortality horizons of mayfly larvae are known in Estas características típicas foram responsáveis
comparar o tamanho corporal das conchas de A. the fossil record from a range that covers Mon- TAFONOMIA ATUALÍSTICA DESCRITIVA
pelo estado mais preservado do que desgastado
mactroides dos sambaquis (±3.000 anos) com es- golia, north of China, Transbaikalia, northwest DOS SEDIMENTOS DA BAÍA DE TODOS
dos bioclastos. [CNPq]
of Africa, and the northeast of Brazil, having as OS SANTOS, BAHIA / ACTUALISTIC DESCRIPTI-
pécimes atuais da costa do RS. Foram mensurados 
68 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 69

TRACKING SILURIAN-DEVONIAN tal 03/2018 - PRÓ-EQUIPAMENTOS proc. TAPHONOMY AND PALEOPATHOLOGI- that transported and buried their remains. Addi-
EVENTS AND PALEOBATHYMETRIC 18/2551-0000429-4)] CAL ASPECTS OF NEW VERTEBRATE SPE- tionally, we were able to identify possible patho-
CURVES BY ICHNOLOGIC AND TAPHO-  CIMENS FROM THE LATE CRETACEOUS logies affecting the titanosaur rib and fused caudal
NOMIC ANALYZES IN THE SOUTHWES- ADAMANTINA FORMATION, NOR- vertebrae. The rib presents an irregular lateral
TERN GONDWANA MICROFABRICS OF SILICIFIED ROOTS THWEST SÃO PAULO, BRAZIL surface, similar to a callus, whereas the caudal
AND RHIZOLITHS AS INDICATORS OF vertebrae are fused, have ossified tendons near the
DANIEL SEDORKO¹, RENATA GUIMARÃES NET- TAPHONOMIC DEGREE FELLIPE MUNIZ, JULIAN SILVA JUNIOR, GABRIEL
zygapophyseal articulations, and bone overgrowth
TO², RODRIGO SCALISE HORODYSKI² S. FERREIRA, MAX LANGER
DIEGO LUCIANO DO NASCIMENTO, FRANCISCO affecting the dorsal portion of the most complete
¹Laboratório de Paleontologia Aplicada, Instituto de Laboratório de Paleontologia, Faculdade de Filosofia,
SÉRGIO BERNARDES LADEIRA Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de
element. The causes of these pathologies are still
Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Mon-
Instituto de Geociências, Laboratório de Pedologia, São Paulo, Ribeirão Preto, SP. under study, but our results expand the record of
te Carmelo, MG. 2Programa de Pós-graduação em
Geologia, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, SP. fellipemuniz@yahoo.com.br abnormalities in sauropod skeletal remains and
Leopoldo, RS. dih.sapo@gmail.com • ladeira@unicamp.br juliancristiangoncalves@gmail.com • gsferreirabio@gmail.com also contributes to the understanding of taphono-
mclanger@ffclrp.usp.br mic processes involved in the vertebrate preserva-
sedorko@ufu.br • nettorg@unisinos.br
rhorodyski@unisinos.br
Quaternary fossilized roots and rhizoliths preser- tion in the Adamantina Formation.
ved in eolian deposits and paleosols are useful to The Adamantina Formation has yielded a big deal
study paleoenvironmental conditions and tapho- of what we know about the evolution and paleoe- 
Trace fossils have been used worldwide to access
paleoecologic data in sedimentary sections. In Pa- nomic process. Silicified roots systems of Barra cology of vertebrates during the Late Cretaceous SIGNIFICADO SEDIMENTAR E PALEO-
raná Basin (southern Brazil), trace fossils are stra- (BA), Brazil were exposed in modern deflations of Brazil. Many localities in northwestern São AMBIENTAL DA ALTERAÇÃO DE COR
tigraphically well distributed; however, they are surfaces with vertical and lateral orientations and Paulo state have produced a diverse and abundant EM CONCHAS DE MOLUSCOS BIVALVES
understudied if compared to body macrofossils presents a wide range of fossilization degree ena- fauna, dominated by crocodylomorphs, dino- MARINHOS / SEDIMENTARY AND PALEOENVI-
or microfossils. Only few studies applied ichno- bling the understanding of taphonomic processes saurs and turtles. Paleontological fieldwork in a RONMENTAL SIGNIFICANCE OF COLOR ALTERATION IN
logy to the Silurian-Devonian strata, and mostly and their controls. These materials occur as root road recently built in Neves Paulista-SP resulted MARINE BIVALVE MOLLUSK SHELLS
focused in an ichnotaxon. This comprehensive fossils with well-preserved cellular tissues and in the discovery of dinosaur and crocodylomorph
remains in a 0.4 m thick reddish sandstone bed FERNANDO ERTHAL1, CARLA BENDER KOT-
study aims to analyze the ecospace colonization rhizoliths without any kind of biological mate-
with cross laminations. The material includes an ZIAN2 & MATIAS DO NASCIMENTO RITTER3
represented by trace fossils in a Silurian-Devonian rial preserved. Thin sections and SEM analysis of
isolated crocodyliform vertebral centrum and va- 1
Departamento de Paleontologia e Estratigrafia, Insti-
section from Paraná Basin, and to associate the fossilized roots show that roots were silicified by
rious titanosaur (Dinosauria, Sauropoda) skeletal tuto de Geociências, UFRGS, Porto Alegre, RS; 2Pro-
paleoenvironmental data provided by trace fossils amorphous opaline silica (opal-A) with different grama de Pós-Graduação em Biodiversidade Animal,
with the decline of the Malvinokaffric Realm. In microfabrics filling cellular voids (50μm), such parts, i.e. two fused caudal vertebrae, the right Centro de Ciências Naturais e Exatas, UFSM, Santa
this sense, trace fossils were analyzed in six sedi- microspheres (1 μm), aggregates of microspheres portion of a haemal arch proximal process, two Maria, RS; 3Centro de Estudos Costeiros, Limnológi-
mentary sections to encompass the whole outcro- and wall cell coatings deposited in walls of epi- portions of the iliac crest, the ventral portion of cos e Marinhos, CECLIMAR, Campus Litoral Norte,
a sacral rib, and some trunk rib fragments. The UFRGS, Imbé, RS.
pping supersequence. The vertical distribution of dermal cells (inter/intracellular) preserving their
shape and architecture. Rhizoliths are molds with assignment to Titanosauria is based on the caudal fernando.erthal@ufrgs.br • matias.ritter@ufrgs.br
trace fossils (Glossifungites, Skolithos and Cruziana
vertebrae that are procoelic and laterally exca- modri_zralok@hotmail.com
ichnofacies) was compared with the distribution passive infilling by detrital quartz grains and silici-
of the Malvinokaffric macrofossils. Paleoecologic fied walls without root tissues preservation. These vated. Fossils were found disarticulated, except A perda de coloração natural em conchas de mo-
and ichnodisparity analyzes allowed to infer do- differences in degree and mode of preservation are for the fused caudal vertebrae, concentrated in a luscos, e sua consequente alteração para outras
minance of stable conditions throughout the Silu- a result of pre-mortem and post-mortem process small area, and without preferential spatial orien- cores, tem sido considerada critério tafonômico,
rian-Devonian section; however, some levels ex- associated with silica availability in soil microenvi- tation. They exhibit minimal to no abrasion and no com aplicação inclusive em fósseis paleozoicos.
press dysoxic to anoxic conditions, and in others ronments. The well-preserved root tissues indica- hydraulic equivalence to the matrix sediment en- De forma geral, conchas com cores alteradas para
the high energetic conditions biased the ichnolo- te early silicification in living plants is controlled casing them, suggesting they were not buried very amarelo, vermelho, ocre refletem sedimentação
gic record. The stratigraphic distribution of Zoo- by water table fluctuations and evapotranspiration far from the place of death, although the distance siliciclástica, onde a presença de íons metálicos é
phycos suggests a change in the basin configuration in response to seasonality (wetting/drying cycles) of transportation could be longer if they were also frequente. A coloração alterada para tons de bege
during Eifelian, which might be related to the de- and different decay rates of root tissues. Therefo- transported as “bloated carcasses”. The lack of we- ou verde pode refletir micritização e incrustação
cline in the diversity of the Malvinokaffric fauna. re, results indicate that the taphonomic gradient athering, trampling, bioerosion, or tooth marks por algas, frequentes em sedimentos carbonáti-
[CAPES – PROSUP/PROSUC 001; CSF-PVE-S is conditioned by early silicification that allows indicate that subaerial exposure of remains before cos. Além de refletir características geoquímicas
88887.129752/2016-00; 88887.154071/2017- preservation of epidermal cells by opaline silica burial was short. The crocodylomorph specimen, com impacto na eodiagênese fóssil, a presença de
00; CAPES PVE 88881.062157-2014-01; (opal-A) followed by total degradation of the root found near the titanosaur elements, suggests that íons metálicos parece indicativa de ambientes se-
CNPq 401796/2010-8; 311473/2013-0; tissues, preserving only rhizolith. they lived associated in the same depositional dimentares favoráveis a preservação de carbonato
303863/2016-1; and FAPERGS/CAPES (Edi- environment, subject to similar fluvial processes biogênico. Para testar se o padrão de distribuição

70 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 71

espacial na alteração de cor de bioclastos em de- 2


Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Mari- serpula, Propomatoceros semicostatus, Microeciella sp., ambientais. Foram selecionadas 13 amostras de
pósitos biodetríticos na Plataforma Continental nhos, Campus Litoral Norte, UFRGS, Imbé, RS. Glomerula cf. serpentina aparecem mais relacio- sedimentos superficiais da PSB em diversas pro-
Sul Brasileira (PCSB, entre latitudes 26°S e 34°S) filipebrasil2014@hotmail.com • fernando.erthal@ufrgs.br nados com latitude. Porém, para que se alcance fundidades (12 a 200 metros) entre as latitudes
apresenta relação com (i) a cor do sedimento e/ matias.ritter@ufrgs.br valores significativos é necessária uma caracteriza- ~28°S e ~34°S, coletadas durante as expedições
ou (ii) a presença de depósitos minerais retraba- Estudar a modificação da informação biológica ção bem aprofundada dos tipos de esclerobiontes, GEOMAR e REVIZEE, utilizando-se amostra-
lhados (placeres), foram analisadas amostras (com durante o soterramento e quantificar a influência para assim possibilitar as correlações significativas dores do tipo Box-corer e do tipo Van-Veen. Os
150 conchas cada) oriundas de 32 localidades na do ambiente sedimentar na destruição dos restos dos traços com o ambiente. E visto que muitas danos foram observados utilizando estereomi-
PCSB. Os bioclastos foram examinados utilizando fósseis são desdobramentos da Tafonomia. A rela- rochas sedimentares tipo coquinas têm origem croscópio binocular em aumentos de 12x até 50x,
protocolos tafonômicos padronizados, incluin- ção entre alteração tafonômica e fatores ambien- semelhante aos ambientes deposicionais aqui es- considerando: fragmentação, alteração de cor; e
do alteração da cor original (obtida na literatura tais pode ser otimizada através da investigação de tudados, esse tipo de informação é de grande valia tipos de marcas de bioerosão (traços de fungos,
específica). Exemplares muito alterados foram associações de restos ainda não soterrados ou em como forma de reconstrução de paleoambientes cianobactérias, esponjas, briozoários, poliquetos,
submetidos a espectrometria de energia dispersi- soterramento. A maior parte dos estudos tafo- onde essas rochas sedimentares foram formadas. além de traços com produtores indeterminados).
va (EDS) e imageamento por elétrons retroespa- nômicos relacionados têm ênfase em sedimentos Quando possível, foi realizada a identificação

lhados (BSE). As cores mais frequentes foram, em bioclásticos das plataformas continentais (PCs) do taxonômica dos bioclastos até gênero, utilizan-
ordem decrescente, creme, branca, amarela, ocre PREDICTABILIDADE DE TRAÇOS DE do-se literatura especializada. Foram analisados
hemisfério norte, em condições geralmente tropi-
e cinza, cuja incidência variou entre 44% e 17%. BIOEROSÃO EM AMBIENTES SEDIMEN- 2800 bioclastos chegando a mais de 30 gêneros
cais. Até recentemente, esse tipo de trabalho era
Depósitos de óxidos estavam presentes em pouco TARES MARINHOS SUBTROPICAIS / PRE- de moluscos bivalves, afora os braquiópodes e os
incomum no Brasil. A assinatura tafonômica de
mais de 1% das conchas. Utilizando escalonamen- origem biológica do tipo incrustação é um dano,
DICTABILITY OF BIOEROSION TRACES IN SUBTROPI- fragmentos sem determinação. Os traços de bio-
to multidimensional não-métrico observou-se que caracterizada pela adesão de organismos mero-
CAL MARINE SEDIMENTARY ENVIRONMENTS erosão mais frequentes foram, respectivamente:
a distribuição espacial do padrão de cores altera- planctônicos marinhos, e apresenta grande poten- Phormidium isp., Phytophora isp, Entobia isp., Irame-
FILIPE BRASIL MEDEIROS SILVA1, FERNANDO ER-
das, inclusive a precipitação de óxidos, reflete a cial para auxiliar nas interpretações paleoambien- na isp. e Scolesia filosa. O restante dos traços de
THAL1, MATIAS DO NASCIMENTO RITTER1,2
existência de depósitos bioclásticos associados a tais. O intuito deste trabalho é identificar e quan- bioerosão apresentou uma baixa frequência, infe-
1
Universidade Federal do Rio Grande do Sul; Programa
paleolinhas de costa (onde a exposição subaérea tificar esses traços de incrustações presentes nas de Pós-Graduação em Geociências, Campus do Vale – rior a 5%. Os traços microendolíticos como Or-
é provável). A análise de variância multivariada conchas de moluscos e braquiópodes coletados Av. Bento Gonçalves, 9500, Porto Alegre, RS; 2Centro thogonum lineare, Phytophora isp. e Sarcomorpha isp.
com permutação revelou segregação significativa em depósitos bioclásticos da PC do sul do Brasil, de Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos, Cam- aparecem mais relacionados com variação na lati-
(F = 4,221, p < 0,009) das amostras de bioclas- pus Litoral Norte, UFRGS. Av. Tramandaí, 976, Imbé, tude, os danos Scolesia filosa e Fascichnus isp. estão
e relacioná-los à temperatura da água, composição RS.
tos segundo colorações mais oxidantes (amarela, e granulometria do sedimento, profundidade e sa- relacionados com a profundidade. Outros danos
vermelha e ocre), mais redutoras (cinza e preta), filipebrasil2014@hotmail.com • fernando.erthal@ufrgs.br tiveram alta correlação com o tipo de substrato,
linidade. Selecionamos 13 amostras de sedimento matias.ritter@ufrgs.br
ou descoloridas (cor branca). A EDS e o BSE reve- superficial de várias profundidades coletadas pe- por exemplo, Pinnaceocladichnus isp., Iramena isp. e
laram que os prováveis agentes da alteração de cor las expedições REVIZEE e GEOMAR, utilizando A preservação da informação biológica em restos Entobia isp. tiveram mais correlação com cascalho
neste contexto sedimentar estão relacionados à amostradores do tipo Van-Veen e ou Box-corer, fossilizados depende de variados graus de influ- e areia. Phormidium isp. e foraminíferos indeter-
precipitação de ferro e manganês, que são impor- todas localizadas na PCSB entre as latitudes ~28°S ência ambiental, que frequentemente destrói o minados tiveram uma correlação com áreas mais
tantes aceptores de elétrons nas camadas iniciais e ~34°S. Foi utilizado estereomicroscópio bino- material completamente. Restos biomineralizados ricas em carbonato de cálcio. Uma caracterização
do sedimento, de forma que a cor é um impor- cular para analisar os aspectos tafonômicos. As estão sujeitos a diferentes tipos de modificação mais aprofundada desses traços, associada com as-
tante indicador do estado redox de fósseis ainda características observadas foram: fragmentação, tafonômica, que podem deixar marcas (assinatu- pectos ambientais quantitativos é necessária para
não soterrados. alteração de cor, tipos de esclerobiontes (brio- ras) quantificáveis. A tafonomia atualística (inter- estabelecer a relação tafonômica atualística com
zoários, cirripédios, tubos de poliquetos, algas, pretação da origem das assinaturas tafonômicas maior rigor.

foraminíferos, esponjas e oviposições). Foi reali- em ambientes atuais) permite detalhar, de forma 
INCRUSTAÇÕES EM BIOCLASTOS MARI- causativa, o quanto acumulações bioclásticas ainda
zada, quando possível, a identificação taxonômica A DIVERSIDADE DE ANUROS DA FORMAÇÃO
NHOS RECENTES E SEU POTENCIAL EM não soterradas são afetadas por fatores ambientais.
dos bioclastos. Examinaram-se 2800 bioclastos CRATO (BACIA DO ARARIPE, NE BRASIL) E
RECONSTRUÇÃO PALEOAMBIENTAL Na literatura há um limitado número de estudos
pertencentes a mais de 30 gêneros de moluscos SUAS IMPLICAÇÕES BIOESTRATINÔMICAS,
RECENT MARINE INCRUSTATIONS IN BIOCLAST AND sobre danos tafonômicos de origem biogênica em
bivalves, além de braquiópodes e fragmentos in- PALEOECOLÓGICAS E TAXONÔMICAS / THE
THEIR POTENTIAL FOR PALEOENVIRONMENTAL RE- plataformas continentais de regiões subtropicais.
determinados. Tubos de poliquetos indetermina- ANURAN DIVERSITY OF THE CRATO FORMATION (ARA-
CONSTRUCTION Assim, este estudo objetivou quantificar e identifi-
dos, briozoários indeterminados e Voigthopora isp. RIPE BASIN, NE BRAZIL) AND BIOSTRATINOMIC, PALEO-
FILIPE BRASIL MEDEIROS SILVA1; FERNANDO ER- foram muito comuns, com frequências que variam car os traços de bioerosão presentes em moluscos
ECOLOGICAL AND TAXONOMIC IMPLICATIONS
THAL1, MATIAS DO NASCIMENTO RITTER1,2 de 14% a 25%. Algumas localidades apresentaram oriundos de depósitos bioclásticos da plataforma
1
Programa de Pós-graduação em Geociências, Univer- a maioria dos traços quantificados, mas em baixas continental do sul do Brasil (PSB), para deter- GUSTAVO PRADO1, FELLIPE P. MUNIZ2, SILVIO
sidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. frequências. As incrustações, Mucroserpula mucro- minar a relação desses traços com alguns fatores ONARY2, GABRIEL L. OSÉS3, RAPHAELLA P. DO-
72 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 73

MINGUES1, FELIPE L. PINHEIRO4, BRUNO BECKE- tre a morte e o soterramento final. É possível que the Earth Sciences. The employment of SR has PRELIMINARY FOSSILDIAGENETIC ASSESMENT AND
R-KERBER3, LUIZ E. ANELLI1 alguns espécimes tenham habitado regiões mais brought important contributions to different EVIDENCE OF ORGANIC COMPOUNDS PRESERVATION
1
Laboratório de Paleontologia e Invertebrados, Insti- interiores, mas não distantes do corpo d’água, en- Geosciences areas, proving to be an important IN cf. Sterosternum tumidum (PARAREPTLIA, MESOSAU-
tuto de Geociências, Universidade de São Paulo, São quanto outras deveriam habitar regiões de borda approach for Geology and Palaeontology. LIPs RIDAE)
Paulo, SP; 2Laboratório de Paleontologia, Faculdade de e/ou coluna d’água do paleolago Crato. Em ambos (Large Igneous Provinces) represent gargantuan
Filosofia, Letras, Ciências de Ribeirão Preto, Universi- JÚLIA D’OLIVEIRA1, SILVIO ONARY2, MÍRIAN
casos, a ação do transporte e alteração foi mínima. volumes of lava and gases (expelled in a short pe-
dade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP; 3Laboratório de LIZA ALVES FORANCELLI PACHECO1
Além disso, a presença de esteiras microbianas no riod of time that may generate dramatic changes
Estudos Paleobiológicos, Universidade Federal de São 1
Laboratório de Estudos Paleobiológicos, Universidade
Carlos, Sorocaba, SP; 4Laboratório de Paleobiologia, paleolago pode também ter favorecido o soterra- in all Earth’s environments, with impact on cli-
Federal de São Carlos, campus Sorocaba, SP; 2Labora-
Universidade Federal do Pampa, São Gabriel, RS. mento e preservação excepcional. Deste modo, a mate and life. One of the largest LIPs occurren- tório de Paleontologia, Faculdade de Filosofia, Ciências
gustavo.marcondes.prado@usp.br • fellipemuniz@usp.br condição excepcional de preservação torna estes ces in the world, the Paraná-Etendeka Magmatic e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo,
gabriel.oses@alumni.usp.br • raphapaula13@gmail.com animais fortes indicadores bioestratinômicos. As- Province (PEMP), had the potential to generate Ribeirão Preto, SP.
fl_pinheiro@yahoo.com.br • silvioyuji@gmail.com sim, anurofauna da Formação Crato prova ser um significant amounts of gases and volatiles. One of julia.oliveira1701@gmail.com • silvioyuji@gmail.com
bruno.becker92@gmail.com • anelli@usp.br excelente modelo para ensaios tafonômicos e pa- these gases, sulfur, is a key element in studies of forancelli.ufscar@gmail.com
Os anuros são ecologicamente diversos e apre- leoecológicos, os quais podem auxiliar em futuros subaerial volcanic aerosols and climate changes,
estudos para inferências paleobiológicas e taxonô- known to cause cooling of the atmosphere and Importantes contribuições reportaram a ocorrên-
sentam colorações características variadas, muitas cia de microestruturas anatômicas em ossos de
vezes, ligadas a mecanismo de defesa, predação ou micas. [CNPq 2018-473]. increase hydrosphere acidity. Because of degas-
sing process, most gases and fluids do not remain mesossaurídeos, embora a sua caracterização geo-
atração sexual. Os primeiros registros de stem-A-  química e preservacional ainda seja pouco elucida-
nura datam do Triássico Inferior, enquanto o gru- within the composition of the rock after its crys-
DIFFERENT AREAS, SAME OBJECTIVES: tallization, being lost to the environment. Like da. Aqui são discutidos novos dados geoquímicos
po coronal Anura é datado ao menos do Jurássico obtidos por meio da análise de vértebras e coste-
SYNCHROTRON LIGHT SOURCE AS A volcanic rocks, fossils are important components
Médio. No Brasil, os anuros mesozóicos se restrin- las de um espécime de cf. Stereosternum. Os fósseis
TOOL IN GEOSCIENCES of the geological processes and landscape/pala-
gem à Formação Crato (Cretáceo Inferior, Bacia foram resgatados nas rochas carbonáticas da For-
do Araripe) e ao Grupo Bauru (Cretáceo Superior, eoenvironmental reconstructions. In many cases,
GUSTAVO PRADO1, JORGE C. L. ARTHUZZI2 mação Irati, região de Angatuba-SP. As amostras
Bacia do Paraná). Ainda que o primeiro conte com organism preservation directly reflects palaeo-
JOÃO V. T. MELLO2, GABRIEL L. OSÉS3, BRUNO polidas e analisadas sob estereomicroscopia reve-
o maior registro, poucos são os estudos de cunho environmental sedimentological and geochemi-
BECKER-KERBER3, ADRIANA ALVES2, DOUGLAS laram detalhes da anatomia interna dos ossos. Foi
tafonômico, fato que pode dificultar e até mesmo cal conditions. However, diagenetic imprints can
GALANTE4 observado material escuro preenchendo a região
tendenciar interpretações paleobiológicas e taxo- bias taxonomic and taphonomic interpretations,
1
Programa de Pós Graduação em Geoquímica e Geotec- dos canais medulares, muito diferente da matriz
nômicas. Aqui apresentamos um novo espécime tônica, Instituto de Geociências, Universidade de São requiring sophisticated techniques to unravel
such changes. Also, detailed investigation of ana- óssea (mais clara). Para a investigação de aspectos
de anuro da Formação Crato depositado no Ins- Paulo, SP. 2Programa de Pós-Graduação em Mineralogia
e Petrologia, Instituto de Geociências, Universidade de tomic structures concealed within rocks needs preservacionais dos tecidos, comparamos matriz
tituto de Geociências da USP (número de tombo: óssea e canais medulares por meio das Espectros-
São Paulo, SP. 3Programa de Pós-Graduação em Ecolo- SR. Even though problems are different in both
GP/2E-9497), comparando-o com as ocorrências gia e Recursos Naturais, Universidade Federal de São copias Raman, de Energia-Dispersiva acoplada à
prévias da literatura. Buscamos elucidar as pers- Igneous Petrology and Palaeontology, SR is an
Carlos, São Carlos, SP. 4Laboratório Nacional de Luz Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV-EDS)
pectivas tafonômicas (bioestratinômicas e fossil- Síncrotron, Centro Nacional de Pesquisa em Energia e effective approach to retrieve information of the
palaeoenvironments. Using techniques such as e Micro-Fluorescência de Raios-X com luz síncro-
diagenéticas) e sua possível afinidade taxonômica. Materiais, Campinas, SP.
XANES (X-ray Absorption Near Edge Structu- tron (micro-XRF). Enquanto a matriz óssea apre-
Como resultado, identificou-se a presença de 17 gustavo.marcondes.prado@usp.br • jorge.arthuzzi@usp.br
joaotumenas@usp.br • gabriel.oses@alumni.usp.br re), micro-/nanoCT (Computed Tomography), sentou elevadas intensidades de Ca e P, na medula
espécimes divididos em quatro espécies. Os es- foram maiores as intensidades de C e S, sugerindo
bruno.becker92@gmail.com • adrianaalves@usp.br μXRF (micro X-Ray Fluorescence) and μXRD
pécimes representam estágios pós-metamórficos douglas.galante@lnls.br preservação orgânica. Em especial, a presença de
com tamanho rostro-cloacal que varia entre 16.0 (micro X-Ray Diffraction), it is possible to ob-
tain highly detailed information, thus leading to S na medula pode ser um indicativo de fidelidade
a 43.9 mm. Em sua maioria, apresentam elemen- Synchrotron radiation (SR) has proven to be an biomolecular do tecido preservado, uma vez que
tos esqueletais em posição de articulação, com al- high degree of interpretation scrutiny. Moreover,
intense and versatile source of X-rays, and hence, este elemento aumenta o potencial de preservação
guns indivíduos também exibindo tecidos-moles longstanding questions can be answered and the
very suitable for geological investigation, which de alguns compostos orgânicos. Isso foi reforçado
preservados. Como outros anuros, o espécime horizons of Geosciences are expanded.
embraces different research topics, materials, pelas intensidades de querogênio amorfo detecta-
GP/2E-9497 é um indivíduo pós-metamórfico, and scales of analysis. Indeed, such works are be-  das por espectroscopia Raman. O microambiente
cujo tamanho total é estimado em 38.8 mm. Tam- nefited from high SR X-ray brilliance , the detai- do osso esponjoso pode fornecer condições de
BREVE CARACTERIZAÇÃO FOSSILDIA-
bém apresenta todos elementos ósseos com pre- led and in situ chemical investigations of geologi- anoxia apropriadas para ação de bactérias reduto-
GENÉTICA E EVIDÊNCIAS DA PRESERVA-
sença extensiva de tecidos moles, especialmente cal materials with high spatial resolution, and the ras de sulfato. Não houve níveis detectáveis de Fe
ÇÃO DE COMPOSTOS ORGÂNICOS EM
olhos e pele. A presença de estruturas delicadas usually non-destructive analysis. Consequently, nem mesmo por micro-XRF, técnica mais sensível
cf. Sterosternum tumidum (PARAREPTLIA,
como dígitos e tecidos-moles, sugere uma rápida SR has the potential to expand the frontiers of que o EDS. Isso é compatível com um cenário que
MESOSAURIDAE)
preservação, com um intervalo de poucos dias en-
74 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 75

pode ter favorecido a incorporação dos subprodu- (perfurado e não perfurado), foram mensurados ciências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio a Cubiculum isp. Esse icnogênero é interpretado
tos sulfurosos nas moléculas orgânicas. Os resul- o comprimento e a altura máxima das valvas. A de Janeiro, RJ. como perfurações em contexto de pupação e abri-
tados geoquímicos aqui compilados corroboram a partir da média geométrica destas medidas, foi es- leticiapaivabelfort@hotmail.com • herminio.ismael@yahoo. go de larvas de besouros. Além disso, sugerem um
preservação de compostos orgânicos em ossos de timado o tamanho corporal de cada espécime. No com.br • bergqvist@geologia.ufrj.br clima quente e úmido para o momento da origem
mesossaurídeos e reforçam a hipótese de que te- total, 780 valvas foram analisadas até o momento, Traços fósseis relacionados à ação de besouros da tanatocenose em questão.
cidos lábeis dentro de partes mineralizadas, como sendo que 15% das conchas apresentam traços de (Coleoptera) em substrato ósseo ocorrem desde 
ossos, podem ser preservados em microambientes predação. O tamanho corporal da presa (bivalve o Triássico Final. Tais feições são amplamente uti-
anóxicos e/ou euxínicos. [FAPESP] G. longior) variou de 6,4 mm a 37,7 mm. O maior lizadas em interpretações paleoambientais, paleo-
DEPÓSITOS BIOCLÁSTICOS SUBRECENTES
espécime predado tem um tamanho corporal igual ecológicas e paleoetológicas e têm revelado uma
COMO ANÁLOGOS PARA INTERPRETAÇÃO

a 23 mm, muito embora 50% dos espécimes pre- diversidade de estratégias alimentares de insetos.
PALEOAMBIENTAL PRÉ- E PÓS-DEPOSICIO-
PEQUENAS OU GRANDES PRESAS? PRES- dados apresentam um tamanho corporal entre 10 NAL / SUBRECENT BIOCLASTIC DEPOSITS AS ANALO-
A descoberta de restos de dinossauros na Forma-
SÃO SELETIVA NA PREDAÇÃO DE GAS- mm e 13,5 mm. Já nos espécimes não predados GUES FOR PRE AND POST DEPOSITIONAL PALEOENVI-
ção Açu (Albiano-Cenomaniano da Bacia Poti-
TRÓPODES SOBRE BIVALVES / SMALL OR (n=663), a dispersão é maior: 50% dos indivíduos RONMENTAL INTERPRETATION
guar) permitiu que novos estudos tafonômicos, ic-
LARGE PREYS? SELECTIVE PREDATION PRESSURE BY apresentam valores entre 10,9 e 17,2. A média do nológicos e paleoecológicos pudessem ser desen- LUCAS SCHOLL1, FERNANDO ERTHAL2, FILIPE
GASTROPODES ON BIVALVES tamanho corporal é distinto entre as conchas pre- volvidos, lançando luz sobre padrões e processos BRASIL MEDEIROS SILVA3, MATIAS DO NASCI-
dadas (12 mm) e as não predadas (14,5 mm), com geológicos e paleobiológicos do Cretáceo médio
LAURA PORTO HORNUNG¹,², JORGE VILLEGAS MENTO RITTER4
base no teste t (pn amostral díspar entre os gru- da citada bacia. Este trabalho reporta a ocorrên-
MARTÍN³, FABRIZIO SCARABINO4, FERNANDO 1
Curso de Graduação em Geologia. 2Departamento
pos, uma vez que esse teste estatístico é sensível cia de traços fósseis em substrato ósseo de dinos- de Paleontologia e Estratigrafia. 3Programa de Pós-
ERTHAL5, MATIAS DO NASCIMENTO RITTER1
a variação do tamanho amostral. Portanto, os re- sauros da Formação Açu relacionados à interação Graduação em Geociências, Instituto de Geociências,
1
Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Mari- sultados sugerem uma maior pressão de predação Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 4Centro de
nhos, Campus Litoral Norte, Universidade Federal do alimentar entre insetos e carcaças de vertebrados.
sobre estados ontogenéticos mais juvenis das pre- Estudos Costeiros, Limnológicos e Marinhos, campus
Rio Grande do Sul, Imbé, RS. 2Universidade Estadual Os icnofósseis ocorrem em três fragmentos de Litoral Norte, Universidade Federal do Rio Grande do
do Rio Grande do Sul, Unidade Litoral Norte, Osório, sas. Deste modo, os gastrópodes predadores po- ossos de dinossauros ainda não tombados e sem Sul, Imbé, RS.
RS. 3Itt Fossil, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, dem estar exercendo uma pressão top-bottom so- identificação anatômica depositados na Coleção
São Leopoldo, RS. 4Centro Universitario Regional del lucas_scholl@hotmail.com • fernando.erthal@ufrgs.br
bre o bivalve G. longior. Também, estes resultados de Repteis Fósseis do Departamento de Geologia filipebrasil2014@hotmail.com • matias.ritter@ufrgs.br
Este (CURE), Universidad de la Republica, Rocha, podem trazer implicações paleoecológicas, como
Uruguai. 5Departamento de Paleontologia e Estratigra- da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Em
por exemplo a assimetria na distribuição de tama- A análise de características tafonômicas em con-
fia, Instituto de Geociências, Universidade Federal do média, as perfurações medem de 10 a 30 mm de
Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. nho das conchas no registro fóssil, devido tanto a chas presentes em uma dada coluna sedimentar
comprimento e 5 mm de largura. Correspondem
uma maior adição de conchas juvenis, quanto ao pode ajudar auxiliar a interpretação de paleoam-
lauraphornung@gmail.com • jvillegasmartin@gmail.com a câmaras pouco profundas de formato elipsoidal
fato de que conchas menores têm menor poten- bientes, além de estimar modificações pós-de-
fscarabino@cure.edu.uy • fernando.erthal@ufrgs.br e que atingem apenas a superfície cortical dos es-
matias.ritter@ufrgs.br cial relativo de preservação. [PROPESQ/UFRGS posicionais em diferentes horizontes da coluna.
pécimes. Apresentam orientação perpendicular ao
e CNPq 422766/2018-6] Este trabalho quantificou diferentes caracterís-
maior eixo do elemento esqueletal, podendo estar
A coevolução presa-predador desempenha um ticas tafonômicas em conchas de moluscos (bi-
 agrupados ou não. Além disso, não possuem pre-
papel importante na estruturação dos ecossiste- valves e gastrópodes) e identificou a prevalência
enchimento ou ramificações. Finalmente, apre-
mas atuais. Em muitas ocasiões, a predação só é REGISTRO DO ICNOGÊNERO Cubiculum destes atributos em diferentes níveis. Foram
sentam comprimento 2 a 5 vezes maior do que o
identificada pela presença de furos em conchas de EM RESTOS DE DINOSSAUROS DA FOR- analisadas 898 conchas de moluscos (gêneros
diâmetro. As características observadas permitem
invertebrados marinhos – as quais tem recebido MAÇÃO AÇU (ALBIANO-CENOMANIA- Bulla, Heleobia, Mactra e Erodona) distribuídas em
a atribuição dos traços ao icnogênero Cubiculum
muita atenção – por auxiliarem nas reconstruções NO DA BACIA POTIGUAR) / REPORT OF THE 6 níveis arbitrários delimitados no afloramento
(Roberts et al. 2007). É possível que os icnofósseis
paleoecológicas, tendências evolutivas e compor- ICNOGENUS Cubiculum IN DINOSAUR REMAINS FROM Pontal dos Latinos (Santa Vitória do Palmar, RS).
pertençam a alguma das seguintes icnoespécies: C.
tamento dos predadores. O objetivo deste traba- THE AÇU FORMATION (ALBIAN-CENOMANIAN OF PO- Esta localidade já foi explorada comercialmente
ornatus (Roberts et al. 2007) ou C. inornatus (Xing
lho é testar a hipótese preliminar de que gastrópo- TIGUAR BASIN) para extração de carbonato de cálcio. As amos-
et al. 2015). Os caracteres diagnósticos das duas
des (famílias Muricidae e Naticidae) realizam uma tras foram divididas em parcelas de 50, 100, 150,
LETÍCIA PAIVA BELFORT¹, HERMÍNIO ISMAEL DE icnoespécies relacionam-se a variações na morfo-
seleção por ontogenia ao realizar a predação de 200 e 250 bioclastos após quarteamento, para o
ARAÚJO-JÚNIOR¹, LÍLIAN PAGLARELLI BERGQ- logia geral e, principalmente, à presença/ausên-
indivíduos do bivalve Glycymeris longior, a partir do levantamento estatístico das características tafo-
VIST² cia de bioglifos (presente em C. ornatus e ausente
estudo de furos de predação (Oichnus simplex e O. nômicas. Foram observados atributos como cor,
¹Taphonomy and Stratigraphic Paleobiology Research em C. inornatus). No entanto, tal atribuição não é
paraboloides). Para tal, sete amostras padronizadas fragmentação, predação, incrustação, bioero-
Group, Departamento de Estratigrafia e Paleontologia, possível, visto que os espécimes apresentam evi-
(0.05 m3) foram coletadas aleatoriamente ao lon- Faculdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio são e traços de parasitismo, além de tamanho e
dências de corrosão superficial, que impede a vi-
go da faixa praial da região de La Paloma, depar- de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ; ²Laboratório de Macro- brilho. As conchas da base da pilha apresentam
sualização de eventuais bioglifos. Por este motivo,
tamento de Rocha, Uruguai. Em cada espécime fósseis, Departamento de Geologia, Instituto de Geo- melhor preservação em aspectos como brilho e
optou-se por atribuir os traços aqui observados
76 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 77

fragmentação, enquanto aquelas da porção mé- lucas.warren@unesp.br • sumatos.s@gmail.com Basin, and b- the long-distance provenance/trans- and bivalve-gastropod floatstones (Fbg) from
dia possuem incrustação mais frequente, bem filipe.varejao@hotmail.com • marizagomesrodrigues@gmail.com port of these resistates from the Araripe Basin, MU-1. The degree of packing varies from densely
mario.assine@unesp.br
como maior ação de agentes corrosivos, deixan- what would be incompatible with the Quaternary to loosely packed, and bioclasts (few bakevelliids,
do marcas como pits, crateras, buracos, frentes Resistates (residual sediments consisting prima- drainage system. Possible erosion of the Santana cassiopids, epitonids, and undetermined remains)
e baías de dissolução. As conchas do topo apre- rily of minerals chemically resistant to weathering Group succession in the southern Tucano Basin are poorly sorted and fragmented, displayed pa-
sentam marcas de raízes e posturas de insetos, processes) lying as lag gravel deposits or in stone also reinforces that the Lower Cretaceous marine rallel to the bedding. These are overlain by MU-2,
características ausentes no restante da pilha, lines of soil profiles in the Present-day landscape transgression recorded in the Araripe Basin proba- that comprehend coarsening upward successions
bem como pouco ou nenhum brilho preserva- seem unpromising as fossil sources. These relict bly came from the south. of ostracode mudstones (Mo), gastropod-bivalve
do. É necessário avaliar, ainda, as parcelas de sedimentary particles have long been neglected as wackstones (Wgb), bivalve-gastropod packstones

150, 200 e 250, mas é preciso investigar as cau- potential sources of key taphonomic and paleon- (Pbg) and gastropod-bivalve grainstones (Ggb).
sas da maior intensidade de corrosão nos níveis tological/geological data. Notably, fossil-bearing GENESIS OF MULTIPLE-EVENT SHELL Chaotically arranged, highly fragmented shells
centrais, bem como quais indicações ambientais resistates can be abundant in some regions given CONCENTRATIONS IN EPEIRIC SEAS: with occasional occurrence of J-shaped bioturba-
podem ser inferidas pela incrustação nos níveis the post-Cretaceous tectonic/climatic and geo- BAKEVELLIID-DOMINATED SHELL-BEDS tion characterize MU-2. Above, the MU-3 is ar-
basais. As camadas do topo da coluna apresentam morphologic evolution of the Brazilian territory OF THE ROMUALDO FORMATION, CRE- ranged from base to top by Wgb, Mo, and Ggb,
altíssima incidência de marcas de raízes e ovipo- and its denudational history tied to the elaboration TACEOUS, ARARIPE BASIN, BRAZIL displaying chaotically arranged and fragmented
sição, indicando que o pacote bioclástico como of distinct planation surfaces (e.g., South Ameri- bioclasts, namely highly fragmented undetermi-
MARIZA GOMES RODRIGUES¹,², FILIPE GIOVA-
um todo foi depositado continuamente, sem hia- can Planation Surface). In highly dissected reliefs ned bivalves and few poorly fragmented large-size
NINI VAREJÃO¹, SUZANA APARECIDA MATOS²,
tos rastreáveis. Trabalhando com a possibilidade where morphogenetic processes are significantly gastropods (cassiopids and undetermined ones).
FRANZ THEODOR FÜRSICH³, LUCAS VERÍSSIMO
desta coluna sedimentar ser consequência de um associated to the origin of plateaus, mesas and Towards the top, chaotically arranged and highly
WARREN¹, MARIO LUIS ASSINE¹, MARCELLO
evento deposicional único, com flutuação na taxa terraces, developed in distinct topographic levels, fragmented bioclasts constituting a Wgb characte-
GUIMARÃES SIMÕES¹,²
de sedimentação e na energia, onde alterna-se a fossil-rich resistates can offer extremely relevant rize MU-4. The MU-5 comprehend three micro-
1
Applied Geology Department, Geosciences and Exact
prevalência de gêneros de bivalves ou gastrópo- and surprising paleontological/geological infor- Science Institute, São Paulo State University, Rio Cla- facies, Pbg, Mo and Wgb, that are characterized by
des por conta da sua diferença em tamanho, é mation. In this contribution, we present data from ro, SP. 2Zoology Department, Bioscience Institute, São abundant terrigenous material, highly fragmented
factível que eventos ambientais distintos tenham Caldas do Jorro county, Bahia, Tucano Basin, Bra- Paulo State University, Botucatu, SP. 3GeoZentrum bivalve shells and bivalves with closed articulated
operado tafonomicamente sobre o depósito. Por zil, where fossil-bearing resistates have abundant Nordbayern, Friedrich-Alexander-Universität Erlan- valves, at the top. The uppermost concentration
outro lado, as condições ambientais no sistema gen-Nürnberg, Erlangen, Germany. (MU-6) is a 15-cm-thick succession of interbe-
bivalve/gastropod shells. Limestones (including
lacustre onde as conchas foram acumuladas pre- shell-beds) were the original source rocks of these marizagomesrodrigues@gmail.com • filipe.varejao@gmail.com dded bakevelliid rudstones (Rb) and bakevelliid
sumatos.s@gmail.com • franz.fuersich@fau.de
cisam ser estabelecidas, dada a alta produtividade fossil-bearing resistates. Pronounced silicification lucas.warren@unesp.br • assine@rc.unesp.br
floatstones (Fb). The MU-6 is dominated by pre-
biológica aparente que resultou em camadas ma- ensured their persistence in the surface landsca- profmgsimoes@gmail.com dominantly disarticulated, non-fragmented bake-
ciças de conchas com biofábrica clasto-suportada pe or in the weathering profile. In the study area, velliid shells, oriented parallel to bedding, and
(protocoquina). fossil-bearing resistates can be found/tracked for Shell-rich concentrations are complex deposits at the very top by closed articulated bakevelliids
tens of kilometers. Despite their long history and yielding key paleoecological and paleoenviron- preserved in growth position. The in situ shells are

rock resistance to desegregation and erosion cau- ment data. Herein we describe a 0.9-m-thick bake- abruptly covered by black shales and sandstones
FOSSIL-BEARING RESISTATES: A NEGLEC- sed by Earth’s surface processes, in some cases velliid-bearing shell concentration in the upper with hummocky cross-stratification, indicating
TED SOURCE OF KEY TAPHONOMIC, PA- well-preserved fossils can be extracted from these Romualdo Formation, eastern Araripe Basin (So- that living bakevelliids were abruptly buried by
LEONTOLOGICAL AND PALEOGEOGRA- relict materials. Notably, in the studied example, bradinho geological section). The concentrations probably storm-induced event deposits. [FAPESP
PHIC DATA the detailed examination of taphonomic style and internal complexity is expressed by: (1) six single, 16/13214-7, 17/20803-1, 18/01750-7; CNPq
the precise identification of the remaining fossils cm-scale shell-rich units bounded by discontinuity 401039/2014-5, 300107/2015-3, 152385/2016-
MARCELLO GUIMARÃES SIMÕES1, BERNARDO
indicates no direct correlation with any known li- surfaces; (2) mixture of shells with distinct tapho- 9, 304800/2017-1; Petrobras 2014/00519-9]
TAVARES FREITAS2, LUCAS VERISSIMO WARREN3,
thostratigraphic unit cropping out in the region. nomic signatures/pathways; and (3) mixture of
SUZANA APARECIDA MATOS1, FILIPE GIOVANINI 
Hence, an immediate question arises: from which mollusk species from different sub-environments.
VAREJÃO3, MARIZA GOMES RODRIGUES3, MA-
sedimentary succession such fossils come from? Based on sedimentologic/petrographic, tapho- SHELL-RICH PEBBLY RESISTATES: RE-
RIO LUIS ASSINE3
Undoubtably, the identified bivalves/gastropods, nomic and paleoecologic attributes, at least six COGNIZING THE FOSSILS AND INTER-
1
Instituto de Biociências, Universidade Estadual Pau-
lista, Botucatu, SP. 2Faculdade de Tecnologia, Universi- and the taphonomic style of the former shell beds microstratigraphic units (MUs) were recognized, PRETING THE SOURCE ROCKS
dade Estadual de Campinas, Limeira, SP. 3Instituto de are similar to the Lower Cretaceous of the Santa- each one separated by thin layers of silty shale with
Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual irregular boundaries. Development of the bake- MARCELLO GUIMARÃES SIMÕES1, ARIOVALDO
na Group of the Araripe Basin. Two possible ex-
Paulista, Rio Claro, SP. velliid-bearing shell concentration started with ANTONIO GIARETTA2, SUZANA APARECIDA MA-
planations are considered: a- complete erosion of
profmgsimoes@gmail.com • bernardotf@ft.unicamp.br interbedded bivalve-gastropod rudstones (Rbg) TOS1, MARIO LUIS ASSINE3
correlatable source rocks deposited in the Tucano
78 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 79

1
Instituto de Biociências, UNESP, campus de Botucatu, the Marilia Formation, but the presence of shell- depth (shallow vs. outer shelf). Contrariwise, tebrates and whitish concretions. These fossils
Botucatu, SP. 2Instituto de Ciências Exatas e Naturais -rich pebbles clearly indicates previous erosion of counts of individually dated shells (grouped into are housed in the paleontological collection of
do Pontal, Ituiutaba, MG. 3Instituto de Geociências e
silicified Permian source rocks and long-distance 500-year bins) reveal the contradictory pattern; the Museu de Zoologia João Moojen (MZ) from
Ciências Exatas, Rio Claro, SP.
transport of fossil-bearing clasts. Considering this outer shelf sites exhibit high age dispersion, whe- Universidade Federal de Viçosa (UFV). Their
profmgsimoes@gmail.com • aagiaretta@gmail.com
sumatos.s@gmail.com • mario.assine@unesp.br case study, we emphasize that geologists and pa- reas shallow sites display a restricted interquartile preservation allows us to make some comments
leontologists should pay attention to resistates, range of ages (IQRshallow = 1.8 kyrs; IQRouter shelf = on the taphonomy and depositional environment
Resistates (= residual sediments consisting chie- because relatively small samples found in gullies, 4.2 kyrs). The results show that taphonomic va- of this new outcrop. We divided the fossils into
fly of minerals chemically resistant to weathering stream banks, and weathering profiles may yield riation is not a direct signal of the magnitude of two taphonomical classes. Class 1- usually small
processes; resistatos in Portuguese) can hold incre- significant fossils of key importance to regional time-averaging. Nevertheless, these results are and fragmented specimens, lacking rounded
dibly amounts of geological and paleontological paleogeographic reconstructions. influenced by depth (stratigraphic context) and edges, commonly with acute breakages and the
data. Fossil-rich resistates can be found in deeply  by intrinsic proprieties of the shells, for example, external surface well-preserved, without sig-
eroded regions considered of low potential for microstructure. These findings highlight that pi- ns of wear. We interpreted this as low energy
paleontological prospection given the nature and ARE PALEONTOLOGISTS JUDGING BY cking-up fossils by “appearance” (preservation sta- transport of dismembered carcasses and/or iso-
origin of the local geological formations. In this APPEARANCE? PRESERVATION STATE te) to analytical analyses (e.g., dating, isotopes and lated bones, explaining the absence of transport
study, based on fossil-rich resistates from the Tri- ARE NOT CORRELATED WITH FOSSIL-A- so on), may introduce bias on results and, con- marks, probably deposited in overbank fines or
ângulo Mineiro region, Minas Gerais State, Brazil, GE IN MARINE ENVIRONMENTS sequently, lead to incorrect conclusions. That is floodplains being subjected to trampling, explai-
we show that these relict particles can offer signi- MATIAS DO NASCIMENTO RITTER1, FERNANDO primarily advised for Quaternary studies based on ning the acute breaks. The well-preserved surfa-
ficant paleontological/stratigraphic information. ERTHAL2 shells (or fossils in a general way), especially tho- ce could result from: 1) the materials were not
The resistates were discovery by one of us (AAG) 1
Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Mari- se without taphonomy baselines, or those in deep exposed to the atmosphere; or 2) were exposed
in distinct sites of the Ituiutaba (Morro do Corpo nhos, Campus Litoral Norte, Universidade Federal do time that assume that variation in the degree of to the atmosphere, however, the high humidity
Seco, Morro Três Cruzes, Renascer rural settle- Rio Grande do Sul, Imbé, RS. 2Departamento de Pale- preservation is a direct consequence of the mag- and the vegetal cover (preventing direct sun-
ment) and Monte Alegre de Minas (Vale do Babi- ontologia e Estratigrafia, Instituto de Geociências, Uni- nitude of time-averaging or temporal mixing of light influence) protected them from desicca-
versidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre,
lonia) counties. Locally, the landscape is marked shelly assemblages. [CAPES-IODP 091727/2014; tion. Thirty-four specimens show these features:
RS.
by small plateaus and mesas sculpted on Creta- CNPq 422766/2018-6] MZUFV-P 0004-0008; 0010-0016; 0037-0039;
matias.ritter@ufrgs.br • fernando.erthal@ufrgs.br
ceous sandstones/conglomerates (Bauru Group) and, 00042-0061. Class 2- specimens with de-

in the Tijuco river watershed. The resistates are Previous studies point out that old shells are not formations on the external surface, being usually
composed of highly silicified shell-rich pebbles necessarily old-age shells, despite the huge bunch TAPHONOMIC CHARACTERIZATION OF broken in acute angles. We interpret that those
found in lag gravel deposits (= cascalheiras) and of age-dated shells available today, but this ques- FOSSIL VERTEBRATES FROM AN OUT- fossils suffered similar pre-diagenetic process as
in stone lines in soil profiles. Over a hundred of tion appears to be sometimes unsolved or partially CROP OF THE SOLIMÕES FORMATION described by class 1. However, during the early
fossil-bearing resistates were collected, and detai- misregarded by geoscientists, particularly to those (LOWER EOCENE-PLIOCENE), ACRE STA- fossildiagenesis those materials were more su-
led laboratory work have revealed the presence of dealing with the Quaternary fossils. In order to TE, BRAZIL perficially deposited enabling the calcite recrys-
well-preserved bivalves. Hence, individual shells clarify this noteworthy question, we accessed a tallization and displacement of the superficial
LUCY G. DE SOUZA1*, MAURO B. S. LACERDA2
were numbered, photographed, stored, and stu- large dataset of individually dated shells with their bone tissue. This interpretation is based on the
1
Departamento de Geologia e Paleontologia, Univer-
died, and small polish slabs revealed the original corresponding taphonomic scores. All shells were sidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ; presence of expanded clays. Ten specimens show
biofabric of the shell beds. At least two groups of collected on Southern Brazilian shelf (SBS). A to- 2
Programa de Pós-Graduação em Zoologia, Departa- these characteristics: MZUFV-P 0009; 0044;
Permian bivalves were precisely identified: Guira- tal of 126 shells, belonging to genus Nuculana (86) mento de Zoologia, Instituto de Ciências Biológicas, and, 0062-0069. The taphonomic hypotheses for
tingia mendesi and Runnegariella fragilis. Therefore, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, two classes are predicted from a high sinuosity
and Mactra (60) were accessed. The Mactra shells
MG. fluvial meandering paleoenvironment interpre-
the resistates are sedimentary particles made of are from shallow waters (seven up to 21 m) while
silicified Permian limestones (shell-beds) of the souzalucyg@gmail.com • mauro.lacerda.bio@gmail.com tation of the Solimões Formation. However, this
Nuculana samples are gathered from outer shelf
Tatuí and Teresina formations, in which the ori- waters (100 up to 242 m). Shallow sites show a taphonomical scenario cannot be generalized as
The Solimões Formation (Lower Eocene-Plio-
ginal stratigraphic position of those species is pre- more heterogeneous (i.e. high dispersion) ensem- parameter for the remaining localities. Further-
cene) presents a worldwide-known biodiverse
cisely well-constrained. Both formations are not ble of damage properties, whereas outer shelf si- more, complete taphonomical studies, including
fossil record. A new locality in the highway BR
mapped in the study area, where Cretaceous sili- tes present less variation in taphonomic variables, biotic and lithological data from different out-
364, Sena Madureira municipality (9º02’43,20”S
ciclastic rocks of the Bauru Group and underlying using interquartile range of taphonomic standar- crops are still needed to better understand the
68º46’18,12”W), Acre State, provided forty-
basalts of the Serra Geral Formation are cropping dize scores (IQRTAPHO_shallow = 0.21, IQRTAPHO_outer sedimentation and the fossil diagenesis process of
three specimens. These rocks are attributed to
out. Probably, the residual sediments covering the = 0.13). This pattern is also clearly observed the Solimões Formation fossils. [*, CAPES]
shelf the top of the formation, being a level of expan-
plateaus and mesas were locally originated from in individually dated specimens when considering sive clays with the presence of several fossil ver- 
weathering of conglomerates and sandstones of the counts in total taphonomic grades binned by
80 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia I Simpósio Brasileiro de Tafonomia 81

IDENTIFICATION OF BIOGENICITY BY of replicated anatomical features in the internal complexo, com três hospedeiros, infestando os Diversos fósseis associados a saurópodes já foram
ANALYTICAL GEOCHEMICAL TECHNI- side of the iron oxides and hydroxides (ferrihy- moluscos em apenas um estágio. Apesar de serem coletados na Formação São José do Rio Preto
QUES IN EXCEPTIONALLY PRESERVED drite) coats, support its possible biogenicity. Bac- vermes parasitas de corpo mole, esses tremató- (SJRP), porém, em grande parte desarticulados
PLANT FOSSILS FROM THE MESOZOIC terial exudates, such as extracellular polymeric deos induzem a formação de marcas ovaladas em e retrabalhados. A formação SJRP é associada ao
OF BRAZIL substances (EPS), twisted stalks and sheaths, was seus hospedeiros ao alterar a biomineralização Cretáceo Superior (Santoniano) e não apresenta
also found and possibly result from the activity das conchas, no caso dos moluscos, o que repre- sinais de retrabalhamento. Ela foi encontrada pra-
ALISSON KLAYTON MARTINS1; MARTA LETICIA
of microaerophilic and freshwater neutrophilic senta uma possibilidade única de estudar essas ticamente inteira, sem quebras retilíneas (com ân-
HERENIO KERKHOFF1, KARLOS GUILHERME
organisms. Besides, the applying of geochemical interações. Este trabalho tem como objetivo es- gulos retos),o que ocorre com frequência nestes
DIEMER KOCHHANN1, TÂNIA LINDNER DUTRA1,
techniques could help in the establishment of the timar a prevalência de traços provocados por tre- depósitos. A escápula apresentada neste estudo foi
MÍRIAN LIZA ALVES FORANCELLI PACHECO2
key stages involved in the fossil diagenesis of those matódeos Digeneanos em conchas de moluscos fragmentada quando foi revelada por maquinário
1
Programa de Pós-graduação em Geologia, Universida- plant fossils, and ensures to observe the authigenic bivalves marinhos. Foram coletadas 11 amostras durante obras na dodovia BR-456. Porém, apenas
de do Vale do Rio dos Sinos, São Leopoldo, RS. 2Pro-
preservation of this exceptional taphonomic bio- padronizadas de 0.05 m³ de material sedimentar uma pequena parte foi perdida pela fragmentação.
grama de Pós-graduação em Biologia, Universidade
Federal de São Carlos, Sorocaba, SP. signature. e conchas de moluscos, ao longo de 53 km en- O nível estratigráfico apresenta um acamamento
tre as cidades de Tramandaí e Palmares do Sul, cimentado por carbonato de cálcio, que selou e
alissonkmartins@gmail.com • tatabox.kk@gmail.com 
litoral norte do RS, Brasil, simulando ambientes protegeu o fóssil após o sepultamento. A escápula
kkochhann@unisinos.br • dutratl@gmail.com
forancelli.ufscar@gmail.com OCORRÊNCIA DE TRAÇOS INDUZIDOS marinhos predominantemente progradacionais foi coletada com o seu lado côncavo para baixo,
POR TREMATÓDEOS EM BIVALVES MA- no registro fóssil. Ao total 388 conchas foram apresentando típica movimentação de arrasto flu-
Among the fossil plants preserved in the Triassic RINHOS REVELAM UMA INTERAÇÃO coletadas e 11 espécies de bivalves foram identi- vial, como acontece com conchas bivalves (com
and Jurassic levels of the central region of Rio PARASITISMO-HOSPEDEIRO COM IM- ficadas até o momento. O gênero Donax apresen- formato semelhante). A escápula foi desarticula-
Grande do Sul (Brazil), it is common the presence PLICAÇÕES AO REGISTRO FÓSSIL tou a maior frequência relativa (83,25%), e foi a da do restante do esqueleto, sofreu transporte,
of branches and leaves covered by millimetrically OCCURRENCE OF INDUCED TREMATODA TRACES ON única espécie a apresentar traços associados aos algum intemperismo físico e finalmente foi de-
dark crusts, attributed to the deposition of iron MARINE BIVALVES REVELS A PARASITE-HOST INTERAC- trematódeos. A prevalência dos traços associa- positada por rios entrelaçados. Durante a diagê-
oxides hydroxides. Internally, the crusts exhibit TIONWITH IMPLICATIONS TO THE FOSSIL RECORD dos ao parasitismo foi de 3,78 %, resultado em nese do fóssil, a pressão sobre material resultou
replicate anatomical features of leaves, such as consonância com estudos prévios e que reforçam em fissuras preenchidas por sedimentos finos/
VALENTINA SANTOS¹, FELIPE CARON¹, FER-
epidermal cells and stomata, rarer in other pre- uma seletividade taxonômica desses organismos. carbonáticos e no achatamento da mesma. Mesmo
NANDO ERTHAL², MATIAS DO NASCIMENTO
servation types. Two distinct compositional as- Embora seja o primeiro registro desses traços danificada, foi possível a recuperação do material
RITTER¹
semblages were identified, sharing a genesis under no sul do Brasil e os dados apresentados sejam para análise. Após o preparo no laboratório, a es-
¹Centro de Estudos Costeiros, Limnológicos e Mari-
similar taphonomic constraints. The first repre- nhos, campus Litoral Norte, Universidade Federal do preliminares, eles reforçam a necessidade de que cápula apresentou 71 centímetros de comprimen-
sents an older Dicroidium flora (Ladinian-Carnian), Rio Grande do Sul, Imbé, RS. ²Departamento de Pale- mais estudos dediquem atenção a essas intera- to, com mais de 90% de sua estrutura preservada.
meanwhile the second, of an end of Triassic or ba- ontologia e Estratigrafia, Instituto de Geociências, Uni- ções, pois estudos prévios demonstraram uma É possível fazer alguma analogia para calcular o
sal Jurassic age, is characterized by conifers and versidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, associação positiva entre uma maior prevalência tamanho aproximado deste espécime. A partir de
bennettites. However, both shares the same depo- RS. de parasitismo a momentos de variação relativa comparações, foi possível chegar à conclusão que
sitional context, represented by lacustrine lamina- valensantoss@gmail.com • felipe.caron@ufrgs.br do nível do mar. [PROPESQ/UFRGS; CNPq este espécime teria entre 10 e 12 metros de com-
fernando.erthal@ufrgs.br • matias.ritter@ufrgs.br
ted mudstones inserted in thick sandstones depo- 422766/2018-6] primento.
sits of high sinuosity river channels. The analysis of A quantificação de traços associados ao parasitis-
 
the material shows a preferential covering of the mo em remanescentes fósseis ainda é incomum,
more coriaceous or woody structures. The focus apesar de representar um dos tipos mais impor- ANÁLISE PRELIMINAR DE UMA ESCÁPU-
of this study was to evaluate the chemical nature tantes de interação ecológica na biosfera. Muito LA DE Saurópode proveniente DE MONTE
of the associated crusts and inform about the first embora a preservação dessa interação no registro APRAZÍVEL-SP (GRUPO BAURU, CRETÁ-
results obtained by the applying of distinct tools: fóssil seja rara, os parasitas provavelmente pos- CEO SUPERIOR)
scanning electron microscopy (SEM), dispersive suem maior abundância e diversidade compara- PRELIMINARY ANALYSIS OF A SAUROPOD SCAPULA
energy spectrometry (EDS), Raman and Möss- dos aos predadores, uma vez que a maioria dos FROM MONTE APRAZÍVEL-SP (BAURU GROUP, UPPER
bauer spectrometry, X-ray diffractometry (DRx), animais é hospedeira de pelo menos uma espécie CRETACEOUS)
and x-ray fluorescence (FRX). The intention is de parasita endêmico. O parasitismo está pre- VITOR BASSI MAZZONI
seeking by its genesis and possible relation with sente em todos os lugares da biosfera, mas ainda
Rede Estadual de Ensino de São José do
microbial induced activity. The results attested the pouco se sabe sobre sua expressividade no re- Rio Preto e Universidade Metropolitana de Santos, SP.
presence of a-goethite and clay minerals from the gistro fóssil. Os parasitas trematódeos (Digene- vitorbassimazzoni@hotmail.com
smectite group. In the MEV images, the presence anos) geralmente apresentam um ciclo de vida
82 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 83

III Simpósio sobre


Evolução de
Crocodyliformes
84 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 85

VARIAÇÕES MORFOLÓGICAS DOS Cai- critério topotípico, desencoraja a assinalar as di- O Grupo Bauru apresenta um registro fóssilífero CAPES, 88887.336584/2019-00; AEPP: CNPq,
man FÓSSEIS DA GRUTA IOIÔ (PLEISTO- ferenças reconhecidas à natureza taxonômica dis- prolifico para vertebrados do Cretáceo Superior, 434690/2018-0]
CENO, BAHIA) / MORPHOLOGICAL VARIATIONS tintas, e assumimos que os quatro indivíduos per- com destaque para uma grande paleodiversida-

IN THE FOSSIL Caiman OF THE CAVE GRUTA IOIÔ tencem à mesma espécie. Em relação a ontogenia, de de crocodilianos. Reportamos aqui fósseis de
(PLEISTOCENO, BAHIA) a fenestra supratemporal tende a diminuir durante mesoeucrocodiliformes coletados em recentes NOVOS ELEMENTOS DE CROCODYLO-
a ontogenia, enquanto as cristas rostrais tendem a trabalhos de campo no ano de 2019 para o Oes- MORPHA DA FORMAÇÃO ALIANÇA,
ALICE BARRA FREIRE, FELIPE CHINAGLIA MON-
se tornarem mais pronunciadas nos táxons viven- te do estado de São Paulo, onde afloram rochas JURÁSSICO SUPERIOR DA BACIA DO
TEFELTRO
tes de Caimaninae. As dimensões do teto craniano da Formação Presidente Prudente (Campaniano- JATOBÁ, PERNAMBUCO, BRASIL / NEW
Laboratório de Paleontologia e Evolução de Ilha Soltei-
ra, Departamento de Biologia e Zootecnia, Universida-
dos espécimes da Gruta Ioiô são muito similares, -Maastrichtiano). Dentre os espécimes, PGFFP CROCODYLOMORPHA ELEMENTS OF THE ALIANÇA
de Estadual Paulista, Ilha Solteira, SP. entretanto os espécimes com cristas rostrais mais 93-R compreende remanescente de mandíbula, FORMATION, UPPER JURASSIC OF THE JATOBÁ BASIN,
alicebf13@hotmail.com • felipecmontefeltro@gmail.com pronunciadas são os com as maiores fenestras su- que preserva a maior parte da sínfise mandibular PERNAMBUCO, BRAZIL
pratemporais, sugerindo que as variações não são (formada por esplenial e dentário) e alvéolos (sem
ANNY RAFAELA DE ARAÚJO CARVALHO1, GUS-
A quantidade e diversidade dos fósseis de Cai- ontogenéticas. Variações morfológicas em espé- dentes preservados), e UFRJ DG 687-R, um ros-
TAVO RIBEIRO DE OLIVEIRA2, ALCINA MAGNO-
maninae é baixa nos depósitos Pleistocénicos da cimes selvagens e cativos de Crocodylia viventes tro contendo restos dos prémaxilares, maxilares,
LIA FRANCA BARRETO1
América do Sul, sendo os quatro espécimes de mostram que espécimes com diferentes histórias nasais, palatinos, e sete dentes preservados. Como
Caiman da Gruta Ioiô (LPRP/USP0704, LPRP/ ecofenotípicas apresentam diferentes morfologias resultados iniciais, podemos atribuir ambos os es-
1
Laboratório de Paleontologia, Universidade Federal de
Pernambuco, Recife, PE. 2Laboratório de Paleontologia
USP0705, LPRP/USP0706 e LPRP/USP0707) o das estruturas variáveis nos fósseis da Gruta Ioiô. pécimes como pertencentes à família Itasuchidae, e Sistemática, Departamento de Biologia, Universidade
registro mais completo do grupo para este perío- Logo as diferenças morfológicas entre os espéci- um clado recentemente redefinido e incluso em Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE.
do. Os Indivíduos apresentam semelhanças entre mes são sugeridas como resultados de variações Sebecia, a qual abriga táxons longirrostrinos e de
annyr.2010@gmail.com • alcina@ufpe.br
si, contudo foram reconhecidas diferenças mor- ecofenotípicas.[PIBIC/PIBIT-CNPq 04/2018] hábitos semiaquáticos continentais (e.g., Caririsu- gustavo.roliveira@ufrpe.br • annyr.2010@gmail.com
fológicas, nas fenestras supratemporais, cristas chus camposi, Itasuchus jesuinoi, Pepesuchus deiseae e

rostrais, coanas e nas tuberas e cristas do basioc- Roxochampsa paulistanus). Dentre as características Atualmente mais de 50 espécies de Crocodylo-
cipital. Estas diferenças fomentam a investigação NOVOS MATERIAIS CRANIANOS E MAN- compartilhadas entre UFRJ DG 687-R e os de- morpha são conhecidas no Brasil, com distribui-
sobre a origem destas variações, se taxonômicas, DIBULARES DE ITASSUQUÍDEOS (ITASU- mais itassuquídeos estão: dentes cônicos e de se- ção temporal desde o Triássico até os dias atuais.
ontogenéticas ou ecofenotípicas. As cristas basioc- CHIDAE, MESOEUCROCODYLIA) PARA O ção circular, carenas portando crenulações (den- No entanto, registros desse grupo no Jurássico do
cipitais, são mais robustas nos LPRP/USP0707 CRETÁCEO SUPERIOR DO OESTE DE SÃO ticão pseudozifodonte) e estriações longitudinais Brasil são escassos, sendo muitas vezes considera-
e LPRP/USP0704, e menos robustas LPRP/ PAULO / NEW CRANIAL AND MANDIBULAR MATE- (regulares em Pepesuchus e irregulares nas demais dos inconclusivos. No presente trabalho, são des-
USP0706, enquanto no LPRP/USP0705 as cristas RIALS OF ITASUCHIDS (ITASUCHIDAE, MESOEUCRO- espécies conhecidas do grupo) e bem marcadas, critos novos materiais de Crocodylomorpha, cole-
são mais desenvolvidas dorso-ventralmente. A tu- CODYLIA) FROM WESTERN SÃO PAULO STATE, UPPER que partem da base e convergem para o ápice. tados em Macambira, Ibimirim, Pernambuco, NE
berosidade basioccipital é mais robusta em LPRP/ CRETACEOUS Além disso, UFRJ DG 687-R apresenta uma es- do Brasil, onde aflora a Formação Aliança, Jurássi-
USP0704 e menos expressivas nos demais indiví- treita fossa diastemática, nasais que não contactam co Superior da Bacia do Jatobá. Foram estudados
RAFAELLE O. A. MADEIRA1, GABRIEL S. C. CALA-
duos. Em relação a coana, sua margem posterior dorsalmente a abertura narial externa, palatinos quatro dentes isolados, um osso frontal, centros de
BROT1, KAMILA L. N. BANDEIRA2, PAULO VICTOR
tem forma de “U” no LPRP/USP0706, em forma grandes e formando a maior parte do palato. A vértebras e osteodermos. Com base nas evidências
L. G. C PEREIRA3, ARTHUR S. BRUM2, FABIANA R.
de “M”, e mais restrita anteroposteiormente no partir das semelhanças dentárias entre os espéci- morfológicas analisadas e descritas, principalmen-
NUNES4, ANDRÉ E. P. PINHEIRO1
LPRP/USP0704, dado que o septo coanal neste mes de Itasuchus jesuinoi (DGM 434-R e MUGEO te dos dentes, o material de Crocodylomorpha,
1
Laboratório de Paleontologia, Faculdade de Formação
espécime alcança a superfície externa da coana, A de Professores, Universidade do Estado do Rio de Ja- 218-V) e deUFRJ DG 687-R, podemos atribuir da Formação Aliança apresenta características in-
fenestra supratemporal e as cristas rostrais variam neiro, Rio de Janeiro, RJ. 2Laboratório de Sistemática que o rostro recém coletado pertença a Itasuchus termediárias entre as famílias Goniopholididae,
morfologicamente e em tamanho nos quatro es- e Tafonomia de Vertebrados Fósseis, Museu Nacional, jesuinoi cf. Quanto à mandíbula (PGFFP 93-R), como cristas bem definidas e conspícuas de orna-
pécimes. LPRP/USP0704 possui a maior fenestra Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, apesar de sua anatomia se assemelhar tanto à Ita- mentação não anastomosada, e Teleosauridae, por
supratemporal e cristas rostrais robustas; LPRP/ RJ. 3Laboratório de Macrofósseis, Instituto de Geoci- suchus, Pepesuchus e Roxochampsa, a parcialidade do
ências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de
apresentar ausência de faceta apicobasal aparente
USP0707 apresenta a menor fenestra supratem- Janeiro, RJ. 4Laboratório de Paleontologia de Vertebra- material e a ausência de dentes preservados im- nas faces labial e lingual, ausência de cúspides
poral com forma irregular, e cristas rostrais menos dos e Comportamento Animal, Universidade Federal possibilitam uma identificação mais precisa. Os acessórias, de dentículos e de carenas. As vérte-
robustas; enquanto os indivíduos LPRP/USP0705 do ABC, São Bernardo do Campo, SP. achados aqui reportados compreendem a primeira bras são anficélicas, padrão primitivo em Croco-
e LPRP/USP0706 possuem fenestras supratem- rafaellerafaml1@gmail.com • calabrot12@gmail.com sínfise mandibular preservada e sem deformações dyliformes. Além disso, o conjunto de caracte-
porais de tamanhos intermediários e alongadas kamilabandeira@yahoo.com.br para o grupo, e o primeiro rostro preservado e rísticas apresentado nos osteodermos, como face
anteroposteriormente. Já as cristas rostrais em paulovictor29@yahoo.com.br • arthursbc@yahoo.com.br atribuído à Itasuchus, contribuindo com o co- dorsal ornamentada com depressões profundas
fabiana.costa@ufabc.edu.br • paleolones@yahoo.com.br
LPRP/USP0705 são pronunciadas enquanto as nhecimento atual sobre os mesoeucrocodilianos de formato circular ou ovalado, face ventral sem
do LPRP/USP0706 são pouco pronunciadas. O itassuquídeos e os grupos fósseis da região. [ASB: ranhuras, presença de forâmens em algumas das
86 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 87

placas e, quando preservada, extremidades leve- até o ápice dos dentes, sendo possível observa-las cognized throughout its skeleton, most related sed disregard the faunal turnover and fossil record
mente arredondadas, assemelha-se ao espécime de por toda coroa, porém são mais acentuadas na to a parasagittal gait and fully terrestrial habits heterogeneity between Adamantina and Marilia
Mesoeucrocodylia da Bacia de Lima Campos, Cea- porção lingual. Morfótipo 2: Este morfótipo pos- that enables the larger species as top predators. formations, just suppose specific environmental
rá, Brasil. As medições realizadas nos osteodermos sui nove exemplares e apresenta uma forma côni- It includes compressed and serrated teeth with condition to each taxon (lowland X highland) or
que se encontram inteiros revelam que era uma ca, mas não tão delgada quanto o morfótipo 1. Seu pseudoampulla (like the ampulla in theropod te- generalizing a behavioural bias to preservation, vi-
espécie de pequeno porte, ou um organismo ju- ápice possui uma curvatura em sentido lingual. A eth), rostrum with high profile, binocular orbits, sions that remain as narratives only. [*FAPEMIG;
venil. Os fósseis da Formação Aliança são pouco característica que agrupa esse morfótipo é a pre- appendicular muscle insertions increasing protrac- **
CNPq, ***SESu/MEC]
estudados, e às vezes, até mesmo ignorados, devi- sença de estrias marcantes em sentido base-apicais tor vector and reducing adduction/abduction and
do a sua preservação geralmente fragmentada. No que ocorrem desde sua base até a metade da altura torsional moment, among other.The hypothesis of 
entanto, o presente trabalho revela o elevado, e da coroa, porém essa característica é muito mais competition between theropods and Baurusuchi-
TEMPO DE ABSORÇÃO DE VITELO EM
ainda pouco explorado, potencial paleontológico presente na porção lingual, sendo quase imper- dae gained more support over time, when more
Caiman crocodilus crocodilus (LINNAEUS,
da unidade. ceptível na porção labial. É possível observar uma and most complete specimens were studied. He-
1758) APÓS A ECLOSÃO / TIME OFYOLK ABSORP-
seção transversal elíptica, mas mais arredondada retofore occurring only at Santonian-Campanian
 TION IN Caiman crocodilus crocodilus (LINNAEUS,
se comparada com o morfótipo 1. Morfótipo 3: O deposits of the Neuquén and Bauru basins, the
1758) AFTER HATCH
MORFÓTIPOS DE DENTES DE CROCODI- presente morfótipo representa dois exemplares e following pattern is noteworthy: the scarcer and
LIFORMES DO SÍTIO PALEONTOLÓGICO possui serrilha bem desenvolvida tanto na carena smallest baurusuchids (skull length until 150 mm) JÉSSICA SANTOS QUEIROZ, ANDRÉ LUIZ QUA-
DE PEIRÓPOLIS (CRETÁCEO SUPERIOR, distal quanto na mesial. Apresentam uma simetria occurs where several small to medium theropods GLIATTO SANTOS
GRUPO BAURU), UBERABA (MG) nas porções mesiais e distais, adotando um for- are known: the Bajo de la Carpa Formation, with Faculdade de Medicina Veterinária, Laboratório de En-
CROCODYLIFORM TEETH MORPHOTYPES FROM THE mato lanceolado. Morfótipo 4: Representa um the tiny Wargosuchus and Cynodontosuchus and a sino e Pesquisa em Animais Silvestres, Universidade Fe-
PALEONTOLOGICAL SITE OF PEIRÓPOLIS (LATE CRETA- exemplar que apresenta uma coroa baixa, ausência medium-sized unnamed baurusuchids, all repre- deral de Uberlândia, Uberlândia, MG.
CEOUS, BAURU GROUP), UBERABA (MG) de serrilha, simetria nas porções mesial e distal e sented by fragmentary remains contemporary of jesk.queiroz@hotmail.com • quagliatto.andre@gmail.com
formato molariforme. Morfótipo 5: Constituído Tratayenia, Achillesaurus, Alvarezsaurus, Velocisaurus O vitelo é a principal fonte de nutrientes em Caiman
BRUNO DE TOLVO BORSONI1,2, VINICIUS CORA-
por um único dente, esse morfótipo apresenta and carnotaurine abelisaurs among non-avian the- crocodilus crocodilus recém eclodidos, de modo que, em
DELLO LOURENÇO1,2, DAVID ALVES PEREIRA1,2,
formato cônico, presença de serrilha, curvatura ropods. Instead, after almost a century of prospec- um período que varia de espécie para espécie, não ne-
MARIA CLARA SILVA BORGES1,2, THIAGO DA SIL-
em sentido lingual e distal, levemente achatado tion, no more than some isolated theropod teeth cessita fornecer a esses animais alimentação externa.
VA MARINHO1,2
labiolingualmente e em seção transversal possui and putative fragmentary bones were found in Assim, os dados gerados a partir da análise da duração
1
Centro de Pesquisas Paleontológicas L. I. Price, Com-
plexo Cultural e Científico Peirópolis, Pró-Reitoria de formato elíptico. Morfótipo 6: Também represen- the Adamantina Formation, where a far more di- do vitelo nesses indivíduos são importantes para futuras
Extensão Universitária, Uberaba, MG. 2Departamento ta um único exemplar, esse morfótipo apresenta verse baurusuchid record is known: Gondwanasu- ações conservacionistas ou para utilização em criadou-
de Ciências Biológicas, Instituto de Ciências Exatas, Na- formato cônico, simétrico em seção mesiodistal, chus, Campinasuchus, Pissarrachampsa, Aspletosuchus, ros comerciais. Para tanto, incubou-se artificialmente
turais e Educação, Universidade Federal do Triângulo suas carenas são voltadas para a região lingual e re- Baurusuchus pachecoi, B. albertoi, B. salgadoensis and
Mineiro, Uberaba, MG. 42 ovos de Caiman crocodilus crocodilus gerados por re-
presenta um dente pré-maxilar. De acordo com as Stratiotosuchus, represented by dozens of speci- produção natural de jacarés tinga no Laboratório de En-
bruno.borsoni@outlook.com • coradello-r2@hotmail.com descrições foi possível atribuir os morfótipos 1 e 2 mens well preserved, and some surpassing 200 kg
david.alvesp23@gmail.com • mariaclarasborges2@gmail.com sino e Pesquisa em Animais Silvestres da Universidade
thiago.marinho@uftm.edu.br
a Itasuchus, e os 3,5 e 6 á Peirosauridae. O morfó- in body mass (skull and femoral length between Federal de Uberlândia. Os ovos foram acondicionados
tipo 4 pode pertencer a Labidiosuchus ou a um ou- 300 and 500 mm), pointing to a larger biomass in com vermiculita em bandejas e mantidos em incubado-
A cidade de Uberaba (MG) possui um vasto re- tro táxon ainda não descrito. [CNPq, FAPEMIG] that biocenosis available to be fossilized. Extinct ra elétrica regulada com temperatura entre 28ºC e 30ºC
gistro fossilífero do Período Cretáceo Superior, along the Campanian, no Baurusuchidae occur in
 e umidade relativa do ar entre 61% e 85%. Além disso,
incluindo icnofósseis e restos de invertebrados e the overlaying Marília Formation (Maastrichtian), foram umidificados com pulverizador de água quando
vertebrados. Dentre estes últimos, dentes de Cro- BAURUSUCHID CROCODYLIFORMS where theropods become more common, inclu- necessário. Após cerca de 95 dias, ocorreu a eclosão dos
codyliformes são encontrados com certa frequên- BEYOND THE THEROPOD MIMICRY ding abelisaurid and maniraptoran. The diversity ovos e a data de eclosão foi considerada como dia 0.
cia. Baseado nesses achados foi possível agrupar of Peirosauridae crocodyliforms, titanosaur sau- Nos dias 0, 9, 19 e 29, um indivíduo foi eutanasiado
FELIPE O. C. SILVA*, RODOLFO O. SANTOS**,
vinte exemplares de dentes de Crocodyliformes ropods, besides Ostracoda and Bivalvia, did not conforme previsto na resolução do Conselho Federal de
THIAGO LIMA, DOUGLAS RIFF***
em seis morfótipos principais, sendo eles, Mor- change significantly from Adamantina to Marilia Medicina Veterinária número 1000/2012 e conservado
Laboratório de Paleontologia, Instituto de Biologia,
fótipo 1: Contendo seis exemplares os dentes Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, MG. times. Therefore, we consider that the high di- em formol 10% tamponado. Os espécimes foram pesa-
desse morfótipo apresentam um formato cônico silvafelipebio84@gmail.com • rodolfosantos013@gmail.com
versity and abundance of baurusuchid contrasting dos em balança de precisão, assim como os respectivos
e delgado, suas coroas não apresentam serrilha e driff2@gmail.com with Theropoda among predators recorded in the vitelos. Os pesos, em grama, dos animais e dos vitelos
são suavemente achatados labiolingualmente. Pos- Adamantina Formation is not a preservational para cada dia analisado foram: (0) 42,260 e 1,922; (9)
suem uma leve curvatura em sentido lingual e dis- As soon as the first baurusuchid was described, artefact, but a real condition of that cretaceous 45,325 e 0,632; (19) 51,788 e 0,237; (29) 53,483 e
tal. Apresentam estrias que vão desde suas bases several theropodomorph features have been re- ecosystem. Other interpretations already propo- 0,057. Foi calculada, então, a proporção entre o peso do
88 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 89

vitelo e o peso do animal, resultando em: (0) 4,548%; the locality of Aratu and donated to the museum in the da como depositada em ambiente de alta energia. A região do Monte Alto (SP) tem sido fonte de
(9) 1,394%; (19) 0,458%; (29) 0,107%. Comparando 1980s. A re-analysis of this material published at Zoolo- No entanto, Montealtosuchus foi encontrado em inúmeros espécimes de crocodiliformes cretáci-
os períodos (0 e 9; 9 e 19; e 19 e 29), observa-se que gical Journal of the Linnean Society showed that S. hartii um estrato subjacente pouco cimentado em are- cos dentre os peirossaurídeos, baurussuquídeos
houve cerca de 70% de absorção do vitelo em cada perí- is a valid species. The Brazilian taxon differs from the nito quartzoso, com grãos bem selecionados. No e notossúquios avançados. Apresentamos aqui um
odo. Portanto, espera-se que haja absorção completa do African Sarcosuchus imperator in the unique pattern of nível estratigráfico de ocorrência do holótipo de novo exemplar de Baurusuchidae (MPMA 71-
vitelo em até 49 dias, sendo necessários novos estudos a anastomosing ornamentation observed on the enamel Montealtosuchus coletou-se 5 indivíduos em espaço 0002/16) oriundo de uma área conhecida como
fim de confirmar essa hipótese. surface. The inclusion of S. hartii in a novel phylogene- um pouco maior que 2m3. Salvo o holótipo, os ou- Itaimbé, nas imediações da antiga estação ferrovi-
tic analysis recovered it inside Tethysuchoidea, a clade tros espécimes se fragmentaram bastante durante ária do município de Fernando Preste/SP. O sítio

comprising Meridiosaurus vallisparadisi (from Uruguay), a escavação, porém se tratavam de esqueletos ar- paleontológico é conhecido há mais de um século
SYSTEMATIC REVISION OF Sarcosuchus Sarcosuchus, Terminonaris (from Canada) Elosuchidae and ticulados devido a presença de osteodermos im- e exibe estratos das formações Marília e Adaman-
hartti (CROCODYLIFORMES) FROM THE Dyrosauridae. Tethysuchoidea plus North American bricados e ossos em suas posições de articulação. tina. O espécime estudado provém desta última
RECÔNCAVO BASIN (EARLY CRETA- and Asian Pholidosauridae form the clade Tethysuchia. A definição da causa da mortandade necessita de e foi coletado no corte da ferrovia. O material
CEOUS), BAHIA, NORTH-EASTERN BRA- The evolutionary origin of Sarcosuchus is likely related análises mais apuradas. O hábito gregário da es- consiste de um osso craniano (supraoccipital) e
ZIL to a cladogenesis event that resulted from the break- pécie é aqui proposto devido a existência de es- parte do dentário direito; os ossos fossilizaram
LUCY GOMES DE SOUZA1*, RODRIGO G. FIGUEI-
-up of Gondwana. [*CAPES, **FAPES, ***SESu/MEC, queletos completos associados, com elementos desarticulados e apresentam inúmeras fraturas de
REDO2**, SÉRGIO A. K. AZEVEDO1, DOUGLAS
****
CNPq and FAPERJ] ósseos de fácil desarticulação. O comportamento natureza pré-diagenética, o que sugere uma possí-
social foi proposto para outros crocodiliformes vel exposição subárea dos ossos antes do soterra-
RIFF3***, ALEXANDER W. A. KELLNER1**** 
da bacia como baurussuquídeos e os notossúquios mento. A maior parte do dentário está preservada,
1
Departamento de Geologia e Paleontologia, Univer-
sidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ;
Montealtosuchus arrudacamposi: UM CRO- avançados Morrinhosuchus e Adamantinasuchus, além exceto a região anterior ao dente hipertrofiado;
2
Departamento de Biologia, Universidade Federal do CODILIFORME GREGÁRIO DO CRETÁ- de Caipirasuchus montealtensis, no qual há uma pos- a sequência dos últimos sete dentes preservou-se
Espírito Santo, Vitória, ES; 3Laboratório de Paleonto- CEO BRASILEIRO (BACIA BAURU – FOR- sível comunicação entre indivíduos analisando-se e observa-se um dente hipertrofiado anterior e o
logia, Instituto de Biologia, Universidade Federal de MAÇÃO ADAMANTINA) / Montealtosuchus a anatomia de estruturas de recepção e emissão penúltimo dente como o maior da segunda onda
Uberlândia, Uberlândia, MG. arrucamposi – A SOCIAL CROCODYLIFORM OF THE BRA- de sons. A descoberta de esqueletos associados de crescimento, característica típica da dentição
souzalucyg@gmail.com • kellner@mn.ufrj.br ZILIAN CRETACEOUS (BAURU BASIN – ADAMANTINA a ninhos é indicativa de cuidados parentais entre dos baurussuquídeos. Parte dos esmaltes dentários
rodrigo.giesta@gmail.com • sazevedo@mn.ufrj.br
FORMATION) crocodiliformes e reforçam o comportamento se perderam na preparação, eram observadas algu-
driff2@gmail.com
FABIANO VIDOI IORI1,2, SANDRA APARECIDA SI- social.O gregarismo para Montealtosuchus é a pri- mas estrias base-apicais no antepenúltimo dente e
Sarcosuchus hartii was a top predator that inhabited the MIONATO TAVARES2, ISMAR DE SOUZA CARVA- meira evidência de hábitos sociais dentre os pei- serrilhas nos antepenúltimo e penúltimo dentes. A
fluvial and coastal areas of north-eastern Brazil during LHO3 rossaurídeos da bacia, além de ser uma relevante associação estrias e serrilhas na mesma coroa den-
the Early Cretaceous. Several remains were recovered inferência paleoautobiológica para este importan- tária ocorre em Gondwanasuchus scabrosus, porém
1
Museu de Paleontologia “Pedro Candolo”, Uchoa, SP;
during the late 19th and early 20th centuries from out- 2
Museu de Paleontologia “Prof. Antonio Celso de Arru- te fóssil do Cretáceo brasileiro. no exemplar MPMA 71-0002/16 as estrias são
crops of the Ilhas Group (Recôncavo Basin) in the limits da Campos”, Monte Alto, SP; 3 Instituto de Geociências,  muito menos conspícuas. A parte preservada do
of Salvador, state of Bahia. Comprising a succession of Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, dentário tem 11,5 cm e o crânio do indivíduo pro-
RJ. UM BAURUSSUQUÍDEO (CROCODYLI-
conglomerates, sandstones and high fossiliferous sha- vavelmente não ultrapassasse 20 cm de compri-
biano.iori@gmail.com • sandraastavares@gmail.com FORMES) DE FERNANDO PRESTES-SP
les, the outcrops correspond to Sequence K30 of the mento; quando articulado ao dentário esquerdo,
ismar@geologia.ufrj.br (BACIA BAURU – CRETÁCEO SUPERIOR)
Rift Supersequence and, therefore, they would have a os ramos mandibulares eram bastante divergentes
A BAURUSUCHIDAE (CROCODYLIFORMES) FROM FER-
Late Hauterivian to Early Barremian in age. One of the Montealtosuchus arrudacamposi é um crocodilifor- e sugerem um crânio mais largo, não tão alongado
NANDO PRESTES-SP (BAURU BASIN – UPPER CRETA-
earliest discoveries was made by Mr Samuel Allport, me peirossaurídeo da Bacia Bauru, Formação como de Baurusuchus ou Stratiotosuchus, contudo,
CEOUS)
who reported the presence of fossils in the localities of Adamantina (Turoniano). O holótipo apresenta tal feição pode representar também um estágio
Fort Mont Serrat and Plataforma in 1860, after named cerca de 80% do esqueleto preservado e articu-
FABIANO VIDOI IORI1,2, THIAGO SCHNEIDER FA- ontogenético. O posicionamento taxonômico do
as Crocodylus hartti Marsh, 1869. Joseph Mawson, a ni- lado, e embasou diversos estudos morfológicos e
CHINI3, LEONARDO SILVA PASCHOA1 “Baurussuquídeo de Fernando Prestes” está condi-
neteenth-century British railway engineer and busines- anatômicos, indicando se tratar de uma espécie
1
Museu de Paleontologia “Pedro Candolo”, Uchoa, cionado a uma descrição mais detalhada do espé-
sman in Bahia, collected and published new specimens SP. 2Museu de Paleontologia “Prof. Antonio Celso cime e do conhecimento da dentição inferior de
predadora e de hábitos terrestres. O Sítio Paleon- de Arruda Campos”, Monte Alto, SP. 3Laboratório
deposited in the ‘Mawson collection’ in the Natural tológico Taiaçu, localidade de onde ele provém, outros baurussuquídeos. A ocorrência de partes
de Paleontologia, Faculdade de Filosofia, Ciências e
History Museum (London). The new specimens des- também possui outros restos fósseis como os de Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, do crânio e da mandíbula atribuídas a um Stra-
cribed here are a partially preserved jaw (MN 7459-V) biválvios, crocodiliformes, testudinos, escamados Ribeirão Preto, SP. tiotosuchus de um sítio desconhecido era o único
and two associated teeth (MN 7460-V and MN 7461- e dinossauros, além de coprólitos. A maioria dos registro desta família na região até então. O novo
biano.iori@gmail.com • thiagosfachini84@gmail.com
V) housed until September 2, 2018 at Museu Nacional. fósseis são elementos isolados em uma camada leonardo.paschoa@hotmail.com exemplar amplia a distribuição destes predadores
These fossils were collected by Mr Roberto Tinoco at conglomerática bastante cimentada e interpreta- gondwânicos e representa mais um novo táxon do
90 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 91

rico cenário paleontológico regional. exceed 50,000 N. The association of a weak bite atribuições taxonômicas dos novos dentes foram Laboratório de Paleontologia, FFCLRP, Universidade
force and predatory habit is uncommon among te- feitas com análise pessoal de espécimes, fotogra- de São Paulo, Ribeirão Preto, SP.
 giovannecidade@hotmail.com • anniehsiou@ffclrp.usp.br
trapods. However, this combination is observed in fias, e literatura. Oito dos materiais encontrados
BITE FORCE OF THE BAURUSUCHIDAE Komodo dragons, which were measured as having foram atribuídos a Pepesuchus deiseae (Peirosau-
(CROCODYLIFORMES, NOTOSUCHIA) Purussaurus is one of the most well-known and
a maximum bite force of approximately 150 N. ridae/Itasuchidae), baseado em características
USING FINITE ELEMENT ANALYSIS largest fossil crocodylomorphs. Three species are
Komodo Dragons increase prey injuries and ma- como distribuição de estrias apico-basais da co-
currently assigned to the genus: P. neivensis, from
ximize prey take down by other means, such as roa dentária, tipo de zifodontia e disposição das
FELIPE C. MONTEFELTRO1, STEPHAN LAUTENS- the middle Miocene of Colombia; P. brasiliensis,
the ziphodonty and biting and pulling behaviour. carenas. Os demais dentes não foram assinalados
CHLAGER2, PEDRO L. GODOY3, GABRIEL S. FER- from the late Miocene of Brazil, and P. mirandai,
Our results suggest that baurusuchids and coeval a uma identificação menos inclusiva, entretanto a
REIRA4, RICHARD J. BUTLER2 from the late Miocene of Venezuela. Additionally,
theropods did not rely on the same strategies for afinidade à Baurusuchidae ou Sphagesauridae foi
1
Laboratório de Paleontologia e Evolução de Ilha Sol- other species related to Purussaurus were propo-
teira, Universidade Estadual Paulista, Ilha Solteira, SP; taking down prey, and, if they hunted similar prey, descartada. Para explicar a peculiar associação
sed throughout history: Dakosaurus amazonicus,
2
School of Geography, Earth and Environmental Scien- baurusuchids most likely relied on additional me- monotaxonômica de crocodiliformes do novo
Dinosuchus terror and Brachygnathosuchus brazilien-
ces, University of Birmingham, Birmingham, Inglater- chanisms to maximize prey injury. [Rutherford afloramento, foram analisadas linhas de evidên-
ra; 3Department of Anatomical Sciences, Stony Brook sis. This notwithstanding, no thorough taxonomic
Fund Strategic Partner Grants] cias tafonômicas e paleoecológicas. Foi amostrada
University, Stony Brook, EUA; 4Departamento de Bio- review of the genus has been performed, inclu-
uma grande quantidade de rochas no afloramento,
logia, Faculdade de Ciências e Letras de Ribeirão Preto,  ding comparisons between the holotypes of all
Ribeirão Preto, SP. totalizando aproximadamente uma tonelada, da
IMPLICAÇÕES PALEOECOLÓGICAS DE species. Both have been performed by this study.
qual foram recuperados mais de duas centenas de
NOVOS REGISTROS DE NOTOSUCHIA Dakosaurus amazonicus and Dinosuchus terror are
Members of Baurusuchidae are typically found fósseis. Adicionalmente, os fósseis recuperados in-
NA FORMAÇÃO ADAMANTINA (GRUPO considered nomina dubia; the only known remain
among the crocodyliform-dominated commu- cluem táxons incomuns na Formação Adamantina,
BAURU, CRETÁCEO SUPERIOR) EM AU- of the former (an isolated tooth, SMNK without
nities from the Bauru Group (Late Cretaceous, como Anura e Siluriformes. Deste modo, a possi-
RIFLAMA – SP / PALEOECOLOGICAL IMPLICATION number) belongs to Purussaurus but cannot be as-
Brazil).The anatomical traits observed in baurusu- bilidade da associação monotaxonômica de Cro-
cribed to a particular species, whereas in the lat-
chids (e.g. ziphodonty), and direct evidence (i.e. OF NEW RECORDS OF NOTOSUCHIANS IN THE ADA- codyliformes reconhecida no afloramento repre-
ter the single vertebra that comprises its holotype
fossilized gut contents), points to a terrestrial pre- MANTINA FORMATION (BAURU GROUP, UPPER CRETA- sentar um viés de coleta foi descartada. Portanto,
(now lost but consulted bibliography) probably
datory habit for the group. Yet, the assumed pa- CEOUS) IN AURIFLAMA – SP atribuímos a associação monoespecífica a questões
belongs to Purussaurus but cannot be assigned to
laeobiology of baurusuchids is primarily derived paleoecológicas. Analisando a totalidade dos fós-
GABRIEL GONZALEZ BARBOSA, MARCOS VINI- a particular species either. Brachygnathosuchus bra-
from broad generalizations, whereas quantitative seis encontrados no novo afloramento verifica-se
CIUS LOPES QUEIROZ, FELIPE CHINAGLIA MON- ziliensis and P. neivensis are considered junior sy-
analyses are lacking. Our goal was to determine uma predominância de organismos semiaquáticos
TEFELTRO nonyms of P. brasiliensis, as the holotypes of both
the bite force of one baurusuchid specimen using e aquáticos, como os Peirosauridae, Anura, Lepi-
Laboratório de Paleontologia e Evolução de Ilha Soltei- (AMNH-3855 and USNM-10889, respectively)
finite element analysis (FEA). The specimen used sosteiformes, Siluriformes, e Characiformes. Tais
ra, Ilha Solteira, SP. do not exhibit systematically relevant differences
is an almost complete skeleton from the Adaman- evidências indicam um ambiente com abundân-
gonzalezgabriel0101@gmail.com with the holotype of the previously described P.
tina Formation (skull length = 33 cm; estimated cia de corpos d´água. Quando analisados outros
marcosv_queiroz@hotmail.com brasiliensis (now lost but consulted through biblio-
body length = 200 cm). The skull and lower jaws depósitos desta e de outras formações do Grupo
felipecmontefeltro@gmail.com graphy). Specimens later described and assigned
were CT scanned and a series of digital tools were Bauru, verifica-se que os peirosaurídeos ocorrem
to P. brasiliensis (DGM-527-R, UFAC-1403 and
applied to transform the CT data into a tetrahe- A Formação Adamantina (Grupo Bauru), situada em localidades em que um ambiente mais úmido é
UFAC-1118) are considered as really belonging
dral mesh, simulate forces, and finally solve the no Cretáceo Superior (Turoniano-Santoniano ou reconhecido (ex. Formação Presidente Prudente e
to it for having proportionally large mandibular
model with FEA. The muscles of the adductor Campaniano-Maastrichtiano), apresenta uma das Formação Marília), enquanto os Baurusuchidae e
alveoli, which is an autapomorphy of this species.
chamber of the baurusuchid were reconstructed maiores diversidades conhecidas de crocodilifor- Sphagesauridae tendem a ser mais abundantes em
Within this perspective, P. mirandai is a valid spe-
based on the osteological correlates mapped in mes Notosuchia. Esta diversidade abrange uma paleoambientes mais secos (ex. Formação Ada-
cies: its holotype (CIAAP-1369) is distinguished
extant crocodylians. Likewise, the forces gene- grande amplitude ecológica, incluindo formas mantina em General Salgado). Este trabalho for-
from P. brasiliensis for having proportionally small
rated by each muscle, the direction of the force carnívoras, onívoras e potencialmente herbívoras. talece a ideia de que Peirosauridae, Baurusuchidae
mandibular alveoli, and it differs from referred
vectors applied in the digital models, and the pro- Em um novo afloramento da formação Adamanti- e Sphagesauridae ocupavam diferentes ambientes,
specimens for having a smaller external naris and a
perties of bones and teeth were based on extant na localizado em Auriflama – SP (20º55’21.7’’S, mesmo dentro de uma única formação. [PIBIC/
more dorsoventrally concave skull table. Additio-
crocodylians. The bite force estimated for this spe- 50º26’46.1’’W) foram encontrados e analisados PIBIT CNPq 04/2018]
nally, two incomplete skulls (UCMP-39704 and
cimen was approximately 600 N, which is lower 11 dentes, além de uma mandíbula parcial de  UCMP-45719) from the middle Miocene of Co-
than empirical data from extant crocodylians of Notosuchia. O objetivo deste resumo é discutir
TAXONOMIC REVISION OF Purussaurus lombia formerly assigned to P. neivensis differ from
comparable sizes. The baurusuchid bite force is as possíveis implicações paleoecológicas dos acha-
(ALLIGATOROIDEA, CAIMANINAE) P. brasiliensis and P. mirandai for having a much smal-
also only a fraction of the bite forces calculated for dos no novo afloramento no contexto geral da ler external naris, much longer nasal bones and
adult theropod dinosaurs, which could potentially distribuição dos Notosuchia no Grupo Bauru. As GIOVANNE M. CIDADE, ANNIE SCHMALTZ HSIOU
92 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 93

canthi rostralli with only a slight depression lateral lacuna, o espécime em questão foi tomografado -UNESP, Ilha Solteira, SP; ³Laboratório de Evolução e nentes gondwânicos ainda estava conectada. Essa
to them, and not with a pronounced fossa, while no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medici- Biologia Integrativa, FFCLRP, USP, Ribeirão Preto, SP. hipótese é corroborada pela relação filogenética
UCMP-39704 also exhibits a more dorsoventrally na de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, juanvitorruiz@gmail.com • marcosv_queiroz@hotmail.com entre formas sul-americanas com táxons africanos
concave skull table than P. mirandai and P. brasiliensis permitindo sua reconstrução digital. As imagens kawancm@gmail.com • mariobronzati@gmail.com e malgaxes. Podemos sugerir que o endemismo
felipecmontefeltro@gmail.com
(not preserved in UCMP-45719). As such, these estão sendo tratadas utilizando o software Avizo destes clados de Notosuchia em regiões da Améri-
two specimens constitute a new species of Purus- 7.0, que permite a remoção de sedimentos e seg- A Bacia Bauru apresenta a comunidade com a ca do Sul, África e Madagascar é fruto de irradia-
saurus. [CNPq 140808/2016-7] mentação de cada osso, isolando-os digitalmente maior diversidade de crocodiliformes cretáci- ções que se sucederam antes da separação desses
e avaliando feições de difícil acesso. Desta forma, cos no mundo. Tal riqueza no registro fossilífero, continentes durante o Cretáceo Inferior. [CAPES

diversas áreas do crânio foram mais adequadamen- porém, é concentrada em formações do Grupo 88882.330430/2019-01]
EXPLORANDO A MORFOLOGIA DE UM te visualizadas para descrição, como detalhes do Bauru, notadamente na formação Adamantina 
BAURUSUCHIDAE (CRETÁCEO SUPE- entalhe no contato pré-maxilar-maxilar, o con- (Campaniano-Maastrichtiano). Sua contraparte,
RIOR, FORMAÇÃO ADAMANTINA) UTI- tato ectopterigoide-jugal, a superfície lateral do possivelmente mais antiga, o Grupo Caiuá, é rela- UM NOVO BAURUSUCHIDAE DA FOR-
LIZANDO TOMOGRAFIA COMPUTADO- ectopterigóide e a morfologia do osso pterigoide, tivamente pobre em registros fósseis de vertebra- MAÇÃ0 ADAMANTINA (GRUPO BAURU,
RIZADA / EXPLORING THE MORPHOLOGY OF A revelando canais para passagem de nervos e vasos dos. Durante trabalho de campo nos arredores do CRETÁCEO SUPERIOR) / A NEW BAURUSU-
BAURUSUCHID (UPPER CRETACEOUS, ADAMANTINA sanguíneos. Ossos que compõe o neurocrânio, município de Auriflama (Formação Santo Anastá- CHIDAE FROM ADAMANTINA FORMATION (BAURU
FORMATION)WITH COMPUTED TOMOGRAPHY como o láteroesfenoide (elemento pouco conhe- cio, Grupo Caiuá – Aptiano), foi encontrado um GROUP, UPPER CRETACEOUS)
cido morfologicamente em Baurusuchidae devido crânio parcial de um crocodiliforme, incluindo
GUSTAVO DARLIM¹, FELIPE MONTEFELTRO², KAWAN CARVALHO MARTINS1, FELIPE CHINA-
ao difícil acesso) puderam ser observados e im- parte do palato secundário, neurocrânio e man-
MAX LANGER¹ GLIA MONTEFELTRO2
pressões internas nesse osso e no frontal mostram díbula quase completa. O novo espécime pôde ser
¹Departamento de Biologia, Laboratório de Paleontolo- 1
Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas,
gia de Ribeirão Preto, Faculdade de Filosofia, Ciências o local onde o cérebro estaria posicionado. As- atribuído ao gênero Caipirasuchus por apresentar, UNESP – SP; 2 Laboratório de Paleontologia e Evolução
e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de São Pau- pectos relevantes da região coanal também foram dentre outras características, sínfise mandibular de Ilha Solteira, Ilha Solteira, SP.
lo, Ribeirão Preto, SP; ²Laboratório de Paleontologia observados, como a morfologia do septo coanal, alongada e 6 dentes molariformes, com o primei-
e Evolução, Faculdade de Engenharia de Ilha Solteira, kawancm@gmail.com • fc.montefeltro@unesp.br
ajudando a melhor compreender a anatomia do ro estando separado dos demais por um diastema.
Unesp, Ilha Solteira, SP. palato deste grupo. Esse conjunto de informações Ademais, o espécime pôde ser atribuído a uma Baurusuchidae compreende um grupo de crocodi-
gustavo.darlim@gmail.com • felipecmontefeltro@gmail.com permitiu a identificação de uma combinação única
mclanger@ffclrp.usp.br nova espécie do gênero devido a sua combinação liformes predadores de topo típicos de faunas con-
de caracteres para LPRP/USP 0697, bem como única de caracteres, incluindo: maior abertura do tinentais da América do Sul durante o Cretáceo
Os Baurusuchidae representam o grupo mais a realização de uma análise filogenética prévia in- ângulo formado pelos ramos mandibulares em vis- Superior. Os Baurusuchidae são caracterizados
diverso de Crocodyliformes da Formação Ada- cluindo o material, a qual posicionou o espécime ta dorsal, processo anterior do angular no contato por possuírem rostro curto e alto, um número de
mantina, com oito espécies descritas, sendo todas como grupo-irmão do clado Baurusuchinae, po- com o esplenial, superfície ventral do pterigoi- dentes reduzidos e de morfologia zifodonte, além
predadoras, terrestres e cursoriais. Expedições do dendo assim representar um novo táxon de Bauru- de lisa e plana. Para investigar o posicionamento de caninos hipertrofiados. A grande diversidade
Laboratório de Paleontologia de Ribeirão Preto suchidae. [FAPESP 2019/06311-4]. filogenético deste novo táxon, uma análise de deste grupo é encontrada em depósitos da Forma-
a afloramentos de tal unidade estratigráfica no  parcimônia foi conduzida (10.000 réplicas, TBR, ção Adamantina no Grupo Bauru, onde foram en-
município de Jales-SP resultaram na coleta de um Hold 20) em uma matriz composta de 99 táxons contradas oito das dez espécies reconhecidas para
novo espécime (LPRP/USP 0697) preliminar- NOVA ESPÉCIE DE Caipirasuchus IORI & e 505 caracteres no software TNT. O novo táxon o grupo. No presente resumo avaliamos um novo
mente associado à Baurusuchus pachecoi. Tal espéci- CARVALHO, 2011 (CROCODYLIFORMES: foi recuperado como um Sphagesauridae, com- espécime associado a Baurusuchidae encontrado
me é composto por crânio completo e pós-crânio NOTOSUCHIA) DA FORMAÇÃO SAN- partilhando um ancestral comum exclusivo com também na Formação Adamantina, no município
parcial, ambos em ótimo estado de preservação. TO ANASTÁCIO (GRUPO CAIUÁ, BACIA as espécies do gênero Caipirasuchus, sendo mais de Jales – SP. O novo espécime reportado é com-
De maneira geral, descrições de Crocodylifor- BAURU) proximamente relacionado à C. stenognathus e C. posto de material craniano fragmentário, incluin-
mes são baseadas principalmente em elementos NEW SPECIES OF Caipirasuchus IORI & CARVALHO, 2011 mineirus. Adicionalmente, o clado “advanced noto- do elementos do rostro, teto craniano e dentição,
cranianos, que tendem a ser mais detalhadamen- (CROCODYLIFORMES: NOTOSUCHIA) OF THE SANTO suchia” (Sphagesauridae + Mariliasuchus + Notosu- além de elementos pós-cranianos desarticulados.
te analisados. Como consequência, as matrizes ANASTÁCIO FORMATION (CAIUÁ GROUP, BAURU BASIN) chus + Morrinhosuchus) foi recuperado como grupo A proposição de um novo táxon para este material
filogenéticas morfológicas do grupo apresentam JUAN VÍTOR RUIZ¹,², MARCOS VINICIUS QUEI- irmão de outras formas gondwânicas (Pakasuchus foi dada através da comparação em coleções pale-
a maior parte de seus caracteres relacionados ao ROZ¹,², KAWAN CARVALHO MARTINS¹,², MARIO + Baurusuchidae). A presença de uma espécie de ontológicas, uma base de dados fotográfica, além
crânio. Apesar das descrições de muitas espécies BRONZATI FILHO³, FELIPE CHINAGLIA MONTE- Caipirasuchus no Grupo Caiuá reforça a hipótese de informações encontradas na literatura. Com
de Baurusuchidae serem relativamente recentes, FELTRO² de que os Notosuchia já haviam se diversificado base nas análises foi possível definir uma combi-
a morfologia do grupo não tem sido sistemati- ¹Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal, durante o Cretáceo Inferior, implicando que a nação única de caracteres que diferencia este novo
camente analisada por meio de tomografia com- IBILCE-UNESP, São José do Rio Preto, SP; ²Laborató- origem dos principais clados de formas avançadas espécime de todos os táxons conhecidos para o
putadorizada (CT-scan). Visando preencher tal rio de Paleontologia e Evolução de Ilha Solteira, FEIS- de Notosuchia ocorreu quando parte dos conti- grupo. Esta combinação única inclui a presença
94 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 95

de uma crista longitudinal na superfície dorsal do chus deiseae). Este resumo trata de um espécime MARIA CLARA SILVA BORGES, THIAGO DA SILVA onívoro. A partir dessas análises, é possível dizer
nasal; uma crista pronunciada na superfície dorsal do mórfótipo de rostro longo coletado nas rochas MARINHO que havia uma sobreposição maior dos nichos ali-
do frontal; maxila exposta dorsalmente lateral ao da Formação Adamantina, no município de Ca- Centro de Pesquisas Paleontológicas L. I. Price, Com- mentar e espacial entre Peirosaurus e Uberabasuchus,
terço posterior do nasal; uma crista infraorbital do tanduva-SP (MPMA 68-0001/11). Este espécime plexo Cultural e Científico Peirópolis, Pró-Reitoria de acarretando uma interação competitiva entre essas
jugal robusta, que se curva dorsalmente, ultrapassa composto de teto craniano, da hemimandíbula es- Extensão Universitária e Departamento de Ciências espécies. Já em relação a Itasuchus poderia existir
Biológicas, Instituto de Ciências Exatas, Naturais e
o nível da margem anterior da órbita, e com mes- querda, com o dentário praticamente completo, Educação, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, uma interação competitiva entre esses indivídu-
ma expressão ao longo de todo o comprimento. e uma costela, havia sido previamente referido à Uberaba, MG. os sendo os peirosaurídeos menos favorecidos na
Adicionalmente, foi reconhecida uma autapomor- Pepesuchus deiseae, no entanto, novas observações mariaclaraborges2@gmail.com captura de alimento em um ambiente que não era
fia neste novo táxon, que é a presença da superfí- apontam que este possa representar um novo tá- thiago.marinho@uftm.edu.br seu de origem. Por possuir hábitos alimentares
cie dorsal do frontal fortemente deprimida. Esta xon. A proposta desse trabalho é reavaliar o espé- muito singulares Labidiosuchus não há sobreposição
depressão ocupa toda a região central do frontal cime em relação à diversidade de Peirosauridae do O município de Uberaba é uma grande referência de nicho alimentar com os demais crocodilifor-
possuindo uma profundidade três vezes maior que Grupo Bauru, em particular os Peirosauridae de no estudo paleontológico do Cretáceo brasileiro. mes com os quais dividia o território. [CNPq]
a altura máxima da crista do frontal. A compara- rostro alongado, à luz das novas características re- Um dos locais de maior concentração fossilífera
ção com os demais Baurusuchidae sugere que este conhecidas no espécime. Para a comparação com da cidade é o bairro rural de Peirópolis, de onde 
novo táxon seja um representante da linhagem dos os demais táxons foi utilizada a análise pessoal de provém quatro espécies de crocodiliformes, Ita- RECONSTRUÇÃO DAS CAVIDADES IN-
Baurusuchinae, devido a presença de uma reduzi- espécimes, uma base de dados fotográficos, além suchus jesuinoi, Peirosaurus torminni, Labidiosuchus TERNAS EM CAIPIRASUCHUS MINEIRUS
da pneumatização na asa do pterigoide. A presença de informações presentes da literatura. Uma das amicum e Uberabasuchus terrificus. A partir da análise (CROCODYLIFORMES): NOVOS DADOS
de uma nova espécie de Baurusuchidae na Forma- diferenças claras reconhecida neste espécime em das descrições dessas espécies e materiais comple- SOBRE A PALEOBIOLOGIA DOS NOTOS-
ção Adamantina incrementa a diversidade de uma relação à Pepesuchus deiseae é o tamanho aproxi- mentares, buscou-se compreender a autoecologia SÚQUIOS BRASILEIROS / RECONSTRUCTION
das faunas Cretácicas mais importantes conhecidas madamente 50% maior. Além disso, o espécime e as interações existentes entre elas. Foi realizada OF INTERNAL CAVITIES IN CAIPIRASUCHUS MINEIRUS
do Gondwana. [CAPES 88887.342361/2019-00] reanalisado apresenta uma região ornamentada ainda a descrição e identificação de dois fragmen- (CROCODYLIFORMES): NEW DATA ON THE PALEOBIOLO-
próxima aos alvéolos do dentário, além da pre- tos depositados na coleção do Centro de Pesquisas GY OF BRAZILIAN NOTOSUCHIANS
 sença do processo posterior do esquamosal vira- Paleontológicas “Llewellyn Ivor Price”. Esses frag-
do dorsalmente. Estas duas características não são mentos constituem partes mandibulares de croco- PEDRO HENRIQUE MORAIS FONSECA1, GABRIEL
UM ESPÉCIME DE PEIROSAURIDAE DE diliformes da família Peirosauridae. O fragmento SCHÄFFER SIPP2, AGUSTIN GUILLERMO MARTI-
presentes em Pepesuchus. No entanto, estas três
ROSTRO LONGO DA FORMAÇÃO ADA- CPPLIP – 778 é composto por partes de dois NELLI3, 4, THIAGO DA SILVA MARINHO4,5, CESAR
características podem estar ligadas a mudanças
MANTINA (GRUPO BAURU): Pepesuchus ossos mandibulares, o angular e o surangular e o LEANDRO SCHULTZ6, LUIZ CARLOS BORGES
ontogenéticas, como em táxons viventes. Porém
OU UM NOVO TAXON? / A SPECIMEN OF LON- CPPLIP – 882 é composto por uma parte óssea da RIBEIRO4, ADOLPHO AUGUSTIN7, THAÍS MARTI-
um segundo conjunto de diferenças não pode ser
G-NOSED PEIROSAURIDAE FROM THE ADAMANTINA NHO7, MARINA BENTO SOARES1,8
associado à ontogenia, e indicam diferenças taxo- mandíbula e cinco dentes. A partir das análises de
FORMATION (BAURU GROUP): Pepesuchus OR A NEW
nômicas. No MPMA 68-0001/11 o quadradojugal características morfológicas inferiu-se os nichos 1
Programa de Pós-Graduação em Geociências, Instituto
TAXON?
não participa da articulação crânio-mandibular; o espaciais e alimentares ocupados por elas, e possí- de Geociências, UFRGS, Porto Alegre, RS; 2Laborató-
MARCOSVINICIUS LOPES QUEIROZ1, FABIANOVI- esquamosal se prolonga anteriormente dentro da veis sobreposições existentes. Foram encontradas rio de Paleontologia de Vertebrados, Departamento de
semelhanças nas dentições de U. terrificus e P. tor- Paleontologia e Estratigrafia. UFRGS, Porto Alegre,
DOI IORI2,3, FELIPE CHINAGLIA MONTEFELTRO1 câmara meatal e toca a barra pós-orbital; adicio- RS; 3CONICET-Museo Argentino de Ciencias Natu-
1
Laboratório de Paleontologia e evolução de Ilha Soltei- nalmente, em vista occipital, a margem lateral do minni em relação ao tamanho dos dentes, presença rales “Bernardino Rivadavia”, Buenos Aires, Argentina;
ra, UNESP, Ilha Solteira, SP. 2Museu de Paleontologia processo paraoccipital ultrapassa o limite lateral de serrilha e formato. A partir dessas característi- 4
Centro de Pesquisas Paleontológicas L. I. Price, Com-
“Pedro Candolo”, Uchoa, SP. 3Museu de Paleontologia do esquamosal. Com base nas informações levan- cas e do formato estreito do rostro, inferiu-se que plexo Cultural e Científico Peirópolis, Pró-Reitoria de
“Prof.Antonio Celso deArruda Campos”, MonteAlto, SP. estes possuíam uma alimentação carnívora, mista Extensão Universitária, Universidade Federal do Triân-
tadas, preliminarmente consideramos o espécime
marcosv_queiroz@hotmail.com de peixe e animais terrestres. Em contrapartida, gulo Mineiro, Uberaba, MG; 5Departamento de Ciên-
felipecmontefeltro@gmail.com • biano.iori@gmail.com MPMA 68-0001/11 como um novo táxon de Pei- cias Biológicas, Instituto de Ciências Exatas, Naturais e
rosauridae de rostro alongado do Grupo Bauru. a dentição apresentada em I. jesuinoi indica um Educação, Universidade Federal do Triângulo Mineiro,
O grupo Peirosauridae é um dos representantes [CAPES-PROEX 88887.342354/2019-00] hábito alimentar piscívoro e o posicionamento de Uberaba, MG; 6Departamento de Paleontologia e Es-
da fauna peculiar de Crocodyliformes encontra- suas órbitas e narinas, atreladas às características tratigrafia, Instituto de Geociências, UFRGS, Porto
 da armadura dérmica de outros indivíduos per- Alegre, Brasil; 7Instituto do Petróleo e dos Recursos
dos nos depósitos Neocretácicos do Grupo Bau- Naturais, PUC-RS, Porto Alegre, RS; 8Departamento
ru, no Brasil Meridional. De uma forma geral, HÁBITOS E SOBREPOSIÇÕES DE NICHOS tencentes à mesma família indicam ocupação de
de Geologia e Paleontologia, Museu Nacional, Univer-
os Peirosauridae podem ser divididos em dois DE CROCODYLIFORMES DO CRETÁCEO ambiente aquático. A espécie que mais se difere sidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ.
morfótipos principais, o morfótipo com rostro SUPERIOR DE PEIRÓPOLIS, UBERABA em hábitos alimentares, é Labidiosuchus amicum
que possui uma dentição específica utilizando a phmorais.bio@gmail.com • gabriel.schaffer@hotmail.com
curto e alto (ex. Montealtosuchus arrudacamposi e (MG) / HABIT AND NICHE OVERLAP IN CROCODYLI- agustin_martinelli@yahoo.com.ar
Hamadasuchus rebouli), e o morfotipo de rostro FORMES FROM THE UPPER CRETACEOUS OF PEIRÓPO- mandíbula para triturar alimentos compostos de thiago.marinho@uftm.edu.br • adolpho.augustin@pucrs.br
alongado e tubular (ex. Itasuchus jesuinoi e Pepesu- LIS, UBERABA (MG) materiais resistentes, tendo hábito possivelmente thais.martinho@pucrs.br, marina.soares@mn.ufrj.br
96 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 97

Os moldes das cavidades internas do crânio auxi- expandida e a ausência de sinuses paratimpânicos tions to different environmental conditions are (iii) longirostrines (Ardea). There are several
liam no entendimento da paleobiologia dos espé- corroboram as propostas anteriores de herbivoria determining large scale patterns of crocodylo- morphological adaptations directly or indirectly
cimes extintos, através da reconstrução de estru- para Caipirasuchus mineirus. morph cranial shape evolution. related to piscivory, some of which are: (1) lon-
turas correspondentes aos tecidos moles não pre- girostry: related to hydrodynamics; (2) external
 
servados durante a fossilização. Dentre as técnicas nares position: retracted external nares enable
utilizadas para a obtenção desses moldes, destaca- CRANIAL SHAPE VARIATION AND DISPA- TALES OF LONG FACES: PISCIVOROUS breathing during rostrum submersion and/or
se a tomografia pelo seu caráter não invasivo. No RITY IN CROCODYLOMORPHA: ALLO- ARCHOSAURIFORMS AND THE EVOLU- carcass feeding; (3) expanded premaxillaries:
presente trabalho, o crânio de Caipirasuchus minei- METRIC CHANGES AND THE INFLUENCE TIONARY WAYS TO FORGE A FISHER originally viewed as related to an increase in
rus (CPPLIP 1463), um Sphagesauridae (Croco- OF ECOLOGY the capture surface, but extant species do not
LUCY G. DE SOUZA1*, RODRIGO V. PÊGAS²*,
dyliformes, Notosuchia) do Cretáceo Superior de corroborate this hypothesis; (4) premaxillary/
PEDRO LORENA GODOY MAURO B. S. LACERDA3*, DOUGLAS RIFF4**
Minas Gerais, foi submetido à microtomografia, maxillary notch: could increase the capture ef-
Department of Anatomical Sciences, Stony Brook Uni- 1
Departamento de Geologia e Paleontologia, Univer-
obtendo-se 3507 slices. Foram realizados o pre- versity, Stony Brook, NY, USA. sidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ; ficiency, but not exclusively for fishes; (5) teeth
enchimento e identificação das estruturas inter- pedrolorenagodoy@gmail.com
2
Laboratory of Vertebrate Paleontology and Animal number and distribution: high count enables an
nas correspondentes à cavidade nasal, encéfalo e Behavior, Universidade Federal do ABC, São Bernardo, increase in underwater capture rate; and (6) te-
sinus paratimpânico. O molde da cavidade nasal Crocodylomorpha, the group that includes li- SP; 3Pós-Graduação em Zoologia, Universidade Federal eth morphology: the diastemata and the conical,
ocupa toda a região anterior do crânio, estenden- de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG; 4Laboratório de slightly recurved crowns seem to have a direct
ving crocodylians and their extinct relatives, has Paleontologia, Instituto de Biologia, Universidade Fe-
do-se da narina externa à coana secundária, sendo a rich fossil record, with more than 200 million deral de Uberlândia, Uberlândia, MG. relation with piscivory. Still, in isolation, those
delimitado pelos ossos pré-maxila, maxila, nasal, years of evolutionary history. This contrasts with souzalucyg@gmail.com • rodrigo.pegas@hotmail.com
morphological evidences cannot be used as de-
palatino e pterigoide. Apresenta formato cônico, the low diversity of crocodylians seen today, with mauro.lacerda.bio@gmail.com • driff2@gmail.com terminant for inferring a piscivorous diet. We
expandindo-se anteroposteriormente, com um only 27 modern species. Similarly, extinct croco- propose that inferences on piscivorous diet must
sulco na linha sagital, em vista dorsal. Em Caipira- dylomorphs exhibit much higher morphological Piscivory refers to a predominantly fish-based rely on a total evidence basis, taking into consi-
suchus mineirus as expansões da região olfativa não disparity than extant taxa, as well as remarkable diet.This behavior has been inferred for a se- deration those multiple lines of evidence as well
são bem marcadas, o que pode ser um reflexo do ecological diversity, ranging from fully marine ries of archosauriforms, based on a wide array as other data such as biomechanics, lifestyle and
hábito herbívoro considerando que em outros No- to completely terrestrial forms. In this context, of morphological features. However, how accu- the environment of the taxa in question. [*, CA-
tosuchia com hábitos carnívoros, como o baurus- crocodylomorph cranial shape variation seems rate is the correlation between a strictly pisci- PES; **, SESu/MEC]
suquídeo Campinasuchus dinizi, estas expansões são to be integrated with ecological factors (such vorous diet and such purported morphofunctio-
bem desenvolvidas. Além disso, os sinus parana- as feeding strategies), given the biomechanical nal features? We review such features and their 
sais estão ausentes na região rostral. Porém, uma implications of skull elongation and shortening. potential correlation to piscivory utilizing the DENTES ISOLADOS DE CROCODILIFOR-
pequena evaginação na região posteroventral da However, the influence of ecology on crocodylo- morphological diversity of extant piscivorous ar- MES DA FORMAÇÃO SÃO JOSÉ DO RIO
maxila, pode estar relacionada com os sinus para- morph cranial shape was never comprehensively chosaurs as a basis. Among these, slender-snou- PRETO (BACIA BAURU – CRETÁCEO SU-
nasais, uma vez que esses se originam da cavidade investigated. I used geometric morphometric te- ted crocodilians are divided in three categories: PERIOR) / ISOLATED TEETH OF CROCODYLIFORMS
nasal. O molde da caixa craniana, o encéfalo, apre- chniques and phylogenetic comparative methods (1) narrow-snouted: the proximal portion of the FROM SÃO JOSÉ DO RIO PRETO FORMATION (BAURU
senta forma semelhante aos dos outros Notosuchia to analyze cranial shape variation and disparity rostrum comprises the largest width and tapers BASIN – UPPER CRETACEOUS)
e Eusuchia. O bulbo olfativo contata a região da in crocodylomorphs and to fully characterize its anteriorly until the rostral tip at a constant pace
cavidade nasal anteriormente e apresenta um sul- (Crocodylus); (2) semi-tubular: the proximal por- RENAN OLIVEIRA FERNANDES1, FABIANO VIDOI
macroevolutionary patterns. I found a significant
co bem marcado na região dorsal. O prosencéfalo tion of the rostrum comprises the largest width IORI1,2, LEONARDO SILVA PASCHOA1
influence of ecological lifestyles (i.e. terrestrial,
é bem desenvolvido, diferenciando-se de outros and tapers continuously anteriorly until reaching
1
Museu de Paleontologia “Pedro Candolo”, Uchoa, SP;
aquatic, and semi-aquatic) on cranial shape, as 2
Museu de Paleontologia “Prof. Antonio Celso de Arru-
Notosuchia apenas pela glândula pituitária muito well as a strong size-shape relationship, indi- width stabilization prior to the middle of the ros-
da Campos”, Monte Alto, SP.
expandida. Em dinossauros sauropodomorfos essa cating allometric shape changes (mainly in the trum (Tomistoma); and (3) tubular: the width dif-
renanoliveirafernandes@gmail.com • biano.iori@gmail.com
morfologia é associada ao hábito herbívoro, o que snout region). Furthermore, I found that ter- ference from the proximal portion with the rest leonardo.paschoa@hotmail.com
pode ser extrapolado para este táxon. Outra pos- restrial species are more disparate (particularly of the rostrum is drastic, with an abrupt, non-
sibilidade é a influência dos processos de fossiliza- notosuchians) and are usually small animals with continuous thinning by the distal base of the ros- A Bacia Bauru formou-se durante o Neocretáceo,
ção, que podem ter provocado distorções nas di- short rostra. On the other hand, aquatic and trum (Gavialis). Concerning piscivorous birds, no centro-sul da Plataforma Sul-Americana e des-
mensões reais dessa estrutura. Assim como outros semi-aquatic forms are usually associated with they fall within one of the two morphotypes taca-se pela variedade e grande número de ocor-
Notosuchia e Eusuchia, os sinus paratimpânicos shifts to larger body sizes and more longirostrine described above: (1) narrow-snouted (Ardeidae) rências de crocodiliformes, com formas essencial-
estão posicionados na região posterior do crânio macroevolutionary regimes. This suggests an in- and (2) semi-tubular (Mergus). Furthermore, we mente terrestres e também semiaquáticas. A co-
e são formados a partir da união de vários diver- tricate relationship between cranial shape, body additionally divide piscivorous birds in: (i) bre- leção do Museu de Paleontologia Pedro Candolo
tículos e sinus. A presença da glândula pituitária size and ecology, and that clade-specific adapta- virostrines (Fratercula); (ii) normal (Larus); and dispõe de inúmeros restos de crocodiliformes, a
98 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 99

maior parte representada por dentes isolados da QUOCIENTE DE ENCEFALIZAÇÃO DE Dada a grande variedade de tamanho corporal nianos, vértebras cervicais e dorsais parcialmen-
Fm. São José do Rio Preto (Bacia Bauru, Grupo CROCODILIANOS E O TAMANHO CERE- encontrada em Dinosauria, o CEQ se mostra a te articuladas, constelas dorsais, um osteodermo
Bauru). Aqui foram analisadas aproximadamen- BRAL RELATIVO DE DINOSSAUROS / CRO- melhor opção para realizar comparações de ta- e outros elementos indeterminados. A série
te 100 coroas dentárias da coleção, observou-se CODILIAN ENCEPHALIZATION QUOTIENT AND THE manho cerebral relativo. Os cérebros suposta- cervical inclui axis e as seis vértebras cervicais
seus comprimentos e larguras, presença e forma RELATIVE BRAIN SIZE OF DINOSAURS mente muito pequenos para o tamanho corporal seguintes, todas anficélicas, com centros quase
de estrias e carenas, formato da base e curvatura em Sauropoda parecem ser um artefato. O CEQ tão altos quanto compridos e quadrangulares em
MARCOS VITOR DUMONT JÚNIOR1, RODRIGO
das coroas. Foram identificadas dezenas de com- típico para crocodilianos e BEQ baixo para aves vista lateral. As parapófises são sustentadas por
MILONI SANTUCCI2
binações possíveis, no entanto desconsideramos de Archaeopteryx indicam um aumento de encefa- lâminas centro-parapofiseais pronunciadas. Estas
1
Instituto Federal de Brasília, Planaltina, Brasília, DF;
algumas feições para definir um número menor 2
Universidade de Brasília, Brasília, DF.
lização independente em aves e em dinossauros possuem uma superfície articular que progride
de morfótipos. Os três grupos principais foram não-avianos ao longo do tempo, corroborado posteriormente de feições elípticas para formas
definidos com base na razão entre altura/largura marcos.junior@ifb.edu.br • rodrigoms@unb.br também pelo aumento do CEQ em dinossauros de meia-lua. Ventralmente, as vértebras cervicais
das bases das coroas (A/LB), onde A/LB < A/ O tamanho cerebral relativo é utilizado para in- do Jurássico para o Cretáceo. Ainda, os CEQs en- são côncavas e marcadas pelo desenvolvimento
LB < 2,5= intermediários (IN), e A/LB > 2,5 ferir capacidades cognitivas e termorregulação contrados suportam a hipótese atualmente deba- de uma crista sagital que corre por todo o cen-
= mais agudos (AG). O segundo critério foi co- em vertebrados fósseis. Estimativas de tamanho tida de que Nanotyrannus é uma sinonímia juvenil tro. Arcos e espinhos neurais e zigapófises não
roa lisa (CL), com estrias paralelas (EP) ou anas- cerebral e massa corporal são realizadas e com- de Tyrannosaurus. estão preservados. Apenas três vértebras dor-
tomosadas (EA) e o terceiro, carenas serrilhadas paradas com equações de regressão linear obtidas sais possuem arcos neurais preservados, onde

(CS) ou sem serrilhas (SS). Foram considerados a partir de dados de organismos vivos, escolhidos a sutura neurocentral não está completa, como
36 dentes de coroas íntegras e 1incompleta, todas UM BAURUSUQUÍDEO (NOTOSUCHIA, esperado. Tais vértebras diferem das demais por
como referência por afinidade filogenética. Atu-
sem caracteres de interpretação dúbia, onde treze MESOEUCROCODYLIA) INFANTIL COM apresentarem centros alongados ântero-poste-
almente, equações de quociente de encefalização
morfótipos (MF) foram identificados e quantifica- RESTOS CRANIANOS E PÓS-CRANIANOS riormente, mais compridos do que altos e estrei-
de “répteis” (REQ) e aves (BEQ) são utilizados
dos: MF1 (OB-EP-CS)=1(2,70%), MF2 (OB-EP- DA FORMAÇÃO ADAMANTINA, GRUPO tos na porção medial. Seus arcos neurais percor-
nesse tipo de comparação em dinossauros. En-
-SS)=4 (10,81%), MF3 (OB-EA-CS)=3(8,11%), BAURU, CRETÁCEO SUPERIOR, BRASIL rem quase todo o centro. Não há evidências de
tretanto, a equação de REQ não representa bem
MF4 (OB-EA-SS)=7(18,92%), MF5 (IN-EP- o tamanho cerebral relativo em Crocodylia e
CRANIAL AND POSTCRANIAL REMAINS OF A YEARLING parapófises nos centros, indicando que elas já se
CS)=4(10,81%), MF6 (IN-EP-SS)=1(2,70%), Dinosauria. Nestes a massa corporal influencia
BAURUSUCHID (NOTOSUCHIA, MESOEUCROCODYLIA), encontram nos processos transversos, sugerindo
MF7 (IN-EA-CS)=9(24,32%), MF8 (AG-CL- o quociente. Animais pequenos possuem REQ
FROM THE ADAMANTINA FORMATION, BAURU GROUP, uma posição mais posterior na série dorsal. A
CS)=2(5,40%), MF9 (AG-ES-CS)=1(2,70%), alto e animais grandes apresentam REQ baixo.
LATE CRETACEOUS, BRAZIL quarta vértebra dorsal preservada apresenta uma
MF10 (AG-EP-SS)=3(8,11%), MF11 (AG-EA- Neste trabalho, um quociente de encefalização robusta pré-zigapófise direita, marcada por uma
DANIEL MARTINS DOS SANTOS1,2, RODRIGO MI-
-SS)=1(2,70%) e MF13 (coroa triangular, com de crocodilianos (CEQ) foi criado a partir da superfície articular elíptica. Os processos trans-
LONI SANTUCCI2, CARLOS EDUARDO MAIA DE
estrias longitudinais e presença de uma carena equação de regressão linear obtida a partir de da- versos percorrem os dois terços posteriores dos
OLIVEIRA3, MARCO BRANDALISE DE ANDRADE4
)=1(2,70%). A relação altura/largura está rela- dos disponíveis de massa cerebral e corporal de arcos neurais. O osteodermo tem morfologia
1
Programa de Pós-graduação em Zoologia, Instituto de
cionada como a posição do dente na série (agudos 5 espécies de crocodilianos viventes em diversos Ciências Biológicas, Universidade de Brasília, Brasília, típica dos baurusuquídeos, sendo dorsalmente
anteriores e obtusos posteriores). O morfótipo estágios ontogenéticos (N=123). As regressões DF; 2Universidade de Brasília, Campus Planaltina-FUP, elíptico, alongado ântero-posteriormente e com
13 (2,70%) foi atribuído à Sphagesauridae em foram realizadas no software PAST. Os quocien- Brasília-DF, Brasil; 3Instituto Federal de Educação, Ci- crista sagital levemente deslocada medialmente.
estudo prévio; o morfótipo 8 (5,4%) é observa- ência e Tecnologia de São Paulo, Campus Votuporanga, Apresenta superfícies lisas, com bordas laterais
tes (CEQ, REQ e BEQ) foram calculados para IFSP, Votuporanga-SP; 4Pontifícia Universidade Católica
do também em Montealtosuchus, contudo quando todos os espécimes de crocodilianos, além de levemente irregulares. Comparações com espé-
do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS.
observa-se o tamanho e curvatura dos dentes, é 19 espécies de dinossauros, e plotados em fun- cimes adultos permitem destacar alguns caracte-
danielmartinsantos@hotmail.com • rodrigoms@unb.br
possível atribuí-los aos baurussuquídeos. Este es- ção do logaritmo da massa corporal. Tanto em carlos.oliveira@ifsp.edu.br • marco.brandalise@pucrs.br
res que neles estão ausentes: (1) crista sagital na
tudo está em desenvolvimento, porém observa-se Crocodylia quanto em Dinosauria o CEQ não é face ventral dos centros vertebrais cervicais; (2)
o predomínio de morfótipos dentários encontra- influenciado pela massa corporal. Pela primeira Baurusuquídeos são crocodilomorfos gondwâni- lâminas vertebrais mais desenvolvidas; (3) placas
dos nos peirossaurídeos de hábitos semiaquáticos vez uma estimativa do quociente de encefalização cos terrestres e predadores de topo. A maioria dérmicas lisas e lamelares. Ainda que se espere
como Pepesuchus / Barreirosuchus (MFs 2, 5, 10 = para saurópodes trouxe resultados acima do pre- dos espécimes encontrados compreende indiví- que lâminas vertebrais se tornem mais desenvol-
21,62%) e Roxochampsa (MFs 3, 7 = 32,43%). visto em uma equação de encefalização. O CEQ duos adultos, limitando o entendimento da re- vidas à medida que o animal cresce, tal condição
Essa predominância era esperada, devido à nature- de Archaeopteryx é bem próximo do previsto para lação entre sua ontogenia e morfologia. Neste é possivelmente revertida em Baurusuchidae,
za flúvio-lacustre dos depósitos conglomeráticos crocodilianos e seu BEQ é bastante pequeno. Di- resumo, apresentamos um baurusuquídeo infan- refletindo mudanças ontogenéticas na robustez
da Formação São José do Rio Preto, além disso, nossauros do Jurássico tendem a possuir CEQs til, encontrado na região de Fernandópolis-SP e locais de inserção dos músculos. Finalmente,
vem revelar quais grupos da paleofauna local eram menores que aqueles do Cretáceo. Nanotyran- (Formação Adamantina), trazendo informações infere-se uma ossificação mais tardia das placas
os “terrores” dos rios cretácicos. nus e Tyrannosaurus possuem CEQs praticamente inéditas sobre os estágios ontogenéticos mais ini- dérmicas.
 idênticos, mas diferentes de outros terópodes. ciais do grupo. O material inclui fragmentos cra- 
100 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia III Simpósio sobre Evolução de Crocodyliformes 101

RESTOS SEMI-ARTICULADOS DE UM contendo restos da mandíbula e crânio possui de Engenharia de Ilha Solteira, Universidade Estadual THIAGO SILVA LOBODA1, ANNA CAROLINA KO-
PEIROSAURIDAE (CROCODYLIFORMES) cerca de 4cm de comprimento e é representado Paulista, Ilha Solteira, SP. BAYASHI1,2, ANDRÉA MACIENTE1, JONAS PEREI-
JUVENIL DO SÍTIO PALEONTOLÓGICO pela região sinfiseal praticamente completa da thiagosfachini84@gmail.com • fc.montefeltro@unesp.br RA DE SOUZA-FILHO1
DE PEIRÓPOLIS (CRETÁCEO SUPERIOR, mandíbula, incluindo o contato dentário/esple- mariobronzati@gmail.com • mclanger@ffclrp.usp.br 1
Centro de Ciências Biológicas e da Natureza, Laborató-
GRUPO BAURU) / SEMI-ARTICULATED REMAINS nial; pré-maxila e maxila muito fragmentárias e Batrachomimus pastosbonensis is a crocodyliform rio de Pesquisas Paleontológicas, Universidade Federal
OF A JUVENILE PEIROSAURIDAE (CROCODYLIFORMES) em oclusão com a mandíbula. No estágio atual do Acre, Rio Branco, AC; 2Instituto de Biociências, Uni-
from the Pastos Bons Formation (Late Jurassic), versidade de São Paulo, São Paulo, SP.
FROM THE PEIROPÓLIS PALEONTOLOGICAL SITE (LATE de preparação do material, é possível observar 6 northeastern Brazil. The taxon was described as
CRETACEOUS, BAURU GROUP) dentes no dentário esquerdo e 3 dentes no den- loboda_bio@yahoo.com.br • anna.kobayashi@usp.br
the only representative of Paralligatoridae from andreamaciente@gmail.com • jpdesouzafilho@hotmail.com
tário direito. Os dentes anteriores são procum- gondwanan landmasses. As such, B. pastosbonensis
THIAGO DA SILVA MARINHO1,2, GIOVANNI
bentes e cônicos, similares aos de Uberabasuchus is part of an assemblage of taxa closely related to A complete mandible and skull of Purussaurus
EDUARDO DE FARIA SILVA1,2, ISADORA PIZZI3,
e Montealtosuchus. O quarto dente mandibular é the origins of Eusuchia, although this assignment brasiliensis were found associated in situ at a new
BRUNO DE TOLVO BORSONI1,2, AGUSTÍN GUIL-
hipertrofiado e aloja-se em um entalhe entre a is not uncontroversial. The holotype of B. pastos- site in the municipality of Brasileia, Acre, Brazil
LERMO MARTINELLI1,4, MARCUS VINÍCIUS THE-
pré-maxila e a maxila, como é comum em diver- bonensis is composed by a partial skull and post- (11º0’13’’S/68º45’55’’W). Both pieces has 1.4
ODORO SOARES5, ANDRÉ MARCONATO6, LUIZ
sos Notosuchia. Apenas um dente e uma raiz são cranial elements. During the preparation of the meters length, and 0.7 meters width, and their
CARLOS BORGES RIBEIRO1, GIORGIO BASILICI5
observadas na maxila direita. Foram encontrados holotypic postcranial elements, additional croco- position in the site was newsworthy: the skull was
1
Centro de Pesquisas Paleontológicas L. I. Price, outros 12 dentes isolados do mesmo indivíduo; ventrally positioned and connecting by its right
Complexo Cultural e Científico Peirópolis, Pró-Rei- dyliform cranial material was discovered. The new
estes dentes apresentam morfótipos compatíveis specimen comprises a partial skull with the der- quadrate the right articular of the mandible, whi-
toria de Extensão Universitária, Universidade Fede-
ral do Triângulo Mineiro, Uberaba, MG; 2Instituto com Peirosauridae. O tamanho total estimado matocranium (fragmented frontal, parietal, squa- ch in turn was encountered with its occlusal face
de Ciências Exatas, Naturais e Educação, Universi- para este indivíduo é de pouco menos de 1m de mosal, quadratojugal, posterior portion of the up (as its original position). This is the first time
dade Federal do Triângulo Mineiro, Departamento comprimento. Recentemente, foi descrita uma jugal, posterior portion of the maxilla, pterygoid, that a mandible and skull of a Purussaurus brasiliensis
de Ciências Biológicas, Uberaba, MG; 3Instituto de toca atribuída a um Notosuchia de pequeno por- have been found directly connected in the same
Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas, ectopterygoid, and palatines), partial quadrate,
te, cuja abertura externa encontrava-se na mesma braincase, as well as the posterior portion of the prospection. It is important to emphasize that
Universidade Federal de São Paulo, Diadema, SP.
4
CONICET-Sección Paleontología de Vertebrados, camada onde os restos do fóssil aqui reportados lower jaws (surangular, angular, and part of den- the world famous associated skull (UFAC 1403)
Museo Argentino de Ciencias Naturales ‘Bernardi- foram encontrados. O holótipo de Uberabasuchus tary). Some autapomorphies of B. pastobonensis can and mandible (UFAC 1118) encountered at Assis
no Rivadavia’, Argentina; 5Departamento de Geo- terrificus, encontrado próximo à toca (mas em um be observed in the new specimen, as the hourglass Brasil (Acre state, border with Peru) were collec-
logia e Recursos Naturais, Instituto de Geociências, nível inferior) e aos restos do presente estudo, é ted separately, with the first one in 1986 and the
Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP. shapeed anteroposteriorly elongated choanae, the
um fóssil articulado e quase completo, algo atípi- lateral surface of the maxilla unsculptured in the mandible in 1996. Besides this, other materials of
6
Departamento de Geologia, Escola de Minas, Univer-
sidade Federal de Ouro Preto, campus Morro do Cru- co para o contexto sedimentar do Membro Serra caudal portion of the alveolar margin, and the Brasileia’s specimen also were found in the site:
zeiro, Ouro Preto, MG. da Galga. Alguns autores propuseram que Ube- choanal septum extending rostraly along the pala- two complete osteoderms, some fragments of
rabasuchus possivelmente foi preservado em uma tal shelves of the palatines until the anterior edge unidentified long bones and an almost complete
thiago.marinho@uftm.edu.br
toca. Apesar da atribuição ao táxon produtor da of the suborbital fenestra. Although the general humerus situated just below the skull. More parts
Durante as atividades do “PROTEU 2019: Pro- toca ainda ser inconclusiva, a ocorrência de Pei- morphology of the new specimen is consistent of this specimen are still in the site, and new visits
grama de Treinamento de Estudantes Univer- rosauridae em diferentes estágios ontogenéticos with that of the holotype of B. pastosbonensis, there of our group possibly will be made soon in an at-
sitários”, em atividade de campo no “Ponto 1 e com restos em articulação, os mantém como are important differences, most notably its smal- tempt to remove these materials. This specimen is
do Price” do Sítio Paleontológico de Peirópolis possíveis produtores destas. [CNPq, FAPEMIG] ler size (B. pastosbonensis, which can provide data one of the largest ever collected by the LPP (La-
(Uberaba, MG), foram encontrados restos se-  on the closure of the mandibular fenestra and in- boratório de Pesquisas Paleontológicas - UFAC)
mi-articulados de um pequeno crocodiliforme. crease in skull ornamentation along the ontogeny team, and our full-sized estimate for it is 10.5 me-
Neste sítio, afloram rochas do Membro Serra da A NEW SPECIMEN OF Batrachomimus ters. Futhermore, the Brasileia’s specimen comes
of fossil crocodyliforms, a process that has been
Galga (Formação Marília, Maastrichtiano), com- pastosbonensis (CROCODYLIFORMES, PA- to complement our series of this iconic species:
documented in living crocodilians, highlighting
postas por arenitos lamosos a conglomeráticos, RALLIGATORIDAE) WITH EVIDENCES OF LPP collection housed the most complete mate-
some overlooked ontogenetic changes in ancient
com cimentação carbonática, depositados em sis- ONTOGENETIC VARIATION rial of Purussaurus brasiliensis, with hundreds of ma-
crocodyliform lineages.
tema fluvial distributivo em canais entrelaçados THIAGO SCHINEIDER FACHINI1, FELIPE CHINA- terials related to this taxon, including dozens of
rasos e depósitos intercanais pedogenisados. O  skulls and mandibles parts. Brasileia’s specimen is
GLIA MONTEFELTRO2, MARIO BRONZATI FI-
contexto sedimentológico sugere um clima se- LHO1, MAX CARDOSO LANGER1 NEW SITE OF SOLIMOES FORMATION the second in our collection with complete skull
miárido com estações úmidas e mais secas alter- (MIOCENE; ACRE, BRAZIL) REVEALS and mandible parts associated. Also, this new site
1
Laboratório de Paleontologia de Ribeirão Preto, Facul-
nando-se. O fóssil aqui estudado é representado INEDITED ASSOCIATED MANDIBLE AND increased the number of fossiliferous sites where
dade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto,
por elementos cranianos, mandibulares, dentes, Universidade de São Paulo, FFCLRP, Ribeirão Preto, SKULL OF Purussaurus brasiliensis (ALLI- P. brasiliensis specimens were found in Acre state,
do esqueleto axial e apendicular. O fragmento SP; 2Departamento de Biologia e Zootecnia, Faculdade GATORIDAE) enabling a more accurate geographical and strati-
102 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia

graphic mapping of the occurrence of this taxon 0001-04), em especial quando comparado à den-
at the Upper Miocene paleonvironments in the tição. Outro espécime que se assemelha a dentição
Southwestern Amazon. deste novo registro é o RCL-100, referido a Spha-
gesaurus huenei. Morfologicamente, este espécime

estaria próximo a Sphagesaurus huenei e Armadillo-
OCORRÊNCIA DE UM ESPÉCIME DE suchus arrudai, em comparação com outros táxons
SPHAGESAURIDAE DO CRETÁCEO SU- de menor semelhança, representados por gêne-
PERIOR (SANTONIANO/CAMPANIANO) ros, como: Caipirasuchus stenognathus, Caipirasuchus
EM GENERAL SALGADO-SP / OCCURRENCE montealtensis , Caipirasuchus paulistanus e Yacareranis
OF A SPHAGESAURID SPECIMEN FROM UPPER CRETA- boliviensis. Este novo registro está depositado no
CEOUS (Santonian/Campanian) IN GENERAL SALGADO- Laboratório de Paleontologia da UNESP de Rio
-SP Claro (SP), sem registro de identificação até pre-
sente momento, onde permanece sobre análise.
VITOR BASSI MAZZONI
Professor da Rede Estadual de Ensino de São José do 
Rio Preto, SP. Aluno de graduação em Biologia pela
Universidade Metropolitana de Santos.
vitorbassimazzoni@hotmail.com

Este estudo apresenta um novo fóssil de um Spha-


gesauridae (Notosuchia), encontrado na fazenda
São José, antiga fazenda Buriti, distrito de Pru-
dêncio e Moraes, General Salgado (SP). Os fósseis
nesta fazenda estão distribuídos dentro das cotas
de 370 e 400 metros de altitude, sendo que este
novo fóssil foi coletado na cota de 374 metros. O
local de coleta foi nas coordenadas 20°34’00.6”S
50°27’55.0”W, em rochas da Formação Vale do
Rio do Peixe. Foram preservados dentes fragmen-
tários e completos, a mandíbula fragmentária, o
pré-maxilar fragmentário, parte do maxilar direi-
to fragmentário, fragmentos de costelas e alguns
fragmentos da cintura escapular. A partir da com-
paração da mandíbula fragmentária que apresenta
17,4 centímetros de comprimento, foi possível
estimar o tamanho do crânio que seria de apro-
ximadamente 35 centímetros. Com o tamanho
aproximado do crânio, foi possível dimensionar o
comprimento do espécime, que seria de aproxi-
madamente 2,37 metros. Para chegar a este com-
primento, foi observado a relação entre crânio e
comprimento de outros registros da mesma famí-
lia no Grupo Bauru. Os dentes apresentam feições
típicas da Família Sphagesauridae, com estrias lon-
gitudinais e carenas serrilhadas. Grande parte do
espécime se apresenta fragmentado, com ausência
de partes caudais e membros apendiculares. O
material apresenta semelhanças morfológicas com
o parátipo de Armadillosuchus arrudai (MPMA-64-
104 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 105

Sessão temática

Diálogos: Paleoarte
e Divulgação
106 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Diálogos: Paleoarte e Divulgação 107

PELOS CAMINHOS DE LUND: PALEON- dos materiais mistura linguagem científica e po- Santa Maria da Vitória e São Desidério. Utilizan- do Piauí, campus Amílcar Ferreira Sobral, Floriano, PI.
TOLOGIA E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM pular na mesma frase. Quanto à EA, seis materiais do-se painéis explicativos, a atividade iniciou-se raianysmoura12@gmail.com
MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA ROTA abordaram o assunto sob a perspectiva das macro- com uma breve explanação sobre conceitos bási- lucienydacostaesilva@gmail.com • isabela.isa950@gmail.com
DAS GRUTAS, MG / PATHWAYS OF LUND: PALE- tendências político-pedagógicas conservacionista cos (fósseis e icnofósseis, processos de fossilização karlapaleo@gmail.com • janielly28@gmail.com
ana.emilia@ufpi.edu.br • fortier@ufpi.edu.br
ONTOLOGY AND ENVIRONMENTAL EDUCATION IN (destinação do lixo e como evitar incêndios) e e tempo geológico) e os objetivos e resultados do
PROMOTIONAL MATERIAL OF THE PETER LUND CAVES pragmática (desenvolvimento e consumo susten- Projeto FIOL: Salvamento Paleontológico. Em Com o auxílio da Paleontologia é possível dimen-
ROUTE, MG táveis). Não houve integração, especificamente, seguida, procedeu-se a visita ao acervo, o qual sionar o espaço e o tempo das transformações que
entre paleontologia e EA. Destacamos uma frase consiste de icnofósseis e fósseis de invertebrados, aconteceram e acontecem no planeta e com os se-
CAMILA NEVES SILVA1, ANGÉLICA COSENZA2,
encontrada em um jogo, revelando uma EA que vertebrados e plantas identificados por fichas con- res vivos. No entanto, esta área científica ainda é
GUSTAVO MARTINS STROPPA3
exclui as comunidades do entorno, colocando-as tendo nome, idade e uma imagem com a reconsti- pouco conhecida pela população, apesar de ocor-
1
Instituto de Ciências Humanas, Departamento de Ge-
ociências, Laboratório de Geologia e Pedologia, Uni-
como empecilhos à Unidade de Conservação. A tuição do organismo. No intuito de facilitar a com- rer divulgação na mídia, principalmente sobre os
versidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG. pouca presença da paleontologia em MEI da Rota preensão dos visitantes, foram disponibilizados dinossauros e a megafauna, mas deixando a desejar
2
Faculdade de Educação, Departamento de Educação, das Grutas e sua não ligação com a EA revelam a conchas de moluscos e esqueletos de coral, ouri- demais informações sobre a história da Terra. O
Grupo de Pesquisas e Estudos em Educação Ambiental, importância de se ampliar não apenas a discussão ços-do-mar e bolacha-de-praia recentes para com- objetivo é divulgar a Paleontologia e os trabalhos
Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, MG. sobre a divulgação e popularização da paleontolo- paração com seus respectivos fósseis; modelos em
3
Escola Municipal CAIC Professora Núbia Pereira de que são realizados pela equipe do Laboratório de
Magalhães, Prefeitura Municipal de Juiz de Fora, MG.
gia, mas o potencial da EA para fazê-lo, em espe- gesso de paleoinvertebrados extintos; e réplicas Geociências e Paleontologia (LGP), campus Amí-
cial em sua vertente crítica, que poderia incorpo- em resina dos fósseis resgatados/descobertos pelo lcar Ferreira Sobral (CAFS/UFPI). Para realizar
camilaneves.bio@gmail.com • ar_cosenza@hotmail.com
gustavo.cbio@yahoo.com.br rar saberes populares, facilitar a abordagem cientí- projeto nos canteiros de obras da FIOL. Em todos os objetivos traçados os professores e a equipe do
fica para as comunidades que vivem nesses locais e os municípios, a exposição foi muito bem recebida LGP promovem eventos em comemoração ao Dia
Sítios espeleológicos muitas vezes estão associados integrar paleontologia e problemática ambiental. pelos visitantes que demonstraram seu interesse do Paleontólogo e feiras de paleontologia com os
a um patrimônio paleontológico (incluído como através de perguntas e registros fotográficos. Além temas abordados durante as aulas. Na primeira

Patrimônio Cultural na Constituição Federal do disso, o público se surpreendeu ao constatar que edição do evento foram realizadas oficinas sobre
Brasil) de grande valor, cuja divulgação permite IMPORTÂNCIA DAS EXPOSIÇÕES DE na região em que eles residem também há ocor- o tempo geológico e de réplicas em gesso e isopor
a expansão do conhecimento científico e a apro- FÓSSEIS PARA DIFUSÃO DA PALEONTO- rências fossilíferas, corroborando a relevância XPS reciclável, além de apresentações de pales-
ximação com segmentos sociais fora do ambiente LOGIA NOS MUNICÍPIOS DA FERROVIA da atividade para a difusão do conhecimento pa- tras e dos trabalhos desenvolvidos no laboratório.
acadêmico, via conhecimento popular, o que pode DE INTEGRAÇÃO OESTE-LESTE / IMPOR- leontológico junto às comunidades da região de Nele recebemos um total de 200 inscritos, sendo
ser facilitado por meio da Educação Ambiental - TANCE OF FOSSIL EXHIBITIONS FOR PALEONTOLOGY influência da Ferrovia de Integração Oeste-Leste. o público composto por alunos da UFPI, UESPI e
EA. O objetivo deste trabalho é analisar quantita- DIFFUSION IN CITIES OF THE WEST-EAST INTEGRA- [Termo de Cooperação para Descentralização de IFPI. Na segunda, foi realizada uma exposição dos
tivamente e qualitativamente o Material Educativo TION RAILWAY Crédito Nº 002/2013 firmado entre a VALEC En- fósseis da coleção do LGP no CAFS/UFPI, onde
Informativo - MEI - distribuído nos locais de aces- genharia, Construções e Ferrovias S.A. e a UFRB] contamos com a visita de aproximadamente 100
JULIANA MARUYAMA, FELIPE DE SENA DIAS UR-
so às grutas incluídas na Rota das Grutas, em Mi- pessoas. As feiras ocorrem uma vez por semestre,
PIA, SIMONE SOUZA DE MORAES 
nas Gerais, em especial nos quesitos “divulgação envolvendo os discentes da disciplina, além dos
Instituto de Geociências, Universidade Federal da
da paleontologia” e “ligações com a EA”. O mate- Bahia, Salvador, BA.
DIVULGAÇÃO DA PALEONTOLOGIA NA bolsistas do LGP. Os organizadores são separa-
rial adquirido na Gruta do Maquiné, em Cordis- UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ, dos em pequenos grupos que ficam responsáveis
july.maru@hotmail.com • urpia.felipe@gmail.com
burgo; na Gruta do Rei do Mato, em Sete Lagoas; smoraes@ufba.br CAMPUS AMÍLCAR FERREIRA SOBRAL, por apresentar diferentes temáticas (e.g. períodos
e na Gruta da Lapinha, em Lagoa Santa, foi ana- FLORIANO – PI / PALEONTOLOGY DISCLOSURE geológicos), e de acordo com cada tema, eles re-
lisado de acordo com a presença/ausência de 11 O Projeto FIOL: Salvamento Paleontológico é de- IN UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ, CAMPUS AMÍL- passam os conhecimentos adquiridos em forma de
critérios quantitativos, como “Informações sobre senvolvido pela UFRB em pareceria com a UFBA, CAR FERREIRA SOBRAL, FLORIANO – PI reconstruções, blocos diagramas, jogos, banners,
os fósseis já encontrados no local”, “Imagens dos UEFS e UESB com o objetivo de realizar pesquisa e desenhos para que as pessoas compreendam de
FRANCISCA RAIANY SOARES DE MOURA1, LU-
fósseis da região”, “Educação Ambiental”, dentre e salvamento de fósseis e atividades de educação forma mais simples possível. As exposições ocor-
CIENY RAQUEL DA COSTA E SILVA1, ISABELA
outros. Para análise qualitativa foram considerados paleontológica nos municípios da região de influ- rem no hall do restaurante universitário ou nos
BARBOSA PASSARINHO2, KARLA JANAISA GON-
critérios como a linguagem utilizada, atratividade ência da Ferrovia de Integração Oeste-Leste. No corredores do campus, com o intuito de atingir
ÇALVES LEITE1, JANIELE CRUZ SANTOS1, ANA
à leitura, e outros aspectos que se destacam no que tange à difusão da Paleontologia, entre os dias um público mais amplo. Nas feiras já passaram de
EMILIA QUEZADO FIGUEIREDO2, DANIEL COS-
material. Dos 11 materiais analisados, encontra- 27 e 31 de maio de 2019, foi realizada a exposição 400 visitantes, sendo alunos do Curso de Biologia
TA FORTIER1,2
mos apenas um com uma imagem de um fóssil da “Fósseis: O que são e porque preservá-los” para e de outros cursos do campus, alunos do Colégio
¹Programa de Pós-Graduação em Geologia, Laborató-
região, enquanto outros cinco têm informações estudantes e o público em geral em Colégios da rio de Paleontologia, Universidade Federal do Ceara, Técnico de Floriano e funcionários da instituição.
superficiais sobre esses fósseis, dois deles com Rede Pública Estadual de Ensino Básico da Bahia Fortaleza, CE; ²Laboratório de Geociências e Paleonto- Estes eventos são importantes para populariza-
conteúdo dedicado à história de Peter Lund. Um situados nos municípios de São Félix do Coribe, logia, Núcleo de História Natural, Universidade Federal ção da Paleontologia e divulgação dos fósseis e
108 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Diálogos: Paleoarte e Divulgação 109

dos trabalhos científicos realizados na universi- e fotografias de espécimes de Tropeognathus cf. T. início do século XX, os dinossauros se populari-
dade. A equipe do LGP pretende torna-los mais mesembrinus (MN 6594-V, MCT1838 R, MPSC R zaram no meio literário com “O Mundo Perdido”
abrangentes, levando a divulgação para além dos 1395, BSP 1987) e Anhanguera piscator (NSV-PV (1912), de Arthur Connan Doyle (1859-1930)
muros da universidade. [CAPES; CNPq proc. 19892) e teve a supervisão do prof. Dr. Luiz Anelli e com a personagem “Gertie” (1913), nas tiras
462381/2014-5 e 310168/2016-3] da USP. Foram reconstruídos 148 ossos individu- dominicais de Winsor McCay (1866-1934). Em
ais. As dimensões obtidas de cada fonte foram nor- 1914, Gertie estreou o filme “Gertie the dinosaur”

malizadas para o maior espécime (MN 6594-V), e, juntamente com “Brute Force” se tornaram os
RECONSTRUÇÃO DE UM PTEROSAURO que apresenta uma envergadura de asa de 8 me- primeiros filmes a conter dinossauros. Porém, o
Tropeognathus mesembrinus PARA O MU- tros. Como praticamente todos os ossos são ocos, maior apelo surgiu com a adaptação cinematográ-
SEU INTERATIVO DE CIÊNCIAS DE SÃO o esqueleto final não pesa mais que 3 quilos. No fica de “O Mundo Perdido”, (1925) e em “King
JOSÉ DOS CAMPOS/SP / RECONSTRUCTION interior dos ossos foram colocados tubos para a Kong” (1933). Nas décadas seguintes, apareceram
OF A Tropeognathus mesembrinus PTEROSAUR FOR passagem de cabos de nylon usados para unir as nas revistas pulps e também nos quadrinhos na
THE INTERACTIVE SCIENCE MUSEUM OF SÃO JOSÉ articulações. O esqueleto foi suspenso em sua pos- revista Turok (1954). Já nas décadas de 80 e 90,
DOS CAMPOS/SP tura de voo por cabos finos de aço inox revestidos com o movimento apelidado de “renascença dos
de nylon presos a uma estrutura de alumínio. dinossauros”, conduzido principalmente pelo pa-
HELDER DA ROCHA
leontólogo Robert Bakker (1945-), esses animais
Artista independente, João Pessoa, PB.  passaram a serem percebidos como animais ativos,
helder@argonavis.com.br
com hábitos tão complexos quanto mamíferos e
UM BREVE RELATO SOBRE OS DINOS-
Este trabalho descreve a pesquisa realizada e téc- aves. Seguindo essa tendência, dois romances sur-
SAUROS NA CULTURA POPULAR / A BRIEF
nicas usadas durante o processo de reconstrução giram, criando uma nova imagem dos dinossauros,
REPORT OF DINOSAURS IN POPULAR CULTURE
de um esqueleto de pterossauro Tropeognathus me- Jurassic Park (1991), de Michael Crichton (1942-
TATIANE BARBOSA MARTINS1, JULIAN CRISTIAN 2008) e Raptor Red (1995), escrito pelo próprio
sembrinus com 8 metros de envergadura de asa em
GONÇALVES DA SILVA JUNIOR2 Bakker. O sucesso definitivo foi em 1993, com
posição de voo para o Museu Interativo de Ciências
de São José dos Campos, usando folhas de espuma de
1
Laboratório de História e Teoria da Biologia, FFCLRP- a adaptação cinematográfica de Jurassic Park. O
-USP, Ribeirão Preto, SP; 2Laboratório de Paleontolo- filme foi fundamental para popularização dos di-
poliestireno extrudido (XPS). Essa técnica artesa- gia, FFCLRP-USP, Ribeirão Preto, SP.
nal, similar as técnicas de papel como papercraft, nossauros e influenciou a maneira como são vistos
tatianebarbosa.m@gmail.com até hoje. É interessante perceber que a maneira
já foi utilizada previamente em reconstruções de juliancristiangoncalves@gmail.com
esqueletos completos de pterossauros, dentre eles como os dinossauros são retratados na mídia está
o Tupuxuara leonardii, exposto no Instituto de Ge- Apesar de fósseis serem conhecidos como restos em constante mudança, sempre acompanhando as
ociências da USP e o Tapejara wellnhoferi, do Museu de animais desde o século XVII, foi só com os estu- novas descobertas científicas do meio.
dos Dinossauros de Peirópolis, em Uberaba. XPS é dos de George Cuvier (1796-1832) e com a cria- 
uma espuma frequentemente usada em isolamen- ção da palavra “Dinossauro”, por Richard Owen
to térmico e acústico, embalagens de alimentos, concebido entre 1841 e 1842, que estes animais
publicidade e sinalização temporária em eventos. passaram a serem conhecidos em museus e pela
É facilmente encontrada no lixo, onde pedaços sociedade científica. Aqui, apresentamos breve-
podem ser reciclados para construir as réplicas de mente como os dinossauros foram retratados ao
ossos. Tem baixa flamabilidade, baixa toxicidade longo dos últimos séculos no campo cultural e ar-
e é fácil de modelar, cortar, deformar e alterar a tístico, assim como nas ilustrações, literatura e ci-
textura com calor. O calor combinado com uma nema. As descobertas de Owen e Cuvier levaram
camada de emulsão de polímero acrílico à base de às primeiras representações de dinossauros com
água, transmite às peças um aspecto de osso e ga- pinturas e esculturas, mostrando criaturas repti-
rante maior resistência. Os ossos foram fabricados lianas, sem acuracidade anatômica e que lembra-
com folhas de 2, 3 e 5mm de XPS que são dobra- vam representações mitológicas de monstros pre-
das, cortadas e coladas para produzir peças com o sentes em bestiários de séculos anteriores. Essa es-
interior oco, que depois são aparadas, moldadas tética perdurou até o final do século XIX, quando
com calor, e recebem acabamento com resinas e o paleoartista Charles Knight (1874-1953) rede-
tinturas. O resultado são ossos muito leves mas finiu a percepção pública acerca dos dinossauros,
estrutura firme. A pesquisa utilizou descrições com pinturas anatomicamente mais corretas. No
110 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 111

Sessão temática

Tempo: Bioestratigrafia
e Datação
112 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Tempo: Bioestratigrafia e Datação 113

CORRELAÇÃO BIOESTRATIGRÁFICA DE de 0,177 mm, para catação dos conodontes, fauna tudo a algumas centenas de quilômetros fora da Esferas vítreas e metálicas foram recuperadas em
CONODONTES DAS BACIAS DO AMA- associada e minerais. Nas amostras da Formação área do choque. Esse material normalmente ad- diversas amostras de calha provenientes de dois
ZONAS E DO PARNAÍBA, FORMAÇÕES Piauí, Bacia do Parnaíba, foram encontradas im- quire formas de gotas, arredondadas, esféricas ou poços perfurados pela Petrobrás na porção of-
ITAITUBA E PIAUÍ / BIOSTRATIGRAPHIC COR- portantes conodontes das espécies Declinognatho- alongadas, sendo resultado da altitude que atingiu fshore da Bacia de Barreirinhas. O preenchimento
RELATION OF CONODONTS FROM AMAZONAS AND dus noduliferus, Neognathodus medexultimus, Idiogna- após ser arremessado e das altas temperaturas pro- sedimentar da Bacia de Barreirinhas é composto
PARNAÍBA BASINS, ITAITUBA AND PIAUÍ FORMATIONS thodus incurvus, I. sp., Neognathodus cf. symmetricus, duzidas pelo impacto do meteorito. Aproximada- por duas sequências estratigráficas: de rifte (Eo-
marcadores do Pensilvaniano Inferior, Bashkiria- mente quinhentas esférulas vítreas microscópicas, albiano) e margem passiva. Foram recolhidas
SANMYA KAROLYNE RODRIGUES DIAS1, RENA-
no. Nos carbonatos estudados da Formação Itaitu- atribuídas ao impacto de meteoritos, foram en- 300 esferas vítreas e metálicas e 150 fragmentos,
TO SOL PAIVA DE MEDEIROS1, PEDRO AUGUSTO
ba, Bacia do Amazonas, as espécies de conodontes contradas em sete poços estratigráficos da Forma- cuja origem pode estar relacionada ao impacto
SANTOS DA SILVA1, ANA KARINA SCOMAZZON2,
encontradas são Streptognathodus sp., Idiognathodus ção Itaituba, Bacia do Amazonas, em estratos do de meteorito. Oferecendo grande potencial de
SARA NASCIMENTO2, JOELSON LIMA SOARES1,
incurvus, I. sp., Neognathodus symmetricus e Ellisonia Bashkiriano. Essas esférulas têm dimensões entre correlação intercontinental, os impactos de me-
AFONSO CESAR RODRIGUES NOGUEIRA1
sp., os quais sugerem uma idade Pensilvaniana In- 200 e 500μm, são translúcidas e, em alguns dos teoritos são eventos instantâneos e distribuem
1
Instituto de Geociências, Universidade Federal do
Pará, Belém, PA; 2Instituto de Geociências, Universi-
ferior, Bashkiriana. Em ambas formações, pode-se poços estudados, se encontram revestidas por uma seus ejetos em amplas áreas dependendo de sua
dade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. observar a presença de conodontes dos gêneros capa de pirita (FeS). Formas alongadas e de halte- dimensão. Ao se chocar com a superfície da Terra,
Neognathodus e Idiognathodus, os quais são impor- res também foram encontradas e, em alguns casos, o material de origem terrestre se funde com os
Durante o Carbonífero, a Bacia do Amazonas es- tantes marcadores bioestratigráficos mundiais e apresentam um sulco com uma projeção para fora, restos do meteorito, liberando energia, e ejetando
teve conectada por um mar epicontinental que constituem a correlação bioestratigráfica entre as talvez uma característica do impacto. Para o estu- tudo a algumas centenas de quilômetros fora da
desaguava no Oceano Panthalassa. A chegada sucessões pensilvanianas das bacias do Parnaíba e do da forma e composição desse material foram área do choque. Essa rocha fundida pode alcançar
desse mar também é registrada em estratos trans- do Amazonas. obtidas imagens retroespalhadas de alta resolução grandes altitudes retornando a superfície terres-
gressivos da Bacia do Parnaíba, em particular nas no MEV – Microscópio Eletrônico de Varredura tre moldada aerodinamicamente como esferas ou

sucessões carbonáticas-siliciclásticas dos depósi- JEOL 6610 LV e realizadas análises composicio- gotas, este material (microtectitos), normalmente
tos Mocambo da Formação Piauí. As assembleias ESFERULAS VÍTREAS (MICROTECTI- nais semi-quantitativas em EDS – Espectroscopia possui origem terrestre sendo resultado das altas
fossilíferas encontradas nesses depósitos trans- TOS) ASSOCIADAS A CONODONTES DO de Energia Dispersiva, no Laboratório de Geolo- temperaturas produzidas pelo meteorito. A exis-
gressivos das bacias do Amazonas e do Parnaíba BASHKIRIANO DA FORMAÇÃO ITAITU- gia Isotópica da UFRGS. A análise destas esféru- tência de material vítreo e metálico mais grosso
são similares em gêneros, em especial quanto à BA, BACIA DO AMAZONAS, BRASIL las, e sua origem, como resultante do impacto de e sem forma definida sugere proximidade com a
braquiopodes, moluscos e conodontes, atestando VITREOUS SPHERES (MICROTECTITES) ASSOCIATED meteoritos, são importantes aquisição para o en- área do impacto, uma vez que esses materiais não
a conexão entre as bacias por um extenso mar epi- WITH BASHKIRIAN CONODONTS OF THE ITAITUBA tendimento de eventos geológicos e cosmológicos são projetados a grandes distâncias como ocorre
continental. A similaridade do registro das faunas FORMATION, AMAZONAS BASIN, BRAZIL ocorridos no Paleozoico superior e sobre os efei- com os microtectitos. Para o estudo deste mate-
de conodontes dessas unidades é observado a par- tos destes sobre os fósseis das seções estudadas. rial foram obtidas imagens retroespalhadas de alta
ANA KARINA SCOMAZZON, SARA NASCIMEN-
tir da ocorrência de espécimes de mesmo gênero resolução no Microscópio Eletrônico de Varredura
TO, MARIA LIDIA VIGNOL-LELARGE, VALESCA 
para as formações Itaituba e Piauí, indicando uma (MEV JEOL 6610 LV) e análises da composição
BRASIL LEMOS, JORDANA MARIA VICCARI, JAI-
idade Pensilvaniano Inferior para ambos depósi- ESFÉRULAS VÍTREAS (MICROTECTITOS) química dos microtectitos semi-quantitativas em
ME YESID SUAREZ IBARRA, CRISTIANE PAKULSKI
tos. Na Formação Piauí, foram estudados os de- DO CRETÁCEO SUPERIOR DA BACIA DE Espectroscopia de Energia Dispersiva (EDS – La-
DA SILVA, TAIS FONTES PINTO
pósitos do calcário Mocambo, na região de José BARREIRINHAS, BRASIL / VITREOUS SPHE- boratório de Geologia Isotópica da UFRGS). Estas
de Freitas (PI), relacionados às incursões marinhas Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio RES (MICROTECTITES) OF THE UPPER CRETACEOUS OF análises são importantes para auxiliar no entendi-
concomitantes aos eventos de desertificação do Grande do Sul, Porto Alegre, RS.
THE BARREIRINHAS BASIN, BRAZIL mento de eventos geológicos ocorridos nesta uni-
final do Carbonífero. Enquanto que na Formação akscomazzon@ufrgs.br • aiatha@yahoo.com.br dade estratigráfica, bem como, os efeitos destes
lidia.vignol@ufrgs.br • valesca.lemos@ufrgs.br CRISTIANE PAKULSKI DA SILVA1, SARA NASCI-
Itaituba, foram estudados os testemunhos de son- jordana.viccari@gmail.com • jaime_yesid16@hotmail.com sobre os microfósseis da seção estudada. A idade
MENTO1, ANA KARINA SCOMAZZON1, MARIA LI-
dagem F1 e F11 na região de Uruará (PA), com- pakulski2016@gmail.com • tais.fontes1@gmail.com apontada pela associação de foraminíferos planc-
DIA M. VIGNOL1, TAIS FONTES PINTO1, VALESCA
postos predominantemente por carbonatos mari- tônicos encontrados indica que as seções estudadas
BRASIL LEMOS1, VLADIMIR DE SOUZA2
nhos. O processo de preparação dessas amostras Oferecendo grande potencial de correlação inter- pertençam ao Cretáceo Superior, andares Ceno-
continental, os impactos de meteoritos são even-
1
Instituto de Geociências, Universidade Federal do Rio
consistiu em quebrar o material até o tamanho de Grande do Sul, Porto Alegre, RS; 2Instituto de Geociên- maniano/Turoniano para um dos poços e Campa-
2 cm, realizar a digestão das amostras com 800 tos instantâneos que podem produzir materiais cias, Universidade Federal de Roraima, RR. niano/Maastrichtiano para a outro. A similaridade
mL de água e 200 mL de ácido acético (carbona- que são ejetados em amplas áreas, dependendo do pakulski2016@gmail.com • aiatha@yahoo.com.br dos microtectitos encontrados com os da Bacia de
tos) e ou peróxido de hidrogênio (folhelhos) em tamanho do bólido. Ao se chocar com a superfí- akscomazzon@ufrgs.br • lidia.vignol@ufrgs.br Campos, Golfo do México e Atlântico Norte, leva
baldes de 1,5 L, peneiramento das amostras em cie da Terra, o material de origem terrestre seja tais.fontes1@gmail.com • valesca.lemos@ufrgs.br a supor que estes também sejam registro do ejeto
malha de 0,074 mm, secagem na estufa e triagem solo, sedimento ou rocha, se funde com os res- vladisouza@yahoo.com.br de baixo ângulo proveniente do bólido que gerou
do sedimento com novo peneiramento em malha tos do meteorito liberando energia e projetando a cratera de Chicxulub. Os poços distam 5.600 km
114 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Tempo: Bioestratigrafia e Datação 115

da cratera e a distância entre ambos é de aproxi- os restos esqueletais de répteis mesossaurídeos, anacahorn@gmail.com • koester@ufgrs.br • gersonjterra@ -orgânica, intercalados com lâminas siliciclásticas
madamente 150km. muito abundantes naquele afloramento. Ofere- gmail.com • akscomazzon@ufgrs.br • andreabreumartins@ e carbonáticas nas metamargas. Assim, a partir do
yahoo.com.br • jaime_yesid16@hotmail.com
cendo grande potencial de correlação intercon- estudo das rochas metassedimentares do Com-

tinental, os impactos de meteoritos são eventos A formação da Terra se deu a aproximadamente plexo Batovi, podem ser inferidas informações
EVENTO DE IMPACTO EXTRATERRES- instantâneos e, ao se chocarem com a superfície 4,5 Ba, no Hadeado. A atmosfera primitiva sofreu sobre eventos de sedimentação e metamorfismo,
TRE NA FORMAÇÃO IRATI, PERMIANO da Terra, o material de origem terrestre que se transformações e no Arqueano os mares foram se auxiliando no entendimento da formação da sedi-
DA BACIA DO PARANÁ E SUA POSSÍVEL funde com os restos dos meteoritos é projetado tornando oxigenados, dentre outros fatores, pelo mentação, evolução tectônica regional e com este
RELAÇÃO COM A EXTINÇÃO DOS ME- em ampla área, a centenas de quilômetros, fora surgimento dos primeiros organismos, com estru- achado de microbialitos, na discussão sobre o re-
SOSSAURÍDEOS NESTA ÁREA / EXTRATER- da área do choque, liberando energia resultante tura celular simples, chamados procariontes. Estas conhecimento da existência de vida primitiva no
RESTRIAL IMPACT EVENT IN THE IRATI FORMATION, das altas temperaturas produzidas pelo meteorito. formas de vida primitiva foram encontradas em Escudo Sul-rio-grandense.
PERMIAN OF PARANÁ BASIN AND ITS POSSIBLE RELA- Essa rocha fundida pode alcançar grandes altitudes esteiras microbianas e bioconstruções com rele-
TIONSHIP WITH THE EXTINCTION OF MESOSSAURS IN retornando a superfície terrestre moldada aerodi- 
vo, denominados de estromatólitos, a aproxima-
THIS REGION namicamente como esferas ou gotas chamadas de damente 3,5 Ba na Austrália. No Brasil os estro- PALINOESTRATIGRAFIA E PALEOAM-
microtectitos. Para o estudo desse material foram matólitos são conhecidos desde o Pré-Cambriano
SARA NASCIMENTO1, ANA KARINA SCOMA- BIENTES DA FORMAÇÃO SOLIMÕES NO
obtidas imagens retroespalhadas de alta resolução ao Fanerozoico, em unidades cronoestratigráficas
ZZON1, MARIA LIDIA VIGNOL-LELARGE1, PEDRO POÇO 1AS-9-AM, AMAZONAS / PALYNOS-
no MEV – Microscópio eletrônico de Varredura distintas, normalmente associados a rochas carbo-
LUIS XAVIER1, VALESCA BRASIL LEMOS1, JORDA- TRATIGRAPHY AND PALEOENVIRONMENTS OF THE
JEOL 6610 LV e realizadas análises semi-quanti- náticas. No Rio Grande do Sul, o Escudo Sul-rio-
NA MARIA VICCARI1, JAIME YESID SUAREZ IBAR- SOLIMÕES FORMATION, WELL 1AS-9-AM, AMAZONAS
tativas da composição química dos microtectitos grandense apresenta diversas ocorrências de me-
RA1, CRISTIANE PAKULSKI DA SILVA1, DOUGLAS STATE
em EDS – Espectroscopia de Energia Dispersiva, tacarbonatos pré-cambrianos. O Complexo Bato-
GALANTE2, FLÁVIA CALLEFO2, MIRIAM PACHE-
no Laboratório de Geologia Isotópica da UFRGS BRUNO SCUDEIRO ESPINOSA, CARLOS D’APO-
CO3, LARA MALDANIS2, TAIS FONTES PINTO1, vi, localizado a sudoeste da cidade de São Gabriel,
e XRF – Fluorescência de Raios X no Sincrotron LITO, SILANE A. F. SILVA CAMINHA
MÁRCIA BOSCATO1, CARLA CRISTINE POR- representa uma dessas ocorrências, sendo carac-
do CNPEM – Centro Nacional de Pesquisa em terizado por uma sedimentação marinha cujos re- Laboratório de Paleontologia e Palinologia de Mato
CHER1
Energia e Materiais, Campinas, SP. Essas análises Grosso, Faculdade de Geociências, Universidade Fede-
1
Instituto de Geociências, Universidade Fede- gistros atuais podem ser observados associados ao ral de Mato Grosso, Cuiabá, MT.
ral do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. são importantes para o entendimento de eventos Lineamento de Ibaré, no limite entre os Terrenos
geológicos e cosmológicos ocorridos nesta unida- bruno.scudeiro@gmail.com • carlosdapolito@gmail.com
2
Centro Nacional de Pesquisa em Energias e Materiais, Taquarembó e São Gabriel. O Complexo Batovi é silane.silva@gmail.com
Laboratório Nacional de Luz Sincrotron, Campinas, SP. de estratigráfica, bem como nos efeitos deles so- formado por rochas metassedimentares de origem
3
Departamento de Biologia, Universidade Federal de bre os fósseis de mesossaurídeos, entre outros da
São Carlos, Sorocaba, SP. siliciclástica, vulcanoclástica e carbonática, inter- Nas fases iniciais do Mioceno, a Amazônia foi do-
seção estudada. Para avaliar a abrangência lateral caladas com rochas vulcânicas e granitos. A idade minada por um sistema alagadiço raso com exten-
aiatha@yahoo.com.br • akscomazzon@ufrgs.br desse impacto e dos microtectitos resultantes, es-
lidia.vignol@ufrgs.br • xavier.pedroluis@gmail.com de proveniência U-Pb em zircão dos metarenitos sas planícies de inundação. Nos períodos finais do
valesca.lemos@ufrgs.br • jordana.viccari@gmail.com
tão sendo feitos estudos em outras localidades da associados aos metacarbonatos do complexo é de Mioceno, o sistema fluvial se estabeleceu e tor-
jaime_yesid16@hotmail.com • pakulski2016@gmail.com Bacia do Paraná, dentro e fora do Estado do Rio 1,7 Ba e a idade do metamorfismo Rb-Sr em rocha nou-se parecido com o atual, sendo que estes re-
douglas.galante@lnls.br • flacallefo@yahoo.com.br Grande do Sul, relacionadas à Formação Irati. total (isócrona com os metarenitos e metacarbo- gistros estão depositados em rochas da Formação
forancelli.ufscar@gmail.com • lara.maldanis@lnls.br Solimões. Como intuito de detalhar a história do
tais.fontes1@gmail.com • marcia.boscato@ufrgs.br  natos) é de 670 Ma. Portanto, até o momento o
carla.porcher@ufrgs.br complexo é considerado de idade meso/neopro- Neógeno da Amazônia, este trabalho visa estabele-
MICROBIALITOS MESO/NEOPROTERO- terozoica. Sob ponto de vista paleoambiental o Ba- cer os eventos bioestratigráficos no poço 1AS-09-
Esférulas vítreas microscópicas atribuídas ao im- ZOICOS NO COMPLEXO BATOVI, SÃO tovi representa uma sequência formada por depó- AM (4º53’S/70º09’W), no sudoeste do estado do
pacto de meteoritos foram encontradas no aflo- GABRIEL, RS. EVIDÊNCIA DO REGISTRO sitos de fundo marinho, de plataforma continen- Amazonas, atingindo 351,9 metros. A preparação
ramento denominado Passo do São Borja, no RS, DE VIDA MAIS ANTIGO DO ESCUDO SUL- tal, turbidíticos progradantes e depósitos arenosos de 10 amostras deste intervalo seguiu a metodolo-
pertencente à Formação Irati. Essa formação, de -RIO-GRANDENSE? / MESO/NEOPROTEROZOIC de mar raso. Nas rochas carbonáticas (metamar- gia padrão com uso de HCL, HF e separação gra-
idade artinskiana (Permiano Inferior), é a unida- MICROBIALITES IN THE BATOVI COMPLEX, SÃO GA- vimétrica usando cloreto de zinco. A análise cons-
gas), foram encontradas estruturas sedimentares
de basal do Grupo Passa Dois da Bacia do Paraná. BRIEL, RS. EVIDENCE OF THE OLDEST RECORD OF LIFE titui na contagem e identificação de 300 grãos de
laminadas e por vezes dômicas, centimétricas, que
No Brasil a Bacia do Parána aflora na borda leste IN THE SUL-RIO-GRANDENSE SHIELD? pólen e esporos em cada nível amostrado do poço,
ao serem analisadas sob ponto de vista macroscó-
da bacia, do estado de Goiás ao Rio Grande do ANA CAROLINA HORN, EDINEI KOESTER, GER- pico, petrográfico e geoquímico, estão aqui sendo entre as profundidades 254,53 m a 40,53 m. Os
Sul sendo correlata das Formações Mangrullo, SON JOSÉ SALAMONI TERRA, ANA KARINA SCO- sugeridas como esteiras microbiais. A ocorrência esporomorfos mais abundantes foram Laevigatos-
no Uruguai, e Whitehill, no sul da África. Foram MAZZON, ANDRE ABREU MARTINS, JAIME YESID dos microbialitos é observada tanto em macroes- porites tibuensis, Polypodiisporites usmensis, Psilatriletes
encontradas 600 esférulas de cor âmbar, algumas SUAREZ IBARRA cala, evidenciada pela caracterização bioarquitetu- 25-50, Mauritiidites franciscoi e Monoporopollenites
com revestimento metálico. Outras 400 esferas Instituto de Geociências Universidade Federal do Rio ral, com morfologia planar, quanto na microscopia annulatus. Os biomarcadores encontrados foram
foram encontradas aglutinadas ou fundidas com Grande do Sul, Porto Alegre, RS. óptica, através de filmes milimétricos de matéria- Grimsdalea magnaclavata, Crassoretitriletes vanra-
116 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Tempo: Bioestratigrafia e Datação 117

adshooveni, Cichoreacidites longispinosus e Ladakhipol- to, como o Quaternário tardio, não se encontram BIOESTRATIGRAFIA E PALEOECOLOGIA melbein, 1965 e do gênero Salvadoriella Krommel-
lenites? caribbiensis. A partir dos níveis amostrados, muitas destas mudanças. A distribuição espacial DOS ANDARES DOM JOÃO E RIO DA SER- bein, 1963, representando a associação da biozona
inferiu-se duas biozonas, sendo a parte inferior dos foraminíferos planctônicos atuais é contro- RA DA BACIA DE JATOBÁ, NORDESTE DO RT-004. As biozonas RT-003 e RT-004 pertencem
do poço (254,53 a 55,56m) pertencente à Zona lada principalmente pela temperatura, podendo BRASIL ao Andar Rio da Serra (Eocretáceo) e foram as-
T-15 (sensu JARAMILLO) identificada pelo FAD assim ser reconhecidas cinco províncias: tropical, BIOSTRATIGRAPHY AND PALEOECOLOGY OF THE DOM sociadas aos depósitos da Formação Candeias
(First appearance datum, primeiro aparecimento) subtropical, temperada, subpolar e polar. Dada a JOÃO AND RIO DA SERRA LOCAL STAGES FROM JATOBÁ e Grupo Ilhas, respectivamente. Os ostracodes
do C. vanraadshooveni e presença de G. magnaclava- forte influência da temperatura, as mudanças pale- BASIN, NORTHEASTERN BRAZIL identificados neste trabalho pertencem a três fa-
ta. A parte superior do poço (55,56 a 33,35m) é oclimáticas do Quaternário são registradas na fau- mílias: Cyprididae, Limnocytheridae e Darwinu-
DANIELE DE MELO MENDES1, JULIANA GUZ-
inserida na Zona T16 do C. longispinosus (sensu JA- na de foraminíferos e baseados nas mudanças re- lidae, que estão entre as mais representativas no
MÁN GONZÁLEZ1, DÉBORA SOARES DE ALMEI-
RAMILLO), caracterizada pelo FAD do C. longis- versíveis de composição de fauna de foraminíferos Mesozoico não-marinho. A assembleia encontrada
DA LIMA1, ARIANY DE JESUS E SOUSA2, VIRGINIO
pinosus e L. caribbiensis. Os resultados permitiram planctônicos, é possível estabelecer zoneamentos nos afloramentos estudados foi interpretada como
HENRIQUE DE MIRANDA LOPES NEUMANN3,
situar a seção estudada no Mioceno Médio (Zona bioestratigráficos e paleoclimáticos, como os de- autóctone típica de ambiente lacustre com varia-
ENELISE KATIA PIOVESAN1
T-15) e Mioceno Superior (Zona T-16). Os dados senvolvidos para as Bacias de Campos e Santos. O ções nos níveis de salinidade. Em termos gerais, a
1
Laboratório de Micropaleontologia Aplicada, Labora-
aqui apresentados foram comparados com estudos objetivo deste trabalho é avaliar a aplicabilidade tório de Geologia Sedimentar e Ambiental, LITPEG,
abundância dos ostracodes é baixa, porém sua di-
palinoestratigraficos realizados no sudoeste do es- destes zoneamentos no talude da Bacia de Pelotas. Universidade Federal de Pernambuco, Recife, PE; 2Pe- versidade é elevada. Estudos futuros serão direcio-
tado do Amazonas, e se mostram contemporâneas. Para isso foram utilizadas 40 amostras do testemu- trobras/CENPES/Bioestratigrafia e Paleoecologia, Rio nados ao aprimoramento da taxonomia, visando
A alta abundância de esporos de pteridófitas, pó- nho SAT-048A, coletado a 1542 m de profundida- de Janeiro, RJ; 3Laboratório de Geologia Sedimentar e contribuir no refinamento bioestratigráfico e no
len de plantas aquáticas e elementos de solos ala- de, com 3,15 m de recuperação, sem a presença Ambiental, LITPEG, Universidade Federal de Pernam- estabelecimento de correlações dos estratos com
buco, Recife, PE.
gados como M. franciscoi (=Mauritia) aponta para dos 20 cm do topo. O sedimento foi lavado em outras bacias interiores do Nordeste brasileiro.
danimelo.21@hotmail.com • julitaguzmang@gmail.com
ambientes fluviolacustres, corroborando análises peneiras de 0,063 mm, seco em estufa a menos de
deboraalmeeida@hotmail.com • ariany@petrobras.com.br 
anteriores sobre os paleoambientes da Amazônia 60°C, peneirado novamente em malha de 0,150 neumann@ufpe.br • katiapiovesan@hotmail.com
ocidental durante o Mioceno. mm e, finalmente, e classificar até nível de espé- REGISTROS FLORÍSTICOS DO BERRIA-
cie um mínimo de 300 foraminíferos planctônicos Este trabalho apresenta resultados de análises SIANO–APTIANO NO NORDESTE DO
 por amostra. O modelo de idade construído com bioestratigráficas e paleoecológicas realizadas nas BRASIL: INTEGRAÇÃO COM BIOESTRA-
datações de 14C em Globigerinoides ruber, posi- Formações Aliança, Candeias e Grupo Ilhas, na TIGRAFIA DE OSTRACODA / BERRIASIAN–
ZONEAMENTO BIOESTRATIGRÁFICO E
cionou o testemunho entre 40 e 5 ka aproximada- Bacia de Jatobá. As três formações analisadas pos- APTIAN FLORISTIC RECORDS FROM NORTHEAST BRA-
PALEOCLIMÁTICO (COM FORAMINÍFE-
mente. Foram analisadas as abundâncias relativas suem grande similaridade litológica, o que dificul- ZIL: INTEGRATION WITH OSTRACODA BIOSTRATIGRA-
ROS) DO QUATERNÁRIO SUPERIOR EM
do plexo Globorotalia menardii, reconhecendo o ta sua distinção. Através do registro de ostracodes, PHY
UM TESTEMUNHO DO TALUDE DA BA-
final da bioecozona Y e o começo da bioecozona foi possível reconhecer biozonas e estabelecer o
CIA DE PELOTAS / PALEOCLIMATIC AND BIOS- JULIANA GUZMÁN GONZÁLEZ, DANIELE DE
Z, ambas definidas para as bacias imediatamente posicionamento cronoestratigráfico dos estratos
TRATIGRAPHIC ZONATION (FORAMINIFERA) OF UPPER MELO MENDES, DÉBORA SOARES DE ALMEIDA
ao norte. Já o plexo Pulleniatina obliquiloculata e através da identificação das espécies-guia e suas
QUATERNARY OF A PISTON CORE RETRIEVED FROM LIMA, JUAN DAVID VALLEJO, ROBBYSON MEN-
a espécie Globoconella inflata apresentaram uma associações. A biozona RT-001, representada pela
THE PELOTAS BASIN SLOPE DES MELO, ENELISE KATIA PIOVESAN
variação não correlacionável com as outras bacias espécie-guia Theriosynoecum pricei (Pinto & San-
JAIME YESID SUÁREZ-IBARRA1, MARÍA ALEJAN- ao longo de todo o testemunho, inviabilizando guinetti, 1958), andar Dom João (Neojurássico), Laboratório de Micropaleontologia Aplicada, Laborató-
DRA GÓMEZ-PIVEL2, SANDRO MONTICELLI PE- rio de Geologia Sedimentar e Ambiental, LITPEG, Uni-
assim a detecção das subecobiozonas Y1A e Y1B. foi associada aos depósitos da Formação Aliança. versidade Federal de Pernambuco, Recife, PE.
TRÓ1,2 Para uma completa avaliação da aplicabilidade do A biozona RT-003 representada pela espécie-guia
julitaguzmang@gmail.com • danimelo.21@hotmail.com
1
Programa de Pós-Graduação em Geociências, Instituto modelo bioestratigráfico, sugere-se analisar tes- Cypridea (Morininoides) candeiensis Krömmelbein, deboraalmeeida@hotmail.com • juandavidv85@gmail.com
de Geociências, Universidade Federal do Rio Grande temunhos com maior registro temporal, a fim de 1962 e associação faunística dos gêneros Alicenula robbysonmelo@gmail.com • katiapiovesan@gmail.com
do Sul, Porto Alegre, RS; 2Departamento de Paleonto- registrar as possíveis variações do plexo P. obliqui- Rosseti & Martens, 1998 e Reconcavona Krömmel-
logia e Estratigrafia, Universidade Federal do Rio Gran-
loculata. Não foi registrada a espécie Globorotalia bein, 1962, foi relacionada aos afloramentos da Estudos de pólen, folhas e estruturas reprodutivas
de do Sul, Porto Alegre, RS.
fimbriata, inabilitando o reconhecimento da sub- Formação Candeias. Outros grupos fósseis tam- de plantas fósseis documentam uma importante
jaime_yesid16@hotmail.com • maria.pivel@ufrgs.br
sandro.m.petro@gmail.com zona Globorotalia fimbriata. A ausência da espécie bém foram identificados na Formação Candeias, diversificação das angiospermas no Cretáceo In-
pode estar relacionada, por um lado, à incomple- são eles: fragmentos ósseos, dentes de peixe, se- ferior. Até 2004, os fósseis mais antigos de angios-
Os foraminíferos planctônicos representam um tude do registro para o Holoceno e, por outro, mentes e frutos, fragmentos de troncos fósseis, permas datavam do Valanginiano–Hauteriviano.
dos grupos mais importantes para a bioestratigra- a uma distribuição da espécie restrita a maiores microfilo, inseto e girogonite de carófita. O Gru- Mais recentemente, grãos de pólen de angiosper-
fia dada a sua rápida variação morfológica. Embo- temperaturas. [Projeto CAPES/IODP-Processo: po Ilhas foi posicionado através da ocorrência da mas atribuídos ao Triássico, além do registro de
ra estes microrganismos evoluam rapidamente, 88887.091727/2014-01] espécie-guia Paracypridea brasiliensis Krömmelbein, uma “verdadeira” flor do Jurássico médio da Chi-
quando se trabalha com intervalos de tempo cur-  1961, além da espécie Tucanocypris camposi Kröm- na, corroboraram a origem pré-Cretácea para as
118 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Tempo: Bioestratigrafia e Datação 119

angiospermas. A flora angiosperma da Formação time to aid in the understanding of the Lower 1
Coordenação de Ciências da Terra e Ecologia, Museu litologia com os da região de Eirunepé, embora
Crato, Aptiano da Bacia do Araripe, representa o Cretaceous of Brazil, with various studies showing Paraense Emílio Goeldi, Belém, PA; 2 Instituto de Geo- sejam diferentes, em parte, na associação fossilífe-
ciências, Universidade Federal de Roraima, RR.
mais antigo registro deste grupo no Brasil e pre- their value for biostratigraphic zonation in nu- ra. [CNPq 401806/2010-3]
serva fósseis inteiros com estruturas de floração merous different basins. The northeastern region A análise sedimentológica e paleontológica re- 
ligadas às partes vegetativas. Para as bacias de of Brazil contains a number of basins located to alizada entre Santo Antônio do Içá e Atalaia do
Tucano Norte (TN) e Jatobá (JB), alvos do pre- the south of the Potiguar Basin, denominated the Norte, oeste do estado do Amazonas, permitiu
sente estudo, o conhecimento da paleoflora tem Northeastern Inner Basins, which originated from diferenciar uma unidade litoestratigráfica, até
sido gerado a partir de dados palinológicos, além the rifting that resulted from the opening of the então desconhecida, que se distingue da Fm. So-
da ocorrência de troncos atribuídos a gimnosper- Atlantic Ocean, and thus contain an important re- limões sobreposta discordantemente pela Fm. Içá
mas na Formação Sergi (Tithoniano). Durante o cord of the Cretaceous period. Although the Ara- por superfícies de descontinuidade. Na literatu-
processo de preparação de microfósseis calcários ripe Basin is well-studied, its neighboring basins ra, esta porção superior arenosa do Cenozóico
objetivando refinar a bioestratigrafia de Ostracoda are less so. This paper has the objective of studying da Bacia do Solimões é denominada informal-
nestas bacias, foram recuperados sementes, frutos the ostracods recovered from two adjacent sec- mente de membro superior, a ser formalizada
e um girogonite de alga carófita preservando seu tions (Transnordestina A and Transnordestina B) como subunidade.Tendo como seção de referên-
ooesporângio. Das sementes de tamanho inferior in the Iguatu Basin, Ceará, Brazil, detailing their cia as sessões aflorantes da localidade de Belém
a 1,6 mm, foram identificados sete morfotipos, taxonomy and developing biostratigraphic infe- (04º02’31,1’S/69º31’12,0”W), no estado do
agrupados em três grupos, tentativamente atribu- rences based on the observed fauna. From the two Amazonas, identificou-se que esta nova unidade se
ídos às angiospermas. Os frutos recuperados são sections, 156 samples were collected, with 100 g estende para leste, na Sub-bacia do Juruá; são bar-
em sua maioria cariopses de gramíneas, algumas from each having been prepared. In total, 17.150 rancos contínuos às margens do rio Solimões, com
apresentando-se fundidas com a glumela. Um specimens were recovered, with 19 species having dezenas de metros de extensão lateral e altura em
dos espécimes provavelmente corresponde a um been found, distributed among 11 genera: Cypri- torno de 12 m, com camadas bem preservadas e
fruto deiscente. Estes registros florísticos foram dea, Brasacypris, Pattersoncypris, Ilyocypris, Rhino- estratificações cruzadas de grande porte. As fácies
recuperados em associação à fauna de ostracodes cypris, Clinocypris?, Pontocypris?, Looneyellopsis, Mu- observadas são predominantemente de arenito
que caracteriza os andares mesozoicos do Brasil. sacchiocythere, Alicenula, and an indeterminate spe- fino com estratificação cruzada tabular com sets
Quatro dos morfotipos de sementes, os frutos e cies of an indeterminate genus. Of the recovered acima de 30 cm de espessura, amarelo, micáceo
o exemplar de carófita correspondem às biozonas species, six were new. Based on the ostracod fau- e friável, tornando-se maciço para o topo; siltito
RT-003 e RT-004, do Andar Rio da Serra da JB, na, a Hauterivian-Aptian interval can be inferred cinza escuro com laminação cruzada cavalgante e
atribuindo idade Berriasiano–Valanginiano a estes for the studied sections. The highly abundant os- fragmentos vegetais diversos; linhito arenoso com
registros florísticos. Os demais morfotipos de se- tracod fauna of the Transnordestina sections from restos de lenhos centimétricos e argilito maciço
mente foram recuperados em ambas as bacias, na the Iguatu Basin shows that the smaller basins that vermelho, intemperizado. Análise palinológica
biozone O-011 do Andar Alagoas, datado como surround the Araripe Basin contain a large amou- permitiu datar preliminarmente como Mioceno
Aptiano–Albiano. nt of important Early Cretaceous material that is Médio a Plioceno. A ausência de camadas fossilífe-
yet to be studied. Further work in these basins ras ricas em conchas, bem como de outros fósseis

will doubtlessly reveal greater insights not only de invertebrados e vertebrados, além das diferen-
LOWER CRETACEOUS NON-MARINE OS- regarding the paleoenvironments that developed ças litológicas permitiu contrastá-la e diferenciá-
TRACODS OF THE IGUATU BASIN: TAXO- in the area, but also potentially help in developing -la da Fm. Solimões. Por outro lado, a Formação
NOMY AND BIOSTRATIGRAPHIC CONSI- an even more detailed biostratigraphic framework Solimões foi identificada em exposições isoladas
DERATIONS for the Lower Cretaceous of Brazil. na porção à oeste da localidade de Belém (AM),
MARCOS ANTONIO BATISTA DOS SANTOS FI-  se estendendo até a divisa com o Peru. Os aflora-
LHO1, GERSON FAUTH1, BENJAMIN SAMES2 mentos da Fm. Solimões, identificados nas locali-
CONTRIBUIÇÕES ESTRATIGRÁFICAS E dades de Prosperidade, Paumari e São Pedro, nos
1
ITT Fossil – Instituto Tecnológico de Micropaleontolo-
gia, Universidade do Vale do Rio dos Sinos, São Leopol-
PALEONTOLÓGICAS DO CENOZOICO DA municípios de Tabatinga e Atalaia do Norte, nas
do, RS; 2Institut für Paläontologie, Universität Wien, BACIA DO SOLIMÕES / STRATIGRAPHICAL margens dos rios Solimões e Javari, são essencial-
Geozentrum, Vienna, Austria. AND PALEONTOLOGICAL CONTRIBUTIONS TO THE CE-
mente argilosos, ricos em moluscos, ostracodes e
marcosabsantosfilho@hotmail.com • gersonf@unisinos.br NOZOIC OF SOLIMOES BASIN
fragmentos de decapoda, vertebrados, folhas, pó-
benjamin.sames@univie.ac.at
MARIA INÊS F. RAMOS1, JACKSON D. S. PAZ2, ANA lens, restos de vegetais e coprólitos, típicos desta
Non-marine ostracods have been used for a long PAULA LINHARES1 unidade, que conferem com as apresentadas na
literatura. Estes afloramentos assemelham-se na
120 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 121

Sessão temática

Registro: Memória,
Curadoria, Acervos e
Geoconservação
122 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 123

DESENVOLVIMENTO DE CARGAS PARA seguida de uma comparação de médias através do de Lagoa Santa. Da região norte de Minas Gerais, PIRES³, NATÁLIA CARDOSO DE ARAÚJO BRAN-
GESSO A PARTIR DE MATERIAL DE BAI- Teste de Tukey (HSD). De acordo com esse teste, são reportados restos de cervídeos (Lapa do Rezar, DÃO4, MARIA PAULA DELICIO1
XO CUSTO, PARA APLICAÇÃO EM PALE- a diferença nos pares MC x M1 e MC x M2 não é PARNA Peruaçu, MG) e de Haplomastodon waringi, ¹Departamento de Geologia, Universidade Federal de
ONTOLOGIA / DEVELOPMENT OF PLASTER ADDI- significante, mostrando desempenho semelhante. coletados em um leito de rio seco (Francisco Sá, Ouro Preto, Ouro Preto, MG; ²Departamento de Mu-
TIVES FROM LOW COST MATERIAL FOR APPLICATION IN Mesmo sendo menos custoso, M3 mostrou baixo MG). Um fragmento de crânio de Tayassuadae foi seologia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro
Preto, MG; ³Programa de Pós-graduação em Geolo-
PALEONTOLOGY desempenho. Já M4, além de mais caro, é o me- coletado na Gruta do Córrego Grande (Iporanga, gia Ambiental e Recursos Naturais. Departamento de
nos eficiente entre todos. Após a análise dos dados SP). Fragmentos de Eremotherium laurillardi, Ha- Geologia, Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro
NAILTON BESERRA LUZ*, MARIANA MIRANDA
é possível afirmar que M1 tem grande potencial plomastodon waringi e Cingulata foram resgatados Preto, MG.
DE SOUSA, ANA EMILIA QUEZADO DE FIGUEI-
de proteção, além de menos custoso entre todos em uma cacimba (Poções, BA) e de Catonyx cuvieri emmanuellefatima@gmail.com • weverssonfs@gmail.com
REDO, DANIEL COSTA FORTIER
os materiais analisados. Assim, as atividades de coletados por espeleólogos da Sociedade Excur- aline.braga713@gmail.com • andregomide86@gmail.com
Laboratório de Geociências e Paleontologia, Núcleo de rafaellaneves27@gmail.com • biancafurquini@gmail.com
História Natural, Universidade Federal do Piauí, Flo-
campo podem ser mais baratas com a utilização sionista Espeleológica de Ouro Preto (SEE), em
gabriela@pires.bio.br • nataliacb11@gmail.com
riano, PI. desse material na proteção dos blocos conten- uma caverna na região de Campo Formoso (BA).
mpd.profa@gmail.com
nailtonbl@outlook.com • marianadevone21@gmail.com do fósseis. [*Bolsista PIBITI/UFPI; CNPq proc. Há também uma costela de megaterídeo, doada
ana.emilia@ufpi.edu.br • fortier@ufpi.edu.br 462381/2014-5 e 310168/2016-3] em 1924 ao DEGEO, cuja procedência, que está O Laboratório de Paleontologia do DEGEO/
grafado no próprio osso, é da “República Oriental UFOP conta com um rico acervo de fósseis
Os fósseis podem apresentar-se fragilizados ou 
do Uruguay”. É importante salientar que, grande provenientes de diferentes partes do Brasil e do
com matriz rochosa pouco consolidada, sen- LEVANTAMENTO DOS FÓSSEIS DE MA- maioria deste material apresenta-se muito frag- mundo. Dentre ele estão os icnofósseis que, en-
do necessário protege-los ainda em campo. Essa MÍFEROS QUATERNÁRIOS DA COLEÇÃO mentada, sendo que não foi possível identificar a tre elementos originais e réplicas, totalizam 87
proteção é feita através da aplicação de gesso em DE PALEONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE grande parte dos ossos. Outros táxons também fo- amostras. O objetivo deste trabalho foi descrever
volta do bloco e uma carga especifica, geralmente FEDERAL DE OURO PRETO: RESULTADOS ram identificados, sendo que, até o momento, não as principais características dessas amostras, assim
gaze de algodão, um material que pode aumentar PRELIMINARES / SURVEY OF QUATERNARY FOS- se sabe sua procedência: osteodermos de Glypto- como apresentar uma lista dos icnitos fósseis de-
bastante o custo das atividades de campo devido à SILS MAMMALS HOUSED AT FEDERAL UNIVERSITY OF dontidae e três espécimes de Homo sapiens. Junto positados na coleção. A maioria das amostras ori-
grande quantidade utilizada em algumas coletas. OURO PRETO: PRELIMINARY RESULTS aos esqueletos humanos, havia também material ginais (bioturbações) estão preservadas em baixo
Com o intuito de desenvolver cargas para gesso e lítico e cerâmico. Como o material foi realocado relevo em placas de siltito, argilito, pelito, ritmito,
ANDRE VASCONCELOS¹, PEDRO CURRA¹, LU-
diminuir essas despesas, o presente trabalho busca diversas vezes, suas fichas de identificação ainda arenito ou carbonáticas. Também são representati-
CIANO VILABOIM², EMMANUELLE CARMO¹,
testar diferentes tipos de cargas, com proprieda- não foram localizadas. Parte dos restos humanos vas as amostras relacionadas a perfurações nesses
RAFAELLA NEVES¹, BIANCA FURQUINI³, IANKA
des semelhantes e custo inferior ao da gaze, para está incrustado por camadas carbonáticas e/ou substratos. Elas remetem a pistas de invertebrados
OLIVEIRA1, WEVERSSON SANTOS¹, GUSTAVO
utilização em coletas paleontológicas. O custo fortemente cimentados em solo carbonatado. Em- marinhos, como vermes, artrópodes, moluscos e
SOUZA¹, HENRIQUE CARMO¹, ALEXIA SANTOS¹,
e a eficiência do material controle (MC) foram bora possam ter sido coletados em sítios distintos, equinoides. Há também icnitos preservados em
ARTHUR PALHARES¹, MARIA PAULA DELICIO¹
comparados com os de saco para cebola (M1), tais feições fossildiagenéticas sugerem que, prova- amostras tridimensionais, como tubos de inverte-
saco para batata (M2), estopa de algodão (M3) e 1
Universidade Federal de Ouro Preto, Departamento velmente, são provenientes de cavidades naturais. brados preenchidos e bioerosões, como perfura-
recortes de tecido em poliéster (M4), materiais de Geologia, Ouro Preto, MG; ²Museu de Ciências Na- ções de besouros em ossos (Notiomastodon platensis,
turais PUC Minas, Laboratório de Paleontologia. Belo
Deste modo, um levantamento está em andamen-
com potencial uso como carga para gesso. Foram Horizonte, MG; ³Universidade Federal de Ouro Preto, to na SEE, afim de verificar se há o registro dessas Francisco Sá, MG). Dentre os vestígios de inver-
confeccionados quinze blocos de cimento, três Departamento de Museologia, Ouro Preto, MG. informações em seu banco de dados. A próxima tebrados, foram identificados 21 icnogêneros,
para cada material, para serem recobertos com etapa do trabalho será realizar uma descrição tafo- sendo agrupados em icnitos de (i) alimentação
gesso e uma quantidade em gramas de cada tipo São apresentados os resultados parciais do inven- nômica de todo o material e tombá-lo na coleção [Arthrophyeus, Planolites, Scoyenia (Bacia do Paraná),
de carga. Posteriormente os blocos foram em- tário dos fósseis de mamíferos quaternários depo- paleontológica da instituição. Sublorenzinia], (ii) habitação [Palaeopycus (Bacia de
balados individualmente e submetidos a Ensaios sitados na coleção de Paleontologia do DEGEO/ Pernambuco-Paraíba), Trypanites (Japão), Diplo-
de Cisalhamento em uma prensa para ensaios de UFOP. Os fósseis foram coletados entre as déca- 
craterion], (iii) locomoção [Cochlichnus, Crossopo-
concreto, modelo 150T I-3025- D, para averiguar das de 1920 e 1980, e sua identificação foi realiza- CARACTERIZAÇÃO DOS ICNOFÓSSEIS dia, Cruziana, Diplichnites, Furnasichnus (Bacia do
a capacidade, em tonelada força (tf), suportada da com base no material depositado no Museu de DEPOSITADOS NA COLEÇÃO DE PALEON- Paraná), Gordia, Gyrochorte, Protichnites (Bacia do
por cada um. Os dados obtidos foram submetidos Ciências Naturais PUC Minas. Em relação aos tá- TOLOGIA DO DEPARTAMENTO DE GEO- Paraná), Umfolozia, Lophoctenium], (iv) pastagem
aos testes estatísticos ANOVA e Tukey. As cargas xons, foram identificados: molariformes de Equi- LOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE [Flabellichnus (Bacia do Paraná), Hormosiroidea, Ne-
alternativas são, em média, 35 % mais baratas dae (Lapa Mortuária, Confins, MG), fragmentos OURO PRETO / CHARACTERIZATION OF ICHNOFOS- onereites, Subphyllochorda] e (v) repouso (Intrites).
que a gaze. Os dados obtidos nos ensaios de ci- de mandíbula de Tayassuidae e Palaeolama major. SILS HOUSED AT FEDERAL UNIVERSITY OF OURO PRETO Já em relação aos vertebrados, incluem os icni-
salhamento não apresentaram grandes variações. Também foi identificado um fragmento de úmero tos de marcas de dentes de roedores em costela
Tapirus terrestris e osteodermos de preguiça-terrí- EMMANUELLE CARMO¹, WEVERSSON SANTOS¹,
Para verificar a significância entre estes valores, de preguiça-gigante (Megateriidae, do Uruguai).
cola. Todos esses restos são procedentes do Carste ALINE VALENTIN¹, ANDRE VASCONCELOS¹, RA-
foi realizado uma Análise de Variância (ANOVA), Ainda, há coprólitos de peixes (Bacia de Itaboraí,
FAELLA NEVES¹, BIANCA FURQUINI², GABRIELA
124 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 125

RJ) e de Vermilingua (tamanduá; coletado em ca- Formação Pirabas (Mioceno Inferior), que ocorre estes materiais constituirão as coleções didáticas 1
Centro de Pesquisas Paleontológicas L. I. Price, Com-
verna situada em Lajedinho, BA). É importante no nordeste paraense em ricos afloramentos fos- das diversas instituições de pesquisa e ensino do plexo Cultural e Científico Peirópolis, Pró-Reitoria de
Extensão Universitária, Universidade Federal do Tri-
salientar que em uma mesma amostra há dois ou silíferos. Utilizamos as práticas museológicas ca- país. Dessa forma, a curadoria das coleções for-
ângulo Mineiro, Uberaba, MG; 2Instituto de Ciências
mais icnitos preservados. Por se tratar de uma co- bíveis para cuidar de forma adequada da coleção, nece uma identidade patrimonial aos acervos Exatas, Naturais e Educação, Universidade Federal do
leção muito antiga e pela realocação do material como medidas de conservação preventiva, docu- institucionais, servindo ainda como fonte útil de Triângulo Mineiro, Departamento de Ciências Biológi-
realizada algumas vezes, infelizmente, boa parte mentação e armazenamento adequado. Também informação e referência para pesquisadores de cas, Uberaba, Minas Gerais, Brasil.
do material se encontra sem a procedência. Até o produzimos um pequeno material sobre diretrizes diversas instituições do Brasil e exterior. A Uni- david.alvesp23@gmail.com • coradello-r2@hotmail.com
momento, esse material foi, predominantemente, básicas das principais atividades necessárias para a versidade Estadual de Goiás, Câmpus de Ciências mariaclarasborges2@gmail.com • bruno.borsoni@hotmail.com
utilizado somente nas aulas práticas ofertadas para curadoria de coleções paleontológicas, sendo es- Exatas e Tecnológicas/CCET, apresenta um rico e luiza.meneghelli@icloud.com • a.tamirismorilla@gmail.com
alunos da graduação. Porém, devido ao ótimo es- sas, fundamentais à organização e comunicação do importante acervo de material Geológico e Pale- thiago.marinho@uftm.edu.br
tado de preservação de grande parte dos fósseis, patrimônio salvaguardado. Lembramos que nada ontológico vinculado ao Curso de Licenciatura em As pesquisas paleontológicas na região de Pei-
eles apresentam um elevado potencial para a reali- disso seria possível sem a existência de uma equipe Ciências Biológicas. O objetivo desta contribuição rópolis, bairro rural de Uberaba, tiveram início
zação de estudos científicos. interdisciplinar e afirmamos ser esse o diferencial: visa primordialmente realizar todas as ativida- sistemático de exploração fossilífera desde 1946
a interação de profissionais da museologia, biolo- des relacionadas à curadoria paleontológica, de até 1974, pelo paleontólogo Llewelyn Ivor Price.

gia e geociências, pois cada um pode contribuir modo tornar o acervo uma fonte de informações Devido a sua expressiva contribuição para a pale-
A COLEÇÃO DIDÁTICO/CIENTÍFICA DE de forma efetiva para a gestão do acervo. Tendo estruturada e sistematizada. Este acervo é cons- ontologia de vertebrados no Brasil com o material
HISTÓRIA NATURAL DO CURSO DE MU- em vista que a criação de acervos organizados tituído de amostras de rochas, representando os encontrado na região de Uberaba, Price foi home-
SEOLOGIA DA UFPA: INTERDISCIPLINA- oferece benefícios para as instituições, buscamos três grupos genéticos principais, quais sejam ro- nageado sendo seu nome atribuído ao centro de
RIDADE ENTRE MUSEOLOGIA E GEOCI- aplicar todas as diretrizes museológicas necessá- chas ígneas, metamórficas e sedimentares, bem pesquisas que surgiu juntamente com o Museu dos
ÊNCIAS / THE DIDACTIC/SCIENTIFIC COLLECTION rias. Sobretudo na questão da documentação, que como vários fósseis representativos de uma rica Dinossauros em 1992, em Peirópolis. O material
OF NATURAL HISTORY OF THE UFPA MUSEOLOGY COU- promoveu a reunião de várias informações, gra- diversidade biótica, incluindo vegetais e animais, que compunha a reserva técnica foi sendo adicio-
RSE: INTERDISCIPLINARITY BETWEEN MUSEOLOGY ças à criação de documentos administrativos e do tanto vertebrados quanto invertebrados, bem nado a um livro, no qual constam mais de 1800
AND GEOSCIENCES próprio exemplar, para que pudéssemos organizar como icnofósseis e estromatólitos, peças ainda registros ao longo dos 27 anos. Devido ao tempo,
todas as medidas de conservação a fim de prolon- não catalogadas e inventariadas apropriadamente. estado de conservação e para evitar o transferên-
AYMÊE LARISA LISBOA MARÇAL1, RAYANA ALE-
gar a vida útil desses fósseis e, assim, permitir que Adicionalmente, com o progressivo fomento aos cia de possíveis erros e inconsistências para um
XANDRA SOUZA DA SILVA2, FÁBIO ALEXANDRE
a exposição pudesse promover o conhecimento, estudos Geológicos e Paleontológicos no Brasil, novo livro de registros, fez-se necessário uma re-
MELO MENEZES³, BÁRBARA ALVES SEPULVRE-
pois poucas pessoas sabem que existem fósseis no uma expressiva quantidade de materiais repre- visão das informações nele contidas do acervo do
DA4, SUE ANNE REGINA FERREIRA DA COSTA5,
estado do Pará. sentativos de biotas de outras regiões poderá ser CPPLIP. Dentre os erros encontrados no livro de
ERIKA MOURÃO FERREIRA1
adicionada a este acervo, tanto por doações como registros, estão inconsistências como um campo
1
Bacharelado em Museologia, Universidade Federal do 
Pará, Belém, PA; Programa de Pós-graduação em Ci-
2
resultantes de trabalhos de campo. Assim se espera nomeado “Observação” no qual abria-se margem
ências do Patrimônio Cultural, Universidade Federal do CATALOGAÇÃO DO ACERVO DE GEOLO- que o acervo possa ser constantemente ampliado para registrar diversas informações como: em qual
Pará, Belém, PA; Licenciatura em Ciências Biológicas,
3 GIA E PALEONTOLOGIA DA UNIVERSI- e atualizado, contribuindo de forma eficaz para a artigo o material foi descrito ou registros de em-
Universidade Federal do Pará, Belém, PA; Museu Para-
4
DADE ESTADUAL DE GOIÁS (UEG), CCET, difusão e divulgação da Paleontologia e Geologia préstimos de materiais do acervo. Com o passar
ense Emílio Goeldi, Belém, PA; 5Instituto de Ciências ANÁPOLIS / CATALOGING THE GEOLOGY AND PA- em Goiás e no Brasil. [UEG/CCET]
da Arte, Universidade Federal do Pará, Belém, PA. dos anos empréstimos e devoluções, dentre outras
LEONTOLOGY COLLECTION OF GOIÁS STATE UNIVER- anotações de caráter temporário, geraram rasu-
aymeelisboa@gmail.com • rayanaalexandra02@gmail.com 
SITY/CCET, ANÁPOLIS ras no livro, contribuindo para sua degradação.
fbalexandre64@gmail.com • bsepulvreda@gmail.com
sue.costa@gmail.com • erikaferreira402@gmail.com REVISÃO DO ACERVO E LIVRO DE TOM- Quando comparados aos registros do livro com o
PEDRO OLIVEIRA PAULO1, CLAUDIO MAGA-
BAMENTO DO CENTRO DE PESQUISAS material do acervo, foram encontrados materiais
LHÃES ALMEIDA1,2
Este trabalho tem como objetivo apresentar o PALEONTOLÓGICAS “LLEWELLYN IVOR com classificação anatômica e taxonômica erradas.
1
Laboratório de Paleobiologia, Universidade Estadual
processo de construção da coleção de História de Goiás, Anápolis, GO; 2Faculdade Unida de Campi-
PRICE”, UFTM, UBERABA (MG) / REVIEW Uma possível causa para isso é que ao longo da
Natural, composta pelo acervo de paleontologia nas, Goiânia, GO. OF THE CENTRO DE PESQUISAS PALEONTOLÓGICAS existência do livro, diferentes pessoas com dife-
da reserva técnica de Museologia da Universidade pedro.paleo@gmail.com • almeidacm@icloud.com “LLEWELLYN IVOR PRICE” COLLECTION AND RECORD rentes formações registraram o material recebi-
Federal do Pará. A Museologia tem como objeto BOOK do, gerando inconsistências. Todas as observações
de estudo o patrimônio em suas várias formas, e A atividade de curadoria paleontológica corres- constatadas na revisão de cerca de um terço (600
DAVID ALVES PEREIRA1,2, VINICIUS CORADELLO
em conjunto com a paleontologia, possibilitou o ponde a uma série de procedimentos com o ob- peças) da coleção paleontológica do CPPLIP, gera-
LOURENÇO1,2, MARIA CLARA SILVA BORGES1,2,
processo de musealização, evidenciando a necessi- jetivo de resguardar o material fóssil, abrangendo ram dados e padrões que descrevem a forma com
BRUNO TOLVO BORSONI1,2, LUIZA SILVA MENE-
dade de profissionais interdisciplinares. O acervo a sua proteção, catalogação e respectiva disponi- que a coleção foi sendo constituída, ou seja, seu
GHELLI1,2, TAMIRIS MORILLA1,2, THIAGO DA SIL-
é constituído de achados fósseis, provenientes da bilização pública. Após a catalogação do acervo, registro histórico e de memória. Trouxeram tam-
VA MARINHO1,2
126 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 127

bém discussões de como minimizar as inconsistên- valorizando o lugar de vivência dos discentes. Em dades Paleozoicas (LECP), da Universidade Fede- ais, Universidade Federal do Pará, Belém, PA; ²Instituto
cias de registro que servirão para a continuidade geografia, foram desenvolvidas atividades relacio- ral do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), cujas de Ciências Biológicas, Universidade Federal do Pará,
Belém, PA; ³Pós-Graduação em Ciências do Patrimônio
de futuras peças, além da melhor compreensão de nadas à litosfera e sua dinâmica, enfatizando a im- finalidades estão em parte associadas a sua utiliza-
Cultural, Instituto de Tecnologia, Universidade Federal
quais materiais estão depositados na reserva téc- portância socioeconômica dessa; em língua portu- ção como material de pesquisa, divulgação cientí- do Pará, Belém, PA; 4Coordenação de Museologia do
nica servindo de parâmetro para o início de novas guesa, a temática foi abordada sob diferentes gê- fica e ensino de geociências. A partir das informa- Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, PA.
pesquisas e contribuição para outras. [CNPq] neros textuais e em ciências foram trabalhados os ções inerentes a essa subcoleção, proveniente do
fbalexandre64@gmail.com • bsepuldreda@gmail.com
táxons locais e a evolução. A culminância das ativi- acervo paleontológica e de Mídias, observou-se a sue.costa@gmail.com • rayanaalexandra02@gmail.com

dades se dará com trabalho de campo e produção importância no cuidado, armazenamento e resgate aymeelisboa@gmail.com • erikaferreira402@gmail.com
GEOCONSERVAÇÃO: UM DESAFIO DIDÁ- de livro com fábulas escritas pelos alunos. O de- das informações de coleções paleontológicas para
TICO / GEOCONSERVATION: A DIDACTIC CHALLENGE senvolvimento do projeto além de contribuir para a disseminação do conhecimento científico e con- Com a intenção de democratizar um conhecimen-
o aprendizado mais significativo, fortalece, sobre- servação do patrimônio paleontológico. Ela possui to estabelecido na academia, porém tímido em
DEBORA GABRIELE DOS SANTOS PINTO¹,
tudo, a importância científica dos achados fossilí- uma base de Dados interligando duas tabelas de outros meios, a exposição itinerante “Quando era
THIAGO DA SILVA MARINHO¹, YAMMAR LEITE
feros, bem como as possiblidades de desenvolvi- informações que se inter-relacionam pelo campo mar: fósseis do Estado do Pará” foi elaborada pre-
ARAUJO²
mento econômico e social local, gerada por eles. de “procedência” e se encontram armazenadas tan- tendendo divulgar, ao publico infanto-juvenil, os
¹Programa de pós-graduação em ciência e tecnologia fósseis da Formação Pirabas. Mas, para que estes
ambiental, Universidade Federal do Triângulo Mineiro, to de forma material quanto digital, possibilitando
 estejam aptos a exposição, precisam passar pelo
Uberaba,MG; ²Colégio Tiradentes da Polícia Militar de a conservação e o resgate da memória institucio-
Minas Gerais, Uberaba, MG. ORGANIZAÇÃO E AUTOMATIZAÇÃO DE nal, bem como, o resgate histórico de alguns re- processo de Musealização. Este trabalho preten-
debora-gabriele@hotmail.com • tsmarinho@gmail.com BASE DADOS DE COLEÇÕES PALEONTO- gistros como o caso da Expedição Orville Derby de analisar as etapas deste processo. A seleção e
yammar.araujo@outlook.com LÓGICAS COMO FERRAMENTA DE GEO- da Petrobras, em 1986, e atividades mineiras no aquisição acontecem através de coletas, na praia e
CONSERVAÇÃO / ORGANIZATION AND AUTOMA- Piauí nos afloramentos do Permo-Carbonífero. em minas. O material é levado ao Laboratório de
A geoconservação do patrimônio fossilífero é um TION OF PALEONTOLOGICAL COLLECTIONS DATA AS A Desta forma, as mais variadas informações inte- Conservação Preventiva de Patrimônio Móvel do
desafio a ser superado em diversos pontos do Bra- GEOCONSERVATION TOOL gradas (geológicas, paleontológicas, patrimoniais, Curso de Museologia da UFPA (LCPPM-Ufpa),
sil. No município de Uberaba, localizado no Tri- históricas, etc) de uma coleção científica devem para analises. Neste, acontecem a pesquisa, predo-
ângulo Mineiro em Minas Gerais, o cenário não é DEUSANA MARIA DA COSTA MACHADO, JULYA-
ser acondicionadas em base de dados amplamente minante na documentação. Esta, materializada na
diferente. Os numerosos fósseis do alto cretáceo NA DE SOUZA VIEIRA SANTOS
divulgada e armazenada em meios seguros (por ficha catalográfica, registra todas as informações
registrados na bacia Bauru, em Uberaba, não têm Laboratório de Estudos de Comunidades Paleozoicas, extrínsecas e intrínsecas do fóssil. A conservação
Departamento de Ciências Naturais, Instituto de Bioci- exemplo em nuvem). Não se deve esquecer que
gerado supedâneo efetivo para ações que visem a as coleções científicas são uns dos principais meios é predominante na limpeza, uso de E.P.Is e acon-
ências, Universidade Federal do Estado do Rio de Janei-
geoconservação de futuros achados. Parte muito ro, Rio de Janeiro, RJ. de conservação de objetos, nesse caso de espéci- dicionamento. Com isso, temos o resgate desse
importante dessas ações emanam da percepção mes fossilíferos, assegurando sua identidade; o seu material, objetivando impedir a destruição por
deusana@unirio.br • julyana.97-10@hotmail.com
local acerca da importância da riqueza geológi- caráter de raridade; a sua valorização enquanto ações antrópicas. Atualmente contamos com 470
ca presente na região. Sendo assim, a construção As coleções paleontológicas enquadram-se como fonte de conhecimento e saber e produção cientí- fósseis tombados, sendo 339 de Primavera, 117 de
de tal percepção tem como instrumento vital à elementos da geodiversidade, assim como são re- fica. Elas também evidenciam, como acima regis- Salinópolis e 14 de Marabá. Dentre eles, temos 93
educação cidadã que vise aprendizados significa- gistros do desenvolvimento de um processo cien- trado, os principais aspectos históricos, políticos exemplares de vertebrados como tubarões, raias,
tivos fundamentados no concreto. Para tanto, está tífico e tecnológico. Toda essa valorização simbó- ou científicos que influenciaram sua criação ou sua peixes ósseos, sirênios e quelônios, (sendo 45 de
sendo desenvolvido no decorrer do presente ano lica já as caracteriza como patrimônio geológico permanência. Primavera, 66 de Salinópolis e 2 de Marabá), 371
um projeto interdisciplinar com duas turmas de ex situ material e intangível, abrangendo os docu- de invertebrados como moluscos, equinodermos,
alunos de sexto ano do ensino fundamental II do mentos (espécimes, publicações, equipamentos)  briozoários, crustáceos e cnidários (sendo 293 de
Colégio Tiradentes da Polícia Militar de Uberaba. e conhecimentos geopaleontológicos e sociais. A DO MAR AO ESPETÁCULO: A MUSEALI- Primavera, 66 de Salinópolis e 12 de Marabá) e 6
O projeto “Os guardiões dos dinossauros” pos- esse patrimônio está intrinsecamente ligada a sua ZAÇÃO DA FORMAÇÃO PIRABAS exemplos paleobotânicos (uma folha e 5 galhos).
sibilitou a inserção da temática local dos fósseis documentação museológica, a partir da qual se re- FROM THE SEA TO THE SPECTACLE: THE MUSEALIZA- Todos acondicionados em embalagens de polieti-
orientada pelas diretrizes da matriz curricular cupera e dissemina informações, sendo fontes de TION OF PIRABAS FORMATION leno em uma sala com climatização monitorada
proposta pela BNCC, nos conteúdos de geografia, pesquisa científica e meio de divulgação científica. com as médias: 24,44 °C e 66,93% de UR. Essa
ciências e língua portuguesa. O desenvolvimento Portanto, esta deve ser organizada e automatizada FÁBIO ALEXANDRE MELO MENEZES¹, AYMÊE
metodologia é fundamental para entender a natu-
das atividades tem se dado por meio da construção numa base de dados de amplo acesso, visando a LARISA LISBOA MARÇAL¹, ERIKA MOURÃO FER-
reza desses fosseis e, assim, melhor conservá-los.
de material didático que privilegia a ludicidade e conservação das informações em caso de dano ma- REIRA¹, BARBARA ALVES SEPULVREDA², RAYANA
A exposição conta com uma equipe interdiscipli-
contextualizado pela realidade local, relacionado terial da coleção (perdas irreparáveis). Para essa ALEXANDRA SOUSA DA SILVA³, SUE ANNE REGI-
nar formada por alunos e profissionais da biolo-
ao conteúdo abordado em cada disciplina escolar, discussão, utilizou-se a subcoleção de Bivalvia, sob NA FERREIRA DA COSTA4
gia, geologia, paleontologia, museologia, artes
trazendo sentido ao conhecimento, fortalecendo e a salvaguarda Laboratório de Estudos de Comuni- ¹Instituto de Ciências da Arte, Faculdade de Artes Visu- visuais e designer. Concluímos que a Musealização
128 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 129

é o elemento que disponibiliza o geopatrimônio seado em datações realizadas anteriormente com Na sessão temática de Salvamento Paleontológi- CAFÉ COM FÓSSIL: A GEODIVERSIDADE
amazônico a população local, correlacionado pa- materiais do município de Guanambi, sugere-se co do Congresso Brasileiro de Paleontologia de DE DUAS CONFEITARIAS TRADICIONAIS
trimônio e educação e fortificando afetividades. idade pleistocênica final para o material estuda- 2017, realizado em Ribeirão Preto, analisamos o DO CENTRO HISTÓRICO DO RIO DE JA-
A interdisciplinaridade possibilita que a exposição do. O material foi devidamente triado, prepara- histórico da consultoria paleontológica e de pro- NEIRO / COFFEE WITH FOSSIL: THE GEODIVERSITY
seja apresentada por diversos pontos de vista que do mecanicamente para retirada de sedimentos, gramas de salvamento do patrimônio fossilífero OF TWO TRADITIONAL CONFECTIONERY IN THE HIS-
interagem e se complementam, possibilitando um catalogado conforme base de dados do Museu de no Brasil, atividades que se iniciaram em tempo TORIC CENTER OF RIO DE JANEIRO
conteúdo mais seguro, democrático e instigante Zoologia e Paleontologia da Universidade Federal relativamente recente, no ano de 2006. As discus-
MÁRCIA A. DOS REIS POLCK1, MARCO ANDRÉ M.
ao público. Esta modalidade demonstra-se, ao lon- do Recôncavo da Bahia e identificado com base em sões entre os paleontólogos deixaram claro que
MEDEIROS2, HERMÍNIO I. DE ARAÚJO-JÚNIOR3
go de todo o processo, enriquecedora para divul- bibliografias específicas. Dos táxons encontrados, necessitamos da ampliação da atuação dos profis- 1
Agência Nacional de Mineração, Rio de Janeiro, RJ;
gação e musealização do patrimônio geológico da há uma ocorrência da ordem Testudines, conheci- sionais nas obras de médio e grande porte em que 2
Petrobras, E&P-EXP/AFOE/ADGP, Rio de Janeiro,
Amazônia. dos como répteis com carapaças e 10 da espécie o salvamento é obrigatório. A fim de avaliar a evo- RJ; 3Departamento de Estratigrafia e Paleontologia, Fa-
Eremotherium laurillardi, popularmente descri- lução do mercado de monitoramento e salvamen- culdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de
 Janeiro, Rio de Janeiro, RJ.
to como preguiça gigante. Dentre o material de to após o debate de 2017, solicitamos dados pú-
NOVOS ACHADOS FÓSSEIS PARA A ÁREA Eremotherium laurillardi, pode ser encontrado um blicos de estatística dos programas de salvamento maf_reis@yahoo.com.br • geomalmann@gmail.com
DE INFLUÊNCIA DA FIOL – FERROVIA fragmento dentário (UFRB-PV 4804); fragmen- paleontológicos dos anos de 2018 e 2019, junto à herminio.ismael@yahoo.com.br
DE INTEGRAÇÃO OESTE-LESTE, BAHIA, tos de vértebras (UFRB-PV 4823, 4800 e 4808); Agência Nacional de Mineração (ANM). Para fins Atualmente, os roteiros urbanos utilizando cons-
BRASIL / NEW FOSSIL RECORDS FROM THE ZONE fragmento de metacarpal (UFRB-PV 4803); falan- comparativos, solicitamos também os dados rela- truções históricas e culturais têm sido muito uti-
OF INFLUENCE OF THE WEST-EAST INTEGRATION ge proximal incompleta (UFRB-PV 4802); meta- tivos aos programas de salvamento arqueológico lizados tanto para divulgação e conhecimento ge-
RAILWAY, BAHIA, BRAZIL tarsal IV esquerdo (UFRB-PV 4841); fragmento do mesmo período, junto ao Instituto do Patrimô- ocientífico, quanto na área do geoturismo, visto
GLAUCIO DOS SANTOS SILVA, CAROLINA SAL- de calcâneo direito (UFRB-PV 4829); fragmento nio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), pois que, além da maior parte da população mundial
DANHA SCHERER, VANDERLEIA DOS SANTOS de astrágalo direito (UFRB-PV 4801); e astrága- o salvamento arqueológico é análogo ao paleon- residir em ambientes urbanos, as grandes cidades
CONCEIÇÃO lo esquerdo incompleto (UFRB-PV 4840), sendo tológico e também consta como item obrigatório são edificadas com materiais geológicos. Esses
Centro de Ciências Agrárias, Ambientais e Biológicas, identificados com base na bibliografia específica. para o licenciamento ambiental de obras de médio percursos têm sido propostos em algumas cidades
Laboratório de Paleontologia, Universidade Federal do Também, um material foi identificado como da e grande porte. Com relação aos programas de do mundo, com uma abordagem transdisciplinar
Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA. ordem Testudines, sendo um fragmento de carapa- paleontologia, a ANM informa que no período de com destaque para geologia, paleontologia, histó-
glauciom20@gmail.com • carolina.ss@ufrb.edu.br ça bastante incompleto, o que impossibilita identi- janeiro de 2018 a agosto de 2019 foram realizados ria e arquitetura. Mesmo em uma cidade como o
leia.sax@gmail.com ficação mais específica. Através deste trabalho, foi sete programas de salvamento, cujo licenciamento Rio de Janeiro, conhecida pelas suas belezas natu-
Ocorrências fósseis da megafauna pleistocênica possível descrever e identificar novas ocorrências ambiental estiveram vinculados ao Instituto Brasi- rais, há a necessidade de se conhecer a sua paisa-
vem sendo encontradas e estudadas no Nordeste fósseis, aumentando o conhecimento sobre a pale- leiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais gem arquitetônica, histórica e cultural, investindo,
do Brasil, com destaque para depósitos de caver- ofauna local e permitindo a atualização de dados Renováveis (IBAMA), dos quais seis foram linhas dessa forma, nessa nova modalidade de turismo, o
nas e tanques. O projeto FIOL surgiu com objetivo sobre os fósseis achados. [Financiado por VALEC de transmissão de energia e apenas um ocorreu geoturismo urbano. Em função disso, o presente
de prospecção e resgate do material fóssil de sua Engenharia, Construções Ferrovias S.A/Termo de em usina hidrelétrica. Neste mesmo período o estudo teve como objetivo descrever o revesti-
área de influência, além da realização de ativida- Cooperação 02/2013 VALEC/ UFRB] IPHAN registrou 191 programas de salvamento mento presente na edificação de duas confeitarias
des de educação patrimonial. O presente trabalho arqueológico, em uma gama de situações bas- tradicionais do centro histórico do Rio de Janeiro,

tem como objetivo dar luz a novos achados fósseis, tante superior à paleontológica (rodovias, dutos, as confeitarias Colombo e Manon, dando ênfase
coletados na área de influência da FIOL, estado O BAIXO NÚMERO DE PROGRAMAS DE infraestrutura urbana, etc.). Naturalmente, há si- ao conteúdo fossilífero encontrado. Para isso, foi
da Bahia, bem como identificá-los para conheci- SALVAMENTO PALEONTOLÓGICO NOS tuações de obras em localidades com ocorrência realizada uma análise dos revestimentos internos
mento da paleofauna local. O material estudado ANOS DE 2018 E 2019, SUAS POSSÍVEIS de artefatos arqueológicos que não são potenciais utilizados nessas construções. A Confeitaria Co-
é proveniente de resgates em tanques durante CAUSAS E SOLUÇÕES / THE LOW NUMBER OF para a descoberta de acervo paleontológico, e lombo, localizada na Rua Gonçalves Dias, nº 32
prospecções nos trechos em obras da FIOL. Parte PALEONTOLOGICAL SALVAGE PROGRAMS IN 2018 AND vice-versa, mas a discrepância entre os números (-22.905202, -43.1787459,15), foi fundada em
deste é procedente do município de Guanambi- 2019, ITS POSSIBLE CAUSES AND SOLUTIONS chama a atenção e nos leva a refletir se há diferen- 1894. Em 1983, passou a fazer parte do Patrimô-
-BA, da localidade Lagoa do Rancho, sob coorde- ças na política de gestão do patrimônio que pode- nio Histórico e Artístico do Rio de Janeiro e sua
HENRIQUE ZIMMERMANN TOMASSI¹, CLÁUDIO
nadas 14°7’42”S, 42°53’7,67”O. Outra parte é riam prejudicar a proteção de material paleonto- arquitetura em estilo “Art Nouveau” foi mantida.
MAGALHÃES DE ALMEIDA²,³
procedente dos municípios de Aracatu e Palmas lógico. Caso essas diferenças existam, devem ser Quanto aos revestimentos, foram encontrados os
¹Consultor em paleontologia, Brasília, DF; ²Departa- corrigidas com urgência a fim de prevenir a perda
do Monte Alto, sem maiores dados de localização, mento de Biologia, Universidade Estadual de Goiás, seguintes litótipos: mármore branco no piso da
já que o mesmo foi coletado por pesquisadores Anápolis, GO; ³Faculdade Unida de Campinas, Goiâ-
de fósseis em obras civis. entrada, o calcário lioz avermelhado (Encarnadão)
responsáveis pelo levantamento arqueológico da nia, GO.  no balcão ao lado direito antes do salão principal
área, e posteriormente foram doados à UFRB. Ba- HZTomassi@gmail.com • claudio.magalhaes@ueg.br e o granito escuro no piso do anexo. A Confei-
130 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 131

taria Manon, localizada na Rua do Ouvidor, nº assembleia fossilífera inclui moluscos gastrópodes 1
Instituto de Geografia, Universidade Federal de Uber- IMAGEAMENTO E PROSPECÇÃO DE TAN-
187/189 (-22.904899; -43.180261,15), foi fun- (†Sogdianella, †Neoptyris, Turritella, †Eunerinea) en- lândia, Monte Carmelo, MG; 2Universidade Federal de QUES FOSSILIFEROS ATRAVÉS DO PRO-
São Paulo, Diadema, SP.
dada em 1942 e tombada pela prefeitura em 1993. contrados na escada interna e em algumas lajes do CESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS DE
Em seus revestimentos foram encontrados o már- piso e †Rudistas (†Radiolitides, †Caprinula) obser- jonatas.rtt@gmail.com • rangelcaiocesar@gmail.com VANT NO MUNICIPIO DE GUANAMBI/
quaglio@unifesp.br
more branco e o granito avermelhado no piso, o vados ao longo das escadas, além do icnogênero BA / IMAGE AND PROSPECTION OF FOSSILIFEROUS
mármore Bahia nos balcões e parte de algumas Thalassinoides presentes no segundo andar. Os gas- Em constante crescimento desde seu início em SITE THROUGH UAV DIGITAL IMAGING PROCESSING IN
paredes e o calcário lioz de cor marfim na fachada. trópodes do gênero †Sogdianella são mais facilmen- 2016, o Laboratório de Paleontologia Aplica- GUANAMBI/BA
O calcário Lioz, proveniente de Portugal, presen- te observados no intervalo entre os dois lances de da – LAPA da UFU – Campus Monte Carmelo JOSÉ RICARDO GONÇALVES MAGALHÃES1, GES-
te em ambas as edificações, está repleto de fósseis escadas internas e atingem a altura máxima de 5 é utilizado para atividades de ensino, extensão e SICA DA PAZ PEREIRA1, ALEXSANDER SANTOS
de moluscos rudistas (caprinídeos e radiolitídeos) cm. Os exemplares de †Neoptyxis atingem 6 cm de pesquisa. Embora ainda esteja em estruturação, LEÃO1, CAROLINA SALDANHA SCHERER2
preservados tanto em cortes transversais quanto altura e de Turritella foram observados espécimes o laboratório desempenha muitas atividades de 1
Grupo de Tecnologias Educacionais, Robótica e Física;
em cortes longitudinais. A partir da divulgação da com até 7 cm de altura. Apenas dois espécimes de coletas pelo Brasil, especialmente na Região Su- 2
Laboratório de Paleontologia; 1,2Universidade Federal
geodiversidade, em especial do conteúdo fossilí- †Eunerinea mal preservados foram encontrados ao deste, e recebe também doações de amostras de do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA.
fero, presente nessas duas cafeterias, será possível longo da escada e dois fragmentos no piso do pátio instituições colaboradoras para incrementar o
obter uma nova abordagem desses espaços, agre- do primeiro andar. Todavia, um exemplar muito acervo paleontológico. Este trabalho atualiza a Este estudo trata da aplicação do processamento
gando maior interesse geoturístico à cidade do Rio bem preservado encontra-se em uma laje do piso organização e representatividade do acervo da digital de imagens (PDI) de Veículos Aéreos Não
de Janeiro. da saída da lateral direita do edifício. Esses espéci- coleção paleontológica, a partir da construção de Tripulados (VANT) por meio da técnica Struc-
 mes apresentam um tamanho relativamente maior tabelas e gráficos quantitativos das amostras e sua ture from Motion (SfM) para a prospecção e ca-
que os demais gastrópodes aqui identificados, com representatividade taxonômica no tempo geológi- racterização geométrica de tanques fossilíferos na
A DIVERSIDADE FOSSILÍFERA DO PAÇO
aproximadamente 12 cm de altura. Os Rudistas co, bem como o acondicionamento, a descrição e região de Guanambi-BA, sob a área de influência
IMPERIAL E SUA IMPORTÂNCIA PARA O
do gênero †Radiolitides e †Caprinula, medindo em a documentação fotográfica dos fósseis. Dentre os da Ferrovia de Integração Oeste-Leste (FIOL).
GEOTURISMO URBANO NO RIO DE JA-
torno de 8 a 10 cm, são encontrados no rodapé 234 exemplares fósseis, contabilizam-se 120 ver- Geologicamente a região se encontra implantada
NEIRO / THE FOSSIL DIVERSITY OF THE PAÇO IM-
ao redor da escada interna em um calcário Lioz, tebrados (51,28%), 41 invertebrados (17,52%), no Batólito Guanambi, composto por granitos,
PERIAL AND ITS IMPORTANCE FOR URBAN GEOTURISM
de cor marfim. Além dos moluscos foi possível 34 plantas (14,53%), e 39 icnofósseis (16,66%). migmatitos e ortognaisses. Na região de interesse
IN RIO DE JANEIRO
observar revestimento de calcário Lioz bege con- Com relação à bioestratinomia dos fósseis do desta pesquisa, por exemplo, há o tanque fossilífe-
MÁRCIA A. DOS REIS POLCK1, MARCO ANDRÉ M. tendo o icnogênero Thalassinoides, no piso de duas LAPA, podemos certificar de que somam 57 ro Lagoa das Abelhas, o qual foi previamente esca-
MEDEIROS2, HERMÍNIO I. DE ARAÚJO-JÚNIOR3 varandas do segundo andar. O presente trabalho amostras com acumulações fossilíferas de verte- vado e no qual houve a descoberta de fragmentos
1
Agência Nacional de Mineração, Rio de Janeiro, RJ; oferece maior conhecimento paleontológico para brados, 19 de valvas ou de elemento corporal par- ósseos de vários táxons de mamíferos pleistocêni-
2
Petrobras, E&P-EXP/AFOE/ADGP, Rio de Janeiro, agregar ao geoturismo urbano carioca. Além dis- cos, como os da ordem Xenarthra, representados
cialmente preservado para os invertebrados, 24 de
RJ; 3Departamento de Estratigrafia e Paleontologia, Fa- so, estabelece a importância desse espaço cultural pelas preguiças, gliptodontes e tatus. Consideran-
culdade de Geologia, Universidade do Estado do Rio de folhas e filoides com partes duras que apresentam
dentro de um contexto histórico e arquitetônico, alterações químicas nas plantas e 16 de esteiras do que não existem registros de um método cien-
Janeiro, Rio de Janeiro, RJ.
contribuindo para a geoconservação, educação e microbianas preservadas para os icnofósseis. Para- tifico eficaz para identificar estas feições o objetivo
maf_reis@yahoo.com.br • geomalmann@gmail.com
herminio.ismael@yahoo.com.br divulgação da paleontologia e das geociências de lelamente, em relação à diagênese dos exemplares principal deste trabalho é mapear a distribuição de
modo geral. da coleção, 99 correspondem a amostras com par- tanques fossilíferos tanto escavados quanto aos que
O prédio do Paço Imperial, localizado em frente te dura conservada nos vertebrados e 36 nos in- apresentam potencial prospectivo, e estimar as ge-

à Praça XV de novembro, nº 48, Centro, Rio de vertebrados, 24 amostras incarbonizadas nas plan- ometrias que os mesmos apresentam por meio do
Janeiro, foi construído em 1743, em estilo colo- CARACTERIZAÇÃO TAFONÔMICA DO tas e 16 amostras de microbialitos silicificados. A emprego do PDI de alta resolução. O trabalho foi
nial. Em 1985 o edifício foi restaurado e utilizado ACERVO DE FÓSSEIS DO LABORATÓRIO análise da representatividade tafonômica da cole- iniciado com o planejamento e a coleta de imagens
como centro cultural e atualmente tem a aparên- DE PALEONTOLOGIA APLICADA DA UNI- ção revelou que diversas categorias de preservação em uma área de 80 ha. Após esta etapa, as imagens
cia que tinha em 1818, oferecendo exposições de VERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA, ainda não são contempladas no acervo. Nesse âm- foram submetidas as rotinas de PDI utilizando o
arte ao público. Em sua edificação estão presentes CAMPUS MONTE CARMELO / TAPHONOMIC bito deverão ser adquiridas amostras fósseis para software Agisoft Metashape versão 1.5.1 através
os seguintes litótipos: gnaisse, granito cinza e cal- CHARACTERIZATION OF THE FOSSILS HOUSED AT LA- complementar a categoria de bioestratinomia, tais da técnica SfM o qual foi dividido em etapas dando
cário Lioz. Esse último, é uma rocha sedimentar BORATORY OF APPLIED PALEONTOLOGY OF THE FEDE- como: restos parcialmente preservados, partes origem aos modelos digitais de elevação (MDE),
de idade Cenomaniana presente em várias edifica- RAL UNIVERSITY OF UBERLANDIA, CAMPUS MONTE duras sem alteração (dentes, ovos, garras). Já na de terreno (MDT) e ortomosaico. Com a inte-
ções no Brasil. Em função da importância histórica CARMELO categoria da diagênese devem-se buscar exempla- gração das imagens (MDE, MDT, ortomosaico)
dessa edificação e da presença desse calcário fossi- res adicionais de fósseis em nódulos, impressões e foi possível a identificação e delineamento de um
JONATAS TESSARI1, CAIO CÉSAR RANGEL1, FER-
lífero, foi realizada uma prospecção mais detalhada fósseis permineralizados. total de 14 tanques por meio das informações ge-
NANDA QUAGLIO2
com identificação do conteúdo paleontológico. A  ométricas como a área superficial, comprimento,
132 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 133

largura, profundidade e formato interno. A confi- nal e turístico foi utilizada a plataforma GEOSSIT 1
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Na- um biválvio, um cefalópode e um esperiferídeo;
guração em relação ao tipo de solo e afloramen- do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Como cional, Departamento de Geologia e Paleontologia, e (7) Bacia do Araripe: cerca de 120 especimens
Laboratório de Paleoinvertebrados, Rio de Janeiro,
tos rochosos é a mesma no entorno do tanque resultado, três geossítios apresentaram relevância de insetos, além de fitoclastos; (8) Expedição Or-
RJ; 2Universidade Federal do Rio de Janeiro, curso de
Lagoa das Abelhas e nos outros 13 tanques ainda educacional e turística em nível nacional, além de Ciências Biológicas.3Universidade Federal do Rio de ville Derby: 24 crinoides, 37 braquiópodes, cinco
não prospectados. Desta maneira, este estudo alto valor científico e médio risco de degradação, Janeiro, Museu Nacional, Programa de Pós-Graduação tentaculitideos, um bivalvio e icnofósseis. Por fim,
pôde mostrar as potencialidades do uso de VANT dois sítios apresentaram relevância educacional em Geociências Patrimônio Geopaleontológico, Rio de também foram encontrados dois corais da Forma-
para cobrir extensas áreas direcionadas à parte de nacional e quatro sítios apresentaram alto risco Janeiro, RJ. ção Pirabas. Esses dados são preliminares, pois o
prospecção de tanques fossilíferos com boa au- de degradação. Destes últimos, um deles já é bas- maridsbatista@gmail.com • robvidsan@yahoo.com.br resgate da coleção de paleoinvertebrados ainda
tonomia de voo, baixo custo e rapidez na análi- tante utilizado como área de lazer da comunidade, schefflersm@mn.ufrj.br • fernande@acd.ufrj.br está em curso, sendo que foram abertos apenas
se de dados. Os tanques ainda não prospectados entretanto está localizado muito próximo a uma Conhecida como um dos mais antigos acervos 30% dos armários compactadores, existindo gran-
possuem um elevado potencial prospectivo pela piscina de descarte frigorífico, elevando substan- fossilíferos do país, a coleção de paleoinvertebra- de potencial de recuperação de mais exempla-
sua similaridade com o já prospectado, os quais cialmente seu risco de degradação. Recomenda-se dos do Museu Nacional/UFRJ abrangia cerca de res. [CAPES 1814765, CNPq 474952/2013-4 e
se tornam alvos para a prospecção paleontológica. ao Geopark Bodoquena-Pantanal que avalie a in- 11.500 números-tombo contendo em torno de 303004/2016-9, FAPERJ E-26/200.110/2019]
[AVALEC Engenharia,Construções e Ferrovia S.A./ clusão de novos geossítios, criando efetivamente 60.000 amostras, fruto de 200 anos de pesquisas 
Termo de Cooperação 02/2013 VALEC/UFRB] um roteiro de turismo e educação. Além disso, o científicas e doações à instituição. No dia 2 de se-
Geopark Bodoquena-Pantanal, ou a prefeitura de tembro de 2018, entretanto, o prédio principal do IDENTIFICAÇÃO TAXONÔMICA DE FÓS-

Nioaque, pode fomentar a criação de áreas pro- Museu Nacional foi atingido por um incêndio que SEIS DA MACROFLORA DA BACIA DO
GEOCONSERVAÇÃO DOS ICNOFÓSSEIS tegidas dentro de algumas categorias do Sistema devastou as coleções lá presentes, incluindo a de ARARIPE (CRETÁCEO INFERIOR) PER-
DA FORMAÇÃO BOTUCATU (CRETÁCEO, Nacional de Unidade de Conservação (SNUC), paleoinvertebrados. Trabalhos de resgate realiza- TENCENTES À COLEÇÃO CIENTÍFICA DO
BACIA DO PARANÁ) NA REGIÃO DO GE- como Monumento Natural ou Reserva Particular dos após o sinistro possibilitaram a recuperação LABORATÓRIO DE ECOLOGIA E GEO-
OPARK BODOQUENA-PANTANAL (MS) do Patrimônio Natural (RPPN), visando a conser- de amostras de importante significado, como o CIÊNCIAS (UFBA-IMS/CAT) / TAXONOMIC
GEOCONSERVATION OF BOTUCATU FORMATION (CRE- vação dos seus geossítios e gerando recursos de conteúdo do armário de fósseis-tipo, destacando IDENTIFICATION OF MACROFLORA SPECIMENS FROM
TACEOUS, PARANÁ BASIN) ICHNOFOSSILS IN THE RE- compensação ambiental para manter as ativida- o exemplar tipo de Coilopoceras lucianoi, sím- ARARIPE BASIN (LOWER CRETACEOUS) HOUSED AT
GION OF GEOPARK BODOQUENA-PANTANAL (MS) des de turismo que vêm ganhando visibilidade no bolo da Sociedade Brasileira de Paleontologia, e SCIENTIFIC COLLECTION OF “LABORATÓRIO DE ECO-
cenário nacional. A criação de novas unidades de fósseis-tipo da Comissão Geológica do Império. LOGIA E GEOCIÊNCIAS” (UFBA-IMS/CAT)
MARIA IZABEL LIMA DE MANES1, RAFAEL COSTA
conservação pode gerar arrecadação de recursos Os exemplares, resgatados pelo Dr. Sandro Mar-
DA SILVA2, SANDRO MARCELO SCHEFFLER1 NILMA SANTOS DA SILVA, MÁRIO ANDRÉ TRIN-
financeiros para fomentar os trabalhos em Nioa- celo Scheffler, após processo de triagem, foram
1
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Laboratório DADE DANTAS*
de Paleoinvertebrados, Departamento de Geologia e que, advindos do ICMS ecológico ou compensa- provisoriamente alocados em contêineres situa- Laboratório de Ecologia e Geociências, Instituto Mul-
Paleontologia, Museu Nacional, RJ; 2CPRM – Serviço ções ambientais, além da própria atividade turís- dos junto ao palácio do Museu Nacional. Entre os tidisciplinar em Saúde, Universidade Federal da Bahia,
Geológico do Brasil, Museu de Ciências da Terra e De- tica. Também foi sugerido que o GeoMuseu de exemplares resgatados destacam-se os das seguin- Vitória da Conquista, BA.
partamento de Geologia, Divisão de Estratigrafia, Pale- Nioaque retome suas atividades a fim de manter tes coleções: (1) coleção do Cretáceo da Antár- nilmaestudante@gmail.com • matdantas@yahoo.com.br
ontologia e Sedimentologia, Rio de Janeiro, RJ. seu trabalho de conscientização na comunidade tida com cerca de 70 amonoides, 80 belemnites,
maria.manes@gmail.com • rafael.costa@cprm.gov.br e funcionando como chamariz de turistas para o As coleções científicas tem por objetivo principal
schefflersm@mn.ufrj.br
100 biválvios, um escafópode, 40 gastrópodes,
geoparque, atuando à beira da rodovia MS-060, 13 corais e três icnofósseis; (2) coleção Caster, agrupar de forma organizada dados associados aos
Geoparques têm o objetivo de auxiliar o desen- entre Campo Grande e Bonito, um conhecido procedentes do Devoniano da Bacia do Paraná, espécimes e amostras das populações, visando o
volvimento socioeconômico sustentável de uma destino turístico. Estas ações educativas e de fo- Colômbia e Bolívia: 48 braquiópodes articulados, aproveitamento científico e didático. A coleção
comunidade a partir de seus elementos naturais mento ao turismo podem ampliar a proteção dos sete orbiculoides, cinco lingulídeos, 28 biválvios e científica do Laboratório de Ecologia e Geociên-
promovendo turismo, educação e conservação. próprios sítios. um trilobita; (3) coleção Bengtson: cerca de oito cias da UFBA (IMS/CAT) possui fósseis vegetais
Assim, este trabalho teve como objetivo levan- biválvios do gênero Pinna; (4) exemplares do De- provindos da Formação Crato, na Bacia do Arari-

tar informações científicas e sugerir estratégias voniano da Bacia do Parnaíba: 100 braquiópodes , pe, atribuídos ao Cretáceo inferior e constituem
de geoconservação dos sítios icnofossilíferos no O RESGATE DA COLEÇÃO DE PALEOIN- cinco trilobitas e cinco biválvios; (5) exemplares uma parcela com vinte e duas amostras na cole-
município de Nioaque e região, dentro e fora da VERTEBRADOS DO MUSEU NACIONAL/ do Devoniano do Mato Grosso do Sul: amostras ção. O objetivo principal desta comunicação foi
área do Geopark Bodoquena-Pantanal, MS. Nes- UFRJ / THE RESCUE OF THE PALEOINVERTEBRATE de arenitos com icnofósseis, dois conulariídeos, promover a identificação destes fósseis ao menor
ta pesquisa, 64 sítios foram registrados, dentre os COLLECTION OF MUSEU NACIONAL/UFRJ quatro vestimentíferas, 69 orbiculoides, sete espe- nível sistemático a partir da descrição morfológi-
quais 15 apresentaram ocorrência de icnofósseis riferídeos, um Strophomenata, um tentaculitideo, ca dos fósseis. Os procedimentos e rotinas para a
MARIANA BATISTA DA SILVA1,2, ROBERTO VIDEI-
e foram analisados a fim de estipular seus riscos quatro colunariídeos, sete lingulídeos, um crinoi- identificação taxonômica incluíram ações como:
RA-SANTOS1,3, SANDRO MARCELO SCHEFFLER1,
e potenciais. Para quantificar o valor científico, de, e um trilobita; (6) exemplares oriundos da estudos bibliográficos, descrição dos órgãos ve-
ANTONIO CARLOS SEQUEIRA FERNANDES1
risco de degradação e potencial de uso educacio- Comissão Geológica do Império: uma Derbyina, getativos fossilizados e identificação taxonômica
134 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Registro: Memória, Curadoria, Acervos e Geoconservação 135

dos espécimes. Durante o desenvolvimento desses Realizamos uma análise da relação estabeleci- partir dos resultados, disponibilizar a sociedade um resumo informativo, bem como reconstruções
processos, os espécimes fósseis foram identifica- da entre formação de coleções museológicas e civil e autoridades subsídios para o desenvolvi- em vida dos espécimes (fóssil ou sua réplica). As
dos e comparados aos taxa citados em outros tra- mineração, partindo da observação da associa- mento da região. descobertas de caráter histórico para o museu são
balhos. Foram identificadas: Brachyphyllum obesum, ção que se dá entre a formação da Coleção Pa- restos esqueletais de titanossaurídeos, que foram

Choffatia francheti, Nymphaeites choffati, Ruffordia leontológica do Museu Paraense Emílio Goeldi acondicionados em expositores de ferro com tam-
goepperti, Araucaria cartellei, Araucarites vulcanoi, (MPEG) e a exploração mineral no município MUSEU DE PALEONTOLOGIA “PROF. AN- pos de vidro, formando uma “ilha” central no salão
Tomaxellia biforme, Cratonia cotiledon, Welwitschios- de Capanema-PA. Nesse âmbito, o MPEG é uma TONIO CELSO DE ARRUDA CAMPOS”, de exposição. Os fósseis do saurópode Aeolosaurus
trobus murili, Araripia florifera, Endressinia brasilia- importante instituição científica e museológica MONTE ALTO – SP: REESTRUTURAÇÃO maximus, foram alocados de forma a reconstituir o
na, Klitzchophyllites flabellatus, Trifurcatia flabellata, para o contexto local, nacional e internacional, CURATORIAL E EXPOSITIVA / MUSEU DE local em que foi escavado. Além disso, réplicas de
Protanana lucenae e Iara iguassu. A identificação dos já as empresas de mineração desempenham um PALEONTOLOGIA “PROF. ANTONIO CELSO DE ARRUDA impressão 3D de fósseis e suas reconstruções fo-
fósseis vegetais é uma contribuição importante papel duplo no sentido de preservação através CAMPOS”, MONTE ALTO – SP: CURATORIAL AND EXHI- ram disponibilizadas para que os visitantes pudes-
para o reconhecimento da coleção científica do da formação de acervos, como contrapartida BITION SPACE REORGANIZATION sem tocá-las, especialmente os deficientes visuais.
Laboratório de Ecologia e Geociências da UFBA, mitigatória, bem como a destruição de parte do Assim, temos que as modificações nos espaços do
SANDRA SIMIONATO TAVARES1, APARECIDA DE
porque é uma referência para a comunidade in- material geológico/paleontológico para a produ- laboratório/reserva técnica permitiram melhor
LOURDES ALVES CONSTÂNCIO2, HELLEN OLYM-
terna e externa do IMS, atraindo pesquisadores ção de produtos a base de carbonato de cálcio, acondicionar os fósseis em preparação ou em es-
PIA DA ROCHA TAVARES1, FABIANO VIDOI IORI1,3,
de outras instituições de ensino superior. Esta in- especialmente o cimento. Dessa maneira, faz-se tudo. Da mesma forma, a modernização do espaço
ISMAR DE SOUZA CARVALHO4
teração promove o conhecimento de uma paleo- necessária uma análise quantitativa e qualitativa expositivo possibilitou melhoria das ações de difu-
1
Museu de Paleontologia de Monte Alto “Prof. Antonio
biodiversidade, além de possibilitar a identificação da composição do acervo de paleontologia do Celso de Arruda Campos, Monte Alto, SP; 2Secretaria são e popularização da Paleontologia, bem como
do tipo de clima, relevo e ecologia num determi- MPEG, buscando refletir sobre o papel do mu- de Turismo e Cultura, Prefeitura de Monte Alto, SP; maior afluxo de visitantes ao Museu.
nado período do tempo geológico, contribuindo seu como mediador da relação estabelecida en- 3
Museu de Paleontologia “Pedro Candolo”, Uchoa, SP;
4
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de 
também com os trabalhos da sistemática vegetal. tre humanidade x patrimônio paleontológico e
[*PQ/CNPq 308122/2016-0] como a musealização pode corroborar como uma Geociências, Departamento de Geologia, Rio de Janei- ACERVO PALEONTOLÓGICO DA UNIVER-
ro, RJ.
 forma efetiva de preservação de bens culturais. SIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIO-
sandraastavares@gmail.com • cidaconstancio83@hotmail.com
Assim, após levantamento de dados da coleção NAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA
A COLEÇÃO PALEONTOLÓGICA DO MU- hellentav@gmail.com • biano.iori@gmail.com
constatamos que até o ano de 2018, esta constava ismar@geologia.ufrj.br PALEONTOLOGICAL COLLECTION OF UNIVERSITY FOR
SEU PARAENSE EMÍLIO GOELDI E SUA de aproximadamente 6.292 exemplares fósseis, INTERNATIONAL INTEGRATION OF THE AFRO-BRAZI-
RELAÇÃO COM A MINERAÇÃO NO MU- cuja maior procedência consiste em materiais O Museu de Paleontologia “Prof. Antonio Celso LIAN LUSOPHONY
NICÍPIO DE CAPANEMA-PA / THE PALEON- oriundos de depósitos sedimentares amazôni- de Arruda Campos” é um museu municipal situ-
TOLOGICAL COLLECTION OF THE MUSEU PARAENSE THIAGO LUIZ FIUZA CAETANO
cos, especialmente da Formação Pirabas. Des- ado em Monte Alto, estado de São Paulo, Brasil,
EMÍLIO GOELDI AND ITS RELATION WITH MINING IN tes, 1.784 procedem diretamente de Capanema, fundado em 1992, com o objetivo principal de Instituto de Ciências Exatas e da Natureza, Laborató-
THE MUNICIPALITY OF CAPANEMA-PA rio de Ecologia e Evolução, Universidade da Integração
estando distribuídos entre as quatro coleções da preservar os fósseis encontrados na região onde se
Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Redenção,
RAYANA ALEXANDRA SOUSA DA SILVA1, AYMÊE seguinte maneira: 22% paleoinvertebrados, 26% localiza o museu. Entre 2016 e 2018 realizou-se CE.
LARISA LISBOA MARÇAL2, BARBARA ALVES SE- paleovertebrados, 6% paleobotânica e 11% mi- uma reforma estrutural em seu prédio, possibi- tlfc111@gmail.com
PULVREDA3, FÁBIO ALEXANDRE MELO MENE- crofósseis. Segundo os últimos dados disponíveis litando a solução de problemas de umidade, ilu-
ZES4, ANA PAULA LINHARES5, SUE ANNE REGINA de produção por grupo, do Sindicato Nacional minação e higienização. O espaço do laboratório O Geopark Araripe, de importância internacional,
FERREIRA DA COSTA6 da Indústria de cimento, o grupo industrial João foi reformulado para melhor armazenar os fósseis está localizado no sul do estado do Ceará, esten-
1
Pós-graduação em Ciências do Patrimônio Cultural, Santos, responsável pela fábrica de Capanema, da reserva técnica e os materiais coletados em no- dendo-se por seis municípios cearenses (Barbalha,
Instituto de Tecnologia, Universidade Federal do Pará, produziu 7.105.226 toneladas de cimento na vas escavações. A área expositiva foi remodelada, Crato, Juazeiro do Norte, Missão Velha, Nova
Belém, PA; 2Curso de Museologia, Universidade Fede- região norte no ano de 2013. Nesse sentido, é com novo projeto expositivo, com padronização Olinda e Santana do Cariri), foi o primeiro Geo-
ral do Pará, Belém, PA; 3Instituto de Ciências Biológi- notória uma assimetria entre a proporção daqui- de cores, painéis informativos e etiquetas identi- park das Américas, dele provém o acervo de mais
cas, Universidade Federal do Pará, Belém, PA; 4Curso ficadoras, facilitando a compreensão do visitante.
lo que entra para a coleção e as toneladas anuais de 400 fósseis da UNILAB, todos eles contidos no
de Museologia, Universidade Federal do Pará, Belém,
PA; 5Coordenação de Ciências da Terra e Ecologia do convertidas em produtos. Pela observação dos Estabeleceu-se um setor “Caminhos da Vida”, com Laboratório de Ecologia e Evolução e subdivididos
Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, PA; 6Coordena- aspectos analisados foi possível refletir acerca explicações sobre a evolução da vida e a diversida- em três grupos: plantas, peixes e insetos, sendo
ção de Museologia do Museu Paraense Emílio Goeldi, das ações mitigatórias e das potencialidades do de dos fósseis mais antigos. Os exemplares fósseis as plantas representadas no tombo pelas letras PL,
Belém, PA. uso desse patrimônio depositado nos museus oriundos da região de Monte Alto, tais como bi- os peixes por P, e os insetos por INS. Nem todos
rayanaalexandra02@gmail.com • aymeelisboa@gmail.com para o desenvolvimento local, conectando-se di- válvios, ovos, quelônios e crocodiliformes foram os espécimes tombados foram identificados a nível
bsepulvreda@gmail.com • fbalexandre@gmail.com retamente à missão que o MPEG assume na Ama- dispostos em módulos individuais de drywall, pro- de espécie, as plantas em sua maioria necessitam
alinhares@museu-goeldi.br • sue.costa@gmail.com
zônia de levantar temas, executar pesquisas e, a tegidos por vidro temperado e acompanhados de de serem identificadas, muitos insetos também,
136 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia

já os peixes estão em sua maioria identificados ters thick, and disposed as sucessively alternating
a nível de espécie, sendo o peixe mais comum o levels of oxidized and non-oxidized rocks, with
pequeno Dastilbe crandalli, a maioria provinda do the latter being the one where the fossils were
Membro Crato (Formação Santana). found. At least two fossiliferous layers were iden-
tified with high specimens concentration, with

the majority of them disarticulated (yet the most
CAJUEIRO: A REMARKABLE SITE OF SO- complete specimens presented some association),
LIMOES FORMATION (UPPER MIOCENE) showing small degrees of transportation, non-
DISCOVERED AT PURUS RIVER BY “EX- -weathering marks, and with low size selection
PEDIÇÃO PROFA. ROSALIE BENCHIMOL” of their material. Regarding the species diversity,
Cajueiro contains the majority of typical species
THIAGO SILVA LOBODA1, LUCY GOMES DE SOU-
found in Upper Miocene substrata of most sites
ZA2*, EDSON GUILHERME1, PETER MANN DE TO-
of southwestern Amazon: at least three species
LEDO3, ALCEU RANZI1, AMILCAR ADAMY4, JUDI-
of crocodilians (one Gavialoidea, and two Cai-
TH DOS SANTOS FERREIRA5, JONAS PEREIRA DE
maninae [with three large sized Purussaurus speci-
SOUZA-FILHO1
mens]), two turtles species (Chelus sp. and one Po-
1
Centro de Ciências Biológicas e da Natureza, Laborató-
rio de Pesquisas Paleontológicas, Universidade Federal docnemidae), two groups of mammals (Rodentia
do Acre, Rio Branco, AC; 2Departamento de Geologia and Edentata), a great diversity of fishes material
e Paleontologia, Museu Nacional/Universidade Federal (Osteichthyes, mainly Characiformes and Siluri-
do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ; 3Centro de Ciên- formes), some few material of Squamata, and two
cia do Sistema Terrestre, Instituto Nacional de Pesquisas specimens of Aves. The diversity found in Cajueiro
Espaciais, São José dos Campos, SP; 4Diretoria de Geo-
logia e Recursos Minerais, Serviço Geológico do Brasil, is comparable with others notorius sites of SW
Porto Velho, RO; 5Museu da Amazônia, Manaus, AM. Amazon, as Cachoeira do Bandeira, Niterói and
loboda_bio@yahoo.com.br • souzalucyg@gmail.com Talismã, localities which were extensive prospec-
guilherme.edson@uol.com.br • peter.toledo@hotmail.com ted along several years. Thus, due to the great di-
alceuranzi@hotmail.com • amilcar.adamy@cprm.gov.br mensions of this new site and through the quality
judith-duarte@hotmail.com • jpdesouzafilho@hotmail.com and abundance of the material collected from just
two working days, we consider this locality one of
A research partnership between Laboratório de
the most important brazilian sites regarding Soli-
Pesquisas Paleontológicas (LPP-UFAC) and Mu-
mões Formation sediments. [*CAPES]
seu da Amazônia (MUSA, financier), plus invited
researchers, culminated in the “Expedição Profa. 
Rosalie Benchimol” whose main objective was re-
visiting historical locations explored at 1980’s by
the honored researcher at Purus river in Boca do
Acre and Pauini municipalities, both located in
Amazonas state, Brazil. The most important result
from this expedition was the recognition of a new
unprecedented site named “Cajueiro” placed few
kilometers upstream Boca do Acre, at the left mar-
gin of Purus river (8º47’19’’S/67º29’55.2’’W).
This site is situated ninety eigth meters above the
sea level, has around six meters high, thirty me-
ters deep, and almost two hundred meters length,
being composed by silt clay to claystone, ferrugi-
nous and carbonate concretion and gypsum veins.
Its layers are sub-horizontals, without depositio-
nal marks, having around thirty to fifty centime-
138 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 139

Sessão temática

Padrões: Sistemática
e Biogeografia
140 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 141

EVOLUÇÃO DO TAMANHO CORPORAL gem de evidência total por inferência bayesiana, deeper context of their relationships. To newly ¹Laboratório de Paleontologia, Departamento de Ciên-
DE PLEURODIRA (TESTUDINES) no software Beast. Com a hipótese filogenética investigate the relationships of basal ornithopods cias Biológicas, Centro de Ciências Humanas e Natu-
rais, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória,
BODY SIZE EVOLUTION IN PLEURODIRA (TESTUDINES) gerada por evidência total foram testados dife- we have assembled a matrix of 407 characters for
ES; 2Laboratório de Paleontologia, Centro de Ciências
rentes modelos evolutivos usando o pacote OU- 101 taxa, including 47 basal ornithopods, consti- Biológicas e da Saúde, Universidade Regional do Cariri,
ALEXANDRE LIPARINI1, GABRIEL S. FERREIRA2,
wie na plataforma R. O modelo evolutivo que tuting most validly named species in this group. Crato, CE; 3Museu de Entomologia, Departamento de
TALITA FERREIRA AMADO3, BRUNA M. FARINA2,
mostrou melhor ajuste aos dados foi o modelo de We recover a typical position for Hypsilophodon Entomologia, Universidade Federal de Viçosa, Viçosa,
PABLO ARIEL MARTINEZ3 MG.
evolução diversificadora com ótimos e taxas de as the basalmost member of Ornithopoda. The
1
Instituto de Geociências, Departamento de Geologia, movimento browniano distintos, para cada um recently named Convolosaurus is confidently resol- ariannystorari@gmail.com • taissa.rodrigues@ufes.br
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizon- alamocariri@gmail.com • ffsalles@gmail.com
dos hábitats considerados (AIC = 1,68). O valor ved as the sister taxon of Tenontosaurus, contrary
te, MG; 2Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de
Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão ótimo para os pleuródiros aquáticos continentais to its original identification outside Iguanodontia; Among fossil mayflies, oligoneuriids are uncom-
Preto, SP; 3Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, foi menor do que para os costeiros (tamanho da this novel clade is identified as the sister taxon of mon, with the only known fossil species described
Departamento de Biologia, Laboratório de Pesquisas carapaça ≃23 cm e ≃30 cm, respectivamente). Rhabdodontidae. A speciose clade of Cretaceous for the Crato Formation.The family is divided into
Integrativas em Biodiversidade, Universidade Federal Diferente de uma tendência geral ao aumento Gondwanan ornithopods is recovered as in several
de Sergipe, São Cristovão, SE. three subfamilies: Colocrurinae, Chromarcyinae
temporal do tamanho, a história evolutiva dos recent phylogenies, which can be identified as the and Oligoneuriinae. Colocrurinae is a subfamily
alexandreliparini@yahoo.com.br • gsferreirabio@gmail.com Pleurodira se ajusta melhor a um modo estabili- recently redefined clade Elasmaria. The African
amadotalita@gmail.com • bruna.mfarina@gmail.com known only by fossils and comprises two species
zador múltiplo de evolução. Assim, parece haver Kangnasaurus is resolved as the basalmost member of the genus Colocrus. Colocrus indivicum was
pablo_sc82@hotmail.com
ótimos distintos para o tamanho corporal como of this group, instead of in Dryosauridae. A we- described based on a larva holotype and adult pa-
A variação temporal do tamanho corporal dos preferíveis em diferentes ambientes, podendo akly supported clade of the Argentinian Gasparini- ratype and Colocrus magnum, based on a larva
tetrápodas tem atraído a atenção dos naturalistas sugerir que grupos costeiros encontram menos saura and the Australian Weewarrasaurus forms the holotype. In this contribution, a new adult mayfly
desde a Antiguidade. Diversos fatores podem fa- competição neste ambiente, quando compara- next branch, which is in turn the sister taxon of specimen from the Crato Formation is described
vorecer o aumento ou diminuição do tamanho ao dos às linhagens aquáticas continentais. [FAPESP a grouping of two large, poorly resolved clades. as a new species, genus and subfamily of Oligo-
longo do tempo. Por exemplo, manutenção mais processo nº: 2018/10276-7] The first includes large-bodied Argentinian taxa neuriidae. The specimen (LPU/1696) is housed
eficiente da temperatura corporal e melhor de- such as Talenkauen, Macrogryphosaurus, Mahuidacur- at the Regional University of Cariri, CE. Besides

fesa contra predação tem sido postulados como sor, and Sektensaurus, in addition to the Antarctic the description, a taxonomic review of the Crato
processos relacionados ao aumento do tama- IMPACT OF NEWLY DESCRIBED TAXA ON Morrosaurus. The second clade contains almost all oligoneuriids was performed, and a phylogenetic
nho em mamíferos terrestres (Regra de Cope). ORNITHOPODA EVOLUTION: LARGER known Australian ornithopods, including the lar- analysis was conducted using TNT software. The
Outras linhagens apresentam em sua evolução CLADES, SMALLER GHOST LINEAGES, ge-bodied Muttaburrasaurus and Fostoria, as well as matrix, modified from a recently published paper,
momentos de miniaturização e estabilização em BUT STILL LOW STABILITY the Argentinian Anabisetia and Antarctic Trinisaura. comprised 77 binary characters. Ingroup taxa in-
uma faixa de tamanho ótimo. Tal miniaturização Relatively typical contents for Dryosauridae and cluded all 12 oligoneuriid genera and outgroup
ANDRÉ FONSECA1, ALEXANDER VENNER2, IAIN
foi associada à evolução da capacidade de voo em Ankylopollexia are recovered. However, charac- taxa included the three closely related families.
REID3, AMBER LITTLE4
aves e à utilização de nichos mais restritos em ter support for Dryomorpha is weaker than in The revised C. indivicum paratype venational data
1
Instituto de Ciências Humanas, Laboratório de Geolo-
anfíbios. Assim, características do hábitat podem gia e Pedologia, Universidade Federal de Juiz de Fora, previous analyses, and we tentatively place Dryo- clearly indicate its placement in the Hexageniti-
dirigir as tendências de evolução do tamanho Juiz de Fora, MG; ²Independent researcher Aberystwy- sauridae with Elasmaria; as of such, stability in the dae: the CuA branches with triads between CuA1
corporal. Neste trabalho utilizamos tartarugas th, UK; 3Independent researcher, Kelowna, Canada; high-level relationships in Ornithopoda is found to and CuA2, a unique feature of the family. The only
4
Independent researcher, Charlottetown, Canada. be weaker than previously thought. Despite this,
Pleurodira para testar se a evolução do tama- difference between the larvae of C. indivicum and
andre_of2299@outlook.com • alexandervenner@gmail.com our analysis forms the most comprehensive phylo-
nho corporal de linhagens aquáticas continen- C. magnum is their sizes. However, considering
iainstein27@gmail.com • ambergirl017@gmail.com geny of basal ornithopods so far and results in an
tais e aquáticas costeiras apresentaram modos that their nymphal stages are unknown, there’s a
evolutivos distintos. Questionamos se modelos evolutionary scenario with fewer, larger clades on possibility that C. magnum is a junior synonym
Non-ankylopollexian ornithopods are an often
evolutivos com forças de atração distintas para the lineage leading to Ankylopollexia, and fewer of C. indivicum. The cladistic analysis resulted in
overlooked group of dinosaurs with deeply un-
cada ambiente explicariam melhor a evolução Jurassic ghost lineages, than previously thought. four equally parsimonious trees, with LPU/1696
certain taxonomic content and phylogenetic re-
de Pleurodira comparados a modelos com um lationships, hampering our understanding of the  and Oligoneuriinae recovered as sister groups.The
único padrão, independentemente de seu hábi- evolution of these so-called “basal” taxa. However, venation of LPU/1696, with tendency towards
tat. Hipotetizamos que linhagens de diferentes NEW FOSSIL MAYFLY FROM THE CRATO
recent years have seen a surge in interest for this gemination of longitudinal veins, appears to be an
hábitats apresentam diferentes modos evolutivos FORMATION, ARARIPE BASIN, AND A
group, with six new species being named in 2019 intermediate form between a plesiomorphic wing
e não apenas um único, como aquele explicado REVIEW OF EXTINCT OLIGONEURIIDS
alone. Considering the short time period between venation, as evident in Chromarcyinae, and the
pela Regra de Cope. Foram utilizados 153 tá- (EPHEMEROPTERA)
their descriptions, no single phylogenetic analysis highly reduced apomorphic wing with geminated
xons (extintos e viventes) para a reconstrução da has included all new taxa or fully explored the ARIANNY STORARI1, TAISSA RODRIGUES1, AN- veins found in Oligoneuriinae. The discovery of
história evolutiva do grupo, a partir da aborda- TONIO ALAMO SARAIVA2, FREDERICO SALLES3 a Gondwanan species with such transitional cha-
142 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 143

racters is expected, as several families of Ephe- more than 30 specimens referable to a single ta- ro, RJ. Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade CLASSIFICAÇÃO SISTEMÁTICA DE BI-
meroptera have had their primary evolutionary xon, Patene simpsoni Paula Couto, 1952. This taxon e Biologia Evolutiva, Universidade Federal do Rio de VALVES FÓSSEIS DO CRETÁCEO SUPE-
Janeiro, RJ.
development on Gondwanaland. The finding of is also thought to have occurred during the middle RIOR DA BACIA BAURU, FORMAÇÃO
a new Oligoneuriidae subfamily in the Mesozoic Eocene of the Quebrada de Los Colorados For- dimothe@hotmail.com • leonardo.avilla@gmail.com PRESIDENTE PRUDENTE, PRESIDENTE
of South America fills important gaps as, from a mation (formerly Lumbrera Formation) in Nor- Os mamíferos ungulados nativos sul-americanos PRUDENTE, SP / SYSTEMATIC CLASSIFICATION OF
morphological view, this specimen can be consi- thwestern Argentina. Curiously, the Argentinean (Meridiungulata, incluindo Astrapotheria, Dido- UPPER CRETACEOUS BIVALVES OF THE BAURU BASIN,
dered a transitional fossil. From a biogeographical specimens show a younger occurrence and some lodontidae, Litopterna, Notoungulata, Pyrothe- PRESIDENTE PRUDENTE FORMATION, PRESIDENTE
point of view, it demonstrates that the divergence differential morphological traits compared to the ria e Xenungulata) sempre foram negligenciados PRUDENTE, SP
between Oligoneuriinae + LPU/1696 and Chro- Brazilian specimens; which lead previous studies nos estudos filogenéticos de eutérios. Nos raros DONATO JESUS MARTUCCI NETO1, SABRINA
marcyinae occurred in South America anteriorly to suggest that these specimens might represent estudos em que foram incluídos, a diversidade de COELHO RODRIGUES1, RENATO PIRANI GHI-
to the Gondwana break-up. a different species. Herein, in order to test the Meridiungulata foi subestimada, perpetuando o LARDI2
systematic affinities of Patene and the taxonomic pouco conhecimento sobre sua história evoluti-
 1
Instituto de Ciências Exatas e Naturais do Pontal, La-
assignment of the Argentinean specimens to Patene va. Neste estudo, reconheceu-se uma nova linha- boratório Analítico em Paleontologia, Universidade Fe-
A REVIEW OF Patene SIMPSON,1935 AN simpsoni, we performed a review of this genus. The deral de Uberlândia – Campus Pontal, MG; 2Faculdade
gem Supraordinal de Eutheria, após a realização
EOCENE CARNIVOROUS SPARASSODONT specimens from the Quebrada de Los Colorados de Ciências, Laboratório de Paleontologia de Macroin-
de análises filogenéticas morfológicas incluindo
(MAMMALIA, METATHERIA): DIVER- Formation Northwestern Argentina show signifi- vertebrados, Universidade Estadual Paulista, campus de
todas as linhagens de Meridiungulata e Eutheria. Bauru, SP.
SITY, SYSTEMATIC AND PALEOBIOGEO- cant differences from the specimen from Brazil, Gerou-se uma matriz com 109 caracteres mor- donato-neto@hotmail.com • sabrina.rodrigues@ufu.br
GRAPHY including the smaller size; relatively more develo- fológicos e 44 táxons terminais. A análise filo- renato.ghilardi@unesp.br
ped paraconid; and smaller metaconid, entoconid genética foi conduzida no programa TNT, com o
CAIO CÉSAR RANGEL1, LEONARDO DE MELO
and hypoconid. As a result, the specimens from algoritmo “New Technology search”, e caracteres A Bacia Bauru possui uma área de aproximada-
CARNEIRO2,3, LÍLIAN PAGLARELLI BERGQVIST4,
the Quebrada de Los Colorados Formation are não-ordenados. Meridiungulata resultou como mente 370.000km², ocupando 5 estados do terri-
ÉDISON VICENTE DE OLIVEIRA5, FRANCISCO JA-
assigned to a new species of Patene. The results of não monofilético; sendo Litopterna e “Didolo- tório brasileiro. Em relação a rochas de idade me-
VIER GOIN6, MARIA JUDITH BABOT7
our phylogenetic analysis recover Patene as a “ba- dontidae” parte de Panamericungulata e mais sozoica a Bacia Bauru possui a mais extensa suces-
1
Laboratório de Paleontologia Aplicada, Instituto de
Geografia, Universidade Federal de Uberlândia, Cam- sal” sparassodont and support previous hypotheses próximos da Laurasiateria que de outros grupos são sedimentar de idade cretácea da América do
pus Monte Carmelo, Monte Carmelo, MG; 2Programa that exclude Patene from the “Hathliacynidae”. The de “Meridiungulata”. Já as linhagens Astrapo- Sul. Dentre os fósseis encontrados na Bacia Bauru
de Pós-Graduação em Biodiversidade e Biologia Evolu- results also supported the hypothesis that Allqoki- theria, Notoungulata, Pyrotheria e Xenungulata podemos citar os quelônios de grande porte, cro-
tiva, Instituto de Biologia, Centro de Ciências da Saúde, rus australis Marshall & Muizon, 1988 and Mayules-
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Campus Ilha do formaram um grupo monofilético, suportado codilomorfoss, titanossaurídeos, moluscos, con-
tes ferox Muizon, 1998 from the El Molino Forma- por sete sinapomorfias. Este grupo representa chostráceos, peixe, icnofósseis e algas carófitas.
Fundão, Rio de Janeiro, RJ; 3Laboratório de Paleonto-
logia e Paleoecologia da Sociedade de História Natural, tion (lower Paleocene), Tiupampa, Bolivia, as the uma nova linhagem de afrotérios paenungulados Destes, são os moluscos o grupo menos estudado.
Torres Vedras, Portugal; 4Laboratório de Macrofósseis, oldest known representatives of the Sparassodon- (grupo que inclui Proboscidea, Sirenia e Hyra- Esse trabalho teve como objetivo fazer a classifi-
Departamento de Geologia, Instituto de Geociências, ta. The results also supported the Pucadelphyida coidea, originado no norte da África), compar- cação sistemática de bivalves fósseis de idade cre-
Universidade Federal do Rio de Janeiro- Campus Ilha as represented by the Jaskhadelphyidae, Pucadel-
do Fundão, Rio de Janeiro, RJ; 5Laboratório de Paleon- tilhando ancestral comum com Hyracoidea. A tácea coletados na região de Presidente Prudente,
phyidae, Sparassodonta and closely related taxa. divergência entre as linhagens africanas e sul-a- SP. No primeiro momento foi feita a preparação
tologia, Departamento de Geologia, Centro de Tecno-
logia e Geociências, Universidade Federal de Pernam- The late Cretaceous North American Varalphadon mericanas é estimada para o Paleoceno inicial, e física dos espécimes para posterior registro foto-
buco, Recife, PE; 6División Paleontología Vertebrados, Johanson, 1996 was not recovered as a represen- suas relações apóiam o modelo biogeográfico de gráfico. Após a preparação física foram tiradas as
Facultad de Ciencias Naturales y Museo de La Plata, tative of the Sparassodonta; which support the Pu- Atlantogea. Posteriormente, esse nova linhagem medidas (altura, largura, comprimento) de todos
La Plata, Buenos Aires, Argentina; 7Fundación Miguel cadelphyida as an endemic South American clade.
Lillo, San Miguel de Tucumán, Tucumán, Argentina. de mamíferos ungulados nativos sul-america- os espécimes e, com auxílio de uma lupa, foram
 nos se diversificou de forma explosiva em seus analisados as feições morfológicas como linhas de
rangelcaiocesar@gmail.com • leonardo.carneiro8@gmail.com
bergqvist@geologia.ufrj.br • vicenteedi@gmail.com ESSA É A MISTURA DO BRASIL COM O quatro grupos principais. Comparar os padrões crescimento, posição do umbo, e cicatrizes mus-
fgoin@fcnym.unlp.edu.ar • jubabot@gmail.com EGITO: NOVA LINHAGEM DE AFROTHE- evolutivos desta nova linhagem de Afrotheria e os culares, posteriormente foi feita a classificação
RIA ENTRE UNGULADOS NATIVOS SUL- eventos naturais do Cenozóico (como tectônica, dos espécimes estudados, com base na literatura
The sparassodonts were the main mammalian pre- -AMERICANOS / THIS IS THE MIXTURE OF BRA- e mudanças climáticas e ambientais) auxiliará na especializada. Após analisar o conjunto de infor-
dators during most of Cenozoic in South Ameri- Zil AND EGYPT: NEW LINEAGE OF AFROTHERIA AMONG compreensão de um novo capítulo na evolução mações foi possível identificar 3 táxons diferente
ca. The Itaboraí Basin/Formation (lower Eocene) SOUTH AMERICAN NATIVE UNGULATES dos eutérios da Gonduana, bem como da história de bivalves dulcícolas, Anodontites pricei, Anodonti-
includes two of the oldest fossil records assigned natural da América do Sul durante o Cenozóico. tes paulistanensis, Diplodon arrudai. Dentre as es-
to this group: Patene Simpson, 1935 and cf. Ne- DIMILA MOTHÉ, LEONARDO S. AVILLA
[FAPERJ, CNPq, CAPES] pécies identificadas, Anodontites pricei e Anodontites
molestes Ameghino, 1902. Patene is by far the most Laboratório de Mastozoologia, Departamento de Zoo- paulistanensis já eram esperados ser encontrados
logia, Universidade Federal do Estado do Rio de Janei- 
abundant sparassodont from this formation, with para essa região, como visto previamente na lite-
144 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 145

ratura. O táxon Anodontites pricei é descrito apenas tos de extinção em massa (i.e. Permiano-Triássi- geovane_gaia@hotmail.com • williammatsumura@gmail.com during the Devonian of the Parnaíba Basin. [CA-
para a Formação Marília, porém após analisar todo co, Neotriássico), importantes mudanças faunís- fn.sousa@unesp.br • victor18lapalma@gmail.com PES; FAPESP 16/18275-4]
fabiocarbonaro@gmail.com • renato.ghilardi@unesp.br
material coletado para a realização deste trabalho ticas, alterações paleoambientais, entre outros.
m.llopart@unesp.br 
foi possível analisar que o táxon Anodontites pri- A identificação de eventos de diversificação para
cei tem uma diversidade e distribuição geográfi- os anomodontes é importante para uma melhor New expeditions done in outcrops localized in TYPE SPECIMENS OF MORPHOLOGI-
ca maior do que a já descrita para a espécie, Essa compreensão de seus padrões e processos evolu- the West margin of the Parnaíba Basins has reve- CAL CHARACTERS: AN EXPERIMENTAL
maior diversidade apresentada na Formação Pre- tivos. O presente estudo foi elaborado por meio aled new occurrences of phytofossils, until now APPROACH IN PHYLOGENETIC ANALY-
sidente Prudente pode estar relacionado a fatores de coleta de dados na literatura sobre a ocorrên- little studied in this region. The records of fossil SES
biológicos de favorecimento do desenvolvimento cia e idade dos anomodontes a nível de espécie. plants already made for this basin are concentra- GIOVANNE M. CIDADE, ANNIE SCHMALTZ HSIOU
das espécies nessa região. Em contrapartida, pode Mais de 600 ocorrências são conhecidas, incluin- ted in east border, while in its west border the do- Laboratório de Paleontologia, FFCLRP, Universidade
estar associada também a fatores preservacionais, do países como Brasil, Argentina, África do Sul, cumentation and classification of phytofossils are de São Paulo, Ribeirão Preto, SP.
nos quais o contexto deposicional gerador das China e Rússia. Vieses decorrentes da natureza scarce. In this work, six outcrops of Pimenteiras giovannecidade@hotmail.com • anniehsiou@ffclrp.usp.br
rochas da Formação Presidente Prudente tenha incompleta intrínseca ao registro fossilífero fo- Formation and Cabeças Formation were visited
favorecido a representatividade dos bivalves no ram atenuados aplicando-se modelos estatísticos with the purpose of collecting fossil material and One practical difficulty often found by resear-
registro. Fica evidente que os bivalves da Bacia de otimalidade (e.g. Occurrence Weighted By List a high resolution stratigraphic profile survey. The chers working on phylogenies with morphological
Bauru carecem de estudos mais aprofundados de Subsampling e Shareholder Quorum Subsampling), de samples containing plant fragments studied here characters is when the morphologies approached
cunho paleontológico, paleoambientais e taxonô- forma que os padrões de diversificação pudessem were all collected at point TO-06 (region next to in the character states are not clearly described,
micos para um melhor entendimento dessa classe ser verificados com maior precisão e robustez. Novo Acordo-TO). The first collect of materials hindering a prompt or even a complete unders-
tão abundante e diversificada. Por meio de diferentes interfaces e propriedades occurred previously with demarcations based on tanding of them. One approach that may help to
do ambiente R e da metodologia estatística uti- the distance from the base of the outcrop, with diminish this problem is the use of specimens as

lizada, os resultados mostraram que, apesar dos collections performed from meter to meter to “type specimens” of morphological phylogenetic
PADRÕES DE DIVERSIFICAÇÃO DE ANO- anomodontes sofrerem um importante declínio the top. Subsequently, the collect was made with characters as actual representatives of the morpho-
MODONTIA (SYNAPSIDA) DO PERMIA- de diversidade na transição Permiano-Triássico e a delimitation of the area by a grid, with dimen- logy approached by the character state. The type
NO AO TRIÁSSICO / DIVERSIFICATION PATTER- no Neotriássico, novas formas surgiram durante sions 2 x 2 meters (m). In total, 10 samples con- specimen of the character state may be named by
NS OF ANOMODONTIA (SYNAPSIDA) FROM PERMIAN TO o início do Mesozoico, com ampla distribuição taining phytofossils were collected and stored the researcher who proposed the character or by a
TRIASSIC geográfica, especialmente no subgrupo dos Di- in the scientific collection of the Laboratório de later reasercher who uses it, if the researcher de-
cynodontia. A perda de diversidade e a extinção Paleontologia de Macroinvertebrados of UNESP ems it necessary to make the character state more
FRANCISCO PEREIRA ALVES NETO¹, MARIO
de anomodontes ao longo da transição Paleo- (Bauru/SP) and registered as CCLP1224-1248. easy to understand to readers by allowing them
BRONZATI FILHO², MAX CARDOSO LANGER¹
zoico-Mesozoico pode estar relacionada com The vegetables were present in all strata of the to observe an actual specimen that “represents”
¹Laboratório de Paleontologia, Faculdade de Filosofia,
Ciências e Letras de Ribeirão Preto, Universidade de as mudanças paleoecológicas da época, como a previous collection point, being found at 2 m, the character stata, thus facilitating the understan-
São Paulo; ²Laboratório de Evolução e Biologia Integra- alteração climática e a irradiação dos saurópsi- 3 m and 4 m from the base. In the collect de- ding of it using a visual resource. This approach is
tiva, Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribei- das em ambientes terrestres. [CAPES PROEX marcated by a grid system, plants were found in proposed by this study experimentally using two
rão Preto, Universidade de São Paulo. 88887.201368/2018-00] distinct and diverse coordinates, and they were examples of new characters proposed for the phy-
netofpa@gmail.com • mariobronzati@gmail.com  also well represented. In the classification of the- logeny of the crocodylian group Alligatoroidea.
mclanger@ffclrp.usp.br
se phytofossils, representatives of Spongiophyton For a character that regards the shape of the ma-
CLASSIFICATION OF PHYTOFOSSILS xillary bone, the proposed type specimens of each
Os Anomodontia representam o grupo mais di- nanum (CCLP1224 and CCLP1226) were found
FROM THE WESTERN BORDER OF PAR- state are: Crocodylus niloticus, AMNH-R-10081
verso taxonômica e morfologicamente dentre os at 3 m from the base. These specimens presented
NAÍBA BASIN, PALMAS-TO (0); Paleosuchus palpebrosus, FMNH-69869 (1);
sinápsidos não-mamalianos, abrangendo formas perforations (pores) in the center of the cuti-
herbívoras e onívoras, de hábitos fossoriais, pas- GEOVANE GAIA1, WILLIAN MIKIO KURITA MAT- cle characteristic of S. nanum. Some specimens Wannaganosuchus brachymanus, SMM-P76.28.247
tadoras, semiaquáticas, entre outras. Reconhece- SUMURA2, FELIPE NASCIMENTO SOUSA1, VIC- (CCLP1225A, CCLP1225B and CCLP1242) had (2); Purussaurus mirandai, CIAAP-1369 (3); Moura-
se cerca de 130 espécies, sendo portanto uma das TOR RODRIGUES RIBEIRO1, FÁBIO AUGUSTO structures similar to Devonian fish spines, with suchus amazonensis, DGM-526-R (4); Gavialis gan-
linhagens mais inclusivas de Therapsida (Synapsi- CARBONARO1, RENATO PIRANI GHILARDI1, characteristics resembling ribs. The presence of geticus, AMNH-R-88316 (4). And for a character
da), com registro do Neopermiano ao Neotriás- MARTA PEREIRA LLOPART3 these plants and these probable fish may help in that regards the size pattern of the maxillary al-
sico. A proposta deste trabalho é a de investigar 1
Faculdade de Ciências, Departamento de Ciências a paleoenvironmental reconstitution. The cuticle veoli, the proposed type specimens are: Alligator
os padrões de diversificação dos anomodontes Biológicas, Laboratório de Paleontologia de Macroin- composition and thickness of S. nanum is associa- mississippiensis, AMNH-R-71621 (0); Wannagano-
desde seu surgimento até sua extinção, abarcan- vertebrados, Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP; ted with survival at intervals of immersion and suchus brachymanus, SMM-P76.28.247 (1); Purus-
2
Universidade Federal do Rio Grande do Sul, UFRGS, saurus mirandai, CIAAP-1369 (2); Gavialis gange-
do momentos marcantes da história evolutiva emergence, and may reinforce an occurrence of
Porto Alegre, RS; 3Instituto de Pesquisas Meteorológi-
dos vertebrados terrestres, incluindo dois even- cas, Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP. periods of marine transgression and regression ticus, AMNH-R-88316 (3); Acynodon iberoccitanus,
146 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 147

ACAP-FX1 (4). The type specimens for state sequência do Jurássico Superior da Bacia do Par- tal area and time since human started threats), as faunal extinctions. Here, we solved the puzzle of
characters are not supposed to be mandatory, and naíba. Foi alocado em Semionotidae pelo compri- well as the taxonomic and functional diversity of this scientific statement supporting the paucity of
they are neither “state-bearing” specimens, in the mento do frontal em relação ao parietal; suborbi- exploited megafauna, between SA and NA. Both information on megafaunal exploitation in Sou-
sense that holotypes, lectotypes etc. are name-be- tal único e anaméstico; infraorbitais mais ventrais continents revealed 17 MKSs, but SA presented th America. We gathered the MKS literature and
aring specimens of species, for example. As such, conectando-se ao braço inferior do pré-opérculo; a taxonomic diversity of human-annihilated me- quantified its citations by language (English vs. La-
an eventual reconsideration that concludes that abertura pequena da boca; maxila pequena e eden- gafauna three times richer than NA (15 vs. 5 ge- tin languages – Spanish, Portuguese, and French)
the type specimen does not represent the charac- tada; dentes presentes nos ossos dentário, maxilar nera). Besides richer MKSs, SA has a spatio-tem- for both NA and SA. A total of 10,526 citations
ter state would not make the character state inva- e pré-maxilar. Para testar o posicionamento deste poral density twice as large as NA (0.10 vs. 0.05 was found for all MKS papers over Americas,
lid; the type specimen is to be an auxiliary instru- novo táxon, foi empreendida uma análise filoge- sites per billionkm2.kyr).When functional groups 5,678 for NA and 4,848 for SA. All NA literatu-
ment only. Additionally, any other specimen must nética no software TNT, v.1.5., foi utilizando-se o were considered, proboscideans were more den- re was published in English, while SA presented
not have the strictly same morphology of the type algoritmo Traditional Search. Como resultado, fo- sely exploited in NA, whereas SA revealed higher publications in English and Latin languages (56%
specimen to be assigned to the state; the type spe- ram geradas 20 árvores mais parcimoniosas, com densities for deers, camelids, ground sloths, giant vs. 44%, respectively; Chi-squared test: X-squa-
cimen is supposed to serve first and foremost as a 433 passos, IC de 0,333 e IR de 0,661, seguindo armadillos, ursids, and cervids. By considering red = 718.01, df = 1, p-value < 2.2e-16, one-
guide to aid in the assignment of other specimens consenso estrito. Até o momento, Semionotidae only these high-density functional groups, SA has tail null hypothesis-H0: NA>SA). Our outcomes
to that particular state. [CNPq 140808/2016-7] apresentava uma distribuição temporal do Neotri- nearly five times more MKSs than NA by area and corroborate the Borrero’s statement that, oppo-
ássico até o Eojurássico. A nova ocorrência amplia time (0.25 vs. 0.06 sites per billionkm2.kyr). Our sing to argued by scientists, SA is relatively well

a distribuição do táxon até o Neojurássico, além findings clearly reveal that SA has the uppermost exploited, however, the literature written in Latin
PRIMEIRA OCORRÊNCIA DE SEMIONO- da distribuição geográfica, pois este é seu primei- densities of MKSs and the highest taxonomic and languages is lesser accessed than the literature in
TIDAE (NEOPTERYGII: SEMIONOTIFOR- ro registro válido no Brasil. Este registro traz no- functional diversity of human-exploited mega- English. It demonstrates that language bias is not
MES) NO JURÁSSICO SUPERIOR DA BA- vas informações sobre a paleoictiofauna brasileira fauna in New World, and display a more plentiful the greatest way to evolve the scientific debate.
CIA DO PARNAÍBA, NORDESTE DO BRA- e sua diversidade durante o Mesozoico, além de empirical evidence of human-based megafaunal Hence, we think that more attention to Latin lite-
SIL / FIRST OCCURRENCE OF SEMIONOTIDAE (NEOP- ser uma nova informação sobre o padrão de dis- predation than NA. We advise for researchers rature is hardly necessary to advance the American
TERYGII: SEMIONOTIFORMES) IN THE UPPER JURASSIC tribuição da família Semionotidae. [CAPES Proex stop neglecting South American evidences and megafaunal exploitation knowledge [INCT-EEC-
OF THE PARNAÍBA BASIN, NORTHEASTERN BRAZIL 001; CNPq 310101/2017-4; CNPq/UERJ Proci- start searching for scientific sources published in Bio/CNPq/MCTIC]
ência; FAPERJ CNE E-26/202.890/2018] Portuguese and Spanish. [INCT-EECBio/CNPq/
HANNA CAROLINA LINS DE PAIVA¹, VALÉRIA 
MCTIC]
GALLO¹, PAULO BRITO² 
WHERE IS THE BEST EVIDENCE? COM-
1
Instituto de Biologia, Laboratório de Sistemática e Bio- 
NEGLECTING THE EVIDENCE OF SOUTH PARING THE VIGOR OF HUMAN-MEGA-
geografia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro,
AMERICAN MEGAFAUNAL EXPLOITA- SOLVING THE LACKING SOUTH AMERI- FAUNAL EXPLOITATION BETWEEN NOR-
Rio de Janeiro, RJ; 2Departamento de Zoologia Univer-
sidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ. TION IN THE NEW WORLD? CAN MEGAFAUNAL EXPLOITATION: END TH AND SOUTH AMERICAS
GAME
hanna.clp@gmail.com • gallo@uerj.br HUGO BAMPI, MATHEUS DE SOUZA LIMA-RI- HUGO BAMPI1, JOÃO CARLOS PIRES-OLIVEIRA1, 2,
pbritopaleo@yahoo.com.br BEIRO HUGO BAMPI , JOÃO CARLOS PIRES-OLIVEIRA
1 1,
MATHEUS DE SOUZA LIMA-RIBEIRO1
Instituto de Ciências Biológicas, Laboratório de Macro- 2
, MATHEUS DE SOUZA LIMA-RIBEIRO1 1
Instituto de Ciências Biológicas, Laboratório de Ma-
Semionotiformes é um clado de neopterígios que ecologia, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO. 1
Instituto de Ciências Biológicas, Laboratório de Ma- croecologia, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO.
ocorre em boa parte do mundo. Seus represen- hugo.paleozoology@gmail.com • mslima.ribeiro@gmail.com croecologia, Universidade Federal de Jataí, Jataí, GO;
2
Faculdade de Ciências Biológicas e Agrárias, Laborató-
tantes são encontrados em formações mesozoicas, 2
Faculdade de Ciências Biológicas e Agrárias, Laborató- rio de Ecologia, Universidade do Estado de Mato Gros-
tanto de origem marinha quanto continental. De Megafaunal Kill/Scavenge Sites (MKSs) show re- rio de Ecologia, Universidade do Estado de Mato Gros- so, Alta Floresta, MT.
acordo com as últimas análises filogenéticas para liable evidence supporting the exploitation (e.g. so, Alta Floresta, MT. hugo.paleozoology@gmail.com • joao.oliveira@unemat.br
o grupo Ginglymodi, Semionotiformes é compos- hugo.paleozoology@gmail.com • joao.oliveira@unemat.br mslima.ribeiro@gmail.com
hunting) of extinct megafauna by humans across
ta por três famílias: Callipurbeckiidae, Macrose- mslima.ribeiro@gmail.com
the late Pleistocene. North America (NA) is or- During the late Quaternary, humans hunted me-
miidae e Semionotidae. Destas, Semionotidae é a dinarily acknowledged as a plentiful source of Many scientists have claimed that Megafaunal gafauna across all continents while spread out of
mais controversa, composta por apenas dois gê- MKSs worldwide, while reliable data are conti- Kill/Scavenge sites (MKSs) are insufficient or la- Africa. In New World, archaeologists consider
neros, Semionotus e Lophionotus, os quais apre- nuously considered insufficient or lacking in Sou- cking in South America (SA) in relation to North North America (NA) as the continent with the
sentam extensão temporal do Neotriássico até o th America (SA). Here, we exhaustively searched America (NA). Nevertheless, this argument has highest exploitation vigor in Megafaunal Kill/Sca-
Eojurássico, com registro na África, Alemanha e for human-based megafaunal exploitation in New been insistently quizzed because MKSs could be venge Site (MKSs). Nevertheless, MKSs for South
Estados Unidos. No presente estudo, é registrada World, assessed the reliability of MKSs with Gray- neglected by researchers, extrapolating possib- America (SA) have insistently been underestima-
a primeira ocorrência de Semionotidae no Brasil, son and Meltzer protocol and compared its spatio- le consistent explanations on New World mega- ted or even neglected by researchers, biasing fur-
proveniente da Formação Pastos Bons, a única temporal density (number of MKSs by continen-
148 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 149

ther analyses as the human impact on megafauna University, Cambridge, MA, USA; Alexander Agassiz SMITH5,6, JÖRG FRÖBISCH7,8, CLAUDIA MARSI- dois incisivos proeminentes, seguidos por uma fi-
extinctions. Here, we sought for MKSs in both Postdoctoral Fellowship. 3Department of Biological CANO9, MARTHA RICHTER10 leira com ao menos seis dentes bastante reduzidos.
Sciences, and Department of Earth and Atmospheric
continents and tested if the human-megafaunal 1
Museu de Arqueologia e Paleontologia, UFPI, Teresi- A mandíbula possui uma ornamentação constituí-
Sciences, University of Alberta, Edmonton, Alberta,
exploitation vigor in NA outnumbers that from Canada. 4Departamento de Biologia, Laboratório de na, PI; 2Programa de Pós-Graduação em Geociências, da por uma rede de cristas disseminadas ao redor
SA. The vigor of exploitation evidence was acces- Paleontologia, FFCLRP, Universidade de São Paulo, Ri- UFPE, Recife, PE; 3Integrative Research Center, Field de depressões de formato irregular, e uma sínfi-
sed by: i) ranking the exploitation force per MKS beirão Preto, SP. Museum of Natural History, Chicago, EUA; 4North Ca- se bulbosa. O maior tamanho e a ornamentação
rolina Museum of Natural Sciences, Raleigh, North Ca-
(the site rank outcomes from the sum of exploited jsbittencourt@ufmg.br • tsimoes@ualberta.ca grosseira são características de membros do clado
rolina, USA; 5Department of Karoo Palaeontology, Izi-
taxon ranks, which ranges from 1 to 4 according mw.caldwell@ualberta.ca • mclanger@ffclrp.usp.br ko South African Museum, Cidade do Cabo; 6Evolutio- Moradisaurinae, mas a presença de uma sínfise
to the groups of the exploitation strength), and ii) nary Studies Institute, University of the Witwatersrand, volumosa é única no grupo e pode indicar a ocor-
quantifying the unquestionable or accept human- Fossil tetrapods from the Sanfranciscana Basin are Joanesburgo, África do Sul; 7Museum für Naturkunde rência de um novo táxon dentro desse clado. O
-made evidence per annihilated taxon and MKS. rare and mostly concentrated in some exceptional Berlin, Leibniz-Institut für Evolutions- und Biodiversi- terceiro material é representado por um pequeno
horizons of the Lower Cretaceous Quiricó For- tätsforschung, Berlin, Alemanha; 8Institut für Biologie
Both continents revealed 17 MKS each one, and teto craniano coletado em Nazária. O formato ge-
Humboldt-Universität zu Berlin, Alemanha; 9Departa-
the exploitation vigor in NA did not outnumber mation (Areado Group). The specimens described ral e a ornamentação deste crânio são compatíveis
mento de Ciencias Geológicas, FCEN, Universidad de
that from SA. Conversely, NA presented poorer- until now includes partial skeletons assigned to Buenos Aires; IDEAN, CONICET, Argentina; 10Earth com espécies do gênero Captorhinus, porém a falta
quality exploitation evidence than SA, with a half sauropod and theropod dinosaurs, with only one Sciences Department, Natural History Museum, Lon- de materiais cranianos conhecidos para Captorhi-
of continental ranking (36 vs. 72, respectively; species formally described. The overlying Lower/ dres, Reino Unido. nikos valensis impede uma comparação direta com
Wilcoxon-Mann-Whitney test: W = 61, p-value Upper Cretaceous Três Barras Formation is also juan.cisneros@ufpi.edu.br • kangielczyk@fieldmuseum.org esta espécie, pelo qual o fóssil é aqui referido a
= 0.002, one-tail null hypothesis-H0: NA>SA) relevant, but it has yielded so far only footprints at- christian.kammerer@naturalsciences.org • rsmith@iziko.org.za Captorhinidae indet. Os novos registros indicam a
and ~17% lesser continental quality (0.386 vs. tributed to theropod and ornithischian dinosaurs. joerg.froebisch@mfn-berlin.de • claumar@gl.fcen.uba.ar presença de dois táxons de captorrinídeos na For-
We communicate the discovery of the first lizard m.richter@nhm.ac.uk
0.452; Student t-test: t= -1.2, df = 24.9, p-value mação Pedra de Fogo e apontam a uma maior di-
= 0.12, one-tail null hypothesis-H0: NA>SA). (i.e., terrestrial non-pythonomorph squamate) versidade de tetrápodes terrestres no Cisuraliano
Os captorrinídeos são tetrápodes herbívoros pale-
Our findings indicate that the exploitation vigor of from the Sanfranciscana Basin, adding a new clade do Gondwana ocidental. [CNPq 305688/2016-2]
ozoicos de distribuição cosmopolita. A Formação
North American MKSs has biasedly been overesti- to the fossil record of the Quiricó Formation. The
Pedra de Fogo (Bacia do Parnaíba, Cisuraliano) 
mated in relation to the South American landsca- specimen has been collected from a mudstone le-
aportou recentemente uma comunidade de verte-
pes. SA presents better-quality evidence for both vel cropping out at northwest Minas Gerais State, REASSESSMENT OF THE ISOLATED META-
brados continentais provenientes de fácies lacus-
vigor categories, which suggest SA portraits good which has been recently dated as Valanginian based THERIAN PETROSALS FROM THE ITABO-
tres na microrregião de Teresina (PI), incluindo o
or even better information on human-megafaunal on ostracods. The recovered bones include cranial RAÍ BASIN: A REVIEW OF THEIR AFFINI-
único registro sul-americano de Captorhinidae,
exploitation than NA. Our results corroborate (premaxilla, maxilla, partial lower jaw, most teeth TIES
referido a Captorhinus aguti da América do Norte.
the Borrero’s argument that, contrary to stressed in situ) and postcranial remains (dorsal, sacral and
Apresentamos aqui três novos registros de captor- LEONARDO DE MELO CARNEIRO1,2
by archaeologists, SA is relatively well exploited; caudal vertebrae, pelvic girdle, and limb bones)
rinídeos, assim como uma reavaliação do material 1
Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Bio-
however, most of their studies are published in of a small individual (the mandible is ca. 10 mm
referido a Captorhinus aguti, o qual passou por pre- logia Evolutiva, Instituto de Biologia, Centro de Ciên-
Latin languages rather than English, the common long). Comparisons with several lizard species cias da Saúde, Universidade Federal do Rio de Janeiro-
paração adicional, a qual permitiu elucidar me-
scientific language used nowadays. We conclude worldwide indicate this is the first paramacello- Campus Ilha do Fundão, Rio de Janeiro, RJ; 2Laborató-
lhor a sua morfologia. Um dentário direito parcial
that it is time for archaeologists breaking the En- did lizard from South America, also representing rio de Paleontologia e Paleoecologia da Sociedade de
coletado em Palmeirais (PI) apresenta uma fileira História Natural, Portugal.
glish barrier and start looking for South American the oldest squamate from that continent. This also
com, pelo menos, três dentes na região sinfisial,
researches published in Portuguese and Spanish. indicates that paramacellodids were the first clade leonardo.carneiro8@gmail.com
seguida por três fileiras convergentes de dentes
[INCT-EECBio/CNPq/MCTIC] of squamates with a worldwide distribution. This The metatherian diversity from the Itaboraí Ba-
bulbosos, os quais aumentam de tamanho distal-
finding partially fills the gap in the evolutionary sin is mainly known by isolated teeth, incomplete
 mente. O novo dentário é semelhante ao regis-
history of squamates in the southern landmasses jaws, and fragments of dentary. However, cranial
tro prévio, proveniente de Nazária (PI), tanto na
AN EARLY CRETACEOUS LIZARD FROM during the Mesozoic. [FAPEMIG] and post-cranial elements were also recovered in
morfologia bulbosa dos dentes quanto no padrão
THE SANFRANCISCANA BASIN, SOUTHE-  de distribuição irradiante das múltiplas fileiras de this formation but few studies have described or
AST BRAZIL dentes. Estas características não são conhecidas em analyzed these elements in details. Among these
NOVOS REGISTROS DE RÉPTEIS CAPTOR-
JONATHAS S. BITTENCOURT1,TIAGO R. SIMÕES2, Captorhinus aguti, mas são diagnósticas de Captorhi- elements, eight metatherian petrosal morpho-
RINÍDEOS NO PERMIANO DO PIAUÍ
MICHAEL W. CALDWELL3, MAX C. LANGER4 nikos valensis, permitindo referir ambos os dentá- types were identified in the collection of the
NEW RECORDS OF CAPTORHINID REPTILES IN THE
rios a esta espécie também norte-americana. Uma Museu Nacional (MN). Based on previous stu-
1
Departamento de Geologia, Instituto de Geociências, PERMIAN OF PIAUÍ
Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizon- mandíbula direita, de maiores dimensões (~113 dies, these petrosals were tentatively associated
te, MG; 2Department of Organismic and Evolutionary JUAN CARLOS CISNEROS1,2, KENNETH D. AN- mm), coletada em Palmeirais, é representada em to some taxa based on morphology and probable
Biology, Museum of Comparative Zoology, Harvard GIELCZYK3, CHRISTIAN KAMMERER4, ROGER vista labial por um molde natural. Ela apresenta size but no conclusive association have been for-
150 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 151

mally proposed. Herein, a reassessment of these tório de Paleontologia e Paleoecologia da Sociedade de less, their apex of diversity was recorded on the raná (55 Ma); redução do nível do mar no Cretá-
studies is presented. The expected petrosal area História Natural, Torres Vedras, Portugal; 3Laboratório Itaboraí Basin, with five species; probably linked ceo tardio (70 Ma); e Cretáceo inicial (95 Ma). As
de Paleontologia, Departamento de Geologia, Centro
and lower molars area, as proposed in the ori- to the events of the Paleocene-Eocene Thermal probabilidades de dispersão foram estabelecidas
de Tecnologia e Geociências, Universidade Federal de
ginal paper, is preserved; nevertheless, the ex- Pernambuco, Recife, PE. Maximum. The extinction of the group may be re- com base na adjacência das áreas e na presença de
pected size of most of the taxa was revised, as lated to the global cooling that happened through barreiras geográficas, atuais ou pretéritas. Foram
part of their hypodigma was revised. This review The metatherians represented the most diver- the Eocene, as Kiruwamaq is the last representative executadas seis análises diferentes sobre a mesma
adds at least two new species occurrences on the se group of mammals of the Paleogene of South currently known for this group. topologia: DEC, DIVALIKE e BAYAREALIKE, e
collection of the Museu Nacional; which lead to America. Among them, the Jaskhadelphyidae was suas equivalentes com adição do parâmetro w. O
represented by very small metatherians, which 
re-calculations of the molar area for these taxa. modelo DEC forneceu o melhor ajuste estatístico
In addition, the isolated petrosal were included claim the status of smallest mammals that have ever AMAZÔNIA COMO ÁREA DE ORIGEM aos dados, mas todos os modelos testados indica-
as independent taxa in a comprehensive data ma- existed. This group was represented by Jaskhadel- E DIVERSIFICAÇÃO DE DIDELPHIDAE ram a Amazônia como área de origem mais pro-
trix; which now also included new genera with phys, from the lower Paleocene of the El Molino (MAMMALIA, METATHERIA) / AMAZONIA vável de Didelphidae, há cerca de 38 Ma (Eoceno
preserved petrosals that were absent in the origi- Formation, Tiupampa, Bolivia; Minusculodelphis, AS THE ORIGIN AND DIVERSIFICATION AREA OF DIDEL- tardio), quando uma floresta tropical úmida já es-
nal studies. The results of the phylogenetic analy- from the lower Eocene of the Itaboraí Basin, Bra- PHIDAE (MAMMALIA, METATHERIA) taria presente na região. A dispersão para outras
sis, relative abundance of metatherian species in zil; and Kiruwamaq from the upper Eocene of the áreas teria se iniciado no Oligoceno tardio, e se
Yuahuarango Formation, Peru; all of these with a MURILO JACOB DAHUR1, GABRIEL S. FERREIRA2,
the collection of the MN, and the expected lower intensificado a partir do Mioceno médio. Quanto
weight of around 10 g and a strict insectivorous MARIELA C. CASTRO1
molars area compatible with the petrosal area ao registro fossilífero, o mais antigo Didelphidae
diet. However, these three genera represent just
1
Departamento de Ciências Biológicas, Instituto de
were take into count to reach a more conclusive Biotecnologia, Universidade Federal de Goiás, Regio- foi reportado para o Mioceno inicial da Patagônia,
association, as these are isolated elements. The a small fraction of a more diverse group. Previous nal Catalão, GO. 2Laboratório de Paleontologia de Ri- seguido por registros no Mioceno médio da Co-
results indicate that the petrosal type I should studies have proposed the inclusion of Szalinia, beirão Preto, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras lômbia, e no Mioceno tardio do Acre e da Argen-
be associated with Monodelphopsis travassosi; type Tiulordia, Gaylordia, Incadelphys, and Marmosopsis de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão tina. Assim, a carência de fósseis que documentem
II to a Pucadelphyida; type III to a peradectid; as sister taxa of the Jaskhadelphyidae. Herein, we Preto, SP. a evolução do grupo durante o Paleógeno prova-
type IV to Gaylordia macrocynodonta; type V to a present the Jaskhadelphyoidea, a new Paleogene jacob.br95@gmail.com • gsferreirabio@gmail.com velmente está relacionada à ausência de depósitos
South American metatherian group. The phylo- marielaccastro@yahoo.com.br
marsupial; type VI to a derorhynchid; type VII to desta idade em baixas latitudes, onde os Didelphi-
Marmosopsis juradoi; and type VIII to Armintodel- genetic analysis was performed with a new tech- dae são mais diversos até os dias atuais.
Os marsupiais compõe cerca de 7% dos mamífe-
phys sp. The petrosal type VIII represents a “basal” nology search, as it comprehended 129 taxa and
ros viventes, distribuídos principalmente na Aus- 
metatherian, not linked to any major group of 515 characters. The analysis recovered four most
trália e América do Sul. Entre eles, os Didelphidae
the Paleogene of South America; petrosals type parsimonious trees (Best Score: 2069; CI: 0.327; A NEW RECORD OF A LATE QUATERNARY
(gambás e cuícas) correspondem, em sua maioria,
II, IV and VII belong to the Pucadelphyida; pe- RI: 0.663). The Jaskhadelphyoidea is supported MEGAPRIMATE FROM BAHIA, BRAZIL
a animais noturnos e crepusculares, de pequeno
trosal type III to the “Peradectidae”; type VI to by the presence of the following synapomorphies:
porte, que ocupam florestas tropicais. Os obje- MÁRIO ANDRÉ TRINDADE DANTAS1*, ANDRE
the Derorhynchidae; petrosal type I to a ‘basal” single and large lacrimal foramen, upper molars
tivos deste trabalho foram: i) estimar as áreas de VIEIRA ARAUJO2, ESTEVAN ELTINK3, LUCIANO
Didelphimorphia; and type V to a undescribed mesiodistally compressed, mesiodistally com-
origem e diversificação dos Didelphidae com base ARTEMIO LEAL4, LEOMIR DOS SANTOS CAM-
marsupial. The present study highlights the im- pressed hypoconid; entoconid reduced on lower
em análises probabilísticas, e ii) contrastá-las ao POS5, HERMÍNIO ISMAEL DE ARAÚJO-JÚNIOR6,
portance of petrosal characters in the concept of molars, being virtually fused to the hypoconulid
registro fossilífero do grupo. Partiu-se de uma fi- ALEXANDRE LIPARINI7, MARIO ALBERTO CO-
metatherian systematics. on m4; hypoconulid distolingual to the entoconid,
logenia datada de marsupiais previamente publica- ZZUOL8, JOHN FLEAGLE9
and talonid much shorter than the trigonid. The
 da, baseada em genomas mitocondriais e diversos 1
Laboratório de Ecologia e Geociências, Universidade
affinities with the Pucadelphyida are supported
loci nucleares. Estabeleceu-se a distribuição geo- Federal da Bahia, Vitória da Conquista, BA; 2Grupo IF
THE JASKHADELPHYOIDEA, A NEW based on the presence of a hypoconulid as the lar-
gráfica atual das 44 espécies de Didelphidae amos- de Estudos Espeleológicos, IF Sertão Pernambucano,
CLADE OF TINY-SIZED PALEOGENE ME- gest talonid cuspid on m4, and angled coronoid Campus Petrolina, Petrolina, PE, Brazil; 3Universidade
tradas, bem como do grupo externo selecionado
TATHERIANS (MAMMALIA, METATHE- process of the dentary. Gaylordia + Tiulordia sha- Federal do Vale do Sâo Francisco, Senhor do Bonfim,
(Dromiciops gliroides, Microbiotheria). Para isso, fo-
RIA): DIVERSITY, SYSTEMATICS, PALEO- re the presence of robust third lower premolars, BA; 4Departamento de Ciências Biológicas, Universida-
ram delimitadas nove áreas de ocupação, baseadas de Estadual do Sudoeste da Bahia, Jequié, BA; 5Progra-
ECOLOGY AND PALEOBIOGEOGRAPHY mesiodistally compressed trigonids and robust
nas ecorregiões sulamericanas. As análises foram ma de Pós-Graduação em Geociências, Universidade
dentary. Incadelphys + Marmosopsis share a mode- Federal de Pernambuco, Recife, PE; 6Departamento de
LEONARDO DE MELO CARNEIRO1,2, ÉDISON VI- conduzidas utilizando o pacote BioGeoBEARS
rately developed stylar shelf and eccentric proto- Estratigrafia e Paleontologia, Universidade do Estado
CENTE DE OLIVEIRA3 do ambiente R, e contaram com cinco intervalos
cone (i.e. aligned with StB and paracone on same do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ; 7Departamento
1
Programa de Pós-Graduação em Biodiversidade e Bio- de tempo, delimitados pelos seguintes episódios: de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais,
logia Evolutiva, Instituto de Biologia, Centro de Ciên- axis). The Jaskhadelphyoidea was the most diverse
Grande Intercâmbio Biótico Americano (2,7 Ma); Belo Horizonte, MG; 8Laboratório de Paleozoologia,
cias da Saúde, Universidade Federal do Rio de Janeiro- metatherian group during the earliest Paleocene
soerguimento da porção norte dos Andes (10Ma); Departamento de Biologia Geral, Universidade Federal
Campus Ilha do Fundão, Rio de Janeiro, RJ; 2Labora- of Bolivia, with four described taxa. Neverthe- de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG; 9Department
trangressão marinha na Amazônia e bacia do Pa-
152 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 153

of Anatomical Sciences, Stony Brook University, Nova expanding the known taxa of the Late Quaternary. northeastern with northwest of South America. In compass the full gamut of morphologies present
York, EUA. [*PQ/CNPq 308122/2016-0] this area are included all states of northeastern, in the dinosaur lineage. I.e., the acetabular wall
matdantas@yahoo.com.br • anddrevieira@gmail.com southeastern, center-west and part of north of is completely closed in forms such as Lagerpeton,
estevan.eltink@univasf.edu.br • luciano.artemio@gmail.com 
Brazil, plus Paraguay, Bolivia, Peru, Equador, nor- has a straight margin in Saturnalia, is partially ex-
leomirsxc@yahoo.com.br • herminio.ismael@yahoo.com.br
alexandreliparini@yahoo.com.br • mario.cozzuol@gmail.com
THE BRAZILIAN INTERTROPICAL RE- th of Chile and north of Argentina. At 6 ka the cavated in Herrerasaurus, is almost fully opened,
john.fleagle@stonybrook.edu GION AS A REFUGIA DURING THE LATE model shows the separation of the corridor be- with only a small round margin, in taxa such as Co-
QUATERNARY tween Northeastern-Northwest South America, loradisaurus, and fully opened in Eocursor. There-
We present a new specimen of a megaprimate of the “BIR” would include northeastern, southe- fore, scoring the acetabular wall simply as present
MÁRIO ANDRÉ TRINDADE DANTAS1*, MARIO
the Late Quaternary of Brazil. The partial skeleton astern, south of Brazil, plus Góias, Mato Grosso or absent does not represent the full variability of
ALBERTO COZZUOL2
is composed of a skull (LEG 1743), left mandible, do Sul, Bolívia, Paraguay, Uruguay and North of the trait and misses relevant information. Some
right humerus (LEG 1747), proximal portion of
1
Laboratório de Ecologia e Geociências, Universidade Argentina. Based in these models we suggests that characters have unclear homology series, such as
left femur (LEG 1750) and several other post-cra- Federal da Bahia, Vitória da Conquista, BA; 2Laborató-
rio de Paleozoologia, Universidade Federal de Minas
the BIR should be the historically stable area in the post temporal fenestra, as it remains unclear
nium remains. The material was found in Ingruna- Gerais, Belo Horizonte, MG. which the meso -megamammals should lived, a which of the reduced apertures of modified taxa
do cave, Nova Redenção, Bahia, Brazil.We compa- matdantas@yahoo.com.br • cozzuol@icb.ufmg.br refugia, lower than the area proposed by Cartel- represent the large plesiomorphic element. As for
re skull, femur and humerus of this specimen with le and similar to the 120 ka model. [*PQ/CNPq the femoral anterior trochanter, the plesiomor-
the recognized taxa from the Late Quaternary of The Brazilian Intertropical Region (BIR) was pro- 308122/2016-0] phic anatomy is unclear, as the element is absent
Brazil: Protopithecus brasiliensis (unknown skull), posed by Cartelle as a zoogeographical domain,  in lagerpetids. Its blade-like shape seen in orni-
Cartelles coimbrafilhoi and Caipora bambuiorum. The based on the occurrence of endemic species from thischians and neotheropods may not be homolo-
skull (LEG 1743) is well preserved, however the the northeastern brazilian states (excluding Ma- OBSERVATIONS ON THE MORPHOLOGI- gous, as the structure in taxa such as Tawa differs
right frontal is missing, and the maxillae are se- ranhão), plus Goiás, and Southeastern states (ex- CAL SUPPORT FOR ORNITHOSCELIDA not only from those modified forms, but also from
parated from the cranium due breakage. The total cluding São Paulo). Later, some authors proposed HUXLEY, 1870 sauropodomorphs, which have a diminutive pos-
skull length (tsl) is near 133 mm, similar to Caipo- the expansion of the BIR including Mato Grosso JOÃO PEDRO SILVA KIRMSE1,2, MICHAEL JAMES sibly apomorphic trochanter. Moreover, once the
ra (131 mm), and smaller than Cartelles (150 mm). and São Paulo. In this communication we used po- BENTON2, MAX CARDOSO LANGER1 so far modified scorings are included in the data
The neurocranial length (nl: 97 mm) of this speci- tential distributions maps of 15 BIR meso -mega- 1
Faculdade de Ciências, Filosofia e Letras de Ribeirão matrices, Ornithoscelida is not recovered, with a
men is 31% longer than the neurocranial breadth mammals taxa to test previous proposals, and esti- Preto, Laboratório de Paleontologia, Universidade de large polytomy uniting the dinosaur major groups
(nb: 74 mm), which is similar to that in Caipora mate the potential distribution of Brazilian Inter- São Paulo, Ribeirão Preto, SP; 2School of Earth Scien- being found instead. We hope that, with more
(nl/nb: 1.25), and smaller than Cartelles (nl/nb: tropical Region through three climatic moments ces, Bristol Palaeobiology Research Group, University compressive observations and scorings, the actual
1.51). Our specimen (nb/tsl: 0.56) and Caipora of Bristol, Bristol, UK.
(6 ka, 21 ka and 120 ka) in Late Pleistocene/Mi- distribution of characteristics will be elucidated,
(nb/tsl: 0.57) present a wide neurocranial breadth ddle Holocene. To create the PSDM’s were used jpskirmse@gmail.com • mike.benton@bristol.ac.uk and their phylogenetic signal made clear. [FAPESP
mclanger@ffclrp.usp.br
in comparison to total skull length, the opposite of the MaxEnt and occurrence points for: Eremo- 2018/19178-8, 2019/02167-6, e 2014/03825-3]
that in Cartelles (nb/tsl: 0.48). The femur (LEG therium laurillardi, Glossotherium phoenesis, Catonyx Early dinosaur radiation has been a controversial 
1750) is not well preserved, but is, at least, 50% cuvieri, Nothrotherium maquinense, Glyptotherium topic for years, and new discoveries constantly
more robust than Caipora, and 30% than in Cartel- sp., Holmesina paulacoutoi, Notiomastodon platensis, change the understanding of the area. Recent stu- VEREDAS: DE ONDE VÊM E PARA ONDE
les and Protopithecus. The humerus (LEG 1747), as Toxodon platensis, Equus (Amerhippus) neogeus, Hippi- dies have reignited the debate on the relations of VÃO? DINÂMICA DA DISPERSÃO DE
in Caipora and Protopithecus, does not present a lar- dion principale, Palaeolama major, Xenorhynotherium the major dinosaur groups and the anatomic traits Mauritia Flexuosa AO LONGO DO QUA-
ge brachioradialis flange on the distal portion of the bahiense, Protocyon troglodites, Arctotherium wingei that characterise them. The traditional Ornithis- TERNÁRIO / PALM SWAMP:WHERE DO THEY COME
humerus as found in Cartelles, but is similar in size and Smilodon populator. Climate reconstructions chia and Saurischia (Sauropodomorpha + Thero- FROM AND WHERE DO THEY GO? DYNAMICS OF THE
to the humerus of Cartelles, being 30% larger than were acquired from the images database of the poda + Herrerasauridae) scheme was challenged DISPERSION OF Mauritia Flexuosa THROUGH THE QUA-
that of Caipora. A histological blade of the rib su- Worldclim. The PSDM models were summing to in favour of an Ornithoscelida (Ornithischia + TERNARY
ggests that this animal was still growing. However generate models to interpret the boundary of BIR Theropoda) and Saurischia (Sauropodomorpha + RAMON CARLOS ARAÚJO SOARES¹, MAIRA BAR-
the left mandible and maxilla preserve alveoli for during the Late Quaternary. The model from 120 Herrerasauridae) hypothesis. The main objective BERI¹, MATHEUS DE SOUZA LIMA RIBEIRO²
m1-m3 and M1-M3, suggesting that it belonged ka shows an area similar to what was suggested of this work is to review the putative diagnostic fe- ¹Laboratorio de Paleoecologia, PUC-Goiás, Goiânia,
to a young adult. The estimated body mass of this by Cartelle as the BIR, however, excluding Góias, atures of Ornithoscelida Huxley, 1870, what shall GO; ²Laboratório de Macroecologia, Universidade Fe-
specimen is 29 kg, which is larger than the estima- west and south of Minas Gerais, west of Bahia and be done with the redefinition and rescoring of the deral de Jataí, Jataí, GO.
ted body mass for Cartelles (24 kg) and Caipora (20 Piauí. In this model appear a disjunct major area characters recovered as synapomorphic for the ramoncasoares2@gmail.com • barberimaira@gmail.com
kg). This new specimen is still under study and it from “BIR” in west of Bolivia, Paraguay and Bra- mslima.ribeiro@gmail.com
group, aiming at a better understanding of their
is not evident whether it should be attributed to zil (Mato Grosso do Sul and São Paulo). The 21 distribution. One of the most consistent findings A compreensão e a interpretação das dinâmicas
one of the known taxa or be designated a new one, ka model shows a huge “BIR”, an area connecting so far is that most evaluated characters do not en- migratórias de espécies botânicas ao longo do
154 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Padrões: Sistemática e Biogeografia 155

Quaternário nos permitem analisar a sua influ- O presente trabalho é parte de um levantamento VANDERLEIA DOS SANTOS CONCEIÇÃO1, LETÍ- NEW PALEOBIOGEOGRAPHIC LIMITS OF
ência sobre a composição vegetacional em deter- paleoflorístico do Paleolago Cemitério – Com- CIA FRANCIELLE MOREIRA PALES2, CAROLINA MALVINOKAFFRIC REALM
minadas regiões. Este trabalho apresenta a coleta plexo Catalão I, antiga Mineradora Fosfértil, em SALDANHA SCHERER1
VICTOR RODRIGUES RIBEIRO1, FELIPE NASCI-
e a análise dos registros de presença de Mauritia Catalão, Goiás, a partir de megafósseis vegetais 1
Laboratório de Paleontologia, Universidade Federal MENTO SOUSA1, GEOVANE AUGUSTO GAIA1, FÁ-
sp. ao longo dos 23k BP na América do Sul. A co- (essencialmente fragmentos de folhas). Datações do Recôncavo da Bahia, Cruz das Almas, BA. 2Bolsista
BIO AUGUSTO CARBONARO1, RENATO PIRANI
leta de dados foi feita por meio de levantamento baseadas em termoluminescência e radiocarbono CAPES, Programa de pós-graduação em Ciências Natu-
rais, Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, GHILARDI1
de literatura, com informações de data de ocor- datam os depósitos em mais de 50.000 AP cor-
Mossoró, RN. 1
Faculdade de Ciências, Departamento de Ciências
rência, intervalo de ausência e localização, com a respondendo às datações absolutas mais antigas já Biológicas, Laboratório de Paleontologia de Macroin-
criação um banco de dados através da análise dia- registradas para a região sendo considerado um leia.sax@gmail.com • leticiapales@hotmail.com vertebrados, Universidade Estadual Paulista, Bauru,
gramas polínicos fazendo distinção entre Mauri- excelente registro da flora pretérita que ocupou carolina_scherer@yahoo.com.br SP. Faculdade de Ciências, Departamento de Ciências
tia e Mauritiella. Após a elaboração do banco de essa região no Pleistoceno. Os estudos foram re- A ordem Xenarthra compreende o grupo de ma- Biológicas, Laboratório de Paleontologia de Macroin-
dados, foram realizadas separações por intervalos alizados a partir da análise da arquitetura foliar vertebrados, Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP.
míferos característicos da Região Neotropical.
amostrais. Dessa separação, foi confeccionada uma dos fragmentos (compressões e impressões) per- victor18lapalma@gmail.com • fn.sousa@unesp.br
Espécimes fósseis dessa ordem são comumente geovane_gaia@hotmail.com • fabiocarbonaro@gmail.com
tabela PAM (presence–absence matrix) para cada mitindo a identificação, por comparação, com encontrados no Nordeste do Brasil, em depósitos renato.ghilardi@unesp.br
ponto de ocorrência durante os últimos 23k BP, elementos da flora atual, depositados no Her- do tipo tanque ou caverna. Dentre eles destacam-
sendo essa posteriormente interpolada, nos per- bário da Universidade de Brasília (UB). Devido se as famílias Glyptodontidae e Mylodontidae. O The Malvinokaffrick Realm was the communi-
mitindo compreender sua dispersão ao longo do ao excelente grau de preservação dos fósseis, foi objetivo deste trabalho é apresentar novos regis- ty from a paleoenvironment slightly different
tempo e, posteriormente, sua relação com os parâ- possível realizar uma boa identificação taxonô- tros de Xenarthra para o Quaternário da Bahia. ecosystem that we have today. Established during
metros climáticos. Também se realizou uma PCA mica. Os fósseis foram coletados em rochas de O material em estudo foi resgatado dos tanques the Devonian period, this unique fauna has been
(Principal Component Analysis), com auxílio do diatomitos e esponjilitos (raramente em argili- Lagoa do Rancho (14°7’42”S/42°53’7”O), no found around different land masses around the
programa estatístico R-Studio, para cada mil anos tos). As amostras foram triadas, fotografadas e/ município de Guanambi, e Varginha, em Palmas world. First of all, it must be understood that the
interpolados anteriormente e uma análise de Clus- ou digitalizadas e tombadas na Coleção de Pa- do Monte Alto, o qual trata-se de um material major continents that compound the Gondwana
ter K-Means para obtenção dos grupos amostrais leobotânica do Instituto de Geociências da Uni- doado pela equipe de Arqueologia da Ferrovia de (Africa, South America, Australia, India, and An-
gerais e seus graus de similaridade com base nos versidade de Brasília. Para este trabalho foram Integração Oeste-Leste (FIOL) sem maiores da- tarctica) were in latitudes above 60º South and this
dados interpolados. Observou-se faixas de regres- selecionadas 3 famílias: Melastomataceae com 4 dos de localização. Os espécimes foram estudados reflected on the dominance of polar paleoclima-
são e uma acentuada taxa de migração associadas morfoespécies (sp.1, sp.2, sp.3 e sp.4), Myrta- com base em bibliografias, as quais possibilitaram tic conditions in these localities. Designating the
à pontos de maior precipitação e medias de tem- ceae com 4 espécies (Eugenia involucrata, Myrcia a identificação do espécime UFRB-PV 4806 como Malvinokaffrick occurrences by the brachiopods,
peratura anuais no mapa da América do Sul, além fenzliana, M. pubescens, Pimenta pseudocaryophyllus) osteodermo de Glyptodontidae, com caracterís- it can be point out the communities of Lingula,
de grupos sobrepostos por correlações climáticas e Vochysiaceae com 2 espécies (Qualea dichoto- ticas afins com o gênero Neuryurus, que possui Eocoelia, Australospirifer, and Notiochonetes, which
em períodos distintos, mostrando uma baixa mu- ma e Vochysia tucanorum), pertencentes à Ordem morfologia externa com ornamentação bastante are being reported in different parts of the globe.
dança nas relações ecológicas das comunidades. Myrtales. Cada táxon fóssil foi descrito e compa- pontuada por inúmeros forames em um ângulo Samples of this communities have been founding
rado aos seus correspondentes na flora atual bem de 45º, a sua superfície interna é côncava com in Antarctica, South Africa, Paraguay, Uruguay,

como suas distribuições geográficas. Os macro- forames neurovasculares e sua lateral apresenta Argentina, Bolivia, Brazil (especially in the Paraná
FLORA QUATERNÁRIA DO PALEOLAGO restos fósseis depositados no afloramento são, de aspecto denticulado. O espécime UFRB-PV 4842 Basin), Peru, and the Falklands. During the Middle
“CEMITÉRIO” (PLEISTOCENO TARDIO), fato, uma amostra relevante para a interpretação trata-se de um dentário esquerdo atribuído à fa- Devonian the sea level rose, resulting in a mixture
CATALÃO-GO: ORDEM MYRTALES (ME- da paleovegetação da região permitindo estabe- mília Mylodontidae, o qual apresenta o primeiro of fauna in the South American sedimentary ba-
LASTOMACEAE, MYRTACEAE E VOCHY- lecer conexões futuras entre o Cerrado atual e molar inferior (M1) fragmentado, além do alvéolo sins. Many authors suggest that this fauna mixing
SIACEAE) / QUATERNARY FLORA OF PALEOLAKE sua evolução, ampliando em muito os horizontes do M2 completo e parte dos alvéolos dos M3 e M4. occurred in the Paraná Basin, defining this basin as
“CEMETERY” (LATE PLEISTOCENE), CATALÃO-GO: ORDER em direção a compreensão desse que é o segundo A forma do dente e dos alvéolos, bem como a au- an ecotone. However, occurrences of Malvinokaf-
MYRTALES (MELASTOMACEAE, MYRTACEAE ANDVOCHY- maior bioma do Brasil. sência de dente caniniforme possibilitaram a iden- frick brachiopods have been reported in different
SIACEAE) tificação do táxon. Este trabalho contribuiu para o localities in Brazil, what could modify the configu-

SIMONE CAROLINA SOUSA E SILVA1, LÚCIA HE- registro de novos táxons da ordem Xenarthra para ration of this fauna during the Devonian. In Pará
NOVO REGISTRO DE XENARTHRA NA a região da Bahia, mostrando que mesmo com o State, in the Amazon Basin, specimens of Lingula
LENA SOARES E SILVA2, ROBERTO IANNUZZI3
ÁREA DE ABRANGÊNCIA DA FERROVIA amplo conhecimento já existente sobre o grupo, and Orbiculoidea had been reported close to the
1
Universidade Paulista, Brasília, DF; 2Universidade de
Brasília, Brasília, DF, Brasil; Universidade Federal do
DE INTEGRAÇÃO OESTE LESTE (FIOL), foi possível ampliar o registro deste táxon para o Belo Monte Power Plant. Since the Brazil Impe-
Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. BAHIA, BRASIL / NEW XENARTHRA RECORD Quaternário da Bahia. [VALEC Engenharia, Cons- rial, studies and expeditions have been reporting
simone.carolina.botanica@gmail.com • lsoares@unb.br FROM THE ZONE OF INFLUENCE OF THE WEST-EAST truções Ferrovias S.A.] occurrences of typical Malvinokaffrick fossils in
iannuzi@ufrgs.br INTEGRATION RAILWAY, BAHIA, BRAZIL  the Amazon Basin, for exemple “Iridistrophia”,
156 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia

Derbyina, and Mucrospirifer. In Piauí State, Parnaíba


Basin, many species have been showing along the
years: around Oitis as Lingula, Derbyina, and Mu-
crospirifer; in Pimenteiras Formation outcrops, the
occurrence of Lingula and Orbiculoidea is common;
finally, around Picos and Joao Costa cities, where
Australocoelia is commonly reported. On the other
flank of the Parnaíba Basin, in the Tocantins State,
fossils of Australocoelia, Lingula, Orbiculoidea, and
Mucrospirifer are frequently found in the Devonian
outcrops. It can be inferred that during the Mid-
dle Devonian, the Malvinokaffrick Realm lost its
provincial characteristic, exclusive to cold polar
seas, and expands itself to another climatic con-
ditions, reaching areas with completely different
settings. Finally, the Paraná Basin does not work as
an econe during the Middle Devonian. The ecoto-
ne Basins need to be defined as the Parnaíba basin
and the Amazon basin, justified by the occurren-
ce of many Malvinokaffrick brachiopods around
tropical/equatorial climatic conditions. [FAPESP
16/18275-4]

158 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia 159

Sessão temática

Saberes: Ensino de
Paleontologia
160 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 161

ATIVIDADES DE EXTENSÃO EDUCACIO- mentar de quatro pesquisadores de instituições Universidade Federal de Ouro Preto, Ouro Preto, MG. údo abordado nas aulas teóricas e puderam com-
NAL DA FFP/UERJ, UM COMPLEMENTO acadêmicas públicas e parceiras. Além dos fósseis srgmleite@gmail.com • carlos.godoi@aluno.ufop.edu.br preender na prática as etapas do processo de iden-
AO CAMPO DE PALEONTOLOGIA / EDU- coletados nas rochas da Formação Presidente Pru- andregomide86@gmail.com • biancafurquini@gmail.com tificação taxonômica dos ictiólitos, assim como
CATIONAL EXTENSION ACTIVITIES FROM FFP/UERJ, A dente (Grupo Bauru), que contabilizam dentes e gabriela@pires.bio.br • nataliacb11@gmail.com observar e interpretar as feições tafonômicas dos
mpd.profa@gmail.com
COMPLEMENT TO THE FIELDWORK IN PALEONTOLOGY elementos de dinossauros, aves, crocodiliformes, exemplares fósseis.
quelônios, peixes e invertebrados, também foram A Bacia do Araripe é mundialmente conhecida por
ANDRÉ E. P. PINHEIRO1, MARIA LUÍSA P. BERTO- 
realizadas duas atividades de extensão (AE) com abrigar um amplo registro de fósseis de diferentes
LOSSI1, KAUÊ F. SILVA1, NATASHA F. PARAÍZO1,
as populações locais de Presidente Prudente (PP) grupos taxonômicos, como plantas, insetos e ver- RELATOS DE EXPERIÊNCIA EM ESCOLA
LUCAS S. CARVALHO1, RAFAELLE O. A. MADEI-
e Alfredo Marcondes (AM). A AE de PP foi reali- tebrados. Dentre esses, certamente os que ocor- DA REDE PÚBLICA DE OURO PRETO: DI-
RA1, GABRIEL S. C. CALABROT1, LEONARDO L.
zada com adolescentes entre 14 e 17 anos, com rem em maior abundância são os peixes das For- FICULDADES E PERSPECTIVAS NO ENSI-
R. OLIVEIRA1, RAYANE L. NASCIMENTO1, CARO-
faixa etária mais ampla para AM. Relatamos aqui mações Crato e Santana. Na grande maioria das NO DA PALEONTOLOGIA / REPORTS OF AN
LINA P. GARUBA1, BRUNA M. S. MAIA1, KAMILA L.
diferenças nas AEs das duas cidades, de graus dis- vezes, esses vertebrados ocorrem em nódulos cal- EXPERIENCE IN A PUBLIC SCHOOL OF OURO PRETO:
N. BANDEIRA2, PAULO VICTOR L. G. C PEREIRA3,
tintos de demografia e desenvolvimento urbano. cários. Esse tipo de fossilização possibilita a pre- DIFFICULTIES AND PERSPECTIVES ON THE TEACHING
ARTHUR S. BRUM2, FABIANA R. NUNES4, LUCY G.
Em PP, realizou-se num colégio como uma pales- servação excepcional desses organismos, fazendo OF PALEONTOLOGY
SOUZA2
tra interativa; mas em AM a presença da equipe com que estruturas delicadas, como partes mo-
¹Laboratório de Paleontologia, Faculdade de Formação IANKA OLIVEIRA¹, ANDRÉ VASCONCELOS¹, MA-
de Professores, Universidade do Estado do Rio de Ja-
foi um diferencial maior. A AE de AM foi anun- les, possam ser facilmente observadas. Por essas RIA CLARA LOPES¹, FÁBIO LINS¹, BEATRIZ RO-
neiro, Rio de Janeiro, RJ; 2Laboratório de Sistemática ciada na cidade através de carro de som e panfle- razões, de certa forma, muitos grupos de peixes DRIGUES¹, VANESSA CRISTINA SILVA¹, RAFAELA
e Tafonomia de Vertebrados Fósseis, Museu Nacional, tos-convite, e realizada no Ginásio de Esportes são de fácil identificação. A região da Chapada do MAIA¹, ANA CAROLINA LIMA¹, GABRIELA PIRES²,
Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Municipal. Inicialmente se empregou banners e Araripe é intensamente explorada devido a ativi-
RJ; 3Laboratório de Macrofósseis, Instituto de Geoci- NATÁLIA CARDOSO DE ARAÚJO BRANDÃO3
caixa de areia interativa, desenvolvida e aplicada dades de prospecção mineral há mais de um sécu-
ências, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de ¹Departamento de Geologia, Universidade Federal de
Janeiro, RJ; 4Laboratório de Paleontologia de Vertebra-
pelos estudantes, seguido por duas palestras aber- lo, e talvez esse fato tenha contribuído na grande Ouro Preto, Ouro Preto, MG; ²Programa de Pós-gra-
dos e Comportamento Animal, Universidade Federal tas, uma sobre a Paleontologia e sua importância dispersão desses ictiólitos por várias instituições duação em Geologia Ambiental e Recursos Naturais.
do ABC, São Bernardo do Campo, SP. e a outra sobre os fóssei e dinossauros da região. brasileiras. Durante um trabalho realizado no La- Departamento de Geologia, Universidade Federal de
paleolones@yahoo.com.br • malu.peres@gmail.com Ambas AEs finalizaram com a exposição de alguns Ouro Preto, Ouro Preto, MG; 3Instituto de Geociências,
boratório de Paleontologia do Departamento de
kauewfontes@gmail.com • natashafrias.p@gmail.com fósseis coletados, atraindo o interesse, principal- Centro de Pesquisa Professor Manoel Teixeira da Costa,
Geologia da UFOP, foram triados 56 espécimes Laboratório de Paleontologia e Macroevolução, Univer-
lucascarvalho.pro@hotmail.com • rafaellerafaml1@gmail.com mente, das crianças e adolescentes. Resultaram
calabrot12@gmail.com • leonardo-ribeiro07@hotmail.com
procedentes da Chapada do Araripe. O excelente sidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, MG.
em uma maior conscientização sobre os fósseis e estado de preservação da maior parte do material ianka_srv@hotmail.com • andregomide86@gmail.com
rayaneleal@id.uff.br • carolinapinho.eight@hotmail.com
brunamonteirodesouzamaia@gmail.com a riqueza geológica da região, relatados através de possibilitou a identificação de táxons depositados mariaclarasoareslopes@gmail.com
kamilabandeira@yahoo.com.br • paulovictor29@yahoo.com.br comentários pessoais. As AEs assumiram papel de da Coleção de Paleontologia do DEGEO/UFOP e fabio.lins@aluno.ufop.edu.br • rodriguesr.beatriz@gmail.com
arthursbc@yahoo.com.br • fabiana.costa@ufabc.edu.br destaque, e proporcionaram substrato para se con- o desenvolvimento de uma atividade didática para v.cristina.dss@gmail.com • rafaela.maia@aluno.ufop.edu.br
rafelsouz@gmail.com solidar uma identidade socio-cultural para a pe- ana.lima3@aluno.ufop.edu.br • gabriela@pires.bio.br
os alunos de graduação dos cursos de Ciências nataliacb11@gmail.com
quena comunidade de Alfredo Marcondes. [AEPP: Biológicas e Engenharia Geológica. Baseando-se
A Faculdade de Formação de Professores da UERJ
CNPq, 434690/2018-0] em um roteiro, os alunos devem preencher uma Se bem explorada pedagogicamente, a Paleon-
(FFP) é a única instituição pública de ensino su-
perior no Município de São Gonçalo (RJ), aten-  ficha cujo o objetivo final é identificar taxonomi- tologia pode ser uma ótima ferramenta para a
dendo cerca de 3.000 alunos de diversos muni- camente os espécimes. No roteiro são apresenta- divulgação e alfabetização científica. Entretanto,
IDENTIFICAÇÃO DE ICTIÓLITOS DO LA- das as características diagnósticas de cada táxon o contato dos alunos da educação básica com a
cípios da Região Metropolitana e do interior do
BORATÓRIO DE PALEONTOLOGIA DO com base em chaves de classificação. Informações disciplina é comprovadamente ineficaz no que
estado que cursam Licenciatura em diversas áreas
DEPARTAMENTO DE GEOLOGIA DA UNI- tafonômicas também são apresentadas, como o tange o despertar do interesse por parte dos es-
do conhecimento. No presente ano, a FFP/UERJ
VERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO: tipo de fossilização e estado preservacional. Du- tudantes. A abordagem da matéria está associa-
realizou seu primeiro trabalho de Campo em Pale-
UMA PROPOSTA DIDÁTICA / IDENTIFICA- rante o processo de identificação, 54 táxons fo- da a um plano de aula tradicional e expositivo,
ontologia, ocorrido no oeste de São Paulo e coor-
TION OF ICTHYOLITES HOUSED AT DEPARTMENT OF ram reconhecidos e agrupados da seguinte forma: sem exemplares fósseis ou mesmo réplicas para
denado pelo Departamento de Ciências (DCIEN)
GEOLOGY OF THE FEDERAL UNIVERSITY OF OURO Cladocyclus Gardner (5), Obaichthys decoratus (1), aulas práticas, o que acaba resultando na absor-
da mesma. Além do coordenador, as atividades
PRETO: A DIDACTIC PROPOSAL Vinctifer comptoni (17), Lepidotes wanzae (5), Note- ção errônea de conceitos e informações básicas
foram exercidas por dez alunos de graduação da
FFP/UERJ, um aluno de graduação da UFRJ, SILVIO LEITE, CARLOS GODOI, ANDRE VASCON- lops brama (5), Brannerion sp. (2), Rhacolepis bucalis pelos alunos. Os objetivos deste trabalho foram
e um aluno de graduação e um de mestrado da CELOS, BIANCA FURQUINI, GABRIELA PIRES, (5), Tharrhias araripis (1), Oshunia brevis (1), Maw- divulgar a Paleontologia e avaliar o conhecimen-
UFABC. Além do coordenador e seus alunos, o NATÁLIA CARDOSO DE ARAÚJO BRANDÃO, MA- sonia sp. (1). Em um teste aplicado a uma turma, to prévio sobre o tema dentre 25 alunos do 7º
projeto também contou com o suporte comple- RIA PAULA DELICIO a atividade se mostrou satisfatória, uma vez que os ano do Ensino Fundamental da rede pública, da
alunos se envolveram e assimilaram todo o conte- cidade de Ouro Preto. Os alunos foram subme-
162 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 163

tidos a questionários em dois momentos: um no ao Educandário Dom Duarte, Secretaria Municipal de vista como de grande valor para aquisição de co- questionários e metodologia ativas, buscando o
início e outro ao final das atividades, que foram Educação de São Paulo, SP, Brasil e Colégio Vital Brazil nhecimentos específicos e para o desenvolvimento envolvimento e interesse das comunidades esco-
– São Paulo, SP.
desenvolvidas na escola e no Laboratório de Pa- das competências socioemocionais indicadas pela lares envolvidas na pesquisa. Assim, foi possível
leontologia da Universidade Federal de Ouro cabranches@usp.br • carolinaleite01@gmail.com atual BNCC. Os resultados obtidos demonstram perceber que os educandos das escolas partici-
isabel.souza@usp.br
Preto. Notou-se nos exercícios destinados ao ser possível que professores do ensino regular pantes se demonstraram interessados não só nos
preenchimento dos questionários, um baixo in- A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) é consigam realizar práticas como esta, baseados em conceitos e conteúdos apresentados, mas também
teresse da grande maioria dos alunos. Por outro um documento elaborado pelo Ministério da Edu- material explicativo. pelas metodologias diversificadas apresentadas a
lado, durante as práticas realizadas no laborató- cação, de caráter normativo, cujo objetivo é nor- cada oficina como os banners, textos, cartazes,

rio, as mesmas perguntas foram feitas oralmente, tear os elementos essenciais de aprendizagem que nos questionários, da desenvoltura dos grupos e
e com isso, constatou-se que os alunos absorve- todos os alunos precisam desenvolver ao longo da OFICINAS PALEONTOLÓGICAS E GEOLÓ- participação no decorrer da pesquisa. Tornando-se
ram o conteúdo abordado de maneira positiva. trajetória escolar. Segundo a nova BNCC, aprovada GICAS: UMA FERRAMENTA PEDAGÓGI- agentes mais críticos, participativos, curiosos, in-
Os resultados obtidos apontaram o questionário no final de 2017, entre as metas de aprendizagem CA EM GEOCIÊNCIAS NO ENSINO FUN- formados e com uma busca de perguntas positivas
como uma ferramenta eficiente para a avaliação consideradas estão incluídas as competências so- DAMENTAL / PALEONTOLOGICAL AND GEOLOGI- que os atraiam pelo querer aprender em relação
do aprendizado, se associado a aulas práticas com cioemocionais. Limitar o ensino dessas competên- CAL WORKSHOPS: A PEDAGOGICAL TOOL IN GEOSCIEN- ao conteúdo trabalhado. Outro ponto importante
exposição de exemplares fósseis e réplicas. Tais cias à grade curricular não é o suficiente para que CES IN ELEMENTARY EDUCATION foi a diminuição da carência de material didáti-
resultados podem representar um reflexo de as crianças aprendam sobre suas emoções, sendo co regionalizado, pela confecção de uma cartilha
ROSELY VAZ BERNARDES SILVA1, CLÁUDIO M. DE
deficiências mais básicas dos alunos, como difi- necessário que o aluno as vivencie em seu dia a dia. contendo sequências didáticas com informações
ALMEIDA1,2
culdade na leitura e interpretação de texto, fato Neste contexto, o ensino prático da paleontologia e direcionamento para a compreensão e entendi-
1
Programa de pós-graduação em ensino de ciên-
que acarreta o desinteresse pela tarefa. Durante em aulas de educação básica apresenta-se como cias, Universidade Estadual de Goiás, Anápolis, GO; mento do ensino de Geociências. Avaliamos que o
a visita ao Laboratório, alunos que não preenche- uma boa ferramenta, onde o aluno pode receber 2
Faculdade Unida de Campinas, Goiânia, GO. uso destas metodologias foi de grande auxílio para
ram os questionários, participaram ativamente conhecimentos específicos desta ciência e desen- roselybernardes@hotmail.com • claudio.magalhaes@ueg.br o ensino do tema estudado, por este está presen-
das atividades por meio de questionamentos e volver habilidades básicas previstas na BNCC. O te nos livros didáticos, mas são por vezes muito
discussões. Essas atividades envolveram manu- estudo apresentado teve como objetivo verificar Estudos de Geociências (Paleontologia e Geo- complexos e incompletos. Sugerimos uma maior
seio de animais e plantas fósseis além de pintura os resultados obtidos na aprendizagem das crian- logia) com foco na educação básica são escassos articulação entre os conceitos paleontológicos e
de réplicas. A continuidade do projeto abordará a ças através de uma aula prática de paleontologia, no Brasil, tanto para o ensino fundamental como os temas biológicos como a Zoologia e a Botânica
prática associada aos questionários em outras es- entendendo quais foram os ganhos obtidos em médio. Entende-se que a carência de trabalhos de demostrando a importância do estudo dos fósseis
colas do ensino público e privado de Ouro Preto. conteúdo e em desenvolvimento de habilidades. Geociências leva a uma dificuldade de aprendiza- e do tempo geológico para o entendimento sobre
Além das atividades aqui apresentadas, pretende- A aula prática foi aplicada no tempo regular das gem e sugere a necessidade de estudos relaciona- a evolução dos seres vivos.
se realizar visitas ao Museu de Ciência e Técnica aulas em um único dia. Participaram, 50 alunos dos a este tema que envolva diferentes estratégias

(UFOP) e ampliar as oficinas com os alunos. A do quarto e quinto ano do ensino fundamental de e metodologias. O presente trabalho consiste em
experiência com esse grupo de jovens foi fun- uma escola municipal do município de São Paulo. uma pesquisa quali-quantitativa, na perspectiva de PRÁTICAS METODOLÓGICAS NO ENSI-
damental para a adaptação do projeto, princi- A atividade foi aplicada pelas professoras regentes, um estudo aprofundado do ensino de Geociências, NO DE CIÊNCIAS: DESAFIOS E POSSIBILI-
palmente o que remete ao método avaliativo do que se basearam em material escrito, e foi dividida por meio de Oficinas Geológicas e Paleontológi- DADES DA PALEONTOLOGIA NA EDUCA-
aprendizado dos envolvidos. em 4 momentos: 1) Escavação fictícia; 2) Limpeza cas tendo como objetivo apresentar, promover ÇÃO BÁSICA / METHODOLOGICAL PRACTICES IN
e identificação dos fósseis encontrados; 3) Inter- e divulgar metodologias diversificadas a serem SCIENCE TEACHING: CHALLENGES AND POSSIBILITIES

pretação dos dados obtidos na escavação; 4) Es- aplicadas em oficinas referentes ao tempo geoló- OF PALEONTOLOGY IN BASIC EDUCATION
A PALEONTOLOGIA NA EDUCAÇÃO clarecimento de dúvidas e entendimento de como gico, ciclo das rochas e fósseis em busca de uma
MALENA MARÍLIA MARTINS GATINHO1, CLÁU-
BÁSICA: GRANDE INTERESSE E ÓTIMA foi realizado o trabalho em equipe, pelos alunos. aprendizagem significativa. Neste estudo apresen-
DIO M. DE ALMEIDA1,2
OPORTUNIDADE PARA DESENVOLVER A prática de paleontologia proposta se mostrou tamos uma proposta de Oficinas Paleontológicas 1
Programa de pós-graduação em ensino de ciên-
COMPETÊNCIAS SOCIOEMOCIONAIS eficiente ao transmitir conceitos básicos sobre esta e Geológicas como uma ferramenta didática a ser cias, Universidade Estadual de Goiás, Anápolis, GO;
PRATICAL PALEONTOLOGY IN BASIC EDUCATION: INTE- ciência, sua importância e sobre a atuação do pa- utilizado nas aulas práticas do ensino fundamental 2
Faculdade Unida de Campinas, Goiânia, GO.
REST AND A GREAT OPPORTUNITY TO DEVELOP SOCIO- leontólogo. A atividade também permitiu que os a qual possibilitará aos estudantes conhecer mais nenagatinho22@gmail.com • claudio.magalhaes@ueg.br
-EMOTIONAL SKILLS alunos trabalhassem as seguintes habilidades so- sobre rochas, fósseis e tempo geológico por meio
cioemocionais: comunicação, trabalho em equipe, de sequências didáticas que foram aplicadas duran- A pesquisa aqui apresenta consiste na analise de
CARLA TEREZINHA SERIO ABRANCHES1, CARO-
identificação de problemas; análise de situações te o desenvolvimento da pesquisa. As oficinas fo- como os conteúdos sobre Paleontologia são abor-
LINA SILVEIRA LEITE2, ISABEL CORTEZ CHRIS-
diversas, resolução de problemas e avaliação de ram aplicadas em várias etapas, em três escolas do dados, apresentados e discutidos nos livros didá-
TIANO DE SOUZA1
resultados. Sabendo-se que a paleontologia des- ensino fundamental I no 6º ano. Os dados foram ticos e na sala de aula de Biologia por professores
1
Laboratório de Paleobotânica e Palinologia, Institu-
to de Geociências, USP, São Paulo, SP; 2EMEF anexa perta tão grande interesse, sua prática deve ser coletados por meio de entrevistas, participações, da rede pública de ensino da cidade de Anápolis
164 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 165

– GO. Assume-se a pesquisa como de natureza fessores responsáveis por tal cadeira. A metodologia EDUCATIVAS COMO ETAPA COMUNICA- tre outros grupos, representativos da paleofauna
qualitativa, adotando-se a abordagem textual dis- utilizada na pesquisa foi o envio de um questionário CIONAL DO PROCESSO MUSEOLÓGICO local. Posteriormente, estes foram depositados na
cursiva como ferramenta de análise dos dados. on line a professores responsáveis por ministrarem MUSEALIZATION AND AMAZON FOSSILS: EDUCATIO- reserva técnica, sendo documentados, conserva-
Adota-se os conceitos de aprendizagem significati- a disciplina de Paleontologia nas universidades do NAL ACTIVITIES AS A COMMUNICATION STAGE OF THE dos e disponibilizados para pesquisa. Em seguida
va e Paleontologia como dispositivos teóricos para Brasil. Recebemos 9 respostas até o momento. O MUSEOLOGICAL PROCESS selecionamos algum destes para elaborarmos duas
construir o arcabouço teórico da investigação. Os questionário é constituído por 32 questões dividi- atividades para a extroversão do conhecimento
ERIKA MOURÃO FERREIRA1, FÁBIO ALEXANDRE
dados que compõem o corpus da investigação são das em 7 sessões: informações sobre a universidade, produzido e que serão utilizadas durante a reali-
MELO MENEZES1, AYMÊE LARISA LISBOA MAR-
duas coleções de Biologia adotadas por professo- atuação como docente, sobre a disciplina, metodo- zação da exposição. Partindo do princípio que o
ÇAL1, RAYANA ALEXANDRA SOUSA DA SILVA2,
res da rede pública de ensino e entrevistas semies- logias de ensino, materiais de aulas práticas, refe- lúdico tende a acrescentar no desenvolvimento
BARBARA ALVES SEPULVREDA3, SUE ANNE REGI-
truturadas realizadas com os referidos professo- rências utilizadas e a opinião do docente sobre as di- físico, cognitivo, afetivo, social e moral. A joga-
NA FERREIRA DA COSTA4,5
res. Essas coleções foram escolhidas em função da ficuldades enfrentadas para ministrar a disciplina. As bilidade visa que os alunos façam uma associação
1
Bacharelado em Museologia, Universidade Federal do
disponibilidade dos professores em participar da respostas recebidas até então são de professores que Pará, Belém, PA; 2Programa de Pós-graduação em Ci-
entre espécimes atuais e os espécimes fósseis cor-
pesquisa. As análises dos dados foram feitas sobre lecionam há mais de 11 anos. A pesquisa começa co- ências do Patrimônio Cultural, Universidade Federal do respondentes, e com isso, instigar a imaginação
a pespectiva da abordagem textual discursiva, tan- letando informações sobre a carreira do professor, Pará, Belém, PA; 3Licenciatura em Ciências Biológicas, da turma e a agilidade dentro da exposição, além
to para a abordagem e discussão dos professores e em seguida leva os entrevistados a uma reflexão Universidade Federal do Pará, Belém, PA; 4Instituto de do reconhecimento da paleofauna local. Portan-
quanto para o conteúdos dos livros didáticos de para comparar como foram suas aulas na graduação Ciências da Arte, Universidade Federal do Pará, Belém, to, como estratégia de preservação a musealização
PA. 5Museu Paraense Emílio Goeldi, Belém, PA.
biologia em relação ao contexto paleontológicos com as ministradas agora por eles, as devolutivas aponta para duas direções, objetivando não apenas
erikaferreira402@gmail.com • fbalexandre@gmail.com
estudado. Nesse sentido, a análise textual discur- mostram uma evolução das metodologias. O conte- garantir a integridade física e conceitual de uma
aymeelisboa@gmail.com • rayanaalexandra02@gmail.com
siva propiciou duas reconstruções concomitantes: údo considerado mais difícil de ser assimilado pelos bsepulvreda@gmail.com • sue.costa@gmail.com seleção de objetos, mas também promover ações
(i) do entendimento do ensino de ciência e de alunos foi o tempo geológico e o que cativa mais de pesquisa e de documentação que se voltem à
seus caminhos de produção como campo do co- a atenção deles são os assuntos envolvendo evolu- A musealização consiste em um processo intencio- produção, registro e disseminação das informa-
nhecimento; (ii) do objeto da pesquisa e de sua ções e extinções. As metodologias utilizadas pelos nal de valorização de objetos e sua devida preser- ções a eles relacionadas, através da promoção de
compreensão. Deste modo, as análises dos manu- professores são: 100% utilizam exposição de slides, vação enquanto bens culturais. Esta se dá por uma atividades culturais e educativas que permitam a
ais de ensino, bem como a abordagem dada para aulas inquisitivas e aulas práticas, 55,5% utilizam cadeia de processos divididos em quatro estágios apropriação do patrimônio pela sociedade.
cada professor sobre o conteúdo de paleontologia PBL (problem based learning ) e alguns recursos que partem da aquisição culminando na comuni-

apontam que há a necessidade de uma maior ar- usados são: saída de campo, exposição de filmes, cação. No primeiro momento ocorre a seleção dos
ticulação entre os conceitos paleontológicos e os seminários, jogos lúdicos e debates. Foi perguntado objetos que posteriormente serão integrados a um CURSO DE EXTENSÃO “PALEONTOLO-
temas biológicos que apresentam interface com também quais habilidades são importantes de se- acervo ou coleção. Em seguida, faz-se uma seleção GIA BÁSICA – CONCEITOS, TÉCNICAS E
estes, como a Zoologia e a Botânica. Além disso, rem desenvolvidas pelos alunos na disciplina; as res- destes com fins de construção de um conceito e DESAFIOS CONTEMPORÂNEOS”: UMA
deve-se explicar de forma clara e adequada a im- postas mais selecionadas foram: pensamento crítico composição de um discurso que comporão o pro- PROPOSTA DE POPULARIZAÇÃO E DI-
portância dos fósseis para o entendimento da evo- (100%) e pensamento reflexivo (77,8%). Em outra cesso de comunicação em si, não unicamente, mas VULGAÇÃO CIENTÍFICA
lução dos organismos. sessão foi discutido sobre material de aula prática, especialmente através de exposições museológi- EXTENSION COURSE “BASIC PALEONTOLOGY – CON-
e todos os respondentes confirmaram que possuem cas. A partir do exposto, neste trabalho preten- CEPTS, TECHNIQUES AND CONTEMPORARY CHALLEN-

material suficiente ou abundante. A referência mais demos demonstrar a partir da perspectiva muse- GES”: A PROPOSAL FOR POPULARIZATION AND SCIEN-
PESQUISA SOBRE DIDÁTICAS UTILIZA- utilizada pelos docentes é o livro CARVALHO, I. ológica, o processo de tratamento recebido pelos TIFIC DISSEMINATION
DAS NA DISCIPLINA DE PALEONTOLO- S. Paleontologia (77,6%). E para finalizar o ques- fósseis da Formação Pirabas (23-25 m.a) na cole-
EVERTON FERNANDO ALVES, VINÍCIUS SILVA
GIA PARA GRADUAÇÃO / RESEARCH ON tionário foram levantadas as dificuldades enfrenta- ção de história natural do curso de Museologia da
GUIZELLINI, ANA PAULA VIDOTTI
TEACHING EDUCATION AT UNDERGRADUATE PALEON- das para ministrarem a disciplina, sendo a falta de Universidade Federal do Pará, desencadeando na
Museu Dinâmico Interdisciplinar, Universidade Estadu-
TOLOGY COURSE recurso financeiro 62,5% e falta de interesse dos concepção de atividades educativas que comporão al de Maringá, Maringá, PR.
alunos 50%, além do grande número de alunos nas parte das atividades lúdicas da exposição itineran- viniciusguizellini@gmail.com • evertonando@hotmail.com
DÉBORA LIEMI TANJI1, CAROLINA ZABINI2
aulas práticas. A pesquisa ainda está em andamento te para público infanto-juvenil que está sendo de- apvidotti@uem.br
1
Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campi-
nas, SP; 2Universidade Estadual de Campinas, Instituto e aguardando mais respostas. A intenção é discutir senvolvida sobre os fósseis da Amazônia. A primei-
de Geociência, Campinas, SP. os resultados, dar uma devolutiva das respostas para ra etapa, entendida como a aquisição, deu-se com A Paleontologia nos dias de hoje não pode ser
debora.tanji@gmail.com • cazabini@unicamp.br os interessados e propor possíveis soluções. a coleta de campo na Praia do Atalaia no município pensada fora do contexto da Educação científica.
de Salinópolis, estado do Pará. Nesta há um ex- Além disso, o seu ensino promove a conscientiza-

Essa pesquisa procura desenvolver um levantamen- pressivo registro do cenozoico marinho brasileiro ção da importância dos fósseis como patrimônio
to sobre o ensino de Paleontologia na graduação, MUSEALIZAÇÃO E OS FÓSSEIS DA AMA- onde há espécimes de moluscos, sirênios, equino- público, essencial para sua preservação. No en-
assim como as dificuldades enfrentadas pelos pro- ZÔNIA: A ELABORAÇÃO DE ATIVIDADES dermatas, crustáceos, condrictes, quelônios, den- tanto, proporcionar maneiras alternativas para o
166 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 167

ensino-aprendizagem de conteúdos relacionados à TOLOGIA NA REGIÃO DE PEIRÓPOLIS- leitura e discussão de bibliografia especializada, e aliada na divulgação de pesquisas e publicações
Paleontologia ainda é um desafio em inúmeras ins- -MG / PRACTICAL-THEORETICAL EXPERIENCE IN de entrar em contato com resultados de pesquisas de trabalhos científicos realizados pela institui-
tituições de ensino. Mesmo com a atual facilidade THE PALEONTOLOGICAL TRAINING PROGRAM IN PEI- em andamento e o estabelecimento de parcerias ção. As redes sociais estão tem funcionado como
de acesso à informação e a variados tipos de tecno- RÓPOLIS-MG científicas. Toda essa vivência possibilitará a aplica- importantes ferramentas de aproximação entre o
logia, a seleção de conteúdos e práticas nem sem- ção do conhecimento adquirido em Paleontologia público e o museu. Como reflexo dessas ações, a
EVERTON FERNANDO ALVES
pre é apropriada e a oferta de cursos de qualidade na educação formal (em sala de aula) e não formal imagem do MPPC como fonte de informações pa-
Museu Dinâmico Interdisciplinar, Universidade Esta-
nesta área ainda é escassa devido à subvalorização. dual de Maringá, Maringá, PR.
(em ambiente museológico), e, assim, contribuir leontológicas vem se estabelecendo, as excursões
A conseqüência disso é uma alfabetização cientí- com a divulgação científica na minha região de de alunos tem sido frequentes e gradativamente a
evertonando@hotmail.com
fica deficiente e uma população carente de ferra- abrangência. média anual de visitantes vem aumentado. Embo-
mentas que lhe ajudem a compreender melhor o Este trabalho trata-se de um relato de experiência ra os uchoenses ainda sejam os que mais visitam

seu passado, a realidade do presente e o rumo ao de uma atividade de imersão como uma alternati- o museu, observa-se um aumento significativo
futuro neste planeta. Tendo tais desafios em mente va didática para o ensino da Paleontologia. Entre O MUSEU DE PALEONTOLOGIA PEDRO de alunos e famílias apreciadoras do turismo pa-
e com o objetivo de despertar o interesse da popu- os dias 8 e 12 de julho de 2019 ocorreu a décima CANDOLO: UM DIFUSOR DA PALEON- leontológico vindos de outros municípios. A dis-
lação que compõem a região noroeste do Paraná oitava edição do PROTEU (Programa de Treina- TOLOGIA REGIONAL / PEDRO CANDOLO PA- seminação e assimilação da paleontologia tem se
para as atividades de ensino, pesquisa e extensão mento de Estudantes Universitários). O PROTEU LEONTOLOGY MUSEUM: A DIFUSOR OF THE REGIONAL mostrado efetiva, tanto pela população uchoense
em Paleontologia é que o Museu Dinâmico Inter- é uma ação desenvolvida desde 1999 pelo Centro PALEONTOLOGY e visitantes, diretamente envolvida com as ações
disciplinar da Universidade Estadual de Maringá de Pesquisas Paleontológicas “Llewellyn Ivor Pri- municipais, quanto remotamente pelos aprecia-
FABIANO VIDOI IORI1,2, LEONARDO SILVA PAS-
desenvolveu o projeto do curso de extensão deno- ce” (CPPLIP), localizado no município de Ubera- dores da paleontologia, os quais tem acesso aos
CHOA1,3, ALEX MARTINS1, PEDRO HENRIQUE
minado “Paleontologia básica: conceitos, técnicas ba, bairro Peirópolis-MG, que desde 2010, passou conteúdos científicos e progressos das pesquisas
TURANO CANDOLO3
e desafios contemporâneos”, destinado a professo- a integrar a Universidade Federal do Triângulo Mi- locais através das redes sociais do MPPC e de im-
1
Museu de Paleontologia “Pedro Candolo”, Uchoa, SP;
res, estudantes e demais membros da comunidade neiro (UFTM). O PROTEU é um curso de imer- 2
Museu de Paleontologia “Prof. Antonio Celso de Ar- portantes órgãos da imprensa nacional. Apesar das
interessados na temática, utilizando como meto- são com duração de 40 horas distribuídas ao longo ruda Campos”, Monte Alto, SP; 3Associação Uchoense limitações de uma instituição municipal, o MPPC
dologia uma capacitação presencial em dois mó- de cinco dias, oferecido para estudantes universi- Amigos da Cultura, ASSUAC, Uchoa, SP. consegue desempenhar efetivamente suas funções
dulos, divididos em 6 temas emergentes, visando tários de diversas áreas da UFTM e de outras ins- biano.iori@gmail.com • leonardo.paschoa@hotmail.com e investe esforços para ser um difusor do conheci-
atualização e aprofundamento teórico sobre: 1) os tituições. O diferencial deste treinamento se deve alejones@gmail.com • pedroturano@gmail.com mento científico, principalmente neste momento
principais conceitos e técnicas básicos utilizados ao fato de o município de Uberaba estar inserido de enaltecimento das pseudociências e desvalori-
nesta ciência, 2) os experimentos laboratoriais O Museu de Paleontologia Pedro Candolo zação de instituições e conhecimentos acadêmicos.
em um contexto geológico onde há uma abundan-
em Tafonomia e a compreensão sobre a fossiliza- (MPPC) foi inaugurado na cidade de Uchoa-SP
te ocorrência de fósseis e ao histórico de impor- 
ção, 3) a importância da Paleohistologia de ver- em dezembro de 2016 e desde então vem se
tantes trabalhos publicados em periódicos cientí-
tebrados para o entendimento da sua ontogenia, consolidando como órgão de pesquisa. Além dos “PALEONTOLOGIA: UMA MÁQUINA DO
ficos de alto impacto pelo CPPLIP. Assim, como
4) Micropaleontologia e a sua importância para o estudos paleontológicos, a disseminação da pale- TEMPO DA CIÊNCIA”: UMA ABORDA-
participante do PROTEU, tive a possibilidade de
estudo das mudanças ambientais, 5) Dinossauros ontologia regional é uma de suas metas prioritá- GEM EDUCATIVA PARA ESTUDANTES DO
vivenciar parte dos trabalhos reais realizados por
e as atualizações científicas não mostradas pela in- rias. Com esse propósito, várias ações vêm sendo ENSINO FUNDAMENTAL II EM RIBEIRÃO
paleontólogos do CPPLIP. Durante o treinamen-
dústria do entretenimento e 6) as contribuições da executadas, algumas delas apresentadas aqui. Com PRETO, SÃO PAULO
to, os participantes ficaram alojados no Complexo
Paleoarte para a popularização do conhecimento foco na sensibilização do público infantil, criou-se “PALEONTOLOGY: A TIME MACHINE OF SCIENCE”: AN
onde tiveram uma experiência real e imersiva do
científico. A perspectiva é a de que ações exten- a “Turma do Pedrossauro”, personagens cartunes- EDUCATIONAL APPROACH FOR ELEMENTARY EDUCA-
desenvolvimento de trabalhos paleontológicos, in-
sionistas como esta, que utilizem métodos alter- cos concebidos a partir de membros da paleofauna TION STUDENTS IN RIBEIRÃO PRETO, SÃO PAULO
clusive escavações. Além destas, foram ministradas
nativos para o ensino da Paleontologia, em uma local. Pedrossauro (abelissauro), Dinorá (titanos-
aulas teóricas pelo geólogo Dr. Luiz Carlos Borges FELLIPE MUNIZ1, BRUNA FARINA1, GUSTAVO
região onde não há cursos voltados para a área, sauro), Rock (megaraptora), Kelly (testudino),
Ribeiro e pelo paleontólogo Prof. Dr. Thiago da DARLIM1, FRANCISCO NETO1, GUILHERME HER-
promoverão um aprendizado contextualizado e Joca (crocodiliforme) e Doni (lepisosteídeo) tem
Silva Marinho que coordenou atividades práticas MANSON1, SILVIO ONARY1, SILVIA LOMBA1, MA-
significativo, auxiliando na aproximação de fatos e suas imagens veiculadas em atividades educativas
de coleta em diversos sítios fossilíferos da região, RISA BARBIERI2, ANNIE HSIOU1
fenômenos naturais à comunidade e contribuirão no município, postos de saúde e nos materiais in-
preparação de fósseis no laboratório do CPPLIP e 1
Laboratório de Paleontologia de Ribeirão Preto, FF-
para formar futuros multiplicadores do conheci- formativos do museu. Visando trazer famílias ao
noções básicas sobre a técnica de “screenwashing” CLRP, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, SP;
mento científico e patrimonial. museu, programações especiais que incluem pa-
e o método de “picking” (identificação e seleção 2
Casa da Ciência, Fundação Hemocentro de Ribeirão
lestras, oficinas e sessões de cinema vêm sendo de- Preto, Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, Uni-
 de fragmentos e pequenos fósseis). Além do trei-
senvolvidas em datas comemorativas. Buscando-se versidade de são, Ribeirão Preto, SP.
namento ainda possibilitou-me a troca de experi-
VIVÊNCIA TEÓRICO-PRÁTICA NO PRO- a disseminação nacional da paleontologia regional, fellipemuniz@yahoo.com.br • bruna.mfarina@gmail.com
ências, a divulgação em uma emissora de TV que
GRAMA DE TREINAMENTO EM PALEON- a mídia em geral tem sido utilizada como forte gustavo.darlim@gmail.com • netofpa@gmail.com
nos acompanhou em um período de atividades,
168 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 169

guilhermehermanson@gmail.com • silvioyuji@gmail.com os conceitos, incluindo diferentes tipos de fósseis e cussões posteriores. Foi feita ainda uma aborda- feros que cercam o Teatro Amazonas foram iden-
silvialomba06@gmail.com • marisarbarbieri@gmail.com grupos taxonômicos, evidenciando a contribuição gem sobre a topografia e biodiversidade da Terra tificados, descritos, classificados e inseridos em
anniehsiou@ffclrp.usp.br
do projeto para o conhecimento dos estudantes. ao longo dos éons com a apresentação de slides. um roteiro geoturístico lúdico. O objetivo deste
A Paleontologia ainda é pouco explorada no Ensi- Os participantes demonstraram ter conhecimen- projeto de extensão foi a difusão de conhecimen-

no Fundamental e Médio, apesar de estar inserida tos sobre taxonomia e morfologia de dinossauros tos básicos de geologia sedimentar e paleontologia
no contexto dos Parâmetros Curriculares Nacio- ENSINO DE PALEONTOLOGIA EM ESPA- e outros grandes répteis, além de informações so- através de aulas teóricas com conceitos essenciais
nais (1998). Assim, com o objetivo de contribuir ÇOS NÃO-ESCOLARES A PARTIR DE UMA bre a extinção do fim do Cretáceo e a megafauna para compreensão de fundamentos básicos da geo-
para a construção do conhecimento de estudantes OFICINA INTERATIVA / PALEONTOLOGY TEA- cenozóica. Também ocorreram discussões sobre a logia e a aplicação do roteiro educacional em esco-
sobre aspectos paleontológicos, foi desenvolvido CHING WITH AN INTERACTIVE PRACTICE IN UNCON- definição de fósseis e o trabalho do paleontólogo. las estaduais de ensino médio no entorno do Largo
o projeto “Paleontologia: uma máquina do tempo VENTIONAL LEARNINGVENUES Os visitantes montaram os quebra-cabeças sobre de São Sebastião. Além disso, a temática de exten-
da Ciência” no âmbito das atividades do progra- tafonomia e escavaram a terra dos recipientes uti- são envolvida foi utilizada como atividade prática
GUSTAVO MACÊDO DO CARMO1,2, MILLA MA-
ma “Pequeno Cientista”, coordenado pela Casa da lizando espátulas e pincéis, buscando assim as seis complementar em disciplinas básicas da graduação
RIANO CARVALHO1,2, LARA BACELLAR DO NAS-
Ciência do Hemocentro Ribeirão Preto/USP. As réplicas de fósseis enterradas. A prática foi finali- (Geologia Geral) nos cursos de engenharia civil e
CIMENTO RODRIGUES1,2, DENISE LEOCÁDIO2,
atividades foram realizadas com uma turma de 12 zada com a distribuição de fichas sobre os fósseis biologia da Universidade Federal do Amazonas.
RONEY POLATO DE CASTRO3
alunos de faixa etária entre 13 e 15 anos dos oitavo encontrados para que todos pudessem identificá- Foram elaboradas e apresentadas palestras com
e nono anos do Ensino Fundamental II, por meio
1
Instituto de Ciências Biológicas; 2Centro de Ciências; -los e obter mais informações sobre este material. temáticas pertinentes aos objetivos do trabalho,
3
Faculdade de Educação, Universidade Federal de Juiz
de 12 encontros semanais com duração de uma de Fora, Juiz de Fora, MG.
Observamos, a partir dos saberes prévios dos par- como tipos de rochas, ciclo das rochas, fósseis,
hora cada. As aulas foram expositivas dialogadas, ticipantes, que o conhecimento sobre Paleontolo- processos de fossilização e contextualização his-
gugaatwts@hotmail.com • millamaric@gmail.com gia é difundido entre diversos públicos e tivemos tórica sobre as calçadas fossilíferas. Após a aplica-
intercaladas com atividades práticas e estruturadas
lara.bacellar@hotmail.com • leocadio.bio@hotmail.com
em três temas centrais: I) “Tafonomia”, II) “Paleo- roneypolato@gmail.com um feedback positivo com a participação de todos, ção das aulas teóricas, foram desenvolvidas aulas
biodiversidade, paleoambientes e paleoecologia”, constatando a funcionalidade desta oficina como práticas em forma de excursões, onde os alunos
e III) “O trabalho do paleontólogo e os fósseis do Espaços educativos não-escolares são significativos ferramenta promissora para divulgação da área em praticaram a identificação dos fósseis e icnofós-
Brasil”. No âmbito prático foram realizadas: visita para o aprendizado científico e podem investir na espaços não-escolares. seis. As atividades desenvolvidas foram registradas
ao Laboratório de Paleontologia de Ribeirão Pre- popularização da Paleontologia a partir de proje- por meio de fotografias e vídeos, com o intuito de

to, manipulação de espécimes fósseis e réplicas, e tos de extensão e ações voltadas para divulgação complementar futuras atividades a serem realiza-
a confecção de uma Escala do Tempo Geológico da ciência e tecnologia. Neste sentido, o presen- UM DESPERTAR PALEONTOLÓGICO das com base nesse projeto. Além de fomentar a
contendo os principais eventos paleoecológicos de te trabalho objetivou a implementação da oficina EM ESCOLAS DO ENSINO MÉDIO: UMA educação básica, promover a valorização e preser-
cada período. Para avaliar o conhecimento prévio intitulada “Lembranças do Planeta Terra”, como AULA PRÁTICA NAS CALÇADAS FOSSILÍ- vação do maior símbolo do patrimônio histórico
dos estudantes em Paleontologia e a efetividade da parte das atividades do Centro de Ciências da Uni- FERAS DO TEATRO AMAZONAS / A PALEON- manauara, a realização desse trabalho contribuiu
oficina aplicamos pré-testes e pós-testes que in- versidade Federal de Juiz de Fora (Minas Gerais). TOLOGICAL AWAKENING TO HIGH SCHOOLS: A PRACTI- com a divulgação das geociências através da inte-
cluíam as perguntas: 1) “O que é paleontologia? A proposta mescla práticas cooperativas de apren- CAL CLASS AT THE FOSSIL-BEARING SIDEWALKS OF THE ração direta com a comunidade. [FAPEAM PIB-
“; 2) “Você sabe o que é um fóssil? “; 3) “Existem dizagem investigativa e uma parte expositiva na AMAZONAS THEATER -E-0069/2016 e PROEXTI- UFAM]
fósseis no Brasil, já viu algum? “. Após as interven- qual visitantes dialogam com mediadores expon- 
INGRID VIEIRA, CARLOS TANIGUCHI, MÁRCIA
ções educativas, foi observada uma maior com- do conhecimentos prévios. Para tal, criou-se uma
OLIVEIRA, PATRÍCIA MOTA, ROBERTO BARBO- UMA JORNADA PALEONTOLÓGICA NO
preensão dos alunos sobre essas questões, uma apresentação de slides contendo reconstruções de
SA, ROSEMERY SILVEIRA LARGO DE SÃO SEBASTIÃO / A PALEON-
vez que nenhum aluno definiu incorretamente os paleoambientes e animais extintos, um quebra-ca-
conceitos de paleontologia e de fósseis após as ati- beça sobre tafonomia e dez espátulas em argila, Instituto de Ciências Exatas, Departamento de Geo- TOLOGICAL JOURNEY THROUGH LARGO DE SÃO SE-
vidades, enquanto 16,6% e 8,3% dos alunos, res- além de cinco recipientes preenchidos com areia, ciências, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, BASTIÃO
AM.
pectivamente, o fizeram ao início das atividades. nos quais foram enterradas réplicas de fósseis fei- INGRID VIEIRA, ROBERTO BARBOSA, LUCINDO
Houve o aumento no número de definições cor- tas em gesso. A oficina foi aplicada quatro vezes ingriidvieirasilva@gmail.com • carloskim.ufam@gmail.com
marciacarvalho2237@gmail.com • pattriciapmota@gmail.com FERNANDES FILHO, GUILHERME VILLANI, HEN-
retas (27,3% vs. 16,6%) e incompletas (72,70% entre os meses de janeiro e julho de 2019, com RIQUE VILLANI
rcbarbosa@ufam.edu.br • rrsilveira@ufam.edu.br
vs. 66,6%) sobre o conceito de paleontologia e o média de vinte participantes, idade a partir de sete
aumento na definição correta de fóssil (45,4% vs. anos e duração de quarenta minutos. As atividades A importação de material pétreo, como o calcário Instituto de Ciências Exatas, Departamento de
16,6%) e menos respostas incompletas sobre tal tiveram início com a formação de cinco grupos de lióz, utilizado nos calçamentos das principais Geociências, Universidade Federal do Amazonas,
conceito (54,5% vs. 75,0%). De maneira geral, as e uma discussão sobre aprendizagem em espaços vias públicas do centro histórico de Manaus, trou- Manaus, AM.
respostas tornaram-se mais complexas e acuradas, não-escolares, seguida pela reprodução de sons xe consigo fósseis e icnofósseis que acabaram sen- ingriidvieirasilva@gmail.com • rcbarbosa@ufam.edu.br
com acréscimo de palavras-chave para além de hipotéticos de animais pré-históricos para que os do inseridos no tecido urbano da capital manaua- lfernandesfilho@gmail.com • guituvime@gmail.com
termos como “ossos” e “dinossauros” para explicar visitantes tentassem descobrir quais eram, em dis- ra. Em estudos anteriores, os pavimentos fossilí- henriquetvillani@gmail.com
170 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 171

O Teatro Amazonas, símbolo histórico da belle 1


Master Student in Geosciences, Geosciences Institute, association between these areas. The interdisci- of home and 85% of these students did not know
époque manaura e cartão postal da cidade, foi Geology, and Natural Resources Department, Campi- plinary association can still awake in the student to answer. What are these rocks for? 80% did not
nas University, Campinas, São Paulo, Brazil; 2Teacher of
construído de acordo com o estilo europeu da a scientific vision. Thus, this work proposes a ba- know how to respond, 5% said they were used for
Federal Institute of Education, Science, and Technology
época. Para esse feito foi importado não somen- of Piauí, Teachers Formation Department, Geology and sis for scientific teaching, that is obtained from study purposes, 5% said they were used to build
te a mão-de-obra, mas também as rochas orna- Palaeontology Laboratory, Teresina, PI. the observation and elaboration of explanations, the foundation, and 6% said they were good for
mentais para edificar tal monumento. Dentre os jaironascimentojgsn@gmail.com • erico.gomes@ifpi.edu.br bringing effective possibilities to the teaching of grind knife. Among the last questions we asked
materiais pétreos têm-se o objeto desse estudo sciences, mathematics, physics, and paleontology them if they knew how those rocks formed, whe-
os calcários fossilíferos portugueses, comer- Currently, the highpoint of the teaching-learning in basic and higher-level courses. [PIBIC/CNPq re 95% did not know how to respond and 5%
cialmente conhecidos como calcários de lióz. process is the interdisciplinary education, which Projeto 800801/2016-4/ IFPI] attributed to a mysterious or divine process. The
Essa rocha ornamental pode ser encontrada nas aims to integrate different areas in order to build a data presented expresses that the content of ro-
holistic view about a specific subject. Considering 
principais vias públicas do centro histórico de cks and fossils is not very significant for the stu-
Manaus. O objetivo desse trabalho se resumiu paleontology, a high integrated science, that uses PERCEPTIONS ON PALEONTOLOGICAL dents, but also demonstrates the fragile base in
em classificar macroscopicamente essas rochas, many analysis processes, we came up with an in- HERITAGE AND PLACE-BASED EDUCA- which the students meet, suggesting that these
identificar e classificar os fósseis, com a finali- terdisciplinary strategy for using invertebrate fos- TION IN GEOSCIENCES contents are approached in an incomplete way,
dade de elaborar um roteiro geoturístico lúdico sils from Parnaíba basin to enchase mathematics causing such results. In interpreting the data, we
and physics teaching. Theses fossils are stored at JAIRO GABRIEL DA SILVA NASCIMENTO1; ÉRICO
que possa despertar um olhar paleontológico no suggest the organization of students ‘perceptions
the collection of Geology and Palaeontology La- RODRIGUES GOMES2
centro histórico de Manaus. Os métodos, além in three visions: 1) resignation, 2) recognition and
boratory of the Federal Institute of Piauí. Twen-
1
Master Student in Geosciences, Geosciences Insti-
da revisão bibliográfica, consistiram em análise tute, Geology and Natural Resources Department, 3) protection, these visions must be identified to
petrográfica macroscópica, classificação sistemá- ty students participated on this approach within build a teaching methodology consistent with the
Campinas University, Campinas, São Paulo, Brazil; 2
tica dos fósseis, georreferenciamento e cataloga- mathematics and physics undergraduate courses. Teacher of Federal Institute of Education, Science and students’ reality, especially in the which refers to
ção dos pavimentos mais representativos para a Wilkingia terminalis and Oriocrassatela piauiensis Technology of Piauí, Teachers Formation Department, the geoscientific knowledge, so that the teaching
elaboração do roteiro. Os carbonatos foram clas- fossils -showing growth lines and ornamentation- Geology and Palaeontology Laboratory, Teresina, PI. is effective and contextualized leading to a process
sificados em mudstones, wackestones e grainsto- were used to explain quadratic functions and pa- jaironascimentojgsn@gmail.com • erico.gomes@ifpi.edu.br of significance of the paleontological heritage. [PI-
nes, apresentando tonalidades amareladas a rosa- rabola building. Phyloporidinae sp. (Bryozoa) fossils BIC/CNPq projeto 800801/2016-4/ IFPI]
Paleontological heritage is a unique record of the
das. Os grãos aloquímicos são representados ex- were used to approach dots and construction of
history of life on Earth that preserves biogeolo- 
clusivamente por grãos esqueletais (bioclástos) lines, mainly because of their morphological cha-
gical evolution and dynamics. The teaching of pa-
ou impressões fósseis. Tal conteúdo fossilífero é racters showing linear rays organized in 7-8 sets. COMPREENSÃO DE DISCENTES DO EN-
leontology in Brazil inaugurates the patrimonial
representado pelas famílias Caprinulidae, Radio- Statistical analysis where used to teach about bio- SINO MÉDIO SOBRE A PALEONTOLOGIA
teaching in paleontology, that aims to awaken
litidae e Nerineidae, além do icnogênero Thalas- logical diversity within the fossils identified to EM ESCOLAS DE PICUÍ-PB / COMPREHEN-
protective actions to the paleontological heritage.
sinoides. As melhores exposições contendo esses genus and species level, and also discussed about SION OF HIGH SCHOOL STUDENTS REGARDING PALE-
In this way we seek to understand how the fossils
fósseis, que não necessariamente são observados measurement systems (height, length, obesity and ONTOLOGY IN PICUÍ-PB
and quarries are perceived by the students living
juntos foram incluídas no roteiro. O produto others parameters). When working with disjoin-
in their surroundings. Participated of this research JANIELE CRUZ SANTOS, LUCIENY RAQUEL DA
gerado nessa pesquisa inaugura a prática do ge- ted bivalves, it was possible to discuss about the
17 students of the Education of Young and Adults COSTA E SILVA, FRANCISCA RAIANY SOARES DE
oturismo no tecido urbano de Manaus e corro- kinds of angles present in the shells. Before the
of the Francisco Rodrigues do Nascimento school, MOURA
bora com a transformação do espaço cultural do workshop, 90% of the participants did not know
located in the settlement Mocambo, rural area of
Largo de São Sebastião em um sítio de difusão and could not define a fossil, and a prior presen- Programa de Pós-Graduação em Geologia, Laboratório
José de Freitas, Piauí. In the neighborhood of the
de conhecimentos geocientíficos, agregando ao tation of these paleontological concepts was ne- de Paleontologia, Universidade Federal do Ceará, For-
school are a Limestone quarry dated from Car-
valor cultural o valor científico ao maior patri- cessary. After the workshop application, the par- taleza, CE.
boniferous (Pennsylvanian) that preserves many
mônio histórico da capital manauara. [FAPEAM ticipants said they had never worked with fossils janielly28@gmail.com • lucienydacostaesilva@gmail.com
fossils, which include mollusks, brachiopods, and raianysmoura12@gmail.com
PIB-E-0069/2016]. in their math classes, in which 85% said that this
trilobites. The students answered a questionnai-
strategy was efficient and stimulated the students’
 re about fossils and the quarry located in their A paleontologia é a ciência responsável por estudar
curiosity and critical thinking, helping them to
community. Are these stones around here? 70% as formas de vida existentes em períodos geológi-
INTERDISCIPLINARY APPROACH ON gain a more autonomous scientific formation. In
of the students said it was possible to find them cos passados, a partir dos seus fósseis. Nas últimas
PALAEONTOLOGY TEACHING: AN EXPE- addition, 63% of the participants rated the level
near their homes, 20% did not know how to res- décadas vem tomando destaque, principalmente
RIENCE WITH INVERTEBRATE FOSSILS of interdisciplinarity discussed in the short-cou-
pond and 10% said they were found in the wa- quanto às contribuições para a Biologia Evolutiva.
rse with a grade of 9. The teaching of paleonto-
JAIRO GABRIEL DA SILVA NASCIMENTO1; ÉRICO ter or dam. What are? The answers obtained are No ensino básico a abordagem dessa disciplina é
logy can be applied not only to the Geosciences
RODRIGUES GOMES2 organized in 10% saying that they are old stones, sugerida pelo MEC em seus Parâmetros Curricu-
but also to the exact sciences, thus requiring an
5% say they are rocks they use in the bathroom lares Nacionais, sendo aplicada de maneira inter-
172 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 173

disciplinar nas disciplinas de Biologia e Geografia. do Período Cambriano e de outros temas relacio- marcia.silva@arapiraca.ufal.br abordando de forma participativa a divulgação da
Com base nesta definição buscamos obter dados nados à Paleontologia estão limitadas a Museus e geologia e paleontologia, através de metodologias
básicos e preliminares de discentes do ensino mé- Centros de Ensino Superior, sendo pouco aborda- Trabalhar a paleontologia na educação básica é alternativas para o ensino, desse modo, visando
dio sobre a paleontologia, a fim de verificar qual dos nas aulas de ciências do ensino fundamental essencial para o entendimento de processos na- um melhor entendimento da evolução inserida no
o nível de compreensão que esses possuem sobre e médio. Por muitas vezes, o ensino de ciências turais operantes há centenas de milhares de anos Tempo Geológico.
o assunto. Para esse estudo foi utilizado um ques- é caracterizado por uma aprendizagem memorís- na Terra, tanto geológicos, quanto biológicos. O
Tempo Geológico é um conceito difícil de ensinar 
tionário semiaberto composto por 11 perguntas, tica. O educador, dessa forma, precisa descobrir
onde se refere desde a importância dos fósseis até alternativas que auxiliem no processo de ensino- e compreender, principalmente no ensino básico, JOGANDO COM PALEOBOTÂNICA: O EN-
os seus aspectos legais no Brasil. Foram respondi- -aprendizagem, como a utilização de ações que pois a interpretação de tempo em números não SINO DE DIVERSIDADE NO TEMPO GEO-
do um total de 90 questionários, correspondente diversifiquem as experiências em sala de aula. A usuais no cotidiano torna-se abstrato e faz-se dis- LÓGICO / PLAYING WITH PALEOBOTANY: TEACHING
a alunos da 2ª e 3ª séries do ensino médio. Os re- utilização de jogos como uma dessas propostas tante da experiência humana. Assim, objetivou-se DIVERSITY IN GEOLOGICAL TIME
sultados preliminares mostram que os alunos da 3ª pode proporcionar aos alunos uma aprendizagem construir um modelo didático de Tabela do Tempo
Geológico para utilização lúdica em aulas de ciên- MATEUS MELOTTI1, RAPHAEL MUNIZ MONTEI-
série apresentam um conhecimento prévio sobre de forma prazerosa, lúdica e atraente. O “Jogo da
cias/biologia na educação básica. A tabela foi cons- RO2, TAISSA RODRIGUES1
o assunto, já nos alunos da 2ª série existe uma di- Vida do Cambriano” é um jogo de tabuleiro, de-
truída por alunos do curso de Ciências Biológicas
1
Laboratório de Paleontologia, Departamento de Ciên-
ferença entre escolas, no qual discentes da escola senvolvido a partir da ideia de um jogo comercial, cias Biológicas, Centro de Ciências Humanas e Natu-
pública conseguem fundamentar suas respostas. realizado no âmbito da disciplina Paleontologia do – Licenciatura da Universidade Federal de Alagoas
rais, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória,
Assim, os resultados preliminares sugerem que Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas da – UFAL Campus Arapiraca, no âmbito da discipli- ES; 2Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro,
os alunos já tiveram algum tipo de contato com UFPE para suprir essa demanda. Seu objetivo é na de Geologia e Paleobiologia. Para a prática foi Rio de Janeiro, RJ.
a paleontologia de forma interdisciplinar nas es- responder corretamente perguntas acerca do con- necessário seguir alguns requisitos obrigatórios: m.melottimartins@gmail.com
colas, porém existe uma lacuna de conhecimento teúdo Período Cambriano e ganhar recompensas utilizar a Tabela Cronoestratigráfica Internacional; raphael.muniz.monteiro@gmail.com
ter 4,65 metros de comprimento, onde cada cen- taissa.rodrigues@ufes.br
sobre o assunto, o que infere que essa disciplina financeiras a cada acerto. Acumulando-se a maior
seja trabalhada de forma direta, bem como, com quantidade de cédulas de dinheiro desenvolvidas tímetro corresponde a 10 milhões de anos; incluir
através de pequenos textos e imagens os principais Utilizar jogos na instrumentação pedagógica leva
o auxilio de práticas pedagógicas que facilite esse exclusivamente para o jogo, assim como as re- o aluno a desenvolver maior participação no pro-
entendimento. [CAPES] gras para ordem de jogada. Durante o percurso eventos que ocorreram nos éons, eras, períodos,
épocas e idades ao longo do tempo geológico. cesso de ensino, com um aumento de significados
os jogadores podem passar por diversas casas que construtivos e na horizontalidade da relação pro-
 Nesse sentido, um grupo construiu a tabela em
podem ser benéficas ou maléficas. Dentre os co- fessor-aluno. Esse método lúdico coloca o estu-
JOGO DA VIDA DO CAMBRIANO: APREN- nhecimentos abordados pelo jogo estão os gru- tecido preto contendo aplicações de fitas colori-
das que representaram os éons, eras e períodos, dante no centro dos acontecimentos, motivando
DENDO NA SALA O QUE SE APRENDE NO pos de animais, a flora, as condições climáticas, e criando analogias para melhor apropriação de
MUSEU / CAMBRIAN LIFE GAME: LEARNING AT THE os continentes, os fosseis do Período, bem como além da aplicação de textos e imagens referentes
a cada época da tabela. E assim, como resultado, conteúdo. No ensino de paleontologia, a repre-
CLASSROOMWHATYOU LEARN AT THE MUSEUM conhecimentos gerais de paleontologia. Alguns ar- sentação do fluxo de biodiversidade no decorrer
tifícios de estratégia foram inseridos a fim de gerar o Fanerozoico correspondeu a apenas 54 cm da
JOSE RIVALDO DE LIMA¹, JOANA ANDRESA tabela, ilustrando de forma lúdica que a evolução do tempo geológico se torna um desafio para o
emoção aos participantes do jogo. Tornam-se ga- estudante e a aplicação de metodologias alterna-
CAMPELO SANTOS¹, VANIELE APARECIDA DA e diversidade biológica representam apenas 12%
nhadores o grupo que acumular a maior quantia. tivas em sala de aula demonstram-se facilitadoras
SILVA¹, AMANDA LARISSA DA SILVA MEDEIROS¹, do tempo geológico. Portanto, pode-se observar a
ROSÂNGELA MARGARIDA DA SILVA¹, ANA PAU-  necessidade de criação de um instrumento didáti- do processo de aprendizagem. Aqui descrevemos
LA BERNARDO DA SILVA¹, RAQUEL KAMILA DE co, uma vez que a literatura evidencia uma limita- um jogo como ferramenta de ensino e sua apli-
TEMPO GEOLÓGICO: UMA PROPOSTA cação como forma de intervenção pedagógica na
FRANÇA MELO¹, LENITA DA SILVA BARBOSA¹, da gama de opções de materiais para se trabalhar
DE RECURSO DIDÁTICO PARA A EDU- disciplina de paleontologia em uma turma de Ci-
JULIANA MANSO SAYÃO² evolução com o público infanto-juvenil, que pos-
CAÇÃO BÁSICA / GEOLOGICAL TIME: A TEA- ências Biológicas da Universidade Federal do Es-
¹Licenciatura em Ciências Biológicas, Núcleo de Biolo- CHING PROPOSAL FOR THE BASIC EDUCATION sibilite exemplificar de forma visual as evidências
gia, Centro Acadêmico de Vitória, Universidade Federal de vida pré-histórica preservadas no decorrer pírito Santo. Trata-se de um jogo de cartas, multi-
de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE; ²Núcleo de LUANNA KAMILLA CAVALCANTE SILVA, ADRIA- do tempo. Em suma, é possível criar atividades jogador, sobre a diversidade biológica no percurso
Biologia, Centro Acadêmico de Vitória, Universidade NO JOSÉ DOS SANTOS, AYTANA VASCONCELOS lúdicas para despertar interesse dos alunos pela evolutivo das plantas, no qual cada participante é
Federal de Pernambuco, Vitória de Santo Antão, PE. DOS SANTOS, JOSÉ CLEFERSON ALVES F. DA SIL- responsável por adquirir e gerar combinações que
temática, e assim, possibilitar o desenvolvimento
jose.rivaldo@hotmail.com • joanaandresa19@gmail.com VA, MARCIA CRISTINA DA SILVA representem acontecimentos na evolução botâ-
vaniele_aparecida@hotmail.com • amanda9823@icloud.com do pensamento científico, impactando diretamen-
Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Univer- te no conhecimento sobre a evolução no ensino nica ao longo do tempo geológico. O baralho é
rosangelamargarida@hotmail.com
paulinha.eai@hotmail.com • raquelkamila98@gmail.com sidade Federal de Alagoas, campus de Arapiraca, Arapi- de ciências e biologia. Além disso, pode propor- dividido em três cores, cada uma representando
lenita97@live.com • jmsayao@gmail.com raca, AL. uma Era geológica. Em cada uma, os jogadores
cionar um ambiente de interação entre professor
luannakamilla04@gmail.com • adriano.bio17@gmail.com
e alunos no processo de ensino-aprendizagem, podem comprar cartas que representem plantas
De uma maneira geral informações formais acerca vasconcelosaytana@gmail.com • cleferson.ufal@gmail.com existentes durante aquele tempo, valendo pon-
174 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 175

tuações diferentes. Em seu turno, cada jogador de de momentos presenciais. Ao se combinar au- CURRICULAR DE PALEONTOLOGIA NOS proporcionar o conhecimento efetivo desta área
pode escolher quais plantas vai colocar na mesa las presenciais e a distância, as ações educacionais CURSOS DE GEOLOGIA E CIÊNCIAS BIO- para ambas categorias profissionais.
e de onde vai comprar suas cartas, se da mão de EAD passam a ser consideradas híbridas. A oferta LÓGICAS

outros jogadores ou do baralho. Quando uma Era da disciplina de Micropaleontologia Avançada no PROPOSAL FOR TEACHING OF PALEONTOLOGY IN GEO-
acaba, todas as cartas das mãos são descartadas. primeiro semestre de 2019 contemplou os pro- LOGICAL AND BIOLOGICAL SCIENCE COURSES ESTRATÉGIAS DE COMUNICAÇÃO E DI-
No final de cada partida os jogadores contam os gramas de pós-graduação em Geologia, Univer- VULGAÇÃO DA PALEONTOLOGIA EM
MARIA DE FATIMA RODRIGUES SARKIS1, MITSU-
pontos que conseguiram acumular na mesa duran- sidade de Brasília, bem como em Geoquímica e MUSEUS: ESTUDO DE CASO DA EXPOSI-
RU ARAI2
te o jogo para determinar os vencedores. Durante Geotectônica, Universidade de São Paulo. A dis- ÇÃO “DINOSSAURO(?) NO IG”
a aula os estudantes apresentaram como principal ciplina contou com a participação de pesquisado-
1
Instituto de Ciências e Tecnologia, Universidade Fe- PALEONTOLOGY COMMUNICATION AND DIVULGA-
deral de Alfenas, Poços de Caldas, MG; 2UNESPetro –
engajamento o cognitivo, resolvendo problemas e res do projeto International Ocean Drilling Project. TION STRATEGIES IN MUSEUMS: A CASE STUDY OF THE
Centro de Geociências Aplicadas ao Petróleo, Universi-
elaborando de estratégias de jogo, e secundaria- Ferramentas on-line disponíveis em mídias como dade Estadual Paulista (UNESP), Rio Claro, SP. EXHIBITION “DINOSSAURO(?) NO IG”
mente um engajamento afetivo, despertado pela Zoom® para videoconferência e Moodle® como sarkis@unifal-mg.eu.br • mitsuru.arai@gmail.com RAFAEL ARAÚJO RIBEIRO¹, CAROLINA ZABINI²,
interação entre os estudantes a dinâmica de en- ambiente virtual de aprendizagem viabilizaram as
LUIZ EDUARDO ANELLI³
sino. Após a aplicação os estudantes deram um aulas por meio de uma conexão de internet está- A Paleontologia é a ciência que estuda a vida pre-
¹Instituto de Geociências, Programa de Pós-graduação
retorno positivo da atividade, solicitando o jogo vel. O uso de videoconferência permitiu a partici- térita na Terra e tem grande importância no estu- em Ensino e História de Ciências da Terra, Universida-
para atividades continuadas em espaços formais e pação simultânea dos docentes, tutores e discentes do da evolução biológica e na aplicação à pesqui- de Estadual de Campinas, Campinas, SP; ²Instituto de
não formais, contribuindo com a validação da fer- à distância, enquanto que o ambiente virtual de sa de recursos minerais (e.g., petróleo e carvão Geociências, Departamento de Geologia e Recursos
ramenta proposta. [FAPES, CAPES] aprendizagem foi utilizado para a disponibilização mineral). Como disciplina do ensino superior, é Naturais, Universidade Estadual de Campinas, Cam-
de videoaulas das aulas ministradas, hipertextos, pinas, SP; ³Instituto de Geociências, Departamento de
 ministrada nos cursos de Geologia e Ciências Bio-
Paleontologia e Estratigrafia, Universidade de São Pau-
exercícios, materiais de apoio, bem como exercí- lógicas, no entanto, na maioria das instituições, lo, São Paulo, SP.
ENSINO A DISTÂNCIA INTERINSTITU-
cios a serem entregues por meio da mesma plata- os enfoques dados nessa unidade curricular são os rafael.a.ribeiro@hotmail.com • carolinaz@ige.unicamp.br
CIONAL: UM PROTOCOLO DE ORGANI-
forma para avaliação. Duas tipologias de didática mesmos devido à simples adoção de livros bási- anelli@usp.br
ZAÇÃO E EXECUÇÃO DE MICROPALE-
foram empregadas: aulas teóricas e aulas práticas. cos de Paleontologia Geral, levando muitas vezes
ONTOLOGIA AVANÇADA EM NÍVEL DE
Para isso, foi necessária a criação de uma equipe a uma sobreposição de conteúdos e consequente Os museus são importantes espaços de divulgação
PÓS-GRADUAÇÃO / INTER-INSTITUTIONAL
de profissionais que compuseram dois núcleos: desinteresse por parte dos alunos, o que prejudi- de conhecimentos variados, incluindo os paleon-
DISTANCE EDUCATION: A PROTOCOL FOR ORGANIZA-
o gestor e o executivo. O núcleo gestor, consti- ca o processo de ensino-aprendizagem, além de tológicos. Entretanto, muitas das exposições de
TION AND IMPLEMENTATION OF ADVANCED MICROPA-
tuído pelos coordenadores do curso e tutores de causar prejuízo no desenvolvimento da atividade paleontologia carregam um academicismo muito
LEONTOLOGY AT GRADUATE LEVEL
cada instituição executora, foi responsável pelo profissional no futuro. O objetivo desse trabalho grande, carecendo de uma linguagem mais acessí-
MATHEUS DENEZINE1, AMANDA MOREIRA planejamento e direção das atividades, bem como é apresentar uma proposta de ensino desses con- vel aos não especialistas. Além disso, as estratégias
LEITE 1, DERMEVAL APARECIDO DO CAR- acompanhamento dos discentes durante o curso. teúdos de forma diferenciada para cada um destes utilizadas para divulgação de conteúdos em mu-
MO 1, JULIANA DE MORAES LEME2, LUANA O núcleo executivo, composto por professores e cursos. Neste contexto, propõe-se que a Paleon- seus, em geral, são estudadas após sua concepção e
MORAIS2, RICARDO ARAÚJO3, FELIPE AN- pesquisadores convidados, ministrou aulas, pales- tologia para o Curso de Ciências Biológicas seja apresentação ao público. O presente trabalho traz
TONIO DE LIMA TOLEDO4 tras e orientou atividades práticas. As aulas foram ministrada baseada na história geológica dos orga- um estudo de caso sobre a organização da exposi-
1
Instituto de Geociência, Universidade de Brasília, Bra- ministradas por meio do compartilhamento de nismos no nosso Planeta. Portanto, dando ênfase ção “Dinossauros(?) no IG”, realizada na Universi-
sília, DF; 2Instituto de Geociências, Universidade de apresentações nas diversas extensões, incluindo na origem, irradiação, apogeu, declínio e extin- dade Estadual de Campinas, e seus resultados na
São Paulo, São Paulo, SP; 3Departamento de Ciências da projeções de imagens ao vivo de microscópios. O interação com o público-alvo. O objetivo é apon-
ção dos grupos ao longo do tempo geológico, e
Terra, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universida-
de Nova de Lisboa, Caparica, Portugal; 4Instituto Oce- baixo custo orçamentário e a não necessidade de complementando com aspectos geológicos como tar e discutir algumas das estratégias utilizadas na
anográfico, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP. mobilidade dos participantes envolvidos, salvo em glaciações, eventos tectônicos e outros que provo- exposição que a tornaram um meio eficaz de divul-
matheusdenezine@yahoo.com.br • amandamleite@hotmail.com momentos presenciais como trabalhos de campo, caram mudanças ambientais globais, afetando di- gação de ciências e de paleontologia. A coleta de
derme@unb.br • leme@usp.br • lumoraiss@ymail.com tornam o EAD vantajoso. A colaboração de pes- retamente a biosfera. Já a proposta para o curso de dados consistiu na participação ativa na elaboração
ricardo.araujo@tecnico.ulisboa.pt • ftoledo@usp.br quisadores de diversas instituições propiciou um Geologia tem foco na Paleontologia Estratigráfica, da exposição e acompanhamento após sua abertu-
ambiente diversificado, com ampla discussão so- onde, além de se discutir a história geológica dos ra ao público, observações in loco registradas em
O ensino a distância (EAD) é uma modalidade bre os temas da ementa do curso. Além disso, pos- diário de campo e filmagens. A exposição apresen-
organismos com enfoque bioestratigráfico, devem
alternativa que dispensa a presença física de pro- sibilitou a interação dos alunos com especialistas tava aproximadamente 100 pequenos modelos de
ser trabalhados os conceitos de ecologia, sistemá-
fessores, tutores e alunos durante o processo de de cada subárea da micropaleontologia. dinossauros e outros animais pré-históricos asso-
tica e morfologia dos grupos de organismos, a fim
ensino e aprendizagem. O Ministério da Educação ciados a textos explicativos e ilustrações. Ela foi
 de preencher a carência desses conceitos, inerente
do Brasil regulamenta a modalidade EAD em todo construída com o objetivo de estimular os visitan-
ao curso. Esta proposta visa melhorar o ensino-
o território nacional e determina a obrigatorieda- PROPOSTA DE ENSINO DA UNIDADE tes a dialogar, refletir e aprender sobre os organis-
aprendizagem da Paleontologia nestes cursos e
176 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 177

mos expostos e os fundamentos da paleontologia, a percepção dos princípios biológicos, geológicos APRESENTANDO UM JOGO DE TABU- dos quais 12 avaliaram o jogo como ótimo, oito
além de estimular a interatividade mental (minds e ambientais, promovendo na comunidade infantil LEIRO COMO FERRAMENTA DE ENSINO como bom e cinco alunos não responderam. Não
on). Para isso, as placas associadas às miniaturas uma percepção sobre a história da vida na Terra. DA PALEONTOLOGIA PARA ALUNOS DE houve avaliações regulares ou ruins. Segundo os
propunham questões que desafiavam o visitante Por outro lado, a Paleontologia tem se constituí- GRADUAÇÃO / PRESENTING A BOARD GAME AS A alunos, foi possível relacionar os conhecimentos
do ponto de vista cognitivo e emocional, estimu- do em uma área onde o conhecimento é bastante TOOL FOR PALEONTOLOGY TEACHING TO UNDERGRA- expostos no jogo com aqueles adquiridos em dis-
lando-os a assumir uma postura crítica. Dentre as divulgado ao público leigo, frequentemente de DUATE STUDENT ciplinas anteriores, podendo assimilar melhor a
outras estratégias adotadas, destacam-se: presença forma sensacionalista, e eventualmente sem em- origem e evolução de Insecta. Foi sugerida a re-
RAQUEL SOARES DE MORAES,TAISSA RODRIGUES
de painéis com textos explicativos curtos e/ou basamento consistente. Ensinar Paleontologia na formulação de algumas perguntas, de forma que
Laboratório de Paleontologia, Departamento de Ciên-
perguntas simples; uso reduzido de termos técni- educação básica pode contribuir para um melhor cias Biológicas, Centro de Ciências Humanas e Naturais,
as mesmas sejam mais desafiadoras. Existe a inten-
cos, sendo estes explicados quando usados; uso de discernimento sobre a evolução dos seres vivos na Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES. ção de ministrar o “Paleontologia de Insetos” em
imagens ilustrativas coerentes e complementares Terra, a formação dos fósseis, comparações entre moraesraquel.bio@gmail.com • taissa.rodrigues@ufes.br turmas futuras. [CAPES]
aos textos; organização temática dos modelos ex- espécies extintas e atuais, bem como as mudanças
postos e sua disposição espaçada, de modo a evitar ambientais e da biota durante o tempo geológico Nos últimos anos, a utilização de jogos em sala de 
sobrecarga visual; altura dos mostruários acessí- do planeta. Os Parâmetros Curriculares Nacionais aula tem se destacado por serem uma ferramenta A ABORDAGEM DA PALEONTOLOGIA
veis a diferentes visitantes; auxílio de um monitor, (PCN) e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação descontraída e divertida de aprendizado para alu- NOS TRABALHOS APRESENTADOS NOS
nas visitas agendadas. Fica claro que o processo de Nacional colocam a Paleontologia como um dos nos da educação básica, além de uma opção para ENCONTROS NACIONAIS DE PESQUISA
produção de uma exposição demanda uma cuida- temas em Ciências para o ensino básico brasileiro, a alunos de licenciatura diferentes estratégias no EM ENSINO DE BIOLOGIA
dosa transposição do conhecimento científico, de- resultando em sua inserção em livros didáticos re- ensino de disciplinas distintas, como por exemplo PALEONTOLOGY APPROACH IN ABSTRACTS PRESENTED
vendo ela ser realizado de forma clara, instigante lacionados ao sexto ano da segunda fase do ensino a paleontologia. O material aqui apresentado tra- IN NATIONAL EVENTS OF RESEARCH INTO BIOLOGY
e de acordo com seu público-alvo. A escolha dos fundamental. Considerando que a temática da Pa- ta-se de um jogo de tabuleiro ministrado para alu- TEACHING
objetos e sua expografia representa uma etapa a leontologia está presente no cotidiano de crianças nos do sétimo período de graduação em Ciências
ser definida no início da elaboração do projeto da das fases iniciais através de filmes, desenhos, brin- Biológicas da Universidade Federal do Espírito SAMARA NEIS SCHEIN¹; RUBEN ALEXANDRE BO-
exposição, no qual deve conter também os conte- quedos e imagens, normalmente desconectados Santo, denominado “Paleontologia de Insetos”. O ELTER²
údos a serem abordados e um conjunto de objeti- de dados relevantes e coerentes, o objetivo do tra- material possui um total de 38 casas, cada uma de- ¹Curso de Ciências Biológicas-Licenciatura, Universi-
dade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS; ²La-
vos a serem atingidos. balho realizado foi desenvolver atividades de edu- marcada por uma sigla que representa um período boratório de Paleontologia, Universidade Federal da
cação não formal com a temática da Paleontologia geológico, cinco peões circulares com cores dife- Fronteira Sul, Cerro Largo, RS.

para crianças da fase inicial do ensino fundamental rentes, e 23 cartões com perguntas e curiosidades samara6schein@gmail.com • ruben.boelter@uffs.edu.br
ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO NÃO FOR- visando iniciar a percepção sobre a evolução da (relacionadas às principais ordens de hexápodes,
MAL NO ENSINO DE PALEONTOLOGIA vida na Terra e sobre as questões que envolvem o além de conter curiosidades sobre o grupo). De- A paleontologia é a ciência que investiga os seres do
EM AÇÕES DE EXTENSÃO COM CRIAN- tempo profundo. A metodologia utilizada consis- zoito casas do tabuleiro são especiais, algumas pos- passado e compreende questões amplas de diversas
ÇAS DO ENSINO FUNDAMENTAL / NON- tiu no desenvolvimento de atividades organizadas suem figuras que indicam eventos na evolução do áreas. No sentido “stricto sensu” ela ainda é muito
FORMAL TEACHING ACTIVITIES ABOUT PALEONTOLO- através do viés do lúdico e implementadas em si- grupo, como a colonização do ambiente terrestre pouco abordada e não faz parte do currículo formal
GY IN EXTENSION ACTIONS WITH CHILDREN OF ELE- tuações de programas de extensão desenvolvidos e o surgimento das principais ordens, possuindo no ensino básico, sendo trabalhada de forma sucinta e
MENTARY SCHOOLS por alunos do curso de graduação em Biologia. O ações de avanço, recuo ou paralisação do jogador. pontual nas aulas de ciências e/ou biologia e, quando
interesse e a participação espontânea do público Há também casas com pontos de interrogação, abordada apresenta-se de forma tradicional e conteu-
MAIRA BARBERI, RAMON CARLOS ARAUJO SO- infantil evidenciou que ações de educação não for- que indicam se o jogador deve comprar uma carta dista. O objetivo principal do estudo foi de analisar os
ARES, JOÃO VICTOR MORAES CAMARGO, WA- mal, com temáticas não presentes cotidianamente de pergunta, com avanço de uma casa para res- artigos que abordam o Ensino de Paleontologia publi-
NDERSON HENRYK RODRIGUES DE ALMEIDA, no programa da educação básica, são ferramentas postas corretas e recuo para respostas incorretas. cados nas edições do Encontro Nacional do ensino de
HAYLLA APARECIDA OLIVEIRA SANTOS eficientes para a formação extracurricular, auxi- Vence aquele jogador que chegar ao “fim” primei- Biologia (ENEBIO). Os artigos analisados estão publi-
liando no entendimento de processos naturais ro. As instruções aqui descritas estão impressas na cados na Revista de Ensino de Biologia da Associação
¹Laboratorio de Paleoecologia/PUC-Goiás, Cam- complexos, na vinculação de ensino tradicional parte inferior do tabuleiro, assim como a legenda Brasileira de Ensino de Biologia (SBEnBio) entre os
pus 2, Goiânia, GO. com práticas não formais, e no esclarecimento e para os períodos de tempo. O software utilizado anos de 2007 a 2016. Para a busca dos trabalhos com o
barberimaira@gmail.com • ramoncasoares2@gmail.com aproximação com conhecimentos científicos, des- para confecção do tabuleiro foi a ferramenta gra- referido tema usamos o localizador no software Adobe
joaovictorcamargo@hotmail.com
wanderson.tecaalimento@hotmail.com pertando no público alvo novos interesses que au- tuita CANVA. O material foi ministrado em uma Acrobat Reader no documento por meio dos seguin-
hayllasantos.hs@gmail.com xiliam também na formação de cidadãos críticos e turma de 25 alunos divididos em grupos de cinco tes termos: fósseis, paleontologia, tempo geológico,
atuantes na sociedade. integrantes, com duração média de 25 minutos animais extintos, evolução, pré-história. Essa análise
Divulgar e ensinar os saberes sobre a Paleontologia para cada grupo. Ao final do período letivo, uma foi do tipo documental, qualitativa e usamos três ca-
na educação básica é de extrema importância para 
enquete de satisfação foi entregue aos estudantes, tegorias de concepções de ensino: técnica, prática e
178 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 179

critica/emancipatória. A “técnica” é aquela que movi- de 2012 até o ano 2018. A pesquisa foi qualitati- MUSEUS EM FESTA: O ENSINO DE PALE- e ensinou as crianças a desenhar a mascote do
menta os seres humanos para adquirir conhecimentos va em educação, de caráter documental, buscan- ONTOLOGIA POR MEIO DE OFICINAS Museu, que representa um Titanossauro, seguida
que levam ao controle técnico dos objetos naturais. do trabalhos voltados na área de ensino com uma CRIATIVAS / MUSEUMS ON PARTY: PALEONTOLO- de pintura com giz em um quadro negro cons-
Ela é tipicamente instrumental, na forma de explica- abordagem educacional em paleontologia identi- GY TEACHING THROUGH CREATIVEWORKSHOPS truído no espaço destinado à ação educativa do
ções científicas e supostamente “desinteressada”. Já a ficando metodologias no ensino de Ciências. Para museu; c) Oficina de “Dinoargila”, em que um
SANDRA AP. SIMIONATO TAVARES1, APARECIDA
concepção prática gera um conhecimento de natureza tanto, utilizamos as seguintes concepções: Técni- artista plástico instruiu as crianças a modelar um
DE LOURDES ALVES CONSTÂNCIO2, FERNANDA
interpretativa, capaz de informar e orientar o juízo co, Prático e emancipatório/Crítico. A concepção titanossaurídeo em argila, a fim de ensinar as ca-
CRISTINA MIRANDA1, HELLEN OLYMPIA DA RO-
prático. A concepção crítica/emancipatória investe na prática é aquela que movimenta os seres humanos racterísticas morfológicas deste dinossauro que
CHA TAVARES1
possibilidade de superar a limitação dos significados para adquirir conhecimentos que levam ao con- viveu em Monte Alto. As oficinas tiveram grande
1
Museu de Paleontologia de Monte Alto “Prof. Antonio
subjetivos em direção a um saber emancipador cujo trole técnico dos objetos naturais. A “técnica” é ti- Celso de Arruda Campos, Monte Alto, SP; 2Secretaria
adesão da população e permitiram transmitir ao
marco de referência objetivo permite a comunicação picamente instrumental, na forma de explicações de Turismo e Cultura, Prefeitura de Monte Alto, SP. público leigo os temas científicos de uma manei-
e a ação social, mediante processos reflexivos. De um científicas e supostamente “desinteressado”. A sandraastavares@gmail.com • cidaconstancio83@hotmail.com ra prática, experimental e interativa. O lúdico,
total de 1.265 trabalhos publicados, apenas cinco re- concepção prática gera um conhecimento de na- fernandacreis@bol.com.br • hellentav@gmail.com portanto, possibilitou o ensino da Paleontologia
sumos estavam relacionados a área de Paleontologia. tureza interpretativa, capaz de informar e orientar de maneira divertida, dinâmica e acessível, esti-
Nessa perspectiva, podemos inferir que a investigação o juízo prático. A concepção crítica/emancipató- Os museus científicos possuem, dentre muitos mulando as interações sociais dentro do Museu.
no ensino de ciências com viés paleontológico e/ou ria investe na possibilidade de superar a limitação papéis, a função de transmitir o conhecimento e
estabelecer o contato entre as ciências e o públi- 
evolutivo ainda se faz pouco presente ou não estão dos significados subjetivos em direção a um saber
sendo publicizadas no evento analisado. Quanto às emancipador cujo marco de referência objetivo co em geral. O Museu de Paleontologia de Mon- LIVROS DIGITAIS DE ACESSO LIVRE SO-
concepções obtivemos três trabalhos do tipo técnica e permite a comunicação e a ação social, mediante te Alto “Prof. Antonio Celso de Arruda Campos”, BRE FORAMINÍFEROS / FREE E-BOOKS ON
dois práticos e nenhuma do tipo crítica/emancipató- processos reflexivos. Os trabalhos também foram localizado em Monte Alto, estado de São Paulo, FORAMINIFERS
ria. Nesse sentido, percebemos que os trabalhos aqui classificados por regiões brasileiras. Foram analisa- Brasil, no mês de julho de 2019, ofertou três
SANDRO MONTICELLI PETRÓ
analisados são pautados em uma perspectiva técnico/ dos 171 resumos e a região com maior número de oficinas criativas ao público como possibilidade
e estratégia de educação não-formal no campo Programa de Pós-Graduação em Geociências, Instituto
prático. A Paleontologia pode ter um papel importan- trabalhos foi a sudeste com 69 resumos, seguida de Geociências, Laboratório de Microfósseis Calcários,
te na prática educativa articulada aos contextos vigen- do nordeste com 56, sul com 28, norte com 11 e da Paleontologia e das Geociências, empregan- Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Ale-
tes na sociedade, promovendo a construção de uma por fim centro-oeste com apenas 5 trabalhos. De do práticas pedagógicas mais significativas para gre, RS.
sociedade crítica/coletiva. [*Programa de Residência acordo com esses resultados, a região sudeste foi o ensino/aprendizagem de Ciências, que enfati- sandro.m.petro@gmail.com
Pedagógica/CAPES] a que mais se destacou em trabalhos visando o en- zam o lúdico e a criatividade. As Oficinas foram
sino na área de paleontologia e geologia. Isso pro- aplicadas dentro do evento chamado “Museus em O estudo dos foraminíferos tem um grande des-
 Festa”, organizado pela Prefeitura Municipal, em taque nas geociências, com aplicação em subá-
vavelmente pode estar ligado ao número elevado
A INSERÇÃO DO ENSINO EM EVENTOS de investigadores na área, como também o grande comemoração ao aniversário de criação da insti- reas como bioestratigrafia, paleoceanografia,
DE PALEONTOLOGIA NO BRASIL / THE número instituições de ensino superior, além de tuição. Foram atingidas cerca de duzentas (200) paleoclimatologia, paleogeografia e paleoecolo-
INSERTION OF TEACHING IN PALEONTOLOGY EVENTS o sudeste possuir muitos acervos paleontológicos crianças, entre três e doze anos, além de ado- gia. O primeiro contato de estudantes com este
IN BRAZIL (e.g. museus e coleções). Após a análise por meio lescentes e adultos moradores do município e da tema ocorre geralmente em cursos de gradua-
das concepções 127 resumos foram categorizados região. As oficinas dividiram-se em dois finais de ção (biologia, geologia e oceanografia), onde a
LIANDRA DOS SANTOS ANTONINI1*, LUCAS
como Técnicos, 32 como Práticos e 12 resumos semana, e as ações consistiram em: a) Contação maioria da bibliografia disponível está em inglês
CABRAL SILVA RENTZ1**, RUBEN ALEXANDRE
como Emancipatórios/Críticos. Percebemos em de História utilizando a Dinocaixa uma “caixa de e, geralmente, não é de acesso livre. Assim, o
BOELTER2
nossos resultados que os trabalhos analisados apre- histórias”, construída com papelão e feltro, em objetivo deste trabalho é divulgar duas pequenas
1
Curso de Ciências Biológicas-Licenciatura, Universi- sentam uma concepção prático/técnico, refletin- que quatro etapas do processo de fossilização são contribuições sobre o estudo de foraminíferos,
dade Federal da Fronteira Sul, Cerro Largo, RS; 2La- explicadas. Para ensinar sobre diversas espécies redigidas na língua portuguesa e disponibiliza-
boratório de Paleontologia, Universidade Federal da do um viés tradicional no ensino da Paleontologia.
Fronteira Sul, Cerro Largo, RS. Acreditamos que nossos resultados possam ser de dinossauros, principalmente as que viveram das gratuitamente em formato digital. Os dois
usados como subsídios para estudos e processos em Monte Alto, foram utilizados palitoches que livros foram elaborados baseados na literatura
liandraantonini@gmail.com • lucascsrentz@hotmail.com
ruben.boelter@uffs.edu.br de formação inicial e continuada de professores saíam de dentro da Dinocaixa. Em seguida foi disponível, com as referências devidamente cita-
de Ciências, Biologia, bem como da graduação, no aplicada a Oficina Criativa de “Jogo da Memó- das, e publicados de forma independente, com
A pesquisa em questão baseia-se em uma análise intuito de contribuir no (re) pensar as concepções ria”, em que as crianças pintaram cartões com obtenção de ISBN via Biblioteca Instituto de Ge-
exploratória e descritiva de trabalhos dos eventos voltadas ao Ensino de Paleontologia e áreas fins. espécies de Dinossauros mostrados durante a ociências – UFRGS. O primeiro deles, intitulado
(Simpósios e Congressos) e o Boletim “Paleonto- [*Programa de Residência Pedagógica/CAPES, contação de história; b) Oficina “Desenhando Introdução ao estudo dos foraminíferos (ISBN: 978-
logia em Destaque” disponíveis no site Sociedade **
PIBID/CAPES] Dinossauros”, onde um paleoartista explicou 85-61424-70-1), aborda aspectos gerais, desde
Brasileira de Paleontologia. Analisamos trabalhos  como reconstruir um animal através do seu fóssil o histórico da pesquisa, passando pelo ciclo de
180 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 181

vida dos foraminíferos, técnicas de preparação pesquisa e salvamento de fósseis e atividades de Laboratório de Paleontologia, Departamento de Ciên- a graduação em Ciências Biológicas, a maioria fi-
de amostras, critérios de classificação (tipo de educação paleontológica nos municípios da re- cias Biológicas, Centro de Ciências Humanas e Naturais, naliza sua formação com pós-graduação na área
Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, ES.
parede e composição e morfologia da carapaça) gião de influência da Ferrovia de Integração Oes- de Geociências.
e as aplicações. Em relação à paleoceanografia te-Leste. No que tange à difusão da Paleontolo- paulahelo56@gmail.com • taissa.rodrigues@ufes.br

e paleoecologia, são abordados tópicos como gia, entre os dias 27 e 31 de maio de 2019, foram A Sociedade Brasileira de Paleontologia (SBP)
as variáveis físicas, químicas e biológicas, além realizadas oficinas sobre noções de Geologia e ANÁLISE DA PARTICIPAÇÃO E PERFIL
é uma associação científica, sem fins lucrativos,
da distribuição de foraminíferos planctônicos e Paleontologia, tempo geológico, história geoló- DOS PARTICIPANTES DO “PROTEU: PRO-
fundada em março de 1958. Ela atualmente tem
bentônicos (assim como a razão entre foraminí- gica e registros fósseis da região (inclusive aque- GRAMA DE TREINAMENTO DE ESTU-
684 associados, que possuem uma formação di-
feros bentônicos e planctônicos). Quanto à bio- les resgatados/descobertos pelo projeto nos can- DANTES UNIVERSITÁRIOS”, UFTM, UBE-
versa. O objetivo do presente trabalho foi esta-
estratigrafia, são destacados os principais grupos teiros de obras da FIOL) para docentes do ensino RABA (MG)
belecer o perfil do paleontólogo no Brasil com
existentes nos diferentes períodos geológicos. O básico em Colégios da Rede Pública Estadual de base na sua formação acadêmica. Dados foram
PROFILE OF PARTICIPANTS OF THE “PROTEU: PROGRA-
segundo livro, intitulado Guia para classificação Ensino Básico da Bahia situados nos municípios coletados até o mês de julho de 2019 na página
MA DE TREINAMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁ-
de foraminíferos planctônicos recentes (ISBN: 978- de São Félix do Coribe, Santa Maria da Vitória e da SBP, na aba “Lista de associados”. Foi gerado
RIOS”, UFTM, UBERABA (MG)
85-61424-72-5), destaca os principais critérios São Desidério. Durante o curso, também foram um banco de dados que contém os cursos de gra- TAMIRIS MORILLA, DAVID ALVES PEREIRA, MA-
morfológicos para a identificação e classificação realizadas atividades com jogos educativos sobre duação e de pós-graduação de cada associado e RIA CLARA SILVA BORGES, VINICIUS CORA-
dos foraminíferos planctônicos modernos. A par- a História da Terra e um método para a elabora- os respectivos locais em que foram realizados. DELLO LOURENÇO, THIAGO DA SILVA MARI-
te principal deste livro consiste em um catálogo ção de modelos tridimensionais de plantas extin- Os cursos foram classificados com base na tabe- NHO
contendo imagens autorais em microscopia ele- tas para a abordagem da conquista do ambiente la de áreas de conhecimento do Cnpq. Dentre Centro de Pesquisas Paleontológicas L. I. Price, Com-
trônica de varredura (MEV), desenhos e a des- terrestre. Dos 25 inscritos, 21 participaram do os associados, 631 apresentam dados referentes plexo Cultural e Científico Peirópolis, Pró-Reitoria de
crição (traduzida) das feições morfológicas das curso, sendo que todos lecionam em mais de uma à sua formação acadêmica, e os demais ou não Extensão Universitária e Departamento de Ciências
carapaças. Ambos os livros digitais em formato unidade de ensino (redes municipal, estadual e possuem graduação e/ou pós-graduação, ou Biológicas, Instituto de Ciências Exatas, Naturais e
PDF estão disponíveis na página www.ufrgs. particular) e, às vezes, em mais de um município, Educação, Universidade Federal do Triângulo Mineiro,
não apresentam perfil na plataforma Lattes. Dos Uberaba, MG.
br/microfosseis (>> publicações >> livros di- de modo que sua capacidade de atuar como mul- primeiros, 68% (n = 427) possui graduação em
gitais), sendo de livre acesso, impressão e dis- tiplicadores destas informações ultrapassa muito andamento ou concluída em cursos da grande O PROTEU (Programa de Treinamento de Es-
tribuição. Estas publicações são recomendadas este quantitativo. Além disso, a maioria dos do- área de Ciências Biológicas (Ciências, Ciências tudantes Universitários) surgiu no final da déca-
tanto para pesquisas acadêmicas de graduação, centes não teve aulas de Geologia ou Paleontolo- Biológicas, Ciências Ambientais, Ecologia e Zo- da de 1990, por uma iniciativa do então diretor
como para um primeiro contato de bolsistas e gia na graduação e, por isso, consideraram a ofici- ologia), e 21% (n = 134) em cursos na grande do Museu dos Dinossauros, que visou um curso
estagiários iniciantes na paleomicrontologia e fo- na importante complemento à sua formação. Ao área de Geociências (Geociências, Geologia, Ci- onde os participantes, sendo estes graduandos
raminiferologia. [PNPD CAPES; IODP-CAPES final do curso, foi entregue aos professores uma ências geológicas e Engenharia geológica), duas dos cursos de geologia, biologia e geografia; pu-
88887.091727/2014-01] cartilha sobre os temas discutidos na oficina; um pessoas fizeram graduação em ambas grandes dessem aprofundar seus conhecimentos teóricos
kit com 27 réplicas de fósseis (dos resgatados/ áreas de conhecimento, do restante 11% (n=68) e práticos sobre paleontologia e geologia nacional

descobertos pelo projeto e outros de interesse realizaram graduação em outros cursos, como e regional de Uberaba (MG). Assim, o programa
FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA EN- didático) acompanhado de um folder explicati- por exemplo História, Arqueologia, Medicina, proporciona uma imersão em atividades de esca-
SINO DE GEOLOGIA E PALEONTOLOGIA vo; e os certificados de participação. Também fo- Museologia, Oceanografia e Química. Quanto vação, preparação, e técnicas relacionadas a pro-
EM MUNICÍPIOS DA FERROVIA DE INTE- ram doados conjuntos extras das cartilhas e kits aos cursos de pós-graduação, 524 (82%) asso- fissão de paleontólogo. Desta forma, atua como
GRAÇÃO OESTE-LESTE / TEACHER TRAINING para as unidades de ensino nas quais os docentes ciados possuem mestrado, dos quais 25% em diferencial para os participantes pois estes mani-
FOR GEOLOGY AND PALEONTOLOGY TEACHING IN CI- lecionam, ampliando, desta forma, a possibili- cursos da grande área de Ciências Biológicas (n festam interesse em fazer pós-graduação na área.
TIES OF THEWEST-EAST INTEGRATION RAILWAY dade de difusão destes conhecimentos. [Termo = 132), e 69% em Geociências (n = 359), e 33 Considerando a importância e renome nacional
de Cooperação para Descentralização de Crédi- (6%) pessoas realizaram mestrado em cursos de que o programa obteve, o presente trabalho tem
SIMONE SOUZA DE MORAES, JULIANA MARUYA-
to Nº 002/2013 firmado entre a VALEC Enge- outras grandes áreas. Por fim, dos 428 associa- como objetivo analisar o perfil dos participantes
MA, FELIPE DE SENA DIAS URPIA
nharia, Construções e Ferrovias S.A. e a UFRB] dos que possuem doutorado, 102 (24%) reali- e comparar os dados das primeiras e últimas edi-
Instituto de Geociências, Universidade Federal da
Bahia, Salvador, BA.  zam cursos na área de Ciências Biológicas e 304 ções. Foi feito um levantamento dos nomes dos
(71%), na área de Geociências, 22 (5%) pessoas participantes das edições, seguido de uma separa-
smoraes@ufba.br • july.maru@hotmail.com O PERFIL ACADÊMICO DO PALEONTÓ-
urpia.felipe@gmail.com fizeram o doutorado em cursos de outras áreas. ção destes em dois grupos (homens e mulheres) e
LOGO NO BRASIL / THE ACADEMIC PROFILE OF
Há também pesquisadores que realizaram o dou- posteriormente a contabilização. Não foi possível
BRAZILIAN PALEONTOLOGISTS
O Projeto FIOL: Salvamento Paleontológico torado no exterior, em países como Alemanha, obter o número exato de participantes devido à
é desenvolvido pela UFRB em parceria com a PAULA HELOÍSA SANTANA RESENDE, TAISSA RO- Inglaterra, Suécia e França. Portanto, apesar da perda de alguns documentos das primeiras edi-
UFBA, UEFS e UESB com o objetivo de realizar DRIGUES maioria dos paleontólogos brasileiros possuírem ções, portanto foram analisados os documentos
182 Boletim de Resumos  XXVI Congresso Brasileiro de Paleontologia Sessão temática  Saberes: Ensino de Paleontologia 183

das edições que ocorreram de 2002 até 2019, amandamaria.amr14@gmail.com integre a realidade do município de Angatuba e articulação da UFSCar- Sorocaba junto ao Gru-
mas ainda neste período houveram anos em que mirella_rochel28@hotmail.com • biantunes1@gmail.com suas potencialidades, norteando a sequência de po Eco Road, que em janeiro de 2018 na Estação
heloisamarques0411@gmail.com • guipopts@gmail.com
o programa não ocorreu. Assim, o programa teve trabalho em prol ao Geoparque Angatuba. Ecológica de Angatuba e Guareí, iniciaram-se os
gufoal@ufscar.br • lt_pereira@yahoo.com.br
92 participantes, destes 53 foram mulheres e 39 forancelli.ufscar@gmail.com trabalhos mais técnicos nessa área, como a capa-

foram homens. Apesar da análise total mostrar que citação de monitores de Educação Ambiental que
o número de mulheres é superior ao de homens, O I Encontro Aberto de Paleontologia de An- MOBILIZAÇÃO SOCIAL PARA IMPLE- atendem os estudantes do ensino fundamental e
isto muda ao comparar as pr