Você está na página 1de 63

COLETA E REMESSA DE

MATERIAL
PARA EXAME LABORATORIAL
AVICULTURA

Disciplina Medicina de Aves


Importância da coleta
adequada
Otimizar o recurso!

•Tempo e $$$

Reciclagem de conhecimento;

Prevenção e Rapidez na tomada de


decisões.
• Objetivo:

• Auxiliar o veterinário
de campo na
tomada de decisões;

Exame • Diminuir perdas;


Laboratorial • Saúde Pública –
carne de qualidade!
• Depende:

• Coleta e remessa
adequada;

Exame • Histórico completo;


Laboratorial • Suspeita clínica;

• Confiança!!!
Sintomatologia;

Idade;

Qual Lesões macroscópicas


(necropsia);
exame é
melhor? Patogenia e patologia;

Histórico da granja e
região (epidemiologia);
• Vacinações;
• Monitorias.
EXAME LABORATORIAL
Kit Coleta e Necropsia
FICHA DE
REMESSA
Ficha de Remessa
• Histórico do lote
– Suspeita;
– Vacinações (quando?);
– Sinais clínicos (início?);
– Padrão de mortalidade (agudo/crônico)
– Modificações de manejo
(cama/aspergilose)
– Coletada aves recém sacrificadas;
– Tratamento.
• Bacteriológico;
• Micológico;
• Sorológico;
Exames • Parasitológico
Laboratoriais (prot./helm./ácaro/piolho)
• Biologia Molecular;
em • Físico-químico e bromatológico
Avicultura (resíduos, água e micotoxinas);
• Histopatológico;
• Virológico.
Bacteriologia
• Isolamento bacteriológico geral;
• Isolamento seletivo/específico;
• Contagens (entero, totais, etc);
• Antibiograma;
• Água;
• Eficiência de produtos (desinfetantes...);
• Sorotipificação;
• Monitoramento ambiental.
Bacteriologia
• Coleta
– Órgãos/tecidos refrigerados ou congelados;
– 5 a 9 aves/lote; (representativo e sacrificadas)
– Tempo de coleta/envio (água...);
– Vacinas (refrigeração);
– Inocuidade (embalagem original);
– Amostra representativa;
– Material de coleta estéril.
Bacteriologia
• Ficha remessa:
– sintomatologia;
– suspeita clínica;
– histórico do lote (vacinações, doenças,
etc...);
– lesões macroscópicas;
– Tratamento!!!
Bacteriologia
• Remessa:
– Refrigeração até 48 horas;
– Após 48 horas congelar (diminui
efetividade do teste);
– Acondicionamento (não enviar com gelo
em escama – contaminação);
– Identificação da amostra.
Bacteriologia
• Swabs (avós e matrizes)
– 20 aves/lote no mesmo recipiente;
– Salmonella 50 swabs, 1 para 2 aves, total 100.
Bacteriologia
• Órgãos – fígado/pulmão/intestino...:
– 5 aves lote – 3 doentes e 2 sadias;
Bacteriologia
Bacteriologia

• Galpão
– gaze/esponja estéril;
– swab de arrasto;
– pro pé estéril.

– Colocar na água
peptonada/bolsa/frasco estéril.
– Refrigerado.
Bacteriologia
Bacteriologia
Bacteriologia
• Mecônio
– 50 ml/núcleo de reprodutora não vacinada
– 200 pintos reprodutora vacinada (1
nascimento)
– Colher no incubatório;
– Pote/bolsa estéril.
Bacteriologia
Bacteriologia

• Fundo de caixa
– 1 swab/2 caixas.
– Mínimo 4 caixas lote (água peptonada);

– Fundos de no mínimo 4 caixas por lote


no mesmo recipiente.
BACTERIOLOGIA
Bacteriologia
• Ovo Bicado
– Incubatório;
– 20 ovos – reprodutoras não vacinadas;
– 150 ovos do 1 nascimento – rep.
vacinadas
– saco estéril
Bacteriologia
Bacteriologia

• Fezes frescas 1 pool de 100 amostras


lote no mesmo recipiente;

• 50 – 100 g por lote;

• Bolsa ou frasco estéril;


Bacteriologia
Bacteriologia

• Água

a) Quantidade: 100 a 200 ml


b) Transporte: refrigerado
c) Condição coleta: frasco estéril e refrigerar
imediatamente
Bacteriologia
Micológico

• Ambiente;
• Maravalha;
• Pulmão e SNC.
Plaqueamento Ambiente

• Determinar até que ponto a contaminação


ambiental interfere na saúde e no lote

• Verificar se as mudanças introduzidas alteram a


qualidade do ambiente.
Plaqueamento Ambiente
• exposição sempre no mesmo local;
• expor durante mesmas atividades;
• manter tempo fixo.
• A análise é feita comparativamente com exposições
anteriores
• Pode-se avaliar diferentes momentos de
atividade/produção.
COLETA
DE
SANGUE
COLETA DE SANGUE
COLETA DE SANGUE
COLETA DE SANGUE
• Cuidados
• Hemólise e contaminação
• Temp. ambiente/refrigeração/congelamento.
• Número amostras representativos
• Quantidade de soro necessária (0,5 ml)
• Detectar infecção no plantel;
• Avaliar imunidade maternal;
• Desenhar e comparar programas
de vacina;
• Comparar diferentes vacinas no
mesmo programa;

Sorologia • Avaliar imunocompetência da ave ;


• Avaliar biosseguridade,
desinfecção (desafios);
• Satisfazer requisitos para
venda/exportação;
• Identificar formas subclínicas;
• Estabelecer perfil sorológico.
Aglutinação rápida em placa

•20 a 30 soros/lote

Inibição da hemaglutinação

Sorologia •20 a 30 soros/lote

ELISA

•20 a 30 soros/lote
•MS e SP 100 soros/lote;
•MG 150-300 soros/lote.
Anticorpos de surtos de campo e
de vacinas não são
diferenciados.

Armazenagem Soro
Sorologia até 7 dias – refrigeração
> 7 dias – congelamento

Turbidez = gordura ou
contaminação bacteriana
Amostragem
• 5 a 10 aves por lote/aviário
• ou 30 a 50 bolos fecais.
Coleta
Parasitológico • necropsia ou ambiente.

Envio
• refrigerado.

Ficha de remessa.
PARASITOLÓGICO
PARASITOLÓGICO
Biologia • DNA;
• Vacina viva;
Molecular • Inibidores;
• Positivo/Negativo;
• Critérios
– Sintomatologia?
– Suspeita?
– CUIDADO!!!!!
Biologia • Amostragem
– Diagnóstico pool 30 aves;
Molecular – Monitoramento – pool 100 aves;
• Refrigerado ou congelado;
• Swabs;
• Vísceras.
• FICHA DE REMESSA.
– Vacinações.
• Swabs (avós e matrizes)
Biologia – 20 aves/lote no mesmo
recipiente;
Molecular – Salmonela (30 swabs 30 aves 3
recipientes)
RAÇÃO
– Físico-químico;
– Micotoxinas.
Outras •Coleta aleatória de vários
pontos do galpão.
Análises •Positivo - ok
•Negativo????
OUTRAS ANÁLISES - RAÇÃO
ÁGUA
• Coleta para análise
fisicoquímica:

a) Quantidade: 1 a 3 litros

Outras b) Transporte: refrigerado


c) Condição coleta: frasco
análises limpo/estéril

Obs.: pH, ideal medir na


origem (fita)
Histopatologia
Fixação clivagem
coleta lab. histotec.
1-2 d

coloração
blocos microtomia montagem
1d 1d

4 a 6 dias úteis
Histopatologia
• 5-9 aves recém-sacrificadas;
• Aves doentes e sadias;
• Vários órgãos
Histopatologia

• Fixação;

– Formalina a 10%

•100 ml formol 37-40%


•900 ml de água.
CUIDADOS NA COLETA
Histopatologia • Volume de formol até 10x
Caixa de isopor;

Pote bem fechado;

Papel absorvente;
Histopatologia

Ficha de coleta e remessa.

Não enviar na mesma caixa material


para outros exames!!!!
Referências Bibliográficas
• KOERICH, P.K.V. ; ZUFFO, J.P. ; BACK, ALBERTO ; PEREIRA, R. A. . GUIA DE COLETA E
ENVIO DE MATERIAIS PARA DIAGNÓSTICO LABORATORIAL. VIDEIRA - SC: NEWS PRINT
GRÁFICA E EDITORA LTDA, 197 P., 2009.

• MANUAL VETERINÁRIO DE COLHEITA E ENVIO DE AMOSTRAS: MANUAL TÉCNICO.


COOPERAÇÃO TÉCNICA MAPA/OPASPANAFTOSA PARA O FORTALECIMENTO DOS
PROGRAMAS DE SAÚDE ANIMAL DO BRASIL. RIO DE JANEIRO:PANAFTOSA OPAS/OMS,
218 P., 2010.

• MANUAL DE LEGISLAÇÃO – PROGRAMAS NACIONAIS DE SAÚDE ANIMAO DO BRASIL –


MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, SECRETARIA DE DEFESA
AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE SAÚDE ANIMAL, BRASILIA/DF, 440P., 2009.

Você também pode gostar