Você está na página 1de 8

MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A.

CNPJ/ME nº 08.343.492/0001-20
NIRE 31.300.023.907
Companhia Aberta

FATO RELEVANTE

Belo Horizonte, 20 de março de 2020 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. (“Companhia” ou “MRV”), nos
termos do art. 157, §4º da Lei nº 6.404/76, conforme alterada (“Lei das Sociedades por Ações”), e da Instrução CVM
n° 358/02, comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que o Conselho de Administração da Companhia, em
reunião realizada no dia 16 de março de 2020, aprovou programa de recompra de ações, em conformidade com o
disposto na Instrução CVM nº 567/15.

As informações contidas no Anexo 30-XXXVI da Instrução CVM nº 480, referente aos detalhes do programa de
recompra de ações, constam no Anexo I.

Caberá à Diretoria da Companhia definir, respeitando os limites e características deliberadas pelo Conselho de
Administração e estabelecidos pela legislação vigente, o momento mais oportuno para executar o programa de
recompras, bem como quantas ações serão eventualmente recompradas.

Belo Horizonte, 20 de março de 2020

Ricardo Paixão Pinto Rodrigues


Diretor Executivo de Finanças e de Relações com Investidores
ANEXO I DA ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO
REALIZADA EM 16 DE MARÇO DE 2020

APROVAÇÃO DE PROGRAMA DE RECOMPRA

A MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. (“Companhia”), em atendimento ao disposto no art. 30, inciso XXXVI, da
Instrução CVM nº 480, de 07 de dezembro de 2009, conforme alterada, comunica aos seus acionistas e ao mercado
em geral, que o Conselho de Administração da Companhia aprovou, em reunião realizada em 16 de março de 2020,
um programa de recompra de ações, nos moldes que seguem abaixo:

1. Justificar pormenorizadamente o objetivo e os efeitos econômicos esperados da operação;


As ações da Companhia adquiridas no âmbito do programa de recompra de ações serão mantidas em
tesouraria com o objetivo de maximizar a geração de valor para os acionistas da Companhia, podendo ser
posteriormente canceladas, alienadas e/ou utilizadas em atendimento ao exercício de opções de compra de
ações outorgadas pela Companhia.

2. Informar as quantidades de ações (i) em circulação e (ii) já mantidas em tesouraria;


A quantidade de ações em circulação é de 293.845.542 (duzentos e noventa e três milhões, oitocentos e
quarenta e cinco mil, quinhentos e quarenta e duas ações) e, nesta data, há 1.348 (mil trezentos e quarenta e
oito ações) mantidas em tesouraria.

3. Informar a quantidade de ações que poderão ser adquiridas ou alienadas;


Poderão ser adquiridas até, no máximo, 15.000.000 (quinze milhões) de ações no contexto deste programa.

4. Descrever as principais características dos instrumentos derivativos que a companhia vier a utilizar, se
houver;
A Companhia não utilizará instrumentos derivativos no âmbito da Recompra.

5. Descrever, se houver, eventuais acordos ou orientações de voto existentes entre a companhia e a


contraparte das operações;
Não existem acordos ou orientações de voto existentes entre a Companhia e a contraparte das operações.

6. Na hipótese de operações cursadas fora de mercados organizados de valores mobiliários, informar:


a. o preço máximo (mínimo) pelo qual as ações serão adquiridas (alienadas); e
Todas as aquisições no âmbito da Recompra serão realizadas em mercados de bolsa de valores a preço
de mercado. As ações que eventualmente venham a ser utilizadas no âmbito dos Planos de Outorga
de Opções de Compra da Companhia poderão ser transferidas às pessoas elegíveis aos planos fora de
mercados organizados.
b. se for o caso, as razões que justificam a realização da operação a preços mais de 10% (dez por cento)
superiores, no caso de aquisição, ou mais de 10% (dez por cento) inferiores, no caso de alienação, à
média da cotação, ponderada pelo volume, nos 10 (dez) pregões anteriores;
A eventual alienação das ações adquiridas no âmbito da Recompra em preço inferior à média da
cotação poderá ocorrer na hipótese de transferências destinadas aos beneficiários dos Planos de
Outorga de Opções de Compra da Companhia, os quais foram devidamente aprovados em assembleia
geral e contêm os parâmetros de cálculo do preço de exercício das opções.
7. Informar, se houver, os impactos que a negociação terá sobre a composição do controle acionário ou da
estrutura administrativa da sociedade;
A Companhia não visualiza impactos relevantes que as negociações ocorridas no âmbito da Recompra possam
provocar sobre a composição do controle acionário ou de sua estrutura administrativa, uma vez que a
Companhia possui um bloco de controle definido.

8. Identificar as contrapartes, se conhecidas, e, em se tratando de parte relacionada à companhia, tal como


definida pelas regras contábeis que tratam desse assunto, fornecer ainda as informações exigidas pelo art.
8º da Instrução CVM nº 481, de 17 de dezembro de 2009;
Todas as aquisições no âmbito da Recompra serão realizadas em mercados de bolsa de valores, sendo
impossível a Companhia identificar a contraparte dessas operações. As ações adquiridas na Recompra e
eventualmente utilizadas no âmbito dos Planos de Outorga de Opções de serão transferidas para quaisquer
das pessoas elegíveis no âmbito dos referidos Planos.

9. Indicar a destinação dos recursos auferidos, se for o caso;


As ações adquiridas no âmbito da Recompra serão mantidas em tesouraria, canceladas ou recolocadas no
mercado, ou, ainda, destinada aos Planos de Outorga de Opções de Ações ou a outros planos que venham a
ser aprovados pela Assembleia Geral da Companhia.

10. Indicar o prazo máximo para a liquidação das operações autorizadas;


O prazo máximo de liquidação das operações autorizadas é de 18 (dezoito) meses, contados a partir de 16 de
março de 2020, tendo como termo final o dia 15 de setembro de 2021, cabendo à diretoria da Companhia
definir as datas em que a Recompra será efetivamente executada.

11. Identificar instituições que atuarão como intermediárias, se houver;


As operações ocorrerão em bolsa, a preços de mercado, sob a intermediação de uma ou mais das seguintes
instituições financeiras: SANTANDER CCVM S/A, com sede na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041,
2.235 parte - 24º andar – São Paulo/SP; CREDIT SUISSE BRASIL S.A. CTVM, com sede na Avenida Brigadeiro
Faria Lima, 3.064 13° andar - São Paulo/SP; BRADESCO S.A. CTVM, com sede na Avenida Paulista, 1.450 7º
andar - São Paulo/SP; BTG PACTUAL CTVM S.A., com sede na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3.729 10° andar -
parte - São Paulo/SP; ITAÚ CV S/A, com sede na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3.400 10° andar - São Paulo/SP;
FLOW CCTVM, com sede na Rua Joaquim Floriano, 100 conjunto 121 - São Paulo/SP; H.H. PICCHIONI S.A.
CCVM, com sede na Avenida Bernardo Monteiro, 1.539 – Belo Horizonte/MG; Votorantim Corretora de Títulos
e Valores Mobiliários, com endereço na Av. das Nações Unidas, 14.171, Torre A – 14 andar – Vila Gertrudes –
São Paulo/SP, CEP: 04794-000; INTER DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA, com
endereço na Av. Barbacena, 1219, 21º andar - Belo-Horizonte/MG, CEP: 30190-131.

12. Especificar os recursos disponíveis a serem utilizados, na forma do art. 7º, § 1º, da Instrução CVM nº 567,
de 17 de setembro de 2015.
De acordo com as informações financeiras mais recentes da Companhia, referentes ao período encerrado em
31 de dezembro de 2019, a Companhia possui recursos disponíveis no montante de R$ 49.555.000 (quarenta
e nove milhões, quinhentos e cinquenta e cinco mil reais) nas contas de reserva de capital, e R$ 475.573.000
(quatrocentos e setenta e cinco milhões, quinhentos e setenta e três mil reais) nas contas de reserva de lucros
(ex-reserva legal). Adicionalmente, poderá ser utilizado saldo de lucros acumulado no exercício conforme
verificado nas Demonstrações Financeiras da Companhia a serem divulgadas ao longo da Recompra. A efetiva
recompra do número total de ações previstos na Recompra dependerá da existência de recursos disponíveis
no momento da aquisição das ações, de modo a atender o previsto no artigo 7º da Instrução CVM nº 567/15.

13. Especificar as razões pelas quais os membros do conselho de administração se sentem confortáveis de que
a recompra de ações não prejudicará o cumprimento das obrigações assumidas com credores nem o
pagamento de dividendos obrigatórios, fixos ou mínimos.
A aprovação da Recompra foi precedida de um estudo de caixa elaborado pelos diretores da Companhia,
considerando, inclusive, diferentes cenários de estresse aos quais a Companhia poderia estar exposta. Após
análise do estudo, os membros do Conselho de Administração entenderam que a Companhia tem apresentado
plena capacidade de pagamento de todos os compromissos financeiros assumidos. Os membros do Conselho
de Administração se sentem confortáveis de que a Recompra não prejudicará o cumprimento das obrigações
assumidas com credores nem o pagamento de dividendos obrigatórios, fixos ou mínimos.
MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A.

CNPJ/ME nº 08.343.492/0001-20
NIRE 31.300.023.907
Publicly-traded company

MATERIAL FACT

Belo Horizonte, march 20, 2020 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. (“Company” or “MRV”), according to
article 157, 4º paragraph from the Law No. 6.404/76, (“Brazilian Corporate Laws”), and Securities and Exchange
Commission of Brazil (“CVM”), Instruction No. 358/02, communicates to the company’s shareholders and the market,
that the Company’s Board of Directors, in the meeting held on march 16, 2020, approved the company’s new buyback
program (‘BUYBACK’), according to CVM Instruction No. 567, issued 2015 (‘ICVM 567’).

The information required on Article 30, subsection XXXVI, CVM instruction No. 480, regarding the details of the
buyback program are presented below on Attachment I.

The Company's Chief Officers will decide, respecting the limits and characteristics approved by the Board of Directors
and established by the current legislation, the most fortunate moment to execute the buyback program, as well as
how many shares will eventually be repurchased.

March 20, 2020 Belo Horizonte

Ricardo Paixão Pinto Rodrigues


Chief Financial and Investor Relations Officer
ATTACHMENT I – BOARD OF DIRECTOR’S MEETING MINUTES
HELD ON MARCH 16, 2020

APPROVAL OF STOCK BUYBACK PROGRAM

MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S.A. (‘Company’), in accordance with CVM (Brazilian Securities and Exchange
Commission) Instruction 480, Article 30, subsection XXXVI, issued in December 2009, would like to inform its
shareholders and the overall market that the company’s Board of Directors approved a stock buyback program on
March 16, 2020, set out as follows:

1. Set out a meticulously detailed objective for the operation, including expected economic effects;
Company stock acquired from the buyback program will be maintained in treasury aiming to maximize value
to the company shareholders, in which shares may be canceled, divested and/or used in company stock option
programs.

2. Disclose the number of shares (i) in circulation and (ii) shares in the treasury;
The number of shares currently in circulation stands at 293,845,542 (two hundred and ninety-three million,
eight hundred and forty-five thousand and five hundred and forty-two) and, to date, there are 1,348 (one
thousand, three hundred and forty-eight) shares held the treasury.

3. Disclose the number of shares that may be acquired or divested;


A maximum of 15,000,000 (fifteen million) shares may be acquired in this program.

4. Describe future agreements and voting guidelines between the company and secondary parties for
operations, if any;
The company will not employ derivative instruments in the buyback program.

5. Disclose operations undertaken outside of organized stock markets information such as;
There are no agreements or voting guidelines between the company and secondary parties.

6. In the event of operations carried out outside of organized stock markets, the following information shall
be provided:

a. The maximum (minimum) price at which shares were acquired (divested); and
All acquisitions from the buyback will be carried out on the stock market at market prices. Shares that
are used in the company’s stock options may be transferred from eligible parties to plans outside of
organized markets.

b. In the event the reasons that justify carrying out operations at prices more than 10% (ten percent)
higher for acquisition, or for prices more than 10% (ten percent) lower in the case of divestiture, the
average share price considered by volume from the previous 10 (ten) trading sessions;
The future divestiture for shares acquired from a buyback at a price lower than the average quote may
occur in the event of transfers to beneficiaries of company stock option plans which have been
properly approved by the general shareholders and bear parameters for price calculations for these
options.
7. Disclose the impacts that negotiation will have on shareholder control or the company’s administrative
structure;
The company does not view relevant impacts on how negotiations of a buyback may have on shareholder
control and the company’s administrative structure, since the company maintains a solid chain of command
and control.

8. Identify secondary parties, if known, and relationship to company, in addition to the standard accounting
practices that deal with the issue, providing all of the required information as set out in CVM Instruction
481, Article 8, issued on December 17, 2009;
All shares acquired through the buyback will be carried out on the stock market, on which the company is not
able to identify secondary parties of operations. Shares acquired through the buyback that are then used for
stock options will be transferred to any eligible individual from any plan.

9. Disclose where earned resources are being allocated, if any;


Shares acquired from the buyback will be held in the treasury, canceled or reissued on the market, and may
also be part of the company’s stock option plan or included in other company plan that are approved by the
company’s general shareholders.

10. Disclose the maximum term for liquidation of authorized operations;


The maximum term for liquidation of authorized operations will be 18 (eighteen) months, starting from March
16, 2020, valid up to September 15, 2021, and remains within the right of the Board of Directors to establish
the date that the buyback will be officially carried out.

11. Identify financial institutions to oversee operations, if any;


SANTANDER CCVM S/A, headquartered at Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041, 2.235 part 24th
floor - São Paulo/SP; CREDIT SUISSE BRASIL S.A. CTVM, headquartered at Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3.064
13th floor - São Paulo/SP; BRADESCO S.A. CTVM, headquartered at Avenida Paulista, 1.450 7th floor - São
Paulo/SP; BTG PACTUAL CTVM S.A., headquartered at Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3.729 10th floor - São
Paulo/SP; ITAÚ CV S/A, headquartered at Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3.400 10th floor - São Paulo/SP; FLOW
CCTVM, headquartered at Rua Joaquim Floriano, 100 conjunto 121 - São Paulo/SP; H.H. PICCHIONI S.A. CCVM,
headquartered at Avenida Bernardo Monteiro, 1.539 - Belo Horizonte/MG; Votorantim Corretora de Títulos e
Valores Mobiliários, located at Av. das Nações Unidas, 14.171, Tower A - 14th floor - Vila Gertrudes - São
Paulo/SP, CEP: 04794-000; INTER DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS LTDA headquarted at
Av. Barbacena, 1219 21st floor - Belo Horizonte/MG.

12. Specify resources available to be employed, in accordance with CVM Instruction 567, Article 7, subsection
1, issued on September 17, 2015;
According to the company’s most recent financial information for business closing December 31, 2019, the
company holds resources in the amount of R$ 49,555,000 (forty-nine million, five hundred and fifty-five
thousand Brazilian reals) in capital reserves, and R$ 475,573,000 (four hundred and seventy-five million, five
hundred and seventy-three thousand Brazilian reals) in profit reserves (former legal reserves). In addition, the
accumulated profit reserves may be used and shall be therefore posted on the company’s financial statements
through the buyback process. The actual number of shares forecast for the buyback will depend on the
existence of available resources at the moment of acquisition, in accordance with CVM Instruction 567/15,
Article 7.

13. Specify the reasons why Board members are assured that the stock buyback will not negatively affect
financial commitments with creditors, nor negatively affect fixed or minimum mandatory dividends;
Approval of the stock buyback was based on a study of cash flow carried out by the Board of Directors, taking
into consideration a variety of scenarios in which the company may find itself exposed to risks. After careful
analysis of the study, the Board members believe that the company has been deemed fully capable of paying
its financial debts and meet all of its financial commitments. The Board members strongly believe that the
buyback will not harm the company’s financial commitments with creditors, nor will it impede the company
from paying out fixed or minimum mandatory dividends.