Você está na página 1de 347

Manual Hipath 1100 - Serviço

Documentação
HiPath 1100
HiPath 1120, HiPath 1150, HiPath 1190
Manual de serviço

Para maiores informações sobre este ou outro produto Siemens ligue:


Tel: 11 2858-0544 ou acesse o site :
www.asservice.com.br

Communication for the open minded

Siemens Enterprise Communications


www.siemens.com/open
Índice

Índice 0

Figuras .................................................................8
Tabelas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 12
1 Informações importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-15
1.1 Informações de segurança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-15
1.1.1 Informações de segurança: perigo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-16
1.1.2 Informações de segurança: atenção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-17
1.1.3 Informações de segurança: cuidado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-18
1.1.4 Informações gerais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-19
1.1.5 Comportamento em casos de emergência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-20
1.1.6 Informe de acidentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-20
1.2 Proteção e segurança de dados . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-21
1.3 Estrutura do documento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 1-22
2 Dados do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-23
2.1 Visão geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-23
2.2 Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-23
2.3 Estrutura HiPath 1100. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-24
2.4 Periferia do sistema HiPath 1100 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-25
2.5 Limites de expansão para os sistemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-26
2.5.1 Considerações a respeito de linhas digitais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-28
2.5.2 Considerações sobre telefones de sistema. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-31
2.5.3 Observações sobre o HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-32
2.5.4 Observações sobre o HiPath 1190 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-32
2.6 Dados Técnicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-34
2.7 Normas técnicas e conformidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-35
2.7.1 Segurança Internacional. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-36
2.7.2 Condições ambientais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-36
2.8 Lista de documentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-37
2.9 New in HiPath 1100 V7.0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-38
2.9.1 Aplicação Accounting Tool . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-38
3 Módulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-39
3.1 Visão geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-39
3.2 Abreviaturas para nomes de Países . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-40
3.3 Relação de módulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-40
3.4 Placa-mãe (MB) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-44
3.4.1 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-46
3.4.2 HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-48
3.4.3 HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-50
3.5 Módulos de ampliação (EB) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-51

2 Manual de Serviço
Índice

3.5.1 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-51


3.5.2 HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-54
3.5.3 Módulo S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-57
3.5.3.1 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-58
3.5.3.2 HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-59
3.5.4 Módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-61
3.5.5 Módulo UP0/E e Módulo CTR UP0/E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-69
3.5.5.1 Módulo UP0/E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-69
3.5.5.2 Módulo CTR-UP0/E . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-71
3.6 Módulos opcionais (MO) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-72
3.6.1 Módulos de Interface LAN. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-72
3.6.1.1 Módulo ADSL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-73
3.6.1.2 Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC e ADSLIM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-76
3.6.1.3 Baby Bord ADSL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-79
3.6.2 Módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-80
3.6.3 Módulo CD 16 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-82
3.6.4 Módulo Música . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-83
3.6.4.1 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-84
3.6.4.2 HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-85
3.7 Fonte de Alimentação (PSU) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-85
3.7.1 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-86
3.7.2 HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-87
3.8 Baterias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-90
3.8.1 Exemplos de Configurações X Capacidades x Tempos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-92
3.9 Distribuidor geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-92
3.10 Back Plane. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-93
3.10.1 HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-93
3.10.2 HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-94
3.11 Porteiro eletrônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-95
3.11.1 Porteiro eletrônico interno com interface TFE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-95
3.11.1.1 Exemplos de conexão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-96
3.11.1.2 Interface TFE-S . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-100
3.11.2 Porteiro eletrônico externo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-103
3.11.2.1 Porteiro eletrônico externo analógico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-103
3.11.2.2 Porteiro eletrônico externo RDSI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-104
3.12 Cabos de ligação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-104
3.12.1 Cabo adaptador V.24 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-104
3.12.2 Cabo adaptador USB . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-107
3.12.3 Cabo serial TME1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-108
3.12.4 Cabo adaptador para modem analógico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-109
3.12.5 Cabo coaxial TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-111
3.12.5.1 Acesso CAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-111
3.12.5.2 Acesso S2 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-112
3.12.6 Cabos para conexão das baterias (BBU) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-113
3.12.7 Cabo de alimentação da PSU - HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . 3-114

Manual de Serviço 3
Índice

4 Montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-115
4.1 Montagem do HiPath 1100 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-115
4.2 Procedimento de montagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-116
4.3 Selecionar o local de montagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-117
4.4 Desembalar os componentes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-118
4.5 Conhecendo os sistemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-118
4.5.1 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-118
4.5.2 HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-120
4.5.3 HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-122
4.6 Fixação na parede do HiPath1120/1150. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-127
4.7 Montagem dos módulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-128
4.7.1 Configuração no HiPath 1100 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-128
4.7.2 Localização dos módulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-128
4.7.2.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-129
4.7.2.2 No HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-130
4.7.2.3 No HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-131
4.7.3 Montagem dos módulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-135
4.7.3.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-135
4.7.3.2 No HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-135
4.7.3.3 No HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-136
4.7.4 Montagem do módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-136
4.7.5 Conexão ADSL nos módulos de interface LAN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-137
4.7.5.1 Módulo ADSL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-137
4.7.5.2 Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC e ADSLIM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-138
4.7.6 Montagem do módulo Baby Board ADSL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-139
4.7.6.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-139
4.7.6.2 No HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-140
4.7.7 Montagem do módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-141
4.7.7.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-141
4.7.7.2 No HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-142
4.7.7.3 No HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-143
4.7.8 Montagem do módulo Baby Board VCC (Voltage Conditioner Circuitry) . . . . . . 4-145
4.7.8.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-145
4.7.9 Montagem do módulo CTR- UP0/E. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-146
4.7.9.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-146
4.7.9.2 No HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-147
4.7.9.3 No HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-148
4.7.10 Montagem do módulo Música . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-149
4.7.10.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-149
4.8 Montagem da fonte de alimentação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-150
4.8.1 No HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-150
4.8.2 No HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-151
4.8.3 No HiPath 1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-153
4.8.4 Montagem das Baterias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-156

4 Manual de Serviço
Índice

4.9 Conexões no DG do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-157


4.9.1 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-157
4.9.2 HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-159
4.9.3 HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-162
4.10 Instalação da interface V.24 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-164
4.11 Instalação da interface USB . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-165
4.11.1 No HiPath1120/1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-165
4.11.2 No HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-166
4.12 Instalação da fonte de aúdio externa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-167
4.13 Instalação da Interface de porteiro - TFE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-167
4.13.1 Modelos S30817-K930-A300 e S30122-K7696-T313. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-167
4.13.2 Modelo S30817-Q936-C282 - Brasil . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-168
4.14 Recomendações sobre a alimentação/proteção do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-169
4.14.1 Proteção das linhas externas e ramais externos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-170
4.14.2 Conexão do Condutor de Aterramento de Proteção . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-171
4.15 Relés de falta de energia . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-172
4.16 Cabeação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-173
4.17 Montagem dos terminais telefônicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-173
4.18 Conexão de telefones optiPoint Master/Slave no HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . 4-175
4.19 Efetuar conferência visual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-176
5 Telefones . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-177
5.1 Visão geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-177
5.2 Telefones de sistema. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-177
5.2.1 Teclas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-178
5.2.2 Telefone de sistema Profiset 3030 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-178
5.2.3 OpenStage 15 T System Telephone . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-180
5.2.4 Telefones de sistema optiPoint 500 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-182
5.2.5 Facilidades das teclas programáveis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-188
5.2.6 Ajustes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-189
5.3 Telefones comuns . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-190
5.3.1 Telefone decádico (DC) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-190
5.3.2 Telefone multifrequencial (MF) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-190
6 Efetuando a programação específica do cliente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-191
6.1 Plano de numeração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-191
6.2 Códigos de programação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-193
6.2.1 Programações importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-194
6.2.2 Programação de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-196
6.2.3 Programação de ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-198
6.2.4 DISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-204
6.2.5 Programação geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-205
6.2.6 Atualização de Software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-208
6.2.7 Administração Remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-209
6.2.8 Porteiro eletrônico interno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-209

Manual de Serviço 5
Índice

6.2.9 Bilhetagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-210


6.2.10 Facilidade Atendedor/FAX . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-213
6.2.11 Módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-214
6.2.12 Programação para tronco digital . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-216
6.2.13 Módulos de interface LAN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-218
6.2.14 Relé e sensor no HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-219
6.2.15 Efetuar o teste rápido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-220
6.3 Comentários sobre os códigos de programação do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-220
6.3.1 Programações importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-220
6.3.2 Programação de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-224
6.3.3 Programação de ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-228
6.3.3.1 Indicador de Mensagem em Espera (WMI) externo . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-243
6.3.4 DISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-243
6.3.5 Programação geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-244
6.3.6 Atualização de Software. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-251
6.3.7 Programação Remota . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-252
6.3.8 Porteiro eletrônico interno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-253
6.3.9 Bilhetagem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-254
6.3.10 Facilidade Atendedor/FAX . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-259
6.3.11 Módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-261
6.3.12 Programação para tronco digital . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-264
6.3.13 Módulos de interface LAN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-269
6.3.14 Relé e sensor no HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-270
7 Colocando em serviço. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-273
7.1 Programação através de um aparelho telefônico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-274
7.2 Programação do sistema usando um PC . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-275
7.2.1 Conexão Local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-276
7.2.1.1 Interface serial V.24 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-276
7.2.1.2 Interface USB. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-278
7.2.1.3 Módulos de Interface LAN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-280
7.2.1.4 Interface optiPoint . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-282
7.2.2 Conexão Remota / Local . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-285
7.2.2.1 Modem externo analógico . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-285
7.2.2.2 Modem RDSI via Módulo S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-288
7.3 Instalação de Drivers . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-291
7.3.1 Preparando a instalação. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-291
7.3.1.1 Instalação dos aplicativos CAPI. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-292
7.3.2 Desinstalação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-293
7.4 Aplicativos do HiPath 1100 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-294
7.4.1 Funções de CTI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-294
7.4.2 SNMP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-295
7.4.3 HiPath 1100 Manager. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-297
7.4.4 Configuração ADSL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-298
7.4.4.1 Módulo ADSL. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-298

6 Manual de Serviço
Índice

7.4.4.2 Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC e ADSLIM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-300


7.4.4.3 Configuração do Modem Speed Stream . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-305
7.4.4.4 Retorno a configuração de fábrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-307
7.4.4.5 COMGATE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-308
7.4.4.6 ECOMMSERVER . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-310
7.4.4.7 Como liberar a facilidade ADSL em novos Países . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-311
7.4.4.8 Siemens Admin Console . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-313
7.4.4.9 Configuração do Modem SpeedStream 4100 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-315
7.4.5 Configuração LCR. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-316
7.4.5.1 GSM/SIP BOX com suporte LCR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-322
7.4.5.2 Importação de LCR apartir da “Telefonsparbuch” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-322
7.4.6 E1 Trunk Manager . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-323
7.4.7 S2M Maintenance . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-323
7.4.8 Gestor de Conta (CDR). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-324
7.4.9 Indicação do Status Monitor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-324
7.4.10 Assistente de MOH Transfer . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-324
7.4.11 Software Update . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-324
7.4.12 Aplicações CAPI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-325
7.4.13 Interaction Center Smart (software opcional) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-325
7.4.14 TAC Smart - Telephony Advanced Control (software opcional) . . . . . . . . . . . 7-326
7.4.15 CallReport (software opcional) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-326
7.4.16 Protocolo VMIe (Voice Mail Interface - extended). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-326
8 Códigos de acesso às facilidades. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-329
8.1 Plano de numeração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-329
8.2 Símbolos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-330
8.3 Facilidades. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 8-330
9 Abreviaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-342
Índice remissivo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 345

Manual de Serviço 7
Figuras

Figuras 0

Figura 2-1 Visão geral do sistema . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-24


Figura 2-2 Periferia do HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-25
Figura 2-3 Periferia do HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-25
Figura 2-4 Periferia do HiPath 1190 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-26
Figura 2-5 Distribuição das highways no HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-32
Figura 3-1 MB do HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-46
Figura 3-2 Módulo Baby Board VCC HiPath 1120. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-47
Figura 3-3 Visão geral da MB do HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-48
Figura 3-4 Visão geral da MB do HiPath 1190 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-50
Figura 3-5 Visão geral do módulo EB 200 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-52
Figura 3-6 Visão geral do módulo EB 204 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-53
Figura 3-7 Visão geral do módulo EB 210 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-54
Figura 3-8 Visão geral do módulo EB 012 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-55
Figura 3-9 Visão geral do módulo EB 800 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-56
Figura 3-10 Módulo S0 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-58
Figura 3-11 Módulo S0 HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-59
Figura 3-12 Ligação de acesso básico S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-60
Figura 3-13 Distribuição dos sinais no conector da S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-60
Figura 3-14 Módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-62
Figura 3-15 Ligação do acesso CAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-63
Figura 3-16 Ligação do acesso S2 com impedância de 75 ohms . . . . . . . . . . . . . . . . 3-63
Figura 3-17 Ligação do acesso S2 com impedância de 120 ohms . . . . . . . . . . . . . . . 3-64
Figura 3-18 Distribuição dos sinais no conector do módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . 3-64
Figura 3-19 Dip switch do Módulo TME1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-65
Figura 3-20 Módulo UP0/E HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-69
Figura 3-21 Módulo UP0/E HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-70
Figura 3-22 Módulo CTR-UP0/E HiPath 1120/1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . 3-71
Figura 3-23 Funcionalidades através da rede LAN. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-72
Figura 3-24 Módulo ADSL HiPath 1120. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-74
Figura 3-25 Módulo ADSL HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-75
Figura 3-26 Módulo SLIMC e SDASLIM HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-76
Figura 3-27 Módulo LIMC e ADSLIM HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-78
Figura 3-28 Baby Bord ADSL HiPath 1120/1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-79
Figura 3-29 Módulo EVM HiPath 1120/1150/1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-81
Figura 3-30 Módulo CD 16. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-82
Figura 3-31 Módulo Música . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-84
Figura 3-32 Interface PSU do sistema HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-86
Figura 3-33 Interface PSU do sistema HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-88
Figura 3-34 Interface PSU dos sistemas HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-89
Figura 3-35 Baterias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-91

8 Manual de Serviço
Figuras

Figura 3-36 Distribuidor - Conectores. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-93


Figura 3-37 Back plane HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-93
Figura 3-38 Back planes do HiPath 1190 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-94
Figura 3-39 Conexões da interface TFE. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-95
Figura 3-40 Porteiro eletrônico EGUCOM da empresa Ackermann (Emmerich) . . . . 3-96
Figura 3-41 Porteiro eletrônico Grothe . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-97
Figura 3-42 Porteiro eletrônico HDL - Brasil. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-97
Figura 3-43 Porteiro eletrônico Ritto. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-98
Figura 3-44 Visão geral da interface de porteiro - S30817-Q936-C282 . . . . . . . . . 3-99
Figura 3-45 Conexões da interface TFE-S . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-100
Figura 3-46 Atribuição dos contatos de botoneiras . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-101
Figura 3-47 Conexão com botoneira Siedle TLM 511-01 e Ritto 5760 . . . . . . . . . . 3-102
Figura 3-48 Sistema de interligação do cabo adaptador V.24 . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-105
Figura 3-49 Sistema de ligação do adaptador de modem e impressora . . . . . . . . . 3-106
Figura 3-50 Sistema de interligação do cabo adaptador USB . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-107
Figura 3-51 Sistema de interligação do cabo serial na TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-108
Figura 3-52 Sistema de interligação do cabo serial para modem analógico. . . . . . 3-110
Figura 3-53 Cabos para conexão das baterias (BBU) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-113
Figura 3-54 Cabo de alimentação da PSU - HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-114
Figura 4-1 Dimensões para o HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-118
Figura 4-2 Abrindo o DG do HiPath 1120. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-119
Figura 4-3 Visão geral do sistema para montagem HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . 4-119
Figura 4-4 Dimensões para o HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-120
Figura 4-5 Visão geral do sistema para montagem HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . 4-120
Figura 4-6 Abrindo o DG do HiPath 1150. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-121
Figura 4-7 Dimensões para o HiPath 1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-122
Figura 4-8 Abrindo o HiPath 1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-122
Figura 4-9 Visão frontal do HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-123
Figura 4-10 Vista posterior do HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-124
Figura 4-11 Ancoragens dos cabos no HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-125
Figura 4-12 Montagem dos módulos nos sistemas HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . 4-125
Figura 4-13 Montagem do HiPath 1190R no Rack 19”. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-126
Figura 4-14 Fixação do HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-127
Figura 4-15 Fixação do HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-128
Figura 4-16 Localização dos módulos no HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-129
Figura 4-17 Localização dos módulos no HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-130
Figura 4-18 Localização dos módulos no HiPath 1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . . 4-131
Figura 4-19 Montagem do módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-137
Figura 4-20 Conexão ADSL no HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-138
Figura 4-21 Conexão ADSL no HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-139
Figura 4-22 Montagem do módulo Baby Board ADSL HiPath 1120. . . . . . . . . . . . . 4-140
Figura 4-23 Montagem do módulo Baby Board ADSL no HiPath1150/1190/1190R 4-141
Figura 4-24 Montagem do módulo EVM HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-142
Figura 4-25 Montagem do módulo EVM HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-143

Manual de Serviço 9
Figuras

Figura 4-26 Montagem do módulo EVM no HiPath 1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . 4-144


Figura 4-27 Montagem do módulo Baby Board VCC no HiPath1120 . . . . . . . . . . . . 4-145
Figura 4-28 Montagem do módulo CTR- UP0/E HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-146
Figura 4-29 Montagem do módulo CTR- UP0/E HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-147
Figura 4-30 Montagem do módulo CTR- UP0/E no HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . 4-148
Figura 4-31 Montagem do módulo Música HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-149
Figura 4-32 Montagem da fonte de alimentação HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-150
Figura 4-33 Montagem da PSU HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-151
Figura 4-34 Montagem da PSU HiPath 1150 com BBU . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-152
Figura 4-35 Cabo de alimentação da PSU com BBU - HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . 4-152
Figura 4-36 Montagem PSU no HiPath 1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-154
Figura 4-37 Montagem PSU com BBU no HiPath 1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . . . . 4-155
Figura 4-38 Montagem das baterias ao sistema.. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-156
Figura 4-39 Distribuição dos ramais no DG HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-157
Figura 4-40 Distribuição dos ramais no DG HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-159
Figura 4-41 Distribuição dos ramais no DG HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . 4-163
Figura 4-42 Exemplo de Conexão do cabo USB . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-165
Figura 4-43 Exemplo de conexão do cabo USB no HiPath 1190 . . . . . . . . . . . . . . . 4-166
Figura 4-44 Esquema de alimentação dos sistemas HiPath1150/1190/1190R. . . . . 4-170
Figura 4-45 Diagrama de aterramento e proteção. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-171
Figura 4-46 Conexões na tomada telefônica adotados no Brasil . . . . . . . . . . . . . . . 4-174
Figura 4-47 Conexão de telefones optiPoint Master/Slave no HiPath 1120 . . . . . . . 4-175
Figura 5-1 Layout do telefone de sistema Profiset 3030 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-179
Figura 5-2 OpenStage 15 T front panel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-180
Figure 5-3 Vista posterior do telefone de sistema OpenStage 15 T . . . . . . . . . . . . 5-181
Figura 5-4 Layout do telefone de sistema optiPoint 500 advance . . . . . . . . . . . . . . 5-182
Figura 5-5 Layout do telefone de sistema optiPoint 500 economy/basic/standard . 5-183
Figura 5-6 Layout do telefone de sistema optiPoint 500 entry. . . . . . . . . . . . . . . . . 5-184
Figura 5-7 Painel traseiro optiPoint 500. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-185
Figura 7-1 Propriedades do CommServer - Configuração de Interface Serial V.24 7-277
Figura 7-2 Possibilidades da configuração USB . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-278
Figura 7-3 Propriedades do CommServer - Configuração de conexão USB. . . . . . 7-279
Figura 7-4 Propriedades do CommServer - Conexão Módulo ADSL . . . . . . . . . . . 7-281
Figura 7-5 Possibilidades da configuração optiPoint. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-282
Figura 7-6 Propriedades do CommServer - Configuração optiPoint VCOM.. . . . . . 7-284
Figura 7-7 Propriedades do CommServer - Configuração optiPoint CAPI. . . . . . . . 7-284
Figura 7-8 Conexão Modem externo analógico. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-285
Figura 7-9 Configuração HiPath 1100 Manager - Modem Analógico . . . . . . . . . . . 7-286
Figura 7-10 Configuração CommServer - Modem Analógico remoto . . . . . . . . . . . . 7-287
Figura 7-11 Possibilidades da configuração RDSI . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-289
Figura 7-12 Propriedades do CommServer - Configuração de conexão RDSI . . . . . 7-290
Figura 7-13 Pasta SNMP . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-296
Figura 7-14 SW Router ADSL firmware update. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-298
Figura 7-15 SW Router ADSL configuration . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-299

10 Manual de Serviço
Figuras

Figura 7-16 Configuração ADSL via web Browser . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-300


Figura 7-17 Janela de “Password e User Name” para acesso via web browser . . . 7-301
Figura 7-18 Alterando a “Password ” padrão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-301
Figura 7-19 Alterando o endereço “IP ” padrão . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-302
Figura 7-20 Configuração padrão de fábrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-303
Figura 7-21 Seleção de arquivo de Firmware para Upgrade . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-304
Figura 7-22 Firmware Upgrade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-305
Figura 7-23 Configuração do Modem Speed Stream . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-306
Figura 7-24 Login no Modem Speed Stream . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-306
Figura 7-25 Configuração do Modem Speed Stream . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-307
Figura 7-26 Retorno a configuração de fábrica . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-308
Figura 7-27 Acesso ao COMGATE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-309
Figura 7-28 Configuração CommServer. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-310
Figura 7-29 Communication Server Configurations . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-311
Figura 7-30 Modo LCR . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-316
Figura 7-31 Modo LCR - configuração regional . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-317
Figura 7-32 Modo LCR - criando tabelas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-318
Figura 7-33 Modo LCR - configurando regra . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-319
Figura 7-34 Modo LCR - exemplo de regra . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-320
Figura 7-35 Modo LCR - intervalo de tempo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-321
Figura 7-36 Modo LCR - GSM/SIP box . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 7-322

Manual de Serviço 11
Tabelas

Tabelas 0

Tabela 2-1 Limites de expansão específicos dos sistemas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-28


Tabela 2-2 Considerações a respeito de linhas digitais S0 no HiPath 1120 . . . . . . 2-28
Tabela 2-3 Considerações a respeito de linhas digitais S0 no HiPath 1150 . . . . . . 2-29
Tabela 2-4 Considerações a respeito de linhas digitais TME1 no HiPath 1150 . . . . 2-29
Tabela 2-5 Considerações a respeito de linhas digitais TME1 no HiPath 1190 . . . . 2-30
Tabela 2-6 Telefones optiPoint e telefones KS para HiPath 1120. . . . . . . . . . . . . . . 2-31
Tabela 2-7 Telefones optiPoint e telefones KS para HiPath1150/1190/1190R. . . . . 2-31
Tabela 2-8 Exemplos de configuração do sistema HiPath 1190 . . . . . . . . . . . . . . . . 2-33
Tabela 2-9 Distribuição dos módulos nos back planes do HiPath 1190. . . . . . . . . . . 2-33
Tabela 2-10 Dados técnicos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-35
Tabela 2-11 Normas e conformidades utilizadas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-35
Tabela 2-12 Condições ambientais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-36
Tabela 2-13 Lista de documentação para HiPath 1100 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 2-37
Tabela 3-1 Abreviaturas para nome de Países . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-40
Tabela 3-2 Lista dos módulos/componentes utilizados - HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . 3-41
Tabela 3-3 Lista dos módulos/componentes utilizados - HiPath1150/1190/1190R . . 3-44
Tabela 3-4 Atribuição dos Conectores da MB do HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-47
Tabela 3-5 Conectores do Módulo Baby Board VCC HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . 3-48
Tabela 3-6 Atribuição dos conectores da MB do HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-49
Tabela 3-7 Atribuição dos conectores da MB do HiPath 1190 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-51
Tabela 3-8 Atribuição dos Conectores do EB 200 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-52
Tabela 3-9 Atribuição dos Conectores do EB 204 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-53
Tabela 3-10 Atribuição dos Conectores dos módulos EB 210, EB 206 e EB 202. . . . 3-55
Tabela 3-11 Atribuição dos Conectores dos EB 012 e EB 010 . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-56
Tabela 3-12 Atribuição dos Conectores dos EB 800, EB 400 e EB 200 . . . . . . . . . . . 3-57
Tabela 3-13 Jumpers do módulo S0 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-58
Tabela 3-14 Conectores do módulo S0 HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-58
Tabela 3-15 Jumpers do módulo S0 HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-59
Tabela 3-16 Conectores do módulo S0 HiPath1150/1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . 3-60
Tabela 3-17 Instalação do módulo S0 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-60
Tabela 3-18 Componentes do Módulo TME1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-63
Tabela 3-19 Atribuição dos conectores do Módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-63
Tabela 3-20 Dip switch 1 do Módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-65
Tabela 3-21 Dip switch 2 do Módulo TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-66
Tabela 3-22 Indicações no display do Módulo TME1(acesso CAS). . . . . . . . . . . . . . . 3-67
Tabela 3-23 Indicações no display do Módulo TME1 (acesso S2). . . . . . . . . . . . . . . . 3-69
Tabela 3-24 Conectores do módulo UP0/E HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-70
Tabela 3-25 Atribuição dos Conectores do Módulo UP0/E HiPath1150/1190/1190R . 3-71
Tabela 3-26 Conectores do módulo ADSL HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-74
Tabela 3-27 Conectores do Módulo ADSL HiPath1150/1190/1190R. . . . . . . . . . . . . . 3-75

12 Manual de Serviço
Tabelas

Tabela 3-28 Conectores do Módulo SLIMC e SDASLIM HiPath 1120. . . . . . . . . . . . 3-77


Tabela 3-29 Conectores do Módulo LIMC e ADSLIM HiPath1150/1190/1190R. . . . . 3-78
Tabela 3-30 Conectores do Baby bord ADSL HiPath 1120/1150/1190/1190R . . . . . 3-80
Tabela 3-31 Conector do módulo EVM HiPath 1120/1150/1190/1190R. . . . . . . . . . . 3-81
Tabela 3-32 Atribuição dos Conectores do módulo CD 16 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-83
Tabela 3-33 Atribuição dos Conectores do módulo Música . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-84
Tabela 3-34 Características elétricas dos Sensores e Relés . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-85
Tabela 3-35 Atribuição do conector da PSU HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-87
Tabela 3-36 Atribuição do conector da PSU - HiPath1150/1190/1190R. . . . . . . . . . . 3-90
Tabela 3-37 Informações técnicas das baterias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-91
Tabela 3-38 Exemplos do período de trabalho das baterias no HiPath 1150 . . . . . . 3-92
Tabela 3-39 Exemplos do período de trabalho das baterias no HiPath 1190 . . . . . . 3-92
Tabela 3-40 Conectores dos Back Planes HiPath 1190/1190R . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-94
Tabela 3-41 Atribuição dos contatos TFE-S . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-101
Tabela 3-42 Sinais do cabo do adaptador V.24 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-105
Tabela 3-43 Sinais do cabo do adaptador USB . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-107
Tabela 3-44 Sinais do cabo serial TME1. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-108
Tabela 3-45 Sinais do cabo serial para modem . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-111
Tabela 3-46 Sinais do cabo coaxial TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-111
Tabela 3-47 Sinais do cabo coaxial TME1 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-112
Tabela 3-48 Informações técnicas do balun.. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 3-113
Tabela 3-49 Informações técnicas do cabo de conexão de baterias . . . . . . . . . . . . 3-113
Tabela 4-1 HiPath 1100 - Procedimento de montagem do sistema . . . . . . . . . . . . 4-116
Tabela 4-2 Posição x tipo de módulo no HiPath 1150 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-131
Tabela 4-3 Posição x tipo de módulo nos sistemas HiPath 1190/1190R . . . . . . . . 4-134
Tabela 4-4 Exemplo de localização dos ramais no DG do HiPath 1120. . . . . . . . . 4-158
Tabela 4-5 Exemplo de localização dos ramais no DG HiPath 1150 . . . . . . . . . . . 4-162
Tabela 4-6 Exemplo de localização dos ramais no DG. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-162
Tabela 4-7 Código de cores para cabos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-173
Tabela 4-8 Procedimento para a conferência visual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 4-176
Table 5-1 Acessórios do OpenStage 15 T . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5-181
Tabela 5-2 Terminais, adaptadores e acessórios optiPoint 500 . . . . . . . . . . . . . . . 5-187
Tabela 6-1 Resumo do procedimento de programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-191
Tabela 6-2 Sequência de reconhecimento dos módulos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-191
Tabela 6-3 Plano de numeração . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-192
Tabela 6-4 Divisão das tabelas de programação . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-193
Tabela 6-5 Programações importantes . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-195
Tabela 6-6 Programação de linha externa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-197
Tabela 6-7 Programação de ramal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-202
Tabela 6-8 Valores padrão para EWACO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-204
Tabela 6-9 DISA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-204
Tabela 6-10 Programação geral . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-207
Tabela 6-11 Lista de números de emergência (040). . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-208
Tabela 6-12 Atualização de Software . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-208

Manual de Serviço 13
Tabelas

Tabela 6-13 Administração remota. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-209


Tabela 6-14 Porteiro eletrônico interno . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-210
Tabela 6-15 Bilhetagem dos dados de chamada . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-210
Tabela 6-16 País/grupo de países (165) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-212
Tabela 6-17 Protocolo CLIP analógico (005) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-212
Tabela 6-18 Facilidade Atendedor/FAX. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-214
Tabela 6-19 Módulo EVM . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-216
Tabela 6-20 Programação para tronco digital . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-217
Tabela 6-21 Código CAC (012) . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-218
Tabela 6-22 Módulos de interface LAN . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-218
Tabela 6-23 Relé e sensor no HiPath 1120 . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-219
Tabela 6-24 Associação à interface CD . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-236
Tabela 6-25 Layout de cabeçalho de bilhetagem. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 6-257
Tabela 9-1 Abreviaturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 9-342

14 Manual de Serviço
Informações importantes
Informações de segurança

1 Informações importantes
Os sistemas de telecomunicações HiPath 1100 são compatíveis com sistemas de alimentação
TN-S e também TN-C-S, no qual o condutor PEN esteja dividido num condutor para proteção
(PE) e outro para neutro (N), conforme a norma IEC 364-3.

Atenção
! Somente o pessoal de serviço e instalação pode abrir a caixa o PABX, bem como
conectar e manusear as linhas de ramal e tronco.

1.1 Informações de segurança


As informações a seguir são dirigidas ao pessoal de service e técnicos autorizados.
Ler cuidadosamente todas as informações sobre o equipamento e seguir todas as
informações de segurança. Familiarizar-se com os números de emergência.
Consultar sempre um superior antes de iniciar o trabalho em condições onde as precauções
de segurança necessárias não estiverem de acordo, por exemplo, em condições de umidade
ou onde houver o risco de explosões relacionadas com gás.

Símbolos de segurança
Os símbolos a seguir são usados para indicar fontes potenciais de perigo:

Este símbolo adverte que uma situação pode ocasionar morte ou


! Perigo ferimentos sérios.

! Atenção Este símbolo indica perigo que pode levar a ferimentos sérios.

Este símbolo indica um risco de dano ou destruição do hardware


! Cuidado ou software.

Este símbolo identifica informações úteis.

Manual de Serviço 1-15


Informações importantes
Informações de segurança

Outros símbolos que identificam fontes de perigo com maior clareza


Estes símbolos geralmente não são usados neste manual. Eles explicam símbolos que podem
aparecer no equipamento.

Eletricidade Peso Calor Fogo Químicos ESD* Laser


* dispositivos sensíveis à eletrostática

1.1.1 Informações de segurança: perigo

Condutor de aterramento
Conectar o condutor de aterramento nos sistemas envolvidos antes de iniciar os trabalhos.
Nunca operar o equipamento com o condutor de aterramento desconectado!

Tensões perigosas
Tensões acima de 30 V CA (corrente alternada) ou 42 V CC (corrente contínua) são perigosas
(EN 60950).

Avarias
● Substituir o cabo de alimentação imediatamente se ele apresentar qualquer sinal de
avaria.
● Substituir imediatamente qualquer equipamento de segurança avariado (tampas,
etiquetas e cabos protetores).
● Usar apenas cabos e expansões recomendados pela Siemens. O uso de acessórios não
indicados pode comprometer o correto funcionamento do sistema.

Desligar o sistema durante os serviços de manutenção


Caso os trabalhos de manutenção exijam o corte da alimentação do sistema, desligue todos
os alimentadores.

Trabalho nos circuitos da rede de baixa tensão


● Os trabalhos na rede de baixa tensão (100 - 240 V CA) somente devem ser executados
por pessoal qualificado.
● Se o trabalho está sendo feito em circuitos com tensões perigosas, trabalhar sempre com
um parceiro que esteja familiarizado com a localização do painel de disjuntores.

1-16 Manual de Serviço


Informações importantes
Informações de segurança

● Nunca tocar fios energizados que não estejam apropriadamente isolados.


● Assegurar que a instalação não recebe alimentação de uma outra fonte de alimentação e
verificar se ela está protegida por um disjuntor ou fusível adicional.
● Antes de iniciar o trabalho, verificar se os circuitos correspondentes ainda estão
energizados. Nunca supor que todos os circuitos são automaticamente desconectados
quando se desliga um disjuntor ou fusível adicional.
● Não conectar ou remover linhas telefônicas e placas durante uma tempestade com
trovões.
● Considerar a possibilidade de existência de corrente de fuga da rede telefônica.
● Quando o trabalho está sendo executado em uma instalação aberta, assegurar-se de que
ela nunca seja deixada sem supervisão.

1.1.2 Informações de segurança: atenção

Riscos em caso de cabos de grandes seções transversais


Estar atento ao risco adicional representado por tensões baixas e grandes seções
transversais. Apesar dos cabos com grandes seções transversais normalmente possuírem
baixas tensões, os valores das correntes são maiores. Isto resulta em maiores riscos, por
exemplo, no caso de curto-circuitos.

Equipamento/trajes de proteção
● Ao trabalhar nas instalações, nunca usar roupas folgadas e manter cabelos longos
sempre presos.
● Nunca usar jóias, relógios com pulseiras de metal ou acessórios e rebites metálicos em
peças de vestuário, pois existe o risco de ferimentos e curto-circuitos.
● Usar sempre proteção adequada para os olhos.
● Usar sempre um capacete protetor quando houver risco de ferimentos ocasionados por
objetos em queda.

Medidas de segurança
● Superfícies e revestimentos espelhados são condutivos. Nunca tocar peças energizadas
com um espelho. Isto pode ocasionar um curto-circuito ou até mesmo resultar em
ferimentos pessoais.
● Sempre desconectar a alimentação ao trabalhar nas proximidades de uma unidade de
alimentação ou conversor de corrente contínua, a menos que as instruções de operação
estipulem que o trabalho deve ser realizado sem o desligamento da energia.

Manual de Serviço 1-17


Informações importantes
Informações de segurança

● Nunca tentar erguer objetos pesados sem auxílio.

1.1.3 Informações de segurança: cuidado

Verificações e medições de tensão


● Verificar a tensão nominal indicada para a instalação do sistema.
● Proceder com extremo cuidado ao executar medições em componentes energizados e
serviços de manutenção quando a alimentação estiver ligada.

Disjuntor de alimentação principal


Informar-se sobre a localização do disjuntor principal de alimentação do sistema e a sua
capacidade de condução. Comparar com os “Dados Técnicos” na página 2-34 da central para
avaliar a compatibilidade.

Avarias
Usar apenas ferramentas e equipamentos em perfeitas condições. Não colocar equipamento
danificado em operação. Informar ao seu superior os problemas detectados.

Proteção de componentes sensíveis à eletrostática (ESD)


Para proteger componentes sensíveis à eletrostática:
● Usar uma pulseira anti-estática antes de executar qualquer serviço no sistema ou placas.
● Transportar o sistema ou placas apenas dentro de embalagens protetoras adequadas.
● Ao trabalhar com as placas, colocá-las sempre sobre uma base condutiva ater-rada.
● Usar apenas ferros de solda aterrados.

Disposição dos cabos


Posicionar os cabos de tal forma que não haja riscos dos mesmos serem danificados ou
causarem acidentes, ocasionados, por exemplo, pelo tráfego de pessoas.

Baterias
Se as baterias forem substituídas de forma incorreta ou por um outro tipo, existe o risco de
explosão. A bateria só pode ser substituída por uma bateria idêntica ou por outros tipos
recomendados pela assistência técnica. Descarte as baterias usadas de acordo com as
instruções legais específicas de cada País.

1-18 Manual de Serviço


Informações importantes
Informações de segurança

1.1.4 Informações gerais

Ligação dos cabos/linhas


● Todos os cabos que saem do sistema devem ser protegidos em todo seu percurso através
de canaletas, dutos ou outro meio que forneça a devida segurança.
● Conectar todos os cabos apenas aos pontos de conexão especificados.

Localização do equipamento de segurança


Ao completar o serviço de manutenção, recolocar todos os equipamentos de segurança em
seus locais corretos.

Verificação das ferramentas


Verificar as suas ferramentas regularmente e usar apenas aquelas que estejam em perfeito
estado de funcionamento.

Condensação
Quando o equipamento for levado de um ambiente frio para dentro do local de operação à
temperatura normal, observar as “Condições ambientais” na página 2-36, para que não ocorra
condensação. Esperar até que a temperatura do equipamento tenha se ajustado à
temperatura ambiente e esteja completamente seco antes de ligá-lo.

Instalação em parede
● Algumas paredes (por exemplo, paredes de gesso) têm uma capacidade de suporte de
carga reduzida. Antes de iniciar a montagem na parede, verificar a capacidade de suporte
de carga da parede.
● Observar as condições da parede, isto é, a existência de rachaduras ou umidade.

Materiais inflamáveis
Materiais inflamáveis não devem ser armazenados próximos ao equipamento.

Riscos no local de trabalho


● Assegurar que o local de trabalho esteja bem iluminado.
● Existe um risco maior de acidentes em um local de trabalho desarrumado.

Manual de Serviço 1-19


Informações importantes
Informações de segurança

1.1.5 Comportamento em casos de emergência

Procedimento em caso de acidentes


● Permanecer sempre calmo no caso de um acidente e proceder com cautela.
● Sempre desligar a alimentação antes de tentar tocar em uma vítima de acidente elétrico.
● Se a alimentação não puder ser desligada imediatamente, use apenas materiais não-
condutivos, tais como cabos de madeira, para tocar a vítima e tentar isolá-la da fonte de
corrente.

Primeiros socorros
● Deve-se estar familiarizado com os princípios de primeiros socorros para vítimas de
choque elétrico. Em tais emergências, um conhecimento básico de métodos de
ressuscitamento de uma vítima que parou de respirar ou cujo coração parou de bater é
absolutamente vital, bem como é o de primeiros socorros para tratamento de
queimaduras.
● Se a vítima não estiver respirando, executar imediatamente ressuscitamento boca-a-boca
ou boca-a-nariz.
● Se possuir o treinamento adequado, executar imediatamente massagem no coração,
caso o coração da vítima não esteja batendo.

Chamada de emergência
Chamar uma ambulância ou médico imediatamente e fornecer as seguintes informações, de
uma maneira calma e lógica:
● Onde o acidente ocorreu?
● O que aconteceu?
● Que tipo de ferimentos foram sofridos?
Finalmente, estar preparado para auxiliar nos serviços de emergência com qualquer
informação adicional que possa ser necessária.

1.1.6 Informe de acidentes


● Informar com urgência sobre todos os acidentes, quase-acidentes e fontes potenciais de
perigo para um superior.
● Informar sobre todos os choques elétricos, mesmo os pequenos.

1-20 Manual de Serviço


Informações importantes
Proteção e segurança de dados

1.2 Proteção e segurança de dados

Tratamento de dados pessoais


Esta central telefônica usa e processa dados pessoais (registro detalhado de chamadas,
mensagens dos displays e registro dos dados de clientes, por exemplo).
Observar as leis locais relativas à proteção e uso de tais dados e as regulamentações que
prevalecem no país.
O objetivo da legislação de proteção de dados é evitar infrações nos direitos individuais de
privacidade baseadas no mau uso dos dados pessoais.
Ao proteger os dados contra o mau uso durante as etapas do processamento, a legislação de
proteção de dados também protege os interesses próprios e de terceiros.

Diretrizes que se aplicam aos funcionários da Siemens


Os funcionários da Siemens estão sujeitos a práticas de comércio seguro e confidencialidade
de dados sob os termos dos procedimentos de trabalho da companhia.
É imperativo que as regras a seguir sejam observadas para assegurar que as provisões
estatutárias relacionadas a serviços (sejam eles serviços internos ou administração e
manutenção remotas) sejam estritamente seguidas. Isto preserva os interesses do cliente e
oferece proteção pessoal adicional.

Diretrizes que controlam o tratamento de dados


Uma abordagem consciente e responsável ajuda a proteger dados e a observar a sua
segurança:
● Assegurar que apenas pessoas autorizadas tenham acesso aos dados de clientes.
● Usar as facilidades de atribuição de senhas, sem permitir qualquer exceção. Jamais
informar senhas para pessoas não-autorizadas.
● Assegurar que nenhuma pessoa não-autorizada tenha como processar (armazenar,
modificar, transmitir, desabilitar ou apagar) ou usar dados de clientes.
● Evitar que pessoas não-autorizadas tenham acesso aos meios de dados, por exemplo,
discos de backup ou impressões de protocolos.
● Assegurar que os meios de dados que não são mais necessários sejam completamente
destruídos e que documentos não sejam armazenados ou deixados em locais geralmente
acessíveis.
● O trabalho em conjunto com o cliente gera confiança.

Manual de Serviço 1-21


Informações importantes
Estrutura do documento

1.3 Estrutura do documento

Introdução
Este manual de serviço fornece informações sobre os sistemas de comunicação HiPath 1100.
O manual foi criado com base no mapeamento de informação, que é usado para estruturar e
apresentar, de forma clara, blocos de informações. Isto beneficia o técnico pela facilidade com
a qual a informação pode ser localizada e a velocidade com a qual ela pode ser assimilada.

Blocos principais deste manual


● O Capítulo 2, “Dados do sistema”, contém uma descrição do HiPath 1100 com
informações técnicas e a lista de documentações utilizadas.
● No Capítulo 3, “Módulos”, temos a descrição de todos os módulos que compõe o HiPath
1100 com suas particularidades.
● O Capítulo 4, “Montagem”, contém as informações de montagem e instalação para o
HiPath 1100 com recomendações e observações importantes.
● No Capítulo 5, “Telefones”, são descritos os Telefones de Sistema e Comuns.
● O Capítulo 7, “Colocando em serviço”, são descritos os procedimentos para iniciar o
HiPath 1100.
● No Capítulo 6, “Efetuando a programação específica do cliente”, são apresentados os
códigos de programação e sua utilização.
● No Capítulo 8, “Códigos de acesso às facilidades”, é apresentada a tabela resumida das
facilidades do HiPath 1100.

1-22 Manual de Serviço


Dados do sistema
Visão geral

2 Dados do sistema

2.1 Visão geral


Este manual contempla a descrição dos sistemas HiPath 1100 e suas particularidades.
Recomendamos uma leitura cuidadosa de todos os capítulos e ressaltamos a importância da
manipulação do sistema por técnicos capacitados.

Sobre este capítulo


São descritos os seguintes temas:

Tema Página
Introdução 2-23
Estrutura 2-24
Periferia do sistema 2-25
Limites de expansão para os sistemas 2-26
Dados técnicos 2-34
Normas técnicas e conformidades 2-35
Lista de documentação 2-37

2.2 Introdução

Sistemas de alimentação
Os sistemas HiPath 1150/1190 foram desenvolvidos para serem conectados em sistemas de
alimentação do tipo TN-S e também TN-C-S, isto é, onde o condutor PEN esteja dividido num
condutor para proteção (PE) e outro para neutro (N).

Atenção
! Mas, para ambos os casos, a parte de proteção dos ramais externos e linhas exter-
nas devem possuir um aterramento independente (≤ 10 Ω)
Os sistemas HiPath 1100 são apropriados para a utilização em residências ou no setor privado
e comercial. No caso de ambientes industriais, podem ser necessárias medidas adicionais
referentes à segurança contra interferências externas (ver também “Condições ambientais”,
item 2.7.2).

Manual de Serviço 2-23


Dados do sistema
Estrutura HiPath 1100

2.3 Estrutura HiPath 1100


Os sistemas HiPath 1100 cobrem a necessidade de um amplo espectro de clientes, sendo
fornecidos nas seguintes configurações:
● HiPath 1120: fixação em parede com configuração básica de 2 linhas externas, 8 ramais
e 4 interfaces para telefones de sistema (KS) .
● HiPath 1150: fixação em parede com configuração básica de 2 linhas externas, 10 ramais
e 8 interfaces para telefones de sistema (KS) .
● HiPath 1190 em duas versões:
● HiPath 1190: gabinete externo com capacidade para encaixe de até 21 módulos
(opcionais e de ampliação), composto pela MB, 2 back planes, 3 fontes de alimentação
(PSU).
● HiPath 1190R: gabinete montado dentro de um rack padrão 19” com capacidade para
encaixe de até 21 módulos (opcionais e de ampliação), composto pela MB (CPU)S, 2
back planes, 3 fontes de alimentação (PSU).

Para informações sobre a comercialização das variantes em cada país, dirija-se ao


centro competente.

Figura 2-1 Visão geral do sistema

2-24 Manual de Serviço


Dados do sistema
Periferia do sistema HiPath 1100

2.4 Periferia do sistema HiPath 1100


● HiPath 1120

C/D
Telefones de sistema 4x PC de serviço
MO
MiniDin V.24 Impressora
Linhas externas analógicas a/b 2x MB
a/b
Ramais analógicos 8x MiniDin MO PC de serviço
USB
Sensor e relé Música ADSL
Ethernet HUB - 4 portas para
Aparelho de S1 / RL1 MO MO LAN microcomputadores
áudio
Interface de UP0/E
Porteiro eletrônico interno EB Telefones optiPoint
porteiro
Ramal MO 204 e 200
a/b
Linhas externas analógicas
RDSI S0 EB Ramais analógicos
Acesso básico
S0 EB EVM
(rede pública)
CTR-UP0/E MO
EB
Figura 2-2 Periferia do HiPath 1120

● HiPath 1150

Telefones de sistema C/D PC de serviço


8x MiniDin MO
Linhas externas analógicas a/b
V.24 Impressora
2x MB
Ramais analógicos a/b
10 MO PC de serviço
MOH MiniDin USB
Música externa
Music
HUB - 4 portas para
Acesso primário E1 TME1 ADSL Ethernet microcomputadores
(rede pública) EB MO LAN

Interface de UP0/E Telefones optiPoint


Porteiro eletrônico interno porteiro EB
Ramal MO 010, 202,
S0 S0 206, 210,
Acesso básico a/b Linhas externas analógicas
RDSI EB 012, 200,
(rede pública) Ramais analógicos
400, 800
EVM EB
MO
CTR-UP0/E
EB
Figura 2-3 Periferia do HiPath 1150

Manual de Serviço 2-25


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

● HiPath 1190

C/D MO PC de serviço
Telefones de sistema 8x MiniDin V.24 Impressora
MB
Música externa MOH MO
Music MiniDin USB PC de serviço

Telefones de C/D CD 16
MO ADSL Ethernet HUB - 4 portas para
sistema
MO LAN microcomputadores
Acesso primário E1 TME1 UP0/E
(rede pública) EB Telefones optiPoint
EB
S0 S0
Acesso básico 010, 202,
RDSI EB
(rede pública) 206, 210,
a/b Linhas externas analógicas
Interface de 012, 200,
Porteiro eletrônico Ramais analógicos
porteiro 400, 800
Ramal EB
MO
EVM CTR-UP0/E
MO EB

Figura 2-4 Periferia do HiPath 1190

2.5 Limites de expansão para os sistemas


Durante a montagem dos sistemas (ver “Montagem dos módulos” na página 4-128) é
necessário levar em consideração as caracteristicas, recomendações e limitações dos
módulos que irão compor o conjunto final. Assim recomendamos uma leitura atenta deste
capítulo onde estão indicadas as capacidades máximas de cada módulo e a sua interação com
os outros componentes.

Configuração básica: HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


Linhas externas analógicas 2
0
Ramais analógicos 8 10
Interface para telefones de
4 8
sistema (KS)*
Módulos de ampliação:
EB 010 (10 ramais) 0 4 14
EB 012 (12 ramais) 0 3 11

2-26 Manual de Serviço


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

EB 202 (2 linhas externas e 2 ramais) 0 4 16


EB 204 (2 linhas externas e 4 ramais) 2 0
EB 206 (2 linhas externas e 6 ramais) 0 4 16
EB 210 (2 linhas externas e 10 ramais) 0 4 11
EB 200 (2 linhas externas) 2 4 16
EB 400 (4 linhas externas) 0 3 10
EB 800 (8 linhas externas) 0 1 5
Módulo S0 1 2
Módulo TME1 0 1 2
Módulo UP0/E (optiPoint): 1 ou 2
1
(ver “Módulo CTR-UP0/E” na página 3-71)
Módulo CD 16 (KS) 0 1
**
Módulos opcionais:
Módulos de interface LAN 1
(ADSL, SLIMC, SADSLIM, LIMC ou
ADSLIM)
Módulo EVM 1
Módulo Música 1 on board
Interface de Porteiro TFE 20
***
Capacidade final dos sistemas :
Ramal (analógicos + digitais) 23 89 143
Telefones de sistema (KS + optiPoint) 8 KS
4 KS +
(ver “Módulo CTR-UP0/E” na página 8 KS
ou 16 optiPoint
3-71) +
8 optiPoint (8 master+ 8 slave)
16 optiPoint
(4 master+ 4 slave) ou
(8 master+ 8 slave)
24 KS (módulo CD
16)
Linha digital com TME1/Linha digital
0/2 30/10 45/20
com S0
Linhas externas analógicas sem os
6 16 40
módulos TME1 ou S0
Linha digital (TME1 ) + analógica /
0/8 32/16 45/44
linha digital (S0) +analógica
* Cada telefone de sistema (KS) , quando conectado, ocupa a posição de um telefone analógico.
** Os módulos S0 e TME1 não podem ser utilizados simultaneamente.
Os módulos de interface LAN e TME1 podem ser utilizados simultaneamente no HiPath 1150/1190.
- HiPath 1120 : Módulos ADSL, Módulo SLIMC e Módulo SADSLIM;
- HiPath 1150/1190 :Módulos ADSL, Módulo LIMC e Módulo ADSLIM;

Manual de Serviço 2-27


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

*** Se a capacidade máxima de linhas externas for ultrapassada devido a inserção de módulos EB, S0 ou TME1, o sistema
irá desativar as linhas externas analógicas, mas as posições de ramais continuarão a funcionar normalmente.
Exemplo 1: HiPath 1150
- slot 0 MB 210,
- slot 1 EB 210,
- slot 3 TME1 - 30 linhas digitais
As linhas externas do EB 210 não irão funcionar, mas os ramais sim, pois neste caso temos um número máximo de 32
linhas externas no sistema, ou seja, não podemos ter mais linhas externas analógica.
Exemplo 2: HiPath 1150
- slot 0 MB 210
- slot 3 TME1 = 30 linhas digitais
Neste caso temos um número máximo de 32 linhas externas no sistema, ou seja, não podemos ter mais nenhum módulo
EB com linha externa analógica.
30 linhas digitais CAS/S2 + 2 linhas externas analógicas MB = 32 linhas externas.
Se colocarmos uma EB 200 no slot 1 ou 2, todo o módulo não funcionaria pois excede a capacidade máxima de linhas
externas.
Exemplo 3: HiPath 1150
- slot 0 MB 210
- slot 3 TME1 = 10 linhas digitais
(ATENÇÃO: Desativar as linhas digitais no módulo TME1 e programar as linhas digitais não utilizadas como ausentes
na central – desligar e ligar a central)
No total temos 12 linhas externas no sistema, ou seja, podemos ter mais 4 linhas externas para completarmos o número
máximo de 16 linhas externas para esta combinação.
Poderíamos utilizar mais uma EB 400 no slot 1 ou 2.
Se uma EB 800 fosse colocada na central, todo o módulo não funcionaria pois excede a capacidade máxima de linhas
externas.

Tabela 2-1 Limites de expansão específicos dos sistemas

2.5.1 Considerações a respeito de linhas digitais

HiPath 1120
O máximo número de linhas externas é 16 ( linhas digitais S0 + linhas externas analógicas)

Configuração Linha externa Linha digital Total


analógica Módulo S0
MB + 1 EB 200 4 0 4
MB + 1 S0-2 2 4 6
MB + 1 S0-2 + 1 EB 200 4 4 8
Tabela 2-2 Considerações a respeito de linhas digitais S0 no HiPath 1120

2-28 Manual de Serviço


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

HiPath 1150
O máximo número de linhas externas é 16 ( linhas digitais S0 + linhas externas analógicas)
Configuração Linha externa Linha digital Total
analógica Módulo S0
MB + 1 EB 800 10 0 10
MB + 1 EB 800 + 1 EB 400 + 1 EB 200 16 0 16
MB + 1 S0-2 2 4 6
MB + 1 S0-2 + 1 EB 800 + 1 EB 200 12 4 16
MB + 1 S0-5 2 10 12
MB + 1 S0-5 + 1 EB 400 6 10 16
Tabela 2-3 Considerações a respeito de linhas digitais S0 no HiPath 1150

É possível aumentar esta capacidade até 32 linhas externas utilizando o Módulo TME1 (30
linhas digitais + 2 linhas analógicas). Neste caso, o Módulo S0 não pode ser utilizado. Se 15
canais ( ou mais) do Módulo TME1 forem utilizados, então somente as 2 linhas externas
analógicas da MB podem ser utilizadas (por exemplo, 20 linhas digitais do Módulo TME1 + 2
linhas externas analógicas da MB).

Configuração Linha externa Linha digital (máximo Total


analógica número de acordo com o
número de linhas analógicas)
MB + 1 TME1 2 30 32
MB + 1 TME1 + 1 EB 200 4 13 17
MB + 1 TME1 + 1 EB 400 6 11 17
MB + 1 TME1 + 1 EB 800 10 7 17
MB + 1 TME1 + 1 EB 800 + 1 EB 200 12 5 17
MB + 1 TME1 + 1 EB 800 + 1 EB 400 14 3 17
Tabela 2-4 Considerações a respeito de linhas digitais TME1 no HiPath 1150

Manual de Serviço 2-29


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

HiPath 1190
O número máximo de linhas externas é 45 ( linhas digitais e/ou linhas externas analógicas),
mas o máximo número de linhas externas analógicas é 40.
Por exemplo, as seguintes configurações são possíveis.
Configuração 1 : 40 linhas analógicas + 5 linhas digitais;
Configuração 2 : 8 linhas analógicas + 37 linhas digitais;
Configuração 3 : 0 linhas analógicas + 45 linhas digitais;

Configuração Linha externa Linha digital (em função do número Total


analógica de linhas analógicas)
1 TME1 0 30 30
2 TME1 0 45 45
1 TME1 + 1 EB 200 2 30 32
2 TME1 + 1 EB 200 2 43 45
1 TME1 + 1 EB 400 4 30 34
2 TME1 + 1 EB 400 4 41 45
1 TME1 + 1 EB 800 8 30 38
2 TME1 + 1 EB 800 8 37 45
1 TME1 + 1 EB 800 + 1 EB 200 10 30 40
2 TME1 + 1 EB 800 + 1 EB 200 10 35 45
1 TME1 + 1 EB 800 + 1 EB 400 12 30 42
2 TME1 + 1 EB 800 + 1 EB 400 12 33 45
1 TME1 + 2 EB 800 16 29 45
2 TME1 + 2 EB 800 16 29 45
1 TME1 + 2 EB 800 + 1 EB 200 18 27 45
2 TME1 + 2 EB 800 + 1 EB 200 18 27 45
1 TME1 + 2 EB 800 + 1 EB 400 20 25 45
2 TME1 + 2 EB 800 + 1 EB 400 20 25 45
1 TME1 + 3 EB 800 24 21 45
2 TME1 + 3 EB 800 24 21 45
1 TME1 + 3 EB 800 + 1 EB 200 26 19 45
2 TME1 + 3 EB 800 + 1 EB 200 26 19 45
1 TME1 + 3 EB 800 + 1 EB 400 28 17 45
2 TME1 + 3 EB 800 + 1 EB 400 28 17 45
1 TME1 + 4 EB 800 32 13 45
2 TME1 + 4 EB 800 32 13 45
1 TME1 + 5 EB 800 40 5 45
2 TME1 + 5 EB 800 40 5 45
1 TME1 + 10 EB 400 40 5 45
2 TME1 + 10 EB 400 40 5 45
Tabela 2-5 Considerações a respeito de linhas digitais TME1 no HiPath 1190

2-30 Manual de Serviço


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

2.5.2 Considerações sobre telefones de sistema

HiPath 1120
A tabela abaixo apresenta as configurações possíveis dos telefones KS em conjunto com os
optiPoint utilizando o módulo UP0/E:

master/slave/KS
Nenhum UP0/E (2 ports) UP0/E (4 ports)
0/0/4 2/2/2 4/4/2
Tabela 2-6 Telefones optiPoint e telefones KS para HiPath 1120.

Restrições:
O limite de telefones KS operando com telefones optiPoint no sistema é de 2 (KS).

HiPath 1150/1190
A tabela abaixo apresenta as configurações possíveis dos telefones KS em conjunto com os
optiPoint utilizando módulos UP0/E:

master/slave/KS
Nenhum UP0/E (2 ports) UP0/E (4 ports) UP0/E (8 ports)
Nenhum 0/0/8 2/2/8 4/4/8 8/8/8
UP0/E (2 ports) 2/2/8 4/4/8 6/6/8 2/2/8
UP0/E (4 ports) 4/4/8 6/6/8 8/8/8 4/4/8
UP0/E (8 ports) 8/8/8 8/8/8 8/8/8 8/8/8
Tabela 2-7 Telefones optiPoint e telefones KS para HiPath1150/1190/1190R.

Restrições:
Se um módulos UP0/E de 8 ports for instalado, o sistema não vai liberar outro módulo UP0/E no
Sistema. O limite, seja no HiPath 1150, seja no HiPath 1190 é de 8 ports UP0/E que resultam
em 16 telefones optiPoint ( master + slave) + 8 KS totalizando o limite de 24 telefones de
sistema. Portanto, só serão possíveis combinações de módulos UP0/E somando no máximo 8
ports.

Manual de Serviço 2-31


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

2.5.3 Observações sobre o HiPath 1150


Se no HiPath 1150 existissem somente 2 Highways PCM e caso fosse utilizado um Módulo
TME1 teríamos 30 timeslots reservados e outros 2 timeslots reservados para os troncos
analógicos o que implicaria em menos de 32 timeslots livres para todas as outras extensões
do sistema. Para evitar esta limitação, a solução foi utilizar uma highway adicional baseada no
controle via DSP para os slots 3 e 4.

SLOT 2 SLOT 4

SLOT 1 SLOT 3

Highway A

Highway B

Highway C

Figura 2-5 Distribuição das highways no HiPath 1150

A alocação dos canais PCM são primeiramente feitas conectando um codec em um canal e
então o DSP irá transferir este canal para um outro. O codec pode ser conectado somente em
2 highways, assim para os codecs se interligarem com a terceira highway (C) será feito como
se fosse à primeira highway. A highway (A) não será utilizada neste caso.
O HiPath 1150 trabalha com a alocação dinâmica de timeslots durante a inicialização do
sistema exceto para alguns recursos fixos, por exemplo: EVM.

2.5.4 Observações sobre o HiPath 1190


● O sistema HiPath 1190 com apenas uma bandeja permite no máximo de 80 ramais;
● Módulo TME1
Deve ser colocado exclusivamente nos slots 1 e 11. Por este motivo, para utilização de
dois Módulos é necessário que o sistema possua as duas bandejas;
Obedecendo ao limite de 40 linhas externas analógicas ou 45 linhas digitais e 140 ramais,
o sistema pode ser composto, por exemplo:

Slot Módulos
2 x EB 800, 2 x EB 012 ou 2 x EB 210 ou 1 x TME1 no slot 1 (neste caso, o slot 2 deve
1e2
permanecer livre).

2-32 Manual de Serviço


Dados do sistema
Limites de expansão para os sistemas

Composição de módulos de ramal ou linhas externas que não excedam 32 ports (por
3, 4 e 14
exemplo: 3 x EB 010 ou 2 x EB 012 ou 2 x EB 210).
5, 6 e 7 Composição de módulos de ramal ou linhas externas que não excedam 32 ports.
8, 9 e 10 Composição de módulos de ramal ou linhas externas que não excedam 32 ports.
Composição de módulos de ramal ou linhas externas que não excedam 32 ports, ou 1
11, 12 e 13 x TME1 no slot 11 e 1 x EB 010, EB 012 ou EB 210 no slot 13 (neste caso, o slot 12
deve permanecer livre).
15, 16 e 17 Composição de módulos de ramal ou linhas externas que não excedam 32 ports.
18, 19 e 20 Composição de módulos de ramal ou linhas externas que não excedam 32 ports.
Tabela 2-8 Exemplos de configuração do sistema HiPath 1190

Cada Highway do sistema suporta até 32 ports. Por exemplo, na Highway 2 (po-
sições 3, 4 e 14), podem ser colocadas duas EBs 800 e uma EB 206, somando as-
sim 24 ports. Já na Highway 1 (posições 1 e 2), colocando uma TME1 na posição 1
(somando 30 ports) a posição 2 deve ficar livre (exceto para o Módulo de interface-
LAN, que poderá ser instalado na posição 2).

A Tabela 2-9 mostra as posições e suas respectivas Highways.

Slot 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20
Highways
2 X
5 X X X
6 X X X
7 X X X
Slot 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10
Highways
1 X X
2 X X
3 X X X
4 X X X
Tabela 2-9 Distribuição dos módulos nos back planes do HiPath 1190

Manual de Serviço 2-33


Dados do sistema
Dados Técnicos

2.6 Dados Técnicos

Elemento HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


Dimensões da caixa básica
Comprimento 360 mm 470 mm 420 mm
Profundidade 288 mm 370 mm 394 mm
Altura 64.4 mm 100 mm 498 mm
Peso 1.2 kg 4.25 kg 22,5 kg
Especificações elétricas da fonte de alimentação (PSU)
Características de 220V / 127mA
alimentação (Input) 127V / 331mA 110 - 230V, Full range / 1,5A
110V / 381mA
Freqüência de operação 50/60Hz 50/60Hz
Tensões nominais (Output) U1: 8 Vrms 5.1 VDC; .
U2: 23 Vrms 26.4 VDC; .
Tensão de chamada U3:
50 VAC + 97 VDC / 0.13A - 25Hz
40 Vrms/60Hz
42 VAC + 85.8 VDC / 0.13A - 25Hz
65 Vrms/25Hz (SPA)
(RSA)
42 Vrms/25Hz (RSA)
Modo de seleção de discagem para outras centrais públicas e privadas:
● Nível de transmissão MF:
Grupo inferior* -11 dBm
Grupo superior* -9 dBm
Pré-ênfase 2 dB
Duração do pulso** 90ms min.
Pausa interdigital** 90ms min.
● DC (Decádico):
Relação pulso-pausa** 2:1 (approximately 70:30ms = 10 Hz)
Pausa interdigital** 800ms
Loop aberto resistência de
isolação entre fios a/b ou fio > 10MΩ
a/terra ou b/terra
Loop fechado resistência
de linha / Corrente contínua De acordo com as normas/padrões nacionais
de loop

2-34 Manual de Serviço


Dados do sistema
Normas técnicas e conformidades

Elemento HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


Reconhecimento de
> 9VRMS
chamada entrante
*〉 Varia de acordo com o país. Os valores mostrados são para o Brasil.
**〉 Varia de acordo com o país programado e podem ser alterados por programação. Os valores mostrados são default e para
o Brasil.
Tabela 2-10 Dados técnicos

Todas as indicações são valores aproximados. Para as interconexões deve-se consi-


derar uma tolerância.

2.7 Normas técnicas e conformidades

Conformidade Norma Obs.


EN60950
Segurança Elétrica IEC 60950
UL 60950-1
Condições ambientais IEC721 *
IEC61000-4-5
Surto Elétrico (IEC 801-5) Nível 3
TIA-968-A
IEC61000-4-4
Transientes Rápidos Nível 3
(IEC 801-4)
IEC61000-4-2 Ar - Nível 3 (8kV)
Descarga Eletrostática
(IEC 801-2) Contato- Nível 2 (4kV)
*〉 Clima: Operação 3K3 Transporte 2K4 Armazenamento 1K3.
Mecânicas: Operação 3M3 Transporte 2M2 Armazenamento 1M2.
Tabela 2-11 Normas e conformidades utilizadas

Manual de Serviço 2-35


Dados do sistema
Normas técnicas e conformidades

2.7.1 Segurança Internacional


● IEC 60950

2.7.2 Condições ambientais

Operação Transporte Armazenagem


o
Temperatura do ar ( C) +5 a +30 -25 a +70 -5 a +45
Umidade relativa do ar 5% a 85 % 95% 5% a 95%
Tabela 2-12 Condições ambientais

Condições de serviço (mecânica)


● O sistema foi desenvolvido basicamente para a utilização em locais fixos.

Atenção
! ● A fim de se evitar a condensação de água, quando o sistema for transportado
em temperatura ambiente extremamente baixa, deve-se, antes de iniciar a
instalação, deixá-lo embalado até que se estabeleça o equilíbrio térmico
(variação térmica admitida: 7,5°C / 30 min);
● Não se deve expor a central diretamente aos raios solares ou colocá-la perto de
radiadores (risco de aumento local de temperatura);
● As instalações umedecidas devem ser secas. Durante o funcionamento do
sistema, deve-se impedir a condensação de água;
● Não há necessidade de ventilação forçada sobre a central;
● Não obstruir a ventilação natural do equipamento;
● O equipamento deve estar protegido de intempéries.

2-36 Manual de Serviço


Dados do sistema
Lista de documentação

2.8 Lista de documentação


Documentação Número de encomenda
Manual de Programação - Telefones Analógicos MF A31003-K1270-U100-*-**19
Manual de Usuário - Telefone de sistema optiPoint 500 Adv, A31003-K1270-U101-*-**19
Std, Basic e Econ
Manual de Usuário - Telefones de Sistema Profiset 3030 e A31003-K1270-U102-*-**19
E822ST
Manual de Usuário - Telefones Analógicos MF ou DEC A31003-K1270-U103-*-**19
Manual de Usuário - Telefone de sistema optiPoint 500 A31003-K1270-U104-*-**19
Entry
Guia rápido - Telefones Analógicos MF e DEC A31003-K1270-U105-*-**19
Guia rápido - Telefone de sistema optiPoint 500 Entry A31003-K1270-U106-*-**19
Guia rápido - Telefone de sistema optiPoint 500 Adv, Std, A31003-K1270-U107-*-**19
Basic e Econ
Guia rápido - Telefones de Sistema Profiset 3030 e E822ST A31003-K1270-U108-*-**19
Terminal de Operadora - Telefone de sistema optiPoint 500 A31003-K1270-U109-*-**19
Adv, Std, Basic, Econ e Entry
Terminal de Operadora - Telefones de Sistema Profiset 3030 A31003-K1270-U110-*-**19
e E822ST
Manual de Serviço A31003-K1270-S100-*-**20
Manager A31003-K1270-M100-*-**A9
Opcionais (Brasil)
Manual do usuário do Interaction Center Smart A30808-X5226-E175-*-V418
Guia Rápido TAC Smart A30808-X5226-V103-*-V419

Tabela 2-13 Lista de documentação para HiPath 1100

Manual de Serviço 2-37


Dados do sistema
New in HiPath 1100 V7.0

2.9 New in HiPath 1100 V7.0

Característica Documentação Referência


Small Hotel Application Manual de usuário A31003-H1100-D100-*-**A9
Número de extensão que Manual de programação A31003-K1270-U100-*-**19
muda através do telefone
chave
Grupo que programa pelo Manual de programação A31003-K1270-U100-*-**19
menu
Função da Executivo/ Manual de programação A31003-K1270-U100-*-**19
Secretária Manual de usuário optiPoint 500 A31003-K1270-U101-*-**19
Manual de usuário OpenStage 15 T A31003-K1270-U115-*-**19

2.9.1 Aplicação Accounting Tool


A aplicação Accounting Tool é usada para fins de bilhetagem avançada de ligações.
Para instalá-la execute o arquivo de setup existente no seguinte caminho do CD de instalação:
“\extras\Accounting tool\setup.exe”
Para maiores informações sobre como configurar, consulte o arquivo de ajuda da aplicação.

2-38 Manual de Serviço


Módulos
Visão geral

3 Módulos

3.1 Visão geral

Sobre este capítulo


São descritos os seguintes temas:

Tema Página
Abreviaturas para nomes de Países 3-40
Relação de módulos 3-40
Módulos/ Componentes
● Placa-mãe (MB) 3-44
● Módulos de ampliação (EB) 3-51
● Módulo S0 3-57
● Módulo TME1 3-61
● Módulo UP0/E e Módulo CTR UP0/E 3-69
Módulos opcionais
● Módulos de Interface LAN 3-72
● Módulo EVM 3-80
● Módulo CD 16 3-82
● Módulo Música 3-83
Módulos / Componentes gerais
● Fonte de Alimentação (PSU) 3-85
● Distribuidor geral 3-92
● Back Plane 3-93
● Porteiro eletrônico interno com interface TFE 3-95
● Cabo adaptador V.24 3-104
● Cabo adaptador USB 3-107
● Cabo serial TME1 3-108
● Cabo adaptador para modem analógico 3-109
● Cabo coaxial TME1 3-111
● Cabos para conexão das baterias (BBU) 3-113

Manual de Serviço 3-39


Módulos
Abreviaturas para nomes de Países

3.2 Abreviaturas para nomes de Países

ARG Argentina
BRA Brasil
CHN China
IM Mercado Internacional
IND Índia
RSA África do Sul
Tabela 3-1 Abreviaturas para nome de Países

3.3 Relação de módulos

Relação dos módulos/componentes - HiPath 1120

Módulo / Componente Referência


BOX
HiPath 1120 S30817-U857-B401-* (IM) :110V
S30817-U857-A401-* (IM) :220V
S30817-U857-C401-* (ARG)
S30817-U857-A464-* (IND)
S30817-U857-A420-* (RSA/CHN)
Placa-mãe (MB)
MB S30817-Q845-A401-* (IM)

3-40 Manual de Serviço


Módulos
Relação de módulos

Módulo / Componente Referência


Módulo de ampliação
EB 204 S30817-H844-A401-* (IM)
EB 200 S30817-H844-B401-* (IM)
Módulo S0 (2 ports) S30817-H843-A301-*
Módulo S0 (1 ports) S30817-H843-B301-*
Módulo UP0/E (4 ports) S30817-H863-A401-* (IM)
Módulo UP0/E (2 ports) S30817-H863-B401-* (IM)
Módulo CTR UP0/E S30817-Q862-A401-*
Módulos opcionais (MO)
Módulo EVM S30807-Q6945-X-*
Módulo ADSL/SLIMC S30817-H866-A401-* (IM)
Módulo SADSLIM S30817-H866-B401-* (IM)
Módulo Música S30817-H860-A301-* (IM)
Porteiro eletrônico interno com interface TFE ver Nota 1
Componentes gerais
Cabo adaptador V.24 S30122-X5468-X005-*
Cabo adaptador USB S30817-K861-A301-*
Adaptador de Impedância (Balun) - TME1 S30122-X7357-X-*
Fonte de Alimentação (PSU) 110/127V:
S30122-X8009-X100-* (IM)
220V:
S30122-X7646-X-* (IM)
S30122-X7646-X200-* (ARG)
S30122-X8009-X006-* (RSA)
Cabo de interligação( Flat Cable) - C/ Ferrite C39195-A7700-B6
Cabo de interligação( Flat Cable) - S/ Ferrite C39195-Z7001-C95
Ferrite para cabo de interligação C95 C39022-Z7000-C15
Cabo de interligação( flat cable)- UP0/E C39195-Z7001-C96
Fonte adicional - UP0/E C39280-Z4-C71
*) Versão do módulo/componente.
Tabela 3-2 Lista dos módulos/componentes utilizados - HiPath 1120

Nota 1: Ver “Porteiro eletrônico interno com interface TFE” na página 3-95

Manual de Serviço 3-41


Módulos
Relação de módulos

Interface de porteiro TFE S30122-K7696-T313-* (com amplificador)


Interface de porteiro TFE S30817-K930-A300-* (sem amplificador)
Interface de porteiro Brasil S30817-Q936-C282

Relação dos módulos/componentes - HiPath1150/1190/1190R

Módulo / Componente Referência


BOX
HiPath 1150 (BBU) S30817-U853-A401-* (IM)
S30817-U853-A464-* (IND)
HiPath 1190 (BBU) Full (2 bandejas)
S30777-U770-A401-* (IM)
S30777-U770-A464-* (IND)
Medium (1 bandeja)
S30777-U770-B401-* (IM)
S30777-U770-B464-* (IND)
HiPath 1190R (BBU) Full (2 bandejas)
S30777-U770-C401-* (IM)
S30777-U770-C464-* (IND)
Medium (1 bandeja)
S30777-U770-D401-* (IM)
S30777-U770-D464-* (IND)
Kit de Ampliação HiPath 1190
Fonte, cabos e Back plane (BBU) S30777-H770-B401-* (IM)
Placa-mãe (MB) HiPath 1150
MB S30817-Q848-B401-* (IM)
MB HiPath 1190
MB S30817-Q856-A401-* (IM)
Módulos de ampliação
EB 010 S30817-H858-B301-* (IM)
EB 012 (apenas HiPath 1150) S30817-H858-A301-* (IM)
EB 202 S30817-H847-C301-* (IM)
EB 206 S30817-H847-B301-* (IM)
EB 210 S30817-H847-A301-* (IM)
EB 200 S30817-H850-C301-* (IM)

3-42 Manual de Serviço


Módulos
Relação de módulos

Módulo / Componente Referência


EB 400 S30817-H850-B301-* (IM)
EB 800 S30817-H850-A301-* (IM)
Módulo S0 (5 ports) S30817-H851-A301-*
Módulo S0 (2 ports) S30817-H851-B301-*
Módulo TME1 S30817-H846-A282-*
Módulo UP0/E (8 ports) S30817-H864-A401-*
Módulo UP0/E (4 ports) S30817-H864-B401-*
Módulo UP0/E (2 ports) S30817-H864-C401-*
Módulo CTR UP0/E S30817-Q862-A401-*
Módulos opcionais (MO)
Módulo ADSL/LIMC S30817-H867-A401-* (IM)
Módulo EVM S30817-Q6945-X-*
Módulo CD 16 S30817-H0855-A282-*
Porteiro eletrônico interno com interface TFE ver Nota 2
Componentes gerais
Cabo coaxial para o módulo TME1 C39195-A9700-B531-*
Cabo serial TME1 C39195-A9700-B532-*
Cabo adaptador V.24 S30122-X5468-X005-*
Adaptador de Impedância (Balun) S30122-X7357-X-*
Cabo adaptador USB S30817-K861-A301-*
Cabo de interligação de 250 mm (fornecido V42405-J1-A159
junto com o módulo ADSL)
Cabo de alimentação C39195-Z7001-C11
C39195-Z7001-C12
Kit de conexão de baterias (BBU) L30251-U600-A617
– Cabo de conexão de baterias (BBU) C39195-A7700-B11
– Cabo de conexão entre baterias (BBU) C39195-A7944-B49
Ferrite para cabo de alimentação C39022-Z7000-C7
Cabo de conexão PSU-baterias (BBU) C39195-A7700-B9
Cabo de interligação das fontes HiPath 1190 C39195-A7700-B10
(BBU)
Cabo Vshare HiPath 1190 (BBU) C39195-A7700-B8
Fonte de Alimentação (PSU)

Manual de Serviço 3-43


Módulos
Placa-mãe (MB)

Módulo / Componente Referência


HiPath 1150 (BBU) S30122-H7714-X20
HiPath 1190 (BBU) S30122-H7714-X10
HiPath 1190R (BBU) S30122-H7714-X10
Back Plane
HiPath 1150 S30817-Q853-A401-*
HiPath 1190 (Back Plane 1) S30817-Q854-A401-*
HiPath 1190 (Back Plane 2) S30817-Q854-B401-*
Tabela 3-3 Lista dos módulos/componentes utilizados - HiPath1150/1190/1190R

Nota 1: Para maiores detalhes sobre a capacidade final do sistema HiPath 1100 ver
Tabela 2-1 na página 2-28 “Limites de ampliação específicos do sistema”.
Nota 2: Ver “Porteiro eletrônico interno com interface TFE” na página 3-95
● Interface de porteiro TFE S30122-K7696-T313-*(com amplificador)
● Interface de porteiro TFE S30817-K930-A300-*(sem amplificador)
● Interface de porteiro TFE S30817-Q936-C282-* (Brasil)

Atenção
! Todos os módulos do HiPath 1100 só podem ser extraídos ou inseridos com a
alimentação desligada.

3.4 Placa-mãe (MB)

Introdução
A MB é a placa central do sistema HiPath 1100, onde estão contempladas todas as
funcionalidades requeridas para a operação do PABX.

Funções
● Circuito de identificação de chamadas externas CLIP (serviço contratado junto à
operadora);
● Unidade central de processamento (CPU);
● Gerador e Detector de DTMF;
● Circuitos de conferência;

3-44 Manual de Serviço


Módulos
Placa-mãe (MB)

● Geradores de tom;
● Gerador de música;
● Memória (software + base de dados do cliente);
● Comutação digital;
● Sinalização;
● Atendedor/Fax.
● Data e hora para o sistema.

Observação
A manutenção da data e hora do sistema, no caso de interrupção da alimentação, é possível
devido a utilização de uma bateria. Esta bateria só pode ser substituída por uma bateria
idêntica ou por outro tipo recomendado pela assistência técnica.

Cuidado
! RISCO DE EXPLOSÃO SE A BATERIA FOR SUBSTITUÍDA POR UM TIPO INCOR-
RETO. DESCARTE AS BATERIAS USADAS DE ACORDO COM AS INSTRUÇÕES
LEGAIS ESPECÍFICAS DE CADA PAÍS.

Manual de Serviço 3-45


Módulos
Placa-mãe (MB)

3.4.1 HiPath 1120

Caso o módulo UP0/E seja conectado no HiPath 1120 apenas 2 interfaces CD


7 estarão disponíveis.

Interfaces MB

Bateria

Figura 3-1 MB do HiPath 1120

3-46 Manual de Serviço


Módulos
Placa-mãe (MB)

Atribuição dos conectores da MB - HiPath 1120

Contato Conector X14 Conector X20 Conector X30 Conector X40 Bateria
1 a1 - tronco 1 a1 - ramal 1 a5 - ramal 5 C-interface 1 Responsável
2 b1 -tronco 1 b1 - ramal 1 b5 - ramal 5 D-interface 1 pela
manutenção da
3 a2 - tronco 2 a2 - ramal 2 a6 - ramal 6 C-interface 2 data e hora do
4 b2 - tronco 2 b2 - ramal 2 b6 - ramal 6 D-interface 2 sistema no caso
de falta de
5 a3 - ramal 3 a7 - ramal 7 C-interface 3
energia
6 b3 - ramal 3 b7 - ramal 7 D-interface 3
7 a4 - ramal 4 a8 - ramal 8 C-interface 4
8 b4 - ramal 4 b8 - ramal 8 D-interface 4
Conector X1 Conector X2 Conector X50 Conector X60 Conector X70
Adicional Ribbon Fonte de
Ribbon Cable Interface Interface serial
Cable para EB- alimentação
para os módulos USB V.24
UP0/E (PSU)
Conector Conector X92 Conector X93 Conector X94 Conector X95
X90 e X91
Para o módulo Para o módulo CTR-UP0/E Para módulo Para o módulo
VCC EVM Música de Interface
LAN

Tabela 3-4 Atribuição dos Conectores da MB do HiPath 1120

Interface - Módulo Baby Board VCC


Este módulo é conectado sobre a MB e é um conversor AC/DC utilizado no HiPath 1120 V6.0
e V7.0. As tensões de entrada são 23VAC e a tensão de ring que depende do país. As tensões
de saída são : 3,3VDC, 5 VDC, 24VDC, 32VDC e a tensão de ring somada a uma tensão de
offset..

Figura 3-2 Módulo Baby Board VCC HiPath 1120

Manual de Serviço 3-47


Módulos
Placa-mãe (MB)

Atribuição dos conectores do Módulo Baby Board VCC.

Conector X1 e X2
Faz a interligação com a MB através da barra de pinos
Tabela 3-5 Conectores do Módulo Baby Board VCC HiPath 1120

3.4.2 HiPath 1150

Interfaces MB

Bateria

Figura 3-3 Visão geral da MB do HiPath 1150

3-48 Manual de Serviço


Módulos
Placa-mãe (MB)

Atribuição dos conectores da MB (HiPath 1150)

Contato Conector Conector Conector Conector Conector Conector


X5 X6 X7 X8 X11 X12
1 a1 - tronco 1 a3 - ramal 3 a7 - ramal 7 -- C-interface 1 C-interface 5
2 b1 -tronco 1 b3 - ramal 3 b7 - ramal 7 -- D-interface 1 D-interface 5
3 a2 - tronco 2 a4 - ramal 4 a8 - ramal 8 música fio A C-interface 2 C-interface 6
4 b2 - tronco 2 b4 - ramal 4 b8 - ramal 8 música fio B D-interface 2 D-interface 6
5 a1 - ramal 1 a5 - ramal 5 a9 - ramal 9 C-interface 3 C-interface 7
6 b1 - ramal 1 b5 - ramal 5 b9 - ramal 9 D-interface 3 D-interface 7
7 a2 - ramal 2 a6 - ramal 6 a10 - ramal 10 C-interface 4 C-interface 8
8 b2 - ramal 2 b6 - ramal 6 b10 - ramal 10 D-interface 4 D-interface 8
Conector Conector Conector Conector Conector Conector
X212 X2 X3 X1 X9 X10
Fonte de
Back plane Back plane Módulo Interface Interface
alimentação
Posição 1 e 2 Posição 3 e 4 CTR-UP0/E USB serial V.24
(PSU)
Conector Bateria
X31
Responsável pela
manutenção da data e hora
Módulo EVM do sistema no caso de falta
de energia

Tabela 3-6 Atribuição dos conectores da MB do HiPath 1150

Manual de Serviço 3-49


Módulos
Placa-mãe (MB)

3.4.3 HiPath 1190/1190R

Interfaces MB

Bateria
Figura 3-4 Visão geral da MB do HiPath 1190

3-50 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Atribuição dos conectores da MB (HiPath 1190)

Contato Conector X16 Conector X17 Conector X8 Bateria


1 C-interface 1 C-interface 5 música fio A
2 D-interface 1 D-interface 5 música fio A Responsável
pela
3 C-interface 2 C-interface 6 música fio B
manutenção
4 D-interface 2 D-interface 6 música fio B da data e hora
5 C-interface 3 C-interface 7 do sistema no
caso de falta
6 D-interface 3 D-interface 7
de energia
7 C-interface 4 C-interface 8
8 D-interface 4 D-interface 8
Conector X1 Conector X9 Conector X31 Conector X14 Conector X213
Interface Módulo CTR- Interface
Back plane Módulo EVM
USB UP0/E serial V.24

Tabela 3-7 Atribuição dos conectores da MB do HiPath 1190

3.5 Módulos de ampliação (EB)

Introdução
São módulos compostos de ramais e linhas externas analógicas utilizados para ampliar o
número de interfaces analógicas (a/b) com telefones comuns, troncos analógicos e
equipamentos adicionais (Interface TFE, outros).
Existem módulos com apenas troncos, troncos e ramais e apenas ramais. No caso dos
módulos que possuem troncos e ramais, em caso de falta de energia, existe um circuito
responsável em comutar os troncos existentes para as respectivas posições de ramais.

3.5.1 HiPath 1120

Limites
● 200 - 2 linhas externas analógicas;
● 204 - 2 linhas externas analógicas e 4 ramais analógicos.

Manual de Serviço 3-51


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Módulo de ampliação EB 200

Interfaces

Figura 3-5 Visão geral do módulo EB 200

A Figura 3-5 apresenta a distribuição dos ramais e linhas externas nos conectores do módulo
EB 200.
Atribuição dos conectores do módulo EB200

Contato Conector X6 Conector X5


1 interligação com a1 - linha externa 1
2 a MB através do b1 - linha externa 1
cabo de
3 interconexão a2 - linha externa 2
4 (flat cable) b2 - linha externa 2
Tabela 3-8 Atribuição dos Conectores do EB 200

3-52 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Módulo de ampliação EB 204

Interfaces

Figura 3-6 Visão geral do módulo EB 204

A Figura 3-6 apresenta a distribuição dos ramais e linhas externas nos conectores do módulo
EB 204.

Atribuição dos conectores do módulo EB 204

Contato Conector X1 Conector X2 Conector X5


1 interligação com a1 - ramal 1 a1 - linha externa 1
2 a MB através do b1 - ramal 1 b1 - linha externa 1
cabo de
3 interconexão a2 - ramal 1 a2 - linha externa 2
4 (flat cable) b2 - ramal 2 b2 - linha externa 2
5 a3 - ramal 3
6 b3 - ramal 3
7 a4 - ramal 4
8 b4 - ramal 4
Tabela 3-9 Atribuição dos Conectores do EB 204

Manual de Serviço 3-53


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

3.5.2 HiPath1150/1190/1190R

Limites
● 800 - 8 linhas externas analógicas;
● 400 - 4 linhas externas analógicas;
● 200 - 2 linhas externas analógicas;
● 210 - 2 linhas externas analógicas e 10 ramais analógicos;
● 206 - 2 linhas externas analógicas e 6 ramais analógicos;
● 202 - 2 linhas externas analógicas e 2 ramais analógicos;
● 012 - 12 ramais analógicos;
● 010 - 10 ramais analógicos.

Módulos de ampliação EB 210, EB 206 e EB 202

Interfaces

Figura 3-7 Visão geral do módulo EB 210

A Figura 3-7 apresenta a distribuição dos ramais e linhas externas nos conectores do módulo
EB 210, sendo que para os módulos EB 206 e EB 202 estas distribuições ficam limitadas as
suas capacidades.

3-54 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Atribuição dos conectores dos módulos EB 210, EB 206 e EB 202

Contato Conector X1 Conector X2 Conector X3 Conector X4


1 interligação com a1 - linha externa 1 a3 - ramal 3 a7 - ramal 7
2 a MB através do b1 - linha externa 1 b3 - ramal 3 b7 - ramal 7
conector back
3 plane a2 - linha externa 2 a4 - ramal 4 a8 - ramal 8
4 b2 - linha externa 2 b4 - ramal 4 b8 - ramal 8
5 a1 - ramal 1 a5 - ramal 5 a9 - ramal 9
6 b1 - ramal 1 b5 - ramal 5 b9 - ramal 9
7 a2 - ramal 2 a6 - ramal 6 a10 - ramal 10
8 b2 - ramal 2 b6 - ramal 6 b10 - ramal 10
Tabela 3-10 Atribuição dos Conectores dos módulos EB 210, EB 206 e EB 202

Nota 1: Conector X2 utilizado para EB 210, EB 206 e EB 202; conector X3 utilizado para o
EB 210 e EB 206 e conector X4 utilizado para o EB 210.

Módulos de ampliação EB 012 e EB 010

Interfaces

Figura 3-8 Visão geral do módulo EB 012

Manual de Serviço 3-55


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

A Figura 3-8 apresenta a distribuição dos ramais nos conectores do módulo EB 012, sendo
que para o módulo EB 010 esta distribuição fica limitada a sua capacidade.

Atribuição dos conectores dos módulos EB 012 e EB 010

Contato Conector X1 Conector X2 Conector X3 Conector X4


1 interligação com a1 - ramal 1 a5 - ramal 5 a9 - ramal 9
2 a MB através do b1 - ramal 1 b5 - ramal 5 b9 - ramal 9
conector back
3 plane a2 - ramal 2 a6 - ramal 6 a10 - ramal 10
4 b2 - ramal 2 b6 - ramal 6 b10 - ramal 10
5 a3 - ramal 3 a7 - ramal 7 a11 - ramal 11
6 b3 - ramal 3 b7 - ramal 7 b11 - ramal 11
7 a4 - ramal 4 a8 - ramal 8 a12 - ramal 12
8 b4 - ramal 4 b8 - ramal 8 b12 - ramal 12
Tabela 3-11 Atribuição dos Conectores dos EB 012 e EB 010

Nota 1: Conector X4 utiliza os contatos de 5 a 8 apenas no EB 012.

Módulos de ampliação EB 800, EB 400 e EB 200

Figura 3-9 Visão geral do módulo EB 800

3-56 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

A Figura 3-9 apresenta a distribuição das linhas externas nos conectores do módulo EB 800,
sendo que para os módulos EB 400 e EB 200 estas distribuições ficam limitadas as suas
capacidades.

Atribuição dos conectores dos módulos EB 800, EB 400 e EB 200

Contato Conector X1 Conector X2 Conector X3


1 interligação com a1 - linha externa 1 a5 - linha externa 5
2 a MB através do b1 - linha externa 1 b5 - linha externa 5
conector back
3 plane a2 - linha externa 2 a6 - linha externa 6
4 b2 - linha externa 2 b6 - linha externa 6
5 a3 - linha externa 3 a7 - linha externa 7
6 b3 - linha externa 3 b7 - linha externa 7
7 a4 - linha externa 4 a8 - linha externa 8
8 b4 - linha externa 4 b8 - linha externa 8
Tabela 3-12 Atribuição dos Conectores dos EB 800, EB 400 e EB 200

Nota 1: Os módulos EB 800, 400, 200, não possuem circuito de falta de energia;
Conector X2 utilizado para EB 800, EB 400 e EB 200;
Conector X3 utilizado para EB 800.

3.5.3 Módulo S0

Introdução
Permite o acesso à rede RDSI através de 2/5 acessos básicos S0 digitais (4 ou 10 canais),
permitindo a utilização dos recursos desta rede.

Funções
● Cada acesso RDSI disponibiliza 2 canais de 64 Kbits/s, usados para comunicação;
● Algumas facilidades como identificação de chamadas, supressão da indicação do
número, discagem direta ao ramal, entre outras, podem ser disponibilizadas dependendo
de habilitação pela operadora.

Quando for utilizada a configuração S0-Bus (ramais RDSI), deve-se sempre usar
cabos cruzados (crossover).
O módulo S0 deve ser sempre instalado no slot sob a placa mãe (MB).

Manual de Serviço 3-57


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

3.5.3.1 HiPath 1120

Interfaces

Figura 3-10 Módulo S0 HiPath 1120

A Figura 3-10 apresenta a distribuição de um módulo S0 com 2 Ports , sendo que também
existe a opção com 1 Port somente.

Jumpers
Port 1 Port 2
X2 e X3 X4 e X5
Posição 1 e 2 - sem TR (terminação resistiva) (padrão de fábrica)
Posição 3 e 2 - com TR (terminação resistiva usada quando a porta estiver
configurada como S0-BUS)
Tabela 3-13 Jumpers do módulo S0 HiPath 1120

Atribuição dos conectores do Módulo S0

Conector X1 Port 1 Port 2


Conector X6 Conector X7
Interligação com a MB através da barra de pinos RJ 45 RJ 45
Tabela 3-14 Conectores do módulo S0 HiPath 1120

3-58 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

3.5.3.2 HiPath1150/1190/1190R

X1

Figura 3-11 Módulo S0 HiPath1150/1190/1190R

A Figura 3-11 apresenta a distribuição de um módulo S0 com 5 Ports , sendo que também
existe a opção com 2 Ports.

Jumpers
Port 1 Port 2 Port 3 Port 4 Port 5
X10 e X11 X50 e X51 X90 e X91 X130 e X131 X170 e X171
Posição 1 e 2 - sem TR (terminação resistiva) (padrão de fábrica)
Posição 3 e 2 - com TR (terminação resistiva usada quando a porta estiver
configurada como S0-BUS)
Tabela 3-15 Jumpers do módulo S0 HiPath1150/1190/1190R

Manual de Serviço 3-59


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Atribuição dos conectores

Conector X1 Port 1 Port 2 Port 3 Port 4 Port 5


Conector Conector Conector Conector Conector
X2 X3 X4 X5 X6
Interligação da MB com
a barra de pinos RJ 45 RJ 45 RJ 45 RJ 45 RJ 45
Tabela 3-16 Conectores do módulo S0 HiPath1150/1190/1190R

Acesso básico S0

HiPath 1100 Rede pública

Cabo 4 fios NT
S0

Figura 3-12 Ligação de acesso básico S0

Conector do módulo S0

1 8 1 = NC
2 = NC
3 = SX +
4 = SR -
5 = SR +
X 6 = SX -
7 = NC
8 = NC
SX = signal transmit (emitir)
SR = signal receive (receber)
RJ 45
Figura 3-13 Distribuição dos sinais no conector da S0

Instalação do Módulo S0

Sistema Posição/slot
HiPath 1120 2
HiPath 1150 3
HiPath 1190/1190R 1 ou 11
Tabela 3-17 Instalação do módulo S0

3-60 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

3.5.4 Módulo TME1


O módulo TME1 pode ser configurado para operar com acesso E1 CAS ou acesso S2.

Atenção
! O módulo TME1 sairá da fábrica previamente configurado para operar como inter-
face CAS.
Para que o módulo opere como interface S2 será necessário executar um procedi-
mento de reconfiguração do módulo através do S2M Maintenance.
● Acesso E1 CAS
O módulo TME1 com acesso E1 CAS é uma Unidade de Interface Digital (DIU) utilizado para
conectar o HiPath1150/1190/1190R à PSTN através do tronco E1. O entroncamento E1 pode
transportar 30 canais digitais de voz, porém os sistemas HiPath 1150 utilizam até 20 canais e
os sistemas HiPath 1190 utilizam até os 30 canais se o módulo TME1 estiver alocado na
posição 1 e até 15 canais se o módulo estiver na posição 11.
● Funções
● Aumenta a capacidade de linhas externas do sistema;
● Permite a identificação de chamadas (CLIP) e a discagem direta ao ramal (DDR),
reduzindo a perda de chamadas e simplificando o acesso ao usuário.

HiPath 1190/1190R: se durante uma ligação externa ocorrer um problema com o link
do TME1 com acesso E1 CAS master (ver “Indicações no display do Módulo
TME1(acesso CAS)” na página 3-67), ocorerá um tempo de silêncio de aproxima-
damente 3 s devido a sincronização do clock do sistema.

● Acesso S2
Permite fazer a conexão à rede RDSI através de um acesso primário (30 Canais), permitindo
a utilização dos serviços oferecidos pela rede.
● Funções
● Aumenta a capacidade de linhas externas do sistema para até 20 no HiPath 1150
e 45 no HiPath 1190/1190R;
● O sistema opera somente em uma conexão ponto-a-ponto (PP).
● A linha RDSI pode ser usada para conexão de videoconferência (conexão
externa a central);

Manual de Serviço 3-61


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

● Permite desviar permanentemente as chamadas para um outro número


telefônico (CF), a Rechamada se ocupado (CCBS), a procura automática dos
números MSN (Buscar MSN), a Deflexão de chamada (CD) e o envio da
informação de bilhetes durante a chamada (AOC-D) e no fim da chamada
(AOC-E).
● Facilidades como identificação de chamadas (CLIP) e de chamadas mal
intencionadas (MCID), supressão da indicação do número chamador (CLIR),
entre outras, podem ser disponibilizadas dependendo de habilitação da
operadora local.

HiPath 1190/1190R: se durante uma ligação externa ocorrer um problema com o link
do TME1 com acesso S2M master (ver “Indicações no display do Módulo TME1
(acesso S2)” na página 3-69), ocorrerá um tempo de silêncio de aproximadamente
3 s devido a sincronização do clock do sistema.

O módulo TME1 com acesso S2M opera no modo não automático TEI (Terminal
Endpoint Identifier). O valor do TEI deve ser configurado no tool S2M Maintenance.

Obs.: No RDSI, algumas facilidades dependem da contratação junto a operadora local.

Interfaces TME1

Figura 3-14 Módulo TME1

3-62 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Componente S1 Componente S2 Componente H801


Dip switch 1 Dip switch 2 Display
Tabela 3-18 Componentes do Módulo TME1

Atribuição dos conectores do Módulo TME1

Conector X803 Conector X402 Conector X401


Interface serial Conector BNC RX Conector BNC TX
Conexão entre o módulo e Conexão entre o módulo e a Conexão entre o módulo e
o computador linha externa E1 a linha externa E1
Tabela 3-19 Atribuição dos conectores do Módulo TME1

Acesso primário (E1 CAS)

HiPath 1100 Rede pública

Cabo coaxial 2x
E1 CAS Modem

Figura 3-15 Ligação do acesso CAS

Acesso primário (S2)

HiPath 1100 Rede pública

Cabo coaxial 2x
S2 Modem

Figura 3-16 Ligação do acesso S2 com impedância de 75 ohms

Manual de Serviço 3-63


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

HiPath 1100 Rede pública

Adaptador de
Cabo coaxial 2x Cabo 4 fios
S2 impedância NT1
(balun)

Figura 3-17 Ligação do acesso S2 com impedância de 120 ohms

Conector para programação do módulo TME1


O conector serve para interligar um PC ou modem ao módulo utilizando o Cabo Serial (ver
“Cabo serial TME1” na página 3-108). Isto permite que se possa programar o módulo por
intermédio do tool E1 Trunk Manager (Acesso E1 CAS) ou do tool S2M Maintenance (Acesso
S2).

Conector Mini-DIN 1 = DCD 6 = DSR


de 9 pinos 2 = RX 7 = RTS
3 = TX 8 = CTS
4 = DTR 9 = RI
5 = GND
9 7
6 3
2 1

Figura 3-18 Distribuição dos sinais no conector do módulo TME1

Atenção
! O manuseio direto do conector da interface serial de administração (X803) do mó-
dulo TME1 só deve ser realizado após a desconexão de todos os conectores de tron-
cos e ramais analógicos. O não cumprimento deste procedimento pode levar à ex-
posição do usuário a tensões perigosas.
O conector da interface serial de administração (X803), assim como todos os
demais conectores e cabos de interligação, só podem ser manuseados por corpo
técnico treinado.

3-64 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Posição das Dip switches do Módulo TME1

Figura 3-19 Dip switch do Módulo TME1

Mudando as posições das Dip switches é possível efetuar as seguintes configurações:


● Dip switch 1 (S1)
Permite apagar a memória flash, escolher a taxa de transmissão (baud rate).

Switch Ação Significado Possíveis configurações


ON - apaga a memória flash quando a central for
Apagar memória
1 FE ligada;
Flash
OFF - o sistema irá proceder normalmente (default).
ON - ativa o auto teste; (acesso E1 CAS)
Auto teste estendido
2 EST OFF - não executa as funções de auto teste (default)
(acesso E1 CAS)
(acesso E1 CAS).
2 EST Reservado para aplicações futuras (acesso S2M)
3 BR1 (3) OFF, (4) OFF e (5) OFF: 9600 bps
4 BR2 Configuração da taxa (3) OFF, (4) OFF e (5) ON: 19200 bps
de transmissão (3) OFF, (4) ON e (5) OFF: 38400 bps
5 BR3 (3) OFF, (4) ON e (5) ON: 57600 bps (default)
6 RES
7 RES Reservado para aplicações futuras
8 RES
Tabela 3-20 Dip switch 1 do Módulo TME1

Manual de Serviço 3-65


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Se durante a instalação do software ocorrer algum erro, é possível apagar a memória


flash e instalar novamente o software. Para isso, siga as instruções abaixo:
● desligar a central;
● colocar a switch 1 (FE) em ON;
● ligar a central novamente;
● esperar indicação F e E no display;
● desligar a central;
● colocar a switch 1 (FE) novamente em OFF;
● ligar a central.

● Dip switch 2 (S2)

É recomendado que a configuração default da Dip switch 2 não seja mudada.

Switch Ação Default


1 DSP - BIO OFF
2 Reservado OFF
3 Reservado OFF
4 Conexão da bateria OFF
5 MODCK2 ON
6 WDI ON
7 MODCK1 OFF
Impedância da interface E1
8 OFF
(acesso E1 CAS)
8 Reservado (acesso S2) OFF
Tabela 3-21 Dip switch 2 do Módulo TME1

3-66 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Indicações no display de sete segmentos (H801) (acesso E1 CAS)

Display Indicação Significado

8 contínuo O módulo está alimentado.

] contínuo Inicializando o módulo TME1.

Espera por 10 s um comando do tool (E1 Trunk Manager).


E contínuo Após esse tempo, se o tool não enviar nenhum comando,
o sistema continua normalmente o processo.

8 contínuo
Transferindo o conteúdo da memória flash para a memória
DRAM.

contínuo Verificando e validando o conteúdo da memória flash.

P contínuo Módulo TME1 ativo, porém link CAS fora de serviço.

A contínuo Módulo TME1 ativo com link CAS.

I contínuo
“Desempacotando” o E1 Trunk Manager.
3 contínuo

7 contínuo Escrevendo o software na memória flash.

F contínuo Verificando os dados transferidos.

o contínuo
Por algum motivo o link E1 e CAS ainda estão fora de
serviço.

3 ciclo - animado A memória flash está sendo apagada.

f e alternado A memória flash foi apagada

h contínuo
Memória flash sem software. Esperando o software ser
descarregado através do tool.

A. contínuo
O sistema está tomando como referência o clock deste
link.
Tabela 3-22 Indicações no display do Módulo TME1(acesso CAS)

Manual de Serviço 3-67


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Indicações no display de sete segmentos (H801) (acesso S2)

Display Indicação Significado

0 contínuo Esperar pela conexão com o S2M Maintenance tool.

1 contínuo Inicializando o módulo TME1.

E contínuo Espera por 10 s um comando do tool (S2M Maintenance).

8 contínuo
Transferindo o conteúdo da memória flash para a memória
DRAM.

contínuo Verificando e validando o conteúdo da memória flash.

contínuo com
A segmento “g” Módulo TME1 ativo com os dois links estabelecidos.
piscando

2 ou 3 contínuo Carregando o software da flash.

7 contínuo Escrevendo o software na memória flash.

F contínuo Verificando os dados transferidos.

3 ciclo - animado A memória flash está sendo apagada.

f e alternado A memória flash foi apagada

h contínuo
Memória flash sem software. Esperando o software ser
descarregado através do tool.

8. contínuo Power up reset.

contínuo Memória Flash está sendo apagada.

contínuo DIU-S2M está iniciando.

DIU-S2M em operação normal. Se parar de piscar indica


piscando
que o módulo parou de operar.

. piscando
TME1 está gerando o sincronismo de clock através da rede
externa.

3-68 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Display Indicação Significado

contínuo Link com network está operacional.

contínuo Link com mainboard está operacional.

Tabela 3-23 Indicações no display do Módulo TME1 (acesso S2)

3.5.5 Módulo UP0/E e Módulo CTR UP0/E

Introdução
Com a utilização destes módulos, torna-se possível a conexão de telefones tipo UP0/E
(telefones optiPoint 500) através de 8, 4 ou 2 interfaces UP0/E nos sistemas HiPath 1150/1190
e 4 ou 2 interfaces UP0/E no sistema HiPath 1120 (veja “Limites de expansão para os
sistemas” na página 2-26).

É necessário a instalação do módulo CTR-UP0/E no módulo MB (ver “Montagem do


módulo CTR- UP0/E” na página 4-146 )

3.5.5.1 Módulo UP0/E

HiPath 1120

Interfaces

Figura 3-20 Módulo UP0/E HiPath 1120

Manual de Serviço 3-69


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Atribuição dos conectores do Módulo UP0/E

Conector X1 Conector X2 Port Port


X3 X4
Flat Cable para a Adicional Flat Cable a1 - port 1 a3 - port 3
MB para MB b1 - port 1 b3 - port 3
a2 - port 2 a4 - port 4
b2 - port 2 b4 - port 4
Tabela 3-24 Conectores do módulo UP0/E HiPath 1120

Obs.: Os módulos UP0/E para o HiPath 1120 pode conter 4 ou 2 ports.

HiPath1150/1190/1190R

Interfaces

Figura 3-21 Módulo UP0/E HiPath1150/1190/1190R

3-70 Manual de Serviço


Módulos
Módulos de ampliação (EB)

Atribuição dos conectores do Módulo UP0/E

Conector X1 Port Port


X2 X3
Backplane a1 - port 1 a5 - port 5
b1 - port 1 b5 - port 5
a2 - port 2 a6 - port 6
b2 - port 2 b6 - port 6
a3 - port 3 a7 - port 7
b3 - port 3 b7 - port 7
a4 - port 4 a8 - port 8
b4 - port 4 b8 - port 8
Tabela 3-25 Atribuição dos Conectores do Módulo UP0/E HiPath1150/1190/1190R

Obs.: Os módulos UP0/E para os HiPath 1150/1190 podem conter 8, 4 ou 2 ports.

3.5.5.2 Módulo CTR-UP0/E

IHiPath 1120/1150/1190/1190R

Interfaces

Figura 3-22 Módulo CTR-UP0/E HiPath 1120/1150/1190/1190R

Manual de Serviço 3-71


Módulos
Módulos opcionais (MO)

3.6 Módulos opcionais (MO)

3.6.1 Módulos de Interface LAN

Introdução
Disponibilizam uma interface de LAN ethernet através de seus conectores RJ45 permitindo a
conexão de computadores diretamente ao HiPath 1100 dentro da rede e caso possuam o
modem ADSL disponível podem compartilhar este acesso ADSL dispensando a utilização de
um Modem ADSL externo ou HUB.
Através da rede LAN, o HiPath 1100 pode interagir com os aplicativos utilizados na sua
administração tais como: HiPath 1100 Manager, serviços SNMP, Interaction Center Smart,
Tarifadores, etc.
Os módulos foram desenvolvidos para serem utilizados no HiPath 1100 com base na
tecnologia ADSL (Asymetric Digital Subscriber Line). Assim, é possível receber do mesmo par
de fios da linha telefônica comum (POTS - Plain old telephone system service) voz e dados
em alta velocidade (podendo atingir até 8Mbit/s).

HiPath 1100 Centro de serviço


PC de serviço com
HiPath 1100 Manager
PSTN
Interface
PSTN
(rede
Modem analógica ou
digital)
LIM

LAN
do cliente

Produtos e aplicações, como, p. ex.,HiPath


1100 Manager , SNMP, etc.

Figura 3-23 Funcionalidades através da rede LAN.

3-72 Manual de Serviço


Módulos
Módulos opcionais (MO)

● Não conecte o cabo da interface V.24 à central quando estiver utilizando um


módulo de interface de rede. Todas as informações são disponibilizadas via
rede.
● O acesso do modem ADSL deve estar habilitado na Operadora em uma das
linhas do PABX e um provedor de Internet deve ser contratado.
● Lembre-se de configurar no CommServer a conexãovia ADSL.
● Todos os computadores devem possuir placa de rede instalada e estar na
mesma rede que o módulo de interface LAN.

3.6.1.1 Módulo ADSL


É uma versão anterior utilizada inicialmente no HiPath 1100 V6.0 equipada com as
funcionalidades modem ADSL e interface LAN agrupadas na mesma placa.
A configuração dos parâmetros necessários para o correto funcionamento é realizado através
do software de administração “HiPath 1100 Manager” na página 7-297.

Funções
● Modem ASDL capaz de trabalhar com ADSL Full (8Mbps para downstream e 1 Mbps para
upstream - ITU G.922,1) e ADSL G.Lite (1,5Mbps para downstream e 512kbps para
upstream - ITU G.922,2, Padrão ANSI T1.413-1998 também suportado;
● 4 ports HUB padrão 10 / 100 base T com quatro portas para formar uma pequena rede
local.
● Micro filtro integrado ao Módulo, com o objetivo de separar os sinais de voz e dados;

Manual de Serviço 3-73


Módulos
Módulos opcionais (MO)

HiPath 1120

Interfaces

Figura 3-24 Módulo ADSL HiPath 1120

Atribuição dos conectores do Módulo ADSL

Contato Conector Conector Conector Conector Conector Conector


X1 X2 J3 J5 J6 J7
1 interligação Entrada de Conector Conector Conector Conector
2 com a MB linha RJ45 RJ45 RJ45 RJ45
através da externa com HUB HUB HUB HUB
barra de ADSL
3 pinos Saída de
4 linha
externa
analógica
Tabela 3-26 Conectores do módulo ADSL HiPath 1120

Obs.: Ligue as posições 3 e 4 do conector X2 em uma entrada de linha externa analógica do


HiPath 1120 utilizando o cabo fornecido junto com o módulo.

3-74 Manual de Serviço


Módulos
Módulos opcionais (MO)

HiPath1150/1190/1190R

Interfaces

Figura 3-25 Módulo ADSL HiPath1150/1190/1190R

Atribuição dos conectores do Módulo ADSL

Contato Conector Conector Conector Conector Conector


X2 J3 J5 J6 J7
1 Entrada de Conector Conector Conector Conector
2 linha RJ45 RJ45 RJ45 RJ45
externa com HUB HUB HUB HUB
ADSL
3 Saída de
4 linha
externa
analógica
Tabela 3-27 Conectores do Módulo ADSL HiPath1150/1190/1190R

Obs.: Ligue as posições 3 e 4 do conector X2 em uma entrada de linha externa analógica do


HiPath1150/1190/1190R utilizando o cabo fornecido junto com o módulo.

Manual de Serviço 3-75


Módulos
Módulos opcionais (MO)

3.6.1.2 Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC e ADSLIM


Nesta versão temos o conjunto formado por um módulo LIM (LAN Interface Module) e o
modem ADSL (Baby bord ADSL) como opcional a ser montado sobre a placa.
● HiPath 1120 : Módulo SLIMC (LAN) e Módulo SADSLIM (LAN + modem ADSL);
● HiPath1150/1190/1190R : Módulo LIMC (LAN) e Módulo ADSLIM (LAN + modem ADSL);
Notas:
Estes módulos já possuem incorporado o aplicativo CommServer e não necessitam
estarem conectados diretamente a um PC para realizar a administração do PABX,
somente na LAN.
As configurações dos parâmetros necessários para o correto funcionamento dos módulos
são realizadas através da “Configuração do Modem SpeedStream 4100” na página 7-315
e da ferramenta de administração “Siemens Admin Console” na página 7-313.

O modem ADSL utilizado é modelo da Siemens SpeedStream 4100 e as suas


instruções de configuração podem ser consultas no seu manual que se encontra no
CD de instalação.

HiPath 1120

Interfaces

Módulo SLIMC e SADSLIM:

Figura 3-26 Módulo SLIMC e SDASLIM HiPath 1120

3-76 Manual de Serviço


Módulos
Módulos opcionais (MO)

Obs.: Ligue as posições 3 e 4 do conector X11 em uma entrada de linha externa analógica do
HiPath 1120 utilizando o cabo fornecido junto com o módulo.

Atribuição dos conectores do Módulo SLIMC e SADSLIM

Contato Conector Conector Conector Conector Conector Conector


X2 X3 X4 X5 X11 X17
1 Conector Conector Conector Conector Entrada de interligação
2 RJ45 RJ45 RJ45 RJ45 linha com a MB
HUB HUB HUB HUB externa com através da
ADSL barra de
3 Saída de pinos

4 linha
externa
analógica
Conector Conector Conector
X6 X7 X14
Conexão da Alimentação Linha
Interface da Baby ADSL
Ethernet da Board ADSL
Baby Board
ADSL
Tabela 3-28 Conectores do Módulo SLIMC e SDASLIM HiPath 1120

Manual de Serviço 3-77


Módulos
Módulos opcionais (MO)

HiPath1150/1190/1190R

Interfaces

Módulo LIMC e ADSLIM:

Figura 3-27 Módulo LIMC e ADSLIM HiPath1150/1190/1190R

Atribuição dos conectores do Módulo LIMC e ADSLIM

Contato Conector X2 Conector X3 Conector X4 Conector X5 Conector X11


1 Conector RJ45 Conector Conector Conector Entrada de linha
2 HUB RJ45 RJ45 RJ45 externa com
HUB HUB HUB ADSL
3 Saída de linha
4 externa analógica

Conector X6 Conector X7 Conector X14


Interface Alimentação Linha
Ethernet da da Baby ADSL
Baby Board Board ADSL
ADSL
Tabela 3-29 Conectores do Módulo LIMC e ADSLIM HiPath1150/1190/1190R

3-78 Manual de Serviço


Módulos
Módulos opcionais (MO)

Obs.: Ligue as posições 3 e 4 do conector X11 em uma entrada de linha externa analógica do
HiPath1150/1190/1190R utilizando o cabo fornecido junto com o módulo.

3.6.1.3 Baby Bord ADSL

Introdução
Disponibiliza os serviços ADSL através do modem SpeedStream 4100 para os módulos
SADSLIM e ADSLIM.

Caso não possua a Baby Board ADSL não será possível o acesso ADSL apenas
o acesso na rede LAN.

HiPath 1120/1150/1190/1190R

Interfaces

X7

X6

X14

Figura 3-28 Baby Bord ADSL HiPath 1120/1150/1190/1190R

Manual de Serviço 3-79


Módulos
Módulos opcionais (MO)

Atribuição dos conectores da Baby bord ADSL

Contato Conector X6 Conector X7 Conector X14


Interface Alimentação Linha
Ethernet da da Baby ADSL
Baby Board Board ADSL
ADSL
Tabela 3-30 Conectores do Baby bord ADSL HiPath 1120/1150/1190/1190R

3.6.2 Módulo EVM

Introdução
Permite que sejam usados os serviços de Voice Mail nas centrais da família HiPath 1100.

Funções
● 24 caixas postais padrão e 4 caixas postais de encaminhamento (atendimento automático
de chamadas, saudação com possibilidade de transferência, serviço diurno/noturno,
marcação de atalho);
● É possível a associação automática das caixas postais;
● O usuário pode configurar as próprias caixas postais;
● Anúncio/inserção de música antes do atendimento;
● No máximo duas saudações diferentes;
● A seleção das saudações utilizadas pode ser executada manualmente ou conforme a hora
do dia para o serviço diurno/noturno;
● Guia de utilização sensível ao contexto.
● Os anúncios informam o usuário sobre as opções que estão disponíveis no menu atual.
● São possíveis até 2 ações paralelas de comutação de chamada e atendedor automático
(2 portas).
● Capacidade de gravação total de voz de 120 minutos;
● Tempo máximo de gravação para uma mensagem de voz por caixa postal = 5 minutos,
configurável entre 1 e 5 minutos, valor padrão = 2 minutos;
● Indicação da data e hora para cada mensagem;

3-80 Manual de Serviço


Módulos
Módulos opcionais (MO)

● Transferência de chamadas de fax (reconhecimento automático) a um destino de fax pré-


configurado;
● Sinalização de sobrecarga da memória em mais de 80%;

HiPath 1120/1150/1190/1190R

Interfaces

Figura 3-29 Módulo EVM HiPath 1120/1150/1190/1190R

Atribuição dos conectores

Conector X1
Faz a interligação com a MB através da barra de pinos
Tabela 3-31 Conector do módulo EVM HiPath 1120/1150/1190/1190R

Manual de Serviço 3-81


Módulos
Módulos opcionais (MO)

3.6.3 Módulo CD 16

Introdução
● É um módulo de ampliação que permite a utilização de mais 16 interfaces CD no HiPath
1190/1190R, ou seja, possibilita a conexão de mais 16 telefones de sistema do tipo KS.
O Módulo CD 16 possui um slot exclusivo para seu funcionamento, nele está serigrafado
CD.
Caso um módulo UP0/E seja conectado no HiPath 1190/1190R o módulo CD
7 16 não será habilitado.

Interfaces CD 16

Figura 3-30 Módulo CD 16

Obs.: As interfaces CD do Módulo CD16 virão na seqüência após as interfaces CD do Módulo


MB.

3-82 Manual de Serviço


Módulos
Módulos opcionais (MO)

Atribuição dos conectores do Módulo CD 16

Contato Conector X1 Conector X2 Conector X3 Conector X4 Conector X5


1 interligação C - port 1 C - port 5 C - port 9 C - port 13
2 com a MB D - port 1 D - port 5 D - port 9 D - port 13
através do
3 conector back C - port 2 C - port 6 C - port 10 C - port 14
4 plane D - port 2 D - port 6 D - port 10 D - port 14
5 C - port 3 C - port 7 C - port 11 C - port 15
6 D - port 3 D - port 7 D - port 11 D - port 15
7 C - port 4 C - port 8 C - port 12 C - port 16
8 D - port 4 D - port 8 D - port 12 D - port 16
Tabela 3-32 Atribuição dos Conectores do módulo CD 16

3.6.4 Módulo Música

Introdução
Possibilita inserir uma melodia para chamadas externas em espera.
Obs.: O Módulo Música é somente para o HiPath 1120.

Funções
● Habilita a conexão de mensagem ou música externa de espera (MOH) para o grupo UCD,
quando todos os ramais do grupo estiverem ocupados;
● Possui um relé e um sensor para integração com outros aparelhos, como um porteiro
eletrônico, dispositivo de abertura de porta, alarmes, etc;
● Permite inserir uma melodia para chamadas externas em espera (MOH) através de uma
fonte de música interna.

Manual de Serviço 3-83


Módulos
Módulos opcionais (MO)

3.6.4.1 HiPath 1120

Interfaces

Figura 3-31 Módulo Música

Atribuição dos conectores do Módulo Música

Contato Conector X1 Conector X12 Conector X2


X1 RCA
1e2 Sensor entrada de música externa interligação com a MB através
(MOH) da barra de pinos
3e4 Relé ---
Tabela 3-33 Atribuição dos Conectores do módulo Música

A lógica de ativação a partir da posição inicial dos contatos do sensor assim como
as ações decorrentes, são programáveis.
O relé pode ser ativado através do sensor caso esteja programado, manualmente
ou automaticamente após um tempo programado. Quando o relé é ativado os con-
tatos se fecham e quando é desativado os contatos se abrem.

3-84 Manual de Serviço


Módulos
Fonte de Alimentação (PSU)

Características elétricas dos Sensores e Relés

Sensor
Máxima resistência de loop 100 Ω
Relé
Máxima corrente de comutação (AC) 1,25 A
Máxima corrente de comutação (DC) 2,00 A
Máxima tensão de comutação (AC) 30 VRMS
Máxima tensão de comutação (DC) 24 V
Máximo fator de potência 0,95
Tabela 3-34 Características elétricas dos Sensores e Relés

3.6.4.2 HiPath1150/1190/1190R
Para o HiPath1150/1190/1190R a fonte externa de áudio (por exemplo música) é conectada
diretamente na MB na posição X8 (ver Figura 3-3) ou em uma porta de ramal analógico.

Valores de conexão para música externa*

Resistência
2.4kΩ
interna
Tensão máxima
-10 dBm
de entrada

*〉 Podem ser conectados a esta entrada aparelhos comerciais de CD, receivers, MD, etc. (ver Figura 4-45, “Diagrama de
aterramento e proteção”, na página 4-171).

3.7 Fonte de Alimentação (PSU)

Introdução
A fonte de alimentação (PSU), é responsável pelo fornecimento das tensões
necessárias para a correta operação de todos os sistemas.
As fontes de alimentação dos sistemas HiPath1150/1190/1190R podem ter disponíveis uma
conexão para um banco de baterias (BBU), garantindo assim um fornecimento ininterrupto de
energia no caso de falta de energia elétrica na rede C.A.

Manual de Serviço 3-85


Módulos
Fonte de Alimentação (PSU)

Funções
● Gerador de sinal de chamada;
● Fornecimento de tensões de alimentação DC para os circuitos;
● Conversão/filtragem da tensão de entrada AC.

3.7.1 HiPath 1120

Descrição
A fonte do HiPath 1120 possui as seguintes versões:
● BRA e IM: tensão de alimentação: 110 - 127 Vac - 50/60 Hz ou 220 Vac - 50/60 Hz;
● RSA: tensão de alimentação: 220 Vac - 50/60 Hz;
● ARG: tensão de alimentação: 220 Vac - 50/60 Hz;
● SPA: tensão de alimentação: 220 Vac - 50/60 Hz.

Interface PSU

1 ......................... 10

Figura 3-32 Interface PSU do sistema HiPath 1120

Atribuição do conector da PSU (HiPath 1120)

Função
Contatos
RSA SPA IM
1 Livre Livre Livre

3-86 Manual de Serviço


Módulos
Fonte de Alimentação (PSU)

Função
Contatos
RSA SPA IM
2-3 8 Vrms 8 Vrms 8 Vrms
4-5 23 Vrms 23 Vrms 23 Vrms
6-7 42 Vrms 65 Vrms 40 Vrms
8-9 Livre Livre Livre
10 Livre Livre Livre
Tabela 3-35 Atribuição do conector da PSU HiPath 1120

Atenção
! Ligar ou desligar a alimentação do sistema através do cabo de alimentação da fonte
ou do disjuntor de alimentação.

3.7.2 HiPath1150/1190/1190R
● Tensão de alimentação: 110 - 230 Vac - 50/60 Hz, full range;
● A fonte possui dois fusíveis na entrada (Vca) de 5 x 20mm, do tipo fast-acting (250V - 4A)

Atenção
! Para o HiPath1150/1190/1190R com entrada para conexão de baterias (BBU), é ne-
cessário estar montado o ferrite (C39022-Z7000-C7) no cabo de alimentação CA,
no máximo a 20 mm do conector fêmea (ver Capítulo 3.12.7, “Cabo de alimentação
da PSU - HiPath1150/1190/1190R” na página 3-114 ).

● Existem 2 tipos de fonte:


● Com entrada para a conexão das baterias (BBU);
● Sem entrada para a conexão das baterias.

Manual de Serviço 3-87


Módulos
Fonte de Alimentação (PSU)

Interfaces PSU HiPath 1150

PSU sem entrada para baterias

Entrada AC

Indicação da posição de conexão


no backplane
PSU com entrada para baterias (BBU)

Cabo de conexão
PSU-Baterias

Entrada AC

Indicação da posição de conexão


no backplane
Figura 3-33 Interface PSU do sistema HiPath 1150

3-88 Manual de Serviço


Módulos
Fonte de Alimentação (PSU)

Interfaces PSU HiPath 1190/1190R

PSU sem entrada para baterias

Indicação da posição
de conexão no
backplane

Entrada AC
PSU com entrada para baterias (BBU)

Indicação da posição
de conexão no
backplane

Atenção!
A indicação da polaridade dos cabos está - +
impressa na carcaça sobre os conectores.

1 - Conector utilizado para interligar as PSU’s 1


através do Cabo de interligação entre as PSU 2
e também utilizado para conectar as baterias
através do Cabo de conexão PSU- Cabo de
baterias na 1° PSU localizada na base do
sistema (veja “Cabos para conexão das baterias
(BBU)” na página 3-113)
2 - Conector para conexão do cabo Vshare nas 3 2 1
PSU’s

Figura 3-34 Interface PSU dos sistemas HiPath 1190/1190R

Manual de Serviço 3-89


Módulos
Baterias

Atenção
! Caso a fonte não esteja fornecendo as tensões de saída indicadas na Tabela 3-36,
abra a fonte e verifique o estado dos fusíveis

.Atribuição do conector da PSU

Contato Função Contato Função


1 +5,1 VDC 2 +5,1 VDC
3 +5,1 VDC 4 +5,1 VDC
5 +5,1 VDC 6 +5,1 VDC
7 GND 8 GND
9 GND 10 GND
11 GND 12 GND
13 26,4 VDC 14 26,4 VDC
15 26,4 VDC 16 26,4 VDC
17 26,4 VDC 18 26,4 VDC
19 GND 20 GND
21 GND 22 GND
23 GND 24 GND
25 50 VAC + 97 VDC 26 50 VAC + 97 VDC
42 VAC + 85.8 VDC (RSA) 42 VAC + 85.8 VDC (RSA)
Tabela 3-36 Atribuição do conector da PSU - HiPath1150/1190/1190R

3.8 Baterias
Os sistemas HiPath1150/1190/1190R podem ser alimentados por baterias no caso de falta de
energia elétrica na rede C.A, garantindo assim um fluxo contínuo de energia e sem interrupção
nos serviços de telefonia. O período de trabalho do conjunto depende da capacidade das
baterias instaladas.
A conexão entre os sistemas e o conjunto de baterias (2x12v) é feito por um cabo de conexão
(ver “Cabos para conexão das baterias (BBU)” na página 3-113)
Obs: A fonte utilizada nos sistemas deve possuir a entrada para a conexão das baterias (BBU)
(ver “Fonte de Alimentação (PSU)” na página 3-85).

3-90 Manual de Serviço


Módulos
Baterias

Baterias

Figura 3-35 Baterias

Cuidado
! RISCO DE EXPLOSÃO SE A BATERIA FOR SUBSTITUÍDA POR UM TIPO INCOR-
RETO. DESCARTE AS BATERIAS USADAS DE ACORDO COM AS INSTRUÇÕES
LEGAIS ESPECÍFICAS DE CADA PAÍS.

Informações técnicas

Tipo das Baterias Chumbo ácida regulada por válvula (VRLA)


Tensão de flutuação 27,2V
Tensão de alimentação 24V (2x12V)
Capacidade 9Ah a 12Ah em descarga de 20h

Tabela 3-37 Informações técnicas das baterias

Manual de Serviço 3-91


Módulos
Distribuidor geral

3.8.1 Exemplos de Configurações X Capacidades x Tempos


Como exemplo, foi simulado em algumas configurações dos sistemas HiPath 1150/1190 o
período de trabalho do sistema quando ocorrer a falta de energia elétrica na rede C.A sob um
tráfego normal de chamadas.

HiPath 1150

Configuração Capacidade das baterias Período de trabalho


01 MB 7Ah 14 horas
01 MB + 01TME1 7Ah 10 horas
01 MB + 01 EB 210 7Ah 11 horas
Tabela 3-38 Exemplos do período de trabalho das baterias no HiPath 1150

Para o aumento de um módulo EB 210, diminuir 15 minutos do tempo total.

HiPath 1190

Configuração Capacidade das baterias Período de trabalho


01 CPU + 01 EB 210 7Ah 11 horas
01 CPU + 01 EB 210 + 01TME1 7Ah 9 horas
01 CPU + 02 EB 210 + 02TME1 7Ah 4 horas
Tabela 3-39 Exemplos do período de trabalho das baterias no HiPath 1190

Para o aumento de um módulo EB 210, diminuir 15 minutos do tempo total. No caso do período
de trabalho estiver abaixo de 1,5 horas, diminuir 5 minutos.

3.9 Distribuidor geral

Introdução
O distribuidor geral (DG) permite a ligação da malha de cabos para a central pública e para os
ramais através de conectores.
A montagem dos cabos nos conectores do distribuidor deve ser feita conforme Capítulo 4.9,
“Conexões no DG do sistema” na página 4-157.
Os conectores necessários para a cabeação são fornecidos junto com os módulos e sistemas.

3-92 Manual de Serviço


Módulos
Back Plane

Interfaces do Distribuidor

As fixações dos cabos


são feitas por pressão
(Conector Dinkle)

As fixações dos cabos 4 Vias 8 Vias


são feitas por meio de
parafusos

As fixações dos cabos 2 Vias


são feitas por conectores
(por exemplo, RJ 45)
Figura 3-36 Distribuidor - Conectores

3.10 Back Plane

Introdução
A interligação entre os módulos e a MB, nos sistemas HiPath1150/1190/1190R, é feita por um
conjunto de conectores montados sobre uma placa de circuito impresso denominado Back
plane.

3.10.1 HiPath 1150

Interfaces

Figura 3-37 Back plane HiPath 1150

Manual de Serviço 3-93


Módulos
Back Plane

Acompanham os sistemas dois back planes iguais a figura A. Em alguns casos, pode ser
necessário inserir um ferrite no backplane. Caso o módulo adquirido venha acompanhado de
um ferrite, montá-lo conforme as figuras B e C.

3.10.2 HiPath 1190/1190R

Interfaces

Figura 3-38 Back planes do HiPath 1190

Atribuição dos conectores dos Back planes HiPath 1190/1190R

Conector 1, 2 e 3 Slots
Entrada DC (PSU) ver Tabela 4-3
Tabela 3-40 Conectores dos Back Planes HiPath 1190/1190R

3-94 Manual de Serviço


Módulos
Porteiro eletrônico

3.11 Porteiro eletrônico


O HiPath 1100 permite a conexão de 2 tipos distintos de Porteiro Eletrônico:
● Porteiro eletrônico interno, que utiliza uma interface de conexão entre o dispositivo de
porteiro e o PABX (por exemplo, TFE);
● Porteiro eletrônico externo, que é conectado diretamente à posição de ramal a/b ou S0;

Para maiores informações de instalação, configurações e requisitos, consultar o Ma-


nual de Montagem dos Porteiros.

3.11.1 Porteiro eletrônico interno com interface TFE

Introdução
O HiPath 1100 permite a conexão de até 20 porteiros eletrônicos internos em posições de
ramal utilizadando uma interface TFE entre o dispositivo de porteiro e o PABX.

HiPath 1100 - a/b Amplificador do porteiro eletrônico


a1 b1
a
a2
Porteiro eletrônico
b2
b Ligação de 2, 3 ou 4
fios, dependendo do
TS1
fabricante
TS2

KL1
Campainha
KL2
TO1 Trinco elétrico
TO2
Alimentador
12-16 V
UB1
UB2
Interface TFE

Figura 3-39 Conexões da interface TFE


● a1/b1 Ligação ao sistema
● a2/b2 Ligação do amplificador do porteiro eletrônico

Manual de Serviço 3-95


Módulos
Porteiro eletrônico

● KL1/KL2Ligação da campainha (Atenção, não utilizar alimentadores de outros


fabricantes)
● TO1/TO2Ligação do relé de trinco elétrico
● UB1/UB2Alimentação para TFE (12-16 V)
● TS1/TS2Contato de ativação para amplificador do porteiro eletrônico (se necessário*)
*amplificadores mais novos têm um sistema de desligamento automático, que pode ser
programado. Neste caso, esta ligação não é necessária.

3.11.1.1 Exemplos de conexão

Sem amplificador
● Modelo S30817-K930-A300 - TFE
● EGUCOM (Ackermann, Emmerich);

HiPath 1100

a b
Trinco elétrico

a1 b1 TS1 TS2 UB1 UB2 TO1 TO2 KL1 KL2 a2 b2 Interface TFE

Módulo EGUCOM TSS


a b TS TS 12V~ 12V~ KL KL kl kl A B

La Lb Z1 Z2 Porteiro eletrônico EGUCOM

Figura 3-40 Porteiro eletrônico EGUCOM da empresa Ackermann (Emmerich)

3-96 Manual de Serviço


Módulos
Porteiro eletrônico

● Grothe,Telegärtner;

HiPath 1100
a b
Trinco elétrico

a1 b1 TS1 TS2 UB1 UB2 TO1 TO2 KL1 KL2 a2 b2 Interface TFE

Transformador Grothe
12V~ TR 1973 K

TR

TS1 TS2 12 V~ 12 V~ a b
Grothe TFE
6205

TR
KT

Figura 3-41Porteiro eletrônico Grothe


● HDL - Brasil (modelos: F3A, F4A, F5A);

Figura 3-42 Porteiro eletrônico HDL - Brasil

Os componentes utilizados adicionais são o resistor R1 (1,2 k Ω / 0,25W / 5%), o resistor R2


(33Ω / 0,25W / 5%) e o capacitor C1 (1,0 μ F / 250 Vac / não polarizado). A ligação da central
é feita por dois fios (a1 / b1) e a interface de porteiro é feita por quatro fios (a2 / b2, KL1, KL2).

Manual de Serviço 3-97


Módulos
Porteiro eletrônico

Com amplificador
● Modelo S30122-K7696-T313 - TFE
● Ritto;

HiPath 1100
a b Trinco elétrico

a1 b1 TS1 TS2 UB1 UB2 TO1 TO2 KL1 KL2 a2 b2 Interface TFE

Alimentador
+ 2 12 6~ 7~
universal 6573.02

Amplificador do
6 12 TS TS A B
porteiro eletrônico
5680.00

Porteiro eletrônico
+ 6 2 + ~ ~ 5760 ...

Botão
~ ~ K1 K
TM 5761..

Figura 3-43Porteiro eletrônico Ritto

Para maiores informações, consultar o Manual de Montagem do Adaptador TFE


A31003-E8000-X167-*-19, que acompanha a interface.

3-98 Manual de Serviço


Módulos
Porteiro eletrônico

Versão Brasil
● Modelo S30817-Q936-C282 - Brasil
Para a instalação dos modelos HDL: F5AZL, F8AZ, F9AZ;

Figura 3-44 Visão geral da interface de porteiro - S30817-Q936-C282

● Cada módulo de interface TFE permite a conexão de apenas um porteiro eletrô-


nico.
● Cada módulo TFE funciona com função de interface com porteiro eletrônico OU
como interface busca-pessoa. Para utilizar as duas funções são necessários dois
módulos.

Manual de Serviço 3-99


Módulos
Porteiro eletrônico

3.11.1.2 Interface TFE-S


Interliga uma interface de extensões analógicas do sistema com um porteiro elétrico e um
botão de campainha. O controle é efetuado através do sistema o que permite a conexão de
botoneiras passivas, do tipo comercial. Cada interface TFE-S requer alimentação própria.

a/b
TUE Trinco
X4
elétrico
X3
TUE
VCC AC
DC
VCC X3 AC
AC
6 - 12V
Detector de baixa ten-
VCC Transformador
são (alta impedância)
VCC da campainha
Alimentação MIC
Detector de chamada
(alta impedância)
≥
1 ca. 44s
VCC
Botoneira
5 mA Mute MIC+
Amplificador do X5 MIC-
LS1
circuito de voz X5 LS2
KLI
X4 KLI

Botão da campainha
Figura 3-45 Conexões da interface TFE-S

Atenção
7 No interface analógica, o fio a deve ser ligado no negativo e o fio b no positivo.

3-100 Manual de Serviço


Módulos
Porteiro eletrônico

Tabela 3-41 Atribuição dos contatos TFE-S

Nº pin Borne X3 Borne X4 Borne X5 Jumper X1 Jumper X2


1 AC (fio a) - Altofalante (LS1) 2 e 3 = Zn Ritto
2e3
2 AC (fio b) + Altofalante (LS2)
1 e 2 = 600
3 Contato do trinco Contato da Microfone (MIC+) ohm Siedle
elétrico (TUE) campainha (KLI) 1 e2
4 Contato do trinco Contato da Microfone (MIC-)
elétrico (TUE) campainha (KLI)

X1
Ligação em:
Botoneira
Ritto 5760
Potenciometro
- +

X5 X4 X3
1 2 3 4 1 2 3 4 1 2 3 4
X2

X1 Ligação em:
Botoneira
Siedle TLM 511-01
Potenciometro
- + (Siedle TLM 511-02
não é possível!)

X5 X4 X3
1 2 3 4 X2 1 2 3 4 1 2 3 4

Figura 3-46 Atribuição dos contatos de botoneiras

Manual de Serviço 3-101


Módulos
Porteiro eletrônico

Exemplos de conexão
Dependendo das funções desejadas, a conexão deve ser efetuada com um adaptador de
porteiro elétrico (TFE-S) com amplificador .
Na interface analógica, o fio a deve ser ligado no negativo e o fio b no positivo.

Ritto Siedle TFE-S


5760 LM 511-01

2 12 LS1
+ 13 LS2 Ponte X1
+ 14 MIC+
6 11 MIC-
Borne X5 - +
Potenciometro

Ponte X2
Botão da campainha
A
B Borne X4
KLI
KLI
AC
Relé de trinco AC Borne X3
elétrico TOEI
TOEI

LS1/LS2 = Altofalante
a
MIC +/MIC- = Microfone Rede
a/b = Extensão do sistema b
KLI/KLI = Contato da campainha HiPath 1100 Transformador
AC/AC = Transformador da campainha da campainha
TOE/TOE = Relé de trinco elétrico 6 - 12 V

O potenciometro deverá ser regulado conforme instruções dos modelos conectados.


Não alterar a ponte X1 (Alemanha)
Carga de contato do trinco elétrico, no máximo 24V, 2A

Figura 3-47 Conexão com botoneira Siedle TLM 511-01 e Ritto 5760

3-102 Manual de Serviço


Módulos
Porteiro eletrônico

Notas específicas

Siedle: Na botoneira Siedle TLM 511-01 devem ser efetuadas as seguintes al-
terações:
1.Abrir a botoneira Siedle
2.Abrir as pontes 1, 3 e 4
3.Trocar o fio do Altofalante do pino „bl“ para o pino „12“
4.Fechar a botoneira Siedle

Ponte X2

Ritto: Na botoneira Ritto 5760, o potenciometro deve ser


regulado para 3/4 do volume máximo.
Ponte X2

Nota:
Caso exista uma ponte entre + e + (na botoneira), esta deve ser remo-
vida, pois do contrário o adaptador TFE-S pode danificado.

A ponte X1 permanece na posição de fábrica.

3.11.2 Porteiro eletrônico externo

Introdução
A utilização de um Porteiro eletrônico externo é definida durante a programação do ”Tipo de
equipamento conectado ao ramal” , código 003. Esta opção suporta até 4 aparelhos
conectados diretamente nas portas analógicas a/b ou no barramento do módulo S0 .

Os requisitos de montagem e configuração dos porteiros devem ser consultados em


sua documentação.

3.11.2.1 Porteiro eletrônico externo analógico


O aparelho de Porteiro eletrônico externo analógico deve ter comportamento como um
telefone analógico (discagem, detecção e controle DTMF);

Manual de Serviço 3-103


Módulos
Cabos de ligação

3.11.2.2 Porteiro eletrônico externo RDSI


O aparelho de Porteiro eletrônico externo RDSI deve ter comportamento como um telefone
RDSI. Também deve ser controlado através de sinais DTMF.
Consultar o manual do Porteiro eletrônico externo RDSI para verificar as
configurações disponíveis e instruções de montagem.
Através do HiPath 1100 Manager na pasta Avançado/Definições de Sistema/Geral
- Campo "Porteiro eletrônico externo" devem ser inseridas as informações do
dispositivo de porteiro para o correto funcionamento.

3.12 Cabos de ligação

3.12.1 Cabo adaptador V.24

Caso seu sistema esteja equipado com o Módulo ADSL, a interface serial V.24 não
pode ser utilizada.

O cabo adaptador V.24 (S30122-X5468-X5-*) é usado para a interligação do HiPath 1100 com
um PC, modem (para a programação do sistema com o programa HiPath 1100 Manager e
para a utilização de funções de CTI) ou uma impressora (para a impressão dos dados de
chamada ou das programações).
.

A adaptação de nível é implementada através de uma eletrônica adicional no cabo.


Sem adaptação de nível, é impossível operar o V.24.
Caso seja necessário utilizar um outro cabo serial como extensão para interligar o
computador/impressora/modem ao HiPath 1100, o comprimento máximo total não
deve exceder 15 metros.

3-104 Manual de Serviço


Módulos
Cabos de ligação

Comprimento ca. 15 cm
Comprimento ca. 260 cm

MB

Conector Mini-DIN
de 6 pinos SIC Conector fêmea
SubD de 9 pinos

VCC 6 5 RTS
Adaptação de nível Adaptador
5 GND
4 3 CTS no cabo e isolação livre 9
RxD 4 livre PC
2 1 galvânica CTS 8
TxD GND 3 TxD Impressora
RTS 7
2 RxD Modem
livre 6
1 livre

Figura 3-48 Sistema de interligação do cabo adaptador V.24

Sinais do cabo do adaptador V.24

Pino Sinal
CTS Clear To Send, Sinal de prontidão de emissão
GND Ground, Terra
RTS Request To Send, Solicitação de emissão
RxD Receive Data, Dados de recepção
TxD Transmit Data, Dados de emissão
Tabela 3-42 Sinais do cabo do adaptador V.24

Manual de Serviço 3-105


Módulos
Cabos de ligação

Conector SubD Conector SubD


de 9 pinos de 25 pinos

TxD2 TxD2
RxD3 RxD3
RTS7 CTS5
CTS8 RTS4
GND5 GND7
DSR6
DTR20

Conector SubD Conector SubD


de 9 pinos de 25 pinos

TxD2 RxD3
DSR6
RTS7 DCD8
DTR20
GND5 GND7
Figura 3-49 Sistema de ligação do adaptador de modem e impressora

3-106 Manual de Serviço


Módulos
Cabos de ligação

3.12.2 Cabo adaptador USB


O cabo adaptador USB (Universal Serial Bus) é usado para a interligação com um PC ou
modem (para a programação do sistema com o programa HiPath 1100 Manager e para a
utilização de funções de CTI).

A isolação galvânica entre o Hipath e o PC é implementada através de uma eletrô-


nica adicional no cabo (EN60950-1). Esse produto recebe alimentação tanto do Hi-
path como do PC, sendo desta maneira de uso exclusivo das centrais HiPath 1100.
A utilização deste cabo com outros equipamentos terá como conseqüência o não
funcionamento da conexão USB. O uso de outra solução para conectar o HiPath
1100 e o PC não é recomendado pela Siemens.

Comprimento ca. 15 cm
Cabo USB
2.0/1.x padrão A para B
HiPath 1100 PC
(MB) Modem

Conector Mini-DIN
de 4 pinos

VCC GND
Isolação
2 4
Galvânica
D- 1 3 D+

Figura 3-50 Sistema de interligação do cabo adaptador USB

Sinais do cabo do adaptador USB

Pino Sinal
D+ e D- Data, Determina a velocidade da comunicação
GND Ground, Terra
Tabela 3-43 Sinais do cabo do adaptador USB

Manual de Serviço 3-107


Módulos
Cabos de ligação

3.12.3 Cabo serial TME1


O cabo serial TME1 (C39195-A9700-B532-*) é usado para a interligação com um PC ou
modem para a programação do sistema utilizando o tool E1 Trunk Manager.

Comprimento 3 metros

MB
PC
Modem

Conector Mini-DIN 1 = DCD 1 = DCD


macho de 9 pinos 2 = RX 2 = RX Conector fêmea
3 = TX 3 = TX SubD de 9 pinos
4 = DTR 4 = DTR
5 = GND 5 = GND 5 GND
9 7 RI 9
6 = DSR 6 = DSR 4 DSR
6 3 7 = RTS 7 = RTS RTS 8
8 = CTS 8 = CTS 3 RX
2 1 CTS 7
9 = RI 9 = RI 2 TX
1 = DCD 6 = DSR DTR 6
1 DCD
2 = RX 7 = RTS
3 = TX 8 = CTS
4 = DTR 9 = RI
5 = GND

Figura 3-51 Sistema de interligação do cabo serial na TME1

Sinais do cabo serial TME1

Pino Sinal
DCD Data Carrier Detect, Sinal portador de dados
CTS Clear To Send, Sinal de prontidão de emissão
DSR Data Send Ready, Prontidão de serviço para emitir
DTR Data Terminal Ready, Prontidão de serviço do equipamento
GND Ground, Terra
RTS Request To Send, Solicitação de emissão
RX Receive Data, Dados de recepção
TX Transmit Data, Dados de emissão
RI Ring indicator
Tabela 3-44 Sinais do cabo serial TME1

3-108 Manual de Serviço


Módulos
Cabos de ligação

3.12.4 Cabo adaptador para modem analógico


É um cabo serial utilizado para interligar o modem Trendnet V.92 56K - TFM-560X ou D-Link
V.90 56K - DFM - 560EL no HiPath 1100 utilizando o cabo V.24.
.

O comprimento máximo total do cabo e da interface V.24, não deve exceder 15 me-
tros
É necessário fazer a configuração/verificação do código de inicialização e reiniciali-
zação do modem conectado a central via HiPath 1100 Manager.
Caso o modem seja interligado no PC (modem remoto), o cabo do modem deve ser
utilizado e a configuração do código de inicialização e reinicialização deve ser feita
via CommServer.
Estas informações podem ser obtidas no manual do próprio modem.
No campo Reinicialização, o valor padrão para o modem:
● US-ROBOTICS é : ATZH0
● TrendNet é: ATZH0
● D-LINK é: +++,,,ATHATZH0
No campo Inicialização, o valor padrão para o modem:
● US-ROBOTICS é : AT&F0&B1F1S0=0
● TrendNet é: AT&F0&B1F1&D0S0=0.
● D-LINK é: AT&F0&D0S0=0

Manual de Serviço 3-109


Módulos
Cabos de ligação

Interface
V.24 Modem

Conector macho 2 = RX 2 = RX Conector fêmea


SubD de 9 pinos 3 = TX 3 = TX SubD de 9 pinos
5 = GND 5 = GND
5 GND 7 = RTS 7 = RTS 5 GND
livre 9 livre 9
4 livre 8 = CTS 8 = CTS 4 livre
CTS 8 CTS 8
3 TX 3 TX
RTS 7 RTS 7
2 RX 2 RX
livre 6 livre 6
1 livre 1 livre

Figura 3-52 Sistema de interligação do cabo serial para modem analógico.

3-110 Manual de Serviço


Módulos
Cabos de ligação

Sinais do cabo serial para modem

Pino Sinal
CTS Clear To Send, Sinal de prontidão de emissão
GND Ground, Terra
RTS Request To Send, Solicitação de emissão
RX Receive Data, Dados de recepção
TX Transmit Data, Dados de emissão
Tabela 3-45 Sinais do cabo serial para modem

3.12.5 Cabo coaxial TME1

3.12.5.1 Acesso CAS


O cabo coaxial TME1 (C39195-A9700-B531-*) é usado para a interligação da interface E1 com
um Modem.

Sinais do cabo coaxial TME1

Pino Sinal
RX Receive Data, Dados de recepção
TX Transmit Data, Dados de emissão
Tabela 3-46 Sinais do cabo coaxial TME1

Manual de Serviço 3-111


Módulos
Cabos de ligação

3.12.5.2 Acesso S2
O cabo coaxial TME1 é usado para a interligação da interface S2 com um Modem NT. Caso
exista diferença de impedância entre o módulo e o modem, será necessário utilizar o Balun.

Balun

Sinais do cabo coaxial TME1

Pino Conector Sinal


RX J1 Receive Data, Dados de recepção
TX J2 Transmit Data, Dados de emissão
Tabela 3-47 Sinais do cabo coaxial TME1

Balun

É necessária a utilização do balun no cabo coaxial TME1 caso exista diferença de impedância
entre o módulo TME1 e o Modem NT1.
Informações técnicas

Velocidade até 2.048 Mbps


Isolação 100V
Conectores Coaxial (Interface A): Dual BNC F(RG 59)
Twister - pair (Interface B): 8 - pin shielded RJ 45

3-112 Manual de Serviço


Módulos
Cabos de ligação

Velocidade até 2.048 Mbps


Temperatura de tolerância 0 a 50ºC
Linha de transmissão ITU CTR -12 G.703
Humidade de tolerância 5 a 95%
Tabela 3-48 Informações técnicas do balun.

3.12.6 Cabos para conexão das baterias (BBU)

Cabos de conexão das baterias com a PSU


Estes cabos são utilizados para interligar as baterias e a fonte do HiPath1150/1190/1190R
(ver Capítulo 4.8, “Montagem da fonte de alimentação” na página 4-150).

Cabo Vshare
HiPath 1190

Cabo de interligação entre


as PSU no HiPath 1190

Cabo de interligação
PSU - Cabo de conexão
com as baterias

Kit de conexão de Baterias Cabo de conexão com Cabo de conexão série


L30251-U600-A617 as baterias
+
entre as baterias

Figura 3-53 Cabos para conexão das baterias (BBU)

Informações técnicas do cabo de conexão com as baterias


É responsável pela proteção contra sobrecorrente.l

Fusível do cabo de conexão 7,5A (uniVAL - fabricante MTA)


Comprimento do cabo de conexão 5 metros
Tabela 3-49 Informações técnicas do cabo de conexão de baterias

Manual de Serviço 3-113


Módulos
Cabos de ligação

3.12.7 Cabo de alimentação da PSU - HiPath1150/1190/1190R


Deve estar montado o ferrite que acompanha o cabo (ver Capítulo 4.8, “Montagem da fonte de
alimentação” na página 4-150).

HiPath 1190/1190R HiPath 1150

Ferrite (C39022-Z7000-C7)
montado no máximo
a 20 mm do conector fêmea

Figura 3-54 Cabo de alimentação da PSU - HiPath 1150

3-114 Manual de Serviço


Montagem
Montagem do HiPath 1100

4 Montagem

4.1 Montagem do HiPath 1100

Sobre este capítulo


Este capítulo contém informações sobre:
● A montagem do sistema HiPath 1100. As informações sobre equipamentos adicionais ou
ampliações encontram-se em “Relação de módulos” na página 3-40;
● A configuração (montagem dos módulos).

Perigo
! A montagem do sistema só pode ser efetuada por pessoal técnico autorizado.

Ferramentas e equipamentos necessários


Para a montagem do sistema HiPath 1100 são necessários:
– Alicate de corte e alicate de pontas achatadas;
– Chave de fenda;
– Chave de fenda Philips;
– Ferramenta para conectar os fios no DG;
– Furadeira;
– Martelo;
– Nível de bolha de ar;
– Metro;
– Multímetro digital para verificar ligações de terra e tensões de alimentação.

Manual de Serviço 4-115


Montagem
Procedimento de montagem

4.2 Procedimento de montagem

Atenção
! ● Antes de iniciar os procedimentos de montagem leia atentamente as
informações e recomendações constantes no Capítulo 1, “Informações
importantes”.
● No caso de conexão às linhas de equipamentos terminais energizados por
fonte de alimentação externa conectada à rede AC, o número máximo permitido
é de 14 equipamentos terminais por sistema. Ultrapassar este limite pode
conduzir a prejuízos à segurança do produto e do usuário.
● Verifique se todas as conexões AC e DC dos cabos, módulos e bastidor do
HiPath 1100 estão conectadas de maneira correta e efetiva, antes de ligar o
sistema do cliente.

Etapa Procedimento de montagem (Informações)


1. “Selecionar o local de montagem” 4-117
(em geral já definido)
2. “Desembalar os componentes” 4-118
3. “Conhecendo os sistemas” 4-118
4. “Fixação na parede do HiPath1120/1150” 4-127
5. “Montagem dos módulos” 4-128
6. “Montagem da fonte de alimentação” 4-150
7. “Conexões no DG do sistema” 4-157
8. “Instalação da interface V.24” 4-164
9. “Instalação da interface USB” 4-165
10. “Instalação da fonte de aúdio externa” 4-167
11. “Instalação da Interface de porteiro - TFE” 4-167
12. “Recomendações sobre a alimentação/proteção do sistema” 4-169
13. “Relés de falta de energia” 4-172
14. “Cabeação do sistema” 4-173
15. “Montagem dos terminais telefônicos” 4-173
16. “Efetuar conferência visual” 4-176
Tabela 4-1 HiPath 1100 - Procedimento de montagem do sistema

4-116 Manual de Serviço


Montagem
Selecionar o local de montagem

Cuidado
! É indispensável o uso da pulseira antiestática ao trabalhar com os sistemas HiPath
1100 (principalmente ao manipular os módulos). A pulseira deve ser conectada em
um local aterrado.

4.3 Selecionar o local de montagem

Local de montagem
O local de montagem foi previamente determinado em conjunto com o cliente.
As seguintes indicações devem ser observadas:
● Não expor o sistema a uma fonte de calor externa (por exemplo, raios solares, radiador,
etc.);
● Não expor o sistema a ambientes com muita poeira;
● Não expor o sistema a ambientes que possam favorecer a condensação durante o
serviço. Caso isso ocorra, secar o sistema antes da colocação em serviço;
● Não instalar dentro de armários;
● A tomada da fonte de alimentação do sistema deve estar próxima ao equipamento e de
fácil acesso;
● Atenção às condições ambientais mencionadas no capítulo “Dados do sistema” (ver
“Condições ambientais” na página 2-36).
● Não instalar em paredes que sofram vibrações.

Atenção
! Para a versão RSA, as linhas de ramal com interface C/D devem ser instaladas so-
mente em ambiente interno. Instalação externa é permitida somente para ramais
comuns (sem interface C/D).

Nota 1: Consultar o item “Estrutura HiPath 1100” na página 2-24 para informações sobre a
estrutura dos sistemas.

Manual de Serviço 4-117


Montagem
Desembalar os componentes

4.4 Desembalar os componentes

Procedimento

Etapa Ação
1. Verificar se os componentes entregues estão de acordo com a nota fiscal.
2. Verificar se houve danos devido ao transporte e, se for o caso, comunicá-los aos
responsáveis.
3. O material da embalagem deve ser eliminado de acordo com a regulamentação
ambiental de cada país.

Atenção
! Utilizar apenas sistemas e equipamentos em perfeito estado. Não colocar em ser-
viço sistemas danificados.

4.5 Conhecendo os sistemas

4.5.1 HiPath 1120

Dimensões HiPath 1120

Figura 4-1 Dimensões para o HiPath 1120

4-118 Manual de Serviço


Montagem
Conhecendo os sistemas

Abrindo o DG

Figura 4-2 Abrindo o DG do HiPath 1120

Localização dos componentes

Figura 4-3 Visão geral do sistema para montagem HiPath 1120

Manual de Serviço 4-119


Montagem
Conhecendo os sistemas

4.5.2 HiPath 1150

Dimensões HiPath 1150

Figura 4-4 Dimensões para o HiPath 1150

Localização dos componentes

Figura 4-5 Visão geral do sistema para montagem HiPath 1150

4-120 Manual de Serviço


Montagem
Conhecendo os sistemas

Abrindo o DG

Figura 4-6 Abrindo o DG do HiPath 1150

Manual de Serviço 4-121


Montagem
Conhecendo os sistemas

4.5.3 HiPath 1190/1190R


Os sistemas HiPath 1190 e HiPath 1190R são idênticos, a não ser pela existência de uma “aba
lateral” no modelo HiPath 1190R utilizada para a fixação em um rack de 19”e a inexistência de
tampas laterais.

Dimensões HiPath 1190/1190R

Figura 4-7 Dimensões para o HiPath 1190/1190R

Abrindo o sistema

Figura 4-8 Abrindo o HiPath 1190/1190R

4-122 Manual de Serviço


Montagem
Conhecendo os sistemas

Procedimento para a abertura

Etapa Ação
1. Insira a chave de fenda conforme figura acima.
2. Desloque a tampa para frente com a chave de fenda inserida.

Localização dos componentes

Figura 4-9 Visão frontal do HiPath 1190/1190R

Manual de Serviço 4-123


Montagem
Conhecendo os sistemas

Chapa de proteção
das entradas AC

Figura 4-10 Vista posterior do HiPath 1190/1190R

4-124 Manual de Serviço


Montagem
Conhecendo os sistemas

Figura 4-11 Ancoragens dos cabos no HiPath 1190/1190R

Figura 4-12 Montagem dos módulos nos sistemas HiPath 1190/1190R

Manual de Serviço 4-125


Montagem
Conhecendo os sistemas

Procedimento para a montagem dos módulos

Etapa Ação
1. Insira o módulo no respectivo slot.
2. Desloque a trava para a direira para travar os módulos.
3. Fixe a trava através dos parafusos.
4. Para retirar os módulos proceda da forma inversa.

Montagem no Rack 19”

Figura 4-13 Montagem do HiPath 1190R no Rack 19”

Procedimento para a montagem no Rack

Etapa Ação
1. Fixe os suportes da central no rack 19” com os parafusos conforme indicado .
2. Insira a central no Rack 19”.
3. Fixe a a central no Rack 19” com os parafusos.

4-126 Manual de Serviço


Montagem
Fixação na parede do HiPath1120/1150

4.6 Fixação na parede do HiPath1120/1150

Etapa Ação
1. Fazer um furo a uma altura de 1,25 metros do chão.
2. Colocar a bucha e apertar o parafuso deixando-o com uma saliência de 5 mm.
3. Pendurar o sistema, em cima ➀, no parafuso (ver figura 4-14 e figura 4-15).
4. Marcar os outros orifícios para a bucha ➁ e retirar novamente o sistema.
5. Furar o(s) outro(s) orifício(s) para a(s) bucha(s), colocá-la(s) e atarraxar o(s)
parafuso(s) deixando uma saliência de 5 mm.
6. Pendurar novamente o sistema, alinhá-lo e apertar o(s) parafuso(s).

Base posterior das caixas

Figura 4-14 Fixação do HiPath 1120

Manual de Serviço 4-127


Montagem
Montagem dos módulos

Figura 4-15 Fixação do HiPath 1150

4.7 Montagem dos módulos

4.7.1 Configuração no HiPath 1100


Para cada configuração é necessário levar em consideração as capacidades, os módulos
disponíveis e suas respectivas características e necessidades já apresentadas nos capítulos
anteriores ( ver “Limites de expansão para os sistemas” na página 2-26).
Para auxiliar na configuração dos sistemas sugerimos utilizar em conjunto com o Manual de
Serviço, o HiPath 1100 Manager, no modo Offline, com o propósito de mostrar fisicamente o
posicionamento dos módulos e a conexão dos ramais, linhas externas e o plano de
numeração resultante (veja o arquivo de Ajuda para maiores informações - Configurações
avançadas/Informações do PABX).

4.7.2 Localização dos módulos

Informações para a montagem


A MB e os módulos no sistema HiPath 1120 são interligados por flatcable (devem ser
passados por dentro do ferrite fornecido) e/ou uma barras de pinos. Já nos sistemas
HiPath1150/1190/1190R, os módulos são interligados pelos conectores existentes no Back
Plane.
Para informações sobre ampliações e configurações do sistema, ver “Limites de expansão
para os sistemas” na página 2-26.

4-128 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

Atenção
! Os módulos só podem ser inseridos ou extraídos com a fonte de alimentação des-
ligada.

4.7.2.1 No HiPath 1120

Para os Módulos EB 200/204 é utiliza-


do um cabo para a interligação
Para o Módulo UP0/E são utilizados
dois cabos para a interligação.

Figura 4-16 Localização dos módulos no HiPath 1120

Manual de Serviço 4-129


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.2.2 No HiPath 1150

Figura 4-17 Localização dos módulos no HiPath 1150

A Tabela 4-2 apresenta os módulos que podem ser montados nas respectivas posições,
sempre respeitando os limites de cada sistema.

HiPath 1150
Posição 1 Tipo de Posição 2 Tipo de módulo
módulo
EB 010 EB 010
EB 012 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 210 EB 210
EB 200 EB 200
EB 400 EB 400
EB 800 EB 800
Módulos opcionais Módulo UP0/E Módulos opcionais Módulo UP0/E
Posição 3 Tipo de Posição 4 Tipo de módulo
módulo

4-130 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

EB 010 EB 010
EB 012 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 210 EB 210
EB 200 EB 200
EB 400 EB 400
EB 800 EB 800
Módulo S0 Módulo de Inter-
face LAN
Módulo de
Módulos opcionais Módulos opcionais
Interface LAN
Módulo TME1
Tabela 4-2 Posição x tipo de módulo no HiPath 1150

4.7.2.3 No HiPath 1190/1190R

Figura 4-18 Localização dos módulos no HiPath 1190/1190R

Manual de Serviço 4-131


Montagem
Montagem dos módulos

A Tabela 4-3 apresenta os módulos que podem ser montados no HiPath 1190 e no HiPath
1190R (ver “Limites de expansão para os sistemas” na página 2-26):

Posição 1 Tipo de módulo Posição 2 Tipo de módulo


EB 010 EB 010
EB 012 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 210 EB 210
EB 200 EB 200
EB 400 EB 400
EB 800 EB 800
Módulo S0 Módulo de Interface
Módulos opcionais Módulos opcionais LAN
Módulo TME1
Posição 3 Tipo de módulo Posição 4 Tipo de módulo
EB 010 EB 010
EB 012 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 210 EB 210
EB 200 EB 200
EB 400 EB 400
EB 800 EB 800
Módulos opcionais Módulo UP0/E Módulos opcionais Módulo UP0/E
Posição 5 Tipo de módulo Posição 6 e 7 Tipo de módulo
EB 010 EB 010
EB 012 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 210 EB 210
EB 200 EB 200
EB 400 EB 400
EB 800 EB 800

4-132 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

Posição 8 Tipo de módulo Posição 9 e 10 Tipo de módulo


EB 010 EB 010
EB 012 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 210 EB 210
EB 200 EB 200
EB 400 EB 400
EB 800 EB 800
Posição 11 Tipo de módulo Posição 12 Tipo de módulo
EB 010 EB 010
EB 012 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação
EB 210 EB 210
Módulos de ampliação
EB 200 EB 200
EB 400 EB 400
EB 800 EB 800
Módulo S0
Módulos opcionais
Módulo TME1
Posição 13 e 14 Tipo de módulo Posição 15 Tipo de módulo
EB 010
EB 010 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 200 EB 210
EB 400 EB 200
EB 800 EB 400
EB 800

Manual de Serviço 4-133


Montagem
Montagem dos módulos

Posição 16 e 17 Tipo de módulo Posição 18 Tipo de módulo


EB 010
EB 010 EB 012
EB 202 EB 202
EB 206 EB 206
Módulos de ampliação Módulos de ampliação
EB 200 EB 210
EB 400 EB 200
EB 800 EB 400
EB 800
Posição 19 e 20 Tipo de módulo
EB 010
EB 202
EB 206
Módulos de ampliação
EB 200
EB 400
EB 800
Tabela 4-3 Posição x tipo de módulo nos sistemas HiPath 1190/1190R
Obs.: O Módulo CD e a MB (CPU) possuem posições fixas nos sistemas HiPath 1190/1190R
indicados na Trava dos Módulos (Figura 4-18 na página 4-131).

4-134 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.3 Montagem dos módulos

4.7.3.1 No HiPath 1120

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa do sistema.
3. Insira o módulo em uma das posições indicadas na figura 4-16.
4. Parte inferior: para instalar o Módulo de Interface LAN ou Módulo Música, levante a
posição superior (MB) do sistema e utilize a barra de pinos para a interligação com
a posição X1 do Módulo de Interface LAN (ver figura 3-24) ou a posição X2 do
Módulo Música (ver figura 3-31).
5. Parte superior: Interligue o módulo e a MB através do/dos flat cable fornecido ,
tomando o cuidado de passar por dentro do ferrite (ver figura 4-16).
6. Faça as ligações aos conectores do DG dos módulos (ver figura 4-39).
7. Monte o conjunto novamente.
8. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
9. Ligue a fonte de alimentação.
10. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

4.7.3.2 No HiPath 1150

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Retire a fonte de alimentação.
2. Retire o back plane.
3. Insira o módulo em uma das posições indicadas na figura 4-17.
4. Faça as ligações aos conectores do DG dos módulos (ver Figura 4-40).
5. Monte o conjunto novamente.
6. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
7. Ligue a fonte de alimentação.

Manual de Serviço 4-135


Montagem
Montagem dos módulos

Etapa Ação
8. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

4.7.3.3 No HiPath 1190/1190R

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa frontal do sistema.
3. Retire a tampa traseira do sistema.
4. Desloque a trava de módulos como indicado na figura 4-12.
5. Insira o módulo em uma das posições indicadas na Tabela 4-2.
6. Desloque novamente a trava de módulos para fixá-lo.
7. Faça a interligação dos cabos do DG da seguinte maneira: para os módulos
alocados na posição inferior do sistema (posições 1 a 10) utilize a abertura inferior
(ver figura 4-10). Para os módulos alocados na posição superior do sistema
(posições 11 a 20), utilize as ancoragens superiores para fazer a passagem dos
cabos (ver figura 4-11).
8. Faça as ligações aos conectores do módulo (ver “Módulos de ampliação (EB)” na
página 3-51).
9. Fixe os cabos nas ancoragens com braçadeiras plásticas.
10. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
11. Monte o conjunto novamente.
12. Ligue a fonte de alimentação.
13. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

4.7.4 Montagem do módulo TME1

Atenção
! O manuseio direto do conector da interface serial de administração do módulo
TME1 só deve ser realizado após a desconexão de todos os conectores de linha ex-
terna e ramal analógicos. O não cumprimento deste procedimento pode levar à ex-
posição do usuário a tensões perigosas. Os conectores do Módulo TME1 e cabos
de interconexão, só podem ser manuseados por corpo técnico treinado.

4-136 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

Lembre de configurar as Dip switches (ver “Módulo TME1” na página 3-61).

Esquema de montagem no HiPath1150/1190/1190R

Figura 4-19 Montagem do módulo TME1

4.7.5 Conexão ADSL nos módulos de interface LAN

4.7.5.1 Módulo ADSL

Procedimento para a conexão

Etapa Ação
1. Conecte a linha ADSL da operadora na posição 1 e 2 do conector X2 .
2. Ligue as posições 3 e 4 do conector X2 na entrada de linha externa do HiPath 1100.
3. Conecte os cabos de sua rede de computadores (network) no HUB (conectores J3,
J5, J6 e J7).

Manual de Serviço 4-137


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.5.2 Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC e ADSLIM

Procedimento para a conexão

Etapa Ação
1. Conecte a linha ADSL da operadora na posição 1 e 2 do conector X11.
2. Ligue as posições 3 e 4 do conector X11 na entrada de linha externa do HiPath
1100.
3. Conecte os cabos de sua rede de computadores (network) no HUB (conectores X2,
X3, X4 e X5).

Esquema de conexão no HiPath 1120

Figura 4-20 Conexão ADSL no HiPath 1120

4-138 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

Esquema de conexão no HiPath1150/1190/1190R

Figura 4-21 Conexão ADSL no HiPath1150/1190/1190R

4.7.6 Montagem do módulo Baby Board ADSL

4.7.6.1 No HiPath 1120

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Selecione o módulo SLIMC.
2. Encaixe os espaçadores, que vem junto com o módulo.
3. Encaixe o módulo Baby bord ADSL sobre os espaçadores.
4. Conecte o cabo da interface Ethernet nos conectores X6.
5. Conecte o cabo da linha ADSL nos conectores X14.
6. Conecte o cabo de alimentação do módulo Baby Board ADSL nos conectores X7.
7. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
8. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Manual de Serviço 4-139


Montagem
Montagem dos módulos

Esquema de montagem

X14
X6

X7

X14

X6
X7

Figura 4-22 Montagem do módulo Baby Board ADSL HiPath 1120

4.7.6.2 No HiPath1150/1190/1190R

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Selecione o módulo LIMC.
2. Encaixe os espaçadores, que vem junto com o módulo.
3. Encaixe o módulo Baby bord ADSL sobre os espaçadores.
4. Conecte o cabo da interface Ethernet nos conectores X6.
5. Conecte o cabo da linha ADSL nos conectores X14.
6. Conecte o cabo de alimentação do módulo Baby Board ADSL nos conectores X7.
7. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
8. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

4-140 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

Esquema de montagem

X14
X6

X7

X14

X6

X7

Figura 4-23 Montagem do módulo Baby Board ADSL no HiPath1150/1190/1190R

4.7.7 Montagem do módulo EVM

4.7.7.1 No HiPath 1120

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa do sistema.
3. Encaixe o espaçador, que vem junto com o módulo, na MB.
4. Encaixe o módulo na barra de pinos da MB e no espaçador.
5. Monte o conjunto novamente.
6. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
7. Ligue a fonte de alimentação.
8. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Manual de Serviço 4-141


Montagem
Montagem dos módulos

Esquema de montagem

Figura 4-24 Montagem do módulo EVM HiPath 1120

4.7.7.2 No HiPath 1150

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Retire a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa do DG.
3. Retire o back plane.
4. Retire as posições superiores à MB.
5. Encaixe o espaçador, que vem junto com o módulo, na MB.
6. Encaixe o módulo na barra de pinos da MB e no espaçador.
7. Monte o conjunto novamente.
8. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
9. Ligue a fonte de alimentação.
10. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

4-142 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

Esquema de montagem

Figura 4-25 Montagem do módulo EVM HiPath 1150

4.7.7.3 No HiPath 1190/1190R

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa frontal do sistema.
3. Desconecte os cabos do DG da MB.
4. Desloque a trava de módulos como indicado na figura 4-12.
5. Retire a MB.
6. Encaixe o espaçador, que acompanha o módulo EVM na MB.
7. Encaixe o módulo na barra de pinos da MB e no espaçador.
8. Coloque a MB no sistema.
9. Desloque a trava de módulos para fixá-la.
10. Conecte os cabos do DG.

Manual de Serviço 4-143


Montagem
Montagem dos módulos

Etapa Ação
11. Monte o conjunto novamente.
12. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
13. Ligue a fonte de alimentação.
14. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Esquema de montagem

Figura 4-26 Montagem do módulo EVM no HiPath 1190/1190R

4-144 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.8 Montagem do módulo Baby Board VCC


(Voltage Conditioner Circuitry)

4.7.8.1 No HiPath 1120

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa do sistema.
3. Encaixe os espaçadores, que vem junto com o módulo, na MB.
4. Encaixe o módulo na barra de pinos da MB e no espaçador.
5. Monte o conjunto novamente.
6. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
7. Ligue a fonte de alimentação.
8. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Esquema de montagem

Figura 4-27 Montagem do módulo Baby Board VCC no HiPath1120

Manual de Serviço 4-145


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.9 Montagem do módulo CTR- UP0/E

4.7.9.1 No HiPath 1120

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa do sistema.
3. Encaixe o módulo no conector correspondente na MB.
4. Monte o conjunto novamente.
5. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
6. Ligue a fonte de alimentação.
7. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Esquema de montagem

Figura 4-28 Montagem do módulo CTR- UP0/E HiPath 1120

4-146 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.9.2 No HiPath 1150


Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Retire a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa do DG.
3. Retire o back plane.
4. Retire as posições superiores à MB.
5. Encaixe o módulo no conector correspondente da MB.
6. Monte o conjunto novamente.
7. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
8. Ligue a fonte de alimentação.
9. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Esquema de montagem

Figura 4-29 Montagem do módulo CTR- UP0/E HiPath 1150

Manual de Serviço 4-147


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.9.3 No HiPath 1190/1190R

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa frontal do sistema.
3. Desconecte os cabos do DG da MB.
4. Desloque a trava de módulos como indicado na figura 4-12.
5. Retire a MB.
6. Encaixe o módulo no conector correspondente da CPU.
7. Coloque a MB no sistema.
8. Desloque a trava de módulos para fixá-la.
9. Conecte os cabos do DG.
10. Monte o conjunto novamente.
11. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
12. Ligue a fonte de alimentação.
13. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Esquema de montagem

Figura 4-30 Montagem do módulo CTR- UP0/E no HiPath 1190/1190R

4-148 Manual de Serviço


Montagem
Montagem dos módulos

4.7.10 Montagem do módulo Música

4.7.10.1 No HiPath 1120

Procedimento para a montagem

Etapa Ação
1. Desligue a fonte de alimentação.
2. Retire a tampa do sistema.
3. Levante a posição superior (MB) do sistema.
4. Insira o módulo na posição mostrada na figura 4-31.
5. Encaixe a MB no módulo.
6. Faça as ligações no conector do módulo (ver “Módulo Música” na página 3-83).
7. Monte o conjunto novamente.
8. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
9. Ligue a fonte de alimentação.
10. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Esquema de montagem

Figura 4-31 Montagem do módulo Música HiPath 1120

Manual de Serviço 4-149


Montagem
Montagem da fonte de alimentação

4.8 Montagem da fonte de alimentação

Introdução

Antes de conectar a fonte de alimentação ao sistema, ver “Dados Técnicos” na pá-


gina 2-34 “ e “Fonte de Alimentação (PSU)” na página 3-85.

4.8.1 No HiPath 1120

Procedimento de montagem

Etapa Ação
1. Verifique a tensão de rede.
2. Estando a tensão de acordo com a faixa de tensão da fonte, basta conectá-la.
3. “Efetuar conferência visual” na página 4-176
4. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Atenção
! Para ligar ou desligar a tensão do sistema utilize o cabo de alimentação da fonte.

Figura 4-32 Montagem da fonte de alimentação HiPath 1120

4-150 Manual de Serviço


Montagem
Montagem da fonte de alimentação

4.8.2 No HiPath 1150

Procedimento de montagem

Etapa Ação
1. Verifique a tensão de rede.
2. Monte o ferrite (C39022-Z7000-C7) no cabo de alimentação CA da PSU a no
máximo 20 mm do conector fêmea (ver Figura 4-35 na página 4-152).
3. Estando a tensão de acordo com a faixa de tensão da fonte, basta conectá-la.
4. Se a fonte de alimentação possuir entrada para as baterias (BBU) ou tiver adquirido
o kit de ampliação com BBU (S30817-H853-B401-*), deve-se conectá-las
conforme indicado em “Montagem das Baterias” na página 4-156.
5. “Efetuar conferência visual” na página 4-176
6. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Atenção
! Para ligar ou desligar a tensão do sistema utilize o cabo de alimentação da fonte.
Caso estejam instaladas as baterias é necessário ligá-las ou desligá-las também.

Fonte

Figura 4-33 Montagem da PSU HiPath 1150

Manual de Serviço 4-151


Montagem
Montagem da fonte de alimentação

Baterias
2 x 12V
(em série)

Cabo de interligação
PSU - Cabo de conexão
Cabo de conexão com as baterias
com as baterias
Figura 4-34 Montagem da PSU HiPath 1150 com BBU

20 mm no máximo

Figura 4-35 Cabo de alimentação da PSU com BBU - HiPath 1150

4-152 Manual de Serviço


Montagem
Montagem da fonte de alimentação

4.8.3 No HiPath 1190/1190R

Procedimento de montagem

Etapa Ação
1. Verifique a tensão de rede.
2. Retire a tampa traseira do sistema.
3. Estando a tensão de acordo com a faixa de tensão da fonte, basta fixá-la nas
posições indicadas na figura 4-36.
Atenção:
Todas as fontes devem ser do mesmo modelo (com ou sem baterias).
4. Passe os conectores das fontes pelas aberturas da parte traseira do sistema (ver
figura 4-9).
5. Monte o ferrite (C39022-Z7000-C7) no cabo de alimentação CA de casa PSU a no
máximo 20 mm do conector fêmea (ver Figura 4-37 na página 4-155).
6. Se a fonte de alimentação possuir entrada para as baterias (BBU) ou tiver adquirido
o kit de ampliação com BBU (Full - S30777-H770-H410-*, Medium - S30777-H770-
H420-*):
– Conecte os cabos indicados na figura 3-34 na primeira fonte fixando-a no
bastidor (ver figura 4-37), logo em seguida proceda da mesma forma
interligando as demais fontes através do Cabo de conexão Vshare, do
Cabo de interligação entre as PSU e fixe-as no bastidor.
– Cabo de conexão Vshare;
– Cabo de conexão PSU- Cabo de baterias;
– Cabo de interligação entre as PSU
– Cabo AC das fontes (com ferrites)
– (Kit de conexão de baterias (BBU)- L30251-U600-A617)
– Interligue as baterias conforme indicado em “Montagem das Baterias” na
página 4-156.
7. Conecte os cabos AC das fontes na saída AC do bastidor conforme figura 4-10
8. Conecte o cabo AC do sistema na entrada AC do bastidor (ver figura 3-34).
9. Recoloque a chapa de proteção das entradas AC das fontes no bastidor (ver figura
4-10).
10. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Manual de Serviço 4-153


Montagem
Montagem da fonte de alimentação

Atenção
! Verifique se o bastidor está devidamente aterrado antes de energizar o sistema.
Para ligar ou desligar o sistema utilize a chave localizada na entrada AC do sistema.

Passagem dos
conectores das fontes
para os back planes

Chapa de proteção
das entradas AC
Figura 4-36 Montagem PSU no HiPath 1190/1190R

4-154 Manual de Serviço


Montagem
Montagem da fonte de alimentação

Cabo de interligação entre Cabo de interligação


as PSU PSU - Cabo de
conexão com as
baterias

Cabo Vshare

Cabo de interligação
entre as PSU
20 mm no máximo

Ferrites

Chapa de proteção
das entradas AC
Baterias
2 x 12V
(em série)

Cabo de conexão
com as baterias

Cabo de interligação
PSU - Cabo de
conexão
com as baterias

Figura 4-37 Montagem PSU com BBU no HiPath 1190/1190R

Manual de Serviço 4-155


Montagem
Montagem da fonte de alimentação

4.8.4 Montagem das Baterias


Nos sistemas HiPath1150/1190/1190R são necessárias duas baterias (2x12V) que devem ser
ligadas em série através de um cabo com conectores faston fêmeas nas pontas (Kit de
conexão de baterias (BBU)- L30251-U600-A617).
Obs: A fonte utilizada nos sistemas deve possuir a entrada para a conexão das baterias (ver
“Fonte de Alimentação (PSU)” na página 3-85) e o cabo de interligação utilizado deve ser o
indicado ( “Cabos para conexão das baterias (BBU)” na página 3-113).

Cuidado
! RISCO DE EXPLOSÃO SE A BATERIA FOR SUBSTITUÍDA POR UM TIPO INCOR-
RETO. DESCARTE AS BATERIAS USADAS DE ACORDO COM AS INSTRUÇÕES
LEGAIS ESPECÍFICAS DE CADA PAÍS.

Baterias
2 x 12V
(em série)

Fusível
7,5A (uniVAL - fabricante MTA)

Cabo de conexão PSU- Cabo


de bateria

Conectar no cabo de bateria


da PSU

Figura 4-38 Montagem das baterias ao sistema.

4-156 Manual de Serviço


Montagem
Conexões no DG do sistema

4.9 Conexões no DG do sistema

Introdução
A fixação e conexão dos cabos é feita no DG do sistema e a passagem dos cabos através de
dutos ou canaletas até a caixa de distribuição telefônica da operadora, a seguir apresentamos
alguns exemplos de configurações.

4.9.1 HiPath 1120

Exemplo

*Para instalação do telefone de sistema do tipo KS, é necessário utilizar o par CD em conjunto com uma posição
de ramal A/B (ver “Montagem dos terminais telefônicos” na página 4-173).

Figura 4-39 Distribuição dos ramais no DG HiPath 1120

Atenção
! Para a versão RSA, as linhas de ramal com interface C/D devem ser instaladas so-
mente em ambiente interno. Instalação externa é permitida somente para ramais
comuns (sem interface C/D).

Manual de Serviço 4-157


Montagem
Conexões no DG do sistema

Caso seja utilizado o Módulo de Ampliação UP0/E, os telefones de sistema do tipo


KS serão desabilitados.

Posição Posição Posição


Posição Nº interno
Slot do Nº interno Slot do do
do ramal Módulo EB 204
tronco tronco ramal
01 801 Posição 03 803
MB
02 802 1 04 804
1 11 9 19
2 12 10 20
a/b
3 13 11 21
4 14 12 22
a/b
5 15
6 16
7 17
8 18
Posição Posição
Nº interno
Slot do do
Módulo EB 204
tronco ramal
05 805
Posição 2
06 806
13 23
14 24
a/b
15 25
16 26

Tabela 4-4 Exemplo de localização dos ramais no DG do HiPath 1120

4-158 Manual de Serviço


Montagem
Conexões no DG do sistema

4.9.2 HiPath 1150

Exemplo

*Para instalação do telefone de sistema, é necessário utilizar o par CD em conjunto com uma
posição de ramal a/b (ver “Montagem dos terminais telefônicos” na página 4-173).
Figura 4-40 Distribuição dos ramais no DG HiPath 1150

Para se ter acesso à parte interna do DG, é necessário retirar a trava de segurança utilizando
uma chave de fenda fina (ver figura 4-6). Após executar os trabalhos no DG do sistema insira
novamente a trava de segurança.

Manual de Serviço 4-159


Montagem
Conexões no DG do sistema

Posição
Nº linha
Slot do Nº interno
externa
ramal
01 801
MB
02 802
1 11
2 12
3 13
4 14
5 15
a/b
6 16
7 17
8 18
9 19
10 20
Posição Nº interno Nº interno Nº interno Nº interno Nº interno Nº interno
Nº linha
Slot do Módulo Módulo Módulo Módulo Módulo Módulo
externa
ramal EB 210 EB 206 EB 202 EB 200 EB 400 EB 800
03 803 803 803 803 803 803
Posição 1
04 804 804 804 804 804 804
11 21 21 21 805 805
12 22 22 22 806 806
13 23 23 807
14 24 24 808
15 25 25 809
a/b
16 26 26 810
17 27
18 28
19 29
20 30

4-160 Manual de Serviço


Montagem
Conexões no DG do sistema

Posição Nº interno Nº interno Nº interno Nº interno Nº interno


Nº linha
Slot do Módulo Módulo Módulo Módulo Módulo
externa
ramal EB 210 EB 206 EB 202 EB 200 EB 400
Posição 2 05 805 805 805 805 807
06 806 806 806 806 808
21 31 27 23 809
22 32 28 24 810
23 33 29
24 34 30
25 35 31
a/b
26 36 32
27 37
28 38
29 39
30 40
Posição Nº interno Nº interno Nº interno Nº interno
Nº linha
Slot do Módulo Módulo Módulo Módulo
externa
ramal EB 210 EB 206 EB 202 EB 200
07 807 807 807 807
Posição 3
08 808 808 808 808
31 41 33 25
32 42 34 26
33 43 35
34 44 36
35 45 37
a/b
36 46 38
37 47
38 48
39 49
40 50

Manual de Serviço 4-161


Montagem
Conexões no DG do sistema

Posição Nº interno Nº interno Nº interno Nº interno


Nº linha
Slot do Módulo Módulo Módulo Módulo
externa
ramal EB 210 EB 206 EB 202 EB 200
Posição 4 09 809 809 809 809
10 810 810 810 810
41 51 39 27
42 52 40 28
43 53 41
44 54 42
45 55 43
a/b
46 56 44
47 57
48 58
49 59
50 60
Tabela 4-5 Exemplo de localização dos ramais no DG HiPath 1150

4.9.3 HiPath 1190/1190R

Atenção
! As linhas de ramal e tronco do HiPath 1190 devem ser dispostas de modo a utilizar
o caminho mais curto dentro do gabinete.

Exemplo
Devido a versatilidade dos sistemas HiPath 1190, a composição dos módulos de ampliação e
módulos opcionais podem variar conforme as necessidades do cliente. Para ilustrar uma
possível configuração, temos o seguinte exemplo:
Seja um sistema onde é utilizado um módulo TME1 na posição 1 e uma EB 012 na posição 3.
O DG é composto da seguinte forma:

Nº linha externa Posição do ramal


Módulo Slot Nº interno
digital analógico
TME1 Posição 1 01 a 30 --- 801 a 830
EB 012 Posição 3 --- 1 a 12 101 a 112
Tabela 4-6 Exemplo de localização dos ramais no DG

4-162 Manual de Serviço


Montagem
Conexões no DG do sistema

*Para instalação do telefone de sistema, é necessário utilizar o par CD em conjunto com uma
posição de ramal a/b (ver “Montagem dos terminais telefônicos” na página 4-173).

Figura 4-41 Distribuição dos ramais no DG HiPath 1190/1190R


.

Atenção
! Quando o módulo S0 é utilizado, a numeração padrão das expansões é alterada.

Manual de Serviço 4-163


Montagem
Instalação da interface V.24

4.10 Instalação da interface V.24

Introdução
Para conectar um computador/impressora/moden ao HiPath 1100 utilizando a interface serial
RS 232, é necessário utilizar o cabo adaptador V.24 (ver “Cabo adaptador V.24” na página 3-
104). Caso seja necessário utilizar um outro cabo serial como extensão para interligar o
computador/impressora/modem ao HiPath 1100, o comprimento máximo total não deve
exceder 15 metros.
Através desta interface é possível utilizar alguns aplicativos desenvolvidos para programar e
gerenciar as facilidades para usuários.

Conexão

Etapa Ação
1. Encaixe o lado do cabo da interface serial V.24 com o conector MiniDIN (macho) no
conector serial MiniDIN da MB e o outro extremo na porta serial da impressora ou
computador. No caso do computador, verifique se está sendo utilizada a COM 1 ou
a COM 2.
2. Caso utilize um PC, podem ser ajustados os seguintes parâmetros:
● 9600 / 14400 / 19200 (default) / 38400 / 56000 / 57600 / 115200 /128000 /
256000 baud;
Parâmetros Fixos:
● 8 bits;
● 1 stop bit;
● sem paridade.
3. Na conexão de uma impressora, deve estar ajustado o horário atual da central.

Observação
! Com o uso do Módulo de interface LAN, a conexão serial do HiPath 1100 passa para
este, não devendo ser usado o conector serial da MB. Todas as funções da porta
serial passam a ser efetuadas via rede local.

4-164 Manual de Serviço


Montagem
Instalação da interface USB

4.11 Instalação da interface USB

Introdução
Para conectar um computador ao HiPath 1100 utilizando a interface USB, é necessário
adquirir o cabo adaptador USB (ver “Cabo adaptador USB” na página 3-107). Através desta
interface é possível utilizar os aplicativos desenvolvidos para programar e gerenciar as
facilidades para usuários.

Atenção
! Os Drivers para intalação estão no CD de instalação.

4.11.1 No HiPath1120/1150

Figura 4-42 Exemplo de Conexão do cabo USB

Conexão

Etapa Ação
1. Encaixe o cabo do adaptador USB com o conector MiniDIN (macho) no conector
MiniDIN (4 pinos) da MB (Figura 4-42).
2. Conecte o lado do cabo USB padrão A para B com o conector USB no adaptador
USB e o outro lado no computador ou modem.

Manual de Serviço 4-165


Montagem
Instalação da interface USB

Etapa Ação
3. Veja programação do sistema em “Programação do sistema usando um PC” na
página 7-275.

4.11.2 No HiPath 1190/1190R

Figura 4-43 Exemplo de conexão do cabo USB no HiPath 1190

Conexão

Etapa Ação
1. Encaixe o cabo do adaptador USB com o conector MiniDIN (macho) no conector
MiniDIN (4 pinos) da MB (Figura 4-43).
2. Conecte o lado do cabo USB padrão A para B com o conector USB no adaptador
USB e o outro lado no computador ou modem.
3. Veja programação do sistema em “Programação do sistema usando um PC” na
página 7-275.

4-166 Manual de Serviço


Montagem
Instalação da fonte de aúdio externa

4.12 Instalação da fonte de aúdio externa


Os sistemas HiPath 1100 permitem a conexão de aparelhos de aúdio como rádios, receivers,
CD, MD entre outros.
● HiPath 1120
A fonte de aúdio deve ser conectada no módulo opcional música na posição X1 conector
RCA (ver Figura 4-39 na página 4-157).
● HiPath1150/1190/1190R
A fonte de aúdio deve ser conectada na MB na posição X8 pinos 3 e 4 (ver Figura 4-40 na
página 4-159).

4.13 Instalação da Interface de porteiro - TFE

4.13.1 Modelos S30817-K930-A300 e S30122-K7696-T313


● S30817-K930-A300 (sem amplificador)
● S30122-K7696-T313 (com amplificador)

Procedimento para a instalação

Etapa Ação
1. Conecte o seu sistema à interface TFE, ver “Porteiro eletrônico interno com
interface TFE” na página 3-95.
2. Conecte o porteiro eletrônico à interface TFE
3. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
4. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

Manual de Serviço 4-167


Montagem
Instalação da Interface de porteiro - TFE

4.13.2 Modelo S30817-Q936-C282 - Brasil

Procedimento para a instalação


Essa interface pode ser configurada para trabalhar no modo Busca-Pessoa ou modo Porteiro.

Modo Busca-Pessoa

Etapa Ação
1. Configure o jumper 1 (J1) como ligado e o jumper 2 (J2) como desligado (ver
“Porteiro eletrônico interno com interface TFE” na página 3-95).
2. Configure o sistema em modo porteiro e especifique os ramais atendedores.
Especifique também o ramal que irá receber a interface.
3. Conecte a interface ao ramal de porteiro via contatos 1 e 2 do conector X2.
4. Para acionar o modo Busca-Pessoa, tire o monofone do gancho de um dos ramais
atendedores e disque para o ramal de porteiro. Neste momento, o ramal discador é
conectado com o ramal de porteiro porém a fonia não é aberta.
5. Para abrir a fonia, disque “8”. O som ambiente irá parar e pode-se dar o recado, que
será amplificado em todas as caixas acústicas ligadas ao amplificador.
6. Para fechar a fonia, disque “9“. Caso a fonia não seja fechada manualmente, ela irá
fechar automaticamente após 15 s. Para isso, é necessário que o jumper 3 (J3)
esteja desativado.
7. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
8. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

A fiação que liga o conector X2 ao PABX deve ter no máximo 10 metros.

Modo Porteiro

Etapa Ação
1. Configure o jumper 1 (J1) como desligado (ver “Porteiro eletrônico interno com
interface TFE” na página 3-95).
2. Configure o sistema em modo porteiro e especifique os ramais atendedores.
Especifique também o ramal que irá receber a interface.
3. Conecte a interface ao ramal de porteiro via contatos 1 e 2 do conector X2.

4-168 Manual de Serviço


Montagem
Recomendações sobre a alimentação/proteção do sistema

Etapa Ação
4. Conecte o porteiro de rua aos contatos 3 e 4 do conector X6 com a fiação
especificada pelo fabricante.
5. O visitante na rua aperta o botão do porteiro, causando o toque dos ramais
atendedores.
Ao atender qualquer um deles, a fonia é aberta automaticamente.
6. Disque o código de abertura de porta.
7. Para fechar a fonia, o ramal atendedor deve discar “9”.
Para reabrir a fonia, o ramal atendedor deve discar “5”.
Caso a fonia não seja fechada manualmente, fechará automaticamente em 5 min.
8. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
9. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

4.14 Recomendações sobre a alimentação/proteção do sistema

Instrução relativa a um possível retorno à terra

Para evitar retornos à terra produzidos por sistemas remotos, utilizar a mesma fase
na alimentação dos diversos sistemas.
Caso as características do edifício impeçam esta ligação, pode ser necessário utili-
zar um transformador intermediário para desacoplar o sistema externo, a fim de evi-
tar possíveis avarias durante o funcionamento.

Ligação do terra de proteção da alimentação

Perigo
! Os sistemas de alimentação do HiPath1150/1190/1190R devem estar protegidos
com uma ligação à terra através de um condutor de proteção (PE - verde/amarelo)
separado (sistema TN-S, seção mínima = 2,5 mm2) conforme a figura 4-44.
No caso da necessidade de trabalhos adicionais na rede de baixa tensão (100 -
240 V AC), utilizar pessoal técnico especializado.
Não utilizar como ponto de aterramento:
- sistema de aquecimento central;
- canalização de esgotos;
- condutor de ligação à terra para sistemas de antenas.
A não observância destas recomendações pode conduzir a situações de perigo!

Manual de Serviço 4-169


Montagem
Recomendações sobre a alimentação/proteção do sistema

Exemplo de alimentação dos sistemas HiPath1150/1190/1190R

L1 N PE
HiPath1150/1190/1190R
127 Vac

Figura 4-44 Esquema de alimentação dos sistemas HiPath1150/1190/1190R

4.14.1 Proteção das linhas externas e ramais externos


A proteção primária das linhas e ramais externos deverá ser conectada a um terra exclusivo
para o sistema telefônico através de um cabo independente (seção mínima = 2,5 mm2). Nas
linhas externas e ramais existe uma proteção secundária que é efetuada entre os fios a e b.
Como proteção primária, em uma caixa de distribuição externa à central, deve-se utilizar o
protetor MPT250 que possui dois PTCs (fios a e b), para proteção de sobrecorrente, e uma
cápsula de gás, sendo que esta deve ser conectada ao terra através de um cabo independente
diferente do cabo utilizado para o aterramento da fonte.
A conexão entre o sistema HiPath 1100 e a caixa de distribuição deve ser feita através de
cabos multi-pares que devem preferencialmente ser do tipo com fita de alumínio interna
(blindagem). Esta fita possui um cabo especial para conexão com o terra, que deve
obrigatoriamente ser conectado apenas no lado da caixa de distribuição no terra de proteção
.

Para a versão RSA, a proteção primária deve ser de acordo com as normas locais
tanto para as linhas externas quanto para os ramais.

4-170 Manual de Serviço


Montagem
Recomendações sobre a alimentação/proteção do sistema

Figura 4-45 Diagrama de aterramento e proteção

4.14.2 Conexão do Condutor de Aterramento de Proteção


Por questões de segurança do usuário e do técnico, o sistema Hipath 1190 possui terminal
exclusivo para a conexão de aterramento de proteção de sua caixa metálica. O conector
adequado localiza-se na parte posterior do gabinete. Tal conexão evita que partes metálicas
accessíveis possam apresentar potenciais de tensão e valores de corrente de toque elevados
no caso de falhas ou de processos de indução elétrica.
Esta conexão é fundamental e deve ser realizada antes da interligação do sistema à rede
elétrica ou à rede de telecomunicações (interna ou externa), seguindo os seguintes princípios:
● Utilizar condutor de aterramento com seção transversal mínima de 2,5 mm2 para
ambientes internos. Para ambientes externos utilizar um condutor de aterramento com
seção transversal mínima de 4 mm2;
● O isolante do condutor utilizado deverá ser nas cores amarelo e verde;
● O sistema de aterramento utilizado deve apresentar impedância inferior a 10 Ohm.
Durante o processo de desinstalação do sistema, o condutor de aterramento de proteção
deverá ser o último a ser desconectado.

Manual de Serviço 4-171


Montagem
Relés de falta de energia

A conexão do aterramento de proteção não exclui a necessidade de prover ao sistema um


aterramento funcional por meio da provisão de um circuito adequado de alimentação de
energia (Ver “Sistemas de alimentação” na página 2-23)
.

O condutor de aterramento deve ser ligado ao terra de proteção da edificação e nun-


ca em canos de água, para-raios, etc.

Verificar a ligação à terra de proteção

Procedimento
Para assegurar a correta ligação à terra de proteção, devem ser efetuados os testes indicados
na tabela abaixo antes da colocação em serviço
.

Etapa Ação Resultado


(valor nominal)
1. Medir a resistência ôhmica da ligação de terra entre o
< 1 Ohm
sistema e o barramento de terra.
2. Medir a resistência ôhmica da ligação de terra entre o
< 1 Ohm
PE (terra de proteção) da rede e tomada ou DG.
3. Medir a resistência ôhmica do condutor neutro da
< 10 Ohm
tomada utilizada em relação à terra.

4.15 Relés de falta de energia


Cada linha externa analógica dos módulos EB 202/204/206/210 possui um relé que faz o
desvio da mesma para as duas primeiras posições de ramal de cada módulo EB no caso de
falta de energia.

No caso dos módulos de ampliação EB 200/400/800, não existe este relé.

4-172 Manual de Serviço


Montagem
Cabeação do sistema

4.16 Cabeação do sistema

Introdução
A ligação entre os ramais e o sistema é efetuada através de cabos da seguinte forma:

Grupo de Par Fio a Fio b Grupo de Par Fio a Fio b


cor cor
1 br/az az/br 11 pt/az az/pt
2 br/lr lr/br 12 pt/lr lr/pt
1 3 br/vd vd/br 3 13 pt/vd vd/pt
4 br/ct ct/br 14 pt/ct ct/pt
5 br/cz cz/br 15 pt/cz cz/pt
6 vm/az az/vm 4 16 am/az az/am
7 vm/lr lr/vm
2 8 vm/vd vd/vm
9 vm/ct ct/vm
10 vm/cz cz/vm
Tabela 4-7 Código de cores para cabos

Já a extremidade do cabo, que é conectada no DG do sistema, recebe um conector conforme


apresentado no “Distribuidor geral” na página 3-92.

4.17 Montagem dos terminais telefônicos


O telefone de sistema tipo KS possui quatro fios (a, b, c, d), sendo necessários dois para
fonia (a, b) e dois para sinalização (c, d).
O telefone de sistema tipo optiPoint possui quatro fios (a, b, c, d), sendo necessários dois
para fonia (a, b).
O telefone comum (DC/MF) possui apenas dois fios (a, b) para fonia

Telefones comuns (DC/MF) e os telefones de sistema tipo optiPoint devem ser liga-
dos ao HiPath 1100 apenas utilizando os fios (a,b). Não utilizar os fios (c,d).

Manual de Serviço 4-173


Montagem
Montagem dos terminais telefônicos

Conexões

Figura 4-46 Conexões na tomada telefônica adotados no Brasil

Fio vermelho (R) = fonia (fio b do ramal).


Fio verde (G) = fonia (fio a do ramal).
Fio preto (BK) =fio c da placa CD (positivo em relação ao D).
Fio amarelo (Y) =fio d da placa CD (negativo em relação ao C).
Procedimento para a instalação nos sistemas

Etapa Ação
1. Monte as tomadas nos ramais.
2. Conecte cada tomada de ramal à posição desejada a/b no DG.
3. No caso dos telefones de sistema tipo KS, já existe uma programação prévia de
fábrica associando os pares C/D (ver “Associação à interface CD” na página 6-236).
Caso seja necessário escolha um novo par C/D e em seguida programe a nova
associação à interface C/D.
4. Conecte os aparelhos.
5. “Efetuar conferência visual” na página 4-176.
6. Programe os dados necessários (ver “Colocando em serviço” na página 7-273).

4-174 Manual de Serviço


Montagem
Conexão de telefones optiPoint Master/Slave no HiPath 1120

Atenção
! A alimentação dos telefones de sistema tipo KS é fornecida através dos fios C e D,
portanto deve existir um cuidado especial para se evitar curto-circuitos no bloco de
interligação. Caso ocorra um curto-circuito entre os fios C e D, a proteção desta in-
terface irá atuar retirando o ramal de operação. Para colocá-lo novamente em funcio-
namento, retire o curto-circuito, desconecte o respectivo telefone de sistema e
conecte-o novamente. A interface deve voltar a funcionar normalmente.

Para os telefones analógicos a 2 fios (a, b) não há problemas no caso de curtos-circuitos


momentâneos.
A distância máxima para instalação dos telefones de sistema tipo KS, utilizando um cabo de
dois pares com fio de cobre de 0,4 mm2, é de 500 metros e para telefones comuns de 2500
metros.

4.18 Conexão de telefones optiPoint Master/Slave no HiPath 1120

Figura 4-47 Conexão de telefones optiPoint Master/Slave no HiPath 1120

Importante
! Caso o número de telefones de sistema tipo optiPoint 500 (Master ou Slave) seja
maior que 4 no sistema HiPath 1120 é necessário o uso de uma fonte adicional ao
sistema. (ver Capítulo 3, “Relação de módulos”).

Manual de Serviço 4-175


Montagem
Efetuar conferência visual

4.19 Efetuar conferência visual

Introdução
Antes de colocar em serviço o sistema, deve ser efetuada a conferência visual do hardware,
dos cabos e da alimentação. A conferência visual deve ser efetuada com o sistema desligado.
.

Atenção
! Verifique se todas as conexões AC e DC dos cabos, módulos e bastidor do HiPath
1100 estão conectadas de maneira correta e efetiva, antes de ligar o sistema do cli-
ente.

Atenção
! Antes de iniciar o trabalho no HiPath 1190, certificar - se de que o sistema encontra-
se ligado à terra e sem alimentação.
Observar as medidas de proteção contra descargas eletrostáticas (ver “Informações
de segurança: cuidado” na página 1-18).

Procedimento para a conferência visual

Etapa Ação Meios de auxílio/ Medidas


Observações
1. Comparar as posições de Plano de Corrigir a montagem
montagem dos módulos disponíveis montagem para os do módulo e notificar o
com o plano de montagem. módulos. responsável.
2. Verificar se todos os módulos estão Ver “Dados do Fixar ou inserir os
montados de forma correta. sistema” na página módulos novamente.
2-23.
3. Verificar a tensão de rede do local. Multímetro. Ver a tensão da fonte do
sistema.
Tabela 4-8 Procedimento para a conferência visual

4-176 Manual de Serviço


Telefones
Visão geral

5 Telefones
Este capítulo descreve as características dos telefones de sistema do tipo KS, telefones
optiPoint 500 e telefones comuns (DC/MF).

5.1 Visão geral


São descritos os seguintes temas:

Tema Página
Telefones de sistema
● Telefone de sistema Profiset 3030 5-178
● OpenStage 15 T System Telephone 5-180
● Telefones de sistema optiPoint 500 5-182
● Facilidades das teclas programáveis 5-188
● Ajustes 5-189
Telefones comuns
● Telefone decádico (DC) 5-190
● Telefone multifrequencial (MF) 5-190

5.2 Telefones de sistema


São telefones exclusivos para os sistemas HiPath 1100. Além de possuir funções especiais,
Permitem o acesso direto a algumas facilidades do PABX, assim como possuem funções
especiais que possibilitam o acompanhamento dos estados das linhas externas, ramais ou
funções/facilidades programadas através da sinalização de um conjunto de teclas
programáveis.
A programação junto aos sistemas é descrita no Capítulo 6, “Efetuando a programação
específica do cliente”.

No caso de telefones de sistema sem display, apenas a função "Memorizar número


na tecla" pode ser programada através do teclado (Veja no Manual de Usuário). As
outras funções podem ser programadas nesses telefones apenas via HiPath 1100
Manager.

Manual de Serviço 5-177


Telefones
Telefones de sistema

5.2.1 Teclas

Teclas de indicação de estado


Apresentam o estado das linhas externas, ramais ou funções/facilidades programadas com
base na cadência dos LEDs das teclas dos telefones optiPoint 500 e Profiset 3030.
.

Símbolo Descrição

Tecla apagada: o ramal ou a linha externa está livre ou função desativada.

Tecla acesa: o ramal ou a linha externa está ocupada ou função ativada.

Tecla piscando: uma chamada de entrada ou uma rechamada sinalizando.

5.2.2 Telefone de sistema Profiset 3030


Possui um display com as linhas:
● A primeira linha é utilizada para mostrar a hora e a data.
● A segunda linha é utilizada para exibir, por exemplo, o número do ramal chamado e
mensagens do sistema.
● A terceira linha é utilizada para exibir o número do ramal e mensagens do sistema, que
indicam as possibilidades de seleção de funções.
● Quando o símbolo ">" ou "<" aparecer ao lado da linha, significa que existem outras
possibilidades de seleção que podem ser percorridas através das teclas de navegação e
selecionadas através da tecla de confirmação.
Quando o símbolo " "ou " " aparecer ao lado da linha, significa que existe mais de uma
linha a ser mostrada. Selecione a tecla “Menu” para acessar a nova linha ou a linha
anterior.

5-178 Manual de Serviço


Telefones
Telefones de sistema

Layout do aparelho Profiset 3030

Figura 5-1 Layout do telefone de sistema Profiset 3030

1. Repouso para monofone;


2. Teclas de facilidades;
3. Teclas programáveis com LEDs para indicação de estado;
4. Alto-falante para viva-voz;
5. Microfone para viva-voz;
6. Display.

Manual de Serviço 5-179


Telefones
Telefones de sistema

5.2.3 OpenStage 15 T System Telephone


O telefone de sistema OpenStage 15 T possui um display alfanumérico de 2 linhas com 24
caracteres cada, onde:
● A linha 1 indica a hora, data, solicitações, avisos de erro e confirmação de mensagens,
dependendo de cada situação.
● A linha 2 indica o número interno, nome do sistema e as opções de funções a serem
selecionadas com o uso da tecla =. Se à direita for mostrado o símbolo ">", outras
opções de seleção ainda estão disponíveis. Use as teclas de navegação < ou :.
Pressione = para confirmar a opção feita.

Importante
! Caso sejam instalados mais do que 4 telefones de sistema OpenStage 15 T no
HiPath 1120, estes precisam ser conectados à rede de energia externa através de
sua fonte auxiliar. (ver Capítulo 3, “Relação de módulos”).

Layout do aparelho OpenStage 15 T

1
2

3 4

5
6 7

Figura 5-2 OpenStage 15 T front panel

1 Você pode fazer e receber ligações usando o monofone.


2 O display orienta o uso intuitivo do aparelho.
3 Teclas de áudio estão disponíveis para possibilitar um ajuste agradável do nível de som.
4 Tecla de caixa postal O e tecla de menu N.

5-180 Manual de Serviço


Telefones
Telefones de sistema

5 Teclado para entrada de números de telefones e de códigos.


6 Operação do aparelho pelas teclas de navegação.
7 Teclas programáveis com números de telefones ou funções.

Vista posterior do OpenStage 15 T

Fonte externa
(quando necessária)

HiPath

Cabo de
energia
(conforme
o país)
Key Module

Monofone

Figure 5-3 Vista posterior do telefone de sistema OpenStage 15 T

Acessórios

O OpenStage Key Module 15 amplia o número


de teclas programáveis num telefone OpenSta-
ge 15 T. Neste módulo estão disponíveis 18 te-
clas programáveis com indicação luminosa.
Como nas teclas programáveis do telefone origi-
nal, elas também podem ser programadas de
acordo com a necessidade do cliente.
Num telefone OpenStage 15 T, pode-se conectar
somente um OpenStage Key Module 15.
Table 5-1 Acessórios do OpenStage 15 T

Manual de Serviço 5-181


Telefones
Telefones de sistema

5.2.4 Telefones de sistema optiPoint 500


Os telefones de sistema optiPoint 500 advance/economy/basic/standard possuem um display
alfanumérico de 2 linhas com 24 caracteres cada, onde:
● A linha 1 indica a hora, a data, solicitações, avisos de erro ou mensagens de confirmação,
dependendo da situação.
● A linha 2 indica o número interno, nome do sistema e as possibilidades de seleção de
funções que podem ser confirmadas com :. Se à direita for indicado o símbolo ">",
existem outras possibilidades de seleção que podem ser acessadas através de <>.

Importante
! Caso o número de telefones de sistema tipo optiPoint 500 (Master ou Slave) seja
maior que 4 no sistema HiPath 1120 é necessário o uso de uma fonte adicional ao
sistema. (ver Capítulo 3, “Relação de módulos”).

Layout do aparelho optiPoint 500 advance

1
11 2
3
4

12

5
6
7
8
9
10
Figura 5-4 Layout do telefone de sistema optiPoint 500 advance

5-182 Manual de Serviço


Telefones
Telefones de sistema

Layout do aparelho optiPoint 500 economy/basic/standard

1
11 2
3
4

5
6
7
8
9
10

Figura 5-5 Layout do telefone de sistema optiPoint 500 economy/basic/standard

Manual de Serviço 5-183


Telefones
Telefones de sistema

Layout do aparelho optiPoint 500 entry

11
1/5
2
3

8
9

Figura 5-6 Layout do telefone de sistema optiPoint 500 entry

1. Campo de teclas – Teclas de função de programação fixa: Menu serviço, Rediscagem,


Microfone ligado/desligado ou Ramal, Alto-falante.
2. Teclado;
3. Monofone;
4. Display iluminado, 2 linhas com 24 caracteres cada;
5. Campo de teclas – Teclas livremente programáveis;
6. Tecla para a confirmação de uma função;
7. Teclas para selecionar funções;
8. Teclas para ajustes do telefone;
9. LEDs;
10. Microfone para Viva-voz;

5-184 Manual de Serviço


Telefones
Telefones de sistema

11. Alto-falante para Alta-voz e para sinais de chamar.


12. optiPoint key module ou optiPoint BLF ou optiPoint memory module com teclas livremente
programáveis e funções específicas.

Para o optiPoint 500 entry, o campo de teclas de função de programação fixa (1) tam-
bém podem ser livremente programáveis (5).

Painel traseiro optiPoint 500

PC (USB)
Fone de cabeça
HiPath 1100

Monofone

optiPoint key module ou


optiPoint BLF ou
optiPoint memory module

optiPoint adapter

Figura 5-7 Painel traseiro optiPoint 500

Manual de Serviço 5-185


Telefones
Telefones de sistema

Propriedades e possibilidades de conexão do optiPoint 500

optiPoint 500* economy basic standard advance


Teclas de função 12 12 12 20
Função Viva-voz full-duplex - - Sim Sim
Iluminação do display - - - Sim
Fone de cabeça ligado por:
• interface integrada - - - Sim
• Adaptador - Sim Sim Sim
• Interface do monofone Sim Sim Sim Sim
Interface USB - Sim Sim Sim
Interface para terminal adicional (slave) - Sim Sim Sim
Slots de adaptador 0 1 1 2
* No fundo do seu telefone optiPoint 500 estão impressos o nome e o tipo.

Terminais, adaptadores e acessórios


A utilização de opcionais melhora o desempenho e oferecem um maior conforto para o usuário
durante o seu trabalho.

Terminais adicionais optiPoint:


1
Os terminais adicionais possibilitam um maior con-
forto, uma maior eficiência e segurança.
Os terminais adicionais suportados são:
1. optiPoint memory module;
2. optiPoint key module;
2 3. optiPoint BLF.

Obs.: É possível a conexão de até 2 optiPoint BLF


por sistema

5-186 Manual de Serviço


Telefones
Telefones de sistema

Adaptadores optiPoint:
Ampliam as funções do telefone por meio de dife-
rentes adaptadores, com os quais pode-se ligar,
por exemplo, outros telefones do sistema, telefones
analógicos ou RDSI, fone de cabeça ou alto-falan-
te. Os adaptadores suportados são: optiPoint
acoustic adapter, optiPoint analog adapter, optiPo-
int ISDN adapter e optiPoint phone adapter.

Fone de cabeça (headset):


O fone de cabeça substitui o monofone do terminal,
isto é, o usuário fica com as mãos livres ao telefo-
nar.
Atenção:
Para a instalação, considerações e funcionamento,
consultar o manual de instalação do Fone de cabe-
ça utilizado.

Microfone adicional:
Desenvolvido para ambientes com acústica desfa-
vorável ao se utilizar a facilidade "viva-voz".
É conectado através do optiPoint acoustic adapter.

Alto-falante externo:
Melhora a qualidade de recepção ao utilizar a faci-
lidade "alta-voz/viva-voz", assim, é ideal para con-
ferências.
É conectado através do optiPoint acoustic adapter.

Tabela 5-2 Terminais, adaptadores e acessórios optiPoint 500

Considerações sobre Fone de Cabeça


Os modelos que utilizem o botão eletrônico de controle para "gancho" (por exemplo, Siemens
Elipse 1.8 EHS e GN Netcom 9120) responsável pelo atendimento no fone de cabeça
necessitam, independente do modelo de optiPoint usado, da utilização do optiPoint Acoustic

Manual de Serviço 5-187


Telefones
Telefones de sistema

Adapter na instalação. O optiPoint Advanced possui uma interface integrada para o fone de
cabeça, porém, devido a incompatibilidade de conector que o fone de cabeça exige quando
configurado desta forma, o optiPoint Advanced também necessita do optiPoint Acoustic
Adapter. Caso seja configurada uma tecla com a facilidade "Fone de Cabeça" (opcional neste
tipo de configuração) no optiPoint, o sistema considera um fone de cabeça presente e
portanto, caso o fone de cabeça seja desconectado, a tecla deve ser desprogramada.
Caso se queira utilizar os modelos Siemens Elipse 1.8 EHS ou GN Netcom 9120 sem o botão
eletrônico de controle de "gancho", deve ser utilizado o optiPoint Acoustic Adapter quando
conectado aos modelos de optiPoint Entry, Basic e Standart. No caso do optiPoint Advanced,
o optiPoint Acoustic Adapter é opcional, sendo possível que o fone de cabeça seja conectado
à interface integrada do fone de cabeça presente no painel traseiro do telefone utilizando o
conector RJ45. A tecla com a facilidade "Fone de Cabeça" deve ser programada para realizar
o atendimento de chamadas.
Os modelos que não possuem o botão eletrônico de controle para "gancho" (por exemplo,
Plantronics) podem ser conectados diretamente aos modelos de optiPoint (Entry, Basic,
Standart) na interface do monofone, na interface do optiPoint Acoustic Adapter ou na interface
integrada (para optiPoint Advanced). Contudo, em qualquer uma destas possíveis instalações,
a tecla com a facilidade "Fone de Cabeça" deve ser programada para que o sistema o
identifique.

● Caso seja configurada uma tecla com a facilidade "Fone de Cabeça" no


! optiPoint, o sistema considera um fone de cabeça presente e portanto, caso o
fone de cabeça seja desconectado, a tecla deve ser desprogramada.
● Para a instalação dos fones de cabeça nos telefones optiPoint consulte o
manual de usuário do modelo do fone de cabeça utilizado.

5.2.5 Facilidades das teclas programáveis


O objetivo de se utilizar as teclas programáveis é agilizar o acesso as facilidades mais comuns
do sistema:
● Chamada interna;
● Chamada externa;
● Atender uma chamada (interna ou externa);
● Efetuar uma consulta (interna ou externa);
● Transferência (interna ou externa);
● Reserva de linha;
● Captura individual;
● Pêndulo/Retenção;

5-188 Manual de Serviço


Telefones
Telefones de sistema

● Outras (ver Manual de Usuário, capítulo Teclas programáveis, código *91).


● optiPoint 500 advance/economy/basic/standard - A31003-K1270-U101-*;
● Profiset 3030, E 822 e E821 - - A31003-K1270-U102-*;
● optiPoint 500 Entry - A31003-K1270-U104-*;

5.2.6 Ajustes
Os telefones de sistema possuem uma série de ajustes individuais que proporcionam um
maior conforto para os usuários. Assim, para maiores informações sobre estes ajustes,
consulte o manual de instruções de seu respectivo aparelho:

Documentação Número
Profiset 3030 A31003-K1250-B816 -**- 4L19
E 821 ST e E 822 ST A31003-K1250-B814 -**- 3P19
optiPoint500 A31003-H8400-B988 -**-6Z19

Manual de Serviço 5-189


Telefones
Telefones comuns

5.3 Telefones comuns

5.3.1 Telefone decádico (DC)


Telefone analógico, telefone sem fios, fax ou qualquer equipamento com seleção decádica
(impulsos). Os procedimentos para estes telefones estão descritos após o símbolo “DC”.

5.3.2 Telefone multifrequencial (MF)


Telefone analógico, telefone sem fios, fax ou qualquer equipamento com seleção MF (tons).
Esta seleção pode ser reconhecida pela emissão de tons (que podem ser ouvidos no
monofone) durante a seleção dos números. Os procedimentos para estes telefones estão
descritos após o símbolo “MF”.

Importante
! A instrução “Flash” apenas é válida para telefones MF, não devendo ser considera-
da no caso de telefones DC. Caso o seu telefone seja MF e não possua a tecla
“flash” a mesma pode ser simulada por um toque rápido na mola de gancho.

Atenção
! Para maiores informações sobre o funcionamento dos aparelhos telefônicos, carac-
terísticas e facilidades disponíveis, consulte o manual de instruções de seu respec-
tivo aparelho.

5-190 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Plano de numeração

6 Efetuando a programação específica do cliente


Procedimento resumido

Etapa telefone de sistema/comum tipo MF HiPath 1100 Manager


1. A programação do sistema pode ser executada na Conectar o computador
primeira posição de ramal do sistema (ramal analógico ao sistema.
(MF) ou telefone de sistema)
2. Modo de programação: *95 + SENHA (31994 - padrão). Configurar o
CommServer.
3. Parâmetro ou código válido: bip (Brasil). Iniciar o programa.
4. Erro de código ou parâmetro: 3 bips (Brasil). Os dados são importados
automaticamente.
5. No fim: 1 bip (Brasil). Realizar as
programações.
6. Fim de programação: tecla “#”, automático ou coloque o Exportar a nova
monofone no gancho. configuração.
Tabela 6-1 Resumo do procedimento de programação

6.1 Plano de numeração


O plano de numeração é definido a partir do reconhecimento dos módulos conectados ao
sistema:

Reconhecimento HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


1. Placa mãe Módulo TME 1 Módulos analógicos
2. Módulo S0 Placa Mãe Módulo TME 1
3. Módulos analógicos Módulo S0 Módulo S0
4. Módulos analógicos
Tabela 6-2 Sequência de reconhecimento dos módulos

Manual de Serviço 6-191


Efetuando a programação específica do cliente
Plano de numeração

Numeração

Descrição HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


Linha externa 801 a 806 801 a 832 801 a 845
Ramal, incluindo S0 11 a 30 11 a 60 101 a 240
610 a 645
Grupo de linhas externas 0 ou 890 a 899
Grupo de chamada (CG) 770 a 779
Grupo de busca (HG) 780 a 789
Grupo de chamada UCD 790 a 799
Operadora 9
EVM - Número interno padrão 790
EVM - Portas de anúncio 7491 e 7492
EVM - Portas virtuais 744 a 747
Atendedor/FAX - Portas virtuais de
740 a 743
anúncio
Linha para MSN-CAPI 10 100
Tabela 6-3 Plano de numeração

Numeração flexível
Os parâmetros pré-programados para o plano de numeração do sistema assim como os
códigos de acesso as facilidades, podem ter seus números alterados para adequarem-se a
plataforma de comunicação utilizando o software de administração “HiPath 1100 Manager” na
página 7-297.

6-192 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2 Códigos de programação do sistema

Itém Programação
1. Programações importantes pág. 7-194
2. Programação de linha externa pág. 7-196
3. Programação de ramal pág. 7-198
4. DISA pág. 7-204
5. Programação geral pág. 7-205
6. Atualização de Software pág. 7-208
7. Administração Remota pág. 7-209
8. Porteiro eletrônico interno pág. 7-209
9. Bilhetagem pág. 7-210
10. Facilidade Atendedor/FAX pág. 7-213
11. Módulo EVM pág. 7-214
12. Programação para tronco digital pág. 7-216
13. Módulos de interface LAN pág. 7-218
14. Relé e sensor no HiPath 1120 pág. 7-219
Tabela 6-4 Divisão das tabelas de programação

Para informações sobre a programação de cada facilidade, consultar os “Comentários sobre


os códigos de programação do sistema” na página 6-220

Manual de Serviço 6-193


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2.1 Programações importantes

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Grupo de linha 002 ramal Grupo de linhas externas # ao invés do 0
externa de acesso ramal
padrão
Classe de serviço 096 ramal COS - 0 (restrito) # ao invés do 0
especial para ramal COS-1 (list de proibições 1) ramal
bloqueado COS-2 (list de proibições 2)
COS-3 (list de proibições 3)
COS-4 (list de permis. 1 )
COS-5 (list de permis. 2)
COS-6 (list de permis. 3)
COS-7 (padrão para todas
as linhas)
Atribuição de 111 grupo de linhas externas ramal # ao invés do clas - 77 para
classe de serviço Classe de serviço diurna: ramal todos os
clas - 0 (restrito) ramais.
clas - 1 (lista de proibições 1) Obs.:
clas - 2 (lista de proibições 2) clas - 7 diurna
clas - 3 (lista de proibições 3) clas - 7
clas - 4 (lista de permissões 1 ) noturna
clas - 5 (lista de permissões 2)
clas - 6 (lista de permissões 3)
clas - 7 (padrão para todas as
linhas)
Classe de serviço noturna:
clas - 1 (lista de proibições 1)
clas - 2 (lista de proibições 2)
clas - 3 (lista de proibições 3)
clas - 4 (lista de permissões 1 )
clas - 5 (lista de permissões 2)
clas - 6 (lista de permissões 3)
clas - 7 (padrão para todas as
linhas)
Agenda 112 posição de agenda: número (até 20 dígitos) timeout 5s todas as
000 a 249* posições
estão vazias
Tipo de discagem 119 linha externa analógica 1 - Linha analógica: Impul- # ao invés da 2 - MF
em linha externa sos (DEC) linha externa
analógica 2 - Linha analógica: Multi-
frequencial (MF)

6-194 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Lista de números 123 Classe de serviço: 1, 2 ou 3 + número (até 16 dígitos) Timeout 5s Ver
proibidos Lista 1 - COS 1 - posições 01 a 10 Tabela 6-8 na
Lista 2 - COS 2 - posições 01 a 25 página 6-204
Lista 3 - COS 3 - posições 01 a 35
Lista de números 124 Classe de serviço: 4, 5 ou 6 + número (até 16 dígitos) Timeout 5s
permitidos Lista 1- COS 4 - posições 01 a 10
Lista 2 - COS 5 - posições 01 a 25
Lista 3 - COS 6 - posições 01 a 25
Atendedores de 142 linha externa até 10 ramais ou grupos de # ao invés do nenhum
linha analógica + chamadas ou ramal
1 - Diurno ∗ - apaga
2 - Noturno
3 - Diurno após tempo determi-
nado
4 - Noturno após tempo determi-
nado
Terminal de opera- 150 ramal ou # ao invés do nenhum
dora ∗ - apaga ramal
Permissão para 072 ∗ - habilita automática # - desabilita
uso dos números # - desabilita
da agenda sem
análise de COS
Idioma 164 0 - Custom automática 3
1 - Português
2 - Espanhol
3 - Inglês
4 - Francês
5 - Italiano
6 - Turco
País/grupo de 165 Ver Tabela 6-16 na automática 01 - Brasil
países página 6-212
Transferência da 178 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desabili-
classe de serviço # - desabilita ramal tado

Modo de seleção 225 ∗ - ACS automática # - LCR


de operadora: LCR # - LCR
ou ACS**
Tom de aviso para 092 ∗ - ativa automática # - desativa
chamada sem LCR # - desativa
Ativação do tempo 250 Grupo de linhas externas ∗ - ativa # ao invés do # - desativa
para LCR fallback # - desativa ramal
Tempo para LCR 251 05 a 30 segundos automática 05 segundos
fallback
* Para a seleção de um número externo é necessário digitar o número da linha externa no lugar do código externo "0".
** As configurações devem ser feitas via HiPath 1100 Manager.

Tabela 6-5 Programações importantes

Manual de Serviço 6-195


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2.2 Programação de linha externa

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Grupos de linhas 156 grupo de linhas externas linha externa # ao invés do 0
externas grupo
Prioridade de 194 1 - Independente automático 1 - Indepen-
ocupação por tipo 2 - Digital dente
de linha externa 3 - Analógica
Protocolo de 017 linha externa analógica 1 - Ocupação por Loop # ao invés da 2 - Canadá
ocupação de linha 2 - Ocupação por Ground linha externa 1 - Outros
externa analógica países
Identificação de 005 linha externa analógica 0 - Desabilitada # ao invés da 1 - Brasil,
chamada em linha 1 - DTMF1 linha externa China, Peru,
analógica (CLIP) 2 - DTMF2 (off hook) Índia, IM
3 - FSK Espanha e IM
Inglês
2 - Rússia
3 - Outros
países
Sentido de 155 linha externa 1 - bidirecional # ao invés da 1 - bidirecio-
chamada na linha 2 - unidirecional entrada linha externa nal
externa 3 - unidirecional saída
Duração de Flash 118 linha externa analógica 05 a 99 # ao invés da País*
em linha analógica 05 - 50 ms linha externa
99 - 990 ms
Tempo de carência 129 05 a 99 automática 05
para reocupação da 05 - 500ms
linha externa 99 - 9900ms
Tempo máximo 117 05 a 20 segundos automática 13 segundos
entre toques para para Argen-
uma mesma tina;
chamada entrante 4 segundos
para Coréia;
06 segundos
para os
outros Países
Coeficiente para 147 linha externa analógica 1 - linha padrão de 900 Ω # ao invés da 1 - linha
linha externa analó- 2 - linha 600 Ω linha externa padrão
gica 3 - linha curta
4 - linha longa
Tipo de sinalização 158 linha externa analógica 0 - Nenhum # ao invés da 0 - nenhum
de Atendimento** 1 - Inversão de Polaridade linha externa
2 - Tom DTMF
Detector de tom 160 linha externa analógica ∗ - sim # ao invés da ∗ - sim
# - não linha externa
Conexão de linha 133 grupo de linhas externas 1 - Direta # ao invés da 1 - direta
externa 2 - SubPABX linha externa

6-196 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Segundo código de 134 0 a 9 ou timeout 5s 0
acesso externo 00 a 99 ou
nada (sem código)
Modo de ocupação 036 ramal ∗ - sim automática # - não
automática de linha # - não
externa
Tom falso 063 ∗ - sim automática # - não para
# - não Argentina,
Coréia e
Índia
∗ - sim para
outros países
Código de acesso 226 (00000 a 99999) automática depende do
interno para país
Ocupação
Automática
Presença de linha 079 linha externa ∗ - sim # ao invés da ∗ - sim
externa # - não linha externa
Tempo de atendi- 083 linha externa (01 a 20) tempo em ciclos automática 06 (30 s)
mento para de 5 s
Segundo Atende-
dor de linha
externa analógica
Transbordo para 099 0 ou 890 a 899 (grupo de linha exter- 0 ou 890 a 899 (somente # ao invés do 1 - Primeiro
grupos de linhas nas no caso 1) grupo grupo
externas + 2 - Todos
1 - Grupo de linha externa específico 3 - Nenhum
2 - Todos os grupos de linha externa
3 - Nenhum
* 35/10 para Argentina; 30/08 para Tailândia, Malásia e Cingapura; 18/10 para Portugal;
9/9 para Espanha, Australia, Reino Unido, Lituania, Letônia e Itália; 30/9 para Índia;
27/9 para Grécia, 8/8 para Russia, 10/10 para África do Sul, 35/35 para Canada e Coréia;
27/60 para Turquia, 27/27 para França;
24/10 para os outros países.
** Consulte a disponibilidade da concessionária local.

Tabela 6-6 Programação de linha externa

Manual de Serviço 6-197


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2.3 Programação de ramal

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Grupos de captura 143 grupo de captura 01 a 16 ramal ou # ao invés do nenhum
∗ - apaga o grupo ramal
Grupos de 113 grupo de chamada CG ramal (até 10 ) # ao invés do ramal 11/101
chamada (CG) ∗ - apaga ramal a 20/110

Desvio dentro do 222 ∗ - habilita automática # - desabilita


Grupo de chamada # - desabilita
(CG)
Tempo de toque de 035 tempo: 00 a 59 segundos automática ∗ - desabilita
atenção para grupo ou
de captura ∗ - desabilita
Ativação de Recha- 037 ∗ - habilita a rechamada e automática # - desabilita
mada/Chamada desabilita a chamada
Urgente por time- urgente
out # - desabilita a rechamada
e habilita a chamada
urgente
Indicação de nome/ 039 1 - Nome e número automática 1 - Nome e
número da 2 - Nome número
chamada 3 - Número
Grupos de 023 grupo de chamada UCD ramal (até 32 agentes) # ao invés do nenhum
chamada UCD ∗ - apaga grupo
Bloqueio de 007 grupo de chamada UCD ∗ - habilita # ao invés do # - (desabilita)
chamadas a cobrar # - desabilita grupo
para Grupo UCD
Mensagem de 024 grupo de chamada UCD ramal ou # ao invés do ∗ - MOH
espera para fila ∗ - MOH (music on hold) grupo
UCD
Tamanho da fila 025 grupo de chamada UCD 00 a 99 posições # ao invés do 99 posições
UCD grupo
Tempo para 026 grupo de chamada UCD (00 a 99) tempo em ciclos # ao invés do 0
conexão de mensa- de 5 s grupo
gem de espera
para Fila UCD
Destino da 027 grupo de chamada UCD ramal ou grupo UCD # ao invés do nenhum
chamada de trans- ou grupo
bordo UCD ∗ - apaga
Seleção cíclica para 028 grupo de chamada UCD ∗ - habilita # ao invés do ∗ - habilita
agente # - desabilita grupo
Tempo para auto- 029 grupo de chamada UCD (00 a 99) tempo em ciclos # ao invés do 00 (0
anotações do de 5 s grupo segundos)
Agente

6-198 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Tempo de sinali- 030 grupo de chamada UCD (01 a 99) tempo em ciclos # ao invés do 06 (30
zação no agente de 5 s grupo segundos)
Estado do Agente 176 grupo de chamada UCD ∗ - Disponível # ao invés do # - Indisponí-
após tempo de # - Indisponível grupo vel
sinalização
Parceiro de desvio 181 0 - Último automático 0 - Último
em Cascata 1 - Primeiro
Tempo de 031 grupo de chamada UCD (00 a 99) tempo em ciclos # ao invés do 12 (1 minuto)
permanência na fila de 5 s grupo
UCD
Mensagem em 032 grupo de chamada UCD ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
espera antes de # - desabilita grupo
sinalizar chamada
UCD
Tempo mínimo de 033 grupo de chamada UCD (00 a 99) tempo em ciclos # ao invés do 00 (0
mensagem em de 5 s grupo segundos)
espera para a Fila
UCD
Grupos de busca 021 grupo de busca HG ramal ou # ao invés do nenhum
(HG) ∗ - apaga grupo
Desvio dentro do 223 ∗ - habilita automática # - desabilita
Grupo de busca # - desabilita
(HG)
Seleção para grupo 022 grupo de busca HG 1 - Linear # ao invés do 1- Linear
de busca (HG) 2 - Cíclica grupo
Tempo para desvio 242 grupo de busca HG (01 a 24) tempo em ciclos automática 04
no grupo de busca de 5s
(HG)
Intercalação 144 ramal 0 - sem permissão # ao invés do 0
1 - com permissão e bip ramal
Monitoração silen- 046 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
ciosa # - desabilita ramal
Identificação de 010 ramal analógico 0 - sem identificação # ao invés do 0 - Outros
chamadas para 1 - DTMF antes de sinalizar ramal paises
ramal analógico 2 - DTMF durante a sinali- 3 - Coréia
(CLIP) zação 5 - França FT
3 - FSK antes de sinalizar
4 - FSK durante a sinali-
zação
5 - FSK antes de sinalizar
ou em conversação
6 - FSK durante a sinali-
zação ou em conversação
Ocultar Prefixo de 188 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
Grupo # - desabilita ramal

Manual de Serviço 6-199


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Senha de Cadeado 126 ramal 00000 a 99999 automática 00000
ou
* - reset
Tempo para desvio 130 (01 a 99) tempo em ciclos automática 06 (30
em caso de não de 5 s segundos)
atendimento
Modo de discagem 168 Ramal Reconhecimento: # ao invés do 0-
0 - automático ramal automático
1 - pulso (DC)
2 - tom (MF)
Tempo de 131 Ramal 001 a 250 (em ciclos de # ao invés do 035 - Portu-
detecção de flash 10ms) ramal gal, Argen-
tina e
Tailândia;
036 - Coréia;
028 - Outros
países
Ramal de fuga* 132 1 - Não atende ramal automática Ramal 11/101
2 - Ocupado
3 - Número errado
Hotline 145 ramal (exceto 11/101) Posição de agenda # ao invés do ∗ - sem
000 a 249 ou ramal hotline
∗ - sem hotline
Warmline 162 ramal (exceto 11/101) 0 a 9 segundos # ao invés do 0 segundos
ramal
Grupo Associado 151 ramal master (até 8) ramal associado (até 15) # ao invés do nenhum
ou ramal
∗ - apaga
Associação à inter- 146 Interface: ramal # ao invés do HiPath1120/
face CD HiPath 1120: 01 a 04 ramal 1150:
(para telefones de HiPath 1150: 01 a 08 1ª - 11,
sistema) HiPath 1190: 01 a 24 2ª - 12, etc
ou HiPath 1190:
∗ - apaga nenhum
Coeficiente para 148 ramal analógico tipo de linha (Brasil): # ao invés do 1 - ramal
ramal 1 - 900 ohms ramal padrão
2 - 600 ohms
3 - 900 ohms
4 - 600 ohms
Ativação de indi- 014 ∗ - habilita automática # - desabilita
cação de mensa- # - desabilita
gem externa em
espera
Grupo WMI 015 ramal ou # ao invés do nenhum
externo ∗ - apaga ramal

6-200 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Número do servi- 065 número MSN (até 20 dígi- # ao invés do nenhum
dor de mensagem tos) número
em espera
Bloqueio de 193 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
chamadas a cobrar # - desabilita ramal
por ramal
Tipo de equipa- 003 ramal 0 - Normal (aparelho telefô- # ao invés do 0 - Normal
mento conectado nico) ramal
ao ramal 1 - Dados (Fax/Modem)
2 - Secretária eletrônica
3 - Música
4 - Porteiro eletrônico
externo
5 - Correio de voz
Atendimento 034 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
automático # - desabilita ramal
Pulsos para 041 ramal analógico ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
tarifação em ramal # - desabilita ramal
analógico
Temporizador para 047 ramal tempo de duração da # ao invés do 36
chamada externa chamada: 00000 a 17280 ramal
sainte em ciclos de 5 segundos
Ativar/Desativar 048 ramal ∗ - habilita automática # - desabilita
temporizador para # - desabilita
chamada externa
sainte
Ativar/Desativar 239 ramal ∗ - habilita automática # - desabilita
tempo limite para # - desabilita
chamadas externas
Tempo limite para 240 ramal tempo limite para chama- # ao invés do 00000
chamadas externas das externas: 00000 a ramal
64800 em ciclos de 5
segundos
Dia para inicializar o 241 (01 a 31) ou automática * - desativada
tempo limite * para desativar
Tempo de atendi- 082 índice: 001 a 140 (01 a 20) tempo em ciclos automática 06 (30
mento para de 5 s segundos)
Segundo atende-
dor para MSN
Ramal do modem 085 ramal automática nenhum
Associação MSN e 086 ramal índice: 001 a 140 automática nenhum
ramal para +
chamada externa 1 - Dia
sainte 2 - Noite
Transferência de 091 ramal ∗ - ativa # ao invés do # - desativa
Externa para # - desativa ramal
Externa

Manual de Serviço 6-201


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Transferência para 217 ∗ - ativa automática ∗ - ativa
ramal ocupado # - desativa
Tempo limite para 218 ∗ - ativa automática # - desativa
conexão externa # - desativa
para externa
Configuração do 219 0000 a 1440 (em passos de automática 1 hora
tempo limite para 1 minuto)
conexão externa
para externa
Tempo para 183 (004 a 120) tempo em automática 60 (300
desconexão após ciclos de 5 s segundos)
transferência
externa para
externa
Código para tempo 184 Código: automática 00
de desconexão 00 a 99
após transferência
externa para
externa
Desvio condicional 097 número de 01 a 50 automática 5 números
limitado por ramal
Permissão para 098 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
desvio condicional. # - desabilita ramal
Desvio em caso de 185 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
ocupado através do # - desabilita ramal
desvio por não
atendimento.
Permissão para 247 ramal ∗ - habilita # ao invés do ∗ - ativa
Desvio Externo # - desabilita ramal
* O ramal de fuga é acessado com o seu respectivo número interno e não pode ser utilizado ou programado como ramal
de Fax.

Tabela 6-7 Programação de ramal

País Lista de permissão Lista de Restrição


Brasil 190 193 0900
0800 0810 900
Argentina
Portugal 112 64
Chile 800
Venezuela
México
Vietnã

6-202 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

País Lista de permissão Lista de Restrição


IM Espanhol 190
IM Inglês
IM Francês
China
Malásia
Singapura 999 1800 #571#
995 1608
Tailândia 01 11 001
2 12 100
3 13 101
4 14
5 15
6 16
7 17
8 18
9 19
Grécia 100 199 090
166 0800
Índia
Paquistão
Espanha 091 1003 903
112 900 905
906
Rússia 01 03 05
02 04 07
09
00
Ucrânia
Peru
Filipinas
Canadá
África do Sul
Turquia 0900
Letônia 01 04 0900
02 112
03
Lituânia 01 03 0900
02 112
Itália 112 115 0900
113 118
Austrália 000 0900
Reino Unido 000 0900

Manual de Serviço 6-203


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

País Lista de permissão Lista de Restrição


França 3010 3
3040 08
3611 00
0800 026
0810 0269
0820 0508
0825 0590
083605 0594
0596
Coréia 00
01
02
03
04
05
06
07
08

Tabela 6-8 Valores padrão para EWACO

6.2.4 DISA

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Permissão DISA 018 ramal ∗ - habilita # ao invés do # - desativa
# - desabilita ramal
MSN DISA 019 número MSN (até 20 dígi- # ao invés do nenhum
tos) número ou
automática
Linha externa DISA 020 linha externa analógica 1 - Nunca # ao invés da 1 - Nunca
2 - Apenas de noite linha externa
3 - Apenas de dia
4 - Sempre

Tabela 6-9 DISA

6-204 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2.5 Programação geral

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Música em espera 136 0 - sem música Automática 1 - Interna -
1 - Interna - MIDI MIDI
2 - Interna- Wave
3 - Externa
4 - Externa - ramal
Atribuir ramais aos 087 1 ou 2 - grupo MOH ramal ou # ao invés do nenhum
grupos MOH ∗ - apagar ramal
Fonte de música 088 1 ou 2 - grupo MOH 0 - sem música # ao invés do 0 - sem
no grupo MOH 1 - Interna - MIDI grupo música
2 - Interna- Wave
3 - Externa
4 - Externa - ramal
Ramal da fonte de 089 1 ou 2 - grupo MOH Ramal ou # ao invés do nenhum
música ∗ - apagar grupo
Música de espera 064 ramal ou automática nenhum
externa - asso- ∗ - apagar
ciação ao ramal
Tempo para moni- 169 Tempo de conexão: automática 10 segundos
toração externa de 01 a 99 segundos
ambiente
Tempo de pausa 227 1 a 5 segundos automática 2 segundos
entre dígitos
Tipo de lista de 049 1 - Externa automática 2 - Interna e
chamadas 2 - Interna e externa externa
Exclusão de dígitos 171 Seqüência de dígitos inici- Timeout 5 s nenhum
da lista de chama- ais (até 6 dígitos)
das
Data/ hora - ajuste 114 DD - Dia, de 1 a 31 automática
manual MM - Mês, de 1 a 12
YY - Ano, de 00 a 99
HH - Hora, de 00 a 23
MlMl - Minuto, de 00 a 59
Atualização 038 ∗ - habilita automática ∗ - habilita
automática de # - desabilita
data/hora
Rechamada para 221 ∗ - habilita automática ∗ - habilita
chamada externa # - desabilita
via RDSI
Unidade de 195 valor: 000000000 a automática fator - 00001
tarifação 999999999 posição - 0
+
posição da vírgula: 0 a 3

Manual de Serviço 6-205


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Múltiplo para fator 042 1 - Fator 1 multiplicador do pulso: 000 automática 001 - valor 1
de tarifação 2 - Fator 2 a 254
Fator de tarifação 043 ramal 1 - Padrão # ao invés do 1 - Padrão
para ramal 2 - Fator 1 ramal
3 - Fator 2
Valor de tarifação 197 ramal valor: 000000000 a automática fator - 00001
para o ramal 999999999 posição - 0
+
posição da vírgula: 0 a 3
Limite de custo de 044 ramal ∗ - habilita automática # - desabilita
chamada por ramal # - desabilita
Data para atuali- 045 dd (dia de 01 a 31) ou automática ∗ - desabilita
zação de limite de ∗ - desabilita
custo em chamada
por ramal
Configuração da 180 Nova senha (5 dígitos) Nova senha Senha -
senha do sistema para confir- 31994
mação
Senha de serviço 149 00000 a 99999 automática Senha -
noturno 31994
Restauração da 199 Senha do sistema (padrão: 31994) automática
configuração
padrão
Temporizadores 139 **01 a 35: código do temporizador Novo valor: 0 a 65535 #
comuns Padrão de
fábrica
Temporizadores de 140 **1 a 34: posição de tabela Novo valor: 0 a 255 #
sistema
Números de emer- 040 posição: 1 a 5 número (até 10 dígitos) Timeout 5 s Ver
gência Tabela 6-
11 na
página 6-208

Reconhecimento 061 00 - reconhece todos os módulos ou # ao invés da 00


de módulo 01 a 20 posição
Tipo de sinal do 073 posição: 001 a 140 Tipo do sinal: 1 a 4 automática 1
MSN
Clock de referência 090 posição ou Interface física: 1 a 5 automática Modo
00 + ∗ - apaga (muda para modo automático
automático)
Designação 093 Tipo de dado de entrada: automática nenhum
temporária de 1 - Número MSN
MSN 2 - Posição do número
MSN

6-206 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Modo de identifi- 224 Modo de identificação: automática nenhum
cação de MSN 1 - nenhum
2 - nome MSN
3 - número MSN
Senha para admini- 220 senha até 5 dígitos de automática nenhum
stração remota 00000 a 99999
através MSN
Apagar consoles 166 automática nenhum
desconectados
PABX Trace log 246 01 - Ramais analógicos timeout 5s nenhum
02 - Linhas externas analó-
gicas
03 - Ramais optiPoint
04 - Ramais KS
05 - Telefones RDSI
06 - Linhas externas RDSI
07 - Correio de voz
08 - CLIP/FDW
09 - Conexões externas
10 - Sensor/Relé
11 - RDSI/CAS Layer 3
12 - RDSI Layers 1 e 2
13 - optiPoint Layers 1 e2
∗ - apaga configuração
atual
**〉 Para maiores detalhes sobre os temporizadores e sua programação é aconselhável consultar o arquivo de ajuda do soft-
ware de administração HiPath 1100 Manager, na parte referente aos temporizadores.
Tabela 6-10 Programação geral

País Números de Nome


Emergência
Brasil 190 Policia
193 Bombeiro
Portugal 112 Emergência
Espanha 112 Emergência
Letônia 01
02
03
04
112
Lituânia 01
02
03
112

Manual de Serviço 6-207


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

País Números de Nome


Emergência
Itália 112
113
115
118
Austrália 000 Emergência
Inglaterra 999 Serviços de
112 Emergência
França 15 SAMU
17 Polícia
18 Bombeiro
112 Emergência
115
Coréia

Tabela 6-11 Lista de números de emergência (040)

6.2.6 Atualização de Software

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Informações do 001 ∗ - visualiza o tipo do sistema, Qualquer tecla
SW release, versão, APS, numero de para finalizar.
identificação.
Atualização local do 060 automática
SW
Ativação da atuali- 055 ∗ - habilita automática # - desabilita
zação do SW # - desabilita
Dia da atualização 054 dd (dia de 01 a 31) ou automática 01
do SW
Horário de atuali- 058 hh:mm (hh de 00 a 23 e automática 00:00
zação de SW mm de 00 a 59)
Número externo 056 número (até 20 dígitos) # ao invés do nenhum
para atualização do número ou
SW automática
Freqüência de 057 mês (01 a 12) automática 01
atualização do SW

Comutação de 059 hh:mm (hh de 00 a 23 e automática 00:00


atualização do SW mm de 00 a 59)

Tabela 6-12 Atualização de Software

6-208 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2.7 Administração Remota

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Chamada de *99 Número do centro de serviço # - confirma automática
serviço 4
Atualização remota *94 automática
de software 15
Modo de operação 084 1 - Via RDSI automática 1 - Via RDSI
remota 2 - Via Modem
Ativação de admini- 066 ∗ - habilita automática # - desabilita
stração remota # - desabilita
Configuração de 067 Posição: 1 a 4 número (até 20 dígitos) # ao invés da nenhum
número externo posição
Senha para admini- 068 Posição: 1 a 4 00000 a 99999 # ao invés da nenhum
stração remota posição
MSN remoto 069 posição: 001 a140 ou automática nenhum
∗ - apaga
Sem verificação de 070 ∗ - habilita automática # - desabilita
MSN # - desabilita
Administração 157 ∗ - habilita automática ∗ - habilita
remota via DTMF # - desabilita
Finalização de 196 automática
administração
remota

Tabela 6-13 Administração remota

6.2.8 Porteiro eletrônico interno

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Configuração de 115 Posição: 1 a 20 Ramal ou # ao invés da # - não
porteiro eletrônico ∗ - apaga posição
interno
Fechadura para 116 Posição: 1 a 20 ∗ - habilita # ao invés da # - desabilita
Porta # - desabilita posição

Atendedores de 159 Posição: 1 a 20 Ramal 1 + ∗ Ramal 2 (até # ao invés do Ramal 11/


chamada de + 10 ramais) ou ramal 101
porteiro interno 1 - Diurno ∗ - apaga
2 - Noturno

Manual de Serviço 6-209


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Permissão para 125 Posição: 1 a 20 Ramal + ∗ ou # ao invés do Todos os
abertura da porta ∗ - apaga ramal ramais

Tabela 6-14 Porteiro eletrônico interno

6.2.9 Bilhetagem

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Bilhetagem através 006 ∗ - habilita automática # - desabilita
da interface serial # - desabilita
Código de custo 095 ∗ - habilita automática # - desabilita
para bilhete # - desabilita
Taxa de transmis- 120 1 - 9600b automática 3
são de dados 2 - 14400b
3 - 19200b
4 - 38400b
5 - 56000b
6 - 57600b
7 - 115200b
8 - 128000b
9 - 256000b
Supressão de dígi- 121 0 a 9 (suprimir dígitos) automática 0
tos na bilhetagem
de chamada
Bilhetagem de 161 1 - chamada entrante/ automática 1 - entrante/
chamadas entran- sainte sainte
tes* 2 - chamada sainte
3 - chamadas entrante/
sainte + CLIP
4 - chamadas sainte + CLIP
Filtro de bilheta- 167 Seqüência dos primeiros Timeout de 5 s nenhum
gem dígitos do n° a ser bilhe-
tado
(até 4 dígitos)
Tipo do Código de 243 1 - Opcional automática 1 - Opcional
custo 2 - Obrigatório
Confirmação do 244 ∗ - habilita automática # - desabilita
Código de custo # - desabilita
* Se o sistema estiver habilitado a receber a identificação de chamadas através de linhas digitais ou analógicas mediante
ativação do serviço na operadora.

Tabela 6-15 Bilhetagem dos dados de chamada

6-210 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Código Grupo País Idioma no display


01 Brasil Brasil Português
(padrão) Bolívia Espanhol
Paraguai* Espanhol
02 Argentina Argentina Espanhol
03 Portugal Portugal Português
04 Chile Chile Espanhol
05 Venezuela Venezuela Espanhol
06 México México Espanhol
07 Vietnã Vietnã Inglês
08 IM Espanhol Colômbia Espanhol
Uruguai
Equador
América Central
Indonésia** Inglês
09 IM Inglês Arábia Saudita Inglês
Barein
Egito
Emirados Árabes Unidos
Gana
Iêmen
09 IM Inglês Irã Inglês
Jordânia
Kuwait
Líbia
Nigéria
Omã
Quênia
Zimbábue
Síria
Sudão
Tanzânia
Sérvia/
Montenegro
10 IM Francês Argélia Francês
Camarões
Costa do Marfim
Líbano
Marrocos
Senegal
Tunísia
11 China China Inglês
12 Malásia Malásia Inglês
13 Singapura Singapura Inglês
14 Tailândia Tailândia Inglês
15 Grécia Grécia Inglês
16 Índia Índia Inglês

Manual de Serviço 6-211


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Código Grupo País Idioma no display


17 Paquistão Paquistão Inglês
18 Espanha Espanha Espanhol
19 Rússia Rússia Inglês
Belarus
20 Ucrânia Ucrânia Inglês
21 Peru Peru Espanhol
22 China2 China2 Inglês
23 Filipinas Filipinas Inglês
24 Canadá Canadá Inglês
25 África do Sul África do Sul Inglês
26 Turquia Turquia Inglês
27 Letônia Letônia Inglês
28 Lituânia Lituânia Inglês
29 Itália Itália Inglês
30 Austrália Austrália Inglês
31 Reino Unido Reino Unido Inglês
33 França França Francês
34 Coréia Coréia Inglês
35 Alemanha Alemanha Alemão
36 Holanda Holanda Holandês
37 Bélgica Bélgica Holandês
Francês
38 Áustria Áustria Alemão
39 República Tcheca República Tcheca Tcheco
* Para Bolívia e Paraguai, deve ser programado o país/grupo de países como "01=Brasil" e depois o idioma
"02=Espanhol".
** Para Indonésia, deve ser programado o país/grupo de países "08=Espanhol intern." e depois o idioma
"03=Inglês".

Tabela 6-16 País/grupo de países (165)

País Protocolo Código


Brasil (01) DTMF1 1
IM-Espanha (08), IM-Inglês (09), Índia (16) e DTMF2 2
Peru (21)
Outros países FSK 3

Tabela 6-17 Protocolo CLIP analógico (005)

6-212 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2.10 Facilidade Atendedor/FAX

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Menu de atendi- 009 Selecionar o dígito de encaminha- Digitar o número de ramal, # ao invés do nenhum
mento mento: 0 a 9 ou ∗ grupo, relé liga/desliga, dígito de
programação remota a ser encaminha-
associado ao dígito ou mento
esperar timeout para
apagar.
Gravação de 137 9 - gravar Tipo de Anúncio: #
anúncios 0 - reproduzir Modo Fax:
+ 01 - saudação para
Tipo de anúncio: 01 a 12 horário comercial (24 s)
02 - saudação para
serviço noturno(24 s)
03 - transferência (16 s)
Modo Atendedor:
04 -saudação no horário
comercial (32 s)
05 - saudação para
serviço noturno (32 s)
06 - transferência (16 s)
Modo Atendedor/FAX:
07 - saudação no horário
comercial (32 s)
08 - saudação para
serviço noturno (32 s)
09 - desvio (16 s)
10 - mensagem de iden-
tificação (16 s)
11 - alarme (8 s)
12 - reserva
Configuração do 127 linha externa 0 - Módulo desabilitado # ao invés do 0
modo de atendi- 1 - Fax número da
mento 2 - Atendedor linha livre
3 - Atendedor/FAX
4 - Anúncio
5 - Autofax
Ramal para 128 linha externa Ramal ou # ao invés da nenhum
recepção de FAX ∗ - apaga linha externa
Bloqueio de 008 1 - Fax ∗ - habilita # ao invés do # - desabilita
chamadas a cobrar 2 - Atendedor # - desabilita modo
3 - Atendedor/FAX
4 - Mensagem (anúncio)
Atendimento de 080 posição: 001 a 140 0 - Desativado # ao invés da 00 -
MSN por Atende- 1 - FAX posição Desativado
dor/Fax 2 - Atendedor
3 - Atendedor/Fax
4 - Mensagem
5 - Autofax

Manual de Serviço 6-213


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Ramal de FAX para 081 posição: 001 a 140 ramal # ao invés da nenhum
MSN posição
Liberação de Aten- 094 (00 a 99) tempo em ciclos automática 06 (30
dedor/Fax por de 5 s segundos)
timeout

Tabela 6-18 Facilidade Atendedor/FAX

6.2.11 Módulo EVM

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Duração da mensa- 200 (01 a 05 min) - tempo para automática 2 minutos
gem de saudação deixar a mensagem
Idioma da caixa 201 01 - Alemão automática 03 - IM Fran-
postal 02 - Inglês cês
03 - Francês 06 - Portugal
04 - Holandês e Brasil
05 - Italiano 07 -
06 - Português Espanha,
07 - Espanhol Argentina e
08 - Tcheco IM Espanhol
09 - Esloveno 12 - Grécia
10 - Polonês 02 - outros
11 - Romeno países
12 - Grego
13 - Estônia
14 - Letônia
15 - Lituânia
16 - Finlandês
17 - Dinamarquês
18 - Sueco
19 - Norueguês
20 - Inglês (US)
21 - Espanhol (INT)
22 - Francês (Canadá)
23 - Coreano
24 - Flamengo (Bélgica)
25 - Português (Brasil)
26 - Chinês
27 - Turco
Quantidade 202 (01 a 24) - número de automática 12 caixas
máxima de caixas caixas postais.
postais auto-confi-
guráveis
Associação das 203 número : 01 a 24 ramal ou Porta virtual EVM # ao invés da nenhum
caixas postais (744 a 747) caixa postal

6-214 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Senha para caixa 204 número : 01 a 24 senha até 4 dígitos # ao invés da 1234
postal caixa postal
Ativação da 205 * - habilita # ao invés da # - desabilita
gravação da caixa # - desabilita caixa postal
postal
Tipo da saudação 206 número : 01 a 24 1 - Manual # ao invés da 1 - Manual
da caixa postal ou caixa postal
2 - Diurno/Noturno
Configuração para 207 número : 01 a 24 1 - Saudação 1 (Diurno) # ao invés da 1 - Saudação
saudação da caixa ou caixa postal 1 (Diurno)
postal 2 - Saudação 2 (Noturno)
Origem do anúncio 208 1 - Anúncio 1 porta: 7491 ou 7492 # ao invés da nenhum
ou caixa postal
2 - Anúncio 2
Modo do anúncio 209 1 - Anúncio 1 1 - Contínuo # ao invés da 1 - Contínuo
ou ou caixa postal
2 - Anúncio 2 2 - Único
Anúncio opcional 210 posição: 001 a 140 1 - Anúncio 1 # ao invés da nenhum
para MSN ou caixa postal
2 - Anúncio 2
Número do 211 número até 10 dígitos Timeout 5s nenhum
sistema
Tipo de número do 212 1 - Desconhecido automática 3 - Itália
sistema 2 - Número do sistema 1 - outros
3 - Código local de área países
(LAC)
4 - Código de área do país
Anúncio para 213 1 - Anúncio 1 automática nenhum
sensor (HiPath ou
1120) 2 - Anúncio 2
Tipo de correio de 214 1 - Nenhum automática 1
voz 2 - VMI
3 - EVM
Grupo de correio 215 grupo UCD ou * para automática nenhum
de voz apagar
Associação das 216 caixa postal 1 ou 2 porta de anúncio : 7491 ou # ao invés da nenhum
caixas postais para 7492 caixa postal
Auto-Atedimento
Qualidade de áudio 228 1 - Otimizada para automática 2 - Alta quali-
saudações e mensagens dade para
2 - Alta qualidade para saudação/
saudação/Otimizada para Otimizada
mensagens para mensa-
3 - Alta qualidade para gens
saudações e mensagens

Manual de Serviço 6-215


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Anúncio para Linha 230 linha externa analógica 1 - Anúncio 1 # ao invés nenhum
externa analógica ou tronco
2 - Anúncio 2

Tabela 6-19 Módulo EVM

6.2.12 Programação para tronco digital

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Portas S0 062 Posição/Slot: 1 - Linha externa e ramal # ao invés da 1 - Linha
HiPath 1120: 02 2 - Linha externa posição externa e
HiPath 1150: 03 3 - Ramal ramal
HiPath 1190: 01 e 11
Modo de operação 190 01, 02, 03 ou 11 1 - ligação ponto a ponto # ao invés da 1 - primeiro
para linha S0* + (PP) posição port;
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente 2 - ligação ponto a multi- 3 - demais
PP ou PMP) ponto (PMP) ports
00 a 04 (HiPath 1150) 3 - linha Bus S0
00 a 04 (HiPath 1190)
Chamada Simé- 074 01, 02, 03 ou 11 ∗ - Assimétrica automática # - Simétrica
trica/Assimétrica + # - Simétrica
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente
PP ou PMP)
00 a 04 (HiPath 1150)
00 a 04 (HiPath 1190)
Ausência de Setup 075 01, 02, 03 ou 11 ∗ - habilita automática depende do
ACK para linha S0 + # - desabilita país
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente
PP ou PMP)
00 a 04 (HiPath 1150)
00 a 04 (HiPath 1190)
Notify 076 01, 02, 03 ou 11 ∗ - habilita automática depende do
+ # - desabilita país
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente
PP ou PMP)
00 a 04 (HiPath 1150)
00 a 04 (HiPath 1190)
Keypad 077 ∗ - habilita automática # - desabilita
Automático # - desabilita
Associação de 078 Posição: 001 a 140 linha externa ou # ao invés da todas as
linha digital à MSN ∗ - apaga posição linhas asso-
ciadas
Prefixo de linhas 189 1 - Nacional Prefixo de linha (até 5 dígi- # ao invés do nenhum
externas 2 - Internacional tos) dígito ou
automática

6-216 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Cadastro de 191 Posição: 001 a 140 Dígitos finais de Atendedor # ao invés da nenhum
número externo (até 20 dígitos) posição
Associação do 192 Posição: 001 a 140 Ramal, Grupo de chamada # ao invés do nenhum
MSN aos atende- + (CG, HG ou UCD com até ramal
dores 1 - Período Diurno 10 ramais por grupo) ou
2 - Período Noturno Porta Virtual EVM (744 a
3 - Segundo Atendedor Diurno 747).
4 - Segundo Atendedor Noturno ∗ - apaga
Sinalização de 004 Posição: 001 a 140 Grupo sinalização de # ao invés do nenhum
ocupado** + ocupado: 001 a 140 código
1 - Dia
2 - Noite
Filtro de código de 011 digitar o código de área # ao invés do nenhum
área local local (até 10 dígitos) código
Filtro de código de 012 Ver digitar o código de área do # ao invés do 55 - Brasil
área do país Tabela 6-21 na página 6-218 país (até 10 dígitos) código
Deflexão de 229 ∗ - habilita automática # - desabilita
chamada # - desabilita
RDSI layer 1 101 01, 02, 03 ou 11 ∗ - habilita automática depende do
+ # - desabilita país
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente
PP ou PMP ou PMP)
00 a 04 (HiPath 1150)
00 a 04 (HiPath 1190)
RDSI layer 2 102 01, 02, 03 ou 11 ∗ - habilita automática depende do
+ # - desabilita país
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente
PP ou PMP ou PMP)
00 a 04 (HiPath 1150)
00 a 04 (HiPath 1190)
Canal B 103 01, 02, 03 ou 11 ∗ - Master automática depende do
+ # - Slave país
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente
PP ou PMP)
00 a 04 (HiPath 1150)
00 a 04 (HiPath 1190)
"No DIV.LEG info" 249 01, 02, 03 ou 11 ∗ - habilita automática depende do
para linha RDSI + # - desabilita país
00 a 01 (HiPath 1120 - 00 somente
PP ou PMP)
00 a 04 (HiPath 1150)
00 a 04 (HiPath 1190)
* Para as linhas digitais do tipo E1 deve-se selecionar a conexão PP.
** Esta facilidade vale apenas para linhas digitais com número Atendedor. Não é válida se mais de um ramal estiver
configurado para a posição/número Atendedor/MSN. Se o Módulo Atendedor/FAX estiver instalado e programado para
linhas digitais, esta facilidade também não será válida.
Para mais detalhes sobre a instalação dos MO do Tipo S0 ver “Limites de expansão para os sistemas” na página 2-26.

Tabela 6-20 Programação para tronco digital

Manual de Serviço 6-217


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

País CAC País CAC


África do Sul 27 Letônia 371
Argentina 54 Lituânia 370
Austrália 61 Malásia 60
Brasil 55 México 52
Canadá 1 Paquistão 92
Chile 56 Peru 51
China 86 Portugal 351
China 2 86 Reino Unido 44
Espanha 34 Rússia 7
Filipinas 63 Singapura 65
Grécia 30 Tailândia 66
IM Espanhol - Turquia 90
IM Francês - Ucrânia 380
IM Inglês - Venezuela 58
Índia 91 Vietnã 84
Itália 39 França 33
Coréia 82

Tabela 6-21 Código CAC (012)

6.2.13 Módulos de interface LAN

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Configuração 013 Automática Módulo
padrão da interface ADSL:
LAN – IP 10.0.0.1
Módulos
SLIMC,
SADSLIM,
LIMC ou
ADSLIM
– IP do
modem:
192.168.254.
254;
– IP do
módulo:
192.168.254.
253;

Tabela 6-22 Módulos de interface LAN

6-218 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Códigos de programação do sistema

6.2.14 Relé e sensor no HiPath 1120

Função Cód Dados intermediários Dado a ser Finalização Padrão


Programada programado de dados
Programar a função 170 0= Desativar a função do automática 0
de sensor sensor (padrão)
1= Discar o número defi-
nido em "Número discado
pela ação do sensor"
(código 052)
2= Ativar o relé através do
sensor
3= Reconhecer código
DTMF,isto é, define que o
número chamado deve
confirmar ou não a
chamada de alarme atra-
vés do código de reconhe-
cimento (sinal DTMF “#”)
Lógica de ativação 174 0 - Contatos fechados # ao invés do 0 - Contatos
do sensor 1 - Contatos abertos sensor fechados
Tempo entre tenta- 050 Tempo: 00 a 10 minutos automática 03 (3 minu-
tivas de ação do tos)
sensor
Associação de 051 Posição: 001 a 140 ou automática nenhum
MSN ao sensor ∗ - apaga
Número discado 052 número (até 20 dígitos) automática ou nenhum
pela ação do #
sensor
Número de tentati- 053 001 a 100 (tentativas) automática 001 (1 tenta-
vas para ação do tiva)
sensor
Sinais DTMF para 177 número (até 20 dígitos) automática ou nenhum
sensor # - confirma #
Relé* 175 1 - Comutador automática 1 - Comuta-
2 - Monoflop dor
3 - Alternar
4 - Música em espera
5 - Sinal externo
Temporizador para 173 000 a 255 # ao invés do 002 - (1
desativação do relé (intervalos de 0,5 s) número segundos)
Toque externo para 071 ramal automática nenhum
ação do relé
* Na reprodução de melodias de equipamentos de áudio externos para música em espera, devem ser respeitadas as
regulamentações de direitos autorais do País.

Tabela 6-23 Relé e sensor no HiPath 1120

Manual de Serviço 6-219


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

6.2.15 Efetuar o teste rápido

Verificar os terminais
● Verificar a função do display (indicação de hora e data) em cada terminal. A falta de
indicação significa defeito no terminal ou nos cabos. Substituir o terminal ou verificar os
cabos;
● Verificar os terminais analógicos.

Verificar se o sistema é inicializado sem problemas


● Estabelecer chamadas internas e externas de forma aleatória.

6.3 Comentários sobre os códigos de programação do sistema

6.3.1 Programações importantes

Tipo de discagem em linha externa analógica (119)


O sistema admite dois modos de discagem nas linhas externas e ausentes (para as posições
de linhas externas não usadas):
● DEC - decádica (pulsada);
● MF - multifrequencial (tom).

Grupo de linha externa de acesso padrão (002)


Configura, para cada ramal, o acesso a um grupo de linhas externas discando "0". O acesso
a linhas externas "0" é padrão.

Se o usuário digitar o código externo "0", será procurada uma linha livre do grupo atri-
buído. Se não houver linha livre, o grupo procura em outros grupos.

Atendedores de linha analógica (142)


Define os ramais ou Grupos Consecutivos que serão os primeiros atendedores de uma
determinada linha externa em um determinado período (noite/dia). Cada ramal pode também
ser configurado como Segundo Atendedor de uma linha, que neste caso só recebe a ligação
se o ramal atendedor da linha externa não atender a chamada dentro de um determinado
intervalo de tempo (código 083). Caso isto ocorra os ramais programados como segundos
atendedores da linha externa serão chamados juntamente com os primeiros atendedores.

6-220 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Se em um ramal estiver conectado um dispositivo de abertura de porta, este não


pode ser configurado como atendedor.
Dentro dos grupos de chamadas, o primeiro ramal disponível receberá a sinalização
da chamada de entrada, obedecendo ao esquema de distribuição das ligações.
Quando não houver primeiro atendedor configurado a chamada será desviada para
o ramal de fuga. Se o ramal de fuga não estiver configurado a chamada será encer-
rada, nenhum ramal será sinalizado, não será possível a captura da chamada e o
sistema aguardará a liberação desta linha externa pela Operadora para permitir a uti-
lização do mesmo.

Classe de serviço especial para ramal bloqueado (096)


Possibilita que um ramal que esteja bloqueado, ou seja, com o cadeado ativo, possa ter sua
classe de serviço alterada para qualquer tipo.

Agenda (112)
É possível armazenar até 250 números na Agenda do Sistema com no máximo 20 dígitos
cada. Pode-se atribuir um nome a cada número com no máximo 15 caracteres, o que permite
uma busca alfanumérica (veja no Manual do Usuário, Pesquisa na agenda).
Caso se queira inserir uma pausa ("P") entre os dígitos deve-se inserir o caractere "P" através
do HiPath 1100 Manager ou utilizando um telefone de sistema pressionando a tecla de
rediscagem (veja “Tempo de pausa entre dígitos (227)” na página 6-245).
Estes números armazenados podem ser chamados através de sua posição na agenda, isto é,
um número abreviado pode ser utilizado por qualquer ramal do sistema. Na configuração
padrão, não há números abreviados programados.
.

Para o HiPath 1120, a posição de agenda 249 esta reservada para a função de relé e
sensor.
Para a seleção de um número externo, é necessário digitar o número da linha exter-
na no lugar do código externo "0".

Lista de números proibidos (123)


Existem 3 listas de proibições que estarão restritas a todos os ramais com categoria
“privilegiado com listas de proibições”:
● lista 1 - permite armazenar 10 números;
● lista 2 - permite armazenar 25 números;

Manual de Serviço 6-221


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

● lista 3 - permite armazenar 35 números.

Para alterar um número bloqueado, basta digitar a respectiva posição da lista e o


novo número.

Lista de números permitidos (124)


Existem 3 listas de permissões que estarão liberadas a todos os ramais com categoria “Semi-
privilegiado”:
● lista 1 - permite armazenar 10 números;
● lista 2 - permite armazenar 25 números;
● lista 3 - permite armazenar 25 números.

Para alterar um número liberado, basta digitar a respectiva posição da lista e o novo
número.

Permissão para uso dos números da agenda sem análise de COS (072)
Este código permite que os usuários com classe sem permissão possam realizar chamadas
externas através da Agenda.

Atribuição de classe de serviço (111)


Podem ser programados para os ramais até 8 categorias de acesso às linhas externas:
● Restrito - efetua chamadas internas e atende chamadas externas;
● Semi-privilegiado - recebe chamadas internas e externas, atende e recebe chamadas
transferidas, mas não pode realizar chamadas externas de saída via acesso normal,
apenas através da Agenda ou da Lista de Números Permitidos;
● Privilegiado com restrições - recebe chamadas internas e externas e realiza chamadas
externas para qualquer número que não esteja na Lista de Números Bloqueados e na
Agenda;
● Privilegiado - efetua todos os tipos de chamadas.

Um ramal poderá possuir duas categorias distintas, sendo uma para o modo diurno
e outra para o noturno.

6-222 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Transferência da classe de serviço (178)


Este código habilita os ramais que podem utilizar a facilidade de transferência da classe de
serviço. Assim, é possível autorizar ou impedir que um ramal transfira a sua classe de serviço
temporariamente para outro telefone.

Idioma (164)
Define em qual idioma serão mostradas as mensagens no display do telefone de sistema. Este
campo não será atualizado automaticamente em função da opção selecionada no campo País
e ao alterar o idioma neste campo, o País não é alterado. Desta forma torna-se possível definir
um País com idioma diferente do padrão. Exemplo: País: Brasil, Idioma: Inglês.

País/Grupo de países (165)


Seleciona o país onde o sistema será utilizado para adaptá-lo às características e padrões
locais.
O sistema é reinicializado após a alteração da programação de país.

Terminal de operadora (150)


Concentra o fluxo de chamadas em um posto de atendimento que esteja equipado com um
telefone de sistema com display.

O terminal de operadora não recebe "Mensagem direta para alta-voz" e nem pode
pertencer ao grupo de "Grupo Associado.".

Modo de seleção de operadora: LCR ou ACS (225)


Permite que o usuário mude o modo de seleção da Operadora para a melhor opção disponível
para se originar chamadas externas.

O ACS não afeta a facilidade Números de emergência (040) se o usuário discar di-
retamente.

Tom de aviso para chamada sem LCR (092)


Caso o sistema esteja programado com LCR, o usuário pode ser informado pelo HiPath 1100
que está realizando uma chamada externa para um determinado destino através de uma
Operadora não padrão com tarifas talvez mais altas naquele momento. Isto pode ocorrer
devido a indisponibilidade de linhas externas para a facilidade LCR (Least Cost Routing).

Manual de Serviço 6-223


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Para avisar ao usuário que uma outra Operadora esta sendo utilizada, os telefones analógicos
irão sinalizar com um tom de aviso e os Telefones de sistema irão indicar no display o nome
da Operadora que está sendo utilizada.

Esta facilidade funciona apenas em linhas RDSI e a Operadora deve ser contratada
e estar preparada para esta facilidade .

Ativação do tempo para LCR fallback (250)


A ativação deste temporizador é recomendada no caso de rotas onde possa ocorrer uma
demora ou problemas nas conexões para as chamadas (por exempo, SIP Boxes). Assim
terminado o tempo configurado a chamada será encaminhada para a Operadora Padrão
definida nesta regra do LCR (ver Manager - A31003-K1270-M100-*, LCR).

Tempo para LCR fallback (251)


Configura o tempo de encaminhada para a Operadora Padrão definida nesta regra do LCR
(ver Manager - A31003-K1270-M100-*, LCR).

6.3.2 Programação de linha externa

Grupos de linhas externas (156)


Permite que o acesso a uma linha externa ou grupo de linhas externas seja feito pelo código
“0” ou por um código diferente.

Prioridade de ocupação por tipo de linha externa (194)


Define qual o tipo de linha externa será ocupada durante uma chamada de saída.
As linhas externas podem ser acessadas pelo código de acesso “0” ou o código de grupo de
linhas.
Se a central possui linhas digitais e analógicas, pode-se definir qual tipo de linha será
acessada prioritariamente.

Protocolo de ocupação de linha externa analógica (017)


Define qual o protocolo de ocupação de linha externa analógica é utilizado pela Operadora
local.

Esta facilidade funciona apenas para o Canadá.

6-224 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Identificação de chamada em linha analógica - CLIP (005)


Habilitado na operadora local, esse seviço permite a identificação das informações contidas
nos protocolos FSK e DTMF para linhas analógicas.
No HiPath 1190 existe uma limitação de no máximo 16 linhas configuras com a opção CLIP
DTMF o que resulta em restrições na facilidade de conferência em função do número de linhas
que estejam utilizando em determinado momento o CLIP DTMF. Isto se deve ao motivo que
tanto o CLIP DTMF como a Conferência utilizam recursos comuns no sistema.
Assim temos, por exemplo:
● Em um sistema com 16 linhas CLIP DTMF são possíveis 2 conferências com 3
participantes;
● Em um sistema com 8 linhas CLIP DTMF é possível 1 conferências com 8 participantes
ou 2 conferências com 4 participantes;
● Em um sistema sem linhas CLIP DTMF são possíveis 2 conferências com 8 participantes.
Para liberar ports adicionais para serem utilizados pela facilidade de Conferência sem que haja
a dependência da utilização do CLIP DTMF, é necessário desabilitar esta função para algumas
linhas.

Quando um país específico é programado, o correspondente protocolo é seleciona-


do.

Sentido de chamada na linha externa (155)


Define a forma de acesso às linhas externas no momento de receber ou realizar uma
chamada.
A linha externa pode ser:
1 = bidirecional;
2 = unidirecional entrada;
3 = unidirecional saída.

Duração de flash em linha analógica (118)


Define o tempo em que o sinal de Flash ficará ativo na linha externa analógica em função dos
padrões de reconhecimento definidos na central pública.

Tempo de carência para reocupação da linha externa (129)


Ajusta o tempo de espera para reocupar a mesma linha externa após ter terminado uma
chamada.

Manual de Serviço 6-225


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Tempo máximo entre toques para uma mesma chamada entrante (117)
É o intervalo entre dois impulsos de chamada da operadora local e tem aproximadamente 6
segundos. Após este intervalo, o sistema derruba a conexão com a linha externa e fica pronto
a receber novas chamadas.

Coeficiente para linha externa analógica (147)


Possibilita o casamento de impedâncias entre o sistema e linha externa analógica ao qual está
conectado.

Tipo de sinalização de Atendimento (158)


Caso sua concessionária disponibilize esta facilidade, o processo de bilhetagem irá ocorrer em
tempo real, isto é, quando o destino da chamada atender, a pública envia um sinal para o
sistema iniciar a bilhetagem.
Os tipos de sinalização são:
● Nenhum;
● Inversão de polaridade;
● Tom DTMF.

Caso a opção Tom DTMF seja escolhida, é necessário que o tom seja programado
(A, B, C ou D) via Manager. Se a programação do tom via Manager não for feita, a
central usa como padrão o tom A.

Detector de tom (160)


Quando ativado executa duas funções em uma linha externa analógica:
1. Define que o sistema deve aguardar o recebimento/reconhecimento do tom de linha da
pública para então liberá-la para o envio do número selecionado. Caso não tenha tom de
discar (por exemplo, linha não instalada) o sistema automaticamente bloqueia a linha.
Em telefones MF, o número selecionado será transmitido para a linha externa cerca de 4-
5 segundos após a entrada do último dígito do número (discagem 1A).
2. Detecta o encerramento de uma chamada entrante através do tom de ocupado (busy tone
detection) nos seguintes casos:
– Desvio externo;
– Transferência externa;
– Entrante para Atendedor/FAX;
– Entrante para secretária eletrônica;

6-226 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

– Entrante para módulo EVM;


– Entrante para VMI.

Conexão de linha externa (133)


Define se o grupo de linhas externas conectado em um dos sistemas HiPath 1100 está
interligado em uma central pública ou a outro PABX.

Segundo código de acesso externo (134)


Define o código que deve ser enviado pelo Sub-PABX em função do código utilizado para
acessar as linhas externas no PABX principal. Este código serve para verificar a
disponibilidade de tom de linha externo.

Modo de ocupação automática de linha externa (036)


Realiza, ao levantar o monofone, uma chamada externa sem o código de acesso (por exemplo
0). Com esta definição, é preciso introduzir um código para as chamadas internas ou ativar a
tecla Ramal.

A ativação desta facilidade pode afetar a programação do Modo de discagem (cod.


68), quando a opção 0 (Identificação automática) estiver selecionada. Assim reco-
mendamos reconfigurar o Modo de discagem dos ramais (Tom ou Pulso).

Tom falso (063)


Reproduz um tom de linha externa mesmo que não exista uma linha externa disponível (válido
somente para ramais MF/DC).

Caso esteja com a facilidade LCR ou Números de emergência configurado, o


usuário irá receber o Tom falso independente da programação.

Código de acesso interno para Ocupação Automática (226)


Define o código a ser usado para realização de chamadas internas, caso a Ocupação
automática de linha externa esteja programada no ramal.

Manual de Serviço 6-227


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

O código de acesso pode ser programado de acordo com cada país. Caso nenhum dos
códigos de acesso seja configurado, a facilidade não funcionará.
País Código
Espanha 99
Letônia
Lituânia
Austrália
Grécia
Itália 69
Portugal 6
Outros nenhum

Presença de linha externa (079)


Permite indicar que determinada linha externa existe.

No caso de linha externa RDSI, se for configurado como ausente, duas interfaces
serão desabilitadas. Para linhas digitais (E1 CAS) é necessário programar o Módulo
TME1 através do aplicativo E1 Trunk Manager também.

Tempo de atendimento para segundo atendedor de linha externa analógica (083)


Define um tempo antes da chamada sinalizar no ramal.

Transbordo para grupos de linhas externas (099)


Disponibiliza um segundo grupo de linhas externas, caso as linhas do primeiro grupo estejam
ocupadas. Esta disponibilização do segundo grupo de linhas externas levará em conta a
classe de serviço do ramal.

A reserva de linha externa (*493) não funciona para o grupo de transbordo.

6.3.3 Programação de ramal

Grupos de captura (143)


É possível reunir os ramais em até 16 grupos de captura, permitindo que um ramal do grupo
atenda chamadas que sinalizam nos outros ramais do mesmo grupo de captura.

6-228 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Também podem ser adicionados ramais a um grupo de captura já existente.

Grupos de chamada (CG) (113)


Reune os ramais em Grupos de chamada (CG- Call Group) acessado pelos números 770 a
779. Quando este número for selecionado, todos os telefones do grupo tocam até que um
atenda.

Um ramal pode estar configurado em mais de um Grupo de Chamada (CG).

Desvio dentro do Grupo de chamada (CG) (222)


Esta facilidade funciona apenas em linhas digitais e possibilita realizar um desvio de um ramal
que pertença a um grupo de chamada. Quando uma chamada for direcionada para um grupo
de chamada ela será sinalizada em todos os ramais do grupo ao mesmo tempo, o ramal que
estiver configurado com desvio irá sinalizar no seu destino. Caso o destino do ramal atenda,
os outros ramais não voltam a sinalizar, caso contrário os outros ramais e o destino
continuarão sinalizando até que um deles atenda a chamada.

Não deve ser utilizado o Desvio externo para um membro do grupo se a facilidade
"Deflexão de chamada" (código 229) estiver ativa (não funciona para linhas analógi-
cas).
Nesta situação o sistema não recebe nenhuma informação que a chamada desviada
foi atendida. Em conseqüência da falta desta informação o sistema continua a sina-
lizar nos outros membros do grupo.

Tempo de toque de atenção para grupo de captura (035)


Os telefones comuns e de sistema sem display são informados da entrada de uma chamada
dentro do grupo de captura (código 43) através de um toque de atenção. Este toque de
atenção pode ter seu tempo definido.

Ativação de Rechamada/Chamada Urgente por timeout (037)


Define se a facilidade Rechamada ou a facilidade Chamada Urgente será ativada
automaticamente após 7 segundos (timeout) quando o ramal ou número externo chamado (via
linha digital RDSI) estiver ocupado.

Manual de Serviço 6-229


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Indicação de nome/número da chamada (039)


Define que quais informações do número chamador devem ser mostradas no display do
telefone.

Grupos de chamada UCD (023)


Cria um grupo de ramais que irá receber as chamadas internas e externas.
Um grupo de chamada é constitui por um grupo de ramais que está disponível a atender
chamadas a um número específico que identifica o grupo.
Uma chamada, interna ou externa, direcionada para este grupo, será atendida pelo ramal
associado que mais a tempo estiver livre.
Se todos os ramais do grupo de chamada estão ocupados, as chamadas externas para o
grupo são direcionadas para uma fila de espera.

Bloqueio de chamadas a cobrar para grupo UCD (007)


Quando este bloqueio está ativado, todas as chamadas a cobrar para o Grupo UCD são
automaticamente rejeitadas pelo sistema. O sistema ignora o bloqueio de chamadas a cobrar
para os membros do Grupo UCD, isto é, somente é verificado o bloqueio para o grupo.

Se a chamada foi pelo menos uma vez "atendida" pelo sistema, o bloqueio de cha-
mada a cobrar deixa de funcionar para esta chamada.
Se a chamada é desviada por não atendimento (*14) e a programação de chamada
a cobrar esta ativada, a chamada é sinalizada no primeiro atendedor da linha externa.

Mensagem de espera para Fila UCD (024)


Disponibiliza o envio de anúncios associados a uma posição de ramal ou de Música externa
para o grupo UCD, quando todos os ramais do grupo estiverem ocupados ou indisponíveis.

Tamanho da Fila UCD (025)


Define, para cada Grupo UCD, a quantidade de chamadas na Fila UCD para as chamadas em
espera.

Tempo para conexão de mensagem de espera para Fila UCD (026)


Permite estabelecer um intervalo de tempo, no caso dos agentes estarem ocupados ou
indisponíveis, para só então direcionar a chamada para a fila espera.
É possível configurar um intervalo de tempo diferente para cada Grupo UCD. Na programação
padrão, a conexão ocorre imediatamente após a chamada entrar na fila.

6-230 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Destino da chamada de transbordo UCD (027)


Define um transbordo para a chamada UCD quando:
• todos os agentes estiverem deslogados;
• a fila UCD chegar ao número máximo de chamadas em espera;
• o tempo de transbordo da fila expirar.
É possível configurar locais de transbordo para cada grupo UCD.

Seleção Cíclica para Agente (028)


Permite que a chamada seja automaticamente sinalizada para o próximo agente desocupado.
Se não houver mais agentes logados, a chamada é desviada para o local de transbordo.

Tempo para auto-anotações do Agente (029)


Define um tempo para que o agente fique fora do Grupo e possa fazer essas anotações sem
ser incomodado.

Tempo de sinalização no Agente (030)


Define um tempo de sinalização de uma chamada entrante em cada agente antes do
transbordo.

Estado do Agente após tempo de sinalização (176)


Permite determinar o estado do agente após o término do tempo de sinalização.
Na programação padrão, após o término do tempo de sinalização, a chamada é transferida
para outro membro do grupo e o agente passa a ficar indisponível (ver Manual de Usuário -
Agente Disponível/indisponível no grupo UCD).

Parceiro de desvio em Cascata (181)


O desvio em cascata permite escolher de que maneira vai ser mostrado o parceiro de desvio
no display do telefone. (ver Manual de Programação - A31003-K1270-U100-*-*, capítulo
Desvio em cascata)
Caso se tenha a seguinte situação: o destino 1 tem um desvio para o destino 2 e o destino 2
tem um desvio para o destino 3, o display pode ser configurado das seguintes maneiras:
● Último parceiro: será mostrado no display do chamador: “desviado para: destino 3”e no
display do destino 3 será mostrado: “do: destino 1”.
● Primeiro parceiro: será mostrado no display do chamador: “desviado para: destino 2”e no
display do destino 3 será mostrado: “do: destino2”.

Manual de Serviço 6-231


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Caso o destino 3 seja um VMI:


● Último: a mensagem é armazenada na caixa postal do destino 1. Se o destino
1 não possuir caixa postal o Voice Mail deve pedir o port para a gravação da
mensagem;
● Primeiro: a mensagem é armazenada na caixa postal do destino 2.

Tempo de permanência na Fila UCD (031)


Define o tempo máximo em que uma chamada pode permanecer na Fila UCD.
Depois desse tempo, a chamada é desconectada ou é encaminhada para o local de
transbordo UCD. Na programação padrão, a chamada fica durante 1 minuto na fila.

Mensagem de espera antes de sinalizar chamada UCD (032)


Permite conectar a mensagem de pré-atendimento diretamente à chamada antes dessa
sinalizar no ramal.

Tempo mínimo de mensagem em espera para fila UCD (033)


Define um tempo mínimo de reprodução de uma mensagem de espera antes de sinalizar uma
chamada UCD (032).

Esta facilidade somente funciona se a facilidade Tempo de permanência na Fila


UCD (código 031) estiver ativada.

Grupos de busca (HG) (021)


Permite reunir os ramais em até 10 grupos HG (de 780 a 789).
Um Grupo de busca (HG - Hunting Group) constitui um grupo de ramais que são designados
a atender chamadas destinadas a um número específico que identifica o grupo.
Se o ramal não atender a uma chamada interna ou externa dentro de um determinado tempo,
a chamada será sinalizada consecutivamente nas outras extensões livres e ocupadas do
grupo. Em caso de ausência, o ramal pode desligar-se do Grupo de busca.

Esta facilidade somente funciona em linhas digitais.

6-232 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Desvio dentro de Grupo de busca (HG) (223)


Esta facilidade funciona apenas em linhas digitais e possibilita realizar um desvio de um ramal
que pertença a um grupo de busca. Quando uma chamada for direcionada para o grupo, será
sinalizada em cada ramal de acordo com a configuração do grupo (linear ou cíclica). Se existir
um ramal com desvio, a chamada será direcionada para o destino configurado e no caso de
ser atendida, os outros ramais do grupo não voltarão a sinalizar, caso contrário, a chamada
volta a ser sinalizada nos demais ramais de acordo com a configuração do grupo de busca.

Não deve ser utilizado o Desvio externo para um membro do grupo se a facilidade
"Deflexão de chamada" (código 229) estiver ativa (não funciona em linhas analógi-
cas).
Nesta situação o sistema não recebe nenhuma informação que a chamada desviada
foi atendida. Em conseqüência da falta desta informação o sistema continua a sina-
lizar nos outros membros do grupo.

Seleção para Grupos de busca (HG) (022)


Define o tipo de procura, linear ou cíclica, de um ramal livre dentro do grupo.
Quando uma chamada chega a um Grupo de busca configurado com seleção linear, a procura
sempre começa com o primeiro ramal do grupo. Na seleção cíclica, a pesquisa começa com
o ramal depois do último selecionado.

Tempo para desvio no Grupo de busca (HG) (242)


Determina um intervalo de tempo no qual a chamada externa ou interna deve ser atendida pelo
membro do grupo, sendo possível programar um tempo diferente para cada grupo.Caso o
tempo para desvio termine antes do membro do grupo atender, a chamada será sinalizada
consecutivamente nas outras extensões livres do grupo.

O grupo de busca não seguirá nenhum desvio ou ramal de fuga devido não atendi-
mento.

Intercalação (144)
Permite que um determinado ramal realize a facilidade de “Intercalação” sobre outros dois
ramais que estão em conversação.
A Intercalação possui os mesmos limites da Conferência e monitoração silenciosa dentro do
sistema. O número máximo de monitoração silenciosa simultâneas permitido é de duas.
Importante: a função de Intercalação é contabilizada como uma Conferência.

Monitoração silenciosa (046)


Define o ramal que pode realizar a Intercalação sem bip.

Manual de Serviço 6-233


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

A monitoração silenciosa possui os mesmos limites da Conferência e intercalação dentro do


sistema. O número máximo de conferências simultâneas permitido é de duas conferência.
Importante: a função de Intercalação é contabilizada como uma Conferência.
Caso o monitor ou a parte monitorada mudem de estado, a monitoração silenciosa será
desfeita, por exemplo, colocar uma chamada em espera.

Caso a monitoração silenciosa seja ativada em um telefone Profiset 3030 a opção


MUTE é ativada automaticamente.

Facilidade restrita - para países específicos apenas.


A monitoração silenciosa possui os mesmos limites da Conferência e intercalação
dentro do sistema.
O número máximo de conferências simultâneas permitido é de duas conferências.
Importante: a função de Intercalação é contabilizada como uma Conferência. Caso
o monitor ou a parte monitorada mudem de estado, a monitoração silenciosa será
desfeita, por exemplo, colocar uma chamada em espera.

Identificação de chamadas para ramal analógico (CLIP) (010)


Quando o ramal estiver configurado com esta facilidade e receber uma chamada de entrada
com informações CLIP, o gerador de DTMF irá enviar uma sinalização para o ramal com os
dados do chamador. Utilizando um telefone E805C (Brasil) ou Gigaset 4010, é possível ver o
número do chamador.

Caso o País configurado (código 165) seja a França, a funcionalidade CLIP FSK
estará disponível apenas para o HiPath 1120.

Ocultar Prefixo de Grupo (188)


Permite que um ramal receba uma chamada externa através de uma linha externa que
pertença a um grupo de linhas externas oculte o número do grupo de linhas externas mostrada
no display. Caso uma chamada externa seja efetuada com acesso específico e seja
transferida para um ramal que esteja com essa facilidade ativa, o número da linha externa não
será mostrada no display.
Por exemplo, um ramal analógico recebe uma ligação externa, através de uma linha externa
que pertence ao grupo 890, do número 24987049 e está com esta facilidade ativada, o display
indica somente o número 24987049, caso a facilidade não esteja ativada o display indica o
número 89024987049 = grupo de linhas externas + número externo.

6-234 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Ramais analógicos necessitam estar configurados com a facilidade CLIP para que
esta facilidade funcione.

Senha de Cadeado (126)


Impossibilita a utilização do ramal para estabelecer chamadas externas, permitindo apenas
chamadas internas ou com os números da Agenda. Para isto é utilizado uma senha secreta
de 5 dígitos. Caso o usuário do ramal esqueça a senha que utilizou para bloquear o ramal, ele
pode "resetar" esta senha e retornar a senha padrão do sistema (senha: 0000).

Tempo para desvio em caso de não atendimento (130)


Define o tempo para que as chamadas externas que tocam em um ramal sejam transferidas
para o seu segundo atendedor, em caso de não atendimento (*14).

Modo de discagem (168)


Define se cada ramal deverá utilizar o modo de discagem por impulsos (DEC), por
multifrequencial (MF) ou se deve ser identificado automaticamente.

Tempo de detecção de flash (131)


O sinal de flash gerado por um aparelho telefônico comum tipo MF só será reconhecido se
estiver dentro dos limites especificados na programação.
Assim, é recomendável verificar o tempo de flash dos telefones Multifrequenciais e ajustá-lo
para o mais próximo possível do aparelho que possuir o maior tempo de flash.
A configuração do tempo de detecção de flash pode ser diferente para cada país.

O sistema possibilita o reconhecimento de tempo de flash automático.

Ramal de fuga (132)


O ramal de fuga só recebe as chamadas quando o ramal chamado não está disponível, não
atende, ocupado ou não programado.

O ramal de fuga é acessado com o seu respectivo número interno e não pode ser
utilizado ou programado como ramal de Fax.

Manual de Serviço 6-235


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Hotline (145)
Possibilita que um número pré-programado em uma posição da Agenda seja chamado
automaticamente assim que o monofone for retirado do gancho.

Pode ser configurado o mesmo número de agenda para vários ramais.

Warmline (162)
Possibilita a programação de um intervalo de tempo para à ativação de Hotline.
Cada ramal poderá ter um diferente intervalo de tempo para warmline que pode variar de 0 a
9s.

Grupo Associado (151)


Associa vários ramais a um telefone master.
São disponíveis 8 grupos com até 16 ramais cada (todos os ramais devem ser telefones de
sistema).

Associação à interface CD (146)


Permite a conexão de um telefone de sistema em uma posição qualquer de ramal.
Na programação padrão, a associação é a seguinte:

HiPath 1120 HiPath 1150


A1/B1 ⇒ C1/D1 A1/B1 ⇒ C1/D1
A2/B2 ⇒ C2/D2 A2/B2 ⇒ C2/D2
A3/B3 ⇒ C3/D3 A3/B3 ⇒ C3/D3
A4/B4 ⇒ C4/D4 A4/B4 ⇒ C4/D4
A5/B5 ⇒ C5/D5
A6/B6 ⇒ C6/D6
A7/B7 ⇒ C7/D7
A8/B8 ⇒ C8/D8
Tabela 6-24 Associação à interface CD

Coeficiente para Ramal (148)


Possibilita o casamento de impedâncias entre o sistema e a linha do ramal ao qual está
conectado.

6-236 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Bloqueio de chamadas a cobrar por ramal (193)


Quando este bloqueio está ativado, todas as chamadas a cobrar via linha digital para o ramal
são automaticamente rejeitadas pelo sistema e as chamadas via linha analógica são
rejeitadas no momento do atendimento.

Se a chamada foi pelo menos uma vez "atendida" pelo sistema, o bloqueio de cha-
mada a cobrar deixa de funcionar para esta chamada.
Se a chamada é desviada por não atendimento (*14) e a programação de chamada
a cobrar esta ativada, a chamada é sinalizada no primeiro atendedor da linha externa.

Para que a facilidade de bloqueio funcione em linhas digitais a Operadora Local deve
ser consultada.

Tipo de equipamento conectado ao ramal (003)


Define o tipo de equipamento que será conectado à posição de ramal a/b ou S0.
● Normal (telefone de sistema, telefone RDSI ou analógico)
● Dados (Fax/Modem)
● Secretária eletrônica
● Música
● Porteiro eletrônico externo
● Correio de voz
Para a opção Dados (Fax/Modem), são utilizados os mesmos tons de discagem e seqüência
de chamadas com a rede pública, para evitar problemas no reconhecimento de interrupções,
sinais de discagem internos, e /ou chamadas duplicadas. Além disso, é impedida a
intercalação e o sinal de chamada em espera, para evitar falhas na transmissão.

Ao ligar um equipamento de Fax, não são necessárias outras configurações


> (por exemplo, reconhecimento de Fax).

Para a opção Secretária eletrônica, é efetuada a mesma configuração como em " Dados
(Fax/Modem)". Todavia, é possível o atendimento da chamada se o atendimento automático
do equipamento estiver ativado.
A opção Porteiro eletrônico externo suporta até 4 aparelhos conectados diretamente nas
portas analógicas a/b ou no barramento do módulo S0 da seguinte forma:

Manual de Serviço 6-237


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

● O aparelho de Porteiro eletrônico externo analógico deve ter comportamento como um


telefone analógico (discagem, detecção e controle DTMF);
● O aparelho de Porteiro eletrônico externo RDSI deve ter comportamento como um
telefone RDSI. Também deve ser controlado através de sinais DTMF.

Consultar o manual do Porteiro eletrônico externo para verificar as configura-


> ções disponíveis.
Através do HiPath 1100 Manager na pasta Avançado/Definições de Sistema/
Geral - Campo "Porteiro eletrônico externo" devem ser inseridas as informa-
ções do dispositivo de porteiro para o correto funcionamento.

Atendimento automático (034)


Permite atendimento automático no seu telefone através de um código de facilidade (veja no
Manual de Usuário, Funções usadas na realização de chamadas - Atendimento automático
em viva-voz).

Pulsos para tarifação em ramal analógico (041)


Permite enviar os pulsos de tarifação da chamada para um ramal analógico (com 12kHz/
16kHz). Assim, o aparelho telefônico do ramal pode indicar os pulsos ou o valor da chamada
se o mesmo possuir esta facilidade.

Consultar a documentação do aparelho telefônico conectado à posição de ramal


para saber se a indicação de tarifação é suportada e qual o modo de recepção utili-
zado.

Temporizador para chamada externa sainte (047)


Define, para cada ramal, um tempo máximo de duração de uma chamada externa sainte.
A contagem do tempo inicia logo após a chamada ser estabelecida e nunca será reiniciada
durante uma mesma chamada (por exemplo, transferência). Quando o tempo configurado
terminar, a chamada será interrompida.

Ativar/Desativar temporizador para chamada externa sainte (048)


Ativa/desativa o temporizador para o ramal selecionado.

Ativar/Desativar tempo limite para chamadas externas (239)


Ativa/Desativa o tempo limite para chamadas externas.

6-238 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Tempo limite para chamadas externas (240)


Define, para cada ramal, um limite de tempo para realizar as chamadas externas. Isto é,
quando o tempo total das chamadas externas realizadas atingir o limite do tempo configurado
as chamadas em andamento serão interrompidas e nenhuma outra poderá ser feita até uma
liberação de um novo "crédito" de tempo.

As chamadas podem também ser interrompidas caso o ramal tenha sido configura-
do com as facilidades:
● ”Temporizador para chamada externa sainte” (código 047), a contagem do
tempo limite também é interrompida.
● ”Tarifação” , a chamada somente será iniciada ou poderá continuar se o tempo
e o crédito limite não forem atingidos.
No caso de chamadas simultâneas, o tempo será contado para as chamadas sepa-
radamente.
Caso a chamada termine antes de completar um ciclo, o tempo será contabilizado
como se a chamada estivesse completado um ciclo de 5 segundos.
A ”Deflexão de chamada (229)” não é suportada por esta facilidade.

Dia para término de tempo limite (241)


Permite definir um dia do mês para a inicialização do tempo limite para chamadas externas de
todos os ramais.

Tempo de atendimento para Segundo atendedor para MSN (082)


É um intervalo de tempo, em segundos, durante o qual uma chamada entrante sinaliza no
Primeiro Atendedor da linha externa. Caso não venha a atender a chamada, dentro deste
intervalo de tempo, esta será direcionada para o Segundo atendedor

Ramal do Modem (085)


Define o ramal ao qual o modem será conectado para acesso remoto da serial.

Associação MSN e Ramal para chamada externa sainte (086)


Permite que um ramal do grupo possa realizar chamadas saintes através de um dos MSN
selecionados.

Manual de Serviço 6-239


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Transferência para ramal ocupado (217)


Permite a transferência de uma chamada para um ramal que esteja ocupado. O ramal que
receber a transferência irá escutar um tom de sinalização ao fundo da chamada indicando que
existe uma chamada em espera.
No caso do ramal não atender após um determinado tempo ou de estar configurado com o
serviço Não Perturbe ou Proteção de dados, a chamada irá ser sinalizada no ramal que
originou a transferência. O tempo que a chamada irá sinalizar no ramal ocupado pode ser
configurado através da facilidade “Tempo para desvio em caso de não atendimento (130)” na
página 6-235 ou via HiPath 1100 Manager.

Tempo limite para conexão Externa para Externa (218)


Permite a configuração de um tempo limite para conexão entre duas chamadas externas,
quando nenhum ramal estiver mais envolvido na chamada.
Antes do tempo de duração terminar o usuário escutará um tom de sinalização. O tom de
sinalização ocorre 10 segundos antes do término do tempo. Se o tempo de duração acabar, e
a chamada for entre duas linhas externas sem nenhum ramal interno envolvido esta será
interrompida.

Configuração do Tempo limite para conexão Externa para Externa (219)


Permite a configuração do tempo limite para conexão entre duas chamadas externas, quando
nenhum ramal estiver mais envolvido na chamada. O tempo de duração de chamada poderá
ser configurado entre 1 minuto e 24 horas (o tempo padrão é de 1 hora).

Tempo para desconexão após transferência externa para externa (183)


Permite a configuração do tempo para desconexão de uma chamada externa, onde pelo
menos uma das linhas externas seja analógica, após ser transferida (código 091) ou desviada
(*11) por um ramal autorizado para um outro destino externo.

Código para tempo de desconexão após transferência externa para externa (184)
Permite a configuração de um código para reiniciar o tempo para desconexão de uma
chamada externa, onde pelo menos uma das linhas externas seja analógica, após ser
transferida (código 091) ou desviada (*11) por um ramal autorizado para um outro destino
externo.
Após a ligação ter sido transferida e atendida pelo destino, é iniciada uma temporização para
a desconexão da chamada (padrão 5 minutos). Antes da desconexão da chamada um tom de
aviso será enviado para ambas as partes por 20 segundos. Para continuar a chamada, o
destino chamado deve inserir este código (MF - padrão "00") em seu telefone para reiniciar a
temporização.

6-240 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Transferência de Externa para Externa (091)


Permite que seja feita uma transferência de uma chamada externa (entrante ou sainte) para
uma outra chamada externa por um determinado ramal.

A Transferência de externa para externa apenas será possível quando pelo menos
uma das linhas externas for digital.

Uma chamada Externa para Externa em linha analógica é encerrada em três si-
tuações:
• Tempo Limite para conexão Externa para Externa
(código 218);
• Caso seja detectado tom de ocupado;
• Tipo de sinalização de atendimento (código 158).

Desvio condicional limitado por ramal (097)


As chamadas de entrada poderão ser encaminhadas para uma lista com outros destinos,
dependendo das condições estabelecidas através da utilização de um aplicativo do tipo TAPI,
por exemplo, o TAPI Browser do Windows. A configuração da lista anterior ou o desvio
incondicional será substituído pela configuração da nova lista.
As informações necessárias para a configuração da lista são:
● ID da chamada de entrada;
● Dia da semana e hora;
● Tipo de chamada (interna ou externa).
Quando mais de um número para uma chamada de entrada for configurado para o ramal a
seqüência de prioridade de desvio será:
1. Verifica se o ID da chamada de entrada combina com o número programado no ramal;
2. Verifica se o tipo de chamada (interna ou externa) está configurado;
3. Verifica o período configurado.

Manual de Serviço 6-241


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

● Configuração disponibilizada via interface CTI.


● O máximo de números de desvio no sistema é 50.
● O desvio condicional tem prioridade sobre o desvio incondicional.
● Não é possível marcar um Desvio Condicional em um ramal S0.
Funcionamento: O ramal possui permissão para desvio condicional e o sistema
esta conectado a um computador com um aplicativo TAPI disponível.
1. Configure no Aplicativo TAPI do Windows as condições/regras do desvio
condicional para o ramal desejado;
2. Aplique as configurações no ramal desejado;
3. A partir de agora o ramal é desviado.

Permissão para desvio condicional (098)


Permite que seja feito o desvio condicional.

Desvio em caso de ocupado através do desvio por não atendimento (185)


Permite que uma chamada de entrada para um ramal que esteja configurado com o desvio em
caso de não atendimento (veja no Manual do Usuário, Desvio de chamadas - em caso de não
atendimento) possa ser desviada para o mesmo destino configurado caso o ramal esteja
ocupado quando a chamada for efetuada.
.

As facilidades Chamada urgente e Call back em caso de ocupado não irão


funcionar quando o desvio em caso de ocupado e por não atendimento estiverem
ativados.
Se o ramal chamado esteja configurado com a facilidade Não Perturbe e com o
desvio em caso de ocupado, a chamada será desviada. Caso a facilidade Não
Perturbe esteja configurada no destino do desvio, o chamador irá escutar um tom
de ocupado.

Permissão para Desvio Externo (247)


Permite que um ramal possa efetuar um desvio para um destino externo.

6-242 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

6.3.3.1 Indicador de Mensagem em Espera (WMI) externo


Esta facilidade permite que um grupo de ramais denominado "Grupo WMI externo" receba a
sinalização gerada pelo Servidor de Correio de Voz indicando a existência de uma nova
mensagem na caixa postal do usuário.

Para os telefones comuns com display, a indicação de WMI só será possível se esti-
ver configurado o CLIP no ramal com a opção 3 ou 4 ( “Identificação de chamadas
para ramal analógico (CLIP)” na página 6-199.

Ativação de indicação de mensagem externa em espera (014)


Ativa a facilidade WMI em um grupo de ramais.

Grupo WMI externo (015)


Os ramais configurados neste grupo tem a permissão de receber a Indicação de Mensagem
em Espera (WMI) do Servidor externo de Correio de Voz, onde as mensagens e saudações
dos usuários estão armazenadas.

Número do servidor de Mensagem em espera (065)


Define um número MSN para o servidor de Mensagem em espera.

6.3.4 DISA
Permite estabelecer uma chamada externa a partir de um telefone externo (como se fosse um
ramal) através do seu sistema. Além disso, é possível ativar ou desativar as seguintes
facilidades: desvio, desativar funções, conferência, serviço noturno, post dialling, abertura de
porta, cadeado, agenda central e agenda individual, relé e não perturbe.

Apenas pode ser executada uma chamada externa ou uma facilidade por vez. Após
a ativação com êxito de uma facilidade, a chamada é cortada imediatamente. No
caso de uma chamada, a chamada é cortada logo que um dos interlocutores termi-
nar.
O TAPI somente monitora ports físicos. A facilidade DISA utiliza ports especiais
para o correto funcionamento e não podem ser monitorados. Se um port físico for
usado durante a execução da facilidade DISA, este poderá ser monitorado
normalmente pelo TAPI.

Permissão DISA (018)


Define o número do ramal que poderá utilizar a facilidade DISA.

Manual de Serviço 6-243


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

MSN DISA (019)


Define através de qual MSN a facilidade DISA deve ser executada.

É necessário que o número MSN esteja cadastrado em "Cadastro de número exter-


no" (código 191).

Linha externa DISA (020)


Define a linha externa e o período para atendimento DISA.
O sistema permite apenas uma chamada DISA. Se uma chamada DISA está em curso, outra
chamada para linha externa DISA ou com atendimento DISA será tratada como uma chamada
normal. Se uma chamada chega por uma linha externa configurada com Atendedor/fax e
DISA, é atendida pela facilidade DISA caso esteja disponível.

No caso de se utilizar uma linha digital para a facilidade DISA, o número MSN DISA
desta linha ("MSN DISA" - código 019), sempre estará ativo para atendimento DISA.

Quando o DISA está ativado em uma linha externa analógico, para as chamadas ex-
ternas entrantes, a chamada sempre será atendida pelo DISA.

6.3.5 Programação geral

Música em espera (136)


Define o tipo de música que a pessoa que foi colocada em espera deverá ouvir.

O código 136 é utilizado quando o ramal não está associado a nenhum grupo MOH.

Atribuir ramais aos grupos MOH (087)


Possibilita reunir os ramais em dois grupos de música em espera.

Fonte de música no grupo MOH (088)


Define o tipo de música que a pessoa que foi colocada em espera deverá ouvir.

6-244 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Ramal da fonte de música (089)


Define o ramal onde está conectada a fonte de música.

O ramal definido aqui será desativado quando a opção Música de espera externa
- associação ao ramal (064) estiver programada.

Música de espera externa - associação ao ramal (064)


Permite a reprodução de uma música em espera por meio de um terminal ligado a uma
posição de ramal.

Tempo para monitoração externa de ambiente (169)


Possibilita a supervisão de um ambiente durante um determinado tempo mediante a utilização
do microfone do telefone.
Se no sistema estiver instalado um Módulo Atendedor/FAX, poderá ser executada a
monitoração de ambiente (babyphone) a partir de um telefone externo.

Tempo de pausa entre dígitos (227)


Permite configurar o tempo de pausa ("P") inserido entre os dígitos MF que podem ser
utilizados durante a programação da Agenda, na programação das teclas Programáveis dos
telefones de sistema ou ainda na ativação de uma Pós-discagem. O tempo de pausa pode ser
configurado de 1 a 5 segundos, sendo o padrão de 2 segundos.

Caso se queira inserir uma pausa ("P") entre os dígitos deve-se inserir o caractere
"P" através do HiPath 1100 Manager ou utilizando um telefone de sistema
pressionando a tecla de Rediscagem. Cada caractere "P" causa uma pausa de 2
segundos (padrão) na ligação, mas podem ser inseridas pausas maiores utilizando
mais de um caractere (por exemplo, para uma pausa de 4 segundos deve-se utilizar
"PP" entre os dígitos).
O primeiro caractere "P# ou #" identifica que os próximos dígitos de A só serão
enviados para frente se:
- Linha digital ou ramal S0:
P# - Os dígitos DTMF serão enviados após a identificação da Operadora Local sem
o atendimento de B.
# - Os dígitos DTMF serão enviados após o atendimento de B.
- Linha externa analógica ou ramal analógico :
P# ou # - Os dígitos DTMF serão enviados após o atendimento de B.
Outros caracteres ("#" e/ou "*") podem ser acrescentados depois do caractere "P#".

Manual de Serviço 6-245


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Tipo de Lista de Chamadas (049)


Determina se devem ser indicadas apenas as chamadas externas ou todas as chamadas
externas e internas na lista de chamadas.

Exclusão de dígitos da lista de chamadas (171)


Define os dígitos que não são necessários serem repetidos durante uma chamada.

Data/hora - ajuste manual (114)


Modifica a data e a hora atual do sistema. No caso de se restaurar a configuração padrão (99),
a indicação de data apresenta as informações de quando foi gerado o SW e a hora indica
12:00.

Atualização automática de data/hora (038)


Permite sincronizar automaticamente a data e a hora do sistema através da operadora local
durante uma chamada externa.

Os parâmetros ajustados automaticamente são: mês, dia, hora e minuto. O ano não
está incluso nos parâmetros de mensagem FSK, este será definido como o ano de
produção do software, podendo ser ajustado apenas manualmente.

Rechamada para chamada externa via RDSI (221)


Permite que uma chamada externa via RDSI possa marcar uma Rechamada no número MSN
chamado.

Apenas é possível marcar uma Rechamada sob um MSN.


É necessário que os números de MSN estejam programados e possuam atendedo-
res.

Unidade de tarifação (195)


Para que os custos das chamadas sejam exibidos em unidades monetárias, deve ser definido
um fator de tarifação, pelo qual serão multiplicados os pulsos.
Uma unidade de tarifação é um pulso enviado pela central pública através da linha, para
apresentar informações de custo da chamada de acordo com o tipo da chamada (Local, DDD,
Internacional, etc.) e outros critérios definidos pela Operadora.

6-246 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Múltiplo para fator de tarifação (042)


Define o multiplicador para os fatores de tarifação. Na programação padrão, cada pulso tem
valor 1 para os dois Fatores.

Fator de tarifação para ramal (043)


Define se deve existir uma cobrança para o respectivo ramal e, em caso positivo, com qual
Fator o cálculo deve ser efetuado.

Valor de tarifação para o ramal (197)


Define um valor que pode ser gasto por cada ramal.

Limite de custo de chamada por ramal (044)


Permite o ramal utilizar o valor de tarifação disponibilizado.

A facilidade Tarifação (limite de custo de chamada por ramal) somente está disponí-
vel para os entroncamentos digitais (RDSI e CAS) dos sistemas HiPath 1100. Adi-
cionalmente, é necessário também verificar junto a operadora local (CO) se este tipo
de serviço pode ser ofertado.

Data para atualização de limite de custo em chamada por ramal (045)


Permite definir um dia para a reinicialização do limite de tarifa.

Configuração da senha do sistema (180)


O modo de programação do sistema está protegido através de senha contra a utilização não
autorizada. A senha padrão é "31994" e pode ser alterada.

Anote a nova senha do sistema e guarde-a em um lugar seguro. Se você esquecer


a senha, o acesso ao modo de programação só poderá voltar a ser liberado pela as-
sistência técnica.

Senha de serviço noturno (149)


Independente da senha do sistema, pode ser configurada uma senha adicional para ativar/
desativar diversas funções (por exemplo, o serviço noturno, relés). A senha padrão é "31994"
e pode ser alterada.

Manual de Serviço 6-247


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Restauração da configuração padrão (199)


Programa o sistema com os dados padrões de fábrica. Após a introdução deste código o
sistema é reinicializado. Somente as configurações de País/grupo de países (código 65) irão
permanecer conforme última programação.

Temporizadores comuns e Temporizadores de sistema (139 e 140)


Permite redefinir os tempos de algumas facilidades e sinalizações devido a características
particulares de usuário ou país.

Sinais DTMF para sensor (177)


Quando o alarme for disparado, o HiPath 1120 efetuará uma chamada utilizando a posição de
agenda 249. O número desta posição será chamado e a seqüência de dígitos no formato
DTMF é repetida em intervalos de 5 segundos logo após o estabelecimento da conexão. Esta
seqüência de dígitos tem por objetivo identificar a origem do alarme, assim uma central de
alarmes, por exemplo, sabe identificar qual PABX está sinalizando. Se a central receptora não
confirmar o alarme dentro de 1,5 minutos, o procedimento é repetido em ciclos de 3 minutos.

Números de emergência (040)


É possível configurar até cinco números de emergência. Se um desses números for discado
e as linhas externas estiverem ocupadas, automaticamente será cortada a primeira chamada
da linha externa do sistema para ser utilizada pela chamada de emergência. Somente no caso
de chamadas entrantes através linhas externas analógicas a chamada não será
desconectada.
.

O nome associado a estes números poderá ter até 15 caracteres.


Os números de emergência não são afetados pela facilidade ACS.
As chamadas de emergência nunca utilizarão linhas externas configuradas com:
● Acesso a Internet;
● Linha externa ausente;
● Linha externa configurada para aceitar apenas chamadas entrantes;

Reconhecimento de Módulo (061)


Define as posições em que foram conectados módulos novos para que o sistema possa
reconhecê-los.
Os módulos só podem ser conectados/desconectados com o sistema desligado.

6-248 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Caso você selecione a opção “Reconhece todas as posições” , o sistema irá reconhecer os
componentes na seguinte seqüência:
1 - Linhas externas/ramais digitais
2 - Linhas externas/ramais analógicos
Isto significa que, caso você tenha uma programação anterior onde tenha sido definida
determinada seqüência de numeração de Linhas/ramais analógicos, essa numeração será
alterada com a inclusão de um Módulo TME1 ou S0.
Exemplo: em um sistema HiPath 1150 com apenas o módulo MB (2 linhas externas e 10 ramais
analógicos) a numeração padrão será 801 e 802 para linhas externas analógicas e de 11 a 20
para ramais analógicos. Quando o módulo S0 for inserido, teremos então:
- 801 a 805 para linhas digitais;
- 806 e 807 para linhas externas analógicas;
- 11 a 15 para ramais RDSI;
- 16 a 25 para ramais analógicos;
- O ramal programador agora é 16.
Caso “Reconhece a posição específica” for selecionada, a numeração anterior será mantida.
O módulo será apenas reconhecido pelo sistema.

Os módulos só podem ser conectados/desconectados com o sistema desligado.

Tipo de sinal do MSN (073)


Permite escolher, entre quatro toques de chamada diferentes, um toque para os MSNs
registrados. Na programação padrão, os MSNs tem toque Tipo 1.

Clock de referência (090)


Permite indicar a posição do módulo para clock de referência do sistema.

Designação temporária de MSN (093)


Permite escolher, temporariamente um MSN da própria lista para realizar uma chamada
externa ou através da facilidade de "Programação de tecla" (veja no Manual do Usuário -
Programação de teclas - Chamada através de um MSN temporário) associar uma tecla a um
MSN para monitorar as ligações entrantes e saintes.

Manual de Serviço 6-249


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Modo de identificação de MSN (224)


Define de que modo será mostrado o MSN no display do telefone de sistema. Na programação
padrão não há modo configurado.

Esta facilidade não funcionará se na programação do código 039 "Indicação de


nome/Número da chamada" for selecionada a opção 1.

Senha para administração remota através de MSN (220)


Permite que seja configurada uma senha para que qualquer chamada entrante originada por
um HiPath 1100 Manager remoto que forneça corretamente esta senha, possa administrar o
sistema remotamente. No estado padrão não existe senha configurada.

Para que esta facilidade funcione a facilidade "Sem verificação de MSN" (código
070) deve estar habilitada.

Apagar consoles desconectados (166)


Este código de programação deve ser utilizado caso apareça a mensagem de aviso "NRO.
MAX. TECLAS EXCED" no display ao se conectar um console, tipo optiPoint key module ou
optiPoint BLF, no telefone optiPoint 500 ou ativar um teclado virtual no telefone de sistema
(KS).

Caso este código seja utilizado todas as teclas programadas dos consoles
desconectados serão perdidas.

PABX Trace log (246)


É uma ferramenta utilizada para monitorar os eventos ocorridos no PABX em um determinado
intervalo de tempo.Este código permite configurar os perfis que devem ser monitorados
através do trace.
O trace pode ser iniciado/finalizado através do HiPath 1100 Manager ou através dos códigos
de facilidades (veja no Manual de Usuário).
Na programação padrão o trace não está configurado.

6-250 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

6.3.6 Atualização de Software

Informações do SW (001)
Apresenta as informações a respeito do software do sistema. Para verificar utilize um telefone
de sistema com display.
É necessário que a central esteja conectada ao PC e que o CommServer e o APS Version
Verifier estejam funcionando.

Atualização Local de SW (060)


Inicia o processo de download da versão mais atual de software para o PC e posterior
download para a central. Para que isto funcione é necessário que o sistema esteja conectado
ao PC e que o Commserver e o APS Version Verifier estejam rodando.

Ativação da atualização do SW (055)


Permite executar uma atualização automática do software do sistema na data programada.

Dia de Atualização (054)


Define o dia para o início da transferência dos dados (processo de transferência).

Horário de Atualização do software (058)


Define o horário para o início da transferência dos dados no dia configurado.

Número externo para atualização do SW (056)


Define o número do sistema através do qual será efetuada a atualização do software.

Freqüência de atualização do SW (057)


Define o intervalo de tempo, em meses, para a transferência dos dados.
Durante a transferência, o telefone funciona normalmente.
Na programação padrão, a atualização caso ativado será feita todo mês.

Comutação de Atualização do SW (059)


Define quando os dados transferidos serão carregados na memória do sistema.
Durante este tempo (aproximadamente 3 minutos) o telefone não funciona.
Na programação padrão, a comutação é feita ás 00:00 horas.

Manual de Serviço 6-251


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

6.3.7 Programação Remota

Chamada de serviço (*994)


Chama um centro de serviço e deixa que a administração seja executada através da chamada
estabelecida.

Atualização remota de software (*9415)


Se autorizado, inicia uma atualização de software.

Modo de operação remota (084)


Define o modo de atualização remota do software.
A atualização pode ser feita remotamente através de linhas digitais RDSI e linhas analógicas,
pela conexão de um Modem.

Ativação de administração remota (066)


Permite que o sistema seja administrado remotamente.

Configuração de número externo (067)


Define os números externos (MSN de serviço sem código externo 0) que podem efetuar uma
administração remota.
Na programação padrão, nenhum MSN está definido.

Senha para administração remota (068)


Define uma senha (de 5 dígitos) para utilizar para a administração remota do respectivo
número externo (MSN de serviço).
Na programação padrão, nenhuma senha está configurada.

MSN Remoto (069)


Define um MSN da linha RDSI como MSN remoto.
O sistema só aceita a administração remota através deste MSN remoto.
Na programação padrão, nenhum MSN está definido.

Sem verificação de MSN (070)


Define que a administração remota será efetuada sem a verificação do MSN de serviço
transmitido.

6-252 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Administração remota via DTMF (157)


Esta facilidade permite que o HiPath 1100 possa ser programado a distância, utilizando um
telefone MF.
● Programando remotamente:
A programação remota deve estar ativa e o ramal programador deve estar em
conversação na linha externa por onde irá ocorrer a programação.
Estando em conversação, digitar o código (*991) no ramal programador para transferir o
controle do HiPath 1100 para o programador remoto. O programador remoto deve digitar
a senha do sistema em seu telefone MF.
Proceder como se o telefone remoto estivesse conectado diretamente no sistema para
realizar as programações necessárias.
● Caso possua o módulo Atendedor/FAX:
Após o atendimento da chamada digitar o código (* 95) no telefone MF remoto. O
programador remoto deve digitar a senha do sistema em seu telefone MF.
Proceder como se o telefone remoto estivesse conectado diretamente no sistema para
realizar as programações necessárias.

Se o sistema estiver conectado por cabo serial a um computador com acesso à rede
telefônica, a programação remota poderá também ser realizada através de um mo-
dem com ajuda do HiPath 1100 Manager. Para isso, consulte as instruções do ar-
quivo de ajuda.

Finalização de administração remota (196)


Encerra a administração remota através de um telefone comum do tipo MF.

6.3.8 Porteiro eletrônico interno

Configuração de porteiro eletrônico interno (115)


Habilita a utilização de um porteiro eletrônico interno dentro do sistema. É possível a conexão
de até 20 porteiros eletrônicos internos em posições de ramais, sendo que cada um destes
deve ser adicionalmente ativado no sistema.

1. Na programação padrão, não há posições de porteiros eletrônicos definidas.


2. Cada módulo de interface TFE permite a conexão de apenas um porteiro eletrô-
nico.
3. Cada módulo TFE funciona com função de interface com porteiro eletrônico ou
como interface busca-pessoa. Para utilizar as duas funções são necessários dois
módulos.

Manual de Serviço 6-253


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Fechadura para porta (116)


Identifica a existência de um dispositivo de abertura de fechadura disponível em uma
determinada posição de porteiro eletrônico interno.

Atendedores de chamada de porteiro interno (159)


Define os ramais que serão chamados durante o turno diurno ou no turno noturno quando o
dispositivo de porteiro eletrônico interno for acionado.
Na programação padrão está configurado o ramal 11/101.

Permissão para abertura da porta (125)


Caso estejam configurados dispositivos de abertura de fechadura em determinadas posições
de porteiros eletrônicos internos, será necessário dar a permissão de abertura da porta para
os ramais desejados.
Na programação padrão, todos os ramais estão habilitados.

6.3.9 Bilhetagem
As informações sobre as chamadas recebidas e estabelecidas ficam disponíveis na memória
do sistema. Para consulta destes dados são emitidos bilhetes com detalhes das ligações que
podem ser visualizados em um:
● Computador ou uma impressora, conectados através da interface serial.
● Computador, conectado através de uma rede LAN.
A lista de bilhetes pode ser visualizada em um Aplicativo Tarifador instalado no computador
ou através do Hyper Terminal do Windows.
● Para o Hyper Terminal do Windows o HiPath 1100 disponibiliza um controle local para
a aquisição dos bilhetes a qualquer momento, através de uma série de comandos que
podem ser programados na interface do aplicativo com a central.
Comandos da interface:
Comando Descrição
\nticket_start\n Este comando será enviado pelo usuário (Aplicativo) para o PABX, solicitando
o início do envio dos bilhetes armazenados.
\nticket_stop\n Este comando será enviado pelo usuário (Aplicativo) para o PABX, solicitando
o término do envio dos bilhetes armazenados.

6-254 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Depois da recepção e reconhecimento destes comandos, novos bilhetes ou bilhe-


tes ainda armazenados não serão transmitidos para o PABX.

Respostas da interface:
Comando Descrição
\nend of ti- Esta resposta será enviada pelo PABX para a interface do Aplicativo quando
ckets\n não houverem mais bilhetes armazenados a serem transmitidos. Este co-
mando pode ser utilizado como um indicador para encerrar o comando
"\nticket_start\n", quando todos os bilhetes armazenados estiverem sido en-
viados.
\nprint_stopped\ Esta resposta será enviada pelo PABX para a interface do Aplicativo depois
n da recepção do comando "\nticket_stop\n" para informar para o usuário que
a conexão com o aplicativo pode ser encerrada sem o risco de perda de bi-
lhetes.

Para a instalação e utilização do Aplicativo Tarifador, consultar o manual do respec-


tivo produto.

● Para o Hyper Terminal do Windows é necessário realizar a seguinte configuração:


● Configurar o CommServer para o tipo de Conexão ADSL;
● Habilitar a caixa de verificação "Impressão Serial" no HiPath1100 Manager em
Avançado -> Definições do Sistema;
● Configurar o Hyper Terminal no modo TCP/IP com o número de configuração do
módulo ADSL (padrão 10.0.0.1) e o port (9366) ou módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC
ou ADSLIM (padrão 192.168.254.253) e o port (9366).
● Não utilizar o Tipo de Conexão Serial ou Conexão ADSL enquanto o Hyper Terminal
estiver sendo utilizado, ou seja, é possível fazer uma administração via Conexão
USB, optiPoint, RDSI ou Modem Analógico durante a emissão de bilhetes;
● Os bilhetes apenas serão mostrados após encerrar a primeira ligação.
● Desligar o Hyper Terminal caso se queira fazer conexão com o HiPath 1100 Manager
utilizando os tipos conexão Serial ou ADSL.

Manual de Serviço 6-255


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Caso não esteja sendo usado o modo de Conexão ADSL para emissão de bilhetes
recomenda-se desabilitar a caixa de verificação "Impressão Serial" no HiPath1100
Manager.
Para que a bilhetagem dos dados de chamada seja correta, é necessário atualizar a
hora e a data do sistema.

São registradas as seguintes informações:


● Data atual (Date);
● Fim da chamada (Time);
● Linha externa utilizada (Ln);
Obs:. Exemplo de indicação no bilhete no campo (Ln):

Linha externa Campo (Ln)


801 00
802 01

Caso o ramal esteja programado com a facilidade Deflexão de chamada (229), o


campo Ln indicará o número 45.

● Ramal (Ext);
Alguns tipos de acesso “específicos” serão apresentados neste campo através dos seguintes
números:

Acesso Campo
(Ext)
Sensor - chamada sainte 9101
Data link - chamada de dados sainte ou entrante para Administração do 9201
sistema
DISA - Chamada entrante 9301
Atendedor/Fax - chamada entrante 9401

● Transferir classe de acesso (WCOS);


● Duração do toque (Ring);

6-256 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

● Duração da chamada (Duration);


● Número selecionado (Number)
O sistema permite a programação de uma facilidade que garante sigilo quanto ao número
discado no momento da emissão do bilhete, substituindo pelo símbolo “?” ;
● Tipo de chamada (I):
– 1 = Chamada de entrada
– 2 = Chamada de saída
– 5 = Chamada de entrada transferida
– 6 = Chamada de saída transferida
– 7 = Conferência tripartida com chamada de entrada
– 8 = Conferência tripartida com chamada de saída
– * = Chamada de entrada ainda não atendida = chamada de entrada
● Impulsos (Call fees) com o Módulo TME1 instalado.
● Código de custo (Account code).
Exemplo

Date Time Ln Ext WCOS Ring Duration Number I Callfees Acc. code
22.11.99 14:00:00 01 21 00:14 00:01:34 2222222 1

Tabela 6-25 Layout de cabeçalho de bilhetagem

Quando uma chamada é transferida, um novo bilhete é criado. O tempo de espera na linha
externa é contabilizado para o ramal que transferiu a chamada.

Em caso de falta de energia durante o envio de bilhetes, todos os bilhetes que esta-
vam sendo enviados durante a conexão serão reenviados quando uma nova
conexão for estabelecida.
Exemplo:
1. Caso existam 300 bilhetes armazenados na memória.o usuário estabelece uma
conexão e a encerra após enviar 100 bilhetes;
2. depois o usuário estabelece uma nova conexão para enviar os 200 bilhetes re-
stantes, e durante a conexão ocorre falta de energia;
3. após a falta de energia, quando o usuário voltar a trabalhar, é estabelecida uma
nova conexão. Durante esta conexão os bilhetes reenviados serão os 200 da
conexão onde houve a falta de energia.

Manual de Serviço 6-257


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Bilhetagem através da Interface Serial (006)


Define que a bilhetagem será feita através de uma Interface Serial.

Quando este item estiver ativo o CommServer não irá funcionar.

Código de custo para bilhete (095)


As informações a respeito das chamadas externas podem ser associadas a determinados
códigos denominados "Código de custo" sendo apresentados nos bilhetes de tarifação
permitindo assim um controle dos custos de telefonia de cada ligação. Este código de custo é
definido pelo usuário sendo composto por uma seqüência de até 10 dígitos (0...9) aleatórios
que podem ser, por exemplo, o número de um processo judicial (veja no Manual do Usuário -
Funções usadas durante a chamada - Código de custo).
Se os códigos de custo não foram previamente configurados via HiPath 1100 Manager (ver
Códigos de custo - A31003-K1270-M100-*), nos telefones analógicos e telefones S0, apenas
os códigos de custo com 10 dígitos, serão aceitos. Caso contrário, a chamada não será
completada.

Taxa de transmissão de dados (120)


A central pode ser conectado através do adaptador V.24 a uma impressora para visualização
da bilhetagem, ou a um computador. A velocidade de comunicação pode ser ajustada, para
garantir que a transferência de dados seja correta.

Supressão de dígitos na bilhetagem de chamada (121)


Define quantos dígitos finais selecionados para uma chamada externa podem ser suprimidos
na saída dos dados. Estes serão substituídos por um "?".

Bilhetagem de chamadas entrantes (161)


Permite visualizar no bilhete os dados de chamada.

O sistema deve estar habilitado a receber a identificação de chamadas através de


linhas digitais, E1 CAS/S2 ou analógicas mediante ativação do serviço na operadora.
A facilidade identificação deve estar contratada junto à operadora local.

Filtro de bilhetagem (167)


O número programado neste filtro define que tipo de chamada sainte será bilhetada, de acordo
com os primeiros dígitos do número selecionado.

6-258 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Por exemplo: Para bilhetar somente as chamadas saintes internacionais é necessário


programar os dígitos "00". O número máximo de dígitos é 4.
Na programação padrão não há seqüência de dígitos definida.

Tipo do Código de custo (243)


A entrada do Código de custo para efetuar uma chamada externa pode ser "obrigatória" ou
"opcional", isto irá depender da maneira como for configurado este código.
● Opcional, não é necessário inserir o código de custo no início da chamada para que esta
seja completada. Mas poderá ser inserido durante a chamada caso esteja utilizando um
telefone de sistema.
● Obrigatória, é necessário inserir o código de custo no início da chamada, caso contrário
a chamada não será completada.

Confirmação do Código de custo (244)


Quando a confirmação do código de custo está ativada, somente os códigos de custo
previamente configurados podem ser utilizados (a configuração dos códigos de custo deve ser
efetuada via HiPath 1100 Manager). Caso seja digitado um código de custo inválido, um tom
negativo ou uma mensagem via display será mostrada.
Se a confirmação estiver desativada, qualquer código de custo pode ser utilizado.

6.3.10 Facilidade Atendedor/FAX


Permite o atendimento automático de chamadas externas, reprodução de mensagens e
reconhecimento do sinal de fax.O chamador pode discar o ramal desejado ou o dígito
configurado no menu de atendimento e ser transferido para um ramal ou grupo.
Esta facilidade possui cinco modos de funcionamento: somente Fax, Atendedor, Atendedor/
FAX, anúncio e Auto-Fax. Se estiver instalado um Módulo S0 ou Módulo TME1, existe um
quarto modo de funcionamento, Atendedor para linha digital.
As mensagens armazenadas nesta facilidade podem ser programadas como segundo
atendedor de uma chamada externa ou como destino de desvio de um ramal (ver no Manual
do Usuário, Desvio de chamadas). O número máximo de atendimentos para o sistema é de 8
chamadas.

Menu de atendimento (009)


O Atendedor/FAX permite a criação de um menu de atendimento personalizado, transferindo
a chamada para um ramal ou grupo de acordo com o número selecionado.
A chamada é transferida para o destino, previamente configurado, após 3 segundos. Se um
outro dígito for enviado antes deste tempo, será analisado novamente e a chamada será
encaminhada ao novo destino, que pode ser um ramal ou grupo.

Manual de Serviço 6-259


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Quando o menu de atendimento não está configurado, o sistema reconhece apenas os


números de ramal e grupo.

Gravação de anúncios (137)


Permite a gravação/reprodução de anúncios, transferência e alarme. Para isto, basta falar/
ouvir a mensagem logo após encerrada a seqüência desejada.
Caso queira encerrar uma gravação/reprodução de um anúncio, basta pressionar a tecla “1”.

Configuração do modo de atendimento (127)


O Atendedor/FAX pode operar em cinco modos distintos, que devem ser levados em conta no
conteúdo do texto do anúncio.

Ramal para recepção de Fax (128)


Define para qual ramal será transferida uma chamada em caso de detecção de tom de Fax na
linha externa especificada.

É necessário programar no "Tipo de equipamento conectado ao ramal - código 003",


o ramal como fax antes da programação do código 28.

Bloqueio de chamadas a cobrar (008)


Quando este bloqueio estiver ativo, todas as chamadas a cobrar via linha digital para o
Atendedor/Fax são automaticamente rejeitadas pelo sistema e as chamadas via linha
analógica são rejeitadas no momento do atendimento. No caso de chamadas transferidas para
o Atendedor/ Fax o bloqueio não funciona.

Se a chamada foi pelo menos uma vez "atendida" pelo sistema, o bloqueio de cha-
mada a cobrar deixa de funcionar para esta chamada.
Se a chamada é desviada por não atendimento (*14) e a programação de chamada
a cobrar esta ativada, a chamada é sinalizada no primeiro atendedor da linha externa.

Atendimento de MSN por Atendedor/Fax (080)


Define um modo de atendimento Atendedor/Fax para cada número MSN.

A facilidade “Deflexão de chamada” na página 6-217" (código 229) não funcionará


neste caso.

6-260 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Ramal de Fax para MSN (081)


Após a detecção do sinal de Fax, uma chamada pode ser transferida pelo Atendedor/FAX para
um número MSN configurado. Esta programação não é necessária no modo Atendedor.

Liberação de Atendedor/Fax por timeout (094)


Quando o Atendedor/Fax está "atendendo" 8 chamadas simultâneas, a próxima chamada vai
ficar ouvindo "tom de chamada" gerado pela Operadora local, ou seja o HiPath 1100 ainda não
atendeu a chamada. Se o tempo configurado nesta facilidade for menor que o timeout da
Operadora local, a chamada pode tomar dois rumos, dependendo se chegou na central por
uma linha externa analógica ou digital:
● No caso da linha externa analógica, a central é obrigada a “bypassar” o Módulo
Atendedor/Fax e desviar para o atendedor da linha analógica (para o caso de não haver
atendedor, essa chamada é desviada para o ramal de fuga). Obviamente se um canal do
Módulo Atendedor/Fax liberar nesse meio tempo, a chamada será atendida normalmente
e o tempo aqui programado não será mais levado em consideração.
Mas para o caso do tempo aqui programado ser configurado como maior que o timeout da
Operadora local (que no caso do Brasil é de 1minuto e meio), a chamada vai ser
desconectada pela Operadora local antes que a central possa repassá-la para o
atendedor.
● No caso de linha digital (CAS ou RDSI) a central manda um "disconnect" para a linha no
momento em que a chamada chega. Ou seja, o tempo aqui definido não é nem levado em
consideração para o caso de linhas digitais. Então quando o Módulo Atendedor/Fax
estiver ocupado com as 8 ligações, o usuário externo vai receber sinal de ocupado.

Entenda-se por “o Módulo Atendedor/Fax está atendendo” as chamadas em que o


Módulo Atendedor/Fax está reproduzindo uma das 12 mensagens ou esperando
entrada do usuário (no caso de função DDR). Se o Módulo Atendedor/Fax atendeu
a chamada e já desviou para algum ramal (está tocando em algum lugar) mesmo que
o ramal não tenha atendido a chamada, ela já não é mais considerada uma das 8 que
mantinham o Módulo Atendedor/Fax ocupado. Em poucas palavras, uma vez que o
Módulo Atendedor/Fax desviou a chamada para algum ramal, o canal já foi liberado
para outra ligação.

6.3.11 Módulo EVM


O EVM (Entry Voice Mail ) é uma solução de correio de voz para os sistemas HiPath 1100.
Suas funções são controladas através das teclas dos telefones de sistema ou de qualquer
outro equipamento com discagem MF. O EVM é configurado/ativado pelo pessoal técnico
responsável através do software de administração HiPath 1100 Manager ou ramal
programador. Quando o EVM é usado no sistema o grupo UCD é reservado para interface.

Manual de Serviço 6-261


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Caso uma chamada de um ramal seja desviada para uma caixa postal EVM através
dos desvios por não atendimento ou desvio em caso de ocupado, será reproduzida
uma mensagem de aviso com a razão do desvio.
As mensagens são reproduzidas antes da mensagem de saudação e não podem
ser regravadas.
Mensagens:
● desvio em caso de ocupado através do desvio por não atendimento: "A
conexão do usuário está ocupada".
● desvio em caso de não atendimento: "O usuário desejado não responde".

Duração da mensagem de saudação (200)


Determina o tempo disponível em minutos que o chamador possui para gravar a sua
mensagem de saudação.

Idioma da caixa postal (201)


Seleciona o idioma para as caixas postais.

Quantidade máxima de caixas postais auto-configuráveis (202)


Determina quantas caixas postais podem ser configuradas pelo próprio usuário. Para as
caixas postais auto-configuráveis não são necessárias outras definições. Se a quantidade de
caixas postais for ultrapassada, não será mais possível efetuar uma atribuição própria de caixa
postal selecionando o EVM.
Se já foram configuradas caixas postais através do HiPath 1100 Manager, estará disponível
um número menor de caixas postais para a auto-configuração. Por exemplo, se a quantidade
para a auto-configuração for 12, sendo que 10 caixas postais já foram configuradas através do
HiPath 1100 Manager, então restarão 2 caixas postais para serem configuradas pelo próprio
usuário.

Associação das caixas postais (203)


Associa as caixas postais as posições de ramais dos usuários ou as portas virtuais do EVM
caso se utilize atendedores para números MSN.

Senha para caixa postal (204)


Associa uma senha a uma caixa postal. A senha padrão é "1234".

6-262 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Ativação da gravação da caixa postal (205)


Possibilita a gravação de anúncios ou mensagens para serem usados pelo EVM.

Tipo de saudação da caixa postal (206)


Define qual o tipo de saudação que será utilizado por uma caixa postal em função do
"Configuração da saudação da caixa postal" estar configurado como "Manual" (opção 1 do
código 207).

Configuração da saudação da caixa postal (207)


Define qual o tipo de saudação que será utilizado por uma caixa postal.
• Na opção "Manual" será selecionada o Tipo de Saudação (1 ou 2) que foi configurada para
a caixa postal em "Tipo de saudação da caixa postal" (código 206).
• Na opção "Diurno/Noturno" a caixa postal irá assumir:
– Saudação 1 - Diurno
– Saudação 2 - Noturno.

Origem do anúncio (208)


Atribui um anúncio a uma das duas Portas do EVM, sendo que este anúncio também pode ser
atribuído a um MSN.

Modo do anúncio (209)


Define se o anúncio será reproduzido apenas uma vez ou, repetidas vezes.

Anúncio para MSN (210)


Define se um anúncio será reproduzido para um determinado MSN.

Número do sistema (211)


Fornece o número do HiPath 1100 se o sistema estiver operando em uma conexão Ponto-a-
Ponto (PP).

Tipo de número do sistema (212)


Define como a configuração MSN a ser enviada deve ser transmitida.

Tipo de correio de voz (214)


Define qual o tipo de correio de voz que será utilizado pelo sistema.

Manual de Serviço 6-263


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Grupo de correio de voz (215)


Define qual o grupo de chamada UCD será utilizado pelo sistema.

Um grupo de correio de voz apenas poderá ser selecionado como segundo atende-
dor MSN, caso apenas um ramal seja selecionado como primeiro atendedor (ver Hi-
Path 1100 Manager).

Associação das caixas postais para Auto-atendimento (216)


Associa as caixas postais as posições de auto-atendimento.

Qualidade de áudio (228)


Determina com qual qualidade as Saudações e Mensagens serão reproduzidas.

Anúncio para Linha externa analógica (230)


Define se um anúncio será reproduzido para uma determinada linha externa analógica.

6.3.12 Programação para tronco digital


Os sistemas HiPath 1100 pode ser equipado com troncos digitais através do módulo S0
(Acesso RDSI) e módulo TME1 (Acesso E1 CAS/S2).

Módulo TME1
Acesso E1 CAS:
O acesso E1 CAS permite a identificação de chamadas e a discagem direta ao ramal,
reduzindo a perda de chamadas e simplificando o acesso ao usuário. O HiPath 1150 pode ser
equipado com um módulo TME1 (configurado com até 15 canais padrão ou 20 canais
expandidos) e o HiPath 1190 com dois módulos TME1.
Quando somente linhas digitais E1 estiverem sendo usadas, apenas o cadastro de número
externo deve estar programado. Código de área do país e de área local podem ser deixados
em branco.
Acesso S2:
Permite fazer a conexão à rede RDSI através de um acesso primário (30 Canais), permitindo
a utilização dos serviços oferecidos pela rede. O HiPath 1150 pode ser equipado com um
módulo TME1 (configurado com até 30 canais) e o HiPath 1190 com dois módulos TME1 (o
primeiro configurado com até 30 canais e o segundo com até 15 canais).

6-264 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Caso este módulo seja configurado com um número de linhas digitais que somados com as
linhas externas analógicas ultrapassem a capacidade máxima do sistema, as linhas externas
analógicas dos módulos de ampliação EB 202, 206 ou 210 serão desativadas e os ramais
continuarão funcionando normalmente. Esta desativação se dará pela seqüência das posições
de montagem mecânica dos módulos (1, 2 ,...etc) até que atinja o número de linha externas
necessária. Os demais módulos continuaram a operar normalmente.
Já para os módulos EB 200, 400 ou 800, é necessário mudá-los de posição para que não
sejam desativados, pois qualquer um destes módulos ficará inoperante se uma de suas
posições de linhas externas for desativada.
Para determinar o número de linhas analógicas e digitais que estarão disponíveis no sistema,
veja a Tabela 2-3 na página 2-29:

Módulo S0:
Cada acesso RDSI disponibiliza 2 canais de comunicação (de 64K cada) e também permite
que outras aplicações como videoconferência ou acesso à Internet sejam compartilhadas.
Algumas facilidades como identificação de chamadas, supressão da indicação do número,
discagem direta ao ramal, entre outras, podem ser disponibilizadas dependendo de habilitação
pela operadora. O HiPath 1120 pode ser equipado com um módulo de 2 acessos, o HiPath
1150 com um módulo de 2 acessos ou um módulo de 5 acessos e o HiPath 1190 com 2
módulos de 2 ou 5 acessos.
Quando somente linhas digitais RDSI estiverem sendo usadas, as facilidades de prefixo de
Atendedor, cadastro de número externo, código de área do país e código de área local devem
estar programadas .

Distribuição Interna automática de MSN


Permite atribuir vários números MSN para cada interface S0 (o número de interfaces S0
depende do tipo do Módulo S0). Os números MSN devem ser configurados via Manager tool
(consultar Manager o arquivo de ajuda).
Os telefones RDSI podem ser configurados com qualquer um dos números MSN atribuídos a
interface S0. Esta configuração deve ser feita manualmente nos aparelhos telefônicos. A
quantidade de números MSN que podem ser configurados depende de cada aparelho.

No Gigaset SX255 é possível atribuir, para cada telefone, vários números MSN via
Manager tool, mas o aparelho armazena apenas os 10 primeiros números MSN.
Mais informações sobre os procedimentos de programação e configuração do Giga-
set SX255 podem ser encontrados no Manual do Usuário Gigaset SX255 (A31008-
X255-B100-X-XX19).

Manual de Serviço 6-265


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Designação Automática de MSN através da Operadora Local


É um serviço contratado junto à Operadora Local que permite que sejam registrados,
automaticamente, os números MSN da linha externa.
Ao se apertar o botão Buscar do Manager tool (Básico -> MSN -> Configurações -> Botão
Buscar, para mais informações consultar o arquivo de ajuda), será enviada uma mensagem
para a Operadora Local solicitando os números MSN, ao receber a mensagem a operadora
envia uma resposta com os números MSN, que serão registrados automaticamente no
sistema.
Para que todos os números MSN sejam registrados no sistema é necessário que o modo de
ocupação remota seja do tipo PMP (Ponto a multiponto) e o número do sistema não deve estar
preenchido no Manager tool (Avançado->Definições do sistema->Definições regionais). Caso
o modo de operação remota seja do tipo PP (Ponto a ponto) será registrado apenas o número
do sistema, sendo necessário a configuração dos números MSN (Básico -> MSN ->
Configurações), se existirem números MSN configurados,estes devem ser apagados.

Para que o serviço Designação Automática de MSN através da Operadora Local


funcione, a facilidade Desvio de chamada na rede pública também deve ser con-
tratada.

Portas S0 (HiPath 1190) (062)


Define o modo de funcionamento do módulo S0, otimizando a utilização dos ports do sistema.
Essa opção é mais adequada ao HiPath 1190 devido a sua grande capacidade de ports e com
a finalidade de atingir o máximo número de ramais/linhas externas, em função das seguintes
regras de reconhecimento dos ports do módulo:
Linha externa e ramal (padrão): cada port irá subtrair 2 posições de linha externa e 1 posição
de ramal. A conexão pode ser PP, PMP ou linha Bus S0 (veja o item "Modo de operação");
Apenas linha externa: cada port irá subtrair 2 posições de linha externa. A conexão deve ser
PP ou PMP. Caso tenha sido configurado anteriormente como linha Bus S0, a conexão será
automaticamente revertida para PP (pois é padrão);
Apenas ramal: cada port irá subtrair 1 posição de ramal. A conexão deve ser linha Bus S0.
Caso tenha sido configurado anteriormente como PP ou PMP, a conexão será
automaticamente revertida para linha Bus S0.

Após a configuração, o sistema deve ser reinicializado.

6-266 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Modo de operação para linha S0 (190)


Define o tipo de conexão (Ponto a Ponto, Ponto a Multiponto ou Bus S0) entre as linhas digitais
do Módulo S0 e as linhas da operadora local.

Para o HiPath 1120 o primeiro port do módulo S0 será somente tronco, PP ou PMP.
Não aceita ser programado como S0 Bus.
Para as demais centrais, a primeira posição física do port pode ser configurado
como S0 Bus também.

Chamada Simétrica/Assimétrica (074)


Permite configurar o sistema para chamadas simétricas ou assimétricas.
Verifique com a sua Operadora local o modo de funcionamento que dever ser configurado no
seu sistema.

Ausência de Setup ACK para linha S0 (075)


Verifique com a sua Operadora local o modo de funcionamento que dever ser configurado no
seu sistema.

Notify (076)
Verifique com a sua Operadora local o modo de funcionamento que dever ser configurado no
seu sistema.

Keypad Automático (077)


A sua operadora informa quais são as funções RDSI possíveis de controlar por código no seu
país.
Essa facilidade permite ativar a respectiva função RDSI no terminal sem código de acesso
externo.

Associação de linha digital à MSN (078)


Permite atribuir os MSN fornecidos pela Operadora Local para chamadas efetuadas através
das linhas digitais.

Prefixo de linhas externas (189)


Define o prefixo das linhas externas do PABX para ligações nacionais e internacionais. Na
programação padrão, não há seleção do tipo de chamada programada.

Manual de Serviço 6-267


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

Cadastro de número externo (191)


Cada número externo deve ser cadastrado em uma posição para que a facilidade Atendedor
possa ser utilizada.
Se o prefixo destes números já estiver configurado (código 089), apenas os dígitos finais
devem ser cadastrados.
Na programação padrão, não há dígitos configurados..

Associação MSN aos atendedores (192)


Os MSNs cadastrados em cada posição (ver "Associação MSN e Ramal para chamada
externa sainte (086)") devem ser associados a ramais, Grupos de chamadas ou a uma caixa
postal através de uma Porta Virtual EVM (ver Associação das caixas postais (203)), que serão
responsáveis pelos atendimentos em determinado período.
Não é permitido inserir o mesmo ramal mais de uma vez, Grupo ou Porta virtual EVM. Um sinal
diferenciado no monofone indica a operação inválida.

Sinalização de ocupado (004)


Sinaliza para o chamador a condição de ocupado, caso o sistema receba uma chamada
entrante e o ramal atendedor esteja ocupado.

Esta facilidade vale apenas para linhas digitais com número Atendedor. Não é válida
se mais de um ramal estiver configurado para a posição/número Atendedor/MSN.
Se o Módulo Atendedor/FAX estiver instalado e programado para linhas digitais,
esta facilidade também não será válida.

Filtro do código de área local (011)


Permite o envio do código de área (LAC) através de uma linha digital para a central de destino.
Esta ação permite a identificação da chamada.

Filtro do código de área do país (012)


Permite o envio do código de área (CAC) através de uma linha digital para a central de destino.
Esta ação permite a identificação da chamada.

Deflexão de chamada (229)


Caso esta facilidade esteja disponível na Operadora local e seja contratada, permite que uma
chamada de entrada cujo ramal de destino esteja com o serviço de Desvio externo ativo (*11),
seja encaminhada diretamente para o destino externo através da rede pública ou utilize o
sistema HiPath 1100.

6-268 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

RDSI layer 1 (101)


Permite que alguns parâmetros padrões RDSI para determinado país possam ser ajustados.

RDSI layer 2 (102)


Permite que alguns parâmetros padrões RDSI para determinado país possam ser ajustados.

Canal B (103)
Permite que alguns parâmetros padrões RDSI para determinado país possam ser ajustados.

"No DIV.LEG info" para linha RDSI (249)


Caso esta opção esteja desativada e a Operadora Local disponibilize o serviço "Diversion"
para linha RDSI, o ramal que realizar um desvio de suas chamadas externas para um destino
externo poderá apresentar para os participantes da chamada os números originais dos
participantes.
Caso contrário, será disponibilizado para os participantes da chamada somente o número do
MSN/Atendedor da central.
Na configuração padrão, esta opção esta ativa para os seguintes países: Austrália, Grécia e
Países Baixos.

Esta facilidade funciona apenas em linhas RDSI no modo PP ou PMP somente com
T-Reference Point.

6.3.13 Módulos de interface LAN


Disponibilizam uma interface de LAN ethernet através de seus conectores RJ45 permitindo a
conexão de computadores diretamente ao HiPath 1100 dentro da rede e caso possuam o
modem ADSL disponível podem compartilhar este acesso ADSL dispensando a utilização de
um Modem ADSL externo ou HUB.
Através da rede LAN, o HiPath 1100 pode interagir com os aplicativos utilizados na sua
administração tais como: HiPath 1100 Manager, serviços SNMP, Interaction Center Smart,
Tarifadores, etc.

Configuração padrão da interface LAN (013)


Este código restaura a configuração padrão dos módulos de interface LAN.
Módulo ADSL
– IP padrão do módulo: 10.0.0.1;

Manual de Serviço 6-269


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

– SubNet Mask padrão do módulo: 255.255.255.0;


Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC ou ADSLIM
– IP padrão do modem: 192.168.254.254;
– IP padrão do módulo: 192.168.254.253;
– SubNet Mask padrão do módulo: 255.255.255.0;
– Gateway padrão do módulo: 192.168.254.254;

6.3.14 Relé e sensor no HiPath 1120


No sistema HiPath 1120 é possível conectar o módulo Música que também disponibiliza um
relé e um sensor para integração com outros aparelhos como porteiro eletrônico, dispositivo
de abertura de porta, alarmes, etc.
Sensor:
Com a alteração do estado do contato do sensor (por exemplo um contato aberto é fechado)
podem ser executadas as seguintes funções:
● Selecionar um número da agenda;
● Ativar um relé;
● Selecionar um número da agenda e ativar um relé.
A lógica de ativação a partir da posição inicial dos contatos do sensor, assim com as ações
decorrentes, são programáveis.
Relé:
Pode ser ativado através do sensor caso esteja programado manualmente ou
automaticamente após um tempo programado. Quando o relé é ativado os contatos se fecham
e quando é desativado os contatos se abrem.

O nome associado a esta posição poderá ter até 15 caracteres.

Programar a função de sensor (170)


Permite selecionar uma função do sensor:
● Desativar a função do sensor (padrão)
● Discar o número definido em "Número discado pela ação do sensor" (código 052).
● Ativar o relé através do sensor

6-270 Manual de Serviço


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

● Reconhecer código DTMF,isto é, define que o número chamado deve confirmar ou não a
chamada de alarme através do código de reconhecimento (sinal DTMF “#”)

Lógica de ativação do sensor (174)


A posição básica do sensor pode ser programada da seguinte forma: os contatos ficam
fechados e o sensor é acionado quando o contato é aberto ou os contatos ficam abertos e o
sensor é acionado quando o contato é fechado.

Tempo entre tentativas de ação do sensor (050)


Define um intervalo de tempo para que a chamada tente novamente ser estabelecida, caso o
ramal esteja ocupado em minutos.

Associação de MSN ao sensor (051)


Define o MSN do sistema que será usado para efetuar a chamada sainte. Através deste MSN
o destino poderá identificar a origem da chamada, por exemplo, que se trata de uma chamada
de alarme.

Número discado pela ação do sensor (052)


Define o número que deve ser discado automaticamente quando o sensor for ativado. O
número a ser discado pela ação do Sensor é armazenado na Agenda do Sistema. Se o
número for alterado na Agenda do Sistema, esta opção também é atualizada (e vice-versa).

Número de tentativas para ação do sensor (053)


Define a quantidade de tentativas de ligações (valor entre 1 e 100) para o número configurado
em ”Número discado pela ação do sensor”. (ver também Tempo entre tentativas de
ação do sensor).
Cada tentativa é utilizada no caso de não atendimento (destino ocupado) ou quando a opção
"Reconhecer código DTMF" (código 70, opção 3) está habilitada e a confirmação não foi
recebida. Nesses casos a chamada será encerrada e uma nova tentativa será iniciada.

Relé (175)
Define o modo de funcionamento do relé:
● “Comutador": O relé só pode ser ligado a partir de um ramal através da introdução do
respectivo código de facilidade (veja no Manual de Usuário, Funções diversas - Relé);
● "Monoflop": O relé é fechado por um tempo determinado. Como alternativa, o relé pode
ser aberto também antes do período programado, através da introdução do código de
facilidade (veja no Manual de Usuário, Funções diversas - Relé);

Manual de Serviço 6-271


Efetuando a programação específica do cliente
Comentários sobre os códigos de programação do sistema

● "Alternar": O atual estado do relé é invertido quando o código de facilidade para ativar o
Relé é selecionado no ramal;
● "Música em Espera": O relé pode ser utilizado para ativar um equipamento ligado
externamente para a reprodução de anúncios/música em espera externos;
● "Sinal externo": É possível utilizar o relé para o controle de uma segunda campainha para
um ramal analógico.

Temporizador para desativação do relé (173)


Define o tempo que o relé deve permanecer fechado.

Se o tempo de fechamento for definido como "000", o relé permanecerá ativo até
que seja desativado manualmente.

Toque externo para ação do relé (071)


Permite utilizar o relé para controlar uma segunda sinalização para um ramal analógico
definido.

Anúncio para Sensor (213)


Após a atribuição de um número, também pode-se atribuir um anúncio ao sensor. Este
anúncio será transmitido para o respectivo número, quando o sensor tiver seu estado alterado.

6-272 Manual de Serviço


Colocando em serviço

7 Colocando em serviço
Este capítulo contém informações sobre o procedimento para iniciar os sistemas.

Atenção
! A inicialização dos serviços dos sistemas deve ser efetuada exclusivamente por
pessoal técnico autorizado.

Etapa Ação (Instruções)


1. Ligar o sistema à alimentação 7-273
(Ligar o cabo de alimentação ->Inicialização do sistema).
2. Ativação da programação do sistema 7-273
3. Programação através de um aparelho telefônico 7-274
4. Programação do sistema usando um PC 7-275
5. Aplicativos do HiPath 1100 7-294

Ligar o sistema à alimentação

Procedimento

Etapa Ação
1. Concluir a montagem de todos os módulos e sistema (Capítulo 4, “Montagem”).
2. Ligar o sistema.
3. Aguarde alguns instantes até que o sistema carregue o Software.

Ativação da programação do sistema


O sistema HiPath 1100 vem com uma programação de fábrica (padrão) que está indicado nas
tabelas de programação para cada código.
Caso exista a necessidade de atualização ou modificação da programação, existem duas
opções:

Opções de programação Página


Utilização de um telefone de sistema ou um telefone comum tipo MF 7-274
Utilização de um computador 7-275

Manual de Serviço 7-273


Colocando em serviço
Programação através de um aparelho telefônico

7.1 Programação através de um aparelho telefônico


A programação do sistema pode ser executada na primeira posição de ramal do sistema
(padrão ramal 11) equipada com um ramal analógico (MF) ou telefone de sistema tipo KS ou
ainda, na primeira posição de telefone de sistema tipo optiPoint 500. Não é possível a
programação em dois ramais simultaneamente.
Para que se possa utilizar inicialmente um telefone de sistema do tipo KS na posição de ramal
11/101, os sistemas saem de fábrica com a seguinte associação padrão:
● Posições A1 e B1 associadas às posições C1 e D1 da MB (ver “Conexões no DG do
sistema” na página 4-157).
A utilização de um telefone de sistema com display possibilita o acompanhamento visual da
programação.

Para ter acesso à programação nos ramais indicados, deve-se estar no modo de pro-
gramação:
● Ramal programador: *95 + SENHA (31994 - padrão).

Sintaxe do modo de programação


Toda programação é identificada por um código e completada por parâmetros.
Para o Brasil, cada parâmetro adicional inserido é acompanhado de 1 tom (Bip) de
confirmação. Em caso de entrada incorreta do parâmetro, você ouve 3 tons (Bip) e o sistema
volta ao estado inicial do modo de programação.
Há três formas diferentes de terminar a programação de um parâmetro, voltando
assim ao estado inicial do modo de programação:
● Após a entrada dos parâmetros a programação é concluída automaticamente;
● Após a entrada dos parâmetros pressionar a tecla #;
● Após a entrada dos parâmetros aguardar cerca de 5 s.
Se nenhum código ou parâmetro for digitado, o sistema continua a esperar por sua entrada
ou interpreta isto como "entrada nula" e passa para a próxima etapa de programação,
dependendo do código selecionado.
Após terminar a programação de um parâmetro, o sistema retorna ao estado inicial do modo
de programação. Para sair do modo de programação, basta colocar o monofone no gancho.

7-274 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

Problemas devido alteração da senha padrão


O modo de programação do sistema está protegido através de senha contra a utilização não
autorizada.
Para alterar a senha padrão (31994) entre no modo de programação:
● Ramal programador: * 95 +31994 + 80 + XXXXX(nova senha) + XXXXX ( confirme a nova
senha);
● Anote a nova senha do sistema e guarde-a em um lugar seguro.

Se você esquecer a senha, utilize a seguinte seqüência para reaver o acesso à pro-
gramação:
● # + 95 + 31994431.
Esta informação não deve ser disponibilizada para o Usuário.

7.2 Programação do sistema usando um PC


No CD do sistema estão os pacotes de software que devem ser instalados para a
programação utilizando um computador (veja “Aplicativos do HiPath 1100” na página 7-294).

Requisitos básicos de hardware:


● Microcomputador padrão IBM PC, processador Pentium 333 MHz (mínimo);
● Memória RAM de 128 MB (mínimo);
● Microsoft Windows 98 SE, Windows 2000, Windows 2003, Windows ME ou Windows XP;

As aplicações do HiPath 1100 estão liberadas para a versão Microsoft Vista 64


bits, mas sempre funcionam no modo 32 bits.

● Monitor colorido SVGA com resolução de 800x600 (mínimo);


● Espaço livre em disco: 150 MB (mínimo).

Manual de Serviço 7-275


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

Conexão:

Conexão computador <--> HiPath 1100 Página


Conexão Local 7-288
Através da interface serial V.24 7-288
Através da interface USB 7-276
Através do módulo de interface LAN 7-278
Através do optiPoint 7-282
Conexão Remota ou Local 7-294
Através do modem analógico 7-285
Através do modem RDSI via Módulo S0 7-288

7.2.1 Conexão Local

7.2.1.1 Interface serial V.24


Nessa opção, devem ser instalados os aplicativos HiPath 1100 e posteriormente efetuar as
configurações do CommServer.
Procedimento:
1. Verifique se o sistema HiPath 1100 está ligado;
2. Insira o CD do HiPath 1100 no drive de CD do computador;
Caso não exista uma função de Auto-Início configurada, selecione no menu iniciar do
Windows “Iniciar/Executar” e, em “Pesquisar”, abra o arquivo <Drive de
CD>:\SETUP.EXE;
3. Na janela de instalação, selecione o idioma desejado;
4. É indicada a janela para a seleção do software a ser instalado;
5. Escolha os componentes de software desejados e instale-os. Para a programação do
sistema HiPath 1100 devem ser instalados os seguintes aplicativos:
● HiPath 1100 Manager
● CommServer (é instalado automaticamente).
6. Após a instalação dos componentes, é informado que a respectiva instalação foi efetuada
com êxito. Confirme os avisos com “next”;
7. Feche a janela de instalação com “Concluir” . Com isso, a instalação do software é
concluída. Caso o Windows requisite, reinicialize o computador;

7-276 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

8. Após a instalação do programa, efetue a configuração do CommServer (ver Figura 7-1).


Para tal, clique com a tecla direita do mouse no símbolo do CommServer na barra de
estado do Windows e selecione “Propriedades”. Defina:
● O tipo de conexão;
● A velocidade: 19200 (default) / 38400 / 57600 / 115200 baud;
● A porta COM;

Figura 7-1 Propriedades do CommServer - Configuração de Interface Serial V.24

9. O CommServer será chamado automaticamente ao ativar uma aplicação HiPath 1100.

Caso algum Módulo de Interface LAN esteja instalado no PABX, não é possível uti-
lizar a Interface serial V.24.

Manual de Serviço 7-277


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

7.2.1.2 Interface USB


Neste caso há duas possibilidades: Interface USB ou Interface USB + Interface CAPI.

Possibilidades da
configuração USB

Aplicações HiPath 1100


Manager Atualização Transm. MOH
Tarifação Status Monitor

CommServer

CallBridge
for Data

USB

HiPath
1100

USB

Figura 7-2 Possibilidades da configuração USB

Para fazer a administração do HiPath 1100 no computador através de uma interface USB, é
necessário instalar os respectivos drivers USB da família HiPath 1100 do pacote CallBridge
for Data para a comunicação do computador com o sistema, antes da instalação dos
aplicativos do HiPath 1100.
Faça a Instalação dos drivers (ver Capítulo 7, “Instalação de Drivers” ) e posteriormente inicie
a instalação dos aplicativos HiPath 1100:
Procedimento:
1. Insira o CD do HiPath 1100 no drive de CD do computador;
Caso não exista uma função de Auto-Início configurada, selecione no menu iniciar do
Windows “Iniciar/Executar” e, em “Pesquisar”, abra o arquivo <Drive de
CD>:\SETUP.EXE;
2. Na janela de instalação, selecione o idioma desejado.
Com a seleção do respectivo idioma, serão instaladas as definições padrões específicas
do país;

7-278 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

3. É indicada a janela para a seleção do software a ser instalado.


4. Escolha os componentes de software desejados e instale-os. Para a programação do
sistema HiPath 1100 devem ser instalados os seguintes aplicativos:
● HiPath 1100 Manager
● CommServer (é instalado automaticamente).
5. Após a instalação de cada componente, é informado que a respectiva instalação foi
efetuada com êxito. Confirme os avisos com “next”;
6. Feche a janela de instalação com “Concluir” . Com isso, a instalação do software é
concluída. O Windows pode apresentar um aviso para que o computador seja
reinicializado, no caso de isto acontecer reinicialize o computador;
7. Após a instalação do programa, efetue a configuração do CommServer (ver Figura 7-3).
Para tal, clique com a tecla direita do mouse no símbolo do CommServer na barra de
estado do Windows e selecione “Propriedades”:

Figura 7-3 Propriedades do CommServer - Configuração de conexão USB.

8. O CommServer será chamado automaticamente ao ativar uma aplicação HiPath 1100.

Manual de Serviço 7-279


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

7.2.1.3 Módulos de Interface LAN


Nessa opção é utilizado um acesso a rede LAN através dos módulos ADSL, SLIMC,
SADSLIM, LIMC ou ADSLIM, para isto devem ser instalados os aplicativos HiPath 1100 do
CD e após a reinicialização do computador, efetuar as configurações necessárias no HiPath
1100 Manager para a conexão com o CommServer.
Procedimento:
1. Insira o CD do HiPath 1100 no drive de CD do computador;
Caso não exista uma função de Auto-Início configurada, selecione no menu iniciar do
Windows “Iniciar/Executar” e, em “Pesquisar”, abra o arquivo <Drive de
CD>:\SETUP.EXE;
2. Na janela de instalação, selecione o idioma desejado;
3. É indicada a janela para a seleção do software a ser instalado;
4. Instale consecutivamente os componentes de software desejados. Para a programação
do sistema HiPath 1100 devem ser instalados os seguintes aplicativos:
● HiPath 1100 Manager e
● CommServer (é instalado automaticamente).
5. Após a instalação dos componentes, é informado que a respectiva instalação foi efetuada
com êxito. Confirme os avisos com “next”;
6. Feche a janela de instalação com “Concluir” . Com isso, a instalação do software é
concluída. O Windows pode apresentar um aviso para que o computador seja
reinicializado, no caso de isto acontecer reinicialize o computador;
7. Módulo ADSL - Após a instalação do programa efetue a configuração do CommServer
(ver Figura 7-4). Para tal, clique com a tecla direita do mouse no símbolo do CommServer
na barra de estado do Windows e selecione “Propriedades”.
1. Selecione a conexão ADSL;
2. Configure o IP do módulo ADSL:
Se a caixa de verificação “Adquirir IP automaticamente” estiver ativada, o
CommServer será automaticamente configurado com o IP do defaut gateway do
computador, caso contrário é necessário inserir, manualmente, o IP do módulo ADSL
no CommServer (padrão 10.0.0.1).

7-280 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

Figura 7-4 Propriedades do CommServer - Conexão Módulo ADSL

8. Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC ou ADSLIM - No HiPath 1100 V7.0, não será
necessário utilizar o CommServer instalado na sua máquina, pois estes módulos já
possuem um CommServer incorporado denominado de eCommServer. Assim é possivel
um acesso autorizado via LAN ao PABX de um aplicativo externo, como por exemplo, os
que utilizem a plataforma SNMP.
A configuração do endereço IP e Port do módulo de interface LAN é feita no HiPath 1100
Manager, no menu Ferramentas/Configuração do CommServe.
Padrões:
– Porta:3100
– IP padrão do módulo: 192.168.254.253;
9. O servidor será inicializado automaticamente ao ativar uma aplicação HiPath 1100.

Caso algum Módulo de Interface LAN esteja instalado no PABX, não é possível uti-
lizar a Interface serial V.24.

Manual de Serviço 7-281


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

7.2.1.4 Interface optiPoint


Os telefones optiPoint 500 que possuem interface USB (Advance, Basic/Standard/Economy,
Entry) podem ser utilizados como interface para administração do sistema.
Neste caso há duas possibilidades de conexão via optiPoint: VCOM ou CAPI.
a) Conexão via optiPoint VCOM: Através desta conexão até 8 optiPoints podem ser
conectados simultaneamente ao sistema, porém a uma velocidade menor.
Para este tipo de conexão podem ser instalados os drivers USB de Administração
ou os drivers USB de Administração + Interface CAPI;
b) Conexão via optiPoint CAPI: Esta conexão permite que a conexão via optiPoint seja
até 4 vezes mais rápida que a Conexão via optiPoint VCOM (item a), porém, somente
uma única conexão de administração pode ser feita por vez. Outras conexões de
administração via optiPoint CAPI ou conexões remotas via RDSI ao sistema não
serão estabelecidas enquanto uma conexão via CAPI estiver em andamento.
Para este tipo de conexão devem ser instalados os drivers USB de Administração +
Interface CAPI.

Possibilidades da
configuração USB

Aplicações HiPath 1100


Manager Atualização Transm. MOH
Tarifação Status Monitor

CommServer

CallBridge
for Data
USB

UP0/E

HiPath
1100

Telefones optiPoint
Máximo de conecções no
sistema - 8

Figura 7-5 Possibilidades da configuração optiPoint.

7-282 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

Para fazer a administração do HiPath 1100 no computador através de uma Interface optiPoint,
é necessário, primeiramente, instalar os respectivos drivers USB do optiPoint de acordo com
a conexão desejada (ver Capítulo 7, “Instalação de Drivers” )e inicie a instalação dos
aplicativos HiPath 1100:
Procedimento:
1. Insira o CD do HiPath 1100 no drive de CD do computador;
Caso não exista uma função de Auto-Início configurada, selecione no menu iniciar do
Windows “Iniciar/Executar” e, em “Pesquisar”, abra o arquivo <Drive de
CD>:\SETUP.EXE;
2. Na janela de instalação, selecione o idioma desejado.
Com a seleção do respectivo idioma, serão instaladas as definições padrões específicas
do país;
3. É indicada a janela para a seleção do software a ser instalado.
4. Escolha os componentes de software desejados e instale-os. Para a programação do
sistema HiPath 1100 devem ser instalados os seguintes aplicativos:
● HiPath 1100 Manager
● CommServer (é instalado automaticamente).
5. Após a instalação de cada componente, é informado que a respectiva instalação foi
efetuada com êxito. Confirme os avisos com “next”;
6. Feche a janela de instalação com “Concluir” . Com isso, a instalação do software é
concluída. O Windows pode apresentar um aviso para que o computador seja
reinicializado, no caso de isto acontecer reinicialize o computador;
7. Após a instalação do programa, efetue a configuração do CommServer (ver Figura 7-6 ).
Para tal, clique com a tecla direita do mouse no símbolo do CommServer na barra de
estado do Windows e selecione “Propriedades”:

Manual de Serviço 7-283


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

a) Conexão via optiPoint VCOM:

Figura 7-6 Propriedades do CommServer - Configuração optiPoint VCOM.

b) Conexão via optiPoint CAPI:


● Tipo de conexão: Conexão RDSI
● N.º tel.: 800
● MSN próprio: --- (não é necessário o preenchimento)

Figura 7-7 Propriedades do CommServer - Configuração optiPoint CAPI.

7-284 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

7.2.2 Conexão Remota / Local

7.2.2.1 Modem externo analógico


Nessa opção, devem ser instalados os aplicativos HiPath 1100 e, após a reinicialização do
computador, efetuar as configurações correspondentes no CommServer, HiPath 1100
Manager e no sistema HiPath 1100.
Procedimento:
1. Faça a conexão com o Modem Analógico (para conectar o ramal do modem ver item 4.7-
Conexão dos ramais no DG interno do sistema) da seguinte forma:

LOCAL DE HiPath 1100


ADMINISTRAÇÃO Rede Pública ADMINISTRADO
REMOTA

MODEM ANALÓGICO
EXTERNO OU INTERNO
HiPath 1100

Aplicações HiPath 1100


Manager Atualização Transm. MOH
Cabo Ramal do
Tarifação Status Monitor Serial Modem

MODEM ANALÓGICO
CommServer EXTERNO

Figura 7-8 Conexão Modem externo analógico

2. Insira o CD do HiPath 1100 no drive de CD do computador;


Caso não exista uma função de Auto-Início configurada, selecione no menu iniciar do
Windows “Iniciar/Executar” e, em “Pesquisar”, abra o arquivo <Drive de
CD>:\SETUP.EXE;
3. Na janela de instalação, selecione o idioma desejado;
4. É indicada a janela para a seleção do software a ser instalado;
5. Instale consecutivamente os componentes de software desejados. Para a programação
do sistema HiPath 1100 devem ser instalados os seguintes aplicativos:
● HiPath 1100 Manager e
● CommServer (é instalado automaticamente).

Manual de Serviço 7-285


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

6. Após a instalação dos componentes, é informado que a respectiva instalação foi efetuada
com êxito. Confirme os avisos com “next”;
7. Feche a janela de instalação com “Concluir”. Com isso, a instalação do software é
concluída e o computador deve ser reinicializado;
8. Após a reinicialização do computador, verifique a configuração do Modem padrão (US
Robotics) no HiPath 1100 Manager com o seu modem ( manual do Modem) caso
necessário altere os dados:

Figura 7-9 Configuração HiPath 1100 Manager - Modem Analógico

7-286 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

9. No sistema HiPath 1100 remoto, compare a configuração do Modem padrão no


CommServer (US Robotics) com a configuração do seu modem (Manual do Modem).
Caso necessário altere os dados:

Figura 7-10 Configuração CommServer - Modem Analógico remoto

10. Saindo do CommServer o servidor será inicializado automaticamente ao ativar uma


aplicação HiPath 1100.

Manual de Serviço 7-287


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

Caso utilize o modem Trendnet V.92 56K - TFM-560X ou D-Link V.90 56K - DFM -
560EL é necessário utilizar o Cabo adaptador para modem analógico (ver “Cabo
adaptador para modem analógico” na página 3-109) e fazer a configuração/verifi-
cação do código de inicialização e reinicialização do modem conectado a central via
HiPath 1100 Manager.
Caso o modem seja interligado no PC (modem remoto), o cabo do modem deve ser
utilizado e a configuração do código de inicialização e reinicialização deve ser feita
via CommServer.
Estas informações podem ser obtidas no manual do próprio modem.
No campo Reinicialização, o valor padrão para o modem:
● US-ROBOTICS é : ATZH0
● TrendNet é: ATZH0
● D-LINK é: +++,,,ATHATZH0
No campo Inicialização, o valor padrão para o modem:
● US-ROBOTICS é : AT&F0&B1F1S0=0
● TrendNet é: AT&F0&B1F1&D0S0=0.
● D-LINK é: AT&F0&D0S0=0

7.2.2.2 Modem RDSI via Módulo S0


O sistema pode ser administrado remotamente ou localmente utilizando as interfaces RDSI
(Rede Digital de Serviço Integrado, também chamado de ISDN).
Nessa opção, devem ser instalados os aplicativos HiPath 1100 e, após a reinicialização do
computador (se o Windows apresentar o aviso de reinicialização), efetuar as definições
correspondentes no CommServer.

7-288 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

Aplicações HiPath 1100 Aplicações HiPath 1100


Manager Atualização Transm. MOH Manager Atualização Transm. MOH
Tarifação Status Monitor Tarifação Status Monitor

Driver Driver
CommServer CommServer
CAPI CAPI
Placa Placa
RDSI RDSI

Rede Pública
HiPath ISDN
1100

S0 S0
int. OU ext. S0
S0 BUS Trunk
NTBA

Figura 7-11 Possibilidades da configuração RDSI

Procedimento:
1. Verifique se o sistema HiPath 1100 está ligado;
2. Insira o CD do sistema no drive de CD do computador.
Caso não exista uma função de Auto-Início configurada, selecione no menu iniciar do
Windows “Iniciar/Executar” e, em “Pesquisar”, abra o arquivo <Drive de
CD>:\SETUP.EXE;
3. Na janela de instalação, selecione o idioma desejado;
4. É indicada a janela para a seleção do software a ser instalado;
5. Instale consecutivamente os componentes de software desejados. Para a programação
do sistema HiPath 1100 devem ser instalados os seguintes aplicativos:
● HiPath 1100 Manager e
● CommServer (é instalado automaticamente).
6. Após a instalação dos componentes, é informado que a respectiva instalação foi efetuada
com êxito. Confirme os avisos com “next”;

Manual de Serviço 7-289


Colocando em serviço
Programação do sistema usando um PC

7. Feche a janela de instalação com “Concluir”. Com isso, a instalação do software é


concluída e o computador deve ser reinicializado;
8. Após a reinicialização, efetue a configuração do CommServer. Para tal, clique com a tecla
direita do mouse no símbolo do CommServer na barra de estado do Windows e selecione
“Propriedades”. Defina:
● Tipo de conexão: Conexão RDSI via S0 Trunk
● N.º tel.: número do telefone a ser discado pelo CommServer.
● MSN próprio: MSN do CommServer.
ou
● Tipo de conexão: Conexão RDSI via S0 Bus
● N.º tel.: 800
● MSN próprio: preenchimento não necessário.

Figura 7-12 Propriedades do CommServer - Configuração de conexão RDSI

9. O servidor será inicializado automaticamente ao ativar uma aplicação HiPath 1100.

7-290 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Instalação de Drivers

7.3 Instalação de Drivers


É possível instalar dois tipos de drivers USB para o sistema HiPath 1100: Driver USB de
administração ou Driver USB de administração + Interface CAPI.
Caso se queira fazer apenas a administração do sistema HiPath 1100 instale o pacote dos
drivers de administração. Se além da administração do sistema HiPath 1100 deseja-se utilizar
também os serviços CAPI, é necessária a instalação de drivers de administração + Interface
CAPI.

No Windows 2000/XP é necessário ter classe de acesso de administrador para efe-


tuar a instalação.

7.3.1 Preparando a instalação


1. Insira o CD do HiPath 1100 no drive de CD do computador;
2. Escolha o língua;
3. Escolha a opção USB Drivers;
4. Escolha o sistema de exploração.
5. Escolha o tipo de driver a ser instalado. É possível instalar dois tipos de drivers USB do
optiPoint para o sistema HiPath 1100: Driver USB de administração ou Driver USB de
administração + Interface CAPI do optiPoint.
Caso se queira fazer apenas a administração do sistema HiPath 1100 instale os drivers
USB de administração. Se além da administração do sistema HiPath 1100 deseja-se
utilizar também os serviços CAPI ou administração via CAPI através do optiPoint, é
necessária a instalação de drivers USB de administração + Interface CAPI do optiPoint.
6. Conecte o dispositivo ao computador usando um cabo do USB.
7. É indicado o Assistente de Novo Hardware. Selecione a opção “Instalar de uma lista local
ou local específico”.
8. Selecione a caixa de verificação “Specify a location” e em “Browse”, selecione o diretório
no qual o driver selecionado foi descompactado. Os Drivers podem ser encontrados no
CD na pasta \Software\USB Drivers. O Driver será descompactado na pasta C:\Temp
(padrão). Caso seja escolhido o driver de administração o diretório será
C:\Temp\HiPath1100_Adm_Drivers_040 e caso seja escolhido o driver de administração
+ Interface CAPI o diretório será C:\Temp\HiPath1100_AdmCAPI_ Drivers_040.
Selecione a pasta desejada e confirme com “Next”;
9. Aparece várias vezes o aviso de que o software a ser instalado não tem uma assinatura
digital da Microsoft. Confirme os avisos com “Sim” ou “Continuar”;

Manual de Serviço 7-291


Colocando em serviço
Instalação de Drivers

10. Na janela seguinte, selecione “EUROISDN (DSS1)” e confirme com “Next”:


11. No campo “Phone number (MSN)”, introduza um número de ramal livre (para as centrais
HiPath 1120/1150 o ramal padrão é 10 e para a central HiPath 1190 o ramal padrão é
100), livre. Confirme a introdução com “Next”. Em seguida, é indicada a mesma janela que
deve ser confirmada com “Next”, sem efetuar nenhum registro:
12. A instalação dos drivers USB está concluída. Na janela seguinte confirme a instalação
com “Terminar”.
13. Repita procedimentos de instalação do excitador para dispositivos da relação do USB.
Aparece várias vezes o aviso de que o software a ser instalado não tem uma assinatura
digital da Microsoft. Confirme os avisos com “Sim” ou “Continuar”;
14. A instalação dos drivers USB está concluída. Agora, a instalação dos aplicativos CAPI é
inicializada automaticamente (ver “Instalação dos aplicativos CAPI” na página 7-292).

7.3.1.1 Instalação dos aplicativos CAPI


A instalação das aplicações CAPI dos drivers é idêntica em todos os sistemas operacionais
do Windows.
Após a conclusão da instalação dos drivers USB, é indicada a janela para a instalação das
aplicações CAPI. Prossiga da seguinte maneira:
1. Nesta janela, selecione o idioma desejado e em “OK” confirme a seleção;
2. Confirme a janela de boas-vindas com “Seguinte”. Em seguida, é indicado na janela de
instalação o caminho de destino (predefinido), no qual as aplicações CAPI (CallBridge for
Data Utilities) serão instaladas. Este caminho pode ser alterado em “Pesquisar”. Confirme
com “Seguinte”;
3. Na próxima janela, crie uma nova pasta do programa ou selecione uma pasta existente,
onde devem ser guardados os símbolos do programa para iniciar as respectivas
aplicações;
4. Para concluir a instalação, confirme as introduções com “Seguinte”. Clique em “Concluir”
para fechar a janela de instalação.
As seguintes aplicações estão instaladas então no seu computador:
● Assistentes para a configuração RDSI (Windows 98 SE/ME);
● Monitor CAPI;
● Desinstalador;
● FaxComm + Instalação;
● Teste de loopback;

7-292 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Instalação de Drivers

● Configuração do número de telefone de saída (MSN)


.

Após a instalação dos drivers USB e das aplicações CAPI, reinicialize o computador.

7.3.2 Desinstalação
● Para a conexão S0, executar os passos 1, 6 e 7 do procedimento abaixo;
● Para a conexão USB, seguir os passos 1 a 7 do procedimento abaixo.
Procedimento:
1. Para sair do CommServer, clique com a tecla direita do mouse no símbolo do
CommServer na barra de estado do Windows, e selecione “Concluir”;
2. Feche todos os serviços online de CallBridge for Data do optiPoint que estiverem abertos;
3. Retire do seu computador o cabo USB ligado ao sistema optiPoint;
4. Para desinstalar os drivers USB, proceda da seguinte forma:
Para a desinstalação FULL - utilize o unistall, ou utilize o unistall de dentro do CD
5. Desinstale o Callbridge for Data Utilities (caso tenha sido instalado para a utilização dos
serviços online ou para a conexão USB), ativando o programa de desinstalação através
de: Iniciar/Programas/Callbridge for Data Utilities/ Desinstalação de Callbridge for Data
Utilities. Após a desinstalação de Callbridge for Data Utilities, ao ser consultado se deseja
reinicializar o seu computador agora, selecione “Não” e continue com o passo 6;
6. Desinstale todos os componentes HiPath 1100 através de:
Iniciar/Definições/Painel de controle/Software e clique em “Remover software”;
7. Em seguida, reinicialize o seu computador.

Manual de Serviço 7-293


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

7.4 Aplicativos do HiPath 1100

Considerações:
A instalação dos aplicativos HiPath 1100 versão 7.0 sobrescreve a instalação dos
aplicativos HiPath 1100 versão anteriores. Durante o processo de instalação não
será apresentada nenhuma mensagem avisando que os aplicativos estão sendo
removidos;
Um PABX do tipo HiPath 1100 versão 5.2 ou 6.0 pode ser administrado através dos
aplicativos do HiPath 1100 versão 7.0 pois são compatíveis;
Não é possível ter os aplicativos com versões diferentes instalados no mesmo
computador. Caso isto ocorra, ambos não irão funcionar;

7.4.1 Funções de CTI


Se o sistema estiver conectado a um computador, você poderá executar as facilidades do
sistema através deste computador. Esta conexão do sistema telefônico com o computador é
designada de funcionalidade CTI (Computer Telephony Integration).
As funções de CTI ou outras aplicações compatíveis com MS-TAPI podem ser executadas
com ajuda dos drivers de TAPI (Telephony Applications Programming Interface). Os drivers
de TAPI são interfaces entre o sistema operacional Windows e o sistema telefônico
compatível com TAPI. Se já possuir o Tapi Driver instalado de versões anteriores (ESL ou
HiPath 1100), será necessária a atualização para o Tapi Driver do HiPath 1100 V7.0.

O TAPI somente monitora ports físicos. A facilidade DISA utiliza ports especiais
para o correto funcionamento e não podem ser monitorados. Se um port físico for
usado durante a execução da facilidade DISA, este poderá ser monitorado
normalmente pelo TAPI.

Se o sistema estiver conectado em um PC servidor de uma LAN (Local Access Network),


todos os clientes na rede também poderão utilizar a funcionalidade de CTI.

Comm Server:
É um aplicativo que recebe os dados do sistema através da porta serial e distribui para
diferentes aplicações:
● pacotes de bilhetagem;
● pacotes TAPI;
● pacotes para a administração dos dados com o tool de administração.

7-294 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Os dados de bilhetagem são enviados para o aplicativo CDR (Call Detailed Record) utilizando
sockets TCP/IP. O CDR permite a visualização dos bilhetes na tela do PC que também são
armazenados em um arquivo texto. Além disso, a aplicação disponibiliza os bilhetes para uma
impressora ou uma porta serial, onde podem ser tarifados através do software CallReport, por
exemplo.
Os eventos para Controle Estatístico de Chamadas recebidos do sistema são enviados
através de mensagens TAPI para o TSP (TAPI Server Provider), utilizando sockets TCP/IP,
que provê outras aplicações.

7.4.2 SNMP
O "Simple Network Management Protocol - SNMP’ representa dentro dos protocolos TCP/IP
uma confortável plataforma para as tarefas de gestão de software para sistemas conectados
à rede TCP/IP. O SNMP é utilizado praticamente como um "Agente de gestão" no HiPath
1100, possibilitando a supervisão central e a gestão do PABX.
Cada central gerenciada pelo SNMP possui um conjunto de variáveis que armazenam as in-
formações referentes ao seu estado atual. Este volume de dados gerenciados pelo SNMP é
definido nas bases de informação de gestão (MIBs - Management Information Bases). As MIBs
são modelos de dados que descrevem todas as informações necessárias para a gerência da
rede.
Para ter acesso a estas informações é necessário estar instalado e conectado à rede TCP/IP
os ports LAN dos módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC ou ADSLIM, desta forma as informações
disponíveis podem ser acessadas a partir de aplicativos de gerenciamento externo, como por
exemplo, o HP Open View, ou seja, a monitoração do PABX é efetuada através de um softwa-
re de gerenciamento executado em uma estação servidora. O serviço SNMP irá fornecer in-
formações do PABX através do Agente quando receber requisições do Gerente que está co-
nectado via rede TCP/IP. Os Agentes e Gerentes se comunicam através de mensagens
SNMPs que controlam as aplicações externas.
Uma nova pasta de configuração foi criada no Manager tool para permitir ao usuário configurar
o IP do novo módulo ADSL, habilitando o serviço SNMP e a configuração do Community e
TRAP community.

Manual de Serviço 7-295


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-13 Pasta SNMP

Mensagens SNMP
As mensagens de SNMP para a comunicação entre o Agente de gestão SNMP (HiPath 1100)
e as aplicações externas são controladas através dos seguintes comandos:
● Get, utilizada quando o gerente solicita que o Agente obtenha um dado.
● Get Next, utilizada quando o gerente solicita que o Agente obtenha uma leitura sequencial
de dados.
● Set, utilizada quando o gerente solicita que o Agente altere um dado.
● Trap, utilizada pelo agente para comunicar o acontecimento de um evento, previamente
determinado, ao gerente.
Está integrado um mecanismo para gerar "traps" de SNMP ao surgir um erro da classe B. O
Agente de gestão do SNMP avalia as mensagens de erro e caso se trate de erros que já pos-
suem definição correspondente, são gerados determinados "traps"e estes são transmitidos
como conjuntos de dados IP a um endereço IP configurável (são possíveis no máximo cinco
aplicações que suportem o SNMP versão 1.0, como por exemplo, o HP Open View).

Esta opção somente estará ativa no HiPath 1100 Manager caso os módulos
SLIMC, SADSLIM, LIMC ou ADSLIM estejam configurados.

7-296 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

7.4.3 HiPath 1100 Manager


O HiPath 1100 Manager é um programa de administração para efetuar a programação dos
sistemas HiPath 1100, de forma simples e rápida através de uma interface gráfica e sem
necessidade de utilização dos códigos de programação.

O HiPath 1100 Manager não roda no Microsoft Windows 98 ou ME. As aplicações


estão liberadas para a versão Microsoft Vista 64 bits, mas sempre funcionam no
modo 32 bits.
O Tapi Service Provider (TSP) não é reconhecido pela versão Microsoft Windows
Vista 64 bits.

O HiPath 1100 Manager pode acessar a central:


● Localmente : através da conexão de uma interface USB, interface UP0/E do optiPoint 500,
interface V.24;
● Remotamente : através de uma rede LAN, desde que um computador da rede esteja
conectado ao HiPath 1100 via interface serial, Interface USB ou um módulo com interface
LAN ;
● Modo de programação Offline : permite que uma base de dados do HiPath 1100 possa ser
lida, editada e armazenada em um computador que não esta conectado ao PABX naquele
momento e mais tarde possa ser transferida para o PABX.
Também é possível efetuar a atualização de software do HiPath 1100 através do Software
Update e armazenar a base de dados com as programações do sistema.

Caso se tenha salvado previamente a base de dados de versões anteriores e se


queira fazer a atualização da base de dados para o HiPath 1100 V7.0, basta
restaurar o arquivo *.bup e a atualização é realizada automaticamente pelo
sistema. Ao final do processo de restauração é comunicado ao usuário, através de
mensagens popup, as alterações feitas devido à restauração executada.

No caso de uma administração remota através de uma linha digital RDSI onde não
se detecte o tráfego de dados entre o sistema e o programador remoto, pode-se
encerrar a conexão em um período de tempo pré-configurado (1minuto a 60
minutos) ou manter a conexão por um tempo indeterminado. O padrão é um timeout
de 30 minutos.

Recomenda-se a leitura do arquivo de Ajuda do HiPath 1100 Manager antes de efetuar


qualquer operação

Manual de Serviço 7-297


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

7.4.4 Configuração ADSL

7.4.4.1 Módulo ADSL


No CD de instalação estão disponíveis alguns softwares, no release 2.6 ou superior,
destinados a configuração do módulo.

Informações gerais:
– Protocolo TCP/IP;
– IP padrão: 10.0.0.1;
– SubNet Mask padrão: 255.255.255.0.

Caso haja a necessidade de Resetar o IP e a SubNet Mask, utilize o Código 013


"Configuração padrão da interface LAN" - Após este comando o IP do Módulo ADSL
será 10.0.0.1.

Router ADSL Software Update


O Router ADSL Software Update é um programa utilizado para efetuar o update do módulo
em conjunto com o arquivo IMG.
Para realizar a atualização, a linha ADSL deve ser desconectada e o sistema de ser resetado
através da tomada de alimentação AC. Logo após a reconexão da tomada AC aguarde
aproximadamente 2 minutos para o sistema se estabilizar e poder iniciar.

Figura 7-14 SW Router ADSL firmware update

7-298 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Router ADSL Config


Depois da atualização do software o Módulo ADSL deve ser configurado, de acordo com as
necessidades do cliente, através do deste tool.

Figura 7-15 SW Router ADSL configuration

Verificando a versão do SW do ADSL


Para verificar qual a versão do SW carregado no Módulo ADSL, siga o seguinte procedimento:
1. Conecte um PC no Módulo;
2. Abra um “command prompt” no windows (DOS prompt);
3. Execute o comando - telnet X.X.X.X ( onde X.X.X.X é o endereço IP configurado no
Módulo ADSL, neste caso 10.0.0.1);

Manual de Serviço 7-299


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

4. Pressione “Enter”. Se o módulo estiver com a versão correta de SW, a mensagem


“Siemens Ltda / euroset Line ADSL Router - Software Version 8 1r110k / Login” será
exibida. Depois deste procedimento, feche esta janela.;

7.4.4.2 Módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC e ADSLIM

Informações gerais:
– Protocolo TCP/IP;
– IP padrão: 192.168.254.253;

Configuração
A configuração é feita através de uma interface web, que pode ser acessada via qualquer web
browser como o internet explorer.

Figura 7-16 Configuração ADSL via web Browser

A interface web é o Siemens Administrative Console e para o acesso desta interface é


necessário acessar o endereço padrão http://192.168.254.253 no web browser. A primeir tela
informará a versão da Firmware (por exemplo: WX700018) e o endereço MAC do módulo.

7-300 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Para outras configurações é necessário entrar com o “User name e Password”. A janela
solicitando as informações é mostrada se outro link da web page for acessado.

Figura 7-17 Janela de “Password e User Name” para acesso via web browser

O “User Name” padrão é admin e a “Password” é 31994.

Mudando a Password
Recomendamos alterar a Password padrão após o primeiro acesso. Isto é possível através do
link : >>System<< – >>Password Change<<.

Figura 7-18 Alterando a “Password ” padrão

Depois da mudança da password, pressione o botão “Save Changes”.

Manual de Serviço 7-301


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Alterando o endereço IP
É possível mudar o endereço IP através do link : >>Network<< - >>LAN<<.

Figura 7-19 Alterando o endereço “IP ” padrão

Depois da mudança do endereço IP, NetMask e Gateway é necessário pressionar o botão


>>Change<<, para confirmar a corrente alteração. Esta configuração será salva depois de
pressionar o botão “Save & Reboot”.

Depois do Reboot, o acesso ao “Siemens administrative Console” não será possível


durante 30 segundos e o novo endereço IP deverá ser inserido no web browser para
acessar a interface web.

7-302 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Configuração padrão
O usuário pode retornar a configuração padrão de fábrica através do link : >>System<< -
>>Reset<<.

Figura 7-20 Configuração padrão de fábrica

Para retornar a configuração padrão, de pressione o botão “Factory Defaults”.

Este procedimento provoca o Reboot do módulo e o acesso ao “Siemens admini-


strative Console” não será possível durante 30 segundos e o endereço IP padrão
(192.168.254.253) deverá ser inserido no web browser para acessar a interface web

Manual de Serviço 7-303


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Upgrade Firmware
Para realizar o upgrade de firmware é necessário acessar o link : >>System<< - >>Firmware
Upgrade<<.

Figura 7-21 Seleção de arquivo de Firmware para Upgrade

Pressione o botão “Browse” para selecionar o arquivo .bin para atualizar a firmware.

Verifique se o arquivo selecionado é um arquivo válido de firmware. O interface web


aceita qualquer tipo de arquivo e isto pode causar o mal funcionamento do Módulo.
A atualização de software só pode ser feita por usuários que conheçam a password
de administração.
Para atualizar o módulo ADSL antigo, o arquivo de firmware termina com .img.
Para atualizar o módulo ADSL novo, o arquivo de firmware termina com .bin.

7-304 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Depois de selecionar o arquivo com a versão correta de firmware, o upgrade é realizado


pressionando o botão >>Upgrade<<.

Figura 7-22 Firmware Upgrade

A operação estará concluída quando a palavra done for mostrada na web page.

A atualização de firmware, retorna o módulo a configuração padrão de fábrica. Este


procedimento provoca o Reboot do módulo e o acesso ao “Siemens administrative
Console” não será possível durante 30 segundos e o endereço IP padrão
(192.168.254.253) deverá ser inserido no web browser para acessar a interface web

7.4.4.3 Configuração do Modem Speed Stream


Após instalado o acesso ADSL ao seu provedor e a conexão ao HiPath 1100, podem ser
necessários alguns ajustes nos parâmetros do modem ADSL dos módulos SADSLIM (HiPath
1120) e ADSLIM (HiPath1150/1190/1190R).
A configuração do Modem Speed Stream pode ser acessada através da interface web
também. O endereço IP padrão é 192.168.254.254 e pode ser acessado de qualquer web
browser, como por exemplo MS Internet Explorer.

Manual de Serviço 7-305


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-23 Configuração do Modem Speed Stream

No primeiro acesso será necessário configurar um User name e uma Password.


● User name: admin
● Password: 31994 ou admin
Com estes User name e Password o usuário pode fazer o login no modem.

Figura 7-24 Login no Modem Speed Stream

7-306 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Após o login, o acesso a configuração do modem é habilitada.

Figura 7-25 Configuração do Modem Speed Stream

7.4.4.4 Retorno a configuração de fábrica


É possível reiniciar o modem através da opção “Reboot” no WebServer do Modem ADSL, ou,
também é possível resetar o Router para o padrão de fábrica através do botão de Reset. O
Reboot deverá ser utilizado quando o Router necessitar ser reiniciado sem perder suas
configurações correntes.
O reboot do Router será selecionado em Tools>Reboot na parte esquerda do painel de
navegação da interface Web. Esta ação apresenta a seguinte a janela “System Reboot”.
A janela “System Reboot” é apresentada durante o processamento. Quando o Router tiver
terminado o reboot, o sistema apresentará a janela “System Summary”

Manual de Serviço 7-307


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-26 Retorno a configuração de fábrica

O reset do modem ADSL para o padrão de sistema, deverá ser feito quando for necessário
recuperar as configurações padrão. Isto pode ser necessário quando a configuração do cliente
não funcionar como o esperado, quando uma nova configuração for desejada ou quando o
router não aparecer estar trabalhando corretamente.
Esta opção reseta todas as configurações customizadas, usuários e passwords do
seu modem.
Para mais informações consulte o manual de usuário do SpeedStream 4100 no CD
de instalação.

7.4.4.5 COMGATE
Para utilizar o novo módulo ADSL em sistemas mais antigos que o HiPath V7.0 (V6.0 e V5.2),
é necessário utilizar o modo COMGATE. Neste modo o módulo pode ser acessado da mesma
forma em sistemas mais antigos que o HiPath V7.0 .

7-308 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Por padrão a configuraçãi de conexão da aplicação do novo módulo ADSL é configurada para
HiPath V7.0. Para utilizar o modo COMGATE é necessário configurar o novo módulo ADSL
através do link >>Network<<->>HiPath<<.

Figura 7-27 Acesso ao COMGATE

Neste link é possível verificar a configuração atual e modificá-la para as versões 5.2 ou 6.0
pressionando o botão >>Change<<.
Depois pressione o botão >>Save & Reboot<< o sistema irá reiniciar no modo COMGATE. A
configuração na interface web, trabalha da mesma forma como explicado anteriormente.
Somente a conexão com o HiPath 1100 será feita através do CommServer e irá utilizar o
endereço IP definido na interface web e o port.

Manual de Serviço 7-309


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-28 Configuração CommServer

Para conectar as aplicações HiPath 1100 mais antigas que a V 7.0, é necessário configurar o
CommServer para “ADSL Connection”, entrar com o novo endereço IP 192.168.254.253 e o
Port 9366.

7.4.4.6 ECOMMSERVER
O eCommServer será capaz de operar quando um novo módulo ADSL for conectado em um
dos seguintes sistema: HiPath V 7.0 (HiPath 1120 e HiPath150/1190).
O eCommServer não será suportado pelos módulos antigos ou quando um módulo novo for
conectado ao HiPath V6.0 ou versões anteriores.
Os usuários não irão acessar o eCommServer diretamente. A utilização do eCommServer
será feita através dos aplicativos do sistema, sendo assim, transparentes para o usuário.
O CommServer instalado no PC não é usado para conectar o HiPath V7.0 via o novo módulo
ADSL. A conexão é feita através do eCommServer.
O Aplicativo apontará diretamente para o IP do novo módulo, como em uma conexão remota.
Cada aplicação deverá ser configurada para acessar o eCommServer, na ferramenta
Manager, por exemplo, a configuração é feita n o Tool bar: Tools\Communication Server
Configurations.

7-310 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-29 Communication Server Configurations

Depois da configuração do IP do no módulo ADSL, o aplicativo pode conectar-se diretamente


ao eCommServer instalado no módulo.

7.4.4.7 Como liberar a facilidade ADSL em novos Países


1. Envie a corrente configuração utilizada para ADSL e também teste a mesma configuração
no Módulo. Assim que estas informações forem recebidas, pela área responsável,
indicando o correto funcionamento (renato.collere@siemens.com, harold.erbesdobler
@siemens.com e sergio.gamo@siemens.com), serão inclusas na documentação oficial
de liberação do ADSL (também armazenada no KMOSS) onde países, operadoras e
configurações são relatados.
2. A seguinte seqüência será inclusa na documentação oficial de liberação do ADSL:
1. Se o ADSL esta sendo introduzido em um País é necessário que:
● Verifique se já existe uma documentação oficial no KMOSS com a configuração
do país e operadoras;
● Caso exista uma documentação oficial sobre a configuração do ADSL, esta
deverá ser testada e liberado para a Operadora local.
– Se esta configuração estiver adequada ou caso tenha algum problema, informe
e envie (utilize o Formulário padrão) para a pessoa responsável mencionada
acima que tomará as devidas providências(por exemplo, inserção na
documentação oficial ou a correção do problema).
● Se não existir configuração para seu país ou operadora na documentação oficial
do ADSL, proceda da seguinte forma:
– Se estiver em teste de campo, contacte o responsável e envie as informações de
configurações (utilize o Formulário padrão ) que serão tomadas as devidas
providências.

Manual de Serviço 7-311


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

– Se estiver introduzindo a facilidade ADSL no país ou sempre que houver uma


nova operadora é necessário ter uma liberação de ADSL para o país. Envie para
o gerente de produto local a configuração (utilize o Formulário padrão).
O gerente local deverá contactar/enviar esta informação para:
Mrs. Unterstaller, Martha
martha.unterstaller@siemens.com
Hofmannstr. 51
Muenchen
GERMANY
81379
phone: +49 89 722 23090
Mrs. Unterstaller deverá contactar : renato.collere@siemens.com,
harold.erbesdobler @siemens.com e sergio.gamo@siemens.com. Eles tomarão
as devidas providências.
3. Próxima liberação oficial do ADSL (armazenada no KMOSS) incluirá:
● Países, operadoras e configurações utilizadas ( quando a informação estiver
disponível);
● Pelo menos um exemplo passo-a-passo de configuração do tool ADSL, que é
baseada na informação recebida de configuração;
● Instruções a respeito da sequência correta e nomes para introduçao por pais, novas
operadoras e teste de campo ( já mencionada neste documento, itém 2);
● Se um país ou operadora não estiver incluído na liberação ADSL, então a introdução
não é uma versão de Service/Suporte;
● Suporte para ADSL do ESL 4.2, HiPath 1100 V5.0 ou HiPath 1100 V5.1 não garante
suporte para HiPath V5.2 ou mais recente, exceto quando indicado na documentação;
4. A próxima liberação oficial de software, hardware ou Aplicativo para PABX, que
mencionar ADSL, deverá deixar bem claro em sua documentação de liberação que:
A Facilidade ADSL é liberada somente somente para os países e operadoras
mencionados na correspondente documentação oficial de liberação ADSL e
correpondentes a versão mencionada no KMOSS.

Formulário padrão
Configuração ADSL
1. ADSL Interface:
[ ] ADSL OVER POTS G992.1 B
[ ] ADSL OVER POTS G-Lite
Maximal Upstream rate: ______ kbps

7-312 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Maximal downstream rate: ______ kbps


2. ATM Interface:
1. VPI: _____
2. VCI: _____
3. Access Protocol
1. Access Protocol Type
[ ] RFC1483 Bridge
[ ] RFC1483 Routed
[ ] PPPoA
[ ] PPPoE
[ ] IpoA
[ ] Other:_____________________
4. IP Services
1. Fixed DHCP provider IP (for RFC1483 Router)
[ . . . ]
2. Fixed DNS provider IP (for RFC1483 Router)
[ . . . ]
5. Necessidades especiais
_____________________________________________________________________
_____________________________________________________________________

7.4.4.8 Siemens Admin Console


É uma ferramenta de administração utilizada na configuração dos módulos SLIMC, SADSLIM,
LIMC e ADSLIM.
Os módulos são configurados acessando o número do seu IP (192.168.254.253 - padrão) a
partir do seu Web browser http://192.168.254.253 (Microsoft Internet Explorer or Netscape
Navigator, versão 5.0 ou mais recente).
O Siemens Admin Console disponibiliza diversas "guias" onde é possível verificar ou alterar
as configurações existentes.

Manual de Serviço 7-313


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Informações gerais:
– IP padrão do Modem: 192.168.254.254
– IP padrão do Módulo: 192.168.254.253
– SubNet Mask padrão do Módulo: 255.255.255.0
– Gateway padrão do Módulo: 192.168.254.254
– Usuário padrão - admin
– Senha - 31994

Guia Info
Apresenta as informações gerais a respeito do módulo.

Guia Status
Apresenta as informações sobre o estado das conexões:
● Configuração da LAN;
● As conexões físicas disponíveis;
● As conexões do modem ADSL.

Guia System
Apresenta as informações sobre o sistema:
● Password change - altera a senha de acesso;
● Firmware Upgrade - atualiza a firmware, com a opção de selecionar a caixa de verificação
"Erase JFFS2 partition" caso se queira apagar as configurações anteriores do módulo ao
fazer a atualização.

Guia Network
Apresenta as informações sobre a configuração interna do módulo.
● LAN - apresenta a configuração corrente e permite a alteração dos parâmetros (números
de endereço IP, Netmask, Gateway e DHCP Client).
● Hosts - apresenta os endereços IP e o nome dos Host configurados no módulo e também
permite a adição de novos ou a remoção dos existentes.
● HiPath - apresenta a versão corrente do módulo e permite a sua alteração para V 5.2, V6.0
ou V7.0.

7-314 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Os módulos SLIMC, SADSLIM, LIMC e ADSLIM são configurados de fábrica na


versão 7.0, sendo possível modificar a configuração para as versões 5.2 e 6.0
através da guia Network -> HiPath.

7.4.4.9 Configuração do Modem SpeedStream 4100


Após instalado o acesso ADSL ao seu provedor e a conexão ao HiPath 1100, podem ser
necessários alguns ajustes nos parâmetros do modem ADSL dos módulos SADSLIM (HiPath
1120) e ADSLIM (HiPath1150/1190/1190R).
Estes ajustes são efetuados acessando o número do seu IP (192.168.254.254 - padrão) a
partir do seu Web browser http://192.168.254.254 (Microsoft Internet Explorer or Netscape
Navigator, versão 5.0 ou mais recente) onde as informações do protocolo ADSL e VPI/VCI
utilizados pela operadora, DNS, nome de usuário e senha do provedor, devem ser
configuradas.

O modem ADSL utilizado é modelo da Siemens SpeedStream 4100 e as suas


instruções de configuração podem ser consultas no seu manual que se encontra no
CD de instalação.

Manual de Serviço 7-315


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

7.4.5 Configuração LCR


1. Acesse “Avançado/Configuração do Sistema” e selecione LCR;

Figura 7-30 Modo LCR

2. Acesse “Avançado/Configuração do Sistema/Configurações Regionais”;


1. Selecione a configuração de discagem na C.O.;
2. Selecione os prefixos nacional e internacional;
Por exemplo, no Brasil é usado: Prefix + Cod. Operadora + Cod. de destino.
● Prefixo Nacional: 0;
● Prefixo Internacional: 00;

7-316 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-31 Modo LCR - configuração regional

3. Vá para “Avançado/LCR” e selecione Criar nova tab e em seguida, forneça um nome;


Por exemplo, Tabela: teste, é possível criar até 8 tabelas.

Manual de Serviço 7-317


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-32 Modo LCR - criando tabelas

1. Em Destino, click dentro do retângulo para editar o nome da regra;


2. Em Código, click dentro do retângulo para editar o código (código local de área ou
destino);
3. Em Tipo, selecine Local ou Nacional ou Internacional;
1. No prefixo Nacional o mesmo prefixo vindo de “Avançado/Configuração de
sistema/Configuração Regional” será adicionado;
2. No prefixo Internacional o mesmo prefixo vindo de “Avançado/Configuração de
sistema/Configuração Regional” será adicionado;
4. Em Grupo de troncos, selecione o o grupo de troncos saintes para as chamadas;
5. Em Operadora, click dentro do retângulo para editar o nome da Operadora;
6. Em Número, click dentro do retângulo para editar o número da Operadora;

7-318 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-33 Modo LCR - configurando regra

Exemplo:
● Destino = regra 1
● Código = 11
● Tipo = Nacional , quando Nacional for selecionado, o prefixo Nacional será adicionado em
Código.
Código = 011
● Grupo de troncos = 0
● Operadora = Brasil Telecom
● Número = 14

Manual de Serviço 7-319


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-34 Modo LCR - exemplo de regra

Agora, é necessário definir o intervalo de tempo (inicial e final), os dias e clicar em Adicionar
intervalo de tempo.

7-320 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Figura 7-35 Modo LCR - intervalo de tempo

Exemplo 1
Prefixo + código de operadora + código de destino
O ramal retira o fone do gancho, toma um tronco (ouve tom falso) e disca 011+ 33335000.
A regra LCR, toma o tronco dogrupo ) e disca no tronco 0 + 14 + 11 + 33335000.

Exemplo 2
Código de operadora + prefixo + código de destino
O ramal retira o fone do gancho, toma um tronco (ouve tom falso) e disca 011+ 33335000.
A regra LCR, toma o tronco dogrupo ) e disca no tronco 14 + 0 + 11 + 33335000.

Exemplo 3
Prefixo +código de destino + Código de operadora
O ramal retira o fone do gancho, toma um tronco (ouve tom falso) e disca 011+ 33335000.

Manual de Serviço 7-321


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

A regra LCR, toma o tronco dogrupo ) e disca no tronco 0 + 11 + 14 + 33335000.

7.4.5.1 GSM/SIP BOX com suporte LCR


Os controles dos grupos de troncos e grupo de troncos para transbordo eram associados pela
operadora ao invés do destino como nas versões inferiores a V7.0. Devido a isto, todos os
destinos com uma operadora em comum usam o mesmo grupo. Se o usuário alterar o grupo
de troncos associados a operadora, toda as regras desta operadora mudam para este grupo
de troncos.
Nesta nova versão o usuário pode configurar operadoras com o mesmo número, mas com
diferentes grupos de troncos. Veja o exemplo:

Figura 7-36 Modo LCR - GSM/SIP box

Note que as operadoras são as mesmas mas, os grupo de troncos são diferentes. Esta opção
é possível somente em versões do V7.0 ou superiores.
Cada tabela tem sua própria operadora padrão. Nas versões anteriores, a operadora padrão
é do sistema. A operadora padrão do sistema nos backups antigos é refletida em todas as
tabelas quando a operação de restore era realizada (conversão do database). Por outro lado,
quando o usuário selecionar o botão “Apply to all regions”, um operadora padrão é copiada
para todas as tabelas.
Quando o usuário recuperar o backup de versões anteriores ao V7.0 e este backup tem alguns
grupos de troncos e grupos de troncos para transbordo por destino configurados, a coluna
grupos troncos e grupos de troncos para transbordo por destino será visualizada com somente
leitura. Estas colunas mostrarão apenas a informação que existe alguns destinos
configurados como grupo de troncos e/ou grupo de troncos de transbordo.

7.4.5.2 Importação de LCR apartir da “Telefonsparbuch”


Note que esta facilidade pode ser usada para o HiPath 1100 e 1200, mas o serviço deverá
estar disponível ou o site que atende o país deve fornecer o arquivo com a configuração LCR
no formato definido em www.telefonsparbuch.de.
Duas novas opções estão inclusas na pasta Avançado/LCR : importar e exportar arquivos
LCR. Quando um usuário importa um arquivo LCR, as regras existentes são sobrescritas.
Antes de realizar esta operação uma mensagem pergunta se o usuário deseja manter ou
perder as operadoras já configuradas.

7-322 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

7.4.6 E1 Trunk Manager


O E1 Trunk Manager é um programa de administração utilizado para efetuar a programação
do módulo TME1 com acesso E1 CAS.

Requisitos de hardware:
– Interface de comunicação serial (COM port).

Informações gerais:
Pelo E1 Trunk Manager é possível:
● fazer o download do software e do database;
● retirar traces;
● escolher o tipo de conexão do software com o módulo (local ou via modem);
● escolher a porta de comunicação;
● Selecionar o país durante a instalação do programa com seu respectivo protocolo e
sinalizações CAS (por exemplo, sinalização de linha (1bit-E&M e 2bit-R2) e sinalização de
registro (Dial Pulses, DTMF e MFCR2)).
Para maiores detalhes da configuração do módulo TME1 com acesso E1 CAS, veja as
indicações no arquivo “Ajuda” do programa.

Caso o módulo não entre em operação, ver o seu estado no display de sete
seguimentos (ver “Módulo TME1” na página 3-61).

7.4.7 S2M Maintenance


O S2M Maintenance é um programa de administração utilizado para efetuar a programação
do módulo TME1 com acesso S2.

Requisitos de hardware:
– Interface de comunicação serial (COM port).

Informações gerais:
Pelo S2M Maintenance é possível:
● fazer o download do software;
● retirar traces;

Manual de Serviço 7-323


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

● escolher o tipo de conexão do software com o módulo (local ou via modem);


● escolher a porta de comunicação;
Para maiores detalhes da configuração do módulo TME1 com acesso S2, veja as indicações
no arquivo “Ajuda” do programa.

Caso o módulo não entre em operação, ver o seu estado no display de sete
seguimentos (ver “Módulo TME1” na página 3-61).

A disponibilização dos softwares de administração HiPath 1100 Manager, HiPath


1100 ADSL Manager, E1 Trunk Manager e S2M Maintenance para clientes está
sujeita a realização de curso técnico pelos usuários que os utilizarão.

7.4.8 Gestor de Conta (CDR)


Software dos dados de tarifação.
Para inicializar o Gestor de Contas, selecionar:
Iniciar/Programas/HiPath 1100/ Call Detail Recording

7.4.9 Indicação do Status Monitor


Indicação do Status Monitor no computador.
Para inicializar a Indicação do Status Monitor, selecionar:
Iniciar/Programas/HiPath 1100/StatusMonitor

7.4.10 Assistente de MOH Transfer


Assistente de transmissão MIDI para a conversão de arquivos MIDI para o formato HiPath
1100 e transmissão para o sistema. Este arquivo MIDI substituirá a música interna
Para inicializar o assistente de transmissão MIDI, selecionar:
Iniciar/Programas/HiPath 1100/ MOH Transfer

7.4.11 Software Update


A atualização de software dos sistemas HiPath 1100 são realizadas através do aplicativo
Software Update.
Para iniciar o Software Update existem duas opções:

7-324 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Através do Menu Iniciar do Windows:


Iniciar/Programas/Siemens HiPath 1100/Software Update.

Através da Barra de Menu do HiPath 1100 Manager:


Ferramentas/Atualização de Software
O aplicativo permite que passo a passo sejam fornecidas as informações necessárias para
efetuar o processo de atualização. Através do botão "Próximo" avança-se na configuração,
enquanto que o botão "Voltar" permite redefinir informações de passos anteriores.
A atualização de software é efetuada em dois passos:
1. Transferência de dados do software do sistema para o HiPath 1100 os ramais funcionam
durante este período
2. Carregar o software do sistema na memória os telefones não funcionam durante este
período (aproximadamente 3 minutos).
Para mais informações consulte o arquivo de Ajuda do HiPath 1100 Manager.

7.4.12 Aplicações CAPI


CallBridge for Data Utilities. Software para aplicações RDSI como, por exemplo, acesso à
Internet, enviar e receber Fax grupo 3/4, Euro File Transfer, emulação de telefone, etc).

7.4.13 Interaction Center Smart (software opcional)


Este aplicativo pode ser utilizado nos sistemas HiPath1150/1190/1190R permitindo que um
supervisor monitore e acompanhe um ou mais grupos UCD de até 32 agentes,
disponibilizando dados em tempo real sobre os estados dos agentes, chamadas recebidas,
fila de espera, estatísticas de atendimento por grupo e por agente, entre outras informações
que auxiliam no gerenciamento do Call Center. Com o Smart, é possível identificar a
quantidade de ligações recebidas, quantas são perdidas, os horários em que a empresa
recebe o maior volume de ligações entre outras informações.
O sistema ajuda a avaliar e melhorar o atendimento da empresa, disponibilizando estas
informações em uma ferramenta on-line ou por meio de relatórios, evitando perda de clientes
e auxiliando no dimensionamento adequado de atendentes. A solução
Interaction Center Smart é composta por duas ferramentas:
Monitor - gerencia em tempo real os estados dos agentes, chamadas em fila e estatísticas de
grupo como quantidade de atendimentos e abandonos, permitindo um acompanhamento
constante do atendimento.

Manual de Serviço 7-325


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

Analyst - proporciona ao supervisor total flexibilidade na análise de estatísticas de


atendimento por grupo e por agente em determinados períodos de tempo. Os relatórios
podem ser configurados com informações detalhadas do número de chamadas recebidas,
atendidas, abandonadas, transferidas, atendidas dentro dos perfis definidos, fora do objetivo,
duração de chamadas ACD, tempo total de conversação, tempo total de fila, entre outros
dados.

7.4.14 TAC Smart - Telephony Advanced Control (software opcional)


Este aplicativo pode ser utilizado nos sistemas HiPath1150/1190/1190R permitindo identificar
e apresentar todas as informações de uma chamada. Disponibiliza no computador do usuário
as principais funções de telefonia, monitoração do estado de ramais, discagem a partir da
agenda, lista de chamadas realizadas e recebidas e série de contatos, efetuando ligações
automaticamente para uma lista pré-determinada.
Pode se integrar a outros sistemas, efetuando o screen popup e enviando as informações
para um aplicativo já existente.

7.4.15 CallReport (software opcional)


O CallReport é um sistema de tarifação que permite registrar informações sobre chamadas
originadas ou recebidas pelo seu sistema PABX.
O CallReport trabalha em um PC comum sob ambiente Windows 95 / 98 /NT 4.0 / 2000 / XP.
Ele recebe periodicamente os dados emitidos pelo PABX que são processados e
armazenados no disco rígido do computador, já identificando o ramal, hora, duração, tronco
utilizado, rota de saída e o custo da chamada. Posteriormente são gerados relatórios com os
custos totais de um ramal, setor, grupo, entre outros e também a emissão de relatórios de
tráfego, tanto de saída como de entrada.
Todas as informações são definidas no banco de dados do CallReport, que podem ser
manipuladas pelo usuário denominado Administrador.

7.4.16 Protocolo VMIe (Voice Mail Interface - extended)


As conexões analógicas do Correio de Voz necessitam do protocolo VMIe. A comunicação
com o Correio de voz é realizada através de sinais DTMF compostas pelas seguintes
informações:

Tipo de chamada (TOC)


Elemento obrigatório
1
Tamanho fixo: 4 caracteres
Formato: “***n” (n = código da tabela abaixo)
Código Tipo de chamada Código Tipo de chamada

7-326 Manual de Serviço


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

1 Chamada interna para Correio de 2 Não usado


Voz
3 Desvio (*11) 4 Segundo atendente (*14)
5 Não usado 6 Não usado
7 Não usado 8 Não usado
Ramal chamador
Elemento obrigatório
Tamanho fixo: 6 sinais DTMF
2 Formato: “****i” (i = ramal chamador)
Formato da chamada externa: sempre “******”
Nota: se o ramal é maior, o dígito DTMF “*” no protocolo é substituído pelo dígito
adicional do ramal.
Ramal chamado
Elemento obrigatório para chamadas do tipo 3 e 4
O elemento permanece vazio para todos os outros tipos de chamada
3 Tamanho fixo: 6 sinais DTMF
Formato: “****i” (i = ramal chamado)
Nota: se o ramal é maior, o dígito DTMF “*” no protocolo é substituído pelo dígito
adicional do ramal.
Informação adicional sobre o ramal chamador
Elemento opcional
4
Tamanho fixo: 2 sinais DTMF
Formato: “*i” (i = código da tabela abaixo)
Código Informação
1 O Ramal chamador é um ramal interno normal
2 Não usado
3 O Ramal chamador é um usuário externo em uma linha analógica
4 O Ramal chamador é um usuário externo em uma linha digital

Exemplos:
1. Chamada interna do ramal 16 para o grupo VMIe: ***1***16*1;
2. Chamada interna do ramal 15 direta para o ramal 11, o qual está desviado (*11) para o
grupo VMIe: ***3****15****11*1;
3. Chamada interna do ramal 11 direta para o ramal 15, o qual está desviado para o grupo
VMIe configurado como segundo atendedor: ***4****11****15*1;
4. Chamada de entrada através de uma linha externa analógica para o ramal 11, o qual está
desviado (*11) para o grupo VMIe: ***3**********11*3;

Manual de Serviço 7-327


Colocando em serviço
Aplicativos do HiPath 1100

5. Chamada de entrada através de uma linha digital para o ramal 11, o qual está desviado
(*11) para o grupo VMIe: ***3**********11*4;
6. Chamada de entrada através de uma linha externa analógica para o ramal 12, o qual está
desviado para o grupo VMIe configurado como segundo atendedor: ***4**********12*3;
7. Chamada de entrada através de uma linha digital para o ramal 12, o qual está desviado
para o grupo VMIe configurado como segundo atendedor: ***4**********12*4;
8. Chamada interna do ramal 1015 direta para o ramal 1011, o qual está desviado (*11) para
o grupo VMIe: ***3**1015**1011*1;
9. Chamada interna do ramal 10015 direta para o ramal 10011, o qual está desviado para o
grupo VMIe configurado como segundo atendedor: ***4*10015*10011*1.
Protocolo do Correio de voz para o sistema:
O Correio de Voz sinaliza que há mensagens na caixa postal do ramal através do código de
serviço do DTMF (*68) mais o número do ramal. Quando a mensagem é apagada, outro
código DTMF é usado (#68) a fim de desativar a sinalização no ramal que pertence ao grupo
VMIe. Além disso, esses códigos são configuráveis no caso de incompatibilidade com os
sistemas de Correio de voz. Por favor, verifique os itens “Desativação do WMI interno #68” e
“Ativação do WMI interno *68” na pasta “Configurações do Sistema - Códigos de serviço” do
HiPath 1100 Manager.

Exemplo:
1. Correio de voz informa que o ramal 13 tem uma mensagem na caixa postal: *6813;
2. Correio de voz informa que o ramal 12 a caixa postal está vazia: #6812.

7-328 Manual de Serviço


Códigos de acesso às facilidades
Plano de numeração

8 Códigos de acesso às facilidades


O HiPath 1100 possui um plano de numeração que pode ser programado através do HiPath
1100 Manager ou por códigos através do telefone.

8.1 Plano de numeração

Descrição HiPath 1120 HiPath 1150 HiPath 1190


Linha externa 801 a 808 801 a 822 801 a 845
Ramal, incluindo S0 11 a 30 11 a 60 101 a 240
610 a 645
Grupo de linhas externas 0 ou 890 a 899
Grupo de chamada (CG) 770 a 779
Grupo de busca (HG) 780 a 789
Grupo de chamada UCD 790 a 799
Operadora 9
EVM - Número interno padrão 790
EVM - Portas de anúncio 7491 e 7492
EVM - Portas virtuais 744 a 747
Atendedor/FAX - Portas virtuais de
740 a 743
anúncio
Linha para USB - CAPI 10 100
Substituto da tecla * e # 75 e 76 respctivamente

Manual de Serviço 8-329


Códigos de acesso às facilidades
Símbolos

8.2 Símbolos

Símbolos Explicação

Digitar os números, teclas, senha, número interno ou externo,


ll, q, p ... etc

w Sinalização com um breve tom (Bip)

n/t Retirar/Colocar o monofone do gancho

s Iniciar a conversação

Menu serviço
Menu de Serviço

Tecla programável acesa

Tecla programável apagada

Tecla programável intermitente

< >e : Teclas de navegação

8.3 Facilidades
As facilidades nos telefones de sistema podem ser selecionadas utilizando-se:
1. Menu principal através das teclas de navegação;
2. Tecla Feature e depois navegando na lista de opções de facilidades;
3. Tecla Feature e o respectivo código da facilidade;
4. Tecla Programável;

Facilidade Código

Funções do telefone de sistema

Acesso à caixa postal Caixa Postal


tecla programada com WMI

Consulta de tarifação qji

8-330 Manual de Serviço


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Desvio Desvio
p
Desvio Desvio
Desativação

Estacionamento Estacionamento
d a m posição
Estacionamento
Retomando chamada Estacionamento d a m posição
Lista de chamadas rlf lista < >e :

Programando tecla para uma qme Escolher uma tecla <>


função
facilidade a ser programada e :

Rediscagem Rediscagem

Atende/encerra viva-voz

Alto falante

Alto-falante
Ativa/desativa alta-voz

s Alto falante

Verificação do estado do Relé rmheh


Ocupação de linha externa
Chamada externa dp
Chamada externa através de
grupo de linhas externas
lmd.lmm p externo

Ocupação de linha externa espe-


cífica
lde.lhi p externo

Manual de Serviço 8-331


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Acesso à Internet
Ativação
qhmg p linha externa

Acesso à Internet
Desativação
rhmg p linha externa

1º) Aguardar w t O telefone toca n

p externo s
Reserva de linha externa
Ocupada ou

2º) Menu Serviço qil t


O telefone toca n p externo s
Funções usadas na realização de chamadas
Agenda do sistema qk + ddd.fhm
Agenda individual qk + qd.qh

Agenda individual
qmf + qd.qh ALTERAR? :
Programação
p número SALVAR? v aguardar w

Atendimento automático em
viva-voz qmj aguardar w
Ativação

Atendimento automático em
viva-voz rmj aguardar w
Desativação

Chamada com comunicação


qld p ramal com telefone de sistema
direta
aguardar w s pronunciar a mensagem
Chamada interna p ramal
Chamar grupo de chamada (CG) kkd.kkm

8-332 Manual de Serviço


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Chamar grupos de busca (HG) kld.klm


Chamar grupo de chamada UCD kmd.kmm
1º) n p (ocupado) Aguardar w s

ou
Chamada urgente
Ramal ocupado
2º) n p (ocupado) Menu Serviço

qil s
Hotline
(Caso programado)
ns
Warmline
(Caso programado)
n Aguardar s
Intercalação p ramal ocupado Menu Serviço
No ramal ocupado
qjf s
LCR Bypass qhi + p Operadora + número s
Visualizar tempo limites rji
Monitoração silenciosa
(No ramal ocupado)
qmhh p ramal ocupado s

1º) p não atende ALTERAR? : ou


qil w Aguardar. O telefone toca n s
Rechamada
Ativação ou
(Ramal não atende ou ocupado)
2º) Aguardar w t
Aguardar. O telefone toca n s
Rechamada
Desativação
ril

Manual de Serviço 8-333


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Operadora m

Chamada através de um MSN


qhe p Posição MSN ou Número MSN
temporário
p linha externa p número externo
Funções usadas durante a chamada
Código de custo qjd p código de custo r p número
s Consulta p número
Conferência
s Menu Serviço qg s
Consulta
(Para encerrar a Consulta, aguarde s Consulta p s
desligar)

Estacionamento s Menu Serviço qij + d.m


Recuperação de chamada
estacionada
rij + d.m s

Estacionamento Geral s Est. Geral t


Recuperação de chamada exter- qjg + p linha s
na estacionada

Pêndulo
(Utilizar após Consulta, para atendi
mento de Segunda Chamada ou
s Menu Serviço qf s
Chamada Urgente)

Pós-discagem s p dados
Recuperação de uma chamada s Menu Serviço qd
em espera (caso ocupado ou não atende)

8-334 Manual de Serviço


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Transferência
(Quando uma linha externa analógi Interna:
ca programada com “Inversão de
Polaridade”ou uma linha externa s p ramal t
digital estiver sendo utilizada, é
necessário aguardar o atendimento
para a transferência. Caso contrário Externa:
não é necessário esperar o atendi
mento para a transferência sem s < > TRANSFERENCIA? v p número (s)
consulta)

Funções usadas no recebimento de chamadas


Acesso à caixa postal p Grupo de Correio de Voz

Menu Serviço qii


ou
Atendimento de chamada em
espera
s Menu Serviço qf s
ou
ATD.C.ESP ? :
qik
Captura em grupo ou
CH P/ GRP ATEND? :
Captura individual qim p ramal
Desvio em linha analógica:

Desvio para número externo qee p externo :


qee p ramal, Grupo de Correio de Voz, Grupo
Desvio interno
de Chamada ou Atendedor/FAX :

Desvio
Desativação
ree

Manual de Serviço 8-335


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Desvio em caso de não atendi- qeh p ramal, Grupo de Correio de Voz, Grupo
mento ou ocupado
Ativação de Chamada ou linha externa :

Desvio em caso de não atendi-


mento ou ocupado reh
Desativação

Não perturbe
Ativação
qmk

Não perturbe
Desativação
rmk

EVM:

Consulta no próprio ramal kmd Grupo VM p senha


Consulta à partir de outro ramal kmd Grupo VM p senha p ramal s

Consulta à partir de um ramal


s p seu número externo + q
externo
p senha p ramal
Funções diversas
Menu Servico qje
Porteiro eletrônico
ou
Abertura de porta
Menu Servico qje p ramal
Alarme geral
Desativação
rmheh p senha

qmg p senha atual p nova senha


Mudança de senha de cadeado
p confirmar nova senha w
Cadeado
Ativação
qjj p senha

Cadeado
Desativação
rjj p senha

8-336 Manual de Serviço


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Sinalização de ocupado quando


o ramal esta ocupado qmhee :
Ativação

Sinalização de ocupado quando


o ramal esta ocupado rmhee
Desativação

Programação do sistema
Ativação
qmi p senha p códigos

Desativação de facilidades
(Desvios, Não perturbe, Proteção
de dados, Despertador, Rechamada
rd
e Atendimento em viva-voz)

Configuração do Idioma/País qmhef p código do país


Logon no grupo chamada (CG) e
Grupos de busca (HG)
qli p grupo (caso pertença a mais de um)

Logoff no grupo chamada (CG) e


Grupos de busca (HG)
rli p grupo (caso pertença a mais de um)

Monitoração de ambiente
(Babyphone)
qll

Música em espera
Ativação
qmhed música

Música em espera
Desativação
rmhed

Programação remota
HiPath 1100 Manager
qmmf

Manual de Serviço 8-337


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

1º) O ramal programador está em conversação com o


Programador remoto:
qmme w t
Programador remoto deve fornecer:
Programação remota p senha p códigos de programação
Através de um telefone MF
ou

2º) Programador remoto disca para o sistema e é atendi-


do através da facilidade Atendedor/FAX:
qmi p senha p códigos de programação
Proteção de dados
Ativação
qhmd

Proteção de dados
Desativação
rhmd

Relé
Ativação qmd
(Apenas para HiPath 1120)

Relé
Desativação rmd
(Apenas para HiPath 1120)

Serviço noturno
Ativação
qhh p senha

Serviço noturno
Desativação
rhh p senha

Tom de chamada em espera -


Ativação
n rlk w t
Tom de chamada em espera -
Desativação
n qlk w t
Transferir classe de serviço (COS) qidl p ramal p senha

8-338 Manual de Serviço


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

PABX Trace log qekk


Inicia

PABX Trace log rekk


Para

PABX Trace log estendido qekl


Habilita

PABX Trace log estendido rekl


Desabilita

Despertador
Despertador
(Diário)
qhje p hora (por exemplo 1230):

Despertador
(Diário, exceto fim de semana)
qhjf p hora (por exemplo 1230):

Despertador
(Após tempo determinado)
qhjg p hora (por exemplo 1230) :

Despertador
(Em data e horário definido)
qhjh p data/hora (exemplo 24121830):

Despertador
Desativação
rhj :

Funções de Grupo de chamada UCD


Agente disponível qhdf
Agente indisponível rhdf
Chamar grupo de chamada UCD kmd.kmm
Logon no grupo de chamada qhde p grupo
UCD (Caso pertença a mais de um )

Logoff no grupo de chamada


UCD
rhde

Manual de Serviço 8-339


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Agente UCD em serviço qhdg


Agente UCD fora de serviço rhdg
Mostrar o tamanho da fila para
agente UCD
qhdi

Sub PABX
Flash na linha externa analógica Menu Serviço qie
Operação como Sub-PABX lmd.lmm p número da linha
Funções exclusivas de linhas RDSI
Desvio imediato para MSN
Ativação
qjhe p externo w p MSN

Desvio imediato para MSN


Desativação
rjhe w

Desvio em caso de não atendi-


mento para MSN qjhf p externo w p MSN
Ativação

Desvio em caso de não atendi-


mento para MSN rjhf w
Desativação

Desvio em caso de ocupado para


MSN qjhg p externo w p MSN
Ativação

Desvio em caso de ocupado para


MSN rjhg w
Desativação

Identificação de chamadas
anônimas (Trace)
Menu Serviço qlh

Restrição de envio de MSN -


Ativação
qlj

8-340 Manual de Serviço


Códigos de acesso às facilidades
Facilidades

Facilidade Código

Restrição de envio de MSN -


Desativação
rlj

Utilização das facilidades da


operadora na rede RDSI
qidg p externo p código RDSI

Nota:
7 ● Para a Coréia o plano de numeração sofre as seguintes alterações:
a) O acesso ao grupo de linhas externas será feito pelo dígito "9" ao invés
de "0";
b) A chamada ao terminal de operadora será feito pelo dígito "0" ao invés
de "9";
c) A captura em grupo será feita pela seqüência "*0" ao invés de "*57";
d) A recuperação de uma chamada estacionada será feita pela seqüência
"*57" ao invés de "*0";
● Os códigos das facilidades podem ser alterados através do HiPath 1100
Manager. Neste caso um especialista deve ser consultado.

Manual de Serviço 8-341


Abreviaturas

9 Abreviaturas
Lista geral
Esta lista contém as abreviaturas usadas neste manual.

Tabela 9-1 Abreviaturas

Abreviatura Definição
ACD Grupo de atendimento automático de chamadas
ACS Seleção automática de operadoras (Alternative Carrier Selection)
ADSL Assymetric Digital Subscriber Line
ARG Argentina
BRA Brasil
CAPI Common ISDN Application Program Interface
CAS Channel Associated Signalling
CTI Computer Telephony Integration
COS Classe de acesso
CLIP Apresentação de identificação da linha chamadora
CD Carrier Detect, Sinal portador de dados
CHN China
CTS Clear To Send, Sinal de prontidão de emissão
DC Telefone analógico decádico
DDR Discagem direta a ramal
DG Distribuidor geral
DISA Direct Inward System Access
DSR Data Send Ready, Prontidão de serviço para emitir
DTMF Dual Tone Multiple Frequency
DTR Data Terminal Ready, Prontidão de serviço do equipamento
ESD Descarga eletrostática
ETSI European Telecomunications Standard Institute
EB Placa de ampliação
E1 Acesso primário
EWACO Listas de restrição e permissão
GND Ground, Terra

9-342 Manual de Serviço


Abreviaturas

Tabela 9-1 Abreviaturas


Abreviatura Definição
HKZ Tronco analógico
IM International Market, Mercado internacional
IND Índia
ISDN Rede de serviços integrados
LAN Local Área Network
LIM LAN Interface Module
MB Módulo base ou caixa base
MO Módulo opcional
MOH Music on Hold
MF Telefone analógico multifrequencial
MSN Multiple Subscriber Number
NT Terminação de rede
PABX Private automatic Branch Exchange
PC Computador pessoal
PEN Condutor de proteção mais condutor de neutro
PMP Ligação Ponto-Multiponto para o NT (RDSI)
PP Ligação Ponto a Ponto para o NT (RDSI)
PSU Power suply unit, Unidade de alimentação
PTC Resistência com coeficiente positivo de temperatura
RDSI Rede Digital de Serviços Integrados
RSA Republic South Africa (África do Sul)
RUF Ring
RTC Real time clock
RTS Request To Send, Solicitação de emissão
RxD Receive Data, Dados de recepção
S0 Acesso básico
SPA Espanha
SW Software
TAPI Telephony Applications Programming Interface
TFE Türfernsprecher, Porteiro

Manual de Serviço 9-343


Abreviaturas

Tabela 9-1 Abreviaturas

Abreviatura Definição
TN-S Sistemas de alimentação compostos por Fase e Neutro (aterrado)
TN-C-S Sistemas de alimentação compostos por Fase, Neutro (aterrado) e
Terra
TxD Transmit Data, Dados de emissão
UCD Universal call distributer
USB Universal serial bus
VMIe Extended voice mail interface

9-344 Manual de Serviço


Índice remissivo

Índice remissivo 1 D
Dados do sistema 2-23
Desembalar componentes 4-118
A Dimensões do sistema HiPath 1190/1190R
Abreviaturas 3-40, 9-342 4-122
Administração Remota 6-209 Dimensões do sistema HiPath1120 4-118
Ajustes nos telefones de sistema 5-189 Dimensões do sistema HiPath1150 4-120
Alimentação/proteção do sistema 4-169 Dimensões do sistema HiPath1190/1190R
Atribuição dos conectores da Módulo TME1 4-122
3-63 DISA 6-204
Atribuição dos contactos de botoneira 3-101 Distribuidor geral (DG) 3-92
Atualização de Software 6-208
Atulização de Software 7-324 E
E1 Trunk Manager 7-323
B Efetuar conferência visual 4-176
Back Plane 3-93 Efetuar o teste rápido 6-220
Baterias 3-90 Estrutura HiPath 1100 2-24
Bilhetagem
Códigos de programação 6-210 F
Descrição 6-254 Facilidades das teclas dos telefones de siste-
ma 5-188
C Fonte de Alimentação (PSU) 3-85
Cabeação do sistema 4-173
Cabo adaptador para modem analógico 3- H
109 HiPath 1100 ADSL Manager 7-298, 7-313
Cabo adaptador USB 3-107
Cabo adaptador V.24 3-104 I
Cabo coaxial TME1 3-111 Informações de segurança 1-15
Cabo de conexão 3-113 atenção 1-17
Cabo serial TME1 3-108 cuidado 1-18
Cabos de ligação 3-104 perigo 1-16
Características da PSU Informações importantes 1-15
HiPath 1120 3-86 Informe de acidentes 1-20
HiPath 1150/1190 3-87 Instalação da fonte de aúdio externa 4-167
Códigos de acesso às facilidades 8-329 Instalação da interface USB 4-165
Códigos de programação do sistema 6-193 Instalação da interface V24 4-164
Comentários sobre a programação 6-220 Instalação do porteiro eletrônico 4-167
Comportamento em casos de emergência 1-
20 L
Condições ambientais 2-36 Ligar o sistema à alimentação 7-273
Conexão dos ramais no DG interno do siste- Limites de ampliação para os sistema 2-26
ma 4-157 Lista de documentação 2-37
Conhecendo os sistemas 4-118
Correio de Voz 6-205

345 Manual de Serviço


Índice remissivo

M Programação de linhas externas 6-224


Modo de programação 7-273 Programação de porteiro interno 6-253
Módulo ADSL 6-269 Programação de ramal 6-198
Módulo de ampliação (EB) Programação de Relé e sensor no HiPath
HiPath 1120 3-51 1120 6-219
HiPath 1150/1190 3-54 Programação de sensor e relé no HiPath
Módulo opcionais (MO) 3-72 1120 6-270
Módulo Atendedor/Fax 3-80 Programação do Módulo Atendedor/FAX 6-
Módulo CD 16 3-82 213, 6-214
Módulo S0 3-57 Programação dos ramal 6-228
Módulo TME1 3-61 Programação específica do cliente 6-191
Módulo UP0/E e Módulo CTR UP0/E 3-69 Programação geral 6-205
Módulo opcionais (MO) HiPath 1120 Programações importantes 6-194
Módulo Música 3-83 Programando com aparelho telefônico 7-274
Módulos 3-39 Programando com um computador 7-275
Visão geral 3-39 Proteção das linhas externas e ramais exter-
Montagem da fonte PSU 4-150 nos 4-170
Montagem das baterias 4-156 Proteção e segurança de dados 1-21
Montagem dos módulos 4-135
Montagem dos módulos de ampliação e op-
R
cionais 4-128 Relação de módulos 3-40
Montagem dos sistemas HiPath 1100 4-115 Relés de falta de energia 4-172
Montagem dos terminais telefônicos 4-173 S
N S2M Maintenance 7-323
Normas técnicas e conformidades 2-35 Selecionar o local de montagem 4-117
Símbolos de segurança 1-15
P Sintaxe do modo de programação 7-274
Periferia do sistema HiPath 1100 2-25 Sistema de alimentação 2-23
Placa mãe (MB) 3-44
HiPath 1120 3-46
T
HiPath 1150 3-48 Telefone de sistema E 822-ST 5-182
Plano de numeração 6-191 Telefone de sistema Profiset 3030 5-178
Porteiro eléctrico Grothe 3-97 Telefone decádico (DC) e multifrequencial
Porteiro eléctrico Ritto 3-98 (MF) 5-190
Porteiro eletrônico 3-95 Telefones 5-177
Porteiro eletrônico externo 3-103 Telefones de sistema 5-177
Porteiro eletrônico interno - Interface 3-95 Tronco digital 6-261, 6-264
Porteiro eletrônico interno 6-209 V
Problemas com a senha padrão 7-275
Verificar a ligação à terra de proteção 4-171
Procedimento de montagem 4-116
Programação
Tronco digital 6-216
Programação de linha externa 6-196

Manual de Serviço 346


Copyright © Siemens Enterprise
Communications
Rua Pedro Gusso, 2635
81310-900 - Curitiba – PR
Brasil
Siemens Enterprise Communications
Tecnologia da Informações Corporativas Ltda é uma
marca licenciada pela Siemens AG.
Número de encomenda:
A31003-K1270-S100-6-V420
As informações fornecidas neste manual contêm
apenas as descrições gerais e as características do
desempenho, que em uso não se aplicam necessari-
amente sempre conforme descrito, ou que possam
ser alteradas como resultado de desenvolvimento
adicional dos produtos.
Uma obrigação de fornecer as características deseja-
das somente existirá se expressamente acordado
nos termos do contrato. A disponibilidade e as espe-
Communication for the open minded cificações estão sujeitas a alterações sem aviso pré-
vio. OpenScape, OpenStage e HiPath são marcas re-
gistradas da Siemens Enterprise Communications.
Siemens Enterprise Communications Outros nomes de empresas, marcas, produtos ou
www.siemens.com/open serviços são de responsabilidade exclusiva de seus
respectivos detentores.