Você está na página 1de 24

CONTROLADORIA

Autores: Marcos Alexandre Greuel


Célio Corrêa dos Santos
Valdecir Knuth

UNIASSELVI-PÓS
Programa de Pós-Graduação EAD
CENTRO UNIVERSITÁRIO LEONARDO DA VINCI
Rodovia BR 470, Km 71, no 1.040, Bairro Benedito
Cx. P. 191 - 89.130-000 – INDAIAL/SC
Fone Fax: (47) 3281-9000/3281-9090

Reitor: Prof. Dr. Malcon Tafner

Diretor UNIASSELVI-PÓS: Prof. Carlos Fabiano Fistarol

Coordenador da Pós-Graduação EAD: Prof. Janes Fidélis Tomelin

Equipe Multidisciplinar da Pós-Graduação EAD: Profa. Elisabeth Penzlien Tafner


Prof. Norberto Siegel

Revisão de Conteúdo: Prof. Carlos Fabiano Fistarol

Revisão Gramatical: Iara de Oliveira

Diagramação e Capa: Cristiano Horst Teske

Copyright © Editora Grupo UNIASSELVI 2010

Ficha catalográfica elaborada na fonte pela Biblioteca Dante Alighieri – Grupo UNIASSELVI – Indaial.

650
G836c Greuel, Marcos Alexandre.
Controladoria/ Marcos Alexandre Greuel; Célio Corrêa
dos Santos [e] Valdecir Knuth. Centro Universitário
Leonardo da Vinci – Indaial : Grupo UNIASSELVI,
2010.x ; 126. p.: il

Inclui bibliografia.
ISBN 978-85-7830-290-0

1. Controladoria 2. Administração e Contabilidade


Infantil I. Centro Universitário Leonardo da. Vinci
II. Núcleo de Ensino a Distância III. Título
Marcos Alexandre Greuel
Mestre em Ciências Contábeis, especialista em Gestão Empresarial
(FGV) e graduado em Ciências Contábeis. Consultor de empresas nas
áreas de Planejamento Estratégico, Sincronismo Organizacional, Gestão
de Processos, PLM – Ciclo de Vida dos Produtos, Balanced Scorecard
(BSC) e Gestão do Conhecimento. Atua em diversos segmentos: têxtil,
metal mecânico, comércio, gráfico, alimentício e serviços. Professor de
pós-graduação e graduação nas disciplinas de Planejamento Estratégico,
Administração da Produção e Processos, Empreendedorismo e Jogos de
Negócios.

Célio Corrêa dos Santos


Graduado em Administração com habilitação em Comércio Exterior
pela Associação Educacional Leonardo da Vinci - ASSELVI (2002); Mestrado
em Ciências Contábeis pela Fundação Universidade Regional de Blumenau
- FURB (2005). Professor das disciplinas de Controladoria, Contabilidade
Gerencial e Comércio Exterior na Faculdade Metropolitana de Blumenau –
FAMEBLU.

Valdecir Knuth
Possui Mestrado em Ciências Contábeis pela Fundação Universidade
Regional de Blumenau (2005), área de concentração em Controladoria;
Especialização em Contabilidade Gerencial pela Fundação Universidade
Regional de Blumenau (1996) e Graduação em Ciências Contábeis
pela Fundação Universidade Regional de Blumenau (1994). Atualmente,
desenvolve atividades acadêmicas como professor titular do Centro
Universitário Leonardo da Vinci (UNIASSELVI) e da Faculdade Metropolitana de
Blumenau (FAMEBLU). Tem atuação em cursos de graduação (desde 1996) e pós-
graduação (desde 2001) na área de Contabilidade com ênfase em Contabilidade Geral,
Controladoria, Auditoria (Controles Internos e Sarbanes Oxley), e Custos (principalmente
nos seguintes temas: Gestão de Custos e de Resultados, Resultado Econômico, Sistemas
de Custeio, Método de Custeio e Orçamentos). É autor de Cadernos de Estudos de
Ensino a Distância (EAD) nas áreas de: Orçamento Empresarial, Custos Industriais
e Engenharia Econômica. Tem carreira desenvolvida em empresas na área
Contábil e Financeira.
SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO ......................................................................7

CAPÍTULO 1
SISTEMA EMPRESA ..........................................................................9

CAPÍTULO 2
CONTROLADORIA E GESTÃO EMPRESARIAL ........................................25

CAPÍTULO 3
SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE CONTROLADORIA ..................................41

CAPÍTULO 4
A CONTROLADORIA NO APOIO AO PLANEJAMENTO OPERACIONAL...........63

CAPÍTULO 5
VALOR DA EMPRESA SOB A ÓTICA DE
DESEMPENHO E DE INVESTIMENTOS ..................................................79

CAPÍTULO 6
BALANCED SCORECARD ...............................................................107
APRESENTAÇÃO
O crescimento da indústria, o desenvolvimento dos processos de automação
e o aumento da competitividade no mercado tornaram a gestão empresarial
extremamente complexa, com necessárias habilidades estratégicas. A
controladoria é uma área qualificada para dar suporte a essa realidade econômica
e de gestão empresarial. Sua principal função é gerar e fornecer informações úteis
para a tomada de decisão dos gestores. Mas, como fazer isso? Como produzir
análises e resultados adequados para que os gestores possam tomar decisões
corretas, visando à melhoria dos resultados da empresa e a permanência no
mercado?

Para responder essas indagações, a ideia central da disciplina é aprimorar


alguns conceitos, compreender como se dá a contribuição da controladoria no
processo de gestão empresarial e aprender a utilizar os diversos instrumentos
disponíveis nessa área para mensurar, apurar, fazer cruzamento de dados e
analisar as informações gerenciais advindas de todas as áreas da empresa.

Para tanto, o capítulo 1 faz uma abordagem conceitual sobre o sistema


empresa. No capítulo 2, é apresentada a controladoria envolvendo sua origem,
estrutura e função, bem como sua contribuição no suporte a gestão empresarial.
No capítulo 3, iremos tratar do sistema de informação da controladoria. No
capítulo 4, vamos estudar de que forma a controladoria contribui no planejamento
operacional da empresa. O capítulo 5 trata da apuração do valor da empresa
sob a ótica de indicadores de desempenho e de investimentos empresarias.
Finalizando, o capítulo 6 trata do Balanced Scorecard (BSC), uma ferramenta
de avaliação de desempenho que complementa as atividades da controladoria
quanto às informações gerenciais.

Então, vamos lá!


Controladoria

8
C APÍTULO 1

SISTEMA EMPRESA

A partir da perspectiva do saber fazer, neste capítulo você terá os seguintes


objetivos de aprendizagem:

P Definir o que é uma empresa.

P Conhecer o que é um sistema empresa e o seu funcionamento.

P Identificar os subsistemas de uma empresa.

P Avaliar a importância do papel da missão na empresa.

P Compreender a empresa como um sistema aberto.


Controladoria

10
Capítulo 1 SISTEMA EMPRESA

CONTEXTUALIZAÇÃO
A controladoria tem o papel fundamental de gerar informações relevantes
para a tomada de decisão em uma organização. Para isso, necessita reunir,
em um sistema gerencial, dados relevantes de todas as áreas da empresa e,
por meio de cruzamentos de informações e análises, produzir um resultado
global superior à soma dos resultados de cada setor da empresa.

A compreensão do sistema empresa é o primeiro passo dos profissionais


desse campo de atuação. É necessário conhecer a estrutura organizacional,
bem como o seu funcionamento, considerando os fatores internos e externos
à empresa que influenciam o seu desenvolvimento. A partir daí, torna-se
possível interagir com os diversos setores, atuando na direção e implantação
de sistemas de controle, avaliação e planejamento, além de outras funções de
relevância para a otimização dos resultados econômicos.

Para tanto, neste capítulo nos dedicaremos ao estudo do conceito de


empresa, das características do sistema organizacional, da missão e da
empresa vista como um sistema aberto.

CONCEITO DE EMPRESA
Na sociedade atual, a maioria da população em idade produtiva tem ou
teve algum tipo de envolvimento com alguma empresa, como funcionário,
sócio-acionista, prestador de serviços, dentre outros vínculos.

Você sabe dizer o que é uma empresa?

Podemos dizer que uma empresa é definida como uma união de


esforços financeiros, físicos e intelectuais, com a finalidade de criar e,
consequentemente, transacionar produtos e serviços no mercado interno e/
ou externo, resultando na formação e circulação de capital que possa trazer Uma empresa é
benefícios econômicos e utilidade social. definida como uma
união de esforços
Em outras palavras, é uma entidade constituída juridicamente, ou não,
financeiros, físicos e
que exerce atividade econômica de produção, transformação, comércio ou intelectuais, com a
prestação de serviços, podendo ter fins lucrativos, filantrópicos ou sociais. finalidade de criar e,
consequentemente,
“A empresa é um sistema em que há recursos introduzidos, que são
transacionar produtos
processados, e há a saída de produtos ou serviços.” (PADOVEZE, 2009, p.13).
e serviços no mercado
Nessa mesma linha de raciocínio, Figueiredo e Caggiano (2008, p.8) interno e/ou externo.
mencionam que “a empresa é uma unidade produtora que visa criar riquezas,
transacionando em dois mercados, um fornecedor, outro consumidor.”

11
Controladoria

CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA ORGANIZACIONAL


DE UMA EMPRESA

Para facilitar a compreensão do sistema organizacional de uma empresa


deve haver, primeiramente, um reconhecimento do conjunto de departamentos
que integram a organização, bem como das atividades desempenhadas
pelos setores, haja vista que tais funções têm por finalidade propiciar a
sustentabilidade da empresa no mercado.

Antes de continuarmos, vamos conhecer o que é um sistema?

Beer (1969, p. 25) define que “qualquer coisa que consiste em partes
unidas entre si pode ser chamada de sistema, podem ser apontadas como
agregados de pedaços e peças [...].” Para Bio (1985, p. 18), a ideia de sistema
se relaciona a “[...] um conjunto de elementos interdependentes, ou um todo
organizado, ou partes que interagem formando um todo unitário e complexo”.

A partir dessas considerações, entendemos que a união dos departamentos


integrantes de uma empresa resulta em um sistema organizacional, dentro
do qual existe uma ordem hierárquica a ser respeitada em decorrência do
agrupamento humano integrante da organização. É preciso que todos os
departamentos que integram esse sistema funcionem de forma harmônica,
pois as informações produzidas neles são necessárias para o funcionamento
eficaz de outros departamentos, e assim por diante.

Para que o sistema empresa tenha um bom funcionamento, é dividido em


vários subsistemas, que são os seguintes:

a) institucional: também denominado de matriz, responsável pelos demais


subsistemas, compreende a missão, assim como crenças e valores da
organização;

b) gestão: é o responsável pelo processo de tomada de decisões, pois


abrange as atividades de planejamento, gerenciamento e mecanismo de
controle interno;

c) organização: é como a empresa está organizada, o tipo de estrutura


empregada (vertical ou horizontal), o grau de autoridade e atribuição
de responsabilidade. O objetivo é assegurar que todas as atividades da
organização sejam desenvolvidas de forma ética, sendo influenciadas pelo
subsistema institucional.

d) social: abrange o quadro funcional da empresa, incluindo-se nessa


esfera a cultura e demais características inerentes ao capital intelectual
da organização. Guerreiro (1996, p.171) destaca os seguintes fatores que

12
Capítulo 1 SISTEMA EMPRESA

envolvem este subsistema: “necessidades dos indivíduos; criatividade;


objetivos individuais; motivação; liderança; treinamento, etc.”

e) informação: tendo em vista a atual dinâmica dos mercados, esse Guerreiro (1996,
subsistema aparece com considerável importância, pois consiste no p.172) enfatiza que
conjunto de dados necessários para uma melhor tomada de decisão dos dentre as inúmeras
gestores da empresa. Guerreiro (1996, p.172) enfatiza que: atividades executadas
no âmbito da empresa,
[...] dentre as inúmeras atividades executadas no âmbito existem aquelas que
da empresa, existem aquelas que objetivam basicamente objetivam basicamente
a manipulação de informações. Elas geram essas
informações através da manipulação (processamento)
a manipulação de
de dados derivados da execução das diversas atividades informações.
necessárias ao desenvolvimento das funções empresariais Elas geram essas
básicas. Essas atividades se caracterizam por três aspectos informações através
básicos: recebimento de dados, processamento e geração da manipulação
de informações. (processamento) de
Os dados gerados nessa categoria buscam um elevado grau de dados derivados da
execução das diversas
excelência, eliminando a criação de atividades desnecessárias, o que resulta
atividades necessárias
em um melhor procedimento de gestão.
ao desenvolvimento
f) físico-operacional: compreende as instalações físicas e equipamentos das funções
empresariais básicas.
necessários para a realização das atividades inerentes à produção de bens
e serviços desenvolvidos pela empresa. Nesse contexto, estão excluídos os
funcionários, pois estão vinculados ao modus operandi do know how. Como
exemplo, podemos citar os procedimentos de compras, produção, vendas,
finanças, manutenção, entre outros.

Veja agora a figura esquemática de uma empresa, a qual inclui os


subsistemas que descrevemos até aqui:

Subsistema Institucional

Modelo de Gestão

Processo de Gestão

Subsistema Subsistema Subsistema


Organizacional de Social
Informação

Subsistema Físico-Operacional

Processamento Produtos e
Recursos Produção Serviços

Figura 1 – Visão sistêmica da empresa, subsistemas e eficiência


Fonte: Adaptado de Padoveze (2009).

13
Controladoria

Um dos pontos fundamentais do funcionamento dos subsistemas com


sinergia e eficácia é a existência de um objetivo a ser alcançado para onde
convergem todas as ações. Veremos esse assunto no próximo item.

Atividades de Estudos:

1 Os subsistemas empresariais citados estão claramente identificados em sua


empresa? Você pode descrevê-los?

______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

2 Assinale as alternativas corretas:

a) ( ) Uma empresa é a união de esforços que visa somente ao lucro


especulativo.

b) ( ) A empresa é um sistema em que são processados os produtos


negociados no mercado interno e externo.

c) ( ) A união dos departamentos integrantes de uma empresa resulta em um


sistema organizacional.

d) ( ) A empresa é uma unidade produtora que visa somente criar riquezas,


transacionando no mercado como fornecedora e vendedora.

14
Capítulo 1 SISTEMA EMPRESA

3 Marque com F (falsa) ou V (verdadeira) as sentenças a seguir:

a) ( ) Os fatores internos e externos à empresa não alteram a sua dinâmica e


nem a forma dos gestores de administrar.

b) ( ) A organização é um sistema que transaciona em dois mercados como


fornecedora e consumidora.

c) ( ) Como uma empresa é um sistema aberto, ela depende de diversos


fatores, como recursos financeiros, capital, produção e intelectual.

d)( ) O sistema empresa é composto por subsistemas empresariais que se


dividem em: institucional, gestão, organização, informação e físico não
operacional.

4 Correlacione os subsistemas:

a) Subsistema Institucional ( ) Responsável pelo processo de


tomada de decisão.

b) Subsistema de Gestão ( ) Responsável pelos demais


subsistemas, compreende a missão,
as crenças e os valores.

c) Subsistema Organizacional ( ) Compreende as instalações físicas


e equipamentos necessários às
atividades.

d) Subsistema Social ( ) Conjunto de dados necessários para


uma melhor tomada de decisão.

e) Subsistema de Informação ( ) Conjunto de pessoas que formam a


organização em todos os níveis.

f) Subsistema Físico-operacional ( ) Refere-se ao tipo de estrutura vertical


ou horizontal; tem como objetivo a
ética.

MISSÃO DA EMPRESA

A missão de cada empresa se encontra ligada ao seu respectivo motivo


básico de existência, notadamente correlacionado aos produtos e serviços
oferecidos por ela junto ao mercado, visando à satisfação de seu público-alvo.

15
Controladoria

O próprio conceito de sistema envolve a ideia de partes que


interagem para alcançar um objetivo em comum. Assim, os
diversos componentes do sistema empresa interagem, para
que esta atinja seus objetivos. Por objetivo entende-se o alvo
ou desígnio que se quer atingir. São vários os objetivos de
uma empresa que poderiam ser classificados por hierarquia
de importância e temporaneidade. O objetivo fundamental,
isto é, o mais importante e permanente, é a sua missão.
(MOSIMANN; ALVES; FISCH, 1993, p. 19).
De acordo com De acordo com Padoveze (2009), a missão constitui o propósito da
Padoveze (2009), a empresa e do seu negócio, portanto, deve comunicar interna e externamente.
missão constitui o
Ela deve ser escrita de forma objetiva e breve, compreendendo as atividades
propósito da empresa
da empresa, o mercado de atuação, os produtos e serviços oferecidos, a sua
e do seu negócio,
diferenciação e o seu papel em relação a seus concorrentes e às principais
portanto, deve
comunicar interna e conquistas que se quer atingir.
externamente. A título de exemplo, veja a transcrição da missão da empresa Elevadores
Otis:
Nossa missão é oferecer a todos os clientes um meio de
locomoção a pequenas distâncias para pessoas e cargas,
com o grau de confiança superior aos produtos oferecidos
por empresas semelhantes no mundo inteiro.

É importante que a missão seja definida com muita clareza, uma vez que
para ela convergirá o sistema organizacional da empresa por meio dos seus
subsistemas.

Em algumas empresas, a missão não é explicitada. No momento em que


a entidade opta por explicitar a sua respectiva missão, deve considerá-la como
diretriz permanente, que deve direcionar as finalidades socioeconômicas de
tais instituições. Caso a missão seja evidenciada de maneira errônea, poderá
vir a se desvirtuar de seus reais propósitos, não permitindo aos gestores o
conhecimento das necessidades imediatas da empresa.

Atividades de Estudos:

1 Qual a missão de sua empresa?

______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

16
Capítulo 1 SISTEMA EMPRESA

2 Se sua empresa tem uma missão explícita e conhecida, essa vem sendo
cumprida? Justifique.

______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

Agora que você já sabe o que é um sistema organizacional e compreende


a importância de uma empresa ter a missão definida claramente, podemos
passar para o próximo assunto: os fatores que influenciam o desenvolvimento
da empresa, como fatores financeiros, mercado concorrente, política
econômica e social, entre outros.

A EMPRESA COMO UM SISTEMA ABERTO


A empresa recebe constantemente influências do seu ambiente interno
(condições de trabalho, gestão de pessoas, produção, situação financeira, etc.)
e também do ambiente externo (mercado concorrente, sazonalidade, política
econômica, etc.). Assim, pode ser vista como uma espécie de “ser vivo”, que
acaba por responder a estímulos do mundo exterior.

“A empresa precisa ser observada como um organismo vivo? Sim, um


organismo vivo que depende de diversos outros órgãos para o seu excelente
funcionamento.” (KNUTH, 2009, p.8).

Então, quer dizer que uma empresa é como um sistema aberto, pois,
além do que acontece internamente, o que acontece fora da empresa pode
influenciar nas decisões dos responsáveis de cada departamento.

Moura (2001, p. 6) caracteriza a organização do sistema aberto como


sendo uma “Interdependência entre as partes relacionadas e a influência do
ambiente externo, o que leva à concepção dinâmica da organização.”

Nesse sentido, Chiavenato (2000, p. 552) afirma que:


[...] é perfeitamente aplicável à organização empresarial. A
organização é um sistema criado pelo homem e mantém
uma dinâmica interação com seu meio ambiente, sejam
clientes, fornecedores, concorrentes, entidades sindicais,
órgãos governamentais e outros agentes externos.

17
Controladoria

As empresas que atuam no mercado nacional e internacional têm a


Nesse sentido, necessidade de sempre estar atualizadas e preparadas para as constantes
Chiavenato (2000, e inevitáveis mudanças de mercado, tanto quanto tendências financeiras,
p. 552) afirma que a políticas, econômicas, fatores macroeconômicos, aspectos globais, entre
organização é um muitos outros que influenciam diretamente no seu desenvolvimento.
sistema criado pelo
homem e mantém Enfim, pode-se afirmar que são as constantes mutações internas e
uma dinâmica externas das organizações, decorrentes do ambiente em que estão inseridas,
interação com seu o motivo que as levam à sobrevivência no mercado competitivo.
meio ambiente, sejam
clientes, fornecedores, Sobre esse assunto Tung (1974, p. 29) é bastante preciso quando diz:
concorrentes, entidades Nenhuma empresa pode, hoje, permitir-se ao luxo de ignorar
sindicais, órgãos os acontecimentos do mundo exterior. A interdependência
governamentais e outros das empresas entre si, e dessas com o Estado em particular,
agentes externos. é patente. A sobrevivência dos negócios depende, em grande
parte, do conhecimento dos fatos atuais e da previsão dos
acontecimentos futuros, tanto no plano nacional, quanto no
internacional. [...] em princípio é uma fase de constantes
ajustes e reajustes, pois qualquer trabalho atual constitui
apenas um teste para o futuro, cujo alvo é a meta do
desenvolvimento global. O cenário financeiro-econômico
nacional repercute sempre, direta ou indiretamente, sobre as
atividades da empresa.

A amplitude de acontecimentos nacionais e internacionais age


diretamente sobre a empresa, o que a leva a realizar intercâmbios com o
meio, por intermédio dos quais angaria pontos importantes necessários à
viabilidade da entidade, capacidade reprodutiva e adaptativa, resultando em
sua continuidade.

O mercado mundial é dinâmico e, diante disso, Kochanski (2000, p. 54)


afirma categoricamente que: “aquelas que ainda não se adequaram ou ainda
não estão se adequando a este novo contexto mercadológico, irão sentir-se
forçadas a adaptarem-se ou irão desaparecer do mercado rapidamente [...].”

Schein (1987 apud NAKAGAWA, 1993, p. 23-24) também estabelece a


sua concepção de empresa a partir do sistema aberto da seguinte forma:
a) a empresa deve ser concebida como um sistema aberto, o
que significa que ela se encontra em constante interação
com todos os seus ambientes, absorvendo matérias-primas,
recursos humanos, energia e informações, transformando-
se em produtos e serviços, que são exportados para esses
ambientes;

b) a empresa deve ser concebida como um sistema de múltiplas


finalidades ou funções, que envolve múltiplas interações
entre ela e seus diversos ambientes. Muitas atividades
dos subsistemas existentes na empresa não podem ser
compreendidas sem que se considerem essas múltiplas
interações e funções;

18
Capítulo 1 SISTEMA EMPRESA

c) a empresa é constituída de muitos subsistemas que estão


em interação dinâmica uns com os outros. Em vez de se
analisarem os fenômenos organizacionais em termos de
comportamento individual, cada vez se torna mais importante
analisar o comportamento desses subsistemas, quer sejam
considerados em termos de coalizões, grupos, funções ou
de outros elementos conceituais;

d) devido ao fato de que os subsistemas, em graus variáveis,


são interdependentes, as modificações ocorridas em um
sistema, provavelmente, afetam o comportamento dos
outros subsistemas;

e) a empresa existe dentro de um conjunto de ambientes,


alguns maiores, outros menores do que ela. Os ambientes,
de diversos modos, fazem exigências e oferecem restrições
à empresa e a seus subsistemas. O funcionamento total da
empresa não pode ser compreendido, portanto, sem explícita
referência a essas exigências e restrições e a maneira como
ela os enfrenta a curto, médio e longo prazos;

f) as numerosas vinculações entre empresa e seus ambientes


tornam difícil especificar claramente seus limites.

Para uma melhor compreensão do que você estudou até aqui, observe a
figura a seguir que demonstra, esquematicamente, a visão sistêmica de uma
empresa no sistema aberto:

19
Controladoria

Mercado Acionistas, concorrentes, governo, sindicatos, etc.


Mercado
Fornecedor Consumidor

Recursos
materiais

Compras de Estocagem Produção


Recursos Recursos de materiais Produtos
humanos e
serviços
Recursos Serviços de Manutenção Estocagem
financeiros apoio de produtos

Recursos de
tecnologia Finanças Transportes Entrega dos Comprometimento
produtos da missão

Recursos de
informação Valores Resultado econômico Valores
econômicos econômicos

Eficiência
Eficácia
Continuidade

Figura 2 – Visão sistêmica de empresa no sistema aberto.


Fonte: Adaptado de Catelli (1999, p. 39).

De acordo com a figura 2, constatamos a sinergia da empresa, na qual


o todo tem uma relevância superior às partes isoladas, já que características
importantes decorrem da atuação conjunta do sistema empresa.

Atividades de Estudos:

1 Você acredita que a empresa recebe influências do mercado externo? E de


que forma isso pode refletir na empresa como um sistema aberto?

______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

20
Capítulo 1 SISTEMA EMPRESA

2 Explique como podemos entender o funcionamento de uma empresa,


comparando-a com um organismo vivo.

______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________
______________________________________________________________

ALGUMAS CONSIDERAÇÕES
A controladoria tem o objetivo de otimizar os resultados de uma empresa.
É nessa área que percebemos nitidamente a empresa como um organismo
vivo, isto é, um sistema empresa no qual os departamentos interagem entre si,
considerando a dinâmica de funcionamento interno da empresa, com fatores
que influenciam constantemente o seu desenvolvimento. Mas não é só isso.
A empresa e os indivíduos que nela exercem suas profissões estão inseridos
num mundo globalizado e competitivo. Esse ambiente externo também exerce
considerável influência na tomada de decisões dos gestores.

Neste capítulo, foi possível compreender a importância do sistema


empresa e do seu mecanismo de funcionamento, uma vez que a controladoria
necessita interagir com todos os setores dela. No próximo capítulo,
estudaremos os aspectos conceituais básicos da controladoria.

21
Controladoria

REFERÊNCIAS
BEER, Stafford. Cibernética e administração industrial. Rio de Janeiro:
Zahar, 1969.

BIO, Sérgio Rodrigues. Sistemas de informação: um enfoque gerencial. São


Paulo: Atlas, 1985.

CATELLI, Armando (Coord.). Controladoria: uma abordagem da gestão


econômica - GECON. São Paulo: Atlas, 1999.

CHIAVENATO, Idalberto. Introdução à teoria geral da administração. 6. ed.


Rio de Janeiro: Campus, 2000.

FIGUEIREDO, Sandra Maria; CAGGIANO, Paulo César. Controladoria:


teoria e prática. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUERREIRO, Reinaldo. A meta da empresa: seu alcance sem mistérios.


São Paulo, 1996.

KNUTH, Valdecir. Caderno de estudos: orçamento empresarial. Indaial: Ed.


ASSELVI, 2009.

KOCHANSKI, Djone. Sistemas de gestão empresarial distribuídos como


ferramenta competitiva. Leonardo: Órgão de Divulgação Científica e Cultural
da Associação Educacional Leonardo da Vinci-ASSELVI, Indaial, v. 1, n. 1, p.
53-58, jul./dez. 2000.

MOSIMANN, Clara P.; ALVES, Osmar de C.; FISCH, Sílvio. Controladoria:


seu papel na administração de empresas. Florianópolis: Ed. UFSC – ESAG,
1993.

MOURA, Verônica Miglio de. Relatórios contábeis: gerenciais gerados pela


controladoria que dão suporte ao processo decisório da logística. 2001. 131
f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal de Santa
Catarina, Florianópolis, 2001.

NAKAGAWA, Masayuki. Introdução à controladoria: conceitos, sistemas,


implementação. São Paulo: Atlas, 1993.

PADOVEZE, Clóvis Luís. Controladoria estratégica e operacional. São


Paulo: Cengage Learning, 2009.

22
Capítulo 1 SISTEMA EMPRESA

TUNG, Nguyen H. Controladoria financeira das empresas: uma abordagem


prática. 4. ed. São Paulo: Ed. Univ. Empresa; Ed. da Universidade de São
Paulo, 1974.

23
Controladoria

24

Você também pode gostar