Você está na página 1de 3

 

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DA ..... VARA CÍVEL DA COMARCA DE .....,
ESTADO DO .....

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG
n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º .....,
Bairro ....., Cidade ....., Estado .....,....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da
área de ....., portador (a) do CIRG n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e
domiciliado (a) na Rua ....., n.º ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., .....,
brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG
n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º .....,
Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., por intermédio de seu (sua) advogado(a) e
bastante procurador(a) (procuração em anexo - doc. 01), com escritório
profissional sito à Rua ....., nº ....., Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., onde
recebe notificações e intimações, vem mui respeitosamente à presença de Vossa
Excelência propor

AÇÃO ANULATÓRIA DE ASSEMBLÉIA C/C PRESTAÇÃO DE CONTAS

em face de

....., brasileiro (a), (estado civil), profissional da área de ....., portador (a) do CIRG
n.º ..... e do CPF n.º ....., residente e domiciliado (a) na Rua ....., n.º .....,
Bairro ....., Cidade ....., Estado ....., pelos motivos de fato e de direito a seguir
aduzidos.

DOS FATOS

O Sr. ...., atual síndico, era subsindico de uma gestão passada, que findava na
primeira quinzena de ..../....

Ocorre que, com o pedido de demissão do síndico da época, o mesmo se apropriou


do condomínio, convocando uma Assembléia secreta na sua própria residência,
elegendo-se Síndico do referido condomínio, pelo prazo de .... anos.

Até o presente momento não houve prestação de contas e muito menos eleição
para escolha de um novo síndico.

Em data de .... de .... de ...., o Sr. Síndico, convocou uma Assembléia Geral
Extraordinária, para prestar contas do período entre ..../.... à ..../...., conforme faz
prova o Edital de Convocação em anexo, totalmente ilegal, assinada pelo mesmo.
Neste dia, o Sr. Síndico não compareceu, não sendo realizada a referida
Assembléia, pelo fato de ter sido convocado às .... horas, no escuro, num lugar sem
luz e acomodações para os presentes, comparecendo tão somente o Sr. ....,
contador do referido condomínio, que apresentou os balancetes para serem
aprovados, sem uma prévia análise.

O Síndico nunca forneceu aos condôminos demonstrativo das receitas e despesas,


apenas entregando para os membros da diretoria/administração tal documento,
sendo que, após o questionamento dos seus atos, passou a fornecer em ..../.... o
demonstrativo aos condôminos.

Da análise de tais documentos, verifica-se que:

- utilizou-se do fundo de reserva para despesas normais, tais como: pagamento de


jardim, honorários de contador, limpeza de caixa de água, caminhão de terra, etc..,
conforme se verifica pelo balancete de ..../...., em anexo.

- deixou de aplicar o Fundo de Reserva sem aplicação ou depósito em conta de


poupança separada, estando o mesmo na mesma Conta Corrente de movimentação
normal.

- fixou o fundo de reserva e realizou reformas, sem consultar a Assembléia Geral,


para delimitarem as prioridades e os orçamentos apresentados, beneficiando a
empresa por ele escolhida.

O Sr. ...., tesoureiro atual do Sr. ...., Síndico atual destituído, na data de .... de ....
de ...., encaminhou carta aberta aos condôminos, no sentido de que estava sendo
obrigado a assinar cheques em branco para o Síndico, repudiando a sua ação,
conforme cópia em anexo da referida carta.

Como podemos observar, o Síndico atual, Sr. ...., se apoderou do condomínio onde
mora, inclusive fixando sua própria remuneração de .... Salários Mínimos, mensais,
ameaçando os demais condôminos, dizendo que só entrega em ..../...., com caixa
vazio, afirmando que não existe justiça, conforme será provado em momento
oportuno.

Apesar das diversas tentativas de acordo com o atual síndico, diga-se de


passagem, todas infrutíferas, um grupo de moradores entraram em contato com os
patronos desta causa, para solucionar o impasse.

Assim Excelência, foi encaminhado diversas correspondências, inclusive registrada


para o atual Síndico, Sr. ...., entretanto, não houve resposta, não restando outra
alternativa, senão a propositura da presente lide.

Em data de .... de .... de ...., a Sra. ...., proprietária e procuradora de cerca de ....
condôminos, convocou uma Assembléia Geral, para .... de .... de ...., que
compareceram .... (.... proprietários) inclusive o Síndico foi convocado, para
deliberarem as matérias contidas na pauta, conforme edital em anexo.

Para sua surpresa, novamente não houve comparecimento do Síndico, entretanto,


a referida Assembléia aconteceu, sendo eleita com .... votos, de um total de ....
apartamentos, a Sra. ...., como Síndica, para um mandato provisório até ..../....,
quando deverá convocar uma nova Assembléia e prestar contas, conforme
preceitua a Convenção do Condomínio.

DO DIREITO

O art. 23 da Convenção do condomínio assim estabelece:

"Artigo Vigésimo Terceiro - o Condomínio será administrado por um síndico,


condômino ou não, pessoa física ou jurídica, eleito anualmente pela Assembléia
Geral, sendo permitida a reeleição."

Já o art. 26, também da Convenção do condomínio, estabelece que a Assembléia


Geral ordinária, com eleição de síndico e prestação de contas, será na "Primeira
Quinzena do Mês de Janeiro de Cada Ano."

Portanto, conforme constata-se, o Sr. ...., está Ilegalmente no poder desde o


momento em que assumiu o condomínio sem convocar Assembléia, em .... de ....,
posto que, por mais que fosse legal tal Assembléia, o seu mandato venceu no mês
de .... de ...., conforme estabelece o diploma legal acima epigrafado.
A Sra. ...., Síndica eleita em ..../..../...., tomou todas as cautelas e encaminhou
uma correspondência ao ex-síndico, registrada, através de seu procurador
(comprovantes em anexo), para que o mesmo efetuasse a devolução dos
documentos pertencentes ao condomínio, bem como a prestação de contas, de uma
forma pacifica e mansa, entretanto, até o presente momento não houve resposta.

Enfim, a presente ação encontra supedâneo nos artigos 282, 914 e seguintes do
CPC.

DOS PEDIDOS

Isto posto, requer à Vossa Excelência:

a) Anulação de todos os atos do Sr. ...., por ser ilegal a sua permanência como
síndico do referido condomínio, desde a sua posse ocorrida em ..../....,
respondendo pelos seus atos praticados civil e criminalmente, ou não sendo este o
entendimento de Vossa Excelência, seja declarada sua gestão apenas entre ..../....
à ..../.... (.... ano), conforme preceitua o Art. 23º da Convenção do Condomínio,
em anexo, com devolução de .... Salários Mínimos mensais, em dobro, retirados
ilegalmente, durante todo o período, fixados pelo próprio requerido, pois, o
condomínio só tem um funcionário que ganha R$ .... (....) e o síndico R$ .... (....),
por mês, conforme faz prova os balancetes em anexo;

b) A citação do requerido para contestar a presente no prazo de .... dias,


entregando os documentos pertencentes ao condomínio, bem como a prestação de
contas de todo o período, sob pena de revelia e busca e apreensão judicial dos
documentos que está em seu poder, como bloqueio da conta corrente nº ...., da
agência ...., do ...., da Comarca de .... em nome do condomínio;

c) A produção de todos os meios de provas em direito admitidas, especialmente a


pericial, se necessária, bem como o depoimento pessoal do requerido;

d) Seja condenado ao pagamento de honorários advocatícios sobre o valor real da


causa que será apurado ao final, no importe de ....% (.... por cento), custas
processuais de estilo e demais cominações legais.

Dá-se à causa o valor de R$ ......

Nesses Termos,
Pede Deferimento.

[Local], [dia] de [mês] de [ano].

[Assinatura do Advogado]
[Número de Inscrição na OAB]

Você também pode gostar