Você está na página 1de 11

SOCIEDADES EMPRESARIAIS

UNIDADE 1

Professora: Raissa Nery


INTRODUÇÃO.

• Nesta disciplina, ao nos referirmos à palavra


“sociedade”, trataremos das sociedades voltadas à
exploração de atividades econômicas.
• Não confundir com e a sociedade no sentido de
coletividade/comunidade de indivíduos organizada.
• Trata-se de um sub-ramo do Direito Empresarial que
trata de sociedades, tanto da teoria geral quanto das
espécies societárias.
• Nas relações societárias, ou seja, entre sócios e
entre estes e a sociedade, aplica-se o Código Civil e
legislação pertinente.
INTRODUÇÃO. ASPECTOS HISTÓRICOS

• O contrato de sociedade já era previsto no Código de


Hammurabi (1.772 a.C.);
• O grande desenvolvimento das sociedades mercantis
se deu em razão da necessidade de investimentos na
exploração de determinados negócios, mas com
limitação de responsabilidade dos investidores.
•A primeira sociedade regular que surgiu
(c/personalidade jurídica), foi a sociedade anônima,
na Inglaterra durante a Revolução Industrial (século
XVIII) > empreendimentos de vulto (exploração de
petróleo e a criação de ferrovias).
INTRODUÇÃO. ASPECTOS HISTÓRICOS

• No século XIX, em território alemão, surgiu a


sociedade limitada, destinada a empreendimentos
menores, como padaria, mercearia, sapataria etc.
• No Brasil, foi o Código Comercial de 1850 que
primeiro disciplinou os tipos societários com
personalidade jurídica;
• A sociedade limitada foi inaugurada em nosso país
com o Decreto n. 3.708/19.
INTRODUÇÃO. ASPECTOS GERAIS.
SURGIMENTO DAS SOC.UNIPESSOAIS.

• O direito societário é a parte do direito empresarial


que estuda as sociedades.
• A Lei nº 13. 874/2019 (que instituiu os direitos de
liberdade econômica) alterou o conceito tradicional
de sociedade do direito brasileiro, passando a admitir
a sociedade limitada unipessoal, modificando o
conceito de sociedade no Brasil.
Obs: O conceito tradicional de sociedade (Art. 981, CC) é a
união de duas ou mais pessoas, físicas ou jurídicas, para
praticarem uma atividade econômica, que busque
precipuamente o lucro e que esse resultado auferido seja
partilhado entre os sócios.
INTRODUÇÃO. ASPECTOS GERAIS.
SURGIMENTO DAS SOC.UNIPESSOAIS.

• Apesar da filiação brasileira a esse modelo


contratualista, já existiam exceções a essa regra
antes de 2019.
Já havia, por exemplo, a empresa publica, cujo único sócio é
uma pessoa jurídica de direito público e a subsidiária
integral, que é uma S.A., cujo único sócio é uma outra
sociedade brasileira (SOCIEDADES UNIPESSOAIS CONSTITUÍDAS
DE PESSOAS JURÍDICAS > NÃO DE PESSOAS FÍSICAS).
INTRODUÇÃO. ASPECTOS GERAIS.
SURGIMENTO DAS SOC.UNIPESSOAIS.

OBS: SOCIEDADES DE ADVOCACIA SIMPLES E UNIPESSOAIS


(CONSTITUÍDAS DE PESSOAS JURÍDICAS OU DE PESSOAS
FÍSICAS > Lei nº 13.247, de 2016 que alterou o Estatuto da
OAB – Lei 8.906/94):
Art. 15. Os advogados podem reunir-se em sociedade
simples de prestação de serviços de advocacia ou constituir
sociedade unipessoal de advocacia, na forma disciplinada
nesta Lei e no regulamento geral.
§ 1º A sociedade de advogados e a sociedade unipessoal de
advocacia adquirem personalidade jurídica com o registro
aprovado dos seus atos constitutivos no Conselho Seccional
da OAB em cuja base territorial tiver sede.
INTRODUÇÃO. ASPECTOS GERAIS.
CONCEITO DE SOCIEDADE. DISTINÇÕES
CONCEITUAIS.
• Duas distinções devem ser realizadas, quando se fala no
conceito de sociedade:
1) Sociedade não é empresa:
• A sociedade é a instituição que pratica a atividade de
empresa;
• Nem sempre a atividade de empresa é exercida por uma
sociedade;
• Nem toda sociedade vai praticar a atividade de empresa.
2) Sociedade não é sempre pessoa jurídica.
• Ela pode estar entre as espécies de PJ previstas no art. 44,
CC e só terá início após o registo, conforme art. 45, CC.
INTRODUÇÃO. ASPECTOS GERAIS.
CONCEITO DE SOCIEDADE. CLASSIFICAÇÃO
DE ATIVIDADES EMPRESÁRIAS.
• As sociedades serão empresárias quando, no seu objeto,
encontrar-se a prática de uma atividade empresária
• E será sociedade simples a que não contar com a prática de
atividade empresária.

• Relembrando TGE;
Código Civil: - Art. 982. Salvo as exceções expressas,
considera-se empresária a sociedade que tem por objeto o
exercício de atividade própria de empresário sujeito a
registro (art. 967); e, simples, as demais. Parágrafo único.
Independentemente de seu objeto, considera-se empresária
a sociedade por ações; e, simples, a cooperativa.
INTRODUÇÃO. ASPECTOS GERAIS.
CONCEITO DE SOCIEDADE. CLASSIFICAÇÃO
DE ATIVIDADES EMPRESÁRIAS.
• Atividade empresária > registro na JC;
• Atividade não empresária > registro no Cartório.

Art. 1.150. O empresário e a sociedade empresária vinculam-


se ao Registro Público de Empresas Mercantis a cargo das
Juntas Comerciais, e a sociedade simples ao Registro Civil
das Pessoas Jurídicas, o qual deverá obedecer às normas
fixadas para aquele registro, se a sociedade simples adotar
um dos tipos de sociedade empresária.
INTRODUÇÃO. ASPECTOS GERAIS.
CONCEITO DE SOCIEDADE. CLASSIFICAÇÃO
DE ATIVIDADES EMPRESÁRIAS.
Atenção:
• Sociedade simples lato sensu: sociedade que não pratica
atividade de empresa.

• Sociedade simples stricto sensu: espécie de sociedade,


assim como a sociedade por cotas de responsabilidade
limitada a sociedade em nome coletivo; a sociedade
anônima; a sociedade em comandita simples e por
ações e a sociedade em cota de participação;

Você também pode gostar