Você está na página 1de 98

Grávida do meu chefe

~A Bad Boy Secret Baby Romance Compilation~

© 2018

Cassandra Dee e Kendall Blake

TRADUÇÃO INDEPENDENTE
© 2018 Cassandra Dee e Kendall Blake

Todos os direitos reservados.

Edição Kindle
DEDICAÇÃO

Para todas as meninas que são excitadas por homens com máscaras.

Este é para você!


NOTA DOS AUTORES

Oi! Muito obrigada pela leitura Grávida do meu chefe.

Espero que você aproveite o vapor entre Katie e seu homem.


SOBRE ESTE LIVRO

Grávida do meu chefe: um romance com menino mau e um bebê em segredo.


Deixei o baile de máscaras com o gosto do mascarado na minha boca ... e o bebê dele na
minha barriga!

Katie é uma organizadora de festas com um único objetivo: fazer festas tão extravagantes e
inesquecíveis, que seus clientes a contratam de novo e de novo.
Mas quando ela engravida, depois de uma noite fumegante, com um homem mascarado, a
garota curvilínea, não sabe o que fazer a seguir.

Trent Moore tem tudo na ponta dos dedos, incluindo fama, fama e superabundância de
mulheres. Mas quando uma planejadora de festas, começa a trabalhar para ele, ele decide
tomar as coisas em suas próprias mãos ... incluindo colocar um bebê na barriga dela, por
qualquer meio possível.

Ei Leitores - Este é louco e ridículo entre nossa virgem inocente e o bilionário


alfa, que sempre consegue o que quer. Como sempre, leia com uma bebida gelada por
perto porque você vai precisar! :)
amor,
Cassie e Kendall
ÍNDICE

Grávida do meu chefe


Capítulo um
Capítulo dois
Capítulo três
Capítulo quatro
Capítulo Cinco
Capítulo Seis
Capítulo Sete
Capítulo Oito
Capítulo nove
Capítulo Dez
Capítulo onze
Epílogo
Capítulo Um

Katie

Quando a assistente mal-intencionada de qualquer idiota rico, que possui esta

mansão insana, me chamou para lidar com um baile de máscaras extravagante, eu considerei

fortemente dizer não. Mas os muitos zeros no enorme cheque, que Amanda prometeu

conseguir no final, me fizeram reconsiderar em um piscar de olhos - e isso estava no topo do

orçamento, que eles já definiram para a festa. Ao todo, eu estava me beijando como uma

bandida, o que torna um pouco mais fácil para mim, tolerar a atitude de Amanda.

Porque ela é absolutamente terrível. A mulher é uma cadela loira esnobe

clássica, com cabelo liso e um sorriso de escárnio, permanentemente colado no rosto. Mas eu

não vou deixar ela me pegar. Mesmo que ela me lembre, de todas as garotas malvadas no

colegial, passei por essa fase da minha vida. Tudo o que preciso fazer é me concentrar no

cheque que vou pegar de seus dedos, perfeitamente bem cuidados, até o final desta noite, e

ficarei bem.

De pé na entrada da mansão, eu inclino a cabeça para observar o prédio, tentando

ver o lugar, como os convidados mascarados vão vê-lo. A entrada é uma enorme área circular,

com um lustre gigante e brilhante, pendurado no centro do teto, e em frente à entrada há um

longo corredor, terminado em bosques escuros e antiguidades em que minha avó babava. Eu

praticamente posso ver o preço multimilionário, em tudo que forra as paredes. Eu não posso

nem imaginar, como seria ter tanto dinheiro assim. Eu certamente não teria que pular mais, a

guacamole com Chipotle.


Mas a sensação vintage da mansão é realmente perfeita, para um baile de

máscaras. Quando eu descobri que a festa estava sendo realizada, por um cara rico em

tecnologia, com uma grande carteira e uma reputação ainda maior , eu estava um pouco

preocupada com o que eu teria que trabalhar. Eu juntei festas para caras de tecnologia antes,

então estou familiarizada, com seus estilos de vida. Ou é totalmente luxuoso com dispositivos

tops loucos e tudo top de linha, ou totalmente sobressalente e espartano. Você tem sorte se

tiver mobília às vezes. Eu vi caras vivendo com um colchão no chão e uma cadeira, apesar de

valer bilhões.

Então, durante a minha primeira turnê deste lugar, há algumas semanas, eu não

tinha certeza do que esperar. Por favor, ver o prédio me tirou o fôlego e aliviou minhas

preocupações. As paredes externas eram cobertas de hera e imponentes, com torres literais

alcançando o céu. Uma entrada de carros, circulava em torno da frente da casa, um cenário

perfeito para os Bentle e Porsches, que certamente chegariam .

O interior era ainda melhor. O amplo corredor do outro lado da entrada, tinha

algumas portas, levando a diferentes partes da casa. Logo quando você entra, você é recebido

por um espelho gigante e um velho cabide que é desnecessário, dado o número de empregadas

movimentando-se ao redor, para levar o seu casaco. Em ambos os lados do grande foyer,

existem duas escadarias largas e sinuosas. Eu não fui visitar os quartos no andar de cima,

porque Amanda disse que aqueles eram os quartos, que não fariam parte das festividades - eu

sufoquei uma bufada na época, porque que tipo de extravagância não termina em devassidão e

um pouco de atrocidade? Mas, novamente, este era um encontro sofisticado, com muitas

pessoas importantes presentes. Por mais que eu quisesse dar uma olhada, com base no resto

da casa, eu já poderia formular uma imagem mental dos luxuosos móveis antigos, em todos os

cantos e recantos. Eu não precisava ver, para saber o que parecia na minha mente.

Logo após a entrada e no corredor, uma porta na esquerda, leva a uma enorme

biblioteca, que provavelmente vale quase tanto, quanto a própria propriedade. Quando fiz o
tour inicial, vi pelo menos sete primeiras edições cuidadosamente colocadas, em toda a sala

cheia de livros.

Mas a biblioteca não será o cenário da festa de hoje, segundo o pedido de

Amanda. Afinal, este é um baile de máscaras, então eles estarão usando, o grande salão de baile,

com seu teto alto e paredes graciosas.

Francamente, não há necessidade de muita decoração, porque a casa em si já

é magnífica e imponente, com suas banquetas de madeira ornamentadas e pisos de mármore

reluzente. Mas, ei, eu tenho que ganhar meu sustento, então eu decidi colocar alguns acentos de

janela. Eu usei papel crepom preto e branco, torcido como para uma festa de aniversário, e

coloquei os trilhos pelas janelas. No centro, usei caras máscaras pintadas à mão, para acentuar

o tema da festa. As máscaras e as cores combinam com o ambiente da sala, e acho que elas

contribuem para o clima de festa a fantasia, de todo o evento.

Todas as mesas estão vestidas com linho preto e branco e as peças centrais da

mesa, são adornadas com rosas pretas e brancas e penas de pavão importadas da Índia. As

penas eram minha ideia, e Amanda relutantemente admitiu, que pareciam bonitas.

Mais uma vez, enquanto ela estiver feliz, então eu estou bem, porque o meu negócio

é uma empresa de planejamento e restauração de festas de serviço completo. Nós arrumamos

tudo, servimos a comida e depois a desmontamos. Eu comecei a empresa recém-saída da

faculdade e cresceu além dos meus sonhos mais loucos. Tenho vinte funcionários, para grandes

eventos como este, quatro chefs cuidando da comida e oito servidores altamente treinados.

Tive muito trabalho para chegar até aqui, mas valeu a pena, cada passo cansativo. Afinal, esta é

minha paixão, e meu sucesso foi inesperado, mas gratificante. O único problema é o aspecto

financeiro do negócio. Cada centavo de lucro ou vai para expandir minha empresa ou pagar

meus empréstimos estudantis, então eu não tenho muito sobrando. Eu consigo, mas às vezes é
uma escolha entre um chuveiro e ar condicionado, durante os meses quentes de

verão. Definitivamente, não ambos, vendo que o dinheiro está apertado.

Eu inspeciono meu trabalho com orgulho, por mais alguns instantes. Meus

funcionários estão correndo, dando os últimos retoques, em todas as mesas e decorações de

parede. Este não é o maior local onde já trabalhamos, mas é certamente o mais grandioso. Eu

confio em meus funcionários, para não quebrar nada valioso, mas ver as antiguidades em todos

os lugares, ainda me deixa nervosa. Estou tão pronta para esta noite acabar. Depois de limpar e

descontar o cheque, posso esquecer que este lugar existiu.

Amanda sai do nada, vestida com um vestido justo até o chão. Seu rosto se enruga

em uma carranca, enquanto ela me olha de cima a baixo.

“É isso que você está vestindo, Katie? Os convidados chegarão em breve. Todo

mundo precisa chegar aos seus posts de festa. Você precisa se transformar em algo apropriado,

caso contrário, você vai ficar como um polegar dolorido, e eu não posso confiar em você, para

ficar fora de todas as fotos. Espero que você tenha alguma coisa?”

Eu me forço a não revirar os olhos e manter minha voz neutra. “Claro,

Amanda. Fique tranquila. Eu tenho um vestido na cozinha. Só não queria estragar tudo,

durante a configuração. ”

“Bem, vá em frente, então. E leve o seu pessoal para os seus postos! ” Ela dispara,

claramente apreciando sua posição, mandando em mim.

Eu suspiro quando Amanda sai correndo. Eu trabalhei com alguns clientes

terríveis, mas Amanda leva o bolo como a pior. Sua estrutura alta e magra e cabelo loiro

perfeito, apenas aumentam a minha antipatia por ela. Ela é como uma Barbie viva. Isto é, se a

Barbie nunca sorrir e só comer limões.

Além disso, com 1,68 de altura, eu não sou super curta, mas não sou modelo alta,

como ela. Eu tenho um peso saudável para a minha altura, com curvas em todos os lugares
certos. Meu cabelo castanho é liso, sem precisar fritá-lo com ferro, todas as manhãs. Eu

mantenho minha maquiagem leve, usando apenas o suficiente, para melhorar sutilmente meus

recursos naturais. Por todas as contas, sou uma mulher atraente. Mas ainda pareço um desleixo

ao lado de Amanda, com sua moldura de modelo.

"Tudo bem, todo mundo", eu bato minhas mãos no salão ecoando, chamando minha

equipe a atenção. “Nossos convidados estarão chegando em breve. Por favor , dêem os

retoques finais no que vocês estão trabalhando e, em seguida, preparem-se para o evento de

boas-vindas. Vocês todos têm suas atribuições para a duração da festa.”

Algumas respostas resmungadas me chegam, através da grande sala, e meus

funcionários se movem um pouco mais rápido, para fazer o trabalho. Dentro de cinco minutos,

todos os trabalhadores se foram e a sala está pronta, para ser preenchida com homens e

mulheres glamourosamente vestidos. Eu me retiro para a cozinha, para pegar meu vestido e

trocar no banheiro, antes da festa começar.

Meu vestido é curto e preto com um belo desenho de pavão no corpete. É um pouco

engraçado porque eu coincido com as peças centrais, mas estou bem com isso. Afinal, o meu

propósito é misturar-me com o fundo. Eu não preciso ser vista; Eu só preciso ficar de olho em

meus garçons e garçonetes, garantir que todos estejam sendo alimentados e que nada de

catastrófico aconteça. Eu não estou aqui para assistir a bola, apenas como babá.

Quando saio do banheiro, já há hóspedes tirando seus casacos dentro do foyer. A

maioria está usando máscaras, como o convite pediu, mas alguns estão sem. Eu corri a idéia de

ter máscaras extras, na mão de Amanda, mas ela imediatamente anulou a ideia .

"Você não seria capaz de encontrar o que queremos", ela fungou.

Fiquei surpresa, apesar do fato de que minha expressão não mudou.

“Sinto muito?” Foi a minha pergunta. "O que você quer dizer?"
“O que quero dizer é que o Sr. Moore é um bilionário, e seus convidados também

são ricos em negócios. O tipo de máscara para o qual eles vão, não estaria no orçamento do seu

partido. Nem você seria capaz de localizar qualquer coisa adequada.”

Uau, isso foi bem o resultado. Mas eu deixo passar um sorriso agradável no meu

rosto. Afinal, esse era um trabalho e um bem remunerado.

"Claro", foi a minha resposta agradável. “Nenhuma máscara extra, então. Entendi."

E quando os convidados começam a chegar, vejo o que Amanda quis dizer. Os

convidados são todos pessoas bonitas e ricas, vestidas com smokings perfeitamente cortados

e vestidos de baile em tons de jóias. As mulheres usam saltos de cinco polegadas, e ainda

conseguem parecer elegantes e graciosas. Os homens são uniformemente bronzeados, altos e

bonitos.

Quem são essas pessoas? Ou, mais precisamente, quem é o misterioso

hospedeiro? Eu fiz minha pesquisa sobre o cliente, Trent Moore, mas não havia conclusões

definitivas. Seu nome parecia importante, mas, na verdade, o homem não nasceu rico. Em vez

disso, ele abandonou a faculdade há muito tempo, para criar sua própria empresa, e agora ele é

um bilionário com dinheiro saindo pelo ladrão.

Além disso, com base nos artigos que li, ele é um cara mau. Menos de um ano atrás,

Trent Moore mal evitou uma prisão por uma briga, em um evento de caridade. O artigo que vi

dizia que o Sr. Moore trouxera duas lindas fêmeas para o país , e não uma. Previsivelmente, as

duas senhoras entraram em uma briga e todas os três foram expulsos. Uau.

Mas havia algo mais na história do que isso porque, na foto que acompanhava, uma

mulher mostrava uma notável semelhança com Trent. Ambos tinham a testa alta, cabelos

negros e olhos azuis cintilantes. Eu tinha a sensação de que ela era sua irmã e que essa não era

sua briga de sempre. Eu não tenho certeza do que a luta foi, mas há definitivamente mais do

que os hormônios femininos usuais, deram errado.


Um som à minha direita me tira dos meus pensamentos. Uma mulher usando um

elegante vestido preto e uma bela máscara verde e branca, está admirando a peça central em

uma mesa próxima.

"Você vê a pena de pavão?", A mulher ronrona ao seu

companheiro. “Que idéia bonita. Isso realmente liga tudo junto, você não acha?”

Eu sorrio. Eu gostaria que Amanda estivesse por perto, para ouvir o elogio sobre a

minha decoração. Ah bem. Um trabalho bem feito, é sempre um trabalho bem feito, mesmo

que eu seja a única, a ouvir as palavras de apreço.

Do meu rosto contra uma parede, invisível mas vendo tudo, vejo a festa se

desenrolar. Os convidados chegam e comentam sobre as máscaras da janela, as peças centrais e

os acessórios embutidos na mansão. As coisas estão indo bem, então eu me permito relaxar

pela primeira vez, desde que este trabalho começou.

Uma hora depois do baile de máscaras ter começado, as coisas ainda estão

ótimas. Nada quebrou, e não há bebidas derramadas ou bandejas derrubadas. Eu ouvi várias

pessoas comentarem sobre a comida, um menu que eu mesma criei. Tenho orgulho de dizer

que esta festa está acontecendo, exatamente como planejado. Até Amanda, com o rosto

perpetuamente beliscado, parecia satisfeita pela última vez que a vislumbrei. Eu mentalmente

marquei isso, como uma pequena vitória. Impressionar a anfitriã ranzinza é difícil, mas acho

que consegui ter sucesso.

De repente, uma mão roça minhas costas. Eu me viro, esperando ver um dos meus

empregados, mas, ao contrário, tudo o que me saúda é uma parede de preto. Oh espere. Meus

olhos estão nivelados com o peito largo, de um homem alto e mascarado. Ao contrário dos

outros convidados, que usam disfarces que cobrem apenas os olhos, o seu rosto é todo

sombreado. Eu posso distinguir uma mandíbula firme e quadrada e olhos azuis intensos, mas

nada mais.
Como as notas da música, o homem misterioso , graciosamente me puxa para uma

valsa, sem uma única palavra. Meu primeiro instinto é me afastar dele. Eu não deveria estar

dançando porque eu sou a ajuda, mas ele me segura firmemente na posição. Se eu tentar sair

agora, isso causaria uma cena, o que certamente faria Amanda furiosa, além da crença. Então,

ao invés disso, eu flutuo enquanto seus braços fortes me guiam, ao redor do chão de forma

suave e elegante. Meu coração está batendo rápido, a respiração vem em pequenas

inalações. Quem é esse estranho misterioso?

Nós nos movemos junto com o fluxo da música, vindo de uma pequena orquestra,

montada na parte de trás do salão de baile. Afinal de contas, um baile de

máscaras não está completo, sem instrumentos de corda para fornecer o pano de fundo, para

dançar, e o Sr. Moore estava disposto a saltar para ele. Um DJ tocaria a música errada e um CD

não teria o mesmo efeito. Este foi provavelmente o único item, em que Amanda e eu

concordamos : a música tinha que ser tocada ao vivo.

Finalmente, a longa e instrumental música termina, e meu misterioso parceiro de

dança me libera de seu domínio. Ele recua e pega a minha mão na dele, levantando-a nos lábios

para um beijo suave, enquanto ele se curva para mim. Eu sinto que deveria fazer uma

reverência, mas eu só faria papel de boba se tentasse. Em vez disso, sorrio fracamente para ele,

decidindo que não fazer nada é melhor do que tentar fazer alguma coisa e me fazer de boba.

Meu estranho parceiro se levanta e endireita o casaco, quando solta minha

mão. Seus olhos encontram os meus e há uma familiaridade lá, mas eu não posso colocar onde

eu vi aqueles olhos, antes.

Silenciosamente, o homem ergue a máscara, seus lindos e assombrosos olhos azuis,

olhando inabalavelmente para mim. Seu rosto esculpido e seu cabelo negro são combinados

com um smoking perfeitamente adaptado, completando sua aparência principesca. Ele parece
exatamente com as fotos que eu vi, até a covinha em sua bochecha e ombros poderosos. Além

disso, ele parece estar entre esses ambientes luxuosos. É sua casa e festa, depois de tudo.

"Olá", o homem ronca, mantendo os olhos fixos nos meus. Ele estende a mão direita

para apertar a minha, como se ainda não tivéssemos sido apresentados, da maneira mais

íntima. Dançar e beijar na mão são românticas e bonitas, enquanto um aperto de mão é

formal. Eu estendo minha mão para apertar a dele, porque estou em uma perda para o que eu

deveria fazer. Quando imaginei conhecer o homem, não era assim que eu esperava que

acontecesse.

"Eu sou Trent Moore", diz ele suavemente. "E você é?"

Ah não. O que eu disse? Afinal, eu sou a ajuda e não deveria estar dançando. Então

eu invisto uma história ou admito a verdade? Porque esta é a minha fantasia ... mas se o Sr.

Moore sabe que eu sou da equipe, ele vai esperar que eu cuide de todas as suas necessidades?
Capítulo Dois

Trent

Eu atordoei a pobre garota.

Quando eu vi essa beleza desmascarada do outro lado da sala, eu sabia que tinha

que falar com ela. Ela é a mulher mais linda da festa e se eu não a levasse para dançar, um dos

meus amigos ridículos teria tentado fazê-lo . Uma mulher assim não pertence a um deles. Ela

pertence a mim. Eu já posso imaginar o gosto dos lábios dela, como ela vai parecer quando

estiver ofegante embaixo de mim…

Mas não podemos chegar lá se não conseguirmos ultrapassar esse

momento. Suponho que dançar com ela, antes de uma apresentação adequada pode ter sido

um pouco intimidante, mas eu simplesmente não podia esperar. Aquela forma curvada

implorou para ser acariciada, e eu queria ser a única a prová-la primeiro.

Eu estudo o rosto da morena, enquanto ela recolhe seus pensamentos. Ela não me

parece bem familiar, mas metade da festa não me é familiar, mesmo sem suas máscaras. Minha

assistente, Amanda, lidou com a lista de convidados para essa reunião, e não tenho certeza de

quem ela escolheu como participante. Ela é uma ótima assistente, mas talvez eu precise

supervisionar ela um pouco mais. Não que eu queira - Amanda tende a continuar sobre uma

coisa e outra, e eu odeio admitir isso, mas o olhar dela é sempre tão calculista, como se ela

estivesse tentando contar meu dinheiro, nas minhas costas.

Mas por enquanto, a bela morena á minha frente, me chama a atenção.

"Katie", minha companheira finalmente respira. "Meu nome é Katie."


"Katie", eu testo. Seu nome é delicioso na minha boca. Eu aposto que ela tem gosto

de seu nome. Doce. "Prazer em conhecê-la."

"Você também", ela murmura. "Eu estive me perguntando se os caminhos se

cruzariam."

Eu levanto uma sobrancelha para isso. Ela vai me pedir para investir em sua ideia,

para um aplicativo? Ela é a filha de um homem, que quer que eu compre o negócio dele? Não

seria a primeira vez, que eu encontraria uma situação assim.

"É isso mesmo?" Eu pergunto , sem dar nada.

Katie assente. "Eu pensei que talvez eu conseguisse passar por toda a festa, sem

colocar os olhos no homem, que me pagava por eu estar aqui."

Eu dou um passo atrás. Eu não contrato prostitutas. De que diabos ela está falando?

Mas talvez eu tenha sido muito crítico. Afinal, as meninas que trabalham, também

precisam ganhar a vida, e Katie é uma mulher linda, com curvas exuberantes e um sorriso

doce. Esse vestido implora para ser removido do corpo dela. Essa coisa de prostituição

complica as coisas, mas não as altera de acordo com minha libido.

Katie sente minha hesitação e confusão. "Você pagou por essa festa", ela esclarece,

levantando as sobrancelhas. "Eu fiz acontecer."

Oh . Eu entendo agora, e o alívio inunda meu corpo. Ela é a planejadora de festas, e

não uma escolta de alto preço, que escorregou, na esperança de fazer uma pontuação. OK. Faz

sentido agora. Eu quase rio de alívio, mas consigo me conter.

Limpo minha voz em uma tentativa de varrer minha confusão e leve

constrangimento. "Você fez um trabalho incrível, Katie."

"Obrigada", diz ela. “Você tem uma bela casa. Não demorou muito, para ficar

pronta para a festa. ”


"Oh, bom", eu digo. “Todos com quem falei elogiaram a comida deliciosa. Eles estão

devorando os canapés, na verdade.

Ela cora.

"Estou feliz que gostem."

Ficamos em silêncio por um momento. Agora que sei que Katie é minha

organizadora de festas, as complicações de dormir com ela desaparecem. Ela não é minha

funcionária. Ela não é uma prostituta. Ela é apenas alguém contratada temporariamente, para

montar esse baile, e eu não vou ter que me preocupar, com a segunda-feira de manhã, se eu a

levar para a cama. Com isso em mente, sorrio ferozmente.

"Você gosta de dançar, Katie?" Eu pergunto.

Ela ri, uma linda melodia.

"Eu não , Sr. Moore."

Uma sobrancelha levanta.

"Por favor, me chame de Trent."

"Eu não, Trent."

"Você parece ter gostado agora", eu digo com um sorriso.

"Eu não queria ser rude", responde Katie com um sorriso doce e provocante.

"Do que você gosta então?"

Katie ri mais uma vez. Eu poderia me acostumar com o som tilintando, escapando

de seus lábios. "Eu gosto de muitas coisas. Tortas, filhotes, filmes de ação, ir para a praia. Do

que você gosta?”

"Eu gosto de expandir meus negócios e levar mulheres bonitas para a cama

comigo", é minha declaração direta.


Desta vez, Katie é a única a dar um passo para trás, quando ela engasga. Minhas

palavras grosseiras a chocaram, mas a curiosidade escandalizada em seus olhos, me diz que eu

não a assustei.

"É uma coisa boa, que esta festa é cheia de mulheres bonitas, então", ela observa

insolentemente, recuperando-se de seu choque. "Certamente você não dormiu com todos elas?"

Eu rio alto agora , um rugido baixo correndo pelo meu peito. Os lábios de Katie se

transformam em um sorriso leve e satisfeito.

“Eu não tenho dormido com todas eles, querida. Você está certa sobre

isso. Algumas delas, claro. Mas nem todas."

"É bom saber", diz ela com um aceno de cabeça.

Eu estendo a mão e pego a sua. "Suba comigo, Katie."

Mas a bela morena, puxa a palma da minha mão.

"Eu não posso", diz ela com um sorriso. “Eu tenho uma festa para assistir. Ao

contrário de você , Sr. Moore, estou aqui para trabalhar, não me divertir.”

Eu ergo minha cabeça para ela, tentando avaliar precisamente, qual é o jogo dessa

garota. Por que é tão difícil conseguir, que ela se junte a mim na cama? Leva apenas cinco

segundos, para convencer a maioria das mulheres.

"Viva um pouco", digo a ela. “Como seu cliente e chefe temporário, estou

permitindo que você faça uma pausa no trabalho e se divirta. "

"Quem cuidaria da festa?", Ela pergunta, cruzando os braços.

Eu não posso deixar de notar seu amplo decote, enquanto seus braços se

movem. Oh merda, essa cremosidade faz meu pau empurrar com fome, e meus olhos piscam de

volta, para seu rosto expectante. Eu sei que ela está indo muito tempo, com esta conversa para
me divertir, mas eu não sou um para voltar atrás. Eu examino a sala, observando os convidados

rodopiantes e as bandejas carregadas de comida ainda. A julgar pelo quão bem está indo, nada

de terrível acontecerá na nossa ausência. Eu espio Amanda nas proximidades e faço um gesto

para ela se aproximar. A mulher se ilumina por um momento quando ela me vê, mas então sua

expressão congela, quando ela vê Katie ao meu lado. Ainda assim, ela caminha rigidamente.

―”Amanda, eu tenho alguns negócios para atender, com a nossa planejadora de

festas. Se alguma coisa acontecer enquanto estivermos fora, estou contando com você, para

lidar com isso” - instruo-a com um sorriso.

Sua expressão fica positivamente gelada agora.

"Sim, Sr. Moore, é claro", ela morde. Eu posso dizer que as palavras doem, mas ei,

eu não estou aqui para distribuir favores de festa . Eu pago seu salário, afinal, e espero receber

o valor do meu dinheiro.

"Obrigado, Amanda", eu digo enquanto puxa Katie para longe. "Por favor,

certifique-se de que todos os convidados sejam atendidos."

Quando estamos a cerca de seis metros de distância, volto para a linda

morena. "Ah", eu digo simplesmente. "Agora você não tem obrigação de tomar conta."

Os olhos de Katie piscam com hesitação, mas logo é substituído por um sorriso

hesitante. Ela aceita minha mão e eu a puxo comigo, em direção à enorme escada em

espiral. Ajudando-a a subir os degraus suaves, é só quando estamos no topo da escada, que

beijo essa linda mulher , pela primeira vez. E ai merda, mas sua capacidade de resposta é

fascinante. A morena curvilínea geme, enquanto deslizo minha língua entre seus lábios

rosados, o corpo instintivamente aninhado em minha direção. Não há tempo para ir

devagar. Meu comprimento está se esforçando contra minhas calças, desde que eu tive um

vislumbre de Katie sozinha, no meu salão de baile, e ela implora satisfação desesperadamente.
Os lábios de Katie permanecem presos aos meus, minhas mãos emaranhadas em

seus cabelos, enquanto eu a guio de volta pelo corredor, em direção ao quarto

principal. Chegamos à porta e eu a empurro contra ela, levantando as pernas em volta da minha

cintura. Ela geme de novo, esfregando sua pélvis contra a minha, lábios sugando os meus, como

se fossem ar e ela está se afogando .

Sem perder o ímpeto, abro a porta do meu quarto e trago-nos para dentro,

chutando-a para trás. Eu teria alegremente levado ela contra a porta no corredor, mas o risco

era alto demais. A última coisa que eu preciso é que algum maldito fotógrafo entre nas câmaras

superiores proibidas e tire fotos de mim, esvaziando minha carga em uma linda mulher. As

manchetes causariam outra dor de cabeça de relações públicas, com a qual não quero lidar.

Uma vez dentro do meu quarto, eu jogo Katie na cama. Eu me abaixei na

esteira acima dela e contemplei seu rosto bonito, aqueles seios grandes e seu corpo

incrivelmente curvilíneo. Ela sorri e agarra minha camisa, me puxando para baixo e forçando

nossos lábios, a se conectarem mais uma vez. Ela não recebe reclamações de mim, enquanto

nossas línguas se entrelaçam em uma luta livre.

Eu sinto as mãos de Katie se atrapalharem com os botões da minha camisa,

claramente ansiosos para acabar com as camadas excessivas, mas eu fico impaciente com seu

lento progresso. Eu preciso do toque dela agora. Com um grunhido baixo, eu pego os lados da

minha camisa e a abro, mas botões caem no chão. Isso não é um problema. Eu posso comprar

uma nova.

Katie engasga com a minha falta repentina de roupas. Sem o tecido entre nós, seus

lábios traçam beijos quentes no meu peito. Eu tremo em seu toque sensual, todo o caminho até

o corte v do meu abdômen inferior. Por mais que eu esteja gostando da atenção dela, eu quero

retribuir. Eu preciso ouvi-la gritar por mim, implorar por mais. Tomando sua cintura, eu a viro

antes de empurrá-la para baixo na cama, o rosto primeiro. Ela solta um pequeno grito,
contorcendo-se no colchão macio e saltando para cima e para baixo. Mas eu não

paro. Enquanto salpico aquele pescoço suave e leitoso com beijos, deslizo pelo zíper de seu

vestido antes de puxá-lo de seus ombros e tirá-lo completamente. Katie se vira de novo ,

fazendo minha respiração ficar presa na minha garganta.

Porque essa mulher é perfeita. Ela está usando um sutiã preto rendado que mal

consegue conter seus seios gigantescos. Eu me inclino e corto os topos dessas curvas

cremosas. Ela geme de prazer, empurrando o meu dedo contra o peito dela. Com uma mão,

libero o sutiã sem esforço por trás das costas e tiro-o do corpo, revelando seus mamilos

rosados e eretos, grandes e redondos, prontos para mim.

"Foda-se baby", eu grito. "Você é linda."

Antes que ela possa responder, eu tomo o mamilo esquerdo na minha boca,

chupando e correndo minha língua ao redor da aréola. Merda, ela já é tão difícil, suas pontas

como pedrinhas. As mãos de Katie se entrelaçaram no meu cabelo, empurrando ainda mais o

peito dela na minha boca.

"Oh deus, Trent", ela geme. "Sim, assim!"

Com uma última lambida, viro para o mamilo direito e dou a mesma atenção,

sugando-a até que esteja aumentada e brilhando. Katie está ofegante abaixo de mim e nós

apenas começamos. Suas mãos encontram a fivela do meu cinto e soltam. Ela desabotoa minha

calça e desliza-a para baixo, junto com minha cueca boxer. Minha ereção chama a atenção,

agora que escapou, dos limites da minha calça.

Agora é a vez da morena ficar chocada.

"Oh meu deus", ela sussurra, os olhos arregalados quando eles tomam meu

pau. "Oh Deus."


Eu sorrio. "Grande , não é?" Eu me inclino e sussurro em seu ouvido, a voz rouca

com desuso e desejo. “Mas não se preocupe, querida. Você vai esticar para mim. Você vai se

alongar muito bem, eu posso dizer.”

A boca de Katie abre e fecha silenciosamente algumas vezes, enquanto ela continua

a olhar. Mas então a garota se segura e respira fundo, antes de cuspir na mão e deslizar para

cima e para baixo no meu comprimento. Meu pau fica mais duro, se é que isso é possível, e eu

solto um rugido de choque e prazer. Ah Merda. Onde ela aprendeu a fazer isso? É tão

fodidamente incrível, e meus quadris se contorcem sob seus cuidados, desesperados para

entrar naquela boceta de veludo.

Mas Katie ainda não terminou, nem perto disso. Pressionando um beijo no meu

estômago, ela trabalha os lábios e a língua pelo meu torso até alcançar minha virilha. E então

ela vai para isso. Sorrindo sedutoramente para mim, Katie leva uma das minhas bolas em sua

boca e chupa um pouco antes de sair, e depois fazer o mesmo com a outra. Minha cabeça treme

de volta para o travesseiro, virilha levantada em direção a sua mão, com fome de mais.

"Diga-me o que você quer", ela calça, continuando a trabalhar em minhas bolas

como se fosse o doce mais doce.

"Coloque em sua boca", eu grunho, sem fôlego.

"Diga por favor, cara grande", ela diz.

Oh foda-se, essa mulher está me matando. Mas eu amo tudo mesmo assim.

"Por favor", eu grito, "faça isso. Agora."

E então Katie faz. Incrivelmente, a menina me engole todo, em sua garganta, com

uma respiração profunda. Eu sinto a ponta cutucando insistentemente contra o fundo de sua

garganta, e parece tão bom. Katie se agita um pouco , os olhos lacrimejando, mas ela não

para. Ela balança para cima e para baixo, enquanto chupa meu pau latejante. Eu tenho que
estabilizar minha respiração, para evitar esvaziar minha carga na parte de trás de sua garganta,

muito cedo.

Mas não posso deixar que ela tenha toda a diversão. Depois de um minuto ou dois,

eu grito.

"Pare", eu ordeno antes de perder o controle completo, levantando a cabeça de

Katie do meu pau que está brilhando com seu cuspe e minha pré-porra. "Eu quero provar você."

Eu movo a garota para que ela tome a minha posição, na cabeceira da cama e eu

peguei a dela no pé . Eu puxo sua calcinha até os tornozelos e depois para fora completamente,

deixando a mulher impressionante, completamente nua na minha frente. Merda, ela é

linda. Aquela suculenta fenda rosa acena, e eu a quero tanto. Mas não há sentido em apressar

as coisas, então eu beijo ela e o estômago dela, provocando-a. Ela se contorce sob meus beijos

leves e tenta empurrar minha cabeça para baixo, mas eu me contenho.

"Diga-me o que você quer", eu digo, olhando para o rosto dela, que está nublado

com o desejo.

Katie nem hesita.

"Coloque sua boca em mim", ela sussurra, seus cílios espessos tremulando,

enquanto ela olha para o meu grande quadro. "Por favor, Sr. Moore."

Então eu faço. Eu chupo seu clitóris inchado, entre meus lábios, fazendo Katie gritar

e se contorcer embaixo de mim. Com meus dedos, traço sua entrada. Ela está toda molhada

para mim. Três dedos deslizam facilmente e, depois, acrescento um quarto.

"Oh meu Deus", ela geme, enquanto eu bombeio meus dedos dentro e fora de seu

buraco molhado, continuando a lamber e chupar seu clitóris. “Sim, bem aí, por favor! Não

pare!”
Fico tentado a continuar e fazer Katie gozar nos meus dedos e nos meus lábios, mas

relutantemente decido continuar com o meu plano original.

"Não", eu rosno, removendo meus dedos. Merda, eles estão brilhando de todo o

doce creme. "Eu vou foder você, até eu gozar em sua pequena boceta."

A garota nem hesitou em minhas palavras grosseiras.

"Sim, Sr. Moore", ela diz como uma prostituta. "Leve-me, por favor, eu preciso de

você dentro de mim!"

Meu pau contorce-se com o pedido dela, e eu estou pronto para ir para o ouro,

quando de repente ela olha para mim, quase um pouco tímida.

"Eu não costumo fazer isso", diz ela, balançando a cabeça, com um olhar atordoado

em seus olhos. “Eu juro, isso é novo. Eu normalmente não durmo com caras aleatórios, em

festas. ”

Um sorriso cruza meu rosto, e ela é de alguma forma ainda mais sexy, do que

nunca. Sua inocência, sua honestidade, isso me faz sentir triunfante e quero devastá-la

imediatamente. "Bom", eu digo. "Então isso será especial."

Ela ri, mas é cortada quando meu pau cutuca seu buraco escorregadio. Oh Deus, a

garota está tão molhada, e suas dobras estão inchadas e macias. Ela geme alto, toda a

timidez esquecida, pegando os lençóis e abrindo as pernas para melhor acesso. Esse é o meu

sinal. De uma só vez, eu empurro meu eixo gigante todo o caminho para dentro, o aperto dela

tão insuportável e avassalador, que eu quase estouro minha carga ali mesmo.

“Oh deus, Sr. Moore! ” Ela grita, a cabeça caindo para trás, enquanto seus olhos se

fecham com êxtase. "Você é tão grande!"

"Não se preocupe, querida", eu ofego em resposta, respirando contra aquele

pescoço delicioso. “Sua tensão acomodará meu pau gordo. Apenas dê um segundo.”
E com certeza , eu posso sentir os músculos se ajustando um pouco, em sua boceta

de veludo. Ah merda, isso é tão bom. Quando eu não aguento mais, eu puxo quase

completamente para fora e volto para o meu caminho. A garota leva isso como um

campeão. Com cada impulso, Katie grita de prazer. Eu cubro acima de sua boca, com a minha,

enquanto eu a fodo fervorosamente, movendo-me como uma máquina poderosa. Suas mãos

acariciam meu cabelo, me segurando perto. Eu agarro seus quadris curvos, puxando-a para

mim, para que eu possa ficar o mais fundo possível dela. Eu quero enchê-la, sentir suas

paredes ao redor do meu pau, e ouvi-la gritar meu nome.

Não demoro muito, para eu sentir que posso explodir, porque algo sobre Katie me

faz um adolescente de novo, como se houvesse algo tão deliciosamente errado sobre isso, tão

novo e excitante.

Mas ela me come para isso.

"Eu vou gozar", ela diz, bochechas coradas. Seus fluidos engrossam, quando deslizo

minha mão para dentro, encontrando seu clitóris com meu polegar e faço círculos para

maximizar seu prazer. "Oh deus", ela grita enquanto eu vou fundo nela, mais uma vez. Suas

paredes tremem em meu pau, esse belo rosto contorcido de prazer. E então acontece. Seu

orgasmo floresce e então se ergue, a garota gritando, enquanto eu continuo a empurrar dentro

dela.

Mas é demais para mim também.

"Foda-se!" Eu rujo enquanto perco o controle, empurrando meu pau dentro dela

com abandono, explodindo naquela boceta apertada e rosada. Jato após jato de sêmen quente,

explode seu canal de veludo, a gosma penetrando nela, com cada esguicho. As paredes

apertadas do buraco dela, são o suficiente para sugar o esperma do meu pau, puxando

cada seqüência pegajosa de espermatozoides, mais profundo. Eu empurro febrilmente, em uma

tentativa desesperada de descarregar todo o meu sêmen, em sua vagina latejante.


E finalmente acabou. Depois que eu me esvaziei completamente, eu saí e deitei ao

lado dela. Estamos ambos sem fôlego e ainda nos recuperando dos efeitos posteriores de

nossos orgasmos. Não me lembro da última vez, que eu tive uma porra tão boa assim. Santo

inferno. Foi exatamente o que eu precisava e estou totalmente gasto.

Mas depois de apenas alguns minutos, a mão de Katie está no meu pau de novo,

persuadindo-o de volta a toda a extensão. Não é preciso muito dos golpes da mulher, para me

endurecer novamente.

"Isso não foi o suficiente para você?" Pergunto, incrédulo. Francamente, não posso

deixar de ficar impressionado.

Katie sorri maliciosamente. "Eu quero que você me leve para trás desta vez", ela

ronrona. A mulher está de joelhos, as mãos segurando a cabeceira da cama e sacode aquela

bunda grande para mim. Inacreditavelmente, um fluxo de sêmen rasteja da buceta dela, para

baixo de uma grande coxa, e isso me deixa faminto por mais.

"Você entendeu, querida", é meu rosnado. Eu não posso resistir à tentação. Eu

continuo a acariciar a mim mesmo, quando fico em posição atrás dela, e uma vez que meu pau

está duro e pronto, meu pau a encontra se abrindo e eu deslizo para dentro, os sucos

misturados da nossa sessão anterior, mantendo-a escorregadia.

Oh merda, isso é tão bom - eu posso ir mais fundo nesta posição, e empurrar meu

eixo todo o caminho até o punho. Eu pego o cabelo de Katie com uma mão e puxo-a levemente,

enquanto eu a fodo por trás, exatamente como ela me pediu. A outra mão está presa em sua

cintura, puxando-a para mim com cada bomba áspera. Suas costas arqueadas, rosto contorcido

de prazer e boca ligeiramente aberta. Deixando de lado o cabelo dela, eu chego ao redor e

brinco com seus mamilos enquanto ela geme. Ela está ocupada esfregando seu próprio clitóris

enquanto eu a fodo, o que me deixa com tesão pra caralho.


Eu sei que não vou durar tanto tempo . Sexo com Katie é muito intenso e louco,

para não mencionar alucinadamente quente. Eu mal conheço essa mulher e ela já me levou

para o céu duas vezes.

Então não há sentido em me segurar. Eu continuo arando dentro dela, enquanto

meu clímax aumenta. Katie grita quando o orgasmo atravessa seu corpo, fazendo seu corpo

estremecer e as paredes da vagina apertarem, em torno de mim. Ela cai na cama, o rosto

enterrado no travesseiro, enquanto sua boceta continua a apertar e estremecer, me

ordenhando pela minha preciosa porra.

E ela consegue. Mais uma vez, seu orgasmo me leva ao limite. Eu puxo seu cabelo

para trás e empurro profundamente em sua vagina, estremecendo uma última vez com um

grunhido, minha semente esvaziando, dentro daquele canal celestial.

"Merda!" Eu rujo, peito arfando quando meu pau entra em erupção. "Merda merda

merda!"

O êxtase ruge através da minha estrutura, fazendo meus joelhos tremerem quando

o gozo irrompe de novo e de novo, jogando galões em sua boceta aveludada. Eu ofego quando

termino, Katie ofegante abaixo de mim. Que porra acabou de acontecer? Saindo lentamente, nós

nos deitamos ao lado um do outro na cama, passados da incrível sessão.

"Uau", murmura Katie, quando é capaz de falar. "Isso foi incrível."

Deixei escapar um murmúrio de concordância, incapaz de formar uma sentença

completa ainda. Não sei quanto tempo passou, mas decido que não vou deixá-la fora de vista,

pelas próximas oito horas. Meus convidados podem festejar tudo o que eles quiserem lá

embaixo. Eles podem comer toda a minha comida, dançar na minha orquestra e se

divertir. Porque eu vou estar fazendo meu próprio feliz, no andar de cima ... e a morena vai ser

minha prisioneira voluntária por toda a noite .


Capítulo Três

Katie

Se eu soubesse que ir para a cama com um bad boy bilionário poderia ser tão bom,

eu teria feito isso, há muito tempo. Porque oh deus! Eu nunca tive um momento tão incrível, na

minha vida. Normalmente tenho dificuldade em vir. A maioria dos caras não faz isso por

mim; eles são todos mãos de enfermaria e molhadinhos secos. Mas algo sobre o bilionário

bonito é diferente, e desta vez, eu explodi no pau de um cara, minha buceta espasmou e se

contorceu enquanto eu gritava de êxtase.

Nem uma vez. Não duas vezes. Mas a noite inteira, enquanto Trent devastava minha

boceta de novo e de novo.

"Estou feliz que você esteja se divertindo", disse Moore com um brilho naqueles

olhos azuis, durante o meio da nossa sessão. "Eu certamente estou."

"Bom", eu digo com uma risadinha. "Fico feliz em ouvir."

Além disso, não havia silêncios constrangedores. Claro, nós estávamos fudendo um

ao outro sem sentido, mas quando paramos para conversar, a conversa era natural e

confortável.

"Então, Katie", disse Trent, recostando-se na cabeceira da cama, depois de um

intenso acoplamento, "conte-me sobre você."

Eu ri. "Não deveria ter vindo antes do sexo?"


Eu me viro de lado, então estou de frente para o alfa, nossas mãos se encontrando,

no espaço entre nós.

"Eu nunca fui um, para seguir as regras", diz ele secamente.

Eu não digo a ele que sou uma seguidor de regras, e dormir com ele está bem fora

da minha zona de conforto. Mas a coisa é que eu realmente gostei. Talvez eu deva fazer coisas

que normalmente não faria, mais vezes.

"Bem", eu digo, mudando meu peso para ficar confortável, "eu possuo meu próprio

negócio. Um plano de eventos de serviço completo e empresa de catering . Comecei a ter lucro

dois anos depois, de ter começado a empresa e, por isso, sou grata. Eu gosto de música pop e

romances e da padaria francesa na rua do meu apartamento, além de nunca ter sido casada e

não ter filhos. Ve? Eu sou uma menina simples, ” vem meu tom de provocação.

O bilionário ouve atentamente, mesmo que seu corpo esteja relaxado.

"Você é fascinante para mim", diz Trent. "Nós temos muito em comum."

"Sério?" Eu pergunto duvidosamente. “Como assim?” Porque o que eu poderia ter

em comum com alguém que valesse bilhões de dólares e o mundo na ponta dos dedos?

Mas Trent não se incomoda.

"Eu também sou solteiro", diz ele. “Nenhuma criança que eu conheça. Eu admito

que tenho uma playlist de música pop que ouço na academia, porque me mantém na esteira. Eu

não leio muito, mas quando faço, definitivamente não leio romances. E depois de comer em

muitas padarias francesas em Paris, não acho que poderia me contentar, com a melhor padaria

da América, mas estaria disposto a tentar.

As últimas palavras se estabelecem entre nós. Trent está insinuando, que ele quer

que isso seja mais do que uma coisa, de uma noite? É possível? E ainda mais

importante, eu quero isso?


Menina boba. Claro que eu faço. Para começar, Trent é quente. Ele é lindo com um

corpo musculoso que eu não consigo me cansar, e ele está de mãos dadas, só para me dar o

melhor sexo que eu já tive. Se ele quisesse se divertir assim toda noite, eu certamente o

deixaria.

Mas eu olho para o relógio agora. É definitivamente hora de levantar. Raios de luz

do sol, estão começando a espreitar através das persianas, e a mansão está em silêncio, exceto

pela nossa respiração. Além disso, eu não quero ultrapassar minhas boas vindas.

"Eu deveria ir", eu digo, sentando-me em sua cama gigante. Essa coisa é tão grande,

que é como um dispositivo de flutuação. Com certeza bate o velho colchão de tamanho normal,

no meu apartamento. "A festa já acabou, mas neste negócio, ainda há limpeza a ser feita."

Trent lança um olhar pesquisador, na minha direção.

"Você sabe, você não precisa", diz ele casualmente. “Você acabou de dormir com o

chefe. Vou te dar um passe sobre isto”.

Mas eu balanço minha cabeça, com determinação.

“Não, faz parte do trabalho e eu sou profissional. Eu quero que você obtenha o valor

do seu dinheiro.”

Parece que ele está prestes a dizer algo de novo, mas, em vez disso, sua boca

permanece fechada, respeitando o alvorecer em seus olhos.

"Claro", diz ele suavemente. "Totalmente entendi." Com isso, o homem fica, sem

vergonha de seu estado nu, e recolhe minhas roupas do chão. Eu deslizo em minha calcinha e

meu sutiã. Trent gentilmente puxa o vestido por cima da minha cabeça e fecha-o para mim.

"Obrigado por isso", eu digo, dando-lhe um sorriso tímido. "Foi em credibilidade."

"A qualquer momento", diz ele com um sorriso. "Quero dizer isso."
E com isso, saio do quarto, fechando a porta no meu caminho. Oh meu Deus, isso

realmente aconteceu? Eu acabei de ter uma noite inteira de sexo obsceno, com um bilionário

bonito que eu nem conheço?

Mas é verdade, e enquanto desço essa magnífica escadaria, um gotejar quente de

esperma vaza da minha boceta e desce uma coxa. Meu rosto fica vermelho e olho em volta

nervosamente. Mas não há ninguém aqui. A mansão está silenciosa, e felizmente minha equipe

fez um bom trabalho de limpeza, sem que eu supervisionasse. O lugar está impecável, e nem

parece que houve uma festa horas atrás.

Então, andando um pouco desajeitadamente, minha boceta dolorida da sessão

intensa, eu puxo um cartão da minha bolsa enquanto entro no vestíbulo. Colocando-o na mesa

de entrada, saio da mansão e entro no meu pequeno Renault. A luz do sol me faz apertar os

olhos, e já o cinza da aurora, está começando a se dissipar. Eu esfrego meus olhos e olho para a

enorme mansão, imaginando qual janela é a de Trent. Eu pisco, realidade desabando em minha

mente. Isso realmente aconteceu? Eu realmente tive sexo gostoso e louco com Trent Moore,

rico filantropo e titã corporativo?

Mas os sonhos se tornam realidade, e quando eu saio pela estrada, meu coração

começa a cantar com alegria. Nós apenas começamos a trabalhar ... e eu sei que o bilionário

estará de volta para mais.


Capítulo Quatro

Trent

Eu deveria ter conduzido Katie até a porta, mas a exaustão penetrou na minha

estrutura, tornando impossível levantar-me. A garotinha me colocou no espremedor e eu

precisei de algum repouso, depois da nossa noite sem dormir, de sexo intenso.

Da minha janela, vejo uma minúscula portinhola na garagem e percebo que deve

ser Katie fugindo . Faço uma anotação mental para obter as informações de contato dela, de

Amanda mais tarde.

Porque eu não quero uma coisa de uma noite. Na morena curvilínea, vi algo que eu

estava perdendo em todas as mulheres com quem já estive, antes dela, e essa é a possibilidade

de um feliz para sempre. Alguém que é tão inteligente quanto bonita, tão trabalhadora quanto

parcimoniosa. Alguém com talento, mas também um lado gentil. Eu não posso esperar para vê-

la novamente, e, com esse pensamento, eu lentamente me levanto da cama mais uma vez, para

começar o novo dia. Com as mãos lentas, me visto antes de sair para o carro, com motorista. E

sem uma palavra, Bruno liga o veículo e me leva ao escritório.

Uma vez estabelecido no meu cabelo favorito , eu toco o interfone.

"Amanda", eu chamo. Mesmo sendo domingo, estou no meu escritório para enviar

e-mails para contatos na Ásia. E porque estou no escritório, isso significa que minha assistente

também está aqui.

Amanda aparece na minha porta. "Sim, Sr. Moore?" Ela se inclina, mostrando sua

blusa decotada, para mostrar mais decote do que deveria, em um ambiente corporativo. Eu mal
a registro; Não é como se eu não tivesse visto seios antes, mas, ao mesmo tempo, não me sinto

atraído. Amanda não é nada comparada a Katie, e ainda estou distraído do banquete da noite

anterior.

"Aquela planejadora de eventos de ontem", eu digo. "Você pode me dar o seu

número de telefone?"

Amanda parece intrigada. "Havia algo errado com o serviço?" Então ela revira os

olhos. “Eu sabia que ela não era capaz. Eu disse a ela para fazer todas essas coisas e ela ...”

"Não", eu interrompo, "tudo estava perfeito. Apenas me dê o número

dela. Obrigado."

Amanda olha para mim por um momento a mais, e olho para ela com expectativa,

erguendo as sobrancelhas. Ela sai dela e sorri docemente, como se não se importasse. "Sim,

de graça, eu vou fazer isso imediatamente, senhor", diz ela antes de desaparecer com um

movimento do cabelo.

Na metade do segundo e-mail, Amanda volta. "Aqui está, Sr. Moore", diz ela,

entregando um pedaço de papel. Nele estão dois números de telefone. “O primeiro é o seu

número de negócios e o segundo é o seu pessoal.”

Eu dou-lhe um sorriso rápido. “Obrigado, Amanda. É tudo por agora."

Ela me dá um sorriso duro e faz uma pausa, claramente querendo dizer mais.

"Sim?" Estou impaciente agora, querendo ligar para os números no meu telefone e

ligar para Katie imediatamente.

"Nada, senhor", ela ronrona. "Deixe-me saber se você precisar de mais alguma

coisa."

Uma vez que estou sozinho, eu me inclino para trás, e-mail abandonado. Eu olho

para os números na minha mão. Não quero ligar para Katie tão cedo - ela acabou de sair esta
manhã. Em geral , eu nunca telefono no mesmo dia em que encontro uma garota, porque parece

muito desesperado, e geralmente nem me importo o suficiente, para querer me

aproximar. Mas, estranhamente, sinto-me tonto e impaciente, com sede de ouvir a voz de Katie,

mais uma vez.

Em um movimento completamente incomum , eu tiro meu telefone e disco o

segundo número de telefone. Ele toca uma vez, duas vezes e depois três vezes. Eu espero,

batucando meus dedos contra a minha mesa, enquanto o telefone continua a tocar.

Finalmente, os toques param e meu coração parece parar junto com isso.

"Você chegou em 7-7-3 ..."

Meu estômago cai quando ouço a máquina de correio de voz tocar. Droga. Eu não

deixo uma mensagem, sabendo que iria acabar com isso e soar como um idiota total. Termino a

ligação e penso em marcar a linha de negócios de Katie. Talvez ela esteja trabalhando hoje? Mas

isso definitivamente está se transformando em desespero. Volto para o meu computador,

tentando me concentrar no trabalho.

Claro, minha determinação falha. Foda-se. Disquei o primeiro número e esperei

enquanto ele toca. Mais uma vez, recebo uma mensagem de voz genérica - um pouco estranha,

já que é uma linha de negócios. Mas, novamente, é um negócio pequeno, então talvez não seja

necessário configurar um sistema de correio de voz totalmente automatizado, como o que

temos para minha empresa.

Eu luto contra a vontade de ligar para ela de novo, mas passo muito tempo olhando

pela janela e pensando apenas, quando é apropriado ligar de novo. Este é um sentimento tão

novo para mim - eu nunca fui tão obcecado por uma garota, na minha vida. É como se as mesas

tivessem se transformado e eu me sentisse uma das garotas esperançosas, em minhas festas.

Como uma mulher pode reconectar completamente meu sistema, em apenas uma noite? Eu
pensei que a noite passada, seria apenas mais uma sessão de prazer, com uma mulher aleatória,

mas acabou sendo uma das mais deliciosas e maravilhosas noites que tive.

Não é nem porque ela é a primeira garota inteligente, com quem eu estive - sim, a

maioria das minhas escapadas sexuais, tem sido com mulheres insípidas, mas eu também estive

com mulheres inteligentes. Mas as mulheres inteligentes, também me irritavam às vezes. Elas

tendiam a ser pretensiosas e arrogantes sobre sua inteligência e realizações, o que é um

enorme desvio. Katie, por outro lado, é inteligente, mas humilde. Ela é uma garota normal, sem

um lado psicótico, peculiar, mas único. Deus, ela é toda coisa boa enrolada em um corpo sexy e

cheio de curvas.

Eu me inclino para trás na minha cadeira com um suspiro. Eu me tornei um idiota

sem esperança e despropositado. Amanhã eu finalmente decido. Talvez amanhã eu possa

alcançá-la. A perspectiva de ouvir sua voz e talvez até mesmo marcar um encontro com ela, me

dá esperança e energia. Certamente convicção suficiente, para finalmente terminar esse

maldito email.
Capítulo Cinco

Katie

Dois meses depois …

Sento-me no toalete frio do meu banheiro escuro, encarando o bastão em estado de

choque. Isso não pode estar certo. Isso não é possível. É?

Esses testes podem estar errados e, num piscar de olhos, pego a sacola da pia ao

meu lado e pego a segunda caixa que comprei. Você nunca pode ser muito cuidadoso, quando

se trata desse tipo de coisa, então achei melhor ter um backup.

Eu abro a nova caixa e despejo as instruções no meu colo. Eu cuidadosamente

desembrulho o bastão e seguro-o contra as instruções . Assim como o que eu já tirei, é

simples. Faça xixi no palito, coloque-o no chão, espere os resultados e olhe fixamente para o

palito, enquanto seu coração praticamente bate no peito. Fácil como torta!

Então, mais uma vez, eu me agacho sobre o vaso sanitário e vou um pouco, antes de

colocar o bastão no canto da pia. Em seguida, defino o temporizador no meu telefone, para o

período de espera recomendado. Oh deus, isso é pura tortura. Meu banheiro é pequeno, mas há

espaço suficiente para eu andar. Depois do que parecem horas, o temporizador

finalmente zune.

Uma parte de mim quer ignorar o bastão, exceto que é o elefante na sala que

também está zurrando como um burro. Eu preciso saber com certeza, então eu dou um passo
mais perto e inspiro profundamente antes de deixar sair todo o ar em meus pulmões. Okay. Eu

posso fazer isso. Avançando mais uma vez, pego o bastão com a mão trêmula. Oh Deus. Duas

linhas rosa. Positivo.

Eu tenho cem por cento de certeza, de que estou grávida.

Com as costas contra a porta do banheiro, eu deslizo para o chão, ainda segurando

o teste na minha mão. "Merda", eu digo em voz alta para ninguém. "Como isso pôde acontecer?"

Eu penso na última vez que fiz sexo, o que não é difícil de lembrar. Porque a última

vez que fiz sexo foi há dois meses, na festa de Trent. Ele não usou camisinha, e ele ejaculou

dentro de mim, muitas e muitas vezes. Eu pensei que estava tomando pílula, mas entre o

estresse de planejar a festa e a excitação inebriante, de estar com o bilionário, devo ter

esquecido meu controle de natalidade. Eu faço isso algumas vezes, quando tenho um grande

evento , mas nunca foi importante antes. Eu normalmente não durmo com meus clientes. E a

única vez que eu faço, acabo grávida! Apenas minha sorte.

Eu tenho que dizer a Trent, no entanto. Ele pode não ter tentado entrar em contato

comigo, depois da nossa ligação naquela noite, mas ele merece saber, que vai ser pai. Além

disso, não sei se posso fazer isso sozinha. Educar uma criança, requer recursos e, neste

momento, preciso de todos os recursos, em que posso colocar minhas mãos.

Meu telefone está na pia onde eu o deixei, então saio do chão do banheiro e o ponho

para cima. Graças a Deus ainda tenho as informações de contato de Trent, programadas no meu

telefone, para planejar a festa.

Percorro meus contatos, para encontrar o número de telefone da empresa de Trent

e apertar o botão de discagem. O telefone toca algumas vezes, antes que uma voz amigável

automática .

“Tecnologia Moore, esta é a Wanda falando. Como posso direcionar sua ligação?
"Oi Wanda", murmuro, tentando esconder o nervosismo na minha voz. “Meu nome

é Katie e sou dona do negócio de catering e planejamento de eventos, que recebeu o baile de

máscaras do Sr. Moore há dois meses. Eu queria saber, se poderia falar com ele?”

Para minha surpresa, ela responde imediatamente.

"Um momento por favor."

A linha fica em silêncio, por alguns segundos antes de clicar novamente. Mas então

a má notícia vem.

"Sinto muito, Katie, mas o Sr. Moore é incapaz de atender a sua chamada."

"Oh", eu digo, espantada. O que devo fazer? "Hum, posso deixar uma mensagem?"

Mas essa pessoa , Wanda, é subitamente protetora de seu chefe. Talvez ela tenha

praticado afastar mulheres aleatórias, que ligam para a linha da empresa.

"Posso perguntar, qual é o seu negócio com o Sr. Moore?" Ela pergunta friamente.

Eu engulo.

"Hum, é pessoal", digo a ela. Não tenho como revelar minha gravidez, deixando uma

mensagem com esse funcionário.

"Então vou deixar o Sr. Moore saber que você ligou", ela responde. Com isso, Wanda

desliga o telefone.

Eu olho para a minha tela agora em branco. Isso foi estranho. Era quase como se ela

tivesse visto meu nome, em uma lista e ido de uma recepcionista gentil, a um robô mal-

intencionado. Na verdade, Wanda me lembrou de Amanda no final. Amanda provavelmente a

treinou pessoalmente.
Mas o que devo fazer agora? Minha mente se apega a Amanda. Afinal, a loira foi

meu contato durante todo o processo de planejamento da festa. Ela pode odiar minha coragem,

mas talvez eu possa convencê-la a me passar para Trent?

Eu não quero, mas estou desesperada neste momento. Isso tudo seria muito mais

fácil, se eu tivesse conseguido seu número pessoal, em algum momento daquela

noite. Certamente poderíamos ter trocado nossas informações de contato, entre posições

sexuais?

Então, soltando um suspiro enorme, percorro meus contatos para as informações

de Amanda. Essa pode ser minha única esperança. Seu telefone toca, pelo que parece ser para

sempre, mas ela responde antes de eu desistir.

"Esta é Amanda", vem aquela voz gelada.

"Oi Amanda", eu digo timidamente. “É Katie Martin, eu planejei o evento na casa do

Sr. Moore há dois meses? Eu queria saber se eu poderia obter informações de contato do Sr.

Moore. Tenho alguns negócios, para discutir com ele.”

Amanda bufa de uma maneira muito pouco feminina. “Qualquer negócio que você

tenha com o Sr. Moore, vai passar por mim e, certo, não , eu sei que não precisaremos de seus

serviços no futuro próximo. Se desejarmos seus serviços novamente, entraremos em

contato. Adeus."

Mas eu interrompo, antes que ela possa desligar em mim.

“Por favor, Amanda. Eu preciso falar com ele”. Eu odeio o tom suplicante na minha

voz. Eu odeio estar à mercê dessa cadela, esnobe e fria. Infelizmente - e esperançosamente -

não há simpatia da rainha do gelo.

"Isso é altamente pouco profissional, Katie", diz ela com uma voz fria. – “Fique

tranquila, informarei o Sr. Moore da sua ligação. Dia bom. "


Desta vez, ela desliga, antes que eu possa dizer mais alguma coisa. Eu quero ligar de

volta e implorar pelo número de Trent, mas é impossível. Ela não tem coração, e seria como

tentar espremer água de uma rocha, tentando conseguir alguma coisa de Amanda.

Eu tenho uma outra opção, mas eu realmente não gosto disso. Isso me faz parecer

desesperada e maluca, mas percebo que é como eu estou na vida. O homem que me engravidou

merece saber, então eu tenho que ir fisicamente até a mansão e contar a ele. Afinal, se a

montanha não chegar a Mohammed, então Mohammed terá que ir para a mansão.

Com pés de chumbo, ando devagar até o carro estacionado no terreno do complexo

de apartamentos. Lembro-me do caminho para a casa de Trent, mas levo vinte minutos para me

convencer a não ligar o veículo e dirigir. E quando chego à longa entrada de automóveis de

Trent, estaciono o carro e sento lá por um tempo, ainda com a cabeça agitada. Eu nem tenho um

plano de ação - o que eu digo? Estou tão ansiosa, que quero retornar e voltar para casa, debaixo

das cobertas, me escondendo do mundo. Mas tenho que contar a ele. Não seria correto mantê-

lo desinformado, em um assunto tão importante.

"Você pode fazer isso", digo a mim mesma, segurando o volante e deixando escapar

uma respiração profunda. Minha mão encontra o caminho para o meu estômago, embalando-o

da mesma forma, que vejo mulheres grávidas fazendo, o tempo todo. Quão grande é o bebê

crescendo dentro de mim agora? Quanto mais eu vou conseguir? É um menino ou uma menina?

Ainda mais importante, Trent ficará entusiasmado em ouvir as notícias ou não vai querer nada

com a criança? Posso criá-lo sozinha?

Lágrimas se formam nos meus olhos ao pensar em desistir do bebê. Eu sempre

sonhei em começar uma família, mas nunca pensei que seria assim. Imaginei uma bela casa,

com um quarto enfeitado com bichos de pelúcia e um marido amoroso. A última coisa que eu

esperava, era engravidar acidentalmente, depois de uma noite com um estranho rico, que eu

conheci apenas uma vez.


A única coisa que me consola, é o pensamento daquela noite que tivemos. Foi uma

noite inesquecível do sexo mais incrível e alucinante, de todos os tempos. Eu tenho essas

memórias para me manter aquecida ainda, então respirando fundo, eu me

componho. Lentamente abro a porta do carro e subo as escadas até a entrada da mansão. As

grandes portas de madeira têm aldravas de latão antigas, mas eu toco a campainha e solto um

silvo estridente. Um minuto depois, um homem vestido de terno escuro, abre a porta. Ele é do

tamanho de uma geladeira.

"Como posso ajudá-la?" Ele pergunta, me olhando com desconfiança.

“Eu sou Katie Martin , uma organizadora de eventos. Estou aqui para ver o Sr.

Moore?”

"Infelizmente, o Sr. Moore não está à espera de visitantes", diz o gigante sem uma

pausa. "Como seu chefe de segurança, eu vou ter que pedir para você sair."

O que? Sem nem perguntar o que é isso? E se eu tivesse assuntos de negócios

importantes para discutir? Eu respiro fundo.

"Por favor", eu tento novamente. "É muito importante que eu o veja."

De repente, uma voz soa atrás do guarda-costas.

"O que é toda essa comoção?" , Pergunta um homem com sotaque britânico. "Quem

está na porta?"

O homem enorme revira os olhos.

"Eu estou lidando com isso, Charles", ele rosna, irritado. "Só uma mulher pedindo

para se encontrar com o Sr. Moore."

De repente, um homem idoso aparece, atrás do guarda de segurança, sua cabeça

saindo de trás de um enorme ombro . Quando ele me vê, seus olhos piscam com

reconhecimento, porque nos encontramos na noite da festa.


“Ah, Katie, como você está? Maravilhosa festa, que você fez da última vez. O Sr.

Moore não enviou seu cheque? ”, Ele pergunta intrigado. "Ele geralmente é muito bom com

pagamentos."

"Não , o pagamento foi bem", digo rapidamente. "Eu só preciso falar com ele."

Charles balança a cabeça com pesar.

“Sinto muito, senhorita, mas ele não está disponível. Há mais alguma coisa que eu

possa ajudá-la?”

Eu balancei minha cabeça miseravelmente.

"Não. Eu só tenho que ver o Sr. Moore, porque é muito importante. E não consegui

falar com ele, quando liguei.”

O rosto de Charles se fecha.

"É claro", ele diz de maneira neutra, embora já esteja começando a fechar a

porta. “Temo que ele esteja ocupado com negócios. Se quiser, direi ao Sr. Moore que você

passou por aqui. Bom dia agora.”

E com isso, a porta está fechada, e fico olhando para madeira maciça novamente. O

que é isso com sua equipe? É como se eles fossem treinados para afastar jovens mulheres, que

estão desesperadas, para falar com Trent. Mas a questão é que estou realmente desesperada e

tenho um problema urgente, que não pode esperar. Eu entendo que ele é um importante

homem de negócios, mas se eles apenas disserem a ele, quem estava procurando por ele, tenho

certeza que ele falaria comigo ... não é? Espero que sim, devido a gravidade da situação.

Mas como eu consigo pegar Trent? Ele está cercado por um círculo de pessoas, cujo

trabalho é manter mulheres como eu, longe. Oh Deus. O que eu faço em seguida?

Francamente, eu não tenho ideia, então com as pernas bambas, eu volto para o meu

Renault e dirijo para casa, embora eu mal possa ver a estrada à frente, com todos os meus
pensamentos confusos. Estou impressionada com as perguntas que fiz antes. E se eu nunca for

capaz de alcançar Trent? O que eu vou fazer com o bebê? Eu mal posso me sustentar, com o

meu negócio de planejamento frágil . Posso apoiar esta criança, como mãe solteira?

Sabendo que eu acabaria de entrar em um acidente, a partir da espiral de

pensamentos me distraindo, eu paro ao lado da estrada e descanso minha cabeça contra o

volante, com um gemido. Minhas mãos voam por conta própria, para segurar meu estômago

mais uma vez. O bebê ainda é tão pequeno e indefeso, e apesar do fato de eu saber, que meu

filho não é nada mais, do que uma pequena ervilha agora, o amor já incha no meu coração. Eu

nunca poderia terminar ou desistir do bebê para adoção. Mesmo que o dinheiro seja apertado,

eu tenho o suficiente para começar, e vou ter que trabalhar duro, nos próximos seis meses, para

economizar o máximo possível.

Então eu faço um voto. Isso não vai ser fácil, mas é o que é necessário. Eu vou

manter o bebê, com o inferno ou água alta, e ele ou ela vai florescer e ser feliz ... com ou sem

conhecer seu pai.


Capítulo Seis

Trent

Disquei o número pela milésima vez, mas mais uma vez tudo que recebi foi o

correio de voz. Eu deixei mais mensagens do que eu posso contar, e Katie não retornou uma

única das minhas chamadas. Que diabos? Geralmente é o contrário. Geralmente, as mulheres

são as que vêm procurando por mim, esperando por mais, mas sou eu quem evita suas ligações.

Mas algo sobre Katie é especial. Não consigo parar de pensar nela e, desde aquela

noite há dois meses, tenho tentado contatá-la sem sorte.

"Amanda", eu lato no interfone. Em um momento, ela bate a cabeça na porta do

meu escritório. – “Katie ligou para mim?”

"Katie?" Ela pergunta, franzindo as sobrancelhas com perplexidade. "Quem é essa?"

"A mulher que montou a festa", eu esclareci impaciente. Eu não sei como ela

se esqueceu de Katie, dado que ela era seu contato.

O rosto de Amanda se torna ilegível. "Oh certo", diz ela em um tom suave. "Não, ela

não tentou chegar até você, que eu saiba."

Eu esfrego minha mão no meu rosto. Claro que ela não tem. Por que ela iria? A

morena deixou bem claro, quando fugiu naquela manhã que o que tínhamos era uma coisa de

uma noite. Não importava que nossa atração sexual fosse elétrica. Ela saiu tão rapidamente

quanto veio , claramente acreditando, que a noite toda não era grande coisa.
Uma pequena parte de mim, diz que eu deveria ser grato, por ela ter ido embora em

silêncio, porque é isso que eu quero, não é? Afinal, algumas das mulheres com quem já estive,

são totalmente indiscretas. Elas tentam e selecionam suas histórias para os tablóides. Uma

mulher até vazou fotos, acredite ou não, tiradas de uma câmera secreta presa à alça da bolsa. O

controle de danos que Amanda tinha que fazer, era incrivelmente inacreditável naquela

ocasião. Eu não vou negar a minha imagem como um playboy, mas isso não significa, que o meu

negócio pessoal, deve ser espalhado por todas as revistas para as pessoas verem. Eu posso

exibir minha riqueza às vezes, mas eu ainda mereço privacidade.

O pavor preenche meu estômago, tornando-o pesado e nauseado. E se Katie for

como o resto delas? E se ela só subisse comigo, porque queria ganhar alguns dólares extras,

vendendo uma história para alguma revista?

Eu aperto meu celular com tanta força, que o vidro quase se quebra. Não pode ser

verdade, digo a mim mesmo, porque a morena estava dando um real, suas curvas exuberantes e

convidativas, enquanto gemia de prazer. O jeito que ela se enrolou em mim, enquanto nós

apenas conversamos e nos conhecemos, foi incrível também. Talvez seja apenas um

pensamento positivo, mas uma parte de mim é certa, de que ela não faria tudo isso, apenas para

ganhar alguns trocados.

Então, novamente, talvez eu seja o único, que está sendo estúpido.

"Amanda, cancele minhas reuniões pelo resto do dia", eu digo

abruptamente. "Estou com dor de cabeça. Eu estou indo para casa."

"Oh, senhor Moore, há algo que eu possa fazer?" Ela sorri, com um olhar brilhante

e recatado. Eu mantenho meus olhos focados nos dela, embora eu a conheça bem o suficiente,

para saber que seu peito está estufado como um pavão, procurando por um companheiro. Mas

a ideia de passar mais tempo do que o necessário, com Amanda, é um veneno para a minha
alma. Ela é exatamente o oposto de Katie - astuciosa, superficialmente bonita e egoísta - assim

como todas as outras.

Eu fecho meus olhos brevemente e digo logo: "Apenas cancele minhas reuniões." Eu

me afasto dela, sinalizando que nossa conversa acabou, e ela foge para fazer

minhas ordens. Não há como fazer qualquer trabalho, então fecho meu laptop e ponho meu

casaco de lado. Sem outra palavra para Amanda ou para qualquer um dos meus outros

empregados, eu escapo pelas escadas e saío pela saída dos fundos, onde meu Lamborghini está

estacionado em uma garagem privada. Depois que a porta se fecha, fechando-me em silêncio

abençoado, me aproximo do porta-luvas em busca de uma aspirina. Porra. Katie vai vender

nossa história para os tablóides? O bilionário quente com a planejadora de festa? Deus, por favor

não.

Finalmente encontrando a garrafa de aspirina, esvazio duas pílulas na mão e

engulo-as com um rápido gole de água. Eu posso senti-las deslizar pela minha garganta e no

meu sistema. Se apenas o alívio pudesse vir instantaneamente. Eu viro a chave na ignição e

deixo os pneus do Lambo rangerem, enquanto saio da garagem. Que dia infernal. Eu só quero

estar em casa, onde um copo de uísque pode melhorar as coisas.

Desde que saí no meio da tarde, antes da hora do rush, o caminho de volta para

casa é calmo e a tranquilidade se instala em minha estrutura. Mas quando estou

me aproximando da minha mansão, noto um carro estacionado na beira da estrada à minha

frente. Parece estranhamente familiar, como o Renault que Katie fez sua escapada, depois da

nossa única noite juntos. É amarelo e desbotado, com um dente no pára-choque traseiro. Mas

eu sacudo o sentimento estranho. Não é nada. Eu estou sendo um tolo lunar e quero me bater

por ser tão obcecado. Por que diabos Katie estaria parada, ao lado da estrada perto da minha

casa, no meio do dia? Minha dor de cabeça está claramente causando delírios.

Estou definitivamente precisando daquele scotch.


Em menos de dez minutos, estaciono na garagem, estacionando meu Lambo ao lado

da Ferrari vermelha. Finalmente, posso ter um pouco de paz e tranquilidade, no conforto da

minha casa. Mas uma vez que eu estou dentro, meu chefe de segurança praticamente me pula.

"Senhor", diz Bruno, "bem-vindo em casa. Você não mencionou que estaria em casa

cedo.”

Eu acaricio o ombro do homem grande, tranquilizadoramente. Mantenho Bruno em

casa, porque estou mais preocupado com uma presença indesejada do que no meu

escritório. Claro, meu negócio tem suas emoções, mas isso é tudo no reino do crime de

colarinho branco. Por outro lado, a mansão está sob ameaça de ex-namoradas e antigas

amantes vingativas. Vamos colocar desta forma: tenho muito mais medo de uma mulher

desprezada, do que de qualquer titã corporativo por sangue.

" Está tudo bem, Bruno", digo a ele, sufocando um bocejo. “Eu tenho um pouco de

dor de cabeça. Eu estou indo para o andar de cima.”

Antes que eu possa dar outro passo, sou abordado por Charles, meu

mordomo. Mais uma vez, tenho muitos funcionários, que não têm nada para fazer o dia todo,

mas esperam que eu me assuste . Charles nos encontra na entrada e me ajuda a tirar meu

casaco. “Senhor, seja bem-vindo em casa. Você gostaria de um almoço? Frango assado,

talvez? Ou algo mais leve, como uma salada crocante?”

Um sanduíche de presunto soa melhor do que aquela coisa chique, mas não

quero ferir seus sentimentos. Então, ao invés de apenas ignorá-lo e passar por ele, como eu

quero desesperadamente, eu respondo. “Um uísque está bem por enquanto. Por favor mande

para o meu quarto.”

E finalmente, sou deixado sozinho, ambos os indivíduos correndo para cuidar de

suas tarefas. Eu continuo através do foyer, até as escadas que levam ao segundo andar. Eu levei

Katie até as mesmas escadas há dois meses. Eu pensei em bater nela bem aqui, na verdade, mas
isso teria deixado uma impressão ruim em meus convidados. Se fosse do meu jeito,

eu violentaria Katie em todos os cômodos dessa monstruosa mansão. E então eu faria de novo.

Isso seria um bom uso para todo esse espaço, em vez de antiguidades inúteis, que estão

acumulando poeira.

Uma vez que estou na suíte master, minhas lembranças da garota curvilínea, são

ainda mais vivas, quando olho para minha cama coberta pelos mesmos lençóis, que ela enrolou

os dedos ao redor e encharcou com seus sucos. Meu pau contorce-se com o pensamento

daquele corpo gorducho, e a forma como sua buceta escorregadia amorteceu minha vara,

enquanto ela gemia. Merda, a morena era tão boa, tão atlética e tão receptiva. Eu

definitivamente quero mais, e sei que ela também não queria sair.

Então, onde diabos ela esteve? Por que ela não aceita minhas ligações? Pego meu

telefone e ligo para o número dela uma última vez. Assim como centenas de vezes antes,

estou diretamente ligado ao correio de voz. Não passa. Já coleciono mais de duzentas

ligações. Mas prosseguem direto para caixa postal, sempre.

Em fúria, eu jogo o telefone no chão. Essa garota me faz fazer coisas, que nunca fiz

antes. Desde quando eu obsessivamente verifico o meu telefone e continuo a telefonar para

uma mulher, com o que dormi apenas uma vez? Deveria ser o contrário, porra.

"Senhor?" Charles pergunta, batendo suavemente antes de entrar no meu quarto. O

filho da puta deveria ter esperado por um convite, mas meu mordomo está comigo há muito

tempo, então eu apenas suspiro.

"Seu scotch", diz ele formalmente, colocando um copo de um quarto cheio de

líquido âmbar.

Eu pego o copo e engulo de um só gole. O líquido queima, enquanto escorrega pela

minha garganta e eu respiro fumaça amarga. Porra, isso queima. Mas isso é bom, e eu posso

sentir o calor se estabelecendo na minha barriga já.


“Isso vai ser tudo, Charles. Obrigado."

"Sim, senhor." Meu mordomo pega o copo vazio de mim e sai do meu quarto, e nem

um pouco cedo, porque meu pau está implorando por alívio. No mero momento da fêmea, eu

me tornei dolorosamente ampliado, e eu me encontro desejando uma foto de Katie ou algo para

usar, enquanto me masturbo para liberar a frustração. Mas minha lembrança dela é tão vívida,

que não preciso de uma foto - posso me lembrar de seu rosto suave e lindo contorcido, em uma

expressão de prazer esmagador, e isso me deixa mais excitado, sabendo que fui a causa daquela

reação.

Eu rapidamente removo minha calça e deito na cama com os olhos fechados. Eu

começo a me tocar, imaginando que é a língua dela. Ela vai me escorregar em sua boca como

uma boa menina, gentilmente acariciando a veia na parte inferior do meu pau, antes de chupar

levemente a ponta. Porra, isso seria tão bom. E então ela levaria toda a minha enorme extensão

até o fundo de sua garganta, até que seus olhos lacrimejassem e ela engasgasse.

A visão é tão tentadora, que não demora muito para eu terminar, creme branco

esguichando por toda a minha mão, viril e quente. E infelizmente, essa foi a extensão da minha

vida sexual , desde aquela noite com Katie. Todo dia, acaricio a memória de seu corpo e gemo, e

isso me deixa louco. Eu sou um homem que consegue qualquer mulher que queira, então por

que estou me tocando como uma criança adolescente? Merda. Eu tento não pensar, em quão

patético eu me sinto, quando me limpo e endireito minha calça.

Meu telefone fica onde eu joguei no carpete, e desesperado para tentar de novo, eu

pego e ligo o número de Katie mais uma vez. Quando vai para o correio de voz, estou tentado a

jogar o celular na parede dessa vez, mas a razão prevalece. Eu o coloquei cuidadosamente na

minha mesa de cabeceira.

"Tudo bem", murmuro amargamente em derrota. "Se ela não querfalar comigo, eu

termino."
Por mais difícil que seja, decido que não vou colocar esse tipo de esforço, para uma

mulher, que claramente não me quer. É patético. É lamentável. Não é o que eu faço. Ela é apenas

uma garota aleatória que eu comi, e haverá muitas mais de onde ela veio. Merda.

Remando- me de volta na cama, prometo apagá-la da minha memória. Mas apesar

dos meus esforços, tudo volta para Katie. Seu rosto bonito desliza diante da minha mente, e

minha mão alcança meu pênis mais uma vez, o comprimento já endurecendo na lembrança de

seu lindo rosto. Droga. E desta vez, quando chego ao clímax, um grito involuntário irrompe, da

minha garganta.

"Foda-se", eu grunho, a voz rouca de tanta tensão e prazer. "Katie!"

Porque eu me apaixonei por ela completamente… mas infelizmente, a linda garota

não está interessada.


Capítulo Sete

Katie

Um ano depois …

Trentie está chorando no berço. Ele é um bebê relativamente quieto, mas é como se

pudesse sentir, que algo está prestes a mudar, então está usando toda a capacidade de seus

pulmões, para ter certeza de que não é para ignorar sua presença.

Eu escorrego no meu brinco de diamante falso e passo pelo corredor até seu

quarto. O sorriso alegre de Trentie quando me vê, é o suficiente para me fazer voltar ao

trabalho, mas não tenho escolha. Já se passaram cinco meses, desde que meu lindo menino

nasceu, e passei todos os dias em casa, certificando-me de que ele sabe, o quão amado ele é. Eu

tenho o suficiente em minha conta de poupança, para nos manter à tona por um tempo, mas

não posso continuar assim para sempre - eu tenho que voltar a trabalhar para ganhar a vida,

para mim e meu filho. Mas por mais que parta meu coração deixá-lo, também sinto falta de

trabalhar. Afinal, eu mesma construí a empresa de planejamento de eventos, e não quero que

ela falhe sem minha administração.

Suavemente, acaricio a cabeça macia do meu bebê e arrulho para ele, enquanto

suas lágrimas lentamente se transformam em fungadas. Ele sorri para mim então, fazendo com

que meus próprios olhos se levantem.

Levou-me os sete meses inteiros, depois que eu descobri que estava grávida, para

decidir o nome do meu bebê. Eu fui de um lado para o outro, entre um milhão de nomes
diferentes, uma entrada de vários amigos e membros da família. O único nome que eu sempre

voltei foi Trent. Eu disse a todos que era apenas um nome, que eu ouvi uma vez e gostei tanto

que eu queria que fosse o nome do meu filho. Eles não precisam saber a verdade: o nome que

eu dei a ele, igual do pai, ele nunca saberá. Estou sempre envolvida com uma mistura de

emoções, sempre que me lembro daquela noite maravilhosa, mas a única coisa que sei com

certeza, é que meu filho é o resultado, e sempre serei grata, não importa o que aconteça.

Afinal de contas, parei de tentar entrar em contato com Trent Senior, depois aquele

fatídico dia em que parei em seu lugar. Ele claramente não queria me ver e instruiu sua

comitiva a me rejeitar. Eu conhecia um ombro frio, quando via um e não ia

continuar implorando para vê-lo, como uma garota patética e apaixonada. Mas às vezes a

dúvida me subjuga. Eu definitivamente pensei que havia uma faísca naquela noite e teria

adorado ver, onde ela estava indo. Ele era sonhador, charmoso e sexy - quem não gostaria de

estar com um homem como ele ? Mas eu tinha que ser realista. Ele era Trent Moore,

extraordinário bilionário. Por que ele iria querer se preocupar com uma simples Jane, como eu?

Então, sabendo quando admitir a derrota, parei de tentar, depois daquele dia. Foi o mais

solitário que já senti, mas foi tudo porque agora eu tenho meu bebê, e somos nós dois, contra o

mundo.

Quando Trentie para de chorar, volto ao meu quarto, para terminar de me

arrumar. Eu adoraria puxá-lo para os meus braços e levá-lo para o meu quarto, enquanto

me visto para a festa, que estou trabalhando hoje à noite, mas todo livro que eu li sobre o

assunto, diz que colocar espaço entre você e seu bebê é necessário, se você planeja trabalhar

em tempo integral. Honestamente, rasga meu coração em dois, para até mesmo deixá-lo com

uma babá hoje à noite, mas não tenho escolha. Eu tenho que ganhar a vida, e esse pensamento

endurece minha determinação. Determinada, eu olho no espelho.

A gravidez e o parto foram violentos no meu corpo, e fiquei abatida, durante meses

depois, com as mamadas noturnas e o choro sem parar. Mas nós dois nos estabelecemos, em
um time eventualmente, e eu estou parecendo melhor agora. A maquiagem esconde minha pele

pálida, e eu ponho um pouco de batom vermelho, em busca de cor. Meu corpo está mais cheio, é

claro, e meus seios são muito maiores, por amamentar o bebê. Perdi um pouco do peso extra,

mas meu estômago não diminuiu, até onde estava, antes de engravidar. É estranho, e eu olho

para ele criticamente, mas depois respiro fundo em resignação. Entre dar a luz a um recém-

nascido e executar um negócio, eu não tive tempo para a rotina de exercícios, que eu costumava

seguir . Exercícios? Essa é uma palavra estrangeira para uma mãe solteira.

Não que isso importe. Eu não posso imaginar tentando namorar agora, que eu

tenho um filho. Talvez um dia eu esteja pronta, mas agora meu mundo começa e termina com o

menino deitado, em seu berço no corredor.

Com o cabelo e a maquiagem prontos para sair, tiro meu roupão. Eu não tenho

conseguido fazer muitas compras, desde que tive um filho. Levar um bebê a uma loja de

departamentos é uma grande provação, com as mudanças extras de roupas, os lanches, o

enorme carrinho de bebê e a chance de ele decidir chorar incessantemente sem razão. Claro, eu

o levo para brincar com outras crianças e ocasionalmente passear em uma mercearia, mas

tento evitar gastar muito tempo, fora de casa. É muito difícil, com o trabalho extra.

Então, esta será minha primeira vez em um evento, desde que tive meu filho. Eu

levanto o vestido que escolhi para o evento de hoje à noite e guardo meus lábios criticamente. É

um vestido preto elegante ,que cai logo acima dos meus joelhos. É acentuado com brilhos

verdes sutis que se afilam na saia. É um vestido antigo, mas é perfeito porque a festa de hoje,

que é um espetáculo do dia de St. Patrick hospedado em um grande e luxuoso local. Minha

roupa é casual o suficiente, para eu me misturar com o fundo, mas fantasia o suficiente, para

usar em um dia de festa de St. Patrick.

Eu coloco o vestido por cima do meu corpo e o deslizo. O zíper se atrapalha, quando

tento puxá-lo para cima, mas o faço depois de algumas tentativas. O material é um pouco
apertado contra os meus seios, mas o gelo e a saia do corpo abraçam minhas curvas

lindamente.

De repente, o choro suave do meu bebê está passando pelo monitor

novamente. Meu garotinho claramente sabe, que vai ficar com uma estranha, então ele está

chamando minha atenção, o máximo que pode, antes que a babá chegue . Mas antes que eu

possa me apressar para checá-lo, minha campainha toca. Uma rápida olhada no meu telefone

me diz, que é a babá, na hora certa. Eu ando rapidamente até a porta, para deixá-la entrar.

"Oi, Katie", a babá diz alegremente. "Você está bonita."

Jessica não tem mais de dezenove anos, mas é responsável e adora crianças. Ela já

conheceu Trentie algumas vezes, porque eu tinha que ter certeza, de que eles se encaixariam

bem, antes de deixá-la com meu filho por toda a noite. Felizmente, ele não gritou em seus

braços e suas referências eram estelares. Se as coisas derem certo esta noite, eu posso

considerar contratá-la como babá ou, no mínimo, minha babá temporária.

"Obrigada", eu digo, sorrindo. "E muito obrigada por vir no último minuto, para

assistir Trentie."

Jessica sorri de volta. “Não é problema algum. Onde está o carinha?”

Eu a levo para o quarto dele e, felizmente, ele já se acalma no berço e está de volta a

dormir. Trocamos um sorriso de alívio e voltamos para a sala de estar.

"Eu deveria ir buscar os meus sapatos e bolsa", digo á Jessica. "Eu vou levar apenas

um segundo."

De volta ao meu quarto, eu olho para mim mesma no meu espelho de corpo

inteiro. Eu ainda pareço com a mulher que eu era, há um ano, a mulher que descobriu que

estava grávida e não podia contatar o homem, que a engravidou. Mas eu mudei muito desde

então. Ter Trentie me mudou para melhor.


Eu deslizo em meus saptos, pego minha bolsa e encontro Jessica de volta ao

berçário. Ela está balançando o bebê em seus braços e ele está sorrindo para ela, fazendo

barulhos sem sentido e soprando bolhas de saliva . Meu corpo relaxa um pouco, assegurada de

que ele ficará bem, sob seus cuidados.

Mas mesmo assim, eu tenho o desejo de pegar o bebê de seus braços e ficar com ele

a noite toda. Eu suspiro, sabendo que, se eu não sair agora, talvez eu nunca consiga sair pela

porta. Eu mesma digo que o espaço será bom para nós dois e que eu tenho que sair

eventualmente.

Jessica segura meu filho para mim, sentindo minha necessidade de segurá-lo mais

uma vez, antes de eu ir. Eu beijo o topo de sua doce cabeça e digo a ele que o amo. Ele baba no

meu pescoço, chupando o dedinho. Uma lágrima cai do meu olho, quando eu o entrego de volta

para sua babá.

"Todas as minhas informações de contato, estão na geladeira", eu digo a ela,

embora eu saiba que ela já sabe de tudo isso. “Meu telefone está ligado e voltarei em um piscar

de olhos, se você precisar de mim. "

Jessica sorri gentilmente, seus olhos entendendo. “Vai ficar tudo bem, Katie. Vá

trabalhar. Eu tenho isso”.

Hesito, acariciando a cabeça suave e felpuda de Trentie. Percebendo o quão tola eu

estou sendo, eu lhe dou um sorriso de desculpas. "Sinto muito, Jessica, eu estou apenas ligada

e nunca estive longe dele, por tanto tempo e eu simplesmente não quero nada para ..."

Jessica interrompe suavemente, colocando uma mão reconfortante no meu

braço. “Não se preocupe, Katie, nada vai acontecer. Saia antes de se atrasar e divirta-se! Nós

estaremos bem aqui.”

Suspirando, me afasto do menino doce e marcho para fora da minha porta, antes

que eu possa mudar minha mente, pela milionésima vez.


Uma vez que eu fecho a porta do meu apartamento atrás de mim, eu inclino minhas

costas contra ela e respiro fundo algumas vezes. A parte mais difícil acabou. Meu filho, está em

mãos capazes, com uma babá responsável. Eu só tenho que passar a noite e então eu posso

voltar e segurá-lo novamente.

Com uma última respiração profunda, saio do prédio e caminho até o meu carro. O

desejo de dar a volta está acontecendo , mas eu o ignoro. Eu tive cinco meses de nada além do

tempo do bebê. É importante voltar a trabalhar, porque o dinheiro não se fará. Eu estive de

licença por tempo suficiente.

Ligando o motor, puxo o pequeno Renault, para fora na estrada e sigo meu GPS

para o The Seasons. É um hotel chique, conhecido por sua clientela famosa e decoração interior

moderna. Fizemos alguns eventos aqui, mas nenhum com uma lista de convidados tão

grande. Quem está hospedando esta festa, está certamente tentando impressionar, pessoas

muito importantes . Na verdade, esta festa rivaliza com a que Trent organizou, na noite em que

nos conhecemos, mas eu sacudo rapidamente esse pensamento da minha cabeça. Isso acabou e

acabou.

Antes que eu perceba, estou puxando meu carro para o estacionamento dos

funcionários, na parte de trás do hotel, e então faço meu caminho, através de um labirinto de

corredores, até que finalmente estou no salão de baile.

“Katie!” Grita Lizzy, uma das minhas melhores funcionárias. "Você está

maravilhosa. Eu não posso nem dizer, que você teve um filho! ”

Eu ri. “Não há necessidade de me passar manteiga. Você tem feito muito bem

sozinha. Este lugar parece maravilhoso”!

“Ah, claro, mas você e eu sabemos que não poderia ter feito isso, sem a sua

ajuda. Eu sei que não foi fácil aceitar todas as minhas ligações frenéticas, no meio da

noite. Estou muito feliz, por você estar aqui, para supervisionar as coisas esta noite. Esta festa é
enorme, e estou nervosa com o fato de algo dar errado, porque a senhora que nos contratou é

uma vadia ”, diz Lizzy com um olhar azedo e um revirar de olhos.

Eu sorrio ironicamente. Eu tive meu quinhão de clientes arrogantes e difíceis. "Os

clientes são quase sempre difíceis de lidar" , tranquilizo-a com um suspiro. “Considere isso

como um rito de passagem. Então, onde você precisa de mim? Mantenha-me ocupada ou posso

simplesmente correr de volta para o meu carro e ir para casa.”

Lizzy acena com compreensão. Ela tem dois filhos, então entende minha situação

agora. A garota aperta meu ombro gentilmente.

"Fica mais fácil a cada vez", diz ela em voz baixa . “Mas sinto falta das meninas, toda

vez que saio de casa.”

Meu coração bate dolorosamente.

"Eu sinto muita falta de Trentie", eu admito. “É por isso que preciso, que você me dê

algo para fazer. Estou falando sério, sobre sair correndo de volta para meu filho.”

Lizzy ri, mas depois se concentra na tarefa em mãos. “Você poderia fazer uma volta

pelo local? As configurações da tabela devem ser feitas, mas eu gostaria de um segundo par de

olhos, para me certificar de que parece imaculada, apenas no caso de ter perdido alguma coisa.

"Eu estou nisso." Dou-lhe uma falsa saudação e vou em direção à área de

jantar. Cada mesa é definida com uma toalha de mesa branca e todos os utensílios habituais. As

peças centrais são arranjos florais em miniatura com cravos vermelhos e as folhas, mescladas

com muitos ramos verdes. Perfeito para o dia de San Patrick.

Faço minha caminhada duas vezes, para garantir que não sinto falta de nada, mas

sei que meus funcionários se certificaram, de que tudo está em ordem. Tudo parece incrível. A

decoração é ideal para uma festa glamourosa, para a classe alta, porque transmite riqueza sutil

sem jogá-la na sua cara. Silenciosamente, eu me parabenizo, por contratar uma equipe tão
grande, porque no meu tempo de necessidade, eles foram capazes de se unir e fazer isso sem

mim.

Depois de verificar que a área de jantar está boa, eu ando para a cozinha, onde

Lizzy está degustando vários pratos, para se certificar de que eles estão todos no ponto.

Eu pego um canapé e coloco na minha boca.

"Então, de quem é a festa, afinal?" Eu pergunto uma vez que eu engoli. O chef fez

um ótimo trabalho, como você disse . Estou tentada a dar outra mordida, mas não é profissional

provar muito da comida, antes da festa começar.”

Lizzy termina de mastigar sua própria amostra, antes de me responder. “Você se

lembra daquela grande festa que fizemos, há pouco mais de um ano, a festa de máscaras? Bem,

está sendo dada, pelo mesmo cara.”

O que? Meu batimento cardíaco triplica em questão de segundos, e eu sinto que

posso desmaiar. Eu agarro a borda do balcão, me sentindo tonta de repente. De todas as festas

em todo o mundo, esta é a que eu escolhi como meu retorno? Aquela que está sendo hospedada

pelo pai do meu filho, o homem que nem sabe, que ele ainda tem um filho de uma noite, de um

ano atrás?

Sento-me apressadamente, deslizando um pouco, antes de minhas costas encontrar

o banco. Lizzy aparece na minha frente e acena a mão, na frente dos meus olhos.

“Você está bem, Katie? O que há de errado? ” Ela pergunta preocupada. "Você

parece um pouco fraca."

Meus olhos parecem desfocados, mas eu os forço, a encontrar os dela.

“Desculpe, sim. Eu não comi o dia todo. Apenas um pouco tonta. ” Eu tento manter

minha voz leve, mas ela fica trêmula.


Não é uma mentira total. Eu estava tão nervosa, em voltar a trabalhar e deixar

Trentie, que não comi nada o dia todo, mas não é isso. É o pensamento de enfrentar o pai do

meu filho, que está me fazendo sentir fraca.

"Você deve comer alguma coisa e pegar um pouco de água", diz Lizzy no modo mãe

completa. Ela gesticula para o chef. “Podemos conseguir algo para Katie comer? Algo leve,

talvez quente?”

O chef imediatamente entra em ação e, em poucos minutos, me apresenta uma

tigela fumegante de sopa de tomate. Lizzy e o chef observam, enquanto eu coloco o caldo

vermelho na minha boca. É picante e delicioso e meus olhos se fecham com apreço.

"Obrigada", eu digo a eles, com um sorriso grato. “Eu não sei o que faria sem

vocês. Realmente aprecio isso."

Ambos sorriem de volta para mim, claramente aliviados, por eu estar bem.

“Se você precisa descansar, sente-se aqui por um tempo, ok? Eu posso lidar com as

coisas na frente um pouco ", diz Lizzy.

Por mais tentador que seja se esconder-me aqui, pelo resto da noite, eu balanço

minha cabeça. "Não, eu estou bem", eu digo a ela com firmeza. "Eu estarei lá em breve."

Lizzy tenta não parecer aliviada, mas eu sei, que ela está sobrecarregada, sendo

este o primeiro evento, que ela planejou, principalmente sozinha. Eu decido sugar isso, porque

quero estar lá para ela, mas também porque eu não quero deixar essa virada dos

acontecimentos, chegar até mim. Trent pode estar hospedando essa festa, mas isso não

importa. Ele não é nada, mas apenas outro cliente neste momento, apenas o cara pagando as

contas. De fato, dado o número de convidados e o tamanho do local, provavelmente nem nos

encontraremos. Talvez eu possa até fugir cedo, se Lizzy não precisar de mim. Vai ficar tudo

bem. Vou sobreviver.


E com isso, respiro fundo e saio da cozinha. É hora de mostrar ao mundo, que Katie

Martin não pode estar em casa, e eu me endireito, me concentrando na noite à frente. Porque

isso não é mais, só sobre mim e meus problemas. Eu tenho que fazer isso pelo meu filho.
Capítulo Oito

Trent

Nós deveríamos ter jogado essa festa ridícula na minha mansão, então pelo menos

eu poderia me esconder no meu escritório ou no meu quarto, para evitar falar com todas essas

pessoas. Mas Amanda insistiu em hospedá-la em um hotel, que é muito extravagante para um

grupo de pessoas, que querem fingir ser irlandês, enquanto bebem muita cerveja e uísque. É

chato e me lembra de uma festa de fraternidade, mais do que qualquer tipo de evento chique,

porque a maioria dos participantes são jovens executivos de startups de tecnologia, que só

querem ficar bêbados. Eu nunca deveria ter concordado com esta festa, mas aparentemente, é

boa publicidade e bons negócios.

Mas pelo menos a decoração é incrível. Isso me lembra da decoração que a empresa

de Katie montou, exceto que isso pode ser ainda melhor. Normalmente, Amanda lida com tudo

isso, mas agora, ela está treinando um novo assistente. Isso combina com ela, porque Amanda

adora mandar nas pessoas - tenho quase certeza de que ela fez a nova garota chorar, algumas

vezes. Eu preciso falar com ela sobre isso. Tratamos bem nossa equipe e, claramente, Amanda

não entende o fato.

Mas a decoração me traz de volta àquela noite, há mais de um ano, e meu

coração bate. Pensar em Katie é definitivamente o movimento errado, porque agora não posso

parar. No ano passado, pensei nela cada vez menos - graças a Deus - mas, porra, está de volta

com força total novamente. Eu ainda não consigo acreditar, que ela me surpreendeu depois do

melhor sexo da minha vida e não sentiu-se incomodada em responder, qualquer um dos meus

telefonemas ou retornar as milhares de mensagens que deixei. Reunindo o último fragmento de


dignidade que eu tinha, finalmente parei de tentar contatá-la. Qual era o ponto? Isso só me faria

mais louco. Agarre-se , digo a mim mesmo principalmente . Ela não te quer e é isso.

Mas merda, essa porra é uma merda. Eu coloco uma dose de uísque e jogo de

volta. O barman me olha com desconfiança, mas não diz nada. Ele sabe que é a minha festa, e eu

vou beber tanto quanto eu quiser. Seria um verdadeiro show levar a garrafa comigo a noite

toda, fazendo fotos direto da garrafa. Haverá fotógrafos aqui, e a última coisa que eu preciso, é

fotos da minha bunda bêbada, nos tablóides.

Deus, como os poderosos caíram . Era uma vez, eu tive multidões de mulheres, para

um encontro comigo, mas no ano passado, eu praticamente me tornei um eremita, no meu

castelo. Eu não saio para encontros sociais, e se eu faço, eu faço isso. Não faz sentido ter

as esperanças de outra mulher , quando é Katie, e só Katie, na minha cabeça.

Droga . Eu ainda não superei ela. Severamente, eu abaixo mais um tiro e devolvo a

garrafa para o seu lugar, atrás do bar. O barman continua a seguir cada movimento meu, mas

depois encolhe os ombros. O que ele vai fazer? Me chutar para fora? Acho que não.

De repente, Amanda se materializa. A mulher está usando um vestido de noite

verde brilhante, mesmo que a maioria dos outros convidados provavelmente, esteja vestida de

maneira mais casual - alguns até parecendo duendes ou vestindo camisetas verdes,

com slogans de duendes por elas.

"Sr. Moore, os convidados estão começando a chegar ”, ela diz, em uma voz doce.

Eu reviro meus olhos para a presença de Amanda. Ela tem sido mais ousada no

último ano ou assim, e isso está me deixando na parede. Se ela não fosse tão boa em seu

trabalho, ela seria demitida agora. E por mais obcecada que esteja comigo, eu não deixaria para

ela processar, por terminação injusta - que é exatamente o que demitir alguém por ser irritante

pra caralho, seria considerado - então ela fica na minha folha de pagamento.

"Entendi. Obrigado."
Meu passo é muito mais longo que o dela, enquanto eu faço a minha fuga dela. Eu

me posiciono na boca da sala de jantar, para cumprimentar meus convidados. Suspiro, vendo

multidões de rostos familiares, que eu não ligo. Aqui vamos nós novamente.

Uma hora depois da festa, eu realmente gostaria que tivéssemos a festa na

minha mansão. Em algum lugar no fundo da minha mente, a imagem de Katie retorna. Se

tivéssemos essa festa em minha casa e ela aparecesse, nós certamente reviveríamos o que

aconteceu no ano passado. Uma e outra vez, até o sol nascer.

Antes que minha calça possa apertar, eu me concentro nos convidados. Alguns

sócios e amigos se aproximam para apertar minha mão.

"Feliz Dia de San Patríck", diz Dan Gordon, um executivo, batendo palmas nas

minhas costas. Ele está usando uma gravata trevo e sua respiração indica, que ele está

participando das bombas de carros irlandeses . Eu faço uma careta. Vai ser uma noite longa.

Enquanto converso com ele, conversando jovialmente, meu olhar vagueia pela sala.

E então eu vejo ela . Minha Katie. Que diabos? Meu corpo sacode em choque, e eu estou

chocado. Na verdade, esfrego os olhos, para me livrar do álcool, mas lá está ela. A linda morena

está parada na porta, entre a cozinha e a sala de jantar, observando a sala como um falcão. Ela

parece um pouco mais completa, do que eu me lembro dela, seus seios definitivamente

maiores, mas pode ser apenas o vestido bem feito, que ela está usando. Já faz mais de um ano,

então a mudança estava prestes a acontecer. Eu não posso acreditar, no que estou vendo, no

entanto. O que ela está fazendo aqui? Ela estava na lista? Ou ela está trabalhando neste evento?

Ela veio me ver? Meu coração treme rapidamente, em parte emocionado e parcialmente

ansioso com a visão dela.

Uma celebridade agarra minha mão violentamente e a sacode, agradecendo-me por

convidá-lo para a festa. Eu nem sequer percebo o que estou dizendo a ele; Eu não posso me

concentrar em nada além dela. Quando ele está fora do caminho, eu olho para a visão mais uma
vez. Ela ainda não me viu, então estou livre para cobiça-la. Além de sua aparência, parece que

algo mudou. Como se ela tivesse um ar diferente sobre ela, do que quando dormimos juntos, no

ano passado. Eu não posso realmente identificar isso, mas eu sacudo o pensamento. Estou

apenas desejando a mulher, nada mais. Faz tanto tempo, desde a última vez que a vi, então não

há sentido em tentar entendê-la assim.

Uma garota que parece familiar, passa por mim - é a assistente de Amanda . Eu

rapidamente agarro o braço dela, antes que ela entre na multidão. Ela está assustada e

imediatamente fica vermelha e olha para baixo. "Sr. Moore ", ela murmura, mexendo com a

prancheta, que está segurando.

"Oi, Laura, é isso?" Peço gentilmente. Ela balança a cabeça, ficando ainda

mais vermelha.

“Ótimo trabalho com a escolha do bufê”, digo a ela. "Qual é o nome da empresa?"

Os olhos de Laura se arregalam de choque com o elogio. "T-obrigada!" Ela olha para

sua prancheta. "É chamado de New Wave Events, de propriedade de Katie Martin." Ela olha

para cima excisivamente . “Amanda me deixou cuidar do planejamento do evento, ela acabou

de gerenciar a lista de convidados. Eu estava preocupada, por não fazer um bom trabalho, mas

estou tão feliz que você ...”

Aha. Então Katie é a organizadora de eventos, para essa festa. "Obrigado, Laura", eu

interrompo apressadamente, nem mesmo olhando para ela mais. Eu vou embora, já

procurando minha garota novamente.

De repente, eu a vejo. Ela passeava pelas bordas da festa, procurando copos para

reabastecer ou pratos para limpar. E então, de repente, nossos olhos se encontram. Ela fecha os

olhos e depois fecha-os. Seu peito arfa com uma respiração profunda, como se ela estivesse

chateada ou meditando. Uma vez que seus olhos se abrem, ela examina a sala novamente. Eu

sou ignorado.
Que porra é essa? Ela vai mesmo me ignorar? Eu sei com certeza, que ela me

reconheceu. É a minha festa, afinal de contas. Ela obviamente sabia, que eu estaria aqui, se ela

escolhesse trabalhar neste evento. Bem, dois podem jogar neste jogo. Em vez de caminhar até

ela, concentro toda a minha atenção em ser o melhor hospedeiro do mundo. Os convidados vêm

e apertam minha mão, e eu agradeço a eles, por participarem e estarem viajando comigo neste

feriado. Dia de San Patríck é um feriado um pouco inconsequente, mas meus amigos e colegas

de trabalho, vão tomar qualquer desculpa para beber e ser feliz. Está tudo no meu dinheiro,

afinal.

Quando o fluxo constante de convidados, se transforma em um fio, eu olho para

Katie, mas não consigo localizá-la em lugar nenhum. Não importa. Eu a encontrarei mais tarde

e a confrontarei, sobre nunca retornar minhas ligações. E então talvez possamos encontrar um

bom armário, para reacender a nossa velha chama…

Amanda aparece ao meu lado. "Sr. Moore, parece que todo mundo está

sentado. Devo dizer-lhes, para começarem a oferecer os aperitivos?”

"Claro, Amanda."

Ela acena com a cabeça uma vez e vai para a cozinha. Eu encontro meu lugar na

mesa principal e me sento. Em poucos minutos, há aperitivos servidos por garçons com

gravatas verdes e garçonetes vestidas de preto, com cintos verdes. Eles são leprechauns de

classe, ao contrário de alguns dos meus colegas de trabalho, que aparentemente pensaram, que

estavam se vestindo para um desfile, em vez de um jantar formal.

Os aperitivos são deliciosos, mas agora sabendo que Katie está encarregada, deste

evento, não espero menos dela e de sua equipe. A comida servida no meu baile de máscaras, era

uma das melhores, que eu já provei. De repente, sinto uma apreciação por Laura, que por acaso

selecionou não apenas uma grande empresa de planejamento de eventos , mas também a

companhia da garota em que estive pensando, durante todo ano passado.


Falando em Katie, eu a localizo novamente, perto do bar. Meu vidro escocês está

suspeitamente vazio, então eu me desculpo da mesa e vou para o bar.

Katie me olha e foge, antes que eu possa fechar a distância entre nós. Chamar a

atenção dela, causaria uma cena que nenhum de nós pode pagar agora, então eu decido contra

isso. Em vez disso, peço ao garçom para encher meu copo.

"Outro", ele pergunta.

Eu sorrio alegremente . "Você sabe."

Ele pega a mesma garrafa que eu peguei emprestada mais cedo e me coloca alguns

dedos no gelo. Em vez de derrubá-lo de uma só vez, como eu fiz antes, quando não havia tantos

convidados por perto, me conformei com o sabor amargo do líquido.

De volta à minha mesa, o primeiro prato chegou. Eu pego minha salada, comendo as

partes boas e fingindo aproveitar o resto. Saladas são esperadas em coisas como esta, mas eu

não gosto de nada sobre elas. Se dependesse de mim, nós pularíamos toda a entrada

múltipla e iríamos direto, para o prato principal. Bife é minha coisa, não mordiscar verduras

como um coelho.

Quando termino minha salada, vejo Katie mais uma vez. Ela está de costas para

mim e está tendo uma discussão com uma mulher, da mesma idade que ela. Elas riem juntas e a

mulher mostra algo a Katie, em seu telefone.

Eu decido aproveitar a oportunidade para tentar um ataque furtivo. Ela não pode

fugir de mim, se ela não me ver chegando. Eu me desculpo na mesa, sob o disfarce de encontrar

o banheiro e caminho até onde Katie está de pé. Estou do outro lado da sala quando ela ri com

vontade, dá um tapinha no braço da empregada e entra na cozinha.

Não posso segui-la até a cozinha. Seria muito inapropriado para mim estar lá, de

qualquer maneira, especialmente se tivermos o confronto, que estou esperando. Eu


suspiro. Ela nem queria se esquivar desta vez, mas ela conseguiu fazer isso, de qualquer

maneira.

Descobrir que meus companheiros de mesa notarão, se eu voltar, sem sair do

refeitório, sigo minha mentira sobre o uso do banheiro. Lá dentro, me alivio e espirro água no

rosto. Ver Katie me deixa fora de mim. Se eu quiser falar com ela, vou encontrar um jeito de

falar com ela. Ela não pode brincar de esconde-esconde comigo, para sempre.

Vai ser difícil confrontá-la, com a festa a todo vapor. Minha melhor chance de fazê-

la falar comigo, é esperar até que as coisas acabem, antes de encurralá-la e obter as respostas

que eu mereço. Eu odeio esperar. Eu não sou um homem paciente, mas sei que a única maneira

de falar com ela, é esperar até que estejamos quase completamente sozinhos. Ela não terá

escolha e não vou arriscar um argumento embaraçoso, diante de algumas centenas de amigos e

colegas.

Enquanto caminho de volta à minha mesa, sinto-me mais confuso do que há muito

tempo. Se ela fosse qualquer outra mulher, eu teria escrito para ela, há muito tempo. Eu ficaria

feliz, mesmo, que ela partisse sem qualquer grande gritaria sobre isso. Mas Katie é diferente e

não sei por quê. Algo sobre ela me faz querer continuar tentando, nunca parar. Estar perto

dela. Para abraçá-la. Para amá-la.

Eu balanço minha cabeça, enquanto me sento, percebendo o quão estúpido isso

soa. Eu amo o sexo. Eu não poderia amar a mulher. Caras como eu, não se apaixonam, só caímos

na luxúria. Basta perguntar a qualquer um dos tablóides que

regularmente me apresentam, como o playboy da semana.

O segundo prato chega, enquanto estou no banheiro. É um guisado que eu como,

em tempo recorde. Não pela primeira vez, acho que toda a coisa de pratos múltiplos com

porções minúsculas ridículas e burguesas.


Fazemos uma pequena pausa entre o segundo prato e o prato principal para

permitir que todos aproveitem a comida. Desde que eu sou o anfitrião, é esperado que eu me

levante e faça um discurso. Outro aspecto sem valor e cansativo, sobre esses tipos de eventos.

Há um pódio ,contra a parede mais distante, completo com um microfone pronto,

para eu dirigir-me aos meus convidados. Eu deslizo de volta da minha cadeira e caminho para o

pódio. Eu bato no microfone para ter certeza de que está ligado, o barulho chamando a atenção

de todos, para mim.

"Olá a todos", eu digo, minha voz profunda e ressonante. “Obrigado por se juntarem

a mim, para celebrar o Dia de San Patríck, em grande estilo. Nós não nos divertimos muito

assim, então eu estou feliz , que vocês estejam aqui, para compartilhar a boa comida e o álcool,

que esse feriado promete.”

“Gostaria de agradecer à minha assistente, Amanda, bem como à sua assistente,

Laura, por organizar essa festa e enviar os convites. Eu também gostaria de agradecer a

empresa de planejamento e catering responsável, por realizar este evento incrível e por nos

preparar a comida incrível. Todos vocês tentaram aquele ensopado? Eu poderia comer nada

além disso, para o resto da minha vida e ser um homem muito, muito feliz ”.

A platéia ri, como eu esperava. Eu conheço essas pessoas. Este não é meu primeiro

discurso, com certeza. Eu levanto o meu copo scotch para a sala.

“Felicidades para todos que conseguiram e para todos que não conseguiram. Eles

não sabem o que estão perdendo!”

Outra rodada de risadas. Nós tomamos nossas bebidas.

"Obrigado a todos por terem vindo, e espero que vocês aproveitem a deliciosa

refeição, que nossos fornecedores planejaram para nós."


Com isso, os garçons saem da cozinha com suas bandejas e começam a distribuir os

pratos. Eu volto para o meu lugar e espero minha comida chegar. Com o canto do olho, vejo

Katie. Ela tem seus olhos em mim, observando atentamente.

É tentador irromper do meu assento e confrontá-la agora, mas eu fico

parado. Depois da festa, falo com ela. Nenhum de nós está saindo deste prédio, até que

tenhamos resolvido o que aconteceu, no ano passado. E espero que termine com

algum fechamento ... que eu preciso desesperadamente, depois de todo esse tempo.
Capítulo Nove

Katie

Eu pensei que ver Trent Moore novamente, seria fácil. Já faz mais de um ano - eu

deveria ter esquecido, o que aconteceu. Mas encontrar seus olhos, no começo da festa, me jogou

fora pelo resto da noite.

Ele não apenas me lembrou, que meu filho está em casa e que ele nunca conhecerá seu pai, mas

também trouxe lembranças, de nosso apaixonado caso de amor. Eu não tenho dormido com

ninguém, desde aquela noite incrível com Trent, mas meu corpo raivoso parece estar pronto,

para voltar para a cama, apenas com a visão dele. Eu posso sentir minha boceta se molhar,

enquanto eu tomo sua forma, tonificada e musculosa como sempre, mas eu prometo não ceder

ao babaca, que não atendeu minhas ligações.

Lizzy notou cedo que eu estava abalada, então ela tentou me fazer sentir melhor, pensando que

eu estava agindo estranhamente, porque sentia falta do meu filho. Ela me mostrou vídeos

engraçados no celular, até que eu ri e depois me mandou para a cozinha para supervisionar a

preparação do jantar. Eu me escondi lá, só entrando na sala de jantar, quando era

absolutamente necessário. Houve alguns quase acidentes, quando cheguei perto de uma

estranha e irritante conversa com Trent. Eu me esquivei dele o tempo todo, sabendo que era

melhor para nós dois, evitar um confronto, na frente de seus estimados convidados.

Tão tentada quanto eu estava a gritar com o homem, que fez amor comigo e depois

desapareceu da minha vida, sem mais do que um texto, sei que não é uma boa ideia. Eu tenho o
bebê Trentie agora, e ele é tudo que eu preciso. Eu me convenço de que esta noite é apenas um

pequeno percalço, e meu filho e eu, vamos seguir em frente, sem olhar para trás.

Ainda assim, enquanto os garçons e garçonetes trazem pilhas de pratos de sobremesa sujos de

volta, para a cozinha, eu sei que o tempo está acabando. Não vou poder me afastar, antes que o

lugar esteja limpo , e Trent Moore é o anfitrião. Ele será o último a sair. Há uma saída traseira

pela cozinha, que leva a um beco assustador, que eu teria que atravessar para chegar ao meu

carro no estacionamento dos funcionários. Eu poderia pegar a saída e evitar qualquer risco de

correr para Trent. Mas eu também correria o risco de ser assaltada, e esse risco é grande

demais para mim.

Lizzy aperta meu ombro. “Você quase conseguiu. Apenas uma hora ou mais e você vai para

casa, para brincar com seu bebê.”

Eu imagino Trentie, já dormindo em seu berço, e sorrio. Ela está certa. Consigo aguentar outra

hora, desviar de Trent Moore e chegar em casa, ao meu filho. Isso é tudo que preciso.

“Os últimos convidados estão terminando suas bebidas. Você se importaria de ajudar a recolher

pratos e tal? Quanto mais cedo limparmos, mais cedo poderemos sair ”, diz Lizzy, tentando ser

útil.

“Claro.” Honestamente, não há nada que eu prefira fazer menos, do que sair para onde Trent

está, mas não posso deixar de ajudar, quando vim aqui esta noite, para fazer exatamente isso.

Eu pego uma bandeja vazia e coloco no meu ombro. Eu trabalhei meu caminho através da

faculdade como garçonete, e esta não é a primeira vez, que eu ajudei minha equipe com a

limpeza. Lizzy está certa - fazer a limpeza rapidamente , significa chegar em casa mais

cedo. Ninguém quer ficar em um local , mais do que o necessário.

A menos que eles estejam nus na cama , com o melhor amante que já tiveram.
Eu sacudo o pensamento da minha cabeça e corro para a cozinha. Nossa estratégia de limpeza,

é sempre pegar as mesas mais afastadas primeiro e seguir nosso caminho em direção ao meio.

Eu encontro a mesa mais distante da sala, que ainda tem que ser limpa e começo a carregar

minha bandeja com pratos vazios, tigelas e copos. Depois de empilhar a louça inteira de pratos

sujos na minha bandeja, levanto-a de volta ao meu ombro e ando com cuidado até a cozinha.

Esta ação é repassada seis vezes mais, sem incidentes. Estou um pouco fora de forma, não

tendo feito nenhum trabalho pesado, além de tirar Trentie do berço pelos últimos

meses. Mesmo assim, sou capaz de acompanhar os outros membros , da minha equipe. Eu estou

correndo principalmente na adrenalina e na emoção de chegar em casa, para beijar a cabecinha

do meu filho.

Eu olho para o meu relógio, no meu caminho para a minha próxima mesa e esbarro em

alguém. Imediatamente, eu olho para me desculpar com o convidado. "Eu estou tão sor..." eu

congelo, encontrando-me face a face com Trent Moore.

"Gostei de vê-la aqui", ele diz friamente. Seu lindo rosto mal mudou, desde a última vez que o vi,

há mais de um ano. A única diferença, é que ele não tem barba por fazer hoje à noite, o que faz

com que ele pareça mais jovem, mas igualmente quente. Quero passar minhas mãos pelo seu

queixo barbeado e beijar aquele sorriso de seu rosto, mas resisto ao impulso.

"Estou ocupada", digo a ele, forçando minha voz a ficar calma. "Precisamos limpar isso

rapidamente, para que possamos sair daqui."

Eu começo a pegar um prato, mas Trent coloca uma mão gentil na minha, e eu odeio que seu

toque, envie emoções pela minha espinha. "Pode esperar, ou sua equipe pode lidar com isso."

"Eu não quero falar com você", digo a ele, tentando conter minha raiva.

"Bem, acho que mereço uma explicação."


"Explicação?" Minha voz está quieta. Eu mal posso acreditar no que estou ouvindo. Eu olho para

ele e vejo a mesma raiva em seus olhos, que sinto agora. "Por que diabos você merece uma

explicação, seu egocêntrico, cabeça grande, idiota!"

Felizmente, não há convidados sobrando na sala, para ouvir minha explosão. Meus funcionários

estão olhando para mim, congelados em choque e inaptidão. Eles nunca me viram assim

antes. Eu respiro fundo e tiro um sorriso falso para eles.

“Nada para ver aqui, pessoal. Desculpe por essa explosão.”

Eles levam alguns segundos, mas voltam para seus respectivos afazeres, em silêncio. Eu sinto

seus olhos ainda firmemente em mim, enquanto eles limpam as mesas, mas pelo menos eles

estão se movendo agora. Eu olho para Trent, que está olhando para mim, aqueles olhos azuis

me rasgando. Eu não deixarei ele entrar. Se eu fizer, sei que vou desmoronar e cair aos pedaços.

"Eu preciso trabalhar", digo a ele calmamente. "Por favor saia. Você não precisa estar aqui, para

a limpeza. Seus convidados se foram e você está livre para ir.”

Trent late uma risada amarga. "Você não pode se livrar de mim, tão facilmente."

"Eu não quero falar com você", eu repito, não deixando ele chegar até mim.

"Sim, você deixou isso bem claro, mas eu gostaria de saber o porquê."

Eu olho para ele, agora intrigada. Ele está tentando dizer, que é minha culpa , não termos estado

em contato, desde o nosso incrível encontro? Ele é ainda mais idiota, do que eu pensava. Pela

primeira vez, estou feliz, que ele não saiba que temos um filho juntos.

"Por favor, deixe-me ir Trent."

"Não até falarmos", diz ele, com a voz áspera. Eu encontro os olhos dele e vejo algo

lá. Confusão. Medo. Luxúria. Eu vejo as mesmas coisas em mim, quando olho no espelho,

pensando nele.
Tanto quanto eu odeio, minha resistência desaparece. Curiosidade e um desejo mórbido de

acabar na cama de Trent novamente, me levam à minha decisão.

"Tudo bem", eu digo, resignada. "Vamos conversar. Mas não aqui."

Eu ando na frente dele, apesar de seus longos passos, nos levando para a entrada do

local. Paramos no corredor, fora do alcance de meus funcionários e longe de qualquer outra

pessoa, que possa ouvir nossa conversa. Esta é uma conversa, que não quero que outra alma

ouça.

"OK. Fale. ” Eu estou de pé, de frente para ele, com meus braços cruzados confortavelmente,

sobre o meu peito grande. Seus olhos examinam meu corpo, parando sobre meus seios, talvez

lembrando da última vez, que estivemos juntos , sua boca nos meus mamilos ...

"Há algo diferente em você", diz ele lentamente, quando termina sua pesquisa da minha

figura. "Eu não consigo descobrir o que é."

Ele continua me estudando. Espero que ele perceba que engordei. Afinal, meus seios

estão maiores e meus quadris ainda mais largos, do que antes. Mas minha expressão também

está cansada e abatida. Eu não o conheço bem o suficiente, para saber se ele é intuitivo, sobre

essas coisas - se ele pode juntar o fato, de que eu tive um bebê. No interior, eu rio para mim

mesma. Claro que ele não vai descobrir. Nunca em um milhão de anos, ele pensaria que a

gravidez estava na foto.

"Eu não estou diferente", eu digo, tentando ser o mais vaga possível. Meu cérebro está

trabalhando rapidamente em pânico, para se certificar de que ele não descubra. Eu não sei o

que aconteceria se ele soubesse.

Ele suspira. “Seu corpo mudou, mas sei que já faz um ano e as pessoas mudam. Mas há outra

coisa. É quase como se você estivesse ... brilhando.”


Minha respiração engata. Essa é uma palavra que eles descrevem, para descrever mulheres

grávidas e novas mães. Brilhando. Radiantes. Felizes. Eu não me sinto assim às vezes, mas eu

não sabia, que era tão óbvio no exterior. As pessoas próximas a mim, sabem que eu tenho um

filho. Meus funcionários, é claro, sabem que tirei licença maternidade, até hoje. Meus vizinhos,

estranhos na rua, todos viram Trentie e eu, juntos. Eu não o mantive intencionalmente em

segredo de ninguém, exceto seu pai. Mas de alguma forma, eu gostaria de poder encobrir o fato,

de que estou brilhando e recuperar, qualquer aura feliz que estou emitindo. Porque Trentie é

meu precioso segredo, e só meu.

"É do exercício", eu digo em uma tentativa patética de encobrir. "Eu estava carregando

bandejas pesadas de um lado para o outro, da cozinha, quando você me surpreendeu."

"Não é isso. Eu não posso colocar meu dedo nisso, mas ...”

"Esqueça. É disso que você queria falar? Porque se isso é tudo, vou voltar para ajudar minha

equipe. ”

Eu tento andar ao redor dele, mas ele rapidamente dá um passo e fica no meu caminho. “Não é

sobre isso , que eu queria falar e você sabe disso. Eu queria falar sobre como você saiu naquela

manhã e, em seguida, nunca atendeu minhas chamadas ou respondeu minhas mensagens. Você

me ignorou e eu mereço saber o porquê.”

Eu sinto que posso desmaiar, pela segunda vez hoje. Ele acha que eu ignorei ele ?

"Seu idiota!" Eu exclamo com raiva, empurrando seu peito. “Eu nunca recebi uma

única ligação de você! Eu tentei ligar para você tantas vezes e você não aceitou minhas

ligações. Cheguei até a ir a sua casa e você não se incomodou, em me receber ”.

Trent teve a audácia de parecer confuso. "Desculpe? Eu nunca recebi uma única ligação sua. E

se você tivesse ido para minha casa, minha equipe teria me informado.”
Eu rio sem alegria. "Okay, certo. Liguei para a linha da sua empresa uma e outra vez, e não

consegui passar pelo operador. Era como se eu estivesse em uma lista negra ou algo assim. E

seu mordomo e guarda de segurança, podem atestar por mim. Eu estava na sua mansão há um

ano atrás, Trent. Eu fui para lhe contar... - para conversar com você.”

Ele empurra bruscamente.

"Você não fez", é esse rosnado. "Eu não ouvi de você, desde a última vez que nos

conhecemos."

Eu balancei minha cabeça, de repente cansada. Porque o que há para

dizer? Que realmente sentimos falta, um do outro dezenas de vezes? Que este homem tem

estado secretamente me desejando, há mais de um ano? Esses são sonhos de consumo ... e

ainda assim não posso deixar de esperar, que fossem reais.


Capítulo Dez

Trent

"Você está mentindo", eu digo, olhando para ela, mas estou menos seguro de mim

agora, do que antes. Ela parece tão inflexível e zangada. Ela poderia estar dizendo a

verdade? Ela realmente tentou me alcançar, de novo e de novo? Mesmo indo para minha casa?

"Eu não estou mentindo", diz ela, balançando a cabeça. "Eu não tenho razão para mentir. Você,

por outro lado, poderia facilmente, entrar em contato comigo. Deixei meu cartão e você

contratou minha empresa. Se você queria falar antes de hoje, você teve todas as

oportunidades”.

Eu ri. "Sério?" Eu pergunto incrédulo. “Eu te chamei tantas vezes, que se tornou obsessivo! Eu

tive que me impedir de falar com você, a cada maldita hora”.

“Se isso fosse verdade, eu saberia. Minha empresa não tem listas negras, ao contrário da sua

aparentemente ”.

Eu fico boquiaberto com ela. Apenas operadores de telemarketing e pessoas que

tentaram muito me convencer, a fazer parceria com eles, em vários projetos estão nessa

lista. Não mulheres bonitas, com quem quero dormir novamente.

"Temos uma lista muito limitada de pessoas a ignorar, mas asseguro-lhe ,que o seu

nome não está nela", é a minha resposta firme. Eu não posso acreditar, que ela pensaria que eu

iria colocá-la em alguma lista, sem resposta.

"Eu não acredito em você."


"Tudo bem", eu digo, puxando meu telefone do bolso e rolando até encontrar as datas

certas. "Veja isso. Veja minhas ligações feitas há um ano.”

Eu entrego a ela o telefone, minhas chamadas feitas na tela. Ela rola através delas, as

sobrancelhas franzidas em confusão.

"Meu celular não está nesta lista", diz ela, entregando o telefone de volta para mim. "Nem o meu

número de trabalho."

"Agora quem está mentindo?" Eu digo, segurando o telefone na direção dela

novamente. Percorro a lista e aponto para o número do celular dela. É o que Amanda me deu

para a companhia de Katie. "Está bem aqui. Veja."

Ela aperta os olhos e lê atentamente o número do telefone. “Esse não é o meu número de

trabalho. É o código de área certo e os três primeiros números, mas os últimos quatro números

estão confusos - eles estão na ordem errada. ”

"O quê?" Eu pergunto, olhando para o número do telefone. O número reflete exatamente, o que

Amanda me deu, quando solicitei as informações de contato de Katie. "Isso não é

possível. Minha funcionária disse, que esse era o número, que ela costumava contatar você”.

"Não é" , diz ela. Ela pega um cartão de visitas e entrega para mim. Com certeza, o número que

eu estava chamando, está incorreto. É possível que eu digitei no meu celular errado, mas eu

juro que copiei corretamente.

Amanda escolhe esse momento, para entrar na sala de jantar. Ela sorri quando me vê, mas

franze a testa ao ver Katie. Meu estômago cai e tudo fica claro. Foda-se.

Sim, eu definitivamente não digitei o número errado. Realização cai no meu cérebro. Amanda

se vira, parecendo que esqueceu alguma coisa, mas eu chamo por ela. "Venha aqui", é o meu

latido. "Você tem alguma explicação para fazer."

A loira se vira e se aproxima de nós. "Sim, Sr. Moore?"


Ela bate os cílios, como se isso pudesse me distrair, da minha raiva e suspeita. Eu não posso

deixar de rolar meus olhos, para o ridículo de seu comportamento. Suas tentativas de flerte

nunca funcionaram em mim antes, mas por qualquer motivo, ela não parou de tentar.

“Katie tentou me ligar no escritório?”

"Não", diz Amanda rapidamente. Eu a olho com um olhar duro. Ela recua, enrolando-se em si

mesma. "Sim", ela acrescenta calmamente.

Eu engulo a raiva, que está ameaçando borbulhar até a superfície. Eu quero bater na mulher,

mas não vou. Como minha funcionária, darei a ela uma chance, de explicar seu lado. E então ela

vai conseguir, o que ela merece.

"Você disse à minha equipe, para manter as chamadas e visitas de Katie, longe de mim?"

Amanda parece que está lutando, para encontrar a resposta. Não me olhando nos olhos, ela

responde: "Sim". Ela parece ter percebido, que não há saída disso. Nós dois sabemos

a verdade. Questioná-la é uma cortesia.

"Você deu a Trent o número errado, para que ele não pudesse me ligar?" Katie pergunta a ela,

incapaz de manter a descrença, de sua voz.

Amanda perfura Katie com um olhar gelado, como se ela não acreditasse na pergunta. "Sim",

Amanda diz , "eu fiz tudo, ok? Você está feliz agora?"

Não estou feliz. Eu estou furioso, mas também estou ferido. Amanda deveria ser minha mão

direita, não alguém que conspirava e mantinha as coisas contra mim. Confiei nela por anos, com

informações pessoais e empresariais . Até onde vai a traição dela? Até que ponto?

"Por quê?" Eu pergunto. "Por que você faria isso?"

Ela me lança um olhar ressentido. "Olhe para você. Mesmo agora, um ano depois que você a viu,

não pode esperar, para levá-la de volta para a cama. Deveria ser eu! Você está designado a me

querer, Trent!”
Eu fico boquiaberto com ela, chocado com as palavras dela e com o uso do meu primeiro

nome. Ela nunca me chamou de Trent, em vez do Sr. Moore antes, e eu odeio o jeito que parece,

vindo de sua boca. Sobre o que ela está falando? Por que diabos nos reuniríamos? Nós nunca

tivemos um relacionamento fora do trabalho. Obviamente, eu sabia que ela estava atraída por

mim, com o seu flerte incessante, mas eu fechava isso toda vez, duro e firme. Estas são as

ilusões de uma psicopata.

Eu olho para Katie e sua expressão magoada, me faz estremecer. Eu tenho que definir isso

diretamente. Para ambas.

"Você e eu nunca estivemos juntos", rosno para Amanda. “Nós nunca nem nos beijamos. O que

te faz pensar, que temos um futuro juntos?”

Sua respiração engata e seus olhos ficam marejados.

“Porque você é perfeito para mim e eu sou perfeita para você. Não ela . Ela é uma garota que

mal consegue ganhar a vida. Seu status social é tão baixo, que ela nunca se encaixaria com você

- nesse —crescimento. Eu tenho uma ótima educação e sei tudo sobre o seu negócio! Nós nos

encaixamos tão bem, Trent, você não consegue ver isso? Eu poderia ser uma esposa que fica em

casa, que é o que um homem de negócios importante como você, precisa.

Ela deixa de fora a palavra "troféu", mas todos podemos ouvir a insinuação silenciosa, entre as

linhas.

Eu aponto para Katie, mas mantenho meus olhos fixos em Amanda.

“Katie construiu seu negócio do zero. Ela é uma mulher incrível e um milhão de

vezes melhor que você. Eu não quero uma esposa, para ficar em casa. Eu quero alguém que me

desafie e que me faça melhor. Alguém que tem seus próprios sonhos, sonhos em que podemos

trabalhar juntos. Você não sabe nada, sobre o que eu quero ou preciso. Eu quero ela . Não você."
Amanda escuta, mas sei que minhas palavras não passaram. Isso não é sobre mim, é sobre

ela. Ela quer status e alguém com uma carteira grande, para que nunca tenha que trabalhar, e

ela pensou que eu seria esse alguém. Infelizmente, a loira pensou errado.

"Intrometer-se em meus negócios pessoais, não faz parte do seu trabalho, Amanda", eu rosno

com raiva.

"Você está demitida."

Tenho certeza de que vou ter que lidar com as conseqüências, mas não me importo agora. Eu

não posso ter essa mulher, na minha equipe. Não quando ela tentou me manter longe, da

mulher com quem eu poderia estar no último ano.

A mandíbula de Amanda cai, mas ela não tenta lutar, porque sabe que não tem chance. Eu me

viro para Katie, vagamente notando, que Amanda se afastou em lágrimas.

"Sinto muito", eu digo, estendendo a mão para ela. Ela me deixa colocar minhas

mãos em seus braços.

"Não é sua culpa", Katie diz baixinho. "Estou tão triste, que perdemos todo esse tempo juntos ."

"Eu também."

Ela olha para mim então, com os olhos arregalados, quase como se estivesse com medo.

"Trent", diz ela, um tremor em sua voz. "Nós realmente precisamos conversar."

Eu aceno e coloco um braço, em torno dessa forma curvilínea. Seja o que for, não

tenho mais medo. Porque com esta mulher ao meu lado ... tudo é possível.
Capítulo Onze

Katie

Durante todo esse tempo, fiquei furiosa com Trent, achando que ele estava

ignorando minhas ligações, e a cadela da Amanda, só o queria para si mesma. É tudo tão

surreal, mal posso processar, mas uma parte de mim está radiante: Trent queria estar comigo, o

tempo todo.

E agora, tenho que lhe contar a verdade.

Minhas mãos suam e meu coração dispara. Eu sinto que posso estar doente, mas eu respiro

fundo algumas vezes, para me acalmar.

Trent mantém as mãos nos meus braços. Elas são gentis, mas firmes. Ele está esperando

pacientemente que eu fale, diga a ele, o que preciso contar-lhe.

"O que está acontecendo, Katie?" Ele diz suavemente. “Você encontrou outra pessoa? Eu

entendo se você tem ... já faz mais de um ano, eu não esperava que você ...”

"Não!" Eu digo rapidamente. "Não é isso. Eu não tenho... Não há mais ninguém.”

Ele respira um suspiro de alívio. "Bom. Não há mais ninguém, para mim também. Naquela noite

o que nós compartilhamos juntos ... isso me mudou, querida. Eu não quero mais ninguém, além

de você.”

Eu começo a chorar. Talvez seja esse momento avassalador, talvez sejam os hormônios

residuais da gravidez, mas não posso evitar. As lágrimas caem livremente.

Trent tira a mão do meu braço e enxuga uma lágrima, debaixo do meu olho.
“Fale comigo, Katie. O que está acontecendo?"

Outra respiração profunda e trêmula. Eu não posso parar o choro, mas Trent merece respostas.

"No ano passado, tentei encontrar você", digo a ele através das minhas lágrimas. “Foi dois

meses depois, da nossa noite juntos e você não tinha ligado. Eu pensei que você não estava

interessado, mas ... eu queria conversar com você. Eu precisava...."

Trent permanece quieto, seus olhos treinados nos meus, abertos e quentes. O homem à minha

frente, não é nada parecido com o homem, sobre quem li nos jornais. Ele é carinhoso e gentil,

quando está comigo, não o implacável bilionário, sem consciência .

“Eu… Trent. Oh deus, isso é tão difícil”. Eu cubro meu rosto com as minhas mãos.

"Shh, tudo bem", ele me acalma, esfregando minhas costas. "Não tenha pressa."

"Eu sinto muito", eu começo de novo. “Dois meses depois daquela noite, percebi que eu ... bem,

eu perdi meu período. Às vezes, quando estou trabalhando em uma festa importante, as coisas

ficam tão agitadas, que esqueço de tomar meu controle de natalidade. Geralmente isso não

importa, porque eu normalmente não ... bem, nada acontece, e então nós ... e nunca me ocorreu

dizer para você usar camisinha. ”

Seu rosto lampeja com reconhecimento, culpa e medo.

"Você estava grávida", ele termina para mim em silêncio, os olhos arregalados. “Eu te

engravidei. Você tentou me encontrar?”

Eu aceno, enxugando minhas lágrimas. “Eu chamei você tantas vezes, que provavelmente

deveria estar em uma lista de perseguidora. Então fui à sua casa, procurando por você, mas sua

equipe não me deixou entrar. Disseram que lhe diriam que eu estive lá.”

"Eles não disseram", diz ele, o rosto nublando de raiva. "Amanda ..."
Eu pego sua mão e a aperto. "Eu sei. Isso não é sua culpa. Se ela não tivesse ... se ela não tivesse

se intrometido e nos tivesse separado, você saberia.”

Seu rosto cai. "Você terminou a gravidez?"

Eu não sei como ele chegou a essa conclusão. Talvez seja a minha tristeza ou o olhar rasgado no

meu rosto, mas seja o que for, eu preciso consertar isso.

"Não", eu asseguro a ele. "Eu não fiz."

Silêncio atordoado me cumprimenta então.

"Então você teve o bebê?" Ele pergunta, sua voz de repente baixa e pressionando.

Eu sinto uma pontada no coração. Uma das razões pelas quais, desisti de tentar entrar em

contato com Trent, foi o medo de que ele quisesse, que eu abandonasse meu filho, ou me

livrasse dele. Vendo sua urgência, não tenho ideia, de como poderia ter pensado nisso.

"Eu não perdi o bebê, Trent", eu digo em voz baixa, me sentindo nervosa. Eu respiro fundo

novamente, antes de falar. "Você tem um filho."

Ele tropeça para trás, a mão sobre o rosto. Toda emoção possível, registra no rosto de

Trent. Medo, raiva, felicidade, angústia. Todas as coisas que senti, quando descobri que estava

grávida. Eu tive um ano para processar essas emoções e as vivi um milhão de vezes. Trent teve

trinta segundos.

Eu agarro seu braço e o guio para um banco acolchoado, na metade do corredor. Ele se agarra

com gratidão e apoia os cotovelos nos joelhos, com o rosto enterrado nas mãos.

"Eu tenho um filho", diz ele em voz alta, testando as palavras. "Um filho. Você manteve o

bebê? Você fez isso sozinha?”


"Sim", eu digo a ele. “Eu tentei te encontrar. Para te dizer.” Não posso deixar de repetir isso. Eu

só quero que ele saiba, que eu tentei, que eu o queria na vida de nosso filho. Que eu não o

mantive longe dele.

"Eu sei ", diz ele. “Amanda me impediu de conhecer meu filho. Aquela cadela. Quanto tempo ele

tem agora?"

"Cinco meses", eu digo, sorrindo suavemente, enquanto imagino o rostinho fofo de Trentie. “Ele

é incrível”. Trentie é o bebê perfeito.

"Posso vê-lo? Você tem fotos? ” Ele pergunta urgentemente.

Eu rio. Ele está tão desesperado, mas vem de um bom lugar. Interpretando mal meu riso, Trent

recua, sua expressão claramente dolorida.

Eu fico de joelhos na frente dele, forçando-o a encontrar meus olhos. "Eu tenho tantas fotos,

que eu tive que pegar um telefone, com mais memória", eu digo. “É por isso que eu ri. Claro que

você pode vê-lo, Trent. Ele é seu filho também.”

Eu puxo meu telefone e abro a pasta da câmera. Eu sorrio na primeira foto que vejo, o bebê

Trentie sorrindo para a câmera, com uma baba pendendo de sua boca. Eu tirei mais fotos dele,

do que qualquer ser humano deveria ter de outro humano, mas eu amo ter essas memórias

para lembrar. Elas serão ótimas para quando ele começar a namorar e eu quero envergonhá-lo.

Entrego o telefone a Trent e seu rosto conturbado se abre, em um sorriso genuíno. Eu não

posso deixar de notar, que seu sorriso é como o sorriso de seu bebê. Foi preciso ver Trent

Moore novamente, para eu perceber, o quanto nosso filho se parece com ele.

Nosso filho. Eu definitivamente posso me acostumar, a dizer isso. Mesmo que Trent não queira

estar comigo, ele terá uma parte na vida de seu filho, pelo tempo que ele quiser. Eu posso dizer

pela maneira como ele rola as fotos, com lágrimas formando em seus olhos, que ele se preocupa

com o garoto, que ele nunca conheceu.


"Eu quero", ele começa, mas a palavra é estrangulada por um soluço. Eu reduzi esse homem

forte às lágrimas. Ou, mais precisamente, nosso bebê fez isso. "Eu quero conhece-lo. Eu posso?”

Ele olha para mim, esperançosamente, com olhos brilhantes.

"Claro", eu digo, minha mão em seu braço. Tocá-lo parece certo e intimo . Eu senti falta até

mesmo dos toques inocentes, com Trent. “Deixe-me dizer a Lizzy, que estou saindo. Eles podem

lidar com o resto da limpeza, sem mim. Eles estão quase prontos”.

"Eu vou esperar aqui, se você não se importa." Ele se levanta e enxuga os olhos, tentando

recuperar a compostura, que perdeu. Eu sorrio e puxo-o para um abraço. Imediatamente o ar

chia ao nosso contato, e eu recuo atordoada.

"Hum, deixe-me encontrar meu pessoal", é minha gagueira antes de

sair. Felizmente, Lizzy está por perto, liderando as tarefas finais de limpeza .

"Whoa", diz ela quando me vê. “Você parece uma bagunça. O que aconteceu?"

"Nada", eu digo a ela, com um sorriso tranquilizador. “Estou bem, prometo. Melhor que bem, na

verdade. Eu vou falar sobre isso mais tarde, mas eu tenho que chegar em casa, para o meu bebê

agora. Você vai ficar bem, cuidando da limpeza com o resto da tripulação?”

"Não se preocupe com nada, menina", diz Lizzy, apertando meu braço. “Chegue em casa com

segurança, ok? E dê ao bebê Trent um grande beijo suculento, por mim”. Ela me dá um sorriso e

uma piscadela.

Eu devolvo o sorriso dela. “Eu irei . Obrigada Lizzy. Por tudo. Vejo você na próxima semana.”

Encontro Trent, onde o deixei no corredor, ainda processando o fato, de que é pai. Lembro-me

de quando nos conhecemos naquela noite, ele fez uma piada, sobre não ter nenhum filho, que

ele conhecia. É quase como se ele previsse, o que estava por vir. Oh a ironia.

"Vamos?" Eu pergunto a ele. "Eu dirijo."

"Obrigado. Eu já disse ao meu motorista, que ele poderia ir para casa.”


E com isso, nós sorrimos um para o outro, nossos corações se encontrando, na

escuridão da noite. Porque nós vamos ver o nosso filho agora, o ser milagroso que foi criado a

partir de uma noite de paixão. E na minha alma, posso sentir que tudo vai ficar bem. Trentie

conhecerá seu pai e, de alguma forma, meu homem e eu resolveremos as coisas, porque é nossa

necessidade estarmos juntos e nos levar até aqui. E lenta mas seguramente, nós encontraremos

nosso futuro ... apenas nós três.


Epílogo

Katie

O caminho para o meu apartamento é calmo e pacífico, porque sei que tudo vai ficar

bem, com este homem ao meu lado. Melhor que ok. Surpreendente. Maravilhoso. Com Trent, as

possibilidades são infinitas e um caloroso brilho de felicidade e antecipação, desce em minha

aura.

Quando chegamos ao meu apartamento, ficamos no carro, por mais alguns minutos, do que o

necessário.

"Você está nervoso?" Pergunto a Trent , virando um pouco, para olhar para ele.

"E se ele não gostar de mim?" Ele pergunta, soando menor do que eu já o ouvi.

“Ele é um bebê de cinco meses de idade. Ele gosta de todos, ” eu tranquilizo-o com um

sorriso. Eu acho que é doce que ele se importe tanto, mas metade de mim, está com tanto medo

que ele vai fugir, quando ele o vir. Seu filho vivo, respirando.

Trent solta o cinto de segurança e sai do carro, aquela forma volumosa, me seguindo até o meu

apartamento.

Jessica nos cumprimenta, quando entramos na porta. Seus olhos se arregalam para o macho

alfa, atrás de mim , mas ela sabiamente não diz nada. "Bem-vinda a casa. Como foi a festa?"

"Ótima", digo a ela. "Como está o bebê?"

“Trentie foi um anjo, como sempre. Ele dormiu por volta das oito.”
"Trentie?" Trent pergunta abruptamente. Percebo que não mencionei, que nomeei nosso bebê

com seu nome. Ele olha para mim com curiosidade, para uma explicação.

Eu evito seu olhar questionador e agradeço a Jessica. Entregando-lhe o envelope com seu

pagamento, eu a mando embora. Uma vez que ela se foi, eu me viro para enfrentar meu homem.

"Era apropriado que ele fosse nomeado, com o nome de seu pai", eu digo, sentindo-me

anormalmente tímida.

Trent sorri. "Você nomeou nosso bebê, com meu nome."

Nós caminhamos em direção um ao outro, e ele gentilmente me segura. O calor se espalha pelo

meu corpo cansado e eu sorrio para ele. Isso é tão bom, tão certo. Trent se inclina para frente e

seus lábios encontram os meus, pela primeira vez em um ano.

Me deixar levar, seria fácil agora. É tentador arrancar as roupas e continuar de onde paramos

há um ano, mas infelizmente Trentie tem outras ideias. Assim que o nosso beijo esquenta,

o monitor do bebê leva os lamentos do nosso filho, para a sala de estar.

Nós rimos, nos lábios um do outro. "Ele não gosta que mamãe e papai ,estão ignorando-o", eu

digo com uma risadinha. "Você está pronto, para conhecer seu filho?"

O sorriso de Trent é contagiante. Levei-o pela mão para o quarto de Trentie e acendi a

luz. Nosso filho olhou para nós do berço, olhos arregalados e questionadores.

Eu pego o bebê e o levo para Trent. "Conheça o seu filho", eu digo baixinho, lágrimas enchendo

meus olhos. Eu não posso acreditar, que este momento chegou, e é tão esmagador.

Trent pega o bebê dos meus braços com cuidado. "Oi, baby boy", ele diz baixinho, balançando

suavemente de um lado para o outro. "Eu sou seu pai." Ele diz isso com facilidade, como se

estivesse cem por cento, confortável com isso.

Trentie olha seu pai, sorrindo para o homem estranho. É quase como se o bebê, estivesse

familiarizado com o pai, apesar de este ser o primeiro encontro deles.


Eu posso dizer que Trent quer segurar seu filho por mais tempo, mas os olhos do bebê fecham,

enquanto ele adormece, então Trent o leva de volta ao seu berço . Ficamos de braços cruzados,

observando nosso filho dormir, por alguns minutos.

Nós silenciosamente saímos do quarto juntos, apagando a luz e deixando Trentie ter o seu

sono. Ele não dorme há muito tempo, em seu quarto, mas está bem de acordo com a

mudança. Às vezes ele só precisa de atenção extra.”

"Puta merda", Trent range, quando estamos fora do alcance do bebê. "Eu não posso acreditar

que tenho um filho."

"Sinto muito, que eu não lhe contei ..."

"Nós já estabelecemos, que não foi sua culpa" , diz ele, balançando a cabeça. "Eu suponho que

eu deveria pedir desculpas, por ter vindo dentro de você, sem usar proteção ..." Ele olha para o

corredor em direção ao quarto de Trentie. “Eu não sinto muito, no entanto. Só o conheço há um

segundo, mas já o amo.”

Ele faz uma pausa e encontra meus olhos. Me puxa para mais perto e beija meus lábios com

ternura. “E eu amo você, Katie. Eu sei que nós nem nos conhecemos bem, e só estivemos juntos

uma vez, mas tem que haver uma razão pela qual, eu não fui capaz de parar de pensar em você,

no ano passado. Você me mudou e nem sabia disso. Algo sobre você, sobre nós, é diferente, e eu

soube desde aquela noite, que estivemos juntos. Eu te amo Katie. Eu te amo."

Meu coração dispara, quando ouço suas palavras, e eu o beijo de volta , sabendo que tudo é

genuíno. "Eu também te amo", eu sussurro contra seus lábios.

Eu pego a mão de Trent e guio-o, para o meu quarto. Uma vez que a porta está fechada, Trent

me beija com força, suas mãos emaranhadas no meu cabelo.

"Deus, eu senti falta disso", ele geme contra o meu pescoço.

"Mostre-me quanto," eu suspiro, quando ele chupa meu ponto de pulsação.


Ele sorri como um lobo e praticamente rasga meu vestido. Haverá muito tempo para lentidão

no futuro. Hoje, precisamos apenas do corpo um do outro e nos sentirmos o máximo possível

um ao outro .

Trent estuda minha forma curvilínea, ainda vestida de sutiã e calcinha. "Você é tão linda", diz

ele. "Você amamenta?"

Eu aceno timidamente. Eu ainda não me acostumei , com a maneira como meu corpo parece

pós-bebê, mas a reação de Trent mme diz que ainda sou bonita. Eu sorrio sob seu olhar.

Trent beija meus lábios novamente, habilmente deslizando o braçom em volta das minhas

costas e soltando meu sutiã com uma mão. Ele beija o meu caminho até o meu pescoço e até os

meus seios sensíveis. Leva meu mamilo esquerdo, em seus lábios e eu gemo.

"Oh, sim, isso é tão bom, Trent."

Eu posso sentir o seu sorriso, contra a minha pele macia, enquanto continua a trabalhar sua

magia nos meus mamilos. Eu esqueci o quão incrível ele é, em fazer isso. E incrivelmente, eu

começo a lactar. Não é muito, apenas um pequeno gotejamento de leite, mas meu

homem chupa, como se fosse o mais doce néctar.

"Sim baby", ele diz contra meu peito. “Sim, me dê tudo. Eu quero isso muito. Eu

tenho saudade de voce."

E suspirando de prazer, eu pressiono meus seios em sua boca, ainda mais antes de

me afastar para trabalhar minhas mãos, em sua camisa e arrancá-la sobre sua cabeça. Assim

que está no chão, eu trabalho no cinto dele e abro a calça dele. Trent se move de volta para os

meus lábios e agarra minhas pernas, puxando-me, para que elas se envolvam em torno dele. Eu

posso sentir seus músculos grossos e tensos, enquanto ele abre minhas pernas com

firmeza. Nós caímos na minha cama juntos, nossos corpos implorando para estar perto. Tão

perto, quanto humanamente possível.


Trent puxa minha calcinha, até meus tornozelos e eu deslizo para baixo sua cueca. Eu agarro

seu membro latejante com a mão e uso seu pré-semen para lubrificar seu eixo.

"Suas mãos foram feitas para mim", diz ele com um gemido. "Continue, baby".

"Eu tenho uma idéia melhor", eu digo, rolando-o para cima, então ele está de costas. Eu me

posiciono em cima dele e começo a me abaixar em sua grande vara.

"Espere", ele protesta com dificuldade, agarrando minha cintura e impedindo-me de me

estabelecer nele todo o caminho, "eu não estou vestindo nada."

Eu sorrio para a sua restrição. "Está tudo bem", eu digo, beijando seu pescoço. "Lembrei-me do

meu controle de natalidade hoje."

Com isso, termino minha descida, sentindo -o profundamente dentro de mim. "Oh deus", eu

digo com um suspiro, "eu esqueci o quão grande você é. Está me alongando tanto”. Seu rosto é

uma careta de êxtase, mesmo quando seus quadris começam a balançar involuntariamente.

“Você ainda é tão apertada, baby, e tão molhada para mim. Porra, isso é bom.”

Eu me inclino para frente, para que meus seios estejam alinhados, com os lábios dele. Ele

morde a isca e chupa meus mamilos de novo, enquanto eu levanto e empalo-me repetidamente.

"Oh, sim", eu suspiro, praticamente gritando, quando a mão dele encontra o meu botão e

esfrega enquanto eu roço-me nele. "Sim, Trent, mais!"

Eu me levanto e caio em sua ereção, sentindo-me cada vez mais perto do orgasmo. "Oh Deus,

sim!" Eu ofego, meus peitos saltando e balançando, enquanto eu monto seu pênis.

"Baby, você vai me fazer gozar", ele geme, os olhos meio fechados de prazer. “ Me monte mais

rápido, baby. Você me faz sentir tão bem pra caralho.”


"Você é tão grande", eu gemo de novo, saltando em seu pênis ainda mais rápido e sentindo

nossos sucos combinados em minhas coxas. Seu membro está me dividindo em duas. "Estou tão

perto!"

"Goze comigo", ele grunhiu, esfregando-me mais rápido, enquanto ele atende cada impulso. "Eu

quero que você venha comigo, baby, porque eu vou fodidamente gozar dentro de você!"

Com isso, ele de repente pega minha cintura e me vira sem nos desconectar. Sem

pausa, ele atira em mim, seu pênis profundamente, dentro do meu canal rosa. Eu sinto prazer

com prazer, mas ele bate a mão na minha boca, para não acordar o bebê. Isso me deixa ainda

mais excitada para ele. Eu lambo sua mão, e posso sentir meu gosto nele. Seus olhos brilham de

desejo, e ele abaixa a cabeça para me beijar. Nossas línguas dançam, uma com a outra, e eu não

posso deixar de gemer em sua boca, enquanto ele continua a empurrar dentro de mim, direto

para o meu núcleo.

"Foda-se baby, é isso", ele geme em minha boca, seus movimentos mais e mais

erráticos.

Em suas palavras, sinto-me mergulhando na borda em euforia, e chegamos ao

nosso clímax juntos, com gritos de êxtase. Trent continua a empurrar dentro de mim, por mais

alguns segundos ,enquanto sua semente explode, quente e viril em meu canal. Eu me contorço,

meus músculos da boceta sugando-o, ainda mais profundamente, desesperada por aquela porra

masculina.

E lentamente, acaba. Nós flutuamos de volta à terra, quando ele sai da minha

boceta, fazendo com que uma mistura de nossos sucos quentes, escorra pela minha coxa. Ele cai

ao meu lado e, por um tempo, o único som que ouvimos, é nossa respiração pesada.

"Uau", eu sussurro. "Eu amei isso.”

Ele ri no meu cabelo. "Eu também. Eu nunca quero passar tanto tempo sem isso, novamente.”
"Nem eu", eu concordo com um pequeno sorriso.

Trent se vira para mim. Nossos lábios estão a apenas alguns centímetros, de distância. Estou

tentado a atravessar a lacuna e recriar o que acabamos de fazer , mas algo sobre o olhar de

Trent me impede.

"Case comigo", ele diz simplesmente.

Eu me sento abruptamente em choque. "O quê?" Eu pisco para ele, não entendendo o que ele

acabou de dizer.

Ele se junta a mim, sentando-se. "Case comigo", ele rosna. "Eu te amo. Nós já temos um filho

juntos. Somos claramente compatíveis na cama. Nós deveríamos estar juntos. Nós deveríamos

nos casar."

"B-mas", eu gaguejo.

"Mas nada", ele interrompe. “É para ser. Nós já fomos separados por um ano. Já

enfrentamos inúmeros obstáculos. Não brigue, querida, apenas ceda.”

E o macho alfa é demais, seu carisma subjugando meus sentidos.

"Sim", eu digo baixinho. E assim que a palavra acaba, eu sei que está certo. Isso está

certo. Paz e felicidade inundam minha alma. "Eu vou me casar com você."

Nós sorrimos um para o outro e ele se inclina para frente, finalmente fechando a lacuna entre

nós.

"Eu te amo, Katie Martin", diz ele entre beijos suaves. "E eu vou adorar você para sempre."

"Para sempre", eu sussurro, beijando-o com força nos lábios, ainda sorrindo.

E pela primeira vez na minha vida, sinto-me completa. Porque Trent está

certo. Nossa primeira noite juntos , foi inesperadamente incrível, e nós dois ficamos viciados a

partir daquele momento. Passamos mais de um ano, tentando encontrar um ao outro,


tropeçando em inúmeros obstáculos e bloqueios de estradas. Mas o amor verdadeiro, não pode

ser frustrado e a prova desse amor, estava conosco agora - nosso filho. Então, com outra onda

de sentimentos, me joguei nos braços do bilionário, chovendo-o de beijos.

"Sim", eu sussurrei. "Sim, eu sou sua."

E meu chefe agarrou meus lábios, imbuindo o beijo com paixão, necessidade e

desejo, assim como promessas que floresceriam no futuro.

"Para sempre", ele murmurou asperamente. "Contigo."

E eu sorri porque sempre é algo que posso lidar, desde que eu tenha Trent Moore,

ao meu lado.

FIM
SOBRE OS AUTORES

Cassandra Dee é uma autora de best-sellers de dezenas de romances

contemporâneos quentes e cheios de vapor. Ela começou a escrever erótica, mas fez a transição

para o romance depois de se apaixonar por muitos namorados de livros.

Cassandra começou a ler o romance na terceira série, quando fez um livro sobre

uma história de amor chamada Cassie . Claro, ela não tinha ideia do que estava lendo naquela

época, mas foi divertido. E em homenagem, ela selecionou esse pseudônimo com muitas

lembranças afetuosas.

Quando não está batendo furiosamente em seu laptop, Cassandra pode ser

encontrada bebendo litros de café e assistindo a um monte de reality shows. Ela também

gosta de passear com o cachorro do vizinho, vagar sem rumo pela mercearia local e, claro, ler

demais sobre a vida de suas celebridades favoritas.

Cassandra está vivendo seu próprio HEA com o marido e um lindo menino.

Kendall Blake é um ávido leitor e escritor de romances. Ela está devorando

histórias de amor desde a adolescência e está ansiosa para compartilhar mais das histórias

travessas em sua cabeça.

Você também pode gostar