Você está na página 1de 10

Encontros | Português, 12.

º ano

Matriz do teste de avaliação

Contos
Domínios Descritores de desempenho Conteúdos
Educação EL14.3. Identificar temas, ideias principais, pontos de vista e • Contos:
Literária universos de referência, justificando. – “George”, de Maria Judite de
EL14.4. Fazer inferências, fundamentando. Carvalho
EL14.9. Identificar e explicitar o valor dos recursos expressivos – “Famílias Desavindas”, de Mário
mencionados no Programa. de Carvalho
EL15.5. Escrever exposições (entre 130 e 170 palavras) sobre RETOMA

temas respeitantes às obras estudadas, seguindo tópicos • Poesia trovadoresca


fornecidos. • Gil Vicente, Farsa de Inês Pereira ou
EL16.2. Comparar temas, ideias e valores expressos em Auto da Feira
diferentes • Almeida Garrett, Frei Luís de Sousa
textos da mesma época e de diferentes épocas. • Eça de Queirós, Os Maias ou
A Ilustre Casa de Ramires
Leitura L7.1. Identificar tema e subtemas, justificando. • Apreciação crítica
L7.2. Explicitar a estrutura interna do texto, justificando. • Artigo de opinião
L7.3. Fazer inferências, fundamentando. • Diário
• Memórias
RETOMA

• Artigo de divulgação científica


• Exposição sobre um tema
• Relato de viagem
Gramática G17.1. Consolidar os conhecimentos gramaticais adquiridos • Valor temporal
nos anos anteriores. • Valor aspetual
G18.1. Demonstrar, em textos, a existência de coerência • Valor modal
textual. • Organização de sequências
G18.2. Distinguir mecanismos de construção da coesão textual. textuais
G18.3. Identificar marcas das sequências textuais. • Intertextualidade
G18.4. Identificar e interpretar manifestações de RETOMA

intertextualidade. • Principais etapas da formação e


G19.1. Identificar e interpretar formas de expressão do tempo. evolução do português
G19.2. Distinguir relações de ordem cronológica. • Fonética e fonologia
G19.3. Distinguir valores aspetuais. • Etimologia
G19.4. Identificar e caracterizar diferentes modalidades. • Geografia do português no mundo
• Funções sintáticas
• Frase complexa
• Arcaísmos e neologismos
• Campo lexical e campo semântico
• Processos irregulares de formação
de palavras
• Coesão textual
• Coerência textual
• Reprodução do discurso no
Discurso
• Dêixis: pessoal, temporal e espacial

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

Domínios Descritores de desempenho Conteúdos


Escrita E11.1. Escrever textos variados, respeitando as marcas do • Exposição sobre um tema
género […]. • Apreciação crítica
E12.1. Respeitar o tema. • Artigo de opinião.
E12.2. Mobilizar informação ampla e diversificada.
E12.3. Redigir um texto estruturado, que reflita uma
planificação, evidenciando um bom domínio dos mecanismos
de coesão textual: a) texto constituído por três partes
(introdução, desenvolvimento e conclusão),
individualizadas e devidamente proporcionadas;
b) marcação correta de parágrafos; c) articulação das
diferentes partes por meio de retomas apropriadas;
d) utilização adequada de conectores diversificados.
E12.4. Mobilizar adequadamente recursos da língua: uso
correto do registo de língua, vocabulário adequado ao tema,
correção na acentuação, na ortografia, na sintaxe e na
pontuação.

Estrutura, cotações e critérios de classificação

Estrutura Tipologia de questões e cotações Critérios de classificação*


Parte A Resposta restrita A cotação é distribuída por parâmetros
Integra um excerto • 3 itens de construção – 60 de conteúdo (12 pontos) e de
de um dos contos pontos (20 pontos cada) estruturação do discurso (4 pontos) e
estudados
correção linguística
(“George”,
de Maria Judite (4 pontos).
Grupo I de Carvalho,
Avaliam-se ou “Famílias
Desavindas”, de
conhecimentos/
Mário de Carvalho),
capacidades no que constitui o
domínio da suporte de itens de
Educação resposta.
Literária e da Parte B Resposta restrita
Escrita. É constituída por • 2 itens de construção – 40
Nota: Neste grupo, itens de resposta pontos (20 pontos cada)
além da restrita com base
interpretação de em:
textos/excertos • Poesia
em presença, a trovadoresca
resposta aos itens ou
pode implicar a • Gil Vicente, Farsa
mobilização de de Inês Pereira ou
conhecimentos Auto da Feira
sobre outras obras ou
estudadas. • Almeida Garrett,
Frei Luís de Sousa
ou
• Eça de Queirós,
Os Maias ou A
Ilustre Casa de
Ramires
Grupo II Resposta restrita Itens de escolha múltipla: A cotação
Avaliam-se capacidades/ • 7 itens de seleção – 35 pontos do item só é atribuída às respostas que
conhecimentos no domínio da Leitura e (5 pontos cada) apresentem de forma inequívoca a
da Gramática. • 3 itens de construção – 15 pontos opção correta.
(5 pontos cada)

Estrutura Tipologia de questões e cotações Critérios de classificação*

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

Grupo III Resposta extensa (200 a 300 • A cotação é distribuída por


Avaliam-se capacidades no domínio palavras) – 50 pontos parâmetros de estruturação temática e
da Escrita, articuladas ou não com discursiva (30 pontos) e de correção
conhecimentos de Educação Literária. linguística (20 pontos).
• Estão previstos descontos por
aplicação de fatores de desvalorização
no domínio da correção linguística**.
Estes descontos são efetuados até ao
limite das pontuações indicadas nos
critérios de classificação.
• São desvalorizadas as respostas que
não respeitem as indicações
apresentadas relativamente ao género
textual, ao tema ou à extensão.
• São classificadas com zero pontos as
respostas em que se verifique o
afastamento integral do tema proposto
ou em que a extensão seja
inferior a oitenta palavras.
* Critérios gerais de classificação
• As respostas ilegíveis são classificadas com zero pontos.
• Em caso de omissão ou de engano na identificação de uma resposta, esta pode ser classificada se for possível identificar
inequivocamente o item a que diz respeito.
• Se for apresentada mais do que uma resposta ao mesmo item, só é classificada a resposta que surgir em primeiro lugar.
• A classificação das provas nas quais se apresente, pelo menos, uma resposta escrita integralmente em maiúsculas é sujeita a uma
desvalorização de cinco pontos.
** Fatores de desvalorização − correção linguística
• Desvalorização de um ponto: erro inequívoco de pontuação; erro de ortografia (incluindo erro de acentuação, uso indevido de letra
minúscula ou de letra maiúscula e erro de translineação); erro de morfologia; incumprimento das regras de citação de texto ou de
referência a título de uma obra.
• Desvalorização de dois pontos: erro de sintaxe; impropriedade lexical.

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

Teste de avaliação 5
Português, 12.º ano
Contos
GRUPOI (100 PONTOS)

A
Lê o texto. Se necessário, consulta as notas.

Famílias desavindas
No dobrar do século XIX, Gerard Letelessier, jovem engenheiro francês, fracassou em Paris e em
Lisboa, antes de convencer um autarca do Porto de que inventara um semáforo moderno, operado a
energia elétrica, capaz de bem ordenar o trânsito de carroças de vinho, carros de bois e landós 1 da
sociedade. A autoridade gostou do projeto e das garrafas de Bordéus que o jovem engenheiro oferecia.
5
Os semáforos estiveram ensejados para a Ponte, mas, de proposta em proposta (sempre se tratava de
uma implantação experimental), acabaram na infrequentada Rua Fernão Penteado, na interseção
com a travessa de João Roiz Castel-Branco.
O sistema é simples e, pode dizer-se com propriedade, luminoso. Um homem pedala numa bicicleta
erguida a dez centímetros do chão por suportes de ferro. A corrente faz girar um imã dentro de
1 uma bobina. A energia gerada vai acender as luzes de um semáforo, comutadas pelo ciclista. Durante
0
a Primeira Guerra foi introduzida uma melhoria. Uma inspeção da Câmara concluiu que a roda da
frente era destituída de utilidade. Foi retirada.
Houve muitos candidatos ao cargo de semaforeiro, embora um equívoco tivesse levado à exigência
de que os concorrentes soubessem andar de bicicleta. A realidade corrigiu o dislate 2 porque acabou
por ser escolhido um galego chamado Ramon, que era familiar do proprietário dum bom restaurante e
1
5 nunca tinha pedalado na vida. Mas Ramon era esforçado, cheio de boa vontade. A escolha foi acertada.
Durante anos e anos o bom do Ramon pedalou e comutou. Por alturas da segunda Grande Guerra
foi substituído pelo seu filho Ximenez, pouco depois da revolução de Abril pelo neto Asdrúbal, e, um
dia destes, pelo bisneto Paco. A administração continua a pagar um vencimento modesto, equivalente
ao de jardineiro. Mas não é pelo ordenado que aquela família dá ao pedal. É pelo amor à profissão.
2
Altas horas da madrugada, avô, neto e bisneto foram vistos de ferramenta em riste a afeiçoar pormenores.
0 Fizeram questão de preservar a roda de trás e opuseram-se quase com selvajaria a um jovem engenheiro
que considerou a roda dispensável, sugerindo que o carreto bastasse.

CARVALHO, Mário (2014). “Famílias desavindas”, in Contos Vagabundos. Porto: Porto Editora, p. 72-73.

1. landós: antigas carruagens de tração animal, de quatro rodas, com dois bancos frente a frente. 2. dislate: disparate; asneira.

Apresenta, de forma bem estruturada, as tuas respostas aos itens que se seguem.
1. Identifica as expressões que conferem verosimilhança à narrativa, fundamentando a tua opção.
(20 PONTOS)

2. Explicita as críticas sociais presentes no discurso do narrador, exemplificando. (20 PONTOS)

3. Comenta a expressividade do adjetivo em “O sistema é simples e, pode dizer-se com propriedade,


luminoso.” (l. 8). (20 PONTOS)

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

Lê a cantiga.

Os vossos meus maravedis1, senhor,


que eu nom houvi2, que servi melhor
ou tam bem come outr’a que3 os dam,
hei-os d’haver enquant’eu vivo for,
5
ou à mia mort’, ou quando mi os darám? 1. maravedis: moeda do século XIII.
2. houvi: tive então.
3. a que: a quem.
A vossa mia soldada, senhor Rei, 4. outro quem quer: outro qualquer.
que eu servi e serv’e servirei, 5. ou à mia mort’: ou à hora da morte.
6. en: disso, disto.
com’outro quem quer4 a que a dam bem, 7. pero servidos: embora ganhos.
hei-a d’haver enquant’a viver hei, 8. v. 13: como outros os houveram, que ainda
não os serviram (ainda não justificaram esse
10 ou à mia mort’5, ou que mi farám en6? pagamento).
9. mentr’eu: enquanto eu.
10. vv. 14-15: dá-mos só por minha morte
Os vossos meus dinheiros, senhor, nom aquele a quem os for pedir.
pud’eu haver, pero servidos7 som, 11. Ca: Pois; Porque.
12. trastempados: atrasados.
come outros, que os ham de servir;8 13. an’ e dia: ano e dia.
hei-os d’haver mentr’eu9 viver, ou pom- 14. quero-m’en partir: quero não pensar mais nisso.
15
-mi-os à mia mort’, ou a quem os vou pedir?10

Ca11 passou temp’e trastempados12 som,


houve an’e dia13 e quero-m’en partir14.

CONDE, Gil Pérez (s/d), in Maria Ema Tarracha Ferreira,


Antologia Literária Comentada – Idade Média, 4.ª edição. Lisboa: Ulisseia, p. 126.

Apresenta, de forma bem estruturada, as tuas respostas aos itens que se seguem.

4. Explicita o sentido global da cantiga. (20 PONTOS)

5. Refere um efeito expressivo do jogo de palavras “vossos meus”. (20 PONTOS)

G R U P O II (50 PONTOS)

Lê o texto.
Não é o que és, é o que fazes
Na qualidade do trabalho profissional, o que assenta no talento natural e o que assenta na mes-
tria que vem da prática? O que se sabe hoje sobre a performance de topo? Como ser um profissio-
nal excecional? É mesmo necessário trabalho, trabalho e mais trabalho? Sim, mas não chega…
A investigação destes últimos anos mostra, por um lado, que ser um profissional de topo não é pos-
5
sível sem anos de prática dedicada, focada em aprender, melhorar e inovar. Por outro lado, essa mesma
investigação indica também que a performance verdadeiramente excecional não fica só a dever-se à
prática dedicada, esforçada em melhorar e inovar, tecnicamente chamada prática deliberada. Há algo
mais.
>>

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

A aprendizagem, a existência de feedback e a melhoria no dia a dia são necessárias para atingir um
1 alto desempenho, mas a sua relevância varia de atividade para atividade. Na música ou no xadrez, por
0 exemplo, a prática deliberada parece ser mais relevante do que na liderança ou no empreendedorismo.
Outro aspeto importante que o estudo do desempenho de topo tem vindo a apontar é que quanto
maior é o sucesso menos parece ser explicado pela prática deliberada, pelo trabalho dedicado e pela
melhoria contínua. No 1 ou 2 por cento do topo, seja na alta competição, na música ou nas empresas,
todos os profissionais praticam intensamente, inovam e melhoram. Nesses níveis o que parece, de
1
5
novo, diferenciar os profissionais são diferenças fisiológicas, influenciadas pela genética, bem como a
personalidade, a vontade, e o tempo efetivamente afeto à competição com os outros.
A inclinação de cada um, os gostos e habilidades, desde a infância à idade adulta – por exemplo,
mais jeito para atividades em grupo ou individuais, a curiosidade, a vontade de liderar, a facilidade no
raciocínio lógico ou no relacionamento pessoal –, são características que podem pesar no sucesso que
2 podemos vir a ter. E podem manifestar-se decisivamente quando competimos no topo dos topos.
0 O natural, o talento à nascença, o que fazemos bem e gostamos de fazer, com prática dedicada e
esforço, pode de facto transformar-se em capacidades profissionais relevantes. Mas, diz Angela Duck-
worth na investigação publicada na obra Grit, a verdadeira excecionalidade, o topo do topo só se atinge
quando essas capacidades, que nos fazem ser um profissional muito bom, são sujeitas a novos esforços,
a nova prática intensa, a melhorias e inovações. E aí, mais uma vez, a vontade, a confiança e a determi-
2 nação são o que fazem a diferença.
5 Não é por isso o que somos ou deixamos de ser que é importante. O que faz a diferença é o que fize-
mos, o que fazemos e o que vamos fazer. O talento natural pode fazer bons profissionais, mas não faz
profissionais excecionais. A prática deliberada é importante, mas não chega. A determinação e a von-
tade fazem sempre parte do sucesso.
ILHARCO, Fernando. “Não é o que és, é o que fazes” [Em linha].
Jornal de Negócios, 06-11-2016 [Consult. em 09-11-2016].
3
0

Nas respostas aos itens de escolha múltipla, seleciona a opção correta.

1. O texto pertence ao género textual (5 PONTOS)


(A) exposição sobre um tema.
(B) síntese.
(C) apreciação crítica.
(D) artigo de opinião.

2. O segmento que introduz o texto (ll. 1-3) tem como objetivo introduzir o tema (5 PONTOS)
(A) com recurso a sucessivos eufemismos.
(B) com base numa atitude de questionamento.
(C) de forma objetiva e sintética.
(D) apresentando explicitamente o ponto de vista que vai ser defendido.

3. O segundo parágrafo (ll. 9-11) tem como suporte (5 PONTOS)


(A) um argumento histórico.
(B) um argumento de autoridade.
(C) um argumento universal.
(D) um argumento proveniente do saber comum.

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

4. De acordo com o autor, os desempenhos de topo (5 PONTOS)


(A) são determinados pela liderança e pelo empreendedorismo.
(B) devem-se a fatores semelhantes em todas as atividades.
(C) são condicionados por aspetos de ordem fisiológica e psicológica.
(D) não são determinados pela personalidade.

5. A inclusão da perspetiva de Angela Duckworth tem um intuito argumentativo, pois (5 PONTOS)


(A) funciona como contra-argumento refutado pelo autor do texto.
(B) exemplifica a tese de que o desempenho de topo se deve exclusivamente a fatores genéricos.
(C) demonstra que verdadeira excecionalidade se deve predominantemente à prática intensa.
(D) corrobora o ponto de vista do autor do texto.

6. A oração “quando competimos no topo dos topos.” (l. 21) desempenha a função sintática de
(5 PONTOS)
(A) complemento direto. (C) modificador (do grupo verbal).
(B) complemento oblíquo. (D) sujeito.

7. A oração “O que faz a diferença” (l. 28) classifica-se como subordinada (5 PONTOS)
(A) substantiva completiva. (C) adverbial comparativa.
(B) substantiva relativa. (D) adjetiva relativa restritiva.

8. Identifica os valores temporais expressos no enunciado “o que fizemos, o que fazemos e o que
vamos fazer” (ll. 28-29). (5 PONTOS)

9. Identifica o valor aspetual veiculado no enunciado “A prática deliberada é importante,


mas não chega.” (l. 30). (5 PONTOS)

10. Identifica o processo fonológico ocorrido na evolução do vocábulo sempre (semper > sempre).
(5 PONTOS)

G R U P OIII (50 PONTOS)

Redige um texto de opinião (de duzentas a trezentas palavras) em que apresentes a tua perspetiva
sobre a seguinte questão levantada por Fernando Ilharco:

Como ser um profissional excecional?

Fundamenta o teu ponto de vista:


• recorrendo, no mínimo, a dois argumentos e ilustrando cada um deles com, pelo menos, um exemplo
significativo;
• utilizando um discurso valorativo e manifestando juízos de valor (explícitos ou implícitos).

Observações:
1. Para efeitos de contagem, considera-se uma palavra qualquer sequência delimitada por espaços em branco, mesmo quando
esta integre elementos ligados por hífen (ex.: /dir-se-ia/). Qualquer número conta como uma única palavra, independentemente dos
algarismos que o constituam (ex.: /2017/).
2. Relativamente ao desvio dos limites de extensão indicados – um mínimo de cento e trinta e um máximo de cento e setenta
palavras –, há que atender ao seguinte:
• um desvio dos limites de extensão indicados implica uma desvalorização parcial (até 5 pontos) do texto produzido;
• um texto com extensão inferior a oitenta palavras é classificado com zero pontos.

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

Critérios de classificação do teste de avaliação


Contos
Cotação, cenários de resposta e critérios de classificação

GRUPOI (100 PONTOS)


Ite Cotação Cenário de resposta Critérios específicos
m de classificação
• Expressões que localizam a ação no tempo: “No dobrar do século • Aspetos de conteúdo –
XIX” (l. 1), “Durante a Primeira Guerra” (ll. 10-11), “Durante anos e 12 pontos.
anos” (l. 17), “Por alturas da segunda Grande Guerra” (l. 17). • Aspetos de
1. 20 pontos
• Expressões que localizam a ação no espaço e que correspondem a
estruturação
topónimos (Lisboa, Porto Paris) e a nomes verosímeis de ruas: “Rua
Fernão Penteado”, “travessa de João Roiz Castel-Branco”. do discurso e correção
• Suborno (“A autoridade gostou […] das garrafas de Bordéus que o linguística:
jovem engenheiro oferecia.”, l. 4; “que era familiar do proprietário · estruturação do
dum bom restaurante”, l. 15). discurso – 4 pontos;
• Excesso de burocracia e falta de empreendedorismo – “de proposta · correção linguística – 4
2. 20 pontos
em proposta (sempre se tratava de uma implantação experimental”), pontos.
ll. 5-6.
• Progressiva desumanização (“Fizeram questão […] o carreto
bastasse.”, ll. 25-27).
Adjetivo com valor descritivo e jocoso / levemente irónico (“simples”,
3. 20 pontos
“luminoso”); trocadilho com o valor metafórico e literal do adjetivo.
• Denúncia, pelo trovador, do facto de ter servido o seu amo e de não
4. 20 pontos ter sido ainda pago pelo seu serviço / crítica aos pagamentos em
atraso.
• Jogo de palavras que realça o pagamento em atraso / a demora de os
5. 20 pontos
“maravedis” mudarem de mãos.

G R U P O II (50 PONTOS)
Ite Cotação Cenário de resposta
m
1. 5 pontos (D)
2. 5 pontos (B)
3. 5 pontos (D)
4. 5 pontos (C)
5. 5 pontos (D)
6. 5 pontos (C)
7. 5 pontos (B)
8. 5 pontos “o que fizemos” – valor de passado / localização de uma ação no passado.
“o que fazemos” – valor de presente / localização de uma ação no presente.
“o que vamos fazer” – valor de futuro / localização de uma ação no futuro.
9. 5 pontos Valor genérico / situação genérica.
10. 5 pontos Metátese.

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

G R U P O III
Cenário de resposta Critérios específicos de classificação
Dada a natureza deste item, não é apresentado cenário de resposta. • Estruturação temática e discursiva – 30 pontos
• Correção linguística – 20 pontos

Estruturação temática e discursiva


Descritores dos níveis de desempenho
15 12 9 6 3

NÍVEL INTERCALAR

NÍVEL INTERCALAR
Trata, sem desvios, o tema Trata o tema proposto, embora Aborda lateralmente o tema
proposto. com alguns desvios. proposto.
Mobiliza informação ampla e Mobiliza informação suficiente, Mobiliza muito pouca
diversificada, com eficácia de acordo com o género texto informação e com eficácia
argumentativa, de acordo de opinião, mas nem sempre argumentativa reduzida, sem
Género com o género texto de com eficácia argumentativa: ter em conta as marcas
de texto opinião: • define o seu ponto de vista, específicas do género texto
e tema • define com clareza o seu eventualmente com lacunas de opinião:
ponto de vista; que não afetam, porém, a • não define um ponto de vista
• fundamenta a perspetiva inteligibilidade; concreto;
adotada em, pelo menos, • fundamenta a perspetiva • não apresenta argumentos e/
dois argumentos, distintos e adotada em, pelo menos, dois ou exemplos pertinentes;
pertinentes, cada um deles argumentos adequados, • produz um discurso
ilustrado com, pelo menos, apresentando um único geralmente inconsistente e,
um exemplo significativo; exemplo significativo (ou dois por vezes, ininteligível.
10 8 6 4 2
Redige um texto bem Redige um texto Redige um texto com
estruturado, refletindo uma satisfatoriamente estruturado, estruturação muito deficiente
planificação adequada e refletindo uma planificação e com insuficientes
NÍVEL INTERCALAR

NÍVEL INTERCALAR
evidenciando um bom com algumas insuficiências e mecanismos de coesão
domínio dos mecanismos de evidenciando um domínio textual:
coesão textual: suficiente dos mecanismos de • apresenta um texto em que
• apresenta um texto coesão textual: não se conseguem identificar
constituído por três partes • apresenta um texto claramente três partes
(introdução, constituído por três partes (introdução,
desenvolvimento e (introdução, desenvolvimento desenvolvimento e
Estrutura conclusão), individualizadas, e conclusão), nem sempre conclusão) ou em que estas
e coesão devidamente proporcionadas devidamente articuladas estão insuficientemente
e articuladas entre si de entre si ou com desequilíbrios articuladas;
modo consistente; de proporção mais ou menos • raramente marca parágrafos
• marca corretamente os notórios; de forma correta;
parágrafos; • marca parágrafos, mas com • raramente utiliza conectores
• utiliza, adequadamente, algumas falhas; e mecanismos de coesão
mecanismos de coesão • utiliza apenas os conectores textual ou utiliza os de forma
textual diversificados para e/ou outros marcadores inadequada;
assegurar a articulação discursivos mais comuns, • raramente constrói cadeias
interfrásica (ex.: conectores e embora sem incorreções de referência;
outros marcadores graves;
discursivos);

Descritores dos níveis de desempenho


Estrutura 10 8 6 4 2
e coesão
NÍVEL

NÍVEL

• mantém, de forma • mantém, com algumas • não mantém conexões


(cont.) sistemática, cadeias de descontinuidades, cadeias de entre as coordenadas de
referência através de referência; enunciação ao longo do
substituições nominais e • estabelece, com algumas texto.
pronominais adequadas; descontinuidades, conexões

ENC12DP © Porto Editora


Encontros | Português, 12.º ano

INTERCALAR
• estabelece conexões entre as coordenadas de

INTERCALAR
adequadas entre enunciação (pessoa, tempo,
coordenadas de espaço) ao longo do texto.
enunciação
(pessoa, tempo, espaço)
ao
longo do texto.

5 4 3 2 1
Mobiliza, com Mobiliza, com alguma Não mobiliza de forma
intencionalidade, recursos intencionalidade, recursos da satisfatória recursos da
da língua adequados ao língua adequados ao género língua adequados ao género
género solicitado: solicitado: solicitado:
NÍVEL INTERCALAR

• repertório lexical variado • reportório lexical adequado ao • utiliza vocabulário

NÍVEL INTERCALAR
e pertinente, associado à género solicitado, mas pouco elementar e restrito (muitas
área em questão; variado; vezes redundante) ou
• figuras de retórica e • procedimentos de globalmente inadequado ao
tropos, procedimentos de modalização (ex.: uso género solicitado;
modalização (ex.: uso expressivo do adjetivo e do • não recorre a
expressivo do adjetivo e do advérbio, pontuação) que procedimentos
Léxico e advérbio, pontuação) que atestem o ponto de vista de modalização (ex.: uso
atestem o ponto de vista adotado. expressivo do adjetivo e do
adequação
adotado. advérbio, pontuação) que
do discurso Utiliza, em geral, o registo de atestem o ponto de vista
Utiliza o registo de língua língua adequado ao texto, mas adotado.
adequado ao texto, apresentando alguns
eventualmente com afastamentos que afetam Utiliza indiferenciadamente
esporádicos afastamentos, pontualmente a adequação registos de língua, sem
que se encontram, no global. manifestar consciência do
entanto, justificados pela registo adequado ao texto,
intencionalidade do ou recorre a um único
discurso e assinalados registo inadequado.
graficamente (com aspas
ou sublinhados).

Correção linguística
Fatores de desvalorização Desvalorização (pontos)
• Erro inequívoco de pontuação 1
• Erro de ortografia (incluindo erro de acentuação, uso indevido de letra minúscula ou de
letra maiúscula e erro de translineação)
• Erro de morfologia
• Incumprimento das regras de citação de texto ou de referência a título de uma obra
• Erro de sintaxe 2
• Impropriedade lexical

ENC12DP © Porto Editora