Você está na página 1de 48

Edição Lisboa • Ano XXXI • n.º 10.

927 • 1,30€ • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • Director: Manuel Carvalho Adjuntos: Amílcar Correia, Ana Sá Lopes, David Pontes, Tiago Luz Pedro Directora de Arte: Sónia Matos

Oposição insiste
que linha do
metro de Lisboa
é para parar
Presidente da República diz
que paragem inscrita no OE
é uma “recomendação”.
Oposição discorda p24

Habitação social
está longe das
necessidades
dos portugueses
Conselho da Europa
considera que a oferta está
longe de suprir as carências
da população pobre p26

Albert Uderzo
(1927-2020)
Morreu o artista
que deu vida
a Astérix e aos
irredutíveis
gauleses
Cultura,
36/37
GABRIEL SOUSA

Fecho de escolas Vagas no quadro


para professores

depois da Páscoa contratados


sobem para 872
É a terceira maior vaga

agrava incertezas
de entrada de professores
contratados no quadro
dos últimos seis anos p27

sobre avaliação Mocímboa da


Praia nas mãos
de jihadistas
Primeiro-ministro admite fecho “muito além” das férias da Páscoa • Docentes durante horas
reclamam “orientações claras” para avaliação • Portugueses pedem ajuda Assalto a quartel na cidade
para regressar • A vida depois de o surto ser contido • Olímpicos em 2021 • do Norte de Moçambique
expõe as vulnerabilidades
Testes privados vão ter de entrar na contagem nacional Destaque, 2 a 19 e Editorial do Presidente Nyusi p34
ISNN-0872-1548

8ba74fbf-4767-4aa5-b511-2902eecfc4f7
2 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS
Clara Viana

Professores T endo entrado em território


desconhecido, existem coisas
que as escolas, por muito
voluntarismo que tenham,
não sabem como farão. E

esperam
uma delas é esta: como ava-
liar os alunos no Ænal do 3.º período
se os estabelecimentos de ensino
continuarem encerrados nessa altu-
ra devido à actual pandemia, como
o primeiro-ministro admitiu ontem

instruções
ser muito provável.
A questão é colocada pelo o presi-
dente da Associação Nacional de
Directores de Agrupamentos e Esco-
las Públicas (ANDAEP), Filinto Lima.
“Não encontrei nenhuma novidade

sobre como
no que o primeiro-ministro disse
hoje [ontem] no Parlamento. Mas
vamos querer novidades a 9 de Abril
[o dia que o Governo tem avançado
para reavaliar o encerramento das
escolas]. Precisamos de saber como
vai decorrer o 3.º período. Que será

dar notas no
em casa já se percebeu, mas como
será feita a avaliação?”
Como todas as indicações que
existem apontam para que a pande-
mia da covid-19 esteja longe do Æm,
também entre os responsáveis das

3.º período
instituições do ensino superior nin-
guém se mostrou surpreendido com
as declarações de António Costa.
Ontem, em resposta a perguntas signiÆcativa não tem meios para ter liação contínua, todos os elemento
de deputados, o primeiro-ministro computadores e Internet em casa, serão tidos em conta” para as notas
adiantou que, “provavelmente, no Æcando, à partida, em situação de deste período.
dia 9 de Abril estaremos a decidir inferioridade em relação aos seus O presidente da Confederação
prolongar o fecho das escolas muito colegas. Outro, mais circunstancial, Nacional das Associações de Pais
além das férias da Páscoa” e que, por mas que não deixa de levantar mui- (Confap), Jorge Ascenção, não par-
Ninguém Äcou surpreendido quando isso, “o 3.º período, provavelmente, tas dúvidas: “Percebemos que mui- tilha as preocupações de Filinto
António Costa indicou que não vai ser muito diferente do que
tem sido estas semanas”, com alunos
tos dos exercícios que têm sido
enviados pelos professores desde
Lima. “Já toda a gente estava à espe-
ra de que as escolas não iriam abrir
“provavelmente” as escolas Äcarão e professores a trabalhar em casa. que as escolas encerraram foram para o 3.º período. Por isso temos
O Ministério da Educação escusou- resolvidos pelos pais. Se for só este de trabalhar muito e aperfeiçoar
fechadas “muito além” das férias da se a adiantar qualquer informação a tipo de trabalhos a contar para as muito para que este funcione bem”,
este respeito, a começar pelo “pro- notas do 3.º período, como pode- adianta. Ascenção está convicto de
Páscoa. Mas sobram dúvidas quanto ao vável” encerramento das escolas mos, na verdade, avaliar os alu- que essa “capacidade” existe e tam-
que se irá fazer no 3.º período e sobretudo durante o 3.º período.
“O ensino à distância não é algo
nos?”
Segundo Filinto Lima, este último
bém não vê problemas com a ava-
liação: “Havendo um trabalho de
com o que contar para avaliar os alunos que seja normal no nosso sistema e problema não se levanta em relação interacção, é possível avaliar os seus
a avaliação, nestas circunstâncias, às notas do 2.º período porque já resultados.”
torna-se mais difícil. A verdade é que existiam antes outros elementos de “Não é tempo para se alimentar
de um dia para o outro tivemos de avaliação feitos enquanto existiram expectativas. O Ministério da Educa-
mudar todo o paradigma da escola”, aulas, inclusive vários testes. Por ção tem obrigação de dizer exacta-
frisa Filinto Lima, apelando, por isso, essa razão, este director tem a cer- mente o que se vai passar e de clari-
a “orientações claras” por parte do teza de que as notas do 2.º período Æcar como se poderá processar o
ministério para contornar, por exem- serão lançadas. O mesmo garante o trabalho e a avaliação no 3.º perío-
plo, problemas como estes. Ministério da Educação. Quanto aos do”, diz o líder da Federação Nacio-
Um, mais grave, que é o das “desi- trabalhos que nas últimas duas nal de Professores (Fenprof ), que
gualdades” existentes entre os alu- semanas têm sido enviados para os também não foi surpreendido pelas
nos, uma vez que uma percentagem estudantes refere que, sendo “a ava- declarações de Costa. Estas orienta-
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 3

MIGUEL MANSO
Alterar datas
dos exames
do secundário
pode implicar
mudar
calendário
de acesso
ao superior

Prolongamento do ano “não


será dramático” no superior
presenciais podem não ser retoma-
Samuel Silva das até ao Ænal do ano lectivo.
Outras instituições de ensino supe-

A
suspensão das actividades rior estão também a contactar os
presenciais nos estabeleci- alunos no sentido de antecipar o
mentos de ensino superior prolongamento desta situação
pode prolongar-se para excepcional.
além das férias da Pás- Apesar de as aulas continuarem,
coa, o que implicará ainda que à distância, a suspensão
mexidas no calendário académico das actividades presenciais vai
do ensino superior. O próximo ano implicar alterações no calendário
lectivo pode também ter de come- lectivo, incluindo os períodos de
çar mais tarde para permitir termi- exames e os prazos para estudantes
nar o actual sem sobressaltos. de doutoramento ou mestrado
A situação “não será dramática”, entregarem as suas teses.
garantem os responsáveis do sector, Pedro Dominguinhos propõe uma
que até já estavam a trabalhar num “Çexibilização” de datas: “Veremos
cenário de que todo o segundo o que será necessário, mas pode ser
semestre fosse realizado em regime um mês ou dois meses.”
de ensino à distância. “É tudo recuperável”, concorda
Os politécnicos “já estavam a tra- o presidente do Conselho de Reito-
balhar num cenário de prolonga- res das Universidades Portuguesas
mento” da suspensão das aulas, (CRUP), Fontainhas Fernandes, que
explica o presidente do Conselho é pessoalmente favorável à criação
Coordenador dos Institutos Supe- de uma época de exames especial
riores Politécnicos (CCISP), Pedro para os estudantes do ensino supe-
Dominguinhos, pelo que a aÆrma- rior, a realizar provavelmente em
ção do primeiro-ministro, admitin- Setembro, de modo a garantir que
ções, acrescenta, devem também rar o seu calendário e até os seus do que a suspensão das aulas pre- nenhum aluno chumba em resulta-
harmonizar os critérios de avaliação conteúdos”, porque foram elabora- senciais pode ir “muito além” das do de um ano lectivo atípico.
dos trabalhos feitos em casa pelos dos na pressuposição de que o “pro- férias da Páscoa, “não surpreende”. Os reitores das universidades
alunos, para não deixar esta tarefa grama” seria dado, o que não irá Essa é mesmo “a posição mais avi- públicas reúnem-se hoje para ana-
ao critério de cada professor. acontecer. O adiamento dos exames sada” neste momento, defende. lisar os impactos que a covid-19 está
Nogueira lembra, a propósito, que Ænais do secundário também já Por exemplo, no Instituto Politéc- a ter sobre o sector.
o ensino à distância, através de fer-
ramentas online, também constitui
O Ministério da tinha sido defendido por represen-
tantes de estudantes, de pais e de
nico de Setúbal, que Dominguinhos
lidera, foram dadas indicações aos
Um eventual prolongamento des-
te ano lectivo poderia “ser compen-
uma novidade para a maior parte Educação tem directores. docentes para prepararem todo o sado” no próximo ano, com um
dos professores, que têm estado a
aprender ao mesmo tempo que os obrigação de dizer Uma alteração nas datas dos exa-
mes do ensino secundário implica
semestre em regime de ensino à dis-
tância, antecipando que as aulas
arranque mais tardio do que o habi-
tual mês de Setembro, aÆrma Fon-
seus alunos. E apela a que se assuma
o seguinte: “Este ano lectivo vai ser o que se vai passar também mudanças no calendário de
acesso ao ensino superior. No Ænal
tainhas Fernandes.
A acontecer, “não será dramáti-
diferente de todos os outros.” e de clarificar como da semana passada, o presidente da
Comissão Nacional de Acesso ao
co”, defende Pedro Dominguinhos.
A actual geração de estudantes não
Adiar exames? se poderá processar Ensino Superior, João Guerreiro, está habituada a inícios do ano lec-
Por isso, defende, é preciso tomar
desde já algumas medidas: anular as o trabalho tinha dito ao PÚBLICO que a situação
“está a ser discutida”, sendo “ainda
tivo mais tardios, mas não seria a
primeira vez que o mesmo aconte-
provas de aferição, que começariam
em Maio e que não contam para a e a avaliação prematuro” apresentar soluções.
Ontem, após as declarações do
ceria. Em 1989/90, por exemplo, as
aulas nas universidades e politécni-
nota; e também os exames Ænais do
9.º ano, porque a progressão dos
no 3.º período primeiro-ministro, aquele responsá-
vel informou que a situação não
cos só começaram em Janeiro de
1990, em resultado de uma greve de
alunos “depende pouco deles”. Esta Mário Nogueira sofreu qualquer evolução. O Minis- professores.
é também a posição do presidente Secretário-geral da Fenprof tério da Ciência, Tecnologia e Ensino Questionado pelo PÚBLICO, o
da ANDAEP. Superior não comenta, para já, a Ministério da Ciência, Tecnologia e
Quanto aos exames nacionais do situação. Ensino Superior não respondeu.
ensino secundário, defende ainda
Mário Nogueira, é “necessário alte- cviana@publico.pt Fontainhas Fernandes samuel.silva@publico.pt
4 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS
Madeira com 16 casos, um dos
quais de transmissão local
A Madeira tinha ontem 16 doentes
com covid-19 e o Instituto de
Administração da Saúde da
Madeira deu conta do primeiro
caso de transmissão local no
Diário daa arquipélago. Todos as outras
infecções foram contraídas fora
mia
pandemia da região autónoma.

Situação em Portugal
Testes feitos nos privados vão ter Dados de 24 Março às 16h

Casos

de entrar na contagem nacional


confirmados

2500 1783 2362


2000 aguardam
resultados

1500
Mortes

Nova norma da DGS aplica-se ao sector público e ao privado e entra em vigor a partir
de amanhã. Portugal registou ontem 33 mortes e 2362 casos conÄrmados de infecção
1000 33
Recuperados
500
lembrou que a nova norma vai “alar- mil testes encomendados, 80 mil dos de acordo com a gravidade clínica e
Ana Maia gar muito o número de testes” que
vão começar a fazer, já que permite
quais deverão chegar até ao Æm da
semana”.
terá o encaminhamento de acordo
com a mesma”, referiu Valter Fon-
22
0

C
ritérios mais alargados para que se façam testes “ao mínimo sin- A norma estabelece prioridades seca. 2 Mar. 10 Mar. 20 Mar. 24 Mar.
classiÆcar casos suspeitos, toma que os doentes apresentem”. na realização dos testes quando não No caso de sintomas ligeiros, o
mais diversidade de respos- As novas regras são para ser apli- é possível fazê-los a todos os doentes doente é encaminhado para autocui- Casos confirmados
ta, centros de saúde que cadas a todo o sistema de saúde. suspeitos. Fazem parte da lista doen- dados em casa. No prazo de 24 horas por sexo e faixa etária
podem ser transformados Segundo a norma, todas as pessoas tes com critérios de internamento, é contactado pelo centro de saúde e
em áreas de atendimento que tenham tosse (persistente ou recém-nascidos e grávidas, doentes no prazo máximo de 48 horas após
para doentes de covid-19 e registo agravamento da tosse habitual) ou com outras patologias consideradas o primeiro contacto com o sistema 1133 1129
de todos os casos suspeitos e dos febre (temperatura igual ou acima de risco como asma, diabetes ou de saúde é-lhe dada a prescrição 50,09% 49,91%
resultados dos testes no Sistema dos 38ºC) ou dispeneia/diÆculda- insuÆciência cardíaca, doentes resi- para fazer a análise. A recolha de
Nacional de Vigilância Epidemioló- de respiratória passam a ser consi- dentes em lares e unidades de con- material para teste tanto pode acon-
gica (Sinave), sejam eles feitos no derados casos suspeitos, que devem valescença, doentes com contacto tecer no centro de saúde como nou-
público ou no privado. Estas são ser submetidos a teste laboratorial. próximo com pessoas com patolo- tro laboratório que seja indicado. HOMENS Anos MULHERES
algumas das indicações da nova nor- O documento diz que “todos os gias de risco e proÆssionais de saúde Os casos que precisem de inter-
ma da Direcção-Geral da Saúde (DGS) doentes com suspeita de covid- que tenham sintomas. namento são encaminhados para os 7 00-09 18
que entra em vigor a partir da meia- 19 são registados no Sinave” e que O secretário de Estado da Saúde hospitais e há também indicações 10-19 35
30
noite do dia 26. “todos os resultados dos testes labo- admitiu na conferência de imprensa para a avaliação das situações que
“Trata-se da preparação dos siste- ratoriais” são registados na platafor- que os proÆssionais de saúde assin- precisem de internamento em uni- 133 20-29 145
mas de saúde para a fase de mitiga- ma informática de cada laboratório tomáticos também possam vir a ser dades de cuidados intensivos. Todo
188 30-39 206
ção da pandemia e que produzirá e ainda no Sinave. testados. Esta é uma das reivindi- o percurso tem de ser registado
efeitos a partir das 0h do dia 26 de “O objectivo é que todo o doente cações já feita por médicos e enfer- numa plataforma criada para o efei- 224 40-49 224
Março”, explicou o secretário de suspeito seja testado, seguindo as meiros. Valter Fonseca adiantou to.
208 50-59 215
Estado da Saúde António Lacerda boas práticas internacionais. Quanto que “a DGS está a preparar uma Quer seja nos cuidados de saúde
Sales, na conferência de imprensa, ao registo, o que se pretende é ter orientação técnica relativamente primários ou nos hospitalares, têm 158 60-69 190
a propósito do documento publicado sempre dados o mais Ædedignos pos- aos proÆssionais de saúde com con- de existir áreas de dedicadas
na segunda-feira. Portugal registou sível. Todos os resultados devem ser tactos de risco que ainda não estão ao covid-19, de forma a separar 107 70-79 106
ontem 33 mortes e 2362 casos con- registados, sejam positivos ou nega- com sintomas”, que será publicada doentes suspeitos e infectados 73 80+ 95
Ærmados de infecção pelo tivos. As recomendações que têm o mais breve possível. daqueles que não têm a doença. No
novo coronavírus, mais 302 do que sido feitas é para que sejam regista- caso dos cuidados de saúde primá-
Caracterização dos óbitos por
no dia anterior — o que corresponde dos todos os resultados”, explicou Mais linhas de atendimento rios, deve haver pelo menos uma
sexo e idade
a uma variação de 15%. ao PÚBLICO Valter Fonseca, direc- A linha SNS24 continua a ser a prin- destas áreas em cada agrupamento
Das vítimas mortais, 63% tinham tor do Departamento de Qualidade cipal porta de entrada no sistema, de centros de saúde. Mas a norma
uma idade superior a 80 anos. Ao em Saúde da DGS. mas passam também a existir linhas prevê que caso seja necessário se 50-59 1 Homens
todo, 22 pessoas recuperaram. Das A realização de testes e da capaci- telefónicas para atender estes casos possa dedicar todo o centro de saúde 2 Mulheres
203 pessoas internadas, 48 estão em dade diária para os fazer foi um dos nos centros de saúde e Unidades de ao atendimento destes doentes.
unidades de cuidados intensivos. E temas da conferência de imprensa. Saúde familiares. “O nosso objectivo Também refere que no caso dos 60-69
pela primeira vez, o relatório da DGS António Lacerda Sales reaÆrmou que foi fazer uma diversiÆcação da res- hospitais, em relação às crianças, 4
passou a mencionar as cidades com o país tem actualmente uma capaci- posta, que deixa de ser centralizada quando estiver esgotada a capacida-
mais casos positivos: Lisboa regista- dade diária de fazer cerca de 4000 no SNS24 e passa a ter respostas de de dos hospitais de referência — 70-79
va 175, Porto 126, Maia 104 e Vila testes e está a realizar “2000, 2300 proximidade para que o doente pos- actualmente são seis no continente 5
Nova de Gaia 68. por dia”. Questionado sobre a dife- sa preferencialmente falar com o seu e ilhas —, mais unidades possam ter
A evolução epidemiológica rença, assegurou que “não há racio- médico de família. Quer entre serviços de pediatria com áreas dedi- 9
80+
vai levando à alteração das regras. namento dos testes, nem em pelo SNS24 quer tenha o primeiro cadas a doentes de covid-19.
12
Na conferência de imprensa, o sub- nenhum tipo de material”. O gover- acesso via cuidados de saúde primá-
director-geral da Saúde, Diogo Cruz, nante indicou que o país tem “180 rios, a pessoa será sempre avaliada amaia@publico.pt Fonte: DGS
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 5

500
Variação do 100 Comunidade Vida e Paz diz que
crescimento 100
há falta de apoio aos sem-abrigo
de infecções 75 O alerta já tinha sido dado pela
por SARS-CoV-2 presidente da Comunidade Vida e
em Portugal 44,4 50,9 Paz, Renata Alves, e foi ontem
50 43,3
Em % reforçado. Nas últimas semanas,
28,8
25 5,1 estudantes estão a cumprir muitos voluntários — cumprindo
14,7 quarentena ou isolamento social as recomendações das
0 voluntário em residências autoridades de saúde —
Fonte: DGS 3 Mar. 6 10 14 18 23 24 universitárias no Norte do país abandonaram as equipas de rua.

Casos
por concelho Farmácias denunciam preços elevados
praticados por “empresas de ocasião”
SARA MATOS

Mais de 100 Sónia Trigueirão


De 50 a 99 Associação de Farmácias
diz que difícil acesso a
De 25 a 50
paracetamol, máscaras e
1 a 25 desinfectantes coloca em
Sem dados
risco assistências às pessoas

A
Associação Nacional de
Farmácias (ANF) enviou
uma carta ao primeiro-mi-
nistro, António Costa, a
denunciar os preços eleva-
dos praticados por
“empresas de ocasião” no que diz
respeito a álcool gel, desinfectante,
termómetros e máscaras, bens
actualmente muito procurados A Associação Nacional de Farmácias pediu a intervenção do Governo
devido à pandemia do coronavírus.
Mas também falta paracetamol. As pareceram quase totalmente das margens de comercialização até ao
farmácias dizem mesmo que, peran- farmácias”, alerta a direcção da ANF limite de 17,5%, que se aplica aos
te estas diÆculdades no abasteci- na carta a António Costa. medicamentos sujeitos a receita
mento, podem ser “forçadas a aban- As farmácias “vêem-se forçadas a médica comparticipados.
donar à sua sorte muitas pessoas”. abandonar à sua sorte muitas pes- “Sendo a margem legal das farmá-
Nessa missiva, a ANF diz ao pri- soas, cujas necessidades não conse- cias portuguesas a mais baixa da
meiro-ministro que enviou um docu- guem satisfazer”, descreve o docu- Europa, será inequívoco o contribu-
mento de mais de cem páginas à mento, dando um claro sinal de que to responsável e transparente da
Autoridade de Segurança Alimentar não têm os bens que actualmente nossa rede no combate à pandemia”,
e Económica (ASAE) com facturas e são tão procurados e considerados lê-se numa circular da ANF enviada
propostas comerciais apresentadas necessários. ontem às farmácias.
às farmácias por dezenas de empre- Há mais de uma semana que os
sas nacionais e importadoras, na sua Sem condições de segurança inspectores da Autoridade de Segu-
maioria estranhas ao mercado de Para adquirirem esses produtos, “as rança Alimentar e Económica (ASAE)
produtos farmacêuticos. farmácias têm de pagar preços espe- estão nas ruas a Æscalizar os preços
E faz uma descrição dos preços culativos e, mesmo assim, não con- dos produtos referidos pela ANF.
exagerados com os quais são diaria- seguem adquirir quantidade suÆ# Ainda ontem, a ASAE anunciou que
mente confrontados. Frascos de 30 ciente” para garantir a segurança das identiÆcou um importador e distri-
mililitros de álcool em gel a 5 euros, suas próprias equipas e de institui- buidor de álcool gel de Lisboa por
A Informação reportada na máscaras entre 7 euros e 38 euros, ções como lares de idosos. especulação de preços, que chega-
caracterização demográfica garrafões de cinco litros de desinfec- “As equipas das farmácias estão a ram a atingir os 490%, e enviou o
é relativa a 54% dos casos tante a 79 euros e termómetros a 97 trabalhar sem condições de seguran- processo para o Ministério Público.
confirmados
euros são alguns dos preços de aqui- ça, porque não conseguimos equipa- “Em resultado da operação e com
sição que estão a ser propostos às mento suÆciente para as proteger”, base na documentação analisada
AÇORES MADEIRA farmácias. lê-se, na carta em que é sublinhado preliminarmente, a ASAE concluiu
A ANF pediu a intervenção do que o “mercado destes produtos dei- que o denunciado procedeu à
Governo com vista a repor o abaste- xou de funcionar”. venda de álcool gel, a preços díspa-
cimento de produtos de primeira Além disso, a ANF alega que a fac- res entre si, sem qualquer justiÆca-
necessidade para combater a crise turação de muitas farmácias come- ção, uma vez que a venda, durante
sanitária provocada pelo coronaví- çou a cair em várias zonas do país, o mês de Março, oscilou entre os 25
rus. “Máscaras, gel desinfectante, esperando-se uma nova crise no sec- e os 150 euros”, diz a ASAE em
paracetamol, termómetros, matéria- tor. Mesmo assim, perante este cená- comunicado.
prima para manipulados e equipa- rio, a ANF recomendou às suas 2750
PÚBLICO mento de protecção individual desa- farmácias associadas que pratiquem sonia.trigueirao@publico.pt
6 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS
Recomendação ao Governo
O BE propõe uma recomendação
ao Governo para manter nas férias
da Páscoa o pagamento de dois
terços da remuneração base os
pais que ficam em casa por causa
do fecho da escola dos filhos. O
Governo só quer manter esse
apoio para os pais com filhos até
três anos ou com deficiência.

Uma boa notícia no meio da pandemia:


saldo de 2019 deve ser mesmo “positivo”
Debate quinzenal com o primeiro-ministro foi dominado pelo combate à covid-19. Partidos colocaram
questões sobre o material disponível e António Costa apresentou lista de encomendas
MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Maria Lopes Rio deu “puxão de orelhas” à sua bancada

N
o meio de tanta má notícia

A
relacionada com a covid-19, declaração de Rui Rio soou exclamou: “Estão aqui
o Governo está seguro de que a puxão de orelhas à sua deputados que não deviam
terá a conÆrmação, através própria bancada. O líder do estar. Eu próprio vou dar o
das contas divulgadas pelo PSD e do grupo exemplo e sair.” As imagens
INE, de que no ano passado parlamentar saiu do hemiciclo televisivas mostram que
as contas públicas encerraram com durante o debate com o estariam na sala entre 21 a 23
saldo orçamental positivo. primeiro-ministro, depois de deputados do PSD, já que
Essa foi a boa notícia deixada ontem alertado por Ferro Rodrigues de muitos se inscreveram e saíram,
pelo primeiro-ministro num debate que estariam mais deputados na de acordo com as orientações
quinzenal dominado pelo tema do bancada do PSD do que o da direcção da bancada e da
combate à pandemia. “Portugal tem necessário, quando o partido conferência de líderes na
sido justamente citado como um gran- reclamava que o Parlamento semana passada. Ferro
de exemplo de um país que fez uma funcionasse com menos gente, Rodrigues estaria a referir-se ao
notável consolidação orçamental e, com a comissão permanente, número de inscrições de
dentro de dias, saberemos o saldo por causa da covid-19. deputados do PSD.
orçamental de 2019”, aÆrmou, acres- O presidente da Assembleia Depois do plenário, Rio disse
centando que, “com grande probabi- da República defendeu a aos jornalistas que foi feita uma
lidade”, será positivo. solução apoiada por PS, PCP e lista dos deputados que
Mas isso, agora, só vale pelo que BE, de manter os plenários com deveriam estar presentes —
deixou nos cofres públicos para se o quórum mínimo (46 direcção da bancada, direcção
conseguir combater a pandemia. E se deputados), defendendo que o do partido e representantes da
António Costa deixou a lista de milha- Parlamento tem de “dar o mesa da Assembleia. Reafirmou
res dos equipamentos (alguns aos exemplo”. Depois, advertiu que que apenas deveria funcionar a
milhares de unidades) que o Governo estariam 36 deputados na comissão permanente, mas que,
tem estado a comprar nos últimos bancada do PSD, em vez de 16. se foi decidido realizar plenários,
dias — incluindo os 500 ventiladores Foi então que o líder do PSD isso deve ser cumprido. S.R.
cuja entrega a China tem adiado —,
também vincou qual deve ser a res-
posta europeia à crise. Esta deve pas- Costa pediu “plano Marshall res — 500 já pagos à China (que não estado de emergência dentro de uma Æança que os inquiridos manifestam
sar por uma resposta imediata de ou Von der Leyen” e “eurobonds chegarão antes de meados de Abril), semana, recusa um conÆnamento nas instituições para a gestão da crise.
investimento nos serviços de saúde ou coronabonds” 535 pedidos na plataforma europeia. maior, preferindo “medidas susten- A sondagem ICS/ISCTE para o Expres-
para testes e equipamento com Costa recusa a necessidade de requi- táveis no tempo”. “Temos de ir so e a SIC foi realizada entre os dias 20
“dinheiro novo, já”, para o combate na questão das escolas, a que Costa sição civil dos privados — para já. medindo a par e passo como é que a e 22, já com o estado de emergência
à doença; e por um plano a médio ou respondeu que o calendário do tercei- O primeiro-ministro citou os técni- mola aguenta a pressão de termos isto em vigor, e conÆrma a tendência assi-
longo prazo — chame-se ele “Marshall ro período está a ser reequacionado. cos e especialistas para justiÆcar tudo fechado: não só pelas empresas, nalada pelo barómetro da Intercam-
ou Von der Leyen” — que inclua uma Foram apontadas falhas de material opções do executivo como a de recu- pelos trabalhadores e pelas famílias, pus, para o Correio da Manhã, CMTV
“emissão conjunta de dívida titulada de protecção para os proÆssionais de sar testes generalizados à população, mas também pela saúde mental.” e Jornal de Negócios, cujo trabalho de
por eurobonds ou coronabonds. “Seria saúde, mas Costa trazia a lista porme- preferindo o enfoque nos grupos de campo decorreu entre 13 e 19 de Mar-
uma mensagem política fortíssima norizada do equipamento encomen- risco, ou até de restringir mais os Costa em alta ço. O chefe de Estado viu descer ligei-
que a Europa dava no seu conjunto a dado, citando, por exemplo, “380 mil movimentos da população. António Ontem foi também o dia em que Antó- ramente a sua popularidade após a
todo o mundo.” batas, 540 fatos de protecção, seis Costa fez questão de vincar que esta nio Costa ultrapassou Marcelo Rebelo quarentena a que se submeteu, pas-
A preocupação dos partidos con- milhões de luvas, dez milhões de luvas crise de saúde terá “um preço” na de Sousa num estudo de opinião, com sando Costa para a dianteira da con-
centrou-se na capacidade de resposta não esterilizadas, 368 máscaras com economia, que ele deve ser assumido o primeiro-ministro a surgir um pon- Æabilidade. com S.R e L.B.
do sector da saúde e nos apoios aos viseira, 17 milhões de máscaras cirúr- por todos. Mas, apesar de ser quase to acima do Presidente da República
trabalhadores e empresas — e também gicas”. A que se somam mil ventilado- certa a renovação da declaração do (75% contra 74%) em termos da con- maria.lopes@publico.pt
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 7

95%
27 detidos por violarem regras Hospital de campanha em Lisboa Quem chega à Beira Interior
Já houve 27 detenções por Está a ser montado no Estádio fica de quarentena
violação das regras do isolamento Universitário de Lisboa um A Beira Interior decretou
pessoal ou pelo “não acatamento” hospital de campanha com 500 quarentena de duas semanas a
de recomendações feitas e 274 camas. A intenção não é levar todos os que cheguem à região
estabelecimentos foram para ali doentes infectados com o vindos de outras zonas do país ou
encerrados por violação da dos portugueses concordam novo coronavírus mas pacientes do estrangeiro, noticia o Jornal do
obrigação de suspensão de com o estado de emergência, com outras patologias que Fundão. Estão abrangidos vários
actividade, fez saber o ministro segundo uma sondagem CS/ estejam nas enfermarias do concelhos. Fundão, Covilhã e
da Administração Interna. ISCTE para Expresso e SIC Hospital de Santa Maria. Belmonte são apenas exemplos.

Presidente garante que dados DIÁRI DA QUARENTENA, 8


divulgados sobre a covid-19 Conscientes da ameaça global,
são correctos e fiáveis lembramos a fé, que também é global
a um tio que era então o presidente É óbvio que me custa conhecer
O chefe de Estado aÆrmou ainda da comunidade. “Shhh, shhh, o pânico e o medo que amigos,
Leonete Botelho que os epidemiologistas explicaram silêncio! Vai falar o Presidente colegas e familiares sentem. E sim,
e Sofia Rodrigues que o pico da doença pode vir a ser
“um bocadinho mais tarde” do que
Samora Machel!” Olhei à volta, vi
pessoas muito altas e grandes, com
hoje mais do que ontem, temos a
consciência de que nada do que

O
Presidente da República 14 de Abril, como tinha sido previsto, medo... aquilo era mais sério. temos nos está indeÆnidamente
garante que todos os núme- porque as medidas de contenção da Faranaz Keshavjee Agora, mais do que Æcar em casa e garantido. Mas é importante
ros de casos de covid-19 que doença estão a fazer com que o cres- de nem sequer poder ir à janela, perceber que há guerras e guerras.

T
têm sido divulgados pela cimento seja menor do que o estima- odos os dias, à mesma senti um novo medo. E que esta é uma que carrega
Direcção-Geral da Saúde do. “Não é possível fazer previsões hora, membros da minha A voz, que se ouvia mal, vinha de muitos privilégios. Muitos. É só
estão correctos e são os Æá- certas”, disse, mas admitiu que venha família, ligam-se via um móvel enorme, onde havia um olhar.
veis, recusando aÆrmações em con- a acontecer na semana da Páscoa. E Internet, gira-discos e um transmissor de Uma tia, que teria 5 anos
trário. Marcelo Rebelo de Sousa adiantou que deverá haver outra reu- independentemente de rádio com botões grandes. Era um quando se deu a Primeira Guerra,
defendeu ontem que “tem havido nião do género no Ænal do mês. onde se encontrem. Alguns móvel bonito. Não se podia tocar. contou uma história curiosa.
uma preocupação constante de ver- “Sabem que no dia 2 de Abril cessa ainda são os que um dia saíram de Eu não podia. Podia estragar. Era o Várias famílias da comunidade
dade”. Assegurou que “ninguém quer a vigência do estado de emergência e um contexto de guerra e entraram único aparelho assim. Não havia decidiram ir para Dar-es-Salam
mentir a ninguém”, que os especia- coloca-se a questão da sua renovação em Portugal continental, num televisão. para a celebração do Jubileu de
listas dão todos os dados disponíveis” ou não. Faz sentido uma ponderação outro contexto histórico crítico. Pouco importa agora relatar a Diamante do anterior Aga Khan.
e que os números divulgados “têm conjunta dos responsáveis políticos Ontem éramos quase 70 ligados a minha experiência de transição de Alugaram o convés de um navio.
adesão à realidade”. “Os novos casos com os especialistas no domínio da uma corrente de energia e de boa um contexto para outro. Mas é Juntaram colchões, lençóis,
são os casos testados, os internados, saúde”, defendeu. disposição. Conectamo-nos para importante o contexto de hoje. Vejo organizaram comida e bebida.
internados nos cuidados intensivos e Marcelo quis também passar uma rezar. Seguimos um guião fotograÆas de cenários de Contou que rezavam e dançavam
os óbitos, infelizmente, são os que mensagem de união e esperança. semelhante ao do Jamat Khana (a quarentena, que vão desde o celebrando a benesse do líder
estão a ser divulgados”, aÆrmou. Considerou que a sessão técnica Casa da Comunidade, a sala de melhor ao pior deste mundo. Se, espiritual. Neste percurso de
O chefe de Estado falava aos jorna- sobre a covid-19 em Portugal contri- orações para os muçulmanos para alguns como eu, é possível algumas semanas, nunca se
listas no Ænal de uma sessão com buiu para “cimentar um espírito de ismailis). Este encerrou, por despertar em conforto e segurança, aperceberam de que o navio
apresentações técnicas sobre a “Situa- coesão e de unidade” entre respon- tempo indeterminado. e abrir a torneira e ter água potável, estava em risco de naufragar. Do
ção epidemiológica da covid-19 em sáveis políticos e que há razões para Para as orações, leituras e entre outros confortos e garantias, o convés não se percebia que o
Portugal”, uma iniciativa do Governo esperança: “Estamos todos a remar cânticos devocionais, mesmo já não é real para outros que navio seguia já de lado! Próximos
que contou ainda com a presença do para o mesmo lado.” E disse sair voluntariam-se miúdos e graúdos. hoje, enquanto escrevo estas linhas, do destino, o capitão desce
presidente da Assembleia da Repúbli- menos preocupado do briefing por Desde Portugal a Espanha, Itália, estão a viver nas fronteiras da eufórico para cumprimentar toda
ca, Eduardo Ferro Rodrigues, do pri- três motivos: “Estamos mais unidos, Inglaterra, Bélgica, Irlanda, Brasil, indignidade humana. a gente. E agradecer! Agradece
meiro-ministro, António Costa, dos vai havendo mais informação da par- Angola e Moçambique; pequenos muito, porque está
líderes dos partidos com assento par- te dos especialistas e os portugueses e grandes, vivendo só ou convencidíssimo de que foi a fé
lamentar, das confederações patro- estão a fazer com que a curva não seja acompanhados, conscientes da daquelas pessoas que impediu o
nais e das estruturas sindicais, que a curva de outros países”, justiÆcou. ameaça global, lembramos a fé, naufrágio!
decorreu no Infarmed, em Lisboa. Logo a seguir, o líder do PSD, Rui que também é global. Ontem, A história poderia ser só de
Em declarações após o briefing, Rio, mostrou-se preocupado com os inovámos. Depois das orações, tragédia, mas foi-me contada a
Marcelo Rebelo de Sousa mostrou- efeitos da pandemia na economia. pedimos a um sobrinho para tocar sorrir!
se também confortável com a polí-
tica de testes adoptada no país. “Foi
“Para a economia é que esta situação
é muitíssimo complicada. Quanto
piano. No Jamat Khana físico não
temos piano, sei que já houve
Oxalá, as próximas Se o novo vírus se assemelha em
muito à peste bubónica de 1343-53,
ali explicado que a realização de melhor para a saúde pior para a eco- outros instrumentos. gerações contem que matou cerca de 200 milhões
testes universais tem desvantagens,
como a falsa sensação de segurança
nomia. E isso é dramático para equi-
librar”, disse aos jornalistas à saída
Desapareceram talvez por causa
das perseguições. Era preciso esta história como de pessoas, creio ser importante
tirar proveito do que temos hoje
que pode dar às pessoas testadas,
porque no dia seguinte, em qual-
do encontro.
Questionado sobre a renovação do
maior discrição, talvez.
Na despedida alguém lembra:
sendo de enorme para fazer a diferença que marcará
as gerações vindouras. Oxalá, as
quer momento, podem ser conta-
minadas”, respondeu aos jornalis-
estado de emergência, começou por
considerar a questão prematura, mas
“Vamos lá saber o que diz o
Marcelo sobre o estado de
sucesso e orgulho próximas contem esta história
como sendo de enorme sucesso e
tas, que perguntavam porque não acabou por comentar que será “mui- emergência.” Nesse momento a daquilo que nos orgulho daquilo que nos
estava a ser aplicada a recomenda-
ção da Organização Mundial de Saú-
to difícil que não se tenha de reno-
var”. E apelou aos portugueses para
minha mente teletransportou-me
dos meus 52 anos, para uma caracteriza enquanto caracteriza enquanto comunidade
humana.
de sobre “testar, testar, testar”.
“Nós vamos aperfeiçoando selecti-
que continuem em casa. menina de 5. Para outro estado de
emergência, em Moçambique. A
comunidade Especialista em Estudos
vamente o alargamento dos testes”, lbotelho@publico.pt casa onde nos juntámos, pertencia Islâmicos
limitou-se a repetir. srodrigues@publico.pt
8 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS
Plataformas de denúncias
O BE vai lançar uma plataforma de
recepção de denúncias de
despedimentos arbitrários e
situações de “irresponsabilidade
social” por parte de
empregadores. O PCP já tinha
lançado na sexta-feira o portal
“Nem um direito a menos”, com o
email denuncia@pcp.pt.

Combater o vírus da incerteza Há 2000 a 3000 portugueses


na saúde e na economia que pedem ajuda para voltar
vários serviços. Também na esforços, pedi-lhe que os das com os países de língua oÆcial
indústria e investigação, cujas multiplicasse, nomeadamente Nuno Ribeiro portuguesa. A TAP terá voado ainda
atividades são úteis à guerra que através da rápida criação de uma ontem para Cabo Verde e na véspera

O
estamos a travar. missão destinada a coordenar e ministro dos Negócios para Moçambique. Hoje deve trazer
E há outros setores acelerar todas as iniciativas de Estrangeiros, Augusto Santos mais portugueses da Guiné-Bissau,
importantíssimos para a nossa ciência e inovação nesta área, à Silva, calcula que haja entre São Tomé e Príncipe e Angola.
Opinião sociedade que estão a ser semelhança do que está previsto dois e três mil portugueses a Entre as situações mais difíceis,
Maria da Graça Carvalho fortemente afetados e terão para o programa-quadro precisar de apoio para está a da Venezuela, país que já tinha
também de ser apoiados, não Horizonte Europa na área do regressarem a Portugal. Esta impedido a TAP de operar durante 90

A
s sociedades precisam de esquecendo a proteção social às cancro. Esta missão deverá ter estimativa foi feita ontem pelo chefe dias, e que, entretanto, fechou o espa-
estabilidade para franjas mais fragilizadas da um Ænanciamento substancial, da diplomacia portuguesa aos depu- ço aéreo à Europa. A distribuição de
funcionarem em pleno. população. de pelo menos mil milhões de tados da Comissão Parlamentar de medicamentos à comunidade luso-
Os tempos que correm, Aos políticos, eleitos pelos euros. O seu principal objetivo Negócios Estrangeiros, numa audição descendente, via mala diplomática,
contudo, são cidadãos, exige-se proatividade será o desenvolvimento de de urgência solicitada pelo PSD. foi por isso interrompida. “Ainda não
provavelmente os mais nos seus diversos papéis. O terapias e de uma vacina no mais Desde o início da crise do há solução”, reconheceu o chefe da
incertos que a maioria de nós já quadro que a Comissão Europeia curto espaço de tempo possível. novo conoravírus, e sobretudo a par- diplomacia.
viveu. É por isso que a guerra acaba de apresentar, com as Além disso, poderá ter um papel tir da declaração de pandemia por Também os 109 estudantes portu-
contra o coronavírus é travada em primeiras medidas para abrandar fundamental no acesso a dados, parte da Organização Mundial de Saú- gueses em Erasmus fora da União
duas frentes: a saúde, as restrições às ajudas económicas que é um fator decisivo para a de, Santos Silva revelou que quatro Europeia obrigam a outros processos,
absolutamente prioritária; e a que cada Estado e a própria União rápida prossecução destes mil portugueses pediram auxilio às junto das autoridades locais.
economia, fundamental no curto Europeia podem dar às empresas, objetivos. autoridades de Lisboa para o seu Para Santos Silva, são três as prio-
e no longo prazo. é uma resposta importante. No mesmo sentido, contactei regresso. “Está concluído o processo ridades neste domínio: ajudar os via-
O primeiro desaÆo é Permitirá, no imediato, injetar esta semana o comissário europeu [de repatriamento] na Argélia, Egipto, jantes ocasionais, de turistas a
precisamente não deixarmos que oxigénio no sistema de crédito, de para o Mercado Interno, Thierry China, Chipre, dos que estavam ao homens de negócios, que foram sur-
a incerteza nos conduza à inação. forma a que esta crise não tenha Breton, pedindo-lhe que tomasse largo dos Estados Unidos num navio preendidos pelo fecho das ligações
O coronavírus acabará por ser um impacto desproporcional medidas para incentivar a de cruzeiro, bem como no aéreas e querem regressar a Portugal;
derrotado. Mas o que Æzermos sobre os cidadãos, as PME e as indústria a envolver-se na Irão, Japão, Maldivas, Mongólia, Mar- apoio aos estudantes do Erasmus;
agora, individualmente e como economias locais. Mas temos de resposta às necessidades atuais, rocos, com quatro voos, Singapura e estrangeiros residentes em Portugal
sociedade, será decisivo tanto no ser decididos e criar as bases de nomeadamente em termos de Tunísia”, disse Santos Silva. que querem regressar.
número de mortes que serão uma cooperação que vá além das equipamentos médicos, como Estes processos foram considera- O titular dos Negócios Estrangeiros
evitadas como nas vidas que todos medidas de emergência. ventiladores e máscaras de dos concluídos ontem, destacou o fez um apelo aos portugueses. “Não
teremos quando isto terminar. Como eurodeputada, à proteção e a possibilidade de ministro, vincando que este é um pro- saiam para o estrangeiro. Ninguém
É preciso investir mais. Agilizar semelhança de muitos dos meus agilizar a questão da limitação da cesso dinâmico. Apontou o exemplo hoje consegue garantir acudir a todo
mais os procedimentos. É preciso colegas, tenho tentado inÇuenciar protecção, através de patente, da dos 1500 estudantes de Erasmus que o lado”, alertou, criticando quem via-
uma estratégia clara a nível aqueles que estão em posição de produção de ventiladores. Outros só foram detectados depois de con- jou em lazer para países de onde a
europeu, que oriente, apoie e tomar medidas de impacto terão feito apelos semelhantes. tactados os cerca de 4 mil recensea- saída já era previsivelmente incerta.
reforce as respostas que estão a imediato. Na última quinta-feira, o dos pela agência nacional de Eramus
ser dadas pelos diferentes países. Há alguns dias, a comissária comissário anunciou várias em Portugal. Aqueles 1500 alunos de nribeiro@publico.pt
Temos de subir a parada à escala europeia para a Ciência, medidas que vão ao encontro Erasmus não tinham sido reportados
da ameaça que enfrentamos. Educação e Juventude, Maryia dessas preocupações. pelas instituições de ensino à referida
O objetivo essencial dessa Gabriel, apresentou aos São pequenos passos, mas que agência, exempliÆcou.
mobilização é sem dúvida a coordenadores e mostram já uma atitude diferente Até agora, os processos de mais
proteção da saúde das nossas vice-coordenadores da Comissão para melhor em relação a esta fácil resolução foram os relativos aos
populações. No entanto, estou ITRE (que engloba a Indústria e crise de saúde que é também países da União Europeia, onde vigo-
convencida de que essa será também a Ciência e Inovação) um económica. Nesta fase, é ra o princípio da mobilidade e a livre
também a melhor resposta no conjunto de medidas importantes especulativo apontar medidas circulação, situação que também
plano económico. para aumentar o envolvimento da para o “pós-guerra”, porque ocorre na Suíça e no Reino Unido, que
A gestão económica da crise do investigação cientíÆca europeia ainda não conhecemos o real são países associados. Isto, apesar de
coronavírus deve fazer-se no combate à covid-19, entre as impacto desta crise. Mas já não excepções sanitárias entretanto
considerando as diferentes quais o apoio de 80 milhões de restam dúvidas de que muitas decretadas em Itália ou Espanha.
realidades. Há setores, pessoas, euros concedidos ao laboratório coisas não voltarão a ser iguais No lado oposto, as questões de
que nesta fase são essenciais, aos germânico que está a desenvolver após o coronavírus. Temos a maior diÆculdade decorrem dos paí-
quais devem ser garantidos todos a vacina conhecida como obrigação de aprender com esta ses com as quais as ligações aéreas
os meios para cumprirem a sua CureVac. experiência. foram cortadas ou foi imposta a lei
missão de forma eÆcaz e segura. Na resposta que lhe enviei, marcial. Ainda assim, Augusto Santos
Na saúde, na proteção civil, em para além de lhe agradecer os Eurodeputada do PSD Silva destacou as excepções consegui- Augusto Santos Silva
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 9

50
Compras com Multibanco caem Inspecções automóveis adiadas Aviação perde 233 mil milhões
De acordo com a SIBS, o número Os veículos a motor e seus A IATA subiu a estimativa do
de compras na rede Multibanco reboques, ligeiros ou pesados impacto do novo coronavírus nas
foi, na semana passada, 44% mais que devessem ser apresentados contas das companhias aéreas
baixo do que na semana antes à inspecção periódica no período para 233 mil milhões de euros
do início da crise. A compensar entre 13 de Março e 30 de Junho este ano, o que traduz uma
este resultado, o montante médio Cartões contactless podem de 2020, terão um prazo quebra de 44% face às receitas
de cada compra foi mais elevado, ser usados para efectuar prorrogado por cinco meses de 2019. Este valor representa
passando de 34,7 euros para pagamentos até 50 euros, contados da data da matrícula, uma subida da factura em 120%
42,1 euros na semana passada. acima dos actuais 20 euros anunciou o Governo ontem. face à estimativa inicial.

Empresários têxteis pedem apoio para 1,3 milhões


de salários e alertam que não é altura de “ter dilemas”
os problemas sociais conexos”, pros- opções para aceder”. Por isso, conclui Mário Machado,
Victor Ferreira segue, tentando demonstrar que Isto porque, no critério da quebra “o Governo não deve ter dilemas, as
sairá mais barato intervir agora com de facturação, “uma grande parte empresas que não têm trabalho para
Patrões dizem que pacote medidas mais alinhadas com a situa- das empresas não será capaz de os colaboradores precisam de auxí-
ção de muitas empresas, que já se suportar tal encargo — a que o Gover- lio para pagar os salários desde já,
de ajudas está mais
debatem com problemas para pagar no se eximiria —”, e no segundo, porque o custo económico, Ænancei-
centrado na gestão os salários. “não será a solução para muitas ro e social é muito inferior do que
orçamental do que no O Governo colocou o sector têxtil empresas que precisam da continui- aquele que teremos de suportar se
apoio real às fábricas e vestuário na linha de crédito de dade de alguma laboração para for mantida a actual versão da lei
apoio à liquidez de empresas indus- poder executar colecções e amos- simpliÆcada do layoff”.

N
em layoffs nem linhas de triais, cuja dotação total é de 1300 tras, que é crítica para ter encomen-
crédito vão ajudar a resol- milhões de euros. A ideia é ajudar a Têxtil tem peso de 3% do PIB das no segundo semestre do ano”. voferreira@publico.pt
ver os problemas da indús- tesouraria das empresas que se
tria têxtil e de vestuário. “A debatem com perda de receitas, PUBLICIDADE
principal medida que salva- diferindo e adiando ainda responsa-
rá empregos é o apoio ime- bilidades Æscais e aliviando igual-
diato ao pagamento de salários”, mente alguns deveres contributivos,
aÆrma o presidente da Associação como a redução temporária da Taxa
Têxtil e Vestuário de Portugal (ATP), Social Única.
Mário Jorge Machado. Porém, diz Mário Machado, tudo
Numa carta que vai ser publicada isto tem um problema: são medidas
dentro de dias no jornal da ATP, o que “estão muito centradas na con-
patrão dos patrões do têxtil avisa o cessão de empréstimos ou dilação
Governo de António Costa de que as de pagamentos de alguns impostos
medidas apresentadas até ao e responsabilidades com terceiros”,
momento para apoiar as empresas o que signiÆca que “é uma ajuda na
são insuÆcientes e não ajudam a tra- resolução do problema de liquidez,
tar dos problemas reais. Além disso, mas criando dívida nas empresas”.
lança um alerta: não é altura para o Por isso, conclui, “é muito pouco
Governo “ter dilemas”. para a dimensão do problema” e
Mário Jorge Machado dá assim voz têm sobretudo um benefício: “Terão
ao que muitos empresários deste um peso reduzido no déÆce orça-
sector têm dito nos últimos dias: o mental”. Aliás, o título da carta do
pacote de ajudas proposto aos dife- presidente da ATP assume que o
rentes sectores económicos é insu- Governo “enfrenta um dilema”:
Æciente e tem demasiadas preocu- “economia versus Ænanças”.
pações de gestão orçamental numa
altura em que a própria União Euro- Crítica ao layoæ simpliÄcado NIF: 506723364
peia já disse que as regras do déÆce Os empresários da Indústria Têxtil e MODELO 3 CAMPO 11
são secundárias neste momento. do Vestuário, que pesa 3% do PIB e INSTITUIÇÕES PARTICULARES DE SOLIDARIEDADE SOCIAL
“Um cenário de 1,3 milhões de representa 10% das exportações
trabalhadores e o custo médio de nacionais (quase tanto como a indús-
750 euros por mês durante três tria automóvel), pedem mais para Ajude a Associação Salvador
meses totalizaria 3000 milhões de que “nenhuma empresa Æque sem custos para si
euros”, escreve o empresário e impossibilitada de pagar salários ou
administrador do grupo Estamparia tenha de despedir trabalhadores”.
Adalberto, num texto que está a ser E referindo-se ao layoff simpliÆ#
citado pela newsletter da ATP. cado, ao qual recorreu uma grande
“Num quadro de insolvências, empresa têxtil (a Coindu vai colocar
poderão ser mais de 500 mil os de- 2300 trabalhadores em casa até ao JUNTOS APOIAMOS CENTENAS
sempregados, que, a receber subsí- Ænal de Abril), diz Machado que DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA MOTORA
dio de desemprego durante um ano, “nem a exigência da quebra de 40%
facilmente ultrapassará os 4500 no volume de negócios das empre-
milhões de euros. Ao que se somaria sas nos dois meses homólogos do
a quebra de receitas Æscais geradas ano anterior nem o fecho da labo-
pelas empresas e os custos de todos ração deveriam ser condições/
10 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
nental, com características se maioritariamente de cariz familiar),
Abel Coentrão melhantes às portuguesas. Lá como estão nas mãos das tripulações. Se
entre nós, as causas são idênticas: a normalmente já é difícil manter

J
aime Reina está em sensação de risco, e as alterações uma embarcação no activo, dada a
Matosinhos, num des- no mercado. O ambiente é de “des- falta de mão-de-obra, com a volati-
canso entre marés. moralização geral”, dizia um arma- lidade destes momentos a situação
Não sai do barco, o Jai- dor espanhol. complicou-se.
mito. Atende o telefo- Na semana passada, as tripula-
ne, e é imediatamente DiÄculdades de escoamento ções de dois barcos pertencentes a
notório, na voz, o desa- Com o encerramento de restauran- uma família desta zona do país, o
lento com que este tes, hotéis e algumas praças, soma- Fugitivo e o Candeias, recusaram ir
mestre de Vila do Con- do às diÆculdades na exportação para casa, para junto das suas famí-
de fala dos dias que para alguns países, o preço das lias, enquanto não fosse conhecido
correm. O sector vive, como o país, espécies mais nobres de peixe caiu o resultado das análises a um dos
momentos de ansiedade e de incer- abruptamente, para metade ou seus companheiros, que teve,
teza, mas se em terra o combate ao menos do valor a que era transac- durante a faina, sintomas de gripe.
novo coronavírus se faz com isola- cionado ainda há dias. São os hiper- Passaram a noite nas embarcações,
mento físico, conseguir cumprir mercados que estão a “aguentar encostadas no molhe do porto, num
essas regras a bordo das embarca- o barco”, escoando parte das cap- gesto de precaução e responsabili-
ções de pesca local ou costeira, turas, mas dando preferência, dade perante os seus que mereceu
como a dele, é impossível, garante. como é normal, a peixe que o con- elogio. Mas quer Duarte Sá, quer o
Sentem-se em risco acrescido. E, sumidor comum consegue comprar, mestre e armador do Silva Marques,
pior, já perceberam, no bolso, que como o carapau, a faneca, a pesca- Manuel Marques, admitem que, se
o esforço de ir pescar, nestes tem- da, entre outros, que até se valori- o desfecho deste caso tivesse sido
pos, “não compensa”. zaram nalguns portos, mas rendem diferente, diÆcilmente os barcos que
Hoje, explicou o Ministério do menos. Já os preços em lota do lin- aportam na Póvoa de Varzim, onde
Mar ao PÚBLICO, há uma reunião guado, do rodovalho ou do tambo- trabalha, teriam voltado ao mar. “Os
extraordinária do Conselho Euro- ril, para dar exemplos, vieram por homens andam preocupados, assus-
peu dos Ministros da Agricultura e aí abaixo, como se lhe tivessem tados”, confessa o pescador.
das Pescas com o comissário Virgi- amarrado um chumbo.
nijus Sinkevicius, “para análise e Em Peniche, por exemplo, vários Isolamento, num barco?
tomada de decisões nesta matéria”. armadores já pararam, explicou ao No Silva Marques, a tripulação foi
E é muito provável que do encontro PÚBLICO Jerónimo Rato, presiden- reduzida ao mínimo. Com 20
saiam outras medidas, para além te da CAPA — Cooperativa dos Arma- metros de comprimento, o seu bar-
das já decididas pelo Governo, para dores da Pesca Artesanal. Este diri- co ainda tem dimensões generosas,
suportar um sector que em Portugal gente associativo avisa que, com ou face à média da frota, mas, mesmo
movimenta centenas de embarca- sem apoios do Governo, o sector assim, é impossível manter o afas-
ções, e 16 mil homens, e que está a corre o risco de paralisar. “O proble- tamento entre seis homens a bordo.
abrir brechas, perante o afunda- ma é que as tripulações não querem Já não se fazem refeições quentes,
mento da economia provocado pela trabalhar, e têm razão”, diz este para evitar partilha de loiça,
covid-19. armador cujo barco e os seus sete mas dormem todos juntos, no con-
Já na semana passada, o El País homens já não têm ido ao mar, por Ænamento da camarinha, e o traba-
dava conta de que o novo coronaví- decisão do patrão. Em Vila do Con- lho, esse ou se faz em grupo,
rus ameaça paralisar a pesca em de, Duarte Sá, director da Associa- ou não se faz. O alador mecânico
Espanha, país que detém a maior ção de Armadores da Pesca do Nor- puxa os covos e as redes para den-
frota da União, afectando, principal- te, assinala que armadores e mes- tro, mas a partir daí é à força de
mente, as embarcações que operam tres (muitas vezes os dois papéis braços, num espaço reduzido.
junto à costa e na plataforma conti- estão sobrepostos, nestas empresas A expressão “tudo ao molho e fé em

Pescadores
à beira de um ataque de nervos
Pesca artesanal pediu apoios para paragem temporária, perante o receio de mestres e tripulações
e a quebra na procura em lota. Bruxelas pode anunciar medidas já hoje
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 11

PAULO CUNHA /LUSA


Real de Santo António e Albufeira. judicados. E, na mesma linha de
Neste último concelho deixa, inclu- pensamento, a Associação Pró-
sivamente, de haver leilão. As res- Maior Segurança dos Homens do
tantes lotas, com maior movimento Mar propunha, ontem, que fossem
de embarcações e pescado, man- criadas condições, ao nível de
têm-se, para já, em actividade nor- apoios comunitários, para manter
mal, embora condicionada, tam- em actividade apenas cerca de 30%
bém, pela activação dos respectivos da frota nacional. “Ao reduzir o
planos de contingência. numero de embarcações a laborar,
Foram ainda tomadas medidas no consequentemente todas as activi-
âmbito do Programa Mar 2020, para dades conexas à pesca, como é o
facilitar a vida a quem tem investi- caso dos funcionários das lotas, tri-
mentos em curso apoiados por fun- pulantes de terra que tratam do
dos comunitários. Mas as organiza- peixe, compradores, entre outros,
ções do sector notam, no entanto, podiam ser reduzidas também em
que todas as iniciativas já apresen- cerca de 70%, evitando-se a concen-
tadas não respondem cabalmente tração de pessoas”, argumenta esta
aos dois grandes problemas que os organização.
afectam no momento, e Æzeram-no É difícil perceber quantos já
saber, numa carta enviada ao minis- encostaram o barco. Mas, de norte
tro e ao secretário de Estado das a sul, há companhas que continuam
Pescas, José Apolinário. Jerónimo a cumprir ordens. No Algarve, onde
Rato já o tinha dito, por escrito, à cerca de 20 compradores ainda apa-
própria Comissão Europeia, que recem para os leilões na Quarteira,
consultou as associações de produ- os preços ainda não desceram mui-
tores. Consideram que é preciso to “porque as embarcações maiores
tomar medidas de apoio à cessação pararam voluntariamente”. Mas
temporária da actividade e um pla- se isso signiÆca melhores vendas,
no de ajustamento, também ele nota Hugo Martins, da Associação
temporário, do esforço de pesca às Quarpesca, também representa
actuais condições do mercado e do “um risco acrescido” para quem
país, explicou Duarte Sá. continua a trabalhar, maioritaria-
O Governo explicou ao PÚBLICO mente em barcos com menos de
que “desencadeou uma iniciativa 12 metros.
junto da Comissão Europeia, no A trabalhar há muitos anos a par-
sentido da revisão do regulamento tir de Aveiro, Carlos Craveiro, pro-
do Fundo Europeu dos Assuntos prietário do Ajudado por Deus e do
Marítimos e das Pescas (FEAMP), Glória do Mar, também se queixa do
para adaptação a esta situação valor do peixe em lota, mas é outro
excepcional, defendendo medidas dos que se mantêm determinados a
especíÆcas destinadas à pesca e à continuar a ir pescar.
aquicultura. Em concreto, estamos “É preciso alimentar o país”,
a falar de aumento do período insistia ao telefone, pouco depois de
de carência de linhas de crédito, ter dado por terminada mais uma
alargamento da elegibilidade do saída para o mar e já a caminho
fundo e novas medidas para apoio de Caxinas, em Vila do Conde. Este
à pesca e à aquicultura”. E, tendo armador garante que a ameaça
em conta que o problema já afecta do coronavírus não tem gerado
vários países — há, por exemplo, receios excessivos às suas tripula-
Deus” ganha, nos dias que correm, anunciou desde logo algumas medi- portugueses parados, sem pescar, ções. “Estamos mais preocupados
todo um novo sentido. das. Mandou suspender, por 90 na Irlanda — é quase certo que da agora que vamos para casa, pois o
Com a noção do risco a crescer, dias, a cobrança da taxa de acosta- reunião agendada para hoje, em vírus está em terra, não no mar”,
desde que foi decretado o estado de gem devida pelas embarcações e Bruxelas, haja novidades. apontava.
emergência, o único incentivo para aprovou uma linha de crédito de 20 Os homens de Carlos Craveiro “já
pesc ar seria o rendimento. milhões de euros para a pesca e a “É preciso alimentar o país” estão avisados: se alguém estiver
“Se pudéssemos continuar a traba-
lhar sem esta desvalorização
aquicultura, “com o pagamento dos
respectivos juros pelo Estado”. Foi
Se pudéssemos O Ministério do Mar garante que
“está empenhado em fazer o que
com algum sintoma, não vai para o
mar”, explica. Mas, para Jerónimo
dos preços, daria para nos aguen- igualmente acelerado o pagamento continuar a estiver ao seu alcance para pôr em Rato, ou mesmo para Manuel Mar-
ques, esta conÆança está por um Æo.
tarmos sem recorrer a apoios…. Se
assim não for, vai ser complica-
do Fundo de Compensação Salarial
dos ProÆssionais da Pesca, que trabalhar sem esta marcha medidas que protejam a
Æleira do pescado neste contexto de “É só aparecer o primeiro caso entre
do...”, nota Paulo Lopes, presiden-
te da APARA — Associação de Pesca
cobre paralisações por mau tempo,
“prevendo-se o pagamento no início desvalorização dos pandemia.”
Jerónimo Rato acredita que Bru-
pescadores…”, avisa o armador
de Vila do Conde. A ver, à distância,
Artesanal da Região de Aveiro. Mais
a norte, Jaime Reina complementa:
do mês de Abril de 508 candidatu-
ras que envolvem 350 mil euros”.
preços, daria para xelas apoiará a cessação temporária
da actividade da frota. E Duarte Sá
a família retida em casa, o seu con-
terrâneo Jaime Reina não tem dúvi-
“Na semana passada, reparti 65
euros para cada pescador. O que é Portos reduzem leilões
nos aguentarmos considera que não pode ser de outra
forma, pois não é possível manter a
das sobre o que gostaria de fazer.
Entre amarrar o barco ao cais
isso? Não dá. Sou patriota, mas os Esta semana, “ouvidas as associa- sem recorrer a pesca neste clima de incerteza sem ou sair para ganhar quase nada,
portugueses que me desculpem e
comam carne durante uns tempos.
ções de pesca”, o ministro do Mar,
Ricardo Serrão Santos, decidiu apoios…. Se assim uma intervenção regulatória, que
apoie os que Æcarem em terra, mas
quando anda um vírus a assustar
meio mundo, o mestre do Jaimito
Isto há-de passar”.
O problema é que ninguém sabe
reduzir o número de leilões e adap-
tar os horários da primeira venda,
não for, vai ser também aqueles que tiverem de ir
para o mar.
assume que está prestes a parar. “A
vida está primeiro. Vivo, terei tem-
quando passará. A braços com soli-
citações de vários sectores econó-
“durante a vigência do estado de
emergência”, mexendo com a acti-
complicado Duarte Sá alerta que a gestão das
paragens não pode Æcar apenas ao
po para ganhar dinheiro”. com
Maria José Santana
micos, após ter sido decretado o vidade de lotas como as da Póvoa de Paulo Lopes critério do bom senso dos armado-
estado de emergência, o Governo Varzim, Figueira da Foz, Olhão, Vila presidente da APARA res, sob pena de todos saírem pre- acoentrao@publico.pt
12 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS
Alemanha recebe doentes de
outros países
A Alemanha está já a acolher
doentes de covid-19 de França e
de Itália. É uma iniciativa de
alguns estados-federados.O
sistema de saúde alemão está a
responder melhor à pandemia,
com menos casos, em termos
proporcionais, que outros países

O que vem aí? Testar os


netos para o coronavírus
para visitarem os avos

Especialistas antecipam medidas que poderão ser tomadas


depois de se começarem a reduzir as restrições ditadas pela
covid-19 mas a vida normal ainda não ser possível
medidas restritivas agora em vigor está em grupos de risco”, seriam
Maria João Guimarães em Itália, Espanha, Alemanha, Fran- hipóteses. “Poderia haver maneiras
ça ou Portugal durante tanto tempo, de isolar idosos em casa, com serviços

O
que vai acontecer quando o tanto por razões económicas como para eles. Na vida do dia-a-dia, as
pico de infecções de corona- de saúde, mas sendo também crianças devem ser mantidas longe
vírus descer? Quanto tempo impossível um regresso total à nor- dos que estão em risco o mais possí-
vão durar as restrições à vida malidade, que traria um novo pico vel”, acrescentou o especialista, por-
diária, as escolas encerradas, de infecções, alguns especialistas que as crianças, muitas vezes assinto-
o teletrabalho? São questões vão especulando sobre que medidas máticas, podem transmitir ainda
ainda sem resposta. Mas quando poderão ser postas em prática nos assim o vírus.
numa frente a luta contra o coronaví- chamados “planos de saída”, como
rus é desacelerar o ritmo de novos diz a BBC. Mas ainda não há muitas Medidas nas escolas
casos com as medidas de isolamento pistas sobre como poderia ser um Mesmo quando as escolas reabrirem,
social, noutra há equipas a estudar plano deste género. diz Drosten, deverá haver medidas
como poderá ser a “fase de saída”. O virologista alemão Christian para que o contacto seja minimizado,
A fase actual poderá durar ainda Drosten, do Hospital Charité (Berlim), por exemplo com certos corredores Isolar grupos de risco, como os idosos, poderia ser uma das medidas restr
semanas, pelo menos — só agora se que integra uma equipa de peritos usados apenas por algumas turmas,
começa a ver o efeito das medidas que tem aconselhado o Governo ale- sem utilização de quaisquer áreas televisão estatal chinesa. “As respos-
tomadas para mitigar a subida de mão, antecipou, numa entrevista ao comuns, e com recreios condiciona- tas à pandemia foram diferentes con-
infecções, em Portugal e numa série semanário Die Zeit, que “talvez tenha- dos ou mesmo sem intervalos. “Isso forme os países, o que quer dizer que
de países europeus. Quando a pers- mos de estar um ano num estado de irá requerer planeamento, mas temos é difícil prever quando vai acontecer
pectiva mais optimista para haver emergência” — embora provavelmen- tempo entre agora e a semana a seguir a fase de desaceleração [na Europa]”,
uma vacina é de um ano, e ninguém
arrisca antecipar quando haverá um
te não, sublinhou, com as actuais
medidas. “Também não consigo ima-
à Páscoa.”
À questão do jornalista do jornal As respostas à comentou, apontando para semanas
ou meses. Daí ser difícil comparar
tratamento eÆcaz para a covid-19,
especialistas avisam que as fases
ginar” este cenário, reconhece.
Para Drosten, a primeira priorida-
Die Zeit de sobre como poderia haver
então contacto entre avós e netos, pandemia foram com a China, onde houve isolamento
drástico e rigoroso, e que está a tentar
seguintes também vão ter desaÆos.
Uma das primeiras autoridades de
de será uma solução para reabrir as
escolas, cujo encerramento implica
Drosten especulou que “talvez os
netos que queiram visitar os avós
diferentes conforme regressar a alguma normalidade.
Rabe sublinhou a importância de
saúde pública a falar de horizontes manter um dos pais em casa, com tenham de fazer um teste primeiro, os países, o que quer “não deixar cair os mecanismos e as
temporais foi o Instituto Robert Koch,
na Alemanha. Na semana passada,
efeitos na economia (e perder um
semestre ou um ano é também dife-
para não os infectarem”.
O especialista em virologia diz que dizer que é difícil medidas” que permitiram a descida.
“Todos concordamos que, quando
Lothar Wieler, o presidente do insti-
tuto que está a fazer o controlo da
rente numa universidade). Isto terá
de ser feito, sublinha, enquanto se
com mais conhecimento cientíÆco e
criação de modelos se poderão fazer prever quando um país aliviar as medidas de conten-
ção, terá de ter uma máquina bem
pandemia na Alemanha, alertava que,
como as pandemias tendem a seguir
mantém uma protecção para os que
estão em risco especial, pessoas com
ajustamentos e ter medidas “especí-
Æcas para a Alemanha”.
vai ser a fase de montada de detecção rápida dos
novos doentes, rastreio rápido dos
o seu curso em ondas, esta poderia
durar dois anos e que, no pior dos
problemas imunitários, doenças
preexistentes, e com mais de 60 anos.
A diferença entre países é também
mencionada pelo epidemiologista
desaceleração contactos destes doentes, imposição
de quarentenas locais aos contactos
casos, algumas restrições poderiam “Testes rigorosos para os grupos de Adrian Rabe, do Imperial College de Adrian Rabe dos doentes”, escreveu Manuel Car-
vigorar todo este tempo. risco, que teriam admissão hospitalar Londres, em declarações citadas pelo Epidemiologista do Imperial mo Gomes, professor de Epidemiolo-
Não sendo possível manter as prioritária, e teletrabalho para quem site da CGNT, serviço em inglês da College, Londres gia da Faculdade de Ciências da Uni-
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 13

250
A crise mostra que podemos agir Casos confirmados Primeiro caso na Líbia
rapidamente, diz Greta no mundo A Líbia confirmou hoje o seu
Valores às 21h00
289.496
A activista climática Greta Casos ainda primeiro caso de coronavírus. O
Thunberg, de 17 anos, anunciou de 24 de Março activos seu sistema de saúde é altamente
que “provavelmente foi infectda vulnerável, pois vive em guerra
com coronavírus”. Mas salientou 415.876 civil praticamente desde 2011,
mil voluntários precisam-se que a pandemia mostrou que 107.806 quando o regime do coronel
para ajudar o Serviço Nacional “quando estamos numa crise,
Recuperados Total de casos 18.574 Kadhafi foi derrubado e pelo
confirmados Mortes
de Saúde neste momento de podemos agir para fazer algo território passam milhares de
crise, pediu o Governo britânico rapidamente” Fonte: Universidade de Johns Hopkins imigrantes rumo à Europa.
PAULO PIMENTA

Dois meses depois do grande susto,


a China está a voltar ao (novo) normal
A draconiana operação chinesa de temperatura corporal à porta.
Joana Amaral Cardoso contenção do novo coronavírus está Sobre esta nova fase chinesa após o
em campo há cerca de oito semanas pico da covid-19 ter passado, há peri-
O isolamento de dois meses e agora que os números oÆciais dizem tos com dúvidas. Tanto se teme que
que quase não há novos casos origi- haja uma segunda vaga de casos
da província de Hubei nados na China, a mensagem do quanto que este aliviar das restrições
chega ao fim. Mas regresso à Governo é de que a grande ameaça torne a sociedade chinesa vulnerável,.
normalidade é tímido e são os casos importados. E que a Chi- Há relatos na imprensa (como na
teme-se segunda vaga na venceu a luta e está a voltar ao reputada revista Caixin) e nas redes
normal. A prosperidade económica sociais de pessoas infectadas sem sin-

H
oje é levantado o bloqueio é uma das ferramentas de validação tomas ou de novos casos em Wuhan
que dura há mais de dois do Governo chinês. que não são tornados públicos.
meses em torno da província Há uma semana, a Al-Jazeera dava “É provável que o número de casos
de Hubei — mas na sua capi- conta de que as cidades com forte aumente, uma vez aliviadas as medi-
tal, Wuhan, onde a pande- tecido empresarial como Guangzhou das de controlo. Terão de manter-se
mia do novo coronavírus e Shenzhen estavam a voltar a chamar vigilantes e decidir como responder”,
começou, mantém-se a quarentena os trabalhadores às fábricas. Voltou a diz Jennifer Nuzzo, epidemiologista
rigorosa até 8 de Abril. Este é mais um falar-se de engarrafamentos em da Universidade Johns Hopkins, cita-
passo na autorização gradual de Pequim e os satélites da Agência Espa- da pelo Guardian. Há que estar pre-
regresso à normalidade na China, que cial Europeia já detectam um aumen- parado, dizia Malik Peiris, virologista
quer recuperar a sua economia. Mas to de emissões de dióxido de carbo- da Universidade de Hong Kong ao
embora haja mais pessoas na rua, no,vindas da indústria. New York Times, “para voltar a impor
fábricas a retomar o trabalho e até A Al-Jazeera noticiou também que estas medidas [de isolamento da
alguns engarrafamentos e cinemas os estudantes de províncias com “bai- população] se forem necessárias”.
reabertos, o novo normal é tecnolo- xo risco de infecção” estavam a voltar Victor Shih, professor de Política na
gicamente controlado, levanta dúvi- às aulas. Em Hubei, as escolas vão Universidade da Califórnia, acrescen-
das aos peritos e é ainda tímido. manter-se fechadas. E como nota o ta outra perspectiva: “Uma forma de
Para os 60 milhões de habitantes correspondente da revista Time em retomar a actividade económica sem
de Hubei, o Æm da quarentena draco- Xangai, os edifícios de escritórios rea- pânico é encobrir casos enquanto o
niana depende da prova de saúde de brem, mas sem ar condicionado para Governo faz o seu melhor para os
cada cidadão. E essa prova é o “código evitar contaminações e os estrangei- identiÆcar e conter”, disse ao Guar-
ritivas que permaneceriam verde” que surge na aplicação de tele- ros são mais sujeitos a perguntas de dian. “Pode levar a outro surto, mas
móvel Health Code, que se tornou seguranças e polícias. parece um risco que o Governo está
versidade de Lisboa, num artigo no durar?”, a ministra belga respondeu: quase omnipresente — e potencial- No dia 13, a Apple reabriu as suas disposto a correr.”
PÚBLICO. “Temos pela frente muitos “Essa é a ‘pergunta de um milhão de mente omnipotente, alertava o New 42 lojas na China depois de um mês
meses difíceis, inéditos”, concluiu. dólares!’” O país está “a avançar em York Times. Pode partilhar dados pes- de encerramento. Mas controla-se a joana.cardoso@publico.pt
Os políticos estão a demorar mais rumo ao pico da epidemia, depois do soais e localização com a polícia, YI XIN/EPA
a abordar a questão do tempo. O qual a curva vai descer”, disse De aumentando o controlo da China
jornal online Politico nota que o Pre- Block. “Esta situação vai demorar sobre os cidadãos. A aplicação cate-
sidente francês, Emmanuel Macron, pelo menos menos oito semanas.” goriza cada cidadão chinês (ou imi-
foi o primeiro a admitir que “nin- Haverá depois uma fase de casos a grante) pelo seu estado de saúde.
guém sabe durante quanto tempo decrescer e só então entra em cena a Disponibilizada via serviços popu-
vamos ter de manter a redução de estratégia de saída. “Temos um gran- lares como WeChat ou o Alipay (e
contactos sociais”. de problema em deÆnir o que é a associada ao gigante de compras onli-
A ministra da Saúde da Bélgica, estratégia de saída e como saímos ne chinês Alibaba), tem sido usada
Maggie de Block, disse numa entre- disto”, disse à BBC Mark Woolhouse. como expediente para controlar a
vista no jornal De Zondag, que as “Não é só o Reino Unido, nenhum população chinesa na gigantesca ope-
medidas de isolamento vão vigorar país tem uma estratégia.” ração de contenção da epidemia;
pelo menos oito semanas. Na Bélgi- Menos dramático, no artigo do agora, continua a ser condição para
ca, desde há uma semana que só é PÚBLICO, Manuel Carmo Gomes entrar em edifícios de escritórios,
permitido sair de casa para comprar notou que “várias equipas de investi- transportes públicos ou centros
comida, por questões de saúde, ou gação, em muitos países, estão neste comerciais nas cidades que retoma-
dar assistência a alguém que precise. momento focadas em estudar este ram alguma liberdade de circulação.
Viagens ao estrangeiro não essen- problema”. É também um símbolo da preocupa-
ciais estão proibidas até 5 de Abril. ção do que Æca no rescaldo da covid-
À questão “quanto é que isto vai maria.joao.guimaraes@publico.pt 19: um maior controlo do Estado. Trabalhadores almoçam com 1,5 metros de distância entre eles
14 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS
Recomendação para que França
fique seis semanas isolada
A comissão de 11 cientistas que
aconselha o Presidente francês,
Emmanuel Macron, recomendou
que o isolamento se prolongue
durante pelo menos seis
semanas, quando o número de
mortos em França já ultrapassou
os mil — 1100

Trump quer
reabrir os EUA
“até à Páscoa”,
contrariando
os especialistas

A ideia de que a economia terá de voltar a


funcionar rapidamente está na cabeça de
muitos decisores políticos. Mas médicos
e cientistas dizem que ainda é cedo
disse o Presidente Donald Trump
Alexandre Martins ontem, num encontro organizado
Anthony Fauci, o cientista que corrige o Presidente na Casa Branca
pela televisão Fox News.

T
rês meses depois do apareci- Quando mais de 100 milhões de

N
mento dos primeiros casos do pessoas — um terço da população — a segunda-feira à noite, pensar se o médico preferido desde 1984, onde chegou nos
novo coronavírus na China, e receberam ordens de isolamento, e quando Donald Trump, dos críticos do Presidente tinha primeiros tempos do pesadelo
ainda com muitas incertezas, em que a Organização Mundial de subiu ao palanque da sala sido despedido. “Onde está o dr. do HIV, Fauci é uma das figuras
parece haver consenso entre Saúde diz temer que os EUA sejam o de imprensa da Casa Branca Fauci?”, questionou-se a mais respeitadas na comunidade
os especialistas em saúde novo pólo maior da pandemia, há para falar mais uma vez sobre a jornalista do canal MSNBC Mika científica dos EUA e já trabalhou
pública sobre a melhor forma de outros números a competir com os pandemia do novo coronavírus, Brzezinski, uma crítica de Trump. sob seis presidentes. Dos
impedir a repetição do caos nos hos- mais de 46 mil casos de coronavírus a atenção de muitos foi “Isto é perturbador”, disse primeiros anos no cargo
pitais italianos: suspender a vida e 582 mortes. A bolsa de valores, que chamada para a fila de Brzezinski, referindo-se à ficou-lhe a imagem de
como a conhecíamos o mais cedo cresceu como nunca desde a chegada personalidades que tinham ausência de Fauci e às conselheiro sem papas na
possível, até que a curva de cresci- de Donald Trump à Casa Branca, já entrado com ele, e para o afirmações sem contraditório de língua, sempre educado no
mento de casos e de mortes se alise, perdeu todos os ganhos dos últimos espaço vazio deixado por uma Trump. Outros, como o trato, mas sem deixar nada por
e aceitar que as graves consequências três anos e meio. E um estudo da Mor- figura. Anthony Fauci (em cima republicano Joe Walsh, foram dizer. Foi ele quem pôs o
económicas seriam ainda piores com gan Stanley diz que a economia norte- na foto), um respeitado mais cortantes: “É evidente que Presidente Reagan a levar a sério
restrições menos apertadas. americana pode encolher tanto no imunologista de 79 anos que se o cobarde que está na Casa o vírus do HIV, e está a tentar
Mas a discussão sobre esse difícil segundo trimestre do ano que a taxa tornou numa celebridade nas Branca já não consegue lidar que o Presidente Trump leve a
equilibrismo, que pode escapar ao de desemprego pode saltar de uns redes sociais por corrigir as com a presença do dr. Fauci. São sério o novo coronavírus.
controlo dos governos a qualquer historicamente baixos 3,5% antes da declarações menos científicas péssimas notícias para o povo No domingo, Fauci deu uma
momento, é menos pacíÆca em países pandemia, para uns historicamente de Trump, falhava a conferência americano.” Director do instituto entrevista ao site da revista
como os Estados Unidos. “Adoraria altos 13% — a poucos meses de umas de imprensa diária e punha o de Alergias e Doenças Science e falou sobre a
ter o país aberto e a funcionar até à presidenciais em que o grande trunfo Twitter a arrancar os cabelos, a Infecto-contagiosas dos EUA convivência na Casa Branca com
Páscoa. É possível, porque não?”, de Trump para a reeleição era a saúde
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 15

31
Catalunha ultrapassou Madrid Putin visitou hospital Violar o isolamento dá prisão
A Catalunha ultrapassou O Presidente russo, Vladimir Três pessoas em Macau arriscam
segunda-feira a região de Madrid Putin, vestiu um fato amarelo para uma pena de prisão de 60 dias
como aquela com mais casos se proteger contra riscos por violar a quarentena de 14 dias
novos de coronavírus. Houve 1221 biológicos e foi visitar um hospital a que estavam obrigadas. A
casos novos na Catalunha, face anos é a idade do com doentes de covid-19. O região, que registou ontem o seu
aos 873 de Madrid, e a tendência imigrante mexicano que é o presidente da Câmara de 26.º caso positivo, tem 1751
confirmou-se ontem, com 1939 e primeiro caso de covid-19 num Moscovo, Sergei Sobianin, pessoas isoladas em oito hotéis
1777, respectivamente, disse o dos centros de detenção junto disse-lhe que a situação é mais convertidos em centros de
Ministério da Saúde à fronteira dos EUA grave do que se pensa quarentena e 700 nas suas casas
JONATHAN ERNST/REUTERS
da economia. Na segunda-feira, o Pre-
sidente fez eco das dúvidas do mundo
das Ænanças e das grandes empresas Trabalhadores italianos Índia fecha-se
sobre os conselhos dos especialistas
que investigam vírus como o que pro- ameaçam fazer greve geral para controlar
voca a doença covid-19.
“O nosso país não foi feito para
estar fechado”, disse Trump. “Em
para salvar vidas pandemia
breve, a América vai reabrir para
fazer negócios. Muito em breve. Mui-

A
to mais cedo que os três ou quatro se ao La Stampa Mamadou Seck, Índia iniciou ontem um
meses que alguém sugeriu.” Ricardo Cabral Fernandes secretário do sindicato Fiom. período de conÆnamento
Ontem, o Governo chinês anunciou As organizações laborais reuniram- por 21 dias, com a imposi-

O
que a vida vai começar a regressar à Governo italiano, os patrões se ontem com os ministros da Econo- ção de recolher obrigatório
normalidade na província de Hubei, e as centrais sindicais italia- mia e do Desenvolvimento Económi- em algumas zonas. As auto-
mas ainda com fortes restrições — um nas estão num braço-de-fer- co, em busca de uma solução que ridades de saúde avisam
pouco como o cenário que Trump ro sobre quais os sectores evite a greve geral. que o coronavírus está a espalhar-se
quer ver nos EUA. considerados essenciais e Sem quererem negociar e pressio- para fora das grandes cidades, onde
Com a força maior do novo corona- empresas que devem fechar, nando as centrais sindicais, os meta- surgiu, para as pequenas cidades.
vírus a chegar na última semana aos a meio de uma emergência nacional. lúrgicos da Lombardia, no Norte de Mais de um milhão de indianos
maiores estados norte-americanos, Para tentar evitar uma greve geral, o Itália, convocaram greve para hoje, podem ser infectados com o novo
como Nova Iorque, Califórnia e Flori- Governo reuniu-se ontem com as cen- sendo apoiados por trabalhadores coronavírus até meados de Maio,
da, as autoridades de saúde pública trais sindicais, que argumentam que dos sectores aeronáutico, têxtil, quí- alertaram epidemiologias. A Índia já
insistem em reforçar as medidas de milhões de trabalhadores estão nos mico e energético de todo o país. cortou ligações aéreas internacionais
restrição nas próximas semanas ou seus postos sem máscaras ou luvas. Também os bancários ameaçam ade- e os voos internos pararam à meia-
meses — o oposto do defendido pelo Metalúrgicos vão entrar hoje em gre- rir e as associações do sector de rea- noite (hora local) numa tentativa de
Presidente Trump, que compara as ve e outros sectores seguiram-lhes os bastecimento energético vão fechar travar a progressão do contágio.
mortes por covid-19 às mortes por passos de norte a sul do país. os postos de combustíveis. O primeiro-ministro, Narendra
gripe e acidentes de viação. No domingo, Conte assinou um Itália é o país actualmente mais Modi, dirigiu-se à nação pela segunda
“Temos uma época de gripe muito decreto a restringir a actividade eco- atingido pela pandemia da covid-19, vez nesta semana, para falar sobre os
activa, mais activa do que a maioria. nómica a uma lista de sectores “essen- com 70 mil infectados e quase sete riscos para este país de 1,3 mil
Parece estar a caminho das 50 mil ciais”, mas a lista foi tão alargada, mil mortos. A situação é tão crítica milhões de habitantes, do vírus que
mortes ou mais”, disse o Presidente. dizem os sindicatos, que muitos dos que os profissionais de saúde têm surgiu na China no Æm do ano passa-
“Se olharmos para os acidentes de sectores não são essenciais. E, por ordens para não pôr pacientes com do e que já se espalhou a 194 países.
viação, vemos que são muito maiores isso, as centrais CGIL, CISL e UIL mais de 60 anos em máquinas de Até agora, a Índia registou 485
do que os números de que andamos ameaçam convocar greve geral, suporte de vida, disse ao Canal 12 casos do novo coronavírus e nove
a falar. E isso não signiÆca que vamos enquanto as organizações patronais israelita o médico Gai Pele. O Governo pessoas morreram. Mas o pânico está
dizer às pessoas que não podem vol- estão contra mudanças por já se viver endureceu as multas a quem sair de a crescer com a possibilidade bem
tar a conduzir. Temos de tomar medi- uma “economia de guerra”. casa sem justificação (de 500 a 3 mil real de que atinja comunidades
das para voltar a abrir o nosso país.” "A situação tornou-se incontrolável euros, 4 mil se estiver num veículo) e pobres e com as muitas dúvidas de
Segundo os jornais norte-america- por haver empresas que deviam ter impôs penalizações às empresas que que o sistema de saúde público, par-
nos, essa opinião é cada vez mais sido fechadas e, sem necessidade de funcionem sem autorização. co em recursos, seja capaz de lidar
partilhada pelos conselheiros da Casa estarem abertas, continuam a pôr em com esta crise.
Trump. “Não posso saltar para a Branca para os assuntos económicos. risco a saúde dos trabalhadores”, dis- ricardo.fernandes@publico.pt Um responsável da administração
frente do microfone e empurrá-lo E algumas das maiores Æguras da alta SERGIO PONTORIERI/EPA
de saúde do estado de Maharashtra,
de lá para fora. Na próxima Ænança dos EUA, como Lloyd Blank- no ocidente da Índia, disse que estão
oportunidade, tentamos corrigir fein, ex-presidente executivo do a aparecer novos casos em cidades
o que foi dito”, disse, questionado gigante da banca de investimento pequenas, depois de uma vaga de
sobre o que deve ser feito para Goldman Sachs, também defendem casos em cidades grandes como
impedir que o Presidente faça um regresso à normalidade mais cedo Bombaim. “Esta tendência é preo-
declarações incorrectas ou que o recomendado por especialistas cupante, pois as zonas rurais têm
enganadoras sobre o novo em saúde pública. poucas infra-estruturas para lidar
coronavírus. Numa conversa com “Medidas extremas para achatar a com a epidemia”, disse o responsá-
a colunista Maureen Dowd, no curva são razoáveis durante um vel, que não quis ser identiÆcado,
New York Times, Fauci foi ainda período. Mas esmagar a economia, os por não estar autorizado a falar com
mais directo sobre os motivos da postos de trabalho e a moral também jornalistas.
sua abordagem firme, mas são problemas relacionados com a Os estados têm imposto medidas
sempre diplomática: “Não quero saúde. Dentro de muito poucas sema- de conÆnamento, suspendendo ser-
embaraçá-lo. Não quero agir nas, temos de autorizar o regresso ao viços ferroviários e de autocarros e
como um durão, como se trabalho das pessoas com pouco risco proibindo o tráfego automóvel. Mas
estivesse a fazer frente ao de contraírem a doença”, disse Blank- o dia de ontem, que começou com
Presidente. Quero apenas que os fein no Twitter. três quartos do país nestas condi-
factos sejam conhecidos.” A.M. ções, terminou com todo o país em
alexandre.martins@publico.pt Itália pode ver-se sem combustível por causa da greve isolamento. Reuters
16 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS

Se pode,
Äque em casa:
a medicina
à distância
é uma opção

Mensagens de WhatsApp, grupos de


apoio nas redes sociais, consultas por
videoconferência. Por causa da actual
crise de saúde pública, a ajuda médica
proÄssional à distância é uma solução
raciocínio clínica é a mesma”, partilha tardes livres para ajudar no P5. Até de”, diz Carlos Oliveira. “No contex-
Karla Pequenino com o PÚBLICO Susana Pinto Almei- agora, só foi preciso uma tarde. to de emergência actual, nem se fala
da, uma dos mais de 200 psiquiatras “Eram proÆssionais que já estavam de ferramentas soÆsticadas capazes

N
o meio da pandemia da que se voluntariaram nos últimos dias a ser seguidos, mas pioraram e pre- de fazer exames ou análises remotas
covid-19, o sistema de saúde para uma linha de apoio do Centro de cisavam de apoio rápido”, conta a e registar dados. Tem-se recorrido
está a mudar rapidamente. Medicina Digital P5 da Escola de Medi- psiquiatra. “Vivemos uma situação a ferramentas de mensagens bási-
Psicólogos, psiquiatras e
nutricionistas estão a conti-
cina da Universidade do Minho.
O projecto foi lançado a 15 de Mar-
atípica e os proÆssionais de saúde
são uma população de risco devido
A telemedicina cas, o telemóvel, o email e os servi-
ços de mensagens.”
nuar as consultas na Inter- ço para oferecer consultas de psiquia- ao stress a que estão sujeitos. Cabe- sempre foi uma Em Lisboa, Sara Almeida, psicó-
net. Nas redes sociais, vários proÆs-
sionais de saúde oferecem-se para
tria gratuitas, por videochamada, aos
proÆssionais de saúde portugueses.
nos a todos unir esforços.”
A Organização Mundial da Saúde solução muito loga e co-fundadora da Escola do
Sentir, é outra proÆssional que
tirar dúvidas sobre a covid-19 para
diminuir o peso na linha SNS24. Há
A 16 de Março, ao Ænal do dia, já
tinham sido feitos 20 pedidos de con-
(OMS) deÆne a telemedicina como o
uso de comunicações electrónicas e
importante começou esta semana a disponibili-
zar-se para consultas gratuitas, por
um novo sistema online de triagem
no site do Serviço Nacional de Saúde
sultas, havia mais dez agendadas e
três já tinham sido realizadas.
tecnologias da informação para for-
necer serviços médicos quando os
para garantir telefone ou videochamada, para
pais e crianças. A intuição já oferecia
especíÆco para a doença e grupos de Até agora, Susana Pinto Almeida participantes estão em locais dife- que o trabalho a possibilidade de um acompanha-
médicos voluntários estão a prestar
apoio gratuito à população (seja por
diz que o contexto é uma das dife-
renças: fora de um espaço de con-
rentes. Em 2020, o aumento da pro-
cura de consultas tem sido notório, do médico vai até mento por videoconferência, pago,
a pacientes fora de Lisboa, mas alar-
email, telefone ou videochamada) em
várias áreas da saúde. Em comum
sultório, o paciente liga de onde
quiser. “Ter o paciente no seu
diz ao PÚBLICO Carlos Oliveira,
membro do Conselho Europeu de
zonas remotas garam o serviço ao notar um aumen-
to da ansiedade dos adultos sobre
têm a mensagem: se pode, Æque em ambiente [em casa] pode ser uma Inovação (CEI). Eduardo Castela como “gerir o medo” dos mais
casa — a medicina à distância, ou tele- vantagem”, faz notar a médica, que “Ainda não há dados concretos, Presidente da Associação novos. “Não é fácil fazer este tipo de
medicina, é uma opção. continua a dar consultas, de manhã, mas estamos a ver uma transição Portuguesa de Telemedicina acompanhamento remoto com
“É a primeira vez que estou a reali- no Hospital Prisional de S. João de muito rápida para o digital numa crianças pequenas”, admite. “Antes
zar consultas remotas, mas a linha de Deus, em Caxias, mas Æcou com as série de sectores, incluindo a saú- dos 13 anos, distraem-se com facili-
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 17

PATRICIA MARTINS
Está a assistir-se
a uma transição
rápida para
o digital numa
série de áreas,
incluindo
a da saúde

Em 1999, uma reportagem do O avanço de telemedicina na Chi- uma boa anonimização, disponibi-
PÚBLICO já descrevia uma consulta na, face aos outros países, tem sido lizar dados dos doentes aos investi-
num centro de saúde de uma loca- visível na forma como o país respon- gadores pode acelerar as soluções
lidade isolada, às portas do Parque deu à crise. Para facilitar o isola- de resposta à pandemia. Um dos
Natural da Peneda-Gerês, em que mento social, o país desenvolveu maiores activos da sociedade digital
um médico Ælmava uma lesão der- uma aplicação móvel que atribuía são os dados.”
matológica com uma câmara de um código aos cidadãos — que os Em Portugal, um grupo de cien-
vídeo digital e enviava a imagem, identiÆcava como parte dos grupos tistas e responsáveis de escolas de
em alta deÆnição, a um especialista “verde”, “amarelo” (suspeitos de Medicina já pediu ao Governo por-
em dermatologia do Hospital de S. covid-19) ou “vermelho” (diagnosti- tuguês para disponibilizar dados
Marcos, em Braga. cados com covid-19) — para facilitar “pseudo-anonimizados” de doentes
o controlo do novo coronavírus e suspeitos de covid-19 em Portugal.
Origens na Antiguidade acelerar o retorno à normalidade. O objectivo é pôr os investigadores
As origens da telemedicina remon- Juntava informação sobre as deslo- em Portugal a trabalhar nesses
tam à Grécia antiga, com pacientes cações recentes dos cidadãos com dados para que se possa ajudar as
que recebiam conselhos de médicos um inquérito preenchido sobre o autoridades a travar a pandemia.
através de representantes. Na sua seu estado de saúde.
forma moderna, começou a ser dis- No começo do mês, a China tam- Iliteracia digital é barreira
cutida na década de 1960, impulsio- bém abriu um hospital de campanha Em Portugal, a falta de literacia digi-
nada pelo desenvolvimento de tecno- a funcionar quase só com robôs na tal da população é outro dos gran-
logia militar e espacial. Um dos pri- cidade de Wuhan, onde começou a des problemas. Segundo o Índice
meiros exemplos foi o uso de duas epidemia: os pacientes eram moni- de Digitalidade da Economia e da
televisões, em 1968, para facilitar a torizados por máquinas humanóides Sociedade, publicado em 2019, 23%
discussão entre especialistas num com termómetros e tinham pulseiras das pessoas nunca acederam à
hospital em Massachusetts, nos EUA, e anéis inteligentes ligados à Internet Internet — é o dobro da média da
e um posto médico em Boston. Em para recolher dados de saúde e aler- União Europeia.
Portugal, a área gerou especial inte- tar equipas médicas, caso fosse Nos últimos anos, a Ordem dos
resse na década de 1990, quando se necessário. Médicos também tem defendido uma
começou a discutir a possibilidade de Parte dos avanços derivam da for- maior regulamentação da área pelo
telemedicina, porque na altura havia ma diferente como a China vê os Ministério da Saúde. Miguel Guima-
menos médicos de especialidade dis- dados pessoais. Antes de prosseguir rães, bastonário da Ordem dos Médi-
poníveis em todo o país. no ramo da telemedicina, a Comis- cos, é Ærme na defesa de que apenas
“A situação que vivemos agora são Europeia considera, no entanto, quando é possível a avaliação física
mostra que a área continua a fazer que é fundamental garantir a priva- do paciente é que se pode chamar
sentido, especialmente com equipa- cidade, conÆdencialidade e segu- consulta ao acto médico.
mentos de monitorização remota em rança de dados pessoais. O presidente da Associação Portu-
tempo real”, diz Carlos Oliveira. Reló- “Isto não tem de ser incompatí- guesa de Telemedicina reconhece
gios inteligentes, oxímetros e medi- vel”, reforça Carlos Oliveira. “Com que “a telemedicina não é uma solu-
dores de pressão arterial são alguns ção perfeita”, mas insiste que é “uma
dade à distância e sentem que têm telemedicina não é novo. “Podíamos exemplos de tecnologia que pode ser solução fundamental em situações
menos privacidade, mas, nestes estar muito mais desenvolvidos”, diz utilizada para acompanhar sinais de risco”.
casos, é preciso adaptarmo-nos.” Eduardo Castela. “Já há bastante tele- vitais, a frequência cardíaca, a respi- Já Marina Gonçalves, médica de
Já Rui Silva, 23 anos, no 6.º ano do medicina desenvolvida na zona cen- ração e a pressão arterial. família na Unidade de Saúde de Ruães,
curso de Medicina da Universidade tro, particularmente ao nível da car- “Se a área estivesse mais avançada, em Braga, espera que a crise actual
do Minho, tem ajudado por escrito. diologia pediátrica. A telemedicina muitos doentes poderiam ter sido mude a forma como a Europa olha
Faz parte de uma rede de mais de não tem é a atenção que merece.” monitorizados à distância, e apenas Quero acreditar para a telemedicina. Há anos que está
150 estudantes, organizados por
turnos, a colaborar numa linha de
Em 2019, foram realizadas 15.683
consultas à distância em todo o país.
os casos mais graves precisariam de
ter uma equipa de proÆssionais de que este momento a tentar trabalhar num projecto, com
o Centro de Medicina Digital P5, para
apoio sobre a covid-19. Trata-se de
outro dos serviços lançados recen-
Além da cardiologia, estas consultas
são frequentes em especialidades
saúde a deslocar-se a casa”, avança
Carlos Oliveira. péssimo também oferecer consultas de medicina geral
e outras especialidades através da
temente pela equipa do P5. “O con-
tacto é sempre feito por email, salvo
como a dermatologia, psiquiatria e
neurologia (a via verde do AVC é um
Em Portugal, investe-se uma
média de 2,42 euros por cidadão em
será um momento Internet. Depois de uns entraves com
o Ænanciamento, arranca este ano.
se existir a necessidade de esclare- exemplo). serviços de telemedicina, segundo que irá mostrar “Obviamente que a telemedicina
cer uma dúvida maior”, diz o estu-
dante, que admite que “ocasional-
Um dos serviços de telemedicina
mais antigos em Portugal é o de car-
o estudo mais recente da Comissão
Europeia sobre o mercado de tele- que a medicina não substitui a medicina presencial,
mas entre 60-70% das consultas que
mente surgem dúvidas de saúde
mais gerais”, porque se trata de um
diologia pediátrica, criado em 1998
pelo serviço do Centro Hospitalar Uni-
medicina, com dados de 2018.
É uma fatia muito pequena do pode funcionar faço podiam ser remotas”, diz Mari-
na Gonçalves. “Quero acreditar que
serviço gratuito e “isso ampliÆca o
tipo de perguntas que surgem”.
versitário de Coimbra, em que o núme-
ro de consultas — em diferentes espe-
dinheiro que é dedicado à saúde —
cerca de 1784 euros por habitante,
à distância este momento péssimo para a eco-
nomia, a família e a psicologia de
cialidades — ronda as 3 mil por ano. “A segundo dados também de 2018, Marina Gonçalves cada um também será um momen-
“Mais desenvolvidos” telemedicina sempre foi uma solução da Pordata. O valor dedicado à tele- Médica de família to que irá mostrar que a medicina
O presidente da Associação Portugue- muito importante para garantir que o medicina, no entanto, está apenas pode funcionar à distância.”
sa de Telemedicina, a funcionar há trabalho do médico vai até zonas um pouco abaixo da média euro-
duas décadas, frisa que o conceito de remotas”, frisa Eduardo Castela. peia, que ronda os três euros. karla.pequenino@publico.pt
18 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESTAQUE
CORONAVÍRUS
Bater palmas não chega. Propostas para enfrentar a crise
eÆcácia da gestão democrática. De porto que abastece a capital do essenciais nem de transportes aprovado pelo Chega, CDS, PSD,
muito pouco serviram nestes dias país. Não é evidente que é urgente públicos, ao contrário do PS, PAN e Bloco de Esquerda e
os manuais de “gestão eÆciente” e colocar todos estes estivadores sob recomendado por especialistas abstenção do PCP, IL, PEV e
os seus Excels de produtividade... a Administração Portuária? Na chineses. Apontar o dedo a quem Joacine. Foi um grave erro na
Mais de 160 proÆssionais estão Groundforce já se anunciaram passeia no jardim e manter aberto o história da nossa democracia,
infectados, não havia equipamento centenas de despedimentos. E na aeroporto, que sentido faz isto? abrindo um precedente para que,
Opinião de proteção suÆciente, três meses TAP? Vital para trazer para casa A proibição do direito à greve em caso de protestos sociais
Raquel Varela de conhecimento da epidemia — quem Æcou bloqueado e material abre um precedente gravíssimo, generalizados em momentos de
António Costa disse, porém, que médico da China — percebem agora não foi introduzido em Itália, crise, traços autoritários sejam

A
nossa obrigação é salvar “nunca faltou nada”. Não há testes porque nos empenhámos contra a França, Espanha, Dinamarca, introduzidos.
vidas. E salvar os que nos para os proÆssionais de saúde que privatização desta? Suécia, Inglaterra, Alemanha... Não ocorreu ao Governo limitar,
salvam. Bater palmas aos não tenham sintomas, mas há O decreto que suspende a greve Mais de 50 associações sindicais do com o decreto do estado de
proÆssionais de saúde, laboratórios privados, não não nos protege da epidemia, mas mundo, na sua maioria europeias, emergência, o direito à
abastecimento, requisitados pelo Governo, a fazê-lo serviu para dar cobertura à assinaram um protesto contra a remuneração dos acionistas,
transporte, Æca-nos bem. a quem paga, ou em parcerias com selvajaria dos despedimentos. supressão do direito à greve em nacionalizando os lucros das
Mas não chega. câmaras, com lucro para os “Será esta a hora de falar em Portugal. Mais do que, até agora, grandes empresas ou captando os
Assistimos a médicos, laboratórios. É isto ético numa greves?” — perguntam-me. “Será sindicatos e centrais sindicais activos para garantir salários aos
enfermeiros, técnicos e auxiliares altura de pandemia mundial? Ora, esta hora de um pai e de uma mãe portuguesas. trabalhadores e suas famílias. É aí
dos hospitais acudirem em massa sabemos hoje que em Itália um dos serem mandados para casa O estado de emergência não que está o dinheiro. Não é a fazer
aos hospitais, deixando as famílias. maiores focos de infecção foram os despedidos?”, eis a pergunta que pode suspender o direito de resistir mais dinheiro que resolvemos o
Dispostos a tudo. Jamais o hospitais, em Espanha idem. É isto devolvo. Em Itália, os às injustiças, porque não é assim problema de fundo — anunciar uma
esqueceremos. Esta tropa de elite, que acontece quando não cuidamos despedimentos foram suspensos, que se protege a população. O linha de crédito é adiar e agigantar
por impreparação inconcebível do dos cuidadores. Cuidar deles agora com efeitos retroativos (desde o contágio foi, ao que tudo indica, o problema.
Governo, partiu desprotegida, sem é a nossa prioridade número um. início da epidemia, a 23 de relativamente diminuído porque os Proibir direitos não faz ninguém
máscaras e outro equipamento de Deles e do sector de fevereiro), para quaisquer Portugueses ousaram desobedecer. trabalhar mais e melhor. Mas,
proteção para a linha da frente. São abastecimento e transportes. Esta trabalhadores, precários ou Æxos, Os professores recusaram-se a dar sobretudo, abriu-se um precedente
às centenas os pedidos de médicos crise demonstra a fragilidade em por um período de 60 dias. Isto aulas e os diretores a obedecer ao sem paralelo na história do país:
a requerer material nas suas redes que Æca um país transformado aconteceu depois de uma ameaça ministério; uma rebelião silenciosa legitimou-se a “doutrina do
sociais. É um escândalo que não numa Disneylândia turística, sem de greve geral. O Governo parou as escolas, forçando o choque” — uma tragédia é usada
tenham equipamento de proteção. soberania alimentar — para isso português decretou o estado de Governo a suspender as aulas. Na para cortar salários, desnatar o
Todos os proÆssionais de saúde alertei nos últimos dez anos em emergência, desnecessário porque Autoeuropa, com seis mil Estado social, despedir pessoas e
devem ser protegidos ainda por um várias reÇexões públicas. Para o povo se colocou em quarentena trabalhadores, pararam de facto a introduzir elementos autoritários
seguro de risco, até agora não acautelar o transporte de voluntária. Não decretou, como produção, impondo salário a no Estado.
previsto. Cito a Lancet: “Os abastecimentos, é preciso proteger devia — e aqui reside o ponto tempo integral e não o desejado Para isolar e proteger as pessoas,
proÆssionais de saúde são neste estivadores, camionistas, essencial de combate ao contágio lay-off empresarial. Hoje podiam existem instrumentos legais como
momento o nosso mais valioso maquinistas, pessoal de voo. Há em que o Governo não quer ceder ser todos presos, depois deste o estado de calamidade. Não era
recurso”, porque “podemos fazer muito deviam ter pensado nos —, o encerramento de fábricas não decreto do estado de emergência, necessário decretar o estado de
ventiladores, mas não podemos camionistas, uma vez que estes GUGLIELMO MANGIAPANE/REUTERS
emergência. A suspensão de
fabricar médicos e enfermeiros andam pela Europa a transportar direitos à população é inimiga da
numa linha de montagem”. O bens essenciais sem ter um democracia e aliada das ditaduras.
sector privado de saúde deve ser restaurante onde comer e uma casa Antes de Hitler subir ao poder,
requisitado para assistir o SNS e de banho para se lavarem — é governos semidemocráticos na
impedir o seu colapso. Não preciso uma estrutura de apoio Alemanha foram introduzindo
podemos permitir que se use esta logística a estes homens. Ou nos medidas de “excepção” para fazer
crise para fazer o contrário — um estivadores, vítimas de face à crise devastadora de 1929.
resgate Ænanceiro aos hospitais despedimento sumário no Porto de Também Salazar se consolidou à
privados, de facto em risco de Lisboa. Quando foram assegurar o frente de uma ditadura depois de
falência com a crise económica, abastecimento das ilhas, tinham os ter feito o tirocínio como “ditador
resgate encapotado de criar um portões fechados pelos patrões, à das Ænanças”, para conter o
“sistema de saúde em rede para margem da lei, para justiÆcar o seu “descalabro das contas públicas”.
combater a pandemia”. despedimento por uma empresa Desta crise pode renascer um
Foram os médicos e proÆssionais “insolvente”. Parte dos mesmos Estado social forte, ou um Estado
de saúde no terreno, e algumas insolventes já abriram uma forte policial — de que lado estamos
direções em cooperação com estes, empresa de trabalho precário que nós?
que conseguiram num tempo se propõe contratar os despedidos
recorde reorganizar os serviços do por 1/3 do valor. Em pleno estado Historiadora,
SNS — o que é exemplar sobre a de emergência, isto passa-se no Universidade Nova de Lisboa
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 19

Congratulamo-nos com esta


decisão. A saúde é a prioridade
número um e está acima de
qualquer outra consideração
Robin Mitchell
Associação dos Comités Olímpicos Nacionais

Tóquio 2020 passou para 2021


Depois de semanas de indeÄnição, os Jogos Olímpicos foram adiados devido à expansão global do novo
coronavírus. Uma decisão que foi ao encontro das pretensões de atletas, federações e comités nacionais
FRANCK ROBICHON/EPA
milhões. O adiamento coloca em
Marco Vaza suspenso todas as fontes de receita
que os Jogos podem gerar, como

J
á tinham sido três vezes a bilheteira ( já estavam vendidos
adiados por guerras, agora 4,8 milhões de bilhetes, de um total
Æcam em suspenso por cau- de 7,8 milhões), as transmissões
sa de uma pandemia. Devi- televisivas e os patrocínios oÆciais,
do à expansão global do já para não falar da perda da própria
novo coronavírus, os Jogos economia japonesa — a Reuters
Olímpicos de Tóquio Æcaram adia- cita uma estimativa da JP Morgan
dos para 2021, uma decisão anun- que aponta para perdas num valor
ciada ontem pelo Governo japonês a rondar os 11 mil milhões de euros
e pelo Comité Olímpico Internacio- em 2020.
nal (COI). Depois de um longo perío- O adiamento dos Jogos para data
do de indeÆnição e de o próprio COI incerta foi o primeiro dominó a cair
ter dado a si próprio quatro sema- naquilo que será uma reacção em
nas para decidir, ao mesmo tempo cadeia de alcance gigantesco. As
que múltiplos eventos desportivos televisões que compraram os direi-
iam sendo cancelados um pouco tos televisivos dos Jogos já negocia-
por todo o mundo, o clamor do des- ram o espaço de publicidade para
porto internacional a pedir o adia- as horas de transmissão e os anun-
mento, incluindo o boicote anuncia- ciantes, por seu lado, já puseram
do de países como o Canadá e a em andamento as respectivas cam-
Austrália, tornaram este desfecho panhas. Este é um número difícil de
inevitável. calcular em termos globais, mas dá
Para já, ainda não há nova data. para saber, por exemplo, que a nor-
O adiamento pode ser de meses ou te-americana NBC pagou 7,74 mil
de um ano, sendo que Æcou deÆnido Os Jogos já tinham sido adiados três vezes por causa de guerras, nunca por causa de uma pandemia milhões de dólares pelos direitos
que os Jogos (olímpicos e paralím- dos Jogos (de Verão e de Inverno)
picos) terão de acontecer até
ao Verão de 2021. Mas o evento vai Nas contas mais das recomendadas para a contenção
da pandemia.
Guerra Mundial — a cidade alemã
acabaria por ser a sede do evento
até 2032.
Depois, há ainda a questão das
m a n t e r o n o m e — Tó q u i o
2020 — e a chama olímpica vai
conservadoras, Para além do risco que era juntar
no mesmo sítio milhares de pessoas
em 1936. Tóquio deveria ter acolhi-
do os Jogos de Verão em 1940, mas
infra-estruturas erguidas para os
Jogos de Tóquio, cuja disponibilida-
continuar a arder em território japo-
nês até se realizar. O comité organi-
o Japão terá de todo o mundo, a validade des-
portiva deste Jogos também Æcaria
o Japão abdicou do evento ainda
antes do início da II Guerra Mundial
de para outras datas é questionável.
O maior exemplo de todos é a Aldeia
zador admite que o próprio calen- investido já 11 mil posta em causa se estes fossem para — seria depois atribuído a Helsín- Olímpica, destinada a receber todas
dário dos Jogos seja reduzido, mas
o cancelamento total nunca esteve milhões de euros a frente nas datas originais. Pratica-
mente todas as provas de qualiÆca-
quia, mas sem se concretizar. Os de
1944 estavam agendados para Lon-
as comitivas, cujos apartamentos já
estão vendidos e que seriam ocupa-
nos planos das três entidades
que partilham a organização nestes Jogos ção olímpica nas modalidades ainda
com vagas em aberto foram cance-
dres, sendo a capital inglesa a sede
dos primeiros Jogos no pós-guerra,
dos logo após o Ænal dos Jogos, a 9
de Agosto.
(COI, Governo japonês e organiza- ladas e a preparação dos atletas em 1948. Helsínquia recebeu os de À escala portuguesa, este adia-
ção local). Jogos Olímpicos e da comunidade Æcou seriamente comprometida 1952 e Tóquio os de 1964. mento também irá obrigar a um
“Dadas as circunstâncias, e tendo internacional”, justiÆcou o COI, em com as restrições impostas. Basica- esforço suplementar por parte do
em conta a informação fornecida comunicado. mente, não iriam estar os melhores Os prejuízos Comité Olímpico de Portugal (COP),
pela Organização Mundial de Saúde, Era a decisão mais esperada por de cada especialidade em Tóquio, e Adiar um evento com a dimensão que estima a necessidade de refor-
o presidente do COI e o primeiro- todas as razões e mais alguma. A os que lá fossem não iriam apresen- dos Jogos Olímpicos tem inevitáveis çar em 1,5 milhões a verba para
ministro do Japão concluíram covid-19 é um problema global, com tar-se na sua melhor forma. custos associados. Estima-se que o garantir o apoio Ænanceiro aos atle-
que os Jogos da XXXII Olimpíada consequências ainda difíceis de pre- Um adiamento é a primeira vez Japão já tenha investido cerca de 11 tas no projecto Tóquio 2020, sem
em Tóquio devem ser reagendados ver, e organizar nesta altura uma que acontece, mas o cancelamento mil milhões de euros para pôr estes contabilizar eventuais perdas no
para uma data para lá de 2020 e competição que junta 11 mil atletas dos Jogos de Verão já sucedeu em Jogos de pé desde que ganhou a que diz respeito a alojamentos e via-
nunca depois do Verão de 2021, de todo o mundo e que atrairia cen- várias ocasiões. Berlim deveria ter votação em 2013 a Istambul e gens já reservadas.
para salvaguardar a saúde dos atle- tenas de milhares de pessoas à capi- recebido os Jogos em 1916, mas estes Madrid, mas há quem coloque esse
tas, de todos os envolvidos nos tal japonesa ia contra todas as medi- foram cancelados por causa da I investimento Ænal acima dos 23 mil mvaza@publico.pt
20 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

ESPAÇO PÚBLICO
Era uma inevitabilidade, mas mesmo assim O Presidente dos EUA continua a desvalorizar
foi preciso que alguns países desistissem de a covid-19 e, quando a OMS diz temer que o
estar nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, o país seja o novo pólo maior, Trump volta a
que acentuou o clamor do desporto internacional divergir dos especialistas, que consideram que a
para que o evento não se realizasse este ano, para melhor forma de conter o problema é fechar todas
que as Olimpíadas fossem finalmente adiadas — as actividades que não são necessárias e remeter os
serão em 2021. Os Jogos já tinham sido adiados três cidadãos para casa. Diz que os EUA não foram feitos
vezes por causa de guerras, mas desta vez a para estar fechados e fala em ter o país a funcionar
responsável por pôr o investimento e as receitas em até à Páscoa. Com quase 600 mortos e 46 mil casos,
Thomas Bach causa é uma pandemia. (Pág. 19) J.J.M. Donald Trump são as eleições que o preocupam. (Pág. 14/15) J.J.M.

A pandemia ainda pode ser só cinzento-escura


Estado. A DGS engana-se e corrige entram em falência acelera. Os pedidos enigma difícil de entender. A
abertamente os enganos, para lá de de subsídio de desemprego vão capacidade instalada no SNS tem folga
começar a distribuir informação mais disparar. O pacote de 9,2 milhões de para uma procura rotineira, não para
detalhada sobre o que acontece na euros que o Governo anunciou tem a responder a uma pandemia.
frente de combate à epidemia. Um marca da dívida pública, um limite Estamos a caminho do olho do
Manuel Carvalho pouco por todo o país, académicos, severo que o torna insuÆciente para furacão. A tempestade está à frente,
Editorial empresas e cidadãos juntam-se para responder à gravidade do momento. Da mas há cinzento-escuro entre o negro

O
contribuir para o reforço do SNS. A Europa vieram bons sinais, mas para o opaco. Ou entre o mau e o péssimo. A
número de infecções com o novo indústria está a ser convocada para quadro de necessidades da União ou de incerteza é das poucas certezas que nos
coronavírus em Portugal produzir em Portugal o que demora ou estados mais vulneráveis como restam. Como o primeiro-ministro
continua razoavelmente contido não é possível encomendar no Portugal as respostas não chegam. Não voltou a enfatizar, num registo sóbrio
pelo quinto dia consecutivo. A estrangeiro. Com excepção de casos é seguro que uma resposta colectiva que lhe tem Æcado bem, “nada nos
mortalidade permanece isolados de irresponsáveis ou através de eurobonds seja possível e a garante que o boletim de amanhã não
comparativamente baixa. Estão a inconscientes, as medidas de incerteza ajuda a corroer a conÆança e tenha piores números que o boletim de
caminho novos meios de protecção isolamento social pedidas pelas a degradar um quadro económico que hoje”. No horizonte, há um objectivo: o
para doentes graves e para os autoridades estão a ser cumpridas. As é já mais grave que o do auge da crise de evitar uma tragédia semelhante à
proÆssionais da saúde. O Governo notícias sobre açambarcamentos Ænanceira. Nos hospitais continuam a dos nossos vizinhos ou dos italianos. Se
preserva uma imagem de equilíbrio e desapareceram. faltar equipamentos e material de lá conseguirmos chegar, será uma
de capacidade de liderança que, dizem Sindicatos, empresários ou protecção básico para os proÆssionais grande vitória neste tempo em que
as sondagens, parece colher a economistas continuam a alertar para a da saúde. A confusão sobre os testes quase nada há para celebrar.
conÆança da população. A oposição hecatombe económica que se desenha feitos, por fazer, que existem ou não
revela responsabilidade e sentido de no horizonte. O ritmo de empresas que existem persiste ainda como um manuel.carvalho@publico.pt

CARTAS AO DIRECTOR
Agradecimento atormenta e mata, Tempo de agir repensar as estratégias
escondem-se nas redes sociais e as prioridades para os seus
Como ser humano, agradeço ao os discursos do ódio, da
e de aprender municípios, sobretudo no
PÚBLICO todo o excelente intolerância e da inverdade Instalada a pandemia da covid-19, que à cultura diz respeito.
trabalho de informação que tem sobre esta pandemia. Fervilham é agora tempo de agir, de mudar Os espectáculos de massas, as
desenvolvido neste período difícil as notícias falsas e textos hábitos, de novos desaÆos… Mas, festas e as festinhas, os
que atravessamos. A edição de 23 indecorosos... Temos de nos também, tempo de reÇexão, de investimentos na cultura do
de Março é extraordinariamente cuidar e ajudar quem nos análise ao nosso modo de vida, às efémero, do passageiro, sem outro
pedagógica e esclarecedora, rodeia. Ser solidários com os nossas prioridades, à importância retorno que não seja o da satisfação
particularmente o artigo do velhos, com os doentes que tinha o que até aqui era tão imediata, de um prazer
professor de epidemiologia mentais, com os sem-abrigo, importante; é tempo de escolhas. momentâneo, estão condenados.
Manuel Carmo Gomes e os dos com as crianças socialmente Porque, como escrevia António Importa agora investir numa
jornalistas Patrícia Carvalho e desfavorecidas e com os mais Barreto (PÚBLICO de 22 de Março) perspectiva estrutural e
As cartas destinadas a esta secção Ricardo Garcia. Estes artigos despossuídos. São todos estes os “criámos uma sociedade de heróis estruturante da cultura,
devem indicar o nome e a morada deviam ser digitalizados e mais prejudicados por esta vácuos, de espectáculo e de investimento cultural que promova
do autor, bem como um número enviados para as bibliotecas de dramática situação. satisfação imediata, (…) Fizemos o desenvolvimento sustentado das
telefónico de contacto. O PÚBLICO todos os estabelecimentos de São os mais vulneráveis uma sociedade de produto e artes, da música, do espectáculo,
reserva-se o direito de seleccionar e ensino de Portugal (escolas, os grandes visados, que não marca, de performance e do conhecimento. Importa agora
eventualmente reduzir os textos não institutos superiores e podem estar sujeitos a uma produtividade. Inventámos uma privilegiar o duradouro em
solicitados e não prestará universidades). espécie de darwinismo, sociedade de banalidades e detrimento da satisfação imediata
informação postal sobre eles. Jorge Paiva seja ele social ou económico... futilidades, de falso brilho e de das multidões, substituir as festas e
Cuidemos de todos aqueles. satisfação efémera”. os espectáculos de satisfação de
Os mais velhos Não podemos nem devemos Cabe a cada um de nós um dia por investimentos sérios e
deixá-los para trás. repensar como estávamos a viver; sustentados na cultura.
Email: cartasdirector@publico.pt Por detrás desta mortífera Vítor Colaço Santos, cabe aos decisores políticos em Norberto de Oliveira Manso,
Telefone: 210 111 000 doenças, a covid-19, que nos São João das Lampas geral, e em particular aos autarcas, Sabugal
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 21

A opinião publicada no jornal respeita a norma ortográfica escolhida pelos autores

A Benfica SGPS desistiu ontem da oferta Na kafkiana política israelita, Netanyahu é um


pública de aquisição (OPA) que tinha sobrevivente, mas a sua estratégia para se
lançado sobre a SAD “encarnada”, alegando manter no poder não está a resultar, e a sua
que na base dessa decisão está o cenário de última jogada — propor a formação de um governo
incerteza provocado pela pandemia de covid-19, de unidade nacional a Benny Gantz, líder do partido
mas essa decisão vem depois de a CMVM ter Azul e Branco que foi mandatado pelo Presidente do
suspendido a venda de acções por necessitar de país para formar um executivo — foi recusada pelo
mais esclarecimentos sobre o negócio, através do seu adversário político. Netanyahu está à procura de
qual o Benfica pretendia ficar com 95% do capital uma solução que lhe permita evitar a justiça, mas
Luís Filipe Vieira da SAD. (Pág. 47) J.J.M. Benjamin Netanyahu ainda não a encontrou. (Pág. 35) J.J.M.

ESCRITO NA PEDRA
Que
Ingratidão é uma forma de fraqueza.
Jamais conheci homem de valor que fosse ingrato remédio
Johann Goethe (1749-1832), escritor e cientista

SEM COMENTÁRIOS DESINFECÇÃO DAS RUAS DE VILA NOVA DE GAIA


NELSON GARRIDO

N
Miguel Esteves Cardoso
Ainda ontem
ão consigo distrair-me. Sei que não
posso estar sempre em cima dos
noticiários mas não consigo
resistir.
Sei que vai ser longo o
conÆnamento e que me faz mal
ocupar o tempo com o coronavírus
mas — por enquanto — só sou
capaz de ver um quarto de um
Ælme ou ler uma mão-cheia de
páginas de um livro.
É fácil culpar os media. São tantos, em
tantas línguas. Facilmente se passam os dias a
saltar de um para o outro, à procura de uma
notícia nova, de números diferentes, de
preferência melhores.
É muito mau sinal não encontrar notícias
novas: é porque não se está a fazer mais nada
senão procurá-las. Qual é a deÆnição de vício
que exclui estes comportamentos? Não existe.
Sem conseguir distrair-me também não
consigo distrair quem me atura. Vêm-me à
cabeça coisas diferentes mas são todas sobre
o coronavírus. A culpa, claro está, não é dos
media. Sem eles, então, é que seria
insuportável. Imaginamos como era no
tempo das pragas em que não se sabia nada.
Sim, era horrível, com certeza, mas, se
calhar, era também mais fácil uma pessoa
distrair-se.
É fácil consolar-me com o facto de sermos
muitos a não conseguirmos distrair-nos. O
pior é que quando andamos obcecados por
EM PUBLICO.PT qualquer coisa o convívio dos outros é o
melhor remédio, porque relativiza e
desdramatiza a nossa obsessão. Isso agora já
Quarentena ilustrada O mundo da ilustração Autarcas italianos exaltados não acontece. E pior: se, por acaso, consigo
despede-se de Uderzo A paciência dos italianos está a esgotar-se distrair-me por um momento, há sempre
Uma quarentena ilustrada é uma à medida que a epidemia da covid-19 entra alguém que me interrompe a distracção e me
quarentena bem passada. Ou, pelo menos, Vários ilustradores estão a homenagear, no segundo mês, como mostra uma chama à terra.
um bocadinho melhor. Por isso, o P3 pede a alguns com desenhos inéditos, a vida e a compilação de vídeos de autarcas A única coisa que me ocorre é ser menos
todos os leitores para nos enviarem os seus obra do pai de Astérix, que morreu ontem exaltados com quem parece “furar” a duro comigo próprio e deixar-me estar como
desenhos publico.pt/p3 publico.pt/multimedia/fotogalerias quarentena publico.pt/multimedia/videos estou.
22 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

ESPAÇO PÚBLICO

Para além da tempestade viral

ADRIANO MIRANDA
condições de rendimento, de história pessoal
Elísio Estanque ou proÆssional e o nosso Estado-providência
não são custos ou encargos, mas bens
preciosos, vantagens indispensáveis quando
A incógnita é saber até que o destino bate à porta. O que esta pandemia
ponto a sociedade será revela é que existem bens e serviços que
devem Æcar fora das leis do mercado. (…) As

D
capaz, no rescaldo, de repor próximas semanas e os próximos meses
os mecanismos de regulação necessitarão de decisões de rutura neste
sentido”. (comunicação ao país na France
esconhecemos ainda a dimensão TV, 12/3/2020).
da catástrofe causada pela É claro que estas palavras valem o que
pandemia da covid-19, mas é valem. Mas, olhando o mapa mundial,
quase certo que as consequências estamos perante um quadro que coloca de
sociais e económicas do atual novo à prova o papel da Europa nos
surto irão ser profundas. Para rearranjos urgentes que esta calamidade
além do terrível impacto imediato, evidencia. Em Portugal, temos assistido, nos
é previsível que as sequelas se últimos dias, a uma mobilização sem
prologuem no tempo e ganhem embora menos discutido porque se máscaras e vestuário hospitalar (como foi precedentes desde o 25 de Abril, com a
um alcance estrutural nas nossas metamorfoseou e se tornou mais opaco”. noticiado em unidades produtivas em sociedade e a generalidade dos atores
sociedades. Consideremos, desde logo, o Ora, perante os apelos e imposições atuais Barcelos e PenaÆel, onde se trabalha 24 horas políticos a mostrar um sentimento
campo laboral, mas também o papel do para generalizar o trabalho à distância, não por dia) para fazer face às necessidades das espontâneo de solidariedade para com os
Estado social nos setores nevrálgicos das restam dúvidas de que irá agravar-se a instituições de saúde neste momento de proÆssionais do SNS. Mesmo as medidas do
nossas democracias. A grande incógnita é tendência num cenário de pós-coronavirus, aÇição, se pode evitar que muitas mais vidas Governo, apesar do seu carácter drástico, e
saber até que ponto a sociedade será capaz, até porque isso vai ao encontro dos interesses estejam em risco. Ou seja, é a força de trabalho seguramente por causa dele, têm merecido o
no rescaldo deste temor global, de construir de muitas empresas. Talvez as mesmas que se a mola real da economia, esteja ela localizada apoio dos portugueses. Ninguém pode
novos mecanismos de regulação e se eles apressam agora a promover despedimentos na periferia das nossas cidades ou na periferia garantir até onde este cenário nos irá
poderão assegurar a harmonia e coesão ou se em massa. Apesar disso, torna-se premente a do sistema mundial. É certo que os conduzir, mas é em momentos cruciais
as mudanças em curso abrirão caminho para necessidade de manter a produção a trabalhadores do setor dos serviços, os elos para a vida pública, como o atual, que
mais instabilidade, convulsão e violência. funcionar, mesmo em tempos de exceção, que fazem Çuir o teletrabalho ou os que, em novas orientações e estratégias políticas
Ambos os cenários são admissíveis, embora nomeadamente em atividades produtivas e casa, alimentam as startups e o funcionamento poderão ser traçadas. Como a história já
se espere que esta dolorosa aprendizagem serviços diretamente relacionados com as de milhares de organizações, são igualmente provou, é dos destroços das calamidades,
nos ajude a abrir novos horizontes que nos novas necessidades. E, no curto prazo, a decisivos e precisam de ser (mas não são) pandemias ou guerras devastadoras que
devolvam a esperança. manter-se o panorama atual, irá devidamente enquadrados e reconhecidos podem nascer novas lideranças, capazes de
Já sabemos que as democracias ocidentais provavelmente notar-se ainda mais a nos seus direitos. Empreendedores da sua deÆnir novos rumos. Importa inverter o
têm vindo a resvalar para um estado agónico, importância do trabalhador manual. O própria precariedade, trabalhadores em recente curso mercantilista e privatista que
de crescente corrosão e perversidade, onde teletrabalho e as plataformas digitais estão a nome individual, segmentos vulneráveis, temos vivido. A apropriação egoísta dos
a legitimidade constitucional e as instituições ganhar uma nova centralidade nos dias de prestadores de serviços tantas vezes usados benefícios, conjugada com a coletivização
se vergam perante poderes e forças chumbo que estamos a viver, mas devemos por empresas de trabalho temporário sem dos custos, é o desígnio de alguns interesses
ilegítimas. Não se espera que os processos lembrar-nos de que o pão, os legumes, o leite escrúpulos, engrossam desde há décadas o instalados, nomeadamente no setor da
em curso na economia e no mercado de e as pizzas que nos chegam agora à entrada da exército do “ciberproletariado” do século XXI, saúde ou no setor Ænanceiro, mas não tem
emprego sejam travados de repente. Como porta não caíram do céu nem são fabricados como lhes chamou a socióloga britânica que ser sempre assim.
assinalei num texto recente, a fragmentação nos ambientes informáticos. São fruto do Ursula Huws. É possível, diria mesmo, é Não sabemos quando irá passar esta
e a Çexibilização no campo laboral tendem a esforço de trabalhadores reais, gente de carne desejável, que as circunstâncias excecionais tempestade nem se a ela se seguirá a bonança
acentuar-se, “dando continuidade a e osso, porventura a que hoje atravessamos ajudem a despertar ou tempos ainda mais tempestuosos. A
processos em curso como o outsourcing, a trabalhar em consciências quanto à importância crucial do paisagem social a que nos acostumámos ao
subcontratação, o trabalho temporário, o condições ainda mais trabalho, dos trabalhadores e seus direitos. longo do último século pode alterar-se de
trabalho a tempo parcial, o trabalho precárias e Essa dimensão vai ao encontro do segundo forma irreversível. E, aqui, o papel ativo da
independente, etc., que continuam a desumanas do que as aspeto que gostaria de destacar. O momento sociedade civil e das instituições assume um
expandir-se, multiplicando as formas e dos entregadores que é particularmente propício para testar o caráter decisivo, desde que se saiba distinguir
vínculos contratuais e ampliando as tarefas à A paisagem os transportam até papel do Estado e das instituições entre os padrões comportamentais pautados
distância, a individualização, a digitalização”
(jornal PÚBLICO, 27/1/2020). Num mundo
social a que nos nossa casa.
Se a indústria parar
democráticas perante a hegemonia do
mercado e da narrativa neoliberal. O valor do
pela consciência cívica das pulsões
desencadeadas por instintos de medo e de
desigual é Çagrante o contraste entre os que acostumámos totalmente, a trabalho, das políticas públicas e dos direitos pânico. Se estas últimas constituem o húmus
beneÆciam da revolução digital e os
restantes, isto é, entre os incluídos e os
pode alterar-se economia vai-se
ressentir de forma
sociais ganham agora uma nova luz. Até o
Presidente Macron, tantas vezes apontado
do fanatismo identitário que ameaça a
Europa e o mundo, as primeiras são o
excluídos. Acrescentava-se ainda no mesmo de forma devastadora. Mas, no como o paradigma do neoliberalismo na UE, repositório da esperança na reinvenção
texto que “a grande maioria dos novos irreversível momento presente, declarou há dias: “Precisamos amanhã de civilizacional de que necessitamos, a
ocupados através da ‘uberização’, das ‘work em Portugal, só com tirar lições do momento que atravessamos, começar pelo projeto europeu.
platforms’, do ‘trabalho à distância’, etc., a mobilização geral questionar o modelo de desenvolvimento
vem somar-se aos milhões já existentes, dos empregados, por que o nosso mundo escolheu há décadas e Centro de Estudos Sociais/Faculdade
uma massa de gente que subsiste nas exemplo, nas que mostra as suas falhas à luz do dia, de Economia da Universidade
periferias do sistema (sem quaisquer direitos empresas que precisamos questionar as fraquezas das de Coimbra; professor visitante
ou proteção) e que lhe serve de alimento. O fabricam nossas democracias. O que revela esta na Universidade de Friedrich-Schiller,
trabalho manual continua a ser central, intensivamente pandemia é que a saúde gratuita, sem Jena, Alemanha
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 23

ESPAÇO PÚBLICO

A mensagem do vírus 20 mil à espera


do milagre

S
conduziram à Segunda Guerra; o pós-Segunda começar a contagiar e matar pessoas dentro

H
Nuno Severiano Teixeira Guerra signiÆcou o retorno a um novo Manuel Soares das prisões, a intranquilidade e insegurança
O Mundo às Avessas internacionalismo, fundado sobre instituições vão aumentar. Estamos preparados para isso?
multilaterais com a ONU à cabeça. O Estado ão Dimas, o bom ladrão que se Não é preciso ser especialista para ver que
averá um antes e um depois do manteve o papel de regulação económica e arrependeu na cruz e recebeu de há dois grandes factores de risco que podem
coronavírus. A pandemia é um política, mas aberto à cooperação Cristo a salvação no derradeiro ser diminuídos. É preciso agir já. À
momento histórico. E está a internacional. Na década de oitenta, porém, instante, é o padroeiro dos presos velocidade que as coisas acontecem, o que
funcionar como um acelerador do Reagan e Thatcher iniciaram uma nova era a que agonizam sem esperança no ontem era precipitado, hoje é inevitável e
mundo que aí vem, um revelador que chamaram neoliberal. Começaram o corredor da morte. Hoje, 25 de amanhã tarde demais.
do futuro. processo de desregulação que a globalização Março, no Dia de São Dimas, alerto Em primeiro lugar, há que reduzir ao
Estávamos habituados a pensar levou ao extremo. Apagaram-se as soberanias para a delicada situação das mínimo as entradas e saídas e gerir esse Çuxo
o nosso mundo em níveis e reforçaram-se as redes. Foi a derrota do prisões portuguesas, antes que, no para que quem vem do exterior seja sujeito a
separados, cada um com o seu Estado e a vitória do mercado. meio desta tormenta, Æquem para testes de despiste e colocado em quarentena.
tempo e o seu modo: o individual, Ora, a resistência à globalização é feita, hoje, trás, esquecidas, à espera dum milagre. Se (ou No tribunal de execução de penas do Porto,
o nacional e o internacional. A globalização sob o signo do regresso ao nacionalismo: ao melhor: quando) o vírus covid-19 entrar nas as saídas precárias estão a ser autorizadas
rompeu essas diferenças e concentrou esses proteccionismo no plano económico, ao prisões, pode ser uma desgraça para os 12.729 mas o momento da sua execução é deixado
níveis. Encurtou o espaço e o tempo. Tudo é populismo no plano político, ao bilateralismo reclusos e 6725 funcionários e guardas ao critério dos directores, precisamente para
simultâneo. Vivemos em directo o que se transaccional contra a ordem multilateral. prisionais que lá vivem e trabalham. Bem sei permitir essa gestão
passa do outro lado do mundo e o que se passa Será que o coronavírus vai reforçar essa que isto está longe de ser uma prioridade — se de Çuxos. É uma boa
do outro lado do mundo tem reÇexo imediato tendência? É certo que para conter a morrerem presos, que morram, pensam medida.
na nossa vida. Para o bem e para o mal. É bom exponencial do contágio os Estados estão a muitos. Mas não está certo. Uma sociedade Em segundo lugar,
ter à distância de um click tudo o que fechar fronteiras, restringir liberdades e impor que se preze e queira ser respeitada tem de há que encontrar
queremos comprar, mesmo que venha do o conÆnamento, isto é, a reforçar o plano tratar de todos. Não há cidadãos de Æm de forma de libertar
Japão. É bom ouvir em directo, em Lisboa, nacional. Mas será linha com direitos descartáveis. Se (ou melhor: espaço nas prisões
uma ópera que está a ser cantada em Nova essa a solução global Estamos sentados num barril de pólvora. quando) o vírus para diminuir o risco.
Iorque. Mas, infelizmente, não pudemos fugir para o problema? Há 12.729 reclusos para uma capacidade de A Irlanda está a
às consequências negativas. Todas essas acolhimento total de 12.923 lugares. Sobram covid-19 entrar equacionar a
Sabemos, desde o 11 de Setembro, o que é a medidas são 164 lugares vagos e dispersos pelo país para nas prisões, libertação
globalização da segurança. E como o
terrorismo transnacional pode atacar a
Do que necessárias para o
controlo da
isolar pessoas doentes e casos suspeitos.
Assim é quase impossível evitar contágios em
pode ser uma antecipada dos
presos que estão a
qualquer momento e em qualquer lugar. precisamos é pandemia. Mas essa é grande escala. desgraça menos de 3 meses do
Provocar morte e afectar o nosso quotidiano,
desde logo nos aeroportos. E sabemos
de um novo apenas meia verdade.
Porque não haverá
Nas cadeias não há isolamento social. Os
reclusos partilham celas e os locais de
para os 12.729 Æm da pena. É uma
medida impopular,
também, desde 2008, o que é a globalização New Deal à solução global sem o recreio, refeições e higiene. Guardas e reclusos e 6725 mas vivemos tempos
Ænanceira e as suas consequências escala reforço da reclusos misturam-se em espaços exíguos e funcionários de excepção. Muitos
económicas. Como a falência de um banco cooperação pouco arejados. Ao contrário do que se possa reclusos cumprem
americano pode levar à crise do Euro e ao nternacional
internacional internacional: na pensar, as prisões não são estanques ao e guardas penas de prisão
corte dos nossos salários e das nossas pensões. descoberta da vacina, contacto exterior. Em cada ano, há milhares prisionais curtas,
Agora, Æcámos a saber como um vírus, ao que
dizem, gerado por um morcego e vendido
na disponibilização
dos equipamentos
de saídas precárias e centenas de reclusos a
trabalhar em regime aberto no exterior. Em
que lá vivem nomeadamente por
crimes estradais.
num mercado no Centro da China, pode médicos, na cada 24 horas, há quatro turnos de guardas e trabalham Muitos outros estão a
matar milhares de pessoas em todo o mundo e coordenação da OMS prisionais a entrar e sair. Há inúmeros poucos meses da
conÆnar-nos, não sabemos por quanto tempo, e, Ænalmente, na transportes de presos para os tribunais. Com liberdade
às paredes da nossa casa. difícil recuperação económica que se adivinha. este “vai-e-vem” de entradas e saídas, por condicional. Cerca
Seja terror, dinheiro ou vírus, estes Çuxos Do que precisamos é do reforço simultâneo do mais cuidado que haja, é quase inevitável de 1500, por causa
transnacionais atravessam os Estados, papel regulador do Estado e da cooperação que o vírus entre nas prisões. Por outro lado, das saídas precárias
escapam ao controlo nacional e geram um multilateral: de um novo New Deal à escala a nossa população prisional tem 48% de ou do trabalho no
movimento de interdependência global que se internacional. pessoas com mais de 40 anos de idade e 7% exterior, já passam
reÇecte na vida quotidiana de todos nós, no A principal mensagem que o vírus nos traz é com mais de 60 anos. Tendo em conta o uma boa parte do tempo fora. Talvez fosse
plano individual. Mas essa interdependência que fazemos todos parte, como diz Edgar grande número de condenados por crimes bom pensar numa medida legislativa de
global não gerou um sistema correspondente Morin, de “uma comunidade de destino”. Já relacionados com consumo de drogas, não é urgência, que permitisse que muitos desses
de gestão política. Isto é, um modelo de fazíamos antes. O 11 de Setembro, a crise difícil adivinhar que uma parte muito reclusos, depois de uma avaliação positiva
regulação. E é por isso que os efeitos negativos Ænanceira ou a mudança climática são a prova signiÆcativa tem doenças graves que dos tribunais de execução de penas,
da globalização desregulada crescem, disso. Mas o coronavírus funcionou como uma aumentam o risco de vida no caso de pudessem ser transferidos para as suas
exponencialmente, como as desigualdades ou tomada de consciência dramática desse contaminação. Cá está o barril de pólvora. residências e colocados sob vigilância
a curva do vírus. E é por isso que o regresso à destino comum como humanidade. A Por causa da pandemia covid-19, já houve electrónica até passar a tempestade.
soberania nacional aparece como solução globalização tem sido interdependência sem motins e desordens em prisões da Colômbia, Dirão alguns que isto é uma “heresia”. E eu
para o problema. solidariedade. Não podemos acabar com a Brasil, França, Itália e Sri Lanka — fora os respondo: qual é a parte da expressão “estado
Mas isso não é novo, foi sempre assim, num interdependência, mas podemos casos que não sabemos. Porque o medo é de emergência” que não perceberam?
movimento de alternância cíclica: a reacção acrescentar-lhe a solidariedade. É isso uma igual, pode vir a acontecer o mesmo em Estamos sentados num barril de pólvora à
aos nacionalismos que levaram à Grande comunidade de destino. Portugal. As pessoas cometeram crimes, espera de um milagre.
Guerra foi o internacionalismo da Sociedade estão presas mas não são estúpidas nem
das Nações; a reacção ao fracasso da Professor Catedrático da Universidade aceitam Æcar para trás. Se as autoridades Presidente da Direcção da Associação
Sociedade das Nações e à crise de 1929 foi o NOVA de Lisboa, Director do Instituto tardarem em tomar as medidas de protecção Sindical dos Juízes Portugueses.
regresso aos nacionalismos totalitários que Português de Relações Internacionais adequadas ou se — pior ainda — o vírus Escreve quinzenalmente à quarta-feira
24 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

POLÍTICA
Oposição mantém que linha do
metro de Lisboa não pode avançar
A suspensão da linha circular do metro de Lisboa foi aprovada como alteração ao Orçamento, contra
a vontade do PS e do Governo. Presidente interpreta-a como uma mera “recomendação” política
MIGUEL MANSO
esse entendimento comum num cair a obra, a deputada Isabel Pires
Orçamento do Estado momento de crise epidemiológica e deixa um recado: “Se o Governo qui-
Liliana Borges laboral. “Haverá mais do que oportu- ser cumprir o que está no OE, então
nidade e tempo para, no momento a construção da linha circular do
A promulgação do Orçamento do certo, se retomar a discussão em tor- metro não deve avançar.”
Estado para 2020 trouxe a suspensão no destas iniciativas”, considera o Também André Ventura, do Che-
da construção da linha circular do PAN, pedindo “contenção” ao execu- ga, considera “incompreensível” que
metro de Lisboa aprovada contra tivo socialista. “Não nos parece que as normas sejam “uma mera reco-
a vontade do PS de volta à agenda faça sentido este ruído. Não é de todo mendação”. O deputado não acredi-
política. Em causa está uma nota da o momento apropriado.” ta que Marcelo entenda que se trata
Presidência da República publicada apenas de uma recomendação e con-
com a promulgação do OE, na qual Orçamento “é lei” sidera que a nota do Presidente da
o chefe de Estado considera que o O PCP, que também viu aprovada a República é uma forma de apoio ao
Parlamento “não suspendeu qual- sua proposta, prefere não comentar Governo. Ao PÚBLICO, o deputado
quer decisão administrativa, limitan- a nota da Presidência da República, do Chega avança que irá questionar
do-se a formular recomendação mas diz que este “não é um debate formalmente o ministro do Ambien-
política”. Mas a conclusão de Marce- jurídico”. “O OE é o que é”, resume te sobre a intenção de avançar com
lo Rebelo de Sousa não foi bem rece- o deputado Bruno Dias. Para o comu- o projecto contra a vontade da maio-
bida pela oposição, que lembra o nista, o Governo deverá “cumprir a ria parlamentar.
carácter vinculativo e legal da maio- decisão largamente maioritária da Na perspectiva do PSD, “as decla-
ria parlamentar em relação ao Orça- Assembleia da República”, pois é rações do Presidente não fazem uma
mento do Estado (OE). essa a responsabilidade política “que avaliação sobre o mérito do projec-
Ontem, o Ministério do Ambiente deve reconhecer e cumprir”. to”, mas olham para a constituciona-
reiterou que as considerações de Também para o BE, a decisão só lidade da decisão. “As normas do OE
Marcelo conÆrmam que o projecto é pode ser uma: cumprir o que a maio- são para serem cumpridas. Podem
“indispensável” e que a decisão acer- ria parlamentar aprovou no início ou não sê-lo, dependendo das exe-
ca da sua concretização diz respeito, de Fevereiro e suspender a constru- cuções orçamentais, mas não são
“apenas e só”, ao Governo, que rei- ção deste projecto. Ao PÚBLICO, a recomendações”, sublinha o depu-
tera a intenção de avançar com o deputada Isabel Pires sublinha que tado social-democrata Carlos Silva.
projecto. Em plena crise sanitária e Para o PSD, as palavras de Marcelo
económica, as declarações do exe- reforçam que a decisão do Parlamen-
cutivo não são bem recebidas pelos “Não nos parece to “resulta de um consenso na
partidos que aprovaram a alteração
na especialidade: sublinham que
que faça sentido Assembleia da República, da socie-
dade civil e da comunidade cientiÆ#
“não é tempo de ruído” e pedem este ruído. ca, onde não se encontra ninguém
seriedade ao Governo.
Para o PAN, autor de uma das pro-
Não é de todo que seja a favor deste projecto”.

postas aprovadas, o projecto “diz de o momento Aviso dos trabalhadores


forma clara e com força de lei” que
o Governo procede à suspensão da
apropriado” Para a comissão de trabalhadores do
Metropolitano de Lisboa, o Governo
construção da linha circular do e o Presidente da República estão a
metro de Lisboa. Em resposta ao o OE é um instrumento legal e rejei- tentar impor o projecto da linha cir-
PÚBLICO, a deputada Inês Sousa ta que a decisão do Parlamento cular. O grupo de trabalhadores avi-
Real considera “desajustado” que tenha apenas um carácter opinativo. sa que “podem ter sido colocadas
este debate seja reacendido “num “O OE é uma lei, não é uma reco- graves questões, no futuro, a outros
momento em que os partidos estão mendação”, vinca a bloquista. A órgãos de soberania” e que “poderão
condicionados, num momento consideração feita por Marcelo é vir a impugnar concursos e contratos
excepcional da nossa democracia, vista pelo BE como “uma interpre- que irão onerar em muitos milhões
com o estado de emergência”. “Tal tação criativa que não se coaduna de euros o Estado português”, cita a
como já dissemos a propósito da dis- com o que é aprovado no OE”. agência Lusa. Já o Movimento Contra
cussão em torno do aeroporto do Para o Bloco, “o que está a aconte- o Fim da Linha Amarela faz uma
Montijo, não nos parece o tempo cer é que o Presidente da República, apreciação mais optimista das aÆr-
certo para avançar este tipo de ini- numa matéria especíÆca que todos mações de Marcelo: para o grupo, o
ciativas”, declara Inês Sousa Real. sabemos que deu bastante celeuma chefe de Estado entende que não
A deputada nota ainda que o Gover- e bastante discussão pública acaba existe inconstitucionalidade” e que,
no tem beneÆciado de um “respeito por dar a mão ao Governo”. Em res- estando a lei do OE “integralmente
pelo momento de união” das restan- posta às declarações do ministro do aprovada, é para cumprir”.
tes forças políticas, acrescentando Ambiente, que ao PÚBLICO repetiu
que este tipo de debate pode fragilizar Ministro do Ambiente afirma que a decisão só compete ao Governo que o executivo não tenciona deixar liliana.borges@publico.pt
Só 1 euro por dia
APENAS LISBOA E PORTO
APENA

Em casa,
Aponte a câmara
câ do seu telemóvel
para este cód
código e nós ajudamo-lo
a criar a sua
s assinatura. Ou vá a
publico.pt/emcasa

com o Público
de sempre
Queremos que continue com o seu jornal de todos os dias.
É importante ficar em casa e por isso nós vamos até si.
Receba a nossa edição diária com uma assinatura mensal de 1 euro por dia.
Todos os dias ou só ao fim-de-semana, você escolhe.
Basta dar o seu número de telefone ou email e nós criamos
a assinatura por si. Fique em casa com o mundo na mão.
CONTACTE-NOS

808 200 095 . 936 877 742


assinaturas@publico.pt

Pense bem,
pense Público
26 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

SOCIEDADE
Portugal sem habitação social
suƊciente para as necessidades
País chumba ainda em nove pontos da Carta Social Europeia. Conselho da Europa aponta falhas
na protecção de crianças e jovens: duração “excessiva” do “trabalho leve” de menores de 15 anos
ADRIANO MIRANDA

Relatório
Joana Gorjão Henriques
Portugal não tem habitação social
suÆciente para cobrir as necessida-
des existentes face ao índice de
pobreza do país. Está a falhar na pro-
tecção legal das pessoas ameaçadas
de despejo e a falhar na proibição
legal de despejo de pessoas de casas-
-abrigo ou de abrigos de emergência
sem que primeiro seja assegurada
uma alternativa.
O país não cumpre a Carta Social
Europeia em nove pontos e estes
são alguns deles, refere um relatório
que foi ontem divulgado pelo Con-
selho da Europa, organização criada
em 1946 com o objectivo de promo-
ver os direitos humanos e que tem
46 Estados-membros. O documen-
to, produzido pelo comité para os
direitos sociais, analisa como Por-
tugal está a cumprir a Carta Social
Europeia, compromisso dos países
para assegurar direitos como o
emprego, condições de trabalho ou
protecção social.
Na avaliação, que tem como perío-
do de referência 1 de Janeiro de 2014
e 31 de Dezembro de 2017, analisa-
ram-se 36 pontos que Portugal deve-
ria cumprir. Conclusão: passou em
21, chumbou em nove e há seis que
necessitam de clariÆcação.
Em 2017, os municípios portugue-
ses identiÆcaram quase 26 mil famí- Governo garantiu em 2018 que, até 2024, iria existir habitação condigna para as 26 mil famílias identificadas
lias com carências habitacionais. Em
2018, o primeiro-ministro, António informação sobre vários assuntos, tempo excessivo ou as soluções para da Europa considera que o número às medidas para melhorar o desem-
Costa, disse que iria existir habitação como o número real de sem-abrigo quem vê negado o seu pedido. de horas de trabalho diárias em penho escolar de crianças de origem
condigna para as 26 mil famílias até que não estão registados na Segu- Apesar de a habitação ocupar período escolar permitido às crian- cigana, nomeadamente quanto a
2024. Criou no ano seguinte uma Lei rança Social. Os peritos querem grande parte das falhas apontadas ças entre os sete e 16 anos é excessi- segregação e taxas de abandono
de Bases da Habitação e vários paco- saber o número total de candidatu- pelo relatório, não é apenas neste vo e, portanto, viola um dos princí- escolar, apontam.
tes de apoio. ras à habitação social, a média do campo que Portugal chumba. O país pios da carta. Este organismo tam- Outra informação que aguardam
O relatório do Conselho da Euro- tempo de espera, as alternativas chumba também no campo da pro- bém diz que as remunerações dos para avaliar no próximo relatório
pa elenca as várias medidas do legais para quem Æca em espera tecção de crianças e jovens, ao per- trabalhadores jovens e dos estagiá- são dados da Estratégia Nacional
Governo no âmbito da Nova Gera- mitir que a duração do “trabalho rios não são justas. para os Direitos das Crianças sobre
ção de Políticas da Habitação e refe- leve” de menores de 15 anos nas acti- Acusa ainda Portugal de estar a a incidência de crianças em situa-
re que não tem informação sobre se Em 2017, vidades culturais, artísticas ou de falhar na aplicação da legislação que ções de sem-abrigo e medidas para
se conseguiu aumentar o parque da os municípios publicidade seja “excessivo” — não proíbe o emprego a menores de 15 as proteger.
habitação social de 2% para 5% sendo, por isso, “leve”, apontam. anos. O país não enviou dados sobre Na nota de imprensa, o Conselho
como foi indicado pelo Governo, identiÄcaram Segundo o quadro reproduzido as inspecções ao trabalho de meno- da Europa sublinha que “a crise do
uma percentagem que considera ser quase 26 mil no relatório, o número de horas per- res de 16 anos que desempenham covid-19 é um lembrete brutal da
baixa, mesmo assim. mitido varia consoante a idade, mas funções depois da meia-noite, mas o importância de assegurar um pro-
Segundo os peritos, a situação da famílias com não pode ultrapassar as 12 horas por relatório espera vir a tê-las para ave- gresso duradouro na protecção dos
habitação é ainda mais agravada no carências semana (com a possibilidade de riguar o cumprimento das normas. direitos sociais”.
caso das famílias de origem cigana. extensão de três horas nos períodos Também nesta matéria o comité
O relatório aponta também falta de habitacionais em que não há aulas). O Conselho mostra preocupação relativamente jgh@publico.pt
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 27

SOCIEDADE

Número de vagas no quadro


para professores contratados
Breves sobe para 872
NUNO FERREIRA SANTOS

Lisboa Educação
Mulher detida por Clara Viana
violência doméstica Em seis anos, será o
terceiro maior lote de
A PSP deteve uma mulher de
60 anos por ser suspeita de contratados que entrará
violência doméstica e de ter no quadro por via dos
agredido um polícia na união concursos ordinários
de freguesias de Pontinha e
Famões, em Odivelas, no No próximo ano lectivo, vão entrar
distrito de Lisboa, foi ontem no quadro mais 872 professores que
anunciado. A PSP disse numa estão a contrato. É o que determina a
nota que a detenção ocorreu portaria do Ministério da Educação
em 21 de Março, na sequência que anteontem Æxou as vagas para o
de um alerta da vítima. “Os próximo concurso externo de colo-
polícias da PSP deslocaram-se cação de docentes, cuja abertura
ao local onde eram audíveis ocorrerá hoje.
gritos e mobiliário a ser O concurso externo destina-se à
partido, em resultado de entrada na carreira de professores
confronto físico.” que estão a contrato. Desde 2015,
tem servido quase exclusivamente
para garantir o cumprimento de
Sem seguro uma directiva europeia que impede
MP acusa GNR a utilização abusiva de contratos a
prazo. Ou seja, o número de vagas
que perdoou multa que tem sido aberto no âmbito des- Número de docentes contratados nas escolas ronda os 30 mil
te concurso é igual ao de contrata-
O Ministério Público acusou dos abrangidos pela chamada “nor- semanais, durante todo o ano lectivo. Para as disciplinas que durante acumulando contratos de apenas
um militar da GNR de um ma-travão”. O número de vagas Nesse ano, foram abertas 1236 este ano lectivo têm tido mais falta poucos meses.
posto de Famalicão dos crimes abertas para o próximo ano lectivo vagas e em 2019 outras 542. O núme- de professores, o número de contra- Uma das consequências deste lon-
de falsificação e denegação é o terceiro maior, em concursos ro de candidatos foi sempre superior tados em condições de entrar no go processo: a média de idades
de justiça e prevaricação, por ordinários, desde que esta norma a 30 mil. Em 2017 e 2018, foram tam- quadro é bem inferior: Informática dos que têm entrado nos quadros
alegadamente ter perdoado começou a ser aplicada. bém abertos dois concursos de tem 47 vagas, Inglês conta com 36 e nos últimos tempos é de 50 anos,
uma multa a um condutor que Devido à imposição europeia, este vinculação extraordinária, que abran- GeograÆa Æca-se pelas 23. igual à dos docentes que já estão na
circulava numa viatura sem dispositivo foi criado em 2015 pelo geram cerca de cinco mil professores São cerca de 3700 os professores carreira.
seguro. Num comunicado ex-ministro da Educação Nuno Crato. a contrato. que já se vincularam ao abrigo da nor- A portaria publicada anteontem
publicado ontem no seu site, a Foram então abertas 1453 vagas. Nos ma-travão, apesar de o número de Æxa também a abertura de 27 vagas
Procuradoria-Geral Distrital do dois anos seguintes, o número de Uma vida para entrar docentes contratados em trabalho para professores do ensino artístico
Porto acrescenta que o lugares disponibilizado pelo ministé- Ao contrário do que tem sucedido nas escolas rondar os 30 mil, muitos especializado de música e dança. A
Ministério Público requereu rio foi, respectivamente, de 100 e 443. nos últimos anos, o grupo de Edu- dos quais a contrato há já pelo menos Escola de Dança do Conservatório
ainda que o arguido seja Desde 2018, este concurso passou a cação Especial (90 lugares) deixa uma década. Isto acontece porque Nacional de Lisboa (nove vagas) e a
condenado na pena acessória abranger os professores que tenham, agora de ser o que terá mais vincu- um professor, para cumprir as condi- Escola Artísticas do Conservatório
de proibição do exercício da pelo menos, três anos (começou por lados, Ægurando em segundo lugar, ções de entrada no quadro e ter três de Música de Coimbra (sete) são as
função de militar da Guarda ser cinco) com contratos sucessivos a seguir ao dos professores do 1.º anos consecutivos de contrato, já terá que têm mais lugares para entrada
Nacional Republicana. em horários anuais e completos, ou ciclo (206). Matemática (62 vagas) e habitualmente toda uma vida atrás na carreira destes docentes.
seja, se o docente for sucessivamente Português (61 vagas) são os grupos como contratado, somando nuns
contratado para dar 22 horas de aulas que se seguem na lista. anos horários completos e noutros cviana@publico.pt
PUBLICIDADE

Ao ler "Autores" acompanha


Ao ler a AUTORES, deposita um voto de confiança no progresso
e independência do seu e do nosso conhecimento e alimenta
Zob]Z\kbZmboZ]hl:nmhk^lIhƛn`n^l^l
o sonho e a beleza da sua e da nossa vida!
Dia21
Dia 27 de
deDezembro
Março vejaveja
a nova revista
a nova AUTORESdadaSPA
AUTORES
revista SPAcom o Público
28 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

LOCAL
Arvoredo urbano deve ser
podado apenas por quem sabe
Ao contrário do que acontece noutros países, a profissão de arborista não está credenciada em Portugal.
Petição online propõe que a Assembleia da República regulamente esta actividade
DANIEL ROCHA

Ambiente
Abel Coentrão
Dezenas de personalidades ligadas à
arquitectura paisagista, ao ambiente
e à engenharia Çorestal, entre outras
áreas, pretendem que o Parlamento
aprove legislação que ponha cobro
às podas descontroladas em espaço
urbano, realizadas muitas vezes por
técnicos sem competências em arbo-
ricultura. Ao contrário do que acon-
tece noutros países, a proÆssão de
arboricultor nem sequer está reco-
nhecida em Portugal, algo que este
grupo pretende também resolver, a
partir da petição lançada por estes
dias na página do Parlamento dedi-
cada à participação cidadã.
A petição foi colocada online no
Dia da Árvore, mas, em tempos de
emergência viral, o assunto, que tem
muito que ver, também, com a emer-
gência climática em que vivemos,
quase passou despercebido. Duarte
d’Araújo Mata, paisagista e a traba-
lhar nesta área na Câmara de Lisboa,
admite que o tema em si não está na
agenda da maioria das pessoas (mes-
mo que não estivéssemos todos a
pensar no novo coronavírus) e assi-
nala que, como consequência disso,
talvez, nenhum partido tomou até
agora a iniciativa de legislar sobre
esta matéria. “Em Portugal, é permitido que qualquer indivíduo com uma ferramenta destrua em poucas horas o que demorou décadas a construir”
O extenso grupo, que inclui o geó-
grafo Miguel Bastos de Araújo, a bases para o desenvolvimento dessa de informação relacionada com os “Além de contribuir para qualifi- Há mais razões a justificar o que
socióloga Luísa Schmidt, a bióloga profissão e a adopção de um docu- planos de gestão do arvoredo”. car as cidades, vilas e aldeias, a vege- pretendem, mas uma delas prende-
Helena Freitas, muitos paisagistas, mento de referência de boas práti- Os subscritores desta petição Pela tação é um valioso dispositivo para se com a necessidade, que identifi-
e entre eles Aurora Carapinha, cas de gestão do sistema arbóreo regulamentação da gestão do arvore- modular o microclima urbano, sua- cam, de tratar o arvoredo como
docente da Universidade de Évora, urbano a nível nacional que sirva de do urbano esperam que os parlamen- vizando extremos climáticos, pro- parte essencial daquilo a que hoje
e Jorge Cancela, presidente da Asso- referência para todas as entidades tares consultem instituições técnico- movendo o bem-estar e reduzindo se chama infra-estrutura ecológica
ciação Portuguesa de Arquitectos com responsabilidade na gestão do científicas, associações socioprofis- os riscos para saúde pública decor- urbana. E se há toda uma regula-
Paisagistas, e Ana Patriarca, gestora arvoredo. sionais do sector, entidades rentes das ondas de calor. Um cober- mentação a balizar a intervenção
certificada de arvoredo no Reino representantes de municípios, orga- to arbóreo superior a 40% pode na generalidade das infra-estrutu-
Unido, propõe que, com “carácter Técnicos credenciados nizações não-governamentais e reduzir a temperatura do ar até pelo ras públicas — electricidade, gás,
de urgência, os legisladores promo- A partir deste novo quadro regula- outros representantes relevantes da menos 3,5 graus. O ensombramento telecomunicações e outras, notam,
vam a criação de um quadro norma- mentar, os peticionários exigem que sociedade civil para este processo sobre edifícios e pavimentos já “a intervenção na estrutura verde
tivo para a gestão do arvoredo urba- seja assumido “o princípio de que a legislativo, e Duarte d’Araújo Mata demonstrou que permite reduções das cidades e no arvoredo em par-
no, abrangendo as operações de gestão do arvoredo em espaço públi- assinala que entre as dezenas de pes- de temperatura locais que vão de ticular tem de ser [também] regu-
poda, transplantes e critérios para co deverá ser executada por técnicos soas que surgem na lista inicial de 11 a 25 graus. A suavização de tem- lada”. Mas, pelo contrário, lamen-
abate, auscultando normativos em devidamente preparados e creden- peticionários há muitas que poderão peraturas extremas por via do arvo- tam, “a realidade é que, em Portu-
vigor na Europa. ciados para o efeito”, e que essa acti- colaborar. Mas, para chegar até lá, é redo urbano é, pois, particularmen- gal, é permitido que qualquer
Além disse, pretendem “o reco- vidade seja Æscalizada por “uma preciso convencer, pelo menos, qua- te importante num quadro de alte- indivíduo com uma ferramenta des-
nhecimento da profissão de arbo- entidade independente da entidade tro mil portugueses a assinar este rações climáticas em que se prevêem trua em poucas horas o que demo-
rista devidamente credenciado para que a executa”. Defendem ainda o texto que explana as razões da urgên- aumentos na frequência, duração rou décadas a construir”.
execução de operações de manu- “princípio da democraticidade e cia desta legislação. Que são, e mui- e severidade de ondas de calor a
tenção de arvoredo”, e a criação de transparência no acesso e consulta to, razões deste nosso tempo. nível europeu”, argumentam. acoentrao@publico.pt
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 29

LOCAL

“Se houver um Há 13 mil caravanistas


Orçamento rectificativo,
os recursos para habitação desalojados com o fecho
têm de lá estar” dos parques de campismo
ADRIANO MIRANDA
emprego têm de lá estar”, sublinha.
Lisboa A Câmara de Lisboa, que ainda há Coronavírus
João Pedro Pincha duas semanas realizou um sorteio de Idálio Revez
casas no Programa de Renda Acessí-
Vereadora da Habitação diz vel, mantém a decorrer as obras de Presidente da Região de
reabilitação de edifícios que já esta-
que a crise que se avizinha Turismo do Algarve diz
vam em curso e continua a tratar da
é o momento para o Estado burocracia que estes processos envol- que as autoridades não vão
robustecer o seu papel nas vem. “Nós não parámos nada para barrar a fronteira aos que
políticas de habitação não entrarmos numa espiral de não- forem para os seus países
resposta”, explica a vereadora.
“A crise económica e social que aí A partir de hoje, a linha SOS Despe- A ordem de mandar encerrar parques
vem impõe que sejam tomadas novas jo muda de nome para E-Habitação e de campismo e estações de serviço
medidas”, avisa a vereadora da Habi- passará a servir também para dar para autocaravanas devido à pande-
tação e Desenvolvimento Local de informações e esclarecimentos sobre mia de covid-19 deixou desorientados
Lisboa, que, além da resposta imedia- as políticas de habitação municipais cerca de 13 mil turistas, no Algarve. O
ta à emergência do coronavírus, diz e nacionais. Esta mudança já estava litoral alentejano é outra das zonas
estar já a pensar na emergência que prevista e manter-se-á para lá do sur- onde se está a gerar “pânico” entre os
se vai seguir: a da previsível recessão to de covid-19, mas ganhou nova turistas que não desejam abandonar
e tudo o que ela acarreta. importância, diz Paula Marques. “Pre- o país. O despacho da secretária de O Governo mandou fechar os parques de campismo
“Estamos num momento de vira- cisamos de perceber como é o dia de Estado do Turismo, Rita Marques,
gem em que temos de pensar em amanhã das pessoas para pensar em “está a ser visto com alguma preocu- veira Bela Olhão, com dois hectares pediu esclarecimentos à GNR e a res-
novas soluções”, afirma Paula Mar- novos modelos, novas medidas.” pação”, diz o presidente da Comuni- cobertos, para parqueamento. posta foi peremptória: “Isso é consi-
ques ao PÚBLICO, pondo ênfase na Nesta primeira fase de isolamento dade Intermunicipal do Algarve — A directora de Serviços de Desen- go, têm cinco dias para abandonar.”
“função social da habitação” tal como generalizado, os serviços da autarquia Amal, António Pina, receando uma volvimento Regional da (CCDR/Algar- António Sousa considera que o
está descrita na recentemente apro- têm mantido contactos com as asso- fuga desordenada. “Alguns autarcas ve), Lurdes de Carvalho, estima que Governo, antes de ter colocado cá
vada Lei de Bases da Habitação. O ciações de moradores dos mais de 60 manifestaram o receio de que haja poderão existir cerca de 13 mil auto- fora uma medida com esta amplitude,
artigo 4.º da lei diz que “para garantir bairros municipais e ainda com os deslocação do litoral para o inte- caravanas na região, parqueadas e em “deveria ter avaliado as consequên-
a função social da habitação, o Estado parceiros do programa BIP/ZIP. “A rior.” circulação. Os cálculos são feitos com cias e analisado caso a caso” as con-
recorre prioritariamente ao patrimó- Gebalis está a fazer 400 telefonemas Segundo o proprietário do parque base nos dados estatísticos. No mês dições de cada parque. Há cerca de
nio ediÆcado público”, mas diz tam- diários para a população mais em de campismo da Zambujeira do Mar, de Março de 2019, referiu, encontra- 25 dias, diz, começou a medir a tem-
bém que as entidades privadas são risco”, diz a eleita. António Sousa, em declarações ao vam-se 4461 autocaravanas nas 20 peratura aos utentes. “Todos aceita-
igualmente chamadas ao “objectivo Para já está instituída uma morató- PÚBLICO, “os turistas estão em pâni- áreas de serviço da região. Ora, acon- ram bem a sugestão e ninguém está
nacional de garantir a todos o direito ria no pagamento de rendas não-ha- co, não sabem para onde ir. Hoje tece que este número representa cer- contaminado.”
a uma habitação condigna”. bitacionais, cobradas a associações, [segunda-feira] recebi pessoas a cho- ca de um terço do total dos veículos No parque de campismo Canelas,
No entender da vereadora, isto clubes e comércio. Outra acção em rar”. De acordo com o diploma, os uma vez que não estão incluídos nos em Armação de Pêra, encontram-se
signiÆca por exemplo que devem ser curso é a redeÆnição do programa de utentes dos parques de campismo, registos da CCCDR os utentes dos par- 40 autocaravanas, das quais oito per-
deÆnidas “medidas de contenção intervenções sociais em zonas priori- caravanismo e das áreas de serviço de ques de campismo, nem o crescente tencem a residentes. “Fechámos as
para aumentos de rendas” nos próxi- tárias, o BIP/ZIP, que na próxima edi- autocaravanas têm até sexta-feira número dos parques clandestinos que inscrições a novos turistas”, informou
mos tempos e que deve haver “uma ção estará focado no “apoio à revita- para organizarem “uma saída ordeira proliferam um pouco por todo o lado, a recepcionista Aurora Henriques,
injecção grande” de fundos estatais. lização do emprego e na educação”. e tranquila destes estabelecimentos, disse. Nos primeiros dois meses do acrescentando que se está “gerar um
“Se houver um Orçamento rectiÆca- locais e instalações”. Porém, os turis- ano, adiantou, “estávamos a ter um grande confusão” entre os clientes.
tivo, os recursos para habitação e joao.pincha@publico.pt tas permanentes gozam de uma crescimento entre 7 a 8% [neste seg- “Muitos querem regressar a casa mas
NUNO FERREIRA SANTOS
excepção: são considerados residen- mento do turismo] em relação ao não têm garantias.”
tes, “podem neles permanecer para período homólogo do ano anterior”. O presidente da Região de Turismo
assegurar a resposta à necessidade do Algarve, João Fernandes, conside-
habitacional”. Às autarquias, entida- Pode ser pior ra que o repatriamento dos turistas
des de quem depende o licenciamen- O coordenador da Rede de Acolhi- aos países de origem “está assegurado
to dos equipamentos, caberá encon- mento ao Autocaravanismo na Região pelos acordos de Portugal com a
trar a solução. António Pina diz que do Algarve — RAARA, Alexandre Espanha e restantes países do espaço
o problema está a ser equacionado Domingues, adverte: “Tirar as pes- europeu”. Quando os caravanistas
“numa acção conjunta com o coman- soas de lugar seguro pode ter um chegarem à fronteira, sublinha, “só
do regional da Protecção Civil” efeito contrário àquele que se preten- têm de fazer prova de residência em
Por seu lado, o presidente da Admi- de [limitar a contaminação].” No país estrangeiro”. Sobre o despacho
nistração Regional de Saúde do Algar- mesmo sentido, António Sousa acres- da secretaria de Estado do Turismo,
ve, Paulo Morgado, aÆrmou que as centa que “o despacho do Governo entende que “faz parte de um conjun-
autoridades policiais tinham recebido lança a insegurança nas pessoas e to de medidas mais vastas que estão
indicações para “sensibilizar os turis- potencia a propagação da doença.” a ser tomadas ao nível europeu”.
tas a regressarem aos seus países” de No seu parque na Zambujeira, exem- No caso de ser necessário accionar
avião. Quanto à questão sobre onde pliÆcou, existem 20 autocaravanas planos de contingência, informou a
deixar os veículos, diz que “a Amal mas há apenas um residente, inglês, CCDR, 11 parques estão disponíveis
vai encontrar um local”. A Câmara de em permanência. “Daqui por dois para acolher utentes.
Olhão, entretanto, disponibilizou as dias vou ter de mandar as pessoas
Com a crise que aí vem, é preciso pensar soluções para a habitação instalações da antiga fábrica conser- embora”, disse, adiantando que irevez@publico.pt
30 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

ECONOMIA
A história de um
descarrilamento anunciado
A CP e a Refer, empresas públicas sob a
mesma tutela, acusam-se reciprocamente
em tribunal, fruto da separação
entre a roda e o carril. Como na história
do descarrilamento a 32 km/hora
dos por aluimento de terras e por não
Ferrovia ter sido efectuada beneÆciação da
Carlos Cipriano drenagem aquando do seu encerra-
mento” e, por isso, “as condições de
Esta é a história de um descarrilamen- deÆciente drenagem possibilitaram a
to anunciado, numa linha com traves- degradação mais rápida das travessas
sas podres e carris assentes na lama. de madeira.”
Mas sem vítimas, porque nesta zona A CP acrescenta ainda que sabe
da Linha do Vouga os comboios só que, para a zona onde ocorreu o des-
andavam a 30km/hora. A CP pede carrilamento, a Refer tinha “prevista
uma indemnização à Refer. Esta até e aprovada desde 2008 a substituição
admite que a via estava em mau esta- de cerca de 2500 travessas”.
do, chega a duvidar das causas do Por isso, não teve dúvidas em
descarrilamento, mas bate o pé à imputar a total responsabilidade do
extensa lista de facturas da CP, que ocorrido ao gestor da infra-estrutura,
exige ser ressarcida da reparação da fez as contas aos custos do carrila-
automotora e do tempo em que esta mento da composição, à reparação
esteve imobilizada. de avarias e ao tempo em que a auto-
Em 5 de Janeiro de 2009 descarrilou motora esteve imobilizada e pediu à
uma automotora perto de Travanca Refer para ser ressarcida em 34.763,41
(Oliveira de Azeméis) na Linha do Vou- euros.
ga, num troço onde só havia dois com- Como a Refer recusou, a CP deu
boios por dia em cada sentido. A com- entrada de uma acção judicial em 2
posição circulava à vertiginosa veloci- de Junho de 2011 alegando que o aci-
dade de 32 km/hora, pelo que os seis dente foi “consequência directa do
passageiros nada sofreram nem espe- incumprimento, por parte da Ré, do
raram por transportes alternativo. seu dever de vigilância, conservação
Cada um escapuliu-se pelos seus pró- e manutenção da referia linha férrea,
prios meios da automotora acidentada em boas condições de utilização”.
e a CP mandou vir um comboio de Na sua contestação, entregue a 13
socorro para carrilar os três rodados de Julho de 2011, a Refer diz que a
que saltaram dos carris e Æcaram petição da CP é “uma construção
assentes na terra enlameada. artiÆcial que esbarra nalguns obstá-
Na queixa que a CP apresentou culos de difícil transposição”, pois
contra a Refer, dois anos depois, no “um acidente ferroviário é um acon-
Tribunal Administrativo e Fiscal de tecimento dinâmico em que é fun- Acidente ocorreu em Travanca (Oliveira de Azeméis), na Linha do Vouga, num troço onde só havia dois combo
Aveiro, diz que “as travessas que sus- damental uma avaliação do tempo,
tentavam a linha, no local onde se
veriÆcaram os primeiros sinais do
espaço e velocidade para compreen-
são das suas causas”. De resto, a
Descarrilamento go da imobilização a que o veículo
ferroviário esteve sujeito para repa-
tários, e depois de um despacho
saneador, o tribunal começou a ouvir
descarrilamento, apresentavam-se verdade é que, em anteriores passa- de Travanca teve ração”, coisa que a Refer discorda as testemunhas por videoconferên-
em estado de degradação, podres” e
que, no sítio em que as rodas saíram
gens naquele local, os comboios
precedentes não notaram nada de
consequências: a porque não basta ter o veículo Æcado
imobilizado para reparação — seria
cia em Janeiro de 2013.
No mês seguinte, a Refer juntou
dos carris, “a linha encontrava-se anómalo. linha, num estado necessário demonstrar “factos reve- ao processo um documento que
assente em terra, num local que apre-
sentava elevado nível freático, o que
Reconhece, porém, a Refer que as
travessas no local do acidente esta-
lastimável, fechou ladores de um dano especíÆco emer-
gente ou de um lucro cessante”.
atestava que “não Æcou provado,
após audição das testemunhas, que
fez reduzir a vida útil das travessas, vam podres, mas põe em causa a ao tráfego de Os dados estavam lançados. As a CP tenha despendido 14.520,55
fazendo-as apodrecer, não garantindo
a Æxação dos parafusos ao carril”.
eventual excessiva velocidade do
comboio naquela curva, embora os
passageiros entre empresas pagaram 612 euros de cus-
tas cada uma. A CP recorreu aos ser-
euros com a reparação de avarias
provocadas pelo descarrilamento
A transportadora pública apresen- 32 Km/hora a que este seguia estives- Oliveira de viços de um escritório de advogados nem Æcaram demonstradas as des-
ta mesmo um documento da própria
Refer onde esta admite que naquele
sem dentro do limite permitido.
Mas a ênfase da contestação vai
Azeméis e Sernada do Porto e a Refer a um escritório de
Lisboa.
pesas e prejuízos causados”.
Nesse aspecto, o tribunal dar-lhe-
local existira uma passagem de nível para o montante da indemnização do Vouga, cortando O processo anda devagar, mas não ia razão. Proferida em 13 de Maio de
que fora encerrada, “a via encontra-
va-se com elevado grau de Ænos trazi-
exigida pela CP porque “mais de
metade desse pedido é feito ao abri-
a Linha do Vouga pára. Após uma suspensão da instân-
cia por 30 dias, a pedido dos manda-
2013, a sentença do Tribunal Admi-
nistrativo e Fiscal de Aveiro aÆrma
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 31

RODA VS. CARRIL


Quando a roda e o carril não se
entendem, a CP e a IP dirimem
conflitos em tribunal. Numa série
de cinco dias, o PÚBLICO revisita
cinco casos, há anos por resolver

NELSON GARRIDO
Com o recurso, o processo sobe ao
Tribunal Administrativo Central do
Norte, sendo enviado de Aveiro para
o Porto, onde dá entrada em 16 de
Julho de 2013. Repousa desde então
no número 501 da Rua de Santo Ilde-
fonso, aguardando que os juízes
desembargadores lhe dêem solução.
Em 2014, com a chegada de novos
magistrados aquele tribunal, os autos
já foram distribuídos duas vezes e
passaram pelas mãos de três juízes
desembargadores.
Do ponto de vista prático, o des-
carrilamento de Travanca teve con-
sequências: a linha, que estava num
estado lastimável, fechou ao tráfego
de passageiros entre Oliveira de
Azeméis e Sernada do Vouga, cor-
tando em duas partes a histórica
Linha do Vouga. Desde então, o
“Vouguinha” só circula entre Espi-
nho e Oliveira de Azeméis e entre
Aveiro e Sernada do Vouga.
Mas o troço central que une estas

Histórias para
duas pontas continua aberto ao trá-
fego, apesar de encerrado ao servi-
ço comercial. Nele circulam diaria-

ficar em casa
mente dois comboios vazios por dia
(um em cada sentido) para irem e
voltar das oÆcinas de Sernada do
Vouga onde fazem a manutenção.
Deverá ser, aliás, uma das linhas
Blogue Letra Pequena e PÚBLICO
mais insólitas do mundo, pois a sua dão-lhe a ouvir livros ilustrados
velocidade máxima é de 10 Km/ na voz dos autores
hora.
A Refer não fez por menos. Depois
do descarrilamento, determinou que publico.pt/livros-para-escutar
a velocidade máxima não passaria
dos dez à hora, o que se compreen-
de, pois a via está coberta de vegeta-
ção e os carris afundam-se na terra
à passagem dos rodados do comboio.
Não admira: grande parte dos carris,
parafusos, travessas de madeira e
oios por dia em cada sentido balastro são os mesmos que lá esta-
vam na inauguração da linha, em
que “não restam dúvidas que o aci- gando que “o tribunal não valorizou 1914. Nunca foram mudados.
dente referido se deveu à violação o grau de incerteza das duas únicas E, já que se fala da roda e do car-
do dever de manutenção da segu- testemunhas que testemunharam o ril, é nesta linha que se encontra um
rança da via-férrea que, legalmente, acidente”, que os depoimentos não pormenor curioso, que espelha esta
impende sobre a Ré [Refer]”. No foram taxativos e que não Æcou pro- separação: no primeiro andar da
entanto, condena-a a pagar não os vado que a CP tenha despendido Estação de Sernada do Vouga há
34.763,41 euros pedidos pela CP, 14.520,55 euros com a reparação de uma cozinha usada pelos ferroviá-
mas apenas 15.725,30 euros (acres- avarias, mais 1204,75 euros pela utili- rios que possui um micro-ondas que
cidos de juros à taxa legal até inte- zação do comboio de socorro. diz “CP” ao lado de outro que diz
gral pagamento) referentes aos cus- Isto porque a CP se limitou a apre- “Refer”. Há também um frigoríÆco
tos de carrilamento e reparação da sentar facturas emitidas pela EMEF que diz “CP” e outro que diz “Refer”.
automotora acidentada. (empresa de manutenção do grupo E também dois armários, um da CP
CP) nesse valor, mas não provou que e outro da Refer. O espaço é usado
Refer interpõe recurso estas tenham sido liquidadas. Ou por maquinistas, revisores, mano- E não esqueça que nada é tão bom
Apesar da sentença salomónica, o seja, “não provou qualquer prejuízo bradores e guardas de passagem de como a leitura em papel
assunto não Æca sanado. Em 21 de efectivo com o descarrilamento, nível. Todos se sentam, porém, à
Junho, a Refer interpôs recurso, ale- conforme lhe competia”. mesma mesa.
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 33

ECONOMIA

Montepio chama ex-auditor


para validar exigência da PwC
Contas de 2019 estão a gerar um episódio insólito no Grupo Montepio. A mutualista pediu ao ex-auditor,
a KPMG, que validasse o parecer do auditor que exige contabilização mais real do valor do banco
GONÇALO DIAS
euros e passou a estar por 1,87 mil do conselho geral da mutualista, de
Banca milhões, o actual número. 13 de Março, cujo primeiro ponto em
Cristina Ferreira O tema é delicado para a mutua- agenda era precisamente a análise
lista, o que explica que o encontro, das contas de 2019. O que não acon-
A Associação Mutualista Montepio entre um antigo e um actual audi- teceu por não estarem ainda fecha-
Geral (AMMG) chamou o antigo audi- tor, para além de pouco habitual, das devido ao braço-de-ferro aberto
tor do grupo, a KPMG, para validar tenha tido divulgação muito reser- entre a gestão e a PwC, no que res-
os critérios aplicados pelo actual vada. É que na prática, a exigência peita à dimensão da desvalorização,
auditor, a PwC — Pricewaterhouse- da PwC tem como consequência em balanço, do Banco Montepio, e
Coopers, que mandou a mutualista colocar a maior entidade da econo- às suas consequências no grupo.
baixar substancialmente o valor de mia social em terreno vermelho e Este foi um dos assuntos sobre o
1,87 mil milhões de euros que regista diÆcultar novas injecções de capital qual alguns conselheiros pediram
em balanço o Banco Montepio, o seu no Banco Montepio. E daí as preo- detalhes, dado o quadro sensível do
principal activo. Uma iniciativa insó- cupações que se veriÆcam no topo Banco Montepio, com um cost to
lita. E que na prática colocou os dois da mutualista, onde se resiste a income (quociente entre os custos de
auditores concorrentes em confron- emendar os números de 2019, como estrutura e o produto bancário) em
to. Ainda assim, ambos acabaram requer o auditor. torno dos 70%, o que acentua as
por convergir no ponto contestado Contactada, a AMMG clariÆcou pressões sobre o capital. E traduz-se
pela AMMG, que irá mesmo ter de que “a existência de diálogo entre no seguinte: depois de liquidar as
assumir uma imparidade adicional auditoras, no âmbito da transferên- facturas, sobram à volta de 30% para
relativa à instituição Ænanceira agora cia de trabalho e esclarecimento de constituir provisões, para pagar divi-
cheÆada por Pedro Leitão. dendos ao accionista ou para tomar
Na semana passada, o presidente decisões de recapitalização.
da AMMG, Virgílio Lima, ligou ao Os dois auditores envolvidos nas
responsável da KPMG para saber se conversas à volta do Montepio estão
o auditor estava disponível para debaixo de fogo por suspeitas de
analisar as teses da PwC, que o foi falhas na sua actividade: a KPMG foi
substituir no cargo, e que apontam Data do conselho alvo de contra-ordenações por parte
para a necessidade de a mutualista do Banco de Portugal na sequência
corrigir o preço a que contabiliza o geral não se de alegadas irregularidades na Æsca-
Banco Montepio. A KPMG, que este- encontra deÄnida lização ao BES e ao BESA; a PwC está
ve a auditar nos últimos 14 anos todo no centro do caso Luanda Leaks, por
o grupo Montepio, respondeu que por razões que consultoria Æscal, em Portugal e em
estava disponível, desde que a PwC se prendem com Angola, a Isabel dos Santos, que lhe
não se opusesse. E o actual auditor pagava por meios que suscitam dúvi-
do Montepio não se opôs. Na reu- a exigência das às autoridades.
nião estiveram o administrador de rigoroso Entretanto, as contas da AMMG
Ænanceiro (CFO) da AMMG, que é do ano passado continuam por
Virgílio Lima (que é também o pre- isolamento social fechar. A AMMG explicou que a data
sidente), o partner da PwC e o téc- Grupo Montepio de realização do próximo conselho
nico da KPMG, que foi em tempos o Fonte oficial geral, que vai dar seguimento ao
responsável por acompanhar o que decorreu no passado dia 13 de
cliente Montepio. qualquer questão, constitui prática Março, ainda “não se encontra deÆ#
O PÚBLICO apurou que as duas considerada natural”, excluindo, nida por razões que se prendem
auditoras discordaram num ponto, todavia, ter contratado os serviços com a situação que o país atravessa
na taxa de desconto usada pela PwC da KPMG, o que não poderia fazer, e com a exigência de rigoroso isola-
nos pressupostos dos testes para dado que o mandato foi entregue à mento social”, na sequência da cri-
cálculo de imparidades. E concor- PwC. Já a KPMG, interpelada sobre se de saúde pública provocada pela
daram noutro: a AMMG deve assu- este episódio, não esteve disponível pandemia da covid-19.
mir a menos-valia que resulta da para comentar. “No que se refere à assembleia
reavaliação do banco (que não é Em simultâneo, a chamada da geral, a data não foi Æxada por razões
cotado) a preços próximos dos de KPMG pelo Montepio para conÆrmar igualmente relacionadas com o
mercado. Nada de novo. Entre 2015 a solidez e racionalidade dos crité- momento que vivemos no país. Nes-
e 2017, a própria KPMG obrigou a rios usados pela PwC na análise às te caso, como é do conhecimento
AMMG a contabilizar uma impari- contas, permite também a Virgílio público, o prazo para realização da
dade de 500 milhões de euros, que Lima ganhar tempo para se posicio- AG foi alargado até Ænal do mês de
levou a uma alteração no balanço, nar em futuras discussões. Junho”, acrescentou.
onde o Banco Montepio estava O telefonema para o antigo auditor
registado por 2,2 mil milhões de Dona do Banco Montepio continua sem apresentar contas de 2019 foi desencadeado a seguir à reunião cferreira@publico.pt
34 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

MUNDO
Mocímboa da Praia: “O culminar
do trágico fracasso do Governo”
Jihadistas ligados ao grupo Al-Shabab atacaram e hastearam a bandeira na vila do Norte de Moçambique.
Para Elísio Macamo, este incidente demonstra que o Presidente Nyusi “não está à altura de governar”
ANTÓNIO SILVA/LUSA

Moçambique
António Rodrigues
A directora-adjunta da Amnistia
Internacional para a África Austral,
Muleya Mwananyanda, não tem
dúvidas, o ataque e ocupação de um
quartel de Mocímboa da Praia, na
província de Cabo Delgado, na
segunda-feira, por insurgentes liga-
dos ao grupo islamista Al-Shabab, “é
o culminar do trágico fracasso do
Governo moçambicano em proteger
as pessoas nesta área volátil” do Nor-
te de Moçambique.
A vila amanheceu calma ontem,
depois de um dia de troca de tiros em
algumas zonas. Não se sabe ainda em
quantos mortos resultou o ataque,
embora um residente tenha dito à
Lusa, por telefone, que há vários
cadáveres abandonados nas ruas:
“Estamos a encontrar pessoas mor-
tas, entre militares e civis. Alguns
perderam a vida algemados.”
O comandante-geral da polícia,
Bernardino Rafael, numa conferência
de imprensa em Maputo, conÆrmou
que “os malfeitores atacaram a sede
de Mocímboa da Praia, incluindo um
quartel das forças de defesa e segu-
rança e içaram a sua bandeira”.
Além do hastear da bandeira no Despojos de um ataque anterior em Mocímboa da Praia
quartel militar, o ataque em Mocím-
boa da Praia mostra que os insurgen- Sem Fronteiras, e há mais de 100 mil difícil de uma insurgência armada de isso, a descentralização do poder informação que permita entender
tes estão “a Æcar mais atrevidos”, deslocados internos, de acordo com cariz religioso. permanece “refém do poder execu- melhor o que se passa em Cabo Del-
como refere o analista Alexandre o Alto Comissariado das Nações Uni- Elísio Macamo lembra que em tivo do chefe de Estado”. gado. Como refere a nota à imprensa
Chiure à Voz da América. Sinal de das para os Refugiados (ACNUR). 2017, aquando dos primeiros ata- E Filipe Nyusi é um Presidente sem de Muleya Mwananyanda, a situação
que têm mais capacidade, em ter- “Suponho que mais tarde, ou mais ques, o comandante-geral da polícia capacidade de liderança, escolhido tem-se agravado “pelo facto de o
mos de equipamento e de homens cedo, algo assim fosse acontecer. A “prometeu resolver o problema em por um “partido que durante déca- Governo proibir jornalistas, investi-
para efectuar ataques em maior vulnerabilidade do nosso país é, infe- dois dias”, mas nem em dois anos das conduziu os destinos” de gadores e observadores estrangeiros
escala (uma fonte disse à Lusa que, lizmente, evidente”, escreveu no isso aconteceu, sem que se conhe- Moçambique, mas se recusa “a assu- de aceder a essa região”.
há duas semanas, um grupo de 43 Facebook Elísio Macamo, professor cessem “as consequências estrutu- mir a responsabilidade pelo país que Um blackout informativo que per-
homens deixou a vila para se juntar moçambicano da Universidade de rais” que a falta de cumprimento do ele próprio construiu”. mite também esconder a incapacida-
aos jihadistas). “Cabo Delgado tem Basileia, antes de aÆrmar que nem prometido acarretou na organização A socióloga Isabel Maria Casimiro, de das forças de defesa e segurança
16 distritos e a informação que nós tudo “é uma fatalidade”, porque há da polícia. num comentário ao texto de Elísio para resolver ou pelo menos minimi-
temos é que nove desses distritos já muito aqui de “falta de liderança”. Macamo, realça que “desde 2003, zar o problema. Em Fevereiro, o por-
estão afectados por esses ataques”, “O Presidente Nyusi e as pessoas e Esconder o problema pelo menos” que falam “do que se ta-voz do ACNUR, Andrej Mahecic,
acrescentou. estruturas que o rodeiam não pare- Moçambique é um país grande e a passa em Nampula e Cabo Delgado”. falava de uma escalada brutal da vio-
Desde 2017 que a província de cem estar à altura do desaÆo de distância entre Mocímboa da Praia, “Quem de direito não nos ouve! Nun- lência nos últimos meses. “Os que
Cabo Delgado é alvo de ataques de governar um País como o nosso”, no Norte, para a capital, Maputo, no ca nos ouve quando o que dizemos fogem falam de assassinatos, mutila-
um grupo de jovens que terá come- refere o professor de Sociologia e extremo Sul, vai para lá dos 2663 km não é o que querem ouvir. Colegas ções e torturas, casas queimadas,
çado a ser radicalizado precisamen- Estudos Africanos, acusando o de estrada; acentua-se pela concen- do Parlamento disseram-me que, eu, casas destruídas e lojas. Temos relatos
te numa mesquita de Mocímboa da Governo de fraca cultura de comu- tração das decisões em Maputo e que intelectual, nada entendo da realida- de decapitações, sequestros e desa-
Praia, que é sede de um distrito nicação, deixando o país ser alimen- as últimas eleições de Outubro pas- de”, desabafou a professora da Uni- parecimento de mulheres e crianças”,
maioritariamente rural. Em quase tado por rumores, de autismo, ao sado, em que se escolheram nas versidade Eduardo Mondlane. disse, citado pela Voz da América.
três anos, pelo menos 700 pessoas não ouvir os especialistas, e falta de urnas pela primeira vez os governa- Aliás, as autoridades esforçam-se
foram mortas, segundo os Médicos estratégia para lidar com o problema dores, não vieram resolver. Com para colocar obstáculos à recolha de antonio.rodrigues@publico.pt
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 35

MUNDO
ABIR SULTAN/EPA

Já há acordo político
para se iniciar processo
de adesão da Albânia
e Macedónia do Norte à UE
Zgombic, a secretária de Estado dos
União Europeia Assuntos Europeus da Croácia. O país
Rita Siza, Bruxelas que assegura a presidência da UE até
Julho escolheu como foco da sua
Ministros dos Assuntos acção a relação com os Balcãs e elegeu
como prioridade o avanço do proces-
Europeus ressuscitam
so de alargamento — além da Albânia
processo de alargamento e da Macedónia do Norte, também o
em plena crise causada Montenegro e a Sérvia já iniciaram
pelo coronavírus conversações com Bruxelas. Em rela-
ção à Bósnia-Herzegovina e ao Koso-
Vencidas as resistências da França, vo, a situação é mais complicada.
Dinamarca e Holanda, que em Outu- Para a governante croata, a decisão
bro passado manifestaram dúvidas e de ontem representa uma “boa notí-
bloquearam o avanço do processo de cia para todos os Estados-membros”,
alargamento da União Europeia, os que não só garantem a segurança e
27 Estados-membros apoiaram ontem estabilidade da sua vizinhança, cada
a abertura formal das negociações vez mais pressionada por actores Protesto contra o primeiro-ministro israelita junto ao Parlamento (Knesset)
para a adesão da Albânia e da Mace- como a Rússia e a China, como ainda
dónia do Norte ao bloco — o primeiro
passo de um longo processo que pode
demorar décadas até terminar.
“demonstram que num momento tão
desaÆante a UE continua focada em
todas as matérias relevantes e capaz
Gantz rejeita proposta de
O acordo político para um novo
alargamento do clube europeu “pre-
meia” os esforços dos dois países can-
de assumir decisões importantes”.
O acordo político será agora oÆcial-
mente aprovado através de um pro-
governo de unidade em Israel
didatos, que, segundo constataram os cedimento escrito e, previsivelmente,
ministros dos Assuntos Europeus dos ratiÆcado pelos 27 chefes de Estado e
27, cumpriram todos os requisitos e Governo da UE na minicimeira que dois eram poucas e podiam ser ultra- enquanto todos os outros deputados
exigências do executivo comunitário será realizada amanhã, também por Médio Oriente passadas, mas Gantz tem uma opi- do Likud e dos partidos que o apoiam
para o avanço do processo. “Envio os
meus parabéns a Tirana e a Skopje
videoconferência. Os líderes darão
um mandato à Comissão Europeia
António Rodrigues nião diferente, salientando que entre
os dois existem divergências intrans-
boicotavam a votação, por o partido
de Gantz não ter coordenado a sua
por esta vitória merecida”, tweetou o para prosseguir o trabalho e conduzir Líder do Azul e Branco poníveis. criação com o seu partido, como
secretário de Estado alemão, Michael as negociações. De acordo com o No entanto, de acordo com o Jeru- acontece tradicionalmente.
Roth, no Ænal do encontro ministerial comissário europeu para a Vizinhan-
recusa ideia de Netanyahu. salem Post, Gantz, em conversa com Netanyahu procura uma solução
que, como todos os outros desde o ça e o Alargamento, Olivér Várhelyi, Primeiro quer que “a militantes do Azul e Branco, à saída política que lhe permita manter-se no
início da crise do coronavírus, foi rea- tanto a Albânia como a Macedónia do democracia de Israel volte de sua casa, admitiu a possibilidade poder para evitar a justiça. O julga-
lizado por videoconferência. Norte “aceleraram o seu trabalho” a funcionar em pleno” de aceitar a proposta, mas só se for mento por corrupção, fraude e abuso
Com a abertura da porta à Albânia depois de Outubro, tendo apresenta- ele o primeiro-ministro na primeira de conÆança deveria ter começado
e Macedónia do Norte, a União Euro- do “resultados tangíveis e sustentados Benny Gantz recusou encontrar-se rotação. “Neste momento, o manda- na semana passada, mas foi adiado
peia (UE) “envia uma forte mensagem em áreas cruciais”. O processo conti- ontem com o primeiro-ministro to é meu”, disse. “Há uma expectati- para Junho por causa da pandemia
política para a região dos Balcãs Oci- nuará a ser feito por etapas e a assen- israelita, Benjamin Netanyahu, para va de que seja eu a responder a do coronavírus. A emergência médi-
dentais”, sublinhou Andreja Metelko tar na “credibilidade” e no “mérito” discutir a possibilidade de formar um Netanyahu, como se fosse essa a úni- ca também permitiu a Edelstein sus-
dos países candidatos, que terão de governo de unidade nacional, como ca alternativa. Eu dirigi guerras. Eu pender os trabalhos parlamentares
mostrar progressos nos vários capí- lhe tinha proposto pelo Facebook o sou capaz de ser líder em crises e permitir ao primeiro-ministro em
tulos Æxados no âmbito de uma con- líder do Likud. “Primeiro farei com nacionais tanto quanto ele”, acres- exercício governar por decreto, sem
ferência intergovernamental. que a democracia de Israel volte a centou o general na reforma. controlo de deputados. Só a decisão
Na reunião de ontem já foram Æxa- funcionar em pleno, sem medo. Depois das críticas de Netanyahu do Supremo impediu que o estrata-
das algumas metas para a Albânia, Depois terei em consideração todas ao Supremo Tribunal de Justiça, gema político continuasse a funcio-
que parece estar mais atrasada do que as maneiras de formar um governo inclusivamente com Yuli Edelstein, nar em proveito de Netanyahu.
a Macedónia do Norte no caminho de para lutar contra o coronavírus e o líder do Parlamento (Knesset) a Aliás, Avigdor Lieberman, antigo
harmonização com as normas da UE. lidar com outros desaÆos que nos recusar-se a retomar os trabalhos ministro da Defesa e Negócios
Assim, Tirana terá de concluir a refor- esperam”, escreveu no Facebook o parlamentares e, posteriormente, a Estrangeiros de Netanyahu, apresen-
ma do sistema judicial actualmente líder do Azul e Branco, que o Presi- desaÆar a mais alta instância judicial tou ontem no Parlamento uma pro-
em curso, para garantir entre outros dente de Israel, Reuven Rivlin, man- do país que o instava a agendar a elei- posta de lei para obrigar a que pri-
pontos que os processos de corrup- datou para formar governo. ção de um novo presidente da câma- meiros-ministros acusados de crimes
ção contra altos dirigentes não são Netanyahu tinha deixado a mensa- ra de deputados, dizendo que a mes- tenham de ser afastados do cargo ao
travados pelo Tribunal Constitucio- gem a Gantz de que “este momento ma não tinha autoridade para deÆnir Æm de 30 dias. A legislação ainda
nal, e terá ainda de completar a refor- é um teste de liderança e de respon- a agenda do Knesset, ontem decor- demorará algumas semanas a ser
ma do sistema eleitoral, emendar a sabilidade nacional”, por isso “os reu de forma mais tranquila. aprovada, porque ainda tem de pas-
legislação relativa aos media e encetar cidadãos de Israel precisam de um Edelstein aceitou as propostas do sar por várias comissões que ainda
“acções mais robustas” para comba- governo de unidade que trabalhe Azul e Branco para a criação de qua- não foram formadas, mas visa evitar
ter a imigração irregular. para salvar vidas e meios de subsis- tro comissões, incluindo uma comis- que Netanyahu possa continuar a
Processo de adesão destes tência”. O primeiro-ministro acres- são especial para lidar com o corona- desaÆar a justiça desde a cheÆa do
países pode demorar décadas rsiza@publico.pt centou que as diferenças entre os vírus. E até as votou favoravelmente, Governo.
36 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

CULTURA
O artista que nos deu
a alegria de Astérix
Albert Uderzo 1927-2020 Há anos que
deixara de desenhar os seus irredutíveis
gauleses, mas foi o homem que lhes deu
vida, e que, pelo desenho, e com as ideias
do amigo Goscinny, os fez nascer
indissociável, com a criação de
Obituário uma galeria inesquecível de
José Marmeleira personagens, gags, sequências.
Aventuras sobre páginas e
Morreu Uderzo, o homem que páginas. É certo que foi Astérix
desenhou Astérix, o artista que que lhe deu a fama, em França
lhe deu vida. Com 92 anos, ao Æm logo em 1959, com Astérix, o
de dezenas de álbuns, Gaulês, e mais tarde no mundo,
deixando-nos um mundo de com álbuns como Astérix
personagens, paisagens, cenas. Legionário (1967), Obélix e
Inesquecíveis, esfuziantes, Companhia (1976) ou Astérix e o
divertidas, que deslumbraram e Caldeirão (1969), mas Uderzo não
alegraram tantos rostos. Quem foi apenas Astérix.
não as leu, quem não as lembrará, Desde muito cedo entusiasta de
quem não as amou? banda desenhada, desenho e
Sim, Goscinny imaginou, cartoons, absorveu inÇuências
concebeu, inventou, foi o autor, diversas. Dos Estados Unidos, Walt
mas Uderzo foi o artista. Sem o seu Disney, Floyd Gottfredson
traço dinâmico e virtuoso, não (desenhador de tiras com Mickey
encontraríamos Astérix, Obélix, Mouse), Carl Barks (que deu a Pato
IdeiaÆx, Panoramix; sem o seu Donald um universo na BD), Alex
humor e a sua ternura, não nos Raymond, E.C. Segar (criador de
comoveríamos com o medo do Popeye), Al Capp, Milton Caniè. Da
jovem de Astérix e os Normandos Europa, em particular Alain
(1966); sem o seu domínio do Saint-Ogan e Calvo, que o
realismo e da caricatura, não nos encorajaram a iniciar e a continuar
espantaríamos com O Domínio dos uma carreira. Alimentado por esta
Deuses (1971), não nos conÇuência de estilos,
amedrontaríamos com as páginas envolver-se-ia na cena que então
que abrem O Adivinho (em 1972), medrava na Bélgica, entre os Ænais
como se estivéssemos diante do dos anos 40 e o início da década de
cinema. Já não desenhou os 50. Conhece Victor Hubinon, Eddy
últimos quatro álbuns de Astérix, Paape, MiTacq, e Jean-Michel
mas o movimento radioso e Charlier, com quem virá, mais
mordaz do seu traço nunca deixou
de nos acompanhar na memória
tarde, a colaborar. Mas é com René
Goscinny, regressado de Nova
Uderzo Junior, do jornal La Libre Belgique)
Luc Junior, herói juvenil na linha
imaginação de Goscinny, virá a
ter o seu primeiro grande
de tardes e manhãs. Com a banda Iorque, que funda, a partir de 1951, ensinou-nos, de Tintin e Spirou. momento de visibilidade e
desenhada.
Nascido em 1927, em Fismes,
a sua mais frutuosa parceria.
Depois de uma série de
leitura após Saborosas sanduíches
sucesso comercial com a
publicação de Humpá-Pá, O
Ælho de pai italiano, vendedor de encomendas para revistas, criam, leitura, a reentrar Nos anos seguintes, cimenta-se a Pele-Vermelha, em 1958.
mobiliário, Uderzo atravessou
literalmente o século XX. Durante
em 1952, Jehan Pistolet ( João
Pistolão, em português), jovem
numa imagem colaboração e a amizade entre a
dupla. Fundam um sindicato de
Citando o cinema, a literatura de
aventuras e de viagens, mas
a adolescência, viveu a França taberneiro que, no século XVIII, para redescobrir autores, o que lhes permitirá também todo o legado que a banda
Ocupada — entre 1942 e 1945,
escondido com o irmão, Bruno,
decide aventurar-se nos mares.
Desdobrada em quatro álbuns,
todas as idades assegurar o controlo das criações.
Desenvolvem várias séries, num
desenhada, entretanto havia
criado, a série (que em álbum
numa vila bretã; no imediato esta série é considerada um da nossa vida ritmo veloz, mas harmonioso, o conheceu várias traduções
pós-guerra, iniciou uma carreira momento-charneira, pois que chamará a atenção da revista portuguesas) é uma das mais
breve na animação e no evidenciava já elementos que Tintin, onde virão a estrear-se apreciadas pelos leitores da revista
jornalismo; e nos anos 50 e 60, foi, viram a caracterizar Astérix: o com Poussin et Poussif (1957-58). belga, mas não por Hergé. O traço
com Albert Goscinny, testemunha desenho Çuido, animado, o humor Nesta série de apenas três livre, por vezes rugoso, e o humor
e protagonista da idade de ouro da satírico dos gags, a atenção aos episódios, que narra o dia-a-dia MAD de Goscinny que Uderzo
banda desenhada franco-belga. É detalhes e ao contexto histórico. de um bebé e do seu protector transÆgura não respeitam a
deste período que a sua assinatura Seguir-se-ia, para a mesma cachorro, reaÆrma-se o estilo de disciplina da linha clara (da qual
se tornará para sempre publicação (o suplemento La Libre Uderzo, que, desaÆado pela Uderzo, embora próximo do
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 37

Há uma coisa que digo de mim


para mim todos os dias:
‘É extraordinário: continuo sem
conseguir habituar-me ao sucesso’
Albert Uderzo em 1994 em entrevista ao PÚBLICO

CHARLES PLATIAU/REUTERS
A carreira de Uderzo mudara,
entretanto, irreversivelmente. Não
mais se envolveria noutros
projectos, tal o sucesso comercial
Astérix, Obélix & companhia já
e global das aventuras do pequeno
gaulês. Nos anos seguintes, e até
ao desaparecimento do amigo, em
existem além dos seus criadores
1977, desenhará álbuns que
Æguram, justamente, na história
da banda desenhada mundial — e curava, e conseguia, a variação entre de que Goscinny era capaz desapare-
há quem defenda que lhe devemos Sérgio C. Andrade um estilo mais realista e um mais abo- ceu com o texto de Uderzo”, acha o
a proeminência de Obélix e necado”. autor e editor, que vê também na
IdeiaÆx, personagens às quais, no Parece haver um certo consenso em Pedro Moura e Sara Figueiredo dupla Ferri/Conrad uma tentativa
início, Goscinnny não previa que, após a morte de René Goscinny Costa não têm dúvidas em aÆrmar pouco conseguida de “mimar” o
grande futuro... (1926-1977), a aventura de Astérix, que Uderzo ocupa um lugar funda- génio dos criadores originais. “O
Obélix & companhia não mais foi a mental na história da banda desenha- Uderzo tentou aguentar o barco com
Ausência de Goscinny mesma, apesar de ter continuado a da. Mas o primeiro sempre achou que algumas das histórias, mas acho que
Já sem Goscinny, continuou a dar novos álbuns, Ælmes e até parques “ele não era escritor”, e isso notou-o eram argumentos bastante fracos”,
desenhar, publicando à volta de temáticos. E, para o bem e para o mal logo com “o decréscimo de qualida- considera Pedro Moura.
mais dez livros da série Astérix — um mal sempre relativo, como se de, e até da inteligência da própria Também o jornalista e crítico Rogé-
(entre O Grande Fosso e O compreende —, Albert Uderzo foi série”, após a morte do seu parceiro. rio Casanova se apercebeu de um
Aniversário de Astérix e Obélix — O quem, apesar de tudo, manteve acesa “O sarcasmo, ou, pelo menos, a ironia “declínio de qualidade, sem ser desas-
Livro de Ouro), sem nunca deixar a chama destas personagens. troso”, quando leu os dois primeiros
de lembrar e lamentar a ausência “Como todas as pessoas da minha álbuns que Uderzo fez sozinho, O
do amigo, o amigo que um dia geração, agora na casa dos quarenta Grande Fosso e A Odisseia de Astérix.
disse dele: “[O Uderzo] é aquele e muitos, ao lado do Tintin, Astérix e “A partir daí, foi sempre a descer — até
que, a meio do trabalho, traz as Obélix faziam parte dessa ‘dieta’ qua- à história da nave extraterrestre. É
mais saborosas sanduíches.” se obrigatória da banda desenhada”, sempre mau sinal quando as naves
Metáfora para o desenho? Ou recorda Pedro Moura, professor, edi- extraterrestres começam a aparecer
pequena menção à amizade e à tor e autor da 9.ª Arte. “A série Astérix em histórias que nunca tiveram naves
generosidade de um foi um sucesso quase imediato, assim extraterrestres”, acrescenta, lem-
companheiro? Uderzo nunca que começou a ser publicada, em brando que “Tintin sofreu o mesmo
esqueceu, por seu lado, os que 1959 [inicialmente na revista Pilote], problema no penúltimo álbum”.
atravessaram o século da banda e a sua continuação contribuiu de Sara Figueiredo Costa, que foi a
desenhada com ele, tendo em modo inegável para a divulgação curadora da exposição central do
2015 quebrado o seu silêncio para generalizada de uma linguagem e Festival de BD da Amadora em 2017,
homenagear Cabu, assassinado no para a aÆrmação do chamado eixo Contar o Mundo — A reportagem em
atentado ao Charlie Hebdo. franco-belga no panorama da banda banda desenhada, considera que pas-
Seja como for, nunca mais o desenhada mundial”, nota Sara sou igualmente a ter um menor apre-
desenho de foi Uderzo superado. Figueiredo Costa, jornalista, crítica ço pelas aventuras de Asterix após o
As várias adaptações ao Ælme de literária e professora, em resposta ao desaparecimento de Goscinny. “Uder-
animação são pálidas quando PÚBLICO via email. zo manteve a constância do seu tra-
comparadas com a sátira elegante Com Goscinny, Uderzo desenhou balho, a qualidade, as soluções ima-
da sua arte (que o irmão Marcel foi 24 álbuns, entre 1961 e 1979; depois ginativas, mas não voltei a apreciar
cartoon americano e da escola da colorindo até 1979, pois Uderzo da morte do seu companheiro, assu- um álbum de Asterix da mesma for-
Disney, também era tributário). E nasceu daltónico) e os inúmeros miu a empresa de dar continuidade à ma. Havia ali uma simbiose criativa
assim Uderzo deixa, com pastiches que se seguiram aventura, desenhando, e escrevendo que só funcionava com aquelas duas
Goscinny, a revista belga, para os permanecem pastiches. Apreciado também, oito novos capítulos, até pessoas.”
dois fundarem, com outros por Edward Gorey e Matt que, a partir de 2013 (e do número Sobre a possibilidade de a série ter
autores, a Pilote. Tinham Groening, a sua inÇuência está por 35), passou o testemunho à dupla continuidade após o desaparecimen-
começado os anos de ouro da mapear na banda desenhada Jean-Yves Ferri/Didier Conrad. to de Uderzo, nenhum destes três
banda desenhada francesa. francófona contemporânea, mas o Pedro Moura nota que a qualidade leitores de BD tem dúvidas: a série vai
Para aquela publicação seu lugar na história da arte e da do desenho de Uderzo vai para além continuar. “É tão provável a franchise
semanal, Uderzo faz o desenho da cultura é indesmentível. do Astérix, e cita, a propósito, outras sobreviver à morte de Uderzo como
série Tanguy e Laverdure, com Distinguido com vários prémios, séries da dupla, que “também foram sobreviver, um dia, às futuras mortes
argumento de Jean-Michel condecorado pelo Estado francês, distribuídas e tiveram êxito em Por- de Ferri e Conrad: os critérios serão
Charlier, mas é com Astérix, e na Uderzo vive sobretudo na nossa tugal, casos de As Aventuras de Tanguy outros e maiores do que eles”, diz
companhia de Uderzo, que memória. Parafraseando o e Laverdure, Humpá-Pá e, talvez Rogério Casanova. Para Sara Figuei-
encontra uma história que não ex-director do Festival de menos, o João Pistolão”. redo Costa, “Astérix, Obélix & com-
mais abandonará. Durante mais Angoulême, Stephane Beaujean, “Quando descobri que era a mes- panhia alcançaram uma espécie de
de uma década, a revista terá em ensinou-nos, leitura após leitura, a ma pessoa a desenhar Æquei sur- vida autónoma, existindo para lá dos
Astérix a sua maior referência, reentrar numa imagem para preendido — mas essa era a percepção seus próprios criadores.”
antes de, nos 60, começar a redescobrir todas as idades da das crianças. Agora, como adulto, O primeiro e o último dos 38
publicar outros autores e séries. nossa vida. percebo a maneira como o autor pro- livros da série editada pela ASA sandrade@publico.pt
38 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

CULTURA

O saxofone de Manu Dibango


furou os limites da world music
Manu Dibango 1933-2020 Nome maior das músicas do mundo, é o autor de Soul Makossa
e de A freak sans fric, entre muitos outros temas. Tinha 86 anos e morreu devido à covid-19
EMMANUEL FRADIN/REUTERS
modernidade africana que em
Obituário palco soava a uma magníÆca
Joana Amaral Cardoso comunhão sobre brasas. Dibango
e Gonçalo Frota soprava no saxofone como se
fosse o anÆtrião de uma festa para
O saxofonista camaronês Manu a qual convidava qualquer
Dibango, estrela do afro-jazz e multidão que tivesse pela frente.
inspiração de várias gerações de Ligava musicalmente os
músicos, morreu ontem, aos 86 Camarões a Cuba, os Estados
anos, de covid-19. O músico Unidos à África do Sul, num
conhecido como “Papy Groove”, saudável e repetido desprezo por
que estava internado já desde a fronteiras. E tinha esse dom
semana passada, é a primeira extraordinário que era dançar e
vítima mortal do coronavírus no fazer dançar com o som que
universo da música, assinalou a extraía do seu saxofone. As notas
imprensa francófona na manhã de Dibango pareciam saltar do
de ontem. instrumento a bambolear-se e a
“Caros familiares, caros deleitar-se com o movimento que
amigos, caros fãs, uma voz o camaronês lhes imprimia;
eleva-se ao longe... É com dir-se-ia que, nas suas mãos, o
profunda tristeza que vos saxofone era um instrumento
anunciamos o desaparecimento inventado para incendiar pistas
de Manu Dibango, o nosso ‘Papy de dança. E bastava-lhe um curto
Groove’, vitimado a 24 de Março, fraseado para fazer a temperatura
aos 86 anos, na sequência da escalar e os corpos se entregarem
covid-19”, escrevem os seus às suas composições. Não serão
familiares num post na página de muitos aqueles que poderão
Facebook do músico. O seu gabar-se de semelhante feito. E
manager, Thierry Durepaire, serão ainda menos aqueles que
disse à agência de notícias AFP algum dia foram capazes de
que Dibango morreu num inundar de puro prazer cada
hospital na região de Paris. tema que lhes saiu da imaginação.
Mesmo os mais Dibango nasceu na cidade
desconhecedores da carreira de portuária de Duala em 1933. O pai
Dibango, que explodiu era funcionário público, a mãe
internacionalmente em 1972 com era designer de moda e
o êxito do single do álbum ocasionalmente também
homónimo Soul Makossa (a professora. Na sua autobiograÆa,
makossa é um género musical Trois Kilos de Café (1989), conta
camaronês e a palavra signiÆca que era no gramofone dos pais
“dança”) e se aÆrmou que ouvia a música que viria a
incontornavelmente em 1973 com inÇuenciá-lo. Música camaronesa,
o álbum Fricadelic, já o ouviram — francesa, mas também
quanto mais não seja no sample norte-americana. O seu primeiro
que Michael Jackson usou em álbum foi o homónimo Manu
Wanna be startin’ something (em Dibango, lançado em 1968,
2009 Dibango chegou a processar seguido por uma profusão de
o rei da pop, que admitiu ter trabalhos como Saxy Party (1969),
usado o excerto nessa faixa do o importante Soul Makossa e uma
álbum Thriller, e chegou a acordo sequência quase anual de nova
com o camaronês). Também o título de Cavaleiro da Legião de extraordinária mestria e absoluta música gravada em disco ao longo
inspirou Jungle boogie, o hino dos
Nas suas mãos, Honra. naturalidade a linguagem do jazz de seis décadas. Em 2013 assinou
Kool and the Gang, mas era um o saxofone era Esses terão sido os momentos e do funk às músicas de raiz o seu último álbum, Balade en
artista em nome próprio, que em que a música de Manu africana, estabelecendo Saxo. Gravou com Eliades Ochoa,
criou o seu próprio estilo musical
um instrumento Dibango furou os limites da world constantes pontes que poderiam com Youssou N’Dour, Peter
e tocou o reggae, o jazz, o inventado para music e chegou — mesmo se parecer óbvias, mas poucos Gabriel, Ladysmith Black
afro-beat, o funk e até o disfarçada — ao mundo pop. O seu cruzavam. Foi nesse sentido que, Mambazo ou Sinéad O’Connor.
psicadelismo. Foi condecorado
incendiar pistas lugar, no entanto, era outro. Em juntamente com outros nomes
pelo Estado francês em 2010 com de dança palco, Dibango unia com como Fela Kuti, inventou uma joana.cardoso@publico.pt
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 39

CULTURA

Morreu o arquitecto-escultor
Artur Rosa, o “executor íntimo”
Breves da obra de Helena Almeida
CORTESIA FRANCISCO NOGUEIRA

Revistas Obituário
Time Out passa a Time Lucinda Canelas
In e fica disponível Artur Rosa 1926-2020
online gratuitamente Escultor e arquitecto,
Na sequência das restrições passou 50 anos a participar
decretadas pelo estado de na obra da mulher, Helena
emergência, e do Almeida, e a fotografá-la
encerramento de
restaurantes, bares e recintos A tentação, agora que Artur Rosa
de espectáculos, a revista morreu — aconteceu ontem de
Time Out vai passar manhã, no Hospital Egas Moniz,
temporariamente a chamar-se em Lisboa, na sequência de uma
Time In e assumirá uma pneumonia —, é dizer que o
cobertura nacional. A nova escultor e arquitecto não quis viver
revista terá distribuição num mundo em que a sua mulher,
gratuita e exclusivamente Helena Almeida, não existisse. A
online, num projecto morte da artista plástica, em
desenvolvido com a Meo. As Setembro de 2018, pôs Æm a uma
edições em papel, tanto a de cumplicidade de mais de 60 anos,
Lisboa como a do Porto, serão que se alargou ao plano
“dispensadas” nas próximas proÆssional.
semanas. A publicação “Pela pessoa gentil e dedicada
mantém a periodicidade que o Artur era, pela união especial
semanal da Time Out Lisboa, deste casal, quase que apetece Artur Rosa fotografado em 2012 na estação de metro do Terreiro do Paço (Prémio Valmor em 2007)
sendo disponibilizada todas as romantizar a sua morte. Mas ele
quartas-feiras em https:// tinha 94 anos e estava doente. “Lembra-me sempre Piranesi, que opta mesmo por chamar-lhe desenho. Era este “homem
www.timeout.pt. Foi-lhe muito difícil continuar sem a sendo arquitecto era “arquitecto-escultor”, tomando elegante, de sorriso aberto e mãos
mulher da sua vida, mas o que essencialmente um grande como ponto de partida a obra que grandes, expressivas”, quem estava
importa hoje dizer é que o Artur gravador, um dos maiores do século tem num dos átrios públicos do por trás da câmara fotográÆca,
Cinema Rosa não era apenas o marido da XVIII. Também ele criava imagens edifício sede da Fundação premindo o botão sempre ela lhe
Festival IndieLisboa Helena Almeida, era um arquitecto,
um escultor”, aÆrma ao PÚBLICO a
muito fortes”, diz este crítico de
arquitectura, identiÆcando como
Gulbenkian, em Lisboa, uma
escultura com Æguras geométricas
pedia que o Æzesse. Era Artur Rosa a
única pessoa com quem a artista
adiado para curadora Isabel Carlos, amiga de um dos seus projectos mais que começa no interior e se admitia partilhar o espaço do atelier
“outras datas” ambos e comissária de uma das
últimas exposições que se Æzeram
interessantes a STET — Agência da
Caterpillar de Lisboa, um edifício
prolonga, depois, para o jardim.
“O Artur Rosa abraça com grande
e, esporadicamente, o
enquadramento fotográÆco.
O IndieLisboa — Festival em Portugal a partir da obra da dos anos 1960, “complexo eÆcácia duas correntes, a da A primeira vez em que o
Internacional de Cinema, que artista (O Outro Casal, 2018, Museu formalmente”. geometria e a da abstracção”, diz arquitecto surge à frente da
deveria começar a 30 de Abril, Arpad Szenes-Vieira da Silva, Também autor de prédios de esta curadora que comissariou a objectiva é em 1979, na obra
foi adiado devido ao estado de Lisboa). habitação social, junto ao Viaduto primeira retrospectiva de Helena Ouve-me, voltando a aparecer
emergência decretado em Formado em arquitectura pela Duarte Pacheco, em Lisboa, Rosa Almeida em 1998 (Entrada Azul, depois de um interregno de 40 anos
Portugal para conter a Escola Superior de Belas Artes de pertence a uma geração que faz, Casa da América, Madrid), mas que em O abraço (2006), composta por
epidemia da covid-19, revelou Lisboa, cidade onde nasceu em segundo Michel Toussaint, uma conhecia o casal desde o início dos sete fotograÆas de grande formato
a organização à agência Lusa. 1926, Artur Rosa tem na estação de arquitectura muito cuidada que tira anos 1990. “E a sua linguagem, quer que foi mostrada pela primeira vez
“Tudo faremos para que o metro do Terreiro do Paço, que lhe partido dos materiais, sobretudo do trabalhe na arquitectura, quer na em Portugal na exposição O Outro
festival possa acontecer mereceu o Prémio Valmor em 2007, betão à vista. É assim no edifício da escultura ou na gravura — a Casal. Outras se seguiriam com
noutras datas”, refere a a sua obra pública mais recente e, Caterpillar, é assim na estação de Colecção Moderna da Gulbenkian Artur Rosa e Helena Almeida juntos,
organização, remetendo novo eventualmente, mais conhecida. metro do Terreiro do Paço. “Na tem várias obras suas muito como Looking back (2007) e S/título
calendário para breve. O Mas Rosa era também um artista estação do metropolitano ele interessantes do Ænal dos anos 1970, (Ref.#9), de 2010.
festival já tinha anunciado plástico, que a partir de 1951 explora muito bem a estrutura de feitas na Cooperativa Diferença —, “Não podia ser outro se não o
algumas novidades da começou a dedicar-se à escultura, betão armado e tira partido de toda não se altera. É sempre muito Artur a premir o botão na obra de
programação deste ano, sem nunca deixar de fazer, assegura aquela monumentalidade. E isso depurada, sem artifícios. Na Helena Almeida. Só uma
nomeadamente uma Isabel Carlos, “experiências não acontece noutras estações. escultura da Gulbenkian como na intimidade assim, só uma
retrospectiva de toda a obra interessantes no domínio da Tomás Taveira, por exemplo, não estação de metro, a harmonia vem cumplicidade assim, seriam
do realizador senegalês gravura”. tira partido daquela escala de dentro da estrutura.” capazes de produzir aquela obra.
Ousmane Sembène É precisamente um importante sobre-humana na das Olaias.” Com uma obra “infelizmente” Mas é Helena Almeida, sempre ela,
(1923-2007), uma homenagem gravador e arquitecto do século Sem usar recursos escultóricos na por estudar, Artur Rosa é talvez o chefe de orquestra. E o Artur
aos 50 anos da secção Fórum XVIII italiano, Giovanni Battista arquitectura, mas explorando a mais conhecido como o “executor nunca se importou com isso.
da Berlinale e um ciclo Piranesi, que o arquitecto Michel “força plástica” de elementos como íntimo” das fotograÆas de Helena Aquela era a obra da Helena, a dele
dedicado à realizadora Toussaint, que integrou o júri que as lâminas de betão Artur Rosa põe Almeida, aquelas que decorriam de era outra.”
franco-senegalesa Mati Diop. atribuiu a Rosa o Prémio Valmor de as duas disciplinas em contacto, uma encenação rigorosa e
2007, evoca ao falar da sua obra. acrescenta Toussaint. Isabel Carlos começavam sempre por existir no lcanelas@publico.pt
40 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

CLASSIFICADOS Edif. Diogo Cão, Doca de Alcântara Norte, Tel. 21 011 10 10/20 Fax 21 011 10 30
1350-352 Lisboa
pequenosa@publico.pt
De seg a sex das 09H às 19H
Sábado 11H às 17H


Largo do Paço
4704-553 Braga Universidade do Minho
ANÚNCIO Direção de Recursos Humanos

M/F
AdRA - Águas da Região de Aveiro, S.A. Torna-se público que se encontra aberto processo de recrutamento para a contratação de um
Especialista de Informática, na modalidade de Contrato de Trabalho a Termo Resolutivo Certo, ao
abrigo do Código do Trabalho.
AVISO Refª CTTC-96/19-I3BS(1) – Um trabalhador para exercer as funções correspondentes à carreira
REFORÇO PREVENTIVO DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA de Especialista de Informática, na Unidade de Investigação I3Bs da Universidade do Minho, nas
PERTURBAÇÃO DO ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA MADRUGADA DE 27/03/2020 Caldas das Taipas.
REQUISITOS DE ADMISSÃO: Possuir grau Licenciatura na área de Sistemas de Informação, En-
JOSÉ ALBERTO genharia Informática ou áreas afins.
O prazo para a apresentação das candidaturas decorre no período de 25/03/2020 a 13/04/2020.
27/03/2020 – DAS 00:00H ÀS 06:00H O texto integral do processo de recrutamento e seleção encontra-se disponível em https://

Freguesia da Gafanha da Nazaré, Freguesia da Gafanha do Carmo, Freguesia da SANTOS DA COSTA intranet.uminho.pt/Pages/Documents.aspx?Area=Procedimentos%20Concursais
O Diretor de Serviços, Luís Carlos Ferreira Fernandes
Gafanha da Encarnação e Colónia Agrícola – Município de Ílhavo
BASTOS TRIBUNAL JUDICIAL
DA COMARCA
Fundada em 1988 pelo Professor Doutor Carlos Garcia, a Associação Portuguesa DE LISBOA OESTE
AGRADECIMENTO de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer - Alzheimer Portugal é uma
Instituição Particular de Solidariedade Social. É a única organização em Portugal,
Juízo Local Cível de Cascais
- Juiz 3
de âmbito nacional, especificamente constituída para promover a qualidade de Processo: 931/20.1T8CSC
vida das pessoas com demência e dos seus familiares e cuidadores. Tem cerca de
ANÚNCIO
Sua Irmã, Sobrinhos e demais Fa- dez mil associados em todo o país.
Oferece Informação sobre a doença, Formação para cuidadores formais e Acompanhamento de Maior
informais, Apoio domiciliário, Apoio Social e Psicológico e Consultas Médicas Requerente: Ministério Público
mília, agradecem reconhecidos da Especialidade. Acompanhada: Maria Mar-
Como membro da Alzheimer Europe, a Alzheimer Portugal participa ativamente garida Lourença de Oliveira
todas as manifestações de ami- no movimento mundial e europeu sobre as demências, procurando reunir e divulgar
os conhecimentos mais recentes sobre a Doença de Alzheimer, promovendo o seu Rendeiro
Faz-se saber que foi distribuído
zade e apreço pela altura de seu estudo, a investigação das suas causas, efeitos, profilaxia e tratamentos.
neste tribunal, o processo de
Contactos Acompanhamento de Maior,
falecimento e na impossibilidade Sede: Av. de Ceuta Norte, Lote 15, Piso 3, Quinta do Loureiro, 1300-125 Lisboa
- Tel.: 21 361 04 60/8 - E-mail: geral@alzheimerportugal.org em que é requerido Maria
O Presidente do Conselho de Administração Margarida Lourença de Olivei-
Fernando Vasconcelos, Eng.
de realizar a Missa de 30.º dia, in- Centro de Dia Prof. Dr. Carlos Garcia: Av. de Ceuta Norte, Lote 1, Loja 1 e 2
- Quinta do Loureiro, 1350-410 Lisboa - Tel.: 21 360 93 00 ra Rendeiro, com domicílio na
Lar, Centro de Dia e Apoio Domiciliário «Casa do Alecrim»: Rua Joaquim Miguel Serra Moura, Rua Dr. Joaquim Manso, 157,
formam que a farão assim que as n.º 256 - Alapraia, 2765-029 Estoril - Tel. 214 525 145
E-mail: casadoalecrim@alzheimerportugal.org 2765-535 Estoril, com vista a
serem definidas as medidas de
circunstâncias o permitam. Delegação Norte: Centro de Dia “Memória de Mim” - Rua do Farol Nascente, n.º 47A R/C,
4455-301 Lavra - Tel. 229 260 912 | 226 066 863 - E-mail: geral.norte@alzheimerportugal.org acompanhamento.
Delegação Centro: Urb. Casal Galego - Rua Raul Testa Fortunato n.º 17, 3100-523 Pombal Tel. N/ Referência: 124500405
236 219 469 - E-mail: geral.centro@alzheimerportugal.org
Cascais, 23-03-2020
CONHEÇA A NOSSA SELECÇÃO Agência Funerária Magno - Alvalade
Servilusa - Número Verde Grátis 800 204 222
Delegação da Madeira: Avenida do Colégio Militar, Complexo Habitacional da Nazaré, Cave
do Bloco 21 - Sala E, 9000-135 FUNCHAL
Tel. 291 772 021 - E-mail: geral.madeira@alzheimerportugal.org
O Juiz de Direito,
Dr(a). Nuno Tomás Cardoso
DE ACESSÓRIOS EM LOJA.PUBLICO.PT Serviço Funerário Permanente 24 Horas
Núcleo do Ribatejo: R. Dom Gonçalo da Silveira n.º 31-A, 2080-114 Almeirim
Tel. 24 300 00 87 - E-mail: geral.ribatejo@alzheimerportugal.org
Núcleo de Aveiro: Santa Casa da Misericórdia de Aveiro - Complexo Social da Quinta da Moita
- Oliveirinha, 3810 Aveiro - Tel. 23 494 04 80 - E-mail: geral.aveiro@alzheimeportugal.org
O Oficial de Justiça,
Maria José Ventura
MAIS INFO: 210 111 010 Público, 25/03/2020

Pretende receber o seu livro em casa?


Encomende online em loja.publico.pt, ou através de coleccoes@publico.pt e 808 200 095/ 210 111 020
Quer saber quais os pontos de venda activos na sua área de residência? Ligue para 808 200 095/ 210 1 11 020

EM QUE MENTIRAS PODEMOS ACREDITAR? VOL. 6


O INÍCIO
Inclui as histórias Batman/Flash:
The Button (partes 3 e 4) +
Doomsday Clock (capítulo 1)
WATCHMEN: A COLECÇÃO
Aqui começa Doomsday Clock, com o universo de
Watchmen a avançar implacavelmente em direcção ao
Universo DC, em rota de colisão com dois dos seus maiores
heróis: Batman e Flash. Sete anos após a invasão alienígena
que matou 3 milhões de pessoas, a descoberta do diário de
+9,90€
Rorschach revela finalmente o rosto por trás da mentira:
EM BANCA
TM & © 2020 DC Comics. All Rights Reserved.

COM O PÚBLICO
Ozymandias, o homem mais inteligente do mundo – que
agora é também o mais procurado. Mas ainda há alguém
que pode salvar o mundo. E a resposta está no sorriso EM
ensanguentado misteriosamente deixado na Batcaverna, C A PA D U R A IA S
R
que todas as análises confirmam não ser deste universo. E C O M H IS TÓ EM
Para coleccionar, todos os sábados, uma obra de uma IN ÉD ITA S
P O R T U G U ÊS
extraordinária densidade psicológica e a mais definitiva
desconstrução das histórias de super-heróis de sempre.

A MAIS ACLAMADA NOVELA GRÁFICA DE TODOS OS TEMPOS


Colecção de 10 volumes, 6 dos quais inéditos em português. PVP unitário: 9,90 €. Preço total da colecção: 99 €. Periodicidade semanal ao sábado, entre 15 de Fevereiro e 18 de Abril de 2020. Stock limitado.
Público ClassiÄcados • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 41

emprego EMPREGO
INSCREVA-SE EM EM PARCERIA COM
CANDIDATE-SE ÀS MELHORES OFERTAS DE EMPREGO EMPREGO.PUBLICO.PT
Contratação de Doutorado
(M/F)
Foi publicado no Diário da República nº 59, 2.ª Série, de 24 de março de 2020,
o Aviso n.º 4951/2020 relativo ao concurso Ref.ª CDL-CTTRI-11-ARH/2020
de âmbito internacional, para recrutamento na modalidade de contrato de
trabalho a termo resolutivo incerto celebrado ao abrigo do Código de Traba-
lho, de 1 (um) lugar de Doutorado equiparado a Investigador Auxiliar, para CAPITAL SOCIAL: 5 000 000 EUROS
o exercício de atividades de investigação científica nas áreas científicas de SEDE SOCIAL: MITRENA – 2910-738 SETÚBAL
Ciências da Saúde, Ciências Sociais e áreas afins com vista à realização
de atividades de investigação, gestão e disseminação de conhecimento no CONSERVATÓRIA DO REGISTO COMERCIAL DE SETÚBAL
âmbito do projeto Smart and Healthy Ageing through People Engaging in Su- MATRÍCULA N.º 503 847 151
pportive Systems – SHAPES (Grant Agreement-857159-SHAPES), financiado
pela Comissão Europeia no âmbito da call H2020 SC1-FA-DTS-2018-2020, PESSOA COLECTIVA N.º 503 847 151
tópico: DT-TDS-01-2019.
2 - O requerimento de candidatura deverá ser elaborado nos termos do edital
antes referido, publicitado no seguinte endereço eletrónico: http://www.ua.pt/ ASSEMBLEIA GERAL ANUAL DE ACCIONISTAS
sgrhf/PageText.aspx?id=15052.
3 - O prazo de candidaturas é de 15 dias úteis, contados a partir da data da
publicação do aviso no Diário da República. CONVOCATÓRIA
Aveiro, em 27 de janeiro de 2020
O Reitor, Prof. Doutor Paulo Jorge dos Santos Gonçalves Ferreira Como é do conhecimento dos Senhores Accionistas, a situação excepcional em que vivemos actualmente de pande-
mia SARS-CoV-2, levou à tomada de medidas excepcionais pelos órgãos do poder político competentes.
Nesse sentido, o Decreto-Lei 10-A/2020 de 13 de Março, no seu artigo 18º, autorizou a prorrogação do prazo até 30
de Junho do ano corrente, para a realização das Assembleias Gerais das Sociedades Comerciais.
Câmara Municipal de Valongo
Ademais, tendo em conta o estado de emergência entretanto declarado, que impede a realização da Assembleia
EDITAL N.º 40 Geral da LISNAVE na data prevista, decidi dar sem efeito a Convocatória anterior e reagendar a data da realização
Novos Paços do Concelho e Centro Cívico da Assembleia Geral Anual da LISNAVE – ESTALEIROS NAVAIS, S.A., para reunir, no dia 25 de Junho de 2020, pelas
José Manuel Ribeiro, Presidente da Câmara Municipal de Valongo faz 11:00 Horas, na Sede da Sociedade, no Estaleiro da Mitrena, Setúbal, com a seguinte Ordem de Trabalhos:
público:
1º - Deliberar sobre o RELATÓRIO DE GESTÃO E CONTAS DO EXERCÍCIO DE 2019;
Nos termos do art.º 17.º da Lei n.º 168/99, de 18 de Setembro (Código de
Expropriações), que por delliberação tomada em reunião de 2019.12.13 e 2º - Deliberar sobre o RELATÓRIO DO CONSELHO FISCAL;
retificada em reunião de 2020.01.09, foi publicado no Diário da República
2.ª Série, n.º 37 de 21 de fevereiro de 2020, a declaração de utilidade 3º - Deliberar sobre a Proposta de Aplicação de Resultados;
pública, a favor da Câmara Municipal de Valongo, da expropriação, sob
os prédio sitos na Freguesia de Valongo, assim identificados: 4º - Proceder à apreciação geral da Administração e Fiscalização da Sociedade;
Parcela 1 - inscrita na matriz predial rústica da referida freguesia sob o No prazo legal, ficam à disposição dos Senhores Accionistas, na Sede da Sociedade e no respectivo sítio na Internet,
artigo 610 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Valongo
sob o n.º 3115/19961120, propriedade de Helena Castro Gonçalves da os elementos constantes do artigo 289º do Código das Sociedades Comerciais e os respeitantes aos pontos que
Cruz Mota, João Castro Gonçalves da Cruz, Ana Maria Castro Gonçalves constituem a Ordem de Trabalhos.
da Cruz, Maria João Tavares Castro Cruz, Ana Margarida Tavares
Castro Cruz e Manuel Tavares Castro Gonçalves da Cruz, com área de Nos termos da Lei e do Contrato Social a Assembleia Geral é constituída pelos Accionistas com direito a voto que
10.294,00m2; possuam, pelo menos, cem Acções devidamente registadas em seu nome até dez dias antes da data da Assembleia
Parcela 2 - inscrita na matriz predial rústica da referida freguesia sob o Geral. A cada cem Acções corresponderá um voto.
artigo 611 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Valongo sob
o n.º 2674/19950914, propriedade de Fernandes Silva e Armando, Lda., Para o efeito, os Senhores Accionistas que queiram estar presentes naquela Assembleia deverão informar o Presidente
com área de 471,70m2;
da Mesa da Assembleia Geral, por carta, com assinatura reconhecida notarialmente, ou certificada pela Sociedade, de-
Parcela 3 - inscrita na matriz predial rústica da referida freguesia sob o
artigo 612 e descrito na Conservatória do Registo Predial de Valongo vendo neste caso solicitar às instituições financeiras onde se encontram registadas as Acções que comuniquem ao Pre-
sob o n.º 3116/19961120, propriedade de Helena Castro Gonçalves da sidente da Mesa da Assembleia Geral a existência de tal registo, até cinco dias úteis antes da data da Assembleia Geral.
Cruz Mota, João Castro Gonçalves da Cruz, Ana Maria Castro Gonçalves
da Cruz, Maria João Tavares Castro Cruz, Ana Margarida Tavares A Assembleia Geral só poderá reunir, em primeira Convocatória, estando presentes ou representados Accionistas
Castro Cruz e Manuel Tavares Castro Gonçalves da Cruz, com área de representantes de, pelo menos, cinquenta por cento do Capital Social.
146,60m2.
Nestes termos, vai proceder-se em conformidade com o preconizado na
citada lei, a fim de se efetuar a posse administrativa das parcerias acima Setúbal, 23 de Março de 2020
identificadas. O PRESIDENTE DA MESA DA ASSEMBLEIA GERAL
Valongo e Paços do Concelho, aos 04 de março de 2020
O Presidente - Assinatura Ilegível Dr. Luís Miguel Nogueira Freire Cortes Martins

FARMÁCIAS
Lisboa - Serviço Permanente Nobre Sobrinho Amadora - Quinta Grande , Covilhã - Parente Cuba - Da Misericórdia Elvas Mora - Canelas Pais (Cabeção) , Falcão, Central Serpa - Serpa Jardim Sertã - Lima da Silva ,
Cruz de Malta (Chafariz de Dentro) - Largo do Romeiro Ansião - Medeiros (Avelar) , Rego - Europa Entroncamento - Almeida Gonçalves (Pavia) Moura - Nataniel Pedro Mourão - Farinha (Cernache do Bonjardim) Sesimbra -
Chafariz de Dentro, 36 - Tel. 218866126 Líbia (Chão de Couce), Pires (Santiago da Guarda) Estremoz - Grijó Évora - Gusmão Faro - Central Nazaré - Sousa , Maria Orlanda (Sitio de Santana (Santana) Setúbal - Santiago ,
(Alvalade) - Avenida da Igreja, 4 B - C - Tel. Arraiolos - Misericórdia Arronches - Batista , Almeida , Da Penha Ferreira do Alentejo - da Nazaré) Nisa - Ferreira Pinto Óbidos - Vital Cunha Pinheiro Silves - Dias Neves , Guerreiro
218491681 São Sebastião (S. Sebastião - Frente Esperança (Esperança/Arronches) Arruda dos Salgado Ferreira do Zêzere - Graciosa , Soeiro, (Amoreira/Óbidos) , Senhora da Ajuda Sines - Atlântico , Monteiro Telhada (Porto
à Igreja) - Lg. de S. Sebastião da Pedreira, 1 - 3 - Vinhos - Da Misericórdia Avis - Nova de Aviz Moderna (Frazoeira/Ferreira do Zezere) (Gaeiras), Oliveira Odivelas - Silva Monteiro Covo) Sintra - Campos , Baião Santos (Queluz)
Tel. 213548642 Sepol (Boa-Hora) - Calçada da Azambuja - Dias da Silva , Nova, Peralta Figueiró dos Vinhos - Campos (Aguda) , Vidigal (Ponte da Bica/Odivelas) Oeiras - Parque dos Sobral Monte Agraço - Costa Sousel - Mendes
Boa-Hora, 98 - B - Tel. 213631958 (Alcoentre), Ferreira Camilo (Manique do Fronteira - Vaz (Cabeço de Vide) Fundão - Poetas Oleiros - Martins Gonçalves (Estreito - Dordio (Cano) , Andrade Tavira - Maria Aboim
Intendente) Barrancos - Barranquense Batalha Taborda Gavião - Mendes (Belver) , Gavião Oleiros) , Garcia Guerra, Xavier Gomes Tomar - Alfa (Porto da Laje) Torres Novas -
Outras Localidades - Serviço Permanente - Ferraz , Silva Fernandes (Golpilheira) Beja - J. Golegã - Salgado Grândola - Pablo (Orvalho-Oleiros) Olhão - Avenida Ourém - Aliança (Lamarosa/Torres Novas) Torres
Abrantes - Silva Tavares (Alferrarede) A. Pacheco Belmonte - Costa , Central (Caria) Idanha-a-Nova - Andrade (Idanha A Nova) Leitão Ourique - Nova (Garvão) , Ouriquense Vedras - Quintela Vendas Novas - Nova Viana
Alandroal - Santiago Maior , Alandroalense Benavente - Batista Bombarral - Hipodermia Lagoa - Vieira Santos (Estombar) , Amparo Pedrógão Grande - Baeta Rebelo Penamacor - do Alentejo - Nova Vidigueira - Pulido Suc.
Albufeira - Santos Pinto Alcácer do Sal - Borba - Carvalho Cortes Cadaval - Lagoa Loulé - Almancil (Almancil) , Martins, Melo Peniche - Central Pombal - Vilhena Vila de Rei - Silva Domingos Vila Franca de
Alcacerense Alcanena - Correia Pinto Misericórdia Caldas da Rainha - Central Algarve (Quarteira) Loures - Das Colinas , De Ponte de Sor - Matos Fernandes Portalegre - Xira - Simões Dias (Bom Sucesso) , Silva
Alcobaça - Epifânio Alcochete - Nunes , Campo Maior - Campo Maior Cartaxo - Pereira Frielas, Santa Bárbara (Moscavide) Lourinhã - Portalegrense Portel - Fialho Porto de Mós - Carvalho Vila Nova da Barquinha - Tente
Póvoas (Samouco) Alenquer - Nobre Rito Suc. Cascais - do Alto da Castelhana Correia Mendes (Moita dos Ferreiros) , Leal (Rio Lopes Proença-a-Nova - Roda , Daniel de (Atalaia) , Carvalho (Praia do Ribatejo),
Aljustrel - Pereira Almada - Reis Almeirim - (Alcabideche) , Alcoitão (Alcoitão), Grincho Tinto) Mação - Catarino Mafra - Ericeirense Matos (Sobreira Formosa) Redondo - Xavier da Barquinha Vila Real de Santo António -
Central Almodôvar - Ramos Alpiarça - (Parede) Castelo Branco - Reis Castelo de Vide (Ericeira) , Medeiros (Fânzeres) Marinha Cunha Reguengos de Monsaraz - Moderna Carrilho Vila Velha de Rodão - Pinto Vila
Gameiro Alter do Chão - Alter , Portugal - Roque Castro Verde - Alentejana Chamusca Grande - Guardiano Marvão - Roque Pinto Rio Maior - Central Salvaterra de Magos - Viçosa - Torrinha Alvito - Baronia Ansião -
(Chança) Alvaiázere - Ferreira da Gama , Castro - Santa Catarina (Carregueira) , Joaquim Maria Mértola - Pancada Monchique - Higya Costa (Foros de Salvaterra/Salvaterra de Moniz Nogueira Oeiras - Carnaxide
Machado (Alvorge), Pacheco Pereira Cabeça Constância - Vila Farma Constância , Monforte - Jardim Montemor-o-Novo - Freitas Magos) Santarém - Confiança Santiago do (Carnaxide) Portimão - Rio Redondo - Alentejo
(Cabaços), Anubis (Maçãs D. Maria) Alvito - Carrasqueira (Montalvo) Coruche - Higiene (Lavre/Montemor-O-Novo) Montijo - Giraldes Cacém - Corte Real Sardoal - Passarinho Sintra - Medeiros (Algueirão - Mem Martins)
42 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

FICAR

história real de Dian Fossey, a


CINEMA Os mais vistos da TV RTP1 12,7% mulher que, durante 20 anos,
estudou os gorilas das montanhas
Segunda-feira, 23
Invencível da África Central, uma espécie
Hollywood, 17h45 Nazare
% Aud. Share
SIC 15,9 27,2
RTP2 1
ameaçada de extinção. A
Louie é um rapaz que não
consegue Æcar longe de sarilhos.
Jornal da Noite SIC 14,6 24,0 SIC 20,3 antropologista acabou por ser
assassinada, no Ruanda, em 1985,
Terra Brava SIC 12,8 27,6
Graças ao irmão mais velho,
canaliza a sua energia para o
Televisão
lazer@publico.pt
Jornal das 8
O Preço Certo (R)
TVI
RTP1
12,7
12,0
20,8
22,6
TVI 13 devido aos seus esforços para pôr
um Æm à mutilação e
desporto e torna-se atleta Cabo 36,6 comercialização de partes destes
FONTE: CAEM
olímpico. Mas o eclodir da II animais. Sigourney Weaver num
Guerra Mundial interrompe-lhe os dos melhores papéis da sua
sonhos. Durante uma missão, o RTP 1 19.15 Bohemian Rhapsody 21.30 FOX carreira, pelo qual ganhou um
bombardeiro em que segue 6.30 Bom Dia Portugal 10.00 Praça da Bem-Vindos a Marwen 23.25 O 9.35 Hawai Força Especial 11.10 Globo de Ouro.
despenha-se no PacíÆco. Fica à Alegria 13.00 Jornal da Tarde 14.20 Professor e o Louco 1.25 Foxtrot 3.15 Chicago P.D. 14.15 Investigação
deriva durante 47 dias, até ser Outras Histórias 15.00 Voo Directo - A Natal em Grand Valley 4.40 Snu Criminal: Los Angeles 15.45 Hawai
resgatado pelos japoneses. É feito Vida a 900 à Hora 15.59 A Nossa Tarde Força Especial 17.20 C.S.I. Miami 19.00 DOCUMENTÁRIO
prisioneiro de guerra e enviado 17.30 Portugal em Directo 19.08 O Investigação Criminal: Los Angeles
para um campo onde será sujeito Preço Certo 19.59 Telejornal 21.00 FOX MOVIES 20.35 Hawai Força Especial 22.15 FBI A Pequena Morte
a condições que serão o maior dos Especial Estado de Emergência 21.38 9.19 Só Podiam Ser Irmãs 11.08 Tango 23.05 Segurança Nacional 0.00 RTP2, 22h55
testes à sua resistência física e, Joker 22.32 Cá Por Casa com Herman & Cash 12.41 Killer Elite - O Confronto Fragmentado 2.10 C.S.I. Miami 5.10 O título refere-se ao momento
sobretudo, à sua força mental. José - Especial Nélio e Idália 23.31 Cá 14.26 Dunkirk 16.15 Geostorm - Investigação Criminal: Los Angeles pós-orgásmico. E é de orgasmo —
Realizado por Angelina Jolie e Por Casa com Herman José - O Melhor Ameaça Global 17.52 Imparável 19.22 o feminino — que trata este Ælme
nomeado para três Óscares, o da Bambochata 0.29 Gorilas na Bruma Arma Mortífera 3 21.15 Van Damme - de 2018, realizado por Annie
Ælme baseia-se na história real do 2.35 Janela Indiscreta 3.30 Grande Duplo Impacto 22.54 Máquinas de FOX LIFE Gisler. Sem rodeios nem tabus,
aviador e atleta Louis Zamperini, Entrevista: Daniel Sampaio 4.25 O Sábio Guerra 0.27 Perseguição Sem Tréguas 9.46 Nora Roberts: Luzes do Norte 11.17 mas com delicadeza, algum
interpretado por Jack O’Connell. 1.54 Sheba Baby, a Pantera Negra do Anatomia de Grey 12.49 The Resident sentido poético e até humor,
Harlem 3.20 Perseguição Alucinante 13.35 Chicago Med 14.18 Cooking With aborda o tema através de
TVCine Emotion, 19h40 RTP 2 Love 15.55 Em Risco 17.33 Sleeper (2018) testemunhos de mulheres de
Perto Demais 6.32 Repórter África - 2.ª Edição 7.00 19.07 Lei & Ordem: Unidade Especial diferentes idades, proveniências,
Encontros, atracções fatais e Espaço Zig Zag 13.05 Os Daltons 13.20 CANAL HOLLYWOOD 20.41 The Resident 21.29 Chicago Med preferências e orientações. O
traições, num perigoso jogo de A Ilha dos Desafios 13.42 Chovem 9.05 A Minha Canção de Amor 10.45 22.20 Anatomia de Grey 23.10 The resultado é um retrato íntimo e
sedução entre quatro pessoas: Almôndegas 13.53 Folha de Sala 14.00 Amigos, Amigos... Sexo à Parte 12.35 Resident 0.00 Romance Retreat 1.42 Lei múltiplo desse e de outros
Anna ( Julia Roberts), Dan ( Jude Sociedade Civil: Desportos de luta 15.03 Sarilhos em Família 14.20 O Espião & Ordem: Unidade Especial 3.05 The aspectos do prazer na sexualidade.
Law), Alice (Natalie Portman) e A Fé dos Homens 15.35 Nada Será como Fantasma 16.00 Vulcão 17.45 Resident 3.47 Chicago Med 4.29 Star
Larry (Clive Owen). Ninguém sairá Dante 16.00 Selva Viva 16.55 Espaço Zig Invencível (2014) 20.00 Dentro da
incólume. Realizado por Mike Zag 20.29 Merlí 21.30 Jornal 2 22.04 Tempestade 21.30 No Limiar dos 18 INFORMAÇÃO
Nichols, Perto Demais foi Folha de Sala 22.10 Motorista para Todo 23.15 Os Mercenários 2 0.55 Texas DISNEY
nomeado pela Academia em duas o Serviço 22.55 A Pequena Morte 23.56 Chainsaw: O Massacre 2.30 A Primeira 15.00 A Irmã do Meio 15.49 Grande Entrevista: Daniel
categorias: melhores actor Alemanha 86 0.46 Sociedade Civil 1.49 Vitória 5.15 Férias Acampamento Kikiwaka 16.36 Coop & Sampaio
secundário (Owen) e actriz Dora 2.10 Euronews 5.05 Sara 5.48 Os Cami 17.23 Star Contra as Forças do RTP3, 23h05
secundária (Portman). Nossos Dias Mal 17.45 Miraculous - As Aventuras de Com ou sem crianças, a
AXN Ladybug 18.30 Os Green na Cidade teletrabalhar ou desocupados, em
Isto É o Fim 13.14 Mentes Criminosas 14.02 Blood Grande 19.15 Gravity Falls 20.06 Sadie companhia ou absoluta solidão, eis
AXN Movies, 22h57 SIC Work - Dívida de Sangue 16.03 A Saga Sparks 20.55 A Raven Voltou 21.20 a pergunta do momento para
Los Angeles, um dia como outro 6.00 Edição da Manhã 9.05 Alô Portugal Twilight: Amanhecer - Parte 2 17.55 Gabby Duran Alien Total 21.43 muitos portugueses a braços com as
qualquer. Jonah Hill, Seth Rogen, 10.10 O Programa da Cristina 13.00 Mentes Criminosas 20.25 O Segurança Acampamento Kikiwaka 22.30 Coop & rotinas atropeladas: como manter a
Jay Baruchel, Danny McBride e Primeiro Jornal 14.55 Amor Maior 16.15 do Shopping 22.05 The Rookie 22.57 Cami 22.53 A Raven Voltou 23.17 A sanidade mental quando se está
Craig Robinson estão numa festa Júlia 18.15 Amor à Vida 19.15 Amigos Reckoning: Ajuste de Contas 23.49 Irmã do Meio retido em casa? Vítor Gonçalves
no apartamento de James Franco. Improváveis Famosos 19.57 Jornal da Gotti - Um Verdadeiro Padrinho entrevista o psiquiatra Daniel
Subitamente, sem perceberem Noite 21.50 Nazaré 22.25 Terra Brava Americano 1.42 Gran Torino 3.54 Sampaio, em busca de estratégias
quais as causas ou as verdadeiras 23.20 Amor de Mãe 00.00 A Dona do Carter 5.20 Mentes Criminosas DISCOVERY para ultrapassar a quarentena/
consequências do acontecimento, Pedaço 0.20 Passadeira Vermelha 1.50 17.30 Alasca de Comboio 19.15 NASA, reclusão e de uma tentativa de
dão-se conta de que, lá fora, Alô Portugal 2.45 Amigos Improváveis Ficheiros Secretos 21.00 Controlo de aferir o impacto psicológico desta
começou um verdadeiro Famosos 3.30 Televendas AXN MOVIES Fronteiras 22.00 A Autobahn A2 23.50 situação inédita e imprevisível.
apocalipse. Em pânico, iniciam um 14.24 A Minha Namorada Tem Amnésia Controlo de Fronteiras 0.40 A Autobahn Repete na RTP1, às 3h30.
plano de sobrevivência, tentando 16.03 Tempos Cruéis 17.58 O Segurança A2 2.15 Curiosidades da Terra 3.00 A
racionar os mantimentos, para que TVI do Shopping 19.33 Miúdos e Graúdos História do Universo 4.30 Desmontando
se possam manter vivos até à 6.00 Batanetes 7.00 Notícias 8.00 21.15 As Minhas Adoráveis o Cosmos 5.00 Guerra de Propriedades INFANTIL
chegada de alguém que os salve. Diário da Manhã 10.12 Você na TV! 13.00 Ex-Namoradas 22.57 Isto É o Fim! 0.44 O
Mas conseguirão eles conservar a Jornal da Uma 14.43 Belmonte 16.15 A Poder e o Impossível 2.44 Jumanji 4.20 Uma Aventura no Jurássico
frieza de espírito? Uma comédia Tarde É Sua 19.14 Ver p´ra Crer 19.57 Punisher - O Vingador HISTÓRIA (V. Port.)
apocalíptica escrita e realizada por Jornal das 8 21.40 Quer o Destino 22.40 17.23 O Preço da História 20.49 Em Nos Studios, 9h35
Evan Goldberg e Seth Rogen, que Na Corda Bamba 23.20 O Outro Lado da Busca de... 23.39 Grandes Descobertas A meio de uma tropelia, Ernie,
conta ainda com uma série de caras Mentira 0.59 Defesa à Medida 1.45 AXN WHITE 1.08 Alienígenas 2.30 Forjado no Fogo Julia e Max vêem-se encurralados
conhecidas que aparecem numa Mundo ao Contrário 2.31 Louco Amor 13.05 Inesquecível 13.50 Angry Angel dentro de uma cápsula do tempo
versão Æccionada de si mesmas, 3.09 Doce Tentação 3.48 Saber Amar 15.20 Segmentos de Loucura 16.52 Fé e são inesperadamente enviados
entre elas Rihanna, Channing Inabalável 18.24 Recomeço em Mitford ODISSEIA para o Jurássico. Momentos
Tatum, Jason Segel, Michael Cera, 19.55 Inesquecível 21.25 The Halcyon 17.38 Estados Unidos Vistos do Céu: depois, descobrem, aterrorizados,
Emma Watson e Paul Rudd. TVCINE TOP 22.15 A Lagoa Azul: O Despertar 23.47 Yellowstone 18.29 Resgate na Praia que foram parar ao ninho de uma
10.25 Viúvas 12.30 Teen Spirit - The Halcyon 00.37 Joe Dirt II: Belo 19.16 Voos Perigosos 20.02 Top 10 mãe tiranossauro. Mas depressa
Gorilas na Bruma Conquista o Sonho 14.05 Escape Room Falhado 2.32 A Teoria do Big Bang 3.44 Combate 20.47 Guerreiros do Ar 3.00 compreendem que o pobre
RTP1, 00h29 15.50 Feliz Dia Para Morrer 2 17.35 Inesquecível 4.29 O Mentalista 5.14 As Crianças do Isis 4.06 Resgate na animal os confundiu com as suas
Nomeado para cinco Óscares, o A-X-L: Uma Amizade Extraordinária Young Sheldon Praia 4.30 Voos Perigosos próprias crias e que tudo fará
Ælme de Michael Apted conta a para os manter a salvo.
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 43

FICAR (EM CASA)

EM DESTAQUE
Alimentação

Rita Nascimento convida a fazer


um bolo por semana
Recuperar uma tradição do tempo ingredientes e os utensílios a
das nossas avós é a proposta da chef utilizar. No Ænal do livro, há um
de pastelaria que criou, no “bolo para cães (ou humanos com
YouTube, La Dolce Rita. Dos mais muita fome)”: para o fazer precisará
simples aos mais soÆsticados, de 50g de manteiga de amendoim,
passando pelos “aromáticos e duas colheres de sopa de óleo, um
reconfortantes”. Dos que se fazem ovo, uma maçã, uma cenoura, 75g
apenas com farinha, açúcar e ovos de farinha de aveia e uma colher de
aos que levam natas, chocolate ou chá de fermento. Pré-aqueça o forno
avelãs, em camadas. Ao todo, são a 180º; derreta a manteiga de
52 bolos como as 52 semanas do amendoim juntamente com o óleo,
ano porque a sugestão da chef Rita junte o ovo, rale a maçã e a cenoura
Nascimento é fazer Um Bolo por e junte, envolva a farinha e o
Semana. O livro foi editado pela fermento. Leve ao forno cerca de 25
Arteplural, uma chancela da minutos. Se quiser, pode juntar
Bertrand. Nele, a especialista pedacinhos de frango cozido à
partilha ainda informação sobre os massa. Bárbara Wong

temporada já viu morrer o seu swagon_oêcial do Instagram),


Presidente, um dos amigos de para sete horas ininterruptas de
missão foi sequestrado e anda a batidas de música urbana
manter uma relação com o seu fornecidas pelos DJ Hype Myke,
torturador russo que nem o Andrezo, Van Breda, A-Gold, Big,
espectador nem os seus colegas de Fifty e Rusty. Os estilos vão do
escritório em Cabul sabem se é hip-hop ao R&B, passando
para o bem (americano) ou para o também pelo afro, latin e “um
mal. O capítulo desta semana é um bom throwback”. A pista abre às
TV delicado Fucker Shoot Me e é 17h e encerra à meia-noite, por
realizado pela produtora executiva hoje, já que, adianta a
Seis episódios da série Lesli Linka Glatter. J.A.C. organização, o Swag On que tinha
lugar semanalmente no clube
mais perto Música nocturno Lust in Rio passará a
decorrer nos mesmos moldes,
do final Cantigas Conversas Fernando Alvim, o músico
mas em modo virtual. Sob a
chancela Lust In Home, em
de Segurança de embalar Um festival
Moullinex, o enfermeiro André
Maravilha, a psicóloga Maria João
parceria com a agência Mr. Jack,
nasce aquela que se apresenta
Nacional Miguel Araújo, a voz de temas
como Anda comigo ver os aviões, Os de pequenas
Barros ou o director do Congresso
do Medo, Paulo Vieira de Castro.
como a primeira discoteca digital
do país para “continuar a
Esta quarta-feira, às 23h05, na Fox, maridos das outras, Dona Laura, Nascido em 2017, o Mental é um partilhar bons momentos e muita
Æcamos seis episódios mais perto
do Ænal de Segurança Nacional. O
Balada astral ou Recantiga, tem
agora como missão ajudar a
(grandes) festival que integra cinema,
música, dança, teatro, artes
diversão com os clientes e fazer
chegar a cada uma das suas casas
Ænal, que chegará nos últimos dias
de Abril a Portugal, vai chamar-se
adormecer a criançada. Todas as
noites, por volta das 21h, quando
conversas plásticas, literatura e conversas,
cuja missão é combater o estigma
boas experiências”. O live
streaming acontece de quarta a
Prisoners of War — o título da série vai deitar a sua Ælha, o cantor toca Para ir ao encontro da social das questões associadas à sábado, entre as 22h e as 23h.
israelita que inspirou e serviu de umas músicas de embalar, necessidade de conselhos e saúde mental. C.A.M.
base à série de Alex Gansa e partilhando o momento em orientações possíveis num cenário C.A.M.
Howard Gordon e que ao longo da directo, na sua conta de Instagram. desconhecido como o que hoje
última década continuou a fazer as “Vai estar tudo escuro, óbvio, será vivemos, o Mental — Festival da DJ
crónicas do terrorismo visto pelos mais para ouvir do que para ver. Saúde Mental promove as M-Talks
binóculos dos EUA na Æcção
televisiva. Carrie Mathison (Claire
Aviso já que sou muito eÆcaz.
Convém estarem de pijama”,
4ALL, um programa de pequenas
conversas diárias, com
Tempo
Danes) não está em bons lençóis.
What else is new? Tem a seu cargo a
alerta o músico. C.A.M. proÆssionais de várias áreas. A
ideia é ajudar a pensar e a reagir,
para dançar
modesta tarefa de pôr Æm à guerra esclarecer o que está em causa e Let’s Spread the Music! O mote
no Afeganistão (ou pelo menos à fomentar a procura de soluções não engana: aqui espantam-se os
presença norte-americana no país em conjunto. Do jornalismo às males com música de dança. E se
dos taliban) e ao mesmo tempo artes, com especial foco na saúde não podemos ir à discoteca, ela
lida com as habituais diÆculdades mental, dão voz a esta causa vem até nós. Para celebrar o
da vida de uma espia. Duplicidade, convidados como o jornalista sétimo aniversário das festas
mensagens trocadas, traições de Paulo Dentinho (já disponível Swag On, a cabina de som
bolso e as manhas da geopolítica. emwww.youtube.com/ instala-se na casa de cada um
Nos últimos episódios desta oitava FestivalMental), o comunicador (sintonizar a conta
44 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

JOGOS

CRUZADAS 10.927 TEMPO PARA HOJE


HORIZONTAIS: 1. Grande arca com gave- VERTICAIS: 1. Associação Portuguesa de
tões. Faz pressão de cima para baixo. 2. Apoio à Vítima. Gramínea cerealífera. 2.
Presilha que liga a meia à palma do pé, Lançar a rede. Técnica que consiste em
Viana do Bragança
quando esta cobre a perna desde o joelho descer um desnível vertical de terreno
Castelo 4º 21º
ao tornozelo (regional). Velhaco (popular). utilizando cordas. 3. Pequeno búzio que
9º 18º
3. Povoação móvel de árabes. Dar à luz serve de moeda em certos pontos da Braga
filhos. 4. Limpar com vassoura. Grande África. Fragmento de louça quebrada. 4. 7º 22º Vila Real
vontade. 5. Graceja. Que não medrou. 6. Em forma de asa. Músculo ou designativo
13º Porto 8º 20º
Relativo à guerra. 7. Érbio (s.q.). Crítica que aproxima, entre si, dois órgãos ou
severa. 8. Referente a bois, vacas e novi- parte destes. 5. Proibir por meio de casti- 9º 18º
lhos. Textualmente (adv.). 9. Marasmo. go. 6. Porca (regional). Altar. 7. Viseu
Botoeira. 10. Passar (o tempo). Confederação da Agricultura Portuguesa. Guarda
2m 8º 18º
Numeração romana (101). 11. Impulso. Menciona. Preposição que indica lugar. 8. Aveiro
7º 15º
Tornar amigo. Desenfiar contas (Minho). Acreditei. 9. 10º 19º Penha
Símbolo da música. Plana. 10. Cabelo Douradas
comprido do pescoço e da cauda do Coimbra 3º 12º
cavalo e outros animais. Nome de vários 9º 20º
jogos de cartas. 11. Vento brando e aprazí- Castelo
vel. Ir descendo pouco a pouco. Branco
Depois do problema resolvido encontre Leiria 7º 21º
o título de uma obra de Bill Bryson 7º 21º
(2 palavras).
Santarém
Solução do problema anterior: Portalegre
9º 23º
HORIZONTAIS: 1. Acme. Marfim. 2. MAU. Ligeiro. 3. Ai. PIOR. Mio. 4. Raer. Loa. 5. 9º 18º
Quico. Baal. 6. Turno. Tarro. 7. OE. Corola. 8. Típico. PR. 9. Inepto. Feio. 10. CE. Ia. Vara. Lisboa
11. Embora. Raro.
11º 22º
VERTICAIS: 1. Amar. Tolice. 2. Caiaque. Nem. 3. Mu. EUR. Te. 4. PRINCÍPIO. 5. Li.
Cooptar. 6. Miolo. Rio. 7. Agro. TOC. 8. Re. Abalofar. 9. FIM. Ara. Era. 10. Irisar. Piar. 11. Setúbal
Moo. Logro. 9º 23º Évora
PROVÉRBIO: Mau princípio, pior fim.
8º 22º
AMANHÃ

14º Beja
Sines
BRIDGE SUDOKU 11º 20º
9º 21º

Dador: Sul 2m
morto cortado. Rei de copas e copa cor- Problema
Vul: Todos tada. Outro pau para o Rei. Até aqui, 9628 Sagres
tudo bem, temos já realizadas oito va- Faro
zas e ainda temos garantido o Rei de Dificuldade: 12º 19º
12º 19º
NORTE trunfo. Se conseguíssemos fazer o Fácil
Ƅ J874 Valete, o contrato estaria a salvo. Será 15º
Ɔ A2 possível? 0,5-1m
Ƈ Q86
ƅ 10732
Sim! Jogue um pau agora, que Oeste
faz. Quando Oeste jogar uma copa, ou
Açores
Corvo
um ouro, balde um pau de cada lado! O Graciosa
adversário em Este, que já só tem trun- Terceira
OESTE ESTE fos para jogar, é forçado a cortar e a ter Solução do Flores
S. Jorge 10º 14º
Ƅ- Ƅ Q1096 que jogar trunfo debaixo da sua Dama! problema 9626 10º 14º
Ɔ J8653 Ɔ Q104 17º 16º
Pico
Ƈ J10972 Ƈ AK43 Considere o seguinte leilão:
3-3,5m
ƅ Q84 ƅ J6 Oeste Norte Este Sul Faial
1Ɔ passo 2Ɔ
10º 15º
passo 2ST passo ? 2-2,5m S. Miguel
10º 15º
SUL Ponta
Ƅ AK532 O seu parceiro fez uma tentativa de 17º Delgada
Ɔ K97 partida (trial bid), ao prometer uma
1-1,5m
Ƈ5 mão balançada forte e sem necessitar Madeira Sta Maria

ƅ AK95 de uma ajuda específica. Como res-


ponderia com a seguinte mão? Porto Santo
ƄQ76 ƆK94 ƇJ5 ƅ98752 Problema
14º 19º
Oeste Norte Este Sul 9629 18º
1Ƅ Resposta: Marque três copas. A mão é
passo 2Ƅ passo 4Ƅ muito pobre…Atenção, não pode pas- Dificuldade:
Todos passam sar, pois a força do seu parceiro pode Difícil Funchal
0,5m
ainda ir até 19 pontos e ele está apenas 0,5-1m 19º 14º 20º
Leilão: Qualquer forma de Bridge. a tentar perceber qual deverá ser o me-
lhor contrato!
Carteio: Saída: JƇ. A defesa insiste em Sol Lua Quarto
ouros e Sul corta a segunda vaza do Nascente 07h22 crescente
jogo. Segue-se o Ás de trunfo em que Poente 19h59 01 Abr. 11h21
Oeste balda um ouro. Ainda haverá for- Solução do
ma de cumprir esta partida? problema 9627

Solução: O salto para partida por parte


Marés
de Sul não deve ser condenável, mas a Leixões Cascais Faro
má divisão dos trunfos transformou este
bom contrato num mau. O mais impor-
Preia-mar 15h45 3,3 15h20 3,3 15h24 3,2
tante é não baixar os braços e jogar até
03h58* 3,4 03h33* 3,4 03h40* 3,3
ao fim.
Na quarta vaza do jogo, tente o Ás de Baixa-mar 09h35 0,6 09h08 0,8 09h03 0,7
paus. Se Dama e Valete estiverem secos,
fica tudo resolvido. Mas tal não aconte- 21h47 0,7 21h19 0,8 21h12 0,7
ce. E agora? João Fanha/Pedro Morbey
Fonte: www.AccuWeather.com *de amanhã
Copa para o Ás e o último ouro do (bridgepublico@gmail.com) © Alastair Chisholm 2008 and www.indigopuzzles.com
46 • Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020

DESPORTO
Atletas a meio gás,
médicos a tempo inteiro
Com os campeonatos parados e as necessidades crescentes de proÄssionais de saúde no activo, algumas
Äguras do desporto nacional transformaram a covid-19 no principal adversário nas próximas semanas
DAVID MARTINS
explica ao PÚBLICO a atleta do Spor-
Covid-19 ting. E deixa um apelo.
Diogo Cardoso Oliveira “Um dos aspectos que mais me
preocupam é a enorme falta de equi-
No mundo do desporto, a covid-19 pamento de protecção individual.
está a colocar em stand-by várias car- Devemos procurar proteger ao máxi-
reiras, mas não para todos. Frederi- mo os nossos profissionais de saúde,
co Varandas, presidente do Sporting, para prevenir que muitos adoeçam e
será o mais mediático rosto do des- ficarmos, assim, com maior dificul-
porto a dar o contributo ao país dade no controlo desta pandemia. É
como médico, mas a linha da frente imprescindível que cada um faça a
do combate ao surto conta também sua parte. Por favor, fiquem em casa,
com nomes sonantes de diferentes saiam apenas para o essencial”, afir-
modalidades. mou ao PÚBLICO.
Diogo Correia, actual jogador do
Galitos — já passou também pelo FC Do caiaque ao ciclismo
Porto e pelo Algés —, concilia a pri- Entre os vários desportistas de topo
meira divisão do basquetebol nacio- com formação em medicina, há um
nal com a medicina e é um dos caso especial, que chega do estran-
“senhores doutores” que, com o des- geiro. Elise Chabbey é uma mulher de
porto em stand-by, se junta aos cole- vários ofícios e, mesmo a nível des-
gas médicos como mão-de-obra nos portivo, não se fica pelo ciclismo, a
serviços de saúde. modalidade que agora pratica. Em
O base lisboeta explica ao PÚBLICO 2012, nos Jogos Olímpicos de Lon-
que, com as provas paradas, está a dres, Chabbey competiu como…
100% como médico, apesar de, nos canoísta. No ano seguinte, depois de
períodos “normais”, encaixar os trei- quatro anos de resultados modestos
nos e os jogos do Galitos fora do horá- no slalom de caiaque, mudou de
rio de trabalho. Como se conjuga a ramo. Optou pela medicina.
medicina com a primeira linha do Formou-se e, com a impossibilida-
basquetebol nacional? “Não tem sido DR
de de conciliar a prática clínica com
fácil. Tenho tido a sorte de contar cumprimos, assim, as indicações de a canoagem, foi fazendo corrida, para
com a compreensão dos meus supe- ficar o máximo de tempo em casa ou manter a forma, num hábito de fitness
riores, permitindo ajustes para con- em isolamento.” que lhe deu bagagem para experi-
ciliar as duas actividades”, conta. E Outros atletas há que, com as car- mentar o ciclismo. Os resultados apa-
detalha o que tem sido a recente luta reiras desportivas em fases fulguran- receram rapidamente e a decisão
contra o novo coronavírus. tes, colocaram a medicina em pausa também não tardou: “Percebi que
“Tem havido alteração da nossa e lutam de fora, como todo o país. posso ser médica durante toda a vida,
rotina habitual. Infelizmente, o espe- João Souto, hoquista do Sporting, depois de ter conquistado os meus
rado é que, nas próximas semanas, a explicou ao PÚBLICO que está “100% objectivos na bicicleta.”
procura dos cuidados de saúde venha focado no hóquei em patins”. “Como Acontece que alguém trocou os
a aumentar. Esperamos todos nós que tal, estou a cumprir a minha missão planos a Elise Chabbey. Mais concre-
não só a minha unidade [USF Conde no combate ao novo coronavírus, mas tamente, alguém chamado covid-19.
Saúde, Quinta do Conde], mas todo a partir de casa, em isolamento O eclodir da pandemia fez de
o SNS, estejamos preparados para social”, adiantou. Chabbey um “bem” precioso para a
este difícil desafio.” Também a médica e canoísta olím- medicina, em geral, e para o Hospi-
Outro atleta de topo a ajudar na pica Francisca Laia garante estar, tal Universitário de Genebra, em
luta contra a covid-19 é Hugo Gaspar, “para já, a 100% no desporto”, tal particular.
internacional português de voleibol. como Marta Onofre, do salto com “Primeiro, chamaram-me para
“Também eu estarei na linha da fren- vara, que colocou, nos últimos quatro ajudá-los, nem que fosse durante
te, a ajudar todos os que precisem, meses, o projecto olímpico como uma ou duas semanas”, explicou a
muitas vezes com o receio de que em prioridade. “Estive a fazer urgências atleta de 26 anos, acrescentando:
casa tenho a família à espera da minha até Novembro do ano passado e ter- “Mas há tantos casos a surgir que,
chegada são e salvo”, comentou o se manter em forma, para o caso de Hugo Gaspar (voleibol) minei nesse mês, para me preparar considerando a situação actual no
capitão do Benfica, em declarações a época desportiva regressar em bre- e Diogo Correia (basquetebol) da melhor forma para estes Jogos hospital, decidi ficar. Sou mais útil
aos órgãos do clube. ve. “Os nossos preparadores físicos e são dois dos atletas Olímpicos. Este ano estava reservado aqui do que se estivesse na bicicleta.
O oposto português detalhou ao equipa técnica mandam os planos portugueses a exercerem para treinar o máximo para os Jogos E isto é maior do que o desporto.”
Record de que forma concilia o traba- por email ou WhatsApp e cada atleta medicina por estes dias e estudar para ingressar na especiali-
lho como médico e a necessidade de faz o respectivo plano em casa. E dade. Por enquanto, estou afastada”, diogo.oliveira@publico.pt
Público • Quarta-feira, 25 de Março de 2020 • 47

DESPORTO
JOSE COELHO/LUSA

Benfica Volta à
desiste França
da OPA à porta
sobre a SAD Breves fechada?

Futebol Futebol Ciclismo


Liga alemã propõe Diogo Cardoso Oliveira
“Encarnados” ponderavam
a decisão desde o momento
mais um mês A ideia é não ceder já aos
da interrupção dos de suspensão efeitos do surto de covid-19
campeonatos. Investimento A Liga alemã de futebol (DFL) e aplicar um plano de
projectado será reavaliado O Rali de Portugal estava inicialmente agendado para fim de Maio recomendou ontem, após assistência reduzida que
várias horas de debate por permita levar avante o Tour
A BenÆca SGPS manifestou ontem
à Comissão do Mercado de Valores
Mobiliários (CMVM) a intenção de
Chegou a vez de videoconferência entre os
nove elementos do comité, o
prolongamento da suspensão
Pedalar, pedalar, pedalar. Dê por
onde der, com ou sem vírus. É pre-
desistir da Oferta Pública de Aquisi-
ção (OPA) que tinha lançado sobre
a SAD. Na base da decisão dos
o Rali de Portugal dos campeonatos
profissionais, que poderão
continuar “congelados” até 30
ciso correr sem público nas estra-
das? Que seja. Sem público nas
metas? Tudo bem. Cerimónias pro-
“encarnados” está o actual cenário
de incerteza provocado pela pande-
mia de covid-19, que interrompeu
ser adiado de Abril, pelo menos, caso os
36 clubes concordem com as
medidas propostas por
tocolares mais simples? Vamos a
isso. Em traços gerais, é isto que
está a ser pensado e negociado pela
as actividades desportivas. Christian Seifert. Fora de organização da Volta à França. A
“A revogação da Oferta já vinha questão está o regresso à ideia é não ceder já aos efeitos do
sendo discutida com a Comissão do vas no Ænal da temporada, caso a competição no curto prazo, surto de covid-19 e estudar um pla-
Mercado de Valores Mobiliários Automobilismo situação da covid-19 melhore, levan- bem como a preparação no de redução de público nas etapas
[CMVM] desde que se tornou do Nuno Sousa do em consideração a logística do normal das equipas, ainda que que permita levar avante o Tour
conhecimento público, no dia 12 de campeonato, a capacidade de as prevaleça a ideia de concluir a 2020, prova agendada para o Ænal
Março de 2020, a suspensão do Pandemia de covid-19 já equipas viajarem novamente e a temporada 2019-20, suspensa de Junho.
campeonato nacional de futebol”, capacidade de os respectivos países a nove rondas do final. A DFL Outros grandes eventos desporti-
tinha afectado outras
lê-se no comunicado disponível no organizarem o WRC nessa altura”, já garantiu, de resto, a vos já foram adiados, nomeadamen-
site da CMVM. provas do calendário do atestou Oliver Ciesla, director do prorrogação de prazos no que te o Euro 2020 e os Jogos Olímpicos.
O regulador, de resto, já tinha sus- WRC. O Rali da Sardenha promotor do WRC. toca aos direitos televisivos. Para o Tour, porém, o Le Parisien
pendido a venda de acções dos também fica suspenso Depois de o Rali da Argentina e de aponta que há contornos diferentes:
“encarnados”, justiÆcando a deci- o Rali do Chile terem sido cancela- não é um evento tão cosmopolita e
são com a necessidade de serem O Rali de Portugal, quinta prova do dos, e de o Rali do México, ganho Xadrez global como os Jogos e não está tão
prestados esclarecimentos sobre o
negócio, numa altura em que já se
Mundial WRC, foi adiado. A medida
não constituirá propriamente uma
pelo francês Sébastien Ogier (Toyota
Yaris), ter sido encurtado num dia,
Nepomniachtchi dependente da conclusão de outras
provas como o Europeu de fute-
discutia a possibilidade de o clube surpresa, especialmente se tivermos gerando inclusive críticas de alguns está a dominar o bol.
liderado por Luís Filipe Vieira abor-
tar a operação iniciada em Novem-
em conta que outras duas corridas
do campeonato já tinham sofrido o
pilotos por ter sido decidido levar a
prova avante, é a vez de a etapa por-
torneio de candidatos A ideia é, portanto, tentar prosse-
guir com o Tour, mas “à porta fecha-
bro de 2019. impacto da pandemia de covid-19, e tuguesa Æcar em suspenso. No torneio de candidatos, cujo da”. Não será exactamente isto, mas
A ser levada a cabo com sucesso, deixa em aberto uma nova data, à Mas não foi a única a sofrer um vencedor será o novo opositor quase. Roxana Maracineanu, minis-
esta movimentação deixaria o Ben- partida ainda neste ano. revés durante o dia de ontem. Em de Magnus Carlsen na luta tra gaulesa dos desportos, reconhe-
Æca com 95% do capital da SAD, “A prova estava marcada para Itália, por maior força de razão, o pelo título mundial de xadrez, ceu que existem conversações com
num negócio que o dirigente já tinha decorrer nas regiões do Norte e do Rali da Sardenha Æca igualmente em quem está a dominar o evento a ASO [organização do Tour] sobre
explicado desta forma: “O BenÆca Centro do país, entre 21 e 24 de Maio. stand-by, à espera de novas orienta- é o russo Ian Nepomniachtchi, este assunto e que “é de uma impor-
passa a tomar as decisões por ele Após a entrada em vigor do estado ções. “O Automóvel Club de Itália que, em seis jornadas, venceu tância capital que a prova possa ser
próprio e se um dia entender que de emergência em Portugal, e com o [ACI], a Federação Automóvel Italia- por três vezes, mantendo-se organizada”. Tal seria feito, diz a
deve ter um parceiro estratégico acordo unânime das autoridades na e a organização do Rali da Sarde- invicto, e cavando um fosso de publicação francesa, com redução
poderá ter, como outros têm.” nacionais, da FIA [Federação Inter- nha já se mostraram disponíveis um ponto para o seu mais da concentração de pessoas, seguin-
O cenário, porém, mudou e os nacional do Automóvel] e do promo- para, em conjunto com a FIA e com directo perseguidor, o francês do o exemplo da corrida Paris-Nice,
“encarnados” explicam agora que tor, o Automóvel Club de Portugal o promotor do WRC, estudarem uma Maxime Vachier-Lagrave. O cuja realização, no início de Março,
“a BenÆca SAD está a avaliar os [ACP] solicitou o adiamento do WRC nova data para um evento de grande russo viu-se confrontado com foi feita quase na totalidade (corre-
impactos que a pandemia decor- Vodafone Rally de Portugal”, lê-se no prestígio”, resumiu Angelo Sticchi o jogo ambicioso de Ding Liren ram-se sete das oito etapas).
rente do novo coronavírus tem na comunicado do ACP. Damiani, presidente do ACI. e obrigado a uma luta sem A corrida foi organizada com
sua actividade, face à grande incer- O presidente do organismo, Carlos Os responsáveis do WRC garan- quartel, mas o chinês levou o redução grande do número de pes-
teza e imprevisibilidade da situa- Barbosa, agradeceu a todos os tem, de resto, que continuam a seu esforço longe de mais, soas nas zonas de partida e chegada
ção”. Impactos, esses, que levam a “patrocinadores e parceiros pela monitorizar a situação e que estão debilitando a sua própria das etapas, limitando aglomerados,
direcção do clube a ser bem mais compreensão” e manifestou a von- alerta para possíveis novas altera- posição e sofrendo um algo que seria replicado no Tour —
conservadora num futuro próximo: tade de “contar com todos numa ções que seja necessário introduzir. contra-ataque demolidor. Para prova que teria de aceitar, por um
“[É] previsível a redução de custos data posterior, este ano”, sem reve- Até ver, a próxima prova no calendá- Liren, número três mundial, ano, reduzir a habitual pompa popu-
e despesas não indispensáveis ao lar uma alternativa. Isto porque tudo rio será o Rali do Quénia, entre 16 e deverá ter sido o adeus à lar e publicitária que a envolve.
desenvolvimento da actividade e a dependerá da forma como a situação 19 de Julho, em Nairobi. Se nada possibilidade de vir a vencer a É nestes moldes que a Volta à
ponderação acrescidamente cuida- evoluir a nível global. mudar até lá, claro. prova, depois do terceiro França poderá ir para a estrada. A
da de todos os investimentos que “Estamos todos a trabalhar para desaire sofrido. alternativa é ser adiada, como a
estavam projectados”. identiÆcar possíveis datas alternati- nsousa@publico.pt maioria das provas.
Quarta-feira, 25 de Março de 2020

BARTOON LUÍS AFONSO

CONSOANTE MUDA

Por agora, não há “economia normal” à qual voltar


estar em quarentena durante tratamento eÆcaz, para não falar quarentena para metade para mais do que exíguo: é quase
muito tempo. Que teremos de de uma vacina, quem deveria Æcar tentar “normalizar a economia” ao inexistente e provavelmente
“voltar ao normal”. Que se o isolado e quem deveria voltar à custo do dobro de infetados e de economicamente irrelevante de
coronavírus mata, uma economia “vida normal”. Os mais velhos mortos não são apenas contas qualquer forma.
parada também mata. Isso é tudo certamente deveriam Æcar em moralmente erradas, são contas Em resumo, se a economia da
verdade e, como digo, torna o casa. Mas qual é o limiar a deÆnir? matematicamente erradas, quarentena não agrada a ninguém,
Rui Tavares

S
sentimento compreensível. Podem dizer-me que o número de epidemiologicamente erradas, e a economia da pandemia, do
Só há um problema: não há, por mortos com quarenta e poucos portanto mais moralmente erradas pânico e do caos seria muito
e virmos as capas de jornais agora, “economia normal” à qual anos é negligenciável — mas não o ainda do que pensávamos à provavelmente pior ainda. Uma
portugueses antes da I voltar. A ideia de que abrandar, é para os próprios nem para as partida, e em conclusão erradas de quarentena tão eÆcaz quanto
Guerra Mundial, um mês diminuir, ou tornar mais seletiva a suas famílias. E depois temos as qualquer forma. Eis porquê: possível não é, em consequência,
antes da guerra começar, de quarentena nos aproxima de pessoas diabéticas, hipertensas, diminuir a quarentena para apenas a melhor escolha moral
que falava a jovem “voltar ao normal” tem por base fumadoras — e todas as metade não signiÆca passarmos a possível. É também provavelmente
República Portuguesa? De um contrafactual que não se consequências que ainda não ter quatro mil infetados em vez de a melhor escolha económica, ou
que Portugal tinha Ænalmente as veriÆca: o de que a alternativa a conhecemos bem que o vírus deixa dois mil ou duzentos mortos em pelo menos a escolha que
contas equilibradas. Chega a esta economia de quarentena é a mesmo em pessoas saudáveis. vez de cem: signiÆca dezenas de permitirá fazer um caminho mais
guerra e essa ilusão é abalroada. economia que tínhamos antes. Expor as pessoas a essas milhares ou mesmo centenas de gradual e ordeiro em direção a uma
Em breve talvez venhamos a ver Nada disso. A alternativa à consequências é uma questão milhares de infetados e sabe-se lá economia pós-pandemia mais
as notícias do superavit de Mário economia de quarentena é uma moral, mas se é friamente de quantas centenas ou milhares de saudável.
Centeno para 2020 da mesma economia de pandemia, pânico e economia que querem falar, não se mortos a mais. O que se pretende Mas as condições orçamentais
maneira. Se o apoio estatal ao provavelmente caos. Pelo menos esqueçam que essas pessoas com a quarentena é que cada descritas no início desta crónica
lay-off de trabalhadores custar mil por agora. No futuro será possível também farão as suas escolhas: de pessoa infetada não infete mais do continuam a veriÆcar-se: esqueçam
milhões de euros por mês, como se encontrar uma via de saída da Æcar em casa, de não consumir, até que uma outra pessoa — e se o superavit e provavelmente
especula que possa ser, aí vai meio quarentena, e é por isso que todos de se despedirem, de fecharem possível nenhuma. Sem esqueçam os limites da dívida
ponto percentual de PIB em cada lutamos. Mas por agora a única via empresas, de meterem baixa. A quarentena cada pessoa infetada também. Que fazer? Durante anos
mês, sem contar com todas as de saída da quarentena é cumprir economia não está deprimida só poderia infetar duas, três, ou mais vivemos sob a imposição da ideia
outras despesas suplementares — e com a quarentena o melhor que por causa da quarentena. Está pessoas. Na primeira condição, de que “não há alternativa”. Com a
sem contar que vamos entrar em pudermos. deprimida por causa da pandemia. após dez etapas de transmissão, pandemia, dá a sensação que essa
recessão e que por isso o PIB será A estratégia de “reabrir a Aqui chegamos ao segundo teríamos dez pessoas infectadas. é a única economia que já não é
menor. Adeus superavit e, a economia” antes de tempo obstáculo, muito mais intratável e Na segunda hipótese, após as possível. Na próxima crónica,
continuar assim, adeus limites do encalharia rapidamente em dois até difícil de explicar, porque parte mesmas dez etapas, teríamos em tentarei falar das alternativas que
déÆce. obstáculos, cada um mais de uma diÆculdade inata que torno de sessenta mil pessoas se tornam agora não só possíveis,
É por isso compreensível a intratável do que o outro. O temos em entender a natureza infetadas (note-se: por cada cadeia mas sobretudo necessárias e
atitude que vamos vendo aqui ou primeiro obstáculo é que seria logarítmica da escala desta de transmissão) — e o colapso do urgentes.
acolá de que esta situação não é difícil deÆnir, pelo menos nesta pandemia. Para dar um exemplo SNS. Em resultado, o espaço para
sustentável e que o país “não pode” fase da pandemia, antes de um meramente ilustrativo: diminuir a poder diminuir a quarentena é Historiador

Esta informação não dispensa a


consulta da lista oficial de prémios Euromilhões 7 12 26 30 33 10 11 1.º Prémio
17.000.000€
Contribuinte n.º 502265094 | Depósito legal n.º 45458/91 | Registo ERC n.º 114410 | Conselho de Administração - Presidente: Ângelo Paupério Vogais: Cláudia Azevedo, Ana Cristina Soares e João Günther Amaral
8BA74FBF-4767-4AA5-B511-2902EECFC4F7
E-mail publico@publico.pt Estatuto Editorial publico.pt/nos/estatuto-editorial Lisboa Edifício Diogo Cão, Doca de Alcântara Norte, 1350-352 Lisboa; Telef.:210111000 (PPCA); Fax: Dir. Empresa 210111015; Dir. Editorial
210111006; Redacção 210111008; Publicidade 210111013/210111014 Porto Rua Júlio Dinis, n.º270, Bloco A, 3.º, 4050-318 Porto; Telef: 226151000 (PPCA) / 226103214; Fax: Redacção 226151099 / 226102213; Publicidade,
Distribuição 226151011 Madeira Telef.: 963388260 e/ou 291639102 Proprietário PÚBLICO, Comunicação Social, SA. Sede: Lugar do Espido, Via Norte, Maia. Capital Social €4.050.000,00.
Detentor de 100% de capital: Sonaecom, SGPS, S.A. Impressão Unipress, Travessa de Anselmo Braancamp, 220, 4410-350 Arcozelo, Valadares; Telef.: 227537030; Empresa Gráfica Funchalense,
SA, Rua da Capela de Nossa senhora da Conceição, nº. 50- Morelena – 2715-029 Pêro Pinheiro Telf.: 219677450 Distribuição VASP – Distribuidora de Publicações, SA, Quinta do Grajal - Venda
Seca, 2739-511 Agualva Cacém, Telef.: 214 337 000 Fax : 214 337 009 e-mail: geral@vasp.pt Assinaturas 808200095 Tiragem média total de Fevereiro 29.052 exemplares Membro da APCT

PUBLICIDADE

Assine a partir de 60€ por ano


Sempre ligados à notícia Campanha do 30.º aniversário válida até 31 de Março apenas para novos assinantes

ASSINE AQUI: publico.pt/assinaturas/30aniversario


FALÊNCIA DO LEHMAN BROTHERS OU CONTACTE-NOS: assinaturas@publico.pt
15 DE SETEMBRO DE 2008 808 200 095 (DIAS ÚTEIS: 9H ÀS 18H)

8ba74fbf-4767-4aa5-b511-2902eecfc4f7

Você também pode gostar