Você está na página 1de 10

Lição XV- Norma Negocial

e Doutrina Jurídica
MONITORA: THAIANY COSTA GOMES
Norma negocial

Liga apenas as partes envolvidas na relação


(espécie de norma particular)

Norma que resulta do acordo de vontades


(autonomia), exercida pelo poder negocial
Negócio jurídico Manifestação de vontade que,
ao estabelecer uma relação
entre sujeitos, procura produzir
determinado efeito jurídico

Elementos estruturais(essenciais):
Criar
A) Sujeito capaz/legitimado;
Modificar
Direitos
Conservar
B) Manifestação expressa da vontade;
Extinguir
C) Forma prescrita ou não proibida em OBS: Em um contrato de
lei; compra e venda, por exemplo,
um deve ter a
D) Proporcionalidade entre os intenção(vontade) de entregar
participantes da relação; Ex: Compra e Venda, locação, financiamento, o produto e o outro a de
entre outros.. entregar o preço-> Autonomia
E) Objeto lícito, possível e determinado. da vontade
Quanto aos elementos essenciais: Vícios da Relação negocial:

-Sujeito capaz e legitimado 1. Quanto ao poder de negociar:


Capacidade: Adquirida com a maioridade ou -Falta de legitimidade
emancipação -Abuso de poder(causando danos a terceiro)
Legitimação: Competência específica para realizar ou desvio de poder (desvio da finalidade
determinado ato. específica).

-Manifestação expressa da vontade 2. Quanto à forma


A vontade deve ser exteriorizada pela palavra -Quando exigida uma certa forma, sem a qual
(falada ou escrita), ou gestos e atitudes que o ato nada vale.
demonstrem a manifestação da vontade.
3. Quanto ao objeto
-Objeto lícito, possível e determinado - Ilícito, impossível(física ou juridicamente) ou
Lícito: Não atenta contra a lei, moral ou bons indeterminado
costumes
Possível: Física(material) e juridicamente (em lei) 4. Quanto ao desequilíbrio do negócio
Determinado ou suscetível de determinação -Lesão
-Quando uma das partes é conduzida a um
-Forma prescrita ou não vedada em lei: Em regra, estado de inferioridade em face da outra.
a forma é livre .
Negócio jurídico
(classificação)

Unilaterais Única manifestação de


Ex: Doação vontade
Quanto à manifestação
de vontade
Bilaterais Duas manifestações de
Ex: Contratos vontade

Solenes
Forma determinada
Ex: Forma escrita
Quanto às formalidades
Não solenes Forma livre
Ex: compra e venda

Intervivos Efeitos produzidos em vida


Quanto ao momento de Ex: Locação
produção de efeitos
Mortis Causa Efeitos produzidos pós-morte
Ex: Testamento
Gratuito
Quanto às vantagens Ex: Doação
Coisas futuras
Oneroso ou
Aleatórios
Ex: Compra e venda inexistentes
Ex: Compra da
colheita de um pomar
Cumutativo Prestações
Ex: Compra de uma certas,
casa determinadas,
Gratuitos: São aqueles em que não há uma
equivalentes
contrapartida/contraprestação
Atípicos
Ex: Doação-> O donatário (quem recebe a doação
Ex: Cessão de clientela
apenas dispõe de vantagens e benefícios, sem que
Algo novo,
dele seja exigida uma contraprestação (dever)
Típicos não previsto
Ex: Compra e venda em lei
Onerosos: Ambos os contratantes têm vantagens e
obrigação, ou seja, há uma contraprestação.
Ex: Compra e venda
Vendedor: Obriga-se a dar o produto, em troca recebe
Resultados
o preço
previstos
Comprador: Obriga-se a entregar o preço, em troca
em lei
recebe o produto.
Negócios Jurídicos Interpretar: Fixar o
sentido e alcance do
(Interpretação) conteúdo da declaração
de vontade

O direito brasileiro adotou a


Teoria Subjetiva Teoria Objetiva teoria subjetiva, pois nas
“declarações de vontade, se
atenderá mais à intenção (...),
do que ao sentido literal da
linguagem’’.
O intérprete deve O intérprete deve levar
descobrir a intenção das em consideração apenas (Art. 112, Código Civil)
partes (manifestada no o aspecto gramatical,
contrato e não o sem qualquer
pensamento íntimo do intencionalidade do
declarante). sujeitos
Negócios nulos, anuláveis e inexistentes

Nulos Anuláveis Inexistentes

-Nulidade absoluta -Nulidade relativa -Ausência de determinados


elementos constitutivos
-Apresentam um vício insanável que -Apresentam um vício
impede a sua existência legal, em sanável que impede a
-Sua nulidade resulta da não-
razão da desobediência de algum validade do negócio e
correspondência com as
requisito que a lei considere não a sua existência.
exigências previstas em lei.
essencial. ->Não chegam a ingressar no
-> Sujeito incapaz ->Incapacidade relativa
mundo do direito.
->Objeto ilícito, impossível ou do agente
Ex: Casamento realizado
indeterminado ->Vício resultante de
apenas perante autoridade
->Forma não prescrita, vedada em dolo, coação, estado de
religiosa (tal casamento é
lei, entre outros casos perigo, entre outros.
nulo, pois não cumpriu com
-Ex tunc(efeitos retroativos). -Ex Nunc (efeitos não
as formalidades legais
retroativos).
exigidas).
Doutrina Jurídica Força convincente, não vinculante

-Desprovida de estrutura de
poder/e de força para revelar
normas jurídicas obrigatórias
-Não obriga juízes, nem vincula
comportamentos
‘’Estudo de caráter cientifico que os
juristas realizam a respeito do direito,
seja com propósito meramente
especulativo de conhecimento e Importância:
sistematização, seja com a finalidade a) Momento de produção das normas-> Oferece
prática de interpretar as normas valiosos subsídios aos legisladores;
b) Cria neologismos, teorias, conceitos e
jurídicas, para a sua exata aplicação.”
institutos no mundo do direito;
(García Máynez) c) No ensino do direito, os livros doutrinários são
instrumentos básicos, ao lado dos códigos.
“Podem cortar as
flores, mas não
podem deter a
primavera’’ – Pablo
Neruda
Bibliografia:
BETIOLI, Antonio Bento.
Introdução ao Direito.
Saraiva, 2009

Você também pode gostar