Você está na página 1de 4

Título: Ligações Químicas – Condutividade dos eletrólitos

Componentes do grupo: José Carlos dos S. Barbosa - 15101020


Maria Cleuiris Vieira Moutinho -
Suênya Cavalcante de Medeiros - 15103486

1 – Introdução:

Dissociação é o processo no qual algumas substâncias se dissolvem fornecendo íons à


solução. Estes produtos são chamados eletrólitos. (Uma solução de um eletrólito em água
conduz eletricidade melhor que o solvente puro.) Uma substância que não é eletrólito, um
não-eletrólito, não libera íons na solução à medida que se dissolve; as partículas dispersas
através da solução são descarregadas, isto é, elas são moléculas ou átomos. Há duas categorias
de eletrólitos: eletrólitos fortes, como HCl, que existem somente como íons em solução, e
eletrólitos fracos, como HF, que existem como uma mistura de íons e moléculas não-
dissociadas em solução. (Russel, 1994)
Eletrólitos fortes: estão completamente dissociados em solução aquosas, exceto quando a
solução é muito concentrada, por estar longe do comportamento ideal. Ex: O HCl é classificado
como um eletrólito forte devido a sua completa dissociação. (Russel, 1994)
Eletrólitos fraco: Uma solução contém moléculas de soluto não-dissociadas, assim como íons
produzidos pela dissociação. Isto é verdade porque nessas soluções íons e moléculas não-
dissociadas coexistem em um estado de quilíbrio. Ex: O fluoreto de hidrogênio, é adicionado à
água, simplesmente dissolve-se devido às fortes interações dipolo-dipolo entre HF-H 2O.
(Russel, 1994)

2 – Objetivo:

Diferenciar o comportamento das substâncias de acordo com sua condutividade, classificando-


as como: eletrólitos fortes, eletrólitos fracos e não eletrólitos.

3 – Materiais e Métodos:
3.1 Materiais

- Vidraria: 9 Tubos de ensaio


1 Pinça de Madeira
1 Béquer 100ml
1 Espátula
1 Pisset
1 Papel de Filtro

- Reagentes: Água destilada


Hidróxido de Amônio 6N
Glicerina
Ácido Acético 0,1M
Ácido Clorídrico 0,1M (HCl)
Hidróxido de Sódio 0,1M
Álcool Etílico (C2H5OH)
Cloreto de Amônio P.A
Sulfato Manganoso MnSO4
Cloreto de Sódio P.A
Equipamentos: Suporte universal
Circuito elétrico composto por: 1 lâmpada 127v,
1 bocal, 1 tomada e 2 fios condutores.

3.2 – Métodos

Passo 1 – Testar a condutividade de cada produto no estado em que ele se encontra.


a) Adicionou-se cada substância a ser analisada no tubo de ensaio.
OBS: Para substâncias que encontrava-se no estado liquido utilizou-se a pipeta, e para
substâncias que encontrava-se no estado sólido utilizou-se a espátula.
b) Com o circuito elétrico desconectado, introduziu-se as extremidades descascadas
dos fios condutores no tubo de ensaio, de maneira que tais extremidades ficassem imersas na
solução sem contato uma com a outra.
c) Conectou-se a tomada do circuito elétrico na fonte de energia disponível
d) Observou-se a lâmpada conectada ao circuito e anotou-se o resultado
e) Repetiu-se o processo para cada indicador e para cada substância a ser analisada;

Passo 2 – Testar a condutividade de cada produto em solução aquosa.


a) Com as substâncias que já encontrava-se nos tubos de ensaio inseriu-se água destilada
com o auxilio do pisset em cada tubo.
b) Com o circuito elétrico desconectado, introduziu-se as extremidades descascadas
dos fios condutores no tubo de ensaio, de maneira que tais extremidades ficassem imersas na
solução sem contato uma com a outra.
c) Conectou-se a tomada do circuito elétrico na fonte de energia disponível.
d) Observou-se a lâmpada conectada ao circuito e anotou-se o resultado
e) Repetiu-se o processo para cada indicador e para cada substância a ser analisada;

Passo 3 - Verificar a diferença de condutividade entre um ácido forte e um ácido fraco.


a) Introduziu-se o tubo com ácido forte nos eletrodos e anotou-se os resultados.
b) Introduziu-se o tubo com ácido fraco nos eletrodos e anotou-se os resultados.

Passo 4 - Testar a condutividade entre uma base forte e de uma base fraca.
a) Introduziu-se o tubo com base forte nos eletrodos e anotou-se os resultados.
b) Introduziu-se o tubo com base fraca nos eletrodos e anotou-se os resultados.

4 - Resultado e Discussão
4.1 – Resultado:

Passo 1 e 2 : Identificação de condutividade


a) Após o procedimento descrito, encontrou-se os seguintes resultados, conforme tabela
abaixo.

SUBSTÂNCIA FÓRMULA CONDUTIVIDADE


QUÍMICA ESTADO
SOLUÇÃO AQUOSA (H2O)
NATURAL

Hidróxido de Amônio NH4OH Eletrólito fraco Eletrólito Fraco

Glicerina C3H803 não-eletrólito não-eletrólito

Ácido Acético CH3COOH Eletrólito fraco Eletrólito Fraco

Ácido Clorídrico HCl Eletrólito Forte Eletrólito Forte

Hidróxido de Sódio NaOH Eletrólito Forte Eletrólito Forte

Álcool Etílico C2H5OH não-eletrólito não-eletrólito

Cloreto de Amônio NH4Cl não-eletrólito Eletrólito Forte

Sulfato Manganoso MnSO4 não-eletrólito Eletrólito Forte

Cloreto de Sódio NaCl não-eletrólito Eletrólito Forte

Passo 3 e 4: Identificação de ácido forte ou fraco, e base forte ou fraca.


a) Observou-se as diferentes reações dos compostos quanto à condutividade em meio
aquoso, podendo-se comparar conforme a classificação de suas forças e solubilidade.
b) Desta forma, temos as seguintes identificações e classificações abaixo:

SUBSTÂNCIA FORMULA QUÍMICA CLASSIFICAÇÃO

Hidróxido de Amônio NH4OH ÁLCOOL

ÁCIDO CARBOXILICO –
Glicerina C3H803
COMPOSTO ORGÂNICO

HIDRÁCIDO FORTE
Ácido Acético CH3COOH
(ÁCIDO)

Ácido Clorídrico HCl BASE FORTE E SOLÚVEL

Hidróxido de Sódio NaOH BASE FRACA E SOLÚVEL

Álcool Etílico C2H5OH SAL

Cloreto de Amônio NH4Cl SAL

Sulfato Manganoso MnSO4 SAL

Cloreto de Sódio NaCl SAL

4.2 - Discussão:
Através dos procedimentos podemos identificar o pH de cada substâncias e reação
formada, obtendo resultado satisfatório no reconhecimento das funçõs inorgânicas,
mostrando resultado positivo entre a prática e os resultados teóricos. De acordo com os dados
encontrados na tabela no item 4.1 podemos mostrar que os indicadores funcionam na
identificação das funções inorgânicas das substâncias. Podendo assim identificar através da
coloração final da reação de pH que define a função como ácida ou básica, mostrando que o
resultado do experimento se iguala ao resultado teórico.

5 – Conclusão

O experimento permitiu a identificação das principais funções inorgânicas


possibilitando realizar testes para identificação, sendo assim o experimento foi realizado de
forma satisfatório e alcançando o resultado esperado.

6 – Bibliografia:

Introdução:

Químmica geral: fundamentos / Daltamir Justino Maia, J.C. de A. Bianchi. -- São Paulo:
Pearson Prentice Hall, 2007.

Você também pode gostar