Você está na página 1de 8

Decreto Presidencial N.º 83/16, de 18 de Abril – Diário da República I Série N.

º61

PROPOSTA DE PROGRAMA E ESTRUTURA DA FORMAÇÃO


PEDAGÓGICA DE PROFESSORES
(FPP)

Luanda 2017
Av. Pedro de Castro Van-Dúnem Loy- Complexo Missionário Tocoísta Golf I, Luanda, Angola
geral@ispt.co.ao _|_
E-mail: Website:www.ispt.co.ao _|_ Telefones:+244 930 419 141 | +244
INTRODUÇÃO
As características da Angola de hoje, que não escapa das permanentes mudanças que
assolam as sociedades actuais, apelam ao sistema educativo do país à responsabilidade
de preparar jovens, não só com um conjunto sólido de conhecimentos científicos e
tecnológicos, mas também com novas competências intelectuais, pessoais e sociais que
lhes possibilitem a adaptação a novas realidades. Destas mudanças, decorrem diversas
implicações para o Instituto Superior Politécnico Tocoísta (ISPT), nomeadamente a
necessidade de se pensar no processo de ensino e de aprendizagem, em que as
estratégias de intervenção pedagógica deverão responder às necessidades de um público
cada vez mais massificado e heterogéneo. E se de um lado a conjuntura sugere que se
centralize a tensão no estudante através da melhoria da qualidade e da variedade dos
programas de formação oferecidos no sentido de se desenvolverem competências
fundamentais para um mercado de trabalho competitivo e em constante transformação,
por outro, e no que aos docentes diz respeito, sublinha-se o facto de o professor precisar
de competências científicas para o desenvolvimento das funções exigidas por uma
população estudantil com características culturais, étnicas e etárias muito diversificadas.
O novo contexto angolano requer uma geração de profissionais preparada com base
num processo educativo que responda às suas exigências e desenvolva cidadãos com
ideais e comportamentos flexíveis, criativos, com elevados conhecimentos científicos e
valores humanos e de cidadania que sirvam integralmente para o desenvolvimento do
país.

Um diagnóstico sobre a preparação dos professores das instituições docentes de nível


superior de Angola, fundamentalmente as que têm poucos anos de funcionamento como
é o caso do ISPT, reflete que a maioria dos professores são licenciados, mestres e
doutores em ciências de determinada especialidade e não possuem uma formação
pedagógica acadêmica mas sim empírica, o que limita grandemente a qualidade de sua
atuação como docente.

É com esta visão da realidade do Ensino Superior que se pretende actual, coeso e
competitivo, que o ISPT, pretende desenvolver o Curso de FPP para a formação de
competências profissionais em docência universitária, de forma a contribuir para
capacitação dos docentes e qualificação do processo de ensino e aprendizagem.

OBJECTIVO

A Formação Pedagógica do ISPT tem como objectivo geral: Modelar um Processo de


Ensino Aprendizagem para as instituições docentes de nível superior, que se caracterize
pelo rigor, a inovação e a excelência.

objetivos Específicos:
1. Planejar uma disciplina e um módulo de aulas a partir do programa de uma
disciplina.
2. Avaliar o plano curricular de um curso de nível superior.
3. Modelar o processo de direção de uma instituição docente de nível superior.

POPULAÇÃO ALVO

A Formação Pedagógica de Professores (FPP) do ISPT é obrigatória para todos os


docentes que pretendam leccionar nesta Instituição de Ensino Superior e que ainda não
tenham o Curso de Agregacao.

Agregação Pedagógica (CAP) feito ou concluído. Excepcionalmente poderão também


participar da FPP os técnicos Superiores do ISPT, após parecer favorável do Conselho
Científico da Unidade Orgânica em que funcionam.

Esta formação de profissionais no ramo da docência, no ISPT se constituirá num


programa geral estruturado pelos três (3) módulos indicados nas seguintes tabelas:

ORIENTAÇÕES METODOLÓGICAS E DE ORGANIZAÇÃO


Metodologicamente o curso se desenvolverá em correspondência com os fundamentos
teóricos e metodológicos do mesmo. Em cada módulo o aluno deve resolver uma tarefa
final para a que terá que recorrer aos conteúdos teóricos metodológicos das aulas. As
aulas se dividem por semana em uma teórica de 2 horas e outra prática de 4 horas, na
primeira se entregará uma tarefa a resolver para a seguinte aula; desta forma, o
cumprimento de cada tarefa facilitará ao aluno o cumprimento da tarefa final; nas aulas
práticas a actividade será por pequenos grupos.
MODULO I. Didática

Tarefa: Planejar uma disciplina e um módulo de aulas a partir do programa de uma


disciplina.

TEMPO
TEMPO
AULAS
No CONTEÚDOS AULAS
TEÓRICA
PRÁTICAS
S
Fundamentos legislativos da Educação Superior
1 2
Angolana.
A didática como ciência. Objeto, leis e princípios da
2 didática. Componentes da didática. Enfoque de sistema. 2 4
Princípios da Didática.
3 Os objetivos, conceito e estrutura. 2 4
4 As formas, organização e tipos de aulas. 2 4
Os métodos. Métodos reprodutivos e métodos
5 produtivos. Modelado e Simulação Computacional 2 4
(MSC)
Os médios. Concepto, classificação, funções e
6 2 4
exigências. Seleção dos médios.
A avaliação do processo de ensino aprendizagem.
7 2 4
Classificação y tipos de avaliação.
A tarefa docente como célula do processo de ensino
8 2 4
aprendizagem.
9 Planificação de uma disciplina. 2 4
10 Planificação de um módulo de aulas. 2 4
11 Avaliação final do módulo. 4
Total por tipo de aula. 20 40
Total 60
MODULO II. Currículo

Tarefa: Avaliar o plano curricular de um curso de nível superior.

TEMPO TEMPO
No CONTEÚDOS AULAS AULAS
TEÓRICAS PRÁTICAS
O Curriculum.Surgimento da reflexão sobre o currículo.
1 Acepções do termo currículo. O curriculum universitário. 2
Tipos de currículo.
Referências Contextuares do Currículo. Tendências atuais
de desenvolvimento. Implicações curriculares das
2 tendências de desenvolvimento. Tendências da educação 2 4
superior. Algumas referências em torno da educação
superior cubana.
Fundamentos Teóricos do Curriculum. O homem e a
educação. O papel da educação e suas instituições. O
3 2 4
processo do conhecimento e da ciência. O processo de
ensino aprendizagem.
Modelos Curriculares. Modelo disciplinar. Modelos
curriculares tecnológicos. Modelos sócio-políticos ou
4 2 4
críticos. Sistema Modular. Modelo de Investigação na
Ação.
Perfil Profissional. Concepção do perfil profissional.
Funções e tipos de perfil. Exigências para a elaboração do
5 perfil profissional. Aspectos a ter em consideração. 2 4
Metodologias de elaboração. Elaboração do documento.
Algumas considerações metodológicas.
Projeção do Plano Curricular. Concepto e localização do
plano e os programas de estudo no currículo. Tarefas a
realizar. A seleção dos conteúdos. A estruturação dos
6 2 4
conteúdos. Definição da estrutura organizativa do plano de
estudo. Algumas precisões em torno dos programas
docentes.
Alternativas de integração curricular. A
interdisciplinaridade no currículo. As Atividades
7 2 4
Acadêmica, Trabalhista e Investigativa no Plano de
Estudo. Espaços curriculares de treinamento profissional.
8 Avaliação do Perfil Professional do ISPT. 2 4
9 Avaliação do Plano Curricular do ISPT. 2 4
10 Avaliação do plano de uma disciplina do Plano Curricular. 2 4
11 Avaliação final do módulo. 4
Total por tipo de aula. 20 40
Total 60
MODULO III. Direção de uma instituição docente de nível superior.

Tarefa: Modelar o processo de direção de uma instituição docente de nível superior

TEMPO TEMPO
No CONTEÚDOS AULAS AULAS
TEÓRICAS PRÁTICAS
Teoria geral da direção. Exigências da teoria geral da
1 direção a direção do PEA e a instituição docente de nível 2
superior. Componentes da direção.
A planificação em uma instituição docente de nível
2 superior. Nivele macro, meço e micro da planificação. A 2 4
planificação estratégica.
A organização de uma instituição docente de nível
3 superior (IDNS). Tipos de organização. Estrutura e os 2 4
órgãos consultivos da direção de uma IDNS.
A gestão em uma instituição docente de nível superior.
4 Tipos de gestão. A gestão pró ativa da direção de uma 2 4
IDNS.
O controlo em uma instituição docente de nível superior.
5 Tipos de controlo. Indicadores para o controlo em IDNS. 2 4
Reajuste no processo de direção, planificação das ações.
Enfoque sistêmico na direção de uma instituição docente
6 de nível superior. Subsistemas da direção de uma IDNS. 2 4
Os seguros.
Subsistema na direção de uma instituição docente de nível
7 superior: Trabalho Docente, Trabalho Metodológico e 2 4
Trabalho Científico.
Os seguros com: Base Material de Estudo (BME),
8 2 4
Quadros e Pessoal, Finanças, e a Logística.
Modelado do processo de direção de uma instituição
9 2 4
docente de nível superior.
Avaliação do processo de direção de uma instituição
10 2 4
docente de nível superior, o ISPT.
11 Avaliação final do módulo. 4
Total por tipo de aula. 20 40
Total 60
CALENDÁRIO

Semana
Nº Dias Atividade/Ação
1 01/03/2018 04/03/2018
2 05/03/2018 08/03/2018
3 12/03/2018 15/03/2018
4 19/03/2018 22/03/2018
5 26/03/2018 29/03/2018
Módulo I Planejar uma disciplina e um
6 02/04/2018 05/04/2018
módulo de aulas a partir do
7 09/04/2018 12/04/2018
programa de uma disciplina
8 16/04/2018 19/04/2018
9 23/04/2018 26/04/2018
10 30/04/2018 03/05/2018
11 Preparação para a avaliação
12 14/05/2018 17/05/2018

13 06/08/2018 09/08/2018
14 13/08/2018 16/08/2018
15 20/08/2018 23/08/2018
16 27/08/2018 30/08/2018
17 03/09/2018 06/09/2018
18 10/09/2018 13/09/2018 Avaliar o plano curricular de um
Módulo II
19 17/09/2018 20/09/2018 curso de nível superior
20 24/09/2018 27/09/2018
21 01/10/2018 04/10/2018
22 08/10/2018 11/10/2018
23 Preparação para a avaliação
24 22/10/2018 25/10/2018

Modelar o processo de direção de


Desde 11/03/2019 até
Módulo III 25-36 uma instituição docente de nível
30/05/2019
superior
TAXAS DE PAGAMENTO DA FORMAÇÃO

A Frequência na Formação Pedagógica de Professores é precedida de inscrições taxadas


por módulo, ou disciplinas, conforme se descreve a baixo:
1. Os Docentes efectivos do ISPT beneficiam de um desconto de cinquenta
porcento (50%) do valor total da FPP;
2. Os Docentes não efectivos pagam o valor total do Curso:
a. Se efectuar o pagamento total numa única liquidação, beneficiará de um
desconto de dez porcento (10%) do valor total da FPP;
b. Se pagar por módulos, beneficia de um desconto de cinco porcento (5%)
no valor total da FPP;
c. Se pagar por semana de aulas, não tem descontos.

PREÇÁRIO

Os pagamentos por cada lhe optem se realizará nos seguintes montantes:

Matrícula: 5000 AKz

As propinas:

1. Por semana de aulas: 10000 AKz


2. Por módulo: 100000 AKz
3. Por curso: 25000 AKz

Pode-se optar por qualquer das três variantes por o sistema de prepago.

COORDENAÇÃO

A FPP será coordenada Científico-Pedagógica indicada anualmente pelo Director Geral


do ISPT, sobproposta do Director Geral Ajunto para Área Académica e Vida Estudantil.
Criará-se um Comitê Acadêmico, formado por um presidente, um vocal substituto e um
vocal secretário. O presidente será o Chefe de Seção Pedagógica do ISPT, o vocal
substituto um Doutor em Ciências e o vocal secretário um MsC.

FORMADORES

Constituirão o corpo de Formadores apenas Docentes formados em Pedagogia, com


grau académico de Doutor em Ciencias.

Você também pode gostar