Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA

FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - FFCHSUPERINTENDÊNCIA DE


EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA – SEAD
NÚCLEO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES SOBRE A MULHER - NEIM
CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO EM DIREITOS HUMANOS

Disciplina: Fundamentos da Educação em Direitos Humanos


Docente: Alexnaldo Rodrigues
Discente: Luci Elza Nascimento
Polo: Camaçari

Prática Pedagógica
Empoderamento Feminino

Trata-se de uma prática pedagógica alinhada com o objetivo número 8 da Agenda 2030 para o
Desenvolvimento Sustentável a qual determina, mas que é permeado por outros objetivos em
razão do que se propõe:
8. Prevemos um mundo de respeito universal dos direitos humanos e da dignidade
humana, do Estado de Direito, da justiça, da igualdade e da não discriminação; do
respeito pela raça, etnia e diversidade cultural; e da igualdade de oportunidades que
do potencial humano e contribua para a prosperidade compartilhada. Um mundo que
investe em suas crianças e em que cada criança cresce livre da violência e da
exploração. Um mundo em que cada mulher e menina desfruta da plena igualdade de
gênero e no qual todos os entraves jurídicos, sociais e econômicos para seu
empoderamento foram removidos. Um mundo justo, equitativo, tolerante, aberto e
socialmente inclusivo em que sejam atendidas as necessidades das pessoas mais
vulneráveis.

A Semana do Empoderamento Feminino é resultado de atividade diversificadas realizadas


durante o primeiro trimestre e culminou na realização da Semana do Empoderamento Feminino
com a participação de cerca de 65 alun@s, de duas turmas de 9º ano do turno matutino, na faixa
etária entre 14 e 17 anos de idade sob a orientação das professoras da área de Linguagens
(Língua Portuguesa, Inglesa e Artes), da Escola Estadual XYZ, localizada no bairro de
Sussuarana, periferia de Salvador.

O que motivou a prática é a ausência de discussão formal sobre a igualdade de gênero nas
escolas que é seguida discursos preconceituosos, assim esta prática tem por objetivo Promover
ambiente de respeito na escola, para que a diferença não seja tratada na óptica da exclusão, do
desrespeito e da violência na tentativa de desconstruir o modelo de gênero que estabelece
normas de comportamentos e definições dos papéis masculino e feminino a partir dos eixos:
empoderamento, gênero, raça classe, como eixos transversais; identidade de gênero; padrões
estéticos; história das mulheres; mulher cultura e sociedade contemporânea. Além deste, os
específicos:

 Demonstrar que as relações de gênero como conhecemos é um fenômeno histórico, uma


construção social, a maneira como fomos feitos homens e mulheres para viver em
sociedade, e, que neste sentido, as relações de gênero é uma construção cultural.
 Resgatar valores fundamentais para um mundo baseado no respeito em relações de
igualdade, solidariedade e de justiça social;
 Divulgar esclarecimentos sobre direitos e deveres que se efetuem mudanças nestas
relações.
 Realizar debates que permita desconstruir o modelo de gênero, mostrando a capacidade
da mulher
A prática foi realizada planejada para ser realiza na semana que finda o primeiro trimestre e
pela proximidade da comemoração do dia das mães, a semana de 07 a 11 de Maio de 2018, com
atividade diferente para cada dia e atenderá a metodologia diversificada para cada dia. A
semana aconteceu de acordo com a programação apresentada:

Segunda Terça Quarta Quinta Sexta


Abertura com O poder do Bate papo com Painel – Palestra – Não é
apresentação crespo – mostra Maíra Azevedo apresentação dos Não sobre
do projeto e das de vídeos – Ti Ma sobre dados sobre a violência contra
meninas produzidos racismo e mulher no mercado mulher
pelos alunos machismo de trabalho
Roda de Oficina de Oficina de Relatos(professores Apresentação
Conversa sobre beleza com improvisação e funcionários da Slam da Onça
o filme A fonte cabeleireiras do teatral – Unidade de Ensino com poesias
das mulheres salão Casa de Expressões – lugar de mulher é feitas pelos
do Marah. racista e onde ela quiser próprios alunos
diretor: Radu machistas
Mihaileanu

Como se pretende que esta formação seja continuada a avaliação da semana e dos trabalhos
realizados a avaliação será realizada contínua e integrada levando-se em consideração o
desempenho de cada aluno. Assim como por motivos ideológicos e ter o foco na educação,
fortalecimento e valorização de mulheres, formamos com os alunos um grupo de
monitoramento para acompanhar as práticas machistas e racistas praticadas na escola.

Você também pode gostar