Você está na página 1de 2

Fichamento: A Revolução Dos Bichos

Título: A Revolução Dos Bichos


Ano e local de Publicação: 2007 – São Paulo/SP
Editora/Revista: Companhia das Letras
Nº da Edição/Volume 14 Nº de Páginas: 152
Autor do livro: George Orwell
Autor do fichamento: Raoni Pagani
Tradutor (es): Heitor Aquino Ferreira
Tema: Fichamento referente ao livro “A Revolução Dos Bichos”
Palavras Chave:
Trabalhadores – Totalitário – Revolução – Liderança – Ideologia - Resistência
Na presente obra o autor busca discorrer de maneira crítica sobre o totalitarismo
stalinista ao qual vivia a URSS em sua época. Nascido na Índia, o autor de ideologia,
aparentemente, esquerdista, acreditava que aquilo que vinha sendo aplicado na União das
Repúblicas Socialistas Soviéticas, não era o socialismo real aventado por Karl Marx em
sua extensa obra, e por isso entende ser necessário o alerta aos trabalhadores pertencentes
ao proletariado russo por meio de uma história simples e de fácil compreensão sobre o que
era o socialismo soviético que viviam e fazer uma clara crítica a tal sistema.
Na fábula narrada por Orwell, os animais da fazenda Solar, de propriedade do
Senhor Jones, que viveram entre as décadas de 1930 e 1940, em uma cidade da
Inglaterra, rebelaram-se por causa da insatisfação com o trabalho incessante que estavam
fazendo ali. Major, um porco da fazenda, reúne os animais no celeiro local e, através de
uma profunda reflexão sobre a miséria que viviam, além de quanto trabalhavam, a falta
de liberdade que tinham no local e sua curta vida, explica que seria necessário realizar
uma rebelião para se libertar de tais males, quando eles poderiam trabalhar por si
mesmos. Com isso, fica explícito que o homem é o verdadeiro inimigo dos animais, e
que sua tirania foi o verdadeiro responsável por todo o mal que aconteceu em suas vidas,
sendo necessária uma rebelião para que os humanos deixassem de ser a espécie
dominante e o poder para ser dividido entre todos. A imagem do homem posta no livro
pode ser analisada como sendo o líder totalitário dotado de aspectos negativos em sua
liderança que necessitariam ser exterminados para um regime mais justo e igualitário a ser
alcançado (fazendo clara referência ao socialismo marxista).
Logo após a reunião, Major morre dormindo e transmite seus sonhos e inspirações
aos outros animais mais jovens da fazenda, que assumem a liderança de outros dois
porcos, Napoleão e Bola de Neve. Com personalidades diferentes, os dois porcos
começaram a liderar as reuniões esboçando planos para realizar o sonho revolucionário e
tomar o poder como desejavam e os interessavam. Em pouco tempo, ocorreu a revolução
com que os animais sonhavam tanto, apesar da resistência de alguns animais por
ignorância, mostrando claramente sua alienação. O proprietário da fazenda, o Sr. Jones,
assumiu o controle da comida dos animais e fez disso o gatilho para o início da
revolução. Com fome, os animais arrombaram a porta do celeiro e foram procurar
comida. Jones, com a ajuda de assistentes, buscou resistência contra o motim dos
animais, mas foi inútil. Depois de certo tempo, a resistência teve um fim e o Sr. Jones se
retirou do local, dando a vitória aos animais.
Após a euforia que acompanhara o fim da revolução e sua conseqüente vitória, os
animais que lideraram a revolução tomaram medidas para mostrar as mudanças que
estavam por vir. Eles começaram a implementar um regime que a priori era eficaz e de
fato mostrou o sucesso do princípio de igualdade buscado desde o início pelo major. No
entanto, pouco depois Napoleão entrou em conflito com Bola-de-Neve e o expulsou da
fazenda, assumindo o controle totalitário e absoluto da fazenda. Napoleão, por sua vez,
mostrou que o poder havia subido à sua cabeça e começou a desempenhar o papel que o
Sr. Jones desempenhou na fazenda, sujeitando os outros animais às suas ordens e
desejos. O novo líder, por exemplo, até mudou os mandamentos aplicados logo após os
animais tomarem o poder, mudando a regra "Todos os animais são iguais" para "Todos
os animais são iguais, mas alguns são mais iguais que outros", estabelecendo a
supremacia dos porcos sobre outros animais. O livro então termina exatamente da forma
a qual começou: com uma liderança totalitarista absoluta apesar de todo o esforço dos
animais para mudarem a vida na granja nesse sentido.
Finalmente, o livro de Orwell apresenta um assunto absolutamente complexo e
analítico de maneira superficial. A fabulosa obra se mantém atualizada, aplicável aos
tópicos experimentados pela sociedade atual e foi submetido a críticas sociais
completamente interessantes e profundas, sem ignorar o conteúdo fácil de ler e
interpretar.