Você está na página 1de 2

Isabela Caroline Correa Camargo | 5º Semestre - Relações Internacionais

ANÁLISE SOBRE O CENÁRIO ATUAL DA SOCIEDADE


INTERNACIONAL FRENTE A PANDEMIA DO CORONAVÍRUS A
PARTIR DA VISÃO DE BORDIEU
Com base no conteúdo apresentado em aula e no capitulo primeiro do
livro “Razões Práticas" de Bourdieu há pontos a discutir sobre a sociedade
frente à pandemia do novo coronavírus, sendo um deles com foco na
sociedade brasileira e o outro voltado à comunidade internacional.

Na obra de Bourdieu merece destaque o trecho que trata sobre as


classes e sobre como elas se diferenciam, visto que nesse momento essa
relação é ainda mais explicita. No livro, o autor discorre sobre como as classes
se diferenciam por práticas, umas mais características de classes altas e outras
mais comuns a classes baixas. No momento de isolamento social enfrentado
hoje pela sociedade, algumas atitudes podem ser incluídas no que Bourdieu
chama de habitus, conceito que pode ser definido como "um sistema de
disposições duráveis e transponíveis que, integrando todas as experiências
passadas, funciona a cada momento como uma matriz de percepções, de
apreciações e de ações [...]" (BOURDIEU, 1983, p. 65). De acordo com os
apontamentos do autor, habitus é uma mediação entre o individual, a realidade
e a realidade interior, uma internalização do que é externo ao indivíduo e uma
internalização do que lhe é interior.

Assim sendo, nota-se no isolamento social decorrente da crise da Covid-


19 a interferência do habitus na adaptação de estilo de vida das diferentes
classes sociais. Tendo em vista, por exemplo, o acesso à internet e a instrução
tanto cultural quando educacional para uso dos meios digitais como soluções
para questões do dia-a-dia, é nítida a realidade de que pessoas de classes
mais instruídas facilmente conseguem respeitar a quarentena adquirindo
produtos e serviços por meio de aplicativos e sowtwares digitais, como serviços
de entrega de comida, compras online e aulas transmitidas por conferência de
vídeo online. Classes sociais mais baixas, que geralmente encontram menos
oportunidades de estudo, enfrentam maiores dificuldades na manutenção do
isolamento social, por causa da falta de conhecimento sobre o uso adequado
dos meios digitais e até mesmo pela ausência de conexão de qualidade com a
internet. Classes sociais do topo da pirâmide enfrentam dificuldades apenas na
adaptação das rotinas, uma vez que seus empregos e estilo de vida podem
facilmente adequar-se à rotina de isolamento social.

Não nota-se, portanto, diferenciações no estilo de vida por opção de


acordo com cada classe social frente à crise enfrentada, mas sim,
consequências, devido às diferentes realidades vividas.

No âmbito internacional, pode-se perceber o conceito de capital, visto


que a conceituação se dá pelo acúmulo de qualquer recurso que se manifesta
na atividade social com finalidade de poder. Aqui vale relacionar a ajuda que o
Brasil recebeu da China com o envio de equipamentos para diagnóstico e
prevenção ao Covid-19. É possível entender assim os Estados como reféns do
papel econômico e social da China neste momento. Da mesma forma que o
Brasil enfrenta o vírus, países africanos, por exemplo, enfrentam também, mas
cabe à China, em papel dominante na questão, direcionar recursos a um país
ou outro.

Pode-se assim concluir que os fenômenos sociais expostos por Bordieu


em sua obra “Razões Práticas" são vistos claramente em momentos de crise,
como o enfrentado atualmente por todo o globo terrestre.

Você também pode gostar