Você está na página 1de 3

A origem da multicelularidade

Com o surgimento de biomassa imensa de seres


unicelulares, a predação tornou-se um fenómeno bastante
frequente, sendo que os organismos que apresentavam
um aumento de tamanho estavam em clara vantagem,
devido ao facto de uma célula maior, ter muito mais
facilidade na captura de outras células, tendo em conta
que os organismos não podem aumentar
indefinidamente de tamanho.
Quando uma célula aumenta de tamanho, verifica-se
uma diminuição na razão entre o volume e a superfície,
ou seja, o volume aumenta a um ritmo maior
comparativamente com o ritmo da área de superfície da
membrana plasmática, o que significa que, cada unidade
de área de membrana plasmática tem de realizar trocas
com o meio externo para obter um volume muito maior
de citoplasma.

Relação entre o volume e a superfície


A Teoria Colonial
O primeiro passo na evolução para os organismos
multicelulares terá sido a associação de organismos
unicelulares em colónias ou agregados colonias.
Por exemplo:
A Volvox é uma colónia que é constituída por células
unicelulares que possuem dois flagelos, dando movimento
a esta. As células são todas indiferenciadas (com exceção
das células maiores, que têm como função a reprodução).
Mas esta especialização não é suficiente para considerar
Volvox como um ser pluricelular.
De facto, Volvox é bastante importante por este
admitir a possibilidade do surgimento da
multicelularidade na Terra por evolução dos seres
coloniais. Assim, estes seres coloniais podem ter sido
responsáveis na origem de algas verdes pluricelulares
que, mais tarde, deram origem a plantas.Na verdade, é
bastante provável em que algumas colónias, certas células
diferenciaram-se e especializaram-se no desempenho de
funções específicas, fazendo com que a colonia se
comportasse como um indivíduo, surgindo a
multicelularidade.

Volvox
Vantagens da Multicelularidade
Este aparecimento dos seres multicelulares levou a
grandes vantagens como, por exemplo:
• A grande diversidade de formas e de funcionalidades
possibilitou a adaptação a diferentes ambientes.
• Foi possível a sobrevivência de seres de maiores
dimensões sem comprometer as trocas com o meio
externo, uma vez que surgiram células ou órgãos
especializados na realização dessas trocas.
• Foi possível aumentar a eficácia na utilização de
energia.
• Os organismos puderam usufruir de uma maior
independência em relação ao meio externo, pois os
vários sistemas de órgãos passaram a contribuir para
a manutenção do meio interno em condições
favoráveis á vida.
Webgrafia
• https://soraiabiogeo.blogs.sapo.pt/5747.html
• http://bioterra-catarina.blogspot.com/2009/11/o-
desenvolvimento-de-uma-maior.html
• “Terra, Universo de Vida”, livro de biologia do
11ºano, 1ºParte

Escola Secundária Jácome Ratton Professora: Alice Mendes


11ºano- Turma A(2019/2020) Trabalho realizado por:
Disciplina de Biologia e Geologia Lucas Pedro Sousa Nº18/31248