Você está na página 1de 3

Brasil Seikyo - Edição 2489 - 26/10/2019 - pág.

14-15 - Caderno Reunião de Palestra

Brasil Seikyo - Caderno Reunião de Palestra

"Prática da fé para vencer as dificuldades"

  Seicho-ji, localizado na província de Awa,


possivelmente para um sacerdote
Para a reunião de palestra do mês de novembro, chamado Enjo-bo.
vamos estudar o escrito Banimento à Ilha de
Sado (CEND, v. I, p. 210) e a terceira diretriz  
“Prática da fé para vencer as dificuldades”
Material de apoio
Trecho do Gosho Banimento à Ilha de
Sado Leia mais:

  • Terceira Civilização, ed. 605, jan. 2019

“No caminho para atingir o estado de buda • CEND, v. I, p. 210.


sempre ocorre algo que nos leva a dar a
vida. Acredito que só assim podemos nos • Livro: Cinco Diretrizes Eternas da Soka
tornar budas. Imagino que no ato de Gakkai
enfrentar dificuldades como as descritas
no sutra — ser insultado, caluniado,  
atacado com espadas e bastões, pedras,
pedaços de telha e banido repetidas vezes Explanação
— resida o significado de ler o Sutra do
Lótus com a própria vida. Minha fé se Supere a si e conquiste a felicidade
fortalece, e estou tranquilo com relação a
minha próxima existência”. (CEND, v. I, p. Nesta carta, Daishonin declara que estava
210) enfrentando perseguições para proteger o
Sutra do Lótus. Ele deixa claro que essas
  ocorrências são a exata comprovação de
que ele estava praticando corretamente
esse ensinamento. No texto, Daishonin
Sobre o escrito
procura dissipar as dúvidas de seus
Banimento à Ilha de Sado foi redigido no seguidores e reviver neles a coragem
décimo mês do oitavo ano de Bun’ei (1271), perdida referindo-se à própria missão
quando Nichiren Daishonin estava em Echi, como devoto do Sutra do Lótus nos
província de Sagami (atual província de Últimos Dias da Lei. Seu principal objetivo
Kanagawa) pouco antes de ser conduzido de vida era cumprir o juramento que
ao exílio na Ilha de Sado. Daishonin enviou firmara na juventude — salvar todas as
esta carta para um conhecido do templo pessoas do sofrimento. Ele o fez revelando

Gustavo de Santana Santos (103045-0) / pág. 1.


Brasil Seikyo - Edição 2489 - 26/10/2019 - pág. 14-15 - Caderno Reunião de Palestra

a Lei fundamental da iluminação universal por toda a eternidade. Quanto mais ferozes
— ou seja, o Nam-myoho-renge-kyo — os ventos da adversidade, mais alto
estabelecendo a base eterna para o alçaremos voo pela amplidão do céu,
kosen-rufu. desafiando-os com alegria, e elevaremos
nossa condição (estado) de vida de forma
No entanto, Daishonin, que viveu conforme ilimitada.
o juramento de salvar todos os seres vivos,
não sucumbiu diante das dificuldades e O presidente Ikeda sempre nos incentiva a
dos sofrimentos: “Por ter exposto este vencer as dificuldades: “Pelo fato de haver
ensinamento, fui exilado e quase morto. É sofrimentos na vida é que podemos
como afirma o ditado: ‘O bom conselho desafiar a nós próprios. E por haver
agride os ouvidos’. Mesmo diante de tudo desafios e batalhas é que a vida se torna
isto, ainda não fui desencorajado” (CEND, v. interessante. Algumas vezes, não há nada
II, p. 5). mais doloroso ou difícil que não ter nada
para fazer e passar os dias na ociosidade. A
Toda sensei dizia: “O Budismo de Nichiren alegria de viver está em desafiar e vencer
Daishonin é um ensinamento que habilita as dificuldades. Todos os nossos esforços
aqueles que estão diante de adversidades em prol do kosen-rufu contribuem
a conquistar a felicidade. Não há ninguém especialmente para o nosso próprio
tão forte quanto alguém que enfrentou e crescimento e se tornam fonte de alegria e
venceu árduas dificuldades. Uma pessoa realização. Espero que tenham profunda
assim pode se tornar um verdadeiro amigo convicção nisso” (BS, ed. 1.742, 3 abr. 2004).
e aliado dos que realmente estão
sofrendo”. Como afirma Daishonin, “Uma espada bem
forjada resiste até mesmo ao calor de um
  intenso fogo” (CEND, v. II, p. 99). Espero,
portanto, que orem pela solução de seus
Como ultrapassar as dificuldades? problemas ao Gohonzon. Quando
transformamos problemas em oração e
Na explanação desse escrito, o presidente recitamos Nam-myoho-renge-kyo, a
Ikeda apresenta o sincero desejo do seu coragem brota de dentro de nós e a
mestre, Josei Toda, em relação à terceira esperança começa a brilhar em nosso
diretriz eterna “Prática da fé para vencer as coração. “Prática da fé para vencer as
dificuldades” que era assegurar que cada dificuldades” corresponde à “oração para
precioso filho do Buda, sem exceção, vencer as dificuldades” e à “recitação do
tivesse uma vida genuinamente feliz e daimoku para vencer as dificuldades”.
realizada e complementa dizendo que ela
[terceira diretriz] é o ponto inicial para  
lapidarmos e desenvolvermos nossa
natureza humana. A correta fé no Budismo Quais eram as condições na Ilha de
de Nichiren Daishonin nos proporciona as Sado?
asas da coragem, da felicidade e da vitória

Gustavo de Santana Santos (103045-0) / pág. 2.


Brasil Seikyo - Edição 2489 - 26/10/2019 - pág. 14-15 - Caderno Reunião de Palestra

Quando Daishonin foi exilado na Ilha de Consequentemente, no que se refere a


Sado, alguns de seus discípulos também Daishonin “abandonar o transitório e
foram perseguidos, aprisionados ou revelar o verdadeiro”, isso não representa
banidos de suas terras. Sob tais apenas um ato pessoal, mas uma
circunstâncias, muitos acabaram demonstração de que todos podem
abandonando a fé por temer a opressão do revelar plenamente em sua vida o
governo. A ilha, situada no Mar do Norte, inexaurível repositório de tesouros que
no Japão, era um lugar de onde ninguém existe dentro de si” (BS, ed. 2.340, 17 set.
jamais havia voltado vivo. Nichiren 2016, p. B2).
Daishonin foi abandonado numa pequena
 
cabana em ruína, localizada no meio do
1. Em 12 de setembro de 1271, um grande grupo de soldados armados, liderado por Hei
cemitério de Tsukahara. Numa carta, no Saemon-no-jo Yoritsuna (jap.; m. 1293): também conhecido como Taira no Yoritsuna.

Daishonin narra a situação: “E quando me Importante autoridade da regência Hojo; controlou o xogunato de Kamakura e governou

deportaram para a Ilha de Sado, no Mar do o Japão no século 13. Serviu a dois regentes sucessivos, Hojo Tokimune e Hojo Sadatoki,

e exerceu forte influência como subchefe do Posto de Comando Militar (o chefe era o
Norte, sem provisões para me manter nem
próprio regente). Foi também um dos perpetradores da perseguição a Nichiren Daishonin
roupas para cobrir o corpo — nem mesmo e aos seguidores deste), atacou a morada de Daishonin em Kamakura e o prendeu. Após

peças feitas com gavinhas de glicínias —, ser preso, Nichiren Daishonin foi levado para a mansão de uma personalidade influente

os sacerdotes e seguidores leigos dessa no governo de Kamakura, Hojo Nobutoki (1238–1323): figura poderosa no governo

Kamakura. Na época da Perseguição de Tatsunokuchi, ele era o governador da


província odiaram-me até mais do que os
província de Musashi — atualmente Tóquio, prefeitura de Saitama e parte da prefeitura
homens e as mulheres da província de de Kanagawa — e chefe militar da Ilha de Sado. Influenciado pelos rumores caluniosos

Sagami. Abandonado num lugar deserto e do sacerdote Ryokan e adeptos da Nembutsu, ele foi envolvido nas manobras para

exposto à neve, sobrevivi apanhando perseguir Daishonin e seus seguidores, que era comandante militar de Sado. Esse fato

indica que a decisão de exilar Nichiren Daishonin na remota Ilha de Sado já havia sido
capim” (CEND, v. I, p. 623)
tomada.

Antes de ser exilado na Ilha de Sado,


Nichiren Daishonin sofreu a Perseguição
de Tatsunokuchi,1 e “abandonou o
transitório e revelou o verdadeiro”. Em sua
explanação, o presidente Ikeda explica:
“Abandonar o transitório e revelar o
verdadeiro” significa “revelar a verdade”
para todas as pessoas — ou seja,
evidenciar uma condição de vida suprema
e nobre inerente a nós e ajudar os demais
a fazer o mesmo. Somos budas, e os
outros também. O princípio “Abandonar o
transitório e revelar o verdadeiro” compõe
a base fundamental de nossas ações
assentadas no respeito a todos os seres
humanos.

Gustavo de Santana Santos (103045-0) / pág. 3.

Você também pode gostar