Você está na página 1de 5

]25 slides

01 Apresentação
Nome do trabalho

Agradecimentos (Denize e professores da banca)

02 slide >>Introdução
A comunicação como base fundadora

A comunicação é marcado por modelos epistemológicos que perpassam por diversas


disciplinas das Ciências Humanas e Sociais com a finalidade de estudar os processos
comunicativos e a gente consegue perceber esses processos a partir da classificação do ato
comunicativo, descrita por Santos (2008), de forma verbal e não verbal que constituem os
microambientes da comunicação, já nos macros ambientes da comunicação percebe ela de
maneira ampla, na forma subjetiva, interpessoal ou grupal e massiva.
E escolhemos para esse estudo o micro campo da comunicação na forma não verbal,
pictórica.

Comunicação pictórica + fotografia como objeto de estudo da comunicação + ecossistemas


comunicacionais + coletivo fotografa Parintins + aspectos socioculturais.

03 slide >> PROBLEMA


▫ Qual é a relação social da fotografia como objeto de pesquisa na comunicação e o
que ela transmite a partir dos conteúdos da imagem?

▫ Objetivo principal investigar a fotografia como objeto de pesquisa na comunicação,


identificando os aspectos socioculturais das fotografias do ‘Coletivo Fotografa
Parintins’, sob a ótica dos ecossistemas comunicacionais.
▫ Como objetivos específicos, destacam-se três tópicos: 1) Constituir o ecossistema
comunicacional da fotografia; 2) Analisar 12 (doze) fotografias do ‘Coletivo Fotografa
Parintins’, utilizando o método de iconografia e iconologia; e 3) Averiguar a partir do
conteúdo fotográfico os processos comunicativos da imagem identificando os aspectos
socioculturais.

04>> slide 2. COMUNICAÇÃO, FOTOGRAFIA E ECOSSISTEMAS


COMUNICACIONAIS
E entendendo a relação desses temas

continuação

05 slide>>>

▫ 2.1. A FOTOGRAFIA COMO OBJETO DE ESTUDO NA COMUNICAÇÃO

▫ As bases fundadora da história da fotografia, mas trazendo para


efeito de conteúdo da imagem, como formador de sentido, de
linguagem, de representação, de verossimilhança, de leitura da
imagem

▫ 2.2 ECOSSISTEMAS COMUNICACIONAIS

Para que se possa entender o processo de comunicação em rede,


na forma sistemática.

Esse sistema em rede diante das relações sociais percebe que a


comunicação produz e reproduz informações gerando uma teia
comunicativa, que ao gerar um assunto, gera outros assuntos
similares criando hiperlinks infinitos de informações, e isso é a
partir de um contexto. Desse modo, pode-se entender que a
comunicação é autopoiética e se auto organiza por meio das redes
comunicativas.

▫ 2.2.1 O caráter ecossistêmico da fotografia


o caráter ecossistêmico da fotografia é preciso averiguar o processo
comunicativo da imagem fotográfica como objeto de estudo na comunicação.
Para isso a gente utilizou Kossoy (2014) dos elementos constitutivos: assunto,
o fotógrafo e tecnologia, por conseguinte, as coordenadas de situação

06 slide>>>

3. POR QUE ANALISAR A IMAGEM FOTOGRÁFICA?

Nessa sessão foi inserido todo o processo metodológico do estudo, as


teorias que irão definir o recorte da pesquisa.

07 slide >>>> continuação


3.1 POR UMA ABORDAGEM TEÓRICA/

METODOLÓGICA
O recorte da pesquisa se deu com base nas fotografias da I exposição do
Coletivo Fotografa Parintins, essa mostra contou com a participação de 12
(doze) autores. As etapas do processo de pesquisa iniciaram com a pesquisa
bibliográfica e de dados, submissão ao comitê de ética da UFAM, defesa da
qualificação, entrevista e pesquisa de campo e por fim análises de dados. A
partir da investigação dos sujeitos da pesquisa, apenas oito autores aceitaram
participar do estudo, resultando em oito fotografias analisadas, cada uma
escolhida por eles.

3.2 FUNÇÃO SOCIOLÓGICA E SOCIOCULTURAL DA FOTOGRAFIA


A temática da fotografia em si, por sua robusta e imprescindíveis
concepções teóricas de autores clássicos como Barthes (2017), Sotang (2004),
Guran (1992), Flusser (1985), Becker (2002), Dubois (2012), entre outros e
autores contemporâneos como Nunes (2011), Ferro (2005), Martins (2019),
Hacking (2018) entre outros,
formaram as concepções discutidas neste estudo, para o entendimento
dos processos que compõem a imagem fotográfica, assim como a importância
social que carrega nas formas artísticas, culturais, literárias, históricas,
fotojornalística e de divulgação científica.

3.3 A ICONOLOGIA E ICONOGRAFIA COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE


FOTOGRÁFICA
Na iconologia e iconografia de Kossoy (2014a, 2014b, 2016), buscou-se
identificar a descrição e interpretação da imagem fotográfica em um processo
dual.
Primeiro descobrindo a iconografia por meio dos elementos constitutivos
(assunto, fotógrafo e tecnologia) e as coordenadas de situação (espaço e
tempo), após esse processo buscar pela recuperação do inventário de
informações codificadas na imagem fotográfica.
Na segunda etapa, verificou-se o processo iconológico fazendo um
resgate da história própria do assunto, seja no momento em que foi registrado,
seja independente da mesma representação e por fim buscou-se a
desmontagem da imagem assim identificando os aspectos socioculturais.

Sequência

08 slide>>> 4. ANÁLISE ICONOLÓGICA E ICONOGRÁFICA DAS


FOTOGRAFIAS DO COLETIVO FOTOGRAFA PARINTINS

Continuação

Slide 09 >> Imergir no particular do Coletivo Fotografa Parintins

Identificar o lugar de fala desse grupo

Resgate dos fotógrafos anônimos

Função social de contribuição histórica, geografia, política e artística em


relação à cidade

Slide 10 >>> 4.1. COLETIVO FOTOGRAFA PARINTINS – ACERVO


FOTOGRÁFICO DA CIDADE DE PARINTINS/AM

SLIDE 11 >>> CONTINUAÇÃO >>> FOTOGRAFA PARINTINS

Slide 12 >>> 4.2. ANÁLISE DE 08 (OITO) FOTOGRAFIAS DO COLETIVO


FOTOGRAFA PARINTINS, APRESENTANDO OS ASPECTOS
SOCIOCULTURAIS APLICADOS AO MÉTODO ICONOLÓGICO E
ICONOGRÁFICO
Os 08 (oito) participantes das entrevistas, contaram as histórias de como
foram feitos os processos de cada proposta para a I Exposição do Coletivo
Fotografa Parintins, cada autor relatou, Como, Quando, e Onde, foram feitos
os registros dos projetos apresentados e a experiência de participar do coletivo.
SLIDE 13 Á 20 >>>> AS FOTOS ANALISADAS

10 min

21 SLIDE >> CONSIDERAÇÕES FINAIS

Resgate desses fotógrafos anônimos

Percebe contribuição social dessas imagens

compreende as aspirações dos autores como filtro cultural e ideológico


que conduz os conteúdos e linguagem da fotografia

Você também pode gostar