Você está na página 1de 71

2017

Mulheres e Homens em
Moçambique, 2017
M ulheres e H omens em M oçambique, 2017
© 2018 Instituto N acional de E statística – M oçambique
Reprodução autorizada, excepto para fins comerciais, com indicação da fonte bibliográfica

P RESIDÊNC IA

Rosár io Bernardo Francisco Fernandes


P residente

Xadr eque H ermínio M aunze


Director

Zur aida Khan


Directora A djunta

FIC H A TÉCNICA

T ítulo:
M ulheres e H omens em M oçambique, 2017

Editor :
Instituto N acional de E statística
Direcção de E statísticas Demográficas, V itais e S ociais
5º A ndar
A v . 24 de Julho, n° 1989, C aixa P ostal 493. M aputo
Telefones: +25821305529
F ax: +258 21305529
E -M ail: info@ine.gov .mz
H omepage: w w w .ine.gov.mz

P r odução:
F rancisco M anguana, Jonas N assabe e
M ussagy Ibraimo, Teixeira M andlate

Revisão e C ontr ole de Q ualidade


Laura Duarte e Dionisia Khossa

Design e Gr afismo:
M ário C hiv ambo

Difusão:
Instituto N acional de E statística
Indice

Introdução ...............................................................................................................................7

1. População .......................................................................................................................9
Gráfico 1.1. População (em milhares) por sexo, Moçambique 1975-2017...................9
Gráfico 1.2 Distribuição percentual da população por sexo, segundo áre a de residência,
Moçambique, 2017 ............................................................................... 10
Gráfico 1. 3 População total e distribuição percentual da população feminina por
província, Moçambique 2017.................................................................... 11
Gráfico 1.4 Esperança de vida ao nascer por sexo, Moçambique 1997, 2007 e 2017.... 12

1.1. Situação Marital e Idade a Primeira Relação Sexual ................................. 13


Gráfico 1.5 Distribuição percentual de jovens de 15-19 anos por sexo segundo situação
marital, Moçambique 2015 ...................................................................... 13
Gráfico 1.6 Distribuição percentual de jovens de 15-19 anos por sexo segundo estado
civil, Moçambique 2015 .......................................................................... 14
Gráfico 1.7 Percentagem de jovens que tiveram a primeira união e primeira relação
sexual à idade exacta de 15 anos, Moçambique 2015 ....................................... 15

1.2. Agregado familiar ............................................................................................ 15


Gráfico 1.8 Distribuição percentual dos agregados familiares segundo sexo do chefe,
Moçambique 2008/9 e 2014/15................................................................. 16
Gráfico 1.9 Distribuição percentual de chefes de agregados familiares chefiados por
adolescentes e jovens (12-24 anos) por província segundo sexo do chefe,
Moçambique 2015 ................................................................................ 17
Gráfico 1.10 Índice de Paridade de Género de chefes de agregados familiares
adolescentes e jovens (12 a 24 anos) por província, Moçambique 2015 .................. 18
Gráfico 1.11 Distribuição percentual de agregados familiares por sexo do chefe, Segundo
fonte de água para beber, Moçambique 2015 ................................................ 18
Quadro 1.1 Distribuição percentual e Índice de Paridade de Género dos agregados
familiares com energia eléctrica segundo o sexo do chefe, Moçambique 2015 ........... 19
Gráfico 1.12 Distribuição percentual de agregados familiares por posse de bens duráveis
nos agregados familiares, segundo sexo do chefe, Moçambique 2015 .................... 20
2. Indicadores económicos ........................................................................................... 21
Gráfico 2.1 Índice de Paridade de Género de pessoas com 15 anos e mais
economicamente activa e não economicamente activa, segundo área de residência,
Moçambique 2015 ................................................................................ 22
Gráfico 2.2 Índice de Paridade de Género por condição de emprego, segundo idade,
Moçambique 2015 ................................................................................ 23
Gráfico 2.3 Percentagem da População de 15 e mais anos Economicamente Activa
desempregada por sexo, segundo condição de escolaridade concluída,
Moçambique 2015 ................................................................................ 24
Gráfico 2.4 Índice de Paridade de Género da População Economicamente Activa com
nível de escolaridade secundário e mais por província, Moçambique 2015................ 25
Gráfico 2.5 Índice de Paridade de Género da taxa de desemprego de pessoas com 15 e
mais anos de idade com nível de escolaridade secundário e mais concluído por província,
Moçambique 2015 ................................................................................ 25
Gráfico 2.6 Índice de Paridade de género da participação nas actividades económicas por
idade, Moçambique 2015........................................................................ 26
Gráfico 2.7 Índice de Paridade de Género da população de 15 e mais anos por ocupação
principal, Moçambique 2015 .................................................................... 27
Gráfico 2.8 Índice de Paridade de Género da população de 15 e mais anos por ramos de
actividades, Moçambique 2015 ................................................................. 27
Gráfico 2.9 Índice de Paridade de Género da população de 15 e mais anos por posição
no processo laboral, Moçambique 2015 ....................................................... 28
Gráfico 2.10 Índice de Paridade de Género do subemprego da população de 15 e mais
anos por área de residência, Moçambique 2015.............................................. 29
Gráfico 2.11 Índice de Paridade de Género de subemprego da população de 15 e mais
anos por província, Moçambique 2015......................................................... 30
Gráfico 2.12 Índice de Paridade de Género de empregados nos sectores de actividade
por província, Moçambique 2017 ............................................................... 31
Gráfico 2.13 Índice de Paridade de Género de extensionistas e de produtores
beneficiados por sexo, segundo província, Moçambique 2017.............................. 32
3. Educação...................................................................................................................... 33

3.1. Taxa bruta de escolarização........................................................................... 33


Gráfico 3.1 Taxa bruta de escolarização por sexo segundo nível de ensino,
Moçambique 2017 ................................................................................ 33
Mapa 3.1 Índice de Paridade de Género de alunos matriculados nas escolas públicas do
ensino primário por província, Moçambique 2017 ............................................ 34
Mapa 3.2 Índice de Paridade de Género de alunos matriculados nas escolas públicas do
ensino secundário por província, Moçambique 2017 ......................................... 35

3.2. Taxa Líquida de Escolarização ....................................................................... 36


Gráfico 3.2 Taxa líquida de escolarização por sexo, segundo nível de ensino,
Moçambique 2017 ................................................................................ 36
Quadro 3.2 Taxa líquida de escolarização e Índice de Paridade de Género no Ensino
Primário e Secundário público, segundo província, Moçambique 2017 .................... 37

3.3. Desistência ........................................................................................................ 37


Gráfico 3.3 Distribuição percentual de alunos desistentes por sexo, segundo nível de
ensino, Moçambique 2017....................................................................... 38
3.4. Conclusão .......................................................................................................... 39
Gráfico 3.5 Taxa de conclusão no ensino público e privado por nível de ensino,
Moçambique, 2017 ............................................................................... 40

3.5. Reprovação ....................................................................................................... 40


Gráfico 3.6 Distribuição percentual de alunos reprovados por sexo, segundo nível de
ensino, Moçambique 2017....................................................................... 41
Gráfico 3.7 Índice de Paridade de Género de alunos reprovados,
Moçambique 2017 ................................................................................ 41
3.6. Aprovação.......................................................................................................... 42
Gráfico 3.8 Distribuição percentual de alunos aprovados por sexo, segundo o nível de
ensino, Moçambique 2017....................................................................... 42
Gráfico 3.9 Índice de Paridade de Género entre alunos aprovados por nível de ensino,
Moçambique 2017 ................................................................................ 43

3.7. Alunos graduados ............................................................................................ 44


Gráfico 3.10 Distribuição percentual de alunos graduados por sexo, segundo nível de
ensino, Moçambique 2017....................................................................... 44
Gráfico 3.11 Índice de Paridade de Género de alunos graduados por nível de ensino,
Moçambique 2017 ................................................................................ 45
3.8. Ensino Técnico .................................................................................................. 46
Gráfico 3.12 Distribuição percentual de alunos no ensino técnico por sexo segundo nível
de ensino, Moçambique 2017 ................................................................... 46
Quadro 3.3 Número de alunos e Índice de Paridade de Género no ensino técnico por
nível, segundo província, Moçambique 2017 .................................................. 47
3.9. Professores ....................................................................................................... 47
Gráfico 3.13 Distribuição percentual de professores por sexo segundo nível de ensino
que lecciona, Moçambique 2017................................................................ 48
Quadro 3.4 Número total de professores e Índice de Paridade de Género no ensino geral
e técnico, segundo província, Moçambique 2017............................................. 48
3.10. Ensino Superior ................................................................................................ 49
Gráfico 3.14 Índice de Paridade de Género de estudantes matriculados e graduados no
ensino Público e Privado, Moçambique 2017.................................................. 49
Quadro 3.5 Número Total e Índice de Paridade de Género de matriculados e Graduados
no ensino público e privado por área científica, Moçambique 2017 ........................ 50
Gráfico 3.15 Índice de Paridade de Género de docentes segundo tipo de ensino,
Moçambique 2017 ................................................................................ 50

4. Saúde............................................................................................................................ 51

4.1. Profissionais de Saúde .................................................................................... 51


Gráfico 4.1 Distribuição percentual do pessoal de saúde por sexo segundo províncias,
Moçambique 2017 ................................................................................ 51
Gráfico 4.2 Índice de Paridade de Género do pessoal de saúde por nível de formação
escolar, Moçambique 2017 ...................................................................... 52
Gráfico 4.3 Índice de Paridade de Género do pessoal de saúde por nível de formação
escolar Superior e Médio, segundo províncias, Moçambique 2017 ......................... 53
Gráfico 4.4 Índice de Paridade de Género do pessoal de saúde por nível de f ormação
escolar Básica e Elementar, segundo províncias, Moçambique 2017....................... 54
Quadro 4.1 Número total de Médicos e Enfermeiros e distribuição percentual por sexo,
segundo províncias, Moçambique 2017........................................................ 55
Gráfico 4.5 Índice de Paridade de Género e distribuição percentual do pessoal
Odontoestomatologistas por nível de formação, Moçambique 2017 ....................... 56
4.2. Pandemia do HIV e o Género ......................................................................... 56
Gráfico 4.6 Índice de Paridade de Género do conhecimento de métodos de prevenção do
HIV entre pessoas 15-49 anos, segundo províncias, Moçambique 2015................... 57
Gráfico 4.7 Distribuição percentual de adultos por sexo com acesso ao tratamento anti-
retroviral, segundo províncias, Moçambique 2015 ........................................... 58
Gráfico 4.8 Índice de Paridade de Género de adultos com acesso ao tratamento anti-
retroviral, segundo províncias, Moçambique 2015 ........................................... 58
Mapa 4.1 Taxa de prevalência de HIV entre pessoas de 15-59 anos, segundo província,
Moçambique 2015 ................................................................................ 59
Gráfico 4.9 Taxa de prevalência de HIV por grupos de idade, Moçambique 2015........ 60
5. Justiça .......................................................................................................................... 61
Gráfico 5.1 Distribuição percentual de indiciados de crime, detidos e condenados, por
sexo, Moçambique, 2016- 2017 ................................................................ 61
Gráfico 5.2 Distribuição percentual de indiciados de crimes por provinciais, segundo sexo,
Moçambique 2017 ................................................................................ 62
Gráfico 5.3 Distribuição percentual de detidos nos estabelecimentos prisionais por sexo,
segundo província, Moçambique 2017 ......................................................... 63
Gráfico 5.4 Distribuição percentual de condenados nos estabelecimentos prisionais, por
sexo, segundo província, Moçambique 2017.................................................. 64

5.1. Violência doméstica......................................................................................... 64


Gráfico 5.5 Índice de Paridade de Género de pessoas que reportaram casos de violência,
Moçambique, 2016 e 2017 ...................................................................... 65
Gráfico 5.6 Índice de Paridade de Género de casos de violência reportados por tipologia
em adultos e crianças, Moçambique 2017..................................................... 65
Quadro 5.1 Distribuição Percentual de casos de violência por sexo e número total de
adultos e crianças que reportaram casos de violência, segundo província,
Moçambique 2017 ................................................................................ 66
6. Lugares de decisão..................................................................................................... 67
Quadro 6.1 Distribuição percentual por sexo e número dos funcionários e agentes do
estado, segundo cargos governativos, de direcção, chefia e confiança,
Moçambique 2015 e 2017. ...................................................................... 67
Gráfico 6.1 Índice de Paridade de Género dos funcionários e agentes do estado, por
província, Moçambique 2015 e 2017 ........................................................... 68
Quadro 6.2 Distribuição percentual por sexo e número dos funcionários e agentes do
estado, segundo cargos de tomada de decisão, por órgão,
Moçambique 2015 e 2017 ....................................................................... 69
Introdução

A mulher ocupa um papel de relevo na construção da família e no bem-estar da sociedade.


Mas, em algumas esferas sociais tem-se registado discriminação nas oportunidades
disponibilizadas em diversos sectores. Como forma de se fazer a monitoria e a avaliação dos
indicadores de vários sectores, para medir o quão a igualdade de oportunidades entre
mulheres e homens, foi criada a presente publicação que contém informação estatística
desagregada por sexo e o Índice de Paridade de Género, o que contribui para a percepção e
análise da equidade, equilíbrio e paridade do género. A palavra sexo refere -se ao aspecto
biológico, e o conceito de género (feminino e masculino) é uma construção social na qual, as
sociedades definem o que consideram ser um comportamento adequado às mulheres, ou seja,
ao feminino, e o comportamento adequado aos homens, ou seja, ao masculino. Importa
salientar que o foco de análise, é a igualdade de oprtunidades, não sendo necessariamente a
comparação do sexo por génese.

As estatísticas de género têm a particularidade de espelhar, de forma evidente, as assimetrias


entre o sexo feminino e masculino nos diferentes níveis socioeconómicos. Elas permitem
efectuar diagnósticos da situação de mulheres e homens de forma efectiva e produzir
argumentos sólidos para formulação de políticas públicas e tomada de decisões inerentes a
igualdade de género, isto é, criação de políticas que garantem a igualdade de oport unidades,
ou que o factor sexo, não tenha um impacto na tomada de decisões públicas. Possibilitam,
igualmente, a priorização de acções tendentes ao cumprimento dos compromissos do Governo
no que se refere a concepção e avaliação de políticas públicas em prol da igualdade de género
e ao alcance das metas dos Objectivos de Desenvolvimento Sustentável.

A presente publicação é feita após a realização do primeiro seminário do género que teve
como um dos principais objectivos a revisão da edição passada desta sé rie. Assim, foram
incorporadas as observações atinentes desse seminário.

A informação apresentada foi recolhida em vários sectores com autonomia de gerar


estatísticas, uma vez estes serem Órgãos Delegados do Instituto Nacional de Estatística, e de
fontes internas do INE e com base nesta, calculou-se o Índice de Paridade de Género (IPG),
que é o indicador que mostra a magnitude da disparidade de género em diferentes áreas. Este
indicador foi obtido dividindo o valor do indicador de dados referentes ao sexo feminino pelo
sexo masculino. O IPG toma valor 1 quando não há disparidade por sexo, quando estiver
acima de 1 significará que o número referente ao sexo feminino é maior que do sexo
masculino, e abaixo de 1 mostrará menor número do sexo feminino. Se o valor encontrar-se

7 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


no intervalo de 0,95 á 1,04, pode indicar a tendência ao equilíbrio de género , pois, as
diferenças não são significativas.

A publicação está dividida em 6 capítulos: A apresentação das características da população,


agregados familiares e aspectos demográficos; participação económica e social; análise de
género nos sectores de Educação, Saúde, Crime e Justiça e em questões de empoderamento
da mulher.

Prevalecem, nesta publicação, os dados dos Resultados Preliminares do IV Recenceamento


Geral da População e Habitação de 2017, os quais serão actualizados e circunstanciados,
aquando da próxima edição, com fundamento nos Resultados Definitivos e Estudos Temáticos
subsequentes.

8 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


1. População

O capítulo da população apresenta indicadores demográficos como tamanho da população,


esperança de vida ao nascer, taxa global de fecundidade e características dos agregados
familiares.

De acordo com o Gráfico 1.1 a população moçambicana, tende a crescer para ambos sexos no
período de 1975 a 2017, o que pode estar associado a elevadas taxas de fecundidade e
diminuição das taxas de mortalidade. Em média, 52.2% da população moçambicana é do sexo
feminino.

Gráfico 1.1. População (em milhares) por sexo, Moçambique 1975-2017

35 000

28 862
30 000

25 000
20 632

20 000
16 076
15 061
15 000 12 130
10 627 10 702
13 801
8 373
10 000
6 222
5 456 9 930

5 000 7 703
5 909
5 171

0
1975 1980 1997 2007 2017

Total Masculino Feminino

Fonte: INE, Projecções: 1950-2000; I RGPH 1980; II RGPH 1997; III RGPH 2007; IV RGPH 2017 Resultados Preliminares

9 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Gráfico 1.2 mostra a distribuição percentual da população por sexo segundo área de
residência. A população feminina é maior tanto na área urbana como na área rural, com
percentagens de 51.1 e 52.0 respectivamente.

Gráfico 1.2 Distribuição percentual da população por sexo, segundo área de


residência, Moçambique, 2017

%
100

80

60 51,9 51,7
51,2
48,8 48,1 48,3

40

20

0
Urbano Rural Total

Masculino Feminino

Fonte: INE, Projecções da População 2007-2040

10 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Gráfico 1.3, mostra o tamanho da população e a distribuição percentual da população
feminina por província. As províncias mais populosas do País são Nampula e Zambézia, com
cerca de 5 milhões de habitantes cada em 2017, enquanto Maputo Cidade e a Província de
Gaza são as menos populosas. Em relação a distribuição percentual da população feminina por
província, destacam-se as províncias de Inhambane e Gaza com 54.10% e 53.92% ,
respectivamente.

Gráfico 1. 3 População total e distribuição percentual da população feminina por


província, Moçambique 2017

%
7,000,000 100

6,000,000
80
5,000,000

52.6 54.1 53.9 53.0 60


51.4 51.5 51.8 52.1 51.8 51.9
4,000,000 51.2

3,000,000
40

2,000,000
20
1,000,000

0 0
Niassa Cabo Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo Maputo
Delgado pula bezia bane Prov. Cidade

Total Mulheres

Fonte: INE, Resultados Preliminares 2017

O indicador esperança de vida ao nascer, representa o número médio de anos que espera
viver uma pessoa nascida num determinado ano, se as condições de mortalidade registadas no
momento de nascimento continuarem constantes ao longo de tempo.

11 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Segundo o Gráfico 1.4, em média, as mulheres vivem mais tempo que os homens. A esperança
média de vida à nascença, foi calculada em 59 anos para as mulheres e 54 anos para os
homens, significando um aumento de 4 e 5 anos, respectivamente nos últimos 10 anos.

Gráfico 1.4 Esperança de vida ao nascer por sexo, Moçambique 1997, 2007 e 2017

100

80

59 57
60 53 51 54
49
41 44 42
40

20

0
1997 2007 2017

Masculino Feminino Total

Fonte: Censos 1997 e 2007 e Projecção da população 2007-2040

12 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


1.1. Situação Marital e Idade a Primeira Relação Sexual

O Gráfico 1.5 mostra a distribuição percentual de jovens na faixa etária de 15 a 19 anos


segundo a situação marital. Com base em dados do IMASIDA 2015, dos 31.3% de jovens
alguma vez unidos, 87.7% são do sexo feminino e 12.3% masculino.

Gráfico 1.5 Distribuição percentual de jovens de 15-19 anos por sexo segundo
situação marital, Moçambique 2015

100
87,7

80

60 56,1

43,9
40

20 12,3

0
Alguma vez unida(o) Nunca casada(o)/
unida(o)

Masculino Feminino

Fonte: Calculado com base em dados do IMASIDA 2015

13 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Os jovens do sexo feminino apresentam percentagens elevadas acima de 80%, em todo tipo
de estado civil, deste modo afirmar a frequência elevada de união marital dos jovens do sexo
feminino (Gráfico 1.6).

Gráfico 1.6 Distribuição percentual de jovens de 15-19 anos por sexo segundo
estado civil, Moçambique 2015

Divorciada(o)/ 85,9
separada(o)/
viúva(o) 14,1

82,2
União marital
17,8

92,7
Casada(o)
7,3

Nunca 43,9
casada(o)/
unida(o) 56,1

0 20 40 60 80 100

Feminino Masculino

Fonte: Calculado com base em dados do IMASIDA 2015

Geralmente os jovens do sexo feminino unem–se maritalmente mais cedo que os do sexo
masculino. Segundo o Gráfico 1.7, 12.9% de jovens do sexo feminino tiveram a sua primeira
uniao marital aos 15 anos, o que já não se verifica entre jovens do sexo masculino, pois o
número é muito reduzido.

Em relação a primeira relação sexual, 24.5% de jovens do sexo feminino e 26.5% do sexo
masculino iniciaram a actividade sexual aos 15 anos.

14 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 1.7 Percentagem de jovens que tiveram a primeira união e primeira relação
sexual à idade exacta de 15 anos, Moçambique 2015

30
26.5
24.5
25

20

15 12.9

10

0.0
0
Primeira união Primeira relação sexual

Feminino Masculino

Fonte: Calculado com base em dados do IMASIDA 2015

1.2. Agregado familiar

Considera-se agregado familiar, a pessoa singular ou grupo de pessoas, ligadas ou não por
laços de parentesco, que vivem na mesma casa, partilham a alimentação e a maior parte das
despesas.

Em Moçambique segundo IOF-2014/15 existem mais de 5.1 milhoes de agregados familiares.


O tipo de agregado familiar predominante é alargado, isto é, inclui outros parentes para além
de mãe, pai e filhos. O número médio de membros no agregado familiar é de 5.0. Importante
referir que a maior parte dos agregados familiares são chefiados por homens.

Chefe do agregado familiar é a pessoa responsável pelo agregado que deve ser residente,
podendo estar presente ou não no momento do recenseamento ou do inquérito desde que a
ausência seja inferior a 6 meses.

15 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Gráfico 1.8 mostra a distribuição percentual dos agregados familiares segundo o sexo do
chefe. De acordo com os dados dos inquéritos ao orçamento familiar 2008/9 e 2014/15, mais
de 70% dos agregados familiares são chefiados por homens. Nota-se um ligeiro aumento de
agregados chefiados por mulheres em 1 ponto percentual

Gráfico 1.8 Distribuição percentual dos agregados familiares segundo sexo do


chefe, Moçambique 2008/9 e 2014/15

100

29,5 28,5
80

Masculino
60

Feminino
40
70,5 71,5

20

0
2008 2014

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2008/9 e 2014/15

Segundo o IOF 2014/15, do total de agregados familiares existentes aproximadamente 9% são


chefiados por adolescentes e jovens com idade compreendida entre 12 a 24 anos. O Gráfico
1.9, mostra que desses agregados, em média, cerca de 74.3% são chefiados, por jovens e
adolescentes do sexo masculino e 25.7% do sexo feminino. De salientar que a Província de
Gaza com mais de 60%, apresenta a maior percentagem de agregados chefiados por jovens e
adolescentes do sexo feminino.

16 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 1.9 Distribuição percentual de chefes de agregados familiares chefiados por
adolescentes e jovens (12-24 anos) por província segundo sexo do chefe,
Moçambique 2015

Total 74,3 25,7

Niassa 84,8 15,2

Cabo Delgado 74,5 25,5

Nampula 78,2 21,8

Zambézia 72,4 27,6

Tete 76,7 23,3

Manica 65,9 34,1

Sofala 78,4 21,6

Inhambane 73,9 26,1

Gaza 39,2 60,8

Maputo Provincia 70,2 29,8

Maputo Cidade 76,4 23,6

0 20 40 60 80 100

Feminino Masculino

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014 /15

O Gráfico 1.10 mostra o Índice de Paridade de Género (IPG) que ajuda a perceber a posição
de adolescentes e jovens por sexo na chefia dos agregados familiares.

Há disparidade de género em todas províncias do País, com excepção da Província de Gaza


que apresenta disparidade a favor de chefes do sexo feminino, pois nas restantes províncias,
há maior predominância de agregados cujo chefe é do sexo masculino.

17 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 1.10 Índice de Paridade de Género de chefes de agregados familiares
adolescentes e jovens (12 a 24 anos) por província, Moçambique 2015

1,80
1,55
1,60
1,40
1,20
1,00
0,80
0,52
0,60 0,42
0,35 0,34 0,38 0,35
0,40 0,28 0,30 0,28 0,31
0,18
0,20
0,00
Total Niassa Cabo Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo Maputo
Delgado pula bézia bane Prov. Cidade

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/15

O Gráfico 1.11 apresenta a distribuição percentual de agregados familiares por sexo do chefe ,
segundo fonte de água para beber. De pouco mais de 2.5 milhões de agregados familiares que
usaram fonte de água melhorada para beber, cerca de 70% eram chefiados por chefes do
sexo feminino. E de 2.5 milhões de agregados que usaram água não melhorada para beber,
cerca de 73% eram chefiados por pessoas do sexo masculino.

Gráfico 1.11 Distribuição percentual de agregados familiares por sexo do chefe ,


Segundo fonte de água para beber, Moçambique 2015

100

80 73.3
69.7

60

40 30.3
26.7

20

0
Maculino Feminino Masculino Feminino
Fonte de água Fonte de água não
melhorada para beber melhorada para beber

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/15

18 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


De acordo com IOF -2014/15 dos cerca de 1.3% milhões de agregados familiares com energia
eléctrica, em média, cerca de 29% tinham chefes do sexo feminino, correspondendo a um
índice de cerca de 0.41, o que representa menor número de agregados com chefes do sexo
feminino com energia eléctrica. A Província de Gaza teve pouco mais de 50% de agregados
familiares com chefes do sexo feminino com energia, correspondentes ao IPG de 1.01, o que
representa o equilíbrio de género (Quadro 1.1).

Quadro 1.1 Distribuição percentual e Índice de Paridade de Género dos agregados


familiares com energia eléctrica segundo o sexo do chefe, Moçambique 2015
P r ovincia N Feminino M asculino T otal IP G
P ais 1 2 5 1 548 2 9 ,0 7 1 ,0 1 0 0 ,0 0 ,4 1
N iassa 37 373 21,1 78,9 100,0 0,27
C abo Delgado 46 698 24,4 75,6 100,0 0,32
N ampula 203 305 15,2 84,8 100,0 0,18
Zambezia 115 830 22,3 77,7 100,0 0,29
Tete 55 426 20,5 79,5 100,0 0,26
M anica 71 903 27,0 73,0 100,0 0,37
S ofala 102 817 25,2 74,8 100,0 0,34
Inhambane 46 996 39,3 60,7 100,0 0,65
G aza 92 283 50,3 49,7 100,0 1,01
M aputo P rov incia 257 581 35,0 65,0 100,0 0,54
M aputo C idade 221 336 33,8 66,2 100,0 0,51
Fonte:INE, calculado com base em dados do IOF 2014/15

Posse de bens duráveis é considerado como um dos indicadores sócio-económicos do bem-


estar dos agregados familiares.

O Gráfico 1.12 apresenta a distribuição percentual dos agregados por posse de telefone celular
e rádio, segundo sexo do chefe, onde a percentagem é elevada para os agregados com chefes
do sexo masculino. Verifica-se maior diferença percentual por sexo na posse de rádio, em
cerca de 66 pontos percentuais.

19 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 1.12 Distribuição percentual de agregados familiares por posse de bens
duráveis nos agregados familiares, segundo sexo do chefe, Moçambique 2015

83,0
74,0

26,0
17,0

Celular Rádio

Feminino Masculino

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

20 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


2. Indicadores económicos

A informação apresentada neste capítulo foi calculada com base em resultados definitivos do
Inquérito ao Orçamento Familiar (IOF 2014/15).

População Economicamente Activa (PEA) – é uma medida que procura mostrar a


dimensão da mão-de-obra que está a dar o seu contributo ou disponível para dar o seu
contributo no mercado laboral do país. Compreende a todas as pessoas de 15 e mais anos,
empregadas ou desempregadas, ou mesmo disponíveis para realizar qualquer actividade
económica remunerada, enquanto ao conjunto de todos indivíduos indisponíveis para o
mercado laboral como estudantes, ou pessoas com menos de 15 anos ou ainda que exercem
alguma actividade não remunerada fazem parte da População Não Economicamente Activa
(PNEA). De acordo com os resultados do IOF 2014/15 a PEA no País é de cerca de 85%,
enquanto a PNEA é cerca de 14% e 1% correspondente a casos desconhecidos.

O Gráfico 2.1 mostra que o IPG do PEA e da PNEA no País é de 1.0 e 0.99 respectivamente, o
que mostra existir equilíbrio do género para as pessoas no mercado laboral. O índice de
paridade de género da população economicamente activa na zona urbana é de 0.93 com
disparidade a favor dos homens, enquanto para a população não economicamente activa o
índice de 1.25 na área urbana mostra disparidade a favor das mulheres.

A área rural tem um índice de 1.03 para PEA tendendo ao equilíbrio de género, enquanto a
PNEA registou um índice de 0.75 que mostra a existência da disparidade a favor dos homens.

21 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 2.1 Índice de Paridade de Género de pessoas com 15 anos e mais
economicamente activa e não economicamente activa, segundo área de residência,
Moçambique 2015

1,40
Rácio sexo feminino/masculinio

1,25

1,20

1,03
1,00 0,99
1,00 0,93

0,80 0,75 PEA

0,60 PNEA

0,40

0,20

0,00
Total Urbana Rural

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

O índice de paridade de género pode espelhar as diferenças de oportunidades em diversos


sectores socioeconómicos. A disparidade entre os homens e mulheres ou a discriminação de
mulheres seja na oferta de serviços sociais assim como nos sectores económicos como o
mercado laboral afecta negativamente no desenvolvimento humano. Analisando em termos de
pessoas que estiveram empregadas, nota-se pelo Gráfico 2.2 que há uma tendência de
equilíbrio entre homens e mulheres empregados, embora com ligeira disparidade favorecendo
os homens. Para o grupo etário entre 15 a 24 anos registou-se um índice de 1.10 que mostra
uma disparidade a favor das mulheres.

Há mais pessoas do sexo feminino desempregadas, pois registou-se um índice de 1.05 que
está acima de 1, enquanto entre pessoas do grupo de 15 a 24 anos de idade o índice foi de
0.93, mostrando assim disparidade a favor das mulheres, indicando que há menos mulheres
desempregadas neste grupo de idade.

22 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 2.2 Índice de Paridade de Género por condição de emprego , segundo idade,
Moçambique 2015

1,40
1,27

1,20
1,10
Rácio sexo feminino/masculino

0,97
1,00 0,93

0,80

0,60

0,40

0,20

0,00
Emprego 15+ Emprego 15-24 anos Desemprego 15+ Desemprego 15-24 anos

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

A disparidade no mercado laboral pode não estar relacionada com discriminação, mas sim com
outras diferenças como o pérfil das pessoas, como habilidades e o nível de escolaridade. De
acordo com o Gráfico 2.3, o desemprego da população economicamente activa com algum
nível de escolaridade é de mais de 26%, sendo de 23% para os homens e 32.4% para as
mulheres, com taxas de desemprego mais alta para as mulheres. Quanto a população sem
nenhum nível de escolaridade a taxa de desemprego é de 16% sendo 15% do sexo masculino
e 16% feminino.

23 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 2.3 Percentagem da População de 15 e mais anos Economicamente Activa
desempregada por sexo, segundo condição de escolaridade concluída, Moçambique
2015

100,0

80,0

60,0
Percentagem

40,0
32,4
26,7
23,0
20,0 15,3 17,0 16,3

0,0
Masculino Feminino Total Masculino Feminino Total
Algum nivel de escolaridade Sem nivel de escolaridade

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

De acordo com o Gráfico 2.4, em Moçambique, o índice de paridade da população


economicamente activa com nível de escolaridade secundário e mais, mostra a existência de
disparidade a favor dos homens, isto é, há mais pessoas do sexo masculino economicamente
activas que tenham concluído no mínimo ensino secundário. A Província de Inhambane
apresenta o índice próximo a 1, o que mostra uma tendência ao equilíbrio de género da
população economicamente activa com nível secundário e mais. Todas as províncias
mostraram disparidade a favor dos homens, isto é, há mais homens com o nível de
escolaridade secundário e mais que são economicamente activos.

24 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 2.4 Índice de Paridade de Género da População Economicamente Activa
com nível de escolaridade secundário e mais por província, Moçambique 2015
1,2

1,0 0,97
Rácio sexo feminino/mascilino

0,8 0,75
0,71 0,69
0,67
0,60
0,6
0,52 0,51
0,45 0,47
0,43 0,42
0,4

0,2

0,0
Niassa C. Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo Maputo Total
Delgado pula bézia bane prov. cidade

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

O desemprego é representado por pessoas em idade economicamente activa disponíveis para


trabalhar e que procuraram trabalho ou emprego.

O Índice de Paridade de Género de desempregados com pelo menos nível secundário


concluído em 2015 foi de 1.65, mostrando disparidade na taxa de desemprego, quer dizer há
mais mulheres desempregas do que homens. Com a excepção da Província de Inhambane que
apresenta o índice próximo a 1, as restantes tem índices acima de 1, com disparidade a favor
dos homens, isto é, há mais mulheres desempregadas, destacando-se as províncias de Cabo
Delgado, Nampula e Tete com IPG acima de 2 (Gráfico 2.5).

Gráfico 2.5 Índice de Paridade de Género da taxa de desemprego de pessoas com


15 e mais anos de idade com nível de escolaridade secundário e mais conclu ído por
província, Moçambique 2015
2,5
2,01 2,07 2,02 2,08
1,91 1,98
Rácio sexo feminino/masculino

2,0
1,65
1,53
1,38 1,43
1,5 1,29

0,96
1,0

0,5

0,0
Niassa Cabo Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo Maputo Total
Delgado pula bézia bane Prov, Cidade

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

25 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


A participação nas actividades económicas representa um dos indicadores de relevo, pois
mostra a magnitude das pessoas que contribuem com alguma actividade para a economia. Em
quase todos grupos de idade, o Índice de Paridade de Género está abaixo de 1, embora no
grupo 50-54 anos, esteja muito próximo de 1, o que mostra a tendência de equilíbrio de
género. Há maior participação de homens nas actividades económicas do que as mulheres na
maioria dos grupos de idade, exceptuando o grupo 15-19 anos de idade.

Gráfico 2.6 Índice de Paridade de género da participação nas actividades


económicas por idade, Moçambique 2015
1,1

1,1
Rácio sexo feminino/masculino

1,06

1,0

0,99 0,99 0,99 0,99


1,0 0,98 0,98 0,98
0,96 0,96

0,9
0,90
0,9

0,8
15-19 20-24 25-29 30-34 35-39 40-44 45-49 50-54 55-59 60-64 65+

Grupos de idade

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

Na análise das estatísticas do mercado laboral é importante a avaliação da ocupação. O Gráfico


2.7 mostra haver disparidade de género para pequenos comerciantes , camponeses e para
empregados domésticos a favor das mulheres. Nas outras oupações o IPG está abaixo de 1 o
que mostra que há mais homens nestas ocupações que mulheres com destaque para artesãos
independentes e operários não agrícolas.

26 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 2.7 Índice de Paridade de Género da população de 15 e mais anos por
ocupação principal, Moçambique 2015

Empregados domésticos 4,31


Camponeses 1,59
Pequeno comerciante 1,13
Técnicos não universitários 0,58
Administrativos 0,56
Técnicos universitários 0,53
Outras ocupações 0,35
Altos dirigentes 0,34
Pessoal de serviço 0,27
Operários agrícolas 0,19
Operários nao agrícolas 0,13
Artesão independente 0,05

0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 3,00 3,50 4,00 4,50 5,00
Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

O Gráfico 2.8 mostra que os sectores de agricultura, silivicultura e pescas e comércio e


finanças o IPG está acima de 1, mostrando disparidade a favor das mulheres , embora nesta
última categoria haja tendência de equilíbrio. Nos outros ramos de actividade a disparidade é a
favor dos homens, com destaque para o sector de construção e indústria extractiva e minas.

Gráfico 2.8 Índice de Paridade de Género da população de 15 e mais anos por


ramos de actividades, Moçambique 2015

Agricultura, Silvicultura e Pesca 1,43

Comercio e Financas 1,01

Outros servicos 0,44

Industria transformadora 0,38

Servicos administrativos 0,37

Energia 0,13

Transporte e comunicacoes 0,05

Industria extractiva e minas 0,04

Construcao 0,01

0,00 0,20 0,40 0,60 0,80 1,00 1,20 1,40 1,60

Rácio sexo feminino/masculino


Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

27 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


De acordo com o Gráfico 2.9, há uma elevada disparidade a favor das mulheres nas categorias
de trabalhadores de casas particulares e trabalhadores familiares sem remuneração. Nos
trabalhadores por conta própria sem empregados e organismos internacionais/embaixadas há
tendência de equilíbrio embora com ligeira vantagem para o sexo feminino. Nas outras
categorias, há uma elevada disparidade a favor dos homens.

Gráfico 2.9 Índice de Paridade de Género da população de 15 e mais anos por


posição no processo laboral, Moçambique 2015

Trabalhador familiar sem


2,9
remuneração

Casa particular 1,9

Conta prória sem


1,2
Empregados
Organismos
1,1
Internacionais/Embaixada

Autarquias Locais 0,7

Administração Pública 0,5

Conta própria com


0,5
empregados
Instituições sem fins
0,4
Lucrativos

Cooperativa 0,2

Empresa Pública 0,2

Empresa Privada 0,2

0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 3,0

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

28 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O subemprego representa pessoas empregadas, mas com tempo disponível para exercer outra
actividade económica. Calcula a magnitude de pessoas que trabalham menos de 40 horas
semanais. O Gráfico 2.10 mostra que há disparidade no subemprego, pois o índice registado
foi de 1.48, que mostra que há mais mulheres subempregadas que homens. Na área urbana,
nota-se que o índice foi de 1.52, na rural foi de 1.47, que mostra disparidade a favor dos
homens.

Gráfico 2.10 Índice de Paridade de Género do subemprego da população de 15 e


mais anos por área de residência, Moçambique 2015

1,60 1,52
1,48 1,47

1,40
Rácio sexo feminino/masculino

1,20

1,00

0,80

0,60

0,40

0,20

0,00
Total Urbana Rural

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

29 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Gráfico 2.11, mostra disparidade na população subempregada a favor dos homens, em todas
as províncias, com destaque para Inhambane e Gaza com IPG acima de 2.

Gráfico 2.11 Índice de Paridade de Género de subemprego da população de 15 e


mais anos por província, Moçambique 2015

3,50
3,18

3,00
Rácio sexo feminino/masculino

2,50 2,31

1,96
2,00 1,84

1,48 1,55
1,42
1,50 1,26 1,28
1,17 1,14

1,00

0,50

0,00
Niassa Cabo Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo Maputo
Delgado pula bezia bane Prov. Cidade

Fonte: INE, calculado com base em dados do IOF 2014/ 15

O Gráfico 2.12 mostra o índice de paridade de género dos empregados em ramos de


actividades segundo informação recolhida nas empresas e agrupados de acordo com a
classificação das actividades económicas (CAE-rev2). No sector de actvidades administrativas e
serviços de apoio há uma tendência de equilíbrar o género, embora haja uma ligeira vantagem
do sexo feminino. Nos sectores de actvidades financeiras e de seguros, indústria exctrativa,
construção, água, saneamento, electricidade, indústria transformadora, agricultura, produção
animal, caça, florestas e pescas registaram disparidade do género a favor dos homens, isto é,
há mais homens empregados e registados nas unidades destes sectores que mulheres , o que
não se verifica nos sectores de educação, actividades de consultoria, cientifica, tecnica e
similares, imobiliárias, informação e comunicação, alojamento, rest auração e similares,
comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos automóveis e motociclos, transportes e
armazenagem, saúde humana e acção social, artísticas, de espectáculos, desportivas e
recreativas outras actividades de serviços cujo IPG encontra-se acima de 1, que mostra
disparidade de género a favor das mulheres em relação aos homens registados nestes
sectores.

30 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 2.12 Índice de Paridade de Género de empregados nos sectores de
actividade por província, Moçambique 2017

Actividades Financeiras e de Seguros 0,33

Indústrias Extractivas 0,60

Construção 0,69

Captação, tratamento e distribuição de água,


0,70
saneamento, gestão de resíduos e…
Electricidade, Gás, vapor, Água quente e fria
0,74
a ar frio

Indústrias transformadoras 0,75

Agricultura, produção animal, caça, floestas e


0,79
pescas
Actividades administractivas e de serviços de
1,03
apoio

Educação 1,05

Actividades artísticas, de espectáculos,


1,06
desportivas e recreativas

Actividades de saude humana e acção social 1,08

Transportes e armazenagem 1,12

Comércio por grosso e a retalho; reparação


1,23
de veículos automóveis e motociclos

Alojamento, resturação e similares 1,28

Actividades de informação e comunicação 1,29

Actividades imobiliárias 1,41

Actividades de consultoria, cientifica, tecnica


1,51
e similares

Outras actividades de serviços 1,84

0,00 0,50 1,00 1,50 2,00

Fonte: INE, calculado com base em dados do Ficheiro de Unidades Estatísticas, 2017

Agricultura é um dos sectores que mais contribuiu para a Economia de Moçambique, e os


extensionistas tem papel importante na transferência de tecnologias para melhorar a qualidade
da produção e da produtividade. Existiam no País em 2017, 1,653 extensionistas, dos quais
cerca de 19% do sexo feminino e 81% do sexo masculino. Neste período foram assistidos
pelos extensionistas 693,357 produtores, dos quais cerca de 48% do sexo feminino e 52%
masculino. Em geral, o IPG do número de extensionistas e do número de produtores assistidos

31 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


está abaixo de 1, mostrando disparidade a favor dos homens, seja para extensionistas bem
como para os beneficiários das transferências de tecnologias, embora a disparidade entre os
beneficiários (0.75) seja menor do que dos extensionistas (0.24).

No referente aos extensionistas a disparidade é registada em todas as províncias com


destaque nas províncias de Nampula, Tete e Manica com o IPG de 0.16, 0.15 e 0.17,
respectivamente, mostrando elevado desfavorecimento para as mulheres. Relativamente aos
beneficiários, as províncias de Sofala e todas as da região sul (Inhambane, Gaza, Maputo
Província e Maputo Cidade) registaram um IPG acima de 1, mostrando disparidade a favor das
mulheres, o que significa que há mais mulheres produtoras que se beneficiam de programas
de extensão agrária do que os homens, com destaque para Maputo Província com IPG de 2.93.
As restantes províncias, registaram IPG abaixo de 1, mostrando disparidade a favor dos
homens, com destaque para Nampula com IPG de 0.55 (Gráfico 2.13).

Gráfico 2.13 Índice de Paridade de Género de extensionistas e de produtores


beneficiados por sexo, segundo província, Moçambique 2017

Total 0,92
0,24

Niassa 0,75
0,24

Cabo Delgado 0,67


0,19

Nampula 0,55
0,16

Zambézia 0,72
0,29

Tete 0,74
0,15 IPG Beneficiarios

Manica 0,74
0,17
IPG Extensionistas
Sofala 1,08
0,24

Inhambane 1,28
0,20

Gaza 1,56
0,31

Maputo Província 2,93


0,61

Maputo Cidade 1,50


0,79

0,00 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 3,00 3,50

Fonte: Ministério de Agricultura e Segurança Alimentar 2017

32 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


3. Educação

Este capítulo apresenta informação referente ao sistema nacional de educação, nos níveis
primário, secundário, técnico e superior.

3.1. Taxa bruta de escolarização

A Taxa bruta de escolarização é um indicador de cobertura do sistema de educação. É


definido como a proporção entre o total de alunos matriculados em um determinado nível de
ensino e a população do grupo etário oficial para frequentar o mesmo nível. Este é um dos
indicadores que ajuda a avaliar o acesso a educação

Segundo o Gráfico 3.1, a taxa bruta de escolarização média do Ensino Primário é elevada, com
percentagens acima de 100%, o que mostra existir alunos matriculados que não estão na
idade oficial para frequentar o nível primário. No Ensino Secundário as taxas são baixas, cerca
de 24%,o que indica elevado número de pessoas com idade para frequentar o nível, fora do
sistema de educação.

Gráfico 3.1 Taxa bruta de escolarização por sexo segundo nível de ensino,
Moçambique 2017

140
120,6
120 115,4
110,3

100

80

60

40
23,7 24,0 23,5
20

0
Ensino primário Ensino secundário

Total Masculino Feminino

Fonte: MINEDH, Levantamento Escolar 2017

33 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


As províncias da região Norte e Centro com a excepção da Província de Tete, apresentam
disparidade de género á favor dos alunos do sexo masculino. Tete, Inhambane, Maputo
província e Maputo Cidade apresentam equilíbrio, e a Província de Gaza registou paridade
(Mapa 3.1).

Mapa 3.1 Índice de Paridade de Género de alunos matriculados nas escolas públicas
do ensino primário por província, Moçambique 2017

Fonte: INE, Produzido a partir da Base de Dados de ESDEM 2018

34 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Segundo o IPG no Ensino Secundário, todas as províncias apresentam disparidade por sexo. As
provincias da região Norte e Centro, apresentam disparidade a favor do sexo masculino, e no
Sul do sexo feminino (Mapa 3.2).

Mapa 3.2 Índice de Paridade de Género de alunos matriculados nas escolas públicas
do ensino secundário por província, Moçambique 2017

Fonte: INE, Produzido a partir da Base de Dados de ESDEM 2018

35 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


3.2. Taxa Líquida de Escolarização

A Taxa Líquida de Escolarização (TLE) corresponde à razão entre o número de alunos


matriculados com idade oficial para frequentar determinado nível e a população na mesma
idade. É um indicador importante para avaliar a eficiência do sistema de ensino.

Segundo o Gráfico 3.2 as taxas líquidas de escolarização por nível de ensino apresentam
comportamento desigual. No Ensino Primário, registou elevada taxa, com a média nacional de
94.4% e no Ensino Secundário, taxas muito baixas, com 13.2%, o que indica haver número
considerável de pessoas não matriculadas.

Gráfico 3.2 Taxa líquida de escolarização por sexo, segundo nível de ensino,
Moçambique 2017

100 94,4 95,0 93,8

90

80

70

60

50

40

30

20 14,4
13,2 12,0
10

0
Ensino primário Ensino secundário

Total Masculino Feminino

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH - Levantamento Escolar, 2017

36 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Segundo o Quadro 3.2, há disparidade de género entre alunos, a favor do sexo masculino em
quase todas províncias, com a excepção da Provincia de Gaza que mostra paridade no Ensino
Primário e as provincias de Tete, Inhambane, Maputo Província e Maputo Cidade apresentam
equilíbrio. No Ensino Secundário, as províncias da região Sul apresentam disparidade a favor
dos alunos do sexo feminino.

Quadro 3.2 Taxa líquida de escolarização e Índice de Paridade de Género no Ensino


Primário e Secundário público, segundo província, Moçambique 2017
Ensino P r imário Ensino Secundár io
P r ovincia
T axa ( % ) IP G T axa ( % ) IP G
T otal 9 4 ,4 0 ,9 2 1 3 ,2 0 ,9 8
N iassa 82,9 0,93 9,0 0,79
C abo Delgado 84,3 0,94 5,5 0,89
N ampula 88,8 0,92 7,6 0,78
Zambézia … 0,88 7,4 0,74
Tete 82,6 0,96 9,4 0,83
M anica 83,1 0,92 12,4 0,78
S ofala 87,2 0,87 14,9 0,82
Inhambane 93,4 0,98 21,3 1,23
G aza 95,9 1,00 17,8 1,34
M aputo P rov íncia … 0,98 30,1 1,25
M aputo C idade 88,6 0,98 41,0 1,23
Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH - Levantamento Escolar, 2017
... Dados não disponíveis à data da publicação

3.3. Desistência

Desistência escolar é a diferença entre alunos que no fim do ano lectivo e os matriculados
no início desse mesmo ano. Segundo os inquéritos do INE, geralmente aponta -se como
principais causas de desistência, a falta de condições materiais, financeiras, distância até a
escola, casamento, gravidez e emprego.

37 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


As percentagens desistência são elevadas em alunos do sexo masculino, sendo de 54. 5% no
Ensino Primário e 51.9% no Secundário, Gráfico 3.3.

Gráfico 3.3 Distribuição percentual de alunos desistentes por sexo , segundo nível
de ensino, Moçambique 2017

100

80

60 54,5
51,9
48,1
45,5

40

20

0
Ensino primário Ensino secundário

Masculino Feminino

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH – Aproveitamento Escolar, 2017

38 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Segundo I IPG, em 2017 desistiram mais alunos do sexo masculino, pois os indices encontram-
se abaixo de 1, Gráfico 3.4

Gráfico 3.4 Índice de Paridade de Género de desistência por nível de ensino,


Moçambique 2017

1,00
0,93

0,90 0,84

0,80

0,70

0,60

0,50

0,40

0,30

0,20

0,10

0,00
Ensino primário Ensino secundário

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH - Aproveitamento Escolar, 2017

3.4. Conclusão

Taxa bruta de conclusão é a relação entre alunos graduados em um determinado nível de


ensino e a população com idade oficial para concluir a última classe do nível de ensino em
causa, multiplicado por 100.

Segundo o Grafico 3.5, as taxas de conclusão são ligeiramente elevadas para os alunos do
sexo masculino, com a excepção do ESG1, que registou maior taxa de conclusão nos alunos do
sexo feminino.

39 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 3.5 Taxa de conclusão no ensino público e privado por nível de ensino,
Moçambique, 2017

80
71,4
70 67,6
63,9

60

50 47,3
44,5
41,8
40

28,7 28,9 28,8


30

20
13,4 12,8 13,1

10

0
EP1 EP2 ESG1 ESG2

Masculino Feminino Total

Fonte: MINEDH, Aproveitamento Escolar de 2017

3.5. Reprovação

Reprovação é a diferença entre os alunos que chegam ao final do ano lectivo e os alunos
aprovados.

De pouco mais de 750 mil alunos reprovados no Ensino Primário em 2017, 52.7% são do sexo
masculino e 47.3% do sexo feminino. O Ensino Secundário registou mais de 160 mil alunos
reprovados, destes, 50.5% de alunos do sexo masculino e 49.5% do sexo feminino, Gráfico
3.6.

40 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 3.6 Distribuição percentual de alunos reprovados por sexo , segundo nível
de ensino, Moçambique 2017

100

80

60 52,7 50,5
47,3 49,5

40

20

0
Ensino primário Ensino secundário
Masculino Feminino

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH – Aproveitamento Escolar, 2017

O Gráfico 3.7 apresenta IPG entre alunos reprovados. Tanto no Ensino Primário como no
Secundário, o IPG é inferior a 1, o que indica mais reprovações de alunos do sexo masculino.

Gráfico 3.7 Índice de Paridade de Género de alunos reprovados, Moçambique 2017


1,20

0,98
1,00 0,90

0,80

0,60

0,40

0,20

0,00
Ensino primário Ensino secundário

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH – Aproveitamento Escolar, 2017

41 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


3.6. Aprovação

É a relação entre os alunos aprovados e os alunos que chegam no fim do ano lectivo,
passando pela avaliação e obtêm notas que lhes permitem a passagem de classe ou de um
nível para o seguinte, incluíndo os dispensados aos exames.

Segundo o Gráfico 3.8, em 2017 registou-se maior percentagem de alunos aprovados do sexo
masculino, com 51.6% no Ensino Primário e 50.4% no ensino Secundário.

Gráfico 3.8 Distribuição percentual de alunos aprovados por sexo, segundo o nível
de ensino, Moçambique 2017

100

80

60
51,6 50,4
48,4 49,6

40

20

0
Masculino Feminino

Ensino primário Ensino secundário

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH – Aproveitamento Escolar, 2017

42 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Gráfico 3.9, apresenta disparidade de genero a favor de alunos do sexo
masculino, tanto no Ensino Primário como no Secundário, os indices est ão abaixo de
1. De referir que no Ensino Secundário, o indice mostra a tendência de equilibrar o
genero.

Gráfico 3.9 Índice de Paridade de Género entre alunos aprovados por nível de
ensino, Moçambique 2017

0,99
1,00 0,94

0,90

0,80

0,70

0,60

0,50

0,40

0,30

0,20

0,10

0,00
Ensino primário Ensino secundário

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH - Aproveitamento Escolar, 2017

43 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


3.7. Alunos graduados

Compreende o número de alunos que concluem um determinado nível ou ciclo de


escolaridade.

O Gráfico 3.10 mostra maior percentagem de alunos graduados do sexo masculino,


sendo 52.4% para Ensino Primário e 51.0% para Ensino Secundário.

Gráfico 3.10 Distribuição percentual de alunos graduados por sexo, segundo nível
de ensino, Moçambique 2017

100

80

60
52,4 51,0
47,6 49,0

40

20

0
Ensino primário Ensino secundário

Masculino Feminino

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH – Aproveitamento Escolar, 2017

44 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Gráfico 3.11, mostra disparidade entre graduados a favor do sexo masculino, com 0.91 no
Ensino Primário e 0.96 no Ensino Secundário .

Gráfico 3.11 Índice de Paridade de Género de alunos graduados por nível de ensino,
Moçambique 2017

1,00 0,96
0,91
0,90

0,80

0,70

0,60

0,50

0,40

0,30

0,20

0,10

0,00
Ensino primário Ensino secundário

Fonte: Calculado com base em dados do MINEDH – Aproveitamento Escolar, 2017

45 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


3.8. Ensino Técnico

Em 2017 foram inscritos 76 580 alunos no Ensino Técnico, destes 56.3% do sexo masculino,
como mostra o Gráfico 3.12.

Gráfico 3.12 Distribuição percentual de alunos no ensino técnico por sexo segundo
nível de ensino, Moçambique 2017

100,0

90,0

80,0

70,0 57,0 56,2 56,3

60,0

50,0

40,0

30,0

20,0 43,0 43,8 43,7

10,0

0,0
Básico* Médio Total

Masculino Feminino

Fonte: Calculado com base em dados do MCTESTP - Ensino Técnico, 2017


* Inclui o nível Elementar

46 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Quadro 3.3 apresenta a distribuição de alunos do Ensino Técnico por províncias segundo
nível e o Índice de Paridade de Género. Em geral, observa-se disparidade a favor dos alunos
do sexo masculino, excepto a Província de Gaza onde a disparidade é a favor do sexo
feminino. O Nível Médio, registou disparidade a favor das raparigas nas províncias de
Zambézia, Inhambane e Gaza, e equilibro de género em Sofala.

Quadro 3.3 Número de alunos e Índice de Paridade de Género no ensino técnico por
nível, segundo província, Moçambique 2017
Básico* M édio T otal
P r ovíncia
N IP G N IP G N IP G
P aís 2 4 8 97 0 ,5 1 5 1 6 83 0 ,8 5 7 6 5 80 0 ,7 2
N iassa 1 986 0,46 948 0,53 2 934 0,48
C . Delgado 1 362 0,38 888 0,73 2 250 0,50
N ampula 2 111 0,89 4 262 0,42 6 373 0,55
Zambézia 1 443 0,33 6 247 1,18 7 690 0,94
Tete 1 894 0,26 1 836 0,78 3 730 0,47
M anica 1 311 0,41 6 078 0,69 7 389 0,63
S ofala 4 271 0,39 4 768 0,96 9 039 0,64
Inhambane 3 962 0,65 1 631 1,27 5 593 0,79
G aza 1 044 0,44 3 354 1,70 4 398 1,24
M aputo P rov íncia 1 829 0,48 4 711 0,94 6 540 0,78
M aputo C idade 3 684 0,75 16 960 0,78 20 644 0,78
Fonte: Calculado com base em dados do MCTESTP - Ensino Técnico, 2017
* Inclui o nível Elementar

3.9. Professores

Segundo o Gráfico 3.13, em 2017, foram registados cerca de 60% de professores do sexo
masculino. Por nivel, o Ensino Primáio do 1º grau, registou maior número de professores do
sexo feminino, correspondendo a 55.3%.

47 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 3.13 Distribuição percentual de professores por sexo segundo nível de
ensino que lecciona, Moçambique 2017

120

100

22,3
28,2
80 40,3
55,3
Feminino
60

Masculino
40 77,7
71,8
59,7
20 44,7

0
Primário Secundário Técnico Total

Fonte: Calculado com base em dados do Levantamento Escolar (ensino geral) 2017, e dados do MCTESTP (ensino técnico),
2017

O IPG indica haver no geral disparidade de género. No Ensino Primário, as provincias da região
sul, apresentam maior número de professoras (Quadro 3.4).

Quadro 3.4 Número total de professores e Índice de Paridade de Género no ensino


geral e técnico, segundo província, Moçambique 2017
Ensino P r imár io Ensino Secundár io Ensino T écnico
P r ovíncia
N IP G N IP G N IP G
P aís 1 1 3 733 0 ,8 1 2 2 3 90 0 ,2 9 4 766 0 ,2 7
N iassa 6 796 0,71 1 404 0,27 136 0,27
C . Delgado 7 027 0,57 1 077 0,18 161 0,21
N ampula 18 353 0,65 3 226 0,23 530 0,16
Zambézia 26 007 0,66 2 905 0,22 521 0,23
Tete 9 815 0,88 1 739 0,25 269 0,28
M anica 9 753 0,66 2 026 0,20 418 0,19
S ofala 8 755 0,89 1 729 0,28 284 0,22
Inhambane 8 627 1,20 2 748 0,35 477 0,33
G aza 7 508 1,29 1 919 0,34 346 0,25
M aputo P rov íncia 7 763 1,21 1 697 0,45 486 0,29
M aputo C idade 3 329 1,62 1 920 0,44 1 138 0,39
Fonte: Calculado com base em dados do Levantamento Escolar (ensino geral) 2017, e dados do MCTESTP (ensino técnico),
2017

48 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


3.10. Ensino Superior

Em 2017 foram matriculados 200 649 estudantes no Ensino Superior e graduados 19197. O
Gráfico 3.14 mostra disparidade de género dos estudantes no Ensino Superior em 2017, onde,
para 100 matriculados do sexo masculino estavam 82 do feminino, e 100 de graduados do
sexo masculino, 88 do feminino.

Gráfico 3.14 Índice de Paridade de Género de estudantes matriculados e graduados


no ensino Público e Privado, Moçambique 2017

1,00
0,88
0,90
0,82
0,80

0,70

0,60

0,50

0,40

0,30

0,20

0,10

0,00
Matriculados Graduados

Fonte: Calculado com base em dados do MCTESTP - Estatísticas do ensino superior, 2017

As áreas de “Ciências sociais, Gestão, Direito” e de “Educação” foram as mais procuradas em


2017. Em geral, o IPG mostra haver disparidade por sexo em todas áreas, tanto para
matriculados como graduados, e áreas de “Ciências sociais, Gestão, Direito” e de “Saúde e
Bem-estar”, registarm maior número de estudantes do sexo feminino (Quadro 3.5).

49 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Quadro 3.5 Número Total e Índice de Paridade de Género de matriculados e
Graduados no ensino público e privado por área científica, Moçambique 2017
M atr iculados Gr aduados
Á r ea C ientífica
N IP G N IP G
T otal 2 0 0 649 0 ,8 2 1 9 1 97 0 ,8 8
E ducação 52 461 0,74 5 233 0,71
Letras e H umanidades 6 047 0,74 869 0,81
C iências sociais, gestão, direito 86 860 1,10 8 655 1,21
C iências naturais 9 392 0,38 650 0,44
E ngenharias, Indústrias e C onstrução 20 985 0,30 1 084 0,32
A gricultura 8 523 0,78 1 062 0,89
S aúde e bem-estar 12 711 1,44 1 042 1,17
S erv iços 3 670 0,57 602 0,39
Fonte: Calculado com base em dados do MCTESTP - Estatísticas do ensino superior, 2017

Em 2017 foram registados 4992 docentes a tempo inteiro nas Instituições do Ensino Superior,
dos quais 65.4% eram do sexo masculino. O IPG foi de 0.53, mostrando a disparidade a favor
de docentes do sexo masculino, como mostra o Gráfico 3.15.

Gráfico 3.15 Índice de Paridade de Género de docentes segundo tipo de ensino,


Moçambique 2017

0,55
0,55
0,55

0,54

0,54

0,53 0,53 0,53

0,53

0,52
Públicas Privadas Total

Instituições de Ensino Superior

Fonte: Calculado com base em dados do MCTESTP- Estatísticas do ensino superior, 2017

50 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


4. Saúde

4.1. Profissionais de Saúde

Em 2017 existiam no quadro de pessoal do Sistema Nacional de Saúde do país 15961 médicos
e emfermeiros. Segundo o Gráfico 4.1, maior número do pessoal era do sexo feminino,
havendo maior diferença por sexo nas províncias da região sul. As províncias de Niassa e Cabo
Delgado tem mais pessoal do sexo masculino.

Gráfico 4.1 Distribuição percentual do pessoal de saúde por sexo segundo


províncias, Moçambique 2017

46,6
Órgãos Centrais 53,4
Hospital Central 34,7
de Maputo 65,3
30,6
Maputo Cidade 69,4
31,8
Maputo Província 68,2
34,9
Gaza 65,1
38,3
Inhambane 61,7
48,2
Sofala 51,8 Masculino
46,7
Manica 53,3
47,5 Feminino
Tete 52,5
48,9
Zambezia 51,1
49,1
Nampula 50,9
53,2
Cabo Delgado 46,8
52,0
Niassa 48,0

- 20,0 40,0 60,0 80,0

F onte: M ISAU, Calculado com base em dados provinientes da Direcção de Planificação e Cooperação 2017

51 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Grafico 4.2 apresenta disparidade de género do pessoal de saúde em todos níveis de
formação onde a disparidade é a favor do sexo feminino, com destaque para o pessoal com
formação elementar e básica com índice de paridade de género de 1.69 e 1.33,
respectivamente no ano em análise.

Gráfico 4.2 Índice de Paridade de Género do pessoal de saúde por nível de


formação escolar, Moçambique 2017

1,80
1,69

1,60

1,40 1,33
1,25

1,20
Racio Feminino/masculino

1,10 1,12

1,00

0,80

0,60

0,40

0,20

0,00
Superior Medio Basico Elementar Total

Nivel de formacao

Fonte: MISAU, Calculado com base em dados provinientes da Direcção de Planificação e Cooperação 2017

52 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


De acordo com o Gráfico 4.3, em 2017 maior parte do pessoal de saúde com nível de
formação superior e médio nas províncias da região Sul era do sexo feminino, pois o IPG
encontra-se acima de 1 com a excepção de Gaza que apresenta equilíbrio de género para o
Ensino Superior.

As províncias da região Centro e Norte com a excepção de Sofala que apresenta equilíbrio, tem
maior número do pessoal do sexo masculino.

Gráfico 4.3 Índice de Paridade de Género do pessoa l de saúde por nível de


formação escolar Superior e Médio, segundo províncias, Moçambique 2017

Órgãos Centrais 1,39


1,44

Hospital Central… 2,08


1,59

Maputo Cidade 2,34


2,18

Maputo Província 1,90


2,14

Gaza 1,55
0,98

Inhambane 1,63
1,07

Sofala 1,03
1,02
0,95 Medio
Manica 0,95

Tete 0,90
0,78 Superior
Zambezia 0,91
0,76

Nampula 0,99
0,97

Cabo Delgado 0,67


0,72

Niassa 0,67
0,37

- 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50

Racio Feminino/masculino
F onte: M ISAU, Calculado com base em dados provinientes da Direcção de Planificação e Cooperação 2017

53 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Segundo o Gráfico 4.4, em 2017 verificou-se disparidade por sexo entre profissionais de saúde
com formação básica e elementar. Em quase todas províncias as mulheres constituem a
maioria, com excepção do pessoal do nível básico nas províncias de Niassa, Cabo Delgado e
Zambézia que apresentou equilíbrio de género. No Órgão Central, os profissionais do sexo
masculino com nivel elementar constituem a maioria.

Gráfico 4.4 Índice de Paridade de Género do pessoal de saúde por nível de


formação escolar Básica e Elementar, segundo províncias, Moçambique 2017

0,48
Órgãos Centrais 1,14
1,91
Hospital Central… 1,87
2,01
Maputo Cidade 2,70
2,39
Maputo Província 2,28
2,41
Gaza 2,41
1,86
Inhambane 1,38
1,10
Sofala 1,15 Elementar
1,38
Manica 1,44
Basico
1,44
Tete 1,47
1,37
Zambezia 0,98
1,08
Nampula 1,10
1,15
Cabo Delgado 0,98
1,38
Niassa 0,98

- 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50 3,00

Racio Feminino/masculino

Fonte: MISAU, Calculado com base em dados da Direcção de Planificação 2017

54 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Segundo o Quadro 4.1, existiam 2180 médicos e 13781 enfermeiros em 2017, no entanto,
segundo dados preliminares da população, foram registados cerca de 28.9 milhões de
habitantes, desta forma, se pode entender que o número de médicos continua a ser reduzido
para cobrir a procura pelos serviços de saúde. No geral, há mais médicos do sexo masculino, e
mais enfermeiros do sexo feminino em todas as províncias, incluindo nos Órgãos Centrais, com
o IPG 0.92 e 2,30, respectivamente. As províncias de Niassa e Zambézia tem mais médicos do
sexo masculino com 85.8% e 81.3% respectivamente, e Maputo Província e Maputo Cidade
incluindo os Órgãos Centrais tem mais médicos do sexo feminino. É de destacar a Província de
Inhambane que apresenta 50% de médicos tanto para sexo feminino como masculino.

Quadro 4.1 Número total de Médicos e Enfermeiros e distribuição percentual por


sexo, segundo províncias, Moçambique 2017
M edicos Enfer meir os
P r ovíncias
% M asc % Fem T otal % M asc % Fem T otal
P aís 5 2 ,1 4 7 ,9 2 180 2 9 ,9 7 0 ,1 1 3 781
N iassa 86,3 13,7 102 37,6 62,4 968
C abo Delgado 68,9 31,1 103 37,9 62,1 916
N ampula 60,1 39,9 253 33,1 66,9 1 940
Zambezia 71,1 28,9 190 36,7 63,3 1 958
Tete 68,1 31,9 116 31 69 976
M anica 58,9 41,1 95 31,7 68,3 1 059
S ofala 58,9 41,1 219 33,2 66,8 1 591
Inhambane 50 50 116 20,8 79,2 1 190
G aza 52 48 102 21,5 78,5 853
M aputo P rov íncia 27,9 72,1 147 18,7 81,3 787
M aputo C idade 29,6 70,4 270 14,2 85,8 751
H ospital C entral de M aputo/Ó rgãos C entrais 41,3 58,7 467 25,6 74,4 792
Fonte: MISAU, Calculado com base em dados da Direcção de Planificação 2017

No Sistema Nacional de Sáude, estão registados 205 médicos dentistas em 2017, destes cerca
de 65% do sexo feminino. O efectivo total na área de odontoestomatologistas, é composto por
545 técnicos com formação, elementar, basica, média e superior.

Segundo Grafico 4.5, cerca de 50% do pessoal de odontoestomatologistas tem nível médio, e
41% com nivel superior. O IPG mostra disparidade a favor do sexo masculino em todos niveis,
com a excepção do pessoal com nivel superior, onde para 2 odontoestomatologistas do sexo
feminino tem 1 do sexo masculino.

55 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 4.5 Índice de Paridade de Género e distribuição percentual do pessoal
Odontoestomatologistas por nível de formação, Moçambique 2017

% IPG

60,0 2,00
1,90
50,1 1,80
50,0
1,60
41,5
1,40
40,0
1,20

30,0 1,00

0,80
20,0
0,60
0,50
8,1 0,40
10,0 0,30
0,20
0,4
0,0 0,01 0,00
Elementar Basico Medio Superior

Fonte: MISAU, Calculado com base em dados da Direcção de Planificação 2017

4.2. Pandemia do HIV e o Género

Segundo os resultados do IMASIDA, há maior conhecimento de métodos de prevenção do HIV


em pessoas do sexo feminino, com idades compreendidas entre 15-49 anos, pois o IPG foi
1.46, e o Gráfico 4.6 confirma o facto mostrando a disparidade a favor do sexo feminino em
todas as províncias.

56 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 4.6 Índice de Paridade de Género do conheciment o de métodos de
prevenção do HIV entre pessoas 15-49 anos, segundo províncias, Moçambique
2015

Maputo Cidade 1,31

Maputo Província 1,13

Gaza 1,96

Inhambane 1,91

Sofala 1,45

Manica 1,57

Tete 1,59

Zambezia 1,59

Nampula 1,36

Cabo Delgado 1,27

Niassa 1,37

- 0,50 1,00 1,50 2,00 2,50

Racio sexo feminino/masculino


F onte: M IS A U, Calculado com base em dados do IM A SIDA, 2015

De acordo com o Gráfico 4.7, em quase todas as províncias com excepção de Niassa , as
mulheres tem mais acesso ao tratamento anti-retroviral. Este fenómeno pode estar associado
ao elevado número de mulheres vivendo com HIV em relação aos homens.

57 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 4.7 Distribuição percentual de adultos por sexo com acesso ao tratamento
anti-retroviral, segundo províncias, Moçambique 2015

Maputo Cidade 33,3


66,7
Maputo Província 30,6
69,4
Gaza 23,6
76,4
Inhambane 20,8
79,2
Sofala 28,8
71,2
Manica 31,8
68,2
33,0 Masculino
Tete 67,0
Zambezia 28,8 Feminino
71,2
Nampula 30,6
69,4
Cabo Delgado 29,6
70,4
Niassa 72,8
27,2

0,0 20,0 40,0 60,0 80,0 100,0


Percentagem
Fonte:MISAU, Ronda2009- - Resultados das estima ivas do HIV/SIDA

O Gráfico 4.8 consolida a informação apresentada no Gráfico 4.7, que mostra disparidade por
sexo no acesso ao tratamento anti-retroviral, e somente a Provincia de Niassa registou maior
acesso para o sexo masculino.

Gráfico 4.8 Índice de Paridade de Género de adultos com acesso ao tratamento


anti-retroviral, segundo províncias, Moçambique 2015

Maputo Cidade 2,01

Maputo Província 2,27

Gaza 2,27

Inhambane 3,81

Sofala 2,48

Manica 2,14

Tete 2,03

Zambezia 2,47

Nampula 2,26

Cabo Delgado 2,37

Niassa 0,37

0 1 2 3 4 5
Racio sexo feminino/masculino
Fonte:MISAU, Ronda 2009 - Resultados das estimativas do HIV/SIDA

58 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O mapa 4.1, mostra que a prevalência da infecção por HIV é elevada em mulheres com idade
entre 15-59 anos, sendo a Província de Maputo com maior taxa (29.6%), seguida da Província
de Gaza e Maputo Cidade com 28.2% e 21.7%, respectivamente, enquanto a Província de
Nampula com 5.1% registou a taxa mais baixa. De referir que as províncias de Gaza e Maputo
Província com 17.6% e 15.8%, respectivamente, apresentaram percentagens relativamente
elevadas de prevalência em relação às restantes provincias.

Mapa 4.1 Taxa de prevalência de HIV entre pessoas de 15-59 anos, segundo
província, Moçambique 2015

Taxa de Prevalência de HIV 15-59 anos


Total Baixa Média Alta
Sexo Feminino Masculino
Fonte : MISAU, IMASIDA 2015 -Elaborado a partir da Base de dados do ESDEM

59 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Gráfico 4.9 mostra que a prevalência do HIV tem uma relação directa com a idade das
pessoas e também varia com o sexo. A faixa etária de 35-39 anos registou elevada prevalência
com 17.5% para o sexo masculino e 23.4% feminino, enquanto a faixa etária de 15 -19 anos
com 1.5% e 6.5%, respectivamente, espelhando novas infecções.

Gráfico 4.9 Taxa de prevalência de HIV por grupos de idade, Moçambique 2 015

23.4
25

20 17.5

15

10

0
15-19 20-24 25-29 30-34 35-39 40-44 45-49 50-59

Feminino Masculino

Fonte: MISAU, IMASIDA 2015

60 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


5. Justiça

Este capítulo apresenta o Índice de Paridade de Género para os indiciados de crimes, detidos e
condenados no sistema prisional em 2017. Há no geral, mais homens envolvidos em crimes
segundo os dados reportados.

De salientar que o Estabelecimento Penitenciário de Máxima Segurança da Machava e o


Estabelecimento Penitenciário Regional Sul de Mabalane albergam apenas reclusos do sexo
masculino, e o Estabelecimento Penitenciário Especial para Mulheres.

De acordo com o Gráfico 5.1, de 2016 a 2017, a percentagem de mulheres indiciadas, detidas
e de condenadas registou um ligeiro aumento, tendo variado nestas categorias em 0.9, 1.2 e
1.9 pontos percentuais, respectivamente.

Gráfico 5.1 Distribuição percentual de indiciados de crime, detidos e condenados,


por sexo, Moçambique, 2016- 2017

120,0

97,0 98,2 95,8 96,3


100,0 95,0 94,1

80,0

60,0

40,0

20,0
5,0 5,9 4,2 3,7
3,0 1,8
0,0
Indiciados Detitos Condenados Indiciados Detitos Condenados
2016 2017

Mulheres Homens

Fonte: INE, calculado com base em estatísticas correntes de Crime e Justiça, 2016- 2017

61 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Em todas províncias, a maioria de indiciados são do sexo masculino, com destaque para Niassa
com 100%. A Província de Sofala com 23% é a que apresentou maior percentagem de
mulheres indiciadas relativamente as restantes, seguindo Maputo Provincia com 5.6%, Gráfico
5.2

Gráfico 5.2 Distribuição percentual de indiciados de crimes por provinc iais, segundo
sexo, Moçambique 2017

120,0

100,0 98,8
96,6 97,7 96,6 96,9 99,0 96,4 94,4
100,0 95,5

80,0 77,0

60,0

40,0
23,0
20,0
3,4 3,1 4,5 3,6 5,6
3,4 2,3 1,0 1,2
0,0
0,0
Niassa Cabo Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo Maputo
Delgado pula bézia bane Prov. Cidade

Homens Mulheres

Fonte: INE, calculado com base em estatísticas correntes de Crime e Justiça, 2016 - 2017

Segundo o Gráfico 5.3, com excepçao da Província de Gaza com 89.5%, as restantes
províncias apresentam mais de 90% de detidos do sexo masculino. As provincias de Tete e
Maputo Província são as que registaram as menores percentagens de mulheres detidas com
1.5% e 2.0%, respesctivamente.

62 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 5.3 Distribuição percentual de detidos nos estabelecimentos prisionais por
sexo, segundo província, Moçambique 2017

120,0

97,2 96,9 96,6 98,5 98,0


100,0 93,3 95,0 95,1 95,3
89,5

80,0

60,0

40,0

20,0
10,5
6,7 5,0 4,9 4,7
2,8 3,1 3,4 1,5 2,0
0,0
Niassa Cabo Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo
Delgado pula bezia bane Prov.

Homens Mulheres

Fonte: INE, calculado com base em estatísticas correntes de Crime e Justiça, 2016- 2017

Segundo o Gráfico 5.4, em 2017 mais de 80% de condenadaos foram homens, destacando-se
as provincias de Tete e Manica com as maiores percentagens. A Provincia de Gaza foi a que
registou a maior percentagem de mulheres condenadas com 18.7%, seguindo Nampula e
Sofala com 6.9% e 6.7%, respectivamente.

63 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 5.4 Distribuição percentual de condenados nos estabelecimentos prisionais,
por sexo, segundo província, Moçambique 2017

120,0

100,0 98,7 98,0 98,2


97,1 96,9 94,9
100,0 93,1 93,3

81,3
80,0

60,0

40,0

18,7
20,0
6,9 5,1 6,7
2,9 3,1 1,3 2,0 1,8
0,0
0,0
Niassa Cabo Nam Zam Tete Manica Sofala Inham Gaza Maputo
Delgado pula bezia bane Provincia

Homens Mulheres

Fonte: INE, calculado com base em estatísticas correntes de Crime e Justiça, 2016- 2017

5.1. Violência doméstica

Os casos de violência doméstica são agrupados em 3 tipologias: criminal, cível e de outra


natureza.

Em 2017 foram reportados 25589 casos de violência, dos quais 63.3% adultos (maiores de 17
anos de idade) e 36.7% crianças (menores de 17 anos). Maior número de vítimas de violência
são do sexo feminino e a disparidade tende aumentar segundo o Gráfico 5.5. Em média, em
adutos, para 4 vítimas do sexo feminino encontrava-se 1 do masculino, e em crianças, 2 para
1, respectivamente.

64 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 5.5 Índice de Paridade de Género de pessoas que reportaram casos de
violência, Moçambique, 2016 e 2017

4,50 4,20
4,00 3,70
3,50
3,00
2016
2,50
1,90
2,00 1,76 2017

1,50
1,00
0,50
0,00
Adultos Crianças
Fonte: Calculado com base em dados da PRM - Gabinete do Atendimento a Mulher e Criança, 2017

Verifica-se maior disparidade de vítimas de sexo feminino em casos criminais, onde para 4
mulheres vítimas apenas um homem reportou, tanto em adultos assim como em crianças. Nos
casos cíveis há disparidade em vitimas crianças relativamente a adultos, com índices de 5.7 e
4.2 respectivamente. Em relação aos crimes de outra natureza, os índices foram de 1.5 em
crianças e 1.3 em adultos, como mostra o Gráfico 5.6.

Gráfico 5.6 Índice de Paridade de Género de casos de violência reportados por


tipologia em adultos e crianças, Moçambique 2017

7,00
5,73
6,00
Rácio sexo feminino/masculino

5,00 4,20 4,20 4,20


4,00
3,00
2,00 1,30 1,50

1,00
0,00
Criminais Cíveis Outra Criminais Cíveis Outra
natureza natureza
Adultos Crianças
Fonte: Calculado com base em dados da PRM - Gabinete do Atendimento a Mulher e Criança, 2017

65 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


O Quadro 5.1 mostra a distribuição percentual de casos de violência em adultos e em crianças
por sexo, segundo província. No geral, há mais casos de violência registados em adultos em
relação a crianças, e na sua maioria as vítimas são do sexo feminino, sendo 80.5.% em adultos
e 65.3% em crianças, respectivamente.

Maputo Província registou mais casos de violência, 2514 contra adultos e 1227 contra crianças.
Entretanto, a Província de Gaza foi a que registou maior percentagem de vítimas do sexo
feminino em adultos com 86.7%, e Inhambane em crianças com 74.6%.

Quadro 5.1 Distribuição Percentual de casos de violência por sexo e número total
de adultos e crianças que reportaram casos de violência, segundo província,
Moçambique 2017
A dultos C r ianças
P r ovíncia
M asc. Fem. T otal N M asc. Fem. T otal N
P aís 1 9 ,5 8 0 ,5 1 0 0 ,0 1 6 1 39 3 4 ,7 6 5 ,3 1 0 0 ,0 9 392
N iassa 18,5 81,5 100,0 767 50,9 49,1 100,0 863
C abo Delgado 14,7 85,3 100,0 655 38,4 61,6 100,0 461
N ampula 27,3 72,7 100,0 1 701 37,7 62,3 100,0 1 164
Zambézia 26,0 74,0 100,0 1 117 30,8 69,2 100,0 691
Tete 14,6 85,4 100,0 1 600 29,6 70,4 100,0 585
M anica 14,6 85,4 100,0 1 577 25,8 74,2 100,0 577
S ofala 20,2 79,8 100,0 1 620 38,6 61,4 100,0 1 079
Inhambane 22,6 77,4 100,0 1 641 25,4 74,6 100,0 832
G aza 13,3 86,7 100,0 1 228 44,8 55,2 100,0 945
M aputo P rov íncia 19,5 80,5 100,0 2 514 28,9 71,1 100,0 1 227
M aputo C idade 19,4 80,6 100,0 1 719 27,3 72,7 100,0 968
Fonte: Calculado com base em dados da PRM - Gabinete do Atendimento a Mulher e Criança, 2017

66 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


6. Lugares de decisão

Este capítulo retrata informação sobre funcionários e agentes de estado com cargos
governativos, de direcção, de chefia e confiança, discriminados por sexo. Segundo o Quadro
6.1, houve um aumento do número de funcionários em 11% de 10641 em 2015 para 11838
em 2017, sendo a sua maioria do sexo masculino, representando mais de 65%.

O IPG mostra no geral a disparidade entre os funcionários e agentes do Estado em cargos


governativos, de direcção, chefia e confiança, sendo 100 funcionários do sexo masculino para
53 do sexo feminino em 2015 e 50 em 2017.

Mais de 60% de funcionários em cargos governativos são do sexo masculino. O IPG mostra
disparidade por sexo mais acentuada na categoria de dirigentes e quadros de direcção e chefia
a nivel distrital sendo de 0.42 em 2015 e 0.33 em 2017. Entre os funcionários e agentes de
Estado que exercem cargos de confiança, a disparidade é a favor das mulheres com o IPG de
1.44 e 1.46, respectivamente.

Quadro 6.1 Distribuição percentual por sexo e número dos funcionários e agentes
do estado, segundo cargos governativos, de direcção, chefia e confiança,
Moçambique 2015 e 2017.
2015 2017
C ar go em exercicio
N %H %M IP G N %H %M IP G
T otal 10 641 6 5,4 3 4,6 0 ,53 11 838 6 6,5 3 3,5 0 ,50
F uncionário e A gentes de E stado
214 67,3 32,7 0,49 220 69,5 30,5 0,44
com cargos gov ernativ os
F uncionário e A gentes de E stado
com funções de direcção, chefia e 3 195 61,5 38,5 0,63 3 575 60,8 39,2 0,64
confiança a nív el central
F uncionário e A gentes de E stado
300 41,0 59,0 1,44 280 40,7 59,3 1,46
que exercem cargos de confiança
Dirigentes e quadros de direcção e
4 046 66,5 33,5 0,50 4 298 65,8 34,2 0,52
chefia a nív el prov incial
Dirigentes e quadros de direcção e
2 886 70,5 29,5 0,42 3 465 75,0 25,0 0,33
chefia a nív el de distrital
Fonte: Calculado com base em dados do Anuário Estatístico dos Funcionários e Agentes do Estado, 2017

O Gráfico 6.1 apresenta índice de paridade de género entre funcionários e agentes do estado
nos órgãos centrais, por província. Há disparidade em todas prov íncias a favor de funcionários
do sexo masculino, com excepção de Maputo Cidade que em 2015 registou 104 do sexo
feminino para 100 de masculino, embora com tendência em equilibrar o género. As províncias
da região Norte e a Província de Manica, são as que tem a maior disparidade a favor de
homens, com índices abaixo de 0.60.

67 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Gráfico 6.1 Índice de Paridade de Género dos funcionários e agentes do estado, por
província, Moçambique 2015 e 2017

1,20

1,04
1,00
0,91 0,91
0,91
0,89 0,85
0,85
0,81
0,80
0,61
0,62 0,65
0,61 0,64
0,62 0,58
0,60 0,57 0,56
0,56 0,53 0,52
0,53 0,48
0,50
0,45
0,40

0,20

0,00
Orgao Maputo Maputo Gaza Inham Sofala Manica Tete Zam Nam Cabo Niassa
Central Cidade Prov. bane bézia pula Delgado

2015 2017

Fonte: Calculado com base em dados do Anuário Estatístico dos Funcionários e Agent es do Estado, 2015 e 2017.

Segundo o Quadro 6.2, em cargos de tomada de decisão os homens são a maioria. Contudo, a
percentagem de mulheres em cargos de tomada de decisão aumentou na maioria dos órgãos,
com destaque para governadoras provinciais e Vice-Ministras, com 18.2 e 17,2 pontos
percentuais, respectivamente. O índice de paridade de género mostra haver mais disparidade a
favor de homens no cargo de directores provinciais, onde para cada 10, duas são mulheres .

68 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7


Quadro 6.2 Distribuição percentual por sexo e número dos funcionários e agentes
do estado, segundo cargos de tomada de decisão, por órgão, Moçambique 2015 e
2017
2009 2017
P osicao % % % %
N IP G N IP G
M ulher es H omens M ulher es H omens
Gover no
M inistros (as) 26 26,9 73,1 0,37 22 31,8 68,2 0,47
V ice M inistros (as) 22 27,3 72,7 0,38 18 44,4 55,6 0,80
G ov ernadores (as) 11 18,2 81,8 0,22 11 36,4 63,6 0,57
S ecretarios (as)
23 26,1 73,9 0,35 21 33,3 66,7 0,50
P ermanentes M inisteriais
S ecretarios (as)
11 45,5 54,5 0,83 11 36,4 63,6 0,57
P ermanentes P rov inciais
Directores (as) P rov inciais 202 20,8 79,2 0,26 80 17,5 82,5 0,21
P ar lamentares
Deputados (as) 250 37,2 62,8 0,59 250 38,8 61,2 0,63

69 Instituto Nacional de Estatística – Mulheres e Homens em Moçambique, 201 7

Você também pode gostar