Você está na página 1de 63

Livro Eletrônico

Aula 03

Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo)


Com videoaulas - 2019
Gabriel Rabelo, Luciano Rosa

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03

3. MÉTODOS DE CUSTEIO: POR ABSORÇÃO, DIRETO OU VARIÁVEL E ABC


(CUSTEIO BASEADO POR ATIVIDADES). 3.1. DEFINIÇÃO, PRINCIPAIS
CARACTERÍSTICAS, DIFERENCIAÇÃO, VANTAGENS E DESVANTAGENS DE
CADA MÉTODO.

Sumário

1 SEJA BEM-VINDO.......................................................................................................................................................... 1
2 SISTEMAS DE CUSTEIO: POR ABSORÇÃO, DIRETO OU VARIÁVEL E ABC (CUSTEIO BASEADO EM ATIVIDADES). ......... 2
2.1 DEFINIÇÃO ............................................................................................................................................................... 2
2.2 CARACTERÍSTICAS E DIFERENCIAÇÃO ................................................................................................................... 3
2.3 VANTAGENS E DESVANTAGENS DE CADA MÉTODO ............................................................................................. 5
2.4 CUSTEIO POR ABSORÇÃO X CUSTEIO VARIÁVEL .................................................................................................. 6
3 CUSTEIO POR ATIVIDADES ACTIVITY BASED COSTING (ABC) .................................................................................. 12
3.1 MÉTODO DE ALOCAÇÃO DE CUSTOS EM DOIS ESTÁGIOS. 26020 .................................................................................... 12
3.2 CUSTO DAS ATIVIDADES ........................................................................................................................................ 13
3.3 ALOCAÇÃO DOS CUSTOS ÀS ATIVIDADES E AOS PRODUTOS ................................................................................ 13
3.4 DIRECIONADORES DE CUSTOS ............................................................................................................................... 14
3.5 ÍNDICE DE CORRELAÇÃO ENTRE CUSTO E ATIVIDADE ........................................................................................... 16
4 INFORMAÇÕES EXTRAÍDAS DAS NOTAS EXPLICATIVAS. ............................................................................................ 16
5 RESUMO GERAL ......................................................................................................................................................... 20
6 QUESTÕES COMENTADAS .......................................................................................................................................... 22
7 QUESTÕES COMENTADAS NESTA AULA ..................................................................................................................... 52
8 GABARITO DAS QUESTÕES DESTA AULA .................................................................................................................... 62

1 SEJA BEM-VINDO

Olá, meus amigos. Como estão?!

É com um imenso prazer que estamos aqui, no Estratégia Concursos, para mais uma aula de
Contabilidade de Custos para o TCU.

Nesta aula, veremos os seguintes tópicos do Edital:


Aula 03: 3. Métodos de custeio: por absorção, direto ou variável e ABC (Custeio Baseado
por Atividades). 3.1. Definição, principais características, diferenciação, vantagens e
desvantagens de cada método.

Já definimos e explicamos rapidamente, na aula anterior, os métodos de Custeio por


Absorção e Custeio Variável. Nessa aula, além dos pontos do edital, vamos explicar com
mais detalhes o Custeio ABC.

Incluímos, também, o item 5 Informações Extraídas das Notas Informativas.

O fórum de dúvidas do site do Estratégia Concursos está em pleno funcionamento. Por


favor, postem lá as suas dúvidas.

1
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Estamos à disposição para sanar as dúvidas que surjam no decorrer do curso.


Sigam as nossas redes sociais para muitas e muitas dicas de contabilidade para concursos:

Periscope: @gabrielrabelo87 e @proflucianorosa


Grupo de Estudos no Facebook: C C Clique aqui!

Forte abraço!

GABRIEL RABELO/LUCIANO ROSA.

2 SISTEMAS DE CUSTEIO: POR ABSORÇÃO, DIRETO OU VARIÁVEL E ABC (CUSTEIO


BASEADO EM ATIVIDADES).

Já tratamos rapidamente deste assunto na aula 2. Vamos recordar o que lá dissemos (para
evitar que você tenha que procurar o assunto na aula anterior).

Custeio significa apropriação de custos. É o método utilizado para apropriar os custos de


produção aos produtos. Veremos a seguir os métodos do custeio por absorção, do custeio
variável (também denominado custeio direto) e do ABC (Custeio por Atividades -
ActivityBasedCosting)

2.1 DEFINIÇÃO

Custeio por absorção: É o método resultante da aplicação dos Princípios de Contabilidade.


Consiste na apropriação de todos os custos incorridos, sejam fixos, variáveis, diretos ou
indiretos, aos produtos fabricados.

Custeio Variável ou Custeio Direto: Nesse método de custeio, apenas os custos variáveis
são atribuídos aos produtos. Os custos fixos são tratados como despesas do período, sendo
lançados diretamente na Demonstração do Resultado do Exercício. O Custeio Variável ou
Direto pode ser usado para fins gerenciais, mas não na contabilidade oficial, pois fere o
princípio da Competência, especialmente na parte referente ao confronto das receitas e
despesas.

Custeio por absorção Custeio variável


Atende aos princípios de contabilidade Não atende aos princípios de contabilidade
Custos variáveis vão para o produto, custos
Apropria todos os custos ao produto
fixos vão para despesa

Custeio Baseado em Atividades (ActivityBasedCosting ABC): É um método de custeio que


procura reduzir a arbitrariedade do rateio dos custos indiretos, pois os custos são
inicialmente atribuídos às atividades e depois aos produtos.

2
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

O ABC também pode ser aplicado aos custos diretos, mas nesse caso não haverá grandes

variável.

A diferença fundamental entre o ABC e os sistemas tradicionais está no tratamento dos


custos indiretos de fabricação.

O custeio ABC compreende a identificação das atividades relevantes, no processo de


fabricação, e a atribuição de custos a estas atividades. Baseia-se na ideia de que as
atividades consomem recursos e geram os custos.

O ABC também possibilita a redução do custo, por meio da eliminação ou redução das
atividades que não agreguem valor ao produto. Do ponto de vista das empresas, este talvez
seja o principal objetivo da implantação do ABC.

2.2 CARACTERÍSTICAS E DIFERENCIAÇÃO

Custeio por Absorção: Todos os custos de produção são apropriados aos produtos; todos os
gastos relativos ao esforço de produção são distribuídos para todos os produtos ou serviços
feitos.

Para a contabilidade oficial, deve ser utilizado o Custeio por Absorção. Assim, os custos fixos
são rateados aos produtos, geralmente com algum grau de arbitrariedade nos critérios de
alocação de tais custos, o que pode distorcer o custo dos produtos.

Para evitar tal distorção, causada pelo Rateio dos Custos Fixos, foi desenvolvido o Custeio
Variável ou Direto.

Custeio Variável ou Custeio Direto: Ao invés de ratear os custos fixos, incorrendo em


eventuais distorções no custo dos produtos, no Custeio Variável os custos fixos são tratados
como despesas do período, sendo lançados diretamente na Demonstração do Resultado do
Exercício. Apenas os custos variáveis são atribuídos aos produtos.

Vamos explicar melhor esse ponto.

Determinada empresa fabrica seus produtos e incorre em custos


variáveis e custos fixos. Digamos que parte da produção vá para estoque, para ser vendida
posteriormente. Para obedecer ao confronto das receitas e despesas correlatas, os custos
referentes às unidades estocadas deveriam ficar também no estoque, até que ocorra a
venda. Mas, pelo custeio variável, apenas o custo variável fica apropriado ao produto. O

3
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

custo fixo do período é descarregado no resultado, mesmo que os produtos a que se refere
não tenham sido vendidos.

Esse método é também chamado de Custeio Direto. Mas isso não significa que apenas os
custos diretos sejam apropriados aos produtos.

Chamado de custeio variável ou custeio direto, o método é o mesmo: o custo variável é


apropriado aos produtos e o custo fixo vai para o resultado do exercício.

O custeio variável não atende ao princípio da competência; assim, só pode ser utilizado
para a contabilidade gerencial, e não para a contabilidade financeira.

Vamos relembrar também os conceitos de custo fixo e custo variável:

Custos Variáveis são aqueles que variam de acordo com o volume de produção. Exemplo:
Matéria prima. Quanto maior a quantidade produzida, maior o consumo de matéria-prima.

Custos Fixos são aqueles que não sofrem variação em função da quantidade produzida.
Exemplo: Aluguel da fábrica. O seu valor independe da quantidade produzida. (Eliseu
M C C

Observações: A divisão dos custos em fixos e variáveis ocorre em função da variação do


custo devido à variação do volume de produção.

Um determinado custo pode variar todo mês. Mas se essa variação não ocorrer em função
da variação do volume de produção, será considerado custo fixo. Por exemplo, a conta de
telefone da fábrica. Dificilmente será igual de um mês para o outro, mas a sua variação não
ocorre devido à variação da produção. Assim, é considerado um custo fixo (ainda que seu
valor seja diferente em todos os meses).

Assim, o que difere o Custeio Por Absorção do Custeio Variável


é o tratamento dos Custos Fixos.

Custeio Baseado em Atividades (ActivityBasedCosting ABC): Os Custeios tradicionais


(Custeio por Absorção e Custeio Variável) foram desenvolvidos no início do século passado,
quando as grandes empresas começaram a usar métodos de controle e administração mais
elaborados.

Nessa época, o custo dos produtos era composto essencialmente pelo material direto
(matéria prima, embalagem, etc) e pela mão de obra. As empresas competiam no mercado
buscando a redução do custo de produtos homogêneos e fabricados em grande escala.

4
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Os custos indiretos de fabricação eram relativamente pequenos, e sua atribuição aos


produtos, por meio de rateios, não afetava o custo dos produtos de forma relevante.

Conforme as empresas passaram a produzir uma enorme variedade de produtos, com


vários modelos, tipos e especificações, para atender aos clientes, e com o uso de máquinas
mais sofisticadas, com computadores acoplados, os custos indiretos aumentaram.

O Custeio por Atividades foi desenvolvido dentro desta nova realidade, como uma resposta
aos seguintes problemas:

a) Os sistemas tradicionais de custeio geram distorções no custo dos produtos ao


utilizarem critérios de rateio geralmente arbitrários para os custos indiretos.

b) Os custos indiretos de fabricação (CIF) vêm crescendo.

c) Os sistemas tradicionais de custeio não identificam as atividades que não agregam


valor ao produto.

Veremos mais sobre o Custeio por Atividades adiante.

2.3 VANTAGENS E DESVANTAGENS DE CADA MÉTODO

Custeio por Absorção: a principal vantagem do Custeio por Absorção reside no fato de que
este método atende aos Princípios Contábeis, e deve ser usado na contabilidade oficial da
empresa. Mas, ao apropriar os custos fixos aos produtos, esse método produz algumas
distorções nos custos.

Desvantagens: Os custos fixos são apropriados aos produtos com base em rateios e
estimativas. Isto leva aos seguintes problemas:

1) Os custos fixos existem e acabam presentes no mesmo montante, mesmo que


oscilações (dentro de certos limites) ocorram no volume de produção;

2) Os custos fixos constituem um encargo para que a empresa possa ter condições de
produzir, ao invés de um sacrifício para a produção específica desta ou daquela unidade;

3) São quase sempre atribuídos por critérios de rateio, que terminam por conter algum
grau de arbitrariedades;

4) A inclusão dos custos fixos incentiva que a empresa aumente a produção, o que
reduz o custo unitário dos produtos, ainda que não corresponda a aumento de vendas.

5
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Assim, devido a essas desvantagens, criou-se, para fins gerenciais, o Custeio Variável.

Custeio Variável ou Custeio Direto: A vantagem do Custeio Variável é evitar as distorções


em função do custo fixo, os quais são tratados como se fossem despesas do período, sendo
lançados diretamente na Demonstração do Resultado do Exercício. Assim, para decisões
C C
Variável produz informações melhores que o Custeio por Absorção.

A principal desvantagem é que o Custeio Variável ou Direto pode ser usado para fins
gerenciais, mas não na contabilidade oficial, pois fere o princípio da Competência.

Custeio Baseado por Atividades (ABC): Este método procura reduzir ou mesmo eliminar as
distorções provocadas pelo rateio arbitrário dos custos indiretos de fabricação (CIF), além
de auxiliar na identificação das atividades que não agregam valor à produção, e que podem
ser eliminadas (eliminação de desperdícios).

A principal desvantagem do Custeio por Atividades (ABC) é a complexidade da sua


implantação. Além disso, em empresas nas quais os custos indiretos de fabricação não
sejam relevantes, a importância do ABC diminui.

O Custeio por Atividades foi desenvolvido para fins gerenciais, mas pode ser adaptado para
atender à legislação, substituindo o Custeio por Absorção.

2.4 CUSTEIO POR ABSORÇÃO X CUSTEIO VARIÁVEL

Muito bem. Vamos examinar agora um ponto que permite resolver rapidamente as
questões sobre Custeio por Absorção e o Custeio Variável ou Direto.

A diferença entre o Custeio por Absorção e o Custeio Variável é o custo fixo retido nos
estoques.

No Custeio por Absorção, os custos variáveis e os custos fixos são apropriados ao custo do
produto, e uma parte dos custos fixos fica incorporada ao estoque.

No Custeio Variável, só o custo variável é apropriado aos produtos. O custo Fixo total do
período vai para a Demonstração do Resultado, como despesa.

6
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

A Cesgranrio já cobrou:

1. (CESGRANRIO/Petrobras/Técnico de Contabilidade/2011) A
diferença entre os resultados apresentados pelo critério de custeio
por absorção e o critério de custeio direto ou variável está sempre
na(o)

A)variação das vendas em função dos volumes diferentes.


B)margem de contribuição total.
C)forma de apropriar o custo fixo.
D)valor do custo variável.
E)custo fixo incorporado aos estoques.

Comentário: O que confunde um pouco é a letra C: Forma de apropriar o custo Fixo. Mas,
se não houver estoque, não haverá diferença no resultado por um ou outro método.
Portanto, a diferença no resultado está sempre no custo fixo apropriado aos estoques.

Gabarito: E

Podemos apresentar a diferença entre os dois tipos de custeio dessa forma:

Custeio Custo da Custo do estoque CPV Despesa


produção
Custeio por
CV + CF CV + CF CV + CF -
Absorção

Custeio Variável CV CV CV CF

Vamos a um exemplo, para entender melhor esse importante conceito:

A Empresa KLS iniciou o ano sem estoques. No mês de Janeiro, os números da produção
foram os seguintes:

Unidades produzidas: 1.000


Custo Variável Unitário: $ 15,00
Custo Fixo total: $ 10.000

7
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

A empresa vendeu 900 unidades, pelo preço unitário de $30,00.

Calcule o CPV e o Lucro pelo custeio por Absorção e pelo Custeio Variável.

Custeio por Absorção:

Custo fixo total $10.000 / 1.000 unidades = $ 10,00 por unidade


Custo Variável unitário: $ 15,00
Custo por unidade: $ 15,00 + $ 10,00 = $ 25.00

Receita total: 900 unidades x $30,00 = $ 27.000


Custo dos Produtos Vendidos: 900 unidades x $25,00 = $ 22.500
Valor do estoque final: 100 unidades x $25,00 = $ 2.500

Apuração do resultado com Custeio por Absorção:

Receita Total 27.000


CPV -22.500
Lucro Bruto 4.500
Despesas ----x----
Resultado 4.500
Custeio Variável:

Nesse tipo de custeio, apropriamos apenas os Custos Variáveis aos produtos; os custos fixos
são considerados como despesa do período.

Assim:
Custo por unidade: $ 15,00
Receita total: 900 unidades x $30,00 = $ 27.000
Custo dos Produtos Vendidos: 900 unidades x $15,00 = $ 13.500
Valor do estoque final: 100 unidades x $15,00 = $ 1.500

Receita Total 27.000


CPV -13.500
Lucro Bruto 13.500
Despesas -10.000
Resultado 3.500

Agora, vamos comparar os dois métodos de custeio.

A diferença no estoque final é de $1.000. Refere-se a 100 unidades que permaneceram em


estoque, com o custo fixo unitário de $10,00 atribuído a cada unidade.

8
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

100 unidades x $10,00 = $1.000  custo fixo retido nos estoques, no custeio por absorção.

No custeio Variável, todo o custo fixo do período já foi para o Resultado.

O quadro comparativo fica assim:

Absorção Variável Diferença


Receita Total 27.000 27.000
CPV -22.500 -13.500
Lucro Bruto 4.500 13.500
Despesas - -10.000
Resultado 4.500 35.00 1.000
Estoque final 2.500 ==65a4==
1.500 1.000

Bom, já repetimos algumas vezes que a diferença entre o custeio por absorção e o custeio
variável é o custo fixo retido nos estoques.

Para que serve isso? Serve para matar questões. Como essa aqui:

(FCC - TJ PA Analista Judiciário Ciências Contábeis 2009) A


indústria Clareou iniciou suas atividades no mês de setembro. Neste
período, produziu integralmente 10.000 unidades e vendeu 8.000
unidades de seu único produto ao preço de venda de R$ 50,00,
apresentando as seguintes informações sobre custos e despesas:

Custos Diretos Variáveis R$ 26,00/unid.


Custos Indiretos Fixos R$ 100.000,00/mês
Despesas Variáveis R$ 6,00/unid.
Despesas Fixas R$ 25.000,00/mês

A empresa tem utilizado o custeio por absorção para atender à legislação fiscal e societária
e o custeio variável para fins gerenciais. Considerando tais informações, a diferença
verificada entre os estoques finais do mês de setembro apurados pelos dois métodos foi de

(A) 25.000,00
(B) 0,00
(C) 20.000,00
(D) 8.000,00
(E) 22.500,00

Resolução: A empresa produziu 10.000 unidades e vendeu 8.000, portanto sobraram 2.000
unidades no estoque. O custo fixo total foi de $ 100.000,00/mês, os quais foram atribuídos
ao custo da produção no custeio por absorção.

9
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Custo fixo unitário: $100.000 / 10.000 unids. = $10,00

Valor dos custos fixos retidos nos estoques: $10,00 x 2.000 unid. = $20.000

Gabarito letra C

Observação: o método acima só funciona se não houver estoque inicial. Do contrário,


temos que calcular o efeito do custo fixo do estoque inicial.

Vamos ver mais uma questão sobre o assunto:

(Agente Fiscal de Rendas SP 2009 FCC) Uma empresa apura os


custos da produção vendida utilizando dois métodos: método do
custeio por absorção e método do custeio variável.

No início do período, não havia em estoque unidades acabadas ou semiacabadas. No mês,


foram iniciadas e terminadas 6.000 unidades, das quais 4.000 unidades foram vendidas. No
final do período, a empresa apurou resultado líquido de R$ 310.000,00, pelo custeio
variável, e R$ 340.000,00, pelo custeio por absorção.

Levando-se em consideração que os custos variáveis representam 50% do preço de venda,


os valores do preço unitário de venda, custo unitário variável e custo fixo total do mês são,
respectivamente:

(A) R$ 200,00, R$ 100,00 e R$ 90.000,00


(B) R$ 180,00, R$ 90,00 e R$ 60.000,00
(C) R$ 160,00, R$ 80,00 e R$ 60.000,00
(D) R$ 120,00, R$ 60,00 e R$ 90.000,00
(E) R$ 100,00, R$ 50,00 e R$ 50.000,00

Resolução: A diferença entre os dois métodos refere-se ao valor do custo fixo atribuído aos
produtos em estoque.

Assim, temos:

Diferença entre os lucros apurados: 340000 310000 = 30.000

Unidades em estoque: 2.000

Portanto, o valor do custo fixo atribuído a cada unidade foi:


30.000 / 2.000 = 15,00

10
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Agora podemos calcular o valor total do custo fixo :

6000 unidades produzidas x 15,00 = 90.000.

Com os dados da questão, podemos montar, para o custeio variável, a seguinte estrutura :

Vendas xxxxx 100 %


(-) custo variável (xxxxx) 50%

(=) subtotal xxxxxxx 50%

(-) custo fixo total (90.000)

(=) Lucro líquido 310.000

Resolvendo de baixo para cima, encontramos :

Vendas 800.000 100 %


(-) custo variável (400.000) 50%

(=) subtotal 400.000 50%

(-) custo fixo total (90.000)

(=) Lucro líquido 310.000

Como foram vendidas 4000 unidades, temos :

Preço unitário de venda : 800000 / 4000 = 200

Custo unitário variável : 400.000 / 4000 = 100

Gabarito Letra A.

Próximo assunto: ABC.

11
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

3 CUSTEIO POR ATIVIDADES ACTIVITY BASED COSTING (ABC)

Apresentamos o esquema básico da contabilidade de custos, através da


departamentalização:

a) Separação entre Custos e Despesas;


b) Apropriação dos Custos Diretos aos produtos;
c) Apropriação dos Custos Indiretos aos Departamentos;
d) Rateio dos Custos Acumulados nos Departamentos de Serviços aos Departamentos
de Produção;
e) Atribuição dos Custos Indiretos dos departamentos de Produção aos produtos

Os custos indiretos são apropriados através de rateios, que acabam por conter algum grau
de arbitrariedade e podem distorcer os custos dos produtos.

O Custeio Baseado em Atividades (ActivityBasedCosting ABC) é um método de custeio


que procura reduzir a arbitrariedade do rateio dos custos indiretos, pois os custos são
inicialmente atribuídos às atividades e depois aos produtos.

O ABC também pode ser aplicado aos custos diretos, mas nesse caso não haverá grandes

variável.

A diferença fundamental entre o ABC e os sistemas tradicionais está no tratamento dos


custos indiretos de fabricação.

O custeio ABC compreende a identificação das atividades relevantes, no processo de


fabricação, e a atribuição de custos a estas atividades.

3.1 MÉTODO DE ALOCAÇÃO DE CUSTOS EM DOIS ESTÁGIOS.


Uma atividade consome recursos e, portanto, tem custo. O objetivo das atividades é
transformar os recursos (materiais, mão de obra, custos indiretos, etc) em produtos.
Essas premissas possibilitam que o Custeio Baseado em Atividades faça a apropriação dos
custos em dois estágios:
1) Determinar os custos das atividades realizadas na empresa;
2) Aloca os custos da atividades aos produtos.

12
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

3.2 CUSTO DAS ATIVIDADES

A primeira etapa do custeio ABC compreende a identificação das atividades relevantes, no


processo de fabricação, e a atribuição de custos a estas atividades.

Uma atividade utiliza recursos (materiais, mão de obra, equipamentos, etc) visando à
produção de bens e serviços. As atividades podem ser divididas em tarefas e estas em
operações. Um conjunto de atividades homogêneas, que possuem a mesma finalidade,
forma uma função, a qual geralmente é efetuada por um departamento.

Inicialmente, os custos são apropriados aos departamentos de produção.

Depois, os custos de cada departamento são atribuídos para as atividades. Finalmente, os


custos das atividades são apropriados aos produtos através dos direcionadores.

O custeio ABC começa pela identificação das atividades mais importantes dentro dos
departamentos, que são as que consomem mais recursos.

Exemplo de levantamento das atividades relevantes dos departamentos:

Departamento Atividades
Compras 1. Comprar Materiais 2. Desenvolver Fornecedores
Almoxarifado 1. Receber materiais / 2. Controlar os materiais no Almoxarifado
1. Inspecionar os equipamentos / 2. calibrar e regular os
Manutenção equipamentos / 3. Consertar os equipamentos danificados

3.3 ALOCAÇÃO DOS CUSTOS ÀS ATIVIDADES E AOS PRODUTOS

13
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Os custos das atividades incluem todos os gastos necessários para executá-las. Deve incluir
salários com os respectivos encargos sociais, depreciação, energia, etc.

A atribuição de custos às atividades deve ser feita na seguinte ordem:

A alocação direta deve ser utilizada quando há identificação clara e objetiva dos itens de
custos com as atividades.

O Rastreamento identifica uma relação de causa e efeito entre a atividade e os custos


necessários para realizá-la. Para isso, a empresa deve usar os direcionadores de custos.

O rateio é utilizado quando não é possível utilizar a alocação direta ou o rastreamento.

3.4 DIRECIONADORES DE CUSTOS

São os fatores que determinam o custo de uma atividade; é o que causa o custo da
atividade. Alguns exemplos dos direcionadores de custos são:

--- número de empregados


--- área ocupada
--- Tempo de mão de obra
--- tempo de máquina etc.

Devemos distinguir dois tipos de direcionadores: os Direcionadores de Custos de Recursos


(o qual já definimos acima) e os Direcionadores de Custos de Atividades.

O Prof. Eliseu Martins apresenta as seguintes definições:

14
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

--- Os Direcionadores de Custos de Recursos identificam a maneira como as atividades


consomem recursos e serve para custear as atividades, ou seja, demonstra a relação entre
os recursos gastos e as atividades.

--- Os Direcionadores de Custos de Atividades identificam a maneira como os produtos

E M C
C E

Assim, temos:

Já foi cobrado em concurso:

(FUNDATEC/ Auditor Fiscal da Receita Estadual - RS/2009) Em relação ao Custeio por


Atividades (Activity-BasedCosting), é correto afirmar que:

a) a atribuição de custos às atividades é feita com a seguinte ordem de prioridade:


rastreamento, alocação direta e rateio.
b) os direcionadores de recursos de atividades identificam como as atividades consomem
recursos.
c) os direcionadores de custos de recursos identificam como as atividades consomem
recursos.
d) os direcionadores de custos de recursos identificam como os produtos consomem as
atividades.

15
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

e) as tarefas são divididas em atividades e estas formam as operações.

Gabarito C

3.5 ÍNDICE DE CORRELAÇÃO ENTRE CUSTO E ATIVIDADE

Um ponto crítico para a implantação do Custeio Baseado em Atividades (ABC) é a


determinação dos direcionadores de custo dos recursos, especialmente a sua correlação
com os custos indiretos.

Para a utilização dos direcionadores no rastreamento dos custos das atividades é


fundamental que a variação dos recursos utilizados acompanhe a variação dos respectivos
direcionadores de custos dos recursos. Ou seja, quanto maior a utilização dos recursos pelas
atividades, maior deve ser a quantidade do direcionador de recursos.

O mesmo acontece com os direcionadores dos custos das atividades. Assim, quanto maior a
utilização de alguma atividade pelos produtos, maior deverá ser a quantidade do
direcionador dessa atividade.

A empresa pode verificar a adequação do direcionador adotado calculando o Coeficiente de


Correlação entre o custo de uma ou mais atividades e a quantidade do direcionador.

O Coeficiente de Correlação é uma medida do grau de relação linear entre duas variáveis.
Esse coeficiente varia de -1 a 1. O valor 0 (zero) indica que não há correlação entre as
variáveis, o valor 1 indica que há correlação perfeita e o valor -1 (menos 1) indica que há
correlação perfeita, mas inversa, ou seja, quando uma variável aumenta a outra diminui.

O Coeficiente de Correlação pode ser calculado em planilhas eletrônicas ou calculadoras, e,


por ser matéria de Estatística, não iremos abordar mais do que essa pequena introdução.
Para aprofundar nesse assunto, sugerimos um livro/curso/professor de Estatística.

Voltando ao nosso assunto: o uso de direcionadores com baixa correlação entre os custos e
as atividades pode distorcer os números apurados e tirar a credibilidade do sistema de
custos.

Bom, agora vamos ver um tópico que faltou incluir na aula 1.

4 INFORMAÇÕES EXTRAÍDAS DAS NOTAS EXPLICATIVAS.

Além das Demonstrações Financeiras (Balanço Patrimonial, DRE, DMPL, DFC, DVA), são
necessárias outras informações complementares para enriquecer os relatórios e evitar que
os mesmos se tornem enganosos.

16
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Essas informações são veiculadas para auxiliar o usuário das Demonstrações Financeiras a
entendê-las melhor. Visam apresentar esclarecimentos aos usuários externos.

As explicações devem ser relevantes quantitativa e qualitativamente, e podem estar na


forma descritiva, na forma de quadros analíticos suplementares ou em outras formas.

Normalmente, tais explicações são feitas através das Notas Explicativas, que acompanham
as Demonstrações Financeiras. O Comitê de Pronunciamentos Contábeis CPC no
pronunciamento E C
E A D C
Notas Explicativas:

3.1 - Pronunciamento CPC Estrutura Conceitual para a Elaboração e Apresentação das


Demonstrações Contábeis

Notas Explicativas e Demonstrações Suplementares

21. As demonstrações contábeis também englobam notas explicativas, quadros


suplementares e outras informações. Por exemplo, poderão conter informações adicionais
que sejam relevantes às necessidades dos usuários sobre itens constantes do balanço
patrimonial e da demonstração do resultado. Poderão incluir divulgações sobre os riscos e
incertezas que afetem a entidade e quaisquer recursos e/ou obrigações para os quais não
exista obrigatoriedade de serem reconhecidos no balanço patrimonial (tais como reservas
minerais). Informações sobre segmentos industriais ou geográficos e o efeito de mudanças
de preços sobre a entidade podem também ser fornecidos sob a forma de informações
suplementares

Já a Lei 6404/76 estabelece que :

5o As notas explicativas devem:

I apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras e das


práticas contábeis específicas selecionadas e aplicadas para negócios e eventos
significativos;

II divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que não
estejam apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras;
III fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações financeiras
e consideradas necessárias para uma apresentação adequada; e

IV indicar:

17
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

a) os principais critérios de avaliação dos elementos patrimoniais, especialmente estoques,


dos cálculos de depreciação, amortização e exaustão, de constituição de provisões para
encargos ou riscos, e dos ajustes para atender a perdas prováveis na realização de
elementos do ativo;

b) os investimentos em outras sociedades, quando relevantes (art. 247, parágrafo único);

c) o aumento de valor de elementos do ativo resultante de novas avaliações (art. 182, § 3 o


);

d) os ônus reais constituídos sobre elementos do ativo, as garantias prestadas a terceiros e


outras responsabilidades eventuais ou contingentes;

e) a taxa de juros, as datas de vencimento e as garantias das obrigações a longo prazo;

f) o número, espécies e classes das ações do capital social;

g) as opções de compra de ações outorgadas e exercidas no exercício;

h) os ajustes de exercícios anteriores (art. 186, § 1o); e

i) os eventos subsequentes à data de encerramento do exercício que tenham, ou possam vir


a ter, efeito relevante sobre a situação financeira e os resultados futuros da companhia.

Portanto, as Notas Explicativas, quando bem elaboradas, constituem informação essencial


para o correto entendimento e utilização das Demonstrações Financeiras.

Vejamos uma questão do TCU 2013:

(CESPE/TCU/Auditor/2013) A respeito das notas explicativas que acompanham as


demonstrações contábeis, julgue o item subsequente, de acordo com as normas brasileiras
de contabilidade.

127 Quando determinada entidade corrige, retrospectivamente, erro material de períodos


anteriores, a entidade deve divulgar nas notas explicativas que acompanham o primeiro
conjunto de demonstrações contábeis publicado após a descoberta desse erro, entre outras
informações, a natureza do erro e o montante da retificação para cada período anterior
apresentado, na medida em que seja praticável, para cada item afetado da demonstração
contábil.

Comentários:

18
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

A rigor, esta questão deveria ter sido anulada. A resposta consta no Pronunciamento CPC 23
- Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa e Retificação de Erro:

Divulgação de erro de período anterior

49. Ao aplicar o item 42, a entidade deve divulgar:


(a) a natureza do erro de período anterior;

(b) o montante da retificação para cada período anterior apresentado, na medida em que
seja praticável:
(i) para cada item afetado da demonstração contábil; e
(ii) se o Pronunciamento Técnico CPC 41 Resultado por Ação se aplicar à
entidade, para resultados por ação básicos e diluídos;

(c) o montante da retificação no início do período anterior mais antigo apresentado; e

(d) as circunstâncias que levaram à existência dessa condição e uma descrição de como e
desde quando o erro foi corrigido, se a reapresentação retrospectiva for impraticável para
um período anterior em particular.

As demonstrações contábeis de períodos subsequentes à retificação do erro não precisam


repetir essas divulgações.

Gabarito  CERTO

Agora, vamos ao resumo geral. Depois, a diversão: questões comentadas!

19
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

5 RESUMO GERAL

1 - Custeio significa apropriação de custos. É o método utilizado para apropriar os custos


de produção aos produtos.

2 - Custeio por absorção: É o método resultante da aplicação dos Princípios de


Contabilidade. Consiste na apropriação de todos os custos incorridos, sejam fixos, variáveis,
diretos ou indiretos, aos produtos fabricados.

3 - Custeio Variável ou Custeio Direto: Nesse método de custeio, apenas os custos variáveis
são atribuídos aos produtos. Os custos fixos são tratados como despesas do período, sendo
lançados diretamente na Demonstração do Resultado do Exercício. O Custeio Variável ou
Direto pode ser usado para fins gerenciais, mas não na contabilidade oficial, pois fere o
princípio da Competência, especialmente na parte referente ao confronto das receitas e
despesas.

4 - Custeio Baseado em Atividades (ActivityBasedCosting ABC): É um método de custeio


que procura reduzir a arbitrariedade do rateio dos custos indiretos, pois os custos são
inicialmente atribuídos às atividades e depois aos produtos.

5 - Custos Variáveis são aqueles que variam de acordo com o volume de produção.
Exemplo: Matéria prima. Quanto maior a quantidade produzida, maior o consumo de
matéria-prima.

6 - Custos Fixos são aqueles que não sofrem variação em função da quantidade produzida.
Exemplo: Aluguel da fábrica. O seu valor independe da quantidade produzida. (Eliseu
M C C

7 - A diferença entre o Custeio por Absorção e o Custeio Variável é o custo fixo retido nos
estoques.

Custeio Baseado em Atividades.

8 No Custeio Baseado em Atividades, A atribuição de custos às atividades deve ser feita


na seguinte ordem:

--- alocação direta;


--- rastreamento; e
--- rateio.

9 - alocação direta: deve ser utilizada quando há identificação clara e objetiva dos itens de
custos com as atividades.

20
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

10 - O Rastreamento identifica uma relação de causa e efeito entre a atividade e os custos


necessários para realizá-la. Para isso, a empresa deve usar os direcionadores de custos.

11 - O rateio é utilizado quando não é possível utilizar a alocação direta ou o rastreamento.

12 Os Direcionadores de Custo são os fatores que determinam o custo de uma atividade;


é o que causa o custo da atividade. Alguns exemplos dos direcionadores de custos são:

--- número de empregados


--- área ocupada
--- Tempo de mão de obra
--- tempo de máquina etc.

13 - Os Direcionadores de Custos de Recursos identificam a maneira como as atividades


consomem recursos e serve para custear as atividades, ou seja, demonstra a relação entre
os recursos gastos e as atividades.

14 - Os Direcionadores de Custos de Atividades identificam a maneira como os produtos

E M C
C E

21
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

6 QUESTÕES COMENTADAS

1. (CESPE/CGE PI/Auditor/2015) No método de custeio variável ou direto, somente os


custos diretos são alocados aos produtos; os indiretos, ainda que variáveis, são
considerados como despesas na demonstração dos resultados do exercício.

Comentário:

Custeio Variável ou Custeio Direto: Nesse método de custeio, apenas os custos variáveis
são atribuídos aos produtos. Os custos fixos são tratados como despesas do período, sendo
lançados diretamente na Demonstração do Resultado do Exercício.

A
N

E os indiretos, ainda que variáveis, são considerados como despesas


também está errada. Os custos indiretos variáveis são alocados aos produtos; os custos
indiretos fixos são considerados como despesa.

Gabarito  Errada

2. (CESPE/CGE PI/Auditor/2015) De acordo com o método de custeio por absorção, os


custos fixos, embora não sejam ativados, são considerados no resultado à medida que os
produtos fabricados são vendidos.

Comentário:

Custeio por absorção: É o método resultante da aplicação dos Princípios de Contabilidade.


Consiste na apropriação de todos os custos incorridos, sejam fixos, variáveis, diretos ou
indiretos, aos produtos fabricados.

Como é usual no CESPE, a questão tem duas assertivas. Vamos examiná-las:

De acordo com o método de custeio por absorção, os custos fixos, embora não sejam
Errado. No custeio por absorção, os custos fixos são incluídos no custo do
produto e são ativados no estoque de produtos acabados.

são considerados no resultado à medida que os produtos fabricados são


vendidos. Certo. Na venda, todos os custos, variáveis e fixos, apropriados ao produto pelo
custeio por absorção, são considerados no resultado, como Custo dos Produtos Vendidos.

Gabarito  Errada.

22
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

3. (CESPE/CGE PI/Auditor/2015) O método de custeio por absorção é o mais adequado


para efeitos de tomada de decisão, planejamento e controle, já que, além de obedecer ao
regime de competência, é o mais aceito pelos profissionais de contabilidade e pelo fisco
brasileiro.

Comentário:

Vamos analisar as assertivas:

O método de custeio por absorção é o mais adequado para efeitos de tomada de decisão,
planejamento e controle,
Errado. Para efeitos de tomada de decisão, planejamento e controle, ou seja, para
informação gerencial, o Custeio Variável é mais adequado. A vantagem do Custeio Variável
é evitar as distorções em função do custo fixo, os quais são tratados como se fossem
despesas do período, sendo lançados diretamente na Demonstração do Resultado do
E A C
C V C
Absorção.

já que (o custeio por absorção), além de obedecer ao regime de competência, é o mais


aceito pelos profissionais de contabilidade e pelo fisco brasileiro.
Certo. A principal vantagem do Custeio por Absorção reside no fato de que este método
atende aos Princípios Contábeis, inclusive o Princípio da Competência, e deve ser usado na
contabilidade oficial da empresa.

Gabarito  Errada

(CESPE/FUB/Contabilidade/2015) Texto para as questões 4 a 6:

custos variáveis unitários R$


matéria-prima direta 15
mão de obra direta 7
custos indiretos variáveis de produção 8
despesas variáveis sobre vendas 2
custos fixos no período
custos indiretos fixos de produção 300 mil
despesas administrativas e de vendas fixas 500 mil

23
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Determinada empresa incorreu nos custos e nas despesas mostrados acima, em um período
em que foram produzidas 25 mil unidades de seu único produto e vendidas 20 mil unidades
desse produto, não havendo quaisquer espécies de estoques iniciais nem de estoques finais
de produtos em processamento.

Com base nessa situação hipotética e considerando que os dados acima descritos sejam os
únicos dados relevantes, julgue o próximo item.

4 - (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O custo unitário dos produtos vendidos, pelo método


do custeio por absorção, é igual a R$ 45.

5 - (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O estoque final de produtos acabados, apurado pelo


método do custeio variável, apresenta valor superior a R$ 200 mil.

6 - (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O estoque final de produtos acabados, apurado pelo


método do custeio variável, apresenta valor superior a R$ 200 mil.

Vamos responder abaixo:

4. (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O custo unitário dos produtos vendidos, pelo


método do custeio por absorção, é igual a R$ 45.

Comentário:

O Custeio por absorção consiste na apropriação de todos os custos incorridos, sejam fixos,
variáveis, diretos ou indiretos, aos produtos fabricados.

Vamos calcular:

Custos variáveis unitários R$


Matéria prima direta R$ 15,00
Mão de obra direta R$ 7,00
Custos indiretos variáveis de produção R$ 8,00
Custos indiretos fixos de produção ($300.000
/ 25.000 unidades) R$ 12,00
Total Custo unitário R$ 42,00

A dirmos o Custo Fixo de $300.000 por 20.000


unidades (quantidade vendida), encontraremos a resposta de $45,00. Mas o custo fixo deve
ser apropriado às unidades produzidas.

Gabarito  Errado

24
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

5. (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O estoque final de produtos acabados, apurado


pelo método do custeio variável, apresenta valor superior a R$ 200 mil.

Comentário:

No Custeio Variável ou Custeio Direto apenas os custos variáveis são atribuídos aos
produtos. Os custos fixos são tratados como despesas do período, sendo lançados
diretamente na Demonstração do Resultado do Exercício.

Vamos calcular:
Custos variáveis unitários R$
Matéria prima direta R$ 15,00
Mão de obra direta R$ 7,00
Custos indiretos variáveis de produção R$ 8,00
Custo variável unitário R$ 30,00

A empresa produziu 25.000 unidades e vendeu 20.000, assim o estoque final é de 5.000
unidades.

Estoque final = 5.000 unidades x $30,00 = $150.000,00

Gabarito  Errado.

6. (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O estoque final de produtos acabados, apurado


pelo método do custeio variável, apresenta valor superior a R$ 200 mil.

Comentário:

Já calculamos o estoque unitário, pelo custeio de absorção, no valor de $42,00. E a


quantidade do estoque final é de 5.000 unidades.

Estoque final = 5.000 unidades x $42,00 = $210.000,00

Gabarito  Certo.

7. (CESPE/STJ/Contadoria/2015) Quando se quer identificar os produtos que mais


contribuem para o lucro de uma empresa industrial, o custeio por absorção é preferível ao
custeio variável.

Comentário:

25
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

No Custeio por Absorção todos os custos de produção são apropriados aos produtos; todos
os gastos relativos ao esforço de produção são distribuídos para todos os produtos ou
serviços feitos.

Assim, os custos fixos são rateados aos produtos, geralmente com algum grau de
arbitrariedade nos critérios de alocação de tais custos, o que pode distorcer o custo dos
produtos.

Para evitar tal distorção, causada pelo Rateio dos Custos Fixos, foi desenvolvido o Custeio
Variável ou Direto.

Assim, quando se quer identificar os produtos que mais contribuem para o lucro de uma
empresa industrial, o custeio variável é preferível ao custeio por absorção, ao contrário do
que afirma a questão.

Gabarito  Errado.

8. (CESPE/STJ/Contadoria/2015) No custeio variável, os custos fixos são separados e


considerados como despesas do período, portanto não são alocados aos produtos. Esse
procedimento evita que eventuais arbitrariedades, provocadas pelo rateio dos custos fixos,
venham a afetar o cálculo do custo dos produtos.

Comentário:

Custeio Variável ou Custeio Direto: Nesse método de custeio, apenas os custos variáveis
são atribuídos aos produtos. Os custos fixos são tratados como despesas do período, sendo
lançados diretamente na Demonstração do Resultado do Exercício.

Assim, ao invés de ratear os custos fixos, incorrendo em eventuais distorções no custo dos
produtos, no Custeio Variável os custos fixos são tratados como despesas do período, sendo
lançados diretamente na Demonstração do Resultado do Exercício.

Gabarito  Certo

9. (CESPE/Auditor Federal de Controle Externo/TCU/2015) O método de custeamento


por absorção ou integral consiste na apropriação de todos os custos de produção de forma
direta ou indireta aos produtos adquiridos e elaborados ou aos serviços prestados. A
adoção desse método apresenta desvantagem relacionada à forma de rateio dos custos
comuns ou dos custos indiretos de fabricação, que não podem ser alocados de forma direta
ou objetiva a um segmento, atividade operacional ou produto.

Comentários

26
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

No custeio por absorção, todos os custos de produção são apropriados aos produtos; todos
os gastos relativos ao esforço de produção são distribuídos para todos os produtos ou
serviços feitos.

Para a contabilidade oficial, deve ser utilizado o Custeio por Absorção. Assim, os custos fixos
são rateados aos produtos, geralmente com algum grau de arbitrariedade nos critérios de
alocação de tais custos, o que pode distorcer o custo dos produtos.

Para evitar tal distorção, causada pelo Rateio dos Custos Fixos, foi desenvolvido o Custeio
Variável ou Direto.

Gabarito  Certo.

10. (CESPE/Auditor Federal de Controle Externo/TCU/2015) O método de custeamento


variável, pelo qual todos os custos variáveis são alocados aos bens ou serviços, sejam eles
diretos ou indiretos, apresenta a vantagem de possibilitar que se encontre a margem de
contribuição unitária de cada produto, podendo, pois, servir como instrumento de decisão
de curto prazo.

Comentários

Custeio Variável ou Custeio Direto: Ao invés de ratear os custos fixos, incorrendo em


eventuais distorções no custo dos produtos, no Custeio Variável os custos fixos são tratados
como despesas do período, sendo lançados diretamente na Demonstração do Resultado do
Exercício. Apenas os custos variáveis são atribuídos aos produtos.

Vamos explicar melhor esse ponto.

Determinada empresa fabrica seus produtos e incorre em custos variáveis e custos fixos.
Digamos que parte da produção vá para estoque, para ser vendida posteriormente. Para
obedecer ao confronto das receitas e despesas correlatas, os custos referentes às unidades
estocadas deveriam ficar também no estoque, até que ocorra a venda. Mas, pelo custeio
variável, apenas o custo variável fica apropriado ao produto. O custo fixo do período é
descarregado no resultado, mesmo que os produtos a que se refere não tenham sido
vendidos.

Esse método é também chamado de Custeio Direto. Mas isso não significa que apenas os
custos diretos sejam apropriados aos produtos.

Chamado de custeio variável ou custeio direto, o método é o mesmo: o custo variável é


apropriado aos produtos e o custo fixo vai para o resultado do exercício.

27
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

O custeio variável não atende ao princípio da competência; assim, só pode ser utilizado
para a contabilidade gerencial, e não para a contabilidade financeira.

A margem de contribuição é calculada pela seguinte forma: margem de contribuição =


preço de venda (custos variáveis + despesas variáveis).

Gabarito  Correto.

11. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Em relação aos conceitos de


custos e metodologias de custeio, julgue o item a seguir.

A incorporação ao produto de custos gerais de produção, também denominados custos


indiretos de produção, é típica do método do custeio por absorção, não ocorrendo no
método do custeio variável.

Comentários:

No Custeio Variável, os custos FIXOS não são alocados aos produtos, e vão para o resultado,
como se fossem despesas.

Os custos indiretos (que não forem custos fixos) são alocados normalmente aos produtos.
Como exemplo, podemos citar a energia elétrica da fábrica: é um custo variável (aumenta
ou diminui conforme o volume de produção) e é custo indireto (precisa ser rateada aos
produtos).

No custeio variável, a Energia Elétrica da fábrica é incorporada ao custo dos produtos.

Gabarito  Errado.

12. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Em relação aos conceitos de


custos e metodologias de custeio, julgue o item a seguir.

O custeio variável incorpora ao produto apenas os custos cujo montante varia com o
volume de produção, ou seja, essencialmente matérias primas diretas e mão de obra direta.

Comentários:

No Custeio Variável, os custos FIXOS não são alocados aos produtos, e vão para o resultado,
como se fossem despesas.

Portanto, apenas dos custos variáveis são incorporados aos produtos.

28
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Vale lembrar que os custos variáveis são aqueles que variam de acordo com o volume de
produção.

Gabarito  Certo.

13. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Com relação aos custos, julgue o


item.

Um custo cujo montante seja incrementado quando cresce o volume de produção, mas seja
constante para cada unidade produzida, é um custo variável.

Comentários:

Os custos variáveis são aqueles cujo total varia de acordo com o volume de produção, mas
são constantes para cada unidade produzida.

Vamos exemplificar com a produção de automóveis. Cada automóvel usa 5 rodas (4 no chão
e um estepe). As rodas são custos variáveis, pois variam de acordo com o volume de
produção. Por exemplo, se a empresa produzir 1.000 veículos por mês, irá usar 5.000 rodas.
Se a produção aumentar para 2.000 veículos ao mês, a empresa irá utilizar 10.000 rodas.

Mas, para cada automóvel, o custo das rodas permanece constante (5 rodas por veículo).

Gabarito  Certo.

14. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Com relação aos custos, julgue o


item.

Custos fixos, a longo prazo, variam com o volume de produção.

Comentários:

Os custos fixos unitários variam com o volume de produção, seja a longo ou à curto prazo.

Por exemplo, se a fábrica da empresa fica num prédio alugado, o valor do aluguel poderá
ser o mesmo, quer a empresa fabrique 1.000 ou 2.000 unidades. Assim, o aluguel é um
custo fixo, pois não varia em função da variação na quantidade produzida (pode mudar por
outros fatores, como no caso de eventual reajuste de aluguel, mas não se altera em função
do volume de produção).

O custo fixo total não se altera, mas o custo fixo unitário sofre alteração. Se o aluguel for de
$10.000, o custo fixo unitário será de $10, no caso da produção de 1000 unidades, e de $ 5,
no caso da produção de 2.000 unidades.

29
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Portanto, o custo fixo total não se altera com o volume de produção, mas o custo fixo
unitário sim.

A banca anulou a questão, com a seguinte alegação: P


item no que se refere aos custos fixos abordados, opta-

Gabarito preliminar  Correto.


Gabarito Definitivo  Anulada.
CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013)Com relação aos sistemas de custos, julgue os
itens a seguir.

15. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) Os custos do período são todos aqueles


não incluídos nos custos do produto. De acordo com o regime de competência, esses custos
são considerados despesas na demonstração de resultado do período em que eles
ocorreram.

Comentário:

“ C G G N B r:

C T
vendas e administrativas são tratadas como custos do período, por exemplo, comissões de
vendas, propagandas, salários de executivo, relações públicas e os custos de aluguéis de
escritórios administrativos. Os custos do período não são incluídos como parte do custo dos
produtos adquiridos ou dos produtos manufaturados; em vez disso, são imputados na
demonstração de resultado no período em que são incorridos, usando as regras usuais da

Ainda no mesmo livro, a definição resumida:


C

C R à produção: Os custos não relacionados à produção geralmente

(Capturado na internet em
http://books.google.com.br/books?id=42M3AgAAQBAJ&printsec=frontcover&dq=inauthor:
%22Charles+Hadji%22&hl=pt-
BR&sa=X&ei=erffU8ucN6HisAT814DoBg&ved=0CBQQ6AEwAA# )

Pre B
D

30
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Q ERRADA M CE“PE C ntabilidade


G

GABARITO  CERTO

Com relação aos métodos de custeio, julgue os itens seguintes.

16. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) No método de custeamento variável, os


custos variáveis diretos são alocados aos bens ou serviços. Desse modo, apenas os custos
variáveis, mensurados objetivamente, são considerados no valor do bem sem a utilização
de métodos de rateio, pois não sofreram processos arbitrários ou subjetivos.

Comentários:

Paráfrase (texto copiado com alteração na redação) do Prof. Luiz Serudo Martins Neto.
Vejamos o que disse o referido Professor:

No método de custeamento variável, todos os custos variáveis são alocados aos bens ou
serviços, sejam eles diretos ou indiretos. Aqui, apenas os custos variáveis são considerados
no valor do bem sem a utilização de métodos de rateio, sendo mensuráveis objetivamente,
pois não sofrerão processos arbitrários ou Subjetivos
(Luiz Serudo Martins Neto, capturado em
http://www.seplan.am.gov.br/arquivos/download/arqeditor/contabilidade_de_custos.pdf
).

Prezados, está errado. Se considerarmos todos os custos variáveis, diretos e indiretos,


apenas os custos variáveis DIRETOS não necessitam de rateio. Os custos variáveis
INDIRETOS precisam de rateio.

Estaria correto se a redação fosse a seguinte:

Desse modo, apenas os custos variáveis DIRETOS, mensurados objetivamente, são


considerados no valor do bem sem a utilização de métodos de rateio

Enfim...o Cespe copiou (e aceitou) inclusive o erro do Professor.

Gabarito  CERTO

17. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) O método de custeio por absorção


consiste na apropriação de todos os custos de produção de forma direta ou indireta aos
serviços prestados. Por esse método, a apropriação dos custos diretos é constituída de
forma econômica e viável para o objeto de custeio.

31
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Comentários:

Novamente, cópia do Prof. Luiz Serudo Martins Neto. Parece que toda a prova de
contabilidade de custos de 2013 foi baseada nesse autor, mais especificamente no
documento capturado na internet:

O método de custeamento por absorção ou integral consiste na apropriação de todos os


custos de produção de forma direta ou indireta aos produtos adquiridos e elaborados ou
aos serviços prestados. Por este método, a apropriação dos custos diretos é constituída de
forma econômica e viável ao objeto de custeio.
(Luiz Serudo Martins Neto, capturado em
http://www.seplan.am.gov.br/arquivos/download/arqeditor/contabilidade_de_custos.pdf )

Gabarito  CERTO

18. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) O objetivo do custeio ABC é a redução


dos custos por meio da eliminação dos desperdícios e do corte nos geradores de custos que
não agreguem valor ou nos fatores causadores do consumo de atividades evitáveis ou
desnecessárias. Essa é uma forma eficaz de compressão de custos, diferindo da maneira
tradicional de cortes aleatórios dos recursos.

Comentário:

Esta questão foi copiada de quem?

Isso mesmo, Luiz Serudo Martins Neto!

Ou a prova foi elaborada pelo próprio Prof. Luiz Serudo, ou o examinador não teve tempo
de pesquisar outros materiais.

É a primeira vez que vejo uma repetição tão exaustiva de um professor que não seja o
conhecido e consagrado Prof. Eliseu Martins.

O objetivo do ABC é reduzir o custo por meio da eliminação dos desperdícios, através do
corte nos geradores de custos que não agreguem valor ou naqueles fatores causadores do
consumo de atividades evitáveis ou desnecessárias. Essa é uma forma eficaz de
compreensão dos custos, diferindo da maneira tradicional de cortes aleatórios dos
recursos
(Luiz Serudo Martins Neto, capturado em
http://www.seplan.am.gov.br/arquivos/download/arqeditor/contabilidade_de_custos.pdf )

Gabarito  CERTO

32
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

19. (CESPE/TRE-RJ/Analista Contabilidade/2012) Se determinada entidade faz o


levantamento de seus custos apenas pelo método de custeio por absorção, o valor
correspondente aos custos fixos da entidade está embutido em cada unidade de seus
produtos.

Comentário:

Correto. O custeio por Absorção consiste na apropriação de todos os custos incorridos,


sejam fixos, variáveis, diretos ou indiretos, aos produtos fabricados. Assim, por esse método
de custeio, o custo Fixo é atribuído a cada unidade de produto.

Gabarito  CERTO

(CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012)

Considerando que os dados apresentados na tabela acima sejam relativos a uma indústria
com um único produto, que todos os custos e gastos relevantes dessa empresa estejam
relacionados nessa tabela e que a empresa não possua estoque no início do último
exercício, julgue os itens seguintes.

20. (CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012) Pelo método do custeio variável, a


empresa começa a ter lucro após vender 12.000 unidades.

Comentário:

Pelo Custeio Variável, apenas o custo Variável é atribuído aos produtos. O Custo Fixo é
CE“PE
Assim, o custo fixo vai inteiramente para o resultado do período.
E as despesas variáveis?

33
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Para o Custeio Variável ou Direto: NÂO ENTRAM!

A única alteração do custeio variável para o custeio por absorção é que os custos fixos não
são apropriados aos produtos. Vão diretamente para o Resultado do exercício, como se
fossem despesas.

No cálculo do Ponto de Equilíbrio, devemos considerar as despesas variáveis junto com os


custos variáveis, para calcular a Margem de Contribuição Unitária (MCU).

MCU: Preço de venda Custos variáveis e despesas variáveis


MCU = $ 65 - $27 - $9 - $4 - $4 = $21
Ponto de equilíbrio em unid.: (Custos fixos + despesas fixas) /MCU
Ponto de equilíbrio em unid.: ($100.000 + $150.000) / $21
Ponto de equilíbrio em unid.: $250.000 / $21
Ponto de equilíbrio em unid.: 11.905 unidades

Gabarito  ERRADO

21. (CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012) O custo do produto vendido,


apurado pelo método do custeio por absorção, foi inferior a R$ 600.000.

Comentário:

Vamos calcular o custo pelo custeio por absorção:

Custo Variável Unitário:


Matéria prima direta: 27
Mão de Obra direta 9
Custos gerais de produção 4
Total do Custo Variável unitário: 40

Custo variável total: $40 x 20.000 unidades = $80.000

Custo total de produção : Custo variável total + custo Fixo


Custo total de produção: $800.000 + $100.000
Custo total de produção: $900.000

Custo unitário da produção = Custo total / unidades produzidas


Custo unitário = $900.000 / 20.000 unidades = $ 45,00

Custo Produto Vendido = custo unitário x quantidade vendida


Custo Produto Vendido = $45 x 15.000 unidades = $ 675.000

34
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Gabarito  ERRADO

22. (CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012) O lucro operacional líquido


apurado na situação considerada será maior na demonstração de resultado pelo método do
custeio por absorção do que pela do custeio variável, invertendo-se essa situação caso, no
próximo período, a empresa venda a totalidade de seus estoques.

Comentário:

Como a empresa fabricou 20.000 unidades e vendeu 15.000, parte do custo Fixo ficou
represado no estoque, pelo custeio por Absorção.

Assim, nesse período, o Custeio por Absorção vai apresentar um custo dos produtos
vendidos menor e um lucro operacional maior que o apurado pelo custeio Variável.

No período seguinte, caso a empresa venda a totalidade de seus estoques, parte do custo
Fixo do período anterior irá para o resultado, pelo custeio por Absorção. Assim, o custeio
por absorção terá Custo dos Produtos Vendidos maior e lucro operacional menor que o
Custeio Variável.

Gabarito  CERTO

(CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012)

O quadro acima mostra a estrutura de custos e gastos operacionais de determinada


indústria que fabrica um único produto. Todos os seus custos e gastos estão relacionados
nesse quadro. O preço de venda desse produto é de R$ 100,00 por unidade. Em dezembro
de 2011, essa fábrica produziu 20.000 unidades desse produto e vendeu 15.000 unidades.
Com base nessas informações, julgue os itens subsecutivos.

23. CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) O ponto de equilíbrio da empresa


em volume de vendas é superior a R$ 650.000.

35
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Comentário:

Vamos calcular rapidamente. A questão informa valores para matéria prima, mão de obra
direta e custos gerais de fabricação, que são os custos variáveis.

Devemos considerar também as despesas variáveis?

Para o Custeio Direto ou Variável: NÃO. As despesas vão para o resultado, como ocorre no
custeio por absorção.

Para o cálculo da Margem de Contribuição Unitária (MCU) e do Ponto de equilíbrio: SIM. As


despesas variáveis entram no cálculo.

Assim:

Custo variável + despesas variáveis: $30 + $10 + $4 + $4 = $48

MCU = Preço de venda (custos variáveis + despesas variáveis)

MCU = $100,00 - $48,00 = $ 52,00


Ponto de Equilíbrio = (Custos fixos + despesas fixas) / MCU
Ponto de Equilíbrio = ($120.000 + $ 200.000) / $52
Ponto de Equilíbrio = 6.153,85 unidades

Ponto de equilíbrio (Receita): 6.153,85 unidades x $100,00

Ponto de equilíbrio (Receita): $ 615.385,00

Gabarito  ERRADO

24. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) Em dezembro de 2011, a diferença


entre o lucro operacional líquido apurado pelo custeio variável e o apurado pelo custeio por
absorção foi igual a 25% dos custos gerais de produção fixos.

Comentário:
A empresa produziu 20.000 unidades e vendeu 15.000.

No custeio variável, todo o custo fixo do período vai para o resultado.

No custeio por absorção, o custo fixo foi atribuído às 20.000 unidades produzidas. No final
do período, parte do custo fixo ainda estava retida no estoque:

36
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

% do custo fixo no estoque: 5.000 unidades / 20.000 unidades

% do custo fixo no estoque: 25%

Já podemos apontar a resposta da questão: está correta.

Mas vamos explorar um pouco mais essa questão. Vamos esboçar a Demonstração do
Resultado para o Custeio por Absorção e para o Custeio variável:

Custeio por absorção:

Custo fixo unitário = custo fixo total / unidades produzidas


Custo fixo unitário = $120.000,00 / 20.000 unidades
Custo fixo unitário = $ 6,00 por unidade

Custo variável unitário: $30 + $10 + $4 = $ 44 (atenção: não inclui as despesas variáveis).

Custo total por unidade: $44 + $ 6 = $ 50

Demonstração do Resultado do Exercício (DRE):

Custeio por Absorção R$


Receita (15.000 x $100) 1.500.000
Custo Produtos Vendidos (15.000 x $50) - 750.000
Lucro Bruto 750.000
Despesas variáveis (15.000 x $ 4 ) - 60.000
Despesas fixas - 200.000
Lucro líquido 490.000

Agora, pelo Custeio Variável:

Custeio Variável R$
Receita (15.000 x $100) 1.500.000
Custo Variável (15.000 x $ 44) - 660.000
Lucro Bruto (1) 840.000
Custo Fixo - 120.000
Despesas variáveis (15.000 x $ 4 ) - 60.000
Despesas fixas - 200.000
Lucro líquido 460.000

(1) Receita menos os custos variáveis não é igual ao Lucro Bruto, pois não inclui o custo fixo
referente às unidades vendidas.

37
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

E também não é a margem de Contribuição, pois nesse caso faltam as despesas variáveis.

“ L B M C
estando incorreto tecnicamente, aceite normalmente.

Diferença do Lucro: $490.000 - $ 460.000 = $ 30.000

% do Custo Fixo: $30.000 / $ 120.000 = 0,25 = 25%

Gabarito  CERTO

25. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) Para fins de custeamento de


estoques, segundo a Lei n.º 6.404/1976, atualizada, a indústria em questão deverá usar o
critério do custeio por absorção, e o custo das unidades adicionadas ao estoque no final de
dezembro de 2011 perfaz o total de R$ 250.000,00.

Comentário:

O Custeio que atende aos Princípios Contábeis (e que deve ser utilizado na contabilidade
oficial) é o Custeio por Absorção.

O Custeio Variável pode ser usado apenas para fins de informações gerenciais.
Vamos calcular o valor do estoque:

Estoque = quantidade x custo por absorção


O custo unitário por Absorção já foi calculado:
Custo total por unidade: $44 + $ 6 = $ 50

Estoque = 5.000 unidades x $ 50 = $ 250.000

Gabarito  CERTO

(CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012)

38
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

O quadro acima mostra a estrutura de custos e gastos operacionais de determinada


indústria que fabrica um único produto. Todos os seus custos e gastos estão relacionados
nesse quadro. O preço de venda desse produto é de R$ 100,00 por unidade. Em dezembro
de 2011, essa fábrica produziu 20.000 unidades desse produto e vendeu 15.000 unidades.
Com base nessas informações, julgue os itens subsecutivos.

26. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) O custo do produto vendido em


dezembro de 2011, pelo custeio por absorção, foi inferior a R$ 700.000,00.

Comentário:

Essas questões são todas da mesma prova ((CESPE/MP-PI/Analista Controle


Interno/2012). Em caso de dúvida, veja as questões 5 a 7.

Custo do Produto Vendido: 15.000 unidades x $ 50 = $750.000,00

Gabarito  ERRADO

27. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) A margem de contribuição unitária


foi igual a R$ 56,00.

Comentário:

Custo variável + despesas variáveis: $30 + $10 + $4 + $4 = $48

MCU = Preço de venda (custos variáveis + despesas variáveis)

MCU = $100,00 - $48,00 = $ 52,00

Gabarito  ERRADO

28. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) Considerando o critério do custeio


variável, o lucro bruto apurado em dezembro de 2011 foi superior a R$ 800.000,00.

Comentário:

Custeio Variável R$
Receita (15.000 x $100) 1.500.000
Custo Variável (15.000 x $ 44) - 660.000
Lucro Bruto 840.000

Gabarito  CERTO

39
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

29. (CESPE/CORREIO/Analista Contador/2011) Considerando-se que a DRE de


determinada empresa corresponde aos dados apresentados na tabela abaixo, e sabendo-se
que das 1.000 unidades produzidas por essa empresa foram vendidas apenas 800, é correto
afirmar que o lucro líquido apurado pelo custeio por absorção foi inferior a R$ 540,00.

Comentário:

Custeio por Absorção:

Vendas Líquidas 1.800


Custo dos produtos vendidos - 800
Lucro Bruto 1.000
Despesas Fixas - 100
Despesas Variáveis - 200
Lucro líquido 700

Gabarito  ERRADO

30. (CESPE/INMETRO/Ciências Contábeis/2010) Os dados abaixo (valores em reais)


referem-se a uma empresa hipotética.

Ainda com relação ao texto, caso a empresa produza 100.000 unidades e venda 90.000
unidades, a diferença entre o lucro operacional líquido apurado pelo custeio por absorção e
pelo custeio variável será

40
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

A) inferior a R$ 10.000,00.
B) igual a R$ 10.000,00.
C) superior a R$ 10.000,00 e inferior a R$ 20.000.00.
D) igual a R$ 20.000,00.
E) superior a R$ 20.000,00.

Comentário:

A diferença é o custo fixo retido nos estoques. Vamos calcular rapidamente:

Custo fixo $150.000 / 100.000 unidades = $ 1,50 Custo fixo unitário

Estoque = 100.000 90.000 = 10.000 unidades

Custo fixo no estoque = 10.000 unidades x $ 1,50 = $15.000

Gabarito  C

31. (CESPE/INMETRO/Ciências Contábeis/2010) Determinada indústria apresentou, em


um período em que não havia estoques iniciais, os seguintes custos de produção para um
único produto.

Custos de produção (R$)


matéria prima direta 9
mão de obra direta 10
outros custos diretos 5
custos indiretos de produção 150.000

No último ano, 25.000 unidades desse produto foram iniciadas e concluídas e 22.000 foram
vendidas.

Considerando as informações anteriormente apresentadas, assinale a opção que apresenta


o valor da diferença entre o custo do produto vendido pelo custeio por absorção e o custo
do produto vendido pelo custeio direto.

A) R$ 150.000,00
B) R$ 132.000,00
C) R$ 90.000,00

41
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

D) R$ 72.000,00
E) R$ 25.000,00

Comentário:

A diferença entre o custo do produto vendido pelo custeio por absorção e o custo do
produto vendido pelo custeio direto refere-se ao custo fixo atribuído á produção.

Pelo custeio por absorção, o custo fixo é atribuído aos produtos. Já pelo custeio direto ou
custeio variável todo o custo fixo do período vai para o resultado, como se fora uma
despesa.

Vamos calcular:
Custo fixo (CF) $150.000 / 25.000 unidades = $ 6,00 CF por unidade.

Quantidade vendida 22.000 unidades x $6,00 = $132.000,00

Gabarito  B

32. (FCC/Metro/Analista Contabilidade/2010) Caracteriza o sistema de custeio ABC:

A) o direcionamento de custos para as atividades e destas para os produtos, de acordo com


a proporção que estes consomem das atividades.
B) rateio de custos indiretos de fabricação, de acordo com a natureza de cada um,
utilizando vários indicadores, como critérios de rateio para os produtos.
C) inexistência de rateio para custos indiretos que não puderem ser associados ao volume
de produção, classificando-os diretamente como despesa no resultado.
D) predeterminação do valor dos custos indiretos de fabricação para posterior comparação
com os gastos efetivos.
E) rateio de custos indiretos de fabricação, sempre utilizando o critério da mão de obra
direta gasta em cada produto.

Comentários:

Vamos analisar as alternativas:

A) o direcionamento de custos para as atividades e destas para os produtos, de acordo com


a proporção que estes consomem das atividades.

CORRETA.

42
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

No sistema de Custeio por Atividades (ActivityBasedCosting ABC) os custos são atribuídos


às atividades, e depois são atribuídos aos produtos, proporcionalmente ao consumo das
atividades.

B) rateio de custos indiretos de fabricação, de acordo com a natureza de cada um,


utilizando vários indicadores, como critérios de rateio para os produtos.

ERRADA.

No sistema ABC, os custos indiretos de fabricação devem seguir a seguinte ordem de


atribuição:

1) Alocação direta
2) Rastreamentos
3) Rateio

O que caracteriza o ABC é o Rastreamento dos custos indiretos.

C) inexistência de rateio para custos indiretos que não puderem ser associados ao volume
de produção, classificando-os diretamente como despesa no resultado.

ERRADA.

Conforme a resposta anterior, os custos indiretos de fabricação são apropriados através de


alocação direta, rastreamento e rateio. Não ocorre a apropriação dos custos indiretos como
despesa no resultado.

D) predeterminação do valor dos custos indiretos de fabricação para posterior comparação


com os gastos efetivos.

ERRADA.

A assertiva descreve o custo-padrão, e não o sistema ABC.

E) rateio de custos indiretos de fabricação, sempre utilizando o critério da mão de obra


direta gasta em cada produto. Custos e despesas variáveis, por unidade:

ERRADA.

No sistema ABC, os custos indiretos de fabricação são rateados apenas quando não é
possível utilizar a alocação direta e o rastreamento.

Gabarito  A

43
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

33. (CESGRANRIO - PETROBRAS 2010 - CONTADOR) A principal diferença entre o critério


de custeio ABC (Activity- BasedCosting) e o modelo de departamentalização (Custeio por
absorção) é que

a) os custos fixos são atribuídos, no custeio ABC, aos produtos através de rateio recíproco,
enquanto a departamentalização usa o rateio assimétrico.
b) os custos e despesas são atribuídos, no custeio ABC, aos produtos através dos custos das
atividades, enquanto, na departamentalização, os custos e despesas são atribuídos através
de direcionadores de tarefas.
c) o custeio ABC somente deve ser aplicado em empresas não industriais, devido ao fato de
somar custos e despesas, enquanto a departamentalização é utilizada, exclusivamente, em
empresas industriais.
d) o custeio ABC pode ser utilizado apenas em conjunto com a reengenharia de processos,
pois a departamentalização usa, exclusivamente, rateio linear misto.
e) a departamentalização tem uma visão verticalizada, enquanto o custeio ABC tem uma
abordagem horizontal por ser interdepartamental.

Comentário:

Na departamentalização, os custos são apurados por departamento e depois


alocados/rateados aos produtos.

No custeio ABC, os custos são atribuídos às atividades, da seguinte forma:

1) Alocação direta: Não apresenta grandes diferenças para o custeio por absorção. Refere-
se aos materiais diretos, mão de obra direta, etc.
2) Rastreamento, através dos direcionadores de custos.
Esta é a grande diferença. Ao invés de custear o departamento, custeamos as atividades,
rastreando-as através de diversos departamentos.
3) Rateio: quando não é possível usar algum dos métodos anteriores.

Um exemplo para ajudar o entendimento:

DEPTO DEPTO DEPTO DEPTO TOTAL CUSTOS


ATIVIDADE
1 2 3 4 ATIVIDADE
ATIVIDADE A 2 5 7
ATIVIDADE B 4 1 9 14
ATIVIDADE C 6 3 3 12
TOTAL CUSTOS DEPTO 8 9 4 12

Gabarito  E

44
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

34. (FUNDATEC/AFTE-RS/2009) Em relação ao Custeio por Atividades (Activity-


BasedCosting), é correto afirmar que:

a) a atribuição de custos às atividades é feita com a seguinte ordem de prioridade:


rastreamento, alocação direta e rateio.
b) os direcionadores de recursos de atividades identificam como as atividades consomem
recursos.
c) os direcionadores de custos de recursos identificam como as atividades consomem
recursos.
d) os direcionadores de custos de recursos identificam como os produtos consomem as
atividades.
e) as tarefas são divididas em atividades e estas formam as operações.

Comentário:

Vamos analisar as alternativas:

a) a atribuição de custos às atividades é feita com a seguinte ordem de prioridade:


rastreamento, alocação direta e rateio.

ERRADA, a ordem é alocação direta, rastreamento e rateio.

b) os direcionadores de recursos de atividades identificam como as atividades consomem


recursos.

ERRADA. Na verdade, os direcionadores de custos identificam como as atividades


consomem recursos.

c) os direcionadores de custos de recursos identificam como as atividades consomem


recursos.

CERTA.

d) os direcionadores de custos de recursos identificam como os produtos consomem as


atividades.

ERRADA. Os direcionadores de custos das atividades identificam como os produtos


consomem as atividades.

e) as tarefas são divididas em atividades e estas formam as operações.

ERRADA. As atividades são divididas em tarefas e estas em operações.

45
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Gabarito  C

35. (FUNIVERSA/CEB/CUSTOS)Com base nas informações a seguir, assinale a alternativa


que apresenta o custo da atividade por unidade de produto, para os itens de camisetas,
calças e vestidos:

Dados:

I. Atividade comprar materiais R$ 40.000,00.


II. Direcionadores de custos n.º de pedidos conforme a seguir:

Camiseta 40
Calça 60
Vestidos 20

III. Quantidades produzidas:

Camiseta 2.000
Calça 6.000
Vestidos 2.800

(A) R$ 6,66, R$ 3,33 e R$ 2,38


(B) R$ 5,55, R$ 2,44 e R$ 2,38
(C) R$ 6,66, R$ 2,44 e R$ 3,44
(D) R$ 2,44, R$ 3,33 e R$ 6,66
(E) R$ 6,66, R$ 3,33 e R$ 5,55

Comentário:

A questão fornece o custo da atividade (40.000), o direcionador de custos e a quantidade


usada para cada produto, e a quantidade produzida. E pede o custo da atividade por
unidade de produto.

Vamos lá:

Custo da atividade: $40.000


Direcionador de custos = Número de pedidos = +40+60++20 = 120
Custo unitário da atividade: $40.000 / 120 pedidos = $333,33

Custo total da atividade por produto:

Camiseta: 40 pedidos x $333,33 = $13.333,20


Calça: 60 pedidos x $333,33 = $ 19.999,80

46
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Vestido: 20 pedidos x $333,33 = $ 6.666,60

Custo unitário da atividade por produto:

Camiseta: $13.333,20 / 2.000 = $6,66


Calça:$19.999,80/6.000 = $3,33
Vestido:$ 6.666,60/2.800 = $2,38

Gabarito  A

36. (CESGRANRIO/Petrobras/Contador Jr/2010) Um dos aspectos mais importantes na


aplicação do custeio ABC (Custeio Baseado em Atividades) é a identificação e seleção dos
direcionadores de custos. Desse modo, é relevante saber que direcionador de custo é o(a)

(A) critério de rateio usado para atribuir um custo fixo a um produto.


(B) fator que determina o custo de uma atividade.
(C) indicador da relação custo-benefício no levantamento do custeio ABC.
(D) ferramenta utilizada para se atribuir um custo direto a um produto.
(E) forma como se pode ratear um custo fixo a um departamento
ou atividade.

Comentário:

C P E M
de uma atividade. Como as atividades exigem recursos para serem realizadas, deduz-se que
o C C
pg. 96)

Gabarito  B

37. (ESAF/MPOG/Analista de Planejamento/2005) A forma de custeio na qual os custos


são, inicialmente, atribuídos a direcionadores e posteriormente aos produtos é denominada
de custeio

A)por atividades.
B)variável.
C)direto.
D)pleno.
E)por encomenda.

Comentários:

A assertiva descreve o Custeio por Atividades (ABC).

47
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

O Custeio Baseado em Atividades (ActivityBasedCosting ABC) é um método de custeio que


procura reduzir a arbitrariedade do rateio dos custos indiretos, pois os custos são
inicialmente atribuídos às atividades e depois aos produtos, através dos direcionadores de
custos.

Gabarito  A

38. (ESAF/MPOG/Analista de Planejamento/2005)Uma das grandes vantagens


proporcionadas pela utilização do custeio ABC em relação às demais formas de atribuir
custos aos produtos e serviços consiste em:

A)eliminar totalmente a arbitrariedade de alocação de custos às atividades administrativas


com a não utilização de nenhuma forma de rateio dos custos incrementais das atividades.
B)descartar, da avaliação dos direcionadores de custos relativos, a produção de um bem ou
serviço, e os custos comuns às atividades na apuração do custo unitário.
C) reduzir as distorções provocadas pelo rateio arbitrário dos custos indiretos.
D)permitir o gerenciamento com eficiência e eficácia tanto dos custos diretos quanto dos
indiretos.
E)tornar-se uma importante ferramenta a ser utilizada no processo de planejamento,
gestão e controle efetivo dos custos diretos.

Comentários:

Vamos examinar as alternativas:

A) eliminar totalmente a arbitrariedade de alocação de custos às atividades administrativas


com a não utilização de nenhuma forma de rateio dos custos incrementais das atividades.

ERRADA. No custeio ABC, a atribuição de custos às atividades deve ser feita na seguinte
ordem:

1) alocação direta;
2) rastreamento; e
3) rateio.

Assim, os rateios continuam sendo utilizados.

B) descartar, da avaliação dos direcionadores de custos relativos, a produção de um bem ou


serviço, e os custos comuns às atividades na apuração do custo unitário.
ERRADA. Não se deve descartar nenhum produto da avaliação dos direcionadores, e os
custos comuns são incluídos na apuração do custos unitário.

48
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

C) reduzir as distorções provocadas pelo rateio arbitrário dos custos indiretos.


CORRETA. O Custeio Baseado em Atividades (ActivityBasedCosting ABC) é um método de
custeio que procura reduzir a arbitrariedade do rateio dos custos indiretos, pois os custos
são inicialmente atribuídos às atividades e depois aos produtos, através dos direcionadores
de custos.

D) permitir o gerenciamento com eficiência e eficácia tanto dos custos diretos quanto dos
indiretos.
ERRADA. O uso do Custeio por Atividades é muito semelhante aos custeios tradicionais
(absorção e variável), para os custos diretos. A diferença reside no tratamento dos custos
indiretos.

E) tornar-se uma importante ferramenta a ser utilizada no processo de planejamento,


gestão e controle efetivo dos custos diretos.
ERRADA A

GABARITO  C

39. (VUNESP/Sefaz-SP/Agente Fiscal/1997) Analise as afirmativas abaixo.

I. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio por absorção" apropria tão


somente os custos indiretos de fabricação dos produtos elaborados.
II. O sistema denominado "custeio variável" apropria todos os custos de produção aos
produtos elaborados.
III. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio padrão" apropria tão somente
os custos fixos da produção aos produtos elaborados.
IV. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio por absorção" apropria todos
os custos de produção aos produtos elaborados.
V. O sistema denominado "custeio baseado em atividades" apropria somente os custos
diretos aos produtos elaborados.

Pode-se afirmar que está correta apenas a

A) II.
B) III.
C) IV.
D) I.
E) V.

Comentários:

Vamos analisar as alternativas:

49
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

I. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio por absorção" apropria tão


somente os custos indiretos de fabricação dos produtos elaborados.

Alternativa ERRADA. O custeio por absorção apropria todos os custos aos produtos
elaborados.

II. O sistema denominado "custeio variável" apropria todos os custos de produção aos
produtos elaborados.

Alternativa ERRADA. O custeio Variável ou custeio Direto apropria apenas os custos


variáveis aos produtos, sendo o custo fixo tratado como despesa do período, diretamente
na Demonstração do Resultado. Lembramos que o custeio Variável não é aceito
contabilmente, pois fere o princípio da Competência.

III. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio padrão" apropria tão somente
os custos fixos da produção aos produtos elaborados.

Alternativa ERRADA. No custeio padrão, a contabilização é realizada com base em padrões,


sendo a diferença entre os padrões e o custo real ajustada periodicamente. Além disso, o
custo padrão é usado como instrumento de controle dos custos, comparando-se o padrão
com os custos reais.

IV. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio por absorção" apropria todos
os custos de produção aos produtos elaborados.

Alternativa CORRETA. Essa é a definição do custeio por absorção.

V. O sistema denominado "custeio baseado em atividades" apropria somente os custos


diretos aos produtos elaborados.

Alternativa ERRADA O ABC

Gabarito  C

CESPE/TCU/Auditor/2013) A respeito das notas explicativas que acompanham as


demonstrações contábeis, julgue o item subsequente, de acordo com as normas brasileiras
de contabilidade.

40. CESPE/TCU/Auditor/2013) Quando determinada entidade corrige,


retrospectivamente, erro material de períodos anteriores, a entidade deve divulgar nas
notas explicativas que acompanham o primeiro conjunto de demonstrações contábeis

50
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

publicado após a descoberta desse erro, entre outras informações, a natureza do erro e o
montante da retificação para cada período anterior apresentado, na medida em que seja
praticável, para cada item afetado da demonstração contábil.

Comentários:

A resposta consta no Pronunciamento CPC 23 - Políticas Contábeis, Mudança de Estimativa


e Retificação de Erro:

Divulgação de erro de período anterior

49. Ao aplicar o item 42, a entidade deve divulgar:


(a) a natureza do erro de período anterior;

(b) o montante da retificação para cada período anterior apresentado, na medida em que
seja praticável:
(i) para cada item afetado da demonstração contábil; e
(ii) se o Pronunciamento Técnico CPC 41 Resultado por Ação se aplicar à
entidade, para resultados por ação básicos e diluídos;

(c) o montante da retificação no início do período anterior mais antigo apresentado; e

(d) as circunstâncias que levaram à existência dessa condição e uma descrição de como e
desde quando o erro foi corrigido, se a reapresentação retrospectiva for impraticável para
um período anterior em particular.

As demonstrações contábeis de períodos subsequentes à retificação do erro não precisam


repetir essas divulgações.

Gabarito  CERTO

51
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

7 QUESTÕES COMENTADAS NESTA AULA

1. (CESPE/CGE PI/Auditor/2015) No método de custeio variável ou direto, somente os


custos diretos são alocados aos produtos; os indiretos, ainda que variáveis, são
considerados como despesas na demonstração dos resultados do exercício.

2. (CESPE/CGE PI/Auditor/2015) De acordo com o método de custeio por absorção, os


custos fixos, embora não sejam ativados, são considerados no resultado à medida que os
produtos fabricados são vendidos.

3. (CESPE/CGE PI/Auditor/2015) O método de custeio por absorção é o mais adequado


para efeitos de tomada de decisão, planejamento e controle, já que, além de obedecer ao
regime de competência, é o mais aceito pelos profissionais de contabilidade e pelo fisco
brasileiro.

(CESPE/FUB/Contabilidade/2015) Enunciado das questões 4 a 6:

custos variáveis unitários R$


matéria-prima direta 15
mão de obra direta 7
custos indiretos variáveis de produção 8
despesas variáveis sobre vendas 2
custos fixos no período
custos indiretos fixos de produção 300 mil
despesas administrativas e de vendas fixas 500 mil

Determinada empresa incorreu nos custos e nas despesas mostrados acima, em um período
em que foram produzidas 25 mil unidades de seu único produto e vendidas 20 mil unidades
desse produto, não havendo quaisquer espécies de estoques iniciais nem de estoques finais
de produtos em processamento.

Com base nessa situação hipotética e considerando que os dados acima descritos sejam os
únicos dados relevantes, julgue o próximo item.

4. (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O custo unitário dos produtos vendidos, pelo


método do custeio por absorção, é igual a R$ 45.

52
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

5. (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O estoque final de produtos acabados, apurado


pelo método do custeio variável, apresenta valor superior a R$ 200 mil.

6. (CESPE/FUB/Contabilidade/2015) O estoque final de produtos acabados, apurado


pelo método do custeio variável, apresenta valor superior a R$ 200 mil.

7. (CESPE/STJ/Contadoria/2015) Quando se quer identificar os produtos que mais


contribuem para o lucro de uma empresa industrial, o custeio por absorção é preferível ao
custeio variável.

8. (CESPE/STJ/Contadoria/2015) No custeio variável, os custos fixos são separados e


considerados como despesas do período, portanto não são alocados aos produtos. Esse
procedimento evita que eventuais arbitrariedades, provocadas pelo rateio dos custos fixos,
venham a afetar o cálculo do custo dos produtos.

9. (CESPE/Auditor Federal de Controle Externo/TCU/2015) O método de custeamento


por absorção ou integral consiste na apropriação de todos os custos de produção de forma
direta ou indireta aos produtos adquiridos e elaborados ou aos serviços prestados. A
adoção desse método apresenta desvantagem relacionada à forma de rateio dos custos
comuns ou dos custos indiretos de fabricação, que não podem ser alocados de forma direta
ou objetiva a um segmento, atividade operacional ou produto.

10. (CESPE/Auditor Federal de Controle Externo/TCU/2015) O método de custeamento


variável, pelo qual todos os custos variáveis são alocados aos bens ou serviços, sejam eles
diretos ou indiretos, apresenta a vantagem de possibilitar que se encontre a margem de
contribuição unitária de cada produto, podendo, pois, servir como instrumento de decisão
de curto prazo.

11. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Em relação aos conceitos de


custos e metodologias de custeio, julgue o item a seguir.

A incorporação ao produto de custos gerais de produção, também denominados custos


indiretos de produção, é típica do método do custeio por absorção, não ocorrendo no
método do custeio variável.

12. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Em relação aos conceitos de


custos e metodologias de custeio, julgue o item a seguir.

O custeio variável incorpora ao produto apenas os custos cujo montante varia com o
volume de produção, ou seja, essencialmente matérias primas diretas e mão de obra direta.

53
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

13. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Com relação aos custos, julgue o


item.

Um custo cujo montante seja incrementado quando cresce o volume de produção, mas seja
constante para cada unidade produzida, é um custo variável.

14. (CESPE/Anatel/Especialista Contabilidade/2014) Com relação aos custos, julgue o


item.

Custos fixos, a longo prazo, variam com o volume de produção.

CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013)Com relação aos sistemas de custos, julgue os


itens a seguir.
15. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) Os custos do período são todos aqueles
não incluídos nos custos do produto. De acordo com o regime de competência, esses custos
são considerados despesas na demonstração de resultado do período em que eles
ocorreram.

Com relação aos métodos de custeio, julgue os itens seguintes.

16. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) No método de custeamento variável, os


custos variáveis diretos são alocados aos bens ou serviços. Desse modo, apenas os custos
variáveis, mensurados objetivamente, são considerados no valor do bem sem a utilização
de métodos de rateio, pois não sofreram processos arbitrários ou subjetivos.

17. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) O método de custeio por absorção


consiste na apropriação de todos os custos de produção de forma direta ou indireta aos
serviços prestados. Por esse método, a apropriação dos custos diretos é constituída de
forma econômica e viável para o objeto de custeio.

18. (CESPE/TCU/Auditor Controle Externo/2013) O objetivo do custeio ABC é a redução


dos custos por meio da eliminação dos desperdícios e do corte nos geradores de custos que
não agreguem valor ou nos fatores causadores do consumo de atividades evitáveis ou
desnecessárias. Essa é uma forma eficaz de compressão de custos, diferindo da maneira
tradicional de cortes aleatórios dos recursos.

19. (CESPE/TRE-RJ/Analista Contabilidade/2012) Se determinada entidade faz o


levantamento de seus custos apenas pelo método de custeio por absorção, o valor
correspondente aos custos fixos da entidade está embutido em cada unidade de seus
produtos.

54
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

(CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012)

Considerando que os dados apresentados na tabela acima sejam relativos a uma indústria
com um único produto, que todos os custos e gastos relevantes dessa empresa estejam
relacionados nessa tabela e que a empresa não possua estoque no início do último
exercício, julgue os itens seguintes.

20. (CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012) Pelo método do custeio variável, a


empresa começa a ter lucro após vender 12.000 unidades.

21. (CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012) O custo do produto vendido,


apurado pelo método do custeio por absorção, foi inferior a R$ 600.000.

22. (CESPE/SSP-CE/Perito Ciências Contábeis/2012) O lucro operacional líquido


apurado na situação considerada será maior na demonstração de resultado pelo método do
custeio por absorção do que pela do custeio variável, invertendo-se essa situação caso, no
próximo período, a empresa venda a totalidade de seus estoques.

(CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012)

55
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

O quadro acima mostra a estrutura de custos e gastos operacionais de determinada


indústria que fabrica um único produto. Todos os seus custos e gastos estão relacionados
nesse quadro. O preço de venda desse produto é de R$ 100,00 por unidade. Em dezembro
de 2011, essa fábrica produziu 20.000 unidades desse produto e vendeu 15.000 unidades.
Com base nessas informações, julgue os itens subsecutivos.

23. CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) O ponto de equilíbrio da empresa


em volume de vendas é superior a R$ 650.000.

24. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) Em dezembro de 2011, a diferença


entre o lucro operacional líquido apurado pelo custeio variável e o apurado pelo custeio por
absorção foi igual a 25% dos custos gerais de produção fixos.

25. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) Para fins de custeamento de


estoques, segundo a Lei n.º 6.404/1976, atualizada, a indústria em questão deverá usar o
critério do custeio por absorção, e o custo das unidades adicionadas ao estoque no final de
dezembro de 2011 perfaz o total de R$ 250.000,00.

(CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012)

O quadro acima mostra a estrutura de custos e gastos operacionais de determinada


indústria que fabrica um único produto. Todos os seus custos e gastos estão relacionados
nesse quadro. O preço de venda desse produto é de R$ 100,00 por unidade. Em dezembro
de 2011, essa fábrica produziu 20.000 unidades desse produto e vendeu 15.000 unidades.
Com base nessas informações, julgue os itens subsecutivos.

26. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) O custo do produto vendido em


dezembro de 2011, pelo custeio por absorção, foi inferior a R$ 700.000,00.

56
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

27. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) A margem de contribuição unitária


foi igual a R$ 56,00.

28. (CESPE/MP-PI/Analista Controle Interno/2012) Considerando o critério do custeio


variável, o lucro bruto apurado em dezembro de 2011 foi superior a R$ 800.000,00.

29. (CESPE/CORREIO/Analista Contador/2011) Considerando-se que a DRE de


determinada empresa corresponde aos dados apresentados na tabela abaixo, e sabendo-se
que das 1.000 unidades produzidas por essa empresa foram vendidas apenas 800, é correto
afirmar que o lucro líquido apurado pelo custeio por absorção foi inferior a R$ 540,00.

30. (CESPE/INMETRO/Ciências Contábeis/2010) Os dados abaixo (valores em reais)


referem-se a uma empresa hipotética.

Ainda com relação ao texto, caso a empresa produza 100.000 unidades e venda 90.000
unidades, a diferença entre o lucro operacional líquido apurado pelo custeio por absorção e
pelo custeio variável será

A) inferior a R$ 10.000,00.
B) igual a R$ 10.000,00.
C) superior a R$ 10.000,00 e inferior a R$ 20.000.00.
D) igual a R$ 20.000,00.
E) superior a R$ 20.000,00.

57
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

31. (CESPE/INMETRO/Ciências Contábeis/2010) Determinada indústria apresentou, em


um período em que não havia estoques iniciais, os seguintes custos de produção para um
único produto.

Custos de produção (R$)


matéria prima direta 9
mão de obra direta 10
outros custos diretos 5
custos indiretos de produção 150.000

No último ano, 25.000 unidades desse produto foram iniciadas e concluídas e 22.000 foram
vendidas.

Considerando as informações anteriormente apresentadas, assinale a opção que apresenta


o valor da diferença entre o custo do produto vendido pelo custeio por absorção e o custo
do produto vendido pelo custeio direto.

A) R$ 150.000,00
B) R$ 132.000,00
C) R$ 90.000,00
D) R$ 72.000,00
E) R$ 25.000,00

32. (FCC/Metro/Analista Contabilidade/2010) Caracteriza o sistema de custeio ABC:

A) o direcionamento de custos para as atividades e destas para os produtos, de acordo com


a proporção que estes consomem das atividades.
B) rateio de custos indiretos de fabricação, de acordo com a natureza de cada um,
utilizando vários indicadores, como critérios de rateio para os produtos.
C) inexistência de rateio para custos indiretos que não puderem ser associados ao volume
de produção, classificando-os diretamente como despesa no resultado.
D) predeterminação do valor dos custos indiretos de fabricação para posterior comparação
com os gastos efetivos.
E) rateio de custos indiretos de fabricação, sempre utilizando o critério da mão de obra
direta gasta em cada produto.

33. (CESGRANRIO - PETROBRAS 2010 - CONTADOR) A principal diferença entre o critério


de custeio ABC (Activity- BasedCosting) e o modelo de departamentalização (Custeio por
absorção) é que

58
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

a) os custos fixos são atribuídos, no custeio ABC, aos produtos através de rateio recíproco,
enquanto a departamentalização usa o rateio assimétrico.
b) os custos e despesas são atribuídos, no custeio ABC, aos produtos através dos custos das
atividades, enquanto, na departamentalização, os custos e despesas são atribuídos através
de direcionadores de tarefas.
c) o custeio ABC somente deve ser aplicado em empresas não industriais, devido ao fato de
somar custos e despesas, enquanto a departamentalização é utilizada, exclusivamente, em
empresas industriais.
d) o custeio ABC pode ser utilizado apenas em conjunto com a reengenharia de processos,
pois a departamentalização usa, exclusivamente, rateio linear misto.
e) a departamentalização tem uma visão verticalizada, enquanto o custeio ABC tem uma
abordagem horizontal por ser interdepartamental.

34. (FUNDATEC/AFTE-RS/2009) Em relação ao Custeio por Atividades (Activity-


BasedCosting), é correto afirmar que:

a) a atribuição de custos às atividades é feita com a seguinte ordem de prioridade:


rastreamento, alocação direta e rateio.
b) os direcionadores de recursos de atividades identificam como as atividades consomem
recursos.
c) os direcionadores de custos de recursos identificam como as atividades consomem
recursos.
d) os direcionadores de custos de recursos identificam como os produtos consomem as
atividades.
e) as tarefas são divididas em atividades e estas formam as operações.

35. (FUNIVERSA/CEB/CUSTOS)Com base nas informações a seguir, assinale a alternativa


que apresenta o custo da atividade por unidade de produto, para os itens de camisetas,
calças e vestidos:

Dados:

I. Atividade comprar materiais R$ 40.000,00.


II. Direcionadores de custos n.º de pedidos conforme a seguir:

Camiseta 40
Calça 60
Vestidos 20

III. Quantidades produzidas:

59
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

Camiseta 2.000
Calça 6.000
Vestidos 2.800

(A) R$ 6,66, R$ 3,33 e R$ 2,38


(B) R$ 5,55, R$ 2,44 e R$ 2,38
(C) R$ 6,66, R$ 2,44 e R$ 3,44
(D) R$ 2,44, R$ 3,33 e R$ 6,66
(E) R$ 6,66, R$ 3,33 e R$ 5,55

36. (CESGRANRIO/Petrobras/Contador Jr/2010) Um dos aspectos mais importantes na


aplicação do custeio ABC (Custeio Baseado em Atividades) é a identificação e seleção dos
direcionadores de custos. Desse modo, é relevante saber que direcionador de custo é o(a)

(A) critério de rateio usado para atribuir um custo fixo a um produto.


(B) fator que determina o custo de uma atividade.
(C) indicador da relação custo-benefício no levantamento do custeio ABC.
(D) ferramenta utilizada para se atribuir um custo direto a um produto.
(E) forma como se pode ratear um custo fixo a um departamento
ou atividade.

37. (ESAF/MPOG/Analista de Planejamento/2005) A forma de custeio na qual os custos


são, inicialmente, atribuídos a direcionadores e posteriormente aos produtos é denominada
de custeio

A)por atividades.
B)variável.
C)direto.
D)pleno.
E)por encomenda.

38. (ESAF/MPOG/Analista de Planejamento/2005)Uma das grandes vantagens


proporcionadas pela utilização do custeio ABC em relação às demais formas de atribuir
custos aos produtos e serviços consiste em:

A)eliminar totalmente a arbitrariedade de alocação de custos às atividades administrativas


com a não utilização de nenhuma forma de rateio dos custos incrementais das atividades.
B)descartar, da avaliação dos direcionadores de custos relativos, a produção de um bem ou
serviço, e os custos comuns às atividades na apuração do custo unitário.
C) reduzir as distorções provocadas pelo rateio arbitrário dos custos indiretos.
D)permitir o gerenciamento com eficiência e eficácia tanto dos custos diretos quanto dos
indiretos.
E)tornar-se uma importante ferramenta a ser utilizada no processo de planejamento,

60
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

gestão e controle efetivo dos custos diretos.

39. (VUNESP/Sefaz-SP/Agente Fiscal/1997) Analise as afirmativas abaixo.

I. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio por absorção" apropria tão


somente os custos indiretos de fabricação dos produtos elaborados.
II. O sistema denominado "custeio variável" apropria todos os custos de produção aos
produtos elaborados.
III. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio padrão" apropria tão somente
os custos fixos da produção aos produtos elaborados.
IV. O sistema de apropriação de custos denominado "custeio por absorção" apropria todos
os custos de produção aos produtos elaborados.
V. O sistema denominado "custeio baseado em atividades" apropria somente os custos
diretos aos produtos elaborados.

Pode-se afirmar que está correta apenas a

A) II.
B) III.
C) IV.
D) I.
E) V.

CESPE/TCU/Auditor/2013) A respeito das notas explicativas que acompanham as


demonstrações contábeis, julgue o item subsequente, de acordo com as normas brasileiras
de contabilidade.

40. CESPE/TCU/Auditor/2013) Quando determinada entidade corrige,


retrospectivamente, erro material de períodos anteriores, a entidade deve divulgar nas
notas explicativas que acompanham o primeiro conjunto de demonstrações contábeis
publicado após a descoberta desse erro, entre outras informações, a natureza do erro e o
montante da retificação para cada período anterior apresentado, na medida em que seja
praticável, para cada item afetado da demonstração contábil.

61
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS


Gabriel Rabelo, Luciano Rosa
Aula 03
26020

8 GABARITO DAS QUESTÕES DESTA AULA

QUESTÃO GABARITO
1. E
2. E
3. E
4. E
5. E
6. C
7. E
8. C
9. C
10. C
11. E
12. C
13. C
14. ANULADA
15. C
16. C
17. C
18. C
19. C
20. E
21. E
22. C
23. E
24. C
25. C
26. E
27. E
28. C
29. E
30. C
31. B
32. A
33. E
34. C
35. A
36. B
37. A
38. C
39. C
40. C
62
Contabilidade de Custos p/ TCU (Auditor Federal de Controle Externo) Com videoaulas - 2019
62
www.estrategiaconcursos.com.br

01181502195 - ADRIANO DA SILVA OLIVEIRA MORAIS

Você também pode gostar