Você está na página 1de 4

MATERIAL DE APOIO

Disciplina: Legislação Penal Especial


Professor: Denis Pigozzi
Aulas: 01 | Data: 05/02/2016

ANOTAÇÃO DE AULA

SUMÁRIO

CRIMES HEDIONDOS
2. Rol dos Crimes Hediondos
3. Efeitos da hediondez
4. Regime de cumprimento de pena
5. Prisão temporária nos crimes hediondos e equiparados.
6. Livramento condicional nos crimes hediondos e equiparados.

CRIMES HEDIONDOS

2. Rol dos Crimes Hediondos

- Extorsão qualificada pela morte, art. 158, §2º. E caso resulte morte na extorsão qualificada do art. 158, §3º?

Art. 158, CP - Constranger alguém, mediante violência ou grave


ameaça, e com o intuito de obter para si ou para outrem indevida
vantagem econômica, a fazer, tolerar que se faça ou deixar de fazer
alguma coisa:
Pena - reclusão, de quatro a dez anos, e multa.
§ 1º - Se o crime é cometido por duas ou mais pessoas, ou com
emprego de arma, aumenta-se a pena de um terço até metade.
§ 2º - Aplica-se à extorsão praticada mediante violência o disposto
no § 3º do artigo anterior. Vide Lei nº 8.072, de 25.7.90
§ 3º - Se o crime é cometido mediante a restrição da liberdade da
vítima, e essa condição é necessária para a obtenção da vantagem
econômica, a pena é de reclusão, de 6 (seis) a 12 (doze) anos, além da
multa; se resulta lesão corporal grave ou morte, aplicam-se as penas
previstas no art. 159, §§ 2o e 3o, respectivamente. (Incluído pela Lei
nº 11.923, de 2009)

O prof. Victor Eduardo Rios Gonçalves traz três posições:

1ª posição: o sequestro relâmpago pela morte não é hediondo porque a lei que elenca os crimes dessa natureza
não faz referência ao art. 158, § 3º, não sendo possível ampliar o rol, pois constituiria analogia in malam partem.
Defensoria Pública.

Art. 1º, São considerados hediondos os seguintes crimes, todos


tipificados no Decreto-Lei no 2.848, de 7 de dezembro de 1940 -
Código Penal, consumados ou tentados:(Redação dada pela Lei nº
8.930, de 1994) (Vide Lei nº 7.210, de 1984)
III - extorsão qualificada pela morte (art. 158, § 2o); (Inciso incluído
pela Lei nº 8.930, de 1994)

Anual Modular Diurno


CARREIRAS JURÍDICAS
Damásio Educacional
IV - extorsão mediante seqüestro e na forma qualificada (art.
159, caput, e §§ lo, 2o e 3o); (Inciso incluído pela Lei nº 8.930, de
1994)

2ª posição: o delito é hediondo porque a lei manda aplicar as mesmas penas do crime de extorsão mediante
sequestro qualificado e este é sempre hediondo, conforme se vê no art. 1º, IV, L8072/90. EM SUMA, o legislador
ao determinar aplicação das mesmas penas do art. 159, §§ 2º e 3º (e não inserir o art. 158, § 3º) no rol dos crimes
hediondos, teria imaginado que a conclusão seria obvia: se as penas passam a ser as mesmas da extorsão mediante
sequestro, qualificada pela lesão grave ou morte, a natureza hedionda do delito também se mostrará presente,
quer no sequestro relâmpago qualificado pela lesão grave, quer em tal delito qualificado pela morte.

3ª posição: deve se pautar o raciocínio com base no crime de extorsão (art. 158, CP) e de acordo com a regra do
art. 1º, III, L8072/90, já que o sequestro relâmpago é uma modalidade desse crime, acrescida da restrição de
liberdade. Assim como a extorsão qualificada pela lesão grave não é infração hedionda, o sequestro relâmpago com
lesão grave também não é. Se, todavia, tratar-se de resultado morte, o delito será hediondo porque a extorsão
seguida de morte possui essa natureza. É a melhor posição.

Extorsão mediante seqüestro


Art. 159, CP - Seqüestrar pessoa com o fim de obter, para si ou
para outrem, qualquer vantagem, como condição ou preço do
resgate: Vide Lei nº 8.072, de 25.7.90 (Vide Lei nº 10.446, de 2002)
Pena - reclusão, de oito a quinze anos.. (Redação dada pela Lei nº
8.072, de 25.7.1990)
§ 1o Se o seqüestro dura mais de 24 (vinte e quatro) horas, se o
seqüestrado é menor de 18 (dezoito) ou maior de 60 (sessenta) anos,
ou se o crime é cometido por bando ou quadrilha. Vide Lei nº 8.072,
de 25.7.90 (Redação dada pela Lei nº 10.741, de 2003)
Pena - reclusão, de doze a vinte anos. (Redação dada pela Lei nº
8.072, de 25.7.1990)
§ 2º - Se do fato resulta lesão corporal de natureza grave: Vide Lei
nº 8.072, de 25.7.90
Pena - reclusão, de dezesseis a vinte e quatro anos. (Redação dada
pela Lei nº 8.072, de 25.7.1990)
§ 3º - Se resulta a morte: Vide Lei nº 8.072, de 25.7.90
Pena - reclusão, de vinte e quatro a trinta anos. (Redação dada
pela Lei nº 8.072, de 25.7.1990)
§ 4º - Se o crime é cometido em concurso, o concorrente que o
denunciar à autoridade, facilitando a libertação do seqüestrado, terá
sua pena reduzida de um a dois terços.(Redação dada pela Lei nº
9.269, de 1996)

3. Efeitos da hediondez

Art. 2º, I e II, L8072/90

Art. 2º, L8072/90. Os crimes hediondos, a prática da tortura, o tráfico


ilícito de entorpecentes e drogas afins e o terrorismo são insuscetíveis
de: (Vide Súmula Vinculante)

Página 2 de 4
I - anistia, graça e indulto;
II - fiança. (Redação dada pela Lei nº 11.464, de 2007)
§ 1o A pena por crime previsto neste artigo será cumprida
inicialmente em regime fechado. (Redação dada pela Lei nº 11.464,
de 2007)
§ 2o A progressão de regime, no caso dos condenados aos crimes
previstos neste artigo, dar-se-á após o cumprimento de 2/5 (dois
quintos) da pena, se o apenado for primário, e de 3/5 (três quintos),
se reincidente. (Redação dada pela Lei nº 11.464, de 2007)
§ 3o Em caso de sentença condenatória, o juiz decidirá
fundamentadamente se o réu poderá apelar em
liberdade. (Redação dada pela Lei nº 11.464, de 2007)
§ 4o A prisão temporária, sobre a qual dispõe a Lei no 7.960, de 21 de
dezembro de 1989, nos crimes previstos neste artigo, terá o prazo de
30 (trinta) dias, prorrogável por igual período em caso de extrema e
comprovada necessidade. (Incluído pela Lei nº 11.464, de 2007)

Essa lei impede a fiança, anistia, graça e indulto. Vale lembrar que a CF não veda expressamente o indulto. Por sua
vez, o STF declarou constitucional a vedação ao indulto.

Vale também lembrar que enquanto a graça é individual e solicitada ao Presidente da República, o indulto é coletivo
e concedido automaticamente pelo Presidente da República.

4. Regime de cumprimento de pena

Art. 2º, § 1º. As penas para condenados por crimes hediondos e equiparados (tráfico de drogas, tortura e
terrorismo) serão cumpridas no regime inicialmente fechado. No entanto, o STF declarou inconstitucional este
dispositivo porque viola o Princípio da Individualização da Pena do art. 5º, XLVI, CF.

Art. 5º, XLVI, CF - a lei regulará a individualização da pena e adotará,


entre outras, as seguintes:
a) privação ou restrição da liberdade;
b) perda de bens;
c) multa;
d) prestação social alternativa;
e) suspensão ou interdição de direitos;

Atenção – Progressão de Regimes: diz o art. 2º, § 2º que pode haver progressão de regime se o condenado cumprir
2/5 da pena se for primário ou 3/5 se for reincidente (a lei não exige a reincidência especifica). Vale ressaltar que
não é possível a progressão por salto, conforme súmula 491, STJ.

Súmula 491/STJ - 26/10/2015. Pena. Execução penal. Progressão por


salto. Progressão per saltum. Inadmissibilidade. Lei 7.210/1984, art.
112.
«É inadmissível a chamada progressão per saltum de regime
prisional.»

Página 3 de 4
Conforme sumula vinculante 26, para efeito de progressão de regime no cumprimento de pena por crime hediondo
ou equiparado, o juízo da execução observará a inconstitucionalidade do art. 2º, L8072/90, sem prejuízo de avaliar
se o condenado preenche, ou não, os requisitos objetivos e subjetivos do benefício, podendo determinar, para tal
fim, de modo fundamentado, a realização de exame criminológico. Em outras palavras, até antes de 29 de março
de 2007, deveria cumprir 1/6 e após essa data, 2/5 ou 3/5, conforme já mencionado.

Súmula Vinculante 26/STF-SVI - 26/10/2015. Pena. Execução da pena.


Regime no cumprimento. Crime hediondo, ou equiparado. Juízo da
execução observará a inconstitucionalidade do art. 2º da Lei 8.072/90,
sem prejuízo de avaliar se o condenado preenche, ou não, os
requisitos objetivos e subjetivos do benefício, podendo determinar,
para tal fim, de modo fundamentado, a realização de exame
criminológico. CF/88, arts. 5º, XLVI, XLVII. CP, arts. 33, § 3º e 59. Lei
7.210/84, art. 66, III, «b».
«Para efeito de progressão de regime no cumprimento de pena por
crime hediondo, ou equiparado, o juízo da execução observará a
inconstitucionalidade do art. 2º da Lei 8.072, de 25/07/90, sem
prejuízo de avaliar se o condenado preenche, ou não, os requisitos
objetivos e subjetivos do benefício, podendo determinar, para tal fim,
de modo fundamentado, a realização de exame criminológico.»

Vale ainda observar que o condenado para obter a progressão tem que ter mérito (bom comportamento).

5. Prisão temporária nos crimes hediondos e equiparados.

Vale lembrar que a prisão temporária é decretada pelo juiz, nunca de ofício e apenas na fase do inquérito policial.
Nos crimes hediondos e equiparados, o prazo da prisão temporária é de 30 dias prorrogável por mais 30 dias em
caso de extrema e comprovada necessidade.

6. Livramento condicional nos crimes hediondos e equiparados.

Próxima aula: início do tópico 6.

Página 4 de 4