Você está na página 1de 2

Dilma Rousseff defende legalização do aborto

Apontada como preferida de Lula para 2010, Dilma tem se esforçado para se aproximar do
eleitor

AGÊNCIA BRASIL
28/3/2009
Em entrevista, a ministra não se esquivou de temas polêmicos e disse que aborto é questão de
saúde pública

Brasília. A chefe da Casa Civil, ministra Dilma Rousseff, defendeu a legalização do aborto e
deu pistas de como poderá agir se suceder o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a partir de
2011. ‘‘Tenho um imenso orgulho de fazer parte de um governo que mostrou que é possível
crescer e distribuir renda ao mesmo tempo’’, afirmou a ministra em entrevista à revista feminina
Marie Claire, que será publicada neste fim de semana.

A ministra não se esquivou de temas polêmicos. ‘‘Abortar não é fácil para mulher alguma.
Duvido que alguém se sinta confortável em fazer um aborto. Agora, isso não pode ser
justificativa para que não haja a legalização’’, argumentou a ministra.

‘‘O aborto é uma questão de saúde pública. Há uma quantidade enorme de mulheres brasileiras
que morrem porque tenta abortar em condições precárias’’, afirmou. Dilma também disse que
acredita em Deus, outra questão sensível entre os eleitores brasileiros. ‘‘Fui batizada na Igreja
Católica, mas não pratico. Mas, olha, balançou o avião, a gente faz uma rezinha’’, disse,
sorrindo.

DILMA, “A CATÓLICA”, COMPARA O ABORTO A ARRANCAR UM DENTE


Fonte: Revista Veja

Sim, claro, claro. Vão dizer que estou com má vontade. Mas as palavras fazem sentido.
E eu gosto do sentido das palavras. A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, foi
indagada hoje, depois de uma missa (!!!), se era favorável ou contrária à descriminação do
aborto. E deu a seguinte resposta:

“Não é uma questão se eu sou contra ou a favor, é o que eu acho que tem que ser feito.
Não acredito que mulher alguma queira abortar. Não acho que ninguém quer arrancar um dente,
e ninguém tampouco quer tirar a vida de dentro de si”.

Resta evidente que ela estabeleceu um paralelo entre o dente, que certamente não é do
siso, e o feto. Assim, um aborto pode ser uma contrariedade comparável à extração de… um
dente. Santo Deus! Vamos às circunstâncias. Depois volto aqui para tentar entender por que a
petista é capaz dessas enormidades.
Dilma diz ser favorável à união de homossexuais
Terça-feira, 29 de junho de 2010 9:39
Da Agência Estado

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse ontem ser


favorável à união civil de pessoas do mesmo sexo. "Sou a favor da união civil. Acho que a
questão do casamento é religiosa. Eu, como indivíduo, jamais me posicionaria sobre o que uma
religião deve ou não fazer. Temos que respeitar", afirmou, durante sua participação no programa
Roda Viva, transmitido pela internet e exibido ontem à noite pela TV Cultura.
"Direitos civis básicos, direito à herança e a receber a aposentadoria do parceiro, são
direitos civis e devem ser reconhecidos de forma civil." Em relação ao aborto, outra questão
polêmica no Brasil, a ex-ministra-chefe da Casa Civil defendeu que mulheres que se enquadram
nos casos previstos em lei - estupro e risco de morte para a mãe - devem ter o direito de ser
atendidas pelo serviço público.
"Sempre digo uma coisa: não acredito que tenha uma mulher que seja a favor do aborto.
Não acho que as mulheres fazem aborto porque são favoráveis ao aborto. É uma coisa
esquisitíssima, absurda supor que uma mulher seja a favor do aborto", disse. "Temos uma
legislação no Brasil sobre essa questão e sou a favor de mantê-la. O que acho é que mulheres
enquadradas naquela situação têm direito de fazer na rede pública, e tem-se de tornar isso
acessível. Senão fica a seguinte situação: mulheres ricas têm acesso a clínicas, mulheres pobres
usam a agulha de tricô."