Você está na página 1de 25

MENSAGEM N.

º 005/2015

REGIME DE URGÊNCIA URGENTÍSSIMA

Senhor Presidente,
Senhores Vereadores e Senhoras Vereadoras,

Atendido os dispositivos legais e regimentais, submeto à consideração


da Câmara do Município de Valparaíso de Goiás, para apreciação e almejada
aprovação do referido Projeto de Lei Complementa, que “Dispõe sobre a
Reestruturação do Plano de Carreira e Remuneração do Magistério da Educação
Básica Pública do Município de Valparaíso de Goiás, e dá outras providências.”

A matéria em apreço tem o cunho de revisar e reestruturar o Plano de


Carreira do Magistério da Educação Básica Pública, com a finalidade de valorizar o
profissional da carreira do magistério do Município de Valparaíso de Goiás.

O Projeto de Lei ora encaminhado foi revisto pela Comissão de


Gestão dos Planos de Carreira, juntamente com o Sindicato dos Servidores
Públicos e Empresas Públicas Municipais de Valparaíso de Goiás -
SINDSEPEM/VAL, onde apontaram as necessidades a serem revistas no plano.

Portanto, resta inequívoco que o presente projeto é de suma


importância para os nossos servidores e convicta de que os ilustres membros dessa
Casa Legislativa haverão de conferir o necessário apoio a esta propositura, é que
solicito desta Casa de Leis a apreciação em regime de urgência urgentíssima.

Valparaíso de Goiás/GO, aos 19 (dezenove) dias do mês de março


de 2015.

LUCIMAR CONCEIÇÃO DO NASCIMENTO


Prefeita

A Sua Excelência o Senhor


Vereador ELVIS SANTOS
Presidente da Câmara Municipal de Valparaíso de Goiás
NESTA
PROJETO LEI COMPLEMENTAR Nº_______ , DE 19 DE MARÇO DE 2015.

Dispõe sobre a Reestruturação do Plano de


Carreira e Remuneração do Magistério da
Educação Básica Pública do Município de
Valparaíso de Goiás, e dá outras
providências.

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE VALPARAÍSO DE GOIÁS,


Estado de Goiás, no uso de suas atribuições constitucionais, conforme disposições da
Lei Orgânica do Município, faz saber que a Câmara de Vereadores aprovou e ela
sanciona a presente Lei Complementar:

TÍTULO I
DA CARREIRA

Art. 1º O Plano de Carreira e Remuneração do Magistério da Educação


Básica Pública do Município de Valparaíso de Goiás passa a denominar-se Carreira do
Magistério da Educação Básica Pública do Município de Valparaíso de Goiás-GO,
reestruturada na forma desta Lei Complementar.

§ 1º São princípios da Carreira do Magistério da Educação Básica


Pública do Município de Valparaíso de Goiás-GO:

I - reconhecimento da Educação Básica Pública e gratuita como direito


de todos e dever do Estado, que a deve prover de acordo com o padrão de qualidade
estabelecido na Lei n.º 9.394/96, LDB, sob os princípios da gestão democrática, de
conteúdos que valorizem o trabalho, a diversidade cultural e a prática social, por meio
de financiamento público que leve em consideração o custo-aluno necessário para
alcançar educação de qualidade, garantido em regime de cooperação entre os entes
federados, com responsabilidade supletiva da União;
II - acesso à carreira por concurso público de provas e títulos e orientado
para assegurar a qualidade da ação educativa;
III - remuneração condigna para todos e com vencimentos ou salários
iniciais nunca inferiores aos valores correspondentes ao Piso Salarial Profissional
Nacional, nos termos da Lei Federal n.º 11.738/2008;
IV - reconhecimento da importância da carreira dos profissionais do
Magistério público e desenvolvimento de ações que visem à equiparação salarial com
outras carreiras profissionais de formação semelhante;
V - progressão de vencimentos na carreira, por incentivos que
contemplem titulação, experiência, atualização e aperfeiçoamento profissional;
VI - valorização do tempo de serviço prestado pelo servidor ao ente
federado, que será utilizado como componente evolutivo;
VII - jornada de trabalho preferencialmente em tempo integral de, no
máximo, 40 (quarenta) horas semanais, tendo sempre presente a ampliação paulatina
da parte da jornada destinada às atividades de preparação de aulas, avaliação da
produção dos alunos, reuniões escolares, contatos com a comunidade e formação
continuada, assegurando-se, no mínimo, os percentuais da jornada que já vêm sendo
destinados para estas finalidades pelo Sistema de Ensino de Valparaíso de Goiás, de
acordo com o respectivo projeto político-pedagógico;
VIII - incentivo à dedicação exclusiva em uma única unidade escolar;
IX - incentivo à integração dos sistemas de ensino às políticas nacionais
e estaduais de formação para os profissionais da educação, nas modalidades presencial
e à distância, com o objetivo de melhorar a qualificação e de suprir as carências de
habilitação profissional na educação;
X - apoio técnico e financeiro, por parte do ente federado, que vise a
melhorar as condições de trabalho dos educadores e a erradicar e prevenir a incidência
de doenças profissionais;
XI - promoção da participação dos profissionais do Magistério e demais
segmentos na elaboração e no planejamento, execução e avaliação do projeto político-
pedagógico da escola e da rede de ensino;
XII - estabelecimento de critérios e objetivos para a movimentação dos
profissionais entre unidades escolares, tendo como base os interesses da aprendizagem
dos alunos;
XIII - regulamentação entre as esferas de administração, quando
operando em regime de colaboração, nos termos do artigo 241 da Constituição
Federal, para a remoção e o aproveitamento dos profissionais, quando da mudança de
residência e da existência de vagas nas redes de destino, sem prejuízos para os direitos
dos servidores no respectivo quadro funcional.

§ 2º O quantitativo de cargos da carreira de que trata o caput é


distribuído conforme estabelece o Anexo I desta Lei Complementar.

CAPÍTULO I
DA ORGANIZAÇÃO

Seção I
Dos Conceitos Básicos

Art. 2º Para os efeitos desta Lei Complementar, considera-se:


I - Sistema Municipal de Ensino - o conjunto de instituições e órgãos que
realizam atividades de educação sob a coordenação da Secretaria Municipal de
Educação.
II - Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás - o
conjunto dos profissionais que desempenham as atividades de docência ou as de
suporte pedagógico à docência, isto é, direção, supervisão, planejamento, orientação e
coordenação educacionais, exercidas no âmbito das unidades escolares de Valparaíso
de Goiás, em suas diversas etapas e modalidades;
III - Cargo - o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na
estrutura organizacional das escolas públicas municipais, que devem ser cometidas ao
servidor em exercício de Magistério;
IV - Nível - o posicionamento na tabela de vencimentos correspondente à
habilitação ou titulação do servidor;
V - Classe - o posicionamento, dentro de cada nível de habilitação ou
titulação, correspondente ao aperfeiçoamento profissional pertinente às atribuições do
cargo;
VI - Referência - o posicionamento do vencimento na tabela de
vencimentos em função da progressão por tempo de serviço, do nível de habilitação e
da classe.
VII - Carreira - o conjunto de cargos de natureza semelhante, distribuídos
de acordo com a sua responsabilidade e sua complexidade;
VIII - Professor - o titular de cargo da Carreira do Magistério da
Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás com atribuições que abrangem as
funções de Magistério;
IX - Especialista de Educação - o titular de cargo da Carreira do
Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás com atribuições que
abrangem as funções de Magistério;
X - Funções de Magistério - as exercidas por servidor da Carreira do
Magistério Público da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás em docência,
direção, orientação, supervisão ou coordenação educacional, quando exercidas nas
unidades escolares de educação básica em seus diversos níveis e modalidades;
XI - Área de atuação - o campo de atuação vinculado à área da educação
básica em que o servidor desenvolve suas atividades;
XII - Qualificação Profissional - o aprimoramento do profissional do
Magistério decorrente da evolução do nível de habilitação ou titulação e do
aperfeiçoamento profissional;
XIII - Habilitação ou Titulação - a formação em nível de graduação ou
pós-graduação pertinente à área de atuação do professor ou especialista de educação
obtida em universidades e institutos superiores de educação reconhecidos pelos órgãos
competentes no Brasil;
XIV - Aperfeiçoamento Profissional - o aprimoramento funcional do
servidor decorrente de sua participação em cursos de treinamento ou atualização
vinculados à sua área de atuação;
XV - Progressão Funcional - a evolução do vencimento do servidor na
carreira decorrente do tempo de serviço, da habilitação ou titulação e do
aperfeiçoamento profissional;
XVI - Coordenação Pedagógica - o conjunto de atividades destinadas à
qualificação, ao aperfeiçoamento profissional e ao planejamento pedagógico que serão
desenvolvidas pelo docente e que dão suporte à atividade de regência de classe;
XVII - Carga Horária Eventual- a ampliação temporária da carga horária
de 20 (vinte) horas semanais de trabalho até o limite de 40 (quarenta) horas semanais
em um cargo para o suprimento de carência eventual;
XVIII - Carga Horária Especial - a ampliação definitiva da carga horária
do servidor de 20 (vinte) para 40 (quarenta) horas semanais.

Parágrafo único. O exercício da função a que se refere o inciso XVI deste


artigo é restrito ao servidor ocupante de cargo efetivo.

Seção II
Da Estrutura da Parreira

Art. 3º A Carreira do Magistério da Educação Básica Pública do


Município de Valparaíso de Goiás fica reestruturada com os seguintes cargos:

I - Professor de Educação Básica;


II - Especialista de Educação Básica.

§ 1º O cargo de Professor de Educação Básica passa, a partir da vigência


desta Lei Complementar, a ser considerado cargo de nível superior, assegurada a
progressão por qualificação profissional aos professores com formação em nível médio
na modalidade normal anteriormente à vigência desta Lei Complementar e que
venham a adquirir formação em nível mais elevado.

§ 2º Os cargos de nível superior de Orientador Educacional e Supervisor


Pedagógico ficam transformados respectivamente nas especialidades de Orientação
Educacional e Supervisão Pedagógica e passam a integrar o Cargo de Especialista de
Educação Básica a que se refere o inciso II deste artigo.

Seção III
Dos Níveis e das Habilitações ou Titulações
Art. 4º Os cargos de que trata o artigo anterior, observado o disposto no
artigo 8º desta Lei Complementar, serão distribuídos nos seguintes níveis conforme as
habilitações ou titulações referentes ao exercício do Magistério:

I – Nível I – correspondente aos profissionais com formação em nível de


graduação;
II – Nível II - correspondente aos profissionais com formação em nível
de pós-graduação (lato sensu);
III – Nível III - correspondente aos profissionais com formação em nível
de pós-graduação (stricto sensu) com título de mestrado;
IV – Nível IV - correspondente aos profissionais com formação em nível
de pós-graduação (stricto sensu) com título de doutorado.

Parágrafo único. As atribuições específicas dos Cargos da Carreira do


Magistério da Educação Básica Pública do Município de Valparaíso de Goiás são
definidas na forma do anexo IV desta Lei Complementar.

Art. 5º Compõem cada nível as classes A, B, C, D e E.

§ 1º As classes constituem a linha de progressão determinada pelo


aperfeiçoamento profissional nos termos definidos no inciso XIV do artigo 2º desta Lei
Complementar.

§ 2º Somente depois de cumprido o estágio probatório poderá o


professor ou o especialista de educação progredir para o nível e classe subsequentes
aos do ingresso na carreira, assegurada a progressão por tempo de serviço durante o
estágio.

Seção IV
Do Ingresso

Art. 6º O ingresso na Carreira do Magistério da Educação Básica Pública


de Valparaíso de Goiás dar-se-á na classe A do nível I, exclusivamente mediante
concurso público de provas ou de provas e títulos, segundo regras estabelecidas no
respectivo edital.

§ 1º É vedada a contratação temporária de servidores para o exercício das


funções relativas aos cargos de que trata esta Lei Complementar, ressalvadas as
contratações para o atendimento de necessidades temporárias de excepcional interesse
público.
§ 2º Para os efeitos do parágrafo anterior entende-se por necessidade
temporária de excepcional interesse público aquela decorrente de situações
imprevisíveis, inesperadas, incomuns, anormais e de caráter estritamente emergencial,
não podendo o número de contratações a esse título exceder a 10% (dez por cento) do
quantitativo de cada cargo.

Art. 7º Em caso de contratações temporárias nas hipóteses e nas


condições definidas no artigo anterior, estas devem ser realizadas mediante processo
seletivo:

I - regulamentado por edital amplamente divulgado;


II - que exija, para a inscrição no certame, a formação mínima em nível
de graduação na área de atuação correspondente à vacância.

Art. 8º Os vencimentos dos professores com formação em nível médio


serão organizados em tabelas de vencimentos distintas, assegurada a progressão por
qualificação profissional mediante comprovação de formação em níveis mais elevados.

Seção V
Da Área de Atuação

Art. 9º Ficam definidas como áreas de atuação dos integrantes da


Carreira do Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás de acordo
com as respectivas habilitações:

I – Professor da Educação Básica:


a) Área 1: Educação Infantil, anos iniciais do Ensino Fundamental e 1º
segmento da Educação de Jovens e Adultos, exigida a formação em nível superior em
curso de licenciatura, de graduação plena, admitida, como formação mínima, a
oferecida em nível médio na modalidade normal para o exercício do Magistério,
observado o disposto no § 1º, do artigo 3º desta Lei Complementar.
b) Área 2: anos finais do Ensino Fundamental e 2º segmento da
Educação de Jovens e Adultos, exigida a formação em nível superior em curso de
licenciatura, de graduação plena, com habilitações específicas em área própria;

II – Especialista de Educação Básica: suporte à docência na Educação


Básica.

§ 1º Os professores aprovados em concurso para atuação na área 1,


portadores de habilitação, devidamente comprovada, para atuarem na área 2, poderão
atuar nesta última, mediante requerimento e a critério da Administração.
§ 2º Os professores aprovados em concurso público para atuação na área
2, portadores de habilitação, devidamente comprovada, para atuarem na área 1,
poderão atuar nesta última mediante requerimento e a critério da Administração.

§ 3º Para o suprimento de carências de professores em quaisquer das


áreas de atuação a que se refere este artigo, terá prioridade o professor concursado para
a sua área específica.

Seção VI
Da Movimentação de Pessoal

Art. 10. O encaminhamento dos profissionais do Magistério para


exercício nas escolas públicas municipais será feito com base em documento de
solicitação encaminhado à unidade administrativa competente, pela direção da escola
interessada, no qual deverão constar, no mínimo, os seguintes dados:

I – cargo;
II – carga horária;
III – no caso de servidor a ser encaminhado para o exercício de regência
de classe, a turma ou disciplina em que irá atuar.

§ 1º No documento de encaminhamento a que se refere o caput deste


artigo, expedido pela unidade administrativa competente, deverá constar, além dos
dados constantes no documento de solicitação da direção da escola interessada, a
forma de contratação do servidor, se mediante concurso público, contrato temporário
ou outra forma.

§ 2º As transferências dos profissionais do Magistério do seu local de


trabalho serão feitas mediante concurso anual de remanejamento a ser regulamentado
pela Secretaria Municipal de Educação.

§ 3º Para os efeitos do disposto no parágrafo anterior, entende-se por


remanejamento a transferência do servidor para unidade escolar localizada em bairro
distinto daquele onde antes se encontrava em exercício ou para unidade escolar no
âmbito do mesmo bairro.

§ 4º A devolução do servidor será feita nos seguintes casos:

I - mediante requerimento da chefia imediata dirigido à Secretaria


Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás, com a devida exposição de motivos,
assegurando-se ao servidor o contraditório e a ampla defesa;
II - em caso de superveniente e comprovada desnecessidade do servidor
na unidade escolar onde se encontre em exercício, será observada a ordem de
prioridades prevista nas normas de distribuição de carga horária expedidas pela
Secretaria Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás.

§ 5º Em nenhuma hipótese será admitida a devolução do servidor, por ato


da respectiva chefia imediata, sem autorização expressa da Secretaria Municipal de
Educação.

Seção VII
Do Tempo de Serviço

Art. 11. Para o enquadramento na Carreira do Magistério da Educação


Básica Pública de Valparaíso de Goiás, considera-se tempo de efetivo exercício,
apurado em dias, o exercido:

I – no Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás;


II – em qualquer dos poderes do Município de Valparaíso de Goiás, na
condição de requisitado ou cedido, desde que concomitantemente seja ocupante de
cargo efetivo da Carreira do Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de
Goiás;
III – no Magistério público do Município de Luziânia – GO,
anteriormente à opção pelo exercício do cargo no Município de Valparaíso de Goiás
em razão da emancipação deste último.

§ 1º Para efeito do caput, consideram-se como efetivo exercício os


afastamentos previstos nos arts. 68 e 92, da Lei Complementar n. º 028, de 18 de
dezembro de 2003, bem como o afastamento a que se refere o parágrafo seguinte.

§ 2º Serão concedidos, ao professor ou especialista de educação com


frequência igual ou superior a 90% (noventa por cento) no ano anterior, anualmente, 5
(cinco dias) de abono de ponto, podendo ser usufruídos, mediante acordo com a chefia
imediata, consecutivamente ou não, observado o prazo mínimo de 48 (quarenta e oito)
horas para a prévia comunicação à direção da escola.

§ 3º O abono de que trata o parágrafo anterior deverá ser negociado com


a direção da escola de modo a assegurar que o aluno não tenha prejuízo quanto aos
dias letivos e à aprendizagem.

§ 4º Não será admitida a dispensa do aluno para concessão do abono de


que trata o § 2º deste artigo.
Art. 12. Com anuência do Chefe do Poder Executivo, o servidor poderá
ser cedido para outro órgão ou instituição de qualquer esfera de governo, nas seguintes
hipóteses:

I - para exercer cargo em comissão ou função de confiança; e


II - para exercer o cargo ou emprego no qual foi investido no órgão ou
instituição cedente.

Art. 13. A remuneração do servidor cedido deverá ser sem ônus para o
órgão de origem.

Art. 14. Será computado como tempo de serviço para todos os efeitos
legais o período da cessão do servidor cedido.

Seção VIII
Do posicionamento na carreira

Art. 15 Os professores a que se refere o artigo 8º desta Lei


Complementar serão posicionados nos mesmos níveis e classes que atualmente se
encontram, asseguradas as progressões previstas para níveis mais elevados em caso de
elevação dos respectivos níveis de habilitação ou titulação.

Art. 16. Os profissionais do Magistério com formação em nível superior


serão posicionados nos níveis correspondentes às respectivas habilitações ou titulações
a que se refere o artigo 4º desta Lei Complementar, nas classes que atualmente se
encontram e na referência de vencimento determinada pelo tempo de serviço, pela
habilitação ou titulação.

Art. 17. O profissional do Magistério será promovido de nível mediante


requerimento e apresentação do diploma correspondente ao nível de habilitação ou
titulação requerido após 60 (sessenta) dias contados da data do requerimento,
observado o disposto no § 2º do artigo 5º desta Lei Complementar.

Seção IX
Da Carga Horária de Trabalho

Art. 18. A carga horária de trabalho do profissional da Carreira do


Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás é de:

I – 20 (vinte horas) semanais cumpridas em um turno; ou


II – 40 (quarenta horas) semanais, cumpridas em dois turnos.
Parágrafo único. Objetivando a isonomia na distribuição de carga horária
e na remuneração dos profissionais do Magistério, os professores com carga horária de
25 (vinte e cinco) horas semanais de trabalho passarão a exercer, sem qualquer
redução remuneratória e em caráter definitivo, 20 (vinte) horas semanais de trabalho.

Art. 19. Ao profissional da Carreira do Magistério da Educação Básica


Pública de Valparaíso de Goiás com carga horária de 20 (vinte) ou 40 (quarenta) horas
semanais é admitido o exercício de carga horária eventual de trabalho, para
substituição temporária, até o limite de 60 (sessenta) horas semanais, asseguradas, com
relação à carga horária excedente, todas as vantagens pecuniárias da carga horária
normal.

§ 1º A concessão do direito de acesso ao regime de 40 (quarenta) ou até


60 horas semanais a título de carga horária eventual poderá ser concedida mediante
interesse e comprovada necessidade da administração.

§ 2º A interrupção da concessão de que trata o parágrafo anterior


ocorrerá:

I – a requerimento do interessado;
II – quando cessada a razão determinante da concessão.

§ 3º Fica assegurado ao professor em exercício de carga horária eventual


de 40 (quarenta) horas semanais, o direito à carga horária especial definitiva de 40
(quarenta) horas semanais após 2 (dois) anos consecutivos ou 3 (três) interpolados de
efetivo exercício nessa condição.

§ 4º É facultado aos profissionais do Magistério a redução de carga


horária de trabalho de 40 (quarenta) para 20 (vinte) horas semanais, com a redução
proporcional da remuneração, a requerimento do servidor e a critério da Secretaria
Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás.

§ 5º A redução de carga horária a que se refere o parágrafo anterior


somente será permitida por no máximo duas vezes durante a carreira.

Art. 20. Fica assegurado ao professor em regência de classe de 40


(quarenta) horas semanais o mínimo de 15 (quinze) horas relógio de sua carga horária
semanal para o exercício de coordenação pedagógica a título de horas-atividades,
respeitado o limite máximo de 25 (vinte e cinco) horas relógio para o desempenho de
atividades de regência e ao professor com carga horária de 20 (vinte) horas semanais o
mínimo de 7 (sete) horas relógio de sua carga horária semanal para o exercício de
coordenação pedagógica a título de horas atividades, respeitado o limite máximo de 13
(treze) horas relógio para o desempenho de atividades de regência.

§ 1º Terão direito às horas-atividades somente os profissionais em


exercício de regência de classe.

CAPÍTULO II
DO DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL

Seção I
Da Qualificação Profissional

Art. 21. A qualificação profissional, que visa ao aprimoramento


permanente do ensino e ao desenvolvimento na Carreira do Magistério da Educação
Básica Pública de Valparaíso de Goiás, ocorrerá por meio de participação em cursos de
formação, treinamento, aprimoramento, especialização, mestrado e doutorado ou,
ainda, em outras atividades de atualização profissional proporcionadas pelo Governo
Municipal de Valparaíso de Goiás ou por instituições legalmente autorizadas,
observados os programas prioritários e segundo normas definidas pela Secretaria
Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás.

Art. 22. A licença para qualificação profissional consiste no afastamento


do professor ou especialista de educação de suas funções, computando o tempo de
afastamento para todos os fins de direito, e será concedida para frequência a cursos de
formação, aperfeiçoamento ou especialização, em instituições credenciadas, cujos
conteúdos estejam vinculados à área específica de educação.

§ 1º Anualmente poderão ser concedidas licenças no percentual


equivalente até 2% (dois por cento) do total de docentes em efetivo exercício no
município para a realização de cursos de Mestrado e Doutorado.

§ 2º O Chefe do Poder Executivo, por ato próprio, regulamentará a


licença para qualificação profissional no prazo máximo de 60 (sessenta) dias a contar
da publicação desta Lei Complementar.

Seção II
Da Progressão Funcional

Art. 23. A progressão funcional dar-se-á por tempo de serviço e por


qualificação profissional.
Art. 24. A progressão por tempo de serviço, destinada a incentivar a
permanência do servidor no serviço público municipal, dar-se-á automaticamente a
cada 365 (trezentos e sessenta e cinco) dias e até o vigésimo quinto ano de efetivo
exercício:

I - à razão de 1% (um por cento) aplicado sobre o vencimento até o


vigésimo ano de efetivo exercício, conforme estabelecido nos anexos;
II - à razão de 2% (dois por cento) aplicados sobre o vencimento do
vigésimo primeiro ao vigésimo quinto ano de efetivo exercício, conforme estabelecido
nos anexos.

Art. 25. A progressão por qualificação profissional dar-se-á na passagem


da Classe “E” do nível em que se encontra posicionado o vencimento básico do
servidor para a Classe “A” do nível imediatamente seguinte, mediante a apresentação
do diploma correspondente, bem como, na passagem de uma classe para a
imediatamente seguinte dentro do mesmo nível, observados os §§ 1º e 5º deste artigo.

§ 1º A progressão de uma classe para a imediatamente seguinte dar-se-á


por meio de requerimento do servidor mediante a apresentação de certificados que
atestem no mínimo 180 (cento e oitenta) horas de cursos referentes à sua área de
atuação, sendo que os certificados sejam de no mínimo 40 horas pertinentes à sua área
de atuação.

§ 2º Os certificados de cursos e títulos apresentados não serão


cumulativos.

§ 3º Somente serão aceitos certificados de cursos registrados pelo


Conselho Municipal de Educação (CME), inclusive, de cursos de formação
continuada, capacitação, treinamento, palestras ou equivalentes, conforme critérios
estabelecidos pelo próprio órgão para registro de certificados.

§ 4º Para os cursos e títulos registrados no Conselho Estadual de


Educação ou no Ministério da Educação (MEC) não será obrigatório o registro no
CME.
§ 5º O Professor ou Especialista de Educação somente poderá progredir
de uma classe para a outra imediatamente seguinte a cada 12 (doze) meses.

§ 6º Não terão direito à progressão funcional o professor ou especialista,


aposentado, em disponibilidade, em licença para tratar de assuntos particulares,
observado o parágrafo seguinte.
§ 7º Terá direito à progressão por tempo de serviço o servidor em estágio
probatório.

§ 8º No caso do servidor em estágio probatório é assegurada a progressão


para a Classe “A” do nível imediatamente subseqüente após o término do estágio,
mediante apresentação do diploma correspondente e desde que tenha passado por
todas as classes do nível anterior.

§ 9º Conforme determina a Constituição Federal de 88 no art. 41  e o


decreto municipal nº 039 de 16 de fevereiro de 2007 são estáveis após três anos de
efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude
de concurso público.

CAPÍTULO III
DA REMUNERAÇÃO

Seção I
Dos Componentes Remuneratórios

Art. 26. A remuneração dos cargos da Carreira do Magistério da


Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás é composta das seguintes parcelas:

I – vencimento, sendo o valor estabelecido para cada referência salarial e


excluídas quaisquer outras vantagens pecuniárias percebidas pelo professor ou
especialista de educação, conforme os Anexos V, VI, VII e VIII desta Lei
Complementar;
II - Gratificação de Regência de Classe, calculada à base de 25% (vinte e
cinco por cento) aplicados sobre o vencimento, a ser concedida ao professor em
efetivo exercício de regência de classe na rede pública municipal de ensino de
Valparaíso de Goiás;
III – Gratificação de Ensino Especial, calculada à base de 05% (cinco por
cento) aplicados sobre o vencimento, a ser concedida ao professor habilitado e por
meio de processo seletivo interno regulamentado pela Secretaria Municipal de
Educação e em atendimento especializado ao educando (AEE) não se aplicando ao
professor regente de classe regular que atenda alunos com necessidades especiais de
forma inclusiva.
IV – Gratificação de Coordenação Pedagógica, calculada à base de 25%
(vinte e cinco por cento), a ser concedida aos professores em exercício de coordenação
pedagógica nas unidades escolares públicas municipais;
V - Gratificação de Suporte Educacional, calculada à base de 25% (vinte
e cinco por cento), a ser concedida exclusivamente aos especialistas de educação em
exercício nas unidades escolares da Rede Pública de Ensino;
VI – Gratificação de Gerência de Ensino calculada a base de 25% (vinte
e cinco por cento) aos servidores lotados em órgãos da administração pública
constitutiva do sistema Municipal de Ensino.

§ 1º O valor inicial do vencimento da Carreira do Magistério da


Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás, correspondente à Classe A do nível
I, referente à formação em nível de graduação é igual ao valor correspondente ao valor
inicial da Classe A da tabela do Professor de nível médio, conforme tabela em anexo.
§ 2º As gratificações previstas neste artigo serão percebidas
cumulativamente, com exceção das previstas nos seus incisos IV e V e VI.
§ 3º Sobre as gratificações de regência e suporte educacional,
orientação e supervisão pedagógica, deverão incidir na contribuição previdenciária e
será incorporada aos seus proventos para efeitos de aposentadoria e em outros
benefícios previdenciários elencados na legislação municipal previdenciária em
vigência.
§ 4º Para as gratificações citadas no § 3º o servidor deverá comprovar
no mínimo de 5 (cinco) anos de contribuição para efeito de concessão dos benefícios
previdenciário.

Art. 27. Além do vencimento e das vantagens previstas nesta Lei


Complementar, ficam garantidas ao servidor da Carreira do Magistério da Educação
Básica Pública de Valparaíso de Goiás outras parcelas estabelecidas em legislação
específica, inclusive, as de caráter individual.

Art. 28. O exercício da Função de Diretor de Escola é reservado aos


profissionais da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás.

Art. 29. O servidor investido em Função de Diretor de Escola terá


acrescida à remuneração do cargo efetivo, o valor da gratificação de função conforme
segue:

I – escolas com 100 (cem) a 500 (quinhentos) alunos: 45% (quarenta e


cinco por cento);
II – escolas com 501 (quinhentos e um) a 1000 (mil) alunos: 55%
(cinquênta e cinco por cento);
III – escolas acima de 1001 (mil e um) alunos: 65% (sessenta e cinco por
cento).
Parágrafo único. Para aplicação dos percentuais a que se refere o
parágrafo anterior, será considerado o número de alunos matriculados na escola,
tomando-se como base, nos finais dos meses de fevereiro e agosto do ano letivo em
curso, não sendo contabilizados os alunos transferidos até as respectivas datas.

Art. 30. Após a entrada em vigor desta Lei Complementar somente serão
admitidas, para todos os profissionais da Carreira do Magistério da Educação Básica
Pública de Valparaíso de Goiás, duas tabelas de vencimentos, sendo uma
correspondente à carga horária de 20 (vinte) e outra à de 40 (quarenta) horas semanais,
a partir das quais serão calculadas as remunerações dos servidores com base nos
seguintes critérios:

I - o vencimento inicial do nível seguinte corresponderá ao vencimento


da classe E do nível anterior acrescido de 5% (cinco por cento).
II – o vencimento da classe seguinte corresponderá ao da classe anterior
acrescido de 5% (cinco por cento).

Seção II
Das Férias e dos Recessos

Art. 31. O período de férias do servidor da Carreira do Magistério da


Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás é de 30 (trinta dias) anuais, nos
termos de legislação específica.

§ 1º Os professores regentes, os readaptados ou com limitações de


atividades, os coordenadores, supervisores e os orientadores educacionais em exercício
nos estabelecimentos de ensino gozarão férias e recessos escolares coletivamente, de
acordo com o calendário elaborado pela Secretaria Municipal de Educação de
Valparaíso de Goiás.

§ 2º Os servidores da Carreira do Magistério da Educação Básica Pública


de Valparaíso de Goiás em exercício nas instituições educacionais terão recessos de 15
(quinze) dias corridos, a serem gozados entre o primeiro e o segundo semestre letivo, e
de 7 (sete) dias corridos, a serem gozados entre o segundo semestre letivo e o primeiro
semestre letivo do ano subsequênte.

CAPÍTULO III
DA COMISSÃO DE GESTÃO DA CARREIRA

Art. 32. Fica instituída a Comissão Paritária de Gestão da Carreira do


Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás, com as seguintes
atribuições:
I – emitir parecer sobre assuntos relativos à implantação e à gestão da
Carreira do Magistério da Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás;
II – produzir e encaminhar ao Poder Executivo, anualmente, até o final
do primeiro bimestre, a proposta de revisão da carreira de que trata esta Lei
Complementar.

§ 1º A Comissão de que trata o caput tem por finalidade gerenciar a


implantação e a operacionalização da carreira e é composta:

I - pelo(a) Secretário(a) Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás;


II – por um servidor integrante da Carreira do Magistério da Educação
Básica Pública de Valparaíso de Goiás indicado pelo(a) Secretário(a) Municipal de
Educação de Valparaíso de Goiás;
III - por um representante da Secretaria Municipal de Administração e
Recursos Humanos de Valparaíso de Goiás;
IV – por um representante dos diretores escolares escolhido pelos
integrantes desse segmento;
V – por quatro servidores integrantes da Carreira do Magistério da
Educação Básica Pública de Valparaíso de Goiás indicados pelo Sindicato dos
Servidores Públicos e Empresas Públicas Municipais de Valparaíso de Goiás –
SINDSEPEM/VAL.

§ 2º O Chefe do Poder Executivo, por ato próprio, nomeará os


integrantes da Comissão de que trata o caput no prazo de até 15 (quinze) dias após as
indicações.

§ 3º A Comissão de que trata o caput desde artigo contará com um


Presidente que será o Secretário Municipal de Educação e um Secretário eleito pelo
voto da maioria de seus pares.

§ 4º Os mandatos dos integrantes da Comissão de que trata o caput será


de 2 (dois) anos, permitida a recondução por igual período consecutivo.

§ 5º As deliberações da Comissão de que trata este artigo serão tomadas


pela maioria simples dos votos dos membros presentes nas reuniões, cujo quorum de
instalação será de no mínimo 50 % (cinquenta por cento) dos membros que a
compõem.

§ 6º As reuniões da Comissão de que trata este artigo serão convocadas


pelo respectivo Presidente ou por ato assinado pela maioria de seus membros.
§ 7º O Poder Executivo analisará e encaminhará o Projeto de Lei ao
Poder Legislativo dispondo sobre a revisão do Plano de Carreira e Remuneração do
Magistério da Educação Básica Pública do Município de Valparaíso de Goiás, no
prazo máximo de 60 (sessenta) dias do recebimento da proposta elaborada pela
Comissão.

TITULO II
DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS

Art. 33. Integram esta Lei Complementar os Anexos I, II, III, IV, V, VI,
VII e VIII.

Art. 34. Nenhuma redução de remuneração poderá resultar da aplicação


do disposto nesta Lei Complementar, sendo assegurada, em forma de Vantagem
Pessoal Nominalmente Identificada - VPNI a parcela correspondente à diferença
eventualmente obtida.

Art. 35. O servidor da Carreira do Magistério da Educação Básica


Pública de Valparaíso de Goiás reger-se-á pela Lei Complementar n.º 028/2003, Lei
Complementar n. º 001, de 26 de junho de 1997, normas internas da Secretaria
Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás, normas emanadas do Poder Executivo
do Município de Valparaíso de Goiás e pelo disposto nesta Lei Complementar.

Art. 36. As despesas decorrentes da aplicação desta Lei Complementar


correrão à conta de recursos consignados ao Município de Valparaíso de Goiás.

Art. 37. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua


publicação, retroagindo seus efeitos em 1º (primeiro) de março de 2015.

Art. 38. Fica revogada a Lei Complementar nº 78, de 25 de fevereiro de


2014.

Valparaíso de Goiás/GO, aos 19 (dezenove) dias do mês de março de


2015.

LUCIMAR CONCEIÇÃO DO NASCIMENTO


Prefeita
ANEXO I
QUANTITATIVO DE CARGOS - CARREIRA DO MAGISTÉRIO
DA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA DE VALPARAÍSO DE GOIÁS

CARGO QUANTITATIVO

PROFESSOR DE
EDUCAÇÃO BÁSICA
CNS 901
Educação Infantil e Séries Iniciais do
Ensino Fundamental

e 2.945

PROFESSOR DE
EDUCAÇÃO BÁSICA
CNS 1101
Séries Finais do
Ensino Fundamental

ESPECIALISTAS DE
EDUCAÇÃO BÁSICA:

ORIENTADOR EDUCACIONAL 340


CNS 503

SUPERVISOR PEDAGÓGICO
CNS 504

Valparaíso de Goiás/GO, aos 19 (dezenove) dias do mês de março de


2015.

LUCIMAR CONCEIÇÃO DO NASCIMENTO


Prefeita
ANEXO II

CARREIRA DO MAGISTÉRIO DA
EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA DE VALPARAÍSO DE GOIÁS

CARGO

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA


NÍVEL MÉDIO
40 (QUARENTA) HORAS SEMANAIS

PROFESSOR NIVEL SUPERIOR E


ESPECIALISTA DE EDUCAÇÃO BÁSICA
40 (QUARENTA) HORAS SEMANAIS

PROFESSOR DE EDUCAÇÃO BÁSICA


NÍVEL MÉDIO
20 (VINTE) HORAS SEMANAIS

PROFESSOR NÍVEL SUPERIOR E


ESPECIALISTA DE EDUCAÇÃO BÁSICA
20 (VINTE) HORAS SEMANAIS

Valparaíso de Goiás/GO, aos 19 (dezenove) dias do mês de março de


2015.

LUCIMAR CONCEIÇÃO DO NASCIMENTO


Prefeita
ANEXO III

CARGOS DA CARREIRA DO MAGISTÉRIO


DA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA DE VALPARAÍSO DE GOIÁS

CARGO ENQUADRAMENTO ESPECIALIDADE


NA CARREIRA

Professor Professor de Educação Básica Docência

Orientador Educacional Especialista de Educação Básica Orientação


Educacional

Supervisor Pedagógico Especialista de Educação Básica Supervisão Pedagógica

Valparaíso de Goiás/GO, aos 19 (dezenove) dias do mês de março de


2015.

LUCIMAR CONCEIÇÃO DO NASCIMENTO


Prefeita
ANEXO IV

ATRIBUIÇÕES FUNCIONAIS DE CARGOS EFETIVOS


DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO
BÁSICA E ESPECIALISTAS DA EDUCAÇÃO

CARGO/CÓDIGO ATRIBUIÇÕES/DESCRIÇÃO SUMÁRIA


PROFESSOR Ser exemplo de referência ética; conhecer os dispositivos
DE EDUCAÇÃO deste regimento, o Calendário Escolar, o Currículo Pleno e
BÁSICA as demais normas e leis em vigor; Planejar e ministrar aulas
CNS 901 em disciplinas do currículo de 1º ao 5º ano do Ensino
Ensino Fundamental Fundamental, ou no instrumento/modalidade para a área de
de 1º ao 5º ano e música; Elaborar, executar e avaliar os Planos de Ensino de
Educação Infantil sua competência, juntamente com o coordenador
pedagógico; Participar da elaboração da Proposta
Pedagógica, do Plano de Ação da escola, do Conselho
Escolar e do Regimento Interno da escola; Manter
atualizado o diário de classe, registrando o conteúdo
ministrado, a frequência dos estudantes e o resultado das
avaliações; Ter autonomia didático-pedagógico do ensino,
observando a proposta pedagógica e as leis em vigência;
Planejar, motivar e administrar o conteúdo curricular e
atividades extraordinárias zelando pela aprendizagem do
estudante; Observar os estudantes e registrar os fatos; Ser
fiel aos objetivos e propostas da escola; Utilizar estratégias
adequadas, variando métodos e técnicas de ensino, em
conformidade com o estudante e o conteúdo a ser
ministrado; Participar de atividades pedagógicas, culturais,
cívicas e educativas promovidas pela comunidade escolar e
Secretaria Municipal de Educação; Tratar igualitariamente
a todos os estudantes sem distinção de etnia, deficiência,
sexo, credo, religião, convicção política ou ideologia;
Corrigir as provas e trabalhos escolares dos estudantes do
segmento que está atuando, atribuindo-lhes notas
específicas; Executar as tarefas pedagógicas e de registro
da vida escolar do estudante, cumprindo os prazos fixados
pela Direção da escola, para a entrega dos documentos à
Secretaria da Escola e Secretaria Municipal de Educação;
Cumprir os dias letivos e as horas-aulas estabelecidos, além
de participar integralmente dos períodos dedicados ao
planejamento, à avaliação, ao desenvolvimento
profissional; Repor as aulas e os dias letivos previstos e não
ministrados, visando o cumprimento do Currículo Pleno e
do Calendário Escolar; Participar do Conselho de Classe,
do Conselho Escolar, bem como do Conselho do Caixa
Escolar; Encaminhar à Orientação Educacional ou ao
atendimento Psicopedagógico os estudantes com
dificuldades de aprendizagem ou com problemas de
adaptação ao Regimento Escolar; Zelar pela aprendizagem
dos estudantes, estabelecendo estratégias de recuperação de
acordo com o previsto neste Regimento; Planejar
concomitantemente com o professor do AEE o Plano de
atendimento ao estudante-público alvo da política
educacional de 1908; Propor novas formas de avaliação
funcional para o estudante; Elaborar e executar o plano de
curso das áreas de conhecimento e dos componentes
curriculares, de acordo com a Proposta Pedagógica; Avaliar
o estudante em consonância com os critérios quantitativos e
qualitativos estabelecidos nas diretrizes de Avaliação,
contidos na Proposta pedagógica e neste Regimento;
Participar de reuniões, cursos e de outras atividades
escolares sempre que convocado pela Direção da escola ou
pela Secretaria Municipal de Educação do município; Zelar
pela sua formação continuada.

PROFESSOR Analisar dados referentes à recuperação, aprovação e


DE EDUCAÇÃO evasão de alunos; Participar da elaboração e avaliação de
BÁSICA propostas curriculares; Participar da escolha do livro
CNS 1101 didático; Participar de estudos e pesquisas da sua área de
Ensino Fundamental atuação; Participar da promoção e coordenação de reunião,
de 6º ao 9º ano encontros, seminários, cursos, eventos da área educacional
e correlata; Participar da elaboração e gestão da proposta
pedagógica da escola em uma ação coletiva com os demais
segmentos; Participar da elaboração, acompanhamento e
avaliação de planos, projetos, propostas, programas e
políticas educacionais; Orientar a aprendizagem do aluno;
Participar do processo de planejamento das atividades da
escola; Organizar as operações inerentes ao processo de
ensino-aprendizagem; Contribuir para o aprimoramento da
qualidade do ensino; Planejar e executar o trabalho docente;
Levantar e interpretar dados relativos à realidade de sua
classe; Estabelecer mecanismos de avaliação; Constatar
necessidades e carências do aluno e propor o seu
encaminhamento a setores específicos de atendimento;
Cooperar com a coordenação pedagógica e orientação
educacional; Organizar registros de observações do aluno;
participar de atividades extra-classe; Coordenar a área do
estudo; Integrar órgãos complementares da escola;
Participar, atuar e coordenar reuniões e conselhos de classe;
Executar tarefas afins.

Planejar, implantar e implementar o Serviço de Orientação


Educacional, incorporando-o ao processo educativo global;
Participar do processo de caracterização do estudante,
identificando as possibilidades concretas da comunidade,
os interesses e as necessidades do estudante; Participar do
processo de elaboração, execução e acompanhamento da
Proposta Pedagógica, promovendo ações de efetivação do
incluso que contribuam para a implantação do currículo em
vigor na Rede Municipal de Ensino de Valparaíso de
Goiás; Realizar a orientação vocacional, em ação integrada
com os demais serviços pedagógicos, a partir de uma
análise crítica do contexto socioeconômico e cultural;
Identificar os fatores que interferem no rendimento escolar
ESPECIALISTA
e propor medidas alternativas de solução; Sistematizar o
DE EDUCAÇÃO
processo de intercâmbio de informações necessárias ao
ORIENTAÇÃO
conhecimento global do educando; Participar ativamente do
EDUCACIONAL
processo de integração escola-família-comunidade,
CNS 503
realizando ações que favoreçam o envolvimento dos pais
no processo educativo; Participar do Conselho de Classe e
do Conselho Escolar; Diagnosticar e trabalhar, junto à
comunidade escolar, causas que impedem o avanço do
processo ensino-aprendizagem; Supervisionar estágios na
área de Orientação Educacional; Integrar suas ações as do
serviço de apoio à aprendizagem; Assessorar a família e os
professores na sua ação educativa, promovendo palestras,
reuniões, sempre que necessário; Diagnosticar e trabalhar
junto à comunidade escolar, as causas que impedem o
avanço do processo de ensino e de aprendizagem; Colocar
o estudante na AEE e viabilizar o contra-turno.
Coordenar o processo de construção coletiva e execução da
Proposta Pedagógica, dos Planos de Estudo e dos
Regimentos Escolares; Investigar, diagnosticar, planejar,
implementar e avaliar o currículo em integração com outros
profissionais da Educação e integrantes da Comunidade;
Supervisionar o cumprimento dos dias letivos e horas/aula
estabelecidos legalmente; Velar o cumprimento do plano de
trabalho dos docentes nos estabelecimentos de ensino;
Assegurar processo de avaliação da aprendizagem escolar e
a recuperação dos alunos com menor rendimento, em
colaboração com todos os segmentos da Comunidade
Escolar, objetivando a definição de prioridades e a melhoria
da qualidade de ensino; Promover atividades de estudo e
pesquisa na área educacional, estimulando o espírito de
investigação e a criatividade dos profissionais da educação;
ESPECIALISTA Emitir parecer concernente à Supervisão Educacional;
DE EDUCAÇÃO Acompanhar estágios no campo de Supervisão
SUPERVISÃO Educacional; Planejar e coordenar atividades de atualização
PEDAGÓGICA no campo educacional; propiciar condições para a
CNS 504 formação permanente dos educadores em serviço;
Promover ações que objetivem a articulação dos educadores
com as famílias e a comunidade, criando processos de
integração com a escola; Assessorar os sistemas
educacionais e instituições públicas e privadas nos aspectos
concernentes à ação pedagógica.

Valparaíso de Goiás/GO, aos 19 (dezenove) dias do mês de março de


2015.

LUCIMAR CONCEIÇÃO DO NASCIMENTO


Prefeita

Você também pode gostar