Você está na página 1de 10

Módulo 1.

Resolução de Exercícios
Volume 1.A

Exclusivo da apostila do professor, este guia


apresenta a resolução dos exercícios

SUMÁRIO

História I
Capítulo 1 - O Início dos Tempos Modernos: ............................................................................................. 13
Tópico A: A Transição do Feudalismo para o Capitalismo
Tópico B: A Formação das Monarquias Nacionais
Tópico C: A Expansão Comercial e Marítima Européia
Tópico D: O Sistema Mercantilista
Questão de Aprofundamento ............................................................................................................................ 16
Capítulo 2 - O Renascimento Cultural: ....................................................................................................... 16
Tópico A: A Ideologia Medieval
Tópico B: As Transformações Econômicas e Sociais
Tópico C: O Humanismo
Tópico D: As Características do Renascimento
Tópico E: A Ciência Renascentista
Questão de Aprofundamento ............................................................................................................................ 17 13
Capítulo 3 - A Reforma e a Contra-Reforma Religiosa: ............................................................................ 18
Tópico A: As Causas da Reforma Religiosa
Tópico B: A Revolta Camponesa
Tópico C: A Propagação da Reforma
Tópico D: O Calvinismo e Anglicanismo
Tópico E: A Contra-Reforma
Tópico F: Os Tribunais da Inquisição
Tópico G: Index Librorium Prohibitorum
Tópico H: A Companhia de Jesus
Questão de Aprofundamento ............................................................................................................................ 19
Exercícios de Revisão: .................................................................................................................................. 20

2 C
Trovadores eram os compositores e poetas românticos que
Capítulo 1 criavam obras de caráter popular.

3 B
O Início dos Tempos Modernos Durante a Idade Média, na Europa Ocidental, predominava o
feudalismo cuja base econômica era uma agricultura de
subsistência através do estabelecimento de relações servis
de produção. Os laços de fidelidade entre as pessoas
caracterizava uma sociedade estamental. A Igreja Católica
era a maior proprietária de terras da época e, por conseguinte,
1 D a maior formadora de opinião.
Uma das principais características do sistema feudal era a Os valores eclesiásticos que se baseavam no teocentrismo
relação de dependência entre os indivíduos. Quando um e nas explicações baseadas na fé representavam a ideologia
nobre praticava o benefício, doando terras a um outro nobre medieval.
em troca de apoio, estabelecendo um compromisso de
fidelidade entre eles num ritual de homenagem e investidura, 4 C
se estabelecia uma relação de suserania e vassalagem, O feudalismo se formou a partir da desintegração do Império
influenciada pelo comitatus, de origem germânica. Romano do Ocidente e influenciado pelas tradições
Por outro lado, o colonato, de origem romana, exerceu uma
influência no feudalismo para a instituição das relações servis germânicas. A economia era baseada numa agricultura de
de produção, com base nos quais o servo da gleba, o subsistência, destinada a atender as necessidades imediatas.
trabalhador campesino, subordinava-se ao senhor feudal, Como o poder era descentralizado em função do direito de
dono da terra e do poder político. governar se basear na posse da terra, o poder real era
Volume 1.A
fraco, sendo a Igreja Católica a maior autoridade o
teocentrismo e o universalismo pontificial simbolizavam a
ideologia dominante. A única frase incorreta, na questão, é
a da letra C, visto que numa sociedade rural e estamental
1 D
existente no feudalismo não existia mobilidade social. Durante a Idade Média a Igreja Católica era a maior
proprietária de terras e, por extensão, a maior autoridade
5 A sobre a sociedade feudal. Havia, entretanto, alguns reis que
O feudo era dividido em três partes: o manso senhorial, as questionavam a ideologia clerical baseada na idéia de que
terras nas quais o servo deveria trabalhar três dias sem o papa era representante de Deus na Terra, razão pela qual
remuneração para pagar a corvéia ao senhor; o manso servil, o seu poder era universal, enquanto o rei deveria governar
em que o servo trabalhava para sustentar a si e a família, contudo, apenas a nação de seu reino.
Essa disputa entre papas e reis manifestou-se num episódio
parte da produção era para o senhor feudal, dessa maneira
denominado “Querela das Investiduras”, quando o papa
pagava a talha; e o manso comunal, ou campos abertos. Gregório VII proibiu o imperador Henrique IV, do sacro
História II

Dentro dessa estrutura socioeconômica o senhor sempre Império Romano-Germânico, de nomear membros da Igreja.
ganhava através dos arrendamentos ou através da prática
da corvéia e da talha. 2 C
A economia feudal era predominantemente agrícola,
6 C inicialmente de subsistência, voltada, portanto, para atender
às necessidades mais imediatas. Entretanto, especialmente
Durante a Baixa Idade Média, quando aconteceu o fim das
após a Baixa Idade Média passou a ocorrer um processo de
invasões bárbaras e foram organizadas as Cruzadas para libertar transformações econômicas com reflexos simultâneos na
Jerusalém dos turcos seldjúcitas, aconteceu um processo de organização da sociedade.
transformações econômicas com o desenvolvimento das A produção de excedentes implicava sua comercialização,
atividades comerciais em função da produção de excedentes, e acarretando o crescimento das cidades, urbanizando a
como conseqüência houve o crescimento das cidades e a sociedade. Gradativamente, o caminho das feiras foi
ascensão da burguesia. cedendo o lugar para a sedentarização do comércio. Como
As Cruzadas contribuíram para abrir as rotas de comércio na época existia uma fragmentação do poder, havia também
uma variedade de moedas.
com o Oriente beneficiando, sobretudo, as cidades italianas
A formação das Monarquias Nacionais, com o apoio da
14 de Gênova e Veneza. burguesia, contribuiu para a criação de um padrão monetário
nacional e para a unificação do sistema de pesos e medidas.
7 D
A civilização germânica exerceu uma forte influência sobre a 3 E
formação da sociedade feudal, especialmente através do O Estado moderno formou-se a partir da necessidade de
comitatus, que consistia numa aliança através de um juramento unificação política eliminando a fragmentação administrativa
que caracterizava o sistema feudal. As constantes guerras
de fidelidade entre um grupo de guerreiros e o chefe. Os
envolvendo os senhores feudais os enfraquecia politi-
guerreiros se comprometiam em lutar pela glória do chefe e camente. A eclosão das revoltas camponesas representava
este prometia conduzi-los para grandes vitórias. Butim era o uma ameaça à nobreza, razão pela qual ela apoiou o
direito dos vitoriosos na guerra de se apropriarem das riquezas fortalecimento do poder real para organização de um
e dos espólios dos vencidos. Essa aliança entre guerreiros e exército forte e permanente para defender os interesses dos
chefes num juramento de fidelidade, originou na sociedade grandes proprietários. Foi formado um corpo burocrático
feudal, o sistema de suserania e vassalagem. administrativo a serviço do absolutismo real.

8 E
4 A
A maneira de viver possui uma relação direta com a forma
As transformações econômicas ocorridas a partir da Baixa de pensar. O sistema feudal caracterizou-se por ter uma
Idade Média com o desenvolvimento do comércio e a economia baseada na agricultura, inicialmente de
ascensão da burguesia contribuíram para a formação das subsistência mas com o passar do tempo aconteceu um
Monarquias Nacionais. As constantes lutas entre senhores processo de transformações econômicas durante a Baixa
feudais os enfraqueceram. Idade Média. A propriedade dominical, ou o localismo
A consolidação do idioma nacional, favorecido pela invenção político, poder local do feudo por parte do senhor,
caracterizava o sistema feudal. A centralização política só
da imprensa, estimulou o sentimento nacionalista identificado
iria acontecer com a concentração dos poderes nas mãos
à figura do rei, que se considerava representante de Deus na do rei durante o regime político absolutista.
Terra, apoiado por um corpo burocrático administrativo, foram
os fatores decisivos para a formação das Monarquias Européias. 5 B
Durante o período medieval a autoridade do rei era muito
9 A mais teórica do que prática, pois existiam senhores feudais
A Revolução Gloriosa consistiu na aliança da burguesia que conseguiam reunir exércitos particulares mais
numerosos e, por isso mesmo, mais fortes do que os que
comercial à nobreza com o objetivo de combater o
eram subordinados aos reis. O poder do rei limitava-se,
absolutismo do rei Jaime II, da Dinastia Stuart. Sua deposição nessas condições, aos seus domínios. Mais tarde, com a
representou a ascensão da burguesia ao poder através da formação dos regimes políticos absolutistas foi que os reis
implantação do sistema parlamentarista de governo. se impuseram como autoridade nacional.
Volume 1.A
6 A 11 A
A sociedade feudal era estamental, ou seja, baseada na A formação das Monarquias Nacionais contribuiu para o
existência de privilégios para a nobreza, que fazia uso do advento do regime político absolutista, para isso os reis
nome de Deus para justificar a exploração praticada sobre contaram com o apoio da nobreza, do clero e também da
os camponeses, que eram os seus servos sujeitos ao burguesia. A nobreza teve os seus poderes reduzidos com
o fortalecimento do poder real mas conservou suas
pagamento das chamadas obrigações servis, sendo a propriedades, seus privilégios e, sobretudo, suas vidas que
corvéia, a talha e as banalidades as mais importantes. O eram ameaçadas pelas revoltas camponesas. O Absolutismo,
trabalho do servo sustentava o parasitismo da nobreza feudal. portanto, não foi um regime político burguês mas um Estado
feudal centralizado.
7 A
Duas civilizações exerceram influência sobre a formação do 12 C
feudalismo: a romana, com o colonato e a clientela, e a O Absolutismo Monárquico recebeu o apoio de alguns
germânica, com o benefícium e o comitatos. Um dos fatores da intelectuais que procuravam justificar o poder dos reis usando
desintegração das estruturas feudais foi o desenvolvimento do o nome de Deus, como foi o caso de Jacques Bossuet na
Teoria do Direito Divino dos Reis, ou a idéia da realização

História II
comércio que possibilitou a ascensão da burguesia. Durante a
de um contrato social realizado entre a sociedade, que por
Idade Média o poder monárquico era simbólico, sua autoridade viver em constantes conflitos renunciava a sua liberdade em
era reduzida diante de vários senhores feudais. As relações de favor do fortalecimento da autoridade do rei que passaria a
suserania e de vassalagem criavam vínculos de dependentes ser o responsável pela resolução dos litígios entre os
entre os nobres nos quais um nobre era ao mesmo tempo indivíduos. Thomas Hobbes afirmava que "o homem era o
suserano de um nobre e vassalo de outro. lobo do homem". Nicolau Maquiavel, autor de "O Príncipe"
defendia a tese de que "os fins justificam os meios" e que o
8 C príncipe não deve ter escrúpulos de usar os instrumentos de
A Igreja Católica tornou-se a mais importante instituição convencimento ou de coerção para manter-se no poder.
durante a Idade Média e servia de suporte ideológico para
justificar as estruturas políticas e sociais do sistema feudal. 13 D
O rei Luís XIV da Dinastia Bourbon, na França, foi considerado
Ela conseguiu sobreviver às invasões dos povos germânicos o mais absolutista dos Tempos Modernos. Esse regime
que destruíram o Império Romano do Ocidente e defendeu a caracterizava-se pela centralização político-administrativa,
idéia do universalismo pontificial ao assegurar que o Papa é com a concentração dos poderes nas mãos do rei que fazia
o representante de Deus na Terra. O sistema de suserania e de sua vontade a própria lei. Sua autoridade era justificada
vassalagem teve suas origens vinculadas às tradições pela Teoria do Direito Divino que afirmava ser apenas a
germânicas e o colonato é vinculado à civilização romana. Deus que o rei deveria prestar conta de seus atos. Alguns 15
intelectuais criaram teorias para justificar o poder
9 D monárquico. Apenas o item 4 está errado, pois o Cardeal
O Estado moderno, apesar de ter contado com o apoio da Richeleu foi ministro do rei Luís XIII e não do rei Luís XV.
burguesia comercial para a sua consolidação política e
14 A
econômica, continuou a privilegiar a nobreza e clero. Embora Para consolidar o absolutismo monárquico o rei Luís XIV
a burguesia fosse uma classe social em ascensão em termos procurou formar um corpo burocrático administrativo sob o
econômicos ela não usufruía dos privilégios da nobreza. seu controle. Em função disso, a intervenção do Estado,
Contudo, a burguesia foi igualmente beneficiada em relação entenda-se do rei, nas atividades políticas e econômicas se
ao comércio com as colônias, visto que absolutismo, constituía na principal característica do regime absolutista.
mercantilismo e colonialismo eram partes integrantes de
um mesmo processo sócio-econômico-político. 15 C
A acumulação primitiva do capital teve uma ligação intrínseca A dominação ideológica sobre a sociedade francesa fazendo
uso do nome de Deus associando-o a figura do rei era um
com a exploração colonial por suas respectivas metrópoles, importante meio de se conseguir a submissão do povo à
através da imposição do pacto colonial, de monopólios e autoridade monárquica. Opor-se ao rei significaria contrariar
de medidas protecionistas. a vontade de Deus.
Nesse contexto aconteceu a gradativa transição do
feudalismo para o capitalismo que iria se completar com a 16 C
Revolução Industrial, no século XVIII, na Inglaterra, e com Enquanto as colônias inglesas na América do Norte foram
a ascensão da burguesia ao poder após a eclosão da fundadas por imigrantes que fugiam das perseguições
Revolução Francesa. religiosas na Europa, nas colônias espanholas existiu uma
forte presença do Estado metropolitano na administração
colonial.
10 A
O sistema feudal formou-se a partir da desintegração do 17 E
Império Romano do Ocidente, caracterizou-se, em sua face O início do expansionismo português aconteceu com a
inicial durante a Alta Idade Média, pela descentralização tomada de Ceuta aos mouros, em 1415, portanto bem antes
político-administrativa, em que o direito de governar baseava- dos muçulmanos conquistarem Constantinopla, em 1453.
se na posse da Terra. A economia era uma agricultura de
subsistência sem fins lucrativos. Na Baixa Idade Média 18 C
aconteceu um processo de transformações econômicas e A expansão marítima européia foi o resultado da aliança da
burguesia comercial com o Estado, com o intuito de acumular
sociais, com a produção de excedentes possibilitando o
riquezas explorando as colônias. Portugal e Espanha foram
desenvolvimento do comércio e o renascimento urbano. os pioneiros nesse processo expansionista, que contribuiu
Os mercadores recebiam autorização para passarem pelos para a realização de verdadeiros massacres dos povos
feudos com o pagamento de impostos em troca de proteção nativos, da apropriação de suas riquezas, que enriqueceram
contra assaltos. a burguesia e fortaleceram o Estado metropolitano.
Volume 1.A
19 C 3 A
“Vários fatores articulados nos permitem compreender o Os principais objetivos do mercantilismo, prática econômica
pioneirismo português na expansão marítima dos séculos XV do regime absolutista, em termos políticos era o forta-
e XVI. Nenhum deles, isoladamente, é suficiente para explicar lecimento do Estado; em termos econômicos era a
tamanho feito, com tais descobertas ampliavam-se os acumulação de riquezas explorando as colônias e dessa forma
mercados e tomava força a idéia de que a Terra não era o se mantinha uma balança comercial favorável. O metalismo
centro do universo. Na aventura dos descobrimentos era a idéia de que a riqueza de um país dependia da quantidade
conviviam razão e fantasia: os que manipulavam “instrumentos de metais preciosos que o país possuísse. Na questão apenas
científicos” sentiam medo dos monstros marinhos e temiam o item A está errado, visto que o protecionismo alfandegário
o encanto das sereias. era parte integrante do mercantilismo.

20 E 4 B
O mercantilismo era a base econômica do regime político
absolutista, por isso sua principal característica era a 5 D
intervenção do Estado sobre a economia.
O seu principal objetivo era a acumulação de riquezas nas 6 C
História II

metrópoles européias, especialmente metais preciosos em


função da concepção metalista. Para que as metrópoles 7 E
tivessem sempre uma balança comercial favorável era
necessário exportar mais do que importavam, daí a 8 A
exploração sobre as colônias.
9 C
21 D
A D é única correta. Ela aponta duas características
importantes do mercantilismo: a exploração das colônias
(fornecedoras de matérias-primas e mercado consumidor
dos artigos produzidos na metrópole); e as medidas
protecionistas, que estimulavam as exportações para obter
superávit na balança comercial.
Capítulo 2
22 A O Renascimento Cultural
Para os mercantilistas a riqueza de um país associa-se à maior
quantidade de metais preciosos que possui dentro de suas
16 fronteiras. Por essa razão afirma-se que os mercantilistas
possuem uma concepção metalista de riqueza.

23 B
A invenção da imprensa possibilitou a difusão de obras que, 1 D
durante a Idade Média, pertenciam ao domínio exclusivo O movimento renascentista caracterizou-se por ser uma
dos letrados; a Reforma Protestante, ao criar religiões de fase de grande desenvolvimento artístico, científico e literário
caráter mais participativo, rompeu com a preponderância que procurou superar a ideologia medieval, baseada nas
do clero católico sobre a vida religiosa da população. explicações dogmáticas e no teocentrismo, e exaltar o
antropocentrismo, o racionalismo e o espírito crítico,
buscando na cultura greco-romana as inspirações para a
criação de novos valores.

2 B
A própria palavra renascimento já expressa a idéia de que
1 E os humanistas consideravam a Idade Média um período
O mercantilismo foi a prática econômica do regime político culturalmente morto, e que buscavam a inspiração na cultura
absolutista e, por isso mesmo, teve como principal caracte- clássica greco-romana.
rística a intervenção do Estado na economia. Seu principal
objetivo era a acumulação de riquezas, especialmente metais
preciosos, para tanto, existia a preocupação em manter a
3 A
balança comercial favorável, daí a necessidade de fundar O Renascimento teve nas cidades italianas, especialmente
colônias de exploração. Era também adotada uma política Florença e Veneza, o seu centro de irradiação para vários países
protecionista em termos alfandegários elevando os impostos da Europa Ocidental. Ainda não havia ocorrido o processo de
sobre os produtos importados para tornar competitivo o preço unificação da Itália, portanto, existiam cidades-Estado. Nelas
do produto nacional. destacaram-se os mecenas, integrantes da burguesia, que
promoviam o desenvolvimento das artes e das ciências.
2 A
A assinatura do Tratado de Tordesilhas tinha como finalidades 4 D
estabelecer um acordo entre os interesses de Portugal e Nessa questão todas as frases estão certas. Os sábios
Espanha a respeito das terras descobertas e que viessem a bizantinos fugiram para a Itália, com a Tomada de
ser descobertas a oeste do continente africano. Em 1493 Constantinopla pelos turcos. Dante, autor da Divina Comédia,
houve a assinatura da Bula Intercoetera pelo papa Alexandre
foi um notável escritor de Florença, ainda na Idade Média.
VI que estabeleceu um meridiano distando 100 léguas a oeste
do arquipélago de Cabo Verde. Entretanto, Portugal não Os mecenas contribuíram para esse movimento financiando
aceitou esse limite pois ficaria desprovido de terras. A os artistas. Shakespeare, autor de Hamlet, Camões de Os
ampliação para 370 léguas possibilitou a Portugal apoderar- Lusíadas, e Cervantes de D. Quixote de la Mancha foram
se de parte do atual território brasileiro a leste do meridiano. grandes literatos da Inglaterra, Portugal e Espanha.
Volume 1.A
5 A 8 C
Nessa questão apenas o quesito da letra A está errado porque A sociedade não se transforma por partes ela se transforma
as epopéias eram formas de exaltar as façanhas extraor- por inteiro, como um todo. A medida que acontece uma
dinárias das nações, de seus heróis e governantes, mudança na economia ela se reflete na organização da
sociedade e na sua maneira de ver a realidade. O
legitimando, desse modo, a autoridade dos reis e não os
Renascimento relaciona-se, portanto, com o desenvolvimento
subordinando ao poder espiritual.
do comércio e com o renascimento urbano que possibilitaram
a ascensão da burguesia.

9 C
A frase de Shakespeare enfatiza o surgimento de uma nova
mentalidade de valorização do homem, rompendo com a
idéia de que o corpo é o cárcere da alma e defendendo que
1 D o homem é um ser integrado em corpo e espírito. É através
A própria expressão Renascimento Cultural já carrega em si do corpo humano que o espírito se manifesta.
uma conotação depreciativa a respeito da Idade Média,

História II
considerada por alguns intelectuais humanistas como a
“Idade das Trevas”, “a noite de mil anos”, “a fase do
obscurantismo cultural”.
Renascer significava, portanto, romper com a ideologia
medieval, caracterizada pela religiosidade extremada, cujas
explicações baseavam-se na fé que exaltava o teocentrismo, 1 C
e valorizar a cultura clássica greco-romana, base de O Renascimento Cultural teve as cidades italianas como os
inspiração para uma cultura antropocêntrica, lógica e centros irradiadores para outros países europeus das artes
racional. e das ciências. O desenvolvimento do comércio, a ascensão
da burguesia, a atuação dos Mecenas contribuíram de forma
2 D decisiva para a propagação dos valores humanistas e
Os intelectuais humanistas eram identificados com o racionalistas dos intelectuais.
Renascimento cultural, artístico e científico que ocorreu na
transição da Idade Média para a Idade Moderna, cujo apogeu 2 D
aconteceu no século XVI. Galileu Galilei foi considerado um dos pensadores da
O Humanismo exaltou o racionalismo, o experimentalismo ciência experimental na Itália. Foi responsável pela
e o antropocentrismo. A valorização da cultura clássica divulgação das idéias científicas do polonês Nicolau 17
greco-romana não representava a intenção de imitar e Copérnico em defesa das concepções astronômicas
reproduzir o passado, mas usá-lo como trampolim para se heliocêntricas em oposição aos princípios geocêntricos até
dar um salto qualitativo, superando a ideologia medieval, e então aceitos como certos, inclusive pela Igreja Católica.
se ter a consciência de se viver uma nova época. Galileu foi preso, condenado como herege, obrigado a
desmentir as suas idéias e ficou em prisão domiciliar até
morrer em 1642.
3 E
A centralização política italiana não foi precoce pois somente
em 1870 a Itália foi unificada.
3 B
Os intelectuais humanistas possuíam uma visão depreciativa
sobre o período medieval, pois muitos deles considerava a
4 C "Idade das Trevas", "a noite dos mil anos" uma fase de
O texto faz menção às transformações ocorridas na Europa obscurantismo intelectual. Eles defendiam o racionalismo,
a partir da crise do sistema feudal e das transformações o experimentalismo, o criticismo, o individualismo, o
políticas, econômicas e culturais ocorridas nos dois hedonismo, o classicismo, o naturalismo e o heliocentrismo.
primeiros séculos da Idade Moderna (séculos XV-XVI). Em função disso opunham-se ao misticismo, ao coletivismo,
ao teocentrismo e ao geocentrismo.
5 E
Temos que identificar os valores renascentistas à visão de 4 D
mundo da burguesia no início dos Tempos Modernos que O movimento renascentista não se propôs voltar ao passado
buscava romper com a ideologia medieval fortemente da Antigüidade Clássica greco-romana com o intuito de
relacionada com a dominação doutrinária exercida pela Igreja imitá-la e reproduzi-la, mas de buscar a inspiração na cultura
Católica. Em função das novas idéias eles se opunham ao clássica para promover uma ruptura com o misticismo
misticismo, coletivismo, teocentrismo e geocentrismo. medieval e criar uma nova consciência na forma de enxergar
a realidade, agora com base em princípios racionais.
6 C 5 A
A arte renascentista representou uma valorização dos
A pintura expressa na questão, foi fruto da genialidade de
padrões estéticos existentes na Antigüidade clássica greco- Michelangelo e representa a criação do homem, Adão, por
romana. Exemplo disso é a figura de Deus pintada por Deus. Vale citar para reforçar a idéia contida no afresco a
Michelangelo na Capela Sistina que se assemelha em muito frase de William Shakespeare: "que obra de arte é o homem".
com as esculturas feitas na Idade Antiga de Júpiter, da O movimento renascentista não se caracterizou pelo
mitologia romana que é o mesmo Zeus da mitologia grega. ateísmo, até porque muitos Mecenos eram papas e clérigos,
razão pela qual muitas pinturas possuíam temas religiosos.
7 B
O humanismo procurou exaltar a genialidade humana, além 6 D
da beleza, e vê-lo como a principal das criaturas de Deus e Durante a fase do movimento renascentista destacaram-se
por isso é possuidor de criatividade e discernimento para inúmeros pintores cuja arte era identificada com o
transformar a si mesmo ao mesmo tempo em que transforma classicismo. Havia a preocupação de reproduzir a figura
o mundo em que vive. humana com uma áurea de perfeição e beleza.
Volume 1.A
7 C 4 E
A arte renascentista adotava o classicismo como Escola a A Confissão de Augsburgo foi a sistematização do pensamento
ser seguida. Valorizava o belo, a nudez, o corpo perfeito. de Lutero, feita por Felipe Melanchton, seu discípulo, e que
Muitos artistas buscavam a inspiração na Antigüidade greco- passou a constituir a doutrina luterana.
romana e, por isso, deixaram-se influenciar pela mitologia.
5 D
8 B Os Tribunais da Inquisição foram criados no século XIII com
Dava-se o nome de mecenas aos financiadores dos artistas o objetivo de consolidar a autoridade da Igreja Católica,
e intelectuais renascentistas, entre eles encontravam-se manter os seus dogmas e considerar os seus adversários
papas e clérigos. Várias obras de arte como as esculturas e como hereges, inclusive católicos que divergissem de sua
pinturas de Michelângelo foram encomendadas pelo papa orientação. Itália, Portugal e, sobretudo, Espanha, foram
Júlio II. Evidentemente as pinturas expressavam temas países onde esses tribunais mais atuaram, ou, em outras
religiosos e possuíam como finalidade a manutenção dos palavras, mais prenderam, torturaram e mataram,
valores cristãos como hegemônicos na sociedade da época. consolidando neles a doutrina católica.

9 C 6 A
História II

Os intelectuais humanistas fizeram uso da criticidade para Para evitar a difusão das idéias reformistas, conquistar novos
questionar os princípios dogmáticos até então predominantes adeptos e recuperar sua influência, a Igreja Católica reagiu
em função da forte influência da Igreja Católica sobre a promovendo a Contra-Reforma.
sociedade da época. Desse modo procuraram elaborar uma
nova escala de valores e de comportamentos mais 7 D
identificados com os princípios da burguesia. Com o avanço do protestantismo, a Igreja reativou a
Inquisição. Esta organizou uma lista de livros proibidos aos
10 D católicos, o Index Librorum Prohibitorum (Índice dos Livros
A expressão renascimento já carrega em seu bojo toda a Proibidos)
carga depreciativa dos humanistas em relação à Idade Média,
que era vista por eles como a Idade das Trevas. Renascer,
8 D
O concílio de trento criou o índice dos livros proibidos,
portanto, representava uma volta aos valores antropocêntricos
para evitar leituras impróprias. a cia de Jesus formou jesuítas
da Antigüidade greco-romana. Evidentemente a Idade Média
que propagaram o cristianismo.
não foi um período culturalmente morto, mesmo porque a
cultura não morre, entretanto, era a visão dos humanistas
sobre o período de grande misticismo da história medieval.
18

1 C
Capítulo 3 A Reforma contou com o apoio da nobreza alemã, cujo
maior interesse não era o de criar uma doutrina para os
A Reforma e a Contra Reforma Religiosa pobres ou mais próximos do Cristianismo primitivo, e sim,
o de romper com o universalismo pontificial, deixar de pagar
os impostos eclesiásticos e, sobretudo, confiscar o
patrimônio da Igreja Católica. Lutero afirmava que só Deus
salva e que a salvação é obtida pela fé em Deus que escolhe
os seus eleitos para a vida eterna.

1 A
2 D
A Inquisição, considerada santa sé pela Igreja Católica, foi
A doutrina que mais contribuiu para justificar o capitalismo
foi o Calvinismo ao afirmar que “a riqueza é um sinal de criada no século XIII para combater quaisquer idéias que
salvação” e que “só os predestinados por Deus terão êxito divergissem de seus dogmas, considerados verdades
na vida”. Nas regiões onde mais se desenvolveu o comércio absolutas, inquestionáveis, baseadas na fé e por isso, não
foi onde o Calvinismo teve mais adeptos. se permitia o debate crítico sobre esses princípios religiosos.
Quem ousasse estabelecer a dúvida, contestar a ortodoxia
2 E católica era considerado herege, preso, torturado e
A Reforma teve entre suas principais causas, a exaltação de queimado vivo na fogueira para, segundo a Igreja Católica,
um sentimento de nacionalismo que não aceitava a idéia do se purificar expulsando o demônio do corpo.
universalismo pontificial, argumento que justificava a
interferência do papa em assuntos internos de diversos reinos 3 A
europeus. Portanto, a Reforma teve êxito por ter sido apoiada Essa concepção, denominada de doutrina dos 2 Gládios,
por reis, nobres e burgueses, em outras palavras, foi um expressava o pensamento político e ideológico da Igreja
movimento das elites, interessadas em confiscar os inúmeros Católica, durante a Idade Média.
bens da Igreja Católica. Com base nele, foi instituído o princípio do universalismo
pontificial que se sobrepunha à idéia do nacionalismo real.
3 C
Esse conflito entre o poder universal, exercido pelo papa, e
O Edito de Nantes foi assinado em 1598, pelo rei Henrique
IV, da França, com o objetivo de acabar com as constantes o poder nacional, representado pelo rei, foi uma das
lutas entre católicos e protestantes. Ele que era inicialmente principais causas da Reforma Protestante.
protestante, renunciou à sua religião, converteu-se ao
catolicismo para poder reinar sobre a França, um país 4 E
predominantemente católico. Para justificar sua atitude João Calvino afirmava que o destino de cada um já estava
afirmou: “Paris bem merece uma missa”. O Edito de Nantes traçado, e a riqueza, o trabalho e a obediência à ordem
foi posteriormente revogado pelo rei Luís XIV. eram sinais claros de iluminação divina. Não é por outra
Volume 1.A
razão, que o sociólogo alemão Max Weber defendeu a tese 2 E
de que a ética protestante personifica o espírito do Os camponeses acreditaram nas palavras de Lutero a
capitalismo, pois incentivava o indivíduo a poupar, trabalhar respeito de que todos eram iguais diante de Deus e
e enriquecer. resolveram abolir com a servidão a que estavam submetidos
pelos senhores. Em função dessa atitude dos trabalhadore,
5 E esse movimento reformista deixou de ser uma disputa
A partir do século XI ocorre o chamado Renascimento religiosa e tornou-se uma luta de classes. Cerca de 100 mil
Comercial na Europa Ocidental. Observa-se uma camponeses foram massacrados pelos exércitos dos
intensificação das atividades mercantis e, por decorrência, a príncipes alemães com o apoio ideológico de Lutero que
articulação de uma atividade monetária. As crenças afirmou que “os camponeses eram cães raivosos e estavam
tradicionais da Igreja de condenação à usura chocavam-se endemoniados e os príncipes eram representantes de Deus”.
com a dinamização da atividade econômica que fortalecia
os grupos mercantis. 3 A
Das doutrinas que surgiram com a Reforma Religiosa a que
6 B se mais ajustou aos valores do capitalismo foi calvinismo,
por justificar a riqueza em nome de Deus, já que ele defende

História II
O Concílio de Trento foi uma assembléia dos bispos católicos
sob a presidência do Papa. Os resultados dessa assembléia a idéia da predestinação “só os predestinados por Deus tem
foram a condenação da Reforma e a reafirmação dos dogmas êxito na vida, a riqueza é um sinal de salvação”, além do que
católicos. Os Tribunais da Inquisição foram instituídos para o indivíduo pode dedicar-se a Deus através do trabalho e
reconduzir à Igreja os católicos que tinham aderido ao também pode lucrar com o comércio e cobrar juros ao
protestantismo e julgar, punir os defensores de heresias. realizar empréstimos.

7 B 4 A
A Igreja Católica passou por profundas transformações ao O calvinismo foi uma doutrina que recebeu o apoio da
longo dos séculos e, a bem da verdade, muitas delas não burguesia por valorizar o trabalho como um serviço de Deus,
foram para melhor. Foi freqüente a prática de simonias, isto por defender a predestinação e aceitar o lucro e a cobrança
é, a venda de cargos religiosos e de relíquias consideradas de juros. Nas regiões mais desenvolvidas em termos
sagradas. Através da comercialização das indulgências por comerciais era onde o calvinismo mais tinha adeptos.
ordem do papa Leão X foi adquirido o dinheiro necessário
para a construção da Basílica de São Pedro. Lutero 5 C
manifestou-se contra isso e deu início ao movimento Os reformistas, especialmente Lutero, posicionaram-se
reformista em 1517. O desregramento moral de clérigos contra o monopólio da Igreja Católica da interpretação da
denominava-se nicolaísmo. Bíblia. Lutero traduziu o texto bíblico para o alemão e 19
incentivou que todos o lessem interpretando-o livremente.
8 E Além disso, criticava-se o desregramento moral dos clérigos
A Igreja Católica teve a preocupação de transformar sua e os abusos praticados pela Igreja Católica.
doutrina em dogmas, ou seja, em verdades inquestionáveis
e indiscutíveis. Como alguns intelectuais não se submeteram 6 B
a aceitar com passividade tais princípios religiosos passaram Lutero era contra a existência de intermediários entre o fiel
a defender novas idéias, inclusive questionaram o monopólio e Deus, dispensando, portanto, a existência de padres. A
de interpretação da Bíblia pelas exegetas. Foi nesse contexto salvação seria obtida pela fé em Deus, valorizava a Bíblia
histórico que ocorreu a Reforma Religiosa no século XVI. como instrumento da fé e pregava que todos deveriam lê-la.

9 C 7 A
A Reforma Religiosa, posteriormente denominada de A prática de simonia, ou seja, a comercialização de relíquias
sagradas e cargos religiosos, foi uma importante fonte de
Protestante, teve razões predominantemente econômicas e
renda para a Igreja Católica. Entretanto, essa prática clerical
políticas para obter sucesso. Reis, príncipes, nobres e burgueses
provocou muitas críticas por parte da sociedade, com
a apoiaram para combater a idéia do universalismo pontificial,
destaque para Lutero que condenou a venda de indulgências
não admitir a interferência do papa em assuntos internos de
pela Igreja como forma de obter a salvação eterna.
seus reinos e principados e, depois disso, confiscar o patrimônio
da Igreja Católica. A força de Lutero não se encontrava nele 8 B
mesmo, mas no apoio de princípios alemães interessados em
A Igreja Católica defendia a idéia de que o Papa era o
romper com a autoridade do Papa e do Imperador.
representante de Deus na Terra e por isso o seu poder era
universal. Reis, príncipes e burgueses contestaram essa idéia,
bem como se opuseram ao exclusivismo dos exegetas
católicos da interpretação da Bíblia.

9 D
1 B
Através da assinatura do Ato de Supremacia o rei inglês
Não foi por causas exclusivamente religiosas, em função de
Henrique VIII rompeu com a autoridade do papa, criou a
divergências teológicas de interpretação da Bíblia, que
Igreja Anglicana, confiscou o patrimônio da Igreja na
aconteceu a Reforma, ela foi, sobretudo, conseqüência de
Inglaterra e passou a ter, além do poder político temporal
uma disputa política entre reis, príncipes e burgueses com o
que já possuía, o poder espiritual associando a Igreja ao
papa que dizia ser o seu poder universal, portanto, acima do
Estado.
poder nacional, bem como o interesse de se apoderar dos
bens da Igreja Católica. Precursores desse movimento como
Wyclif e Huss foram condenados. Lutero protestou contra a 10 C
A Contra-Reforma Católica realizada a partir da convocação
venda de indulgências pela Igreja e teve o apoio de príncipes do Concílio de Trento pelo papa Paulo III consistiu na reação
alemãs. A Igreja Católica perseguiu cientistas e intelectuais da Igreja Católica contra a propagação do movimento
durante a Contra-Reforma.
Volume 1.A
reformista. Para tanto procurou-se organizar o clero ao 3 E
tornar obrigatória a formação dos padres em seminários. O Estado Moderno foi formado através da centralização
Desse modo, a Igreja Católica tentava recuperar as regiões político-administrativa nas mãos do rei, legitimando
perdidas para o movimento reformista. ideologicamente pela Teoria do Direito Divino, com a
instituição de Tribunais Reais, reduzindo a autoridade da justiça
11 B dos senhores feudais, com a unificação da economia através
A Igreja Católica defendia a idéia de que o indivíduo só
da intervenção do Estado, criando um padrão monetário
poderia cobrar por um produto “o justo preço”, ou seja, o
nacional, bem como um sistema de pesos e medidas, desse
custo do trabalho e da matéria-prima, evidentemente essa
modo favorecendo a burguesia que começava a participar de
idéia dificultava o desenvolvimento do comércio que visa a
obtenção de lucro. Calvino ao defender a tese de que o um corpo burocrático administrativo do Estado.
homem pode chegar a Deus através do trabalho e não era
pecado cobrar juros, contribuiu para o fortalecimento do 4 A
capitalismo ao receber o apoio da burguesia. A expansão marítima européia ocorrida a partir do século XV
teve como destaques Portugal e a Espanha, razão pela qual
12 passou a haver uma disputa entre países ibéricos pela posse
História II

C
Calvino defendeu a idéia da predestinação absoluta, ou das terras que disseram ter descoberto. Em função disso foi
seja, o indivíduo já nasce marcado por Deus para a salvação assinado oTratado de Tordesilhas entre eles para estabelecer
ou para a condenação. Se alguém é rico é graças a vontade um limite das terras que encontrassem até a distância de 370
de Deus. Em função desses princípios a burguesia apoiou léguas do arquipélago de Cabo Verde, a Leste pertenceriam a
essa concepção religiosa que se propagou nos centros Portugal e a Oeste pertenceriam a Espanha.
comerciais mais desenvolvidos.
5 C
13 A A expansão marítima européia aconteceu por várias razões,
Matinho Lutero era um monge agostiniano, professor de entre os quais a centralização política, o desenvolvimento
Teologia, que foi responsável pela publicação de 95 teses da arte de navegar, os aprimoramentos técnicos, a
contra a Igreja Católica, fato que deu início a Reforma localização privilegiada da Península Ibérica, a aliança do
Religiosa e que recebeu o apoio de príncipes alemães rei com a burguesia comercial, entretanto cada elemento
interessados em romper com a autoridade do Papa e desses isoladamente não é suficiente para explicar o êxito
confiscar os bens da Igreja Católica. desse empreendimento comercial.
Aquela foi uma época em que as superstições eram muitas,
20 14 A existia a crença em monstros marinhos, que o oceano fervia
As razões políticas e econômicas foram mais importantes a linha do Equador, que as pessoas mudariam a cor da pele
do que as divergências religiosas para fazer com que o rei ao ultrapassá-la em direção ao sul da África, ao mesmo
Henrique VIII rompesse com a autoridade do papa e criasse tempo em que procuravam desenvolver instrumentos
a Igreja Anglicana. Desse modo, a Inglaterra não mais científicos de navegação. O interesse econômico nas
aceitaria a interferência do papa em seus assuntos internos, riquezas das novas terras descobertas acabou prevalecendo
bem como pôde confiscar o patrimônio da Igreja Católica sobre as superstições.
no país.
6 B
Portugal foi o primeiro país europeu a unificar-se
politicamente. A dinastia de Borgonha ainda se vinculava
aos senhores de terras, entretanto a Revolução de Avis,
através da aliança da burguesia com o rei, criou as condições
objetivas para que ocorresse a expansão marítima de
Portugal, cujo marco inicial foi a Conquista de Ceuta no
noroeste da África em 1415.
1 A
O sistema feudal caracterizava-se pela descentralização
político-administrativa, visto que o poder relacionava-se 7 D
O mercantilismo era a prática econômica do regime político
com o a posse da terra e, portanto, cada senhor feudal era
absolutista e se caracterizava, em função disso, pela
a autoridade de seu feudo. Entretanto, no início dos tempos
intervenção do Estado na economia cujo objetivo político
modernos consolidou-se a autoridade do rei com o apoio
da nobreza interessada em manter seus privilégios e reprimir era fortalecer o Estado e o econômico enriquecer a
as revoltas camponesas, e da burguesia, ansiosa pela burguesia explorando colônias. Desse modo aconteceu a
eliminação das entraves e taxas feudais. acumulação de capitais que serviu de base para a
O rei usou o exército nacional permanente como consolidação do sistema capitalista.
instrumento de repressão, e aliança com a Igreja Católica
para justificar a Teoria do Direito Divino, com base na qual 8 E
procura dominar ideologicamente a sociedade ao confirmar O mercantilismo está necessariamente vinculado ao
que seu poder emanava de Deus e somente a Ele o rei absolutismo e ao colonialismo. Caracteriza-se pela
deveria prestar contas de seus atos. intervenção do Estado na economia, pela formação de
colônias às quais se impõe o pacto colonial e os monopólios
2 D das comerciais, são adotadas medidas protecionistas para
Os Tempos Modernos caracterizavam-se pela formação estimular as exportações e dificultar as importações, e entre
das Monarquias Nacionais que receberam o apoio da os seus objetivos encontra-se a acumulação de metais
nobreza e da burguesia e a centralização do poder nas preciosos, visto que a idéia do metabolismo estabelece que
mãos do monarca, sustentado por exércitos nacionais a riqueza de um país é determinada pela quantidade de ouro
permanentes, deu origem ao regime político absolutista. e prata que o país possua.
Volume 1.A
9 B 16 C
Dentro do movimento renascentista vários integrantes do A reforma Religiosa, posteriormente chamada de Protestante,
alto clero atuaram como “Mecenas”, ou seja financiando foi um movimento que rompeu com a idéia do universalismo
artistas para que realizassem algumas obras baseadas em pontifical e fortaleceu a autoridade dos reis, com o apoio da
temas religiosos, com destaque para o papa Júlio II que burguesia e da nobreza. A contra reforma foi a reação da Igreja
contratou Michelangelo para que pintasse o teto da Capela Católica para reorganizar o clero, fortaleceu a autoridade do
Sistina , no atual Estado do Vaticano, além da realização
papa e recuperar as regiões perdidas para o movimento
das esculturas Pietá e Moisés. O objetivo da Igreja era
protestante. A Companhia de Jesus atuou no sentido de
usar a arte como instrumento ideológico de consolidação
da autoridade da Igreja Católica. conquistar mais adeptos para o catolicismo.

10 C 17 E
Os humanistas eram homens eruditos, cultos, intelectuais, A Companhia de Jesus foi fundada por Inácio de Loyola, em
estudiosos da cultura clássica greco-romana que 1534 e foi legitimada pelo Concilio de Trento (1545/1563)
valorizavam o racionalismo e o antropocentrismo bem e se propunha a trabalhar pela catequese, especialmente

História II
como faziam críticas aos valores medievais caracterizados nas colônias americanas, conquistar mais adeptos para a
pelo teocentrismo, misticismo e dogmatismo. Desse modo Igreja Católica e aproximar o clero de seus devotos e, desse
eles contribuíram para a formação de uma nova maneira modo, impedir a propagação do protestantismo.
de pensar, mais racional e lógica.
Anotações:
11 E
Os intelectuais renascentistas possuíam uma visão
preconceituosa sobre a cultura medieval e, por isso, muitos
deles chamavam aquele período histórico de “Idade das
Trevas”, de a “Noite dos mil anos”. Em oposição ao misticismo,
ao coletivismo, ao teocentrismo e o geocentrismo, os
intelectuais renascentistas defendiam o racionalismo, o
individualismo, o antropocentrismo e o heliocentrismo.

12 C
A expressão Renascimento carrega em si mesma uma visão 21
preconceituosa, depreciativa, dos tempos medievais. Em
função dessa mentalidade os intelectuais renascentistas, para
sair das “trevas medievais” procuravam buscar nos padrões
estéticos da Antigüidade Clássica greco-romana a inspiração
para a construção de novos valores e de um novo tempo.

13 B
O movimento denominado de Reforma Protestante teve início
na Alemanha quando em 31/10/1517, Martinho Lutero,
padre agostiniano, professor-doutor de Teologia, publicou
suas teses constestando vários princípios doutrinários da
Igreja Católica, entre os quais a idéia do respeito absoluto
à autoridade papal e ao monopólio da Igreja Católica,
através de seus exegetas, da contestando bíblica.

14 A
Das doutrinas que surgiram com a Reforma Protestante a
que mais se expandiu nos centros economicamente mais
desenvolvidos em termos comerciais foi o Calvinismo, pois
essa doutrina estabelecida que a riqueza era um sinal de
salvação que só os predestinados por Deus teriam êxito na
vida. Além disso não condenava a obtenção de lucro no
comércio nem a cobrança de juros em um empréstimo
realizado, e afirmava que o indivíduo poderia dedicar-se a
Deus através de seu trabalho. Portanto, esse conjunto de
idéias ajustavam-se aos interesses da burguesia comercial.

15 D
A instituição do Anglicanismo na Inglaterra pela assinatura
do Ato de Supremacia fortaleceu a autoridade do Rei
Henrrique VIII, da dinastia Tudo, visto que ele passou a
exercer além do poder político temporal a ser também o
chefe da Igreja Anglicana. Ao romper com a Igreja Católica,
o rei inglês confiscou o patrimônio da Igreja no país.
Volume 1.A
Anotações:
História II

22