Você está na página 1de 35

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA

CURSO DE ENFERMAGEM
DISCIPLINA PRÁTICAS NATURAIS E VIVENCIAIS EM SAÚDE I
Prof.ª DANIELLA KOCH DE CARVALHO

CROMOTERAPIA
CROMOTERAPIA:

As cores surgem a partir da incidência da luz. A energia


luminosa é composta pelas sete cores do arco-íris,
como foi comprovado pelo físico e matemático Isaac
Newton.

Ele verificou que um raio de luz solar, ao atravessar um


prisma de vidro, se decompõe num feixe colorido,
constituído pelas sete cores:

Vermelho, Laranja, Amarelo, Verde, Azul, Índigo e


Violeta.
A seguinte figura demonstra a
refração da luz:
Toda vibração emite uma onda e a onda é uma vibração que se propaga.
Amplitude: metade do percurso de uma oscilação

Freqüência: número de oscilações em unidade de tempo, que passa pelo


ponto X e é denominada freqüência da onda por minuto ou segundo. O
que diferencia o tipo de irradiação é a amplitude da onda. Cada tipo de
vibração possui várias freqüências.

Comprimento de Onda: Com a mesma velocidade que a luz se desloca


em forma de onda, a 300.000 quilômetros por segundo, as diferentes
cores possuem comprimento de ondas medidas em Angström (Ä), que
mede um décimo milionésimo de milímetro. A cor vermelha tem
comprimento de onda que varia entre 6.700 e 6.200 Ä.; o laranja de 6.200
e 5.900 Ä; o amarelo de 5.900 a 5.600 Ä; o verde de 5.600 a 5.100 Ä; o
azul de 5.100 a 4.700 Ä; o índigo de 4.700 a 4.500 Ä; e o violeta de 4.500
a 4.000 Ä.
Baseado nesse gráfico, concluímos que:
1- o comprimento da onda provocada pela radiação da
luz vermelha é maior do que o da luz violeta.
2- do vermelho ao violeta a freqüência aumenta e o
comprimento de onda diminui.
3- do espectro, o vermelho tem a freqüência mais baixa
e o comprimento de onda maior (por volta de 6700 Å). O
violeta tem a freqüência mais alta e o comprimento de
onda menor (por volta de 4000 Å). Como média a
referência é o verde.
O tratamento pela cor era utilizado pelas civilizações antigas do Egito, nos
grandes tempos de Karnak e Tebas.

Também a relação dos deuses egípcios com a cor comprovava o profundo


conhecimento daquela civilização. Como exemplos temos: Thoth,
representado pela cor azul, tinha o poder de despertar os centros
espirituais do cérebro; Ísis, com seu raio amarelo, era responsável pelos
estímulos da mente do homem; Osíris, com seu raio vermelho ardente, era
responsável pela vida do homem.

O primeiro livro publicado acerca da aplicação da cor para fins terapêuticos


foi em 1877, e tratava basicamente do uso do vermelho como estimulante e
do azul como calmante.

No ano seguinte, o Dr. E.D. Babbitt publicou sua obra descrevendo os


diferentes efeitos das sete cores do espectro da luz como agente de cura.
Contudo, foi o cientista indiano D.P. Ghadiali, em 1933, que descobriu os
princípios científicos que explicam por que e como os diferentes raios
coloridos tem efeitos terapêuticos diversos sobre o organismo.

Segundo ele, para cada órgão ou sistema do corpo humano, há uma cor
que estimula e outra que inibe seu funcionamento.

Pesquisas mostram que os


efeitos notados pelo uso da
cromoterapia ocorrem devido à
ação dos raios coloridos sobre o
campo vibracional, que, por sua
vez, influencia o corpo físico.
A teoria mais aceita é aquela que explica os efeitos das cores como
resultado das modificações que estas provocam no sistema
nervoso.

A cromoterapia é uma técnica muito suave, que visa a reequilibrar


a dinâmica da energia do organismo; quando existe algum tipo de
agressão ou lesão grave, é necessário atuar diretamente na correção
desse problema.
VERMELHO
É a cor do fogo, da paixão, do entusiasmo e dos
impulsos. É a cor que ativa o chakra básico.
Aumenta a tensão muscular, ativa a respiração e estimula
a pressão arterial.
Aumenta a produção de glóbulos vermelhos e ferro no
sangue, indicado para anemia.
Eleva a pressão arterial e energiza o fígado.
Contra-indicação: nos casos de febre, taquicardia,
pressão alta, inflamação, neurite, flebite. Nos casos de
pessoas perturbadas ou com distúrbios emocionais e de
temperamento excitado.
De todas as cores o vermelho é a cor mais poderosa e por
isso requer cautela no seu uso.

Alimentos de cor vermelha: frutas e legumes de pele ou casca vermelha e demais


alimentos que contenham ferro: agrião, berinjela, beterraba, carne, rabanete,
repolho, tomate, ihame, cebola, pimenta, pimentão vermelho, cereja, melancia,
morango, uva, ameixa vermelha e preta, maçã vermelha, etc...
LARANJA
É a cor do movimento, da confiança. É a cor que ativa o 2º
chakra. Facilita a digestão. É um desobstruidor em
potencial, usado para auxiliar nos tratamentos de pedras
nos rins e na vesícula; também recomendado para cistos,
nódulos e formações tumorais benignas.
É útil na desobstrução dos vasos sangüíneos e nas taxas
elevadas de colesterol e triglicérides. Pode ser utilizado
como substituto do vermelho.
Recomenda-se apenas cautela na aplicação do laranja em
casos de febre alta, vômito e infecção. Porém, se for
necessário o uso de uma cor quente para tratar a causa do
problema ou fortalecer o órgão afetado, indicamos o
laranja, mas por curto espaço de tempo.

Alimentos de cor laranja: A cor laranja, o vermelho e o amarelo são cores de efeitos
alcalinos: os alimentos que possuem estas cores contêm o mesmo efeito. A dieta para ajudar a
assimilação do raio laranja inclui vegetais e frutas de casca alaranjada, tais como: abóbora,
cenoura, milho, laranja, tangerina, manga, pêssego, melão, etc.
AMARELO
É a cor do sol. Vida e ação. Gera calor. É a cor que ativa
o 3º chakra o do plexo solar.
É um estimulante do pâncreas e dos nervos sensoriais e
motores, indicado para diabetes e atrofias nervosas e
musculares.
Favorece a digestão, produz efeito laxante e combate os
vermes da flora intestinal.
Seu efeito terapêutico abrange a pele, favorecendo na
manutenção da elasticidade e cicatrização. É também
recomendado para manchas, cravos e espinhas, pois
auxilia na eliminação das impurezas dos poros.
Contra-indicação: infecção, inflamação aguda, gastrite,
úlcera, diarréia, palpitações, histeria, excitação mental.

Alimentos de cor amarela: os alimentos de cor amarela são: manteiga, gema de


ovo, cenoura, batata doce, abóbora, milho, manga, banana, abacaxi, melão, limão,
pêssego, frutas de casca amarela e hortaliças amarelas.
VERDE
Traz paz, segurança, esperança. Equilibra as emoções. É a
cor que ativa o 4º chakra o cardíaco. Possui efeito
equilibrador em todo organismo, favorecendo a
recuperação.
Possui efeito calmante e suavizante, agindo como
regenerador e balanceador dos órgãos e sistemas.
Normaliza as glândulas. Age como sedativo do sistema
nervoso ajuda nos casos de irritação, insônia e
esgotamento. É indicado para problemas circulatório e
cardíaco; regulariza a pressão arterial. A mistura do verde
com o amarelo forma o verde limão, que favorece a
constituição óssea, sendo indicado para a osteoporose. O
verde alivia as tensões.
Cuidado: nos casos de esgotamento, se usado em demasia,
pode causar fadiga.

Alimentos de cor verde: Hortaliças verdes e frutas de casca ou pele verde.


AZUL
Transmite seriedade, tranqüilidade e harmonia. É a cor que
ativa o 5º chakra o laríngeo.
É a cor de maior propriedade terapêutica, produz efeito
calmante, anti-séptico, bactericida, adstringente e analgésico
nos órgãos e sistemas do corpo.
É indicado nos casos de taquicardia e pressão alta e favorece a
coagulação sangüínea. Recomendado para todas as doenças
infecciosas e inflamatórias, principalmente quando
acompanhadas de febre.
Suaviza a dor em qualquer parte do corpo.
O azul é contra-indicado nos casos de: contrações musculares,
gota, paralisia, resfriados (exceto em caso de febre, age como
redutor da febre), reumatismo crônico e tremores de frio.

Alimentos de cor azul: são frutas e legumes de casca ou pele azul. Como também:
ameixa, amora, uva passas, peixe, aspargo, etc.
ÍNDIGO
O índigo resulta do azul com uma pequena quantidade de
vermelho. É a cor do 6º chakra, o frontal.
Favorece a drenagem linfática, sendo indicado nos
processos inflamatórios. Possui efeito dissipador, relaxante
das tensões
Energiza a área visual e auditiva; é recomendado em
problemas visuais e auditivos.
Cria uma sensação de calma, acaba com a pressa, com a
agitação interior.
O uso da cor índigo não possui contra-indicação
acentuada, porém convém lembrar que o índigo é uma cor
fria, sendo assim, não é indicada para os tratamentos de
doenças causadas pelo frio.

Alimentos de cor índigo: são basicamente os mesmos da cor azul, frutas e legumes
de casca e pele azul. Como também: ameixa, amora, uva, uva-passa, peixe, aspargo,
etc...
VIOLETA
A cor violeta e a combinação do azul com o vermelho. É a
cor do 7º chakra. Expressa a sensação de individualidade
associado à intuição e à espiritualidade.
Relacionado com a mente inconsciente, ou cérebro.
Como estimulante imunológico, é apropriado para todos
os tipos de infecções. Promove o fortalecimento do
Sistema Nervoso Central; é conveniente nos casos de
derrame cerebral, mal de Parkson e outras complicações
neurológicas. É eficaz nas pessoas nervosas e excitadas.
O violeta é contra-indicado para as pessoas que
estiverem deprimidas. Não é recomendado o uso do
violeta quando a mente apresenta retardo ou
subdesenvolvimento.

Alimentos de cor violeta: os alimentos de cor violeta são: berinjela, brócolis roxo,
beterraba, uva roxa e amora preta.
TERAPIA DAS CORES

O uso prático das cores poderá ser feito com aplicação de luzes coloridas,
água "solarizada" ou visualização de cores.

A água solarizada é recomendada principalmente em problemas gastro-


intestinais e circulatórios.

Para solarização da água, antes de bebê-la,


basta pegar uma garrafa de vidro
transparente, envolvê-la com papel celofane
ou pintada na cor indicada, enchê-la de
água potável e levá-la ao sol.

Deixe o recipiente exposto à luz solar por


um período mínimo de uma hora (sol forte),
durante meio dia (sol fraco) ou o dia todo
(em dia chuvoso).
Para energização da água pode-se expô-la de acordo com os horários de
predomínio da cor.

Deve-se neste caso deixar de 15 a 20 minutos no horário desejado da cor,


lembrando que a garrafa também deverá ser a cor correspondente ao
horário. A dosagem será de um cálice de água solarizada 3 vezes ao dia
sempre antes das refeições.

QUADRO DE PREDOMÍNIO DAS CORES

Das 5:00 às 7:00 hs Azul

Das 7:00 às 9:00 hs Verde

Das 9:00 às 10:00 hs Amarelo

Das 10:00 às 12:00 hs Laranja

Das 12:00 às 14:00 hs Infra-vermelho

Das 14:00 às 16:00 hs Violeta

Das 16:00 às 17:00 hs Ultra-violeta

Das 17:00 às 18:30 hs Laranja


Para se beneficiar com a visualização de cores, basta imaginá-las na
região do corpo que estiver debilitada ou no corpo inteiro; ou, ainda,
projetá-la mentalmente sobre uma pessoa que estiver precisando delas.

O êxito nesse processo dependerá de sua capacidade de concentração


e visualização.
O banho de luz colorida deverá ser feito na região afetada, com leves
movimentos da luz sobre a área do corpo.

A distância da aplicação depende da intensidade com que se deseja que


a radiação atinja o local e do tipo de aplicação.

Na aplicação difusa de luz ambiente, a distância mínima é de meio metro,


podendo ser usada a iluminação comum do cômodo para fazer a
projeção.

No caso de aplicação localizada em aplicação comum distância em torno


de 10 cm.

Aplicação com intensidade maior, a distância é em torno de 5 cm.

Na aplicação em crianças, idosos, fracos, pele lesada a distância é de até


20 cm.
Poderão ser usadas lâmpadas coloridas comuns, que se encontram
disponíveis no mercado, na intensidade de 15W, 40W, 60W ou 100W.

Existem também aparelhos de cromoterapia, com filtros coloridos para


facilitar a aplicação e o seu manuseio.
Nas cores quentes do espectro da luz – como o vermelho,
laranja e amarelo – a exposição pode ser de 3 a 10 minutos.

Nas cores frias do espectro da luz – como azul, índigo e


violeta – a exposição pode ser de 10 a 30 minutos.

Recomenda-se o uso de roupas claras para se submeter às


aplicações das cores, de preferência o branco.

O ideal é a aplicação direta na pele.

A freqüência das aplicações variam de acordo com o quadro


agudo ou crônico, geralmente poderá ser feito uma ou duas
vezes ao dia.
Cuidados em casos especiais como em queimaduras onde não deve
aplicar luz direta na fase inicial do tratamento apenas visualização.

Em gestantes evitar usar cores quentes na região pélvica.

Na cabeça não aplicar luzes focais diretamente na área se a pessoa


tiver alguma predisposição para um problema circulatório na área, a
radiação poderá provocar desde uma dor de cabeça até outra
complicação maior.
Para realizar o tratamento com as cores alguns aspectos deverão ser o
observados como o preparo do terapeuta, o diagnóstico que envolve a
observação geral do cliente, onde deve-se identificar se o cliente precisa
ser acalmado ou estimulado, relaxado ou fortalecido.

No diagnóstico a avaliação dos chakras é muito importante.

Após avaliação inicial inicia-se a preparação geral onde em todos os


clientes aplica-se a cor verde em toda a aura para relaxar e abrir o
organismo para o tratamento. Em torno de 1 minuto de aplicação.

Após vem a preparação específica de acordo com a necessidade da


pessoa, aplicar outra cor na aura e na coluna vertebral, em torno de 1
minuto:
Azul (pessoas tensas e ansiosas)

Índigo (pessoas agitadas)

Amarelo (pessoas apáticas e com processos degenerativos)

Violeta (pessoas com infecções)

Laranja (pessoas fechadas e reprimidas)

Vermelho (pessoas anêmicas e desvitalizadas)

Depois da preparação geral, faça aplicação das luzes adequadas em


cada um dos chakras, equilibrando todos eles e concentrando o trabalho
na correção do desequilíbrio do que for mais relacionado com o problema
da pessoa.

Para encerramento do tratamento aplique a luz azul em toda a aura,


mantendo essa luz por 1 minuto.
APLICAÇÃO NOS CHAKRAS

CHAKRAS CORES BÁSICAS TEMPO P/


HARMONIZAÇÃO

7º Chakra - coronário Violeta 15 seg a 1min

6º Chakra - frontal Índigo 15 seg a 1min

5º Chakra - garganta Azul 15 seg a 1 – 3 min

4º Chakra - coração Verde 15 seg a 5 min


Rosa 15 seg a 3 min

3º Chakra – Plexo Amarelo 1 min a 5 – 30 min


solar
2º Chakra - Umbigo Laranja 1 min a 5 – 30 min

1º Chakra - Básico Vermelho 1 min a 5 – 30 min


APLICAÇÃO DE LUZ NOS SISTEMAS ORGÂNICOS

 Aparelho respiratório: a luz de energização geral desse


sistema é o azul; sua complementar é o laranja.

 Aparelho circulatório: a luz de energização geral desse


sistema é o verde; sua complementar é o violeta.

 Aparelho digestivo: a luz de energização geral desse


sistema é o amarelo; sua complementar é o anil.

 Aparelho geniturinário: a luz de energização geral desse


sistema é o laranja; sua complementar é o azul.
 Aparelho osteomuscular: a luz de energização geral
desse sistema é o vermelho; sua complementar é o
verde-azulado.

 Aparelho nervoso: a luz de energização geral desse


sistema é o anil; sua complementar é o amarelo.

 Aparelho endócrino e de defesa: a luz de


energização geral desse sistema é o violeta; sua
complementar é o verde.
TRATAMENTOS ESPECÍFICOS

1. Amigdalite: fazer gargarejo com água solarizada azul, 3 x ao dia. Usar


verde (2 min), azul (2 min) e índigo (2 min), 2 x ao dia na região.

2. Ansiedade: Recomenda-se o contato óptico com a luz azul (5 min) na


região frontal.

3. Artrose: aplicar luz azul (5 min), violeta (3 min) e laranja (1min), na


coluna e nas articulações afetadas.

4. Ciática: aplicar luz azul (10 min) na face posterior da coxa, uma vez ao
dia. Caso a dor esteja acentuada, repetir a aplicação.

5. Cólica: intestinal, menstrual e renal: aplicar luz verde (1 min), laranja (5


min) e azul (10 min) na região 2 x ao dia.
6. Dor de cabeça: aplicar luz verde (3 min) e azul (7 min) na região
frontal. O azul pode se usado enquanto a dor persistir.

7. Febre: Aplicar luz azul (10 min) por todo o corpo. Recomenda-se água
solarizada azul.

8. Fortalecer a mente: usar o amarelo por 5 seg. no chakra frontal.

9. Gripe: Aplicar luz verde (3 min), violeta (3 min) e azul (3 min) nas vias
respiratórias e laranja (3 min) nos pulmões, 3 x ao dia.

10. Inflamação: Aplicar luz verde (3 min), azul (3min) e índigo (4 min) no
local, 2 x ao dia.

11. Insônia: usar luz verde ou azul no abajur.

12. Intestino preso: aplicar luz amarela (10 min) e laranja (5 min) no
intestino, 2 x ao dia. Recomenda-se água solarizada amarela, que possui
efeito laxante.
13. Sinusite: Aplicar luz verde (3 min), azul (3 min) e índigo (3 min) nos
seios paranasal e frontal, 2 x ao dia.

14. Torcicolo: Aplicar vermelho (1 min), verde 3 min) e azul (5 min) na


região.

COLORPUNTURA

Aplicação das cores nos pontos de acupuntura, seguindo princípios da


Medicina Tradicional Chinesa.

Sugestões de pontos para aplicação prática:

P9: localização: na prega transversal do punho, na


depressão do lado radial da artéria radial.
Problemas: mal estar geral da cabeça e do ombro,
crises leves de asma, tosse, resfriado e amigdalite.
(tonificar)
IG4: localização: entre o 1º e 2º ossos metacárpicos,
aproximadamente no centro do 2º osso metacárpico
no lado radial. Problemas: dor de cabeça, dor de
dente, rinite, bronquites, resfriados, dor de ouvido.
(sedar)

C7: localização: na dobra transversal do pulso, na


depressão do lado radial do tendão do músculo
flexor ulnar do carpo. Problemas: mal estar no
peito, insônia, ansiedade, falta de fôlego. (sedar)
E36: localização: um dedo estendido
lateralmente à crista anterior da tíbia.
Problemas: fadiga, fraqueza nas pernas,
soluço, problemas de digestão. (tonificar)

BP6: localização: 3 cun acima do ponto mais


alto do maléolo medial interno e na borda
posterior da tíbia. Problemas: dores ciáticas,
energia dos órgãos vitais, cólica menstrual,
trabalho de parto. (tonificar)
F3: localização: no dorso do pé entre o 1º e 2º
ossos metatarsos. Problemas: dor nas articulações,
formigamento nas extremidades, inflamações em
geral, fogachos, problemas digestivos, tensões.
(sedar)

R3: localização: no ponto médio da linha


entre a ponta do maléolo medial e o
tendão de Aquiles. Problemas: útero,
ovário, menstruação, medo, fobia, pés e
mãos frios. (tonificar)
ID3: localização: no lado ulnar da cabeça do 5º
osso metacarpeano, quando o punho estiver semi-
serrado na depressão no final da prega
transversal palmar. Problemas: dor na nuca,
problemas da cervical, zumbido, torcicolo, tensão
na região cervical. (sedar)

VB34: localização: na depressão ântero-inferior


à cabeça da fíbula, com o joelho flexionado.
Problemas: dores lombares, dores no joelho,
pés frios, alivia tensões. (sedar)
REFERÊNCIA:
CIEPH. Cadernos de Estudos: técnicas em acupuntura. In: Apostila do Curso
de Especialista Profissional em Acupuntura. Santo Amaro da Imperatriz:
CIEPH, 2003. material não publicado.
FOCKS, Claudia. Atlas de acupuntura: com sequência de fotos e ilustrações,
textos didáticos e indicações clínicas. Barueri: Manole, 2005.
GASPAR, Eneida D. Cromoterapia:cores para vida e para saúde. 2 ed. Rio de
Janeiro: Pallas, 2002.
NUNES, René. Compêndio científico da cromoterapia. 4. ed. Brasília, DF:
Linha Gráfica, 2001.
VALCAPELI.Cromoterapia: A Cor e Você. SP: Roka, 1998.

Você também pode gostar