Você está na página 1de 21

INDICE

1. INTRODUÇÃO ..................................................................................................................... 1
2. OBJECTIVOS........................................................................................................................ 1
3. METODOLOGIA .................................................................................................................. 1
4.1. 3.1. Equipamento ........................................................................................................ 2
4. APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS ................................................................................... 3
4.2. Ensaios de caudal escalonado ..................................................................................... 3
4.3. Características básicas do Furos.................................................................................. 3
4.4. Interpretação dos dados do ensaio e recomendação do caudal de exploração ........ 4
5. SELEÇÃO DAS BOMBAS .................................................................................................... 19
6. CONCLUSÕES ................................................................................................................... 20

INDICE DE TABELAS
Table 1: Lista de comunidades ............................................................................................................................... 1
Tabela 2: Características básicas dos Furos ............................................................................................................ 3
Tabela 3: Dados de ensaio escalonado-Guiana ...................................................................................................... 4
Tabela 4:Dados de ensaio escalonado-Hate Hate .................................................................................................. 7
Tabela 5:Dados de ensaio escalonado-Chifongo .................................................................................................. 10
Tabela 6:Dados de ensaio escalonado-Chilemane ............................................................................................... 12
Tabela 7:Dados de ensaio escalonado-Singanhane .............................................................................................. 15
Tabela 8:Dados de ensaio escalonado-Chinhanguane ......................................................................................... 17
Tabela 9: Sumario dos caudais e níveis recomendados ....................................................................................... 19
Table 10: Selecção da Bomba ............................................................................................................................... 20

INDICE DE FIGURAS
Figura 1:Interpretação dos dados do ensaio .......................................................................................................... 5
Figura 2:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q ......................................................................................... 5
Figure 3: Curva dos rebaixamentos Versus Caudal ................................................................................................. 6
Figure 4:Interpretação dos dados do ensaio .......................................................................................................... 8
Figure 5:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q ......................................................................................... 8
Figure 6: Curva dos rebaixamentos Versus Caudal ................................................................................................. 9
Figure 7:Interpretação dos dados do ensaio ........................................................................................................ 10
Figure 8:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q ....................................................................................... 11
Figure 9: Curva dos rebaixamentos Versus Caudal ............................................................................................... 11
Figure 10:Interpretação dos dados do ensaio ...................................................................................................... 13
Figure 11:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q ..................................................................................... 13
Figure 12:Curva dos rebaixamentos Versus Caudal ............................................................................................. 14
Figure 13:Interpretação dos dados do ensaio ...................................................................................................... 15
Figure 14:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q ..................................................................................... 16
Figure 15:Curva dos rebaixamentos Versus Caudal ............................................................................................. 16
Figure 16:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q ..................................................................................... 18
Figure 17:Curva dos rebaixamentos Versus Caudal ............................................................................................. 18
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

1. INTRODUÇÃO

A Afridev Mati Mozambique conduziu os ensaios de caudal em 06 Furos de água na província


de Gaza, seleccionados para a substituição das bombas manuais por bombas submersas. O
objetivo do ensaio de caudal é avaliar o desempenho dos aquíferos do Furos e decidir se os
Furos são adequados para a instalação das bombas submersíveis. A Tabela 1 mostra a
localização dos locais nos distritos de Chibuto, Mapai e Massangena.

Table 1: Lista de comunidades


Furo Coordenadas
Comunidade
N° Província Distrito Latitude Longitude
1 Guiana 24°38'59.38"S 33°40'22.88"E
Chibuto
2 Hate Hate 23°57'59.50"S 33°46'46.07"E
3 Chifungo 23° 1'56.90"S 32° 8'21.50"E
Gaza Mapai
4 Chilemane 22°56'30.34"S 32° 1'54.71"E
5 Chinganhene 21°34'51.69"S 32°59'16.46"E
Massangena
6 Shinhangane 21°41'50.90"S 33° 0'13.43"E

2. OBJECTIVOS

O ensaio de caudal é a ferramenta mais importante para avaliar a produtividade do Furo. O


objectivo do ensaio é testar a resposta das águas subterrâneas de um aquífero ao
bombeamento. Espera-se que, a partir do teste de bombeamento, sejam obtidas as seguintes
informações:

 Rendimento do Furo para decidir se a produtividade do Furo é suficiente para


abastecer as comunidades.
 Rebaixamento esperado dentro do Furo após vários períodos de bombeamento. As
informações colectadas ajudarão na definição do nível hidrodinâmico e da
profundidade para instalação da bomba submersa. Adicionalmente, dá-nos a
informação sobre a recuperação do furo.

3. METODOLOGIA

Antes do ensaio de caudal, os Furos foram desenvolvidos durante o período de uma hora. O
objetivo do desenvolvimento dos Furos era determinar o rendimento estimado.
Os ensaios foram feitos em três estágios de caudal crescentes com uma duração de 1 uma
hora por estágio. Durante o ensaio, a água foi descarregada a uma taxa diferente. As taxas de
fluxo (Caudal) para os Furos foram medidas usando o método volumétrico.

O ensaio tem como objectivo determinar:


 O rebaixamento máximo: A curva de rebaixamento será estabelecida com base nos
dados do teste de bombeamento. Essa curva permite a determinação do Caudal para

1
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

atingir o rebaixamento máximo. O valor determinado deve estar 0,5 m acima do nível
hidrodinâmico mínimo favorável para o aquífero.
 O nível hidrodinâmico: o nível indicativo, pode ser realizado pelo resultado da terceira
etapa do ensaio. No entanto, o final deve ser definido com base no requisito do
projecto que indica que a bomba deve ser instalada 12,0 m acima da base do poço e
que o nível dinâmico deve estar 2,0 m acima da profundidade da bomba, por razões
de segurança, o mínimo aceitável o nível hidrodinâmico desses Furos deve ser
estabelecido 14m acima da base do Furo. Este requisito de segurança foi estabelecido
com base no perfil Furo comum, dado que os relatórios da perfuração não estão
disponíveis.

Tubo Saco = 2 m
Tubos Filtros = 2x2,85 m = ± 6 m
Margem de segurança acima dos Filtros para evitar perturbações do aquífero
durante o bombeamento = 2 m
Margem de segurança para acomodar quedas no nível estático da água
durante a estação seca = 2 m
Total = 12 m.

 O rendimento máximo do aquífero será determinado com base na extrapolação da


equação de rebaixamento e no nível máximo estabelecido de rebaixamento.

4.1. 3.1. Equipamento

Os equipamentos utilizados para o ensaio de caudal nos locais selecionados são os seguintes:

 Bomba submersível elétrica de 6 m3/h-HT-167m

 Gerador de energia

 Sonda Eléctrica
 Cronometro

 Um formulário padrão para registrar dados durante o ensaio

 Compressor de ar

 2 Carros de Apoio

 GPS

2
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

4. APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS

4.2. Ensaios de caudal escalonado

Os ensaios de caudal escalonado foram realizados com o objectivo de avaliar a qualidade


hidráulica dos Furos. Em princípio um bom furo deve apresentar baixas perdas turbulentas.
O tipo de perdas que ocorre num Furo em operação pode ser avaliado a partir deste tipo de
ensaios (ensaio escalonado). Neste caso é feito um ensaio com caudais diferentes
aumentando-se o caudal em cada estágio. Os resultados desses ensaios são mostrados em
anexo.
Com base nestes ensaios é possível determinar o nível dinâmico do furo em função do caudal
de bombagem. Os dados são mostrados nos gráficos em anexo. Estes dados são usados para
selecção da bomba em função do caudal e da curva de instalação recomendado para os
sistemas.
A expressão geral para a obtenção da curva é descrita por:
S
S  ( A  B)Q  CQ n Ou dividindo por ‘Q’ obtêm-se  ( A  B)  CQ n 1
Q
A primeira expressão estabelece a relação entre caudal e rebaixamento. Recorre-se a segunda
expressão para determinar as constantes (A + B), C e n, que são obtidas por solução dum
sistema de equações para as três incógnitas. O sistema de equações é obtido para um
conjunto de relações (S/Q, Q). A teoria do método estabelece que para um furo com elevadas
perdas turbulências o valor de ‘n’ irá afastar-se de 2. Para um furo com perdas laminares o
valor de ‘n’ aproxima-se a dois o que traduz-se numa relação linear entre (S/Q,Q).

Os dados de campo dos Furos mostraram ser possível interpretar os dados do ensaio usando
o método gráfico de Jacob, por assumir-se que n=2. Se os pontos obtidos no gráfico S/Q,Q
não se ajustassem a recta seria necessário recorrer a formulação matemática do método para
determinar os parâmetros da equação de rebaixamentos.

4.3. Características básicas do Furos

A partir do levantamento foram obtidas as características básicas dos furos. Os dados estão
resumidos na tabela a seguir:
Tabela 2: Características básicas dos Furos
Diâmetro Prof. Nível
Furo
Província Distrito Comunidade do Furo do Furo Estático

(Polegada) (m) (m)
1 Guiana 4 90.70 21.20
Chibuto
2 Hate Hate 4 78.00 12.50
3 Chifungo 4 53.00 14.20
Gaza Mapai
4 Chilemane 4 32.00 16.70
5 Chinganhene 4 35.00 11.50
Massangena
6 Shinhangane 4 85.00 43.30

3
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

4.4. Interpretação dos dados do ensaio e recomendação do caudal de exploração

Tabela 3: Dados de ensaio escalonado-Guiana


RELATÓRIO DO ENSAIO DE CAUDAL
Provincia: Gaza Tubo Revestimento:PVC Date: 11-02-2020
Posto administrativo: Maleice Diametro do tubo: 4''
Empreiteiro: AFRIDEV MATI MOZAMBIQUE Diametro da Bomba: 3''
Cliente: DNGRH/BM Tecnico: Abel Mula
Localização:Chibuto-Guiana Prof. da Bomba (m): 70.20
Furo No.: Pump power: 6m3/h-HT-167m
Profundidade do Furo (m): 90.70 Tipo de entalhe em V:
Nivel Estatico (m): 21.20 No. Patamares: 3

Patamar 1 Patamar 2 Patamar 3


Tempo Rebaixamento Caudal Rebaixamento Caudal( Rebaixamento Caudal Observações Recuperação
(hh:mm) (m) (m³/h) (m) m³/h) (m) (m³/h) (m)

0:00 21.10 35.30 45.00 67.50


0:01 30.70 39.90 51.10 54.80
0:02 33.60 41.70 56.00 44.70
0:03 36.60 44.30 56.70 36.40
0:04 37.90 45.30 60.40 33.50
0:05 39.00 45.40 61.50 30.30
0:06 39.70 46.60 63.20 28.10
0:07 40.50 46.90 63.90 27.10
0:08 41.10 46.10 64.70 26.00
0:09 39.80 45.70 65.70 24.80
0:10 38.80 45.60 65.10 23.70
0:12 37.40 45.20 65.35 22.40
0:14 36.40 45.10 65.70 21.70
0:16 35.90 45.00 65.95 21.20
0:18 35.60 45.00 65.95 21.40
0:20 35.40 45.00 65.90 21.20
0:22 35.30 45.00 65.85 21.80
0:24 35.30 45.00 65.75 21.10
0:26 35.30 45.00 65.75 21.10
0:28 35.30 45.00 65.70 21.10
0:30 35.30 45.00 65.70 21.10
0:35 35.30 45.00 65.70 21.10
0:40 35.30 45.00 65.70 21.10
0:45 35.30 45.00 65.70
0:50 35.30 45.00 65.70
0:55 35.30 45.00 65.70
1:00 35.30 2.34 45.00 3.38 65.70 5.35

4
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Rebaixamentos para varios estagios - GUIANA


1 10 Tempo (min) 100 1000
0.00
Δs1=13.77 m
5.00
Q1=2.54 m3/h
10.00
Reibaxamento (m)

15.00
Δs2=9.37 m
20.00
Q2=3.38 m3/h
25.00

30.00

35.00
Δs3=0.96
Q3=5.35 m3/h
40.00

45.00

50.00

Figura 1:Interpretação dos dados do ensaio

Relação Q versus S/Q - GUIANA

8.5
8
y = 0.8878x + 3.446
7.5
7
6.5
6
5.5
5
2 3 4 5 6

Figura 2:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q

5
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Relação Caudal Rebaixamentos - GUIANA


Caudal m3/h
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
0 0
10 10
20

Nivel dinamico no furo (m)


20
30
Rebaixamento S (m)

30
40
40
50
50
60
60
70
70
80
90 80

100 90

110 100
120 110

Figure 3: Curva dos rebaixamentos Versus Caudal

1#Guiana: Os resultados do ensaio mostram que o furo sofre muitas perdas e não pode
produzir caudal igual ou acima do caudal do ensaio. Veja a figura de rebaixamento versus
caudal em acima. Com base nesta curva é possível determinar para um dado caudal o nível
dinâmico no furo o que permite a escolha da bomba para uma determinada instalação
hidráulica.

Para este furo, recomenda-se que a bomba seja instalada a profundidade de 65 metros para
um caudal de 3.5 m3/h. Tendo em conta a probabilidade de ocorrência de ciclos mais secos
que a condição de bombagem e assumindo que o caudal recomendado poderá provocar
efeito de sobreposição aumentando assim o nível de rebaixamentos a profundidade segura
de instalação da bomba será de 70 metros.

6
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Tabela 4:Dados de ensaio escalonado-Hate Hate


RELATÓRIO DO ENSAIO DE CAUDAL
Provincia: Gaza Tubo Revestimento:PVC Date: 08-02-2020
Posto administrativo: Changanine Diametro do tubo: 4''
Empreiteiro: AFRIDEV MATI MOZAMBIQUE Diametro da Bomba: 3''
Cliente: DNGRH/BM Tecnico: Abel Mula
Localização:Chibuto-Hate Hate Prof. da Bomba (m): 40.00
Furo No.: Pump power: 6m3/h-HT-167m
Profundidade do Furo (m): 78.00 Tipo de entalhe em V:
Nivel Estatico (m): 12.50 No. Patamares: 3

Patamar 1 Patamar 2 Patamar 3


Tempo Rebaixamento Caudal Rebaixamento Caudal( Rebaixamento Caudal Observações Recuperação
(hh:mm) (m) (m³/h) (m) m³/h) (m) (m³/h) (m)

0:00 12.50 18.30 20.5 21.50


0:01 16.10 19.90 21.3 18.00
0:02 17.50 20.20 21.4 15.60
0:03 17.50 20.40 21.4 13.40
0:04 18.00 20.50 21.5 13.10
0:05 18.20 20.50 21.5 12.90
0:06 18.30 20.50 21.5 12.80
0:07 18.30 20.50 21.5 12.70
0:08 18.30 20.50 21.5 12.30
0:09 18.30 20.50 21.5 12.00
0:10 18.30 20.50 21.5 12.00
0:12 18.30 20.50 21.5 12.00
0:14 18.30 20.50 21.5 12.00
0:16 18.30 20.50 21.5
0:18 18.30 20.50 21.5
0:20 18.30 20.50 21.5
0:22 18.30 20.50 21.5
0:24 18.30 20.50 21.5
0:26 18.30 20.50 21.5
0:28 18.30 20.50 21.5
0:30 18.30 20.50 21.5
0:35 18.30 20.50 21.5
0:40 18.30 20.50 21.5
0:45 18.30 20.50 21.5
0:50 18.30 20.50 21.5
0:55 18.30 20.50 21.5
1:00 18.30 4.00 20.50 5.00 21.5 6.61

7
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Rebaixamentos para varios estagios - HATE HATE


1 10 Tempo (min) 100 1000
0.00
0.50
1.00
1.50
2.00
Reibaxamento (m)

2.50
Δs1=5.55 m
3.00 Q1=4.05 m3/h
3.50
4.00
4.50
5.00
5.50
6.00
6.50 Δs2=2.10 m
7.00
Q2=5 m3/h
7.50
8.00
8.50
Δs3=0.96
9.00 Q3=6.61 m3/h
9.50

Figure 4:Interpretação dos dados do ensaio

Relação Q versus S/Q - HATE HATE


1.42

1.41
y = 0.0203x + 1.2885
1.4

1.39

1.38

1.37

1.36
4 4.5 5 5.5 6 6.5

Figure 5:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q

8
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Relação Caudal Rebaixamentos - HATE HATE


Caudal m3/h
0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24
0 0

10 10
Rebaixamento S (m)

Nivel dinamico no furo (m)


20 20

30 30

40 40

50 50

Figure 6: Curva dos rebaixamentos Versus Caudal


Q.exploração= 7m3/h
Nível Dinâmico: 22m

2#Hate Hate: Os resultados do ensaio mostram que o furo não sofre muitas perdas e pode
produzir caudal acima do caudal do ensaio. Veja a figura de rebaixamento versus caudal em
acima. Com base nesta curva é possível determinar para um dado caudal o nível dinâmico no
furo o que permite a escolha da bomba para uma determinada instalação hidráulica.

Para este furo, recomenda-se que a bomba seja instalada a profundidade de 40 metros para
um caudal de 7 m3/h. Tendo em conta a probabilidade de ocorrência de ciclos mais secos que
a condição de bombagem e assumindo que o caudal recomendado poderá provocar efeito de
sobreposição aumentando assim o nível de rebaixamentos a profundidade segura de
instalação da bomba será de 50 metros.

9
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Tabela 5:Dados de ensaio escalonado-Chifongo


RELATÓRIO DO ENSAIO DE CAUDAL
Provincia: Gaza Tubo Revestimento:PVC Date: 04-01-2020
Posto administrativo: Chifongo Diametro do tubo: 6''
Empreiteiro: AFRIDEV MATI MOZAMBIQUE Diametro da Bomba: 3''
Cliente: DNGRH/BM Tecnico: Abel Mula
Localização:Mapai-Chifongo Prof. da Bomba (m): 47.00
Furo No.: Pump power: 6m3/h-HT-167m
Profundidade do Furo (m): 53.00 Tipo de entalhe em V:
Nivel Estatico (m): 14.20 No. Patamares: 3

Patamar 1 Patamar 2 Patamar 3


Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Observações Recuperação
(min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (m)

0 14.20 15 18.40 90 23.00 23.90


1 17.70 20 19.60 100 23.30 17.70
2 18.00 25 19.70 110 23.40 15.60
3 18.10 30 19.90 120 23.70 14.70
4 18.40 35 20.00 135 23.90 14.20
5 18.40 40 20.00 150 23.90 14.20
6 18.40 45 20.00 165 23.90 14.20
7 18.40 50 20.00 180 23.90 14.20
8 18.40 55 20.00 195 23.90
9 18.40 60 20.00 210 23.90
10 18.40 70 20.00 225 23.90
15 18.40 3.87 80 22.30 4.22 240 23.90 6.53

Rebaixamentos para varios estagios - CHIFONGO


1 10 Tempo (min) 100 1000
0.00

Δs1=4.16 m
2.00
Q1=3.87 m3/h
Reibxamento (m)

4.00
Δs2=1.57 m
Q2=4.22 m3/h
6.00

Δs3=3.64 m
8.00
Q3=6.53 m3/h

10.00

12.00

Figure 7:Interpretação dos dados do ensaio

10
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Relacao Q versus S/Q - CHIFUNGO


1.4
1.35
y = 0.0762x + 0.869
1.3
1.25
1.2
1.15
1.1
1.05
1
3 4 5 6 7

Figure 8:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q

Relacao Caudal Rebaixamentos - CHIFUNGO


0 4 8 Caudal m3/h12 16 20
0 0
5
5
10
Nivel dinamico no furo (m)

10
Rebaixamento S (m)

15
20 15
25
20
30
25
35
40 30
45
35
50
40
55
60 45

Figure 9: Curva dos rebaixamentos Versus Caudal

11
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

3#Chifongo: Os resultados do ensaio mostram que o furo não sofre muitas perdas e pode
produzir caudal acima do caudal do ensaio. Veja a figura de rebaixamento versus caudal em
acima. Com base nesta curva é possível determinar para um dado caudal o nível dinâmico no
furo o que permite a escolha da bomba para uma determinada instalação hidráulica.

Para este furo, recomenda-se que a bomba seja instalada a profundidade de 35 metros para
um caudal de 7 m3/h. Tendo em conta a probabilidade de ocorrência de ciclos mais secos que
a condição de bombagem e assumindo que o caudal recomendado poderá provocar efeito de
sobreposição aumentando assim o nível de rebaixamentos a profundidade segura de
instalação da bomba será de 40 metros.

Tabela 6:Dados de ensaio escalonado-Chilemane


RELATÓRIO DO ENSAIO DE CAUDAL
Provincia: Gaza Tubo Revestimento:PVC Date: 03-022020
Posto administrativo: Chilemane Diametro do tubo: 4''
Empreiteiro: AFRIDEV MATI MOZAMBIQUE Diametro da Bomba: 3''
Cliente: DNGRH/BM Tecnico: Abel Mula
Localização:Mapai-Chilemane Prof. da Bomba (m): 47.00
Furo No.: Pump power: 6m3/h-HT-167m
Profundidade do Furo (m): 32.00m Tipo de entalhe em V:
Nivel Estatico (m): 16.70 No. Patamares: 3

Patamar 1 Patamar 2 Patamar 3


Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Observações Recuperação
(min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (m)

0 16.70 30.00 17.70 70 18.30 18.30


1 17.20 35.00 17.70 80 18.30 16.90
2 17.20 40.00 17.70 90 18.30 16.90
3 17.50 45.00 17.70 100 18.30 16.70
4 17.50 50.00 17.70 110 18.30 16.70
5 17.50 55.00 17.70 120 18.30 16.70
6 17.50 60.00 17.70 4.50 135 18.30 16.70
7 17.50 150 18.30 16.70
8 17.50 165 18.30
9 17.50 180 18.30
10 17.50 195 18.30
15 17.50 210 18.30
20 17.50 225 18.30
25 17.50 3.42 240 18.30 6.61

12
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Rebaixamentos para varios estagios - CHILEMANE


1 10 Tempo (min) 100 1000
0.00

Δs1=0.78 m
Q1=3.42 m3/h
0.50
Reibaxamento (m)

Δs2=0.18 m
Q2=4.5 m3/h
1.00

Δs3=0.6m
Q3=6.61 m3/h
1.50

2.00

Figure 10:Interpretação dos dados do ensaio

Relacao Q versus S/Q - CHILEMANE


0.25
0.245
0.24
y = 0.0036x + 0.2083
0.235
0.23
0.225
0.22
0.215
0.21
0.205
0.2
3.4 3.9 4.4 4.9 5.4 5.9 6.4 6.9

Figure 11:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q

13
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Relacao Caudal Rebaixamentos - CHILEMANE


0 4 Caudal m3/h 8
0 0

Nivel dinamico no furo (m)


10
Rebaixamento S (m)

10
20

30
20

40

50 30

Figure 12:Curva dos rebaixamentos Versus Caudal

4#Chilemane: Os resultados do ensaio mostram que o furo não sofre muitas perdas e pode
produzir caudal acima do caudal do ensaio, porém num longo período de bombeamento os
níveis de rebaixamento podem aumentar e para o furo em causa, a profundidade menor e
portanto, recomenda-se um caudal seguro exploração. Veja a figura de rebaixamento versus
caudal em acima. Com base nesta curva é possível determinar para um dado caudal o nível
dinâmico no furo o que permite a escolha da bomba para uma determinada instalação
hidráulica.

Para este furo, recomenda-se que a bomba seja instalada a profundidade de 26 metros para
um caudal de 5 m3/h.

14
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Tabela 7:Dados de ensaio escalonado-Singanhane


RELATÓRIO DO ENSAIO DE CAUDAL
Provincia: Gaza Tubo Revestimento:PVC Date: 07-02-2020
Posto administrativo: Singanhanhe Diametro do tubo: 4''
Empreiteiro: AFRIDEV MATI MOZAMBIQUE Diametro da Bomba: 3''
Cliente: DNGRH/BM Tecnico: Abel Mula
Localização:Massangena-Singanhane Prof. da Bomba (m): 80.00
Furo No.: Pump power: 6m3/h-HT-167m
Profundidade do Furo (m): 85.00 Tipo de entalhe em V:
Nivel Estatico (m): 43.30 No. Patamares: 3

Patamar 1 Patamar 2 Patamar 3


Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Observações Recuperação
(min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (m)

0 43.30 15 48.90 90 50.60 50.70


1 47.80 20 49.10 100 50.70 47.20
2 47.80 25 49.30 110 50.70 47.70
3 47.80 30 49.30 120 50.70 44.10
4 47.80 35 49.30 135 50.70 43.30
5 48.00 40 49.30 150 50.70 43.30
6 48.00 45 49.30 165 50.70 43.30
7 48.00 50 49.30 180 50.70
8 48.00 55 49.30 195 50.70
9 48.00 60 49.30 210 50.70
10 48.00 4.50 70 49.30 225 50.70
80 50.40 5.00 240 50.70 6

Rebaixamentos para varios estagios - SINGANHANHE


1 10 Tempo (min) 100 1000
0.00

1.00
Δs1=4.37 m
Q1=4.5 m3/h
Reibaxamento (m)

2.00

3.00

4.00

5.00 Δs2=1.17 m
Q2=4.5 m3/h
6.00
Δs2=1.37
7.00 Q3=6.0 m3/h

8.00

Figure 13:Interpretação dos dados do ensaio

15
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Relacao Q versus S/Q - SINGANHANE

1.2

1.15

1.1
y = 0.1064x + 0.4746
1.05

0.95

0.9
4.4 4.9 5.4 5.9 6.4

Figure 14:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q

Relacao Caudal Rebaixamentos - SINGANHANHE


Caudal m3/h
0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20
0 0

10
10
20
Rebaixamento S (m)

20
30
Nivel dinamico no furo (m)

30
40

40 50

60
50
70
60
80
70
90

80 100

Figure 15:Curva dos rebaixamentos Versus Caudal

16
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

5#Singanhane: Os resultados do ensaio mostram que o furo não sofre muitas perdas e pode
produzir caudal acima do caudal do ensaio. Veja a figura de rebaixamento versus caudal em
acima. Com base nesta curva é possível determinar para um dado caudal o nível dinâmico no
furo o que permite a escolha da bomba para uma determinada instalação hidráulica.

Para este furo, recomenda-se que a bomba seja instalada a profundidade de 65 metros para
um caudal de 5 m3/h. Tendo em conta a probabilidade de ocorrência de ciclos mais secos que
a condição de bombagem e assumindo que o caudal recomendado poderá provocar efeito de
sobreposição aumentando assim o nível de rebaixamentos a profundidade segura de
instalação da bomba será de 70 metros.

Tabela 8:Dados de ensaio escalonado-Chinhanguane


RELATÓRIO DO ENSAIO DE CAUDAL
Provincia: Gaza Tubo Revestimento:PVC Date: 31-01-2020
Posto administrativo: Chinhanguane Diametro do tubo: 4''
Empreiteiro: AFRIDEV MATI MOZAMBIQUE Diametro da Bomba: 3''
Cliente: DNGRH/BM Tecnico: Abel Mula
Localização:Massangena-Chinhanguane Prof. da Bomba (m): 29.00
Furo No.: Pump power: 6m3/h-HT-167m
Profundidade do Furo (m): 35.00 Tipo de entalhe em V:
Nivel Estatico (m): 11.50 No. Patamares: 3

Patamar 1 Patamar 2 Patamar 3


Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Tempo Rebaixamento Caudal Observações Recuperação
(min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (min) (m) (m³/h) (m)

0 11.50 15 13.10 90 14.10 12.10


1 12.80 20 13.20 100 14.20 12.80
2 12.80 25 13.20 110 14.20 11.50
3 12.80 30 13.20 120 14.20 11.50
4 12.80 35 13.20 135 14.20 11.50
5 12.80 40 13.20 150 14.20 11.50
6 12.80 45 13.20 165 14.20 11.50
7 12.80 50 13.20 180 14.20
8 12.80 55 13.20 195 14.20
9 12.80 60 13.20 210 14.20
10 12.80 4.00 70 13.20 225 14.20
80 14.10 5.54 240 14.20 6.53

17
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Relacao Q versus S/Q - CHINHANGUANE

0.44
0.42
y = 0.0338x + 0.19
0.4
0.38
0.36
0.34
0.32
0.3
3.6 4.1 4.6 5.1 5.6 6.1 6.6 7.1

Figure 16:Curva dos rebaixamentos específico Versus Q

Relacao Caudal Rebaixamentos - CHINHANGANE


Caudal m3/h
0 2 4 6 8 10 12
0 0

5 Nivel dinamico no furo (m)

10
Rebaixamento S (m)

15

20

25 10

30

35

40

45

50 20

Figure 17:Curva dos rebaixamentos Versus Caudal

18
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

5#Chinhanguane: Os resultados do ensaio mostram que o furo não sofre muitas perdas e
pode produzir caudal acima do caudal do ensaio. Veja a figura de rebaixamento versus caudal
em acima. Com base nesta curva é possível determinar para um dado caudal o nível dinâmico
no furo o que permite a escolha da bomba para uma determinada instalação hidráulica.

Para este furo, recomenda-se que a bomba seja instalada a profundidade de 26 metros para
um caudal de 6 m3/h.

Tabela 9: Sumario dos caudais e níveis recomendados


Nível Dinâmico (m) Prof. da Bomba (m) Caudal (m3/h)
Prof. do Furo Recom. De
Furo Nr Community Nivel Estatico
(m) Max. Ensaio de acordo com a
Admissivel Caudal curva S(Q) Test Reco. Test Reco.
1 Guiana 90.7 21.2 76.7 65.7 44.04 70.2 70 5.35 3.5
2 Hate Hate 78 12.5 64 21.5 21.61 40 50 6.61 7
3 Chifungo 53 14.2 39 23.9 24.01 47 40 6.53 7
4 Chilemane 32 16.7 18 18.3 17.83 26 26 6.61 5
5 Chinganhene 35 11.5 21 14.2 48.33 29 26 6.00 5
6 Shinhangane 85 43.3 71 50.7 13.85 80 70 6.53 6

5. SELEÇÃO DAS BOMBAS

A seleção das bombas foi feita com base no caudal e no rebaixamento alcançado por cada
Furo. As características a serem consideradas na seleção da bomba são os níveis de água
estático e dinâmico, a elevação do tanque e o rendimento do poço. Foi utilizado o sistema de
dimensionamento da bomba Grundfos, para selecionar as bombas de cada sistema para
maximizarem a água fornecida à comunidade. No caso do sistema solar, as bombas solares
foram adquiridas como um pacote completo que inclui os painéis e isso é recomendado para
garantir o sistema mais eficiente.

A profundidade de instalação recomendada da bomba é de 12 m acima da profundidade do


Furo e 1 - 2 m abaixo do nível dinâmico da água como um factor de segurança e para minimizar
a possibilidade de a bomba desligar devido ao sensor seco, o que seria localizado 0,3 a 0,6 m
acima do topo da bomba.

A altura de bombeamento máxima foi calculada com base na diferença de elevação entre a
profundidade do sensor seco (profundidade da bomba menos 0,3 m) e a parte superior do
tanque. Nesse caso, o sensor seco limitaria a altura de bombeamento.

A tabela a seguir indica os dados de cada Furo e da bomba seleccionada. Detalhes sobre as
bombas estão em anexo no presente relatório.

19
Relatório de Ensaio de Caudal-Gaza

Table 10: Selecção da Bomba


Caudal
Elevação (m) Perda de Carga Altura Demanda
Furo Fonte de Ensaio de Caudal Tipo de
Districto Comunidade ND (m) NE (m) Total eléctrica
No energia Caudal Recom. Topo da Bomba
Furo Torre L (m) ∆h (m) efectiva
(m3/h) (m3/h) Torre
1 Guiana Fotovoltaico 44.04 21.20 5.35 3.50 90.00 91.00 14.70 73.00 0.073 61.81
2 Hate Hate Fotovoltaico 21.61 12.50 6.61 7.00 43.00 45.00 14.70 53.00 0.053 40.36
3 Chifongo Fotovoltaico 24.01 14.20 6.53 7.00 143.00 144.00 14.70 43.00 0.043 41.75
4 Chilemane Fotovoltaico 17.83 16.70 6.61 5.00 157.00 156.00 14.70 29.00 0.029 33.56
5 Chinhangane Fotovoltaico 48.33 11.50 6.00 5.00 123.00 124.00 14.70 29.00 0.029 66.06
10 Singanhane Fotovoltaico 13.85 43.30 6.53 6.00 160.00 161.00 14.70 73.00 0.073 31.62

6. CONCLUSÕES

Os furos testados são capazes de produzir os caudais mínimos desejados para a


implementação do projecto.

Por uma questão de uniformização e para evitar riscos de rebaixamento excessivos abaixo do
nível de instalação da bomba, principalmente em caso de secas extremas, recomenda-se a
instalação das bombas nos níveis indicados.

20

Você também pode gostar