Você está na página 1de 2

A Transparência Brasil é uma organização

brasileira, independente e autônoma.


Rua Francisco Leitão 339 cj 122 05414-025 São Paulo SP Brasil.
Tel: 55 11 3062 3436. E-mail: tbrasil@transparencia.org.br.

Salário representa pequena parcela da remuneração anual


de congressistas
No debate acerca do recente aumento salarial aprovado pelos deputados federais e senadores para a
próxima legislatura, esquece-se que a remuneração dos congressistas não é composta apenas do
salário. Ele representará, em 2011, apenas 27% do total a ser recebido por um deputado federal ao
longo de um ano, e 17% do que será recebido pelos senadores.
O restante do que é pago aos parlamentares vem em forma de benefícios – cuja aplicação é mais difícil
de monitorar, tendo em vista os problemas em relação à transparência dos gastos. Exemplo disso é a
contratação de consultorias pelos parlamentares: não há publicidade sobre o trabalho desenvolvido
pelos consultores.
Não são raros, ainda, os casos de desvios ou má aplicação das verbas extras. Em passado não muito
distante, registrou-se a chamada “farra das passagens aéreas”, em que deputados federais foram
acusados de usar passagens para viagens de lazer ao exterior, acompanhados de suas famílias.
Na Câmara, os parlamentares têm direito a três benefícios além dos salários: Cota para o Exercício da
Atividade Parlamentar (CEAP), auxílio-moradia e verba de gabinete.
A CEAP varia de acordo com a distância do estado de origem em relação a Brasília. Assim, um
deputado do Distrito Federal tem direito ao menor montante (R$ 23.033), e um de Roraima, ao maior
(R$ 34.259)1. Para fins de referência, foi usada a Cota de um parlamentar do DF:
Remuneração anual - Deputados federais
Distribuição
Montante anual
Item recebido em relação ao
(R$)
total
Salário 400.500 27%
CEAP 276.398 19%
Auxílio-moradia 36.000 2%
Verba de gabinete 780.000 52%
TOTAL 1.492.898

1
A tabela completa com os montantes da CEAP para cada estado pode ser vista em
http://www2.camara.gov.br/a-camara/estruturaadm/deapa/portal-da-posse/ato-da-mesa-43-ceap
No Senado, os benefícios concedidos são sete: verba de gabinete, verba “indenizatória”,
auxílio-moradia, cotas para impressão, para telefone, postal e para passagem aérea.
A cota postal é determinada de acordo com a população do estado de origem do parlamentar.
A menor, desse modo, é a dos senadores do Amapá: R$ 4.000 por mês – este foi o montante
usado como base para o cálculo apresentado.
Em relação às passagens aéreas, o limite é de 60 passagens por ano para o trecho Brasília –
capital do estado – Brasília. Tendo isso em vista, o cálculo foi baseado no custo de uma
passagem da Gol Linhas Aéreas para Goiânia, a capital mais próxima de Brasília: R$ 178 2.

Remuneração anual - Senadores


Distribuição
Montante anual
Item recebido em relação ao
(R$)
total
Salário 400.500 25%
Verba de gabinete 1.066.000 66%
Verba “indenizatória” 45.600 3%
Auxílio-moradia 780.000 48%
Cota para impressão 8.500 1%
Cota para telefone 6.000 Menos de 1%
Cota postal 48.000 3%
Cota de passagem aérea 10.680 Menos de 1%
TOTAL 2.371.460

2
Consulta realizada em 16 de dezembro de 2010, com datas de saída em 11 de fevereiro de 2011 (Brasília) e 14
de fevereiro de 2011 (Goiânia).